Você está na página 1de 186

Manual de operação

Guindaste hidráulico

PKK 12500
Advantage

N° de série
do guindaste:

Edição: 01/2014 DB 830+PT


Madal Palfinger S.A.
&13-
Rua Flávio Francisco Bellini, 350
Bairro Salgado Filho - 95098-170
Caxias do Sul – RS – Brasil
www.palfinger.com
Prezado Cliente,
Muito obrigado pela sua decisão e a sua confiança num produto de
qualidade da PALFINGER. Ao desenvolvermos e fabricarmos o seu
guindaste, fizemos tudo para lhe garantir uma excelente e segura
operação.
Observe, por favor, as indicações de aviso adiante apresentadas,
para poder trabalhar com o seu produto PALFINGER durante longo
tempo, de forma confiável e econômica.
• Observe todos os avisos de segurança.
• Faça a manutenção do seu guindaste PALFINGER conforme
prescrito.
• Cumpra os intervalos de revisão prescritos.
• Limpe o guindaste regularmente, pois a sujeira aumenta o
desgaste do guindaste.
• As impurezas por graxa e óleos aumentam o perigo de acidente.
• Todas as proibições e advertências deste manual de operações
têm que ser respeitadas, pois elas protegem a sua vida e a de
para outras pessoas.
Desejamos-lhe muito sucesso com o seu produto PALFINGER!
&RQWH~GR

Conteúdo
Indicações sobre o manual de operação .......................................................................................................... 1
Manual de operação ......................................................................................................................................... 3
Validade do manual de operação ..................................................................................................................... 3
Termos ............................................................................................................................................................. 4
Símbolos .......................................................................................................................................................... 5
Gráficos e figuras ............................................................................................................................................. 5
Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde ....................................................................... 7
Segurança para pessoas .................................................................................................................................. 9
Utilização incorreta do guindaste ....................................................................................................................10
Riscos residuais ..............................................................................................................................................10
Prescrições estatais e normas para a operação do guindaste ........................................................................11
Condições de trabalho adversas .....................................................................................................................11
Perigo de queda ..............................................................................................................................................12
Perigo de esmagamento .................................................................................................................................13
Perigo de queimadura .....................................................................................................................................14
Emissão de ruído ............................................................................................................................................14
Perigos decorrentes dos gases de escape .....................................................................................................15
Perigo decorrente de condutores elétricos .....................................................................................................15
Após manutenção, assistência e reparos ........................................................................................................17
Generalidades ...................................................................................................................................................19
Normas e Regulamentos ..................................................................................................................................21
Vida útil ...........................................................................................................................................................21
Instalação do guindaste ....................................................................................................................................21
Modificações no guindaste .............................................................................................................................22
Pessoal operador ............................................................................................................................................22
Guindaste e funcionamento ..............................................................................................................................23
Componentes principais ..................................................................................................................................24
Símbolos dos comandos .................................................................................................................................26
Interruptores e teclas .......................................................................................................................................29
Símbolos das indicações de perigo .................................................................................................................30
Vista geral das placas .....................................................................................................................................30
Dispositivos de segurança ...............................................................................................................................37
Generalidades ................................................................................................................................................39
Interruptor de parada de emergência ..............................................................................................................39
Sistema de segurança e de comando Paltronic 50 .........................................................................................40
Monitoração da estabilidade (ISC - S) .............................................................................................................48
Monitorização da posição íngreme .................................................................................................................50
Sistema de limitação do momento de carga OSK ...........................................................................................51
Sistema de monitorização para posição de transporte ...................................................................................52
Operação de comando de emergência após avaria do controle remoto .........................................................53
Avaria do sistema elétrico do guindaste ..........................................................................................................54
&RQWH~GR
Equipamento adicional .....................................................................................................................................55
Generalidades ................................................................................................................................................57
Meios de suspensão de carga .......................................................................................................................58
Acessórios ......................................................................................................................................................59
Equipamentos adicionais do guindaste ..........................................................................................................70
Preparar a operação do guindaste ..................................................................................................................73
Utilização correta / limites da máquina ............................................................................................................75
Ter atenção a falhas, antes e durante a operação .........................................................................................76
Área de trabalho ..............................................................................................................................................77
Ligar o guindaste .............................................................................................................................................78
Estabilizar o veículo ........................................................................................................................................78
Braço estabilizador .........................................................................................................................................83
Cilindro de patolamento ..................................................................................................................................84
Inclinação do veículo .......................................................................................................................................86
Colocar o guindaste na posição de trabalho ..................................................................................................87
Inspeção diária de funcionamento dos dispositivos de segurança .................................................................92
Responsabilidades dos proprietários e usuários .............................................................................................94
Operação do guindaste .....................................................................................................................................98
Limites de carga ............................................................................................................................................101
Posição de trabalho guindaste ......................................................................................................................102
Cargas ..........................................................................................................................................................104
Trabalhar com cargas ...................................................................................................................................105
Terminar a operação do guindaste ................................................................................................................111
Colocar o guindaste na posição de transporte ..............................................................................................113
Transporte do guindaste com as lanças sobre a carroceria .........................................................................117
Recolher os cilindros de patolamento/braços estabilizadores .......................................................................118
Antes do início de cada viagem .....................................................................................................................123
Manutenção .....................................................................................................................................................125
Generalidades ..............................................................................................................................................127
Horímetro ......................................................................................................................................................128
Manutenção...................................................................................................................................................130
Limpeza .........................................................................................................................................................131
Inspeção visual ..............................................................................................................................................132
Lubrificar o guindaste ....................................................................................................................................135
Troca do óleo hidráulico, troca do filtro .........................................................................................................140
Reparar falhas da pintura ..............................................................................................................................143
Assistência técnica .........................................................................................................................................145
Generalidades ..............................................................................................................................................147
Verificação das uniões roscadas ..................................................................................................................148
Primeira assistência após 50 horas de serviço..............................................................................................148
Todas as 1000 horas de serviço ou pelo menos uma vez por ano ...............................................................151
Todos os 6 anos ............................................................................................................................................151
Gancho de carga e manilha ..........................................................................................................................152
Verificação dos dispositivos de segurança ....................................................................................................153
Mangueiras de proteção ................................................................................................................................153
Reparos ........................................................................................................................................................153
Taxa de abaixamento ....................................................................................................................................153
SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente ...................................................................................................153
Desmantelamento e eliminação ...............................................................................................................155
Diretrizes - Desmantelamento e eliminação .................................................................................................157
Descrição técnica ........................................................................................................................................159
Capítulo 1

CAPÍTULO 1

Indicações sobre o manual de


operação

Neste capítulo
Manual de operação......................................................................3
Validade do manual de operação ..................................................3
Termos ..........................................................................................4
Símbolos .......................................................................................5
Gráficos e figuras ..........................................................................5

1
Capítulo 1 Indicações sobre o manual de operação

Manual de operação
O manual de operação foi concebido para permitir uma operação mais simples e segura do guindaste.
O manual de operação faz parte do guindaste.
Conservar o manual de operação sempre junto ao guindaste (cabina do condutor).
Advertência! No caso de perda ou danos deste manual de
operação, favor dirigir-se ao seu assistente PALFINGER e solicitar
um novo exemplar.

O manual de operação e as fichas técnicas em anexo não substituem um treinamento.


Favor dirigir-se de imediato ao seu assistente PALFINGER se neste manual estiver alguma coisa
descrita com pouca clareza. Agradecemos as sugestões dos nossos clientes, que são bem-vindas e
ajudam a configurar o manual de operação de forma mais agradável ao usuário.

Advertência! Anexo a este manual encontra também o DVD


PALFINGER "Operator Information" com versão em Português
“Informações ao Operador”.

Atualidade na impressão
A PALFINGER, através de evolução, esforça-se por empregar sempre no guindaste a mais recente
e inovadora tecnologia. Poderá resultar daí uma eventual diferença entre o manual de operação e
o guindaste.
Favor dirigir-se de imediato ao seu assistente PALFINGER se uma função não for descrita, não for
suficientemente descrita ou for descrita de forma errada.
Das indicações, figuras e descrições deste manual de operação não podem derivar direitos legais do
empresário, operador ou assistente.

© Copyright by PALFINGER Qualquer reprodução (mesmo parcial) somente após


autorização por escrito da:
MADAL PALFINGER S.A.
Rua Flávio Francisco Bellini, 350
95098 – 170 - Caxias do Sul/RS - Brasil

Validade do manual de operação


Este manual de operação é válido exclusivamente para o guindaste apresentado em título na capa. Só
tem validade em conjunto com os manuais de operação de todos os outros guindastes acessórios
utilizados no guindaste/veículo.

3
Indicações sobre o manual de operação

Termos

Empresário Proprietário, locatário, arrendatário do guindaste, instala o guindaste, opera ele próprio o
guindaste ou encarrega terceiros de realizar a operação.
Operador Qualquer pessoa que coloque o guindaste em operação.
Colocação em Ligar o guindaste, independentemente da finalidade (operação, manutenção,
funcionamento assistência técnica, etc.).
Ajudantes Ajudam, não operam o guindaste.
Instalador Instala o guindaste no veículo.
Assistente Autorizado pela PALFINGER.
Especialista A pessoa que, com base na sua instrução especializada e experiência, possui
conhecimentos suficientes na área de guindastes de carga e que conhece as
respectivas leis e prescrições estatais, de forma a poder ajuizar o estado seguro de
operação.
Procede devidamente A pessoa que observa e está consciente de todas as obrigações de esmero que lhe
são impostas pela sua atividade.
Procede de forma A pessoa que descuida as obrigações que lhe são impostas pela sua atividade.
negligente
Procede com Não observa o que é evidente para qualquer pessoa nas respectivas circunstâncias.
negligência grave
Momento de carga O momento que é exercido através da carga suspensa no guindaste, dos
guindastes acessórios, dos meios de sustentação da carga, etc. e tudo o que
estiver suspenso no gancho.
Momento próprio O momento que é exercido através do peso próprio do sistema de braços.
Momento total de É composto pelo momento de carga e pelo momento próprio.
elevação
Força de elevação A força aplicada para elevar uma carga.
Situação de sobrecarga Atingir a carga máxima admissível para a posição de trabalho momentânea.
Posição de trabalho Posição do guindaste.
Área de trabalho O espaço físico que é necessário para a execução do trabalho.
Área de movimento O espaço físico onde o guindaste pode ser movimentado.
Área de carga O espaço físico onde se pode trabalhar com cargas com o respectivo guindaste.
Trajetória de carga O traçado do caminho percorrido da carga ao ser movida.
Segurar a carga Segurar a carga elevada sob supervisão do operador, enquanto estiverem ativos os
sistemas de segurança do guindaste.
Guindaste pronto Guindaste preparado para o respectivo trabalho.
para operar
Instruções de Para instruções de operação/serviço particulares elaboradas pelo empresário,
operação/serviço de forma complementar a este manual de operação.
Operação de Tipo de operação não destinado à operação normal do guindaste. Serve para colocar o
emergência guindaste em posição de transporte, após avaria do sistema elétrico e/ou dos
dispositivos de segurança.

4
Capítulo 1 Indicações sobre o manual de operação

Símbolos
Para configurar o manual de operação com maior clareza, determinadas indicações de aviso,
instruções ou riscos importantes são realçados por meio de símbolos e palavras sinalizadoras.

Perigo!
Símbolo e palavra sinalizadora são utilizados em caso de ameaça
direta de perigo de morte.
Se esta instrução de segurança for ignorada, existe perigo premente
de morte para o operador e para outras pessoas.

Cuidado!
Símbolo e palavra sinalizadora são utilizados em caso de ameaça
direta de perigo.
Se esta instrução de segurança for ignorada, existe perigo de
ferimento para o operador e para outras pessoas. O guindaste é
danificado.

Advertência!
Símbolo e palavra sinalizadora são utilizados para determinados
avisos importantes, que facilitam o trabalho com o guindaste.

Símbolo de alavanca de comando:


Em posição neutra Acionada

Gráficos e figuras

Advertência! Algumas figuras (por exemplo, representações do


guindaste) contidas neste manual de operação são representações
simbólicas e servem apenas para ilustração.

5
Capítulo 2

CAPÍTULO 2

Exigências em matéria de
proteção da segurança e da
saúde

Neste capítulo
Segurança para pessoas...............................................................9
Utilização incorreta do guindaste..................................................10
Riscos residuais ..........................................................................10
Prescrições estatais e normas para a operação do guindaste ....11
Condições de trabalho adversas .................................................11
Perigo de queda ..........................................................................12
Perigo de esmagamento..............................................................13
Perigo de queimadura .................................................................14
Emissão de ruído.........................................................................14
Perigos decorrentes dos gases de escape ..................................15
Perigo decorrente de condutores elétricos...................................15
Após manutenção, assistência e reparos ....................................17

7
Capítulo 2 Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Segurança para pessoas


Este guindaste é uma máquina para trabalho. Foi concebido e construído em conformidade com
as Normas, Diretivas e Condições de Segurança em vigor no Brasil. No entanto, durante a sua
operação, manutenção ou assistência técnica podem surgir perigos imprevistos para pessoas, para
o guindaste ou para outras coisas.
A segurança do operador e de outros tem que estar sempre colocada em primeiro lugar.
São proibidas as situações de operação em que o operador ou outras pessoas são colocadas em
perigo.
Em caso de emprego abusivo, negligente e/ou errado, o guindaste possui um elevado potencial de
perigo.
Antes de cada manuseio ou entrada em funcionamento do guindaste, o operador tem que assegurar-se
de que nem ele nem outras pessoas se encontram na zona de perigo!
O operador tem que conhecer e compreender todos os avisos de segurança existentes no manual de
operação e o significado de todas as placas.
Vestuário de proteção
Em todas as atividades realizadas no guindaste, tais como:
• Limpeza e manutenção
• Trabalhos preparativos
• Controles diários
• Operação
• Revisão/Assistência técnica e reparos
tem que ser usado o respectivo vestuário de proteção correspondente ao perigo.
Antes de colocar o vestuário de proteção, retirar adornos (exemplo: anéis, colares, pulseiras, etc.).

Equipamentos de Proteção Individual – EPI´s

Para a operação do guindaste recomendamos:


Operação: Vestuário de proteção, luvas de trabalho, calçado de segurança, capacete.
Outras atividades: utilizar outros EPI´s, conforme o perigo (exemplo: protetor auricular em caso de
nível elevado de ruído, óculos de proteção, luvas de trabalho de couro, cinto de segurança tipo
paraquedista, etc).

9
Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Utilização incorreta do guindaste


Perigo! Se o guindaste for utilizado incorretamente, existe
perigo premente de morte para o operador e para outras pessoas.

Os acidentes causados por uma utilização incorreta são uma negligência grave, se:
• O guindaste não for utilizado de acordo com as especificações.
• O guindaste for colocado em funcionamento e operado por pessoal não instruído e não
qualificado.
• As indicações de perigo e segurança neste manual de operação não forem cumpridas.
• O guindaste for colocado em funcionamento apesar das avarias identificadas.
• A manutenção e/ou a assistência técnica não tiverem sido realizadas ou tiverem sido
realizadas de maneira deficiente.
• Forem utilizadas peças de outra procedência como peças de reposição.
• Tiverem sido montadas peças de reposição diferentes das peças PALFINGER originais.

Riscos residuais
Este manual de operação serve de guia. Só os operadores qualificados estão em condições de
operar o guindaste com segurança e sem riscos. Durante a operação podem ocorrer situações de
perigo, que não tenham sido previstas pela PALFINGER. Essas situações de perigo não são,
por este motivo, tratadas pela PALFINGER neste manual de operação.
Se ocorrerem tais situações de perigo, o operador deve proceder com responsabilidade, segurança e
previdência, sendo responsável pela segurança de todas as pessoas.
A segurança das pessoas deve estar sempre em primeiro lugar para o operador.

Operação indevida
Utilize o guindaste apenas para elevar cargas. Todas as intervenções mecânicas (empurrar ou
encostar/forçar em obstáculos, elevar cargas utilizando pontos diferentes dos indicados, puxar cargas,
etc., são proibidas.

Movimentar pessoas com o guindaste é proibido. Para movimentar pessoas com o guindaste este deve
estar adequado para esta finalidade, conforme determinado em legislação vigente no país.

Perigo! A não observância destas condições de trabalho origina perigo


de morte para o operador e para outras pessoas e/ou danos ao guindaste.

O fabricante do guindaste não se responsabilizará por danos causados por uso


indevido.

10
Capítulo 2 Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Prescrições estatais e normas para a operação do guindaste


O operador tem que conhecer e seguir as prescrições específicas do país, as normas e as
determinações de segurança relativas a operação de guindastes.
Se no manual de operação forem apresentadas prescrições e determinações de segurança, que
contrariem as leis e as prescrições específicas do país, prevalecem as leis e prescrições específicas
desse país.

Condições de trabalho adversas


O guindaste não deve ser operado nas seguintes circunstâncias:
• Chuva intensa
• Trovoadas iminentes
• Velocidade do vento a partir de 40 km/h.
• Velocidade do vento a partir de 34 km/h com cargas de grandes dimensões ou com
cargas em posição íngreme.
Intensidade do
vento na escala Descrição m/s km/h
de Beaufort
Farfalhar das folhas, vento
0 -2 máx. 3,4 máx. 11
sentido no rosto
Folhas e galhos finos se agitam,
3 3,4 - <5,5 12 - 19
bandeirolas se estendem
Galhos se agitam, papéis soltos
4 5,5 - <8,0 20 - 28
são levantados do chão
Galhos maiores e árvores se
5 agitam, ondas espumosas nos 8,0 - <10,8 29 - 38
lagos
Ramos grossos se agitam,
6 assobio ouvido junto a cabos de 10,8 - <13,9 39 - 49
arame, cabos telefônicos
Árvores oscilam, resistência
7 sentida ao caminhar contra o 13,9 - <17,2 50 - 61
vento
• Baixa visibilidade e/ou pouca iluminação.
• Temperatura ambiente inferior a 0ºC ou superior a +50ºC. Durante a operação,
a temperatura ambiente média não deve ser superior a +40 ºC (ex.: ambientes fechados e/ou com
fontes geradoras de calor - fornos, caldeiras, etc.).
• É responsabilidade do proprietário do guindaste, dar ao operador, condições de verificar a
velocidade do vento e a temperatura ambiente.

Perigo! A não observância destas condições de trabalho origina


perigo de morte para o operador e para outras pessoas e/ou danos ao
guindaste.

11
Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Perigo de queda
Cuidado! Subir no guindaste pode originar na queda da pessoa ou a
danificação do guindaste. Existe perigo premente de acidente.

É proibido subir no guindaste.


Exceção: Subida para locais de operação por meio de sistemas de subir (ver "Posto elevado,
assento elevado" no capítulo 6).
Cabos, sensores, presilhas de fixação para sensores, desviadores para sensores, etc., não devem ser
utilizados como apoios e/ou pegas de retenção.

Cuidado! Se for necessário subir no guindaste (para inspeção visual,


manutenção, assistência técnica, etc.), deve ser utilizado um meio
auxiliar de subida (por ex., escada).

12
Capítulo 2 Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Perigo de esmagamento
Perigo! Em caso de não serem atingidas as distâncias mínimas a
seguir indicadas, existe perigo premente de esmagamento.

São proibidas as situações de operação em que existe perigo de esmagamento para o operador ou
outras pessoas!
Distâncias mínimas necessárias

Corpo Perna Pé Braço Mão Dedo

O ponto de esmagamento para as partes do corpo acima indicadas não é considerado ponto de perigo
se as distâncias de segurança não forem inferiores às indicadas. Além disso, há que assegurar-se que
a parte do corpo mais próxima, de maior dimensão, não possa chegar ao ponto de esmagamento.

Pontos de esmagamento
Possíveis pontos de esmagamento.

Dependendo da instalação e da utilização, podem surgir outros pontos de esmagamento.

13
Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Perigo de queimadura
Alguns componentes podem, durante o funcionamento, ficar muito quentes (tubos, mangueiras,
válvulas, alavancas de acionamento em válvulas, acoplamentos de mangueiras, cilindros hidráulicos,
motores hidráulicos, bombas hidráulicas, etc.).
Deste modo, com o contato destas peças, podem originar-se queimaduras!
Em caso de vazamento de óleo, existe o perigo de queimadura por contato!
Para se evitar queimaduras, o sistema de escape do veículo tem que estar coberto na área de
operação ou ser respeitada uma distância suficiente.

Não fumar!
Não utilizar chamas abertas!

Emissão de ruído
Cuidado! No caso de uma emissão de ruído continuamente baixa ou
uma emissão de ruído temporariamente elevada, a saúde do operador
e das pessoas presentes está seriamente em perigo.

Fonte principal de ruído: Motor do veículo.


Medidas de proteção: Protetor auricular.

Os operadores têm que observar as respectivas normas e leis específicas do país para proteção
contra o ruído.
Valores medidos
Nos postos de operação de guindastes de carga montados em veículos com motor diesel (também no
comando com controle remoto a 1 m do veículo) – o nível de emissão sonora dependendo do
veículo, estado de conservação do veículo, condição de funcionamento (regime de marcha lenta,
carga total) – são, de acordo com a instalação do guindaste, obtidos os seguintes valores:
• 72 a 84 dB(A), no caso de um regime de operação em marcha lenta ou RPM elevado do motor do
veículo
• 79 a 86 dB(A), no caso do guindaste em funcionamento
• O nível de potência acústica, por ocasião da operação de um guindaste situa-se entre 92 e 100
dB(A)
Advertência! Para reduzir a perturbação sonora, recomendamos a
manutenção de um regime de RPM baixo e, em caso de utilização com
controle remoto, a escolha de uma distância superior a 1 m em relação
ao motor do veículo.

14
Capítulo 2 Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Perigos decorrentes dos gases de escape


Os componentes dos gases de escape, como o monóxido de carbono, óxidos de azoto ou fuligem
diesel, podem prejudicar o operador no posto de comando.
Por isso deve ser observado o seguinte:
• os gases de escape do veículo não desemboquem na área dos locais de operação.
• nos trabalhos realizados em recintos fechados, os gases de escape têm que ser conduzidos para
o ar livre através de meios auxiliares apropriados.

Perigo decorrente de condutores elétricos


Perigo! Já com a proximidade a um condutor elétrico ocorre
transposição da corrente. O operador recebe um choque elétrico
mortal.

A qualidade e a altura de condutores elétricos não revelam nada sobre a respectiva tensão.
Em caso de tensão desconhecida, distância mínima a condutor elétrico 5 metros. Isto é válido para
o guindaste, acessórios, guincho de cabo, cabo de aço, meios de suspenção de carga e a própria carga.

Advertência! As mínimas distâncias de condutores energizados


podem diferir (dependendo do país) das distâncias mínimas aqui
indicadas. Por isso, o operador está obrigado a observar as
respectivas prescrições específicas do país.

• Para os condutores elétricos, tem que ser sempre observada a distância mínima exigida.
• É proibido fundamentalmente realizar trabalhos por cima dos condutores elétricos.
• Antes do início dos trabalhos, recolher informações sobre a tensão do condutor elétrico junto
da empresa de distribuição da energia elétrica.
• Em caso de trabalhos que obriguem a não respeitar a distância mínima, os condutores
elétricos têm que estar desenergizados. Não atingir a distância mínima sem desenergizar os
condutores elétricos constitui uma negligência grave e perigo de morte!
Ter adicionalmente em consideração: Com vento, um condutor elétrico oscila. Os condutores elétricos
podem também estar fora do campo de visão do operador.
O braço de carga do guindaste, ou a carga, pode oscilar, com movimento pendular, através de um
movimento brusco. Através deste movimento indesejado, pode resultar proximidade a uma
condutor elétrico energizado. Surge uma transposição da corrente para o guindaste, acessórios,
meios de suspensão de carga ou para a própria carga.

15
Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Distâncias mínimas para os condutores (cabos e fios) percorridos pela corrente elétrica

Tensão Distância mínima

até 1.000 Volts 1,0 metro


desconhecido ou superior a 1.000 Volts 5,0 metros

Providencias em caso de descarga elétrica

Advertência! Somente através da reação correta pode ser evitado


um acidente com consequências graves.
• Manter a calma, não se mover.
• Alertar as pessoas presentes e ordenar a observância da distância de segurança.

Perigo! Em caso de contato de um condutor elétrico energizado


com o solo, surge um funil de tensão. No interior deste funil
de tensão, existe perigo premente de morte.
• Distância mínima do veículo, guindaste, ou carga em relação a condutores elétricos rompidos:
pelo menos 10 metros (campo de tensão).
• Sair do campo de tensão somente saltitando. Por causa da tensão de passo, manter as
pernas fechadas.
• Não sair, em circunstância nenhuma, do posto elevado, assento elevado, cabine do motorista ou
carroceria. Permanecer no lugar e não tocar em nada.
• Não tocar no guindaste, carga ou condutores elétricos rompidos.
• Providenciar de imediato no desligamento (desenergização do condutor elétrico rompido.

