Você está na página 1de 10

Índice

Introdução……………......................................................................................................2
A identidade das Ciências das Educação...........................................................................3
As Ciências de educação no contexto das ciências humanas............................................3
Ciências Humanas e irredutibilidade do campo educativo................................................4
Existira um conflito de fronteiras?....................................................................................4
A integração do conhecimento em ciências de Educação.................................................4
Interdisciplinaridade..........................................................................................................5
O conceito de Educação como polo aglutinador...............................................................6
Co-disciplinaridade............................................................................................................6
Método integrativo............................................................................................................6
Ensaios de classificação das Ciências de Educação..........................................................6
Classificação das Ciências da Educação segundo Mialaret:.............................................6
Disciplinas que estudam a relação pedagógica e o próprio acto educativo.......................7
Disciplinas da reflexão e da evolução...............................................................................8
Conclusão………..............................................................................................................9
Bibliografia ……………………………………………………………………...10
Introdução
O presente trabalho das Ciências da Educação aborda o seguinte tema, A Identidade das
Ciências da Educação. Onde iremos As ciências de educação no contexto das ciências
humanas, Ciências Humanas e irredutibilidade do campo educativo, O conceito de
Educação como polo aglutinador e suas classificações.

Este trabalho é de carácter investigativo, para sua elaboração foram usadas várias
formas de pesquisa entre as quais, manuais e a busca na internet. O nosso principal
objectivo principal neste trabalho é de perceber a identidade das Ciências da Educação
no contexto educativo, a sua relação com as outras disciplinas e aprofundar mais os
poucos conhecimentos que tínhamos a respeito do mesmo assunto, afim de termos bases
suficientes para melhor partilhar com colegas que não trataram deste tema.

Pá g. 2
A identidade das Ciências das Educação
O problema da identidade das ciências da Educação esta relacionada ao contexto das
ciências humanas, nas tentativas de organização da sua pluralidade em sistema de
classificação, na caracterização de saber das ciências numa perspectiva transdisciplinar.

As ciências de educação no contexto das ciências humanas


Piaget, desenvolveu o quadro das ciências sociais (ciências nomotéticas, históricas,
jurídicas e disciplinas Filosóficas), e é pertinente a questão de saber onde situar as
ciências de educação, dado seu carácter multidisciplinar. Também temos de aceitar, não
podemos com elas formar um quinto grupo1 e, muito menos coloca-las fora das ciências
humanas2. As Ciências da Educação estão longe de constituírem um novo contínuo
científico, não chegando sequer a ser um agrupamento a inserir no contexto das ciências
humanas, 3O objecto das ciências de educação, na sua dimensão descritiva-explicativa,
tem um carácter subordinado, depende das elaborações teóricas das ciências humanas, e,
neste sentido, comunga das suas grandezas e misérias, das suas aquisições e ignorâncias
das suas comprovações científicas das suas intuições e das suas deformações
ideológicas.4

As Ciências Sociais e, por consequência, as Ciências de Educação, não desfrutam de um


lugar cómodo, por esse motivo elas são colocadas de baixo da epígrafe das ciências e,
em parte sobre epígrafe de não ciências5 Essas perspectivas podem ser contrariadas por
uma outra que coloque todas estas ciências numa relação de subalternização em relação
a Educação, cuja especificidade é inegável, como o reconhece muitos autores.6

A ligação directa das Ciências da Educação à radicalidade e a centralidade do fenómeno


educativo, confere a estas ciências especificidade que as não permite dissolver no
campo das Ciências Sociais e Humanas porque as vias de desenvolvimento e as
dependências predominantes não são a relação Educação que se pressupõe.

1
Adalberto Carvalho
2
Piaget
3
Adalberto Carvalho
4
Pérez Gomez, 1987, 153, apud Carvalho, 1988, 79
5
Fullat(2002,36)
6
Cf.Saada-Robert i tal.2004,3

Pá g. 3
Ciências Humanas e irredutibilidade do campo educativo
A radicalidade do pressuposto educativo garante uma certa identidade das Ciências que
concorre no processo educativo na sua mais geral. A Educação é verdadeira matriz das
ciências sócias e Humanas. Neste caso as Ciências da Educação são suporte científico
da Educação, factores de esclarecimentos, e concorre de modo fundamental para a
consolidação científica das Ciências Humanas, na medida em que cientificam a sua
própria raiz e iluminam muitas das vias que entre elas se estabelecem. Uma vez
esclarecido o objecto da Educação, ela seria susceptível de esclarecer estatuto
epistemológico das Ciências da Educação. Para tal é preciso ter objecto formal da
Educação. O radical da Educação determina todos os outros, a Educação conduziria a
relativizar os contributos de ciências que, sem deixarem de ser importantes, teriam que
ser consideradas auxiliares da Ciência de Educação.

