Você está na página 1de 81

Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...

APRESENTAÇÃO
........................................................................

A leitura atenta da Palavra de Deus revela-nos dois aspectos


que são essenciais: o conhecimento da própria Palavra e a necessi-
dade de ensiná-la aos povos da terra. Em Provérbios está registrado
que bem-aventurado é homem que acha sabedoria, e o homem que
adquire conhecimento. (...) Os seus caminhos são caminhos de delí-
cias e todas as suas veredas, paz. É árvore da vida para os que a
seguram, e bem-aventurados são todos os que a retêm. O caminho
de Deus para o homem é seguro; leva à felicidade e à paz. Porém, é
preciso que o homem conheça, verdadeiramente, esse caminho. Há
uma relação estreita entre os aspectos evidenciados e um pressupõe
o outro. Se o homem adquire conhecimento da Palavra, necessaria-
mente, ele será compelido a transmiti-lo. Se ele não o adquiriu é, tão
somente, impossível ensiná-lo. Podemos observar, essa relação, na
vida de Esdras. Sacerdote abençoado, cheio de Espírito de Deus,
dispôs o seu coração a buscar o conhecimento da Lei de Deus, a
obedecê-la e a ensiná-la. A observação da vida de Jesus, da sua
conduta, também, não nos deixa dúvida acerca do que está sendo
descrito. A expressão e começou a ensinar é, extremamente, abun-
dante nos Evangelhos. Jesus tinha clareza do seu ministério. Ele sa-
bia, exatamente, o que lhe competia fazer e tinha prazer nisso. Dedi-
cou Sua vida à obra de Deus. As suas palavras e as suas ações
...4 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

demonstram com clareza a sua disposição de cumprir o propósito de


Deus: a minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e
realizar a sua obra (Jo 4.34). Antes de voltar ao céu, Jesus deixou
claro que seus discípulos continuariam a obra que Ele começara a
fazer: assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós (Jo
20.21). Muitos dos seus discípulos entenderam bem Sua vontade e
prosseguiram a obra de Deus.
É em função desse entendimento que esse curso veio à exis-
tência. O conhecimento da Palavra de Deus pode ser alcançado,
mediante seus estudos. Esse curso tem a pretensão de evidenciar os
aspectos mais relevantes e profundos acerca da obra missionária.
Depois de ter adquirido o conhecimento, é preciso transmiti-lo a todos
os povos. Esse curso tem, também, a pretensão de conclamar aqueles
que já ouviram a chamada de Deus para evangelizar os povos até os
confins da terra; pois essa é a essência da obra de Deus: a salvação
das almas que estão perdidas, que ainda não encontraram o Salvador
da Humanidade. Nós só glorificamos a Deus, na terra, se cumprirmos
a obra que Ele nos ordenou. Não há nada tão claro quanto a vontade
Dele para nós: ... e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como
em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra (At 1.8).
Através do Projeto Um Milhão de ASAS você pode contribuir
para a evangelização dos povos africanos. Esse Projeto trabalha,
desde 1997, na evangelização da África. Já alcançou dois países:
Moçambique e Senegal, onde se encontram quatro casais de missio-
nários. No primeiro país, o projeto tem missionários em Beira, onde,
em julho de 02, houve a pré-inauguração de um templo, e em Ma-
puto. No segundo, o projeto já adquiriu um terreno. A sede desse
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...5

Projeto fica na rua 7, Qda. 61, Lt. 11 – Setor Santos Dumont. Telefo-
ne: (62) 297-5544 – E-Mail: projetoasas@cultura.com.br. Conheça
esse projeto, torne-se um sócio dele e faça parte dos que livram os
que estão destinados à morte, e salvam os que cambaleiam para a
matança (Pv 24.11).
COMO
ESTUDAR COM
........................................................
APROVEITAMENTO ESTE LIVRO

Para facilitar o alcance de seus objetivos, siga nossas instruções.


1 - Procure lugares isolados, livres da interferência de pessoas e de
ruídos, com boa iluminação;
2 - Tenha sempre um material de apoio como dicionários, concor-
dâncias, comentários, mapas, tabelas etc.;
3 – Crie o hábito de fazer anotações, elas são imprescindíveis para
um estudioso;
4 – Afaste tudo que atrapalha a sua atenção;
5 – Estabeleça um horário diário de estudo;
6 – Reserve mais tempo às partes do livro que você considera mais
difíceis; releia-as, se preciso, até mais de três vezes; essa prática é
natural para qualquer estudioso, quando se depara com um texto
mais complexo;
7 - Não fique preso a um assunto em que a compreensão esteja
difícil, talvez leituras posteriores possam ajudar a clarear passagens
mais obscuras, porém não se esqueça de retornar a ela; e não abra
mão de compreendê-la; busque ajuda, se for necessário;
8 – Faça algumas perguntas tais como:
• Qual é a afirmação principal deste capítulo?
• O que chamou a minha atenção?
• O que é novidade para mim?
...8 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

• O que eu não consigo entender?


• Qual é a mensagem deste texto para mim?
9 – Todas as instruções acima são muito importantes, porém nenhu-
ma se compara à orientação do Espírito Santo do Senhor; Ele é
quem abre o seu entendimento e lhe revela as maravilhas da lei do
Senhor.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...9

SUMÁRIO
........................................................................................

INTRODUÇÃO .............................................................................. 11

CAPÍTULO I
A BASE BÍBLICA DE MISSÕES: a partir do nascimento e batismo
de Jesus Cristo ...................................................... 13
Encarnação ............................................................. 13
Batismo ......................................................... 15
Atividades de Apoio ............................................................. 18

CAPÍTULO II
A BASE BÍBLICA DE MISSÕES: a partir da tentação, crucificação e
ressurreição de Jesus Cristo .................................................. 19
Na Tentação (Mt 4.1-11) ................................................... 20
A Crucificação ........................................................ 23
Na Ressurreição ........................................................ 25
Atividades de Apoio ............................................................... 27

CAPÍTULO III
JESUS CRISTO, O MISSIONÁRIO PERFEITO ........................... 29
Jesus Cristo, O Grande Missionário para o Mundo ................ 30
Jesus Cristo e o Programa para Sua Própria Vida ................. 31
...10 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

Jesus Cristo, O Missionário Diligente ao Mundo ................. 33


Jesus Cristo e a Grande Comissão .................................... 33
Jesus Cristo e Seus Seguidores ................................... 34
Atividades de Apoio ............................................................... 56

CAPÍTULO IV
O DESAFIO DA EVANGELIZAÇÃO MUNDIAL - ALCANÇANDO
A ÁFRICA ............................................................ 59
1. O Continente Africano .................................................. 61
2. Crescimento de População ................................................... 61
3. Crianças ao Redor do Mundo ............................................ 62
4. Concentração de Mulçumanos e Cristãos .......................... 62
5. Crescimento Evangélico na África ....................................... 63
6. Missionários por População ..................................... 64
7. Cidades Portais da África ........................................... 64
8. A Falta de Literatura na África ......................................... 65
9. Situação da Tradução da Bíblia ........................................ 65
10. O Povo Sicito da África ........................................... 66
Atividades de Apoio ............................................................... 66

ATIVIDADES DE APROFUNDAMENTO ................................ 69

BIBLIOGRAFIA ................................................................. 71

SUGESTÕES DE LEITURA ................................................. 73

VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM ....................................... 79


Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...11

INTRODUÇÃO
.............................................................................

No manual anterior, estudamos acerca da necessidade da obra


missionária, ou seja, o porquê da necessidade de sua existência e
compreendemos, então, que a sua existência é resultado do amor de
Deus que, vendo o homem longe de Sua presença por causa do
pecado, decidiu, através do plano de redenção, redimi-lo. Vimos que
o fato de Adão e Eva ter comido do fruto proibido possui implicações
muito mais profundas do que meramente o fato de estarem
necessitados de alimentos. Eles comeram porque, como Lúcifer,
desejaram ser como Deus. Nesse sentido, concluímos que a obra
missionária existe para que o homem volte a ter comunhão com
Deus. Então, entendemos Missões como o propósito eterno de Deus
para remir, do pecado, toda a humanidade. Missões é o meio adotado
por Deus para utilizar-se dos salvos e ganhar os perdidos. Missões é
a maneira que Deus emprega para fazer crescer e amadurecer tanto
os remidos quanto os perdidos. Missões é a essência da vontade de
Deus para consigo mesmo, para com Seus filhos e para com Seu
mundo.

