Você está na página 1de 87

UM DIA DE VERÃO

De Jon Fosse
Traduzido do inglês1 por Cláudia Soares Cruz

1 Tradução de Louis Muinzer a partir do novo norueguês


1
Personagens
A mulher madura
A amiga madura
A mulher jovem
Asle
A amiga jovem
O marido da amiga jovem

2
I

Escuridão. Acendem-se as luzes. Uma sala de uma casa antiga e ampla no alto de uma colina
perto de um fiorde. Uma mulher madura está de pé diante de uma janela olhando para fora.
Ela se vira e olha para outra mulher madura, sua amiga, que se levantou do sofá e andou mais
para o centro da sala

A MULHER MADURA
Para a outra
Você está indo*2

A AMIGA MADURA
É acho que vou dar uma caminhada
até o mar
É tão bom lá embaixo
no mar
E está fazendo um dia de verão
tão agradável
E vai demorar um pouco até ele chegar
para me pegar
Ele tem que fazer
um monte de coisas na cidade

A MULHER MADURA
Eu sei

A AMIGA MADURA
Você vem comigo*

A MULHER MADURA
Não acho que vou ficar aqui
Pequena pausa. Ela se volta novamente para a janela

2 As falas marcadas com um asterisco são perguntas.


3
A AMIGA MADURA
ri
Vai ficar olhando pela janela*
de novo
Você nunca se cansa disso*
Quando penso em você
tenho que confessar
sempre vejo você de pé diante da janela
olhando para o mar lá embaixo

A MULHER MADURA
É eu costumo fazer isso

A AMIGA MADURA
É verdade
É assim que eu imagino você
Você nunca se cansa*

A MULHER MADURA
Eu não penso nisso dessa maneira

A AMIGA MADURA
Não
Pequena pausa
Bom vou dar minha caminhada
então
A amiga madura vai até a porta à direita, para, olha para a mulher madura
Vou até lá embaixo no mar
Está realmente um dia lindo

A MULHER MADURA
olha para a amiga
Isso vai

4
A AMIGA MADURA
Você não vem comigo

A MULHER MADURA
Não acho que não

A AMIGA MADURA
Eu sei
você não gosta muito
do mar

A MULHER MADURA
Não

A AMIGA MADURA
Bem eu vou
então

A MULHER MADURA
Isso
vai
A amiga madura sai pela direita e a mulher madura se volta novamente para a janela, ela
fica ali de pé olhando para fora
Pausa

II

A MULHER MADURA
se vira para frente, anda uma curta distância mais para o centro da sala
Quando eu fico ali na janela
olha de relance para a janela
eu consigo vê-lo diante de mim
Pequena pausa
Era um dia como esse
só que era outono
5
quando minha amiga veio me visitar
Foi há muitos anos
mas ainda consigo vê-lo diante de mim
enquanto ele anda
lá para baixo na direção do mar
Eu o vejo andar até o mar
E talvez ele olhe para trás
acene talvez
se ele pensar nisso
ou se ele estiver andando por lá com seus próprios pensamentos
pode ser que ele não olhe para trás
Eu ainda consigo vê-lo diante de mim
enquanto ele vem subindo a rua
Talvez ele estivesse carregando um balde de peixes
se ele teve sorte
e pegou alguma coisa
Ou pode ser que ele estivesse carregando uma truta
ou um salmão
e aí daria para ver como ele estava orgulhoso
Ela ri
Ele era assim
Mas foi tudo há tanto tempo
agora
Está tudo acabado agora
pequena pausa
e em breve tudo terá desaparecido
em breve
tudo terá terminado
Depois de mim tudo terá terminado
Do mesmo jeito que ele
há tanto tempo agora
já se foi
Ele estava aqui
e então de repente ele se foi
Ela olha em torno da sala
6
E foi aqui que ele morou
ele e eu
nós moramos aqui juntos
pequena pausa
Nós moramos aqui
juntos
Nós compramos essa casa
e saímos da cidade
e depois nós moramos aqui
ele e eu
nós dois
Ela sorri
E a casa ainda está de pé
da mesma maneira que naquela época
Eu deixei ela ficar assim
quase tudo é como era antes
Ela olha em volta de si mesma, anda pela sala arrumando fotografias e outras coisas
É sim
Ela levanta os olhos
A maioria das coisas está do jeito
que era
Porque eu não gosto muito de mudanças
Mas
tantos anos depois
ainda não entendi o que foi que aconteceu
com ele
naquele dia de outono
naquele dia em que minha amiga
veio me visitar
como veio hoje
apesar de eu ter pensado tanto nisso
nunca entendi o que aconteceu
pequena pausa
Talvez eu possa dizer que isso me atormentou
ou talvez seja errado eu dizer que isso me atormentou
7
ou melhor talvez tenha mesmo
Ah não sei
Na maior parte do tempo eu acho que simplesmente isso esteve ali
permeando a minha vida
como uma pergunta
como um chamado
Porque nós nos encontramos sabe
e então
tão de repente e inesperadamente como nós nos encontramos
nós também tivemos que nos separar um do outro
Mas a vida é assim
É assim que temos que viver
A vida é
assim
Ouvem-se passos. A mulher madura observa uma mulher jovem entrar calma e
silenciosamente vindo da direita, já um pouco dentro da sala, ela olha em torno de si
mesma, então anda pela sala arrumando fotografias e outras coisas, da mesma maneira
que a mulher madura fez há pouco tempo, enquanto a mulher madura, que a mulher jovem
trata como se não estivesse ali, está de pé olhando para ela com um sorriso bondoso, então
a mulher madura sai calma e silenciosamente pela esquerda e a mulher jovem se dirige à
janela e olha para fora, da mesma forma que a mulher madura acabou de fazer. Ela então
se vira, anda um pouco pela sala, depois ouvem-se passos e Asle entra pela direita e a
mulher jovem e Asle se cumprimentam com um aceno de cabeça

A MULHER JOVEM
Que gentileza da sua parte aparecer por aqui

ASLE
Por que você diz isso*

A MULHER JOVEM
Eu te vejo tão pouco

ASLE
Eu estou sempre aqui
8
você sabe

A MULHER JOVEM
Bom de certa forma
sim
Asle olha para ela
Pausa
Ela olha para Asle
Você parece agitado
Tem algo errado*

ASLE
Não
Pequena pausa
Não nada

A MULHER JOVEM
Você não está bem*

ASLE
Eu estou bem
prolonga sua fala

A MULHER JOVEM
Tem alguma coisa te incomodando*

ASLE
Absolutamente nada

A MULHER JOVEM
Você não está feliz aqui*
Não deveríamos ter nos mudado para cá*
Você não gosta mais*
de ficar comigo

9
ASLE
Claro que eu gosto
Não é isso
Mas aqui é tão quieto
É tão sossegado aqui
que eu fico inquieto
de ficar aqui
acho que eu posso dizer
Ele ri um pouco
Ah sei lá

A MULHER JOVEM
Bom realmente não acontece muita coisa por aqui
é verdade
Mas era que nós queríamos
não queríamos mais morar
na cidade

ASLE
É verdade
Mas também pode ser
calmo demais
ninguém para ver
quase nenhum carro
só um carro para ver de vez em quando
lá embaixo na estrada

A MULHER JOVEM
ri
Mas era isso que nós queríamos
Não queríamos morar lá na cidade
no meio de todas aquelas pessoas
todos aqueles carros

ASLE
10
Eu sei

A MULHER JOVEM
E era você
que queria tanto
sair da cidade

ASLE
Você também

A MULHER JOVEM
É eu também
Não me entenda mal
Pequena pausa
Mas agora nós saímos
da cidade
Agora nós compramos
uma linda casa antiga
perto do fiorde
Você queria tanto viver assim
você dizia
Bom agora estamos aqui
e você não está feliz
mesmo assim
Você está quase mais triste
do que nunca
Morar aqui
não é o que você pensava*

ASLE
É sim
talvez
Mas é tudo tão parado
aqui

11
A MULHER JOVEM
Bem eu entendo que você esteja inquieto
Mas você não pode*
simplesmente tentar ficar feliz
com a nossa casa tão linda
com o fato de ela ser tão tranquila
você não consegue*
ficar em paz
não se atormentar
de algum jeito
Você tem que encontrar sossego em alguma coisa
de algum jeito
Eu acho

ASLE
É

A MULHER JOVEM
continua
que onde quer que você tenha estado
onde quer que tenha morado
foi sempre assim
Na cidade você não estava feliz
E agora você não está feliz aqui também
Você não seria feliz
em nenhum lugar onde você morasse
Você sempre iria querer
morar em outro lugar
Você é assim

ASLE
Talvez
Pequena pausa
Mas você está feliz
Ela faz que sim com a cabeça
12
Bom eu também estou feliz eu acho
Não é isso
Mas é que eu fico tão inquieto
ou seja lá o que for
Ah não sei

