Você está na página 1de 8

Cliente: Aleixo Evaristo Siedade

Construção duma Dependência

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO...................................................................2

2. DESCRIÇÃO TÉCNICA.........................................................2

3. NORMAS E REGULAMENTOS..............................................2

4. TERRENO..........................................................................3

5. CONSTRUÇÃO.................................................................... 3

5.1 - GENERALIDADES............................................................................3
5.2 - CABOUCOS..................................................................................3
5.3 - FUNDAÇÕES................................................................................3
5.4 - SAPATAS, PILARES, VIGAS E LINTÉIS ......................................................4
5.5 - ALVENARIA.................................................................................4
5.6 - PAVIMENTO.................................................................................4
5.7 - COBERTURA.................................................................................5
5.8 - REVESTIMENTO ............................................................................5
5.9 - CARPINTARIA...............................................................................5
5.10 - VIDRAÇA..................................................................................6
5.11 - PINTURA..................................................................................6
5.12 EQUIPAMENTO SANITÁRIO.................................................................6
5.13 INSTALAÇÃO ELÉCTRICA....................................................................6
5.14 ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS....................................................7

6. NOTA FINAL....................................................................8

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


1/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

1. INTRODUÇÃO

A presente memória descritiva e justificativa refere-se ao projecto de


construção duma dependência, destinada a habitação, pertencente ao
senhor Aleixo Evaristo Siedade a ser implantada no Bairro
Chingodzi, Unidade 25 de Setembro, Provincia de Tete.

A construção é de piso único, de acordo com as peças desenhadas.


São parte deste projecto, a presente memória, o cálculo estrutural e as
peças desenhadas.

2. DESCRIÇÃO TÉCNICA

A planta de piso tem a seguinte descrição:

 Dois quartos;
 Uma suite;
 Uma sala comum;
 Uma cozinha;
 Uma casa de banho;
 Uma garagem;
 Duas Varandas.

3. NORMAS E REGULAMENTOS

Para a elaboração do presente projecto foram respeitados os seguintes


regulamentos:

R.G.E.U. - Regulamento Geral das Edificações Urbanas;

R.S.A - Regulamento de Segurança e Acções para estruturas de


edifícios e pontes;

R.E.B.A.P. - Regulamento de Estruturas de Betão Armado e Pré-


esforçado;

R.C.A.E. - Regulamento das Canalizações e Água e Esgotos;


Projectou: Bruno Miguel Lea Bene
2/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

Tabelas Técnicas
4. TERRENO

A implantação do edifício será feita de acordo com as cotas do


projecto.

5. CONSTRUÇÃO

5.1 - Generalidades

A construção a ser levada a cabo é do tipo residência tipo 2 e muro de


vedação cujos elementos estruturais serão em betão armado e as
fachadas serão preenchidas com alvenaria de blocos de cimento e
areia.

Todas as obras projectadas serão executadas com perfeição, segundo


os preceitos da boa técnica. Os desenhos anexos e detalhes serão
aplicados com materiais adequados.

5.2 - Caboucos

Serão abertos com profundidade indicada no projecto, nunca inferior a


70 cm da correspondente cota do terreno natural e largura de 60 cm.
O fundo dos caboucos será bem nivelado, compactado a maço, regado
e isento de substâncias orgânicas, de forma a criar um bom leito para
as fundações.

Os aterros serão em camadas sucessivas de 20 cm devidamente


regadas e compactadas a maço, com terras limpas de raízes ou outras
impurezas.

5.3 - Fundações

As fundações, de acordo com o que se apresenta na respectiva planta


e nos respectivos pormenores, serão executadas em sapatas
contínuas de betão simples, com as dimensões figuradas no projecto,
sob as quais se elevarão paredes e sapatas isoladas em betão armado

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


3/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

(B20 e A400) por baixo dos pilares, respeitando rigorosamente as


prescrições do projecto de estruturas e desenhos de execução.

5.4 - Sapatas, pilares, vigas e lintéis

As sapatas serão rígidas, construídas com betão do traço 1 :3 :4 em


volume de cimento, areia e brita, com dimensões indicadas no
projecto e varões de aço de classe A400 cujas dimensões também
estão indicadas no projecto, e colocados segundo a planta de
fundação.

Os pilares serão construídos em betão do traço 1 :2 :4 em volume de


cimento, areia e brita, com dimensões indicadas no projecto, utilizando
varões de aço de classe A400 cujas dimensões também estão
indicadas no projecto, e colocados segundo a planta de fundação.

As vigas serão colocadas no comprimento das paredes da construção


segundo a indicação nos respectivos desenhos e serão em betão do
traço 1 :2 : 4 e aço da classe A400.

Os lintéis serão feitos ao longo do perímetro dos compartimentos.

5.5 - Alvenaria

As alvenarias a utilizar serão executadas em blocos furados de


cimento e areia, de espessuras que variam de 20 a 10 cm. Podendo o
proprietário opta rem uso de tijolos cerâmicos.

Todas as alvenarias serão assentes em argamassa de cimento e areia


ao traço 1:5 em volume.

5.6 - Pavimento

O pavimento será executado em laje de betão simples com espessura


de 10 cm ao traço 1: 4: 5, e antes do revestimento final será tratado
com betonilha de regularização com 3 cm de espessura, ao traço 1: 3.