Depois dessas considerações, no manual anterior, vimos como


o plano de Deus já foi demonstrado desde os primeiros capítulos de
...12 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

Gênesis e o plano de Deus já começa a ser posto em prática desde


Adão e sua família até os profetas que proclamaram o Reino de
Deus exortando os reis, os sacerdotes e o povo acerca da prática do
pecado. Depois disso, vimos, ainda, que o nascimento de Jesus Cristo
fora anunciado em todo o Antigo Testamento bem como a sua vida.

Portanto, neste manual, estudaremos a continuação do plano


de Deus para salvar o homem. Veremos, então, que, chegada a
plenitude dos tempos, Deus envia o Seu próprio Filho para que Sua
obra seja, para sempre, consumada. Depois da vinda de Jesus e do
cumprimento do Seu ministério, Deus abre um grande parêntese na
história de Israel e dá início à obra desenvolvida pela igreja. Então,
neste manual, além de conhecermos melhor acerca da obra de Jesus,
ou seja, os fundamentos missionários do seu nascimento e do seu
batismo, também da sua tentação, da sua crucificação e da sua
ressurreição, conheceremos a realizada pelo apóstolo Paulo e
saberemos da nossa responsabilidade que é a de dar sequência ao
que os homens de Deus, no passado, fizeram para que o plano eterno
de Deus, de fato, se concretize.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...13

..................................................................................CAPÍTULO I
A BASE BÍBLICA DE MISSÕES:
a partir do Nascimento e Batismo de Jesus Cristo

Na natureza ou no caráter do Senhor Jesus Cristo como


Salvador, somos informados de algo sobre a natureza ou caráter,
tanto da salvação quanto dos salvos. Pelo sacrifício de Jesus Cristo,
em providenciar a salvação, revela-se o quanto ela custou para nós,
se a aceitarmos. No propósito de Jesus Cristo de vir ao mundo revela-
se a abertura para os pecadores O aceitarem.

Encarnação

Os que usam óculos sabem o que é ir ao oculista para um


exame dos olhos e uma receita de óculos. O oculista coloca várias
lentes, cada uma por sua vez, diante dos nossos olhos. Cada lente
sucessiva põe, cada vez mais em foco, as letras as quais somos
orientados a ler. O nascimento, o batismo e a tentação de Jesus Cristo
durante a sua vida inteira, de fato, são lentes corretivas que
esclarecem, maravilhosamente, o propósito de Deus. É como afirmou
...14 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

Jesus: Quem me vê a mim, vê o Pai. Também, quando conseguimos


ver Jesus Cristo, já temos nesse ato visto tanto a nós mesmos, nosso
próximo, nossa responsabilidade, quanto o nosso passado e o nosso
futuro. Nós, os cegos, recebemos a vista; nós, que amávamos as
trevas, começamos a andar na luz.

Quando nasceu Jesus Cristo, Deus se encarnou. Nasceu de


mulher, nasceu sob a lei. Ele esvaziou-se, tomou sobre si a forma de
servo (escravo), tornou-se obediente, até a morte, até à morte de
cruz. Deus está dizendo, a partir desses fatos referentes à vida de
Jesus, que a redenção e a vida salva são, definitivamente, colocadas
no molde de sacrifício. Custa a Deus o redimir; custa a nós o sermos
redimidos. Não há coisa alguma que possamos fazer para merecer a
salvação, mas há muita coisa que fazemos depois de aceitá-la de
Deus, da fase um menino recém-nascido à de um adulto maduro há
um caminho muito longo e muito trabalhoso. Não nos
surpreendamos, portanto, se do pecador até o homem salvo houver,
também, um longo caminho, pesado e trabalhoso. Ele esvaziou-se;
nós temos que nos esvaziar, à semelhança dele.

Na encarnação, Deus tomou a iniciativa para salvar o homem.


Deus, que havia sido empurrado para fora da vida humana, queria
entrar aí de novo, pagou um grande preço ao se tornar um de nós
para nos redimir, isto é, toda a distância desde o céu até a manjedoura
em Belém; do imortal até o mortal; da Eternidade até o tempo; do
Criador até a criatura; desde o Deus de toda a terra até um cidadão
duma pequena província! Isso nos fala, não somente do alto custo
de ser o Salvador, mas também do alto custo da salvação. O caminho
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...15

pelo qual Ele veio a nós marca o caminho pelo qual nós podemos e
devemos ir até Ele!

Quão profundamente isso nos fala acerca da distância enorme


que temos de caminhar para levar o Evangelho aos outros! No
sacrifício da encarnação, acham-se as sementes do Calvário e ali se
descobre o padrão para quem quiser levar a sua cruz em nome de
Jesus Cristo. A encarnação nos instrui quanto à qualidade de
carregadores da cruz que devemos ser; quanto à maneira de vida
que devemos ter, juntos daqueles a quem somos enviados; quanto
aos sacrifícios que devemos fazer a fim de os ganhar para Jesus Cristo!
Na encarnação, o tipo de compromisso e de serviço cristão é
demonstrado ao missionário.

Batismo

Todos os sacrifícios que o Filho de Deus fez, para se tornar o


Cristo e Salvador, são retratados no batismo. Toda a agonia do
Calvário é antecipada no batismo. No batismo, Jesus Cristo pactuou-
se com Deus para viver de acordo com os sacrifícios já feitos na
ocasião do seu nascimento. Ele, que morreria na cruz do Calvário, já
se comprometera a morrer diariamente. Já estava levando em seu
corpo os nossos pecados. O batismo de Jesus Cristo o apresentou
como o cordeiro de Deus que fora morto desde antes da fundação
do mundo. Isso apresentou a intensidade e a severidade do
compromisso de Jesus Cristo no seu desejo de nos salvar. Ele, no
...16 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

começo do seu ministério, calculou o custo total e assumiu o custo.


Ali no Seu batismo, Ele, por si mesmo, deixou a Sua vida. Desde o
princípio até o fim, Ele a DEU; ninguém lhe tirou a vida.

No batismo foi revelada a finalidade com que ele deu a Si


mesmo por nós. Seu ingresso no propósito de nos remir foi tão final
como um caminho sem volta ou um sepultamento. É isso que todos
os filhos de Deus estão dizendo; é com isso que estão se
comprometendo, no seu próprio batismo. Será que de fato o estamos
fazendo? Você deixou tudo por Jesus Cristo quando foi batizado?
Deixou mesmo? Devíamos ter dito, na ocasião do nosso batismo: as
vantagens da minha vida anterior, não mais lançarei mão delas. Não
mais sentirei saudades da vida passada; havendo lançado mão do
arado, não mais olharei para trás. Estou de fato arrependido. Morreu
a velha natureza. Sepultei, enterrei aquele homem velho. O batismo
é o funeral da natureza velha. No batismo, formal e voluntariamente,
não apenas em símbolo, nós todos apresentamos, dramaticamente,
que uma rendição completa já se realizara. Fizemos uma aliança
também com os demais membros da igreja à qual nos unimos no
sentido de testemunhar que estamos mortos para a velha vida e vivos
para a nova vida. Como Jesus Cristo, nós dizemos que estamos
tomando, diariamente, as nossas respectivas cruzes... isto é, estamos
dando a nós mesmos à obra redentora de ganhar, para Jesus Cristo,
o mundo perdido.

No Seu batismo, Jesus Cristo proclamou a Sua fé no caminho


da cruz. O batismo não é apenas uma retratação do sepultamento
do velho homem; é também um prenúncio da ressurreição do novo
homem em Jesus Cristo Jesus Cristo. No batismo, nós dizemos que
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...17

o velho homem está morto e, ao mesmo tempo, afirmamos que o


novo homem em Jesus Cristo está vivo. No rio Jordão, proclamou
que o abandonar a vida é tomá-la de novo; o dar tudo é receber
tudo; o morrer para si, em prol da redenção de outros, é viver para
Deus!

Não se deve admirar que Deus tenha vindo ao batismo de


Jesus Cristo e, em aprovação exultante, tenha anunciado: Este é o
meu Filho amado, em que me comprazo. Deus aprovou a vida por
meio da morte; as riquezas pelo desprezo delas; o sacrifício da nossa
parte a favor de Sua glória, na redenção de outros.

