Você está na página 1de 2

Amniota

ORIGEM DOS AMNIOTA

 Surgimento há 318-312 milhões de anos e divide-


se rapidamente em duas linhagens Synapsida e
Sauropsida
 Reptiliomorpha e a origem dos Amniota; grupo
de animais com características de répteis
 Uma das características mais importantes durante todo o processo de origem e diversificação de
amniota é o formato dos ossos presentes na articulação do tornozelo
O OVO AMNIÓTICO

 Casca rígida e três membranas


extraembrionárias – âmnio, córion e alantóide
 O âmnio é a membrana que recobre o
embrião e profere proteção mecânica e
contra dessecação
 O córion é uma membrana
responsável pelas trocas gasosas do
embrião
 O alantóide é uma membrana responsável pelas trocas gasosas e transferência de
nutrientes do vitelo e de cálcio da casca para o embrião, além de armazenar as excretas
 O ovo amniótico permite o desenvolvimento de embrião maior e crescimento mais rápido, isso
porque confere maior resistência e melhora as trocas gasosas, graças à casca principalmente
 Tegumento que não realiza trocas gasosas cutâneas, confere mais proteção física, suporte e
impermeabilização (vida em ambiente seco); escamas dérmicas substituídas por escamas
epidérmicas queratinizadas (proteção física e dessecação) e uma série de anexos tegumentares
(penas, pelos, unhas e etc.)
 Muitas modificações no esqueleto para adaptação ao ambiente terrestre:
 Aumento no número de vértebras cervicais – região do pescoço;
 Aumento no número de vértebras (+2) + pares de costelas sacrais (+2) característica que
está associada com mais mobilidade fora d’água e com a necessidade de movimentos
mais complexos (demandam mais capacidade articular)
 Modificações nas vértebras; a região do pleurocentro sofre um aumento e o intercentro sofre
diminuição e desarticulação com os arcos neurais, os arcos neurais se tornam mais
desenvolvidos e mais expandidos lateralmente
 Mudança postural e com membros mais desenvolvidos e localizados abaixo do corpo (região
ventral); força de locomoção localizadas nas cinturas escapulares e pélvicas (menos força na
ponta dos membros)
 Modificações craniais e perda do entalhe ótico, modificações no crânio para inserção da
musculatura (maior potencial de mastigação); fenestração craniana ou surgimento de aberturas
laterais
SINAPOMORFIAS

 Ovo amniótico (3 membranas extraembrionárias);


 Perda de ossificação dérmica;
 Escamas epidérmicas;
 Aumento no número de vértebras cervicais;
 Duas vértebras sacrais e dois pares de costelas;
 Complexo astrágalo-calcâneo (complexo de articulação do tarso?);
 Ventilação costal (ventilação) é feita através de movimentação da costela (caixa torácica);
 Presença de aberturas ou fenestras temporais no crânio – NÃO É MAIS SINAPOMORFIA,
CARÁTER HOMOPLÁSTICO (SURGE INDEPENDENTEMENTE VÁRIAS VEZES)