Você está na página 1de 52

LAS E R Prof.

ª: Rafaela Pontes
Fisioterapeuta Dermatofuncional
LASER

• O laser é uma técnica cada vez mais utilizada no tratamento e diagnóstico de


variadas doenças, em múltiplas especialidades

• Desde a neurocirurgia até à ginecologia, da gastroenterologia à ortopedia e da


oftalmologia à dermatologia.
LASER

• Ao longo desse módulo, iremos entender o que são lasers, quais as suas
características principais e interações com o tecido, quais os tipos de lasers
existentes e quais os mais utilizados na estética.

• Remoção de pêlos (epilação);

• Lesões pigmentares,

• Remoção de tatuagens;

• Lesões vasculares.
HISTÓRICO

• Em 1960, Theodore H. Maiman foi o primeiro a trabalhar com um laser, o laser


rubi.

• Neste sistema, um cristal de rubi era estimulado por energia de microondas de


forma a gerar um feixe de luz vermelha com um comprimento de onda de 694 nm.
Mesmo sendo uma fonte de grande interesse científico, esta tecnologia recebeu
pouca atenção inicialmente por parte da comunidade médica, no entanto, o laser
rubi foi o primeiro que levou ao desenvolvimento de variados sistemas de laser.
HISTÓRICO
• Em 1963, o dermatologista Leon Goldman “o Pai dos Lasers em Medicina e
Cirurgia”, foi o primeiro físico a testar um protótipo do laser rubi na pele.

• Os lasers de árgon e dióxido de carbono (CO2) foram, posteriormente,


desenvolvidos em 1964, e rapidamente se tornaram no foco para o
desenvolvimento de lasers cutâneos nas duas décadas seguintes.
HISTÓRICO

• Em 1964, foi realizado o primeiro tratamento com lasers rubi e neodímio (Nd) a um
carcinoma das células basais.

• em 1965, foi feita a primeira remoção de uma tatuagem através do laser rubi Q-
switched.
CARACTERISTICAS DO LASER
❖ Monocromático: É uma luz de uma única cor, gerada por uma coleção de átomos ou
moléculas idênticas, as quais emitem fótons com um mesmo comprimento de onda. Esta
característica é importante devido à absorção seletiva por parte do tecido humano.

❖ Coerência: Todas os fótons têm os mesmo comprimento de ondas, permitindo que uma
grande intensidade de luz incida sobre uma pequena área.

❖ Colimação: Os feixes de luz se movem de forma paralela e concentrada, sem que exista
divergência ou perda de intensidade com o aumento da distância.
CARACTERISTICAS DO LASER

Todos os lasers são formados pelos mesmos quatro componentes:

1. Meio do laser (sólido, líquido ou gasoso),

2. Fonte de energia (“bomba” que excita os átomos e gera a inversão da


polarização)

3. Cavidade óptica que se encontra à volta do meio (sítio onde se processa a


amplificação), o sistema é composto por fibra óptica ou por um braço articulado
com espelhos, os quais garantem a emissão exata da luz em direção ao alvo.
CARACTERISTICAS DO LASER

Meio do laser:

A. Gás têm árgon, vapor de cobre, hélio, dióxido de carbono, entre outros

B. Líquido contém um corante com rodamina

C. Sólidos compreendem os de rubi, Nd:YAG, alexandrite, érbio e díodo.


CARACTERISTICAS DO LASER

Fonte de energia: ELETRICIDADE produção do feixe de luz

Após o disparo pela fonte de energia, é necessário que o feixe de luz seja distribuído
ao tecido. CAVIDADE ÓPTICA Estes sistemas de distribuição podem ser de dois
tipos: Braços articulas ou fibras ópticas.
EFEITOS NA PELE

1) Fototérmico,

2) Fotomecânico,

3) Fotoquímico,

4) Fotobiomodulação

5) Fototermólise seletiva.
EFEITOS NA PELE
1) Fototérmico: a energia luminosa é absorvida e transformada em calor, levando à
coagulação ou vaporização.
2) Fotomecânico: existe uma ação mecânica sobre o tecido sob a forma de onda
de choque.
3) Fotoquímico: existe uma quebra direta das ligações químicas entre os átomos
de uma molécula, ativando, consequentemente, uma reação química.
4) Fotobiomodulação: a luz é usada como forma de modulação das atividades
intra- e intercelulares.
5) Fototermólise seletiva: combina-se o comprimento de onda e a duração do
pulso de forma a obter o efeito desejado no tecido alvo.
EPILAÇÃO A LASER

Para essa finalidade podemos utilizar vários tipos de laser: rubi, alexandrite, díodo e
Nd:YAG, podendo também ser usada a luz pulsada.