Perigo! No caso da aproximação de uma pessoa, a um guindaste ou


a uma carga, que se encontra no circuito de corrente, existe perigo
premente de morte.

• Antes do salvamento de pessoas que se encontram no campo de tensão, tem que ser
desconectado/desenergizado o condutor elétrico rompido.

16
Capítulo 2 Exigências em matéria de proteção da segurança e da saúde

Após manutenção, assistência técnica e reparos


Advertência! Após cada manutenção, reparo ou assistência técnica
é absolutamente necessária a verificação das funções de todos os
dispositivos de segurança!

17
Capítulo 3

CAPÍTULO 3

Generalidades

Neste capítulo
Normas e regulamentos................................................................21
Vida útil..........................................................................................21
Instalação da instalação...............................................................21
Modificações no guindaste...........................................................22
Pessoal operador ........................................................................22

19
Capítulo 3 Generalidades

Normas e Regulamentos
Este guindaste PALFINGER é o resultado de avançada tecnologia no projeto, fabricação e montagem de produtos os
quais primam pela segurança e eficiência operacional com a qualidade PALFINGER. Os guindastes PALFINGER
atendem e superam as normas e regulamentos publicados pela ABNT(Associação Brasileira de Normas Técnicas),
Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil e Normas da Comunidade Europeia (CE).

As seguintes Normas e Regulamentos foram atendidas e/ou superadas:

• NBR14768:2012
• NR12 do MTE do Brasil
• EN12999:2006

Vida útil
A vida útil de um guindaste PALFINGER depende fundamentalmente: da maneira e frequência da sua utilização, ambiente
operacional, frequência das revisões/manutenções preventivas e corretivas, etc.
Estimamos a vida útil de um guindaste PALFINGER entre 10 e 15 anos ou 10.000 e 15.000 horas
trabalhadas o que vencer primeiro, contanto que:
• o equipamento não tenha sido submetido a sobrecarga;
• o equipamento tenha operado de forma normal, ou seja: pressão, velocidade e uso
conforme estabelecido no manual do operador do equipamento;
• o equipamento não tenha sido operado por período superior a 5 (cinco) horas diárias e de forma não contínua;
• o ambiente de trabalho não tenha sido agressivo, isto é, não submetido a: maresia, vapores ácidos, nuvens
de pó/poeira ou areia, tempestades de areia, baixas temperaturas com neve e sal para o degelo, etc.
• as revisões periódicas, durante o período de garantia, tenham sido realizadas através do Serviço Autorizado
PALFINGER;
• as revisões periódicas, após o período de garantia, tenham sido realizadas e registradas no manual de
serviços do guindaste e preferencialmente realizadas através do Serviço Autorizado PALFINGER;

• durante as manutenções preventivas e/ou corretivas tenham sido utilizadas somente peças de reposição
originais PALFINGER;
• os componentes de segurança tenham sido inspecionados quanto a sua existência e funcionalidade,
conforme indicado nas revisões periódicas;
• anualmente ou sempre que exigido por lei/norma em vigor, realizar revisão com a emissão da respectiva ART
(Anotação de Responsabilidade Técnica) de manutenção assinada por engenheiro responsável.

Instalação do guindaste sobre veículo


Deve ser realizada por um Serviço Autorizado PALFINGER de acordo com o Manual de Integração
Veicular da PALFINGER.

O instalador do guindaste sobre o veículo, deve providenciar na ART (Anotação de Responsabilidade


Técnica), assinada por um engenheiro e correspondente a integração veicular por ele realizada.

Instalação do guindaste em base fixa


Em caso de instalação, não veicular, (ex.: instalação estacionária – base fixa) os valores de capacidade de carga
podem modificar-se. Em caso de dúvidas, por favor peça esclarecimento junto ao assistente técnico PALFINGER.

21
Generalidades

Entrega do guindaste instalado ao empresário/operador


• Treinamento completo da operação do guindaste.
• Advertência para todos os perigos e riscos residuais.
• Esclarecimento sobre todos os dispositivos de segurança.
• Entrega do manual de serviços, manual de operação e manutenção, documentos relativos a integração
veicular correspondentes ao guindaste, acessórios, etc.
• Preenchimento dos documentos da entrega técnica.
• Registro do início da Garantia.

O responsável pelo veículo + guindaste tem que providenciar na:

• Parametrização do motor do caminhão para casos de motor eletrônico


• Alteração do respectivo CRVL do veículo, no caso de veículo já emplacado.

Modificações no guindaste
Advertência! São proibidas modificações realizadas pelo
empresário/operador! Exceção: Proteção anticorrosão e trabalhos de
manutenção de acordo com o capítulo "Manutenção".

As modificações no guindaste só devem ser realizadas pela assistência técnica PALFINGER.

Pessoal operador
Este e q u i p a m e n t o é uma máquina de trabalho da qual, em caso de operação errada ou inadequada,
resulta um grande perigo para o operador e outras pessoas. Por isso, o guindaste só deve ser colocado
em operação por pessoas que cumpram as condições abaixo indicadas.

Perigo! Se o operador do guindaste não for treinamento, ou não


possuir a necessária formação e/ou não tiver conhecimento deste
manual de operação, existe perigo premente de morte para o operador
e para outras pessoas.

Advertência! O empresário tem que instruir o operador ou manda-lo


receber treinamento. Estes operadores têm que atender a todas as
exigências aqui referidas.

A operação deste guindaste exige o seguinte do operador:


• Treinamento completo assim como instruções de operação neste modelo de guindaste.
• Conhecimento do conteúdo deste manual de operação.
• Que o treinamento, instruções de operação e o manual de operação tenham sido compreendidos.
• Conhecimento do conteúdo das instruções de operação do guindaste e de todos os acessórios
utilizados.
• Conhecimento das respectivas prescrições específicas do país, normas e leis relativas à operação
deste modelo de guindaste e de todos os acessórios utilizados.
• Aptidão física e mental.
• Capacidade de concentração, responsabilidade, confiabilidade.
• O treinamento exigido por lei (observar as leis específicas do país).
• Sem limitações devidas a álcool, drogas ou medicamentos.
• Idade mínima (observar as leis específicas do país).

22
Capítulo 4

CAPÍTULO 4

Guindaste e funcionamento

Neste capítulo
Componentes principais ..............................................................24
Símbolos dos comandos .............................................................26
Interruptores e teclas ...................................................................29
Símbolos das indicações de perigo .............................................30
Vista geral das placas .................................................................30

23
Capítulo 4 Guindaste e funcionamento

Componentes principais
O guindaste apresentado é um exemplo e também apresenta componentes, os quais, conforme modelo
e variante, podem encontrar-se de forma opcional no seu guindaste.

As designações dos componentes principais se encontram na página seguinte.

24
Guindaste e funcionamento

Componentes principais
1 Posto de operação no solo - lado do comando e lado oposto
2 Prisioneiros para fixação do guindaste
3 Cilindro estabilizador escamoteável
4 Cilindro estabilizador rígido
5 Braço estabilizador
5a Braço estabilizador telescópico

6 Dispositivo de segurança para braço estabilizador com abertura manual


7 Reservatório de óleo hidráulico com indicador de temperatura e do nível do óleo hidráulico
8 Sistema de giro

9 Base do guindaste

10 Coluna do guindaste
11 Cilindro de elevação
12 Posto de operação em assento aéreo

13 Biela do sistema “Power Link”


14 Guincho de cabo
15 Braço anterior
16 Cilindro de inclinação
17 Cilindros lanças hidráulicas
18 Braço posterior
19 Lanças hidráulicas
20 Lanças mecânicas
21 Gancho de carga
22 Transmissor do controle remoto
23 Balancim

25
Capítulo 4 Guindaste e funcionamento

Símbolos dos comandos


A seguir são explicados os símbolos dos comandos. A sequência das funções (símbolos) pode ser
diferente, no respectivo posto de operação, do exemplo a seguir apresentado. Por isso é
absolutamente necessário familiarizar-se com a disposição dos símbolos existentes no guindaste.
Para os símbolos no transmissor do controle remoto, consulte as instruções de operação do
controle remoto.

Braço estabilizador lado do operador


Recolher

Estender

Cilindro de apoio lado do operador


Elevar

Baixar

Braço estabilizador diante do lado do operador


Recolher

Estender

Cilindro de patolamento do lado oposto ao do operador


Elevar

Baixar

Girar
No sentido horário (para
a direita)

No sentido anti-horário
(para a esquerda)

26
Guindaste e funcionamento

Braço principal
Baixar

Elevar

Braço posterior
Baixar

Elevar

Lanças hidráulicas
Estender

Recolher

Rotador
No sentido horário (para
a direita)

No sentido anti-horário
(para a esquerda)

Garra
Abrir

Fechar

27
Capítulo 4 Guindaste e funcionamento

Guincho de cabo
Elevar

Baixar

Lança Jib - braço principal


Baixar

Elevar

Lança Jib - lanças hidráulicas


Estender

Recolher

28
Guindaste e funcionamento

Interruptores e teclas

Comutar entre rotador e braço posterior da lança Jib

Comutar entre garra e lanças hidráulicas da lança Jib.

Tecla OLP

Buzina de aviso

Faróis de trabalho Apagados/Acesos

Operação do guindaste por controle remoto

Tecla de confirmação "Estender estabilizadores" no modo de


operação com controle remoto

Operação do guindaste a partir do posto de operação do


guindaste

Operação dos estabilizadores/patolamento

Partida do motor do veículo

Parada do motor do veículo

+/- RPM – aumentar ou diminuir a rotação do motor do veículo

29
Capítulo 4 Guindaste e funcionamento

Símbolos das indicações de perigo

Conhecimento do conteúdo deste manual de operação

Distância de segurança Operação do guindaste

Distância de segurança Operação de apoio

Não dirigir jato de água para . . .

Vista geral das placas


As placas são uma parte do dispositivo de segurança e se destinam à proteção do operador e de
para outras pessoas e a uma operação segura do guindaste.

Cuidado! Placas ausentes ou ilegíveis aumentam o risco de


acidente.

Placas ausentes/ilegíveis originam erro de operação e comportamento errôneo da operação do


guindaste e têm que ser imediatamente substituídas.

30
Guindaste e funcionamento

Vista geral das placas/adesivos:

31
Capítulo 4 Guindaste e funcionamento

1. Adesivo da logo marca


Posição:
Em ambos os lados no braço principal e na lança Jib

2. Identificação do guindaste
Posição:
Em ambos os lados no braço principal.
Significado:
Designação do modelo do guindaste.

3. Ponto perigoso
Posição:
Braços estabilizadores, cilindros de extensão.
Significado:
Aviso de ponto perigoso.
Riscos se ignorado:
Perigos variados.

4. Adesivo de instruções de uso do cilindro escamoteável


Posição:
Nos cilindros de patolamento.
Significado:
Sequência de comando: Estender/recolher o cilindro.
Riscos se ignorado:
Danos ao guindaste e perigo iminente de morte.

5. Identificação para braço estabilizador completamente estendido


Posição:
Nos braços estabilizadores.
Significado:
Braço estabilizador completamente estendido.
Riscos se ignorado:
Se as braços estabilizadores não forem
completamente extraídos/expandidos, a
estabilidade do conjunto guindaste/veículo ficará
reduzida.

32
Guindaste e funcionamento

6. Placa de indicação Abrir/Fechar o guindaste


Posição:
Lado de trás coluna do guindaste.
Significado:
Sequência de comando para colocar guindaste na posição de
trabalho/posição de transporte
Riscos se ignorado:
Danificação do guindaste e perigo de morte.

7. Seta da posição de transporte


Posição:
Lado de trás da coluna e base do guindaste.
Significado:
Indicação da posição para guardar o guindaste na posição de
transporte.
Riscos se ignorado:
Danificação do guindaste e perigo de ferimento.

8. Placa de identificação
Posição: Na coluna do guindaste
Significado: Indicação do
1 Modelo do guindaste
2 Código interno
3 Número de série
4 Ano de fabricação
5. Pressão de trabalho em MPa
6 Nome do fabricante e local de fabricação
A placa de identificação não deve ser modificada, nem retirada.

9. Gráfico de capacidade de carga


Posição:
Posto de operação lado do
comando principal e lado oposto.
Significado:
Indicação de capacidades de carga, áreas de carga e raios de
alcance.
Riscos se ignorado:
Sobrecarga do guindaste, perigo de desequilíbrio para o veículo.

33
Capítulo 4 Guindaste e funcionamento

10. Indicações de perigo (só em caso de assento aéreo ou controle remoto)


Posição:
Posto de operação.
Significado:
Antes da operação do guindaste, ler o manual de operação.
Atenção para os perigos durante a operação do guindaste.
Riscos se ignorado:
Danificação do guindaste e perigo de morte.

11. Identificação do guincho de cabo


Posição: No guincho de cabo.
Significado: Indicação de
1 Código do guincho
KBW006-AA 2009 134112
EN12385-4:1030-15x7:PWRC(K)-1960-U-zZ
FB min 76 kN Pm ax 30 Mpa
2 Cabo de aço: norma e designação
Qmax 65 I/min Vmax 60 m/min 1Bm

6 18kN Palfinger Europe GmbH 3 Número de série


6 3 22kN Franz-W.-Scherer-Str. 24

1 25kN
5101 Bergheim / Austria
www.palfinger.com 4 Ano de fabricação
5 Força de ruptura mínima do cabo
7 6 Capacidade de carga por número de camadas do cabo
7 Identificação e endereço do fabricante
A placa de tipo não deve ser modificada nem retirada.
Riscos se ignorado:
Danificação do guindaste e perigo de morte.

12. Identificação do conjunto


roldanas na cabeça das lanças Posição:
Na cabeça das lanças.
Significado:
Indicações sobre do ano de fabricação, tipo, características
técnicas.
A placa de identificação não deve ser retirada nem modificada.
Riscos se ignorado:
Danificação do guindaste e perigo de morte.

13. Placa de perigo "não ir para baixo da carga suspensa"


Posição:
Em ambos os lados no Braço posterior ou braço principal.
Significado:
É proibido ir para baixo da carga suspensa.
Riscos se ignorado:
Perigo premente de morte por cargas em queda.

34
Guindaste e funcionamento

14. Adesivo de acionamento dos


estabilizadores via controle remoto (*) Posição:
Em guindaste com acionamento de estabilizadores via controle
remoto, em todos os postos de operação.
Significado:
Indicação de que os estabilizadores podem ser
estendidos/recolhidos via controle remoto.
Riscos se ignorado:
Perigo de ferimento por apoios em expansão/recolha.
(*) Somente disponivel nos equipamentos importados.

15. Placa de identificação para lanças mecânicas (*)


Posição:
Nas lanças mecânicas.
Significado:
Indicação sobre ano de fabricação, tipo, capacidade de carga
máxima.
Riscos se ignorado:
Danificação do guindaste e perigo de morte.
(*) Somente disponivel nos equipamentos importados.

16. Placa de indicação Lubrificar


Posição:
Na base do guindaste.
Significado:
Advertência para os pontos de apoio que são lubrificados.
Riscos se ignorado:
Desgaste prematuro dos componentes de apoio.

17. Adesivo de indicação sistema de lanças isento de lubrificação


Posição:
No Braço posterior.
Significado:
As lanças não devem ser lubrificadas.
Riscos se ignorado:
Desgaste prematuro dos calços de deslizamento.

18. Placa de perigo

Posição:
Nos cilindros dos braços
estabilizadores.
Significado:
Aviso de ponto perigoso.
Riscos se ignorado:
Perigo de ferimentos devido a elevação dos braços estabilizadores
por ocasião do patolamento.

35
36
Capítulo 5

CAPÍTULO 5

Dispositivos de segurança

Neste capítulo
Generalidades .............................................................................39
Interruptor de parada de emergência...........................................39
Sistema de segurança e de comando Paltronic 50 ......................40
Monitoração da estabilidade (ISC - S) .........................................48
Monitorização da posição íngreme ..............................................50
Sistema de limitação do momento de carga OSK........................51
Sistema de monitorização para posição de transporte ................52
Operação de comando de emergência após avaria do
controle remoto ...........................................................................53
Avaria do sistema elétrico do guindaste ......................................54

37
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

Generalidades
Para se garantir uma operação segura, foram desenvolvidos pela PALFINGER dispositivos de
segurança que servem para a proteção do operador e do guindaste.
Os dispositivos de segurança são ajustados antes da entrega e apresentados/demonstrados seu
funcionamento ao empresário/operador por ocasião da entrega técnica do equipamento.

Perigo! Todo e qualquer ajuste/regulagem não autorizada nos


dispositivos de segurança significa perigo premente de morte.

Somente os assistentes técnicos PALFINGER podem proceder a trabalhos de ajuste nos dispositivos de
segurança.
Os dispositivos de segurança não podem ser manipulados e nem ser deixados inoperantes.

Advertência! Toda a espécie de garantia e responsabilidade por


parte do fabricante, fica extinta em caso de manipulações não
autorizadas nos dispositivos de segurança ou se os lacres
forem danificados.

Os lacres faltantes ou danificados têm que ser imediatamente substituídos a pedido do


empresário/operador pela assistência técnica PALFINGER.

Botão/interruptor de parada de emergência


Numa situação de perigo, o botão/interruptor de parada de emergência ao ser acionado, desliga
todas as funções do guindaste no espaço de 0,5 segundos (500 ms) após seu acionamento.
Encontra-se em todos os postos de operação e no transmissor do emissor do controle remoto.

1. Numa situação de perigo, soltar de imediato todas as alavancas de comando.


2. Pressionar o interruptor de parada de emergência até ele parar.
Todas as funções do guindaste são paradas.

Perigo! Se o botão/interruptor de parada de emergência for liberado


antes de estar garantida uma operação segura,
existe perigo premente de morte.

Só quando for possível novamente uma operação segura, o interruptor de parada de emergência deve
ser liberado/solto.

39
Dispositivos de segurança

Sistema de segurança e monitoramento Paltronic 50


O Paltronic 50 é um sistema eletrônico de segurança e de monitoramento.
Visor
1 2 3 4 1 Interruptor de parada de emergência
2 Visualização de grau de
aproveitamento
3 Modo de espera (stand-by) do
Paltronic 50
4 HPLS
5-1 OLP

5-2 Buzina de aviso

5-3 Reset
6 5
6 Visualização situação de sobrecarga

Ativar o Paltronic 50
O Paltronic 50 é ativado automaticamente, quando o guindaste é energizado. O interruptor de parada
de emergência situado no visor não deve estar acionado. As alavancas de comando têm que
encontrar-se em posição neutra.

1 Interruptor de parada de emergência


(ver "Interruptor de parada de emergência" no capítulo 5).

2 Visualização do grau de aproveitamento


A visualização do grau de aproveitamento no visor exibe o
valor em %, relativamente ao limite de carga atualmente
sendo usado, em intervalos de 10% na faixa de 60% a 100%.

Grau de Visor de LED Côr do LED Aviso sonoro


aproveitamento
Inferior a 60% não está aceso nenhum nenhum
Até 90% está aceso Verde nenhum
A partir de 90% está aceso Amarelo som* intermitente
Com 100% pisca Vermelho Som contínuo
*Sinal de aviso pode ser desligado com a tecla OLP.

Guindaste com fly-Jib: É visualizado o respectivo grau de aproveitamento mais


alto (tanto do guindaste ou da fly-Jib).

40
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

3 Modo de espera (stand-by) do Paltronic 50

A tecla "PAL 50 Stand-by" destina-se à desativação/ativação do


modo de espera "stand-by" do Paltronic durante a operação do
guindaste.

Modo de espera (stand-by):


• Pressionar a tecla "PAL 50 Stand-by".
• LED já não está aceso. Todas as funções do guindaste e de operação estão desativadas.
Ligar:
• Pressionar a tecla "PAL 50 Stand-by".
• LED está aceso em cor verde: O Paltronic 50 está pronto para entrar em funcionamento.
• LED pisca: O Paltronic 50 está pronto para entrar em funcionamento, porém a função de
operação acionada não é permitida no atual estado de operação.

Advertência! Por ocasião do início da operação do guindaste, as


alavancas de comando têm que encontrar-se em posição neutra.
O interruptor de parada de emergência situado no visor não deve
estar acionado.

Se durante a ligação for acionada uma alavanca de comando, o Paltronic 50 reconhece uma
anomalia.
Eliminação da anomalia:
Colocar todas as alavancas de comando em
posição zero.
Pressionar Reset.
O guindaste está pronto para entrar em
funcionamento.

41
Dispositivos de segurança

4 HPLS (High Power Lifting System) – Sistema de Aumento da Capacidade de Elevação

Advertência! O sistema HPLS da PALFINGER permite que a capacidade


de elevação de carga do guindaste seja aumentada, porém,
com a significativa redução da velocidade dos movimentos
do guindaste.
Não é possível instalar o sistema HPLS em equipamentos
que não foram fabricados com este sistema.

4.1 E-HPLS (somente em guindastes com HPLS na operação de controle remoto)

HPLS: Sistema para o aumento de capacidade de carga do guindaste.

Com o comando HPLS PALFINGER, em caso de necessidade pode


ser aumentada a potência de elevação do guindaste. A velocidade das
funções do guindaste são então reduzidas.

Ligar/desligar HPLS: Pressionar a tecla HPLS situada no visor.


Estado - HPLS LED Estado de operação
Ligar está aceso em cor Guindaste na área HPLS. HPLS não pode ser
verde desligado.
pisca em cor verde Guindaste não está na área HPLS. HPLS pode
ser desligado.
Desligar não está aceso -----

A visualização do grau de aproveitamento é ajustada, isto é, ao ser ligado o HPLS, diminui o valor
do % de aproveitamento da capacidade de carga total.

ATENÇÃO: O sistema E-HPLS de aumento da capacidade de carga somente


irá funcionar quando a chave seletora estiver na posição de controle remoto.

4.2 M-HPLS (disponível somente em guindastes SEM controle remoto)

O sistema M-HPLS tem as mesmas características e procedimentos de funcionamento


do E-HPLS, porem, trata-se do sistema de aumento de capacidade de carga utilizado nos
guindastes PALFINGER, que não possuem controle remoto.

5 OLP
Se após acionamento da proteção contra sobrecarga, devido à posição do braço de carga, não forem
possíveis movimentos redutores de momento de carga, o guindaste pode ser deslocado para fora
desta posição com recurso à tecla OLP.

Perigo! É proibido, com recurso ao botão OLP, aumentar o


momento de carga se o guindaste se encontrar em situação de
sobrecarga. Existe nesse caso perigo premente de morte.

Depois de pressionar a tecla OLP, podem também ser acionadas por 1,5 segundos funções do
guindaste de aumento de momento de carga. Exceção: O movimento "Estender lanças"
do guindaste e da fly-jib permanece bloqueado.

42
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

Situação de falsa sobrecarga


Se o braço de elevação do guindaste ou a fly-jib for elevada até ao
esbarro final, a limitação do momento de carga será ativado. A motivo
desta ativação deve-se ao pico de pressão que é gerada no interior do
cilindro de elevação.
Frequentemente, os respectivos movimentos do guindaste de
aumento do momento de carga estarão bloqueados.
O guindaste não se encontra assim em posição de sobrecarga.
Liberação das funções do guindaste bloqueadas
• Pressionar a tecla OLP
• Baixar braço anterior do guindaste ou braço
principal da fly-jib (depende daquilo que se
encontra em situação de falsa sobrecarga).
• Guindaste está pronto para entrar
em funcionamento.

Após a 1ª ativação da tecla OLP, fica bloqueada uma nova ativação durante 30 segundos.

LED Estado de operação

não está aceso Guindaste em estado normal.


está aceso Pressionada a tecla OLP, é possível o movimento de aumento do
momento de carga.

pisca Função OLP está bloqueada durante 30 segundos.

5.2 Buzina de aviso

O guindaste pode estar equipado com uma buzina de aviso.

Buzina:
• Pressionar a tecla OLP durante mais de meio segundo.
Seguidamente, soa o som de aviso até a tecla OLP ser
solta.

43
Dispositivos de segurança

5.3 Reset
A função "Reset" é necessária depois de surgirem erros de funcionamento.

Pressionando a tecla Reset, o Paltronic 50 será reiniciado nos ajustes


iniciais.

Depois de surgirem erros de funcionamento:


• Com a tecla OLP, causar um Reset.
Guindaste está pronto para entrar em funcionamento, se já não houver erros.
Se o guindaste não estiver pronto a entrar em funcionamento depois de um Reset:
Procurar o assistente PALFINGER (ver "Avaria do sistema elétrico do guindaste" no capítulo 5).

