Você está na página 1de 5

Os Conceitos de Manas (Mente) conforme a Antiga Literatura Médica Indiana

Prashant Bhaskarrao Thorat *


Ashlesha Manohar Khopade **
Prakash S. Thated ***

RESUMO

Ayurveda é uma “ciência da vida e longevidade”, um sistema tradicional de medicina da


Índia que considera a mente é um dos três pilares (tristhuna) dos quais a vida depende. O
conceito de mente (manas prakriti) é amplo e esclarecedor. Mente, (mana) a faculdade
mental que faz do homem um ser inteligente e moral, e o distingue do mero animal; um
sinônimo de Mahat. A antiga ciência do Ayurveda oferece uma abordagem holística à saúde
mental que integra a mente, o corpo e a alma. O conceito de saúde no ayurveda engloba
não apenas os aspectos físicos e mentais, mas também o espiritual, que falta no discurso
psicológico moderno. O objetivo ayurvédico para a mente é alcançar a paz mental
(samadhi) e a liberação das armadilhas do apego por meio da discriminação (moksha,
vairagya, viveka), conforme mencionado na literatura iogue, que é considerado o objetivo
final da vida. O Ayurveda não considera o ser humano um conjunto limitado de processos
bioquímicos. Não considera a mente apenas uma função do cérebro. Foi feita uma tentativa
de enfocar vários aspectos como conceito de atma, evolução e constituintes do homem,
localização de manas, dimensão e qualidades de manas.

INTRODUÇÃO

A ciência do Ayurveda - um ramo da filosofia médica indiana é fundada nos valores e


princípios lúcidos da fisiologia, psicologia, patologia, farmacologia e diagnósticos que foram
generalizados na firme doutrina da lógica. A palavra Ayurveda composta de duas palavras
sânscritas Ayu e Veda significando Vida e Conhecimento, respectivamente.
Produtivamente, significa apenas que é uma ciência da vida e da longevidade. De acordo
com o Ayurveda, a saúde é um excelente estado de equilíbrio entre corpo, mente e alma
por meio do qual o indivíduo pode cumprir seu papel na vida. É uma ciência da civilização e
cultura antigas que postula o homem como parte do meio ambiente e do microcosmo do
universo. Os antigos rishis da Índia que desenvolveram a Ciência da vida (Ayur-veda)
organizaram sua sabedoria em três níveis de corpos, viz. corpo físico, mental e corpo
espiritual. De acordo com seus escritos, nunca houve um tempo em que o Ayurveda não
estivesse presente neste universo de uma forma ou de outra. Pode não em uma forma
tangível como livros e clínicas ativas, mas presente na consciência coletiva deste universo
como princípios eternos de unidade entre todas as coisas do universo, de unidade entre o
homem e a natureza e assim por diante. Ele vê o corpo físico como uma cristalização de
tendências mentais profundamente arraigadas, transportadas de vidas preciosas.

O conceito de mana:

Sharirendriyasatvaatmasanyog dhari jivitam

. Significa que mana (mente), atma (alma) e sharir (corpo) juntos levam a uma vida
saudável de um indivíduo. Pensar mais em como atma (alma) entra no corpo. Aqui, eles
explicam que o atma, junto com os evolutos ativos da natureza (mahabutas), ou seja, terra
(prithvi), água (aapa), fogo (teja), ar (vayu), tudo isso nas formas minúsculas entram no
zigoto. Como é manojivam, isto é, ter a velocidade de mana que é mais do que a velocidade
da luz ou mais do que qualquer coisa que perceba. De acordo com os sábios, o atma entra
nos corpos de pessoas diferentes embora seja singular; isso só é possível por causa de sua
natureza vyapak, ou seja, universal. Ele deixa o corpo morto e entra no corpo recém-
formado. Não é visível para um indivíduo normal, mas requer uma visão do iogue, ou seja,
divyachakshu.

O corpo humano e manas são inseparáveis durante a vida do indivíduo e não é possível
dizer isso quando entra no corpo porque sua relação é desde o início do universo, ou seja,
manas já está presente no óvulo fertilizado.