Assim é o nosso batismo como filhos de Deus. No batismo,


Jesus Cristo formalmente entrou no ministério redentor. Em nosso
batismo devíamos ter dito: Nós entregamos voluntariamente a nossa
vida para que possamos reavê-la. No batismo, nós retratamos o que
Jesus Cristo havia feito por nós; e o que temos feito por Ele? O
batismo de Jesus Cristo não foi uma promessa por parte dele de dar
tudo, caso as circunstâncias o exigissem. Foi, sim, uma declaração
de que ele já havia dado tudo a Deus. Ele, no Seu nascimento, no
Seu batismo, na sua vida e na sua morte, foi o Cordeiro de Deus que
tira o pecado do mundo, o Cordeiro morto, sacrificado! É isso que
Jesus Cristo queria dizer quando afirmou: Se um homem não negar
a si mesmo nem tomar diariamente a sua cruz, não pode ser meu
discípulo. É isso que o apóstolo Paulo experimentara quando disse:
Morro cada dia.

Toda a biografia de Jesus Cristo está no Seu batismo. A


biografia toda de cada cristão encontra-se no seu batismo. A história
...18 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

toda da nossa vida poderia ser escrita em nossa obediência no batismo.


O propósito missionário mundial de Deus está incluído na ordenança
do batismo. É o evangelho todo numa fotografia instantânea. Deve
entrar nesse compromisso do batismo, profético e sagrado, apenas
quem compreende antecipadamente esse serviço redentor da
humanidade.

...................................................... ATIVIDADES DE APOIO

01. Complete:

a) Quando nasceu __________, Deus Se __________.


b) Na encarnação, Deus a iniciativa de salvar o __________.
c) No sacrifício da __________, acham-se as sementes do
__________ e ali se descobre o padrão para quem quiser
levar a sua __________ em nome de __________.
d) Na encarnação, o tipo de compromisso e de serviço cristão é
demonstrado ao __________.
e) Todos os __________ que o Filho de Deus fez para Se tornar
o __________ e __________, são retratados no __________.
f) Toda agonia do Calvário é antecipada no __________.
g) No batismo, Jesus Cristo, formalmente, entrou no
__________.
h) O propósito missionário mundial de __________ está incluído
na ordenança do __________.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...19

CAPÍTULO II
.................................................................................

A BASE BÍBLICA DE MISSÕES: a partir da


tentação, crucificação e ressurreição de Jesus Cristo

O que aprendemos acerca de Missões quando estudamos a


tentação de Jesus Cristo? No sacrifício que o próprio Deus fez em se
tornar homem pela encarnação, Jesus Cristo deu início ao Seu
ministério de redenção, pelo caminho da renúncia e submissão ao
plano de Deus. No seu batismo, Ele demonstrou que se sacrificaria
até a morte, que a sua dedicação seria completa, que não retinha,
absolutamente, coisa alguma para Si. E no batismo Ele manifestou
uma fé profunda de que tal sacrifício completo resultaria numa
ressurreição vitoriosa, tanto para Ele próprio como para todos quantos
o seguissem.

Pagou o preço de se tornar homem: nascera na manjedoura


de Belém. O Verbo se fez carne; Ele estava no mundo. Os sacrifícios
de obediência até à morte, prometidos no Seu batismo, eram
aparentemente apenas promessas. Ele aceitara as glórias que lhe
foram prestadas pelo coro angelical; aceitara também a visita dos
Reis Magos com as suas dádivas preciosas. Submetera-se ao batismo
...20 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

de João Batista e, também, tivera o aparecimento coroador e a


aprovação de Deus Pai e do Espírito Santo. Mas, que tal a luta cruenta,
real, inglória, interminável? Caso lhe viesse a oportunidade de se
utilizar Deus e a religião em prol de sua própria satisfação, de sua
própria glória, de seu próprio proveito, que faria? Essas perguntas
são respondidas na tentação e na vida de Jesus Cristo.

Na Tentação (Mt 4.1-11)

O fato da tentação de Jesus Cristo declara que decisões em


favor da obediência são completas, decisões feitas sob lindos
momentos de inspiração não tornam, necessariamente, automática
a obediência posterior. A decisão, a promessa, isso não basta. Tornar-
se filho de Deus, ir ao lugar por Ele designado e ocupar-se no trabalho
dEle não trazem uma isenção automática da presença do diabo e
das suas vis tentações. De fato, é justamente o oposto. A obediência
para com Deus, geralmente, nos coloca bem no meio de todas as
hostes tirânicas de Satanás e dos seus demônios. Vencê-las faz parte
de nossa missão. De forma idealizada, no batismo, Jesus Cristo
prometeu dar o seu tudo, até a morte. Ele, porém, é homem; quando
seu corpo sentir fome, o que há de fazer? Ele é humano; quando seu
orgulho ou amor-próprio reclamar a sua glória e a sua reputação
perante os homens e sentir necessidade de um fortalecimento, o que
há de fazer? Ele é o Filho de Deus, prometendo estabelecer o Reino
de Deus. Quando Sua vontade pedir autoridade, e quando a ambição
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...21

dentro dele surge para possuir, para ter para sempre, os reinos deste
mundo, então o que fará?

Aí está o problema. Você nasceu de novo sob a ação calorosa


do Espírito de Deus, debaixo da influência e da comunhão de uma
igreja cheia de pessoas que aprovaram tudo isso. Obedece ao Senhor
no batismo e prometeu dar tudo para Ele, enquanto estava sendo
sepultado nas águas batismais. Ouviu a chamada de Deus, e a aceitou,
para ser discípulo do Evangelho de Jesus Cristo. Amontoou-se a
glória disso tudo. Agora, porém, começa o trabalho árduo. Agora o
que fará? Por meio de quais princípios haverá de trabalhar?

O Senhor Jesus Cristo enfrentou todas as tentações conforme


os grandes princípios de sacrifício, de negação própria, todas fizeram
parte de suas experiências de encarnação. Quando o seu corpo sentiu
fome, após os quarenta dias de tentação, surgiram alguns
pensamentos no sentido de se empregar o poder de Deus, tão
disponível, para transformar pedras em pães. Mas a vida de Deus
nEle, também, estava com fome, e reclamava o pão do céu. Lembrou-
se de que seu corpo fora sepultado no batismo. Havia dedicado todos
os seus desejos e energias físicas à vontade redentora e ao propósito
de Deus. Vai viver de acordo com tudo quanto fora prometido nos
sacrifícios retratados em seu batismo. Promessas sacrificiais exigem
pagamentos sacrificiais.

Na segunda tentação, foi sugerido a Jesus Cristo, em cima do


pináculo do Templo, que demonstrasse seu grande privilégio, a sua
grandeza e a isenção de sofrimento, lançando-se dali abaixo e
deixando o mundo maravilhar-se, vendo como os anjos de Deus se
...22 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

reuniriam ao Seu redor e como O levantariam em suas mãos. Ele,


porém, já estava comprometido com o caminho de sacrifício, de
negação própria, caminho este começado no seu nascimento e,
vividamente, apresentado no seu batismo. Ele havia sepultado para
sempre a sua ambição pessoal; havia matado aquela insaciabilidade
de aclamação pessoal e de engrandecimento por parte dos homens.
Era a glória de Deus que Ele estava procurando, não a dele; era a
salvação dos homens, tirando-os dos seus pecados, não a Sua
salvação física e miraculosa.

Mais uma vez o Tentador se colocou diante dEle mostrando-


lhe os reinos das nações deste mundo. Satanás ofereceu-lhe as terras,
as coroas e as glórias do mundo, se apenas se curvasse diante dele e
o adorasse. O ponto mais importante em toda tentação é saber QUEM
estamos adorando, e ONDE está o nosso tesouro. Não é simplesmente
uma escolha entre a mentira e a honestidade, entre a lascívia e a
pureza. É antes uma escolha entre Satanás e Deus, entre o inferno e
o céu. Jesus Cristo havia sepultado o velho homem de ambição
pessoal e desejoso das riquezas e glórias deste mundo. Não havia
apenas prometido tudo em seu batismo. Havia dado tudo quanto é
representado no batismo. Já estamos comprometidos apesar de cada
decisão feita em relação às tentações, pondo no outro prato da
balança o compromisso solene tomado pelo nosso batismo. Já
decidimos, já tomamos a nossa cruz. No batismo demonstramos que
já havíamos encontrado o caminho da cruz. Nas tentações enfrentadas
em meio ao nosso ministério diário, tomamos e carregamos a nossa
cruz. O verbo tornou-se carne. Morremos para que vivamos.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...23

A crucificação

A encarnação, o batismo, a tentação e todas as demais coisas


na vida de Jesus Cristo apontaram para a cruz. Aquele que fora rico
tornara-se pobre. O Filho de Deus nascera de mulher, nascera debaixo
da lei. As promessas de negação feitas na ocasião do seu batismo
foram cumpridas. Ele, porém, havia prometido ser obediente até a
morte, até a morte de cruz.