6 Visualização situação de sobrecarga/limitação de movimento


Aqui é visualizado qual o sistema no guindaste que disparou o dispositivo de segurança contra
sobrecarga.
6 1. Sobrecarga - limite de carga reduzido
(monitorização da estabilidade)
2. Sobrecarga - Fly jib
3. Sobrecarga - guindaste
4. Sobrecarga - guincho de cabo
5. Monitorização da geometria - guindaste
5 6. Monitorização da geometria - 2.º sistema de
encurvadura

O dispositivo de segurança contra sobrecarga/monitorização da geometria entra em ação se o


guindaste se encontrar na área de sobrecarga, ou numa posição de trabalho não permitida. A situação
correspondente para a posição de trabalho momentânea é visualizada no visor através do
acendimento do respectivo LED.
Não são então possíveis os movimentos de aumento do momento de carga ou movimentos não
permitidos.
O momento de carga tem que ser reduzido, por exemplo reduzindo-se o raio de alcance.
Se for ativada uma função não autorizada do guindaste, pisca o LED de espera (stand-by).
Com um dos seguintes movimentos do guindaste, o guindaste pode ser deslocado para fora da
situação de sobrecarga.

44
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

Situaçã o de s obrecar ga c o m vis u a l i z a ç ã o d o grau d e apro v e i tamento(*)


(o indicador do grau de aproveitamento pisca)
(*) Monitorização da Reduzir/girar para trás o raio de
estabilidade alcance.
Guindaste Reduzir raio de alcance.

Fly-jib Reduzir raio de alcance da fly-jib.

(*) Guincho de cabo Baixar/depositar carga.

(*) Monitorização da Reduzir ângulo do braço de carga,


geometria - guindaste recolher braços impulsionadores.

(*) Monitorização da geometria Reduzir ângulo do braço de carga,


da fly-jib. recolher braços impulsionadores.

(*) Somente disponível em guindastes importados.

L i m i t a ç ã o d e m o v i m e n t o (*)
(o indicador do grau de aproveitamento não pisca)
(*) Monitorização da Reduzir ângulo do braço de carga.
geometria - guindaste
(*) Monitorização da geometria Reduzir ângulo do braço de carga.
da fly-jib.
(*) Somente disponível em guindastes importados.

Ver também "Monitoração da geometria" no capítulo 5 (*).

45
Dispositivos de segurança

Operação
A máxima força de elevação possível do guindaste de carga só pode ser utilizada se o veículo
transportador for igualmente estável.
Para isso:
• todos os braços estabilizadores (inclusive do estabilizador
adicional se existente) têm de estar completamente
estendidas;
• todos os cilindros de patolamento (inclusive do estabilizador
adicional se existente) têm de estar completamente
apoiados.
Se isso não for possível, por exemplo devido a condições de espaço limitado, então o guindaste não
podem ser operado.
Para poder elevar o mais possível com o guindaste, deve ser escolhida a situação de apoio melhor
possível.
Atenção especial para as condições abaixo:
• Estender sempre todos os braços estabilizadores e cilindros de patolamento para a operação
do guindaste. Se não tiverem todos os cilindros de patolamento em contato com o solo, a força
de elevação do guindaste será significativamente reduzida.
• Observar, especialmente, se os braços estabilizadores do lado em que o trabalho será
realizado estão estendidos até o máximo possível (estender também e completamente os
braços estabilizadores do lado oposto). Somente desta forma será possível mais força de
elevação.
• Os sistemas de segurança só podem ser ajustados definitivamente, após a instalação do
guindaste no veículo. A responsabilidade de ajuste cabe desta forma, a quem realizar a
integração veicular do guindaste.

Perigo! Uma operação incorreta do guindaste, como por exemplo:


• Apoio sobre solo pouco estável;
• Cargas suspensas;
• Movimentos bruscos do guindaste;
• Abaixamento da posição íngreme com
aumento simultâneo do alcance;
pode levar a instabilidade do conjunto veículo + guindaste e consequentemente no tombamento.
Nesse caso existe perigo premente de morte para o operador e para outras pessoas.

Instruções para o posicionamento e patolamento correto do veículo


A PALFINGER recomenda estender completamente, todos os braços estabilizadores, caso contrário
haverá risco de tombamento do conjunto veículo + guindaste.
parcialmente apoiado (não recomendado) indevidamente apoiado (não recomendado)

46
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

A força de elevação do guindaste de carga e a segurança de operação serão maiores se o guindaste estiver
igualmente apoiado tanto do lado de trabalho quanto no lado oposto. Se esse não for o caso, a segurança da
operação estará significativamente comprometida, em toda a área de trabalho do guindaste, devido reduzida l
estabilidade do conjunto veículo + guindaste, situação esta não recomendada pela PALFINGER.
parcialmente apoiado (não recomendado) indevidamente apoiado (não recomendado)

Em veículos com apoios adicionais é melhor apoiar os dois apoios do lado de trabalho. Se só for
utilizado o apoio do guindaste, é necessário reduzir consideravelmente a força de elevação devido à
torção mais elevada da estrutura.
devidamente apoiado indevidamente apoiado

47
Dispositivos de segurança

Monitoração da estabilidade (ISC - S)(*)


(*) Somente disponível em guindastes importados

Os guindastes PALFINGER que possuem o sistema de monitoração da estabilidade (ISC - S)


terão os seus gráficos de carga alterados segundo as condições de abertura dos braços
estabilizadores e de apoio dos cilindros de patolamento, conforme abaixo apresentado.
A integração da situação do sistema de estabilizadores com o limite do momento de carga é
realizada, pela PALFINGER, através do sistema ISC-S. O guindaste pode, assim, ser operado
também quando os braços estabilizadores não estão totalmente estendidos.
Após os procedimentos de estabilização do guindaste, o sistema da monitorização da estabilidade
capta a situação dos braços estabilizadores. Os limites de capacidade da carga são adaptados à
abertura atual dos braços estabilizadores e são memorizados quando é feita a comutação da
operação de estabilizadores para operação do guindaste.

Atenção! Se a situação de abertura dos braços estabilizadores for


modificada (mesmo com sistema de monitoração da estabilidade) e
os braços não estiverem em posição de transporte, o conjunto
veículo + guindaste poderá desequilibrar-se!

Só é permitida a modificação da abertura dos braços estabilizadores se os braços (anterior e


posterior) do guindaste se encontrarem na posição de transporte!

Advertência! O ajuste da monitoração da estabilidade deve ser


realizado pelo integrador veicular. Por este motivo, o instalador deve
gerar um gráfico de cargas correspondente a condição específica,
caso a caso e anexar ao Manual do Operador.

Advertência! Para poder elevar cargas, todos os cilindros de


patolamento, existentes no guindaste têm que estar em posição de
apoio (firmes no solo).

O momento de carga máximo admissível do guindaste só será atingido quando


todos os braços estabilizadores estiverem totalmente estendidos e os cilindros
de patolamento firmemente apoiados no solo.

48
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

ISC - S (Integrated Stability Control - Standard)

Com base neste sistema de controle as seguintes áreas de operação do guindaste estarão disponíveis
dependendo, da situação da abertura dos braços estabilizadores/cilindros de patolamento:
• Todos braços estabilizadores completamente estendidos e todos os cilindros de
patolamento firmemente apoiados no solo (área de trabalho 1, 2).

• Braços estabilizadores não completamente estendidos porém, todos os cilindros de


patolamento firmemente apoiados no solo (área de trabalho 3).

• Veículo não patolado, nem todos os cilindros de patolamento apoiados


firmemente no solo (área de trabalho 4).

Áreas de trabalho:

1. HPLS
2. Nominal
3. Capacidade de elevação reduzida – braços estabilizadores não estendidos completamente.
4. Capacidade de elevação reduzida - veículo não patolado.

49
Dispositivos de segurança

Monitorização da posição íngreme (*)


(*) Somente disponível em guindastes importados

Perigo! Em caso de uma posição dos braços a 60°:


• um movimento brusco e rápido do guindaste
• as lanças do guindaste ou da Fly-jib completamente estendidas
pode causar uma maior deflexão dos braços junto com a carga (lateral, para trás)
.
Isto pode originar a queda da carga. Nesse caso existe perigo de
morte para o operador e para outras pessoas.
Se em posições dos braços, com carga, superiores a 60° não
forem respeitadas capacidades de carga segundo o diagrama de
capacidades de carga, existe perigo premente de morte.

Funcionamento:
Se o braço posterior e/ou a Fly-jib atingirem um ângulo de:
60° pisca uma luz amarela no guindaste.
70° guindaste para e soa o sinal de sobrecarga. As funções do guindaste
• Elevar o braço anterior
• Elevar o braço posterior
• Elevar a Fly-jib
estão bloqueadas. Todas as outras funções do guindaste são possíveis.

STOP

Movimentos do guindaste na posição íngreme:


Após verificar a capacidade de carga admissível para ângulo superior a 70° (posição
íngreme), é possível movimentar o guindaste nesta posição, pressionando a tecla OLP
(ouve-se um curto som de buzina). A luz intermitente continua a piscar (ver também
"Posição de trabalho Guindaste" Capítulo 8).
• Na posição íngreme, executar somente movimentos suaves do guindaste.
• Não estender completamente as lanças ou a Fly-jib.
• Respeitar com exatidão as capacidades de carga e/ou raios de alcance.
Quando o braço posterior e a Fly-jib estiverem outra vez abaixo dos 60°, a luz intermitente irá parar
de piscar.

50
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

Sistema de limitação do momento de carga OSK (opcional)

Dispositivo de segurança contra sobrecarga que bloqueia hidraulicamente ambos do braço


posterior:
Se o guindaste entrar em sobrecarga, as alavancas manuais de todas as funções passíveis
de aumentar o momento de carga, serão bloqueadas na posição central (neutra) através
do dispositivo OSK (caso existente) instalado no comando principal.

Não são mais possíveis os seguintes movimentos:


Braço anterior abaixar
Braço posterior abaixar/elevar
Lanças hidráulicas estender

As alavancas manuais são libertadas só após a redução do momento de carga.


Se possível, reduzir o momento de carga com o
movimento do guindaste "Recolher lanças".
Depois disso são novamente possíveis todas as
funções do guindaste.

Cuidado! Ao abaixar o braço posterior/braço anterior, quando os


mesmos estiverem acima da horizontal, ocorre o aumento por breves
instantes do momento de carga.

Se, devido à posição do guindaste (todas as lanças estiverem recolhidas) e o guindaste estiver
bloqueado não forem mais possíveis movimentos do guindaste que reduzem o momento de carga,
proceder do modo a seguir descrito para desbloquear as funções do guindaste.

Ativar a função "Recolher lanças" e .


....

. . . . . abaixar o braço posterior até serem


libertadas novamente as alavancas de operação
manual (alavancas de comando principal).

Serão agora possíveis, novamente, todos os movimentos do guindaste.

51
Dispositivos de segurança

Se o braço anterior (principal) se encontrar na posição vertical final (batente) e não for mais possível
nenhum movimento do guindaste que reduza o momento de carga, proceder do modo a seguir
descrito para desbloquear as funções do guindaste.
Ativar a função "Recolher lanças"
e.....

. . . . . abaixar o braço principal até serem


libertadas novamente as alavancas de operação
manual (alavancas do comando principal).

São agora possíveis, novamente, todos os movimentos do guindaste.

Sistema de monitorização para posição de transporte


Os seguintes sistemas estão disponíveis de forma opcional:
• Braço de carga pousado sobre a superfície de carga (dispositivo de aviso de altura) - padrão
nos guindastes com declaração de conformidade CE (EN12999).
• Guindaste guardado e braço anterior na posição de transporte.
• Monitorização do bloqueio dos braços estabilizadores com acionamento manual
(dispositivo de travamento)- padrão nos guindastes com declaração de conformidade
CE (EN12999).
• Braços estabilizadores com acionamento hidráulico, completamente recolhidos.
• Cilindros e patolamento e os braços estabilizadores completamente recolhidos.
Todos os sistemas acima referidos são normalmente acoplados a um aviso luminoso, aviso sonoro
e/ou a um bloqueador do movimento do veículo etc. habitualmente instalados na cabina do condutor.

52
Capítulo 5 Dispositivos de segurança

Operação de comando de emergência após avaria do


controle remoto
Retirar a bateria, introduzir a bateria de reserva carregada. Carregar de imediato a bateria retirada.
Se depois disto o controle remoto continuar sem funcionar, unir emissor e receptor como apresentado
em baixo.

Os movimentos do guindaste podem ainda continuar a não ser executados por meio do controle
remoto, neste caso:
Colocar o seletor do modo de operação em operação manual.

Operar por meio das alavancas de comando do guindaste. Os trabalhos de carga e descarga podem
ser terminados. Procurar o Serviço Autorizado PALFINGER, mais próximo.

Perigo! Se o operador não conseguir ver todos os movimentos de apoio do


guindaste ou a carga transportada a partir do posto de trabalho, via acionamento
das alavancas do comando de emergência, existe perigo premente de morte.

Se, a partir do posto de operação junto ao comando de emergência, para a operação de patolamento do
guindaste, não se conseguir ver todos:
• os componentes de patolamento;
• os movimentos do guindaste e toda a trajetória da carga;
• as cargas;
o operador tem que ser auxiliado por um sinaleiro qualificado.

53
Dispositivos de segurança

Avaria do sistema elétrico do guindaste


Se o guindaste ficar parado devido a uma falha no sistema elétrico/eletrônico:
• Pressionar Reset no visor do Paltronic 50.
• Verificar se tem corrente (fusível).
Se a falha não for eliminada, colocar o guindaste em posição de transporte, como descrito a seguir.

Perigo! Na operação de emergência todos os dispositivos de


segurança ficarão inoperantes, tais como: interruptor de parada de
emergência, todos os sistemas de limitação do momento de carga, etc.
Na operação de emergência, reduzir de imediato o momento de carga.
Quem continuar a trabalhar, coloca-se a si próprio e a outras pessoas
em perigo de morte.
Interromper imediatamente as operações de carga e descarga.

Guindaste c/HPLS e comando c/alavancas ou controle remoto na base do guindaste


o Retirar/romper o lacre do parafuso de
by-pass amarelo (no comando principal).
o Apertar o parafuso de by-pass até o final e
depois, desapertar duas a três voltas.
o Abaixar a carga sem aumentar o raio de
alcance e o momento de carga (ver "Limites
de carga" no Capítulo 8).
o O guindaste pode ser colocado em posição
de transporte, como descrito no Capítulo 9.
o Apertar o parafuso de by-pass até o final.
o Recolher o cilindro de patolamento e o
braço estabilizador.
o Procurar de imediato um Serviço Autorizado
PALFINGER.

Todos os outros guindastes (com ISC*) – (*) Somente disponível em guindastes importados.
A válvula encontra-se entre o comando do guindaste e comando dos estabilizadores.
o Retirar a cobertura do comando.
o Remover o lacre da válvula.
o Desaparafusar a tampa de
proteção azul.
o Pressionar e girar o pino para
mantê-lo acionado.
o Abaixar a carga sem aumentar
o raio de alcance e o momento
de carga (ver "Limites de carga"
no Capítulo 8).
o O guindaste pode ser colocado
em posição de transporte,
como descrito no Capítulo 9.
o Procurar de imediato um Serviço
Autorizado PALFINGER.

54
Capítulo 6

CAPÍTULO 6

Equipamento adicional

Neste capítulo
Generalidades .............................................................................57
Meios de suspensão de carga .....................................................58
Acessórios...................................................................................59
Equipamentos adicionais do guindaste........................................60

55
Capítulo 6 Equipamento adicional

Generalidades

Advertência! Só podem ser usados acessórios adequados para


utilização no respectivo guindaste de carga.

Advertência! Estão disponíveis acessórios e meios de suspensão


de carga adequados em todos os Serviços Autorizados PALFINGER.

A PALFINGER não assume qualquer responsabilidade/garantia por danos ou avarias cuja causa se
deva ao emprego de acessórios e/ou meios de suspensão de carga de outra proveniência.
O guindaste pode ser operado com uma série de diferentes acessórios e meios de suspensão de carga.
Exemplo de acessórios: Exemplo de meios de suspensão de carga:
Guincho de cabo, garra, rotador, lanças ganchos, cabos, correntes, correias, cintas, manilhas,
manuais, Fly-jib, manipulador hidráulico de garfo porta paletes, etc.
postes, broca perfuratriz de solo, etc.

Conforme o meio de suspensão de carga ou o acessório, deve existir uma placa de identificação com
informações tais como:
• Designação de tipo
• Ano do ano de fabricação
• Fabricante
• Número de série
• Peso próprio
• Capacidade da máxima carga admissível
• Pressão de operação
• etc.
.
O operador tem que receber treinamento para todos os acessórios e meios de suspensão de carga
utilizados e tem que estar familiarizado com as respectivas instruções de operação/indicações de uso.

Perigo! Existe perigo premente de morte, se:


1. O guindaste for sobrecarregado através de acessórios
e/ou meios de suspensão de carga.
2. Acessórios e/ou meios de suspensão carga estiverem
sobrecarregados quando utilizados no guindaste.
Observar a capacidade de carga de acessórios e meios de suspensão de carga.
Observar o ângulo máximo de inclinação admissível quando utilizar meios de suspensão de cargas.
A capacidade máxima de carga do guindaste é determinada através do meio de suspensão de carga
mais fraco.

57
Equipamento adicional

Meios de suspensão de carga e acessórios:

• Têm sempre que ser considerados como parte da carga (exceto guincho de cabo e Fly-jib).
• Têm que ser montados e fixos com pinos e meios de fixação adequados e originais
PALFINGER.

Perigo! Se forem realizados trabalhos preparativos para a instalação


de acessórios com o guindaste ligado, existe perigo premente de
morte. Observe as indicações correspondentes. Respeitar a distância
mínima (ver capítulo 2).

Realizar e terminar os trabalhos de instalação de acessórios e meios de suspensão de cargas sempre:


• antes do início dos trabalhos com o guindaste,
• com o guindaste desligado,
• pelo operador ou pessoal técnico devidamente instruído
.
Meios de suspensão de carga
Gancho de carga

Perigo! Ganchos de carga e/ou manilhas incorretos, fixados


incorretamente, defeituosos e/ou não travados, podem originar a queda
da carga. Nesse caso existe perigo de morte para o operador e para
outras pessoas.
• Dependendo do peso da carga a elevar, deve ser utilizado um gancho e manilha adequados..
• Em determinados modelos de guindaste estão previstos diferentes ganchos de carga e
manilhas. Dependendo da capacidade de carga, deve ser utilizado
- o respectivo gancho de carga PALFINGER e pino correspondente;
- a manilha PALFINGER
e enganchar no apropriado terminal (“pega”) na carga.
.
• O dispositivo de segurança do gancho de carga, depois de enganchar a carga, tem que
fechar por pressão de mola.
• Travar o pino da manilha com o suporte de carga da lança com o pino de segurança (pino
dobrável – “quebra dedo”). Usar somente pinos originais PALFINGER com as manilhas!

• Sempre que necessário enviar imediatamente para reparo o dispositivo de segurança do


gancho através do Serviço Autorizado PALFINGER. Substituir os pinos de segurança por
pinos originais !

Cuidado! Ao enganchar e ao desenganchar a carga, ter atenção ao


maior perigo de esmagamento.

Respeitar as distâncias mínimas exigidas para todos os pontos de corte e de esmagamento (ver
"Perigo de esmagamento" no capítulo 2).

58
Capítulo 6 Equipamento adicional

Acessórios
Acoplamento rápido para acessórios hidráulicos
Uma série de acessórios tais como garra, rotador, Fly jib, etc., são operados hidraulicamente.
Para isso, o sistema hidráulico do acessório tem que ser acoplado no sistema hidráulico do
guindaste.

Cuidado! Acoplamentos mal unidos ou sujos originam vazamento


de óleo (poluição do meio ambiente) ou falha do acessório.

Conservar os acoplamentos sempre limpos.

Acoplamentos rápidos de rosca


Para Unir:
• Desligar o motor/tomada de força (a bomba).
• Acionar as alavancas do comando em ambas as direções.
• Certificar-se que as alavancas do comando encontram-se na posição neutra.
• Retirar as capas de proteção dos acoplamentos.
• Unir os acoplamentos rosqueando até o batente (observar a cor dos protetores).
• Unir as capas de proteção.
• Arrumar as mangueiras adequadamente no interior das bandejas de mangueiras.

Para Separar:
• Desligar o motor/tomada de força (a bomba).
• Acionar as alavancas do comando em ambas as direções.
• Certificar-se que as alavancas de comando encontram- se na posição neutra.
• Separar as capas de proteção.
• Separar os acoplamentos rápidos.
• Aparafusar as capas de proteção nos acoplamentos.
• Arrumar as mangueiras adequadamente no interior das bandejas de mangueiras.

59
Equipamento adicional

Acoplamento rápido múltiplo


Para Unir:
• Mudar para a operação manual (caso possua Paltronic)
• Desligar o motor/tomada de força (a bomba).
• Acionar todas as alavancas de comando para acessórios (cesto de trabalho, garra, rodator,
etc...) em ambas as posições do comando até que as pressões residuais sejam eliminadas.
• Certificar-se de que as alavancas do comando encontram-se na posição neutra.
• Abrir capa de proteção (1) (até ela parar).
• Pressionar o botão de segurança (2), abrir alavanca (3).
• Colocar a contra parte (macho) do engate rápido (4) no acoplamento.
• Fechar alavanca (3) até o botão de segurança travar.

Para Separar:
• Mudar para a operação manual (caso possa Paltronic)
• Desligar o motor/tomada de força (a bomba)
• Acionar todas as alavancas de comando para acessórios (cesto de trabalho, garra, rodator,
etc...) em ambas as posições do comando até que as pressões residuais sejam eliminadas.
• Certificar-se de que as alavancas de comando encontram-se na posição neutra.
• Pressionar o botão de segurança (2), abrir alavanca (3).
• Remover a contra parte (macho) do engate rápido (4) e guarde-o adequadamente.
• Fechar a alavanca (3) até o botão de segurança travar.
• Fechar capa de proteção (1).

60
Capítulo 6 Equipamento adicional

Guincho de cabo
O guincho de cabo só pode ser utilizado para elevar cargas. É proibida qualquer tração oblíqua.
Para a operação do guincho do cabo, utilizar exclusivamente guinchos de cabo, cabos e componentes
do guincho (roldanas de desvio, conjunto de roldanas da cabeça da lança, material de montagem e de
fixação, etc.) originais da PALFINGER.

Advertência! Para a montagem, peso e uso de componentes do


guincho, tais como roldanas de desvio, conj. roldanas da cabeça da
lança, roldanas intermediárias, cabo de aço, diâmetro do cabo etc.,
ver Capítulo 13 "Descrição técnica".

Usar somente cabos de aço não danificados (ver "Inspeção visual - Cabos descartáveis" no capítulo 10
"Manutenção").

Antes do início do trabalho (lança já em posição de trabalho) preparar os componentes do guincho de


cabo:

Perigo! Em caso de não ser respeitada a distância mínima, existe


perigo de esmagamento e, consequentemente, premente perigo de
morte.

Respeitar as distâncias mínimas exigidas para todos os pontos de corte e de esmagamento (ver
"Perigo de esmagamento" no capítulo 2).
Para posição das roldanas intermediárias, roldanas de desvio, conj. de roldanas da cabeça da lança
e cabo, ver "Descrição técnica" Capítulo 13.
Realizar e terminar todos os trabalhos preparativos antes do início dos trabalhos do guindaste.

Cuidado! Entre os passos individuais de montagem, o guindaste


tem que ser desligado. Em caso de não observância, existe perigo
premente de ferimentos e de morte.

Componentes:
1. Guincho de cabo
2. Roldana de desvio 1 4
3. Roldana intermediária 2 3
4. Conj. roldanas da cabeça da lança
5
5. Moitão do gancho

61
Equipamento adicional

Instalação do conjunto roldanas da cabeça da lança:

• Colocar o braço anterior (principal) na posição horizontal - Braço posterior na posição vertical
(ver "Colocar guindaste em posição de trabalho" no Capítulo 7).
• Estender as lanças até cerca de 50 cm do conjunto roldanas o qual está no solo, em lugar
limpo e livre de obstáculos para os movimentos do guindaste.
1. Inserir a placa de conexão na lança.
2. Instalar pino na lança para fixar a placa de conexão.
3. Aproximar o lança hidraulicamente até a que o furo da placa de conexão fique alinhado com o
furo existente no conjunto de roldanas da cabeça da lança.
4. Alinhar a placa de conexão no conj. de roldanas da cabeça da lança rolo, fixar por pinos.
5. El evar o braço posterior, girar o conj. de roldanas da cabeça da lança até ele poder ser
inserido no suporte de suspensão de carga da extremidade da lança.
6. Fixar o conj. roldanas, no suporte de suspensão de cargas através de pinos .
2 1
3
1
6

1
1
4
1
5

• Elevar o braço posterior na horizontal. Abaixar o braço anterior até que seja possível instalar
a(s) roldana(s) intermediária(s).
• Desenrolar cabo suficiente.
• Desligar o guindaste.
• Introduzir o cabo nas roldanas intermediárias e da cabeça da lança.
• Passar o cabo pelo moitão onde o gancho já está montado.
• Verificar alinhamento do cabo de aço e com o guincho.
• Durante a operação do guincho, o cabo de aço tem que apoiar-se em todas as roldanas
(roldanas adicionais, roldanas de desvio, etc.).

