Você está na página 1de 15

Índice

1.0 Introdução............................................................................................................................2
2.0 Objectivos............................................................................................................................2
2.1 Geral:....................................................................................................................................2
2.2 Específicos:..........................................................................................................................2
3.0 Metodologias........................................................................................................................2
4.0 Diferentes tipos de células...................................................................................................3
5.0 Célula...................................................................................................................................3
5.1 Teoria celular.......................................................................................................................3
6.0 Tipos de células....................................................................................................................3
6.1 Células procariotas...............................................................................................................4
6.1.0 Principais características de uma célula procariota...........................................................4
6.1.1 Organismos que apresentam células procariotas...............................................................5
6.2 Células eucariotas.................................................................................................................5
6.2.0 Principais características de uma célula eucarióta............................................................5
6.2.1 Organismos que possuem células eucariotas....................................................................6
7.0 Principais diferenças entre uma célula procariota e uma célula eucariota...........................7
8.0 Células vegetais e animais...................................................................................................8
8.1 Células vegetais....................................................................................................................8
8.1.0 Células do esclerênquima..................................................................................................8
8.1.1 Células do colênquima......................................................................................................9
8.1.2 Células do parênquima......................................................................................................9
8.1.3 Células condutoras..........................................................................................................10
8.1.4 Células do xilema............................................................................................................10
8.1.5 Células do floema............................................................................................................10
8.2 Células animais..................................................................................................................11
8.2.0 Células humanas..............................................................................................................11
8.2.1 Células do Cérebro..........................................................................................................11
8.2.2 Células do Sangue...........................................................................................................12
8.2.3 Célula dos Ossos.............................................................................................................12
8.2.4 Células dos Músculos......................................................................................................12
8.2.5 Células Epiteliais.............................................................................................................13
8.2.6 Células Sexuais...............................................................................................................13
9.0 Conclusão...........................................................................................................................14
10.0 Bibliografia......................................................................................................................15
1.0 Introdução
Com este trabalho que tem como tema Diferentes tipos de células, pretende-se falar acerca
dos diferentes tipos de células que se destacam em procariotas e eucaristias dependendo da
presença ou ausência do núcleo. Antes porém vimos que, célula é a unidade básica, estrutural
e funcional dos seres vivos e apresenta como partes fundamentais a membrana plasmática, o
citoplasma e o material genético. As células são estruturas microscópicas que fazem parte da
organização do corpo dos seres vivos. Essa estrutura foi inicialmente descrita por Robert
Hooke ao analisar um corte de cortiça. Com isso é de salientar que as células eucariotas
apresentam núcleo tais como células encontradas em todos fungos, protistas, animais e
plantas; e as procariotas não apresentam núcleo e fazem parte de seres que apresentam este
tipo de células as bactérias, as cianofitas e as microbactérias.

2.0 Objectivos

2.1 Geral:

 Conhecer os diferentes tipos de células

2.2 Específicos:

 Descrever os diferentes tipos de células;


 Definir células eucariotas e procariotas respectivamente;
 Diferenciar células eucariotas das procariotas;
 Indicar as células das plantas e seus respectivos tecidos por onde se encontram;
 Mencionar células do corpo humano.

3.0 Metodologias

A elaboração deste trabalho foi por meio de consultas de manuais de Biologia e como forma
de enriquecer o conteúdo e melhorar a fundamentação de forma significativa tomou-se apoio
a exploração da internet que contribui para a finalização do trabalho.

2
4.0 Diferentes tipos de células

5.0 Célula

A célula: é a unidade básica, estrutural e funcional dos seres vivos e apresenta como partes
fundamentais a membrana plasmática, o citoplasma e o material genético.

