Você está na página 1de 37

SUMARIO

1. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

2. QUADRO DE FUNCIONÁRIOS

3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

4. INTRODUÇÃO

5. OBJETIVO

6. ETAPAS DO PGR – ESTRATÉGIA E METODOLOGIA DE AÇÃO

7. ASPECTOS LEGAIS – ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES NR-15

8. METAS

9. PRIORIDADES

10. CRONOGRAMA DE AÇÕES

11. FORMA DE REGISTRO

12. MANUTENÇÃO DOS DADOS

13. PERIODICIDADE E FORMA DE AVALIAÇÃO

14. RECOMENDAÇÕES EM CONFORMIDADE COM AS DEMAIS NORMAS


REGULAMENTADORAS

15. DEFINIÇÃO DE GRUPOS HOMOGÊNEOS DE EXPOSIÇÃO

16. CIRCULAÇÃO E TRÂNSITO NA MINA

17. ANTECIPAÇÃO E RECONHECIMENTO DOS RISCOS

18. ACOMPANHAMENTO DE MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS


IMPLEMENTADAS

19. RESPONSABILIDADES E DISPOSIÇÕES FINAIS


1 – IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Razão Social: U&M MINERAÇÃO E CONSTRUÇÃO S/A

Endereço: RODOVIA PA 140, km 02, S/N MINA IRCC


Imerys – Margem Esquerda do Rio Capim -
Zona Rural – CEP.68637-000

Cidade: IPIXUNA DO PARÁ, ESTADO DO PARÁ

CNPJ: 18.540.906/0010-55

Inscrição Estadual: 15.233.659-1

Telefone: (91) 37271124

Atividade Principal: OBRAS VIÁRIAS INCLUSIVE MANUTENÇÃO

CNAE: 45225

Grau de Risco: 4 (Quatro)

Número de Empregados: 170


2 – QUADRO DE FUNCIONÁRIOS

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS
Setor Função Número de Horário de
    Funcionários Trabalho
  07:00 às 16:00
de segunda a
Administrativo Encarregado Administrativo 01 sábado
  Gerente de Contrato 01 Folga semanal
   Zelador 04 (domingo)
  Auxiliar de Lubrificação 02  
  Auxiliar de Manutenção 11  
  Encarregado de Manutenção I 02  
Manutenção Eletricista Especializado 02 Por escala de turnos
  Lubrificador 01  
  Mecânico I 05  
  Mecânico II 02  
  Soldador 02  
  Ajudante 16  
  Encarregado de Produção I 04 Por escala de turnos
Produção Engenheiro Trainee* 01 *07:00 às 16:00
de segunda a
  Operador de Equipamento I 37 sábado
Motorista 38 Folga semanal
  Operador de Equipamento II 29 (domingo)
  Operador de Escavadeira I 04
  Operador de Escavadeira II 03  
  Auxiliar de Topografia 02 07:00 às 16:00
de segunda a
Técnico Técnico de Segurança do Trabalho I 01 sábado
Técnico de Segurança do Trabalho
  II 01 Folga semanal
  Topógrafo 01 (domingo)
3 – DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

O processo tem início com a extração do minério de caulim na lavra a céu aberto, extração
esta realizada através de mecanização, sem uso de explosivos. Posteriormente o produto da
extração é transportado via mineroduto para a usina de beneficiamento onde o caulim passa
por todo um processo de desareamento e alvejamento com objetivo de se obter a polpa do
minério.

Concluída a etapa de desareamento e alvejamento, o caulim (polpa) é bombeado e


transportado por cerca de 180 km, através de sistema de meneroduto até a unidade da Rio
Capim em Vila do Conde, município de Barcarena, estado do Pará, para realização do
processo de secagem, onde será processado através de um sistema de forno de secagem
com o objetivo de se obter o caulim seco. Após a etapa de secagem, o mesmo é estocado
em silos para posterior embarque e comercialização.

Dentro do processo de lavra do minério de caulim, realizado pela U&M, são realizadas as
seguintes etapas:
- retirada do solo vegetal, realizado através de tratores de esteira;
- escavação, carregamento, transporte e descarga do estéril para os bota-foras;
- escavação, carregamento, transporte do minério para o início do processo de
beneficiamento.

4 – INTRODUÇÃO

Esta Norma Regulamentadora NR-22 tem por objetivo disciplinar os preceitos a serem
observados na organização e no ambiente de trabalho, de forma a tornar compatível o
planejamento e o desenvolvimento da atividade de mineração com a busca permanente da
segurança e saúde dos trabalhadores.

5 – OBJETIVO

O Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) tem como principal objetivo prevenir,


reduzir e controlar os riscos existentes no ambiente de trabalho, que possam colocar em
risco a integridade física dos empregados, a comunidade (circunvizinhos e externos aos
limites do empreendimento) e o meio ambiente, de modo a manter a sua continuidade
operacional dentro de padrões de segurança considerados aceitáveis ao longo de sua vida
útil.

Assim, para a sua efetividade, o PGR foi desenvolvido para abranger todas as ações
necessárias para a prevenção de acidentes ambientais, bem como para a minimização de
eventuais impactos caso ocorram situações anormais.
6 – ETAPAS DO PGR – ESTRATÉGIA E METODOLOGIA DE AÇÃO

Realizar a caracterização das condições ambientais constantes de:


. Reconhecimento prévio das instalações e dos Riscos;
. Descrição das atividades, bem como, suas condições de exposição aos agentes de
riscos ocupacionais;
. Execução de avaliações qualitativas e quantitativas;
. Análise crítica dos dados obtidos.

6.1. Antecipação e Identificação de fatores de risco: Físicos, Químicos e Biológicos

A) FÍSICOS:

Consideram-se agentes físicos, as diversas formas de energia a que possam estar


expostos os trabalhadores, como ruído, temperaturas extremas, radiações, vibrações,
dentre outros.

Ruído: decorrente da utilização de equipamentos, de grande importância no setor de


mineração, no abastecimento e no transporte do estéril.

Radiações não ionizantes: ocorrem em atividades de solda e corte e decorrentes da


exposição à radiação solar, de grande importância em minas a céu aberto.

