Você está na página 1de 6

SEMINÁRIO TEOLOGICO DO NORDESTE

MEMORIAL IGREJA PRESBITERIANA DA COREIA

ANDRÉ SILVA DA SILVA

RESENHA DO LIVRO “INTRODUÇÃO AO ACONSELHAMENTO BÍBLICO: UM


GUIA BÁSICO DE PRINCÍPIOS E PRÁTICAS DE ACONSELHAMENTO”
DE JOHN F. MACARTHUR, JR. & WAYNE A. MACK

TERESINA

2020
ANDRÉ SILVA DA SILVA1

RESENHA DO LIVRO “INTRODUÇÃO AO ACONSELHAMENTO BÍBLICO: UM


GUIA BÁSICO DE PRÍNCIPIOS E PRÁTICAS DE ACONSELHAMENTO”
DE JOHN F. MACARTHUR, JR. & WAYNE A. MACK

Resenha apresentada ao Seminário Teológico do Nordeste


como requisito para aprovação na disciplina
Aconselhamento Bíblico I, ministrada pelo Prof. Rev. José
Alex Barreto.

TERESINA

2020

1
Bacharelando em Teologia pelo Seminário Teológico do Nordeste.
3

MACARTHUR JR, John F; MACK, Wayne A. Introdução ao aconselhamento


bíblico: Um guia básico dos princípios e prática do aconselhamento. São Paulo, SP: Hagnos,
2004.

Em se tratando de material de referência na área de aconselhamento bíblico, figura


entre uma das importantes obras acerca do assunto, o livro: Introdução ao aconselhamento
bíblico: Um guia básico dos princípios e práticas do aconselhamento. A obra publicada no
Brasil pela editora Hagnos, é um trabalho de compilação feita pelos Drs. John F. MacArthur
Jr, presidente do The Master's Seminary e professor-pastor na Grace Community Church em
Sun Valley, Califórnia, e Wayne A. Mack, professor de aconselhamento bíblico no The
Master's College, em Santa Clarita, Califórnia. O livro contém, além da contribuição escrita
dos próprios organizadores da obra, a contribuição de diversos pastores capacitados na área de
aconselhamento bíblico.

O prefácio e a introdução do livro são de autoria dos organizadores. No prefácio,


Mack apresenta algumas informações importantíssimas às quais revelam o comprometimento
dos autores do livro com as Escrituras. Ele enfatiza que o livro foi produzido com o intuito de
apresentar um sistema de verdades bíblicas, o qual é antagônico aos sistemas de psicologia,
ou psicológicos. Por isso, não existe possibilidade da comunhão entre Bíblia e as
“ferramentas” oriundas da psicologia na prática do aconselhamento. A palavra de Deus deve
ser a única autoridade no aconselhamento, e não as ferramentas humanistas ou seculares (p.
11). O livro foi escrito com alguns objetivos, e os mesmos podem ser resumidos na seguinte
ideia: O propósito central da obra, é a busca por um revigoramento da fé do povo de Deus na
suficiência, superioridade e praticidade das Escrituras, incentivando assim, o povo do
Senhor a pensar biblicamente ao lidar com todas e quaisquer situações da vida,
principalmente, nas questões relacionadas ao aconselhamento bíblico, que é o foco do livro.
Dessa forma, através de uma abordagem correta das Escrituras, a Bíblia será tida novamente
pelos Cristãos como superior e suficiente na prática do aconselhamento (p. 11-12). Na
introdução do livro, MacArthur traz mais algumas informações acerca do antagonismo
existente entre a psicologia e o cristianismo. Todavia, ao mesmo tempo, lembra que, mesmo
com esse antagonismo, a Igreja tem abraçado fortemente a psicologia, e como resultado disso,
o aconselhamento tem sido removido da Igreja e direcionado para as clínicas de psicologia.
(p. 17).
4

Em se tratando do corpo maior da obra, a mesma está muito bem dividida e contempla
quatro partes. As duas primeiras tratam respectivamente dos aspectos históricos e dos
princípios teológicos do aconselhamento bíblico, enquanto as duas últimas, estão
concentradas na aplicação prática do aconselhamento bíblico.

Conhecer os aspectos históricos do aconselhamento bíblico é fundamental para


relembrar a Igreja do seu dever em relação à prática do aconselhamento pautado nas
escrituras. Acerca desse dever, MacArthur Jr, diz: “O aconselhamento – e particularmente o
aconselhamento que habilidosamente emprega a palavra de Deus – é um dever necessário da
vida cristã e da comunhão” (p. 21). O problema é que, mesmo sendo esse um dever da Igreja,
o aconselhamento bíblico tem sido substituído pela denominada psicologia cristã. A
psicologia claramente conseguiu adentrar na cultura evangélica, o que culminou então, na
perda do aconselhamento bíblico na Igreja. No capítulo três do livro, David Powlison, um dos
autores que contribuíram neste livro, descreve com detalhes, alguns dos processos que
levaram a essa trágica perda. Segundo ele: “As psicologias não apenas reivindicaram dominar
o aconselhamento; elas fizeram valer sua reivindicação” (p. 67). Tais fatores revelam que a
redescoberta do verdadeiro aconselhamento bíblico é fundamental e extremamente necessária.
Só através dessa redescoberta, o aconselhamento fundamentado exclusivamente nas
Escrituras, voltará ao seu lugar de direito dentro do corpo de Cristo.