As células são estruturas microscópicas que fazem parte da organização do corpo dos seres
vivos. Essa estrutura foi inicialmente descrita por Robert Hooke ao analisar um corte de
cortiça. O termo célula vem do latim cella, que significa pequeno compartimento, e faz
referência ao que Hooke visualizou ao analisar o corte do vegetal.
(https://brasilescola.uol.com.br/biologia/celula.htm)

Por ter observado células mortas, o pesquisador viu apenas a parede celular das células
vegetais e, por isso, achou que se tratava de um compartimento, e não uma estrutura viva e
complexa. (https://brasilescola.uol.com.br/biologia/celula.htm)

5.1 Teoria celular

A teoria celular baseia-se na hipótese de que todo organismo vivo possui células. Essa teoria
é sustentada por três

pilares:

 Todos os seres vivos são constituídos por células, sendo estas, portanto, a unidade
morfológica dos organismos vivos;
 As células realizam importantes actividades em seu interior e, por isso, são as
unidades funcionais dos seres vivos;
 Uma célula é formada apenas a partir de outra célula preexistente.

Assim sendo, utilizando essa teoria como base, podemos dizer que a célula é a menor unidade
estrutural e funcional dos seres vivos.

6.0 Tipos de células

Os diferentes tipos de células podem ser classificados em duas categorias quanto a sua
organização do núcleo:

3
6.1 Células procariotas

As células procariotas não apresentam uma membrana envolvendo o núcleo, portanto o


conteúdo nuclear permanece misturado com os outros componentes celulares. Os únicos
pertencentes a esse grupo são as bactérias, as cianofitas e as micobacterias.
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

As células procariontes (do latim pro - primeiro e cario - núcleo) podem ser definidas, grosso
modo, como as células que não possuem material genético delimitado por um envoltório
nuclear. Isso quer dizer que seu material genético está disperso no citoplasma.

6.1.0 Principais características de uma célula procariota

A principal característica de uma célula procarionte é a ausência de um núcleo delimitado.


Nessas células, observa-se apenas um local (nucleoide) contendo DNA circular (DNA
cromossômico) não associado a proteínas histonas. Podem existir ainda pequenas moléculas
de DNA livres no citoplasma, conhecidas como plasmídeos, que são capazes de se reproduzir
independentemente do DNA cromossômico.
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

Essas células destacam-se também pela ausência de organelas membranosas, como retículo
endoplasmático e complexo golgiense. Nessas células são encontrados apenas ribossomos,
organelas relacionadas com o processo de síntese proteica. Apesar de ser uma organela
presente em células eucariontes e procariontes, nesses últimos, apresenta um menor tamanho.

Como as células procariontes não apresentam organelas membranosas, as mitocôndrias,


relacionadas com o processo de respiração celular, estão ausentes. Assim sendo, as moléculas
da cadeia respiratória em procariontes estão presentes na membrana interna da membrana
plasmática, e não nas mitocôndrias.

As células procariontes não apresentam também citoesqueleto, uma espécie de rede formada
por filamentos proteicos. A ausência de citoesqueleto impede a realização dos processos de
endocitose e exocitose, uma vez que é essa rede que garante a movimentação das vesículas.

Nas células procariontes, pode haver ainda uma parede celular rica em peptidoglicanos e a
presença de fímbrias, pequenos prolongamentos filamentosos. A função das fímbrias é

4
garantir a fixação da célula procarionte na célula hospedeira e ajudar no processo de
conjugação.

6.1.1 Organismos que apresentam células procariotas

Poucos organismos possuem células procariontes. Atualmente essas células podem ser
encontradas apenas em bactérias e algas azuis, também conhecidas como cianobactérias.
Todos os outros organismos, tais como protozoários, fungos, plantas e animais, possuem
células do tipo eucarionte.
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

6.2 Células eucariotas


As células eucariotas: são aquelas que apresentam um núcleo delimitado por um envoltório
nuclear. Nesse tipo celular, o material genético não está espalhado pelo citoplasma, como nas
células procariontes, mas, sim, restritos à região do núcleo.

O material genético da célula eucariota fica "guardado" no núcleo e, em volta do núcleo


existe uma membrana que o separa do citoplasma.

As células eucariotas apresentam núcleo definido e estão presentes em protozoários, fungos,


animais e plantas. No citoplasma dessas células podem ser encontradas diversas estruturas
membranosas.

