Você está na página 1de 2

INCLUSÃO ESCOLAR E EDUCAÇÃO ESPECIAL:

CONTEXTO E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS


FORUM AVALIATIVO MÓDULO 1

A) Como as pessoas com deficiência eram vistas em cada período histórico mundial?

Pré-história – Neste período era difícil a sobrevivência de pessoas com necessidades especiais
em um ambiente hostil, supõe-se que a prática mais comum de certas tribos era se desfazer
dos “deficientes”, o abandono e mesmo a eliminação de pessoas (especialmente crianças) com
algum tipo de deficiência era comportamento aceitável na época, não representando nenhuma
atitude antiética ou imoral, uma vez que a proteção da tribo se sobrepunha aos riscos advindos
da permanência de um “deficiente” no grupo. Entretanto em algumas tribos que ainda
preservam muitas das características pré-históricas, as pessoas com necessidades especiais
eram muito bem tratadas, pois acreditavam que estas pessoas com deficiência tinha uma
ligação direta com os espíritos.

Antiguidade – Também encontramos neste período tratamento de inclusão e de abandono nas


diferentes culturas, no Egito as pessoas com necessidades especiais eram integradas na
sociedade, consideravam ser um dever moral o respeito às pessoas com deficiência. Na Grécia
embora algumas divindades serem cegas, o tratamento era de abandono ou sacrifício, o
mesmo acontecendo no Império Romano, onde na Lei das 12 Tábuas (450-449 a.C.), ao tratar
do pátrio poder e do casamento na Tábua Quarta, I: “É permitido ao pai matar o filho que
nasceu disforme, mediante o julgamento de cinco vizinhos”. O cristianismo surge uma nova
visão sobre as pessoas com deficiência. Baseando-se na caridade e amor ao próximo, as
pessoas com deficiência deveriam ser cuidadas e tratadas.

Idade média – Neste período as pessoas com necessidades especiais eram tratadas como
castigo de Deus, supersticiosamente vista como feiticeiros ou bruxos. Assim, aos indivíduos
que apresentavam alguma deficiência somente restava o abandono, a discriminação, a
mantença à distância e a prática da mendicância.

Idade Moderna – Com o renascimento as pessoas com necessidades especiais começaram a


receber uma atenção mais humanizada, resultando em descobertas no tratamento de algumas
deficiências.
Idade Contemporânea – Neste período verificou-se a necessidade de atenção especializada às
pessoas com deficiência, e não unicamente abrigos e hospitais. A partir da segunda metade do
século XIX, deu-se um importante reconhecimento da pessoa com deficiência, passando a ser
vista com força laboral. E a partir das grandes guerras mundiais houve uma evolução com
respeito às pessoas com deficiência, com a realização de congressos e convenções as pessoas
com necessidades especiais foram conquistando seus direitos, se integrando na sociedade,
muito ainda precisa ser feito, mas o principal avanço foi à pessoa com necessidades especiais
se reconhecerem como cidadãos e exigir ativamente seus direitos.

B) Perspectiva inclusiva, de que forma os alunos com necessidades especiais devem ser
vistos:

Dentro de uma perspectiva inclusiva o aluno com alguma deficiência deve ser visto
com características próprias e um conjunto de valores e informações que os tornam únicos e
especiais, constituindo uma diversidade de interesses e ritmos de aprendizagem. A
diversidade deve ser respeitada e valorizada entre os alunos. Daí a importância do papel da
escola em definir atividades e procedimentos de relações, que envolvam alunos, funcionários,
corpo docente e gestores, para que possibilite espaços inclusivos, de acessibilidade, para que
todos possam fazer parte de um todo, isto é, que as atividades extraclasses nunca deixam de
atender os alunos com necessidades especiais.

Você também pode gostar