B) QUÍMICOS:

Os agentes químicos são substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar


no organismo pela via respiratória, ou que pela natureza da atividade de exposição,
possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por
ingestão.

Poeiras minerais: a de maior importância é a sílica livre, cuja ocorrência vai


depender, das condições geológicas locais. É importante destacar que o risco
depende da concentração da poeira, do diâmetro aerodinâmico das partículas de
poeira, da porcentagem de sílica livre na poeira respirável, do tempo de exposição e
das condições de ventilação. Outras poeiras também são importantes como poeiras
de asbesto, manganês, minério de chumbo e de cromo.

Fumos metálicos: presentes nas atividades de beneficiamento nos trabalhos de solda


e corte com maçarico.

Outros: podem estar presentes, também, outros produtos químicos no uso de graxas,
óleos e solventes nas operações de manutenção, em geral.
C) BIOLÓGICOS

São microorganismos, fungos, vírus, bactérias e outros parasitas causadores de


doenças com os quais pode o trabalhador entrar em contato, no exercício de diversas
atividades profissionais.
Deve-se levar em consideração que as condições de higiene, tais como falta de
limpeza dos locais de trabalho e de sanitários e vestiários, são de grande incidência
neste risco, sendo clássica a maior incidência de tuberculose em trabalhadores
silicíticos (Sílico-Tuberculose).

7 – ASPECTOS LEGAIS – ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES – NR 15

Serão consideradas atividades ou operações insalubres aquela que, por sua natureza,
condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde,
acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e
do tempo de exposição aos seus efeitos – Art. 189 da CLT.
A caracterização da insalubridade será comprovada através de laudo de inspeção do local
de trabalho – Laudo de Insalubridade.

AGENTES INSALUBRES - AVALIAÇÃO IN LOCO


      Ruído Contínuo ou Intermitente: Entende-se por
    ruído Contínuo ou Intermitente para fins de aplicação de
    Limites de Tolerância, o ruído que não seja ruído de impacto
   
   
    Umidade: As atividades ou operações executadas em locais
    alagados ou encharcados, com umidade excessiva, capazes
Físico de produzir danos à saúde em decorrência de laudo de inspeção
    realizada no local de trabalho
   
    Radiação não Ionizante: São radiações não ionizantes as
    microondas, ultravioletas e laser.
    As operações ou atividades que exponham os trabalhadores às
    radiações não ionizantes, sem a proteção adequada, serão
    consideradas insalubres, em decorrência de laudo de inspeção no
    local de trabalho.
     
      Nas atividades ou operações nas quais os trabalhadores ficam
Químico - Anexo
11 expostos a agentes químicos, a caracterização de insalubridade
    ocorrerá quando forem ultrapassados os limites de tolerância
                 
  O presente anexo aplica-se em quaisquer atividades nas quais os
Químico - Anexo
12 trabalhadores estão expostos a poeiras no exercício do seu
    trabalho  
                 
  Atividades e operações envolvendo agentes químicos  
Químico - Anexo
13 consideradas insalubres em decorrência de inspeção realizada no
    local de trabalho  
                 
Biológico Relação das atividades que envolvem agentes biológicos, cuja
      insalubridade é caracterizada pela avaliação qualitativa.

8 – METAS

Reduzir ao máximo, se possível suprimir a utilização ou formação de agentes prejudiciais à


saúde, tomar medidas que reduzam a liberação ou a dispersão destes agentes no ambiente
de trabalho, reduzir os níveis ou a concentração destes agentes no meio ambiente de
trabalho aos níveis estabelecidos pelas legislações técnicas vigentes.

9 – PRIORIDADES

.Estabelecer medidas de controle de todos os riscos ambientais adotando prioritariamente


medidas de Proteção Coletiva;
.Treinamento quanto ao uso adequado de EPI’s, como atitude constante e básica para
preservação da saúde e da integridade física dos trabalhadores;
.Melhoria constante nas atitudes de prevenção de acidentes.

10 – CRONOGRAMA DE AÇÕES

CRONOGRAMA DE AÇÕES DO PGR


AÇÕES DO PROGRAMA 2007 2008
03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 01 02
QUANTIFICAÇÃO DE RUÍDO X
QUANTIFICAÇÃO DE POEIRA X
QUANTIFICAÇÃO DE FUMOS X
METÁLICOS
TREINAMENTO PARA X
GESTÃO DA CIPAMIN
TREINAMENTO DE X
EMPILHADEIRA
ANÁLISE E REAVALIAÇÃO X
DO PGR
REALIZAÇÃO DE DSS- X X X X X X X X X X X X
DIÁLOGO DE SEGURANÇA E
SAÚDE
CONCLUIR PROGRAMA DE X
ERGONOMIA
TREINAMENTO DE X
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
GINÁSTICA LABORAL X X X X X X X X X X X X
TREINAMENTO DE X
RECICLAGEM VISANDO A
UTILIZAÇÃO ADEQUADA
DOS EPI’S.

11 – FORMA DE REGISTRO

O registro dos dados do PGR deverá ser mantido e estruturado de forma a constituir um
histórico técnico e administrativo do seu desenvolvimento, permitindo uma fácil
rastreabilidade dos dados. Os riscos identificados e verificados serão informados neste
documento e mantidos anualmente, se não ocorrerem mudanças no ambiente. Os
empregados serão informados e terão livre acesso aos dados obtidos. Este documento
deverá ser arquivado em meio eletrônico e também impresso e guardado numa pasta e
mantidos sob guarda da empresa, por um período mínimo de 20 anos. Acrescentando a
estas informações, deve-se incorporar:
- lista de presença dos participantes em treinamento de utilização de EPI
- fichas de controle e entrega de EPI’S.

12 – MANUTENÇÃO DOS DADOS

Cabe à U&M Mineração e Construção S/A estabelecer, implementar e assegurar o


cumprimento do Programa, como atividade permanente, e efetivar a manutenção dos dados
atualizados de acordo com os fatos discutidos e avaliados.

