Você está na página 1de 9

UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.

a Betty Rose Luz

EXERCÍCIO PRÁTICO

FILO NEMATODA

O filo Nematoda pertence ao clado Ecdysozoa, processo regulado por hormônios ecdisteróides.
que é uma das principais clados de protostomados A cutícula consiste de uma exocutícula pro-
(a outra é Spiralia). Todos os Ecdysozoa trocam a teinácea e uma endocutícula com quitina ou
sua cutícula pelo menos uma vez durante o ciclo colágeno; a epicutícula é formada na zona apical
de vida. O grupo compreende três subclasses: das microvilosidades epidérmicas. Os ecdiso-
Nematoida (filos Nematoda, Nematomorpha); zoários perderam o epitélio ciliado externo, a
Scalidophora (filos Kinorhyncha, Priapula, Lo- larva primária (ciliada) com um órgão apical e
ricifera) e Panarthropoda (fi Onycophora, diferente da maioria dos demais protostomados,
Tardigrada, Arthropoda). Ecdysozoa pode ser não passam por clivagem espiral (BRUSCA,
definido por sua sinapomorfia morfológica: MOORE & SHUSTER, 2016). 1
cutícula com três camadas que sofre muda, um

CLASSIFICAÇÃO DO FILO NEMATODA (BRUSCA, MOORE & SHUSTER, 2016, p.672)


CLASSE CHROMADOREA. Com anfídeos na forma de poros ou fendas. Cutícula com anéis, algumas vezes ornamentada
com projeções e cerdas. Esôfago geralmente dividido em bulbos, com 3 a 5 glândulas esofaríngeas. Com uma subclasse
(Chromadoria) e 8 ordens. Ex. Oxyuris; Caenorhabditis; Ascaris; Wuchereria; Ancylostoma.

CLASSE ENOPLEA. Com anfídeos em forma de bolsas, não espiralados, geralmente em posição pós labial. Cutícula lisa
ou finamente estriada. Esôfago cilíndrico ou em formato de garrafa, com 3 a 5 glându- las esofaríngeas. Fêmeas
geralmente com 2 ovários e machos com 2 testículos. Duas subclasses: Enoplia e Dorylaimia. Ex. Trichuris; Trichinella.

PROCEDIMENTOS DE OBSERVAÇÃO E ANÁLISE


Todas as etapas a seguir devem ser registradas no caderno de desenho, com esquemas das estruturas observadas,
denominação das estruturas e classificação consultando-se bibliografia especializada em animais invertebrados.

Materiais:

▷ Microscópio estereoscópico;

▷ Microscópio binocular;

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

▷ Placa de Petri;

▷ Pinça;

▷ Alfinetes;

▷ Bisturi;

▷ Exemplares conservados de Ascaris lumbricoides;

▷ Lâminas preparadas com cortes transversais de nematóides ou fotografias com alta resolução.

1. Classe Chromadorea. Subclasse Chromadoria. Ordem Rhabditida. Família Ascarididae. Ascaris lumbricoides
As espécies de Ascaris são muito grandes (fêmeas adultas: 20 a 35 cm; machos adultos: 15 a 30 cm)
nematódeos (lombrigas) que parasitam o intestino humano. A. lumbricoides é a espécie primária envolvida
em infecções humanas em todo o mundo, mas Ascaris derivado de porcos (frequentemente referido como A.
suum ) também pode infectar humanos. Esses dois parasitas estão intimamente relacionados e os híbridos
foram identificados; assim, seu status como espécies distintas e reprodutivamente isoladas é um tópico
controverso (https://www.cdc.gov/dpdx/ascariasis/index.html ).

➢ Anatomia externa Ascaris lumbricoides

▷ Obtenha espécimes preservados de Ascaris lumbricoides e examine sua aparência externa. Utilize o
estereomicroscópio;
▷ Observe que o corpo está recoberto por uma cutícula fina e transparente. O corpo não é segmentado, mas
algumas vezes a cutícula pode se apresentar estriada;
2
▷ Os sexos são separados e a fêmea é maior do que o macho. O macho é facilmente reconhecido pelo seu
tamanho pequeno e a extremidade posterior curvada apresentando espículas copulatórias;
▷ Observe as linhas longitudinais nas posições dorsal, ventral e nas laterais do corpo.

anterior
posterior

anterior

Fêmea Macho
Figura1. Exemplar íntegro de Ascaris lumbricoides.
Fonte da imagem: http://www.tabletsmanual.com/img/wiki/ascaris_lumbricoides_female_and_male.jpg

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

➢ Anatomia interna com lâminas histológicas: Ascaris lumbricoides

▷ Observe as lâminas previamente preparadas com os cortes transversais de um indivíduo macho e de um indivíduo
fêmea. Utilize o microscópio ou estereomicroscópio. Examine o arranjo dos órgãos internos e as camadas da parede
do corpo.

▷ Fêmea: com o auxílio de um desenho esquemático da bibliografia, identifique as estruturas na fêmea: cutícula,
epiderme, canal excretor, cavidade do corpo (blastocele), intestino, útero com ovos, músculos, cordão nervoso ventral
e dorsal.

▷ Macho: Com o auxílio de um desenho esquemático, identifique as estruturas no macho: cutícula, epiderme, canal
excretor, cavidade do corpo (blastocele), intestino, músculos, cordão nervoso ventral e dorsal, testículos.