A abordagem que as diversas ciências proporcionam a Educação, embora legítimas e até


indispensáveis não tem condições parar proporcionar a inteligibilidade específica e
totalizadora que a Educação exige.

Existira um conflito de fronteiras?


Em primeiro lugar vem frisar que se verificaram, desde sempre, entre os autores,
posicionamentos contraditórios. As Ciência da Educação não fazem parte das ciências
fundamentais, representando apenas um domínio particular destas ciências e sempre,
seriam investigações aplicadas, produzindo o seu pluralismo a dependência em que se
encontram relativamente as ciências fundamentais7.

As Ciências da Educação constituem um conjunto coerente que corresponde a um


campo específico da actividade Humana e podendo aspirar a uma certa autonomia do
mesmo modo que outras disciplinas das Ciências Humanas.

Estas contradições confirmam a necessidade de se traçarem rumos dentro da


epistemologia de investigação educativa.

A integração do conhecimento em ciências de Educação


A pluralidade não deve nem pode, pois, ser negado, nem desvalorizada, deve ser
analisada e, tanto quanto possível, ser objecto de um esforço no sentido da elaboração
de esquemas que permitam, evolutivamente, atingir unidade compreensiva no seio de

7
M. Debesse,no VI congresso internacional das ciências de Educação

Pá g. 4
uma família com contornos bem delimitados em relação a outros domínios da
investigação científica8

Da multidisciplinaridade à transdisciplinaridade

A multidisciplinaridade ou pluralidade; é, resultado do contributo das várias áreas


disciplinares e de várias disciplinas no campo da Educação. Quando se delimitam
objectos suficientemente específicos para a investigação, a pluridisciplinaridade torna-
se inevitável. Existe dois tipos de pluralidade, externa e interna;

Pluridisciplinaridade externa; traduz a colaboração de especialistas e disciplinas


diferentes para a análise dos fenómenos de Educação.

A pluridisciplinaridade interna; que constitui a pedra angular da unidade e da


autonomia das Ciências de Educação. Esta baseia-se na ideia de que o estudo completo
de um fenómeno educativo deve fazer apelo a todas as disciplinas susceptíveis de
apreender este fenómeno, nas suas diversas dimensões, e sob todos os seus aspectos. As
Ciências de Educação não são de modo algum co-extensíveis ao seu objecto porque,
precisamente, este não é, em sentido próprio, um objecto análogo aos que a vida oferece
a Biologia ou a Natureza, a Física.

Transdisciplinaridade; Uma dinâmica de indagação dos pressupostos educativos e


culturais de que sempre se parte.

A pluralidade das Ciências da Educação; se pode colocar a dois níveis: primeiro, em


que esta pode aparecer como uma das evidências constitutivas do campo disciplinar. Em
segundo, que se refere aos objectos de estudos analisados em Ciências da Educação, e
mais especificamente tal como são efectivamente tratados na investigação.

A multidisciplinaridade não pode ser vista, como o resultado de uma decisão exterior,
mas é consequência de uma necessidade intrínseca da investigação ou dos problemas
particulares que em certas circunstâncias se colocam9

Interdisciplinaridade
Há uma coordenação mais acentuada que permite a existência de uma inter-
comunicacao efectiva entre os investigadores, o que tem como consequência (e como

8
Mialaret, 1999, 81
9
Saada-Robert e Balslev 2004, 113

Pá g. 5
pressuposto) adaptações com carácter de continuidade e devidamente planificadas nos
métodos das várias disciplinas envolvidas.

O conceito de Educação como polo aglutinador


A chave parece estar no trabalho em equipa e num esforço consciente e intencional de
produzir um trabalho interdisciplinar. Na ausência deste trabalho cai-se facilmente na
ausência de investigação interconectada e complementar que oferece um amplo aspecto
do problema, e continuará o predomínio de uma investigação interessada por aspectos
parcelares de que resulta difícil inferir explicações dos fenómenos educativos.10 Por
intermédio dessa estratégia, mas tendo sempre em conta a centralidade do fenómeno
educativo e a problematicidade que o caracteriza, será possível passar de uma fase de
fraguimentaridade agregadora de contributos, para uma concepção reformuladora que os
dinamiza, por este processo, simultaneamente os une.

Co-disciplinaridade
Implica a necessidade de criar uma profunda empatia entre os membros duma equipa de
investigadores, empatia que vá até a uma possibilidade de co-pensamento.

Método integrativo
Não é o método comum, mais a característica fundamental do método ou modo de
trabalhar em Ciências da Educação. Nelas há lugares para todos os tipos de
investigação, desde a investigação históricas, até a investigação experimental mais
rigorosa.

