Você está na página 1de 20

SISTEMA DE ENSINO SEMI PRESENCIAL CONECTADO

PEDAGOGIA

ALUNA

RELATÓRIO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II:


ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Brasiléia
2021
ALUNA

RELATÓRIO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II:


ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Relatório apresentado à Universidade


UNOPAR, do curso de Pedagogia, como
requisito parcial para o aproveitamento da
disciplina de estágio curricular obrigatório II:
anos iniciais do ensino fundamental.

Brasiléia
2021
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO........................................................................................................3
2 LEITURAS OBRIGATÓRIAS..................................................................................4
3 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP).........................................................6
4 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE
ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA.....................................................................8
5 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA
BNCC....................................................................................................................10
6 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS
DIGITAIS...............................................................................................................12
7 PLANOS DE AULA...............................................................................................14
8 CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................18
9 REFERÊNCIAS....................................................................................................19
3

1 INTRODUÇÃO

O presente texto acadêmico trata-se de um relatório de estágio


curricular obrigatório, dos anos iniciais do ensino fundamental I, reformulado devido
à pandemia do Covid -19, elaborado e realizado pela estudante de pedagogia da
universidade UNOPAR.
Neste relatório de estágio estão organizadas todas as atividades
realizadas pela acadêmica, em forma de leitura, relato de texto, estudo de vídeos,
resoluções de questões e ainda elaboração de plano de aula.
Está presente neste trabalho os seguintes itens: Leitura e relato de
texto indicado(a interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo
ensino-aprendizagem); Conhecimento sobre a função e a estrutura do Projeto
Político Pedagógico (PPP); Conhecimento sobre a atuação do professor regente e
sua inter-relação com a equipe pedagógica e administrativa, assim como a atuação
da equipe pedagógica no acompanhamento do desenvolvimento da disciplina;
Conhecimento sobre a abordagem dos temas contemporâneos transversais da
BNCC (meio ambiente, economia, saúde, cidadania e civismo, multiculturalismo e
ciência e tecnologia); texto em forma de relato sobre as metodologias ativas com
uso de tecnologias digitais; E dois planos de aula desenvolvidos com o uso das
metodologias ativas..
Entretanto, encontra-se organizado de modo claro e objetivo todas
as atividades realizadas pela estudante no período de estágio nos anos iniciais do
ensino fundamental.
4

2 LEITURAS OBRIGATÓRIAS

TEXTO:
THIESEN, Juares. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no
processo ensino-aprendizagem. Universidade do Estado de Santa Catarina,
Centro de Educação. Revista Brasileira de Educação v. 13 n. 39 set./dez. 2008.

O texto nos remete uma discussão sobre a temática da


interdisciplinaridade. Destacando que ela pode ser tratada por dois grandes
enfoques: o epistemológico e o pedagógico, ambos abarcando conceitos diversos e
muitas vezes complementares.
Conforme afirma o autor: no campo da epistemologia, toma-se como
categorias para seu estudo o conhecimento em seus aspectos de produção,
reconstrução e socialização; a ciência e seus paradigmas; e o método como
mediação entre o sujeito e a realidade. Pelo enfoque pedagógico, discutem-se
fundamentalmente questões de natureza curricular, de ensino e de aprendizagem
escolar.
A interdisciplinaridade aparece com maior força no campo das
ciências humanas e sociais. Passando ainda por outros campos e áreas de
conhecimentos, de modo que, a história da interdisciplinaridade confunde-se com a
dinâmica viva do conhecimento.
Conceituando a interdisciplinaridade, pode se afirmar que ela será
sempre uma reação alternativa à abordagem disciplinar normalizadora (seja no
ensino ou na pesquisa) dos diversos objetos de estudo.
Apesar de cada autor apresenta uma definição diferente,
compreende-se que a interdisciplinaridade sempre vai estar definida como
possibilidade de superar a fragmentação das ciências e dos conhecimentos
produzidos, ou ainda a resistência sobre um saber parcelado.

Tratando da interdisciplinaridade no processo de ensino


aprendizagem, sabemos que a escola precisará acompanhar o ritmo das mudanças
que se operam em todos os segmentos que compõem a sociedade. Já que
diariamente ocorrem mudanças no mundo em que vivemos, e a escola não pode
5

atrasar-se. Já que o mundo está cada vez mais interconectado, interdisciplinarizado


e complexo.
Nas palavras do autor: “as aprendizagens mais necessárias para
estudantes e educadores, neste tempo de complexidade e inteligência
interdisciplinar, sejam as de integrar o que foi dicotomizado, religar o que foi
desconectado, problematizar o que foi dogmatizado e questionar o que foi imposto
como verdade absoluta”. Sendo uma tarefa importante da escola para que alcance
seus objetivos do trabalho interdisciplinar de qualidade.

