Você está na página 1de 36

Sociedade e Estado em Hobbes

Prof. Amanda Mafra


Sociedade Política e Poder
Integrantes
● Discentes:

○ Carla Martins de Castro;


○ Higor Rodrigues Silva Costa;
○ Mariana Lara de Oliveira;
○ Pedro Henrique da Costa;
○ Susana Maria Oliveira Costa.
Introdução

● Ainda que Hobbes seja constantemente apresentado como o


principal defensor de um estado totalitário, existem algumas
diferenças entre um estado totalitário e o estado hobbesiano,
entre elas:
● Em Hobbes, o governo é fundado em um contrato. Já no
totalitarismo, o poder geralmente é obtido e mantido através de
violentos golpes com a participação decisiva das forças
militares.
Introdução
● No estado hobbesiano, há igualdade perante a lei (ricos não
têm privilégios frente aos pobres). Estados totalitários são
conhecidos por limitarem a liberdade a quase nada e tentaram
dirigir todos os aspectos da vida das pessoas;

● Em Hobbes, o estado existe com o objetivo de garantir a paz.


Estados totalitários incentivam e praticam guerras
expansionistas contra seus vizinhos ou defendem que a guerra
faz parte do jogo político e da natureza das coisas;
Introdução

● Assim, embora o estado defendido por Hobbes não seja


totalitário, certamente é autoritário, afastando-se, nesse
aspecto, das democracias modernas;

● O direito à preservação da vida é a base que fundamenta o


estado hobbesiano.
Biografia

Imagem 1:Filósofo Hobbes


Fonte:https://www.ebiografia.c
om/thomas_hobbes/
Biografia
● Thomas Hobbes nasceu em Westport, Inglaterra, no dia 5 de
abril de 1588;
● Infância marcada pelo medo da invasão da Inglaterra pelos
espanhóis;
● Filósofo, matemático e um dos principais teóricos da política
moderna;
● Principal obra: Leviatã;
● Thomas Hobbes faleceu em Wiltshire, Inglaterra, no dia 4 de
dezembro de 1679.
Principais ideias

● A vida em sociedade é fruto de um pacto social;

● A condição natural da humanidade é um condição de guerra;

● A construção da paz conta com o auxílio de duas faculdades


humanas: a paixão e a razão.
Pensamento Político
● Hobbes é defensor do absolutismo, e sua justificativa para essa
forma de governo é estritamente racional, livre de qualquer tipo
de religiosidade e sentimentalismo;

● Teoria que fundamenta a necessidade de um Estado Soberano


para manter a paz civil;

● Hobbes se aproxima de Maquiavel e do seu empirismo radical,


a partir de um método de pensar rigorosamente dedutivo.
Objetivos e Método da Filosofia
Política de Hobbes
● Para Hobbes, a filosofia não deve se limitar ao estudo dos
livros de pensadores ilustres do passado, mas deve ter uma
finalidade prática;

● A filosofia política é o conhecimento que fornece os


fundamentos da moral e da política deduzidos a partir de uns
poucos princípios;

● O homem é um animal político, é constituído de tal maneira


que é feito para viver em sociedade com outros homens, isso é
algo que faz parte da sua essência;
Objetivos e Método da Filosofia
Política de Hobbes
● O ponto de partida de Hobbes para a análise das razões para a
existência do Estado é o estado de natureza, um estado
não-político no qual os homens teriam vivido antes da
constituição do Estado;
○ Entre o estado de natureza e o estado político há uma
relação de contraposição, o estado político surge como
antítese ao estado de natureza;
● No modelo clássico, o ponto de partida da análise é a família,
considerada como sendo a sociedade natural originária;
○ Estado é um complemento do homem natural;
Objetivos e Método da Filosofia
Política de Hobbes
● O estado de natureza é um estado cujos elementos constitutivos
são, principalmente, os indivíduos singulares não-associados, livres
e iguais;
● No modelo clássico, o estado natural originário é um Estado no qual
os indivíduos vivem reunidos em grupos organizados, este não é um
estado de liberdade e igualdade, mas um estado no qual as relações
fundamentais são as que existem no interior de uma sociedade
hierárquica como a família, isto é, relações entre superior e inferior;
Objetivos e Método da Filosofia
Política de Hobbes
● A passagem do estado de natureza ao estado civil ocorre através de
atos voluntários e deliberados dos indivíduos interessados em sair
do estado de natureza;
○ O princípio de legitimação da sociedade política é baseada no
consenso;
● No modelo clássico, a passagem do estado pré-político para o
Estado, ocorre por um processo natural de evolução das sociedades
menores para a sociedade maior;
○ O princípio de legitimação da sociedade política acontece através
da força natural das coisas;
Características do estado de
natureza

