Você está na página 1de 3

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM DE ARAÚJO

Escola Básica Penafiel Sul


FICHA DE TRABALHO DE PORTUGUÊS – 7º ano

Conteúdos gramaticais

Reconstitui a fábula de La Fontaine (adaptação de Nicéas Romeo Zanchett) com os verbos em falta, respeitando

as instruções indicadas:

A TARTARUGA
AVIADORA
Um certo dia, uma tartaruga encontrou-se com dois patos emigrantes. Ficou horas admirada,
(verbo “ouvir” no gerúndio) -os contar as suas grandes viagens pelo mundo
fora.
─ Vocês é que são felizes… ─ (verbo “dizer” na terceira pessoa do singular do
pretérito imperfeito do indicativo) a tartaruga, suspirando resignadamente. ─ Eu também
(verbo “gostar” na primeira pessoa do singular do modo condicional) de viajar, mas
ando muito devagar.
─ Porque não nos acompanha? Vamos correr o mundo a três... ─ disse um dos patos.
─ Como (verbo “poder” na primeira pessoa do singular do futuro do
indicativo) ir, se não sei nem ao menos andar depressa pelo chão, quanto mais voar por essas alturas e
distâncias?
─ Podemos ajudá-la, fazendo como os aviadores. Nós seremos os pilotos e você irá como passageira.
─ Mas, meus amigos, onde está o avião?
─ Não te preocupes. Nós arranjaremos tudo, já!
Pegaram num pau roliço e comprido e mandaram que a tartaruga se dependurasse nele, com a boca,
fortemente. Em seguida cada um _____________________(verbo “pegar” na terceira pessoa do
singular no pretérito perfeito do indicativo) numa das pontas do bastão e lá se foram pelos ares, batendo as
asas compassadamente e levando a feliz tartaruga.
─ (verbo “segurar” na segunda pessoa do singular do modo imperativo) - te
bem, "agarra-te" com força, comadre tartaruga! ─ gritou um dos patos. ─ A viagem é comprida!...
Lá da terra, os animais e as pessoas, admiradas, erguiam a cabeça, fixavam bem os olhos; estavam
espantados por ver uma tartaruga a voar.
─ Olhem, olhem! ─ gritavam alguns deles, apontando para o céu ─ Nunca tinha visto uma tartaruga a
voar! Aquela deve ser a rainha das tartarugas!...
E todos riam satisfeitos.
A tartaruga voadora sentia-se orgulhosa por ser admirada.
─ Sou mesmo a rainha! ─ ia respondendo a ingénua tartaruga, mas não chegou a
(verbo “pronunciar” no infinitivo) nem a primeira silaba, porque, ao abrir a boca, soltou-
se do bastão e caiu como um raio, espatifando-se no chão.
Os patos continuaram o seu voo, porque é o que melhor sabem fazer. E ficaram comentando:
─ Da próxima vez que trouxermos alguém que não saiba voar, é melhor providenciarmos um
paraquedas.
In http://asfabulasdelafontaine.blogspot.pt/ (cons. dia 18/10/2016, com adap.)

1. Reescreve o provérbio conjugando as formas verbais no pretérito imperfeito do indicativo


“Quem tem boca, vai a Roma.”

2. Coloca as formas verbais seguintes nas pessoas, tempos, modos ou formas nominais indicados(as)
entre parênteses :
a) entrar (3ª pessoa do singular do pretérito mais-que-perfeito do indicativo)
b) fornecer _ (1ª pessoa do plural do modo condicional)
c) ativar (2ª pessoa do singular do modo imperativo)
d) estar ( 2ª pessoa do plural do presente do indicativo)
3. Conjuga o verbo “comer”, completando o quadro seguinte:
Modo Indicativo
Tempo Presente Imperfeito Futuro
Eu
Tu
Ele
Nós
Vós
Eles

4. Completa o quadro:
Infinitivo Gerúndio Particípio passado
pôr
encostar
perceber

5. Completa com as dez formas verbais apresentadas: sai; indo; mostrou; pôr; percebido; adoraria;
sabereis.

a) Pretérito perfeito do modo indicativo


e) Gerúndio
b) Presente do modo Imperativo
f) Particípio passado
c) Futuro do modo indicativo
g)Presente do modo condicional
d) Infinitivo

BOM TRABALHO!!!!!
A PROFESSORA, Noémia Diogo