A MULHER JOVEM
Eu vejo que
Sou eu*
que chateio você
Você não me ama*
mais

ASLE
Claro que amo
Não é isso
Não pense nisso
Você é
boa para mim
você sabe
Pequena pausa

A MULHER JOVEM
Mas eu me preocupo com isso
sinto que você acha
que eu não sou mais nada
Quando você fica assim
eu sinto que
eu acho
que é de mim que você não gosta

ASLE
Você está errada
Não deve pensar assim
Não é isso
13
A MULHER JOVEM
Ah eu sei
mas

ASLE
E hoje eu acho
que a sua amiga vem aqui
Ela
para de falar
Não é*

A MULHER JOVEM
É ela falou que viria
deve vir

ASLE
Entendo

A MULHER JOVEM
ri um pouco
Você detesta tanto*
que ela venha aqui

ASLE
Não
prolonga sua fala
não é bem isso
Pequena pausa
O marido dela*
também vem

A MULHER JOVEM
Não sei
Mas acho que não
14
Dá uma risada rápida
Você não deveria
ficar tão arredio
aqui
também

ASLE
É muito fácil ficar assim
vivendo aqui dessa maneira

A MULHER JOVEM
Bem você não deveria
Ela anda até a janela, olha para fora, volta-se para ele
Mesmo que o dia não esteja tão bom
um dia de sol
não está tão ruim
também
o dia de hoje
Como já entramos no outono
não se pode esperar coisa muito melhor

ASLE
anda até a janela, olha para fora
Está chovendo um pouco
não está*
Mas é um belo dia de outono
Claro e frio

A MULHER JOVEM
Mas está chovendo um pouco

ASLE
É acho que sim
Mas está difícil de ver
Talvez esteja chovendo um pouco
15
A MULHER JOVEM
Acho que está
Mas não tenho certeza
Pequena pausa
Vamos sair e ver*

ASLE
Pode ser

A MULHER JOVEM
anda até a porta à direita, se vira e olha para Asle que ficou parado olhando em frente de
com o olhar vago
Então venha
Não fique aí pensando

ASLE
levanta os olhos
Tudo bem estou indo
Ele anda na direção da mulher jovem e eles saem juntos pela direita e enquanto estão
saindo, a mulher madura entra calma e silenciosamente pela esquerda, fica de pé olhando
para eles, e em seguida anda um pouco em torno da sala olhando para fotografias e outras
coisas

A MULHER MADURA
levanta os olhos, olha em frente
Foi há tanto tempo
mas mesmo assim eu ainda me lembro
pequena pausa
daquele dia
como se tivesse acabado de acontecer
eu lembro
Era um belo dia de outono
Claro
e não estava fazendo calor nem frio
16
E nós saímos para ver se estava chovendo
E estava
mas só um pouquinho
E então nós ficamos lá um pouco
Lá fora naquela chuva fina
E aí andamos em volta da casa
e olhamos para ela
e ele falou que a casa estava precisando de uma pintura
que as calhas estavam precisando ser trocadas
ele falou
de coisas sobre as quais costumávamos falar
E nós dois concordamos
que era uma bela casa
grande e bonita
branca e bonita
Mas para não ficarmos muito molhados
tínhamos
que entrar em casa
e rápido
E então nós corremos para dentro
Ouvem-se passos. A mulher madura vai até a janela, olha para fora. A mulher jovem entra
correndo pela direita, ela para logo que entra, fica ali olhando para a porta, por onde Asle
entra um pouco depois

A MULHER JOVEM
sorri para Asle
Mas nós
compramos uma boa casa
não é*
E ela fica em um lugar ótimo
perto do fiorde
Não é verdade*

ASLE
É é muito bom aqui
17
Nós tivemos sorte
Não é muito fácil
conseguir uma casa tão boa
E nós procuramos um bom tempo
antes de encontrar essa

A MULHER JOVEM
É demorou bastante

ASLE
E finalmente encontramos uma boa casa
Pequena pausa
Mas vejo que muita coisa deveria ter sido feita
Eu deveria ter feito alguma coisa com relação a isso
no verão
Mas agora

A MULHER JOVEM
ri
É agora talvez tenha
que ficar para o ano que vem
Mas não é
tão urgente com certeza
Asle vai até o sofá e se senta.
Pausa
O que você vai fazer*
hoje
então

ASLE
Acho que vou dar um pequeno passeio no fiorde

A MULHER JOVEM
De novo

18
ASLE
É acho que sim

A MULHER JOVEM
Você quase nunca fica em casa

ASLE
Claro que fico

A MULHER JOVEM
Você fica quase sempre
no mar
nunca em casa
quase nunca

ASLE
Não tem muita coisa diferente
para se inventar aqui
além de ir para o fiorde

A MULHER JOVEM
Mas você fica lá no mar quase mais
do que em casa
Pelo menos é isso que parece

ASLE
Bom talvez pareça
mas eu fico muito mais aqui
em casa com você
E além disso
pequena pausa
Eu adoro o mar

A MULHER JOVEM
Eu nunca entendi
19
o que tem de tão especial
em ficar lá no mar
em um barquinho
Ficar horas e horas
em um barquinho
Por que, você fica lá
no meio do fiorde
horas a fio
o dia inteiro
a tarde inteira
até escurecer
você fica lá sentado
no meio do fiorde
naquele seu barquinho minúsculo
O que tem de tão especial*
nisso
E deve ser frio
e úmido
pelo menos agora no outono
E deve ser
um tédio terrível

ASLE
Bom pode ser um tédio
Não sei
Mas eu gosto

A MULHER JOVEM
Do que é que você gosta*
tanto

ASLE
Não sei exatamente

A MULHER JOVEM
20
Mas você tem que saber
Tem que ter algum motivo

ASLE
Bom
Bom não sei

A MULHER JOVEM
Me diz o que é

ASLE
Não sei
Talvez eu goste simplesmente porque
Ah não sei exatamente

A MULHER JOVEM
Você sabe sim

ASLE
Bom acho que são as ondas
talvez
eu acho

A MULHER JOVEM
questionadora
As ondas

ASLE
É
Eu simplesmente gosto de ficar lá sentado
e sentir as ondas
batendo e batendo
talvez
e também gosto
do barco balançando
21
para cima e para baixo
Ele ri. Pequena pausa
E eu gosto de olhar para o mar
E aí gosto de pensar como
é longe muito longe até o fundo
Você sabe que este fiorde é muito fundo
É um dos fiordes mais profundos
do país
este aqui
Eu sento lá naquele barquinho minúsculo
E as ondas batem
E o caminho até a terra firme é longo
E o barco é pequeno
uma casquinha
é tudo que existe entre mim e todo aquele mar
entre mim e aquela imensa profundeza
E então o barco sobe e desce
sobe e desce
e o vento passa pelo meu cabelo
e eu estou sozinho
olha para ela
porque raramente você quer ir comigo
E então eu fico lá sentado
e as ondas batem
e o barco sobe e desce
e o tempo passa
e
Pequena pausa
Você devia ter ido comigo algumas vezes
você também

A MULHER JOVEM
Não
Você sabe
Eu não gosto muito
22
do mar lá fora
Fico com medo
e fico entediada

ASLE
É eu sei
Eu sei que você fica assim
Eu não digo nada sobre os seus sentimentos
Você é assim
Eu entendo

A MULHER JOVEM
É eu sempre fui assim
Nunca me diverti muito
no mar
Pequena pausa
Mas
olha para ele
não é porque ela
minha amiga está vindo
que você está com tanta vontade
de ir para o fiorde
hoje

ASLE
Não
Eu vou para o fiorde
de qualquer forma
Mas
ri um pouco
como você diz
eu me tornei uma pessoa
muito retraída
ou
sempre fui assim
23
mas na verdade
não se pode dizer que eu melhorei
desde que nos mudamos para cá

A MULHER JOVEM
É por isso que você quer ir para o fiorde*
só porque ela está vindo

ASLE
Não
não é só por isso
Mas é também por isso
Eu quero ir para o mar porque eu gosto de ficar no mar
e porque a sua amiga
está vindo
As duas coisas
Eu acho

A MULHER JOVEM
um pouco questionadora
Mas você a conhece
há mais tempo do que a mim

ASLE
Isso quer dizer alguma coisa*

A MULHER JOVEM
Ah não sei
Pequena pausa
Não nunca gostei
de ficar no mar lá fora
Fico com medo
Acho assustador
Não sei
mas
24
ASLE
Acho que talvez eu me sinta bastante seguro
lá fora no mar
Isso seguro
Porque é um pouco
para não dizer muito
perigoso
talvez
e então me sinto seguro
de alguma forma

A MULHER JOVEM
Seja como for você poderia usar
um colete salva vidas

ASLE
ri
Ah pode desistir
Desse jeito seria a mesma coisa que ficar em terra firme
não é*