● As duas principais características do estado de natureza são


liberdade e igualdade;

● O principal fator que caracteriza o estado de natureza é a


completa ausência de um poder comum aceito por todos os
homens;

● Estabelecer, promulgar e fazer cumprir as leis são funções


exclusivas do Estado;
Características do estado de
natureza
● São as leis que determinam o que é justo ou injusto, bom ou
mau;

● A justiça e a injustiça não são propriedades naturais das coisas


ou dos atos, mas são criadas pela lei;

● Não há propriedade, distinção entre o que é meu e o que é


seu;

● Os homens vivem sem outra segurança além da que pode ser


oferecida pela sua própria força e criatividade;
Características do estado de
natureza
● Como seria a vida se não houvesse governo?
○ vida muito agradável;
○ não haveria opressão;
○ decidir por si só o que é bom e ruim para ela, o que ela
pode fazer e não fazer, o que ela precisa, etc.;
○ em uma situação de igualdade e liberdade, criarão um
estado permanente de insegurança e de conflito que
envolverá a todos;
O estado de natureza é de guerra
mútua
● Afirma que os homens são iguais em capacidade física e
mental;

● Diferença não tão grande;

● Quão fácil é ao mais fraco, pela força ou pelo espírito, ou por


ambos, destruir inteiramente o poder do mais forte, porque não
é necessária muita força para tirar a vida de um homem;

“A origem de todas as sociedades duradouras é o medo que os


homens nutrem uns pelos outros”.
O estado de natureza é de guerra
mútua
● Em segundo lugar, uma desvantagem em alguma capacidade
sempre pode ser compensada de alguma maneira;

● Qualquer defeito, inferioridade ou fraqueza de uma capacidade


física ou mental pode ser compensada pela existência ou pelo
uso inteligente de outras capacidades;

● Ninguém é tão forte que não deva temer os outros nem tão
fraco que não possa constituir perigo para alguém;
O estado de natureza é de guerra
mútua
● A equivalência de forças e ausência de superioridade clara
entre os homens não é benéfica;

● Implica que um homem tem a mesma razão para reivindicar


para si um benefício;

● Entrar em conflito quando desejarem a mesma coisa;


O estado de natureza é de guerra
mútua
● Mesmo se as coisas estivessem divididas igualmente entre
todos e fossem suficientes para todos viverem bem, os homens
não estariam satisfeitos;

● Existem dois tipos de pessoas:


○ As pessoas moderadas são as que se contentam em
possuir meramente o necessário para a sua sobrevivência;
○ Gananciosas não se satisfazem com o que já têm, elas
desejam mais do que o necessário para a sua
sobrevivência ou segurança;
O estado de natureza é de guerra
mútua
● As pessoas que se contentam em viver de forma modesta sem
desejar expandir suas propriedades por meio de conquistas
terão de se defender dos ataques dos gananciosos;

● O resultado é que, seja por ganância, seja pela necessidade de


se defender dos agressores, as pessoas vão terminar
atacando-se umas às outras.

● Seja para atacar, seja para apenas se defender, as pessoas


precisam de poder;
Principal obra: Leviatã
● Obra muito importante do ponto de vista da Teoria Política e do
Direito;

● Livro escrito num período de intensa agitação política, durante


a Guerra Civil Inglesa ( 1642 - 1649 ) e publicou o mesmo
durante o ano de 1651;

● Hobbes analisou nesta obra, a essência e a natureza do


Estado Civil, ao qual, em razão de seu poder e de sua força,
comparou ao monstro marinho citado na bíblia, cruel e
invencível, que simboliza para o autor, o poder do estado
absoluto, tanto que o denominou de “grande Leviatã”.
Principal obra: Leviatã
● Para Hobbes, o Leviatã é um homem artificial , de maior
estatura e força do que o homem natural;

● Esse homem artificial foi criado para proteção e defesa dos


homens naturais;

● O Estado seria esse homem artificial : o Leviatã, que


concentraria todo o poder em torno de si e ordenaria todas as
decisões da sociedade;
Imagem 2:Recorte da capa da obra
Fonte:https://leviata.wordpress.com/imagens-do-pos-leviata/
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● Para Hobbes, o Estado surgiu através de um Contrato Social,
ou seja, a sua origem é legal e jurídica e não está ligada à
virtude, como Aristóteles defendia.

