Você está na página 1de 15

UNESP - Universidade Estadual Paulista - Campus de Assis

RELATÓRIO: Localização e Descrição de Fonte

Curso: História
Período: Noturno
Disciplina: Fontes de Pesquisa Histórica: Proteção e Tratamento
Professora: Célia dos Reis Camargo

Aluno: Hélio Alves da Silva


RELATÓRIO: Localização e Descrição de Fonte para Pesquisa

O presente relatório tem por finalidade comunicar a localização de um


documento contendo duzentas páginas numeradas e rubricadas que foi
utilizado no período compreendido entre 20 de outubro de 1925 e 18 de maio
de 1939, para o registro de Processos Policiais da cidade de Maracaí, estado de
São Paulo.

Este documento revela, numa análise primária, aspectos do cotidiano da


cidade de Maracaí e o relacionamento da população com a lei e a ordem
pública num período importante da História do Brasil, não podendo ser
desprezada a possibilidade de buscar correlações entre a vida urbana e rural das
pequenas cidades do interior de São Paulo, notadamente o Oeste Paulista,
desenvolvido, principalmente, a partir das migrações ocorridas em fins do
século XIX por conta da grande oferta de terras cultiváveis nesta região.

Quanto à localização do referido documento, esse estava em um ambiente


sem qualquer proteção da ação do tempo, mais precisamente no sótão de um
sanitário nas dependências da Delegacia de Polícia de Maracaí, município de
pequeno porte com cerca de treze mil habitantes localizado a trinta quilômetros
da cidade de Assis.

O resgate desse livro só foi possível por conta do meu interesse em iniciar
um trabalho de recuperação da memória desta comunidade pois, em diversas
pesquisas realizadas nos arquivos públicos deste município, percebe-se que não
existem registros precisos da origem e fundação da cidade, e as poucas
informações são de fontes ignoradas e autores muitas vezes não citados.

A preocupação com este resgate reside no fato de que somente com uma
análise detalhada das fontes, orientada profissionalmente, será possível traçar o
verdadeiro perfil da evolução política e social desta comunidade.

O encontro deste Livro de Registro dos Processos Policiais revela que há


muito a ser feito em relação à pesquisa histórica local e, num primeiro
momento, faz-se necessário o tratamento e preservação desta fonte, conforme
podemos perceber pelas imagens.

Este relatório acompanha imagens descritivas do local e das condições do


documento que está, provisória e precariamente, arquivado em um armário de
aço, protegido de intempéries, umidade e fontes de luz e calor, no setor de
investigações da Delegacia de Polícia de Maracaí, sob minha responsabilidade.

Assis, 10 de dezembro de 2010

Hélio Alves da Silva


Sumário das imagens:

Descrição Imagem nº

Vista geral da Delegacia de Polícia de Maracaí................................................01

Detalhe do local onde foi encontrado o documento..........................................02

Detalhe da capa do Livro de Registro de Processos Policiais...........................03

Detalhe da capa do documento..........................................................................04

Detalhe da circular emitida pelo Juiz de Direito da Comarca de Paraguassu


anexada na folha de rosto do documento no ano de 1935................................05

Detalhe do Termo de Abertura do livro............................................................06

Vista geral de um dos processos.......................................................................07

Detalhe de um dos processos............................................................................08

Detalhe da última página utilizada no livro......................................................09

Vista geral da deterioração da contra-capa do livro..........................................10

Detalhe da deterioração de algumas páginas do livro.......................................11

Vista geral do acondicionamento para guarda do documento...........................12