A MULHER JOVEM
Bom não sei
então eu não
Pequena pausa

ASLE
Quanto tempo a sua amiga vai ficar aqui*

A MULHER JOVEM
É só uma visita rápida
umas duas horinhas
talvez

25
ASLE
Você sabe a que horas ela chega*

A MULHER JOVEM
Ela disse que viria à tarde
Mas não disse a hora exata
em que viria
só que seria hoje à tarde

ASLE
ri
Bom então é melhor eu me apressar

A MULHER JOVEM
Mas você a conhece

ASLE
Ah
não é isso
Pequena pausa
Mas vou me vestir
e sair

A MULHER JOVEM
Se você quer tanto
então
não posso te segurar

ASLE
Não é tão perigoso
tenho certeza

A MULHER JOVEM
Bom então vai
Vai
26
Asle sai pela direita e a mulher jovem anda até a janela, se posiciona para olhar para fora, fica
de pé ao lado da mulher madura, mas sem vê-la e sem se relacionar com ela de forma alguma,
depois de algum tempo, a mulher madura anda um pouco para dentro da sala e fica de pé na
direção do fundo da sala, um pouco à esquerda, olha para a mulher jovem que agora se afasta
da janela e fica de pé quase no meio da sala e olha na direção da porta à direita, a mulher
madura também olha na direção da porta, por onde Asle entra, ele agora veste uma capa de
chuva

ASLE
para a mulher jovem
Estou pronto

A MULHER JOVEM
Bem se você quer tanto ir
para o mar
tudo bem
Mas com certeza você sabe
Que você quase nunca fica em casa
É é isso mesmo
Você sempre tem que ir para o mar

ASLE
Achei que já tínhamos esclarecido isso
Não há muito o que fazer
aqui
também

A MULHER JOVEM
Ah é
Foi você, você sabe
que quis tanto se mudar para cá
E você já foi para o mar
hoje de manhã
E foi para lá ontem à tarde
O que há de errado com você*
27
Parece que não consegue encontrar paz
É é melhor você ir mesmo
mas eu realmente acho que você poderia ter ficado
em casa um pouco mais

ASLE
anda e senta no sofá, de forma um tanto petulante
Muito bem
Vou ficar em casa então

A MULHER JOVEM
Não não foi isso que eu quis dizer
Se você quer ir
então é melhor você ir
Eu não posso te segurar
Vai
por favor
você não entende*

ASLE
não muito sério
Não eu vou ficar em casa
Está decidido

A MULHER JOVEM
Não
É melhor você ir
Eu não deveria ter falado
Se você quer ir
é melhor você simplesmente
ir
Não posso te segurar
Vai
por favor
vai
28
ASLE
se levanta, tira a capa de chuva, de forma um tanto petulante
Não eu vou ficar em casa

A MULHER JOVEM
Não
vai pode ir
Pausa
Mas você não está feliz aqui*
O problema sou eu*
Você não gosta de ficar*
comigo
O que é*
O que há de errado com você*
Você está sempre tão inquieto
nunca está em paz
Sempre querendo ir para o mar

ASLE
E você nunca vai comigo
para o mar
Bom não hoje
é claro
já que a sua amiga está vindo para cá
mas algumas vezes você poderia ter
ido comigo
eu acho

A MULHER JOVEM
Mas você sabe que eu não gosto
de ficar no mar
Eu sinto tanto medo
O barco é tão pequeno
e mesmo em um fiorde
29
o mar pode ficar bastante agitado
Você lembra aquela vez*

ASLE
Não teve perigo

A MULHER JOVEM
É talvez não
Mas as ondas entraram pelo lado

ASLE
Umas duas vezes
foi

A MULHER JOVEM
Não eu não gosto muito de ficar no mar

ASLE
É eu sei

A MULHER JOVEM
Mas vai
por favor

ASLE
se levanta, recoloca a capa de chuva
Muito bem então eu vou

A MULHER JOVEM
Isso
vai
Pequena pausa
Você vai demorar*

ASLE
30
Não não muito
Ele cumprimenta a mulher jovem com a cabeça, sai pela direita, mas volta e a abraça,
depois sai de novo enquanto ela fica de pé olhando em sua direção, então ela anda e se
senta no sofá onde ele estava sentado agora mesmo, pega um livro do chão, folheia um
pouco e, enquanto faz isso, a mulher madura anda até a janela e olha para fora, então a
mulher jovem põe o livro novamente no chão e vai até a janela, fica de pé ao lado da
mulher madura, mas continua agindo como se a mulher madura não estivesse ali, então a
mulher jovem abre a janela