O Calvário declara que todos os compromissos de Deus vão


até a execução do último. Ele viera para morrer! Nós o aceitamos
para que ele crucifique o velho homem dentro de nós: Quem perder
a sua vida achá-la-á. As bênçãos que são eternas nascem em
obediência àquilo que é celestial. A obediência para com Deus não
é simbólica, porém, real, atual.

A obediência, em cada instância, é sempre voluntária, nunca


forçada ou obrigada, nunca automática. Todavia, no batismo, o filho
de Deus antecipou o custo, e o pagou. Agora somos entregues ao
caminho da cruz, diariamente e em vida e, finalmente, na morte.
Devemos dizer que a obediência através do sofrimento é alegria
indescritível, e sempre será escolhida por nós. Devemos crer que a
obediência, custe o que custar, é mais desejável do que a
desobediência a qualquer recompensa. Devemos dizer e demonstrar
que o nosso amor para com Deus exige de nós mais do que o nosso
amor por nós mesmos, ou nosso amor para com coisas, ou nosso
amor para com a honra dos homens. O que Deus deseja de nós
...24 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

deve exercer sobre a nossa pessoa e sobre a nossa bolsa maior pressão
do que aquilo que nós mesmos desejamos. Nós, os cristãos,
professamos que fomos ressuscitados da morte causada pelo pecado,
e que fomos feitos criaturas novas em Jesus Cristo. Declaramos ter
virado as costas, de uma vez por todas, ao pecado, e à nossa própria
vontade, e ter voltado os nossos rostos, definitivamente, para Deus e
para a vontade Dele. Em nosso batismo, demonstramos que sabíamos
que Jesus Cristo havia marchado até à morte para nos redimir.
Mostramos que sabíamos que durante o resto de Sua vida, após
isso, estava de completo acordo com tal fé. Em nosso batismo
manifestamos que havíamos morrido para nós mesmos e
esperávamos viver assim diariamente pela glória dEle. Deveríamos
ter dito, também, que damos voluntária e diariamente muito mais
do que qualquer grupo possa exigir de nós pela força. O dar tudo
deve ser tão habitual na vida do cristão, que crise nenhuma nos
poderá exigir coisa nova. Jesus Cristo havia deposto a Sua vida em
negação completa a Si mesmo, cada dia de Sua existência. Quando
chegou a chamada do Calvário, nada de novo restava. Ele havia
entregado a sua vida; agora poderia entregar o seu corpo. Assim
deve ser conosco. Nenhuma estrutura ou instituição humana deve
poder exigir mais de nós em nome da justiça dos homens do que já
temos dado em nome da justiça de Deus. Se nós Lhe dermos as
nossas vidas, enquanto vivemos, havemos de descobrir que é mais
fácil entregar-Lhe essas mesmas vidas quando chegarmos ao
momento da morte. Morreremos como vivemos; vivamos como
pessoas que morreram na ocasião de nossa conversão. Somos
entregues à vida crucificada. Estamos comprometidos para levar a
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...25

cabo a missão redentora de Deus em Jesus Cristo. Cremos no caminho


da cruz que leva a Jesus Cristo; cremos no filho de Deus para nós
mesmos e para todos os homens em todo lugar.

Na Ressurreição

Que tem a ressurreição de Cristo a dizer-nos em relação à


responsabilidade para com os outros e concernente à nossa própria
esperança e ressurreição de Jesus Cristo?

Nossa vida é de fé. Temos um antigo hino evangélico que


diz:

Eu avisto uma terra feliz,

Onde irei para sempre morar;

Há mansões nesse lindo país,

Que Jesus Cristo foi ao céu preparar.

Nós vemos. Nós SABEMOS. A fé é a vista. Andamos nesta


luz como Ele está na luz. Jesus Cristo, vendo as alegrias que lhe
estavam propostas, suportou a cruz. Nós, pela fé, declaramos na
ocasião do nosso batismo que nós, vendo as alegrias que nos estão
propostas, havemos de suportar a nossa cruz. Ele saciou a sede de
cada dia, bebendo nas fontes da eternidade. Satisfez a fome
atormentadora do seu corpo com os manjares suculentos do Espírito.
...26 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

Tinha uma comida para comer que o mundo não conhece. Todavia
nós declaramos que conhecemos aquela comida. Conhecemo-la de
fato?

A cruz significa morte, agora. A ressurreição é vida, agora.


Esta é a nossa fé. Esse é o evangelho. Essa é a Palavra de Deus para
nós. Essa é a nossa palavra de Deus para outros. Essa é a nossa
força, e nós a pregamos como o poder de Deus para salvação de
todo aquele que crê (Rm 1.16).

A ressurreição de Jesus Cristo nos afirma: Aquele que perder


a sua vida por causa de mim e do evangelho, ganhá-la-á AQUI E
AGORA. Esse é o significado da oração, e a sua resposta: Venha o
teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como lá no céu.

A ressurreição começa agora e aqui. É isso o que Jesus Cristo


queria dizer, e nós o declaramos na ocasião de nosso batismo. A
nova vida funciona aqui. Foi isso que o Senhor Jesus Cristo
demonstrou e experimentou, tanto nas suas tentações quanto através
da sua vida inteira. A nova vida é para a morte, até a morte. A cruz
é real, não imaginária; é um caminho, não apenas uma palavra.

Há um significado prático na ressurreição para hoje, bem


como para a eternidade; para o mundo, bem como para o céu. Não
há ressurreição sem morte. Morrei diariamente e vivei diariamente.
Somos sepultados na semelhança de Sua morte, e levantados na
semelhança de Sua ressurreição. Se um grão de trigo caindo na terra
não morrer, fica ele só; mas se morrer produz muito fruto (João
12.24). Nossa é a vitória, mas é sempre, humanamente falando, difícil
o caminho. E esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...27

......................................................ATIVIDADES DE APOIO
01. Relacione as colunas:

(1) primeira tentação de Jesus Cristo


(2) segunda tentação de Jesus Cristo
(3) terceira tentação de Jesus Cristo

( ) Foi sugerido a Jesus Cristo, em cima do pináculo do


Templo, que demonstrasse Seu grande privilégio, a Sua
grandeza e a isenção de sofrimento, lançando-Se dali
abaixo e deixando o mundo maravilhar-se, vendo como
os anjos de Deus se reuniriam ao Seu redor e como O
levantariam em suas mãos.
( ) Satanás ofereceu a Jesus as terras, as coroas e as glórias
do mundo, se apenas Se curvasse diante dele e o
adorasse.
( ) Jesus sentiu fome e surgiram-Lhe alguns pensamentos
no sentido de empregar o poder de Deus para
transformar pedras em pães.

02. Complete:

a) A encarnação, o batismo, a tentação e todas as demais coisas


na vida de Jesus Cristo apontaram para a __________.
...28 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

b) A obediência, em cada instância, é sempre __________, nunca


__________ ou __________, nunca __________.
c) A cruz significa __________, agora. A __________ significa
vida, agora.
Não há ressurreição sem __________.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...29

CAPÍTULO III
...............................................................................