6.2.0 Principais características de uma célula eucarióta

As células eucariontes são mais complexas do que as células procariontes. Uma das
principais características é a presença de um núcleo delimitado por envoltório nuclear, o qual
protege as moléculas de DNA existentes nessa região. É no interior do núcleo que ocorre a
duplicação do DNA e a síntese de RNA (transcrição).
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

No interior do citoplasma da célula eucariótica estão mergulhadas diversas organelas


membranosas que apresentam as mais diversas funções. Entre as principais organelas
encontradas, podemos citar o retículo endoplasmático, o complexo golgiense, os lisossomos,
as mitocôndrias, o peroxissomo, centríolos e cloroplastos (estes últimos estão ausentes em
células animais).

5
A presença de ribossomos, organelos relacionados com a síntese de proteínas, é observada
tanto em eucariontes como em procariontes. Mas nos eucariontes, no entanto, essa organela
apresenta-se livre no citoplasma ou, então, associada ao retículo endoplasmático, formando o
retículo endoplasmático rugoso. Os ribossomos dos organismos eucariotas são maiores e mais
complexos do que aqueles que ocorrem em procariotas.
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

Nas células eucariotas, a cadeia respiratória, uma das etapas da respiração celular, ocorre na
membrana interna das mitocôndrias. É no processo de respiração celular que a célula
consegue obter a energia necessária para as suas actividades.

Existe nas células eucariontes ainda a presença de um citoesqueleto, uma espécie de rede
formada por vários filamentos proteicos. Por causa dessa característica, essas células são
capazes de realizar endocitose e exocitose, dois processos relacionados com o transporte de
substâncias. Na endocitose, a célula capta substâncias do meio extracelular para o intracelular
e, na exocitose, ocorre o processo inverso. O citoesqueleto garante a movimentação das
vesículas com substâncias em seu interior.

As células procariotas são capazes de realizar dois importantes processos de divisão celular: a
mitose e a meiose. Na mitose, uma célula diploide dá origem a duas células diploides iguais à
célula-mãe e, na meiose, uma célula diploide origina quatro células haploides, ou seja, com
metade do número de cromossomos da espécie.

6.2.1 Organismos que possuem células eucariotas

As células eucariotas estão presentes na maioria dos organismos vivos. Todos os fungos,
protistas, animais e plantas apresentam esse tipo de organização celular.

A célula eucariótica pode ser animal e vegetal. A célula vegetal apresenta uma série de
particularidades, sendo relativamente simples diferenciá-las da célula animal. Nesse tipo de
célula, podemos destacar a presença de pelo menos três estruturas básicas:

 Parede celular: Nas células vegetais, externamente à membrana plasmática, é


possível observar a presença de outro envoltório celular, a parede celular. Essa parede
diferencia-se da parede encontrada em outros organismos por ser rica em celulose.
Entre as funções da parede celular, podemos citar a proteção contra a ruptura por
entrada de água, proteção contra patógenos e manutenção da forma da célula.

6
 Cloroplastos: As células vegetais possuem, no seu interior, corpúsculos chamados
cloroplastos, ricos em um pigmento verde chamado clorofila. A clorofila absorve a
energia solar necessária para a realização da fotossíntese, processo pelo qual os seres
clorofilados produzem seu próprio alimento. As células animais não possuem
cloroplastos.
 Vacúolos de suco celular ou vacúolo central: Esse tipo de vacúolo destaca-se por
garantir que a célula consiga realizar a manutenção de seu equilíbrio osmótico e
também por armazenar substâncias. Além disso, também estão envolvidos na quebra
de macromoléculas e reciclagem de componentes celulares. Geralmente, o vacúolo
ocupa grande parte do volume da célula, podendo representar cerca de 90% do espaço
celular.

7.0 Principais diferenças entre uma célula procariota e uma célula eucariota

A principal diferença entre células procariotas e eucariotas é que nessas últimas observa-se a
presença de um núcleo delimitado por um envoltório nuclear. Nas células eucariontes, é
possível observar ainda a presença de citoesqueleto, organelas celulares membranosas e
processos como endocitose, exocitose, mitose e meiose, os quais não ocorrem em células
procariotas.
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

As células eucariontes são mais complexas que as células procariontes. Não apresentam
também plasmídeos nem fímbrias. Nas células procariotas, o material genético está disperso
no citoplasma.