A MULHER JOVEM
grita pela janela
Tome cuidado
e não demore

ASLE
responde de fora da casa
Pode deixar

A MULHER JOVEM
Não demore

ASLE
Não vou demorar
É só um passeio rápido

A MULHER JOVEM
Quanto tempo você vai demorar*

ASLE
Ah não vou demorar
Não sei exatamente a que horas eu volto
Mas não vou demorar
A mulher jovem estica o braço para fora da janela e acena, então ela fecha a janela e fica ali
olhando, estática, enquanto a mulher madura anda calma e silenciosamente e vai mais
para o centro da sala
31
A MULHER MADURA
E então eu fiquei ali
dá uma rápida olhada para a mulher jovem
olhando para ele pela janela
eu o vi descendo a rua
na direção do mar
mas ele não olhou para trás
e de repente fiquei apreensiva
angustiada
uma estranha angústia tomou conta de mim
a mulher jovem começa a andar pela sala
mas eu achei que não era nada
que aquela angústia que tinha me invadido
não queria dizer nada
não tinha nenhum significado
que alguma coisa tinha simplesmente tomado conta de mim
e então senti que tinha que sair correndo atrás dele
e implorar para que voltasse
a mulher jovem volta para a janela, fica de pé olhando para fora
eu tinha que implorar para que ele
não fosse para o mar
mas aí me lembrei que a minha amiga poderia chegar
a qualquer momento
e eu tinha que estar em casa
quando ela chegasse
pensei
e já que a minha amiga vinha me visitar
talvez fosse até melhor que ele não estivesse aqui
porque assim eu poderia estar com ela sozinha
pensei
e seria obviamente mais agradável
se eu pudesse estar com ela sozinha
do que se ele estivesse junto
pensei
32
e então eu achei que aquela angústia que eu tinha sentido
provavelmente não queria dizer nada
Era provavelmente só uma angústia normal
com a qual eu não precisava me preocupar
minha angústia era provavelmente só algo
que eu tinha imaginado
sem motivo
pensei
e então saí da janela
a mulher jovem vai até o sofá, senta-se, pega o livro
e me sentei e tentei ler
a mulher jovem começa a ler
mas eu estava tão apreensiva
tão angustiada que
não consegui ler
não consegui me controlar
a mulher jovem recoloca o livro no chão
e então eu simplesmente fiquei ali olhando para o nada
a mulher jovem fica sentada olhando em frente
sem fazer nada
mas eu estava muito apreensiva
angustiada
então eu fui
a mulher jovem se levanta e vai até a janela novamente e olha para fora
até a janela
para vê-lo
mas não vi nem ele nem o barco
então eu pensei que agora
agora eu tenho que parar com isso
porque parecia que eu estava prestes a ficar maluca
pensei
a mulher madura se vira e olha para a mulher jovem que está de pé perto da janela, depois
se vira novamente para a frente
Mas o que há de errado com ele*
eu pensei enquanto estava ali de pé
33
Porque tinha que haver alguma coisa
Era de mim que ele não gostava*
pensei
Ele não era feliz comigo*
Porque alguma coisa o incomodava
Isso era óbvio
Ele nunca ficava em casa
tinha sempre que ir para o mar
então tinha que haver alguma coisa
Mas o que era*
E será que ele sabia*
Ele não conseguia ficar em paz consigo mesmo
Queria ir para o mar
o tempo todo
Agora
que finalmente conseguimos a casa
com que havíamos sonhado por tanto tempo
tomou conta dele
uma inquietação
uma escuridão
algo que eu não entendia bem
e que ele mesmo não entendia
também
tomou conta dele
enquanto ele andava por aí
com sua vara de pescar
e sua capa de chuva
e pensava nas calhas do telhado
que deveriam ter sido trocadas
ou pensava na casa que precisava de uma pintura nova
pensava como era difícil
chegar lá em cima por baixo da beirada do telhado com uma escada
ele andava por aí pensando nessas coisas
e não entendia a si mesmo
De repente me dei conta
34
ali de pé olhando pela janela
na direção do fiorde
do que o estava incomodando
Mas que alguma coisa havia tomado conta dele
disso eu tinha certeza
tinha alguma coisa
E eu fiquei ali
e senti toda aquela angústia dentro de mim
e me convenci de que não havia motivo
para eu ficar apreensiva
Porque para falar a verdade
ele estava exatamente da mesma maneira
que sempre tinha sido
Ele não tinha dito nada
Não tinha feito nada
que demonstrasse que ele não continuaria a ser o mesmo de sempre
Mas havia algo nele
Alguma coisa
E eu me senti cada vez mais apreensiva
mais angustiada
e então me veio uma sensação
a mulher jovem olha para a porta à direita
de que eu deveria ir até o nosso quarto
foi só uma sensação
e eu subi para o nosso quarto
a mulher jovem sai pela direita
e aí
quando eu cheguei lá
vi que ele tinha arrumado suas roupas muito bem arrumadas
Elas estavam ali tão organizadas
como provavelmente eu nunca tinha visto antes
e aí peguei uma de suas camisas
olhei para ela
cheirei
depois a dobrei bem dobradinha de novo
35
coloquei de volta na pilha
onde ele tinha colocado
junto com as outras camisas
ele tinha dobrado suas camisas
tão bem dobradas
e naquele momento me senti infinitamente triste
e não sei bem por quê
mas foi assim que me senti
e então me sentei na nossa cama
e fiquei ali e olhei para as pilhas que ele tinha feito
com as suas roupas
e pensei que eu provavelmente nunca tinha visto
nosso quarto tão arrumado e agradável antes
tudo estava no lugar de certa forma
e o que será que aquilo queria dizer
pensei
e então fiquei ainda mais apreensiva
o que era que ele queria agora*
pensei
por que ele tinha arrumado suas roupas tão bem arrumadas*
pensei
e me senti tão indescritivelmente triste
mas então pensei
que ele estava do jeito de sempre
não havia nada de diferente nele
não não tinha
nada de diferente nele
ele estava do jeito de sempre
como sempre era
naquela época
um pouco inquieto
só isso
Mas havia algo com ele
Eu tentei entender o que poderia ser
mas não consegui
36
entender o que poderia ser
Ele não estava feliz aqui*
Não estava feliz de estar aqui comigo*
O que havia de errado com ele*
Mas foi ele que quis se mudar para cá
longe da cidade
e no começo tudo deu
bastante certo
Mas depois
Bem alguma coisa aconteceu com ele
Não sei o que foi
Mas ele começou a ir para o fiorde cada vez mais
alguns dias ele vai para o fiorde
muitas vezes no mesmo dia
mas sempre fica lá só
uma ou duas horas
antes de voltar para casa
e então ele fica aqui um pouquinho
antes de novamente chegar para mim
e dizer que está indo para o mar de novo
a mulher madura vai até a janela e olha para fora, depois ela volta para a sala
Eu estava tão angustiada
e tão indescritivelmente triste
que eu queria ir até o mar procurar por ele
a mulher jovem entra, vestida com uma capa de chuva, olha a sala em volta, depois sai
rapidamente
É foi isso que aconteceu
E eu fui até o mar
para procurar por ele
e então fiquei lá no nosso píer e olhei para o mar
e as ondas batiam no píer
porque agora tinha começado a ventar
e agora estava chovendo mais forte
e eu fiquei ali e ouvi
as ondas batendo e batendo no píer
37
e me virei
vi a casa de barcos
e então entrei na casa de barcos
e vi que tudo lá estava muito bem arrumado também
e depois saí da casa de barcos
e fiquei ali no píer e olhei para o mar
e eu não conseguia ver nenhum barco em absolutamente lugar nenhum
E pensei que eu não podia continuar ali
porque minha amiga talvez já tivesse chegado
então eu talvez devesse voltar
mas eu não queria voltar
só queria ficar ali
eu senti
mas eu tinha que voltar
e estava frio é claro
eu estava congelando
e agora estava chovendo razoavelmente
então eu devia simplesmente voltar
pensei
e então eu voltei
e enquanto eu estava andando me dei conta de que estava começando
a ventar ainda mais forte
e começando a chover ainda mais forte
e subi a rua
e tentei pensar
que não havia nada com que me preocupar
pensei
Era só a minha imaginação
pensei
ele já tinha ido tantas vezes para o mar antes
com um tempo igual a esse
pensei
e então eu voltei
e quando cheguei perto da nossa casa
aquela nossa linda casa branca
38
vi que a minha amiga
estava no jardim na frente da casa
então ela já tinha chegado
e gritei seu nome
acenei para ela
e ela me respondeu
e acenou de volta
e perguntou onde eu estava
e eu disse que tinha ido só dar uma andada
E ela disse que ainda bem que eu tinha voltado
Porque ela estava tão congelada agora
O tempo estava terrível agora
ela disse
chuva e vento
Ela já tinha se molhado bastante
ela disse
e então ela entrou na nossa casa
a mulher madura olha na direção da porta à direita, por onde a mulher jovem, com o cabelo
um pouco molhado, entra, e depois sua amiga jovem entra, ela também está com o cabelo
molhado, as duas jovens se olham, se sacodem um pouco, enquanto a mulher madura sai
meio rápido pela esquerda. A amiga jovem vai até o sofá e se senta. A mulher jovem vai até
a janela, fica lá olhando para fora.

A AMIGA JOVEM
se vira e olha para a mulher jovem
A casa de vocês é muito bonita

A MULHER JOVEM
se volta para a amiga jovem
Concordo

A AMIGA JOVEM
Vocês tiveram muita sorte
de conseguir um lugar como esse

39
A MULHER JOVEM
É nós também achamos que sim
Mas venha até aqui
e olhe a vista
a amiga jovem se levanta e vai até onde está a mulher jovem, elas ficam uma ao lado da
outra e olham pela janela

A AMIGA JOVEM
olha para a mulher jovem
Muito bonita
Mesmo com essa chuva tão forte agora
se pode ver muito longe lá no fiorde
e mais longe ainda
acho que estou vendo um pequeno barco
no meio de todas aquelas ondas

A MULHER JOVEM
olha para a amiga jovem
Pode ser o Asle

A AMIGA JOVEM
um pouco surpresa
Então vocês têm um barco

A MULHER JOVEM
se dirige para o sofá
É e o Asle
dá uma pequena risada
fica no mar
quase o tempo todo

A AMIGA JOVEM
vai com ela para o sofá
Eu não sabia
que ele se interessava
40
por essas coisas

A MULHER JOVEM
ri um pouco
Não
eu não sei se ele se interessa
por isso
também
mas agora de qualquer forma
ele está quase sempre no mar
eu não sei por quê

A AMIGA JOVEM
Com qualquer tempo

A MULHER JOVEM
É
quase qualquer tempo
Hoje
Ele esteve no mar hoje de manhã
E agora está lá de novo
E ontem à tarde ele foi para o mar

A AMIGA JOVEM
Não pode ser tão maravilhoso
quando o tempo está assim
Mas ele tem um barco grande*
A mulher jovem faz que não com a cabeça
Só um barco a remo*

A MULHER JOVEM
É
Um velho barco de madeira

A AMIGA JOVEM
41
Bom o tempo não está
exatamente maravilhoso
para ficar no mar
Está chovendo
está ventando
e bastante

A MULHER JOVEM
É verdade
Ah eu não sei por que ele
sempre quer ir para o mar
De qualquer forma ele não quer ficar
em casa
Dá uma risadinha
Está quase sempre
lá fora no mar
Não sei o que é
Talvez ele não queira ficar
comigo
bom eu acho que é isso

A AMIGA JOVEM
Não tenho certeza que ele quer sim
Mas acho que ele simplesmente gosta
de ficar lá no mar
Ele morou
muitos anos na cidade
então agora ele provavelmente gosta
para de falar
bom
ele cresceu em um fiorde você sabe

A MULHER JOVEM
Mas ele está tão
para de falar
42
A AMIGA JOVEM
Tem alguma coisa errada*

A MULHER JOVEM
Ah eu não sei
Mas parece que ele não consegue ficar em paz
Fica em casa um pouco
e logo depois já está inquieto

A AMIGA JOVEM
Você está preocupada com ele*
Parece que está

A MULHER JOVEM
interrompe a outra
Não não é exatamente isso
também
Mas
Bem talvez seja comigo
Que ele não esteja mais feliz
comigo

A AMIGA JOVEM
De jeito nenhum
Não é isso

A MULHER JOVEM
Que ele esteja cansado
de ficar comigo
Porque quando nós morávamos na cidade
ele queria sair da cidade
e então quando nos mudamos
e encontramos uma bela casa para nós
ele não consegue ficar em paz
43
nela também
É
para de falar

A AMIGA JOVEM
Bom

A MULHER JOVEM
Não eu não entendo

A AMIGA JOVEM
Mas ele não foi sempre*
assim
quer dizer
para de falar

A MULHER JOVEM
Sempre*

A AMIGA JOVEM
Bem quer dizer
desde que eu me lembro
ele ficava sentado sozinho
mergulhado nele mesmo
de algum modo

A MULHER JOVEM
Bom você o conhece há mais tempo que eu

A AMIGA JOVEM
É ele ficava lá
em seu próprio mundo
Ela ri

A MULHER JOVEM
44
A culpa é sua você sabe
Foi você
que nos apresentou
É você deve ter a consciência muito pesada
Ri
Mas enfim
ele ficava lá
nele mesmo
de algum modo
É assim que você se lembra dele