A instituição escolar é um ambiente de vida, onde desenvolve no


sujeito a cidadania, criatividade e autonomia. Por essa razão, sua organização
curricular, pedagógica e didática deve considerar a pluralidade de vozes, de
concepções, de experiências, de ritmos, de culturas, de interesses.
Em síntese, a escola tem a necessidade de ser uma instituição
interdisciplinar. Porque, quanto mais interdisciplinar for o trabalho docente, quanto
maiores forem as relações conceituais estabelecidas entre as diferentes ciências,
quanto mais problematizastes, estimuladores, desafiantes e dialéticos forem os
métodos de ensino, maior será a possibilidade de apreensão do mundo pelos
sujeitos que aprendem.
Como afirma o autor: “a interdisciplinaridade, tanto em sua dimensão
epistemológica quanto pedagógica, está sustentada por um conjunto de princípios
teóricos formulados sobretudo por autores que analisam criticamente o modelo
positivista das ciências e buscam resgatar o caráter de totalidade do conhecimento”.
Sendo um movimento que acredita na criatividade das pessoas.
Portanto, trabalhar com a interdisciplinaridade é de grande
importância que favorece o processo de ensino aprendizagem. O professor
pedagogo que busca um trabalho interdisciplinar, garante melhores condições de
aprendizagens aos seus alunos, e em consequência, contribui para a oferta de uma
educação de qualidade.
6

3 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP)

1. O que é o PPP e qual a importância desse documento para


o ambiente escolar?

E o Projeto Político Pedagógico que define a identidade da escola.


Sendo um documento de grande importância dentro da instituição, em razão de ser
construído e elaborado por toda a comunidade escolar. Visto que servirá para
nortear a escola, guiando-a ao caminho do sucesso no ato educativo.
O PPP serve como base para todas as práticas realizadas dentro da
escola, tanto na sala de aula, na relação aluno-professor, como também, aos demais
funcionários. No PPP, estão os afazeres dos funcionários, como normas e condutas,
que orienta como cada um deverá executar seu trabalho.
Também está presente no PPP a rotina escolar, onde define o
horário de funcionamento, pontualidade, recreio, permanência na sala de aula,
uniforme escolar, material didático, atividades extraturno, cuidados com a saúde.
educação física e uso de medicamentos.
Este documento funciona como uma bússola, que orienta a todos os
funcionários da escola, de acordo ao que devem fazer e como. Sendo importante
que seja acessível para que todos possam conhece-lo para executa-lo.
Por essa razão, é um documento que necessita estar sempre
atualizado conforme a realidade vivenciada pela escola e comunidade. Visto que,
deverá não ser apenas uma organização de orientações no papel, mas sim, deverá
ser executado para o alcance da qualidade na educação.
Importante destacar também, que o Projeto Político Pedagógico
dever ser elaborado com o apoio e ajuda de toda a comunidade escolar, sendo:
equipe gestora, professores, alunos, pais e responsáveis e representantes da
comunidade. Favorecendo uma gestão democrática.

2. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento


normativo que define as aprendizagens essenciais que todos os alunos devem
se apropriar na educação básica. Sendo assim, todas as escolas devem
organizar seu currículo a partir desse documento. Com base na leitura que
7

você realizou, como as competências gerais da Educação Básica se inter-


relacionam com o PPP?

Se inter-relacionam de modo interdisciplinar. O PPP é elaborado e


adaptado de forma que englobe todas as competências gerais. Sendo as
competências gerais trabalhadas em cada uma das áreas de conhecimento –
Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino
Religioso – e construídas por habilidades desenvolvidas a partir de atividades em
sala de aula. Para isso, a escola sempre deve adaptar seu material didático utilizado
para atender o que prescreve a BNCC. O Projeto Político Pedagógico - PPP busca
desenvolver as propostas da BNCC colocando o estudante como agente ativo da
sua própria educação, fazendo com que ele saiba identificar problemas,
compreender conceitos, propor soluções, interagir com os colegas de classe,
argumentar, entre outras habilidades. Trabalhando isso nas atividades ao longo do
ano letivo.