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


4/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

5.7 - Cobertura

A cobertura será de Chapas IBR com espessura mínima de 0.6mm,


assentes sobre uma estrutura metálica.
5.8 - Revestimento

A argamassa para os emboços e rebocos das paredes interiores e


exteriores será ao traço 1: 5 e 1: 4 em volume de cimento e areia,
respectivamente. A espessura dos rebocos não deverá ser inferior a 2
cm.
As paredes exteriores serão pintadas totalmente e as paredes
destinadas a receber equipamento sanitário serão revestidas com
azulejos até uma altura do pé direito interior, cuja cor e qualidade será
escolhida pelo proprietário ou fiscal da obra. As restantes paredes
interiores serão pintadas à duas demãos de tinta de emulsão
antecedidas por uma de tinta primária

Os pavimentos serão revestidos com mosáicos assentes com cimento


cola, cuja cor será escolhida pelo dono da obra ou pelo fiscal.

5.9 - Carpintaria

Toda a caixilharia será de madeira local, utilizando para tal a Umbila


ou Chanfuta, de boa qualidade e será pintada ou invernizada, podendo
a proprietária opta rem caixilharia de aluminio respeitando para tal as
especificações do fabricante.

As janelas serão de abrir, com batentes, levando ferragens


apropriadas.

A porta de entrada principal e as outras que mereçam o mesmo


tratamento serão de madeira com resistência adequada às
intempéries, devendo ser pintadas com tinta esmalte e as ligações à
alvenaria serão por estanque.

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


5/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

Na porta principal serão colocadas maçanetas cromadas do lado


exterior e as dobradiças serão cromadas e com anilhas, aplicando-se
três dobradiças de 4” nas portas e caixilhos de grande altura e duas
dobradiças nos caixilhos médios e portas de armários.

Os rodapés dos pavimentos serão de madeira moldurada, com 8,5 cm


de altura.
5.10 - Vidraça

O vidro a colocar nos caixilhos exteriores será simples, transparente,


de boa qualidade e perfeitamente desempenado. Os vidros deverão
ter uma espessura mínima de 3 mm.

5.11 - Pintura

Todos os caixilhos incluindo portas interiores, serão pintados com duas


demãos de tinta esmalte.

As paredes interiores e exteriores excepto as que receberão


equipamentos sanitários, serão pintadas a duas demãos de tinta de
emulsão plástica antecedidas por uma de tinta primária, em cores a
escolher, em harmonia com o conjunto.

5.12 Equipamento Sanitário

Será de boa qualidade, de porcelana branca e deverá condizer com os


mosaicos dos respectivos compartimentos.

Os aparelhos serão providos dos respectivos acessórios,


nomeadamente: bichas flexíveis, válvulas de descarga, tampas de
borracha com respectivas correntes, sifões S e/ ou P em borracha e
tampas plásticas em cor branca para sanitas.

5.13 Instalação Eléctrica

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


6/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

Toda a instalação eléctrica será realizada com tubagem e fios


regulamentares, embutidos nas paredes e tectos, de acordo com o
esquema a apresentar pelo técnico competente no decorrer da obra.

Todos os tubos por onde passam os fios que tenham de atravessar


vigas e pilares deverão ser montados antes da betonagem destes
elementos, sendo posteriormente efectuada a introdução dos
condutores eléctricos correspondentes.

As tomadas da casa de banho (para a máquina de barbear e secador


de cabelo) e cozinha serão estanques.

Devem ser respeitadas as prescrições do Regulamento de Instalações


Eléctricas.

5.14 Abastecimento de Água e Esgotos

A tubagem para a canalização de água potável será galvanizada, de


diâmetro 3 4 '' (onde indicado no Projecto), estanquiadas de forma a
evitar fugas de água nas ligações entre os diferentes elementos.

As torneiras e todas as válvulas no interior do edifício terão as


características mencionadas na lista de materiais quantificados, sendo
as válvulas no exterior da casa, de latão.

A alimentação de água será feita a partir de um depósito elevado que


será abastecido, pela rede pública ou por bombagem, pela água
subterrânea. Caso se opte pelo sistema de bombagem de águas
subterrâneas, o meio de captação das águas a considerar será o de
poço escavado (Dug- wells), com base em meios manuais, com o
diâmetro variável de 1.2 m a 3 m e a profundidade variável de 20 m a
30 m.

Os edificios serão providos de termos acomuladores para água quente,


bem como de torneiras de água quente e fria.

A tubagem do sistema do esgoto será em PVC rígido com dimensões


indicadas no projecto.

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


7/8
Cliente: Aleixo Evaristo Siedade
Construção duma Dependência

6. NOTA FINAL

Quaisquer dúvidas na interpretação do projecto serão esclarecidas


pelo técnico responsável, nunca servindo as mesmas como justificação
da má execução da obra ou na aplicação de materiais impróprios.

Não serão admissíveis quaisquer alterações das disposições


construtivas do presente projecto sem o prévio contacto da entidade
responsável pelo projecto.

Em tudo o mais não especificado seguir-se-ão todas as disposições de


boa construção de acordo com as normas vigentes nos regulamentos
de construção e urbanização.

Tete, 14 de Março de 2011

O Técnico

____________________________________________
Bruno Miguel Lea Bene
/Eng.º Técnico Civil/

Projectou: Bruno Miguel Lea Bene


8/8