Imagem nº 01 - A Delegacia de Polícia de Maracaí está hoje instalada na rua
General Ataliba Leonel, 147, Centro. O prédio apresenta graves problemas de
infiltração, o que inviabiliza a conservação de documentos em suas
dependências.
Imagem nº 02 - A falta de armários adequados e o despreparo de funcionários
para lidar com a preservação de documentos que possam, eventualmente, ter
valor histórico levam a acondicionar importantes livros de registro em locais
impróprios como o sótão de um banheiro. Entre os documentos, existem Livros
de Entrada e Saída de Presos, Registro de Armas, Relatórios de Investigação,
Controle de Gastos, Inventário e Tombo e outros que precisam ser preservados.
Imagem nº 03 - O objeto deste relatório trata-se do primeiro livro de registros
dos processos policiais da cidade de Maracaí, daí sua importância para a
história local. Até o momento, desconhece-se a existência de documento
semelhante nas dependências da Delegacia de Polícia, podendo tratar-se de
objeto único.
Imagem nº 04 - Um dos fatores prováveis para que o livro tenha resistido por
mais de oitenta anos é a qualidade do material empregado em sua confecção. A
capa, grossa e formada por várias camadas de papelão, é forrada por um
material resistente e fibroso que não foi analisado por cautela e falta de
conhecimento técnico e equipamento adequado.
Imagem nº 05 - Na folha de rosto do Livro de Registro de Processos Policiais
foi colada a Circular nº 78 de 29 de julho de 1935, expedida pelo Juizo de
Direito da Comarca de Paraguassu, lembrando ao Delegado de Polícia o que
prescrevia o artigo 113 da Constituição Federal, numa clara alusão a possíveis
abusos de autoridade.
Imagem nº 06 - O termo de abertura do livro data de 25 de outubro de 1925.
Não foram encontrados registros da inauguração da Delegacia de Polícia. Mas,
como há informações de que povoamento foi fundado em 1905, e registros de
que foi declarado município em 19 de dezembro de 1924 e instalado em 24 de
março de 1925, infere-se que a Delegacia de Polícia tenha iniciado suas
atividades no mesmo ano. Dessa forma é correto afirmar que o documento em
análise trata-se do primeiro livro oficial dos inquéritos policiais da cidade.
Imagem nº 07 - Os Processos Policiais a que se refere o título do documento
nada mais são do que os atuais Inquéritos Policiais de hoje. Contudo, o uso de
livros para registro dessa atividade policial não é praticado há muitas décadas.
Atualmente são elaboradas várias peças independentes e relacionadas entre si
como termos de declarações, assentadas, exames grafotécnicos e autos de
reconhecimento que, depois de finalizados, são resumidos em um relatório do
delegado de polícia e remetidos ao Ministério Público e ao Poder Judiciário
para, só então, iniciar o Processo. Essa mudança demonstra que, ao longo dos
anos e com a evolução das normas jurídicas e processuais, a figura do delegado
de polícia foi perdendo sua importância no rito processual uma vez que no
procedimento atual novas diligências podem ser requisitadas pelo Promotor de
Justiça, independentemente da apuração criminal já realizada no inquérito
policial presidido pelo Delegado.
Imagem nº 08 - Neste detalhe, na segunda e na quinta linha, percebe-se que o
livro era o único documento que registrava e descrevia todos os
acontecimentos que interessavam ao processo. As vítimas, autores e
testemunhas eram ouvidas em seqüência e as declarações prestadas lançadas
diretamente no livro. Não existiam cópias dessas declarações em folhas
avulsas, o que nos permite perceber a importância deste documento.
Imagem nº 09 - Em 18 de maio de 1939 o documento recebeu sua última
anotação. A Correição é uma visita periódica da autoridade policial
imediatamente superior ao delegado do município na qual são vistoriados os
livros e demais documentos em uso nas dependências da delegacia. Os
registros de processos ou inquéritos policiais posteriores a essa data não foram
encontrados na delegacia de polícia de Maracaí, levando a crer que o
documento em questão é único.
Imagem nº 10 - Esta foto mostra o grau de deterioração da contra-capa do
documento.
Imagem nº 11 - Aqui podemos perceber que a umidade acumulada durante
décadas inutilizou por completo as últimas páginas do documento. Visto que a
contra-capa estava mais exposta às intempéries, quase a totalidade dos
processos registrados restaram preservados pois o livro não foi totalmente
preenchido.
Imagem nº 12 - Numa tentativa de preservar o documento para uma análise
futura, após o devido tratamento, esse foi protegido por papel branco, vedado e
guardado em local menos impróprio que aquele onde foi encontrado.