Ayurveda define saúde ou arogya como sensação de bem estar “Sukh Sangyakam
Arogyam” e mais saúde declarada como -

Samadhosha samagnischa samadhatuhu malaha kriyaa |

Prasannatmendriya manaha svastha iti abhidhiyate ||

Su.Su 15/48 A

primeira parte deste versículo trata dos aspectos anatômicos e fisiológicos do corpo e a
segunda parte trata do atma (alma), indriyas (órgãos dos sentidos) e manas (mente).
Quando todos esses três são sinônimo de prasanna de felicidade, isso é chamado de saúde
total. Indriyas são derivados em três categorias: Dnyanendriyas, ou seja, lidam com os
sentidos, Karmendriyas, ou seja, funções, e Ubhayendriya, ou seja, ambos os sentidos e
funções. Manas é pensado para ser Ubhayendriya, que percebe os sinais e os retransmite
para budhi e mais buddhi guia Karmendriya para agir de acordo. Considera a mente como o
reflexo do corpo e o depósito das impressões que acessamos por meio dos sentidos.

Manas gunas (Qualidade da mente):

Natureza é Divie Mãe em manifestação e o universo é seu jogo de consciência. Ela fornece
não apenas para o crescimento e expansão material que se move para fora, mas também
apóia nosso crescimento e desenvolvimento espiritual, que se move para dentro. A natureza
possui uma energia qualitativa por meio da qual podemos nos expandir para a sabedoria ou
nos contrair para a ignorância.

O Ayurveda fornece uma linguagem especial para a compreensão das forças primordiais da
natureza e nos mostra como trabalhar com elas em todos os níveis. De acordo com ela, a
natureza consiste em três qualidades primordiais, que são os principais poderes de nosso
crescimento espiritual, ou seja, gunas que se mantêm em cativeiro com o mundo externo.
São eles:

1. Satwa - Qualidade de inteligência, virtude e bondade que cria equilíbrio e estabilidade. É


leve e luminoso por natureza. Ele fornece felicidade e contentamento de natureza
duradoura. É o princípio de clareza, amplitude, paz e força do amor que une todas as
coisas.

2. Rajas - Qualidade da mudança, atividade e turbulência. Rajas é motivado em sua ação,


sempre buscando um objetivo ou um fim que lhe dê poder. É estimulante e proporciona
prazer, devido à sua natureza desequilibrada resulta rapidamente em dor e sofrimento. É a
força da paixão que causa angústia e conflito.

3. Tamas - Qualidade de embotamento e escuridão e é pesado, obstruindo em sua ação.


Funciona como a força da gravidade que retarda as coisas e as mantém em formas
limitadas específicas. Tamas traz ignorância e ilusão na mente e promove insensibilidade,
sono e perda de consciência.

Esses três gunas são as qualidades mais sutis da natureza que fundamentam a matéria, a
vida e a mente. Eles são as energias por meio das quais não apenas a mente superficial,
mas também nossa consciência mais profunda funciona. Eles são o poder da alma que
mantém os karmas e desejos que os impulsionam de nascimento a nascimento. Todos os
objetos do universo são várias combinações desses três gunas.

Também Charak mencionou gunas de manas como: Anutvamtha chaikatvam dau gunau
manasa smrutau ||

Charak mencionou dois gunas extras de mana - anutvam e ekatvam. Quando mana junto
com indriyartha se combinam, passamos a conhecer apenas um determinado assunto, isso
prova anutvam guna. Todas as criaturas têm apenas um mana e, por vez, recebem
conhecimento.

A terapia dos três gunas O

Ayurveda nos ajuda a mostrar a relação entre as terapias de cura e os gunas. As terapias
sátvicas atuam por meio das qualidades sátvicas de amor, paz e não violência. As terapias
rajásicas atuam por meio das qualidades rajásicas de estimulação, energização e agitação.
As terapias tamásicas atuam por meio das qualidades tamásicas de sedação, sono e
aterramento. A cura sátvica usa a natureza, a força vital e o poder da mente cósmica, por
meio de tratamentos como ervas, dieta vegetariana, mantra e meditação. Ocasionalmente,
o tamas pode ser usado no processo de cura, por exemplo, uma pessoa com histeria, uma
condição de rajas em excesso, pode exigir um forte sedativo, uma terapia tamásica. A
psicologia ayurvédica visa mover a mente de Tamas para Rajas e, eventualmente, para
Sattva. Isso significa passar de uma vida ignorante e fisicamente orientada (Tamas) para
uma vida de vitalidade e auto-expressão (Rajas) e, finalmente, para uma vida de paz e
iluminação (Sattva).

Natureza da mente

Ninguém afirma que o corpo tem três pernas, ou que o estômago pensa e o cérebro digere
os alimentos. A razão para isso é que o corpo é fácil de observar. Ainda assim, podemos
listar facilmente o sistema principal do corpo físico, mas achamos difícil fazer isso para a
mente. A mente aparece como uma entidade amorfa ou sem estrutura, em vez de um
instrumento preciso como o corpo.

