Você está na página 1de 4

DEPARTAMENTO DE FÍSICA - UFV

Prova 2 – Física 2 (FIS 202) – 30/05/2017 – 30 pts


Assinatura: Matrícula:
( )T1 Marcos Couto (3ª 10h) ( )T3 Álvaro Vianna (4ª 14h) ( )T4 Luciano Moura (3ª 14h)
( )T5 Antônio Moura (2ª 8h) ( )T6 Ésio Ramos (3ª 8h) ( )T7 Luciano Moura (3ª 18h30)

Resolva as quatro questões abaixo. EXPLIQUE SEU RACIOCÍNIO.


𝑐𝑐 2𝜋𝜋 Δ𝐶𝐶
𝑛𝑛 = 𝜃𝜃𝑎𝑎 = 𝜃𝜃𝑏𝑏 𝑛𝑛𝑎𝑎 𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠 𝜃𝜃𝑎𝑎 = 𝑛𝑛𝑏𝑏 𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠 𝜃𝜃𝑏𝑏 𝜙𝜙 = d sen θ = 𝑚𝑚 𝜆𝜆, 𝑚𝑚 = 0, ±1, ±2, …
𝑣𝑣 𝜆𝜆
2𝜋𝜋𝜋𝜋 𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠 𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠(𝛽𝛽⁄2) 2
𝜆𝜆𝜆𝜆 = 𝑣𝑣 d senθ = �𝑚𝑚 + 12� 𝜆𝜆, 𝑚𝑚 = 0, ±1, ±2, … 𝛽𝛽 = 𝐼𝐼 = 𝐼𝐼𝑜𝑜 � �
𝜆𝜆 𝛽𝛽⁄2
𝑛𝑛𝑎𝑎 −𝑛𝑛𝑏𝑏 2 1 𝑛𝑛𝑏𝑏
𝐸𝐸𝑟𝑟 = 𝐸𝐸𝑖𝑖 𝐼𝐼 = 𝐼𝐼𝑜𝑜 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐 𝜃𝜃 𝐼𝐼 = 𝐼𝐼𝑜𝑜
2
𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠 𝜃𝜃𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐 = ∆𝜙𝜙 = 𝜙𝜙2 − 𝜙𝜙1
𝑛𝑛𝑎𝑎 +𝑛𝑛𝑏𝑏 𝑛𝑛𝑎𝑎
𝐼𝐼 = 12𝑐𝑐𝜖𝜖𝑜𝑜 𝐸𝐸 2 a senθ = 𝑚𝑚 𝜆𝜆, 𝑚𝑚 = ±1, ±2, … 𝑐𝑐 2 = 𝑎𝑎 + 𝑏𝑏 2 − 2𝑎𝑎𝑎𝑎 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐
2

Apresente os cálculos quando necessário e sempre deixe o seu raciocínio explícito! As equações não presentes nesse
cabeçalho devem ser deduzidas

1) O estudo da composição espectral da luz emitida por uma estrela permite obter informações sobre sua
temperatura e sobre os elementos químicos que a constitui. Chama-se composição espectral de um feixe
de luz, a combinação de todos os comprimentos de onda que o compõe. Explique detalhadamente
como você faria para analisar/medir precisamente quais comprimentos de onda estão presentes na luz
advinda de uma estrela distante. Sua explicação deve envolver equações, esquemas/desenhos e ser
fundamentada fisicamente.

Dentro do escopo do nosso curso, a maneira mais precisa para analisar/medir quais comprimentos de
onda compõem a luz advinda da estrela seria pelo uso de uma rede de difração. A projeção, numa
tela distante, de uma luz de comprimento de onda 𝜆𝜆 que atravesse uma rede de difração, cujas fendas
tenham aberturas menores que 𝜆𝜆, é caracterizada por máximos de interferência separados por N-1
mínimos (Ver Fig. 1). N é o número de fendas da rede e a intensidade dos máximos é proporcional a
N2. Quanto maior o número de fendas, mais estreitos e intensos serão os máximos de interferência de
forma que, para um N muito grande, os máximos tendem a linhas intensas posicionadas de acordo
com a equação 𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑 = 𝑚𝑚𝑚𝑚. Nessa equação, 𝑑𝑑 é a separação entre as fendas, 𝜃𝜃 é o ângulo de
“visada” na tela e 𝑚𝑚 um inteiro. Com exceção do máximo correspondente a 𝑚𝑚 = 0, todos os demais
𝑦𝑦
serão projetados em um ângulo 𝜃𝜃 dependente de 𝜆𝜆. Na figura 2, percebemos que = 𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡, para 𝜃𝜃 ≪
𝑅𝑅
𝑚𝑚𝑚𝑚 𝑦𝑦 𝑚𝑚𝑚𝑚
1𝑟𝑟𝑟𝑟𝑟𝑟, 𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡𝑡 ≈ 𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠. Como 𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠 = , teremos = . Assim, os comprimentos de onda podem
𝑑𝑑 𝑅𝑅 𝑑𝑑
𝑦𝑦𝑦𝑦
ser medidos a partir da distância 𝑦𝑦 de um máximo ao centro da tela pela seguinte relação 𝜆𝜆 = .
𝑚𝑚𝑚𝑚
Onde R é a distância da tela à rede de difração.