Cordão nervoso
dorsal

Ovário
Intestino

Cutícula
Útero
(com ovos) Hipoderme

Cordão
Cordão lateral
lateral

Células
3
musculares
contráteis Cavidade do
corpo
(Blastoceloma)

Núcleo
protoplasmático das
células musculares
contráteis
Cordão nervoso
ventral

Figura 2. Lâmina histológica de corte transversal de Ascaris sp. demonstrando o aparelho reprodutor e a camadas da
parede do corpo. Fonte: Betty Luz (2021).

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

Intestino

Zona
germinativa
Ovário
Zona de
crescimento

Parede do
útero
4

Ovos

Figura 3. Detalhe da lâmina histológica de corte transversal de Ascaris sp. individuo fêmea, demonstrando o
aparelho reprodutor: útero com ovos e ovários no interior da cavidade do corpo. Fonte: Betty Luz (2021).

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

Cordão nervoso
dorsal Células musculares

Cavidade do
corpo
(Blastoceloma) Cordão
lateral

Lúmen do
Intestino

microvilosidades Testículo
do Intestino
Cutícula
Testículo
Hipoderme
Cordão
lateral Células
musculares
somáticas

Cordão nervoso
ventral
5

Figura 4. Detalhe da lâmina histológica de corte transversal de Ascaris sp. Indivíduo macho, demonstrando o
aparelho reprodutor: testículos e outras estruturas no interior da cavidade do corpo. Fonte: Betty Luz (2021).

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

lúmen da faringe

musculatura
Cavidade do corpo
células glandulares

Células
musculares
somáticas

Hipoderme

Cordão nervoso
ventral

6
Figura 5. Lâmina histológica do corte transversal de Ascaris sp., demonstrando a faringe e as camadas da parede do
corpo. Fonte: Betty Luz (2021).

2. Classe Enoplea. Subclasse Dorylaimia. Ordem Rhabditida. Família Trichuridae. Trichuris trichura

Os vermes adultos (aproximadamente 4 cm de comprimento) vivem no ceco e no cólon ascendente. Os vermes


adultos são fixados nesse local, com as porções anteriores enfiadas na mucosa. As fêmeas começam a ovipositar 60
a 70 dias após a infecção. Vermes fêmeas no ceco eliminam entre 3.000 e 20.000 ovos por dia. A expectativa de vida
dos adultos é de cerca de 1 ano (Fonte: https://www.cdc.gov/dpdx/trichuriasis/index.html).

a b

Figura 6. Lâmina de Trichuris trichiura, fêmea, visto à lupa, (a) animal íntegro, (b) detalhe da extremidade
anterior. Fonte: Betty Luz (2021).
Fonte: Betty Luz (2021).
Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

a b

Figura7. Lâmina de Trichuris trichiura, macho, visto à lupa, (a) animal íntegro, (b) detalhe da extremidade
posterior com a espícula proeminente. Fonte: Betty Luz (2021).
7

Figura 8. Adulto se T. trichiura removido durante uma colonoscopia


(Fonte: https://www.cdc.gov/dpdx/trichuriasis/index.html )

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

3. Classe Chromadorea. Subclasse Chromadoria. Ordem Rhabditida. Família Ancylostomatidae.


Ancylostoma duodenale
A doença da ancilostomíase intestinal em humanos é causada por Ancylostoma duodenale, A. ceylanicum e
Necator americanus. Classicamente, A. duodenale e N. americanus foram considerados as duas principais
espécies de ancilóstomos intestinais em todo o mundo, mas estudos mais recentes mostram que um parasita
que infecta animais, A. ceylanicum , é também um importante parasita emergente que infecta humanos em
algumas regiões. Ocasionalmente, larvas de A. caninum , normalmente um parasita de canídeos, podem se
desenvolver parcialmente no intestino humano e causar enterite eosinofílica, mas essa espécie não parece
atingir a maturidade reprodutiva em humanos.
Outro grupo de ancilostomídeos que infecta animais pode penetrar na pele humana causando larva migrans
cutânea ( A. braziliense , A. caninum , Uncinaria stenocephala ). Além do A. caninum mencionado acima, esses
parasitas não se desenvolvem depois que suas larvas penetram na pele humana.
(https://www.cdc.gov/dpdx/hookworm/index.html ).

a b
Figura 9. Lâmina de Ancylostoma duodenale, visto à lupa, (a) animal íntegro, macho (b) animal íntegro, fêmea.
Fonte: Betty Luz (2021).

Figura 10. Lâmina de Ancylostoma duodenale, visto à lupa, detalhe da extremidade anterior. Fonte: Betty Luz (2021).

Filo Nematoda
UPE / ICB Zoologia dos Invertebrados - Protocolo de Laboratório – Prof.a Betty Rose Luz

Bibliografia
Brusca, C. R.; Moore, W.; Shuster, S. M. Invertebrates. 3ª Edição. Sinauer Associates, Inc., Publishers,
Sunderland, Massachusetts U.S.A., p.221-222. 1104 p. 2016.
CDC. CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Disponível em:
https://www.cdc.gov/dpdx/index.html, acesso em: 01/03/2021.

Luz, B. R. A. (FOTÓGRAFO). Imagens do acervo pessoal. Meio digital. 2021.

Filo Nematoda