Você está na página 1de 6

MOLDAGEM EM PRÓTESE TOTAL

DEFINIÇÃO:
“Conjunto de atos clínicos que visam obter a impressão da área basal, por meio de materiais próprios e moldeiras
adequadas”
IMPORTÂNCIA:
“Os tecidos moles variam de espessura, resiliência e na sua tolerância à pressão, estando em continua e constante
adaptação e modificação, de acordo com os estímulos a que são submetidos”
TERMINOLOGIA
MOLDAGEM: ato de moldar;
MOLDE: réplica em negativo das estruturas moldadas;
MODELO: réplica em positivo das estruturas moldadas.

TIPOS DE MOLDAGEM EM PRÓTESE TOTAL


PRELIMINAR OU ANATÔMICA
É utilizada para a reprodução estática tanto da área chapeável quanto das estruturas
vizinhas interessadas.
SECUNDÁRIA OU FUNCIONAL
É utilizada para a reprodução da área chapeável e estruturas vizinhas interessadas em
posição dinâmica
REQUISITOS DE UMA MOLDAGEM
-Reprodução integral da área chapeável;
-Reprodução minunciosa de detalhes;
-Alívio de músculos e inserção;
-Ausência de deslocamento de tecidos
-Ausência de bolhas e irregularidades
FINALIDADE DA MOLDAGEM ANATÔMICA
-Obter uma reprodução da anatomia da área basal
-Afastar a mucosa móvel ao máximo, recebendo, ao mesmo tempo, as suas impressões no
estado de tensão
MATERIAIS DE MOLDAGEM :
Anelásticos
 Gesso
 Godiva
Elásticos
 Pasta Zinco-Eugenólica
 Hidrocolóide: Reversível
Irreversível
 Elastômeros:
Mercaptanas
Silicones por Condensação
Poliéteres
Silicones por Adição
Definições Prévias
TEMPO DE ESPATULAÇÃO: tempo que o profissional dispõe para realizar a manipulação do material até a colocação
na moldeira.
TEMPO DE TRABALHO: tempo que o profissional dispõe para realizar a moldagem.
TEMPO DE PRESA: tempo que decorre do início da espatulação até que a polimerização tenha progredido o
suficiente para que o molde possa ser removido da boca sem distorções ou deformações permanentes.

MATERIAIS DE MOLDAGEM - Requisitos


TEMPO DE TRABALHO - máximo de 7 minutos e, nunca inferior a 3 minutos.
GRAU DE PLASTICIDADE - suficiente para permitir escoamento adequado sobre os tecidos.
RESISTÊNCIA À FRATURA - a fim de não se deformarem durante a fase de confecção dos modelos
INOCUIDADE AOS TECIDOS BUCAIS - devem ter baixa toxicidade para minimizar as injúrias aos tecidos.

Materiais de Moldagem para Moldagem Anatômica:


-GODIVA DE ALTA FUSÃO- rebordos e mucosas normais
- HIDROCOLÓIDE IRREVERSÍVEL (ALGINATO)-Rebordos irregulares e retentivos e
fibromucosa flácida.
Moldagem Anatômica:
HIDROCOLÓIDE IRREVERSÍVEL – ALGINATO
Propriedades
Tempo de trabalho: 3 minutos
Tempo de Presa: de 1 a 5 minutos
Estabilidade dimensional: - Sinérese
- Embebição
- Evaporação
Sinérese: exudação de fluido que se deposita na superfície do molde.
Evaporação: perda de água por uma mudança do estado líquido para o gasoso.
Embebição: processo de absorção de água.
Baixa resistência ao rasgamento:remover o molde em golpe único e rápido
Compatibilidade com o gesso: O molde deve ser bem limpo com água fria para remover
saliva e eventual sangue.
Obs: O modelo de gesso, após a presa, não deve ser mantido em contato com o alginato
por períodos de várias horas,para evitar alterações na superfície do modelo.
Proporção água/pó: Proporção 1:1
Manipulação

Vigorosa espatulação e comprimindo o material contra as paredes do gral.