Fig.1 - Rede de difração com N = 16. Fig.2 – Rede de difração em operação

y
θ
R >> d

.
2) Num experimento com luz polarizada, um feixe de luz incide a partir do ar na superfície da água com
um ângulo θi. O índice de refração do ar pode ser considerado praticamente igual a 1,00 e o índice de
refração da água é de 1,32.
a) Desenhe na figura abaixo o que geralmente é observado.

θi θR
ar
água

θr

b) À medida que variamos θi, observa-se que há um ângulo específico em que o raio refletido não é
mais observado. Com base nisso, é possível determinar a polarização da luz incidente? Se sim, qual
é a polarização da luz utilizada. Explique.
Sim. Quando o ângulo de incidência for igual ao ângulo de Brewster, apenas luz com uma
determinada polarização poderá ser refletida. Nesse caso, seria possível refletir apenas luz
polarizada perpendicularmente ao plano de incidência (plano definido pelo raio incidente e o
refletido). Como não se observa reflexão nenhuma, conclui-se que a luz polarizada utilizada no
experimento possui polarização paralela ao plano de incidência.

c) Deduza uma expressão para o ângulo específico mencionado em (b).

Ver página 19 do livro Física IV - Young & Freedman - 12ª edição.


3) Uma tela é iluminada por 3 fendas estreitas igualmente separadas por uma distância d. A luz que
ilumina a tela possui comprimento de onda λ, a abertura das fendas é muito menor que λ e a tela
encontra-se a uma distância grande das fendas. A fenda do meio ilumina a tela com uma intensidade
quatro vezes maior que a de cada uma das fendas laterais. Calcule a intensidade num ponto qualquer
da tela.

d
𝜃𝜃
𝜃𝜃
d

R >> d

Como a luz advinda da fenda do meio é 4 vezes mais intensa, a amplitude do campo elétrico
dessa fenda é 2 vezes maior que o das outras. Os campos elétricos das fendas vizinhas são
defasados por um ângulo de:
2𝜋𝜋
𝜙𝜙 = 𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑𝑑
𝜆𝜆
Representando os campos em um diagrama de fasores temos:
𝑦𝑦

𝜙𝜙
𝐸𝐸𝑝𝑝 𝐸𝐸0
𝐸𝐸0 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐
2𝐸𝐸0
𝐸𝐸0 𝜙𝜙
𝑥𝑥
𝐸𝐸0 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐
Decompondo os fasores na direção de 𝐸𝐸𝑝𝑝 obtemos 𝐸𝐸𝑝𝑝 = 2𝐸𝐸0 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐 + 2𝐸𝐸0 = 2𝐸𝐸0 (1 + 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐)

𝐸𝐸𝑝𝑝 = 4𝐸𝐸0 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐 2 (𝜙𝜙/2), por tanto a intensidade num ponto p qualquer na tela é:

𝐼𝐼𝑝𝑝 = 𝐼𝐼0 𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐 4 (𝜙𝜙/2) Com 𝐼𝐼0 = 8𝑐𝑐𝜀𝜀0 𝐸𝐸02

𝐼𝐼𝑝𝑝 também pode ser escrito como:


1
𝐼𝐼𝑝𝑝 = 𝑐𝑐𝜀𝜀0 𝐸𝐸02 [(1 + 2𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐𝑐 + cos 2𝜙𝜙)2 + (2𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠𝑠 + sen 2𝜙𝜙)2 ], caso você tenha optado por
2
decompor os fasores nas direções 𝑥𝑥 e 𝑦𝑦.
4) Três materiais transparentes diferentes são prensados para a construção de um dispositivo óptico.
O desenho abaixo mostra a estrutura formada pelos três materiais. Os índices de refração são tais
que n1 > n2 e n2 < n3. L1, L2 e L3 são as espessuras dos filmes. Apenas o material de índice de
refração n2 se comporta como um filme fino e toda a estrutura é iluminada perpendicularmente com
luz de comprimento de onda λ0.