O mecanismo de atuação dos principais tipos de laser é a destruição térmica,


fototermólise seletiva.
Fatores que influenciam a eficácia do laser na remoção de pêlos:

▪ Cor dos pêlos e da pele,

▪ Ciclo de crescimento do pêlo,

▪ Arrefecimento do local a ser tratado

▪ Fatores endócrinos
EPILAÇÃO A LASER
Na prática clínica, são utilizados, maioritariamente, quatro tipos de lasers:

1. Laser DIODO 620 a 900nm (Light Sheer, Soprano, Milesman)

2. Laser de rubi 694nm

3. Alexandrite 755nm

4. Laser Nd:YAG 1064nm


LASER DE RUBI

Foi o primeiro laser a atingir a redução definitiva de pelos, possui comprimento de

onda de 694 nm – luz visível vermelha. Penetra na derme e é bastante absorvida

pela melanina.

✓Maior eficácia na remoção de pêlos claros e ruivos


LASER DE ALEXANDRITE

O laser alexandrite foi lançado no mercado após o laser de rubi, possui comprimento
de onda 755 nm, penetra mais profundamente na pele. É menos absorvido pela
melanina, o que lhe confere uma maior eficácia em peles mais escuras e pelos
mais finos

✓ Sistema de arrefecimento com


spray de tetrafluoretano
LASER DE DIODO

O laser de díodo possui comprimento de onda de 800 nm, o que lhe confere uma
menor absorção por parte da melanina, sendo assim bastante eficaz na remoção de
pêlos em peles mais escuras (inclusive peles negras e bronzeadas).
LASER ND:YAG

Os lasers Nd:YAG possui comprimento de onda de 1.064 nm, o que lhe confere uma
penetração ainda mais profunda em relação aos outros lasers. Mínima absorção por
parte da melanina, o que lhes confere uma grande eficácia na remoção de pêlos em
peles negras e bronzeadas – sendo estes os mais seguros nestes tipos de peles.

✓ Q switched
LASER NA REMOÇÃO DE
MANCHAS
É importante saber qual o tipo de lesão pigmentar de forma a decidir qual o
comprimento de onda a usar no seu tratamento.

➢ Comprimentos de onda mais longos < profundidade.

Os sistemas de laser mais comuns para o tratamento de lesões pigmentadas são os


lasers rubi (694 nm), alexandrite (755 nm) e Nd:YAG (1064 e 532 nm), sendo
também usada a IPL.
LASER RUBI

• O laser rubi QS foi o primeiro a ser utilizado com sucesso na remoção de lesões
pigmentares dérmicas sem deixar marcas nem cicatrizes.

• A melanina absorve a luz no espectro do infravermelho e o tempo de relaxamento


térmico de um melanossoma de 1µm é de 1µs.

• Devido às suas propriedades (comprimento de onda de 694 nm, fluência de 4 – 10


J/cm2 e duração de pulso de 10 a 40 ns), o laser rubi QS apresenta uma baixa
incidência e risco de formação de cicatrizes e purpura.
LASER ALEXANDRITE

O laser alexandrite QS emite uma luz vermelha a uma comprimento de onda de 755
nm e tem uma duração de pulso de 50 a 100 ns.

Indicado para o tratamento de lesões pigmentares epidérmicas e dérmicas.

Devido à sua longa duração de pulso e ao seu comprimento de onda, este sistema
apresenta uma baixa incidência para formação de cicatrizes e hiperpigmentação, e
uma incidência moderada para hipopigmentação.
LASER ND:YAG
O Laser Nd:YAG QS pode atuar a dois comprimentos de onda, na zona do infravermelho a
1064 nm ou na zona do verde a 532 nm, com uma duração de pulso de 5 a 10 ns.

➢ Infravermelho é o escolhido quando de lesões pigmentares dérmicas mais profundas, ou


fototipos mais ALTOS, pois apresenta uma menor absorção pela melanina.

➢ Trabalhamos no comprimento de onda de 532 nm, nas manchas mais superficiais,


epidérmicas.
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGENS
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGENS
• Foram utilizados vários métodos na remoção de tatuagens ao longo dos tempos,
como a dermoabrasão, excisão, peelings químicos, crioterapia, entre outros, no
entanto estes eram métodos bastante destrutivos e não seletivos, que resultavam
na formação de cicatrizes hipertróficas e alterações pigmentares permanentes.
Estas técnicas foram, portanto, abandonadas na remoção de tatuagens.
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGENS
A descoberta da fototermólise seletiva tornou possível a destruição de pigmentos
das tatuagens, apresentando um risco mínimo para o tecido envolvente e um risco
limitado de efeitos adversos.

As tatuagens consistem em pequenas partículas de pigmentos situadas na derme.


LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGENS
As tatuagens profissionais, aplicadas por uma agulha vibratória de uma máquina de
tatuar, são as mais comuns.