Perigo! Caso o cabo de aço não tenha sido adequadamente


instalado, isto poderá causar danos.
Existe perigo de acidentes, inclusive de acidentes graves.

Por exemplo:

Colocar os braços do guindaste em posição de trabalho.

Cuidado! Durante a montagem, desmontagem e, se necessário,


colocação na posição de transporte ou de trabalho, existe perigo
premente de esmagamento!

Em todas as etapas de trabalho no conj.


roldanas da cabeça , devem ser
respeitadas as distâncias de segurança
descritas no capítulo 2.

62
Capítulo 6 Equipamento adicional

Componentes do sistema guincho de cabo com roldanas de polímeros (plástico)

Perigo! Se os componentes do sistema guincho de cabo possuir


exclusivamente roldanas de polímeros, após longo tempo de utilização,
as camadas internas do cabo podem romper antes que as camadas
externas. Existe perigo de morte devido a queda da carga.

Tem que ser utilizada pelo menos uma roldana de aço. Em caso de uso exclusivo de roldanas de
polímeros, após longo tempo de uso, quebram-se as camadas internas do cabo de aço, antes das
camadas externas. Por isso, não se reconhecem rupturas dos fios no cabo de aço durante as
inspeções visuais.
Um conjunto roldanas da cabeça da lança com roldanas de plástico (1) só deve ser usada na
operação de guincho de cabo com múltiplas linhas. O moitão do gancho tem que estar
equipado com uma roldana de aço (2). No caso de conjunto roldana da cabeça da lança com
roldana de polímeros, é proibida a operação de guincho de cabo com uma só linha.

1
2

Guincho de cabo instalado no braço principal


Se o braço posterior for totalmente elevado
com as lanças ainda recolhidas, o cabo pode
roçar na primeira lança hidráulica. O cabo de
aço e a lança hidráulica podem ficar danificados.
Para se evitar isto, antes do início da operação
do guincho de cabo, estender αas lanças
hidráulicas de forma a que a primeira lança
deixe de sobressair do lado traseiro do braço
posterior.

63
Equipamento adicional

Ângulo de deflexão

Advertência! Para se manter o ângulo de deflexão (α) tão pequeno


quanto possível, estender completamente pelo menos uma das lanças
hidráulicas, antes da operação do guincho de cabo.

Finalidade:
• Melhorar o desempenho do tambor do cabo.
• Ângulo de entrada menor nas roldanas.

Cuidado! Se o cabo roçar nos componentes do guindaste, o cabo


será danificado. O cabo pode romper, existindo perigo premente de
morte para o operador e para outras pessoas.

O cabo tem que correr livremente sobre as roldanas e não pode roçar em nenhum ponto.

Tipos de exemplo de operação de guincho de cabo


1. com uma só linha
2. com duas linhas
3. com quatro linhas

64
Capítulo 6 Equipamento adicional

Recolher/Estender lanças com o guincho de cabo em operação

Perigo! O cabo de aço é encurtado quando se estende e/ou se dobra


o braço posterior. Se estiver desbobinado muito pouco cabo, o
moitão do gancho será impulsionado com toda a força contra o conj.
roldanas da cabeça da lança.
Em caso de guinchos de cabo sem dispositivo de segurança:
O cabo de aço pode romper se estiver pouco desbobinado. Nesse
caso existe perigo de morte devido a queda da carga.
Em caso de guincho de cabo com dispositivo de segurança:
Os componentes do guincho de cabo estão protegidos, mas esta
condição de trabalho, deve em geral ser evitada.

Durante toda a operação do guincho de cabo, ter atenção para manter distância suficiente (A)
entre o conjunto roldanas da cabeça da lança e o gancho/moitão do gancho.

65
Equipamento adicional

Enrolar cabo de aço:

Cuidado! Se o cabo de aço for tensionado com as mãos, existe


perigo premente de acidentes.
• Não pré-tensionar o cabo com as mãos.
• Ao enrolar o cabo de aço, tencioná-lo previamente com um peso (1).
• Evitar alças/dobras no cabo de aço (2) e formação de folga do cabo (3).

1 2 3

Se as camadas inferiores do cabo não forem utilizadas, ou forem utilizadas raras vezes,
desenrolar todo o cabo de aço a cada 100 horas de serviço e voltar a enrolá-lo pré-tensionado.

Guindaste sem proteção contra sobrecarga

• Não sobrecarregar o guincho de cabo com a potência


de elevação do guindaste.

3t

• Não sobrecarregar o guindaste (lanças hidráulicas,


max. 1t
lanças mecânicas, etc.) com a potência de elevação
do guincho de cabo.

Perigo! O cabo pode ser puxado para fora do tambor caso fiquem
poucas voltas de cabo enroladas no tambor. Nesse caso existe perigo
de morte devido a queda da carga.

• Têm que ficar pelo menos 3 (três) voltas de cabo de aço enroladas no tambor.

66
Capítulo 6 Equipamento adicional

Guincho de cabo com proteção contra desenrolamento total do cabo de aço do tambor
A proteção de posição final, instalada no guincho de cabo, faz com que deixe de ser possível um
desenrolamento do cabo, mesmo que estejam só mais 3 voltas no tambor do cabo.
Para proteção contra sobrecarga do guincho do cabo, ver "Paltronic 50" Capítulo 5.

Após terminar a operação do guincho de cabo (braço de carga ainda em posição de


trabalho)

Cuidado! Durante as etapas intermediárias para desmontagem do


sistema do guincho de cabo, o guindaste tem que ser desligado.
Em caso da não observância desta providencia, existe perigo
premente de ferimentos graves e de morte.
Para a desmontagem dos componentes do sistema do guincho de cabo é necessário:
• Αbaixar o braço posterior para uma posição confortável para remover o cabo de aço.
• Soltar (desenrolar) suficiente cabo de aço
• Desligar o guindaste.
• Remover o moitão do gancho e guardá-lo adequadamente.
• Retirar o cabo de aço das roldanas, prender a extremidade no suporte do cabo, fixá-lo devidamente.
• Ligar o guindaste.
• Esticar o cabo de aço, enrolar lentamente e com cuidado.
• Desligar o guindaste.
• Desmontar e guardar adequadamente os componentes do sistema do guincho (conj.
roldanas da cabeça da lança, roldanas de desvio, etc).
Não sendo necessária a desmontagem dos componentes do sistema do guincho:
• Enrolar o cabo de aço com o guincho, lentamente e com cuidado.

Cuidado! Se os movimentos do guindaste não forem executados


lentamente e com cuidado, existe perigo de acidente por meio do
gancho.
• Colocar o guindaste na posição de transporte (ver "Terminar operação do guindaste" Capítulo 9).
Durante a colocação do guindaste na posição de transporte, manter distância adequada entre o
conjunto de roldanas da cabeça da lança e o moitão do gancho.
• Enrolar o cabo de aço com o guincho de cabo, lentamente e com cuidado, até o moitão do gancho
encostar firme no conj. roldanas da cabeça da lança (não é permitido trabalhar com o moitão nesta
posição).

Guincho de cabo escamoteável


Para guincho escamoteável, ver o manual de operação da Fly jib.

67
Equipamento adicional

Garra
Suporte de carga especial

Cuidado! Placas de conexão inadequadas para a garra e/ou para o


guindaste, podem causar danos na garra e/ou no guindaste e perda
da garantia. Consequentemente a carga poderá cair. Neste caso existe
perigo de morte para o operador e para outras pessoas.

Alguns meios de suspensão de carga/acessórios, têm que utilizar suportes de suspensão de carga
especiais da PALFINGER. Informações mais detalhadas sobre os suportes de carga especiais da
PALFINGER podem ser obtidas junto ao Serviço Autorizado PALFINGER.

Cuidado! Não utilizar a garra para puxar (para fora), arrastar, romper,
pressionar, bater, escavar, etc. Isto irá causar danos no guindaste, na
garra ou no rotator.

Utilizar a garra exclusivamente para a movimentação de material solto (areia, cascalho, terra, etc.).
Para operação, montagem da garra e rotator, ver as respectivas instruções de operação.

Lanças mecânicas/manuais

Perigo! Se forem sobrecarregadas lanças mecânicas com a


capacidade de elevação do guindaste, a carga pode cair. Nesse caso
existe perigo de morte para o operador e para outras pessoas.

Depois de estender a lança mecânica será possível ler, em ambos os lados, a carga máxima
permitida. A capacidade de carga máxima também esta indicada na placa de identificação da lança.
Os adesivos dos gráficos de carga existentes em ambos os postos de trabalho também informam a
capacidade máxima de carga das lanças manuais. Esta carga máxima não deve ser excedida, mesmo
quando as lanças estiverem completamente recolhidas e pinadas.

Advertência! As cargas que excedem a capacidade de carga


máxima das lanças mecânicas , têm que ser fixadas no suporte de
carga da última lança hidráulica.

XXXX KG XXX KG

A capacidade máxima de carga das lanças mecânicas deve ser escrita em ambos os lados da lança
pelo montador. Se faltar esta indicação, contatar o Serviço Autorizado PALFINGER.

68
Capítulo 6 Equipamento adicional

Extrair/inserir lanças mecânicas/manuais

Perigo! Travar as lanças mecânicas/manuais adequadamente.


Uma fixação insuficiente ou não realizada das lanças mecânicas é uma
negligência grave. Existe perigo premente de morte.

Travar adequadamente as lanças mecânicas/manuais quando extraídas/inseridas somente com


pinos originais e pinos de segurança dobrável tipo “quebra dedo” da PALFINGER.

Perigo! Quem estiver diante do braço do guindaste, durante a


extração das lanças mecânicas/manuais, encontra-se em perigo
premente de morte.

Para a extração/inserção das lanças mecânicas/manuais, o operador tem que estar ao lado do
braço/lanças.

• Assegurar-se de que todas as lanças estão adequadamente travadas.


• Colocar o braço posterior na posição mais confortável para extrair/recolher as lanças.
• Desligar o guindaste.
• Retirar o pino de segurança e retirar o pino de travamento.
• Retirar a/as lança(s) mecânicas/manuais até que os furos fiquem alinhados.
• Voltar a introduzir o pino de travamento e o pino de segurança.
• Ligar o guindaste.

69
Equipamento adicional

Equipamentos adicionais do guindaste


Controle remoto
Ver manual de operações para controle remoto.

Posto (plataforma) (*) de trabalho elevado/assento elevado

Perigo! Se for utilizada a plataforma elevada(*)/assento elevado para:


• trabalhos sobre a cabina do veículo, e/ou;
• trabalhos, reparos ou manipulações no guindaste
existe perigo de esmagamento!
• O posto (plataforma) (*) elevado/assento elevado só deve ser utilizado para trabalhos
na área da carroceria e para carga/descarga.
Perigo! Se, ao entrar ou sair do posto de operação, forem acionadas
as alavancas de comando, existe perigo premente de morte.
• Não acionar nenhuma alavanca do comando ao entrar ou sair do posto de trabalho.
• Conservar manípulos das alavancas e superfícies de piso isentos de sujeira, óleo,
graxa, barro, etc. (limpar antes de acessar).
• Após acessar o posto (plataforma) (*) elevado/assento elevado, os dispositivos de segurança
existentes, contra queda, têm que ser imediatamente utilizados.

Advertência! Devem estar disponíveis dispositivos seguros, com


três pontos de apoio, para acessar postos elevados de operação.
(os dispositivos devem ser providenciados pelo integrador veicular).

Para acessar e sair de posto elevado de operação, devem ser utilizados os dispositivos
a disposição para esta finalidade (escada, corrimão telescópico, pega mão, etc.).

Advertência! Respeitar as distâncias mínimas a todos os pontos


de esmagamento (ver cap. 2 - Requisitos de segurança e da saúde
ocupacional - Perigo de esmagamento).

Advertência! Durante as operações a partir do assento


elevado/posto (plataforma) elevado deve haver espaço livre suficiente
entre o operador e a carga. Para uma operação segura, deve ser
garantida uma distância de segurança suficiente para uma eventual
oscilação da carga e dos movimentos dos braços do guindaste.

Perigo! Se as distâncias mínimas e de segurança não forem


respeitadas, existe perigo de morte para o operador e para outros.

Cuidado! Antes de guardar o guindaste, abaixar o dispositivo de


segurança contra queda (corrimão telescópico). Caso contrário existe
perigo de danos.

(*) Somente disponível nos guindastes importados.

70
Capítulo 6 Equipamento adicional

Fly jib
Ver manual de operação Fly jib.

Cesta aérea acoplada


Ver manual de operação Cesta aérea acoplada.

71
Capítulo 7

CAPÍTULO 7

Preparar a operação do
guindaste

Neste capítulo
Utilização correta / limites da máquina ........................................75
Ter atenção a falhas, antes e durante a operação.......................76
Área de trabalho ..........................................................................77
Ligar o guindaste .........................................................................78
Estabilizar o veículo.....................................................................78
Braço estabilizador ......................................................................83
Cilindro de patolamento...............................................................84
Inclinação do veículo ...................................................................86
Colocar o braço de carga na posição de trabalho........................87
Inspeção diária de funcionamento dos dispositivos de
segurança. ..................................................................................92
Responsabilidades dos proprietários e usuários..........................94

73
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Utilização correta / limites da máquina


Perigo! A utilização do guindaste em não conformidade com a
finalidade para o qual ele se destina, origina perigo para pessoas e
danos no guindaste, bem como a perda de responsabilidade do
fabricante e da garantia.

O guindaste deve ser utilizado na área de carga de acordo com o diagrama de capacidade de carga
para: elevar, transportar, segurar e abaixar cargas.
São permitidas as seguintes operações:
• Carga/descarga do próprio veículo ou de outro veículo;
• Elevar e mover cargas até alturas elevadas e/ou a partir de alturas elevadas;
• Elevar e mover cargas abaixo do nível do solo;
• Elevar cargas até uma determinada altura sendo necessário segurar essa carga para
trabalhos de montagem (treliças de telhado, vigas de aço, etc.).
• Operação ocasional com garra para movimentar materiais soltos (areia, cascalho, etc.)
Para a classificação do guindaste, consultar "Descrição técnica" no capítulo 13. É proibida a utilização
em não conformidade com a finalidade para o qual ele se destina.
Se, em manuais de operação de acessórios ou nas instruções de operação elaboradas pelo
empresário, forem permitidas utilizações (escavação, tração oblíqua, etc.), que contrariem este
manual de operação, prevalece sempre o manual de operação do guindaste.
É proibido:
• Utilização para outros fins que não sejam os acima indicados;
• Utilização como guindaste florestal e/ou sucateiro;
• Empurrar contra obstáculos ou cargas;
• Puxar, arrancar e toda a tração oblíqua;
• Abaixar abruptamente os braços com carga;
• Fixação de cargas, no guindaste, em outros lugares que não os previstos para isso;
• Qualquer trabalho com a garra (ver capítulo 6 - Garra);
• Transporte de pessoas.
Exceção: Transporte de pessoas na cesta aérea acoplada PALFINGER apenas em guindastes
especialmente equipados para o efeito. Têm que ser respeitadas as leis, prescrições e normas
específicas do país.
Advertência! Consultar o Serviço Autorizado PALFINGER, quanto
a utilização de cesta aérea acoplada – ABNT NR12 anexo 12.

75
Preparar a operação do guindaste

Ter atenção a falhas, antes e durante a operação.


Perigo! Observar todo o guindaste durante a operação,
relativamente a danos e funções defeituosas. Se durante a operação
forem detectados danos ou funções defeituosas, e a operação
imediatamente interrompida, existe perigo premente de morte para o
operador e para outras pessoas.

Caso algum dos seguintes danos ou anomalias forem encontradas no guindaste, acessórios, meios de
suspensão de carga ou no veículo, não iniciar a operação ou interrompe-la imediatamente e procurar
um Serviço Autorizado PALFINGER, mais próximo:
• Lubrificação insuficiente.
• Trincas ou rachaduras nos componentes/nas costuras de solda.
• Buchas desgastadas
• Estabilizadores/Patolamento defeituosos.
• Defeitos na instalação hidráulica (vazamentos, aquecimento anormal, etc.).
• Defeitos em qualquer dos dispositivos de segurança.
• Uniões roscadas soltas.
• Travamento inadequado dos pinos.
• Mau funcionamento do enrolador/tambor de mangueiras ou nas bandejas de mangueiras.
• Ruídos anormais.
• Movimentos de operação anormais (muito rápidos ou muito lentos).
• Mau funcionamento do(s) comando(s).
• Dificuldade para acionar as alavancas do comando e/ou não retorna para a posição neutra.
• Dificuldade para manter o cabo de aço guiado, cabo de aço fora das roldanas da cabeça da
lança e/ou das roldanas de desvio.
• Componentes do guincho danificados, tais como roldanas de desvio e/ou intermediárias..
• Cabo de aço danificado.
Só será permitida o retorno para operação do guindaste quando estiverem eliminados os defeitos
surgidos e estiver garantida uma operação segura.

Postos de operação, pisos, bases de apoio

Cuidado! Sujeira acumulada, graxa ou óleo, sobre alavancas, pisos,


degraus de escadas, braços e/ou lanças, assim como, placas e
adesivos ilegíveis aumentam o perigo de acidentes. Nestes casos existe
perigo premente de morte para o operador e para outras pessoas.

Elementos de comando, pisos, bases de apoio, degraus de escadas, braços, lanças, etc. têm que
estar livres de sujeira (óleo, graxa, etc.). Os símbolos de operação e as placas de indicação e aviso
devem estar sempre reconhecíveis. Não deve encontrar-se nenhum objeto estranho nos postos de
operação, pisos, bases de apoio, degraus, etc.

76
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Área de trabalho
Perigo! Em toda a área de trabalho do guindaste (área de giro e
debaixo da carga suspensa), existe perigo de morte premente para o
operador e para outras pessoas. É proibido entrar na área de trabalho.
• Todos os movimentos do guindaste e os locais de carga/descarga têm que estar completamente
no campo de visão do operador. Se isto não for possível, o operador tem que ser auxiliado por
um sinaleiro qualificado.
• Prever espaço livre suficiente para a operação do guindaste. Os movimentos do guindaste não
podem ser impedidos por fios/cabos, postes, árvores, edifícios ou outros objetos.
• Toda a área de trabalho do guindaste é considerada como área de perigo.
• Na área de trabalho não deve realizar-se nenhum outro trabalho.
• As estradas, ruas, caminhos, etc., que atravessam a área de trabalho, têm que ser
fechados/interditados durante todo o tempo de trabalho do guindaste.

• Em horas de crepúsculo ou durante a noite, toda a área de trabalho tem que estar iluminada
de forma a que esteja garantido um trabalho seguro.

Perigo! Em caso de visibilidade insuficiente, o trabalho deve ser


imediatamente interrompido.

77
Preparar a operação do guindaste

Ligar o guindaste
• Colocar o veículo tão perto quanto possível no local de carga/descarga.
Advertência! Trabalhar com a menor abertura de lança possível
aumenta a segurança de trabalho e a vida útil do guindaste.
• Acionar o freio de estacionamento.
• Os eixos com suspenção a ar devem ser inativados/bloqueados durante a operação do guindaste.
• Ligar a tomada de força e colocar o motor do veículo na RPM recomendada.
• O guindaste só deve ser operado por uma pessoa por vez.
Em caso de temperatura ambiente próximo do 0ºC
• Deixar o óleo hidráulico circular durante alguns minutos antes de acionar qualquer função do
guindaste.
Quando no modo de operação com controle remoto(*)

Advertência! Quando a chave seletora estiver selecionada para a


posição de operação com controle remoto, uma luz sinalizadora verde
(ver ilustração) começa a piscar. Desta forma, terceiros saberão que o
guindaste pode ser colocado em movimento a qualquer momento.

(*) Somente disponível nos guindastes importados.

Estabilizar o veículo
Perigo! Se o veículo não for devidamente estabilizado, pode
desequilibrar-se. É proibido trabalhar sem os estabilizadores estar
completamente abertos. Existe perigo premente de morte.

Só quando o veículo tiver sido devidamente estabilizado, é que o guindaste pode ser colocado na
posição de trabalho.

Perigo! Se o estabilizador adicional do veículo não totalmente aberto


o veículo pode desequilibrar-se. Existe perigo premente de morte.

Se o veículo estiver equipado com estabilizador adicional, este tem que ser totalmente estendido e os
cilindros de patolamento em contato com o solo.
O veículo só estará estável quando os braços estabilizadores (tanto os do guindaste quanto os do
estabilizador adicional, caso existente) estiverem completamente abertos e com os cilindros de
patolamente em contato com o solo. Não retirar o contato dos pneus do veículo com o solo.
Respeitar todos os avisos de segurança do capítulo 2.

78
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Qualidade do solo
Para o equilíbrio exigido, verificar as seguintes características do solo:
• Firmeza.
• Cavidades (tampas de galerias, tubulações, etc.).
• Distância segura de declives, buracos ou valas/valetas.
• Máxima inclinação do solo 5° para todas as direções.
Conforme o subsolo, aumentar adequadamente a superfície de apoio dos cilindros de patolamento
(ver quadro) ou procurar uma superfície de apoio adequada.
Max 5°

Pressão sobre o solo


Pressão máxima sobre o solo através dos pratos dos cilindros de patolamento. 400 N/cm².
Resistência do solo (capacidade de carga do solo) segundo norma DIN1054
Solo com entulho não compactado 0 - 10 N/cm²
Asfalto 20 N/cm²
Solo natural, sem evidencias de ter sido modificado

1. Lama, turfa, terreno pantanoso 0 N/cm²


2. Solos não coesos, porem, de apoio suficientemente firme:
Areia de grão fino até areia de grão médio 15 N/cm²
Areia de grão grande até cascalho 20 N/cm²
Cascalho compactado 25 N/cm²
3. Solos coesos:
pastoso 0 N/cm²
mole 4 N/cm²
denso 10 N/cm²

semi-sólido 20 N/cm²
duro (firme) 30 N/cm²
4. Rocha:

decomposta 100 N/cm²

Determinar as superfícies de apoio necessárias:

Força dos estabilizadores F (N)


Superfície de apoio A [cm²] =
Capacidade de carga do solo [N/cm²]

Os valores para a força dos estabilizadores estão indicados no capítulo 13, nas informações técnicas.

Advertência! Estão disponíveis bases de apoio de boa qualidade


em todos os Serviços Autorizados PALFINGER.

79
Preparar a operação do guindaste

Posto de operação para os estabilizadores

Perigo! Se a área de movimento das braços estabilizadores e cilindros


de patolamento não estiver completamente visível para o operador,
existe elevado risco de acidente e, consequentemente, risco de morte.

O posto de operação para estender os braços estabilizadores e cilindros de patolamento, deve ser
escolhido de forma a que esteja visível toda a área de movimento daqueles dispositivos. Manter
sempre os olhos nos componentes do guindaste, que estão sendo movidos. Na área de movimento das
braços estabilizadores/cilindros de patolamento não devem se encontrar objetos nem pessoas.
Se for possível operar os estabilizadores do guindaste por meio do controle remoto (*), encontra-se nos
dois lados do guindaste (junto ao posto de operação) uma tecla de acionamento . Desta forma
evita-se que o braço estabilizador do lado oposto, sobre o qual o operador não tem visão total, seja
acionado.
Com o acionamento da tecla é libertada a função "Estender braços estabilizadores" para o
respectivo lado, durante 30 segundos. Se, durante os 30 segundos, as braços estabilizadores não
tiverem totalmente estendidos, a operação poderá ser repetida.

Perigo! Se o operador estiver parado a uma distância demasiado


curta da braço estabilizador em movimento, existe perigo premente de
esmagamento e, consequentemente, perigo de morte.

Manter uma distância suficientemente segura em relação ao braço estabilizador em movimento (ver
"Distâncias mínimas necessárias" no capítulo 2).
A função "Recolher braços estabilizadores" ou "Estender/recolher cilindros de patolamento" é possível
sem acionar a tela de acionamento anteriormente mencionada.

(*) Somente disponível nos guindastes importados.

80
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Estabilizadores, geral
Os braços estabilizadores e os cilindros de apoio devem ser estendidos completamente e de
forma individual, em ambos os lados. Trocar nesse caso posto de operação.

Extrair/Estender todos os braços estabilizadores completamente (o adesivo correspondente,


deve estar totalmente visível).

Cilindro de patolamento escamoteável


Colocar os cilindros de patolamento escamoteáveis em posição de apoio só depois da extensão dos
respectivos braços estabilizadores.
A distância de segurança deve ser respeitada.

Perigo! Se o operador ou outras pessoas se encontrarem na área


de giro do cilindro de patolamento, existe perigo premente de morte

Perigo premente de esmagamento na área dos cilindros escamoteáveis!

Na área de giro do cilindro de patolamento não se deve


encontrar o operador nem outras pessoas.

Perigo! Os cilindros de patolamento do guindaste foram projetados


para absorver somente o momento de carga do guindaste!
Nunca levantar o veículo utilizando os cilindros de patolamento.