13 – PERIODICIDADE E FORMA DE AVALIAÇÃO

Este programa será avaliado semestralmente em relação ao seu cumprimento, e através de


vistorias, podendo serem estabelecidas mudanças no cronograma, ou a qualquer tempo,
bastando para isso a detecção de algum risco que comprometa a saúde e a integridade física
dos trabalhadores.

14 – RECOMENDAÇÕES EM CONFORMIDADE COM AS DEMAIS NORMAS


REGULAMENTADORAS

14.1. Proteção Respiratória

De acordo com a Instrução Normativa n° 1 de 11/04/1994 da Secretaria de


Segurança e Saúde no Trabalho, o empregador deverá adotar um conjunto de medidas, para
garantir uma completa proteção ao trabalhador contra os riscos existentes nos ambientes de
trabalho.
Este conjunto de medidas tem a finalidade de adaptar a utilização dos equipamentos
de proteção respiratória – EPR, através:

a) do estabelecimento de procedimentos escritos, abordando, no mínimo:

. os critérios para a seleção dos equipamentos;


. o uso adequado dos mesmos levando em conta o tipo de atividade e as
características individuais do trabalhador;
. a orientação ao trabalhador para deixar a área de risco, por motivos relacionados
ao equipamento.

b) a indicação do equipamento de acordo com os riscos aos quais o trabalhador


está exposto.

c) a instrução e o treinamento do usuário sobre o uso e as limitações do EPR;

d) o uso individual dos equipamentos;

e) a guarda, a conservação e a higienização adequada;

f) o monitoramento apropriado e periódico das áreas de trabalho e dos riscos


ambientais a que estão expostos os trabalhadores;

g) o fornecimento somente a pessoas fisicamente capacitadas a realizar suas tarefas


utilizando os equipamentos;

h) o uso somente de respiradores aprovados e indicados para as condições em que


os mesmos forem utilizados;

Nota: As superfícies de máquinas, instalações e pisos nos locais de trânsito de


pessoas e equipamentos, devem ser periodicamente umidificadas e limpas, de forma
a impedir a dispersão de poeira nos ambientes de trabalho.

14.2. Ergonomia e Organização do Trabalho

Norma Regulamentadora NR-17 – ERGONOMIA, visa a estabelecer


parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características
psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de
conforto, segurança e desempenho eficiente.
As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento,
transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições
ambientais do posto de trabalho, e à própria organização do trabalho.
Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características
psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise
ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de
trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora (NR-17).
A empresa deverá adotar medidas necessárias para que nos locais de
trabalho sejam concebidos, equipados, utilizados e mantidos de forma que os
trabalhadores possam desempenhar as funções que lhes forem confiadas,
eliminando os riscos para sua segurança e saúde e, que os postos de trabalho sejam
projetados e instalados segundo princípios ergonômicos.
Esforço físico excessivo: decorrentes de grandes percursos a pé portando
ferramentas pesadas, em área de topografia irregular; utilização de escadas de
grande extensão; quebra manual de rochas e batimento manual de chocos,
Levantamento e transporte de pesos, posturas inadequadas, trabalhos sobre pressão.
Cabe ressaltar outros fatores muito comuns, tais como: controle de produtividade,
ritmos de trabalho excessivos, monotonia e repetitividade, trabalhos em turnos, e
prorrogação da jornada de trabalho.

14.3. Equipamentos de Proteção Individual – EPI

Estes equipamentos são destinados a proteger a integridade física do


trabalhador, minimizar o perigo de lesões, mas não interferem nas causas dos
acidentes.
A Norma Regulamentadora N° 6, NR-06, estabelece que o uso do EPI está
relacionado à inviabilidade técnica de medidas de Proteção Coletiva ou quando
estas não oferecerem proteção completa, ou ainda, antes da sua implantação, ou
para atender as situações de emergência.
Entretanto, em algumas atividades, os EPI’s são as únicas barreiras de
segurança capazes de proteger o trabalhador (corte a maçarico, proteção das mãos,
cabeça, vias respiratórias, etc).
Todo trabalhador que exerce atividades que denotem o uso de EPI deve ser
orientado, treinado sobre o uso adequado, guarda e conservação / higienização do
EPI. A aceitação e o uso correto desses equipamentos são completamente
indispensáveis.
Todo EPI deverá possuir o Certificado de Aprovação (CA), expedido pelo
Ministério do Trabalho.
A U&M, através de seu SESMT, fornecerá, gratuitamente aos seus
funcionários, todos os Equipamentos de Proteção Individual -(EPI) - necessários ao
bom desempenho de suas atividades, preservando-os das agressividades anormais
que por ventura possam ocorrer.
Os EPI’s são propriedades da empresa, por isso serão lançados numa ficha
apropriada, denominada FICHA DE CONTROLE DE EPI, devendo cada
funcionário zelar por eles, e só poderão requisitar outro, mediante devolução do
EPI usado e/ou danificado.
Seleção de Equipamentos de Proteção Individual
FUNÇÕES EPIs
Motorista, Operador de Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
Equipamento I, Operador de biqueira de aço, óculos de segurança, respirador
Equipamento II, Operador de descartável semifacial contra poeiras.
Escavadeira I, Operador de
Escavadeira II,
Técnico de Segurança do Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
Trabalho I e II biqueira de aço, óculos de segurança.
Botina com biqueira de aço, avental e luva de raspa,
respirador descartável semifacial contra fumos metálicos,
óculos de soldador, abafador de ruído tipo concha,
Soldador máscara facial para solda.
Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
biqueira de aço, óculos de segurança, creme protetor para
as mãos, bota de borracha, avental de PVC, luva de PVC,
Auxiliar de Manutenção, respirador descartável semifacial contra vapores
Mecânico I, Mecânico II orgânicos, luva de vaqueta.
Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
biqueira de aço, óculos de segurança, creme protetor para
Encarregado de Manutenção I as mãos
Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
biqueira de aço, óculos de segurança, respirador
Ajudante descartável semifacial contra poeiras.
Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
Topógrafo, Auxiliar de biqueira de aço, óculos de segurança, respirador
Topografia descartável semifacial contra poeiras.
Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina sem
Eletricista Especializado partes metálicas para eletricista, óculos de segurança.
Abafador de ruído tipo concha, capacete, botina com
Lubrificador, Auxiliar de biqueira de aço, óculos de segurança, creme protetor para
Lubrificação as mãos.
Gerente de Contrato, Engenheiro Sapato de segurança, capacete, óculos de segurança
Trainee, Encarregado de
Produção I
Botina sem biqueira de aço, capacete, luva nitrílica. luva
Zelador de vaqueta

14.4. Instabilidade de Talude

Na ocorrência de situações de instabilidade do talude, levando em conta a


uma localização de risco aos trabalhadores e equipamentos, as atividades devem ser
paralisadas imediatamente, retornando apenas após a implantação de medidas de
correção e liberação pela supervisão técnica responsável.

