Você está na página 1de 21

Faculdade de Engenharias

Departamento de Engenharia Civil

Nível: 03

Docente:
Sidónia Meri Carolina Elija Arqto. Yurten Euler Dinis
1.0.Introdução
O presente trabalho de pesquisa tem como tema ALDEIAS COMUNAIS, com
finalidade de avaliação na respetiva cadeira de Planeamento e ordenamento
territorial.

A República de Moçambique definiu como preocupação fundamental do seu


desenvolvimento a planificação socialista da sua economia. Uma das bases
essenciais para essa planificação é o conhecimento exato da sua população,
não apenas no que diz respeito à dinâmica de crescimento, mas também à
distribuição territorial e às relações de produção existentes.
1.2.Objectivo Geral
 Estudar o surgimento de aldeias comunais em Moçambique.

1.3.Objectivos Específicos
 Estudar a génese e evolução do sistema de aldeias comunais em Moçambique;
 Entender o sistema de povoamento das aldeias comunais nas províncias
Moçambicanas;
Compreender a organização do espaço produtivo das aldeias comunais em
Moçambique
1.4.Metodologia

Para sustentar as análises efetuadas ao longo do texto, recorri à pesquisa


bibliográfica sobre o assunto, tanto de autores moçambicanos como de
estrangeiros. Foram consultados livros, artigos, teses e relatórios que
abordaram a realidade do país durante a última fase da presença colonial
portuguesa em Moçambique.
II.REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
2.0 ALDEIAS COMUNAIS

Aldeia (vem da língua árabe ad-Dai'hâ), é toda a povoação, normalmente


rural, com poucos habitantes, isto é, um aglomerado populacional de categoria
inferior à vila, podendo dispor de autonomia administrativa e de economia de
subsistência
Comunal-terreno comunitário, terreno
pertencente ao povo, terreno comunal

Figura 1. Ilustração de uma Aldeia (fonte: Adaptado)


2.2.Distribuição da População Rural Anterior à
Independência

A distribuição da população rural moçambicana era


caracterizada de uma forma de povoamento disperso e muito
irregular porque esta tinha uma estreita relação com a forma e
distribuição da ocupação e posse da terra. (ARAUJO, 1989)
Bases Para a Transformação do
Povoamento Rural

 Com a Independência Nacional, uma das primeiras medidas tomadas pelo


Governo foi a nacionalização da terra. (SAMBO, 2008)
 As aldeias Comunais surgem como uma forma de organização da actividade
económica rural.
 A concentração de população rural em Aldeias de produção colectiva foi iniciada
durante a Luta de Libertação Nacional nas zonas libertadas.
2.4.O Nascimento das aldeias

Por detrás de muitas aldeias existentes há toda uma história


desconhecida de dedicação, por vezes individual (um administrador do
distrito, um comissário político) á causa do Partido.

Outras aldeias nasceram em virtude de calamidades naturais. (O


PRESENTE E O FUTURO, 1977)
2.5.A Formação das Aldeias Comunais

Por vezes, as aldeias surgiam afastadas


dos principais eixos de comunicação, dos
terrenos mais férteis e de outros centros
populacionais. (ARAUJO, 1989)
CONT…

Quanto ao processo de formação das Aldeias Comunais, podem-se


distinguir diversas situações agrupadas em 4 tipos: Aldeias
formadas a partir da produção coletiva, Aldeias Comunais como
consequência de calamidades naturais, Aldeias Comunais
resultantes de antigos
“Aldeamentos” e Aldeias de “regressados
2.6.Evolução da população vivendo em aldeias comunais por
província

A socialização do campo, materializada nas aldeias comunais e nas formas


coletivas de produção, foia forma encontrada pelo governo da FRELIMO
para a organização do espaço residencial e produtivo que respondesse aos
interesses do partido e do governo.
2.7.Origem da formação das aldeias comunais por província em 1982

Os dados da tabela 1 demonstram que apenas três províncias concentravam


perto de 90% das aldeias comunais registradas no país em 1978. A maior
concentração de aldeias comunais na província de Cabo Delgado pode ser
explicada por ser lá onde começaram a surgir as primeiras zonas libertadas.
2.8.Alguns Problemas e Perspetivas de Solução

