Você está na página 1de 2

AMENDOIM

LAGARTA-DO-PESC
Praga do amendoim
PROBLEM
das plantas até danos nas vagens e grãos, lhas. Em observações de campo, verifi-
provocando consequentemente perdas na cou-se que a lagarta afetou em até 65% a
que só tem produção.
Com os avanços tecnológicos para a
produção do amendoim de hábito de cres-
cimento ereto. A lagarta completamente
importância nas condução da cultura do amendoinzeiro as- desenvolvida mede cerca de seis milíme-
sociado ao aumento das áreas de plantio, tros de comprimento, de coloração bran-
lavouras do Brasil principalmente em rotação com a cultura co-esverdeada e de cabeça preta. Seus
ataca folíolos ainda da cana-de-açúcar, vem merecendo aten-
ção a lagarta-do-pescoço-vermelho, Ste-
dois primeiros segmentos torácicos são
vermelhos, característica que lhe atribui
fechados e pode afetar gasta bosquella (Chambers, 1875) (Lepi- seu nome vulgar.
doptera: Gelechiidae), assumindo papel de Após a fase larval, cuja duração é de 8
até 65% da produção praga-chave devido aos prejuízos econô- a 15 dias, na grande maioria das vezes as
micos proporcionados pelos seus ataques lagartas se direcionam até o solo, onde se
Júlio César Janini, Bruno Henrique Sardinha nas folhas. transformam em pupas. No entanto, em
de Souza e Arlindo Leal Boiça Júnior, As lagartas se alimentam dos folíolos alguns casos podem-se observar pupas
pesquisadores da Faculdade de Ciências
Agrárias e Veterinárias (FCAV/Unesp),
ainda fechados, danificando a superfície de S. bosquella na parte aérea das plan-
Laboratório de Resistência de Plantas a dos mesmos ou proporcionando-lhes pe- tas, entre as folhas ou nas axilas das mes-
Insetos, juliojanini@yahoo.com.br quenos furos. Assim que as folhas se mas. O período de pupa pode durar de 4
abrem as lagartas migram para novas fo- a 10 dias, passado o qual, o inseto atinge

O
amendoim é mundialmente con-
siderado uma importante fonte
de proteína e óleo com teores em
torno de 23% e 45% no grão, respectiva-
mente. Sua importância econômica se
deve principalmente à sua grande diversi-
dade de formas de consumo, sendo con-
siderado como a quarta maior cultura ole-
aginosa no mundo, com 10% do total da
safra mundial de oleaginosas –atrás ape-
nas da soja, algodão e colza. A produção
de amendoim no Brasil é de aproximada-
mente 303 mil toneladas anuais, em uma
área plantada de 115,2 mil hectares. O
estado de São Paulo é o principal produ-
tor, com aproximadamente 236 mil tone-
ladas e uma área de aproximadamente 81,3
mil hectares.
A planta do amendoinzeiro é atacada
por inúmeras pragas na parte aérea desta-
cando-se entre elas o tripes-do-prateamen-
to, Enneothrips flavens Moulton, 1941
(Thysanoptera: Thripidae), que tem ocor-
rência generalizada na cultura em eleva-
dos níveis populacionais. Dentre as pra-
gas de solo, nos últimos anos tem incre-
mentado a ocorrência do percevejo-pre-
to, Cyrtonemus mirabilis (Perty, 1836)
Júlio Janini