14.5. Depósito de Estéril

Na ocorrência de material estéril, rejeitos, estes devem ser mantidos em


depósito delimitado, sob gerência de um responsável habilitado, sendo necessário
um acompanhamento e monitoramento no caso de percolação de água, da
movimentação e estabilidade e do comprometimento do lençol freático e do rio
próximo.

14.6. Avaliação dos fatores de risco e da exposição dos trabalhadores

A avaliação quantitativa dos riscos aos quais estejam expostos os


trabalhadores é realizada por meio de medições de Exposição Ocupacional,
utilizando-se o equipamento exclusivo para cada agente de risco – medidor de
pressão sonora para ruído e sistemas filtrantes par poeiras.

14.7 Limpeza dos Ambientes de Trabalho / Oficina

As frentes de serviços ao término do dia, deverão ser mantidas limpas,


isentas de lixo, sobras de material, sucatas, madeira, pregos, escombros, terras, etc.

Deverá ser evitado que o Lay-out original seja alterado em conseqüência de


objetos largados pelo chão, embalagens ou quaisquer outras sobras, que alterem o
visual padrão.

Em toda Planta ou frente de serviço haverá lixeiras, e uma forte campanha


pela manutenção da limpeza do local.

14.8 Prevenção e Proteção Contra Incêndio

A U&M,dotará seus escritórios, frentes de serviço, alojamentos,


equipamentos, ou quaisquer outras instalações de equipamentos de proteção contra
incêndio e pessoal treinados, com os seguintes objetivos:
.impedir a iniciação do fogo, sua propagação os efeitos e os produtos
negativos de sua combustão;
.assegurar a evacuação segura do pessoal;
.treinar seus funcionários na prevenção e extinção de incêndios;
.dotar as instalações de extintores de incêndio, em número suficientes;
.facilitar o fácil acesso à ação dos bombeiros, ou da brigada de incêndio;
.manter estes dispositivos de combate ao fogo sempre bem sinalizados, e
colocados em pontos bem visíveis.
Os mesmos serão dimensionados pelo SESMT, da empresa.

Tão logo o fogo se manifeste, serão tomadas, de imediato, as seguintes


providências:
.acionar a segurança do trabalho ;
.mobilizar extintores de incêndio;
.desligar a energia elétrica;
.atacar o fogo, o mais rapidamente possível, com todos os meios disponíveis.

Os agentes extintores de incêndio serão inspecionados mensalmente, pelo


setor de SESMT, verificando-se seu aspecto geral e as suas condições de
funcionamento.

O SESMT manterá uma relação atualizada dos extintores, com o controle do


prazo de validade da carga, localização, número e equipe responsável pela sua
manutenção e conservação.

Exercícios de combate ao fogo serão realizados periodicamente,


objetivando:
 Identificação da classe do fogo;
 Abandonar o local em ordem, evitando pânico;
 Atribuir tarefas e responsabilidades aos trabalhadores;
 Verificar a absorção dos treinamentos.

Serão treinados empregados de diversos setores no Combate a Incêndio, na


própria Planta/Mina, no correto manejo dos agentes extintores, para o primeiro
combate ao fogo.

A U&M tem os seguintes extintores, em numero suficientes:


 Extintores de Água Pressurizada;
 Extintores de Pó químico Seco;
 Extintores de Gás Carbônico.

Os extintores deverão ser instalados a uma altura de 1, 60m, de sua parte mais alta
ao piso, ou eventualmente no próprio piso, adaptados para tal e sinalizados.

14.9 Fornecimento de Água Potável aos Funcionários

A U&M, proverá de água fresca e potável, todas suas frentes de serviço, colocando-
a à disposição de seus funcionários, em lugar de fácil acesso, perto e à sombra.

Não se permitirá o uso de copos coletivos. Serão usados copos descartáveis ou


poderão ser usados bebedouros de jato inclinado.
A contratada entende como Água Potável, aquela que atende os parâmetros de
salubridade estabelecidos pela legislação vigente e pela Organização Mundial de
Saúde - OMS.

Mensalmente serão realizadas análises bacteriológicas. Semestralmente, análises


físico-químicas desta água.

Toda análise será realizada por organismos oficiais. Na ausência dos mesmos, por
laboratórios especializados.

Serão feitas limpezas periódicas nas caixas d'água, bem como tratamento
bactericida nas mesmas.

14.10 Prevenção contra Riscos em Eletricidade – NR-22 ítem 22.20 Port. 3213/78

A U&M através da Engenharia elétrica se ocorrer a necessidade, dimensionará qual


o tipo do fio ou cabo a ser utilizado, onde ficarão os quadros de força, quantas
máquinas serão utilizadas e, ainda, quais as ampliações que serão feitas nas
instalações elétricas, provisórias para atender a Contratadas.

Os quadros de distribuição de força serão de preferência blindados, a fim de


proteger os componentes elétricos contra umidade, poeira, batidas.

Os quadros de distribuição de eletricidade ficarão em locais bem visíveis,


sinalizados e de fácil acesso. Estarão longe das passagens das pessoas, materiais e
equipamentos como caminhões, escavadeiras, tratores, guindastes, etc.

“As chaves do tipo faca, se houver, serão blindadas, a fim de evitar contato dos
trabalhadores, com suas partes” vivas". Devem fechar para cima e de tal forma que
os porta-fusíveis não fiquem energizados ou "vivos", quando as chaves estiverem
abertas. Estas chaves elétricas tipo faca, não devem ser usadas para ligar
diretamente equipamentos, como serra, betoneiras, etc. Nestes casos serão usados as
botoeiras.