A AMIGA JOVEM
É assim mesmo

A MULHER JOVEM
ri
É muitas vezes ele fica assim
parece que não está presente
de certa forma
Deve ter alguma coisa a ver com a infância dele

A AMIGA JOVEM
É é isso que parece

A MULHER JOVEM
Mas mesmo assim

A AMIGA JOVEM
Porque ele e a mãe
bom eles não tinham exatamente
muito a ver um com o outro

A MULHER JOVEM
Ele cresceu
na casa dos avós
45
A AMIGA JOVEM
Eu sei
Na casa de uma avó extremamente religiosa
mas acho que eles se davam bem
ele e a avó
Você a conheceu*

A MULHER JOVEM
Não ela morreu
Morreu há muitos anos
O avô dele também morreu

A AMIGA JOVEM
Ele não foi para o fiorde
porque eu estava vindo para cá
eu espero

A MULHER JOVEM
Provavelmente um pouco por isso
também
talvez
Mas ele vai para o mar
não importa o que aconteça
então

A AMIGA JOVEM
Ri
Provavelmente também porque
eu estava vindo para cá
Eu o conheço muito bem

A MULHER JOVEM
É assim que ele é
Eu não o entendo
46
A AMIGA JOVEM
Não
Bem ele só é tímido
inseguro
não se acha uma pessoa especial
acha que sempre incomoda os outros

A MULHER JOVEM
É verdade

A AMIGA JOVEM
É uma pena isso

A MULHER JOVEM
É

A AMIGA JOVEM
Você conhece a mãe dele*

A MULHER JOVEM
Não nunca a vi
Ele não tem quase nenhum contato com ela
Alguns anos atrás
bom foi há muito tempo
não me lembro exatamente há quanto tempo
ele foi visitá-la
E ela ligou uma ou duas vezes
Foi só
Eles não têm quase nenhum contato
um com o outro
E é um pouco triste
Ela é mãe dele afinal de contas
apesar de tudo
Não sei exatamente o que aconteceu
47
quando eles se encontraram
da última vez
Mas ele cresceu na casa dos avós
Na casa dos pais dela

A AMIGA JOVEM
O pai

A MULHER JOVEM
como quem faz uma confidência
Ele nunca viu o pai

A AMIGA JOVEM
Nunca

A MULHER JOVEM
Não

A AMIGA JOVEM
E ele não sabe nada sobre ele

A MULHER JOVEM
faz que não com a cabeça
Mas ele disse
ri
não nada

A AMIGA JOVEM
Ele não sabe nada sobre o pai

A MULHER JOVEM
Não
Nada
Eu acho
A mãe dele não diz nada
48
ou então ela não sabe nada
de qualquer forma muito pouco
Talvez ela não saiba nem mesmo
quem é o pai

A AMIGA JOVEM
Bom essas coisas acontecem
às vezes
Ela ri
Mas isso não precisa ser uma coisa tão terrível assim

A MULHER JOVEM
Eu acho que é porque ele cresceu
na casa dos avós
ao lado de um fiorde
que ele quer tanto morar perto de um fiorde

A AMIGA JOVEM
Provavelmente é essa a razão
Pequena pausa
Mas e para você como estão as coisas*

A MULHER JOVEM
As coisas estão ótimas para mim
Eu estou bem
Mas me preocupo um pouco
Fora isso as coisas estão indo bem
E você*

A AMIGA JOVEM
Ah as coisas estão indo bem
para mim também
Nós nos damos bem
meu marido
e eu
49
A MULHER JOVEM
Foi ele que trouxe você*

A AMIGA JOVEM
faz que sim com a cabeça
Depois ele vai voltar
para me pegar
daqui a umas duas horas
Ele estava indo para a cidade
Tinha que fazer algumas coisas por lá

A MULHER JOVEM
Entendo
Pequena pausa
Mas tenho que mostrar a casa para você

A AMIGA JOVEM
É tem mesmo
Elas se levantam, andam pela sala

A MULHER JOVEM
Bom podemos começar pelo sótão
Elas saem pela direita e, enquanto saem, a mulher madura entra pela esquerda, anda até o
meio da sala e fica ali de pé

A MULHER MADURA
E então é claro que fui
olha para a porta à direita
dar uma volta e mostrar
para a minha amiga
a linda casa antiga
que havíamos comprado
mas o tempo todo eu me senti
muito angustiada
50
e quando nós chegamos no quarto
e eu vi as roupas dele
ali naquelas pilhas tão arrumadinhas
aquela tristeza me invadiu novamente
uma tristeza sufocante e infinita
e a minha amiga deve ter notado alguma coisa
porque ela me perguntou o que havia de errado comigo
e eu disse que não era nada
e continuamos indo de um lugar para o outro
e ela disse que nós tínhamos encontrado uma bela casa para nós
uma bela casa antiga
e enquanto andávamos
eu me sentia cada vez mais angustiada
e senti dentro de mim que eu tinha que ir até o mar
e eu disse que eu poderia mostrar para ela a casa de barcos
que veio junto com a casa
disse que lhe mostraria nosso píer
E no início ela não queria muito ir
disse que estava chovendo tanto
estava ventando tanto
já tinha começado a escurecer
mas eu providenciei todo o equipamento de chuva para nós
e então nós descemos até a casa de barcos
até o píer
e ficamos ali no píer
e olhamos lá para fora no fiorde
através da chuva e das ondas
das ondas que batiam e batiam contra o píer
mas não conseguimos ver nenhum barco no fiorde
só havia as ondas batendo e batendo
e ficamos ali na chuva
na chuva e no vento
e então minha amiga perguntou
se podíamos voltar para casa
estava tão frio
51
ela disse
e mesmo que eu não quisesse voltar para casa
eu não podia dizer que devíamos ficar ali
se ela queria voltar para dentro de casa
então nós voltamos
e quando estávamos voltando percebi que já tinha
escurecido um pouco
Nós voltamos
e entramos em casa
As mulheres jovens entram pela direita
e no momento em que entramos
uma imensa angústia tomou conta de mim
e eu fui rapidamente até a janela
A mulher jovem corre até a janela, fica ali e olha para fora

A AMIGA JOVEM
para e olha para a mulher jovem
O que há com você*

A MULHER JOVEM
se volta para ela
Nada
pequena pausa
Bem
Na verdade eu acho que ele
está demorando muito
E o tempo
está tão ruim
Pequena pausa
Está escurecendo
Ele tem que chegar logo

A AMIGA JOVEM
É provavelmente ele vai chegar logo
Não fique preocupada
52
Provavelmente a pescaria está boa só isso
você vai ver

A MULHER JOVEM
Mas estou tão apreensiva
Está escurecendo
Olhe
Ela aponta para a janela
E está chovendo
está ventando
Ele tem que voltar logo
Ele estava tão estranho
hoje
Estou assustada

A AMIGA JOVEM
Dá para notar
que há algo errado
Não fique preocupada
por favor
Não aconteceu nada
você vai ver

A MULHER JOVEM
É talvez não
Elas vão até o sofá e se sentam, se olham

A AMIGA JOVEM
Provavelmente não é nada
Ele vai chegar logo

A MULHER JOVEM
Mas daqui a pouco vai estar escuro
E está ventando tanto

53
A AMIGA JOVEM
Provavelmente ele vai chegar logo
meu marido também

A MULHER JOVEM
Assustada, faz que sim com a cabeça
Você vai embora*
em seguida

A AMIGA JOVEM
Nós podemos esperar
até ele voltar para casa
se você quiser
Ri um pouco
Mas ele não quer encontrar ninguém
então talvez seja melhor
irmos embora

A MULHER JOVEM
Não vocês têm que esperar
Vocês não podem ir embora
Não vão embora
A mulher madura começa a sair silenciosamente pela esquerda, mas para

A AMIGA JOVEM
Você sabe
que vamos esperar
se é isso que você quer
Não estamos com pressa
Ouvem-se passos
Talvez ele esteja chegando agora
Você está ouvindo*
A mulher jovem faz que sim com a cabeça
Tem alguém chegando

54
A MULHER JOVEM
É
Alguém bate na porta
Desapontada
Alguém está batendo
então é o seu
marido
Tenho certeza
A amiga jovem concorda com a cabeça
Você pode ir lá*

A AMIGA JOVEM
É com certeza
é ele
Olha para a mulher jovem
Quer dizer
se não for o Asle fazendo graça
batendo na porta
Batem novamente

A MULHER JOVEM
Vai lá
por favor
A amiga jovem se levanta e sai. A mulher madura e a mulher jovem se olham, como se
notassem uma a outra, mas sem se verem, então a mulher madura sai pela esquerda e a
mulher jovem vai até a janela, fica lá, olha para fora, depois disso a amiga jovem entra

A AMIGA JOVEM
Era ele
A mulher jovem olha para ela questionadora
É meu marido
A mulher jovem faz que sim com a cabeça, e então o marido entra pela direita, ele sorri
para a mulher jovem