JESUS CRISTO, O MISSIONÁRIO PERFEITO

Há anos passados, um pregador esteve na China, empenhado


numa tarefa missionária; acompanhado de dois seminaristas chineses.
Atravessaram campos de trigo, num domingo à tarde, com destino a
uma das muitas vilas chinesas, onde ia haver um culto. Dois meninos
chineses de cerca de 12 a 14 anos respectivamente viram-nos
passando por sua vila. Pareciam estar com tanta ansiedade por ouvir
o evangelho que esperaram o regresso dos obreiros. Logo que os
avistaram, saíram ao seu encontro, no começo da vila. Saudaram-
nos cortesmente e deram-lhes bem-vindos. O menino mais velho
perguntou: Vocês vão entrar em nossa vila e ler para nós? O pregador
respondeu: Sim. Porém, onde está o povo? O rapazinho disse: Vocês
se conservem aqui na estrada e eu irei buscar o povo. Naquele lugar
não havia um cristão sequer. Os dois rapazinhos percorreram
velozmente a vila, e dentro de alguns minutos, uma multidão de
meninos e meninas estavam em volta dos pregadores. Estes, ali
mesmo na estrada, à entrada da vila, cantaram hinos, leram a Bíblia
e falaram acerca de Jesus Cristo. Fizeram apelos insistentes no sentido
...30 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

de que confiassem em Jesus Cristo e o seguissem, e oraram em


seguida por eles. Um dos que deram seu coração e sua vida a Jesus
Cristo foi o rapazinho mais velho dos dois que convidaram os
pregadores para a sua vila. O pregador conclui esta história dizendo:
Como poderíamos jamais esquecer aquela tarde e o ansioso convite
das crianças chinesas: Vocês vão entrar em nossa vila e ler para nós?
Multidões de homens, mulheres e crianças através do mundo, estão
se levantando, desejosas de ouvir falar de Jesus Cristo.

Jesus Cristo, O Grande Missionário para o Mundo

A vinda de Jesus Cristo a terra é um dos mais confortadores


e inspiradores fatos da história. Quando ele veio, o mundo estava
em trevas, religiosamente falando, enfermo pelo pecado, sem
esperança e triste. Nosso Salvador deixou seu Pai celestial, seu lar e
conforto. Fez a maior e a mais sacrificial de todas as jornadas
missionárias – dos céus a terra. Além disso, nasceu sobre a terra,
cresceu, viveu e morreu em favor do povo do mundo.

Jesus Cristo veio ao mundo por três razões:

1. Ele veio para revelar seu Pai celestial. Filipe uma vez,
pediu a Jesus Cristo: Mostra-nos o Pai. E Jesus Cristo
respondeu: Faz tanto tempo que estou com vocês, Filipe,
e você ainda não me conhece? Quem me vê vê também
o Pai. Por que é que você diz: Mostre o Pai?(João 14.8-
10).
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...31

2. Jesus Cristo veio para buscar e salvar o que se havia


perdido (Lc 19.10).

3. Ele veio para inaugurar a mais significativa era de todos


os tempos – a era cristã.

Jesus Cristo e o Programa para sua Própria Vida

Interessantes acontecimentos seguiram-se ao batismo de Jesus


Cristo. Nosso Salvador foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto,
onde foi tentado pelo Maligno, por espaço de 40 dias. Se nos
recordarmos da tentação de Jesus no deserto (Mt 4. 1-11), veremos
que é o conhecimento da Palavra que nos garante a vitória contra o
nosso inimigo.
O diabo, sabendo que Jesus tinha fome, pois jejuara quarenta
dias e quarenta noites, disse-lhe: Se tu és Filho de Deus, manda que
estas pedras se tornem em pães. O diabo utiliza no seu discurso a
conjunção se que é uma condicional, se és Filho de Deus, faça um
milagre. Entretanto, Jesus vence essa tentação com o conhecimento
da Palavra: nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra
que sai da boca de Deus (Dt 8. 3). Não satisfeito, o diabo coloca
outra condição, agora com mais sutileza, pois utiliza, literalmente, a
Palavra: se tu és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está
escrito: aos seus anjos dá ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas
mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Jesus respondeu:
também está escrito: não tentarás o Senhor, teu Deus. (Dt 6.16) E
...32 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

mais uma vez o inimigo de Deus tenta a Jesus oferecendo-lhe riqueza


e poder: tudo isso te darei se, prostrado, me adorares e Jesus vence-
o mais uma vez, pelo poder da própria Palavra: vai-te, Satanás,
porque está escrito: ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele
servirás.(Dt 6.13)
Tendo vencido cada tentação, Jesus Cristo voltou, no poder
do Espírito Santo (Lc 4.14). Em Nazaré, onde ficava o seu lar, entrou
na sinagoga e lhe deram oportunidade para ler as Escrituras.
Percorrendo com a vista o rolo do profeta Isaías, deteve-se no capítulo
61, lendo e anunciando publicamente aos seus companheiros de
vila o programa da vida dele, como Messias.

Lucas 18.19. Depois dessa notável proclamação, o povo


levantou-se e expulsou Jesus Cristo da sua cidade. Ele, calmamente,
passa pelo meio da multidão, deixa Nazaré e vai para a cidade de
Capernaum.

Desde então, nós o vemos nas praias, nas vilas e nas cidadelas
do país, levando avante o programa que anunciara em Nazaré. Ele
pregava ao povo. Muitos foram salvos dos seus pecados e receberam
a vida eterna. Ele morreu, foi sepultado e ressuscitou. Nisso podemos
ver claramente o propósito das missões cristãs – conduzir o povo a
Jesus Cristo, o Salvador que o salvará dos seus pecados e lhe dará a
vida eterna. Então, sem dúvida, cada cristão deveria seguir e servir o
Salvador, tão fiel e efetivamente como lhe é possível.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...33

Jesus Cristo, O Missionário Diligente ao Mundo

Jesus Cristo foi um missionário diligente. Muitas de suas obras


foram realizadas na Palestina. Ali, ele era missionário no lar, isto é,
em sua própria terra. No entanto, algumas de suas obras foram
realizadas fora da Palestina, Fenícia e leste do Jordão. Ali, ele era um
missionário estrangeiro.

Em toda parte, vemos Jesus Cristo sempre ocupado em ajudar


os que necessitavam do seu auxílio. Jesus Cristo percorria a terra
pregando, ensinando e curando, (Mt 4.23). Chamava o povo a voltar-
se para Deus: estava sempre alerta em descobrir seguidores e
trabalhadores e os enviava como missionários. Os samaritanos,
ouvindo-o pregar, disseram o que está registrado em Jo 4.42.

Jesus Cristo e a Grande Comissão

Nosso Salvador morreu e ressuscitou ao terceiro dia. Houve


um período de 40 dias entre a sua ressurreição e a sua ascensão ao
céu. Durante esse período, ele deu aos seus discípulos instruções
especiais, preparando-os para levar o evangelho através do mundo.
Deu-lhes, então, a grande comissão encontrada em Mateus 28.
Examinemos cuidadosamente Mc 16.15; Lc 24.48; Jo 20.21; Mt
28.16-20.
...34 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

A leitura do livro dos Atos dos apóstolos deixa-nos entrever


os objetivos básicos que Deus tinha, quando despertou Lucas a
elaborar este primeiro tratado acerca de tudo que Jesus começou,
não só a fazer, mas a ensinar (1.1). Deus pretendia que os discípulos
de Jesus compreendessem que a obra que Ele começara, ou seja, a
implantação do Seu Reino na terra, deveria ter continuidade, mas
agora, através da operação do Espírito Santo na vida dos discípulos.
Jesus, antes de subir aos céus, já havia expressado a grande
vontade do Pai: a expansão do evangelho até aos confins de terra
(1.8). Também demonstrou que o cumprimento dessa vontade
dependeria, totalmente, da própria atuação de Deus, pois a obra do
Espírito Santo é uma providência Dele para que a igreja proclame o
Evangelho, dando prosseguimento à obra que Jesus iniciara.
O versículo 8, do capítulo 1, nos revela toda a estrutura desse
livro. Vejamos, o versículo diz o seguinte: mas recebereis a virtude
do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas
tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos
confins da terra. Se observarmos o livro, veremos que, nos capítulos
1 e 2, os discípulos recebem poder para testemunhar. Posteriormente,
dão testemunho em Jerusalém (capítulos 3-7). Depois, na Judeia e
Samaria (8-12) e, finalmente, até aos confins da terra (13-28).

Jesus Cristo e seus Seguidores

Jesus Cristo deseja que cada um dos seus seguidores tenha


um coração missionário. Alguns se sentirão impelidos a servir ao
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...35

Salvador na própria igreja, na comunidade e dentro do seu país.


Outros serão impelidos a levar Jesus Cristo às terras estrangeiras.

Muita gente, no mundo, tem necessidade de ouvir de Jesus


Cristo. Na China, um missionário estava pregando o Evangelho,
quando um homem se levantou do meio da multidão e gritou: Jesus
Cristo? Onde está ele? Eu desejo vê-lo.