Na Planta/Mina, evitar-se-á fios elétricos espalhados pelo chão, podendo ser


direcionados aéreos, subterrâneos, em canaletas ou de outra forma que evite
acidentes. Os fios e cabos serão estendidos em lugares que não atrapalhem a
passagem de pessoas, máquinas e materiais. Se os mesmos tiverem de ser
estendidos em locais de passagem, poderão se protegidos por calhas de madeira,
canaletas ou eletrodutos.

Os fios e cabos deverão ser fixados em isoladores, argolas, e abraçadeiras, que


sejam isolantes. Nunca em materiais não isolantes, como arames, canos metálicos,
pára-raios ou vergalhões.
As emendas que forem feitas nos fios e cabos, serão bem isoladas, não deixando
partes descobertas, grandes causadoras de acidentes.

As ligações dos equipamentos à rede elétrica serão sempre feitas através do


conjunto plug-tomada. Proíbe-se improvisações.

Não se ligará mais de um equipamento a uma tomada, quando ela for dimensionada
para apenas um equipamento.

Proíbem-se ligações diretas.

Os circuitos de iluminação estarão fixados em peças isolantes, nunca em vergalhões


ou arames; outra grande fonte de acidentes em obras.

Nos locais de movimentação de material, as lâmpadas estarão protegidas contra


batidas, para não se quebrarem.

Os Circuitos de Iluminação estarão ligados à rede elétrica através de chaves


blindadas. Quando estiverem ligados a quadros elétricos, será usado o conjunto
plug-tomada.

Todo cuidado será tomado para que andaimes, gruas, caminhões basculantes,
guindastes, escavadeiras, etc., não encostem na rede elétrica. É bom deixar uma
distância mínima de 5 m, entre a parte elétrica e o local de trabalho, na horizontal e
na vertical.

As instalações elétricas serão constantemente verificadas Pelo eletricista, que deverá


mantê-la em perfeitas condições de uso.
É fundamental a construção de BARREIRAS DE PROTEÇÃO, para evitar contato
dos equipamentos e do pessoal, com as redes elétricas.

Todos os equipamentos estarão devidamente aterrado, com exceção daqueles que


possuem dupla isolação ou que funcionem com menos de 50 volts.

Os eletricistas usarão os EPI´s necessários à execução das atividades. Citamos


alguns:
 Capacete;
 Luvas de alta tensão;
 Botina de couro sem partes metálicas;
 Óculos de segurança;
 Saca fusíveis;
 Cinto de Segurança;
 Porta ferramentas isoladas.

Os eletricistas serão habilitados e treinados. Serão promovidos cursos de Primeiros


Socorros aos eletricistas e demais pessoas envolvidas, para casos de emergência,
onde cada pessoa aprenderá as técnicas de salvamento em caso de acidentes com
choque elétrico.

A Planta/Mina será mantida bem sinalizada, pois entendemos que a sinalização,


bem como os treinamentos, a antecipação ao risco, e as APR (Análise Preliminar de
Riscos), bem como a constante manutenção, são os melhores fatores para prevenção
dos acidentes.

14.11 Alojamentos

 A U&M, Promove na Mina, alojamentos adequados, aos seus trabalhadores,


adequando-os à NR – 24 da Port. 3.214/78.

 Os alojamentos estarão separados do refeitório, dos depósitos , e da obra em si.

 Serão construídos sobre terreno firme, drenado e desprovidos de árvores que


possam causar risco de queda de galhos.

 Nos alojamentos serão instalados extintores de incêndio, em quantidade e


qualidade suficientes, bem como hidrantes se necessário.

 Os pisos, paredes e tetos, serão construídos com materiais de fácil limpeza e


desinfecção.

 Serão obedecidos os valores mínimos de iluminamento, prescritos nas normas.

 Haverá ventilação natural em todos os dormitórios, refeitórios, salas de jogos, de


estar, de recreação, etc., de maneira a não prejudicar a saúde do pessoal.

 Cada trabalhador terá direito a um colchão, travesseiro, lençol e toalhas. As


roupas de cama serão trocadas, Pelo menos, uma vez por semana, a fim de se
proceder sua lavagem e desinfecção, tudo por conta da U&M.

 Nenhum funcionário com doença contagiosa poderá permanecer alojado.

 Em todo acampamento ou toda frente de serviço, haverá controle de pragas,


roedores, pulgas, piolhos, ou doenças transmissíveis, de acordo com um
programa a ser elaborado Pelo serviço de Medicina, Segurança e Higiene do
Trabalho.

 Haverá Guarda roupas individuais para cada funcionário.

 Haverá bebedouros, na proporção de 1 para cada 25 trabalhadores.


14.12 Instalações Sanitárias

 A U&M, manterá na Planta/Mina ou frentes de serviço, sanitários, adequados,


em quantidades suficiente e proporcional ao número de pessoas que os
utilizarão; separados por sexo, conforme NR - 24
 Os sanitários terão as seguintes características:
 Pisos lisos, antiderrapantes e de fácil escoamento de água;
 Paredes, tetos e pisos, construídos de material de fácil limpeza e desinfecção;
 Iluminação e ventilação adequada;
 Água potável;
 Será feita limpeza diária e desinfecção periódica.
 Haverá água suficiente, dimensionada em função do número de sanitários e de
trabalhadores.
 A U&M, programará e fará, a coleta regular e diária de todos os detritos e lixo,
bem como resíduos sanitários e orgânicos. A Fiscalização da Obra, determinará
a maneira e os locais para coleta e deposição, após a retirada dos mesmos.
 Na retirada e despejo das águas servidas nos esgotos, será evitado:
 A contaminação do solo;
 A contaminação das fontes de abastecimento de água;
 Contato direto com os excrementos.
 Setor de SESMT, juntamente com a Administração, serão os responsáveis pelo
fiel cumprimento de todas estas obrigações, junto a suas Contratadas.
15 – DEFINIÇÃO DE GRUPOS HOMOGÊNEOS DE EXPOSIÇÃO

