Você está na página 1de 10

Graduação em Enfermagem

Luana do Carmo Paciello Bautitz


20162103965

Atividade Individual Avaliativa – A2

Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças e Agravo da Mulher, Família, DST/AIDS

Rio de janeiro
2020
Sumário

Introdução ...................................................................................................................... 03
Gestação ......................................................................................................................... 04
Parto ............................................................................................................................... 06
Puerpério ........................................................................................................................ 08

2
Introdução

A gravidez é um momento de extrema importância para a mulher, família e


companheiros, e os sentimentos que afloram são os mais peculiares. É super normal
surgirem muitas dúvidas, expectativas, medos, muitas incertezas e mitos, e como
profissionais de saúde temos como dever acolher a mulher nos esclarecimentos de
dúvidas, assumindo a responsabilidade de apoiadores e fontes fies de informação. Por
isso a presença dos profissionais de enfermagem se faz necessária, porque estão
diretamente ligadas a essas mulheres, tendo como intuito amenizar toda e qualquer
questão biopsíquico que possa surgir.
Não importa as circunstâncias que a gestante vive, ela sempre sentirá a necessidade de
compartilhar sua experiência e história de vida e espera ser acolhida de maneira aberta e
verdadeira principalmente pelos profissionais que estão acompanhando sua trajetória. A
didática compartilhada com outras gestantes fortalece e estimula a troca de experiências,
desenvolve laços, e o sentimento afetuoso com as demais participantes fica mais
aflorado e a união cresce. O curso em formato de roda de conversa facilita a dinâmica
com o grupo, e o membro da equipe de enfermagem deve promover a interação e
incentivar as gestantes a trocar suas experiencias, expor suas duvidas afim de
desenvolver a autoconfiança e conhecimento.
O curso tem como objetivo orientar e apoiar gestantes e casais grávidos a partir da 13ª
semana de gestação, abordando temáticas principais como a gestação, parto e puerpério.
A estrutura do curso conta com 10 encontros semanais, com a duração de
aproximadamente 1 hora e meia cada, com grupo de no máximo 10 mulheres e no
mínimo de 6. Nas reuniões teremos a presença de uma equipe multidisciplinar composta
de nutricionista, psicóloga, fisioterapeuta, educador físico um profissional obstetra. No
decorrer das reuniões serão utilizados métodos de manipulação em bonecos onde terá a
simulação da amamentação, troca de fralda, e cuidados gerais com o recém-nascido,
aplicação de quiz para reforço da aprendizagem e tipos de exercícios físicos.

3
Gestação
O objetivo desse módulo é orientar a gestante quanto a consultas de pré natal, exames,
vacinas, medicamentos, alimentação, atividade física e sobre possíveis sensações que
ela poderá ter.
Estar gravida é um período que é marcado por intensas transformações nas questões
fisiológicas, sociais e também psicológicas. O corpo da mulher se prepara para hospedar
um novo ser que estará em pleno desenvolvimento. A gestante se sente alegre e
realizada, mas simultaneamente tem muito receio sobre o que está por vir, por isso é
muito importante que ela sinta que não estará sozinha nessa jornada.
Serão nas consultas de pré natal que serão feitos exames laboratoriais nos quais poderão
ser diagnosticados possíveis doenças pré existentes, e assim poder fazer o tratamento
adequado para garantir a saúde da mãe e do bebe. Por esse motivo que é de extrema
importância que a gestante compareça a todas as consultas de pré natal e que siga
corretamente as recomendações que serão propostas. No pré natal é abordado os
seguintes assuntos:
 São prescritos exames para detecção de diabetes mellitus gestacional, coombs
indireto e teste de anti-HIV;
 São acompanhadas o desenvolvimento fetal, com medição da altura uterina,
ausculta dos batimentos cardiofetais.
 O profissional que acompanhará a gestante explicará sobre as mudanças
fisiológicas, uma delas são as mamas, as auréolas ficarão mais escurecidas e
surgirão bolinhas similares a espinhas. Mas estas não devem ser espremidas pois
são as glândulas sebáceas que servirão para lubrificar o seio da gestante.
 Ainda sobre as mamas a gestante poderá notar a presença de um liquido
transparente saindo das mamas quando apertar o bico dos seios. Esse liquido é o
colostro e algumas mulheres produzem durante a gestação e outras após o parto;
 Será prescrito que a gestante receba a vacina anti tetânica;
 Fatores de risco reprodutivo;
 Controle do peso da gestante. O ideal é que a mulher engorde;
 Controle da pressão arterial e verificação de presença de edemas;
Nesse módulo abordaremos junto com uma profissional de nutrição que é mais indicado
as gestantes consumam poucas quantidades de alimentos por vez, para que se evite as
indesejáveis azias e enjoos. Pois o bebe já vai estar grandinho e ocupará bastante espaço
na barriga da mãe, o diafragma, estômago e intestino ficaram mais comprimidos,
consequentemente a futura mamãe sentirá falta de ar e prisão de ventre.
Contaremos com a participação de uma profissional fisioterapeuta que ensinará técnicas
de:
 Prevenção de dores;
 Exercícios respiratórios;
 Exercícios para o períneo;
 Exercícios na bola terapêutica;
 Alongamentos;