Nas procariotas, são encontradas ainda o cromossomo bacteriano e os plasmídeos (pequenas


moléculas de DNA circular livres no citoplasma). O cromossomo bacteriano possui genes
que codificam as proteínas necessárias para o funcionamento da célula. Já nos plasmídeos, os
genes que codificam proteínas relacionam-se a algumas funções adaptativas, como a
resistência a antibióticos.
(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

 De forma mais simples podemos dizer, que as células procariotas são mais simples
que as eucariotas. Esse primeiro grupo não apresenta núcleo, organelas membranosas
e citoesqueleto. Diferentemente, as eucariontes possuem todas essas estruturas.

7
8.0 Células vegetais e animais

8.1 Células vegetais

Algumas células de plantas especializadas incluem: células de parênquima, células de


colênquima, células de esclerênquima, células condutoras de água e células condutoras de
alimentos.

8.1.0 Células do esclerênquima

Podemos observar dois tipos de células do esclerênquima: fibras e esclereides

Fibras: células que se apresentam mais longas que largas, com suas extremidades afiladas.
Geralmente, elas são encontradas formando cordões ou feixes na parte mais interior do caule
e da raiz.

Estas células apresentam paredes celulares secundárias grossas e, normalmente, lignificadas.


Além disso, apresentam suas extremidades afiladas. Estão presentes em partes da planta que
não se alongam mais e, geralmente, formam cordões ou feixes. Podem ainda estar associadas
ao floema e ao xilema. Algumas fibras são utilizadas comercialmente, como é o caso das
fibras do linho e do cânhamo. (RAVEN, 2001)

Esclereides: células geralmente curtas e ramificadas que ocorrem isoladamente ou em


agrupamentos. Elas apresentam pontoações (locais sem deposição de parede secundária)
simples e em maior número que nas fibras. (RAVEN, 2001)

Como apresentam diversas formas, as esclereides podem ser classificadas como:

 Braquiesclereídes: também chamadas de células pétreas, elas apresentam um


formato isodiamétrico (com diâmetro igual);
 Macroesclereídes: também chamadas de Malpighi, são células colunares;
 Tricoesclereídes: células alongadas que podem ser ramificadas e assemelhar-se a
tricomas;
 Osteoesclereídes: também são células alongadas, no entanto, suas extremidades são
alargadas, o que remete à forma de um osso. Daí a origem de seu nome;
 Astroesclereídes: são células que apresentam formato estrelado.

8
8.1.1 Células do colênquima

As células do colênquima apresentam espessamento irregular e essa característica permite


classificá-lo em alguns tipos: angular, lamelar, lacunar e anelar.

 Colênquima angular: o espessamento ocorre no ponto onde há o encontro de três


células ou mais.
 Colênquima lamelar: apresenta o espessamento nas paredes paralelas à superfície do
órgão, formando espécies de placas.
 Colênquima lacunar: o espessamento ocorre nas paredes que estão delimitando os
espaços intercelulares.
 Colênquima anelar: em que o espessamento ocorre de maneira mais uniforme por
toda a célula.

8.1.2 Células do parênquima

Dependendo da posição no corpo do vegetal e do conteúdo apresentado por suas células, as


células do parênquima podem ser:

Células isodiamétricas, vacuoladas: encontradas no parênquima de preenchimento,


geralmente com pequenos espaços intercelulares.

Células do parênquima clorofiliano: apresentam paredes primárias delgadas, numerosos


cloroplastos e são intensamente vacuoladas. Geralmente notam-se dois tipos de células
paliçádicas que são células cilíndricas - que se apresentam dispostas perpendicularmente à
epiderme; e lacunosas que são células de formato irregular, se dispõem de maneira a deixar
numerosos espaços intercelulares. (CUTTER, 1987)

Células do parênquima aquífero: são grandes e apresentam grandes vacúolos contendo


água e seu citoplasma aparece como uma fina camada próxima à membrana plasmática.