Estender todos os cilindros de patolamento até ficarem firmes no solo (base de apoio).

81
Preparar a operação do guindaste

Ao acionar os cilindros de patolamento, não levantar o veículo, somente aliviar levemente as molas.
Caso contrário, os cilindros de patolamento ficarão sobre carregados e será diminuída a ação de
frenagem.

Se o guindaste estiver equipado com controle remoto a chave/interruptor


deve estar na posição de operação dos estabilizadores.

A figura do interruptor é um exemplo e, conforme o modelo do


guindaste, pode ser diferente.

82
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Braço estabilizador
Extraível de forma manual
1. Abrir alavanca de segurança ou retirar o pino de segurança
2. Girar o punho do mosquetão (como apresentado no gráfico) até o final do curso.
3. Estender completamente a braço estabilizador, manualmente, até o mosquetão engatar.

2
1
3

Perigo! Um braço estabilizador estendido e não travado, gera um


elevado risco de acidente e, consequentemente, risco de morte.

4. Com movimentos de estender/recolher o braço estabilizador, verificar se o mosquetão está engatado.

Extensível hidraulicamente
Estender completamente os braços estabilizadores.

Guindaste com cilindros de patolamento escamoteável com giro hidráulico:


• Antes da extensão das braços estabilizadores, acionar por curto espaço de tempo a função
"Recolher cilindro de patolamento", até o cilindro escamoteável estar destravado.

83
Preparar a operação do guindaste

Cilindro de patolamento
Rígido
Estender o cilindro de patolamento até ficar firme
no solo (base de apoio).

Escamoteável de forma manual


Colocar o cilindro de patolamento escamoteável em posição de apoio:
Segurar firme o cilindro de patolamento.
Abrir a alavanca de mosquetão.

Girar o cilindro de patolamento escamoteável


com cuidado para a posição de apoio.

Com o cilindro de patolamento escamoteável em posição de apoio:


Fechar a alavanca de mosquetão. Verificar se o
mosquetão está engatado.

Estender o cilindro de patolamento até ficar firme


no solo (base de apoio).

84
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Escamoteável hidraulicamente

Ativar por curto espaço de tempo a função


"recolher cilindro de apoio", até o cilindro de
patolamento estar destravado.

Estender completamente o braço


estabilizador hidraulicamente.

Abrir a alavanca de mosquetão do cilindro de


poio.

Com a função "Estender cilindro de apoio", girar


para baixo cuidadosamente o cilindro de
patolamento.

Fechar o mosquetão. Verificar se o mosquetão


está engatado.

Estender cilindro de patolamento até ele ficar


firme no solo (base de apoio).

85
Preparar a operação do guindaste

Inclinação do veículo
Só quando o veículo estiver devidamente apoiado e nivelado, é que são permitidos trabalhos com
o guindaste.
Nível de bolha de ar
Em todos os guindastes, encontra-se um nível de bolha de ar junto ao posto de comando.
Bolha de ar no meio: Veículo está horizontal.
Bolha de ar entre os dois círculos: Inclinação do veículo oscila entre 0° e 5°.

Trabalhar com braços na posição vertical máxima de até 60°


Nivelar o veículo tão bem quanto possível, mas com inclinação máxima de 3°.

Trabalhar com braços na posição vertical acima dos 60°


(Ver "Posição de trabalho Guindaste" no capítulo 8).
Nivelar veículo com precisão. Bolha de ar encontra-se no anel interno.

Perigo! Inclinação do conjunto veículo + guindaste superior a 1°


produz, devido a redução da função de guia dos calços das lanças
hidráulicas, uma deflexão lateral dos braços/lanças.
Existe perigo premente de acidente grave e risco de morte.

Inclinação do veículo não pode exceder 1° em nenhuma direção.

86
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Colocar o guindaste na posição de trabalho

Se o guindaste estiver equipado com controle remoto o interruptor de chave tem que estar na posição
"Operação manual do guindaste" ou "Controle remoto".

Condições prévias para colocação do guindaste na posição de trabalho

Perigo! Se as lanças manuais/mecânicas não estiverem devidamente


travadas, ao retirar-se o braço posterior do berço elas deslizam para
fora das lanças hidráulicas.
Nesse caso existe perigo premente de morte para o operador e para
outras pessoas.
• As lanças manuais estão pinadas e travadas.
• O veículo está devidamente patolado.
• Na área de movimento do guindaste, não se encontram pessoas nem objetos.

Perigo! Em caso de não ser respeitada a distância mínima, existe


perigo de esmagamento e, consequentemente, perigo de morte.

• Todos os movimentos do guindaste têm que estar no campo de visão do operador.


• Devem ser respeitadas todas as instruções de segurança do capítulo 2.

Posto de comando junto a base do guindaste

Perigo! Se o guindaste for desdobrado a partir de um posto de


comando errado, existe perigo de morte premente para o operador
através do movimento dos braços.

Colocar o guindaste na posição de trabalho, através do posto de comando do lado oposto ao berço.

Perigo! Se as lanças forem estendidas antes que o braço anterior


esteja próximo da posição vertical, existe perigo de morte para o
operador.

Só estender as lanças quando o guindaste estiver desdobrado – braço anterior próximo da posição vertical.
Ver seção: "Desdobrar o guindaste".

87
Preparar a operação do guindaste

Guindaste com controle remoto

Perigo! Se o operador se encontrar na área de movimento do


guindaste, existe perigo premente de morte.
• Escolher um local de operação fora da área de perigo.

Guindaste com assento elevado:

Colocar o guindaste em posição de trabalho utilizando o comando junto ao assento elevado.

Guindaste com plataforma elevada (*):

Perigo! Existe um perigo premente de morte para o operador,


devido aos movimentos de abaixar e girar o guindaste.

Colocar o guindaste em posição de trabalho utilizando o comando na base do lado oposto ao do suporte do
berço dos braços.

(*) Somente disponível em guindaste importados.

88
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Desdobrar o guindaste (com suporte de apoio das lanças na coluna)


Perigo! Se a sequência dos passos para desdobrar o guindaste não
for respeitada, existe perigo de morte para o operador e para outras
pessoas, além de danos ao guindaste e/ou a equipamentos adicionais.

.
Elevar o braço anterior para
60º a 70º (70º a 80º no caso
de guindaste com Fly jib)

Desdobrar completamente
braço posterior.

Mover as lanças Deslocar


braço de carga para fora do
suporte de apoio

Desdobrar o braço posterior.

• O guindaste está pronto para entrar em funcionamento.

• Para desdobrar guindastes com Fly jib, ver manual de operação da Fly jib
• Para operar guindastes com acessórios (guincho de cabo, garra, etc.), ver capítulo 6.

89
Preparar a operação do guindaste

Desdobrar o guindaste (sem suporte de retenção na extremidade interna do braço posterior)

Atenção! Se a sequência dos passos para desdobrar o guindaste


não for respeitada, existe perigo de morte para o operador e outras
pessoas, além de danos ao guindaste e/ou a equipamentos adicionais.

A sequência dos passos dos movimentos do guindaste deve ser respeitada.

Acionar a alavanca do
comando para fechar o
braço p o s t e r i o r .

Mover o braço anterior para


a posição vertical.

Mover o braço posterior para a


posição horizontal.

Agora podem ser estendidas


as lanças.

• O guindaste está pronto para entrar em funcionamento.

• Para desdobrar guindastes com Fly jib, ver manual de operação da Fly jib
• Para operar guindastes com acessórios (guincho de cabo, garra, etc.), ver capítulo 6.

90
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Desdobrar o guindaste (com suporte de retenção na extremidade interna do braço posterior)

As lanças não devem ser estendidas antes que o braço anterior esteja na posição vertical.
Respeitar a sequência dos passos dos movimentos do guindaste.

Atenção! Se os braços impulsionadores forem expandidos antes de


o braço principal se encontrar na posição íngreme, existe perigo
premente de morte para o operador e outras pessoas.

Dobre
ligeiramente o
braço posterior.

Colocar o braço
anterior na
posição vertical.

Dobrar o braço
posterior até este
ficar na horizontal.

Estender lanças.
Certificar-se que o
suporte de retenção
que se encontra na
extremidade do braço
posterior abriu.

Para poder recolher completamente as lanças durante a operação do guindaste, o suporte de


retenção que se encontra na extremidade interna do braço posterior, deve estar aberto.

O guindaste está agora pronto para entrar em funcionamento.

91
Preparar a operação do guindaste

Inspeção diária de funcionamento dos dispositivos de segurança.


Executar a inspeção de funcionamento sem carga e com todas as lanças recolhidas.

Controles de funcionamento da parada de emergência

Perigo! Se depois da ativação do interruptor/botão de parada de


emergência o guindaste não parar, ou se ainda forem possíveis outras
funções do guindaste, existe perigo premente de morte.

Operar o guindaste com um interruptor/botão de parada de emergência defeituoso é uma negligência


grave. Não colocar o guindaste em operação sem procurar de imediato um Serviço Autorizado
PALFINGER.
• Ativar uma função qualquer do guindaste. Os movimentos do guindaste deverão
funcionar perfeitamente.
• Pressionar o interruptor/botão de parada de emergência durante o movimento do guindaste. O
guindaste tem que parar.
• Ativar, novamente, uma função qualquer do guindaste.
Não deve ser possível o funcionamento do guindaste.
• Destravar o interruptor/botão de parada de emergência Todos os movimentos do guindaste
deverão funcionar perfeitamente.
Ver também "Interruptor/botão de parada emergência" no capítulo 5.

Paltronic 50 - Inspeção de funcionamento

Perigo! Se o sistema de limitação do momento de carga não


entrar em ação, existe perigo premente de morte.

A operação do guindaste com um sistema de limitação do momento de carga defeituoso é uma


negligência grave. Não colocar o guindaste em operação sem procurar de imediato um Serviço
Autorizado PALFINGER.
Para se realizar a inspeção de funcionamento do Paltronic 50, tem que ser simulada uma situação de
sobrecarga artificial (ver função OLP).
• Mover o braço anterior com velocidade média para a posição vertical até o batente.
• Com o braço anterior completamente elevado, continuar a acionar a alavanca de
comando, observando, no visor do PALTRONIC, a exibição do % da carga total que
está sendo (falsamente) utilizada.
O sistema PALTRONIC tem que indicar uma situação de sobrecarga (falsa). Devem ser bloqueados
todos os movimentos do guindaste que contribuam para o aumento do momento de carga.
• Acionar a tecla OLP.
• Αbaixar o braço anterior.
O guindaste está pronto para entrar em funcionamento.

92
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Inspeção de funcionamento do OSK


Perigo! Se o sistema de limitação do momento de carga não
entrar em ação, existe perigo premente de morte.

A operação do guindaste com um sistema de limitação do momento de carga defeituoso é uma


negligência grave. Não colocar o guindaste em operação sem procurar de imediato um Serviço
Autorizado PALFINGER.
Para realizar uma inspeção de funcionamento do sistema OSK, tem que ser
simulada uma situação de sobrecarga artificial (ver "Sistema de limitação do
momento de carga OSK").
• Mover o braço anterior para a posição vertical com velocidade média até o batente.
As alavancas manuais de todas as funções passíveis de aumentar o momento de
carga são bloqueadas na posição neutra.
Não deve ser mais possíveis os seguintes movimentos do guindaste:

Braço anterior abaixar

Braço posterior abaixar/elevar


Lanças hidráulicas Estender

• Acionar a função "Recolher lanças" e simultaneamente. . .


• . . . acionar a alavanca para abaixar o braço anterior até que a respectiva alavanca tenha o
seu movimento liberado.
O guindaste está pronto para entrar em funcionamento.

93
Preparar a operação do guindaste

Responsabilidades dos Proprietários e Usuários


Cada proprietário/usuário deve atender aos requisitos abaixo especificados. As responsabilidades
a seguir referem-se à inspeção, manutenção, modificação e treinamento. Estas atividades devem
ser realizadas por pessoas qualificadas.

Inspeções Iniciais
Antes do uso inicial, todos guindastes, novos ou reformados devem ser inspecionados e testados para
assegurar que estejam de acordo com as características originais do fabricante, salvo eventuais
modificações autorizadas por escrito pelo fabricante.

Inspeções e verificações realizadas pelo fabricante, serviço autorizado do fabricante, instalador final
ou empresa credenciada pelo fabricante atendem a este requisito.

Inspeções Regulares
O procedimento para inspeção de guindastes articulados é dividido em três classificações, baseadas nos
intervalos em que as inspeções devem ser realizadas. Os intervalos seguros devem ser estabelecidos pelo
proprietário, com base nas recomendações do fabricante. Os intervalos dependem da função de cada
componente, seu uso, deterioração e outros agentes que afetam a sua vida útil.

Três classificações são designadas:

a) Inspeções frequentes: intervalos diários a mensais;


b) Inspeções periódicas: intervalos de um a 12 meses;
c) Inspeções eventuais: intervalos de um a 48 meses.

Inspeções Frequentes
Itens determinados pelo proprietário, em atendimento às recomendações do fabricante, para cada
modelo de guindaste articulado e seus acessórios, devem ser inspecionados para verificação da existência
de defeitos.
As seguintes inspeções devem ser realizadas pelo operador:

1) Realizar inspeção visual, procurando por componentes danificados, trincas, corrosão, desgastes
excessivos, parafusos deformados, pinos, porcas, dispositivos de bloqueio, calhas e coberturas
deformados, desgastados ou faltantes.
2) Verificar todos os mecanismos associados para operação adequada, incluindo, mas não se
limitando ao seguinte:
- o bom funcionamento dos sistemas de bloqueio;
- que as alavancas dos comandos, tanto do lado do comando principal quanto do lado
oposto , retornem para a posição neutra e que não existam retardos neste movimento;
- que as funções de controle e operação estejam claramente identificadas;
3) inspeção visual e audível dos recursos de segurança para certificar o bom funcionamento;
4) realizar inspeção para verificar a perda ou ilegibilidade de indicações operacionais e de
instrução;
5) realizar inspeção dos sistemas hidráulico e pneumático quanto a deteriorações observáveis e
vazamentos;
6) realizar inspeção dos sistemas elétricos (acionamento da tomada de força, parada de
emergência, etc.) quanto ao mau funcionamento, sinais de deterioração excessiva, mau
contato;
7) realizar ensaio de desempenho funcional incluindo, mas não limitado a seguinte:

- preparar o guindaste articulado para operação, incluindo sapatas estabilizadoras e acessórios;

- realizar todas as funções do guindaste articulado realizando toda a gama de movimentos inclusive
dos acessórios;

- verificar a funcionalidade dos comandos de parada de emergência.

Qualquer item suspeito deve ser cuidadosamente examinado ou ensaiado e uma decisão deve ser tomada
por uma pessoa qualificada para saber se estes itens suspeitos constituem um perigo para a segurança.

Todos os itens inseguros devem ser substituídos ou reparados antes do uso.

94
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Inspeções e ensaios periódicos


Uma inspeção do guindaste articulado deve ser realizada nos intervalos preestabelecidos (1 a 12
meses), dependendo da sua atividade, severidade dos serviços e ambiente de trabalho, como indicado
a seguir:

1) Realizar inspeção visual procurando por componentes danificados , trincas, corrosão, desgastes
excessivos, deformações ou perdas de qualquer natureza.

2) Peças como parafusos, pinos, buchas, engrenagens, travas, rolamentos, correntes, cabos de aço,
dispositivos de bloqueio, calhas, coberturas, roldanas, ganchos, etc. devem ser inspecionadas para
certificação quanto a ausência de desgastes, trincas e deformações;
3) Verificar todos os mecanismos associados para operação adequada, incluindo, mas não se limitando ao
seguinte:
- o bom funcionamento dos sistemas de bloqueio;
- que as alavancas dos comandos, tanto do lado do comando principal quanto do lado oposto ,
retornem para a posição neutra e que não existam retardos neste movimento;
- que as funções de controle e operação estejam claramente identificadas;
- inspeção visual e audível dos recursos de segurança para certificar o bom funcionamento;

4) Realizar ensaio de desempenho funcional incluindo, mas não limitado ao seguinte:

- preparar o guindaste articulado para operação, incluindo sapatas estabilizadoras e acessórios;


- realizar todas as funções do guindaste articulado realizando toda a gama de movimentos inclusive dos
acessórios;
- verificar a funcionalidade dos comandos de parada de emergência.
- verificar o ajuste e regulagem das válvulas hidráulicas e pneumáticas;
- verificar o tanque hidráulico quanto ao nível de óleo adequado (guindaste em posição de repouso e
com braços estabilizadores e cilindros de patolamento recolhidos);
- verificar conexões, mangueiras e tubos hidráulicos, na busca de vazamentos, deformações
estrangulamentos e desgastes excessivos;
- verificar tomadas de força, bombas e motores hidráulicos quanto a ausência de parafusos,
vazamentos, ruídos e/ou vibrações não usuais, redução da velocidade operacional e/ou aquecimento
excessivo;
- verificar válvulas hidráulicas e pneumáticas quanto ao mau funcionamento e trincas visíveis no corpo
externo das válvulas, vazamentos e movimento irregular dos carretéis;
- verificar cilindros hidráulicos e válvulas de retenção de carga (“holding”) quanto ao não e/ou mau
funcionamento e danos visíveis tais como: riscos e/ou batidas nas hastes dos cilindros, ausência do
lacre nas válvulas de retenção de carga, vazamentos externos, etc.
- verificar filtros hidráulicos quanto a limpeza (substituir conforme indicado pelo fabricante) e presença de
materiais estranhos indicando a deterioração de outros componentes;
- enviar para análise amostra do óleo hidráulico retirada do tanque do guindaste. Com base no laudo da
análise decidir pela substituição ou não do óleo hidráulico (ter sempre presente a contaminação
ambiental associada a cada substituição do óleo hidráulico seja ele biodegradável ou não);
- verificar sistemas e componentes elétricos e eletrônicos quanto a sinais de deterioração ou desgaste
incluindo aqueles que não são facilmente visíveis nas inspeções frequentes;
- verificar as condições de torque de aperto nos parafusos e outros tipos de fixadores, de acordo com as
recomendações do fabricante;
- inspecionar soldas críticas, conforme especificado pelo fabricante, na busca de trincas ou falhas;
- verificar as indicações de instrução operacionais e de identificação para atestar a legibilidade e
adequação;

Qualquer item suspeito deve ser cuidadosamente examinado ou ensaiado e uma decisão deve ser tomada
por uma pessoa qualificada para saber se estes itens suspeitos constituem um perigo para a segurança.

Todos os itens inseguros devem ser substituídos ou reparados antes do uso.

95
Preparar a operação do guindaste

Inspeções e ensaios eventuais

Uma inspeção do guindaste articulado deve ser realizada nos intervalos preestabelecidos (1 a 48 meses),
dependendo da sua atividade, severidade dos serviços e ambiente de trabalho. Neste intervalo de tempo os
guindastes articulados devem ser submetidos a revisão geral do equipamento com a emissão da respectiva
ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) de Manutenção.
Sugerimos submeter o guindaste articulado a ensaio de emissão acústica de modo a identificar trincas e/ou
fissuras.
Por motivos de segurança operacional as mangueiras hidráulicas deverão ser substituídas,
independentemente do sua aspecto externo, no intervalo máximo de 72 meses (6 anos) a contar da data da
sua instalação/substituição.

Qualquer item suspeito deve ser cuidadosamente examinado ou ensaiado e uma decisão deve ser tomada
por uma pessoa qualificada para saber se estes itens suspeitos constituem um perigo para a segurança.

Todos os itens inseguros devem ser substituídos ou reparados antes do uso.

Considerações gerais

Além das inspeções e ensaios periódicos e eventuais, os procedimentos não destrutivos de exame
complementar ou outros ensaios para auxiliar na detecção de possíveis danos estruturais podem ser
necessários.

Todos os itens considerados inseguros devem ser substituídos ou reparados antes da liberação para uso. A
liberação para uso deve ser realizada por pessoa qualificada.

Relatórios escritos ou devidamente arquivados eletronicamente, datados e assinados, devem ser emitidos
para inspeções e ensaios periódicos e inspeções e ensaios eventuais e mantidos por um período de cinco
anos.

Após qualquer evento durante o qual elementos estruturais de um guindaste articulado estejam sob suspeita
de terem sido sujeitados a uma carga acima do projetado, esse guindaste deve ser retirado de serviço e
submetido às inspeções e ensaios periódicos e eventuais previstos nesta seção e obrigatoriamente com a
emissão da respectiva ART de Manutenção.

Manutenção

A manutenção e a sua frequência devem ser determinados pelo usuário, de acordo com as recomendações do
fabricante do guindaste articulado.

Treinamento de manutenção

O usuário deve garantir que o pessoal de manutenção e de inspeção de guindastes articulados, próprio ou
terceirizado, seja devidamente treinado, de acordo com as recomendações do fabricante e capacitado para atender
o preconizado nesta seção.

Treinamento de operação

O usuário deve garantir que o pessoal de operação de guindastes articulados, próprio ou terceirizado, seja
devidamente treinado a operar o modelo específico de guindaste articulado, de acordo com as recomendações do
fabricante e com a devida certificação, Tal certificação poderá ser do próprio fabricante ou de empresas de
capacitação indicadas, por escrito, pelo fabricante do guindaste articulado.

96
Capítulo 7 Preparar a operação do guindaste

Soldas
Reparos de soldagem de componentes ou soldas, designadas como críticos (a serem realizadas nos seguintes
componentes: base, braços estabilizadores, coluna, braço anterior ou posterior e lanças hidráulicas ou mecânicas,
estabilizador adicional caixa ou braços e todo e qualquer cilindro hidráulico) somente poderão ser realizadas pelo
fabricante.

Modificações e/ou alterações

Modificações ou adições que afetem a estabilidade, integridade mecânica e/ou estrutural, hidráulica ou elétrica ou a
segurança de operação do guindaste articulado, NÃO podem ser realizadas sem a aprovação por escrito do
fabricante. Se as modificações/alterações ou mudanças forem feitas, as informações de capacidade de operação e
manutenção devem ser devidamente alteradas. Em nenhum caso os fatores de segurança devem ser reduzidos
abaixo daqueles especificados pelo fabricante. Caso o fabricante original não exista mais, uma entidade equivalente
pode aprovar a modificação necessária.

Distribuição de Cargas

Mudanças na carga ou aditamentos feitos no conjunto veículo + guindaste articulado, após a sua aceitação final, que
afetem a distribuição de carga, devem atender aos regulamentos aplicáveis pelos órgãos governamentais. Em
nenhum caso, a carga por eixo do veículo totalmente carregado pode exceder a capacidade máxima de peso por
eixo definido pelo fabricante do veículo.

NOTA: Qualquer alteração na distribuição de peso pode afetar a estabilidade.

Transferência de propriedade

Quando ocorrer uma mudança de proprietário do guindaste hidráulico, é reponsabilidade do vendedor providenciar:

a) Manual do guindaste articulado para o comprador

b) Realizar as inspeções e ensaios previstos nesta seção, bem como entregar os respectivos laudos e ART de
Manutenção ao comprador.

É responsabilidade do comprador notificar o fabricante do guindaste articulado, em prazo de 30 dias, sobre o


modelo, número de série e o nome e endereço do novo proprietário.

Caso o vendedor utilizar outras entidades, como agentes (por exemplo corretores) para a venda ou arranjo da venda
de um guindaste articulado, as suas responsabilidades aqui definidas permanecem inalteradas.

Adesivos e marcações

Os adesivos e marcações nos guindastes articulados não podem ser removidos, desfigurados ou alterados. Todos
os adesivos/marcações faltantes ou ilegíveis devem ser prontamente repostos/substituídas pelo proprietário/usuário.

Peças de reposição
Quando peças ou componentes forem substituídos, eles devem ser idênticos em especificações e funções às peças
ou componentes originais do guindaste articulado, ou devem fornecer um fator de segurança igual ou superior.

Boletins de segurança

Os proprietários e usuários devem cumprir com os boletins e informações relacionados com o modelo de guindaste
articulado, quando fornecidos pelo fabricante, distribuidor/representante ou instalador.

Manuais

O proprietário e o usuário devem assegurar-se que o manual de operação ou do operador seja mantido junto ao
guindaste articulado.
97
Capítulo 8

CAPÍTULO 8

Operação do guindaste

Neste capítulo
Limites de carga ........................................................................101
Posição de trabalho guindaste...................................................102
Cargas.......................................................................................104
Trabalhar com cargas................................................................105

99
Capítulo 8 Operação do guindaste

Limites de carga
Perigo! É proibido ultrapassar os raios de alcance com as cargas
Indicadas, capacidade de carga e/ou da carga máxima, pois caso isto
ocorra, pode originar o desequilíbrio do veículo e a quebra de
componentes do guindaste. Nesse caso existe perigo de morte para o
operador e para outras pessoas.

