Você está na página 1de 4

UNIDADE CURRICULAR: Pedagogia Social

CÓDIGO:11051 11051

DOCENTE: Sofia Castro Pereira

A preencher pelo estudante

NOME: Susana Cristina Macedo Figueiredo

N.º DE ESTUDANTE: 2002801

CURSO: Educação

DATA DE ENTREGA: 12 de abril de 2021

Página 1 de 4
TRABALHO / RESOLUÇÃO:

Segundo o referenciado em “Laplage em Revista” e no documento de mestrado


sobre pedagogia social, podemos definir pedagogia como sendo a base de
carácter teórico-prático que vai fornecer as ferramentas necessárias à ação
realizada pela educação social.

A necessidade de implementar uma pedagogia que se questiona com questões


de ordem humanitária, foi levantada por Froebel e Pestalozzi na Idade Média; no
entanto, só após a segunda revolução industrial foram dados os primeiros
passos nesse sentido, tendo em conta a grande necessidade de inclusão social
vivida na altura. Assim começamos a fazer caminho no sentido de valorizar a
educação social e a inclusão de todos nos processos de aprendizagem, levando
à abertura de portas por parte da pedagogia, para o campo aqui em estudo – a
pedagogia social.

Desde o séc. XV que o homem tem vindo a ver o mundo com outros olhos e
sentido a necessidade de adaptar constantemente a sua forma de ver a
sociedade, a educação e até mesmo a ciência. A constante evolução da ciência,
traz consequentemente uma constante evolução da sociedade, o que implica
uma adaptação da conceção da pedagogia ao longo dos séculos.

Chegados ao séc. XVIII, e com o aparecimento de duas novas correntes de


pensamento – o Renascimento e o Iluminismo – podemos dizer que começaram
a ser dados os primeiros passos para o desenvolvimento do conceito de
pedagogia social.

Este conceito foi evoluindo e tem como objeto base, as necessidades sociais e
todas as áreas e ela subjacentes, como é o caso da educação. Este estudo e
esta preocupação, levou a que vários se questionassem sobre esta
problemática, levando à criação de 3 correntes principais, são elas:

1. Corrente centro-europeia;
2. Corrente anglo-saxónica;
3. Corrente francófona.

Página 2 de 4
A primeira com grande influência da Península Ibérica e da Itália, onde a
pedagogia social é encarada como uma reflexão organizadora dos vários
aspetos e problemas da educação social. A segunda, nos quais os problemas
sociais são analisados à luz da educação. E a terceira como uma corrente que
defende a democratização do ensino, bem como o ensino da educação cívica.

Podemos ainda ver, no documento Pedagogia Social: conceitos essenciais e


definitórios, entre as páginas 6 e 8, esquematizada uma breve contextualização
histórica da pedagogia, que nos permite perceber como chegamos ao conceito
que conhecemos nos dias de hoje.

Hoje, a pedagogia social anda de braço dado com a educação social. Em termos
de enquadramento profissional, é criada a figura do educador social, como sendo
o individuo que estabelece relação com as mais diversas faixas etárias bem
como em diferentes contextos sociais, culturais, educativos e económicos. Estes
profissionais enquadram-se no apoio às pessoas intelectualmente diminuídas,
acompanhamento de indivíduos em processo de inserção social e profissional,
etc. pelo que devem ter competências ao nível da interação e aproximação com
os indivíduos, capacidade de adaptação e resiliência.

Em suma, pedagogia social, é a ciência que esta na base da educação social,


que nos permitirá uma sociedade mais inclusiva, permitindo assim que todos têm
as mesmas oportunidades ao seu alcance, facilitando assim o processo de
desenvolvimento global da sociedade.

Página 3 de 4
Bibliografia:

Casteleiro, Steven (2008), Pedagogia Social: conceitos essenciais e definitórios

Azevedo, Maria Lopes; Caride, José António (2020), Laplage em Revista,


volume 6 n.3, pág.5-16

Trigo, Luísa Ribeiro; Monteiro, Raquel Rodrigues; Batista, Isabel (ano


desconhecido), Atas do I Seminário Internacional

Diaz, Andrés Soriano (2006), Revista Lusófona da Educação pág. 91-104

Barros, Rosanna (ano desconhecido), Desafios Epistemológicos e metodologia


de intervenção da pedagogia-educação social- reflexões numa zona de fronteira

Página 4 de 4

Você também pode gostar