Células de Transferência: em muitas partes da planta, grandes quantidades de material é


transferida rapidamente à curtas distâncias, através de um tipo especial de células
parenquimáticas denominadas células de transferência. (CUTTER, 1986)

Essas células apresentam modificações nas suas paredes, formando inúmeras invaginações
voltadas para a face interna. Estas invaginações consistem numa forma especializada de
parede secundária não lignificada, depositada sobre a parede primária.

9
A plasmalema acompanha essa parede irregular, aumentando a superfície de absorção ou
secreção de substâncias pelo protoplasma destas células. As células de transferência,
geralmente, aparecem associadas aos elementos de condução do xilema e do floema, às
estruturas secretoras, entre outras, sempre relacionadas com o transporte de nutrientes à curta
distância. (CUTTER, 1986)

8.1.3 Células condutoras

As células condutoras são encontradas no xilema e no floema respectivamente:

8.1.4 Células do xilema

Traqueídes: são células extremamente finas, de pequeno comprimento (em média 4 mm) e
diâmetro reduzido (da ordem de 2 mm). Quando funcionais, as traqueídes estão agrupadas em
feixes e as extremidades de umas tocam as das outras. (CUTTER, 1986)

Na extremidade de cada traqueíde, assim como lateralmente, há uma série de pontuações ou


poros (pequeníssimos orifícios) que permitem a passagem de seiva no sentido longitudinal e
lateral. (FERRI, 1981)

Elementos de vaso: células menores que as traqueídes (em média de 1 a 3 mm), porém mais
longos (até 300 mm), os elementos de vaso também possuem pontuações laterais que
permitem a passagem da seiva. Sua principal característica é que em suas extremidades as
paredes são perfuradas, isto é, não há parede divisória totalmente isolante entre uma e outra
célula. O vaso formado pela reunião de diversos elementos de vaso é conhecido como
traqueia. (APEZZATO, 2013)

8.1.5 Células do floema

O floema, também chamado de líber, tem dois tipos de células condutoras:

Elementos crivados: o nome desse tipo de células está ligado à presença de pequenos poros
conhecidos como crivos. O conjunto de crivos é chamado de áreas crivadas.

Nas células crivadas são encontrados poros de pequena dimensão, e as áreas crivadas estão
localizadas principalmente nas extremidades dessas células. As células crivadas são
consideradas menos especializadas que os elementos de tubo crivado e ocorrem em
pteridófitas e gimnospermas. (APEZZATO, 2013)

10
Elementos do tubo crivado: os poros dessas células apresentam-se relativamente maiores
que nas células crivadas. As áreas crivadas com poros maiores recebem o nome de placa
crivada, que, geralmente, ocorre nas extremidades dos elementos dos tubos crivados. Essas
células condutoras são encontradas apenas nas angiospermas. (ESAU, 1960)

8.2 Células animais

De entre as células animais existentes vamos nos destacar das células do corpo humano

8.2.0 Células humanas

Existem no nosso corpo cerca de 130 tipos de células, entre as células variantes e as células
básicas. Podemos ainda incrementar citando a adipócitos, exócrinas e merócrinas, células
glandulares endócrinas, mioblasto cardíaco, entre muitas outras.

O corpo humano é pluricelular (várias células). É constituído de 10 trilhões de células que


trabalham de maneira integrada, donde cada uma possui uma função específica, a saber:
nutrição, protecção, produção de energia e reprodução entre outros.

Os seres humanos possuem células do tipo eucariotas, células que possuem carioteca
(membrana plasmática). As células presentes no nosso organismo são:

 Nos olhos encontramos: bastonetes, cones;


 No osso encontramos: osteoclasto, osteoblasto;
 No músculo encontramos: células de sarcomero, fibroblastos;
 No cérebro: microglia, célula dendrítica, neurônio e célula de Schawn;
 No sangue: eritrócito, monócito, linfócito T, linfócito B, macrófago, basófilo,
trombócito.

8.2.1 Células do Cérebro

Composto por milhões de células, o cérebro é formado por diversos tipos delas, a saber:

 A micróglia: defesa do sistema nervoso.