Todos os cristãos podem ter uma parte nas missões cristãs.


Houve um perdido a quem Jesus Cristo salvou, a leste do rio Jordão
(Mc 5.1-20). Quando Jesus Cristo estava se preparando para retirar-
se, este homem, agora transformado em uma nova criatura, implorou
a Jesus Cristo o privilégio de acompanhá-lo, mas Jesus Cristo lhe
respondeu: Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes o quanto
o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti. E diz a narrativa de
Marcos: Ele se retirou, pois, e começou a proclamar em Decápolis
tudo quanto lhe fizera Jesus Cristo; e todos se admiravam.

De outra feita, uma mulher samaritana que fora tirar água no


poço de Jacó, encontrou-se com Jesus Cristo e foi salva (Jo 4.1-42;
28-29).

Jesus Cristo, o mesmo Salvador que salvou esses dois


pecadores, transformando as suas vidas e enviando-os como fiéis e
efetivos missionários, deseja hoje usar cada verdadeiro cristão como
seu missionário ao mundo.

Muitos foram os homens usados por Deus, mas, parece-nos,


que, com a disposição e a ousadia de Paulo foram poucos e, a cada
dia, o número se torna menor, tendo em vista que o apego a uma
...36 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

vida cômoda e segura impede o homem de se entregar inteiramente,


sem restrições, a Deus para ser usado por Ele a ponto de alvoroçar
as cidades como foi nos dias de Paulo.

Escrever sobre Paulo significa escrever sobre um homem que


ultrapassou todos os limites humanos e alcançou uma comunhão
com Deus, tão íntima, a ponto de dizer que deixara de viver para
que Cristo vivesse nele. A vida do apóstolo Paulo não pode ser
compreendida por um homem natural; tanto não pode que Festo,
após ouvir seu discurso, o considerara louco. Esse homem, depois
de Jesus, foi o que mais alcançou conhecimento de Deus e soube
viver uma vida à altura do conhecimento que adquirira. Educado
aos pés de Gamaliel, um distinto doutor da lei judaica e da literatura
grega, era um distinto homem na sociedade; porém, depois que
conhecera a Cristo, tudo considerara como escória; para ele nada se
comparava ao conhecimento das glórias celestiais. A sua disposição
em cumprir a missão a que fora designado fora inigualável. De fato,
abrira mão de sua própria existência; não tinha pesar de morrer, a
não ser por causa dos irmãos que, ainda precisavam dele, pois tinha
convicção que estar com Cristo era bem melhor.

A disposição que Paulo alcançou pode ser entendida porque


se percebe que, desde o início de sua conversão, ele aprendeu que
fora chamado não só para viver com Cristo, mas também para
padecer por Ele. Sabia que os inimigos de Deus haviam matado os
profetas e o próprio Jesus Cristo; portanto, a vida dos outros servos
de Deus não seria diferente. Dentro desse contexto é que ele define
sua posição e faz a opção irrestrita de ser um instrumento de Deus
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...37

para levar o evangelho aos confins da terra, independente de


qualquer circunstância.

Alcançar essa disposição em servir a Deus só é possível quando


se têm experiências reais com o Soberano Deus. A convicção do
poder de Deus e do cuidado que Ele tem com os seus servos é que
gera essa ousadia. Porém, atualmente, os ministros de Deus preferem
ter um conhecimento mais teórico Dele porque conhecê-lo, na prática,
significa enfrentar grandes naufrágios e isso parece não ser
interessante. Paulo passou por tribulações que o levaram ao
desespero; fora agravado mais do que podia suportar, mas percebeu
que, nessas circunstâncias, aprenderia a confiar em Deus e não em
si mesmo.

A vida de Paulo não poderia ter sido diferente. O amor que


tinha a Jesus Cristo era um amor verdadeiro, um amor indestrutível.
Deseja, por isso, não somente conhecê-lo, mas deseja ter a
comunicação de suas aflições; ele queria compartilhar com Jesus o
seu sofrimento. Isso é gratidão. Esse foi o sentimento que o levou a
estar pronto não a ser preso, em Jerusalém, mas também a ser morto
por causa de Jesus. Para ele nada era tão importante quanto cumprir
o ministério que Jesus havia dado a ele; sua vida não lhe era preciosa.
Diante de uma vida tão frutífera é que devemos pensar acerca
do nosso ministério: o que temos feito pelos povos? Qual tem sido a
nossa contribuição? O que, de concreto, temos feito? Para nossa
melhor reflexão vamos observar a trajetória de Paulo durante o seu
ministério. Se cada um de nós fizermos, pelo menos, 1/10 da obra
realizada por Paulo, por certo, teremos alcançado inúmeras pessoas
...38 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

que, incessantemente, clamam porque, como presas do inimigo, vivem


numa angústia constante.

Depois da perseguição na igreja de Jerusalém, Antioquia


tornou-se o novo centro da igreja e ali, as viagens missionárias tiveram
início. Estando, nesta igreja, alguns profetas e doutores, o Espírito de
Deus disse apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra que os tenho
chamado.
A partir do v.4 do capítulo 13 de Atos, a Bíblia diz que enviados
pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e daí para Chipre1. Em
Salamina, Saulo e Barnabé ensinam nas sinagogas. Na ilha de Pafos
encontraram um falso profeta, Barjesus, que impedia um procônsul2,
Sérgio Paulo, de receber o evangelho. Paulo, cheio do Espírito Santo,
disse a Barjesus que ficaria cego por um tempo; Sérgio Paulo,
maravilhado, creu na doutrina do Senhor.
De Pafos, seguiram para Perge e depois chegaram à Antioquia
da Pisídia, onde ensinaram, na sinagoga, a lição da Lei e dos profetas.
Paulo fez um grande discurso neste lugar. Iniciou-o dizendo que Deus
livrara o povo israelita da escravidão no Egito, suportando, no deserto,
os costumes deles por um período de 40 anos. Destruiu os povos de

1
Esse estudo acerca das viagens missionárias de Paulo também pode ser encontrado no
manual dos Atos dos apóstolos do Curso Básico de Teologia do Seminário Seifa.
Aqui foi utilizado de forma a atender às necessidades desse estudo que é a base bíblica
de missões no Novo Testamento; assim, justifica-se, então, alguns cortes em relação ao
estudo anterior.
2
Principal oficial romano.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...39

Canaã; lhes deu juízes; reis; prometeu-lhes, da descendência de Davi,


um Salvador que fora anunciado por João Batista. A partir daí, Paulo
anuncia, abertamente, a Jesus Cristo que fora crucificado, mas
ressuscitara e fora visto por várias testemunhas. Depois de ouvirem
as considerações de Paulo, os judeus e gentios pediram para que no
outro sábado voltassem a falar dessas coisas. Entretanto, muitos dos
judeus, se encheram de inveja e contestavam o que fora pregado
por Paulo.
Saindo de Antioquia da Pisídia, foram para Icônio, onde
pregaram na sinagoga e muitos, tanto judeus quanto gentios, creram
na Palavra. Mas os judeus incrédulos incitaram os gentios e houve
um grande motim para insultarem e apedrejarem os irmãos.
Percebendo isso, fugiram para Listra. Nesse lugar, um homem coxo
fora curado e Paulo e Barnabé foram considerados deuses, o que
lhes causaram profunda tristeza. Além disso, ali, sobrevieram-lhes
grandes perseguições, Paulo fora apedrejado e arrastado para fora
da cidade.
No dia seguinte, Paulo e Barnabé foram para Derbe. Tendo
anunciado o evangelho ali, voltaram confirmando o ânimo dos irmãos
de Listra, Icônio e Antioquia. Além disso, elegeram anciãos em cada
igreja para darem prosseguimento e cuidarem da obra de Deus.
As atitudes dos missionários, registradas em Atos, demonstram
a forma como a obra de Deus é feita. Sem condições adequadas,
não deixaram de cumprir a vontade de Deus, pois estavam

3
Essa será a abordagem do próximo manual: Eclesiologia.
...40 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

alicerçados em Mt 10. Não tinham interesse nem de enriquecimento,


nem de fama; quiseram apenas servir. Isso é missão.
O evangelho precisa ser pregado, mas só isso não é suficiente;
é preciso que tenha uma preocupação com a organização da igreja3
e com o ensino da Palavra. Paulo pregava, os gentios ou judeus
aceitavam a Palavra, mas Paulo tinha a preocupação com a
permanência deles no evangelho.
Depois destas coisas, passaram por Pisídia e foram para
Panfília; pregaram a Palavra em Perge, desceram a Atália; depois
para Antioquia, onde reunidos com os irmãos testemunharam tudo
que Deus havia feito.
Podemos, assim, resumir o percurso de Paulo e Barnabé:
Antioquia da Síria Selêucia Chipre Pafos Perge
Antioquia da Pisídia Icônio Listra Derbe Antioquia
da Síria4.