O MARIDO
55
Nossa já faz muito tempo
Um ano e um dia

A MULHER JOVEM
anda até ele
É já faz muito tempo
muitos anos
eu acho

O MARIDO
É
desde que você se juntou
com o Asle
pequena pausa
e se mudou para cá
nós raramente vemos você
Você está feliz aqui
A mulher jovem faz que sim com a cabeça
É estou vendo que vocês encontraram
uma casa e tanto
grande e branca e linda
nada mau
Vocês têm um barco também*

A AMIGA JOVEM
interrompe
Sim eles têm um barco
e uma casa de barcos
eles têm até
seu próprio píer

O MARIDO
Bom então devem ter ganhado
muito dinheiro

56
A MULHER JOVEM
Mas não é tão caro
aqui
tudo é mais barato aqui

O MARIDO
É não é tão
central
Mas não é chato morar aqui*
Tudo bem que é muito bonito
Nada a dizer com relação a isso
Mas
Bem
Nada acontece aqui
eu diria

A MULHER JOVEM
As coisas vão bem

O MARIDO
Claro
Pequena pausa
Onde foi que você escondeu*
aquele seu marido

A MULHER JOVEM
Ele está no fiorde

O MARIDO
surpreso
Agora
Mas está escuro
E está chovendo
está ventando

57
A AMIGA JOVEM
interrompe
Ele gosta muito
de ficar lá no fiorde, eu acho
Fica lá o tempo todo
quase
não é*
Ela olha para a mulher jovem

A MULHER JOVEM
É fica
Ele fica
ri nervosamente
lá mais do que em casa
quase

O MARIDO
Ele tem um bom barco
então
com luzes
se é que é assim que se diz
talvez se diga lanternas
não sei na verdade
nunca fui um bom marinheiro

A AMIGA JOVEM
Na verdade não
não

A MULHER JOVEM
Ele se diz marinheiro
Eu sou um marinheiro
ele diz

O MARIDO
58
Então ele tem um barco grande

A MULHER JOVEM
Não

O MARIDO
Não tem

A MULHER JOVEM
Não só um pequeno barco de madeira
Um barco a remo

A AMIGA JOVEM
olha para a mulher jovem
Com certeza ele vai chegar logo
agora

O MARIDO
Mas um motor de popa
isso ele tem com certeza

A MULHER JOVEM
Tem

O MARIDO
Sem luzes
nessa escuridão
Ele balança a cabeça em sinal de desaprovação

A MULHER JOVEM
Eu não sei

O MARIDO
Mas você não fica preocupada com ele*
Afinal de contas está chovendo
59
está ventando
Está escuro
Um escuro de outono
não uma noite clara de verão
com um mar calmo
Longa pausa. A mulher jovem vai até o sofá e se senta, a amiga jovem e o marido se olham.
A amiga jovem vai até o sofá e se senta ao lado da mulher jovem

A AMIGA JOVEM
olha para ela de forma confortadora
Com certeza ele vai chegar
logo
Ele tem que chegar afinal de contas
Ele não pode ficar lá fora no mar
na escuridão da noite
Ele tem que chegar logo
A mulher jovem concorda com a cabeça
É na verdade ele tem que chegar
Ele vai chegar logo
O marido vai até a janela, olha para fora
Não tenha medo
agora
daqui a pouco ele vai estar aqui conosco
você vai ver
Ele está acostumado a ficar no barco
então nada aconteceu
com ele
definitivamente não

A MULHER JOVEM
É
Mas

A AMIGA JOVEM
Ele vai chegar logo
60
Eu sei
O marido se aproxima e fica de pé ao lado do sofá. A amiga jovem olha para ele
Certo

O MARIDO
Bem não pode ser exatamente
tão maravilhoso lá fora no mar
quando está tão escuro
em uma tempestade dessas
eu diria
Estava bem frio
lá fora agora também
eu me molhei
põe a mão no cabelo, que está um pouco molhado
e comecei a congelar
só de andar do carro até a casa
Caramba na verdade
eu estava tremendo
Bem
Pequena pausa. Olha para seu relógio, em seguida para a amiga jovem
Mas está ficando tarde
Talvez nós devêssemos ir andando
Ele olha para a mulher jovem
É você sabe que nós não moramos tão no centro
também
Para conseguirmos um lugar para morar
tivemos que nos afastar
bastante

A MULHER JOVEM
Claro

O MARIDO
É assim
que as coisas são
61
Olha para a amiga jovem, um tanto questionador
Bem

A AMIGA JOVEM
Ah nós podemos ficar um pouco mais
A mulher jovem olha para a amiga jovem

O MARIDO
É um pouco mais
enfim
A amiga jovem olha para baixo, continua sentada assim enquanto o marido vai até a janela
e fica lá olhando para fora. Pausa. A mulher madura entra pela esquerda, fica de pé ao lado
do homem, ela também olha para fora, mas ele não a vê nem se dá conta de sua presença

A AMIGA JOVEM
levanta os olhos de repente, para a mulher jovem
Talvez

A MULHER JOVEM
com medo
Sim

A AMIGA JOVEM
Bem
Pequena pausa
Mas ele normalmente demora tanto*
em uma tempestade como essa
quer dizer
A mulher jovem faz que não com a cabeça
Não demora
Ela repete o gesto de cabeça
Não
Pausa. A mulher madura anda até o centro da sala e, enquanto faz isso, o marido continua
de pé sem se mover diante da janela e as duas continuam sentadas no sofá quase que na
mesma posição, então a mulher madura para e sorri gentilmente enquanto olha para as
62
duas no sofá, então olha para o marido, olha para baixo, e depois novamente levanta os
olhos de forma cautelosa
Mas
Pequena pausa
Talvez nós devêssemos
A amiga jovem se levanta, olha para o marido
Afinal de contas pode ser
Olha para a mulher jovem
Talvez nós devêssemos procurar por ele
O marido se vira para a amiga jovem, olha para ela, enquanto tanto a mulher jovem quanto
a mulher madura olham para baixo

O MARIDO
Um pouco surpreso
Tudo bem

A AMIGA JOVEM
olha para a mulher jovem
O que você acha*
A mulher jovem simplesmente olha para ela. A amiga jovem se vira para o marido
Estou achando que
Ele concorda com a cabeça
Talvez você possa
para de falar

O MARIDO
Mas onde

A AMIGA JOVEM
Você desce até a estrada
nós já estivemos lá
e depois
olha para a mulher jovem, que está sentada olhando para baixo
bem depois vire à direita
olha para a mulher jovem, mas ela não se move
63
e depois entre na primeira rua à direita
na direção do mar
tem uma casa de barcos lá
um píer
Ele concorda com a cabeça, mas continua parado, de pé
Você vai ver

O MARIDO

Mas

A AMIGA JOVEM
Eu vou ficar aqui

O MARIDO

claro

A AMIGA JOVEM
E vista alguma coisa por cima da roupa

A MULHER JOVEM
olha para ele
Você pode usar
as minhas coisas de chuva
Estão penduradas na entrada
Ele concorda com a cabeça. Sai pela direita. Pausa. A amiga jovem se levanta, vai até a
janela. A mulher jovem se levanta, anda um pouco para o centro da sala, de forma que os
ângulos entre ela, a amiga jovem e a mulher madura formem um triângulo, elas continuam
assim por algum tempo e depois a mulher jovem vai até a janela, fica de pé ao lado da
amiga

A AMIGA JOVEM
Com certeza eles vão chegar
64
logo

A MULHER JOVEM
É
Pausa

A MULHER MADURA
olha para as duas, depois se vira para frente
E eu fiquei ali
olha para a mulher jovem, olha para frente de novo
e senti que estava ficando cada vez mais vazia
coloca as mãos em seu estômago
que eu estava ficando vazia
como a chuva e a escuridão
como o vento e as árvores
como o mar lá fora
Agora eu já não estava mais angustiada
Agora eu era um grande e calmo vazio
Agora eu era uma escuridão
uma escuridão profunda
Agora eu não era nada
E ao mesmo tempo eu senti que
que de certa forma eu brilhava
Lá bem dentro de mim
da escuridão vazia
eu senti que a escuridão vazia brilhava
silenciosamente
sem nenhum significado
sem nenhuma palavra
a escuridão brilhava saindo de dentro de mim
E eu fiquei ali
diante da janela
e a minha amiga ficou ao meu lado
e ela não sabia o que dizer
ela só ficou ali
65
não podia fazer mais nada
e o tempo passou
mas eu não percebi
fiquei ali e olhei para fora para a escuridão e para a chuva
e então
a amiga jovem vai até o sofá e se senta
minha amiga foi se sentar
Mas eu fiquei ali de pé
E olhei na direção
do vento e da chuva e da escuridão
e senti que a escuridão era o meu rosto
Não sei quanto tempo eu fiquei ali
Mas fiquei olhando para a escuridão vazia
na direção da chuva lá fora
e senti que eu não poderia me separar da escuridão
e aí
a mulher jovem abre a janela
eu abri a janela
e então ouvi a chuva e o vento
de forma tão mais clara
e então senti a escuridão
de forma tão mais clara
e então ouvi as ondas
ouvi as ondas baterem
as ondas batiam e batiam
e eu fiquei ali
ouvi as ondas batendo e batendo
e consegui sentir como as ondas
batiam através da chuva e da escuridão
que agora eram eu
que agora seriam eu
seriam eu para sempre
Agora eu ficaria na escuridão brilhante
Nas ondas que batiam
Eu fiquei ali sentindo
66
e então ouvi minha amiga dizer
que eu não podia ficar ali congelando
que eu deveria entrar e me sentar
que eu deveria fechar a janela
estava ficando tão escuro
ela disse