λ0

n1 1 2 L1

n2 L2

n3 L3
3 4

a) Quais são as condições para que a luz refletida pelo filme fino seja maximizada?
b) Quais são as condições para que a luz refletida pelo filme fino seja minimizada?
c) Quais são as condições para que a luz transmitida pelo filme fino seja maximizada?
d) Quais são as condições para que a luz transmitida pelo filme fino seja minimizada?
Para que a reflexão pelo filme fino seja maximizada, os raios 1 e 2, esquematizados no desenho acima, devem
possuir uma diferença de fase Δ𝜙𝜙 = 𝑚𝑚2𝜋𝜋. Para que a reflexão seja minimizada, a diferença de fase entre eles deve
ser Δ𝜙𝜙 = 𝑚𝑚′𝜋𝜋. Sendo 𝑚𝑚 um número inteiro e 𝑚𝑚’ um número ímpar. O raio 1 não muda de fase por reflexão, pois
n1 > n2. Mas o raio 2 muda de fase tanto por reflexão quanto por diferença de caminho, pois n2 < n3. Então:
2𝜋𝜋
Δ𝜙𝜙12 = 𝜋𝜋 + 2𝐿𝐿2 , sendo 𝜆𝜆´ o comprimento de onda no filme fino. Supondo que 𝜆𝜆0 seja o comprimento de onda
𝜆𝜆´
da luz no vácuo ou no ar, podemos escrever 𝜆𝜆´ = λ0 /n2 (ver demonstração da equação 33.5 no livro texto)
𝟐𝟐𝟐𝟐 𝝀𝝀𝟎𝟎
Para que a reflexão seja maximizada: 𝝅𝝅 + 𝐧𝐧𝟐𝟐 𝟐𝟐𝑳𝑳𝟐𝟐 = 𝒎𝒎𝒎𝒎𝒎𝒎 𝑳𝑳𝟐𝟐 = (𝟐𝟐𝟐𝟐 − 𝟏𝟏), 𝒎𝒎 = 𝟏𝟏, 𝟐𝟐, 𝟑𝟑, 𝟒𝟒, …
𝝀𝝀𝟎𝟎 𝟒𝟒𝐧𝐧𝟐𝟐

𝟐𝟐𝟐𝟐 𝝀𝝀𝟎𝟎
Para que a reflexão seja minimizada: 𝝅𝝅 + 𝐧𝐧𝟐𝟐 𝟐𝟐𝑳𝑳𝟐𝟐 = 𝒎𝒎′𝝅𝝅 𝑳𝑳𝟐𝟐 = (𝒎𝒎′ − 𝟏𝟏), 𝒎𝒎′ = 𝟏𝟏, 𝟑𝟑, 𝟓𝟓, 𝟕𝟕, …
𝝀𝝀𝟎𝟎 𝟒𝟒𝐧𝐧𝟐𝟐

Observe que 𝑚𝑚 < 1 ou 𝑚𝑚’ < 1 não são permitidos, pois levam a uma espessura negativa.
Um raciocínio análogo pode ser feito para os raios transmitidos 3 e 4 esquematizados no desenho. Nesse caso, o
raio 4 sofrerá duas mudanças de fase por reflexão, pois n3 > n2 e n1 > n2 isso fará com que a diferença de fase com
2𝜋𝜋
o raio 3 seja Δ𝜙𝜙34 = 2𝜋𝜋 + 2𝐿𝐿2 . Assim:
𝜆𝜆´
𝟐𝟐𝟐𝟐 𝝀𝝀𝟎𝟎
Para que a transmissão seja maximizada: 𝟐𝟐𝟐𝟐 + 𝐧𝐧𝟐𝟐 𝟐𝟐𝑳𝑳𝟐𝟐 = 𝒎𝒎𝒎𝒎𝒎𝒎 𝑳𝑳𝟐𝟐 = (𝒎𝒎 − 𝟏𝟏), 𝒎𝒎 = 𝟏𝟏, 𝟐𝟐, 𝟑𝟑, 𝟒𝟒, …
𝝀𝝀𝟎𝟎 𝟐𝟐𝐧𝐧𝟐𝟐

Observe que essa equação gera exatamente os mesmos resultados da equação obtida para a reflexão minimizada.
𝟐𝟐𝟐𝟐 𝝀𝝀𝟎𝟎
Para que a transmissão seja minimizada: 𝟐𝟐𝟐𝟐 + 𝐧𝐧𝟐𝟐 𝟐𝟐𝑳𝑳𝟐𝟐 = 𝒎𝒎′𝝅𝝅 𝑳𝑳𝟐𝟐 = (𝒎𝒎′ − 𝟐𝟐), 𝒎𝒎′ = 𝟑𝟑, 𝟓𝟓, 𝟕𝟕 …
𝝀𝝀𝟎𝟎 𝟒𝟒𝐧𝐧𝟐𝟐

Observe também que essa equação gera exatamente os mesmos resultados da equação obtida para a reflexão
maximizada.
Esses resultados estão de acordo com o princípio de conservação da energia: Se a reflexão é minimizada, por
conservação da energia, a transmissão será maximizada e vice-versa.
A presente questão também pode ser resolvida da mesma forma mostrada na página 95 do livro Física IV
- Young & Freedman - 12ª edição.

Você também pode gostar