Você está na página 1de 3

Aspectos administrativos comuns as organizações

A) Quanto aos objetivos: as organizações visam a realização de tarefas sociais,


não vivem para si mesmas, a sobrevivência não é o objetivo de uma
organização, o objetivo é externo e sempre uma contribuição para o indivíduo e
a sociedade.
B) Quanto a administração: as organizações têm objetivos diferentes, mas no
geral são semelhantes na parte administrativa. Exigem reuniões de pessoas
que devem atuar juntas para realizar determinado objetivo. Tem se um
problema de equilibrar os objetivos da instituição com a flexibilidade e de
liberdade individual.
C) Quanto ao desempenho individual: é a eficácia do pessoal que trabalha
dentro da organização e é aonde há menor diferença entre as organizações.
Os indivíduos é que planejam e agem, pois, as organizações por si só nada
fazem, a organização atua a medida que os administradores agem e é precisa
o máximo de pessoas eficientes para a organização funcionar.
Diferenças entre eficiência e eficácia
A eficiência procura dar atenção aos meios, fazer as coisas corretamente cumprindo
tarefas e obrigações (mesmo que não se alcance um determinado resultado) exemplo:
jogar futebol por com arte (independente de ganhar a partida). Já a eficácia da ênfase
nos resultados, fazer as coisas certas para alcançar objetivos obtendo resultados
esperados, exemplo: ganhar a partida de futebol (independente de jogar com arte).

Centralização versus descentralização


Elas referem-se ao nível hierárquico na qual as decisões são tomadas. Centralização
significa que as decisões estão a cargo do topo da organização, já a descentralização
as decisões são deslocadas para níveis mais baixos.
1) Centralização: o indivíduo no mais alto cargo possui a mais alta autoridade que os
demais, conforme os cargos tende a descer para níveis inferiores a autoridade deles
desce.
Vantagens:
1) As decisões são tomadas por aqueles que tem visão geral da empresa.
2) Os que estão em níveis mais altos são mais bem treinados para tomadas
de decisões.
3) As decisões são mais consistentes com os objetivos empresariais globais.
4) Elimina esforços duplicados de vários tomadores de decisões reduzindo
custos operacionais.
5) Funções como compras e tesouraria permitem maior especialização.
Desvantagens:
1) As decisões são tomadas na cúpula que está distante dos fatos e das
circunstâncias
2) Os tomadores de decisões têm pouco contato com as pessoas que estão no
meio das situações do dia a dia
3) A comunicação ao longo da cadeia escalar provoca demora e maior custo
operacional
4) As decisões passam pela cadeia escalar, envolvendo pessoas intermediarias e
podendo provocar distorções nas informações e erros pessoais no processo de
comunicação das decisões.
2) Descentralização: faz com que as decisões ocorram em níveis mais baixos da
organização. A autoridade para tomar ou iniciar uma ação deve ser delegada tão
próxima da cena possível. Há quatro elementos que contribuem para a
descentralização:
Complexidade dos problemas organizacionais: com avanço tecnológico,
inovações, intensificação da comunicação e diversificação das linhas de produção
requerem rapidez nas decisões, o que se torna impossível se a autoridade for
centralizada.
Delegação de autoridade: para não atrofiar o crescimento e a sobrevivência com
sobrecarga de trabalho e estagnação, a delegação de autoridade parece ser a
resposta correta para o esforço total da organização.
Mudança e incerteza: quanto maior necessidade de mudança e inovação maior
necessidade de descentralização.
Em tempos de estabilidade: para os neoclássicos é preferível a descentralização em
épocas de certezas e previsibilidade. Essa visão é criticada e hoje a descentralização
ocorre em épocas de mudanças e emergências.
Vantagens:
1) Os gerentes ficam mais próximos do ponto onde se devem tomar decisões.
2) Aumenta a eficiência e a motivação, aproveitando melhor o tempo e a aptidão
dos funcionários.
3) Melhora a qualidade das decisões a medida em que seu volume e
complexidade reduzem.
4) Reduz a quantidade de papelório do pessoal dos escritórios centrais e os
gastos respectivos
5) Devido a maior autonomia na tomada de decisões os gastos de coordenação
podem ser reduzidos
6) Permite a formação de executivos locais ou regionais mais motivados e
conscientes dos seus resultados operacionais
7) Decisões são tomadas mais rapidamente pelos próprios executores da ação
8) Tomadores de decisão tem mais informação sobre a situação
9) Maior participação de administradores médios promovendo motivação e moral
elevado
10) Os administradores médios ganham excelente treinamento com as situações

Desvantagens:
1) A descentralização provoca falta de uniformidade nas decisões
2) Insuficiente aproveitamento dos especialistas como os de staff, a tendência é
não ser mais necessária a assessoria da matriz
3) Falta de equipe apropriada no campo de atividades, deve-se promover um
treinamento para os trabalhadores que tomaram decisões
4) Pode ocorrer falta de informação e coordenação entre os departamentos
envolvidos
5) Maior custo pela exigência de melhor seleção e treinamento dos
administradores médios.
6) Risco de subjetivação os administradores podem defender mais os objetivos
departamentais que os empresariais
7) As politicas e procedimentos podem variar enormemente nos diversos
departamentos.

Você também pode gostar