Materiais de Moldagem : Godiva
Possui grande capacidade de afastar a musculatura inserida,portanto maior é a deformação
dos tecidos. São fabricadas em placas(alta fusão) ou bastões (baixa fusão)

São classificadas como materiais anelásticos e termoplásticos.


Vantagens
 Ótimo afastamento dos tecidos moles.
 Possibilita correções.
 Possibilita remoções a todo instante.
 Baixo custo.
Desvantagens
 Compressão desigual;
 Rígido

TÉCNICAS DE MOLDAGEM ANATÔMICA:


I-Moldagem Anatômica - Alginato
Materiais necessários
- lâmpada de Hanau ou similar
- Alginato
- Gral de borracha e espátula
- jogo de moldeiras de estoque superior, perfuradas para desdentados totais.
- espátula Le Cron
- cera utilidade

MAXILA - Posição Paciente - Operador : inicialmente:a frente e à direita e depois atrás


Seleção da moldeira: deve recobrir toda a maxila com folga de 2 a 3 mm.
Introdução da moldeira: Apoio na região posterior
PREPARAR OU INDIVIDUALIZAÇÃO DA MOLDEIRA COM CERA UTILIDADE

-Preparar o alginato dosando pó e água , colocar a água, depois o pó, aglutinar e espatular vigorosamente
-Carregar a moldeira com o alginato
-Introduzir, centralizar e aprofundar a moldeira e aguardar a geleificação do material.

Avaliar o molde: Busca-se uniformidade da impressão, bordas arredondadas marcando regiões de freios e
bridas, centralização.

MANDÍBULA
-Posição Paciente - Operador : a frente e à direita
-Seleção da moldeira: deve recobrir toda a mandíbula com folga de 2 a 3 mm.
-Introdução da moldeira: Apoio na região posterior, recobrindo papila piriforme
-Individualização da moldeira com cera utilidade

-Preparar o alginato e carregar a moldeira


-Introduzir, centralizar e aprofundar a moldeira e aguardar a geleificação do material.
-Remover o molde da boca de forma rápida e de uma única vez.
OBS: depois da moldeira centralizada, pedir ao paciente para elevar a lingua uma vez em direção ao palato para
que o material reproduza melhor o assoalho bucal .

Avaliar o molde: Busca-se uniformidade da impressão, bordas arredondadas marcando regiões de freios e
bridas, centralização.
II-Moldagem Anatômica - GODIVA
Materiais necessários
-lâmpada de Hanau ou similar
- plastificador de godiva
- jogo de moldeiras de estoque superior lisas para desdentados totais
- espátula Le Cron
- placas de godiva de alta fusão
- bastão de godiva de baixa fusão

Seleção da moldeira: deve recobrir toda a maxila e a mandíbula com folga de 2 a 3 mm.
-Manipulação: Plastificar a godiva, homogeneizar e dar a forma adequada para carregara
moldeira, forma circular na maxila e em bastão para a mandíbula
-Introdução, centralização e aprofundamento da moldeira. Tracionar lábios e bochechas.
MAXILA MANDíBULA

Molde Anatômico – Desinfecção


Alginato:
- Lavar com água gessada;
- Borrifar na área do molde (hiploclorito de sódio a 1%);
- Manter por 10 minutos sob ação deste agente;
- Lavar em água corrente; Secar
MODELO
Definição: é a reprodução positiva do molde
Tipos: Modelo anatômico (de estudo, de arquivo)
Modelo funcional (de trabalho)

MODELO ANATÔMICO
Materiais necessários para a confecção:
- gesso pedra
- água
- gral de borracha
- espátula para gesso
- vibrador
- faca para gesso
* GESSO PEDRA- GESSO TIPO III PROPORÇÃO ÁGUA/PÓ
100g pó e 0,45ml de água
TÉCNICA DE CONFECÇÃO
- espatulação do gesso
- preenchimento do molde e confecção de base
- aguarde da presa final e separação
- recorte e acabamento: facas, recortador de gesso,etc.

Referências Figuras: Tarcisio Jose Arruda Paes

Você também pode gostar