3. A avaliação da aprendizagem é um elemento crucial no


processo de ensino e de aprendizagem, visto que oportuniza indícios dos
avanços escolares e dos pontos que precisam ser aperfeiçoados. Com base na
leitura que você realizou do PPP, de que modo a escola apresenta o processo
de avaliação?

As avaliações são adaptadas de modo que se adeque a faixa etária


e período em que o educando está matriculado. A avaliação é realizada de modo
contínuo, onde a criança é constantemente acompanhada, orientada, mediante
registros e comunicação quanto ao desenvolvimento do processo educativo. A
avaliação considerará o desempenho da criança, a capacidade em solucionar
problemas propostos, diagnósticos dos avanços e dificuldades, características
inerentes ao processo de aprendizagem. O Ano Letivo é dividido em três etapas,
somando-se um total de 100 pontos. Em cada etapa, os instrumentos avaliativos
serão divididos em dois grupos: AI – Avaliação Individual AC – Avaliação Coletiva.
Ao final de cada etapa é realizada uma recuperação para os estudantes que não
alcançaram a média, e ainda tem a recuperação final. Em relação aos alunos
especiais cada um é avaliado minuciosamente segundo a sua individualidade.
8

4 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE


ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA

1. A BNCC é um documento que regulamenta as aprendizagens


essenciais a serem trabalhadas nas escolas públicas e privadas para garantir
os direitos de aprendizagem e desenvolvimento aos alunos. Quais os
principais desafios da atuação do professor nos anos iniciais do Ensino
Fundamental a partir das regulamentações apresentadas na BNCC?
Um grande desafio encontrado é o de o professor trabalhar de
acordo com o que está prescrito na Base Nacional Comum Curricular, já que a Base
tem o objetivo de desenvolver competências nos alunos, cabe então ao professor
garantir que essas competências sejam trabalhadas em sala de aula. Já que o
objetivo não é aprender apenas por meio da memorização, mas sim, desenvolver
esse aluno de modo amplo, para que ele possa se desenvolver nas dimensões
social, cognitiva, física e emocional. Então, o professor deve pensar em sentido
amplo quais atividades poderão ser realizadas para que favoreça esse
desenvolvimento. Deve também conhecer o que tem na Base, o motivo dos
conteúdos e áreas do conhecimento estarem reunidas lá, e fazer com que isso tenha
relação com o seu trabalho em sala de aula.

2) Exemplifique de que maneira a equipe pedagógica poderá orientar o


professor tendo como referência a utilização do Projeto Político Pedagógico e
da Proposta Curricular.
Sempre lhes orientando e informando no que for necessário.
Fazendo com que o professor conheça todos os fundamentos e propostas dos
documentos e buscando subsídios para que possam aplica-lo na execução de seus
trabalhos em sala de aula. Se for necessário a equipe pedagógica poderá estar
incluindo novas ementas pedagógicas, além de buscar ao máximo possível
relacionar a prática escolar com a realidade vivenciada pelos alunos. Também é
importante que a equipe pedagógica dê Instruções aos educadores quanto a
execução do PPP, contanto também com seu apoio no momento de elaboração do
mesmo. Além disso, a equipe pedagógica deve fornecer aos professores condições
9

necessárias de executarem seus trabalhos com autonomia, lhes oferecendo


capacitações, formações e materiais didáticos necessários.

3) No que se refere às atribuições da equipe administrativa,


descreva a importância da relação da direção com a equipe pedagógica para a
qualidade dos processos educativos no contexto escolar.

É importante que exista uma relação próxima e de parceria, com


uma boa comunicação e clareza de ideias. Necessitando que exista um alinhamento
entre as propostas norteadas pelo Projeto Político Pedagógico, desde sua
elaboração até sua aplicação. Os educadores poderão participar e acompanhar
também as ações realizadas pela equipe administrativa, como por exemplo, a
aplicabilidade de verbas escolares. O trabalho em equipe deve ser reforçado,
destacando para a importância da gestão democrática, sendo cada um respeitado
em seu modo de pensar e opinião, além de acolher cada um do seu jeito. Para que
assim, todos possam unidos trabalhar em prol da oferta de um ensino de qualidade,
que faça a diferença na vida dos educandos.
10

5 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA BNCC

1. Como podemos entender o termo Transversalidade?


Entendemos como uma forma de trabalhar a junção das diversas
áreas de conhecimentos, ultrapassando uma concepção fragmentada. Sendo como
um modo de organização do trabalho didático, integrado os temas trabalhados às
áreas convencionais, de modo que estejam presente em todas elas. Perpassando
todos os componentes curriculares de forma transversal e integradora. Levando os
alunos a aprender na realidade e a realidade.