(Hemiptera: Cydnidade), causando danos


desde a destruição do sistema radicular

44 | FEVEREIRO 2011
COÇO-VERMELHO:
MA NOSSO
a fase adulta. Os adultos são mariposas po. Em observações recentes realizadas doi) e V 6325 (A. helodes).
que medem cerca de seis a sete milíme- em experimentos de campo, verificou-se Relevância no Brasil — Uma das ra-
tros de envergadura, apresentando o cor- que parasitóides da família Braconidae atu- zões de pouco estudo sobre a lagarta-do-
po de coloração cinza-prateado com ma- am como importantes inimigos naturais pescoço-vermelho é a sua pouca impor-
chas amarelo-dourado. Na base da asa, da lagarta-do-pescoço-vermelho. tância econômica em outros países, sen-
nota-se uma grande mancha esbranqui- Já em relação a genótipos resistentes do considerada praga-chave da cultura so-
çada que vai da margem interna à metade a esse inseto, estão sendo realizados tra- mente no Brasil. No germoplasma do
da asa. A longevidade dos adultos varia balhos com espécies silvestres e cultiva- amendoim cultivado (A. hypogaea), al-
entre 6 a 17 dias, período no qual as fê- res de amendoim no Departamento de Fi- guns cultivares são aparentemente menos
meas depositam os ovos de forma isolada tossanidade da Faculdade de Ciências sensíveis às infestações, mas não a ponto
ou em pequenos grupos sobre ou sob as Agrárias e Veterinárias (FCAV/Unesp), em de representar soluções significativas para
brácteas das gemas, durante a noite. O Jaboticabal/SP, onde se verificaram ge- esse inseto. Desse modo, estudos mais
período de incubação dos ovos dura de 2 nótipos com diferentes níveis de resistên- aprofundados em relação aos métodos
a 3 dias, passado o qual ocorre a eclosão cia a essa praga. Dentre 48 genótipos es- convencionais de controle, como, por
das lagartas. O ciclo completo da praga tudados, 13 se destacaram como resis- exemplo, elaboração de inseticidas que ao
se dá em 4 a 6 semanas (veja imagem). tentes, sendo os seguintes: W 421 (Ara- mesmo tempo sejam eficientes na morta-
Métodos de controle — Para o con- chis stenosperma), V 10506 (A. stenos- lidade da praga e seletivos aos seus inimi-
trole da lagarta-do-pescoço-vermelho re- perma), GKP 10017 (A. cardenasii), V gos naturais, tecnologia de aplicação, além
comenda-se um nível de ação quando sua 6351 (A. kuhlmannii), V 15076 (A. ste- de pesquisas sobre cultivares que possu-
densidade populacional atingir uma lagar- nosperma), KG 30006 (A. hoehnei), KG am fatores de resistência a essa praga são
ta em cinco ponteiros de plantas amos- 35005 (A. benensis), V 10309 (A. stenos- imprescindíveis a fim de se inserirem tais
tradas. Entre os inseticidas, aqueles mais perma), SV3712 (A. stenosperma), V táticas em um programa de manejo inte-
utilizados são do grupo dos carbamatos e 8979 (A. kuhlmannii), V 13832 (A. ste- grado de S. bosquella na cultura do amen-
piretróides, sendo também usados orga- nosperma), V 13250 (A. kempff-merca- doim.
nofosforados ou reguladores de cresci-
mento de insetos. Estudos sobre o con- Ciclo biológico da lagarta-do-pescoço-vermelho
trole de S. bosquella mostraram que o
produto imidacloprid + betaciflutrina, na
dosagem entre 56,25 gramas de ingredi-
ente ativo por 100 litros demonstrou me-
lhor controle, embora não tenha muitos
produtos classificados para o controle do
inseto. Tal fato se deve, provavelmente,
devido a seu comportamento caracterís-
tico da lagarta em se alojar no interior de
folíolos jovens ainda fechados, o que di-
ficulta a penetração do inseticida.
Quando usados inseticidas de forma
excessiva no amendoim, torna-se neces-
sária a redução, uma vez que essas pulve-
rizações podem aumentar o custo da pro-
dução, causar efeitos adversos ao agroe-
cossistema, deixar resíduos nos alimen-
tos, selecionar populações do inseto re-
sistentes aos princípios ativos dos produ-
tos químicos, além de causar mortalidade
dos inimigos naturais que atuam no con-
trole biológico natural dessa praga no cam-

A GRANJA | 45