Imagem 2:Contrato social


Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=ys15oUTex58
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado

Imagem 3: Hobbes x Aristóteles


Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=ys15oUTex58
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● Para fundamentar isso, ele parte da ideia de um Estado de
Natureza. No capítulo 13 do livro, ele diz que nesse estado
hipotético, os homens eram iguais por natureza, e havia uma
‘Guerra de todos contra todos’;

● Enquanto não houvesse uma lei comum, cada um teria direito a


tudo. Mas porque todos tinham direito a tudo, esses direitos
entravam necessariamente em conflito;

● Consequência: os homens se percebiam a viver em um Estado


de guerra, no qual nem se quer o menor direito era garantido.
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● Portanto há três causas principais de divisão entre os homens:

○ Desconfiança: Leva os homens a usar da violência para


atacar uns aos outros por lucro;

○ Discórdia: Leva os homens a usar da violência para atacar


uns aos outros para manter segurança;

○ Glória : Leva os homens a usar da violência para atacar uns


aos outros por ninharias (coisas pequenas, insignificantes).
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● Como resultado do medo e do horror ao caos, as pessoas
foram levadas a forma de governo para serem protegidas umas
das outras. O que difere da noção de Estado de Nicolau
Maquiável:

Imagem 4: Hobbes x Maquiável


Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=ys15oUTex58
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● Por causa da liberdade, que para Hobbes significa ausência de
impedimentos externos, e dado que todos os homens não
percebem a diferença entre o bem comum o bem particular,
gerando uma instabilidade na paz e na segurança vem, a existir
um Contrato social:

Imagem 5: Surgimento do Contrato Social


Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=ys15oUTex58
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● No capítulo 17 do livro, ele diz que nesse contrato, há uma
transferência da realização da própria segurança para outro. E
esse outro, exerce essa função por todos;

Imagem 6: Contrato Social


Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=ys15oUTex58
Principal obra: Leviatã -
Surgimento do Estado
● “Realizada por um pacto de cada homem com todos os
homens, de um modo que é como se cada homem dissesse a
cada homem: Cedo e transfiro meu direito de governar-me a
mim mesmo a este homem, ou a esta assembléia de homens,
com a condição de transferires a ele teu direito, autorizando de
maneira semelhante todas as suas ações. Feito isto, à multidão
assim unida numa só pessoa, se chama Estado, em latim
civitas.”
Conclusão
● Através do trabalho podemos perceber que Thomas Hobbes
deixou claro sua visão política, de defensor do absolutismo.

● O pensamento político de Hobbes representa uma radical


mudança de paradigma nas ideias políticas.

● Hobbes é diferente dos demais, pois a sua explicação para o


estado é diferente, uma vez que ele parte do Estado Natural
dos homens para justificar a necessidade e a importância do
estado.
Referências
AFONSO, L. et. al. O PENSAMENTO POLÍTICO DE THOMAS
HOBBES. Disponível em: https://slideplayer.com.br/slide/295777/.
Acesso: Dez. 2020.

BOBBIO, N; BOVERO, M. SOCIEDADE E ESTADO NA FILOSOFIA


POLÍTICA MODERNA. Disponível em: https://saudeglobaldotorg1.files.
wordpress.com/2013/08/bobbio-norberto_-bovero-michelangelo-socieda
de-e-estado-na-filosofia-polc3adtica-moderna.pdf. Acesso: Dez. 2020.
BREIER, V. M. A FUNÇÃO DO ESTADO EM HOBBES. Disponível em:
https://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/3456/1/000402094-T
exto%2bCompleto-0.pdf. Acesso: Dez. 2020.

HOBBES, T. LEVIATÃ. Tradução: João Paulo Monteiro e Maria


Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
Referências
FRAZÃO, D. THOMAS HOBBES: filósofo e teórico político inglês.
Filósofo e teórico político inglês. 2019. Disponível em:
https://www.ebiografia.com/thomas_hobbes/. Acesso em: Dez. 2020.

MARTINS, J. B. et. al. HOBBES E LEVIATÃ - ESTADO


ABSOLUTISTA. Disponível em:
https://pt.slideshare.net/nathaliacamargo33/hobbes-
completo-tge. Acesso: Dez. 2020.

SUPERLEITURAS. Por que o Governo te controla ? | Thomas


Hobbes | Filosofia | O Leviatã. 2020. (06m04s). Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=ys15oUTex58>. Acesso em:
Dez. 2020.

Você também pode gostar