4
 Relaxamento;
 Preparação para o parto
O profissional de educação física mostrará a importância de manter uma rotina de vida
saudável, mesmo durante a gestação. A atividade física leve a moderada pode ser feita
desde o inicio da gestação, desde que o organismo e a gestação estejam indo sem
nenhuma intercorrência. A pratica de atividade física é contraindicada para mulheres
que:
 Estejam tendo sangramentos;
 Problemas placentários;
 Dilatação precoce do colo uterino;
 Problemas cardíacos pré existentes;
Lembrando que a prática dessas atividades físicas não é para perda de peso e sim para
uma melhora na circulação sanguínea para evitar os terríveis inchaços. Algumas
atividades não são recomendadas como por exemplo os esportes de contato, esportes
que exigem muita agilidade e o mergulho por causa da descompressão. Já as mulheres
que engravidaram acima do peso não devem querer eliminar o excesso de peso durante
a gestação. Porque outro objetivo dessa prática é o controle do ganho de peso para que
fique no parâmetro adequado que é entre 9 a 12 quilos a mais. E durante as atividades
físicas o importante que as gestantes usem roupas e acessórios adequados e
confortáveis, mantenha a ingesta hídrica e não faça exercícios de estomago vazio.
Mediante a todos os assuntos que serão abordados é importante ressaltar que a gestante
deve sempre observar a movimentação diária do bebe. Terá dias que o bebe vai se
movimentar mais e outros dias menos. O bebe tende a se movimentar principalmente
quando a mãe se alimenta, o importante que ele se movimente todos os dias. E nos
últimos meses da gestação a mulher poderá sentir um endurecimento na sua barriga e
que em algumas vezes parece que muda de posição. Esse endurecimento é gerado pelas
contrações de Braxton Hicks, que tem como função de relaxar o útero e prepara-lo para
o momento mais esperado que é o parto.
Como métodos serão utilizados vídeos que mostrarão as mudanças fisiológicas dentro
do corpo da mulher e o desenvolvimento do bebe, desde a fase embrionária até a fase de
maior desenvolvimento. Mostras de alimentos indicados para alivio dos enjoos e azias,
assim como alimentos ricos em vitaminas e minerais para uma boa nutrição da mãe e
bebe. O profissional de fisioterapia ensinará técnicas que vão trazer mais alivio e
conforto para a gestante e um profissional de educação física que ensinará a importância
da atividade física durante a gestação.

5
Parto
O objetivo desse módulo é instruir a gestante e o acompanhante sobre as diversas
possibilidades de parto para que seja uma experiência positiva e ativa para a mulher.
Com o parto se aproximando, as expectativas e dúvidas da gestante aumentam. Muitos
mitos acabam gerando mais medo, principalmente nas primigestas. Nesse módulo será
desmistificado as crenças no que se diz respeito ao parto, com isso serão abordados os
tipos de parto e como cada um acontece:
 Parto Normal – É o mais convencional, a mulher entra em trabalho de parto
espontaneamente. Ocorre geralmente entre a 37
ª a 42ª semanas de gestação. Inicia-se com leves contrações que vão aumentando
gradualmente o gera a dilatação do colo do útero. Aqui será esclarecido para a gestante
que ela tem duas opções de anestesia que promovem alivio imediato da dor, que é a
peridural e a raquidiana. Ressaltando que a decisão de tomar a anestesia é da gestante.
 Parto Natural - O parto natural é diferente do parto normal. Esse parto acontece
com o mínimo possível de intervenções médicas, aqui o corpo desempenha todo
o trabalho. A mulher comanda ativamente o nascimento do bebe sem o uso de
anestesia. Esse parto pode acontecer na casa da gestante, mas é importante que
tenha acompanhamento de profissionais especializados.