A AMIGA JOVEM
se levanta
Está ficando frio para você
Eu estou meio congelada
também
Ela ri um pouco

A MULHER MADURA
E eu me virei para minha amiga
A mulher jovem se vira para a amiga jovem
e perguntei se ela queria que eu
fechasse a janela

A MULHER JOVEM
Você quer que eu feche a janela*

A AMIGA JOVEM
Está ficando um pouco frio
Se você não se importa
então

A MULHER JOVEM
Se você quiser eu posso fechar

A MULHER MADURA
E então eu fechei a janela
a mulher jovem fecha a janela
e voltei à minha posição
67
fiquei ali naquela janela negra
e olhei para fora para a escuridão
ouvi a chuva
ouvi as ondas

A AMIGA JOVEM
para a mulher jovem
Ele também vai demorar bastante
Talvez eu
para de falar

A MULHER JOVEM
Você quer ir procurá-lo*
Por mim
pode ir

A AMIGA JOVEM
É acho que eu vou

A MULHER JOVEM
Isso vai
por favor

A MULHER MADURA
E então ela foi
a amiga jovem sai pela direita
e eu fiquei ali diante da janela
E depois que ela saiu
a mulher jovem abre a janela novamente
eu abri a janela novamente
e continuei ali de pé
e ouvi as ondas
ouvi as ondas batendo e batendo
ouvi as ondas batendo e batendo
e senti agora
68
que as ondas batiam
em mim
e bateriam em mim para sempre
Não sei quanto tempo fiquei ali
Mas fiquei ali
Fiquei e fiquei
e senti que agora eu estava vazia
como as ondas
e a escuridão
Eu simplesmente fiquei ali
e então eu ouvi passos
e então vejo minha amiga
entrar
A amiga jovem entra pela direita

A AMIGA JOVEM
olha para a mulher jovem
Não nós não o vimos
Mas não tem nenhum barco atracado
no seu píer
então ele
para de falar

A MULHER JOVEM
olha para ela
É ele provavelmente
ainda
está lá no mar

A AMIGA JOVEM
E
para de falar
O marido entra

O MARIDO
69
para a mulher jovem
Bom não consegui vê-lo
E nós andamos pela estrada
olhamos lá para fora no fiorde
mas não vimos nada
mas afinal de contas está muito escuro
então não é de se estranhar
Mas não consegui ouvir nada
também
Nenhum motor
enfim

A AMIGA JOVEM
Então talvez
para de falar

O MARIDO
Bem nós achamos que
Talvez
Alguém deveria talvez
pequena pausa
comunicar
não sei
Afinal de contas já está
tarde
e escuro
E o mar está bravo
Esse não é o melhor
tempo para se estar em um barco
definitivamente não em um barco pequeno
Pequena pausa
Alguém de barco
poderia
Bom sei lá
A amiga jovem concorda com a cabeça
70
Quer dizer
pode ser que isso seja a coisa mais sensata
Pode não ter acontecido nada
claro
eu acho
mas
para de falar

A AMIGA JOVEM
olha para a mulher jovem
É eu acho que é melhor
De qualquer forma
Pode não ser nada
mas
para de falar
Olha para seu relógio
Está começando a ficar muito tarde
também
Ou o que você acha*
Olha para a mulher jovem, que ainda está de pé olhando pela janela
E você está ficando com frio
Você está bem na frente do vento
A amiga jovem vai até a janela e a fecha, depois coloca o braço em torno da mulher jovem,
a leva de volta ao sofá, faz com que ela se sente, senta-se ao seu lado

O MARIDO
Eu devo*
para de falar
Olha para a amiga jovem

A AMIGA JOVEM
É acho que sim
Olha para a mulher jovem
O que você acha*
Ela não reage, então a amiga jovem olha novamente para o marido
71
Faz isso
Pequena pausa
Tem um telefone na entrada
liga para lá
vai
Ele concorda com a cabeça. Sai pela direita. Pausa. Ela olha para a mulher jovem
Pode não ter acontecido nada claro
Mas mal não vai fazer
Talvez o motor tenha quebrado
e ele esteja sem os remos
Tanta coisa pode ter acontecido

A MULHER JOVEM
concorda com a cabeça
É verdade

A AMIGA JOVEM
Pode não ter acontecido nada
também
Talvez ele goste de ficar
no mar num tempo ruim como esse
Talvez não devêssemos ligar

A MULHER JOVEM
Eu não sei

A AMIGA JOVEM
Certamente não foi nada
Mas pelo sim pelo não

A MULHER JOVEM
É
Pausa. O marido entra novamente, olha para as duas no sofá.

O MARIDO
72
Estão vindo
Eles têm um barco
Mas
olha para a mulher jovem
eles querem dar uma palavra com você
para saber um pouco mais
Eles estão no telefone
ela não reage
lá na entrada
Estão esperando por você

A AMIGA JOVEM
para a mulher jovem
Você tem que
A mulher jovem se levanta e vai até a entrada. A marido e a amiga jovem se olham

O MARIDO
faz que não com a cabeça, suspira, então em voz baixa
O que você acha*

A AMIGA JOVEM
também em voz baixa
Bom é estranho
de qualquer forma
E ela
faz um movimento de cabeça na direção da entrada
não diz nada
Só fica ali sentada
só fica ali de pé
na janela
com a janela aberta
olhando para fora

O MARIDO
Bom eu não sei
73
Pequena pausa
E é claro que não podemos
para de falar

A AMIGA JOVEM
Não nós não podemos ir embora agora

O MARIDO
Mas eu tenho que trabalhar
amanhã cedo

A AMIGA JOVEM
Você pode ir
Eu vou ter que ficar
Não posso ir agora
é óbvio que não

O MARIDO
Eu posso ficar um pouco mais
também então
Olha para seu relógio
Mas já
está de noite
Posso ir embora amanhã cedo
Sei lá
Longa pausa. A mulher jovem entra novamente, ela vai até a janela, abre, fica ali, olha para
fora. A amiga jovem e o marido se olham. Pausa

A AMIGA JOVEM
se levanta, anda um pouco pela sala. Para a mulher jovem
O que eles disseram*
Pausa

O MARIDO
a interrompe
74
Para a mulher jovem
Eles vão sair de barco
para procurar por ele

A MULHER JOVEM
ainda está olhando pela janela
É

A AMIGA JOVEM
para a mulher jovem
Isso é bom
Pode não ter sido nada
Mas se tiver acontecido alguma coisa
para de falar
Para o marido
O motor pode ter quebrado

O MARIDO
É verdade

A MULHER JOVEM
se vira para eles
Nós não podemos sair*
Ir até lá embaixo na estrada
Com certeza eles vão chegar logo com o barco
Nós temos que procurá-los

A AMIGA JOVEM
Tudo bem
prolonga um pouco o momento

O MARIDO
É vamos lá
A mulher jovem sai pela direita

75
O MARIDO
É vamos lá
A mulher jovem sai pela direita

A AMIGA JOVEM
em voz baixa, para o marido
Nós temos que ficar com ela
Ele concorda com a cabeça. Eles saem pela direita atrás dela