Ensaios de classificação das Ciências de Educação


As classificações permitem em geral, obter uma maior clareza acerca da perspectiva
educativa representada por cada uma delas, permitem uma melhor delimitação e
definição de conceitos. Permitem esclarecer os pontos de convergências e as diferenças
de cada uma das disciplinas.

Classificação das Ciências da Educação segundo Mialaret:


Disciplinas que estudam condições gerais e locais da Educação

 História da Educação; Ela responde a várias necessidades, como a de permitir


o tomar mais inteligível a pedagogia actual pelo conhecimento do passado.11

10
Sacho Gil et al.,1997,101
11
Mialaret 1999, 40

Pá g. 6
 Sociologia da Educação; A sociologia da educação é uma disciplina que estuda
os processos sociais que ocorrem em relação ao ensino e à aprendizagem.
 Antropologia da Educação; ocupa-se da formação do ser humano a partir do
ponto de vista cultural.
 Demografia Escolar; o estudo estatístico da população escolar, a medida dos
comportamentos de escolarização e os movimentos internos, o estudo do nível
cultural das gerações mais velhas. 12
 Economia da Educação; Disciplina que estuda os orçamentos e custo da
Educação.
 Educação comparada; Diz respeito a analise, interpretação e explicação das
semelhanças e diferenças nas práticas de políticas educativas verificáveis e
diferentes países e cultura.13

Disciplinas que estudam a relação pedagógica e o próprio acto educativo.


Disciplinas que estudam as condições imediatas do acto educativo

 Fisiologia da Educação; Estuda as condições fisiológicas dos sujeitos do acto


educativo.
 Perissologia da Educação; o conjunto das analises, feita sob o ponto de vista
psicológicos, das instituições, dos métodos, das instrutoras de um sistema
escolar.14
 Psicossociologia dos pequenos Grupos; Analisa os fenómenos que nascem e
desenvolvem nos pequenos grupos, que condicionam e orientam a vida no seu
interior.15
 Ciências da Comunicação; Estuda as condições para que uma mensagem possa
ser transmitida e recebida em boas condições.
 Didáctica das referentes Disciplinas; é um ramo da ciência pedagógica que
tem como objectivo ensinar métodos e técnicas que possibilitem a aprendizagem
do aluno por parte do professor ou instrutor.

12
Tsafak, 2001, 2018
13
Tsafak 2001, 167-171; Nóvoa, 1999,51-84
14
Mialaret 1999, 52
15
Blout-Chapiro e Ferry 1991,104

Pá g. 7
 As ciências dos métodos e das técnicas educativas; é a diversidade de métodos
disponíveis que obrigam a um esforço de adequação às matérias e aos objectivos
e exigindo muita ponderação e cuidado16.
 A ciência da avaliação ou docimologia; tem por objectivo o estudo sistemático
dos exames, em particular do sistema de atribuição de notas e dos
comportamentos dos examinadores examinados.17

Disciplinas da reflexão e da evolução


 Filosofia da Educação; analisa os pressupostos e as finalidades da Educação,
elucida problemas, esclarece antinomias que residem no âmago do acto de
educar, procura a sua natureza e princípios orientadores.18
 Planificação da Educação; refere-se à acção e ao efeito de planificar (ou
planear), isto é, organizar-se ou organizar algo de acordo com um plano.
Implica ter um ou vários objectivos a cumprir, juntamente com as acções
requeridas para que esses objectivos possam ser alcançados.
 Teoria dos Modelos; é o estudo da representação de conceitos matemáticos
em termos de teoria de conjuntos, ou o estudo de modelos que apoiam sistemas
matemáticos.

16
Mialaret 1999, 69
17
Cf. Boavida e Barreira, 1992,
18
Cf. Carvalho 1988

Pá g. 8
Conclusão
Depois de uma abordagem em terno do tema supracitado chegamos ao fim. Para o
término do mesmo trabalho fora necessário varias leituras de manuais concluímos que a
Identidade das Ciências da Educação na sua dimensão descritiva-explicativa, tem um
carácter subordinado, depende das elaborações teóricas das ciências humanas, e, neste
sentido, comunga das suas grandezas e misérias, das suas aquisições e ignorâncias das
suas comprovações científicas das suas intuições e das suas deformações ideológicas.
Este trabalho abriu em nós um novo horizonte sobre as Ciências da Educação.

Pá g. 9
Bibliografia

MIALARET, G. (1999). Ciências da Educação. Lisboa

-TEIXEIRA, Manuela. (1995). O professor e a Escola. Perspectivas organizacionais.


Editora McGraw-Hill de Portugal-

-SOBRAL, José J. (1986). Para uma Pastoral de Educação. São Paulo

Pá g. 10