2. Qual a importância de se trabalhar com os TCTs na escola?


Contribui de modo significativo para a formação do indivíduo, já que
possibilita que o educando se desenvolva para o exercício da cidadania. Levando os
estudantes a aprenderem sobre: cuidar do planeta, a partir do território em que vive;
administrar o seu dinheiro; cuidar de sua saúde; usar as novas tecnologias digitais;
preparando o estudante para o mundo.

3. Dos TCTs listados, quais podem ser trabalhados de forma transversal


no seu curso de graduação?
Meio ambiente (educação ambiental, educação para o consumo, os ciclos da
natureza, sociedade e meio ambiente, manejo e conservação ambiental), saúde
(educação alimentar e nutricional autocuidado, vida coletiva), multiculturalismo
(diversidade cultural, educação para valorização do culturalismo nas matrizes
históricas e culturais brasileiras, ciência e tecnologia (ciência e suas tecnologias),
cidadania e civismo (vida familiar e social, educação para o trânsito, educação em
direitos humanos, direitos da criança e do adolescente, processo de envelhecimento,
respeito e valorização do idoso, economia (trabalho, educação financeira, educação
fiscal).

4. O Guia apresenta uma metodologia de trabalho para o desenvolvimento


dos TCTs, baseado em quatro pilares. Quais são estes pilares? Comente sua
perspectiva sobre essa metodologia.
o Problematização da realidade e das situações de
aprendizagem;
11

o Superação da concepção fragmentada do conhecimento para


uma visão sistêmica;
o Pilar - Integração das habilidades e competências curriculares
à resolução de problemas;
o Promoção de um processo educativo continuado e do
conhecimento como uma construção coletiva.
Por ser um trabalho desenvolvido de modo intradisciplinar,
interdisciplinar, e transdisciplinar favorece a criação de estratégias que relacionem
os diferentes componentes curriculares aos TCTs. Possibilitando que o aluno
aprenda de modo amplo e contemplativo, contribuindo para sua formação como
cidadão.
12

6 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS

Como já vimos, toda ação realizada na escola deve ser feita com
base aos documentos norteadores. Logo, o planejamento escolar deve ser feito com
base a diversos fatores, como por exemplo, a BNCC, o PPP, o currículo escolar e
ainda, a realidade vivenciada na instituição.
Quando a realidade não é tão atrativa, apresentando evasão
escolar, repetências, desmotivação e desinteresses, cabe ao professor mudar e
adaptar seus planejamentos para que possa tentar mudar esse quadro.
Uma escola com alto grau de repetência e evasão, sem dúvida os
alunos não estão habituados as aulas, e isso só traz prejuízos. Por isso essa
realidade deve ser mudada. E isso, está fortemente relacionado com o planejamento
das aulas, ou ainda, as atividades que são pedidas aos alunos.
Por essa razão que inovar as praticas de ensino em sala de aula faz
toda a diferença. A realização de aulas mais atrativas e dinâmicas desperta nos
alunos o gosto pelo estudar, e os mantém motivados em busca do saber, e assim,
em consequências, os números de reprovados diminuem, e ninguém quer
abandonar uma escola que gosta.
Então, quando o professor planeja suas aulas de forma que possa
trabalhar como os alunos gostam, o ambiente em sala de aula muda, e os avanços
aparecem.
Uma metodologia que os alunos já estão acostumados e gostam
muito é o uso das mídias digitais, pois a grande maioria já faz o uso do celular. Cabe
então ao professor, adaptar esse uso, para que possa favorecer o processo de
ensino-aprendizagem, e não ao contrário.
Existe uma infinidade de possibilidades de trabalhar com os alunos
de modo diversificado. As metodologias ativas é um exemplo, visto que, é uma
forma de ensino onde os alunos são estimulados a participar do processo de forma
mais direta, como protagonistas. E isto traz inúmeros benefícios.
Vejamos os tipos de metodologias ativas que podem ser
trabalhadas em sala de aula: Web Quest, aprendizagem baseada em projeto – ABP,
sequência didática, aula gamificada e ensino híbrido.
A partir dessas possibilidades, o professor planeja suas aulas, de
modo mais contemplativo, levando em consideração a realidade vivenciada pelos
13

alunos, e buscando alternativas de melhoria no processo de ensino aprendizagem.