Adesivo de capacidade de carga:

1. Capacidade máxima de carga do guindaste.


2. Quantidade de lanças hidráulicas estendidas.
3. Carga máxima em seus respectivos alcances.
4 Alcance para a carga indicada
5. Máxima carga para o alcance/condição indicada.
6. Máxima carga para o alcance/condição indicada.
7. Quantidade de lanças manuais/mecânicas estendidas.
8. Carga máxima da lança manual em qualquer alcance
9. Peso próprio da lança manual/mecânica

. Obs.: As cargas máximas apresentadas serão válidas apenas em caso do guindaste estar com os braços
estabilizadores completamente estendidos, cilindros de patolamento estendidos e firmes no solo,
inclusive os do estabilizador adicional, se existente.

Para diagrama de carga, ver "Descrição técnica" no capítulo 13.

101
Operação do guindaste

Posição de trabalho guindaste


A capacidade de carga, o desgaste dos componentes e tempo de uso de um guindaste também
dependem da posição de trabalho.
Por meio de posições de trabalho desfavoráveis:
• são mais carregados e mais desgastados os suportes, articulações e partes componentes
do guindaste.
• não é atingida a capacidade completa de carga.
• aumenta o desgaste.
Em todos os trabalhos, o guindaste deve encontrar-se em situação perfeita de trabalho.

Área de trabalho
Área de trabalho ideal:

XX°

XX° = ângulo ideal do braço principal (entre 15 e 30°, dependendo do modelo de guindaste).
Ver diagrama de cargas no guindaste.
O ângulo ideal de operação é atingido quando o cilindro de elevação estiver perpendicular ao braço
principal ou à alavanca articulada (depende do modelo de guindaste).
Área limite inferior:

Perigo! É proibida a posição de trabalho com o braço anterior


totalmente dobrado e na posição limite inferior. Nesta posição, o
guindaste pode ser sobrecarregado e danificado. Isto pode resultar na
queda da carga. Nesse caso existe perigo de morte para o operador e
para outras pessoas.

Evite posições de operação com o braço anterior dobrado perto do limite inferior.
Se o braço anterior se encontrar dobrado na posição limite inferior, a proteção
contra sobrecarga não estará atuando. Executar os trabalhos nesta área sempre
com o braço posterior (área de trabalho ideal).

102
Capítulo 8 Operação do guindaste

Trabalhar na área próxima ao guindaste com guincho de cabo ou com longos meios
suspensão de cargas.
• Elevar carga com as lanças recolhidas o máximo possível.(1,2)
• Ângulo dos braços anterior e posterior de 60º (3).
• Caso necessário, estender as lanças hidráulicas (4).

1 2 3 4

60°

Max.60°

Área limite superior:


Posição dos braços anterior e posterior entre 60° e 80°:
• A posição de trabalho com os braços em ângulo superior a 60º só é permitida com os braços
estabilizadores (do guindaste e do estabilizador adicional se existente) totalmente abertos. Para
esta condição de trabalho o conjunto veículo + guindaste, deve estar nivelado (máx. 1º).

Perigo! Em caso de uma posição dos braços superior a 60°:


 movimentos bruscos e rápidos do guindaste;
 lanças do guindaste e/ou da Flay-jib totalmente
estendidas;
podem causar uma maior deflexão (lateral e/ou para trás) dos braços
(de carga) anterior e posterior.
Isto pode causar a queda da carga. Nesse caso existe perigo de
morte para o operador e para outras pessoas.
Se em posições dos braços de carga a 60° não forem respeitadas as
capacidades de carga/áreas de carga segundo o diagrama de cargas,
permanece presente o perigo premente de morte.

Aumentar o ângulo e a altura de elevação podem causar uma maior deflexão lateral dos braços de
carga (anterior e posterior). O sistema de proteção contra a sobre carga não é capaz de monitorar cargas
nesta posição de trabalho.
Por tanto, deve ser especialmente observado que:
• As capacidades de carga e as áreas de carga sejam respeitadas exatamente como
apresentado no diagrama de capacidade de cargas.
• Não estender totalmente as lanças do guindaste e/ou da Fly-jib quando a operação ocorrer com os
braços de carga em ângulo superior a 60º.
• Executar somente movimentos suaves e uniformes com o guindaste.

Posição do braço de carga superior a 80°:

Perigo! Em caso da posição dos braços (anterior e posterior) de


carga superior a 80º e com a extensão das lanças do guindaste e/ou
da Fly-jib, os braços de carga podem defletir lateralmente ou para trás.
Isto pode originar na queda da carga. Nesse caso existe perigo de
morte para o operador e para outras pessoas.

É proibida, a operação do guindaste com carga e com os braços em ângulo superior a 80°.
103
Operação do guindaste

Cargas
Antes do movimento de carga/descarga:
• Respeitar as indicações especiais para o manuseio da carga e dos meios de suspensão da
carga (exemplo: pontos de pega, centro de gravidade, direcionamento, etc.).
• Fixar a carga.

• O peso da carga tem que ser conhecido. Se não existirem indicações sobre o peso, este tem
que ser calculado ou estimado.
• Certificar-se de que a carga está fixada de forma a poder ser movida livremente e
não está ancorada, presa ao solo/outra carga ou em outra condição.
• Limpar as cargas do gelo ou neve, barro ou sujeiras antes da seu levantamento . As cargas
molhadas ou geladas podem resvalar.
• Εlevar as cargas somente pelo centro de gravidade.

104
Capítulo 8 Operação do guindaste

Trabalhar com cargas


Perigo! Em toda a área de trabalho do guindaste, existe perigo
premente de morte para o operador e para outras pessoas.

• Os avisos do capítulo 7 "Área de trabalho" têm que ser respeitados.


• Antes de cada movimento do guindaste, assegurar-se de que não se encontram pessoas na
área de trabalho (área de perigo) do guindaste.
• Interromper imediatamente o movimento do guindaste, se entrar uma pessoa na área de
trabalho. Retomar a operação do guindaste só quando todas as pessoas tiverem saído da área
de trabalho.
Respeitar as leis e regulamentos específicos do país para a operação com guindaste articulado
instalado sobre caminhão.

Devem ser respeitadas todas as instruções de segurança do capítulo 2.


• Antes do início da operação do guindaste, o operador tem que definir todo o percurso dos
movimentos do guindaste para realizar o trabalho (plano de rigging).
• Os auxiliares, o sinaleiro, e os transeuntes presentes, têm que estar informados sobre o
percurso do guindaste ao realizar o trabalho.
• Todos os movimentos do guindaste, a trajetória resultante e a carga têm que estar no campo
de visão do operador.
• Se o operador não conseguir ver toda a trajetória da carga ou a carga, tem que trabalhar com
um sinaleiro.
• Trabalhar com um sinaleiro:
o Operador e o sinaleiro têm que conhecer e utilizar os sinais de operador de
guindaste específicos do país.
o Em caso de grupo de trabalho, o sinaleiro tem que estar claramente identificado.
Somente uma pessoa pode exercer a função de sinalizar.
• Durante toda a operação do guindaste, não deve ser executada pelo operador nenhuma
outra atividade (exemplo: telefonar, . . .).
• Em caso de operação de comando via controle remoto, o operador não pode deixar o
transmissor do controle remoto fora do alcance da mão.
• Para evitar uma sobrecarga dos estabilizadores durante a carga/descarga, poderá ser
necessário reposicionar ou recolher. Isto só é permitido:
o Sem carga.
o Com as lanças recolhidas.
o Com o braço (anterior e posterior) de carga fixado sobre carroceria ou em posição de transporte.

105
Operação do guindaste

Enganchar/desenganchar cargas
• Posicionar braço de carga e lanças conforme necessidade. Parar movimentos do guindaste.

Perigo! Quando a carga for enganchada/desenganchada pelo


operador e o guindaste não tiver sido desligado, resulta:
 através do acionamento não autorizado do
guindaste por terceiros,
 através do acionamento involuntário de uma
alavanca do comando no posto de operação ou
no transmissor do controle remoto
perigo premente de morte para o operador e para outras pessoas.

Através de auxiliares:
• O pessoal auxiliar só pode entrar na área de perigo do guindaste, depois de autorizado
pelo operador.
• Enganchar/desenganchar cargas só quando o guindaste estiver completamente parado e
após permissão do operador.
• O pessoal auxiliar tem que sair da área de perigo depois de enganchar/desenganchar a
carga.
Somente após o pessoal auxiliar ter saído da área de perigo, é que os movimento do guindaste
podem ser restabelecidos.
Enganchar/desenganchar a carga através do operador:
Para enganchar/desenganchar a carga, o operador deverá deslocar-se para a área de perigo do
guindaste, neste caso as seguintes ações devem ser executadas:
• Desligar o guindaste.
• Enganchar ou desenganchar a carga.
• Sair da área de perigo.
• Ligar o guindaste.
Elevar/movimentar cargas

Cuidado! Se a carga, meios de suspensão de carga ou acessórios


friccionarem nos braços/lanças, estes ficarão danificados.

A carga, meios de suspensão de carga ou acessórios, não devem bater ou friccionar nos
braço e/ou lanças.
A distância entre todos os componentes do guindaste e a carga deve ser de pelo menos 0,5 m.

106
Capítulo 8 Operação do guindaste

Perigo! Se forem involuntariamente acionados alavancas de comando


e houver fricção da carga com os braços e/ou com os componentes
do guindaste, existe perigo de morte premente para o operador e
para outras pessoas.

Durante todo o tempo de operação do guindaste deve ser mantida distância suficiente
entre a carga, os componentes do guindaste e do comando.

Perigo! Os movimentos bruscos do guindaste fazem oscilar a


carga. Isto pode originar a queda da carga. Nesse caso existe perigo
de morte para o operador e para outras pessoas.

Executar todos os movimentos do guindaste com suavidade.


• Agarrar firmemente a alavanca de comando do funcionamento do guindaste.
• Acionar lentamente a alavanca de comando, até o guindaste reagir.
• Respeitar o gráfico de cargas. Ao aproximar-se dos limites do gráfico de cargas, reduzir a
velocidade de operação.
• Caso o guindaste possua PALTRONIC 50 monitorar o visor que indica o percentual da
capacidade máxima que está sendo utilizada.
o Quando ligar o led amarelo, reduzir a velocidade de trabalho.
• Elevar um pouco a carga, verificar se ela está bem fixada e se permanece na situação prevista.

Perigo! Se na operação com guincho de cabo, as cargas não forem


elevadas completamente na vertical:
o A carga pode oscilar descontroladamente e em movimento
pendular.
o O cabo de aço, o conj. roldanas da cabeça da lança e as
roldanas poderão ser danificados.
o O cabo pode correr para fora do conj. roldanas da cabeça
da lança.
o O cabo pode romper.
A carga pode cair. Existe perigo premente de morte para o operador e
para outras pessoas.

• Em caso de utilização do guincho de cabo, posicionar o conj. roldanas da cabeça da lança


sempre sobre o centro de gravidade da carga que vai ser elevada.

• Mover a carga a ser elevada de forma que esta não fique a oscilar, com movimento pendular.
• Quando a carga elevada girar ou apresentar movimento pendular:
o Não é permitido mover o guindaste enquanto a carga não estiver parada.
• Carga/sistema de braços e lanças não devem chocar-se contra obstáculos.
• Mover a alavanca de comando até o final do curso fará com que aumente a velocidade dos
movimentos do guindaste.

107
Operação do guindaste

Perigo! Se forem executadas funções do guindaste com toda a


velocidade de trabalho até o batente:
 Aumenta o desgaste dos componentes e
diminui a vida útil do guindaste.
 A carga pode cair.
Nesse caso existe perigo de morte para o operador e para outras pessoas.

• É proibido movimentar o guindaste (com/sem carga) com toda a velocidade até o batente.

Perigo! Se as alavancas de comando forem soltas de repente, a


carga pode começar a balançar. Isto pode originar a queda da carga.
Nesse caso existe perigo de morte para o operador e para outras
pessoas.
• Parar movimentos do guindaste, de forma lenta e uniforme.
• Podem ser acionadas ao mesmo tempo várias funções do guindaste.
Neste caso, a função anteriormente ativada terá sua velocidade diminuída.

Cuidado! Se forem parados um ou vários movimentos do guindaste


e ser mantido um deles, pode aumentar a velocidade do movimento
restante.
• Se forem ativadas ao mesmo tempo várias funções do guindaste (movimentos combinados do
guindaste originam uma outra trajetória da carga), reduzir adequadamente a velocidade de
cada uma das funções do guindaste.
Em caso de emergência
No caso de surgir um perigo, interromper imediatamente todos os movimentos do guindaste (ver
também "Interruptor/Botão de emergência" Capítulo 5).
Abaixando carga

Perigo! Em caso de guindastes sem proteção contra sobrecarga


(OSK ou PALTRONIC 50), quando excedido o momento máximo de
carga admissível, a carga desce descontrolada.

Ver "Exibição de grau de aproveitamento" no capítulo 5.


Por ocasião da descida da carga, não aumentar o raio de alcance.

Se o raio de alcance for aumentado na ocasião da carga, isto pode originar um abaixamento
descontrolado da carga.
Respeitar o gráfico de cargas e a visualização de grau de aproveitamento (% da carga máxima).

108
Capítulo 8 Operação do guindaste

Pousar a carga
• O lugar para pousar a carga tem que estar livre de obstáculos.
• Não pousar cargas sobre terreno ou local alagado ou pantanoso.
• Não pousar cargas próximo a: declives, desnivelamentos, buracos ou valas, etc.
• Pousar cargas somente em local com subsolo firme e plano; se necessário, utilizar uma
base de apoio apropriada.
• Ao depositar a carga, os movimentos dos braços e lanças não devem ser abruptos.
Cuidado! No caso de movimentos abruptos dos braços e lanças
ou abaixamento rápido da carga com guincho de cabo, os braços
e lanças sobem rapidamente.
Depositar a carga sempre lentamente.
• Antes de desenganchar a carga, verificar se a mesma assentou de forma correta e estável.
Interromper o trabalho de carga/descarga
Caso seja necessário sair de perto do guindaste:
• Pousar a carga.
• Travar adequadamente o sistema de braços e lanças.
• Desligar o guindaste.
• Assegurar-se, via sistema de travas/chaves, que o guindaste não será acionado por pessoal não
autorizado.
Retomar o trabalho de carga/descarga
• Antes de retomar a operação do guindaste, verificar se nesse intervalo de tempo foi
efetuada alguma manipulação não autorizada. Certificar-se que o guindaste terá operação
segura antes de continuar os trabalhos.
Se houve manuseamento não autorizado no guindaste:
• (Ver "Preparar operação do guindaste" no capítulo 7). Todas as verificações de
funcionamento descritos no capítulo 7 têm que ser executadas.
Adicionalmente, no caso de guindaste com controle remoto:
• Antes de colocar novamente em funcionamento o guindaste, certificar-se que o
transmissor do controle remoto, corresponde ao guindaste a ser acionado (verificar a
identificação correspondente).

109
Operação do guindaste

Carga sobre meios de suspensão (cabo de aço, corrente, cinta, etc.)

Mover uma carga tendo o cabo, corrente, cinta, etc. um ângulo


agudo (menor) (A) faz com que o cabo, corrente, cinta, etc. seja
submetido a uma carga menor do que se o cabo, corrente, cinta,
etc. tivesse um ângulo obtuso (maior) (B). O cabo, corrente, cinta,
etc. estará desta forma protegido ao realizar menor força.
Uma carga maior no cabo, corrente, cinta, etc. com ângulo (B)
corresponde a uma maior tensão sobre o cabo, corrente, cinta, etc.
e consequentemente provoca um desgaste mais rápido do cabo,
corrente, cinta, etc.

110
Capítulo 9

CAPÍTULO 9

Terminar a operação do
guindaste

Neste capítulo
Colocar o guindaste na posição de transporte ...........................113
Transporte do guindaste com as lanças sobre a carroceria....... 117
Recolher os cilindros de patolamento/braços estabilizadores... 118
Antes do início de cada viagem .................................................123

111
Capítulo 9 Terminar a operação do guindaste

Colocar o guindaste na posição de transporte


Respeitar todos os avisos de segurança do capítulo 2.
Condições prévias para colocar o guindaste na posição de transporte
• Lanças recolhidas, pinadas e travadas.
• Na área de movimento do guindaste, não se encontram pessoas nem objetos.
• Para instalar e fixar ou para remover acessórios, ver capítulo 6.
• Elevar o braço anterior (principal) para 60º a 70º (no caso de guindaste com Fly jib,elevar o
braço para 70º a 80º . Ver no manual de operação da Fly jib, "Colocar o guindaste com
Fly jib na posição de transporte")
Todos os movimentos do guindaste têm que estar no campo de visão do operador.

Colocar o guindaste na posição de transporte utilizando sempre o posto de comando no solo, do lado
oposto ao do suporte de descanso dos braços.

Comando no solo:

Perigo! Se o guindaste for colocado na posição de transporte a partir


do posto de comando do lado errado, existe perigo de morte premente
para o operador devido ao movimento dos braços.

Colocar o guindaste em posição de transporte, utilizando sempre o posto de comando do lado oposto
ao do suporte de descanso dos braços/lanças.

Guindaste com assento elevado:

Colocar o guindaste na posição de transporte, a partir do assento elevado.

Guindaste com plataforma elevada (*):

Perigo! Se o guindaste for colocado na posição transporte desde a


plataforma elevada, existe perigo premente de morte para o operador,
ao baixar ou girar os braços/lanças.

Colocar o guindaste em posição de transporte, utilizando sempre o posto de comando no solo e


do lado oposto ao do suporte de descanso dos braços/lanças.

(*) Somente disponível em guindastes impor

113
Terminar a operação do guindaste

Guindaste com controle remoto:

Perigo! Se o operador se encontrar na área de movimento do


guindaste, existe perigo premente de morte.
• Escolher um local de operação fora da área de perigo.

Advertência! Posição inicial para colocar o guindaste na posição


de transporte: Elevar o braço anterior (principal) para 60º a 70º (ou 70º
a 80º no caso de guindaste com Fly jib), braço posterior na horizontal,
lanças recolhidas.

Perigo! Se a sequência dos passos para guardar o guindaste não


for respeitada, existe perigo de morte para o operador e para outras
pessoas, além de danos ao guindaste e/ou a equipamentos adicionais.

A seqüência dos passos de trabalho deve ser respeitada.

Guardar guindaste na posição de transporte (guindaste com suporte de apoio das lanças na coluna)
Estender as lanças aprox. 50 cm.

Dobrar completamente braço posterior.

Recolher as lanças hidráulicas. O olhal de


suspensão da carga da primeira lança
hidráulica deve estar acima do suporte de
apoio.

Girar o guindaste até que as setas indicativas


(existentes na base do guindaste e na coluna)
estejam alinhadas. Nesta condição o
guindaste poderá ser guardado na posição de
transporte.
Abaixar o braço anterior (principal). Os braços
tem que apoiar no suporte previsto na base do
guindaste.

Para guindaste com Fly jib, ver manual de operação da Fly jib.
Para guindaste com guincho de cabo, ver "Guincho de cabo" Capítulo 6.

114
Capítulo 9 Terminar a operação do guindaste

Guardar o guindaste na posição de transporte (guindaste sem suporte de retenção na extremidade


interna do braço posterior)

Elevar o braço anterior até o


batente.
Recolher completamente as lanças.

Dobrar o braço p o s t e r i o r .

Girar o guindaste para a posição


transversal – mesmo sentido das
caixas dos braços estabilizadores.
Atentar para que as setas
existentes na coluna e na base do
guindaste estejam alinhadas.

Mover o braço anterior da posição


vertical para a posição de apoio na
base do guindaste.

Se ao invés do guindaste ficar guardado no berço sobre a base quando em transporte, ficar com os
braços e lanças sobre a carroceria ou sobre a carga, os mesmos deverão ser adequadamente
travados contra saída lateral. Ter também atenção para a posição do braço anterior, pois a altura
total poderá ficar alterada e superior a altura máxima permitida especialmente na passagem em
túneis e sob passarelas, etc.

115
Terminar a operação do guindaste

Guardar o guindaste na posição de transporte (guindaste com suporte de retenção na extremidade


interna do braço posterior)

Recolher as lanças. Porém, as lanças devem ser recolhidas de modo


que o suporte (gancho) de retenção, na extremidade interna do braço
posterior, ainda permaneça com movimento livre.

Dobrar completamente o
braço p o s t e r i o r .

Girar o guindaste para a posição


transversal – mesmo sentido das
caixas dos braços estabilizadores.
Atentar para que as setas
existentes na coluna e na base do
guindaste estejam alinhadas.

Mover o braço anterior da posição


vertical para a posição de apoio na
base do guindaste.

Recolher completamente as
lanças até que a parte traseira
da primeira lança engatar no
gancho de retenção.

Após guardar o guindaste na posição de transporte, verificar


se a primeira lança está presa com o suporte (gancho) de
retenção.

Se ao invés do guindaste ficar guardado no berço sobre a base quando em transporte, ficar com os
braços e lanças sobre a carroceria ou sobre a carga, os mesmos deverão ser adequadamente
travados contra saída lateral. Ter também atenção para a posição do braço anterior, pois a altura
total poderá ficar alterada e superior a altura máxima permitida especialmente na passagem em
túneis e sob passarelas, etc.

116
Capítulo 9 Terminar a operação do guindaste

Transporte do guindaste com as lanças sobre a carga


Perigo! Se os braços e lanças não forem travados contra saída
lateral, existe perigo premente de morte para todos os usuários da
rodovia.
Se não for conhecida a altura total do veículo com as lanças sobre a
carga ou se não forem respeitadas as alturas de túneis e passarelas,
existe perigo premente de morte.

Travar os braços/lanças contra a saída lateral quando estes estiverem apoiados sobre a carga.

Ao transitar com os braços/lanças colocados sobre a carga, a altura total do veículo pode mudar.

Advertência! Se o guindaste possuir dispositivo de aviso de altura,


respeitar a sinalização indicativa disponibilizada na cabina do condutor.

Transporte do guindaste com as lanças sobre a carroceria


Algumas vezes é necessário trafegar com as lanças do guindaste abertas apoiadas sobre a carroceria do
veículo para uma melhor distribuição do peso, principalmente quando o veículo não está transportando carga
alguma. Nestes casos é muito importante observar que as lanças NÃO devem ser pressionadas sobre a
carroceria, caso ocorra, haverá danos na haste do cilindro de extensão da lança 1, causado por um esforço
não previsto debaixo para cima.

Ver página 61 deste Manual do Operador: “Utilização correta / limites da máquina”


O guindaste deve ser utilizado na área de carga de acordo com o diagrama de capacidade
de carga para elevar, transportar, segurar e abaixar cargas.

É proibido:
 Empurrar obstáculos ou cargas;
 Puxar, arrastar, arrancar e toda e qualquer tração oblíqua;

Perigo! A utilização do guindaste em não conformidade com a finalidade para a qual


ele se destina, origina perigo para pessoas e danos no guindaste, bem como a
perda de responsabilidade do fabricante e da garantia.

117
Terminar a operação do guindaste

Recolher cilindros de patolamento/braços estabilizadores


Perigo! Se, por ocasião do recolhimento do sistema de estabilização,
o guindaste não estiver guardado e travado na posição de transporte,
existe perigo de tombar o veículo. Neste caso, existe perigo de morte.

Recolher o sistema de estabilização só quando o guindaste se encontrar em posição de transporte.


Se o veículo estiver equipado com estabilizador adicional, este também tem que ser recolhido.
Respeitar todos os avisos de segurança do capítulo 2.

Perigo! Se, a área de movimento das braços estabilizadores e


cilindros de patolamento, não estiver completamente visível para o
operador, existe elevado risco de acidente e consequentemente,
risco de morte.

Ao recolher os braços estabilizadores e cilindros de patolamento deverá ser utilizado o posto de


comando, que esteja visível toda a área de movimento daqueles dispositivos. Estar atendo nos
componentes do guindaste, que se encontram em movimento. Na área de movimento dos b raç os
estabilizadores e cilindros de patolamento não devem se encontrar objetos nem pessoas.
As braços estabilizadores e os cilindros de patolamento têm que ser inseridos/recolhidos individualmente
em ambos os lados. Para realizar esta operação com toda a segurança trocar o lado do posto de comando.

Perigo! Cilindros de patolamento e braços estabilizadores que não


estiverem completamente recolhidos e travados, significam para o
operador e para outras pessoas, um elevado risco de acidente.
É proibido o travamento insuficiente ou não realizado dos cilindros
de patolamento e/ou braços estabilizadores. Existe perigo premente
de morte para o operador e para outras pessoas.

Recolher sempre completamente os cilindros de patolamento.


Guardar todos os cilindros de patolamento escamoteáveis, travando-os adequadamente.

Perigo! Se os cilindros escamoteáveis não forem travados durante


o recolhimento dos braços estabilizadores, eles começarão a bascular
lentamente, de forma espontânea.
• se, durante a operação de recolhimento dos cilindros
escamoteáveis, não for respeitada uma distância
segura dos mesmos;
• se o operador, outras pessoas ou objetos estiverem
na área de giro dos cilindros escamoteáveis;
existe perigo premente de morte e/ou ferimentos graves para o
operador e para outras pessoas.

