Você está na página 1de 2

A PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A partir do século XVIII, a ciência ingressou em um constante processo de


evolução, essa desencadeou uma série de novas tecnologias que
transformaram de forma rápida a vida do homem, sobretudo, no modo de
produzir mercadorias, que nesse caso serviu principalmente o setor
industrial acelerando assim o desenvolvimento do sistema capitalista.

Essa acelerada transformação no setor produtivo industrial é denominada


historicamente como Revolução Industrial. Para obter uma abordagem mais
sistemática podemos destacar três momentos desse processo: Primeira
Revolução Industrial, Segunda Revolução Industrial e Terceira Revolução
Industrial.

A Primeira Revolução Industrial ocorreu na Inglaterra no final do século


XVIII início do século XIX, logo mais outros países como França, Bélgica,
Holanda, Rússia, Alemanha e Estados Unidos ingressaram nesse novo
modelo de produção industrial.

Essa revolução ficou caracterizada por duas importantes invenções que


propunham uma reviravolta no setor produtivo e de transportes, a ciência
descobriu a utilidade do carvão como meio de fonte de energia e a partir
daí desenvolveram simultaneamente a máquina a vapor e a locomotiva.
Ambos foram determinantes para dinamizar o transporte de matéria-prima,
pessoas e distribuição de mercadorias, em suma dando um novo panorama
aos meios de se locomover e produzir.

Um dos primeiros ramos industriais a usufruir a nova tecnologia da


máquina a vapor foi a produção têxtil que antes da revolução era
desenvolvida de forma artesanal.

A utilização de máquinas nas indústrias, que desempenhavam grande força


e agilidade movida à energia do carvão, proporcionou uma produtividade
extremamente dinâmica, com isso a indústria se tornou uma alternativa de
trabalho, nesse momento milhares de pessoas deixaram o campo em
direção às cidades.

O acelerado êxodo rural provocou expressivo crescimento dos centros


urbanos em grande parte das nações européias que integravam a revolução.
Algumas cidades da Europa aumentaram três vezes o número de sua
população em meio século.
A partir desse crescimento populacional os centros urbanos ficaram
saturados, modificando de maneira drástica a configuração da paisagem
urbana, as cidades não absorveram o fluxo de pessoas de forma
planejada, com isso surgiram bairros marginalizados compostos por
trabalhadores pobres.

A Mecanização a Vapor

A primeira revolução industrial se caracterizou pelo avanço da


mecanização, ainda que a divisão de trabalho tenha um papel de suma
importância. Significa dizer que não se trata de dividir o trabalho até a
mecanização, mas sim de substituir métodos artesanais por mecanizados,
concomitantemente ao desenvolvimento dos mesmos: a divisão do trabalho
passa a ser determinada pela própria mecanização. Com a mecanização a
vapor, os empresários intensificavam seus ganhos de produtividade em
relação a produção artesanal, que era possível negligenciar a organização
do trabalho.

Na primeira revolução industrial os avanços, em sua maioria, originaram-se


de descobertas e melhoramentos empíricos desenvolvidos por mecânicos,
muitos deles empresários, com o objetivo de solucionar problemas
específicos, além de buscar vantagens competitivas exclusivas:

A evolução da tecnologia ocorre interativamente com a dinâmica


competitiva das empresas, determinando a evolução da mecanização e da
própria economia.