Você está na página 1de 4

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

TECNOLOGIA DA BAHIA
CURSO DE PETRÓLEO E GÁS – TÉCNICO – INTEGRADO
GEOGRAFIA

EMILLY DE JESUS
EDUARDA ADORNO

CONSTRUINDO O PLANETA TERRA

Simões Filho
2018
EMILLY DE JESUS
EDUARDA ADORNO

CONSTRUINDO O PLANETA TERRA

Resumo apresentado como requisito parcial de avaliação na disciplina


Geografia, ministrada pelo docente Ildo Rodrigues em 2018 (1°ano),
do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia.

Simões Filho
2018
RESUMO

Construindo o planeta Terra. Direção: Yavar Abbas. Reino Unido, Grã Bretanha e
Irlanda do Norte. Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=MPATtHrY1AM&t=890s>. 2011. Acesso em: 02
out. 2018.

O longa-metragem expõe o processo de formação do planeta Terra, o qual levou cerca


de 4,5 bilhões de anos para se encontrar como é conhecido atualmente e da vida que
nele habita. Inicialmente a Terra foi formada pela união de rochas que se originaram
no espaço, sua superfície era extremamente quente, coberto pelo magma (lava), em
seguida um outro planeta chocou-se com essa superfície, deformando-a e espalhando
detritos rochosos que se reuniram na órbita da Terra que fundiram-se e formaram a
Lua, questões de alguns milhões de anos, uma chuva de meteoros que carregavam
consigo minúsculos cristais com gotículas de água caíram na Terra, estes, formariam
os oceanos, que consequentemente esfriaram a crosta terrestre, ao passar do tempo
a Lua afastou-se cada vez mais e o planeta antes com a rotação acelerada pelo
impacto com outro corpo passou a girar mais devagar. Na crosta, surgem aberturas
por onde o magma era transportado para o exterior do globo: os vulcões, essa lava
esfriou e originou as ilhas vulcânicas, que mais tarde se tornariam continentes. Após
alguns processos químicos nasce a primeira forma de vida: as bactérias unicelulares,
fotossintetizadoras: foram responsáveis pelo surgimento do oxigênio. Em seguimento
o surgir das falhas geológicas na crosta terrestre (rachaduras): as placas tectônicas,
seus movimentos alteram relevos, criam montanhas, cordilheiras e depressões,
locomovem continentes inteiros separando-os ou unindo-os. A temperatura varia
continuadamente, uma camada quilométrica de gelo que repele os raios ultravioletas
do Sol cobre a face do planeta, que derrete com o aumento da temperatura fazendo
o oxigênio aumentar consideravelmente e consequentemente o aparecimento do
ozônio que filtra esses raios solares proporcionando a vida no solo terrestre, durante
esse período glacial apenas algumas formas de vida sobreviveram, as mesmas
evoluíram para a estrutura de plantas. Um outro ser vivo: Tetrápodes, que conquistou
sua vivência em solo firme e que viria a originar as demais espécies, mas uma série
de acontecimentos faz com que a vida em terra seja extinta, sobrevivendo apenas as
algas, mas a vida é reestabelecida, dessa vez no supercontinente Pangeia, repovoada
pelos dinossauros, Pangeia se fragmenta e forma novos continentes, do abismo entre
esses continentes nasce o Oceano Atlântico, a lava fluindo em seu fundo esfria e
empurra as placas tectônicas que originam cordilheiras, dentre as mais famosas está
a cordilheira do Himalaia. Um asteroide cai no mar, se fraciona e pedaços das suas
rochas caem como meteoros causando uma série de cataclismos: tsunamis,
terremotos e a temperatura novamente aumenta e extermina quase todas as espécies
vivas, sobrevivendo os mamíferos e evoluindo, assim como o ancestral do ser
humano: continuou evoluindo, adaptando-se e migrando pelos continentes que
também estavam em modificação e locomoção, assim, a Terra passou por todo esse
processo para chegar a sua atual estrutura e aparência.

Palavras-chave: Formação da Terra. Origem dos seres vivos.

Você também pode gostar