 Cesariana – Este tipo de parto é mais indicado quando o parto normal não tem
possibilidade de acontecer ou quando a gestante tem infecção pelo vírus HIV,
herpes, quando o cordão umbilical esta enrolado no pescoço do bebe ou que a
gestante já tenha realizado cesárea antes na primeira gestação.

 Parto na Água – Muito utilizado atualmente porque esse tipo de parto traz
conforto para a gestante. É utilizado uma banheira com água aquecida entre
36ºC e 37ºC, a água deve cobrindo toda barriga e o ambiente fica a meia luz. A
água melhora a irrigação sanguínea promovendo um relaxamento muscular e
facilitando a dilatação do colo do útero. Este tipo de parto é mais tranquilo tanto
para a mãe quanto para o bebe pois o ambiente fica favoravelmente tranquilo e o
companheiro ou acompanhante pode ficar dentro da banheira dando apoio.
Lembrando que é primordial a presença e acompanhamento de profissionais
especializados.

 Parto de Cócoras – Nesse tipo de parto a gestante fica agachada, a musculatura


da pelve relaxa juntamente com o abdome. Geralmente esse parto acontece
rápido pois temos junto a gravidade favorecendo a saída rápida do bebe. Aqui a
gestante precisa ter um bom condicionamento físico para aguentar ficar de
cócoras, ter passado por uma gestação saudável, o bebe deve estar de cabeça
para baixo e não deve pesar mais do que 4 quilos e estar com dilatação em 10. A
anestesia não é aplicada nesse tipo de parto.

6
 Parto Leboyer – Parto pouco realizado atualmente, foi criado na década de 70
pelo médico obstetra francês Frédérik Leboyer. Conhecido como parto sem
violência tem o objetivo de não causar estresse ao bebe no momento do
nascimento, tornando os primeiros momentos da vida fora do útero menos
traumático possível. O parto é feito com pouca luz, ambiente em silencioso, após
o nascimento o bebe é colocado sobre a barriga da mãe para que não sinta com
tanto impacto a mudança de temperatura, o cordão umbilical é cortado somente
depois que para de pulsar para favorecer e facilitar a transição respiratória do
recém-nascido.

 Parto Humanizado – Nesse tipo de parto se respeita a vontade da gestante. É


ela quem decide onde seu bebe vai nascer, quem poderá acompanhar o parto, em
que posição vai ser utilizada, se vai ser utilizada banheira, se vai ter luz acessa
ou apagada, e escolher se quer ser anestesiada. Nesse parto é de extrema
importância a presença do obstetra para garantir que a gestante e o bebe vão
estar bem.

 Cesárea Humanizada – Nesse parto a gestante fica numa sala cirúrgica mais
confortável possível, pode ter acompanhante e se for da vontade da futura
mamãe pode ter musica ambiente. Aqui o cordão umbilical também é cortado
somente depois que para de pulsar e também é colocado perto da mãe logo após
o nascimento.
Após ser esclarecido sobre as possibilidades de parto e o que cada um pode
proporcionar para mãe e recém-nascido abriremos a roda de conversa para que as
gestantes e seus respectivos acompanhantes possam tirar dúvidas acerca do parto
propriamente dito e das possibilidades de anestesias. Assim o curso facilitará o processo
do parto, desmistificará os mitos, esclarecerá formas de alivio da dor e preparar o corpo
e a mente dessas mulheres para o momento tão esperado e temido.