GRUPOS HOMOGÊNEOS DE EXPOSIÇÃO - GHE



GHE FUNÇÃO TRABALHADORES N° TRABALHADORES
EXPOSTOS A SEREM MONITORADOS
MOTORISTA
  38
OPERADOR EQUIP. I
GHE 01 37
OPERADOR EQUIP. II
RUÍDO 29 22
OPERADOR DE ESCAVADEIRA I
POEIRA 04
OPERADOR DE ESCAVADEIRA II
  03
GHE 02
RUÍDO
FUMOS SOLDADOR 02 02
METÁLICOS
CALOR
GHE 03
RUÍDO AJUDANTE 16 12
POEIRA
GHE 04
AUXILIAR DE TOPOGRAFIA 02 03
RUÍDO
TOPÓGRAFO 01
POEIRA
 

GHE 05 02
ELETRICISTA ESPECIALIZADO
RUÍDO 02 05
AUXILIAR DE LUBRIFICAÇÃO
   01
LUBRIFICADOR

GHE 06
RUÍDO GERENTE DE CONTRATO 01 02
  ENGENHEIRO TRAINEE 01
AUXILIAR DE MANUTENÇÃO 11
GHE 07 MECÂNICO I 05
13
RUÍDO MECÂNICO II 02
ENCARREGADO DE MANUTENÇÃO I 02
TÉCNICO DE SEGURANÇA DO 01
GHE 08 TRABALHO I
02
RUÍDO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO 01
TRABALHO II

GHE 09
ENCARREGADO DE PRODUÇÃO I 04 04
RUÍDO
16 – CIRCULAÇÃO E TRÂNSITO NA MINA

Toda mina deve possuir Plano de Trânsito estabelecendo regras de preferência de


movimentação e distâncias mínimas entre máquinas, equipamentos e veículos compatíveis
com a segurança, e velocidades permitidas, de acordo com as condições das pistas de
rolamento, neste caso discriminado no Procedimento Operacional Padrão POP 070 –
Trânsito na Área de Mina
A capacidade e a velocidade máxima de operação dos equipamentos de transporte
devem figurar em placa afixada, em local visível.
O transporte em minas a céu aberto deve obedecer aos seguintes requisitos
mínimos:
a) os limites externos das bancadas utilizadas como estradas devem estar
demarcados e sinalizados de forma visível durante o dia e à noite;
b) a largura mínima das vias de trânsito, deve ser duas vezes maior que a largura do
maior veículo utilizado, no caso de pista simples, e três vezes, para pistas duplas;
c) nas laterais das bancadas ou estradas onde houver riscos de quedas de veículos
devem ser construídas leiras com altura mínima correspondente à metade do
diâmetro do maior pneu de veículo que por elas trafegue;
OBS.: Quando o plano de lavra e a natureza das atividades realizadas não
permitirem a observância do constante na alínea “b” deste item, deverão ser adotados
procedimentos e sinalização adicionais para garantir o tráfego com segurança.

Os veículos de pequeno porte que transitam em áreas de mineração a céu aberto


devem possuir sinalização através de antena telescópica com bandeira, bandeira de
sinalização e manter os faróis ligados, mesmo durante o dia, de forma a facilitar sua
visualização pelos operadores de equipamentos de grande porte.

Sinalização luminosa é obrigatória em condições de visibilidade adversa e à noite.


As vias de circulação de veículos, não pavimentadas, devem ser umidificadas, de forma a
minimizar a geração de poeira.
17 – ANTECIPAÇÃO E RECONHECIMENTO DOS RISCOS

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (EVENTUAL)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(EVENTUAL)

Determinação e Ruído na manutenção e campo produzido por máquinas,


localização das possíveis motores e equipamentos.
fontes geradoras Poeiras minerais na remoção, transporte e descarga de
estéril e minério.

Possíveis trajetórias e Ruído se propaga pelo ar e poeiras pelo ar e vias


meios de propagação dos respiratórias.
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Gerente de Contrato (01), Engenheiro Trainee) (01)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das 1 hora / dia


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva;


relacionados aos riscos Poeiras minerais: problemas respiratórios
identificados

Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


Descrição das medidas de concha, respirador descartável semifacial contra poeiras
controle existentes
PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS NÃO FORAM DETECTADOS RISCOS QUE SE


RISCOS ENQUADREM NA NORMA REGULAMENTADORA

Determinação e Setor Administrativo


localização das possíveis
fontes geradoras

Possíveis trajetórias e Não há.


meios de propagação dos
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Encarregado Administrativo (01)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das A jornada é de 44 horas semanais.


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Não há.


relacionados aos riscos
identificados

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais.


controle existentes
PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (EVENTUAL)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: ÓLEOS MINERAIS,
GRAXAS, ADITIVO PARA RADIADOR
(INTERMITENTE)

Determinação e Na manutenção, produzido por máquinas, motores e


localização das possíveis equipamentos.
fontes geradoras

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar, óleos minerais, graxas e


meios de propagação dos aditivo para radiador através do contato com a pele.
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Lubrificador (01), Auxiliar de Lubrificação (02)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das Ruído: 1 hora / dia


atividades e do tipo de Óleos minerais, graxas e aditivo para radiador em caráter
exposição intermitente

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva


relacionados aos riscos Óleos, graxas e aditivo para radiador: dermatoses
identificados

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


controle existentes concha, creme protetor para as mãos, luva nitrílica.
PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (EVENTUAL)


RISCOS

Determinação e Na manutenção, produzido por máquinas, motores e


localização das possíveis equipamentos
fontes geradoras

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar.


meios de propagação dos
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Eletricista Especializado (01)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das 1 hora / dia


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Perda auditiva


relacionados aos riscos
identificados

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


controle existentes concha
PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (INTERMITENTE);


RISCOS UMIDADE (EVENTUAL);
AGENTES QUÍMICOS: ÓLEOS MINERAIS, GRAXAS
(INTERMITENTE)

Determinação e Na manutenção, produzido por máquinas, motores e


localização das possíveis equipamentos, montagem e desmontagem de
fontes geradoras componentes e lavagem de peças