• Os cilindros escamoteáveis devem estar obrigatoriamente travados durante o recolhimento


dos braços estabilizadores.
• Respeitar a distância de segurança por ocasião dos movimentos do sistema de estabilização.

118
Capítulo 9 Terminar a operação do guindaste

Perigo premente de esmagamento na área dos cilindros escamoteáveis!

Na área de giro do cilindro de patolamento escamoteável não


deve se encontrar o operador e nem outras pessoas.

Inserir completamente todos os braços estabilizadores manuais, travá-los e fixá-los.


Recolher completamente todos os braços estabilizadores hidráulicos.

Se o guindaste estiver equipado com monitorização da estabilidade ou


controle remoto, o interruptor tipo chave deve estar na posição de operação
de patolamento

A figura do interruptor tipo chave é um exemplo e, conforme o


modelo do guindaste, pode ser diferente.

119
Terminar a operação do guindaste

Cilindro de patolamento
Rígido
Recolher completamente os cilindros de
patolamento.

Cilindro escamoteável manualmente


Colocar os cilindros de patolamento escamoteáveis na posição de transporte:
Recolher completamente os cilindros de
patolamento

Abrir a alavanca tipo mosquetão do cilindro


de patolamento.

Girar o cilindro de patolamento para a


posição de transporte.

Quando o cilindro de patolamento estiver na posição de transporte:


Fechar a trava tipo mosquetão.
Verificar o engate do mosquetão.

120
Capítulo 9 Terminar a operação do guindaste

Cilindro escamoteável hidraulicamente


Recolher o cilindro de patolamento até s
braços estabilizadores estarem
descarregados .

Abrir a trava, tipo mosquetão, do cilindro de


patolamento.

Com a função "Recolher cilindro de


patolamento", girar para cima cuidadosa e
lentamente o cilindro escamoteável.

Fechar a trava tipo mosquetão e certificar-se


de que está travado.

Guardar, adequadamente, as bases de apoio devidamente.

Braços estabilizadores
Inserir manualmente
Os cilindros de patolamento têm que estar completamente recolhidos e em posição de transporte.
1. Girar o punho do mosquetão (como apresentado no gráfico) até o batente.
2. Inserir os braços estabilizadores até o batente. O mosquetão engata automaticamente. Com
movimentos de saída e entrada do braço estabilizador, verificar se o mosquetão está engatado.
3. Fechar a alavanca de segurança.
1 2

121
Terminar a operação do guindaste

Perigo! Quem não inserir completamente os braços estabilizadores


e/ou não verificar se o dispositivo de segurança do braço estabilizador
está devidamente engatado, procede de maneira negligente grave e
coloca-se a si mesmo e aos outros em perigo premente de morte.

4. Verifique se o dispositivo de segurança do braço estabilizador está travado, enquanto tenta


deslocar o braço para dentro e para fora.

Recolher hidraulicamente
Recolher completamente todos os braços
estabilizadores.

Após a conclusão de todos os movimentos do guindaste


• Desligar guindaste.
• Travar o guindaste adequadamente de forma que o mesmo não seja acionado por
pessoa(as) não autorizada(s).
• Desligar o motor do veículo.
• Retirar a chave da ignição.
• Bloquear/travar com chave a cabina do condutor.

122
Capítulo 9 Terminar a operação do guindaste

Antes do início de cada viagem


Perigo! Cilindros do sistema de estabilização, que não estiverem
completamente recolhidos e travados, significam risco premente de
morte para todos os usuários da rodovia.

É proibido iniciar uma viagem sem assegurar-se que o guindaste está na posição
de transporte ou com os braços sobre a carga devidamente travados e os braços
estabilizadores e cilindros de patolamento totalmente recolhidos e travados.

Antes do início de cada viagem, verificar se:


• Houve manuseamento não autorizado do guindaste.
• Os cilindros de apoio e as braços estabilizadores estão completamente recolhidos e
devidamente fixados.
• O guindaste está desligado (tomada de força/bomba hidráulica).
• O guindaste se encontra em posição de transporte, ou com os braços e lanças sobre a
carga ou na carroceria está suficientemente assegurado contra saída lateral.

Perigo! Caso os acessórios, componentes do guincho, meios de


suspensão de carga, etc, que no transporte ultrapassarem a largura
do veículo, existe perigo premente de acidente e, consequentemente,
perigo de morte.
• Componentes do guincho de cabo, meios de suspensão de carga, acessórios etc.
- que, na posição de transporte, excedam a largura do veículo
- ou que se encontrem soltos ou não fixados na carroceria do veículo,
devem ser retirados / removidos e corretamente arrumados antes de iniciar viagem.
• A carga está adequadamente fixada e conforme as leis, prescrições e regulamentos
específicas do país.
O condutor do caminhão tem que conhecer e respeitar a altura total, largura total, cargas nos eixos
e peso total (incluindo guindaste, acessórios e carga) do veículo.

Advertência! Se o guindaste possuir um dispositivo de aviso de


altura, respeitar a exibição visualizada na cabina do condutor.

123
Capítulo 10

CAPÍTULO 10

Manutenção

Neste capítulo
Generalidades ...........................................................................127
Horímetro...................................................................................128
Manutenção...............................................................................130
Limpeza.....................................................................................131
Inspeção visual..........................................................................132
Lubrificar o guindaste .................................................................135
Troca do óleo hidráulico, troca do filtro ......................................140
Reparar falhas na pintura...........................................................142

125
Capítulo 10 Manutenção

Generalidades
A confiabilidade, segurança e a vida útil de um guindaste dependem especialmente da
manutenção e da assistência técnica. Por isso, a manutenção e a assistência técnica não
constituem uma recomendação. Em vez disso, o empresário responsável pelo guindaste tem
que ordenar a sua realização.
O empresário/responsável pelo guindaste tem que certificar-se de que todos os trabalhos
de manutenção são executados em correspondência com as indicações existentes neste manual
e às respectivas leis específicas do país.
A PALFINGER não assume qualquer responsabilidade por danos no guindaste ou acidentes
cuja causa se deva a manutenção realizada de forma deficiente, a assistência técnica deficiente
ou à não observância de leis específicas do país.
Se, por ocasião de reparos ou assistência técnica, forem trocados componentes do guindaste, devem
ser utilizadas exclusivamente peças de substituição originais PALFINGER. A PALFINGER não
assume qualquer responsabilidade por danos no guindaste ou acidentes cuja causa se deva a peças
de outra proveniência.

Advertência! Devem ser, obrigatoriamente, cumpridas as


diretrizes de manutenção/assistência técnica nos intervalos
recomendados pela PALFINGER. De outra forma, há o risco
de perda da responsabilidade do fabricante e da garantia.

Responsabilidade Execução

Manutenção Empresário/proprietário Empresário/Operador/Serviço Autorizado PALFINGER

Revisão Empresário/proprietário Procurar o Serviço Autorizado PALFINGER

Ver também "Segurança para pessoas" no capítulo 2.

Advertência! Têm que ser utilizadas ferramentas, dispositivos,


lubrificantes e óleos hidráulicos recomendados pela PALFINGER.
A PALFINGER não assume qualquer responsabilidade por danos cuja
causa se deva a ferramentas, dispositivos ou lubrificantes incorretos.

Utilizar somente lubrificantes originais PALFINGER ou lubrificantes que correspondam às


especificações existentes neste capítulo.

Trocar de componentes hidráulicos

Cuidado! Apesar da descompressão do sistema hidráulico, pode


ainda encontrar-se aí pressão residual. Ao abrir-se o sistema
hidráulico, existe perigo de acidente por pressão residual e/ou óleo
hidráulico quente, para o operador e para outras pessoas.

Se for necessária a troca de componentes hidráulicos, contatar o Serviço Autorizado PALFINGER.


Descomprimir o sistema hidráulico:
• O guindaste tem que estar desligado e estar desenergizado.
• Acionar várias vezes todas as alavancas do comando em ambas as direções.
O sistema hidráulico é descomprimido enquanto houver uma possível pressão residual.

Antes de removeras válvulas de retenção de carga (holding) dos braços anterior e posterior apoiar
Adequadamente os braços, para evitar a queda dos braços sobre o técnico/mecânico.

Perigo! A falta de apoios externos adequados quando da remoção


das válvulas de retenção de carga dos braços anterior e posterior,
podem causar danos ao guindaste e como consequência acidente
grave. Existe perigo de morte para o técnico/mecânico

127
Manutenção

Horímetro (visor circular)


O horímetro possui 3 modos de exibição.
Durante os Horas de funcionamento, total.
10s iniciais

Horas de funcionamento que restam


até à próxima revisão.

Horas (-) Horas de funcionamento ultrapassadas


desde a última revisão recomendada.

O horímetro mostra o número total de horas de operação, o número de horas que faltam até a
próxima revisão e número de horas com sinal (-) que já passaram desde a última revisão
recomendada e não realizada. O horímetro mostra o número de horas de forma regressiva,
iniciando em 1000 e regressivamente até “0”. Após o mostrador apresentará o número de horas
com sinal (-) indicando o número de horas de funcionamento após a última revisão não realizada.

Total de horas de funcionamento. Exibição

1
Durante os primeiros 10s, após o guindaste ter sido energizado, o
mostrador do horímetro informará o número total de horas (1) de
funcionamento do guindaste.

Número de horas de funcionamento até à próxima revisão.

2
Após os primeiros 10s de funcionamento o mostrador do horímetro
indicará o número de horas (2) que faltam para a próxima revisão.
Estão previstas manutenções a cada 50h, ou seja quando o
horímetro indicar 950, 900, 850, ...
Quando o horímetro, em contagem regressiva, mostrar que faltam
100h para a próxima revisão o mostrador (2) começa a piscar.
Os intervalos recomendados pela PALFINGER, entre cada revisão
é de 1.000 horas.

Tempo decorrido desde a última revisão não realizada.


44
3
Ao chegar ao “0” o mostrador (3) do horímetro apresentará,
com sinal (-), o número de horas de funcionamento que
ultrapassaram desde a revisão prevista e não realizada.
O led vermelho (4) ficará permanentemente iluminado até que a
revisão seja realizada através de um Serviço Autorizado
PALFINGER.

Após cada revisão de 1000 horas o horímetro será reiniciado e uma


nova contagem regressiva a partir de 1000, 999, 998,... será
iniciada.

A PALFINGER recomenda pelo menos uma revisão anual, através do Serviço


Autorizado, mesmo que não sejam atingidas as 1000 horas de funcionamento.

128
Capítulo 10 Manutenção

Horímetro (visor retangular)(*)


O horímetro possui 3 modos de exibição e uma tecla para comutação.

Horas de funcionamento, total.

Horas de funcionamento até à próxima


revisão.

Número de série do guindaste.

Tecla "Mode" para a comutação.

(*) Somente disponível em alguns modelos de guindastes importados

Ao energizar o guindaste, também será ativado o horímetro. O visor apresentará o último modo
ajustado antes de ter sido desligado.
Pressionando por curto espaço de tempo a tecla MODE, é possível mudar-se entre "horas de
funcionamento total" e "horas de funcionamento até à próxima revisão". Se a tecla MODE for
pressionada mais de 5 segundos, é exibido o número de série.

Modo - Horas totais de funcionamento

É exibido através do símbolo do relógio (1) e indica as horas totais


de funcionamento (2) do guindaste.
Quando o horímetro está no processo de contagem das horas
de funcionamento, o ponto decimal (3) pisca.

1 2 3
Modo - Horas de funcionamento até à próxima revisão

É exibido através do símbolo de chave inglesa (2).


Os intervalos entre revisões é de 1.000 horas. O horímetro utiliza o
processo de contagem de horas trabalhadas de forma regressiva, ou
seja, as horas são contadas a partir de 1.000 (999, 998, ... e assim por
diante).
As horas de funcionamento até a próxima revisão são exibidas de 1 2 3
forma gráfica (10 segmentos) (1), e em forma numérica (3).

129
Manutenção

Símbolo de chave inglesa:


• Se, ao energizar o guindaste o símbolo da chave
inglesa piscar 10 vezes, significa que o tempo que 10x
falta até a próxima revisão é inferior a 50 horas.
• Se, ao energizar o guindaste o símbolo da chave
inglesa piscar continuamente, significa que já foram
ultrapassadas as 1000 horas de intervalo entre as
revisões. O processo de contagem de horas continua
a ocorrer, porem agora de forma crescente e com sinal
negativo, indicando desta forma a quantidade de
horas que passaram desde a última revisão prevista.

O Serviço Autorizado PALFINGER, depois de realizada a revisão, irá reajustar o horímetro reiniciando a
contagem negativa a partir de 1.000 horas.

Manutenção
As indicações de manutenção e conservação existentes neste manual são gerais e aplicam-se a
vários modelos de guindaste PALFINGER.
A manutenção tem que ser realizada respectivamente após 50 horas de operação. Mas os intervalos
de manutenção também dependem do uso do guindaste, tipo dos ciclos de utilização, época do ano
e influências atmosféricas. Areia, pó, maresia, etc., são especialmente agressivos e aceleram a
corrosão e o desgaste. Portanto os intervalos de manutenção podem ser com intervalos mais curtos.
Os trabalhos de manutenção e revisão só podem ser executados no guindaste completamente
parado (bomba hidráulica desligada, guindaste desenergizado).
Sequência correta dos trabalhos por ocasião das revisões/manutenções
1. Limpar o guindaste adequadamente.
2. Inspeção visual.
3. Lubrificar o guindaste.

Advertência! Os trabalhos de manutenção/revisão somente


devem ser executados por pessoas especializadas.

130
Capítulo 10 Manutenção

Limpeza
Advertência! Uma limpeza adequada e profunda aumenta a
confiabilidade e a vida útil do guindaste.

Utilizar apenas detergentes ecológicos, de pH neutro e suaves para a pele. Desta forma, protege-se o
meio ambiente e evita-se oxidações no guindaste.
Realizar a limpeza do guindaste somente em local de posto de lavagem apropriado (c/separador de óleo).
Não utilizar panos, estopas, esponjas, escovas, etc. que arranham ou raspam.
Trabalhos de limpeza

Cuidado! Componentes elétricos molhados ou húmidos podem


originar mau funcionamento do guindaste ou curto-circuito na
instalação elétrica/eletrônica.

Realizar trabalhos de limpeza somente com o guindaste desligado.

Limpeza com equipamento de lavagem de alta pressão (tipo lavajato):

Cuidado! Se não forem respeitadas as seguintes advertências,


podem surgir danos no guindaste.
• Respeitar o manual de operação do limpador de alta pressão.
• A temperatura da água/detergente não deve exceder 60°.
• Ter sempre atenção para manter uma distância suficiente entre o bocal e o guindaste.

• Nunca dirigir o jato de água diretamente para:


 Componentes elétricos e eletrônicos (evitar a entrada de água).
 Componentes de plástico (evitar a deformação, fratura).
 Buchas e mancais (a sujeira existente no local será empurrada para dentro e a
graxa lubrificante será expulsa ou removida).
 Adesivos de advertência e placas de identificação (podem soltar-se ou ficar
ilegíveis).

131
Manutenção

Inspeção visual
Perigo! Componentes faltantes, defeituosos, estragos e rachaduras
ou trincas em componentes do guindaste ou em meios de
suspensão de carga, podem dar origem a um grave acidente.

Advertência! Determinar as causas para danos/trincas, a fim de


evitar a repetição e/ou causar estragos mais significativos.
Os componentes faltantes, defeituosos ou desgastados têm que ser
substituídos de imediato.

Inspecionar o guindaste e seus acessórios conforme abaixo.


Elementos de fixação e componentes de aço
• Verificar a existência em sua totalidade e funcionalidade de parafusos, pinos e dispositivos de
segurança; verificar os pinos quanto a deformação e ao sistema de travamento ( por exp.: pinos
de segurança).
• Reapertar parafusos/porcas frouxas com o troque especificado. Contatar o Serviço Autorizado
PALFINGER para obter informações adicionais caso necessário.
Substituir imediatamente todo e qualquer componente faltante e/ou com mau funcionamento.

Partes e peças de aço


• Trincas ou rachaduras em componentes, especialmente em soldas e dobras.
• Deformações.
• Corrosão.
Instalação hidráulica
• Estanqueidade de toda a instalação hidráulica (tubos, mangueiras, válvulas, cilindros, conexões, etc.).
• Esmagamentos, trincas, deformações em tubos hidráulicos.
• Cortes, dobras, pontos de fricção, esmagamentos, trincas, porosidade, etc. em mangueiras.
• Integridade, pontos de fricção, estragos, etc. das mangueiras de proteção.
• Nível do óleo hidráulico (com o guindaste com os sistema de patolamento recolhido e em posição de
transporte).
• A existência e integridade lacres das válvulas de retenção de carga (“holding”).
Instalação elétrica
• Cortes, pontos de fricção, esmagamentos, rachaduras, etc, dos cabos e fios.
• Integridade, dobras, estragos, etc. das mangueiras/conduites de proteção.
• Conectores, interruptores, sensores, visores quanto a danos, fixação, etc.
Coberturas
• Integridade de todas as coberturas.
• Danos nas coberturas.

132
Capítulo 10 Manutenção

Componentes de guincho de cabo


Ver também "Descrição Técnica" no capítulo 13.
• Integridade e a correta fixação das roldanas intermediárias.
• Funcionamento e a correta fixação do conj. roldanas da cabeça da lança, moitão do gancho.
• Todas as roldanas quanto a danos e desgaste, assim como, funcionamento suave de todos os
componentes do guincho de cabo.
Controle visual do cabo de aço
Ver também "Guincho de cabo" no capítulo 6.

Perigo! Cabos de aço danificados podem romper durante a operação


do guincho de cabo. Existe perigo premente de acidente.

Desenrolar o cabo sob tensão e verificá-lo relativamente a:


• Sujeira.
• Lubrificação suficiente.
• Corrosão.
• Abraçadeiras danificadas.
• Ruptura de cordão do cabo de aço, rotura de fio, pontos de abrasão, formação de gaiola
de passarinhos, amassamento, dobras.

Cabos de aço descartáveis:


Se um cabo de aço estiver tão danificado que já não deve ser utilizado, é chamado de descartável.
Um cabo de aço torna-se descartável quando pode ser constatada uma certa quantidade de fios
rompidos nos cordões externos.
Verificar o cabo de aço no ponto onde está mais danificado.
Comprimento da verificação Quantidade de fios visíveis rompidos
6 x diâmetro do cabo 5

30 x diâmetro do cabo 10
30 x d
6xd

Em caso de deformações permanentes, tais como abrasão, gaiola de passarinho, nó/dobra, ou redução
do diâmetro do cabo de aço (redução maior que 10% do diâmetro original do cabo de aço), etc., o cabo
de aço deve igualmente ser considerado descartável.
Enrolar o cabo de aço sob tensão..

133
Manutenção

Adesivos e placas de identificação

Verificar a sua integridade e legibilidade.

Testar meios de suspensão de carga


• Verificar ganchos quanto a trincas, deformação e desgaste.
• Sensor de carga a ser utilizado em lanças
mecânicas, verificar quanto deformação, desgaste,
estanqueidade de unidade sensor. A marca (A)
não deve estar visível.
• Adequado funcionamento da trava de segurança do
gancho .

Verificar os dispositivos de segurança.


Ver "Controle de funcionamento diário dos dispositivos de segurança" no capítulo 7.

134
Capítulo 10 Manutenção

Lubrificar o guindaste
Especificações do lubrificante

Advertência! A PALFINGER recomenda o emprego de graxas


biodegradáveis. Não misturar lubrificantes diferentes.
As graxas biodegradáveis não devem ser lançadas no meio ambiente.
Os lubrificantes têm que estar isentos de sedimentos. Não utilizar
lubrificantes com grafite.

Cuidado! Usar lubrificantes incorretos, não respeitar corretamente


os intervalos das revisões e/ou falta ou deficiência da lubrificação
podem dar origem a danos no guindaste e elevados custos de reparos
e perda de tempo com o equipamento parado.

Graxa lubrificante:
Disponível na maioria dos Serviços
Autorizados PALFINGER, dependendo
das normas e regulamentos de cada
país, sob os seguintes códigos:
Código. EZ982 - lata de 5 kg
Código. EZ1432 - latão de 50 kg

Especificações Técnicas Resultado Testado conforme

Aparência Macia
Grau (NLGI) 2 DIN 51818

Código de referencia KP2K-35 DIN 51502


Ponto de gota ºC 150 ISO 2176

Penetrabilidade 265/295 1/10 mm ISO 2137


Teste de oxidação 100 h/100 ºC máx. 0,2 bar DIN 51808
Viscosidade do óleo a 40 ºC > 80 mm²/s
Comportamento perante a água Grau de avaliação 0/90 DIN 51807-1

Teflon® Spray:
Disponível na maioria dos Serviços
Autorizados PALFINGER, dependendo
das normas e regulamentos de cada
país, sob o código:
Código. EZ2807

Advertência! Alguns guindastes importados estão montados


com lanças isentas de lubrificação e identificados com 
Se durante a extensão/recolhimento das lanças surgirem
problemas, tais como vibrações ou ruídos estranhos,
aplicar nos calços somente Teflon Spray marca PALFINGER.

135
Manutenção

Cabos de aço
Graxa para cabos de aço:
Disponível na maioria dos Serviços
Autorizados PALFINGER, dependendo
das normas e procedimentos de cada
país, sob o:
Código. W100084145

Símbolos de manutenção

Graxa lubrificante para cabos de


aço
Teflon® Spray

Graxa lubrificante aplicação geral

Proibida a lubrificação com graxa


lubrificante(*)

O guindaste apresentado na página seguinte é um exemplo e pode mostrar componentes os quais,


conforme modelo e versão, podem ser opcional para o seu guindaste.
1 Alavancas de comando, varões de ligação entre postos de comando.
2 Calços do braço estabilizador.
3 Sistema de travamento do braço estabilizador (dispositivo de segurança tipo mosquetão para
alguns modelos de guindaste).
4 Pinos e buchas.
5 Guincho de cabo (braço limitador do fim-de-curso, cabo).
6 Trilhos, lanças hidráulicas, lanças mecânicas.(*)
7 Apoio da coluna na base do guindaste, cremalheira(s).
8 Cilindros escamoteáveis/dispositivo de pivotamento/sistema de travamento tipo mosquetão.
9 Gancho de carga.

(*) Os pontos de lubrificação que estão assinalados com este símbolo nunca devem ser lubrificados
com graxa lubrificante, caso isto ocorrer, as propriedades de deslizamento entre componentes podem
ser prejudicadas. No entanto é necessário aplicar um lubrificante (devido a vibrações ou ruídos
estranhos). Neste caso para lubrificar, utilizar somente o Teflon® Spray marca PALFINGER.

136
Capítulo 10 Manutenção

137
Manutenção

Lubrificar

Perigo! Se durante o processo de lubrificação forem ativadas


involuntariamente funções do guindaste, existe perigo de morte.

Antes de cada processo de lubrificação, desligar o guindaste.


Ao aplicar graxa lubrificante nos niples, certificar-se que a graxa está penetrando facilmente.
Trocar niples de lubrificação sujos/estragados/amassados. Se depois da troca do niple de
lubrificação, não for possível inserir graxa lubrificante, procurar de imediato o Serviço Autorizado
PALFINGER.
Processo de lubrificação:

Cuidado! A sujeira nas buchas pode causar desgaste no guindaste


aumentando os custos de reparo e o tempo parado do equipamento.
• Limpar adequadamente os pontos de lubrificação. Remover a graxa velha e suja. Caso
contrário, a sujeira na graxa velha será pressionada para dentro da bucha/mancal.
• Pressionar graxa lubrificante para dentro dos pontos com buchas.
• Mover os componentes. A graxa lubrificante é assim distribuída pelo interior da bucha/mancal.
• Aplicar novamente graxa lubrificante para dentro do niple de lubrificação.
• Repetir o processo de lubrificação, até sair graxa lubrificante nova para fora da bucha/mancal.

Cuidado! Graxa lubrificante em excesso, nos pontos de lubrificação,


buchas e mancais, aumenta o perigo de acidentes e é um perigo para o
meio ambiente.
• Depois do processo de lubrificação, retirar a graxa lubrificante excedente.
• Não utilizar a graxa lubrificante excedente.
• Depois do processo de lubrificação, retirar e descartar adequadamente a graxa excedente.

Lubrificar todos os pontos de lubrificação existentes no guindaste.

Perigo! No caso de contato do lubrificante com os olhos, lavar


imediatamente com água limpa e consultar um médico ou dirija-se a
um hospital ou pronto socorro! No caso de contato do lubrificante
com a pele, lavar a superfície da pele com água limpa.

Apoio da coluna na base do guindaste


• Levantar completamente o braço anterior (principal).
• Pressionar graxa lubrificante para dentro dos pontos de lubrificação (1, 3, 4).
• Girar o guindaste para a direita e para a esquerda até ao final do curso.
• Pressionar graxa lubrificante em intervalos de 60°, em todos os pontos de lubrificação, até
completar toda a área de giro. Girar o guindaste para a esquerda e para a direita, até sair
graxa lubrificante pelo apoio da coluna com a base.