Pois, o uso das metodologias ativas desperta no aluno o gosto pelo estudar, fazer,
aprender. E em consequência irá desenvolver-se muito mais.
Já que os alunos tem facilidade com o uso das novas tecnologias,
isso pode ser favorável ao ensino. Se o aluno não gosta de prestar atenção na
lousa, e só fica olhando pro celular, então o professor poderá trazer a lousa para a
tela do seu celular.
Em síntese, um bom planejamento escolar, deve estar relacionado a
realidade vivenciada na escola, para que sirva de modo significativo para os alunos.
E ainda, é importante o professor atentar para mudança de metodologias, para que
possa atrair a atenção de todos os alunos para as suas aulas.
No entanto, as metodologias ativas garantem uma aprendizagem
mais prazerosa e significativa. Facilitando que os alunos tenham acesso ao
conhecimento e sejam protagonistas.
14

7 PLANOS DE AULA

PLANO DE AULA 01

DISCIPLINA: Língua Portuguesa


SÉRIE: 3º ano do ensino fundamental
TURMA: “A”
PERÍODO: Matutino.

CONTEÚDO:
Gênero textual.
Leitura e escrita.
Web Quest.

OBJETIVO GERAL:
Conduzir os alunos a identificar os diferentes gêneros textuais que existem.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
Favorecer a aprendizagem dos conteúdos com o uso da metodologia ativa de
web Quest.
Realização de aulas mais atrativas e dinâmicas.
Desenvolvimento da leitura e escrita.

METODOLOGIA:

1) Em primeiro momento apresentar aos alunos a introdução ao tema, com


um texto curto e motivador. Realizando conversa com todos sobre o tema.
2) Sortear para todos os alunos um tipo de gênero textual, perguntar se
alguém sabe qual é a definição do seu.
15

3) Levar os alunos ao laboratório de informática e pedir que eles pesquisem


sobre o seu tipo de gênero textual. Devendo ainda salvar em seu celular
um exemplo.
4) A professora deverá organizar o projetor na sala de aula, e com o uso de
um notebook abrirá seu WhatsApp, onde os alunos já estarão participando
de um grupo da sala. Na tela do projetor deverá aparecer as conversas do
grupo, logo deverá iniciar as apresentações, onde cada aluno mandará
seu exemplo para o grupo do aplicativo, e deverá explicar seu gênero
textual.
5) Após isso, e ainda na tela do projetor a professora deverá mostrar
diversos exemplos de gêneros textuais para que os alunos sejam
avaliados se conseguem identificar cada um.

RECURSOS:
Alunos, professor, projetor ou quadro digital, data show, computador, sala de
aula, celular, laboratório de informática, internet, celular, câmera, WhatsApp.

AVALIAÇÃO:
Os alunos serão avaliados continuamente ao longo de todas as etapas da
web Quest. Serão avaliados segundo seus comportamentos e participação na aula.
E ao fim, serão avaliados segundo a aprendizagem pela atividade final de identificar
o gênero textual.

REFERÊNCIAS:

MARINHO, Simão. Web Quest - um uso inteligente da Internet na escola.


Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. n.7, p.55-64, fevereiro, 2001.

SANTOS, Carmi Ferraz, MENDONÇA, Márcia, CAVALCANTE, Marianne.


Diversidade textual: os gêneros na sala de aula. Recife:Autêntica,2006.
16

PLANO DE AULA 02

DISCIPLINA: Geografia.
SÉRIE: 3º ano do ensino fundamental.
TURMA: “A”
PERÍODO: Matutino.

CONTEÚDO:
Poluição das águas pelas atividades humanas.
Aprendizagem baseada em projeto – ABP.
Leitura e escrita.

OBJETIVO GERAL:
Identificar como o ser humano polui a água através das atividades que
desempenha no cotidiano.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
Desenvolver aulas com o uso da metodologia ativa aprendizagem baseada
em projeto – ABP.
Uso das mídias digitais.
Despertar do interesse e gosto pelo aprender.