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar, umidade por contato com a
meios de propagação dos pele, óleos e graxas por via cutânea.
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Auxiliar de Manutenção (11), Mecânico I (05),


e número de trabalhadores Mecânico II (02)
expostos

Caracterização das Ruído: 5 horas / dia


atividades e do tipo de Umidade: 1 hora / dia
exposição Óleos e graxas: 5 horas / dia

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva


relacionados aos riscos Óleos e graxas: dermatites
identificados Umidade:

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


controle existentes concha, creme protetor para as mãos, luva nitrílica, luva
de PVC, avental de PVC, bota de borracha, óculos de
segurança.
PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (INTERMITENTE)


RISCOS CALOR (INTERMITENTE)
RADIAÇÃO NÃO IONIZANTE
(INTERMITENTE)
AGENTES QUÍMICOS: FUMOS METÁLICOS
(INTERMITENTE)

Determinação e Setor Manutenção, produzido por máquinas, motores,


localização das possíveis equipamentos, maçarico, lixadeira e aplicação de soldas.
fontes geradoras

Possíveis trajetórias e Restrito ao local, sendo que o ruído se propaga pelo ar,
meios de propagação dos fumos metálicos através da via respiratória, radiação não
agentes no ambiente de ionizante por via aérea e calor por via aérea e por contato.
trabalho

Identificação das funções Soldador (02)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das A jornada é de 44 horas semanais.


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva;


relacionados aos riscos Radiação não ionizante: cegueira;
identificados Fumos metálicos: insuficiência respiratória;
Calor: aumento da pressão arterial.

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra fumos
metálicos, luva de raspa de couro, avental de raspa de
couro, óculos de soldador, protetor auricular tipo plug.

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (INTERMITENTE)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(INTERMITENTE)

Determinação e Restrito ao local de trabalho (campo), produzido pela


localização das possíveis remoção, transporte e descarga de estéril pelos
fontes geradoras equipamentos.

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar e as poeiras por via


meios de propagação dos respiratória.
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Topógrafo (01), Auxiliar de Topografia (02)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das 3 horas / dia


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva.


relacionados aos riscos Poeiras: problemas respiratórios
identificados

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, protetor auditivo tipo


controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra poeiras.

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (CONTÍNUA)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(CONTÍNUA)

Determinação e Restrito ao local de trabalho (campo), produzido pela


localização das possíveis remoção, transporte e descarga de estéril pelos
fontes geradoras equipamentos.

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar e a poeira por via respiratória.


meios de propagação dos
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Ajudante (16)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das A jornada é de 44 horas semanais.


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva.


relacionados aos riscos Poeiras: problemas respiratórios.
identificados
Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo
controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra poeiras

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (CONTÍNUA)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(INTERMITENTE)

Determinação e Restrito ao local de trabalho (campo), produzido pela


localização das possíveis remoção, transporte e descarga de estéril pelos
fontes geradoras equipamentos.

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar e as poeiras por via


meios de propagação dos respiratória.
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Motorista (38), Operador de Equipamento I (37),


e número de trabalhadores Operador de Equipamento II (29), Operador de
expostos Escavadeira I (04), Operador de Escavadeira II (03))

Caracterização das A jornada é de 44 horas semanais.


atividades e do tipo de
exposição

Indicativo de possível Sem referência na empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva.


relacionados aos riscos Poeiras: problemas respiratórios.
identificados
Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo
controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra poeiras

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (INTERMITENTE)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(EVENTUAL)

Determinação e Na manutenção produzido por máquinas, motores e


localização das possíveis equipamentos e na remoção, transporte e descarga de
fontes geradoras estéril (campo).

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar e a poeira pela via respiratória.


meios de propagação dos
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Técnico de Segurança do Trabalho I (01) Técnico de


e número de trabalhadores Segurança do Trabalho II (01)
expostos

Caracterização das Ruído: 4 horas / dia


atividades e do tipo de Poeiras: 1 hora / dia
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva.


relacionados aos riscos Poeiras: problemas respiratórios.
identificados
Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo
controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra poeiras

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (EVENTUAL)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(EVENTUAL)
ÓLEOS MINERAIS, GRAXAS
(EVENTUAL)

Determinação e Na manutenção produzido por máquinas, motores e


localização das possíveis equipamentos e na remoção, transporte e descarga de
fontes geradoras estéril (campo).

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar e a poeira pela via respiratória.


meios de propagação dos
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Encarregado de Manutenção I (02)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das Ruído: 1 hora / dia


atividades e do tipo de Poeiras: 1 hora / dia
exposição Óleos e graxas: 1 hora / dia

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva.


relacionados aos riscos Poeiras: problemas respiratórios.
identificados Óleos e graxas: dermatoses

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra poeiras,
creme protetor para as mãos

PLANILHA DE RECONHECIMENTO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO DOS AGENTES FÍSICOS: RUÍDO (INTERMITENTE)


RISCOS AGENTES QUÍMICOS: POEIRAS MINERAIS
(EVENTUAL)

Determinação e Na manutenção produzida por máquinas, motores e


localização das possíveis equipamentos e na remoção, transporte e descarga de
fontes geradoras estéril (campo).

Possíveis trajetórias e O ruído se propaga pelo ar e a poeira pela via respiratória.


meios de propagação dos
agentes no ambiente de
trabalho

Identificação das funções Encarregado de Produção I (01)


e número de trabalhadores
expostos

Caracterização das Ruído: 3 horas / dia


atividades e do tipo de Poeiras: 1 hora / dia
exposição

Indicativo de possível Sem referência na Empresa.


comprometimento da
saúde decorrente do
trabalho

Possíveis danos à saúde Ruído: perda auditiva.