7
Puerpério
O objetivo desse módulo é informar a gestante e seus respectivos acompanhantes sobre
as fases do puerpério. A gestação dá o start de uma nova trajetória na vida da mulher e o
parto é o prenuncio de um novo tempo. Juntamente com a chegada do bebe vem o
puerpério, que traz mudanças e momentos intensos, tanto nas questões físicas quanto
psicológicas em espaço te tempo muito pequeno. O puerpério é conhecido como o
período entre o pós parto até a fase em que as modificações sistêmicas e locais da
mulher retornem para o estado pré gravídico. O puerpério é marcado por três fases que
são:
 Puerpério Imediato – Acontece do 1º ao 10º dia pós-parto. Ocorre logo após
que o organismo elimina a placenta, na primeira hora após ao nascimento do
bebe o útero continua contraindo e os sinais vitais se estabilizam. A mulher
deve ficar em observação continua na sua reabilitação inicial, pois a mulher
passa por grande alteração hormonal e tende a ter sensações intensas.

 Puerpério Tardio – Ocorre do 11º ao 45º dia pós-parto. O corpo da mulher


ainda está passando por intensas modificações e o cuidado a esta mulher deve
ser ainda maior. O útero e região genital ainda está sofrendo mudanças para
voltar ao seu estado normal.

 Puerpério Remoto – Este puerpério se inicia a partir do 45º dia após o


nascimento do bebe. E mesmo a mulher ter iniciado a amamentação o corpo
ainda está passando por mudanças. No período puerperal a mulher não ovula,
mas a partir do 40º dia ela pode reproduzir outra vez. Nessa fase é recomentado
que a mulher utilize métodos contraceptivos caso não deseje uma nova gestação.

A fase do puerpério muita das vezes torna-se difícil para mulher, pois são muitas
alterações hormonais, corpo em transformação para retornar a fisiologia que tinha antes
da gestação e a mulher tendo que lidar com os desafios de amamentar e cuidar de um
bebe que depende majoritariamente dela. O apoio do companheiro e família é essencial
para que a mulher se sinta amparada e acolhida, isso facilitara o processo de
amamentação, pois ela se sentirá segura e capaz de prosseguir essa nova fase. É
importante que a mulher frequente as consultas no puerpério para se certificar de que
está tudo bem com sua saúde e com a saúde do bebe. Nas consultas puerperais a mulher
passar por avaliações clinicas e ginecológicas onde serão observados:
 Avaliação dos dados vitais;
 Exame das mamas, para verificar possíveis ingurgitamentos, sinais
inflamatórios, infecciosos ou qualquer outra coisa que possa dificultar a
amamentação;
 Exame do abdome, onde será verificado como o útero esta e há dor á palpação.

8
 Exame do períneo e genitais externos, onde será verificado se há sinais de
infecção e presenças ou características de lóquios em relação a cor e odor);
 É observado e avaliado a pega do bebe na mama. Pois o posicionamento errado
do bebe nas mamas pode dificultar a sucção, compromete o leite ingerido e é
uma das causas mais comuns de problemas nos mamilos;
 É verificado possíveis mudanças emocionais, febre, dor baixo ventre ou nas
mamas, hipertensão, presença de corrimento fétido ou sangramentos intensos;
Nesse modulo gestantes aprenderão mais sobre a amamentação. A pega errada do bebe
pode gerar traumas mamilares que prejudicarão a amamentação. Os tópicos a serem
abordados serão:
 Posição comum – Posição tradicional;
 Posição para seios fissurados – Indicada para mulheres que tem lesões no bico
da mama;
 Posição invertida – Também indicada para seios lesionados;
 Posição do cavaleiro – Indicado para bebes que regurgitam demasiadamente ou
para bebes sonolentos;
 A pega – Para todas as posições;
 Tempo de mamada;
 Retirada do bebe das mamas;
 Arroto do bebe;
No puerpério a mulher deve ser vista de uma maneira holística. Pois ela não é só mãe,
ela precisa de amparo pois a sobrecarga pode ser gatilho para uma possível depressão
pós-parto. Devido a esses fatores que nesse modulo teremos uma psicóloga que trará
para a conversa a importância do dialogo e apoio as mulheres após ao nascimento do
bebe.

9
Referências:
https://bebe.abril.com.br/tudo-sobre/curso-de-gestantes/
https://portal.fiocruz.br/noticia/portal-de-boas-praticas-traz-orientacoes-voltadas-para-gestantes-e-
criancas
Material didático da professora

10

Você também pode gostar