4
Estas cidades, hoje, são conhecidas, na maior parte, por outros nomes, ou foram
destruídas. Vejamos a situação de cada uma delas: Antioquia da Síria tornou-se um
miserável povoado; Chipre ainda é conhecida como ilha de Chipre; Pafos é conhecida
como Bafo; Antioquia da Pisídia encontra-se em ruínas; as cidades da Licaônia, sudeste
da Turquia são Icônio, conhecida, hoje, como Konia; Listra transformara-se em ruínas,
perto de Khatyn Serai e Derbe que é o sítio da muralha de Gudelissim.(Cf. DBU:
Dicionário Bíblico Universal )
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...41

Primeira viagem missionária de PAULO

FRÍGIA
(C) Paulo prega em
Antioquia da Pisídio
At 13:16-41

GALÁCIA

Antioquia da Pisídia
ES

(D) Os crentes
PISÍDIA
TR

em Icônio
AD

8. PRINCIP At 14:1-5
A

AL
L
IPA

Icônio
IN C

6. 5.
PR

4. A
LI LICAÔNIA
NFÍ Listra

PA Derbe
9. 7. Portas Cilicianas
IA (uma passagem nas montanhas)
LÍC
Atalia Perge (F) Os crentes
em Derbe
At 14:20-21
CI Tarso
A

(E) Em Listra
CI

Paulo é apedrejado
At 14:19

3.
ia
uc

Se
Antioquia

1.
10.

(A) Começo
da primeira
(B) Elimas fica cego At 13:11 viagem missionária
O nome de Saulo é mudado para Salamina de Paulo
Paulo At 13:9
CHIPRE
Pafos 2.

Ao ponto mais distante


Do ponto mais distante

CAMINHOS MARÍTIMOS: Indicamos somente os


SÍRIA
caminhos marítimos gerais entre portos conhecidos.
CAMINHOS TERRESTRES: Desconhece-se o leito exato
de alguns caminhos antigos; os caminhos importantes
conhecidos estão indicados ESTRADAS PRINCIPAIS. Sidom

Tiro
...42 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

Paulo, Silas e Barnabé acharam necessário ficar em Antioquia


ensinando e pregando. Passados alguns dias, Paulo desejou visitar
os irmãos que já haviam recebido a Palavra. Houve entre Paulo e
Barnabé uma contenda por causa de Marcos; este havia
acompanhado-os na primeira viagem, mas havia retornado,
abandonando-os. Entretanto, a Barnabé parecia bem levá-lo,
novamente, mas a Paulo não. Assim, houve a separação deles.
Barnabé seguiu para Chipre com Marcos5; e Paulo, juntamente com
Silas, segue visitando as igrejas.
A atitude de Paulo continua confirmando sua preocupação
constante com os irmãos que, tendo recebido o evangelho, careciam
de permanecer firmes, apesar das perseguições e sofrimentos que
sobrevêm aos fiéis.
As igrejas de Derbe, de Listra e de Icônio, visitadas por Paulo,
cresciam e se fortaleciam tanto em número, quanto na fé.
Os detalhes expostos na Bíblia, sobre as viagens missionárias
de Paulo, asseguram a direção do Espírito de Deus. No v. 6 do capítulo
16 está escrito que, passando os missionários pela província da
Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a Palavra
na Ásia; chegando a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito
de Jesus não lho permitiu. Assim, desceram a Trôade6.

5
A atuação de Marcos na obra missionária chama-nos a atenção porque, depois da
separação de Paulo e Barnabé, exatamente por causa dele, a Bíblia não relata mais fatos
notórios sobre sua atuação. A insistência de Barnabé na permanência dele na obra
missionária parece ser em virtude de um apoio familiar e não uma direção de Deus.
6
Hoje é Eski-Stambul, um porto de mar na Mísia, o principal ponto de embarque e da
chegada de passageiros entre a Ásia Ocidental e Macedônia. (Cf. DBU)
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...43

Lá, Paulo teve uma visão, Deus queria que fossem à


Macedônia7. Assim foram e ficaram alguns dias em Filipos8. Ali, houve
os seguintes acontecimentos: conversão de Lídia, uma vendedora
de púrpuras; expulsão de um espírito de adivinhação que perturbava
uma jovem e dava lucro aos seus donos. Este fato causou sérias
dificuldades para Paulo e Silas, pois foram presos, acusados de
perturbarem a cidade, por exporem costumes ilícitos ao povo e
açoitados com varas. Na prisão, dão-nos uma lição de submissão à
vontade de Deus. Ao invés de lamentarem a sorte, louvam a Deus,
orando e cantando hinos. O Senhor visita-os, lhes abre as portas da
prisão e solta a todos que estavam encarcerados. O carcereiro,
transtornado, deseja morrer e Paulo, não perde a oportunidade de
anunciar-lhe a Jesus Cristo. Assim, foram salvos o carcereiro e sua
família. Saindo da prisão, vão para a casa de Lídia, confortam os
irmãos e partem para Tessalônica9.
Chegando em Tessalônica, por três sábados, ensinou aos judeus
as Escrituras. Muitos creram e isso provocou inveja em muitos deles.
Paulo foi acusado de alvoroçar o mundo e, consequentemente, a

7
Província romana que se estendia desde o mar Egeu ao Adriático, tendo a Ilíria ao
noroeste e a Acaia ao sul. Foi o primeiro país que recebeu o Evangelho, estando
intimamente relacionado com o ministério de Paulo. (Cf. DBU )
8
Cidade da Macedônia, cujo nome se deriva de Felipe, rei da Macedônia, e pai de
Alexandre Magno, que a reedificou e embelezou, cerca do ano 350 a.C. Hoje é, apenas,
ruínas. Seu antigo porto de Neápolis, hoje, é conhecido como Kavalla. (Cf. DBU)
9
Cidade da Macedônica. É ainda uma florescente cidade comercial: Salônica. (Cf.
DBU)
...44 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

cidade. Vendo que a perseguição continuava ferenha, foram para


Bereia10. Chegando lá foram, também, para a sinagoga dos judeus.
Neste lugar, os judeus receberam bem a Palavra e procuravam
examinar as Escrituras. Dessa forma, muitos creram. Entretanto, a
perseguição continua, pois os judeus de Tessalônica, ouvindo os
acontecimentos em Bereia, se encaminham para lá. Sabendo disso,
os irmãos enviaram Paulo para o mar e de lá para Atenas11. Silas e
Timóteo permaneceram em Bereia.
Em Atenas, Paulo faz um longo discurso no Areópago12. O
discurso pode ser intitulado Ao Deus desconhecido. Alguns dos que
o ouviram creram na sua pregação, dentre os quais Dionísio, o
areopagita13, e sua esposa Damaris.
Saindo de Atenas, Paulo dirige-se para Corinto14, onde se junta
a Áquila e à Priscila. Nesta cidade, trabalhava fazendo tendas e
ensinava na sinagoga. Os judeus rejeitaram o evangelho e a partir
de então parte para ensinar os gentios. Nesta cidade, Deus disse a
Paulo, em visão, não temas, mas fala e não te cales; porque sou

10
Cidade da baixa Macedônia, conhecida, hoje, como Verria ou Kara Verria. (Cf. DBU)
11
Afamada cidade grega. Grande centro cultural do Império Romano: dava ênfase às
artes, à poesia e à filosofia. Grande centro de idolatria. (Cf. DBU )
12
Tribunal ateniense, assembleia de magistrados, sábios, literatos etc.(Cf. Novo
Dicionário Aurélio)
13
Membro do areópago.
14
Famosa cidade grega. Grande centro comercial internacional e maior centro de
imoralidade do Império Romano. Hoje é uma simples vila, situada no antigo sítio e tem
o mesmo nome.(Cf. DBU )
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...45

contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, pois tenho


muito povo nesta cidade. Assim, Paulo ficou em Corinto um ano e
seis meses, ensinando a Palavra de Deus. Foi levado ao tribunal,
acusado de ensinar aos homens lições contrárias à Lei de Deus. Mas,
não tendo achado nele agravo algum, foi solto. Ficou ali por mais
alguns dias e navegou para Síria e depois para Éfeso, lugar onde
não quis ficar, apesar da insistência de alguns judeus. Partindo dali
foi para Cesareia, depois para Jerusalém, onde saudou os irmãos, e
dirigiu-se para Antioquia, encerrando sua segunda viagem missionária
que pode ser assim sintetizada: Antioquia da Síria Derbe
Listra Icônio Antioquia da Pisídia Trôade Neápolis
Filipos Tessalônica Bereia Atenas Corinto Éfeso
Cesareia Jerusalém Antioquia da Síria.
...46 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

Segunda viagem missionária de Paulo.