relacionados aos riscos Poeiras: problemas respiratórios.
identificados

Descrição das medidas de Exames médicos ocupacionais, abafador de ruído tipo


controle existentes concha, respirador descartável semifacial contra poeiras

18 – ACOMPANHAMENTO DE MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS


IMPLEMENTADAS

As medidas de controle dos riscos, quando necessárias, envolvem a adoção de


medidas necessárias e suficientes para a eliminação, ou redução dos riscos ambientais.
Devem ser adotadas medidas de controle quando forem identificados os riscos potenciais na
fase de antecipação, quando forem constatados os riscos evidentes a saúde na fase de
reconhecimento, quando os resultados das avaliações forem superiores aos valores de
limites previstas na Norma Regulamentadora NR-15 ou na ACGIH (American Conference
of Governmental Industrial Hygienists) e, por último, quando através de controle médico de
saúde, ficar caracterizado o nexo causal entre danos observados na saúde dos trabalhadores
e a situação de trabalho que eles ficam expostos.
As medidas de controle dos riscos a serem implantadas, quando necessárias, devem
seguir uma hierarquia de valores:
.medidas de controle coletivo, utilização de equipamentos de proteção coletiva;
.medidas de caráter administrativo, de engenharia, ou de organização de
trabalho;
.utilização de EPI;
.limitar o acesso de pessoas em locais com potencial de risco à saúde e
segurança;
.reduzir o tempo de exposição para atividades com potencial de risco à saúde;
.avaliações quantitativas;
.exames médicos periódicos;
.a empresa deve proporcionar treinamento específico, com reciclagem
periódica, aos trabalhadores.

18.1 - EPC-EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA.

Proteções implantadas:

1- Operações de Soldagem e Corte à Quente:


Todo trabalho à quente somente poderá ser realizado por profissional qualificado;
Ventilação local com sistema de exaustão nos locais confinados;
Uso de anteparo para proteção (Biombos) dos trabalhadores circunvizinhos, feitos de
material incombustível;
Uso de válvula de Segurança contra retrocesso de gases nas mangueiras de gases e
válvulas corta chamas antes dos reguladores de pressão de acetileno, oxigênio e GLP.

2- Medidas Contra Quedas de Altura:


 Guarda Corpo de 0,70 a 1,20 m. e rodapé de 0,20 m. conforme NR-22 da Port.
3.214/78 do MTb e uso de Cabo Guia (Linha de Vida) de Cabo de Aço com
diâmetro de ½” onde houver a necessidade de deslocamento do colaborador em
altura sem proteção de Guarda Corpo;
 Fechamento e/ou proteções rígidas em todas as aberturas no piso;
 Isolamento de área com faixas de 10 cm de largura nas cores amarelo e preta e em
alguns casos com telas de proteção nas cores laranja;
 Sinalização de área de acordo com os riscos;

3- Movimentação e Transporte de materiais:


 Os trabalhos com Pórtico, Ponte Rolante, Guinchos, Caminhões, Carretas, Munck,
somente poderão ser operados por trabalhadores qualificados, treinados e
credenciados.
 Equipamentos que operam em marcha à ré deverão possuir alarmes sonoros
acoplado ao sistema de câmbio e retrovisores em bom estado, conforme a NR-22
ítem 22.7.3 – Port. 3214/78 do MTb.
 Nos locais de transporte e descarga de materiais serão adotadas medidas preventivas
quanto à sinalização (inclusive noturna) e isolamento de área com fitas zebradas
amarelo e pretas.
 Todo trabalho de içamento deverá ser acompanhado de Rigger especializado.
 Motorista deverá usar sempre botas de solado antiderrapante, ficando excluído o uso
de chinelos, tamancos.
 Todo motorista será bem treinado e terá plena consciência da carga que transporta.

4- Instalações Elétricas:
 Somente deverão ser realizadas por profissionais qualificados;
 Somente deverão ser realizados serviços nas instalações quando a mesma estiver
desenergizada e devidamente etiquetada;
 Os condutores deverão ser isolados adequadamente;
 Os circuitos elétricos deverão ser protegidos contra impactos mecânicos, umidade e
agentes corrosivos;
 Os transformadores deverão ser instalados em locais isolados, sinalizados e somente
profissionais legalmente habilitados terão acesso ao mesmo;
 Os equipamentos elétricos serão aterrados;
 Isolamento adequado onde houver possibilidade de contato com partes vivas
energizadas.

5- Proteção Contra Incêndios:


 Extintores de Incêndios em número suficientes para combate à princípio de
incêndio, e de acordo com a classe de incêndio.
 Será formada uma brigada de combate à incêndios.

6- Sinalização de Segurança:
 Todas as frentes de trabalho serão sinalizadas de acordo com os riscos de acidentes
existentes NR-22 ítem 22.19 da Port. 3.214/78 do MTb..

7- Trabalhos com lixadeiras:


 Uso de coifa de proteção para proteger contra ruptura do disco.

19 – RESPONSABILIDADES E DISPOSIÇÕES FINAIS

19.1. Responsabilidades da empresa

Providenciar os meios necessários para o cumprimento do PGR, cobrar por parte


dos empregados a observância dos cuidados contra os riscos ambientais, informar
sobre qualquer alteração em seu layout, visando a antecipação e reconhecimento dos
riscos.

19.2. Responsabilidade dos trabalhadores

Colaborar e participar na implantação e execução do PGR;


Seguir as orientações recebidas em treinamentos, ou instruções ministradas;
Informar aos seus superiores hierárquicos, ocorrências que a seu julgamento possam
implicar risco à sua saúde.

O empregador deverá garantir que na ocorrência de riscos ambientais nos locais de


trabalho, que coloque em situação de grave e iminente risco um ou mais
trabalhadores, os mesmos possam interromper de imediato as suas atividades,
comunicando o fato ao superior hierárquico direto para as devidas providências.

O PGR será apresentado e discutido na CIPAMIN. Todos os trabalhadores deverão


ter conhecimentos deste documento, ficando ciente dos riscos ambientais presentes,
e uma cópia será encaminhado ao responsável pela elaboração do PCMSO –
Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, para que seja determinado o
Monitoramento Médico de acordo com os riscos identificados.

Responsável pela elaboração do PGR e pelo SESMT:

Ricardo Mendes Moraes


Eng. Civil e de Segurança no Trabalho
CREA-MG 35044/D

Ipixuna, 05 de Janeiro de 2007.


PROGRAMA DE
GERENCIAMENTO DE RISCOS

PGR
U&M
Janeiro/2007