As tatuagens cosméticas têm vindo a ser bastante populares nos últimos anos. Cores
como o castanho, o rosa e o vermelho têm sido aplicadas nos olhos, face e lábios
como forma de simular a maquiagem ou como forma de pigmentação natural da
pele, como é o caso da auréola do peito em uma reconstrução mamária.
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGEM
A utilização do laser permite a destruição seletiva, por fototermólise, das partículas
de pigmentos das tatuagens, sem que exista dano do tecido envolvente. Para que
isto aconteça, é necessária a escolha correta dos parâmetros do laser, o que inclui o
comprimento de onda, a fluência e a duração do pulso.
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGEM
A luz do laser deverá atingir e aquecer o interior das partículas dos pigmentos.
Normalmente, o tipo de pigmento usado nas tatuagens e a sua absorção são
desconhecidos tanto para o paciente como para o operador.

A fluência dos pulsos aplicados deve ser elevada o suficiente de forma a gerar um
aumento de temperatura suficientemente elevado na partícula do pigmento colorido.

A duração do pulso deve-se encontrar na gama dos nanosegundos, devido ao


tamanho das partículas de pigmento das tatuagens.
LASERS Q-SWITCHED
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGENS
• A tinta preta das tatuagens é a que mais se adapta a qualquer um dos lasers QS
pois, devido ao espectro de absorção, esta é removida por todos os lasers.
Seguida pela tinta azul.

• As tintas mais claras tendem a ser mais resistentes, em particular pigmentos roxos,
amarelos e verdes, os quais podem ser terapeuticamente complicadas de remover.

• Esta difícil remoção deve-se ao fato de cores diferentes do preto apresentarem


grânulos com o dobro do tamanho dos pigmentos pretos.
• Em pacientes com um fototipo mais alto, IV a VI, o laser QS Nd:YAG a 1064 nm é o
mais aconselhado, uma vez que penetra mais profundamente na pele, não
permitindo uma elevada absorção por parte da melanina, reduzindo,
consequentemente, o risco de potenciais efeitos adversos, como despigmentação e
formação de manchas e cicatrizes.
LASER NA REMOÇÃO DE
TATUAGENS
LASER CO2
LASER CO2

• Meio do laser: CO2 (Gás)

• Esse laser possui comprimento de onda de 10.600nm, que são fortemente


absorvidos pela água tecidual. A penetração depende do conteúdo de água e
independe da melanina e da hemoglobina. Em média, com a duração de pulso
inferior a um milissegundo, a luz do laser de CO2 penetra de 20 a 30µ no tecido.
MECANISMO DE AÇÃO

• Seu mecanismo de ação é a produção de calor.

➢ Bioestimulação tecidual;

➢ Temperaturas entre 600C e 850C provocam coagulação;

➢ Temperaturas acima de 850C resultam em carbonização,

➢ Temperaturas próximas aos 1000C levam à vaporização.


MECANISMO DE AÇÃO – LASER
CO2
• No caso do laser de CO2 a vaporização ocorre quando o laser atinge a pele. Esse
fenômeno resulta do aquecimento super-rápido, ebulição e vaporização da água,
gerando-se a ablação, responsável pelo resurfacing ablativo. Essa transferência
de calor é provavelmente responsável pela desnaturação do colágeno.
MECANISMO DE AÇÃO – LASER
CO2
MECANISMO DE AÇÃO – LASER
DE CO2
i. Absorvido no cromóforo ÁGUA

ii. Realiza vaporização da água na epiderme

iii. Aquecimento na camada dérmica

iv. Remodelagem e síntese de colágeno

v. Efeito térmico ablativo


MECANISMO DE AÇÃO – LASER
CO2
• o laser de CO2 produz:

• rejuvenescimento da pele contração das fibras de colágeno,


ablação (remoção) da pele fotolesada, lesão térmica periférica e

NEOCOLAGÊNESE.
DENSIDADE DE TRATAMENTO
PASSO A PASSO
1. EVITAR EXPOSIÇÃO SOLAR 2 SEMANAS ANTES DO TRATAMENTO

2. ANESTESIAR A PELE (1H ANTES DA SESSÃO)

3. USO DE CREME CICATRIZANTE POR ATÉ 5 DIAS PÓS LASER

4. USO DE FILTRO SOLAR DIARIAMENTE, REAPLICAR 3H/3H


APLICAÇÃO
PÓS LASER

• 1º após aplicação do laser a pele apresentará um aspecto bronzeado e com


aumento da temperatura local (pulverizar água termal, se necessário).

• 2 a 5º dia pós laser ocorre a descamação da pele.

• A partir do 6º liberar maquiagem para cliente.

• De 15 dias a 3 semanas pós laser a pele já apresentará melhoria considerável.

• De 1 a 6 meses após observa-se melhora na elasticidade e firmeza da pele, além


da suavização de rugas.
ÁREAS TRATADAS

• FACE

• COLO

• SEIO

• MÃOS
INDICAÇÕES

• Rejuvenescimento facial

• Rugas

• Acne

• Cicatriz

• Manchas

• Estrias
t