Você está na página 1de 3

GABARITO

AP2 – Introdução à Mecânica Quântica – 2017/1


Instituto de Física da UFRJ
Curso de Licenciatura em Física - CEDERJ

1. (2,5 pt)
2 ⎛ nπx ⎞ ! 2π 2 n 2
As funções de onda são ψ n ( x) = sen⎜ ⎟, n = 1, 2,3,... , com autovalores En = .
L ⎝ L ⎠ 2mL2
2. (2,5 pt)
(a) (0,7 pontos)

Na região à esquerda da barreira, a densidade de probabilidade oscila devido à interferência entre as


ondas incidente e refletida. O mesmo ocorre dentro da barreira, mas o comprimento de onda das
oscilações é maior pois a energia cinética é menor. À direita da barreira, a densidade de probabilidade é
constante pois só existe a onda transmitida.
(b) (0,5 pontos) Neste limite, a probabilidade de transmissão decai exponencialmente com a largura
da barreira.
(c) (0,7 pontos) Sim. Neste caso, as probabilidades de transmissão e reflexão em função da energia
estão mostradas na figura abaixo. Em alguns valores de energia, a transmissão é de 100%,
devido a efeitos de intereferência

(0,6 pontos) Pode-se comentar sobre qualquer um dos exemplos discutidos na Aula 12.
3. (2,5 pt)
(a) (1,5 pt) Sabemos que as funções de onda ψ nlm (r ,θ , ϕ ) são autofunções de Ĥ (autovalores
2
µ ⎛ e2 ⎞ 1
En = − 2 ⎜⎜ ⎟⎟ 2 ), L̂2 (autovalores ! 2 l (l + 1) ) e L̂ z (autovalores m! ). Assim, operando
2! ⎝ 4πε 0 ! ⎠ n

com Ĥ , L̂2 e L̂ z nesse estado, temos:

• Hˆ [aψ nlm + bψ nʹlʹmʹ ] = aE nψ nlm + bE nʹψ nʹlʹmʹ

• Lˆ2 [aψ nlm + bψ nʹlʹmʹ ] = ! 2 [al (l + 1)ψ nlm + bl ʹ(l ʹ + 1)ψ nʹlʹmʹ ]

• Lˆ z [aψ nlm + bψ nʹlʹmʹ ] = ![amψ nlm + bmʹψ nʹlʹmʹ ]

Portanto, vemos que em nenhum dos três casos o estado de superposição é um autoestado do respectivo
operador.

(b) (0,5 pt) Para que isso ocorra, temos que ter uma superposição com n = n ʹ e l = l ʹ , porém com
m ≠ mʹ . Assim, ψ (r ,θ , ϕ ) = aψ nlm (r ,θ , ϕ ) + bψ nlmʹ (r ,θ , ϕ ).

(c) (0,5 pt) Para que isso ocorra, temos que ter uma superposição com n = nʹ e m = mʹ , porém com
l ≠ l ʹ . Assim, ψ (r ,θ , ϕ ) = aψ nlm (r ,θ , ϕ ) + bψ nlʹm (r ,θ , ϕ ). Note que, para que isso seja possível,

m ≤ l, l '.

4. (2,5 pt)
(a) (1,5 pt) A função de onda do estado fundamental do átomo de hidrogênio é dada por
1
ψ 100 (r ,θ , ϕ ) = 32
e −r a
a π
O valor esperado de r é
2π π ∞
r = ∫ dϕ ∫ dθ sin θ ∫ dr r 2ψ 100
*
(r ,θ , ϕ ) r ψ 100 (r ,θ , ϕ )
0 0 0
2π π ∞ ∞
1 3 −2 r a 4
= ∫ dϕ ∫ dθ sin θ ∫ dr r e = 3 ∫ dr r 3 e − 2 r a
a 3π 0 0 0 a 0
4 6a 4 3
= = a
a 3 16 2
Já o valor esperado de r2 é dado por
2π π ∞
r 2 = ∫ dϕ ∫ dθ sin θ ∫ dr r 2ψ 100
*
(r , θ , ϕ ) r 2 ψ 100 (r ,θ , ϕ )
0 0 0
2π π ∞ ∞
1 4 −2r a 4
= ∫ dϕ ∫ dθ sin θ ∫ dr r e = dr r 4 e − 2 r a
a 3π 0 0 0 a 3 ∫0
5
4 24 a
= 3
= 3a 2
a 32
Ambos os resultados reforçam a idéia de que o raio de Bohr é uma boa medida do tamanho do átomo
de hidrogênio.

(b) (1,0 pt)


Como a distribuição de probabilidades associada ao estado 1s do átomo de hidrogênio é esfericamente
simétrica, e levando-se em conta que x é uma função ímpar, temos:
2
x = ∫ d 3 r xψ 100 (r ,θ , ϕ ) = 0 ,
2
pois o produto xψ 100 (r,θ , ϕ ) será também uma função ímpar, cuja integral no espaço todo é nula.

Para calcular o valor esperado de x2, podemos novamente usar a propriedade de simetria
esférica do estado 1s, que nos leva ao seguinte resultado:

2 2 2
r2
x = y = z = .
3
Assim, usando o resultado do item (a), obtemos x 2 = a 2 .