A MULHER MADURA
olha para eles, anda um pouco pela sala
Nós fomos
então
Pequena pausa
Olha para baixo
Saímos
debaixo da chuva
no vento
descemos até a estrada
e andamos pela estrada
olhamos para o fiorde
mas não havia nada ali para ver
e nós andamos
esperamos
andamos mais
e nenhum de nós disse nada
mas aí nós ouvimos um barco
e então vimos as luzes
aquelas luzes enormes que se espalham pelo mar
bem longe
mas não muito longe da terra
as luzes se espalhavam mais
e mais
Luzes cujo tom de amarelo cortavam
aquela escuridão negra
76
e a chuva
Lá fora no meio das ondas
nós vimos aquelas luzes amarelas
que se moviam não muito longe da costa
ao longo da terra
e então vimos as luzes
atravessarem o fiorde
e então as luzes se moveram ao longo do fiorde
só que no outro lado
e o tempo todo as ondas
batiam e batiam
As ondas batiam e batiam
e o vento soprava
e chovia e chovia
e aquelas luzes amarelas lá fora
naquela escuridão profunda
e o barulho do barco
e então uma voz distante que gritava
alguma coisa que não dava para entender
e então as luzes ficam em paz
ficam ali brilhando amareladamente
no meio daquela escuridão profunda
antes de as luzes começarem novamente a se mover lá no fiorde
Agora as luzes se movem
e então elas param
e nós paramos
E aí as luzes se movem
e então nós andamos pela estrada
E chove e chove
e nenhum de nós diz nada
e nós vemos aquela luz amarela naquela escuridão profunda
as luzes que se movem
o tempo todo elas se movem
e então as luzes atravessam o fiorde de novo
se aproximam de nós
77
param
e então podemos ver alguma coisa na luz
alguma coisa cinzenta
quase lilás
está ali
na luz
e eu acho que é um barco
que está ali na luz
e não consigo ver muito bem
mas me parece que é um barco
Um telefone toca, mas a mulher madura não demonstra ter escutado, espera ele parar de
tocar, depois continua
e então as luzes continuam
a se mover por cima das ondas
pelo fiorde
e aí minha amiga pergunta
se não podemos voltar para casa
ela está congelando
ela diz
e eu digo que ela deve ir
eu quero ficar
eu digo
e aí o marido dela diz
que ela deve ir
ele pode ficar aqui
comigo
ele diz
mas ela diz que não quer ir sem mim
e então ficamos lá
nós ficamos lá
na chuva
no vento
ficamos lá e vemos as luzes se espalhando amareladamente por cima
das ondas negras
e então vemos as luzes se virarem
78
e então vemos
O telefone toca de novo, mas novamente ela não demonstra tê-lo ouvido, simplesmente
espera que pare de tocar
é vemos as luzes se moverem mais para fora do fiorde
cada vez mais para fora do fiorde
até não podermos mais ver as luzes
nós ficamos lá
e então minha amiga diz
que temos que ir
agora
agora não podemos mais ficar aqui
então subimos pela estrada
e ela segura meu braço
e o marido dela caminha um pouco à nossa frente
e nenhum de nós
O telefone toca novamente, por pouco tempo dessa vez, ela ainda não demonstra escutá-lo
nenhum de nós
diz nada
e andamos até a casa
entramos
eu
a mulher jovem entra pela direita, completamente molhada
entro
a amiga jovem e o marido também entram, também estão molhados
e eu não sei de nada eu acho
Porque agora não existe mais nada
Agora
para de falar
A mulher jovem vai até a janela e fica lá, olha para fora, e a mulher madura vai até a janela
e fica à esquerda, olha para baixo

A AMIGA JOVEM
olha para a janela
A janela estava aberta
está frio aqui
79
O MARIDO
É está
Ele vai até a janela e a fecha. A amiga jovem pega a mulher jovem pelo braço, a leva até o
sofá, ambas se sentam. O telefone toca
O telefone está tocando

A AMIGA JOVEM
assustada, para a mulher jovem
Você tem que atender
Ela permanece sentada
Você tem que atender
pode ser
para de falar
Pequena pausa

O MARIDO
Eu atendo
Ele sai rapidamente pela direita, o telefone para de tocar. Pausa. A amiga jovem e a mulher
jovem estão sentadas olhando para baixo. Ele entra novamente
Encontraram um barco de madeira
um barco a remo
com um motor de popa
Estava vazio
Não muito longe da costa
Estava lá à deriva
Não havia ninguém lá
Eles não sabem
para de falar

A AMIGA JOVEM
olha para ele
Entendo
Um barco de madeira

80
O homem sai novamente. Pausa. Ele entra de novo, fica ali de pé olhando para baixo. Longa
pausa. Enquanto a luz diminui gradualmente, a mulher madura anda para frente, fica de pé
ao lado do sofá, olha para a mulher jovem e para a amiga jovem que estão sentadas ali,
depois olha para o marido, faz um sinal para que ele saia e ele sai pela direita, então ela
olha para a amiga jovem e faz um sinal para que ela também saia, ela se levanta e sai,
atrás do marido, e então ela vai até o sofá e se senta e ela e a mulher jovem ficam ali
sentadas se olhando por um longo tempo, depois a mulher jovem se levanta e também sai
pela direita. A mulher madura se levanta, vai até a janela, abre, se vira, olha em torno da
sala, depois começa a juntar fotografias e outras coisas, ela dá um pequeno passo para o
lado, olha para as coisas que juntou. Depois vai novamente até a janela e olha para fora

III

Ouvem-se passos. A amiga madura entra pela porta à direita, olha primeiro para a mulher
madura que está de pé diante da janela, depois para as coisas que ela juntou.

A AMIGA MADURA
um pouco surpresa
Você resolveu juntar*
suas coisas

A MULHER MADURA
olha para ela
É acho que sim
Eu costumo fazer isso
Ela ri um pouco

A AMIGA MADURA
Estava bom lá no mar hoje

A MULHER MADURA
Tenho certeza que sim

A AMIGA MADURA
81
olha para seu relógio de pulso
Mas ele deve chegar a qualquer momento agora

A MULHER MADURA
É deve

A AMIGA MADURA
Na verdade ele já deveria ter chegado
Pequena pausa

A MULHER MADURA
Ele está na cidade
fazendo algumas coisas
eu sei

A AMIGA MADURA
É verdade
Pequena pausa. Ri um pouco
Normalmente é assim
quando eu visito você
Eu pego uma carona com ele
e depois ele me pega
quando acaba
de fazer o que tem que fazer
na cidade

A MULHER MADURA
Você não pensou em se mudar
De volta para a cidade
quero dizer

A AMIGA JOVEM
Não
Estamos contentes
É verdade que a cidade é pequena
82
mas estamos satisfeitos
Compramos nosso próprio pedaço de chão lá
construímos uma casa para nós
do jeito que queríamos
Bem você sabe como é
Mas você conseguir morar sozinha
aqui

A MULHER MADURA
Bom para falar a verdade eu mesma
não entendo

A AMIGA MADURA
Em uma casa tão antiga

A MULHER MADURA
É é antiga
E no inverno às vezes fica bem frio aqui
Mas aí eu fico aqui na sala
Quando está mais frio
eu durmo aqui também
Acendo a lareira
Já aconteceu de estar tão frio
que eu tive que acordar no meio da noite para acender o fogo
tive que colocar o despertador

A AMIGA MADURA
Você não pensou em voltar para a cidade

A MULHER MADURA
Ah sim muitas vezes
Pequena pausa
Quase sempre eu penso
que agora eu tenho que sair daqui

83
A AMIGA MADURA
Mas isso nunca acontece

A MULHER MADURA
Não
E aí
Bom eu moro aqui há muito tempo
Todas as lembranças

A AMIGA MADURA
olha para baixo
É
Pequena pausa
Mas por que você juntou as coisas*

A MULHER MADURA
Não sei
Pequena pausa
Não acho que vou continuar morando aqui
Pequena pausa

A AMIGA MADURA
Mas você não se sente muito sozinha*

A MULHER MADURA
Ah sim eu me sinto sozinha

A AMIGA MADURA
E entediada

A MULHER MADURA
É às vezes
é meio chato
também
Mas na maior parte do tempo está tudo bem
84
A AMIGA MADURA
Você deveria ter tido um homem

A MULHER MADURA
Não

A AMIGA MADURA
olha para baixo
Não você fica bem sozinha
você diz

A MULHER MADURA
É verdade

A AMIGA MADURA
Isso é muito
bom

A MULHER MADURA
Então em geral
está tudo bem

A AMIGA MADURA
Claro
Pausa
A amiga madura olha para seu relógio de pulso
Ele já deveria estar aqui agora
Ela vai até a janela, olha para fora, depois olha para a mulher madura
Acho que está um pouco frio
Posso fechar a janela*

A MULHER MADURA
Pode
fecha
85
A AMIGA MADURA
Ótimo
Ela fecha a janela. Olha para fora de novo, depois olha para a mulher madura
Mas lá está ele eu acho
É
Eu prometi esperá-lo lá fora
Eu
Bem
Pequena pausa
Eu acho
É já já ele está aqui
Acho que vou esperá-lo lá fora

A MULHER MADURA
Claro

A AMIGA MADURA
Acho que vou
E você tem que se cuidar
Vamos nos falar
A amiga madura vai para a direita, a mulher madura se levanta e vai até a janela. Fica ali
olhando para fora. A amiga madura para, olha para ela
Meu Deus você está aí de pé novamente*

A MULHER MADURA
olha para ela
Nossa estou mesmo
Ri
Na verdade eu nem penso nisso
Simplesmente acontece

A AMIGA MADURA
Você tem que se cuidar agora

86
A MULHER MADURA
Eu sei e obrigada pela visita

A AMIGA MADURA
E não fique muito aí
na frente da janela
Ela ri. A mulher madura faz que não com a cabeça. A amiga madura sai pela direita e a
mulher madura permanece de pé diante da janela olhando para fora. Ela abre a janela.
Longa pausa. As luzes se apagam. Escuridão

87