138
Capítulo 10 Manutenção

Cremalheira

Advertência! A graxa não será visível ao lubrificar a cremalheira,


mesmo com lubrificação suficiente, não sairá graxa para fora.
• Lubrificar a cremalheira inserindo graxa no ponto de lubrificação (2).
• Enquanto lubrifica girar o guindaste até o final do curso para ambos os lados. Repetir o
processo duas vezes!

4
3
2

Sistema de lanças (*)


O sistema de lanças isento de lubrificação (*) está equipado com um pacote de calços e guias, os
quais apresentam propriedades auto lubrificantes e um mínimo de desgaste Durante as primeiras
horas de funcionamento do guindaste, com sistema de lanças isento de lubrificação, será criada uma
camada auto lubrificante entre as partes deslizantes. O sistema de lanças isento de lubrificação,
após a fase inicial, não necessitará uma lubrificação regular, caso o guindaste seja utilizado em
condições normais. Eventualmente poderá ser, necessária a aplicação do Teflon® Spray PALFINGER
para a formação dessa camada auto lubrificante. Podem também ocorrer manchas (áreas sem a
deposição da camada auto lubrificante nas superfícies de deslizamento), caso isto ocorra a aplicação
do Teflon® Spray PALFINGER, faz-se necessária.
Antes de uma parada do guindaste por um longo período de tempo, as áreas sem proteção devem ser
protegidas contra corrosão com Teflon® Spray PALFINGER.
Quando o equipamento for utilizado em meio ambiente abrasivo ou agressivo (areia, pó, poeira,
maresia, etc.) será necessária uma limpeza normal e posteriormente a aplicação do Teflon® Spray
PALFINGER.
(*) Somente disponível nos guindastes importados.

Procedimento correto para a lubrificação das lanças


• Estender completamente as lanças manuais e as lanças hidráulicas, apoiando o suporte
do gancho em um pedaço de madeira.
• Antes de lubrificar, remover toda a sujeira e a graxa velha das lanças.
• Aplicar graxa na parte inferior das lanças, usando um pincel ou rolo de esponja.
• A seguir recolher as lanças hidráulicas, aplicando um força pequena, para baixo
com o braço posterior.

• Recolher as lanças manuais fazendo com que a graxa se espalhe entre as lanças.
• Remova o excesso de graxa.

139
Manutenção

Graxa lubrificante para cabos

Cuidado! Os fios salientes do cabo de aço podem causar ferimentos


graves na mão durante a operação de lubrificação do cabo.

Portanto, lubrificar o cabo de aço somente usando luvas apropriadas.

• Desenrolar o cabo aço sob tensão.


• Com um pano ou pincel, aplicar graxa lubrificante para cabos em toda a extensão do cabo.
• Enrolar o cabo de aço sob tensão.

Troca do óleo hidráulico, troca do elemento filtrante


Filtro de óleo hidráulico
A sistema hidráulico do guindaste está equipado com um jogo de filtros.
O jogo de filtros inclui:
• filtro de alta pressão, filtro de retorno e filtro de ar (estes últimos instalados no tanque).

Advertência! O jogo de filtros deve ser sempre trocado


simultaneamente.

O jogo de filtros tem que ser trocado após as primeiras 50 horas de funcionamento.
Depois disso, a cada 1.000 horas de funcionamento, mas pelo menos uma vez por ano.

140
Capítulo 10 Manutenção

Óleo hidráulico, manutenção do óleo hidráulico

Troca do óleo hidráulico


O óleo hidráulico deve ser trocado a cada 1.000 horas de funcionamento e ao menos uma vez por
ano.

Advertência! A manutenção anual do óleo hidráulico, aumenta


significativamente os intervalos de troca do óleo hidráulico.
Isto significa para o empresário uma economia de custos, além disto
uma redução da quantidade de óleo usado a ser descartado,
reduzindo desta forma a poluição do meio ambiente.
Realizar a manutenção anual de óleo hidráulico junto a um Serviço
Autorizado PALFINGER.
Realizar análise do óleo hidráulico junto ao fornecedor do mesmo.

Manutenção do óleo hidráulico


A manutenção do óleo hidráulico inclui as seguintes etapas:
• Filtrar o óleo hidráulico.
• Separar a água do óleo hidráulico.
• Análise físico/química do óleo hidráulico.
• Substituir o elemento filtrante do filtro de alta pressão.

Óleo hidráulico

Advertência! A PALFINGER recomenda o uso de óleos hidráulicos


biodegradáveis. Mesmo os óleos biodegradáveis não devem ser
lançados no meio ambiente.

Características necessárias
Óleo hidráulico Temperatura de utilização
Éster sintético (biodegradável): aprox. - 30 a + +80 ºC
Óleo mineral (não biodegradável): aprox. - 30 a + +80 ºC

Utilizar óleo hidráulico éster sintético (biodegradável) ou óleo mineral (não biodegradável).
O óleo hidráulico deve manter suas principais característica quando operar entre -30° e 80°,
dependendo da temperatura ambiente.
A temperatura ideal de operação do óleo hidráulico se situa entre + 30 e + 60 ºC. Fazer sempre a
leitura da temperatura do óleo hidráulico após terminar cada utilização do guindaste. Se esta amplitude
de temperaturas for excedida com frequência, contatar o Serviço Autorizado PALFINGER.
Características recomendadas
• Variação da viscosidade em função da temperatura dentro de parâmetros aceitáveis.
• Boas propriedades térmicas e mecânicas.
• Grande resistência ao envelhecimento.
• Boa proteção contra a corrosão.
• Viscosidade aceitável quando em baixas temperaturas (frio).
• Boas características de aeração (libertação de bolhas de ar).
• Excelentes características antiespumante.
• Não atacar vedações nem mangueiras hidráulicas.

141
Manutenção

Valores limites para a escolha do óleo hidráulico

Ao selecionar o óleo, ter em conta a interdependência entre temperatura e viscosidade.

Advertência! Manter contato com o Serviço Autorizado PALFINGER


para a escolha dos óleos hidráulicos e filtros de óleo recomendados.

A
0 °C

B
A Viscosidade mm²/s ou cSt

B Temperatura de referência ISO em


°Celsius

C Amplitude recomendada

Viscosidade em altas temperaturas: 10 cSt


Viscosidade para partida a frio: 1000 cSt
Classe de pureza: 15/12 (segundo ISO 4406)

142
Capítulo 10 Manutenção

Miscibilidade

Advertência! Os óleos hidráulicos são misturáveis entre si. Os


óleos hidráulicos não devem ser misturados com outros líquidos.

Desvantagens através da mistura de óleos diferentes:


• Redução da vida útil do óleo.
• As misturas de óleos ésteres sintéticos com óleos minerais deixam de ser biodegradáveis.
• Os fabricantes de óleos hidráulicos não recomendam a mistura de óleos de marcas
diferentes, etc.

Reparar falhas na pintura


Advertência! Reparar falhas na pintura de imediato. Protege o
guindaste de corrosão.
• Lixar e limpar os pontos danificados.
• Dar a primeira demão de primer nos pontos danificados e na sequencia tinta de
acabamento.

143
Capítulo 11

CAPÍTULO 11

Assistência técnica

Neste capítulo
Generalidades ...........................................................................147
Verificação das uniões roscadas ...............................................148
Primeira assistência após 50 horas de serviço ..........................150
Todas as 1000 horas de serviço ou pelo menos uma vez
por ano ......................................................................................151
Todos os 6 anos ........................................................................151
Gancho de carga e manilha.......................................................152
Verificação dos dispositivos de segurança ................................153
Mangueiras de proteção ............................................................153
Reparos.....................................................................................153
Taxa de abaixamento ................................................................153
SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente.................................153

145
Capítulo 11 Assistência técnica

Generalidades
Advertência! Os trabalhos de revisão e assistência técnica devem
ser realizados exclusivamente pelo Serviço Autorizado PALFINGER
conforme os documentos de treinamento e os registros de serviços
da PALFINGER. O não cumprimento do acima resulta em perda da
garantia e da responsabilidade do fabricante.

Quanto ao tempo que falta até a próxima revisão - ver Horímetro no capítulo 10.
A revisão deve ser mandada realizar pelo empresário quando o horímetro assim indicar. Para mais
informações, ver também o Manual de Serviços (fornecido junto com o guindaste).

Conservar as anotações dos trabalhos realizados na revisão e nas assistências técnicas. Cada
revisão e cada reparo têm que ser registrado no Manual de Serviços do guindaste e ser assinado e
carimbado pelo Serviço Autorizado PALFINGER.

Preparativos para a revisão e assistência técnica:


• Limpar o guindaste adequadamente (ver "Limpeza", capítulo 10).
• Realizar inspeção visual no guindaste (ver "Inspeção visual", capítulo 10).

147
Assistência técnica

Verificação das uniões roscadas


Perigo! Parafusos frouxos, danificados ou com excesso de torque
de aperto podem romper quando submetidos a carga.
Existe perigo de morte.

Advertência! Apertar os parafusos somente com torquímetro


apropriado e aplicando o torque de aperto prescrito.

Torques de aperto de parafusos ISO em Nm Tolerância +/- 10%


Parafusos: DIN EN ISO 4762, 4014
Porcas: DIN EN ISO 4032
Anilhas: DIN EN ISO 7090
Roscas: Grau: 5.6 Grau: 6.8 Grau: 8.8 Grau: 10.9
M03 0,7 0,9 1,2 1,5
M04 1,7 2,1 2,8 3,5
M05 3,4 4,3 5,5 7
M06 5,9 7,3 9,5 12
M08 23 30
M10 46 60
M12 79 100
M14 125 165
M16 195 245
M18 280 345
M20 390 480
M22 525 655
M24 660 830

148
Capítulo 11 Assistência técnica

Torques de aperto de parafusos em U em Nm:


Tolerância +/- 10%
Roscas: Grau: 8.8
M 16 x 1,5 120
Roscas: Material: C40
M 20 x 1,5 140
Roscas: Material: 42 Cr Mo 4v
M 20 x 1,5 210
M 24 x 1,5 450
M 30 x 1,5 900
M 33 x 1,5 1220
M 36 x 1,5 1550
M 42 x 1,5 2500
M 48 x 1,5 3700

149
Assistência técnica

Símbolos usados nas manutenções/revisões/assistência técnica

Testar o funcionamento

Trocar

Inspeção visual

Verificar se os parafusos estão assentes


firmes

Teflon® Spray

Graxa lubrificante

Graxa lubrificante para cabos

Primeira revisão após 50 horas de operação

Designação Ação
Pacote de filtros de óleo/ar

Cilindro escamoteável

Nível do óleo hidráulico (guindaste em posição de transporte/sapatas e


cilindros de patolamento recolhidas).
Apertar conexões dos tubos/mangueiras hidráulicas, uniões roscadas

Fixação do guindaste no sobre-chassi/base fixa

150
Capítulo 11 Assistência técnica

A cada 1000 horas de operação ou pelo menos uma vez por ano

Designação Ação
Pacote de filtros de óleo/ar - óleo hidráulico

Cilindro escamoteável

Fixação do guindaste no sobre-chassi/base fixa

Conexões dos tubos/mangueiras hidráulicas, uniões roscadas

Braço comutador de fim-de-curso do guincho de cabo


Guincho de cabo - óleo de engrenagens

Controle remoto

Todos os dispositivos de segurança

Lubrificação central

Acessórios

Rendimento da bomba-rotações

Alavanca/carretel dos comandos

Suporte de carga da extremidade das lanças


Coluna do guindaste - folga entre coluna e base (ver Manual de
Serviços e Reparos)

A cada 6 anos de operação

Designação Ação
Mangueiras hidráulicas

151
Assistência técnica

Gancho de carga e manilha


A verificação do gancho de carga e da manilha por um Serviço Autorizado PALFINGER tem que ser
realizada em concordância com os regulamentos legais nacionais no espaço máx. de 12 meses.

Perigo! Se forem utilizados ganchos de carga danificados ou


desgastados, existe perigo premente de acidente e,
consequentemente, perigo de morte para o operador e para
outras pessoas.

Antes da verificação, limpar gancho e manilha de forma que fique isento de óleo, sujeira e ferrugem.
É admissível qualquer método de limpeza que não afete material de base.
Devem ser verificados regularmente os seguintes pontos:
• Fixação do gancho, trava de segurança da porca castelo
• Corpo do gancho.
• Dispositivo de segurança (trava) do gancho.
• Rolamentos
Verificar a existência de:
• Cortes, entalhes, ranhuras, fendas superficiais, corrosão acentuada, descoramento por
efeito da exposição ao sol ou outros efeitos.
• Sinal de alargamento do gancho, quer dizer, aumento evidente na abertura da
mordaça (O) ou outras deformações no ponto de contato da trava. O aumento da
abertura da mordaça não deve exceder 10% do valor nominal. O dispositivo de
segurança do gancho (trava) não deve, em caso nenhum, desengatar. A cota H do
gancho não deve diminuir mais de 10% da dimensão nominal.
• A Ficha Técnica informativa relativa ao gancho está disponível no Serviço Autorizado
PALFINGER sob o número DTZ002.
Em caso de danos, deformações ou desgastes, retirar imediatamente o gancho de uso.

152
Capítulo 11 Assistência técnica

Verificação dos dispositivos de segurança

Advertência! Todos os dispositivos de segurança devem ser


verificados durante a revisão (testar o sistema de sobrecarga OSK, etc.).

Mangueiras de proteção
Durante a revisão/assistência técnica, verificar as mangueiras de proteção, coberturas, etc. e
substituir peças danificadas ou faltantes.

Reparos
• Os danos no guindaste têm que ser reparados de imediato pelo Serviço Autorizado PALFINGER.
• Os reparos têm que ficar anotados no Manual de Serviços do guindaste.
• Se os reparos não forem realizados através de um Serviço Autorizado PALFINGER, a garantia
ficará extinta.

Taxa de abaixamento
A taxa de abaixamento da carga não deve ser superior a 0,2% por minuto.

SAC - Serviço de Atendimento ao Cliente:


A fábrica da PALFINGER através do serviço de atendimento ao cliente, terá
satisfação em auxiliar nas suas dúvidas e na solução de eventuais problemas.
O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) atende através do número:

0800 512366

153
Capítulo 12

CAPÍTULO 12

Parada definitiva e eliminação

Neste capítulo
Diretrizes – Parada definitiva e eliminação...............................157

155
Capítulo 12 Desmantelamento e eliminação

Diretrizes – Parada definitiva e eliminação

Desmontar e descartar o guindaste de forma competente

Cuidado! Se o guindaste não for desmontado e descartado de


forma competente, existe perigo de acidentes.
• Para desmontar e descartar o guindaste de forma competente, contate um Serviço Autorizado
PALFINGER.
• Desmontar o guindaste em peças de acordo com as instruções do Serviço Autorizado
PALFINGER e descartar os componentes individualmente.

Perigo! A falta de apoios externos adequados quando da remoção das válvulas


de retenção de carga dos braços anterior e posterior, podem causar danos
ao guindaste e como consequência acidente grave.
Existe perigo de morte para o técnico/mecânico.

Eliminação

Cuidado! Limpar adequadamente todas as peças que contêm óleo e


graxa, antes da sua eliminação. O óleo e a graxa não devem, em caso
nenhum, ser lançados no ambiente.
Ao proceder-se à eliminação de todos os componentes do guindaste e
equipamentos auxioiares, há que respeitar as leis específicas do país.
• Limpar os componentes que contêm óleo e graxa.
• Descartar os componente conforme o tipo de material (aço, plástico, componentes elétricos e
componentes eletrônicos, etc.).
• Descartar o óleo e a graxa de forma ecológica, mesmo os óleos e graxas biodegradáveis
• Contatar o seu representante PALFINGER para a aquisição de um novo guindaste.

157
Capítulo 13

CAPÍTULO 13

Descrição técnica

159
160
Í Î Ï Ð Ñ Ò Ï Ó Ô Õ Ñ Ö

ó ð ë
ê ô õ ö ÷ á › Ž å ñ  ‹ ò … ì í î ï Û 

× ¢ × ×

ß › à ™ á › Ü “ Ý ‹ Þ Ù   Ú Û 

˜ æ ç è é ê ä å  ‹ ~ â 㠀 † …

¢ ¢ Ø § × × £

ý à è þ ÿ › û Ý Œ  Œ “ ü ø  € ù € ú †

º Q V U \ ] Q R U U a U ` W Â ¿ Q }

  
   !    "

° > ² A > D ? H E H = D A t

 
   # " 

· & 3 . , 4 & ' . . * . ¹ ( - + 2 , k

Ì
W T W X [ R W R U V » ¼ [ V W }

     

­
© G ª O ; > ² A > D ? K G G K > A J t

 
   

+ ' ( ' 3 µ ¶ + 3 ( k

º » ¼ [ V Q W a X W \ X U ½ [ R Z » v a [ X Q }


 

© G ª O @ J N L G F ; > K E F A L = G K @ t

 
  

³ * - ( , - . ´ + ' 0 µ 8 * + - & 3 µ ¶ + 3 & k

\ ^ v a Q R U ^ [ Z Q }

p ; = < > D ? G D ? ; = t

   $

8 * & ' . d + 0 & k

P Q Z ¾ v U R U ^ [ Z Q }

  
   !    "

p ; = < > D ? A E L « F = t

  
   # " 

· & 3 . , 4 & ' . d + 0 & k

u Z U S S ¿ Q R U ] Z W À W a ½ Q }

  
      

¬ ­ ­
= L G A > D ? L = B B F L = t

 
   


+ 2 , ' . 4 0 ( / ( 5 & k

W Ê ¿ Q R W À Q V À W }

Ç 
        

­ ­
¯ F H K G G K > A J t

        
                          

¸
( 8 ' ( * / & 3 / ( k

W Ê ¿ Q T W Z W X Q \ ] Z Q a U Z U V Q ] Q }

Ç
         

­ ­ l ­
¯ F H K G G K > A J I J n M ° p ± A J = t

        
                          

¸
( 8 ' ( * - & 3 3 ( , ' & 1 & 0 0 ( ' + & k

Á W \ Â W S ½ [ R Z » v a [ X W S }

¢ § ¤ ¨ ¦ £ ¤ ¥ ¦

® J N L O I E E H = ª A = D B > E D B t

c 0 & * & , d ( ) ´ + ' 0 µ 8 * + - ( ) k

à a X W \ X U V » ¼ [ V Q }

  
       

© G ª O E F A L = G K @ t

   
         

³ * - ( , - . 3 µ ¶ + 3 & k

 
 

Ä Ç É

   
     

  
   

Ä Ç

  
       


  

Ä Ç È


   

P Q R Q S Q S T U S Q S S U V W X U S S Y Z [ Q S R U V Q \ ] W ^ U V _ R [ S T Q S [ ] [ ` Q S W R [ X [ Q \ W [ S U Y a U Q b

: ; ; < = > ? @ A B ? > C = D < > A @ E F A G B B = H I ; J G K K = B B E L J M G N N > A > E D G ; N = C > K = B G D N E > ; O

% & ' ( ) * ( ) + , ' + - ( - + & , . ) ) & / 0 . 1 . ) & ) ) & , ) + , ( - . ) ) 2 0 + & ) ' . 3 & , 4 ( 5 . 6 . 7 8 + 1 & ) ( ' + - + & , ( * . ) + ( 9 . + 4 .

u U S Q ^ v [ \ R w x y _ z P { z | }


           

l
L G D = < = > ? @ A m n o M p q r p s t

      
  
  
  

c . ) & ' ( d 0 8 ( e f g 6 h % i h j k

  
        

y Å Æ

      
  
  
  

 
     

Ä Ç É

    
 
  

       

Ä Ç

   
  
   

   

Ä Ç È

  
  

˜ ™ š › œ  š ™ ž Ÿ   ¡

Š ‹ Œ  Ž   ‘ ’ Œ  Ž “ ”  • – —

~  €  ‚ ƒ „ ‚ … † ‚ ‡ ˆ ‰

+ , - . / 0 1 2 3 4 0 . 5 3 6 7 . 8 9 1 4 . 5 : ; < / 3 8 5 . 4 3 0 / = 3 8 2 > 3 ? 5 / < 3 6 @ 1 A . = . 5 @ 1 8 . 5 4 . = 3 A 3 8 . B < 1 ; 0 3 C

              ! " #  $    %     &  #     '   (        )   %           *

             
                                          
Í Î Ï Ð Ñ Ò Ï Ó Ô Õ Ñ Ö

ó ð ë
ê ô õ ö ÷ á › Ž å ñ  ‹ ò … ì í î ï Û 

× § × ×

ß › à ™ á › Ü “ Ý ‹ Þ Ù   Ú Û 

˜ æ ç è é ê ä å  ‹ ~ â 㠀 † …

¢ ¢ Ø § × × £

ý à è þ ÿ › û Ý Œ  Œ “ ü ø  € ù € ú †

+ , - . / 0 1 2 3 4 0 . 5 3 6 7 . 8 9 1 4 . 5 : ; < / 3 8 5 . 4 3 0 / = 3 8 2 > 3 ? 5 / < 3 6 @ 1 A . = . 5 @ 1 8 . 5 4 . = 3 A 3 8 . B < 1 ; 0 3 C

              ! " #  $    %     &  #     '   (        )   %           *

             
                                          

     
        

 
    

Ì
U \ ] Z Q R Q ` U U X v a Q

© > N N ; = E ² C = @ > K ; =

¸
. , 4 0 & ' . * ¹ . ´ + - 8 * &

J J J J

I I I I

M O L D

P H M

N P D

E G G G G

F F F F

L L

P H Q

F D

H
M


 

  

 
 

N
 
 

E G

  
     

   
   

M
E

     
                

    
         

   
  

  
     

   $

R   

 
   

Á W \ Â W S ½ [ R Z » v a [ X W S

@ J N L G F ; > K = ª A = D B > E D B

c 0 & * & , d ( ) ´ + ' 0 µ 8 * + - ( )

    

 
    


      

    
      

    

 
   
Í Î Ï Ð Ñ Ò Ï Ó Ô Õ Ñ Ö

ó ð ë
ê ô õ ö ÷ á › Ž å ñ  ‹ ò … ì í î ï Û 

× £ × ×

ß › à ™ á › Ü “ Ý ‹ Þ Ù   Ú Û 

˜ æ ç è é ê ä å  ‹ ~ â 㠀 † …

¢ ¢ Ø § × × £

û Ý Œ  Œ “ ü ø  € ù € ú †
ý à è þ ÿ ›

+ , - . / 0 1 2 3 4 0 . 5 3 6 7 . 8 9 1 4 . 5 : ; < / 3 8 5 . 4 3 0 / = 3 8 2 > 3 ? 5 / < 3 6 @ 1 A . = . 5 @ 1 8 . 5 4 . = 3 A 3 8 . B < 1 ; 0 3 C

              ! " #  $    %     &  #     '   (        )   %           *

             
                                          

 V

  
  

     
    

  
 

E G

E
K

  
  

  
    

G
I

E
I

K
F

G
W

W P

O
P

H
N


 X  X Y

 
     

 
      

w x y z x { | } ~  €  ‚ } ƒ x {

h i j k l m n o p q r s q t u o v t u

Z [ \ ] \ ^ _ ` a b c d [ e f ] c g ` a

        
    

     
         

P Q ] W a V U \ ] U Z U X Q a ½ [ R W

² F ; ; J L = A L G K A = N


          
  

„ … †

% & 4 ( * 3 . , 4 . 0 . - & d + ' &

      
       

   
             

P Q ] W a V U \ ] U U ¼ ] U \ R [ R W S S

       
           

² F ; ; J = ª A = D N = N

„ … ‡ †


           

% & 4 ( * 3 . , 4 . . ¶ 4 . , ' + ' &

        
      

         

     
              
Í Î Ï Ð Ñ Ò Ï Ó Ô Õ Ñ Ö

ó ð ë
ê ô õ ö ÷ á › Ž å ñ  ‹ ò … ì í î ï Û 

× › × ×

ß › à ™ á › Ü “ Ý ‹ Þ Ù   Ú Û 

˜ æ ç è é ê ä å  ‹ ~ â 㠀 † …

¢ ¢ Ø § × × £

ý à è þ ÿ › û Ý Œ  Œ “ ü ø  € ù € ú †

+ , - . / 0 1 2 3 4 0 . 5 3 6 7 . 8 9 1 4 . 5 : ; < / 3 8 5 . 4 3 0 / = 3 8 2 > 3 ? 5 / < 3 6 @ 1 A . = . 5 @ 1 8 . 5 4 . = 3 A 3 8 . B < 1 ; 0 3 C

              ! " #  $    %     &  #     '   (        )   %           *

             
                                          

 
      

 
     

   
           

x Ž 

    
              

 
R        

‰ Š ‹ Œ ‰ Š ‹ ‰
£ £

 

  
 

J