METODOLOGIA:
1) Em primeiro momento lançar aos alunos a seguinte pergunta motivadora:
de que forma as pessoas poluem a água de nossa cidade?
2) Após conversas detalhadas sobre o tema, lançar aos alunos a proposta de
um projeto de pesquisa. Onde em grupo deverão sair pela cidade em
busca de resolver a problemática questão de como que as águas de nossa
cidade estão sendo poluída.
3) Dividir a turma em grupos, cada grupo ficará responsável por uma região
da cidade e ou bairro. Cada grupo deverá realizar entrevistas,
levantamento de dados e fotografar regiões de poluição pluvial.
4) Os alunos deverão organizar seus materiais levantados em apresentação
de slide, para ser apresentado em sala de aula.
17

5) Por fim, deverá ser realizado um debate, para que os alunos possam
mostrar seu ponto de vista e opinião sobre a temática, onde cada um
deverá ser ouvido e avaliado, como momento de reflexão e feedback.

RECURSOS:
Projetor multimídia ou quadro digital, data show, computador, sala de aula,
celular, caixa de som, laboratório de informática, internet, câmera, fotografias, folhas
A4, lápis, caneta, borracha, pincel, carteiras.

AVALIAÇÃO:
Os alunos serão avaliados continuamente ao longo de todas as etapas da
web Quest. Serão avaliados segundo seus comportamentos e participação na aula.
E ao fim, serão avaliados segundo a apresentação dos trabalhos, e ainda no
momento de reflexão e feedback, onde apresentarão seus pontos de vista sobre o
assunto. E serão questionados sobre o que realmente compreenderam.

REFERÊNCIAS:

ARAÚJO, Elisabeth. Plano de aula: Poluição das águas pelas atividades


humanas. NOVA ESCOLA, 2021. Disponível em:<
https://planosdeaula.novaescola.org.br/fundamental/3ano/geografia/poluicao-das-
aguas-pelas-atividades-humanas/6176>. Acesso em: 19 abr. 2021.

SILVA, Diego O.; CASTRO, Juscilene Braga C.; SALES, Gilvandenys Leite.
Aprendizagem baseada em projetos contribuições das tecnologias Digitais.
Revista de Educação, Ciência e Tecnologia. Canoas, vol. 7, n.º 1, p. 1-19. 2018.
Disponível em:< <https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/2763>.
Acesso em: 16 de abr. 2021.
18

8 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A realização deste relatório de estágio curricular no ensino


fundamental II – adaptado ao Covid-19, possibilitou um ampliar de conhecimentos,
favorecendo a formação acadêmica da estudante de pedagogia.
Mesmo sendo um estágio reformulado devido à Pandemia COVID-
19, foi possível compreender como ocorre o trabalho do pedagogo em mais uma
etapa de ensino, sendo nos anos iniciais do ensino fundamental. Compreendeu-se
como deve desenvolver o trabalho do professor nessa modalidade de ensino. Desde
os documentos norteadores até ao planejamento das aulas.
A partir desta atividade de estágio, a acadêmica compreendeu
profundamente sobre: a interdisciplinaridade em sala de aula, o que é o PPP e a sua
importância no ambiente escolar, as competências gerais da BNCC, a abordagem
dos temas transversais e contemporâneos da BNCC, metodologias ativas com uso
de tecnologias digitais, elaboração de plano de aula com o uso das metodologias
ativas.
No entanto, este estágio contribuiu de forma significativa para a
formação da estudante, visto que por meio das leituras e vídeos estudados
conseguiu sentir-se atuante em sala de aula, compreendendo os fundamentos
necessário para ser um bom pedagogo, de modo que possa contribuir para um
processo de ensino-aprendizagem de qualidade.
19

9 REFERÊNCIAS

ALVES, R. M.; ZAMBALDE, A. L.; FIGUEIREDO, C. X. Internet e educação. Textos


Acadêmicos. UFLA/Lavras-Mg, 2004.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de


estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40,
jan./jun. 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta


preliminar. Segunda versão revista. Brasília: MEC, 2016.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. B823p. Parâmetros curriculares


nacionais: língua portuguesa / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília,
1996

MASETTO, Marcos T. 2000. Mediação pedagógica e o uso da tecnologia. In:


MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda. Novas
tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus. p.133-173.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas para


apresentação de trabalhos. 2. ed. Curitiba: UFPR, 1992. v. 2.

Você também pode gostar