Olhar para a história daqueles que praticaram o verdadeiro aconselhamento bíblico


sem dúvidas é um dos elementos que contribuirão para essa redescoberta. Por isso, o livro traz
como exemplo histórico, o movimento puritano. Em se tratando de aconselhamento bíblico, o
puritanismo foi e é, um dos grandes movimentos a serem tomados como exemplo pela igreja
contemporânea. Ken L. Sales afirma o seguinte sobre os pastores puritanos: “Os pastores
puritanos [eram] conhecidos como médicos da alma [...]” (p. 41). Assim, a redescoberta de
uma abordagem exclusivamente bíblica de aconselhamento, deve levar em consideração os
princípios e a doutrina puritana. Quatro princípios fundamentais em relação à doutrina
puritana são abordados no capítulo dois do livro. São eles: A) Compromisso fidelíssimo com
as Escrituras, B) Confiança em Deus, o autor das Escrituras, C) Entendimento antropológico
correto e, D) Forte consideração do conceito de pecado e como este afetou todas as faculdades
do homem.

A parte dois do livro, fundamentos teológicos do aconselhamento bíblico, pode ser


chamada de a base sustentadora desta obra organizada por Wayne A. Mack e MacArthur Jr.
5

Ela contempla através de seis fundamentos teológicos, o sistema de verdades bíblicas que
todo conselheiro cristão imprescindivelmente deve entender e se aprofundar através de
estudos e leituras. Tais fundamentos constituem-se como fundamentais no exercício do
verdadeiro aconselhamento requerido por Deus. Os fundamentos são os seguintes: 1) A
relação existente entre as Escrituras e o aconselhamento bíblico, 2) A relação do
aconselhamento e a pecaminosidade humana, 3) A união com Cristo e as implicações dessa
união para o aconselhamento bíblico, 4) A obra e o papel Espírito Santo no aconselhamento
bíblico, 5) A disciplina espiritual e o conselheiro bíblico, 6) O foco do aconselhamento
bíblico na pessoa de Deus.

As duas últimas partes do livro tem o foco voltado para a aplicação prática do que foi
apresentado nas partes anteriores. Estas duas últimas partes são fundamentais, pois contempla
um dos objetivos essenciais do livro, que é exatamente mostrar como o aconselhamento
bíblico pode ser aplicado de forma prática na vida dos homens e mulheres que necessitam de
ajuda, em outras palavras, como o sistema de verdades bíblicas pode ser devidamente
aplicado no aconselhamento. Mack, autor de toda a parte três do livro, salienta que essa
aplicação começa pelo relacionamento entre o conselheiro e o aconselhado. O mesmo
descreve como este relacionamento deve ser bem construído visando à conquista da confiança
do aconselhado, confiança essa que é necessária e fundamental para o êxito do
aconselhamento. Mack também fornece sugestões e ferramentas úteis que ajudarão o
conselheiro no processo de aconselhamento. Ele mostra como inventários podem ser
utilizados para a coleta de dados dos aconselhados, e como esses dados coletados devem ser
devidamente interpretados pelo conselheiro. Finalmente, através de exemplos reais e práticos,
Mack trabalha sobre a aplicação da instrução Bíblica, ou seja, como a palavra de Deus deve
ser aplicada na vida do aconselhado.

A última parte da obra tem o foco voltado para os processos que envolvem o
aconselhamento bíblico e a Igreja local. MacArthur Jr ressalta que não somente os ministros
e os líderes da Igreja, mas também toda a Igreja deve estar envolvida na prática do
aconselhamento. Ele diz: “A medida que os membros do Corpo ministram uns aos outros,
falam a verdade em amor, a Igreja é edificada [...] [portanto] O aconselhamento é um meio
importante pelo qual os membros do corpo devem ministrar uns aos outros” (p. 350).

Um capítulo nesta parte final do livro, é dedicado especialmente ao papel vital da


pregação no aconselhamento, pois, conforme enfatizado por MacArthur Jr: “[...] a pregação
6

da palavra é o fundamento necessário sobre o qual o ministério de aconselhamento deve ser


edificado [...] o aconselhamento bíblico mais forte é minado se vier acompanhado de uma
pregação fraca ou ambígua”. O livro termina com um importante capítulo dedicado a
responder algumas das perguntas mais pertinentes relacionadas ao aconselhamento bíblico.

Não é atoa que a obra organizada pelos Drs. John MacArthur, Jr. e Wayne A. Mack
está há muitos anos entre umas das mais importantes quando se trata de aconselhamento
bíblico. Através de uma linguagem de fácil entendimento, a obra é riquíssima em conteúdo
sobre o assunto proposto e, mostra-se extremamente comprometida com o que seu objetivo,
isto é, mostrar a suficiência e o poder das Escrituras na área do aconselhamento e a
insuficiência da psicologia em tratar dos problemas relacionados à alma do homem. Em
tempos como esse, em que, as prateleiras das livrarias estão lotadas de livros e materiais de
auto-ajuda escritos por “psicólogos cristãos”. Em que, as clínicas estão lotadas de cristãos que
deixam de confiar nas escrituras para confiar na psicologia. E em que, até mesmo as
mensagens que emergem dos púlpitos de muitas igrejas tem influência da psicologia, esta
obra, torna-se então, uma ferramenta poderosa e de grande auxílio para aqueles que lutam
pela autoridade e suficiência das Escrituras no aconselhamento.

Você também pode gostar