 A célula dendrítica: células imunes que transportam antígenos.
 O neurônio: transmissão de mensagens.
 A célula de Schwann: produção de mielina que auxiliam na produção dos impulsos
nervosos.

11
Os neurônios necessitam de muito oxigênio para funcionarem, portanto são as primeiras
células do corpo à morrerem.

8.2.2 Células do Sangue

O sangue humano é formado por diversos tipos de células, cada qual com sua função, as mais
importantes são: eritrócito, monócito, linfócito T, linfócito B, macrófago, basófilo,
trombócito.

 As hemácias: chamadas de glóbulos vermelhos ou eritrócitos (transporte de


oxigênio);
 Os leucócitos: ou glóbulos brancos (atuam no sistema imunológico do corpo na
medida em que combate e eliminam micro-organismos);
 Os trombócitos: ou plaquetas (coagulação sanguínea).

8.2.3 Célula dos Ossos

Os ossos são formados por células chamadas de:

 Osteócitos: (secreção de substâncias);


 Osteoclastos: (grande células com vários núcleos responsável pela reabsorção e
remodelação do tecido ósseo);
 Osteoblastos: (síntese de componentes orgânicos).

8.2.4 Células dos Músculos

As células musculares, podem apresentar vários núcleos, as mais importantes sao:

 Células de sarcômero: (contração muscular)


 Células fibroblastos: (síntese de proteínas).

8.2.5 Células Epiteliais

As células epiteliais estão presentes nos tipos de epitélios revestindo o corpo externamente na
pele, e internamente em diversos órgãos. São células que possuem formas diferentes que
podem ser achatadas, cúbicas ou colunares.

As células epiteliais da córnea são as últimas células do corpo humano à morrerem, visto que
necessitam de menos oxigênio para realizar suas funções.

12
8.2.6 Células Sexuais

As células sexuais humanas são:

 Os ovulos: células sexuais femininas;


 Os espermatozóides: células sexuais masculinas.

13
9.0 Conclusão

Os diferentes tipos de células podem ser classificados em duas categorias quanto a sua
organização do núcleo células procariotas e eucariotas, as células procariotas não apresentam
uma membrana envolvendo o núcleo, portanto o conteúdo nuclear permanece misturado com
os outros componentes celulares. Os únicos pertencentes a esse grupo são as bactérias, as
cianofitas e as micobacterias. As células eucariotas são aquelas que apresentam um núcleo
delimitado por um envoltório nuclear. Nesse tipo celular, o material genético não está
espalhado pelo citoplasma, como nas células procariontes, mas sim, restritos à região do
núcleo. O material genético da célula eucariota fica "guardado" no núcleo e, em volta do
núcleo existe uma membrana que o separa do citoplasma. As células eucariotas apresentam
núcleo definido e estão presentes em protozoários, fungos, animais e plantas. No citoplasma
dessas células podem ser encontradas diversas estruturas membranosas.

14
10.0 Bibliografia

(https://brasilescola.uol.com.br/biologia/celula.htm)

(https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/Caracteristicasgerais1.php)

APEZZATO-DA-GLÓRIA, B. & CARMELLO-GUERREIRO, S.M. Anatomia Vegetal. Ed.


UFV - Universidade Federal de Viçosa. Viçosa. 2003

CUTTER, E.G. 1986. Anatomia Vegetal. Parte I - Células e Tecidos. 2ª ed. Roca. São Paulo.

CUTTER, E.G. 1987. Anatomia Vegetal. Parte II - Órgãos. Roca. São Paulo.

ESAU, K. 1960. Anatomia das Plantas com Sementes. Trad. 1973. Berta Lange de Morretes.
Ed. Blucher, São Paulo.

FERRI, M.G., MENEZES, N.L. & MONTENEGRO, W.R. 1981. Glossário Ilustrado de
Botânica. Livraria Nobel S/A. São Paulo.

RAVEN, P.H.; EVERT, R.F. & EICHCHORN, S.E. 2001. Biologia Vegetal. 6ª . ed.
Guanabara

15

Você também pode gostar