Você está na página 1de 2

Disciplina: Direito Administrativo

Professor: Celso Spitzcovsky


Aula: 01 | Data: 04/02/2019

ANOTAÇÃO DE AULA

SUMÁRIO

REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO


1. Noção básica
2. Fundamento
3. Reflexos

REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO

1. Noção básica:
O único objetivo, a única finalidade que a Administração pode buscar quando atua é a preservação dos interesses
da coletividade. Diferente do particular, que atua em nome próprio, preservando seu interesse, a Administração
deve preservar os interesses da coletividade.

Interesse da coletividade é o interesse público primário.


2. Fundamento

Art. 1º da Constituição Federal:


“Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união
indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-
se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: I - a
soberania; II - a cidadania;
III - a dignidade da pessoa humana; IV - os valores sociais do trabalho
e da livre iniciativa; V - o pluralismo político.
Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio
de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta
Constituição”.

A expressão “República” significa res publica, ou seja, coisa pública. Na democracia brasileira, todo o poder emana
do povo. Democracia direta: o povo sem intermediários exerce o poder. Exemplos: Art. 14º, CF: voto, plebiscito,
referendo e iniciativa popular (instrumentos que viabilizam a democracia direta). O papel atribuído ao

SAT EXTENSIVO ESSENCIAL DIURNO


CARREIRAS JURÍDICAS
Damásio Educacional
administrador público é de administrar temporariamente os interesses do titular, que é o povo. Nunca atua em
nome próprio, sempre atua para preservação dos interesses da coletividade.

3. Reflexos:
Toda vez que o administrador se afasta do objetivo único que é a preservação do interesse da coletividade, há
desvio de finalidade, que é espécie de ilegalidade.

O controle de legalidade dos atos da administração pode ser feito pelo Poder Judiciário. Não adentra no mérito
administrativo.

Para a preservação dos interesses da coletividade, o ordenamento jurídico confere à Administração deveres e
prerrogativas que não se estendem aos particulares.

Exemplos de deveres: cumprimento dos requisitos de validade dos atos administrativos (competência, objeto,
forma, finalidade e a motivação), dever de licitar, contratação por meio de concurso público.

 Súmula 684, STF: É inconstitucional o veto não motivado à participação de candidato a concurso público.

Página 2 de 2