Você está na página 1de 2

ATIVIDADE SAÚDE IV – DAVI BD

Bárbara Bruna Jorge de Araújo

Questão. 1) Compreender a vigilância em saúde bucal: carie dentária, doença


periodontal, fluorose, má oclusão, CA de boca e edentulismo

A vigilância em saúde bucal constitui um dos eixos estratégicos para a ampliação do


acesso da população no modelo de atenção em saúde bucal vigente. Sendo assim, esse
modelo baseia-se na utilização da vigilância epidemiológica para subsidiar o
planejamento e, ainda, no acompanhamento do impacto das ações por meio de
indicadores. A área da saúde bucal deve exercer sua função estratégica no sistema de
saúde, contribuindo para o desenvolvimento científico, tecnológico e organizacional de
práticas de vigilância, visando conhecer e atuar sobre os níveis de saúde da população.

É através do levantamento epidemiológico que se constata quais são os principais


agravos em saúde bucal (1) cárie dentária; (2) doença periodontal – (a) gegivite e (b)
periodontite; (3) câncer de boca; (4) traumatismos dentários; (5) fluorose dentária; (6)
edentulismo; e, (7) má oclusão, e a necessidade de que os serviços de saúde estejam
organizados para intervir e controlá-los.

São essas informações que permitem identificar os fatores de risco, elaborar ações de
promoção, educação e prevenção, realizar abordagens coletivas e individuais, assim
como também realizar o tratamento e manutenção/monitoramento dos casos registrados.

Questão. 2) Compreender heterocontrole do flúor

A fluoretação das águas de abastecimento público é uma medida eficaz para a


prevenção da cárie dentária, porém, para obter o benefício desse método é necessário
manter constantes e adequados os teores de flúor na água. Para tanto, ações de
vigilância são de grande importância, realizando o monitoramento da concentração de
fluoreto na água de abastecimento.

O heterocontrole da fluoretação da água de abastecimento tem papel de suma


importância, no sentido de somar esforços para a melhora da condição de saúde bucal
da população.

Questão. 3) Papel do CD na vigilância em saúde bucal

A importância da participação do cirurgião-dentista na equipe de vigilância se deve ao


conhecimento técnico específico e ao embasamento científico que orientam as ações.
Em nível central, essas se dirigem para a educação em saúde, normatização e vigilância
de serviços odontológicos, ações de controle e monitoramento da qualidade da água de
abastecimento público, vigilância de produtos contendo flúor, controle de resíduos
tóxicos e contaminados produzidos por estabelecimentos de saúde e vigilância
epidemiológica das principais doenças bucais.
No que diz respeito específico à vigilância epidemiológica da saúde bucal, o cirurgião-
dentista pode participar da organização de inquéritos epidemiológicos, atuando como
coordenador da equipe local, auxiliando na coleta de dados e na alimentação do sistema
de informação.

A atuação do cirurgião-dentista em equipe interdisciplinar, em nível central, se volta


para o planejamento de políticas públicas saudáveis e o desenvolvimento de ações de
vigilância da saúde da coletividade. Ressalta-se que essas atividades também podem ser
desenvolvidas em nível distrital, na dependência do tamanho do município e de sua
organização político-administrativa.

Você também pode gostar