Com a compreensão errada da mente, desenvolvemos ideias erradas sobre o mundo e


enfrentamos dificuldades em nossas interações sociais. Todos os problemas psicológicos
nada mais são do que um uso incorreto da mente, que surge da ignorância de como a
mente funciona. o que é mais importante do que qualquer exame de nossos problemas
pessoais ou sociais é nos educar sobre a natureza da mente.

A mente tem uma estrutura material, um conjunto de energias e condições observáveis.


Não é apenas uma pedra ou um órgão do corpo físico, mas sua matéria de natureza sutil,
etérea e luminosa. Como uma entidade orgânica, a mente tem uma estrutura, um ciclo de
nutrição e origem. Diz-se que o corpo é a forma densa da mente. O corpo existe para
permitir que a mente perceba e aja. A mente pode funcionar separada da consciência
corporal, como no sono.

Assunto de mana (Mana vishay):

Chintyam vicharyammuhyam cha dheyam sankalpyameva cha |


Yatkinchinamanaso dneyam tata sarvam hyarthasangyakam ||

Charak mencionou o assunto de manas como chintyam, vicharya, uhyam, dheyam,


sankalpya e outros.
Site de mana:

Parece haver muita diferença na opinião sobre o site de manas. Como manas é
imperceptível pelos sentidos e como é Anu, não tem anatomia própria, esse fato complica
ainda mais as opiniões sobre seu local. Geralmente pensamos que a mente reside na
cabeça ou no coração. A cabeça é considerada o centro da mente externa que atua por
meio dos sentidos e do coração para ser o centro da mente interna.

O levantamento da literatura antiga relevante indica que manas está situado em hriday, shir,
mastulung e alguns estudiosos indicam sua presença em todo o corpo. Hriday definido
como órgão pulsante na cavidade torácica. As referências relevantes podem ser vistas em
granthas como Charak, Shushrut e Vaghbhat. Outros acharyas como Bhel mencionaram
que manas está situado entre shir e talu, isto é, palato junto com indriyas. Apesar disso,
parece haver um acordo sobre 'hriday' como o local de manas.

Cinco elementos de mana:

O mana transcende todos os cinco elementos porque, através da mente, podemos perceber
todos os elementos e suas inter-relações, eles são - prithvi (terra), aapa (água), agni (fogo),
vayu (ar) e akash (éter). A mente que você pode ver está sempre ocupada coordenando o
corpo e os sentidos, reunindo informações, fazendo julgamentos, reagindo emocionalmente
e pensando sem parar. Esses movimentos contínuos ocorrem por causa da conexão da
mente com o elemento ar. Embora a terra e o ar sejam os principais elementos relacionados
à mente, outros elementos também têm seu lugar aqui pela lei de 'vyapdeshastu bhuyasa',
isto é, embora qualquer elemento seja proeminente, outros elementos também
desempenham um papel minucioso nele. O mana tem seu fogo ou qualidade de luz de
perceber coisas e capacidade de compreensão. Possui qualidade aquosa de emoção,
empatia e sentimento. Finalmente, carrega um certo peso de terra, memória e apego.

Funções de mana

Charakacharya descreveu várias funções de manas como Manovyapar.

Atindriyam punarmana satvasangyakam chet ityahureke,


tadarthamasampattadayattachestam chestapratyabhumindriyaanaam ||

Cha.su. 8/4

A presença ou ausência do conhecimento depende do manas. Ele atua como mediador


entre indriyas e atma. O intelecto tem três conjuntos, ou seja, Dhi, Dhruti e Smruti. Destes
três Dhi decide o bom ou mau estado da informação, Dhruti converte ou mantém
armazenado ou documentado, ou seja, conhecimento. E dependendo da experiência
anterior, Smruti recolhe o estado das informações recém-percebidas.

CONCLUSÃO: O

Ayurveda considera a percepção do conhecimento como um processo em cadeia entre


aatma, mana, indriya e objeto. Fora dele, se o mana estiver faltando, a cadeia será
interrompida levando a nenhuma percepção de conhecimento. O Ayurveda não considera o
ser humano um conjunto limitado de processos bioquímicos. Não considera a mente apenas
uma função do cérebro. Não vê o indivíduo como um produto das circunstâncias sociais; o
Ayurveda vê a alma humana como pura consciência, ligada, mas não limitada apenas ao
complexo mente-corpo, que é seu instrumento de manifestação. Ayurveda ensina a
harmonia com a natureza, simplicidade e contentamento como chaves para o bem-estar.
Ele nos conecta com fontes de criatividade e felicidade dentro de nossa própria consciência.

Você também pode gostar