O surgimento dum povoado rural concentrado, com as características daquele


que estava a expandir-se por todo território de população essencialmente
dispersa, além do impacto que estaza a ter na distribuição da população rural e
dos problemas daí decorrentes, também estava a influenciar diversos aspetos da
organização socioeconómica, surgindo novas situações que nem sempre eram
de fácil solução. (ARAUJO, 1989)
Problemas Perspetiva de Solução
Alguns Problemas Perspetivas de Solução

 à localização geográfica das Aldeias;


 Não existia os quadros necessários para
grandes tarefas;
 A relação da população agrupada nas aldeias e os
recursos naturais
disponíveis;
Perspectivas de Solução
 A localização geográfica das Aldeias;
 Não existia os quadros necessários para grandes tarefas;
 A relação da população agrupada nas aldeias e os recursos naturais
disponíveis;
 “As Aldeias Comunais deverão ser implantadas ou reimplantadas com base
produtiva. A organização espacial do povoamento será portanto uma
consequência desses factores”
 “A execucao de um programa de desenvolvimento da Aldeia Comunal nao
devera ser feita sem que
2.9.Génese e evolução do sistema de aldeias comunais

Durante a luta de libertação nacional em moçambique, a FRELIMO, sentiu a


necessidade de criar uma nova forma de organização territorial da população que
respondesse as necessidades da produção e de guerra. Esta organização
assentava uma produção coletiva e na concentração da população em aldeias,
face das ações básicas do exército colonial e que a prevenção e o agrupamento de
indivíduos tendo os mesmos interesses a defender. (ARAUJO, apud GEORGE,
1967)
2.10.O Fracasso das Aldeias Comunais
1. A fuga dos colonos.
2. A incapacidade de imaginar estratégias económicas eficazes e
adaptadas a estrutura social do pais.
3. As ações de desestabilização levadas a cabo pela Rodeia do
Sul e Africa do Sul.
4. A sucessão de períodos de graves inundações e secas sobretudo
entre os anos 1978 e anos 1980.
5. A degradação dos termos de troca no comercio Norte‐Sul.
6. A dependência em relação aos apoios externos para financiar o
projeto de desenvolvimento.
3.0.Conclusão

Com o presente trabalho pude concluir que o Governo adoptou um projecto


“socialista” que se traduzia pela implementação de uma estratégia de
desenvolvimento baseada num sistema de planificação centralizada, cujo actor
principal seria o Estado.
Governo, que se considerava como sendo o “guia do povo moçambicano” atribuiu‐se
como uma das suas principais tarefas “organizar” o povo para acabar com a fome e a
miséria.
A criação de Aldeias Comunais, a negação das autoridades tradicionais, da religião,
da poligamia, do alcoolismo, dos ritos de iniciação
4.0.Referencias Bibliográficas
ALMEIDA S, ANTÓNIO, M. Política agrária e desenvolvimento econômico na República

Popular de Moçambique, Tese de Doutorado. Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade Técnica de
Lisboa. Lisboa, 1991.

ARAÚJO, M.G.M, O sistema das aldeias comunais em Moçambique: transformações na organização do espaço
residencial e produtivo, Tese de doutorado. Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa. Lisboa, 1989.

CASAL, A. Y. Antropologia e Desenvolvimento: As Aldeias Comunais de Moçambique. Ministério da Ciência e da


Tecnologia, Instituto de Investigação Científica Tropical, Lisboa, 1996.

GASPERINE, L, Moçambique: Educação e Desenvolvimento rural, Iscos 8 Coleção do Instituto dos sindicatos
para a cooperação com os países em vias de desenvolvimento, Edizioni Lavoro Roma via Boncompagni 19,
Viterbo, 1989

O PRESENTE E O FUTURO, Aldeias Comunais, 1977

SAMBO, B. Estratégias de Desenvolvimento Rural: Sucessos e Retrocessos. 2008


MUITO OBRIGADA