DÔNIA TO
PON
TRÁCIA A E
Neápolis
ÍNI CAPADÓCIA
BIT

ÁSIA GALÁCIA
Pérgamo FRÍGIA
Tiatira PISÍDIA
Sardes Antioquia de Pi´sidia
Esmirna Filadélfia Icônio
Éfeso Laodicéia Listra CILÍCIA
Colossos P Derbe Tarso
Cnido AN
PATMOS Perge FÍL
Patára IA Selêucia Antioquia
Mirra

Rota proposta de 3.
Bons Portos Fenice
RODES 4.
Fenice
4. E
IPR
CH
CRETA Salmão
(D) Paulo e seus compa-
nheiros de viagem embar-
Lásea cam em um navio que se

Bons
dirigia à Itália At 27:5-6 (C) Em Sidom, seus amigos
dão-lhe as boas-vindas
2. Tiro

Portos At 27:3 Sidom

1.
Cesaréia
(B) Em Cesaréia, Paulo pe-
rante Félix e Drusila At Jerusalém
24:24

(A) Em Jerusalém, Paulo


fala à multidão At 21:40

EGITO

Na realidade, o início da terceira viagem de Paulo está


registrado no final do capítulo 18, a partir do versículo 23. Estando,
por algum tempo, em Antioquia, partiu passando pela Galácia e Frígia,
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...47

novamente, confirmando o ânimo dos irmãos. De fato, o intuito inicial


desta viagem é fortalecer os irmãos que já haviam aceitado a Cristo
como salvador.
Depois que passou pelas igrejas da Galácia e Frígia, dirigiu-se
a Éfeso, cidade que havia alcançado na sua segunda viagem, mas
não achara conveniente, ali permanecer. Em Éfeso, havia chegado
um varão valoroso, conhecedor das Escrituras Sagradas, era de fato
instruído no caminho do Senhor, fervoroso de espírito falava e
ensinava diligentemente (v.25), entretanto só conhecia o batismo de
João. Priscila e Áquila ouvindo, o levaram consigo e lhe ensinaram,
de maneira mais pontual, o Caminho do Senhor.
Em Éfeso, Paulo ficou por um período de três anos e todos
que havia na Ásia ouviram a Palavra de Deus. Os principais
acontecimentos ali foram os seguintes: Paulo, tendo conhecimento
de que os irmãos não eram batizados com o Espírito Santo, lhes
impôs as mãos e estes começaram a falar em línguas estranhas e a
profetizar. Na Sinagoga, ensinou durante três meses. Depois disso,
passou a ensinar, por dois anos, na escola de um certo Tirano (v.9).
Deus operava maravilhas, através da vida de Paulo. O povo passou
a ter temor de Deus e o nome de Jesus era exaltado. Também, os
que eram adeptos de artes mágicas se entregavam a Jesus e
queimavam os livros de magia. A Bíblia diz que a Palavra do Senhor
crescia poderosamente e prevalecia (19.20).
Outro acontecimento em Éfeso digno de destaque, foi o
alvoroço causado por Paulo por causa da deusa Diana. Ela era
cultuada na cidade e dava lucro aos artífices. Como Paulo falara que
não existiam deuses feitos por mãos de homens, corria o risco desta
...48 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

profissão cair em descrédito. Assim, toda a cidade encheu-se de uma


grande confusão.
Cessando o alvoroço, Paulo despediu-se dos discípulos e partiu
para Macedônia depois para Grécia e Ásia para, mais uma vez,
confirmar os ânimos dos irmãos.
Chegando em Mileto, mandou que alguns chamassem os
anciãos que estavam em Éfeso. Quando chegaram, o apóstolo
demonstrou todo o cuidado com que tinha estado com eles, mas
agora estava indo para Jerusalém e não sabia o que poderia lhe
acontecer, mas tinha convicção de que sofreria prisões e tribulações
(20.23). Declarou que nada para ele, a não ser o seu ministério,
tinha valor. Paulo demonstra certo pesar e tristeza durante seu discurso
porque sabia que na ausência dele entraria, no meio do povo de
Deus, lobos cruéis que destruiriam o rebanho.
Poderíamos esquematizar essa terceira viagem de Paulo da
seguinte forma:

Saiu de Antioquia Galácia e Frígia Éfeso (batismo com o


Espírito Santo; ensino na Sinagoga, ensino na escola de Tirano;
queima de livros de magia) Macedônia Grécia (3 meses,
ciladas) volta pela Macedônia (Filipos) Trôade (Êutico)
Assôs 15 Mililene Onios 16 Samos 17 Tragílio
Mileto (discurso aos anciãos da igreja)

15
Cidade e porto da província da Ásia. Ainda existem ruínas. (Cf. DBU )
16
Hoje é conhecida como Scio (ilha). (Cf. DBU)
17
Ilha no sul de Éfeso. (Cf. DBU)
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...49

Saindo de Mileto passaram18 por Cós19, onde permaneceram


durante a noite, Rodes, Pátara20, Chipre, Síria, Tiro, neste lugar,
ficaram por sete dias; Ptlemaida, Cesareia21. Aqui foram à casa de
Filipe, um evangelista. Ficaram ali por muitos dias, e, depois, veio
da Judeia um profeta por nome Ágabo. O Espírito Santo assim falou
com Paulo: o varão de quem é esta cinta será entregue nas mãos dos
gentios (21.11). Os irmãos, tendo ouvido isso, rogaram a Paulo que
não fosse a Jerusalém; entretanto ele dá uma grande demonstração
do seu compromisso com Deus dizendo que fazeis vós, chorando e
magoando-me o coração? Porque eu estou pronto não só a ser ligado,
mas ainda a morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus
(21.13).
De Cesareia, se dirigiram para Jerusalém. Chegando lá foram
para casa de Tiago. Depois, entrou, no dia seguinte no templo e ali
ficou durante sete dias, consagrando a sua vida. Ao final destes dias,
o povo se alvoroçou; lançou mão de Paulo e acusou-o de ensinar
contra a lei de Moisés e de profanar o templo. Tendo sido arrastado
para fora do templo, fora conduzido ao tribuno e, posteriormente,
preso. Nessa situação, o povo pedia que matassem-no. Em meio a
todas essas dificuldades, Paulo pede ao tribuno que o deixe falar ao
povo.

18
A partir de Atos 16.10, os pronomes estão na 1ª pessoa do plural. Lucas se ajuntou a
Paulo em Trôade e foi com ele a Macedônia e Filipos. Depois, mais tarde, junta-se a ele,
novamente, acompanha-o a Jerusalém e, posteriormente, a Roma. (Cf. DBU)
19
Hoje chama-se Stâncio, uma pequena ilha. (Cf. DBU )
20
Lugar em ruínas. (Cf. DBU )
21
Edificada por Herodes, metrópole romana da Judeia, hoje conhecida como aisanith.
(Cf. DBU )
...50 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

No discurso de Paulo, ele apresenta-se como varão judeu,


criado aos pés de Gamaliel e instruído conforme a Verdade da Lei
de nossos pais, zeloso para com Deus. Depois disso, começa a expor
sua trajetória: perseguição aos cristãos, encontro com Jesus no
caminho de Damasco; encontro com Ananias; chamada para pregar
para os gentios. No meio de sua exposição, o povo se perturbou e
disse que não convinha que tal homem existisse. O tribuno ordenou
que o levassem à fortaleza e que o açoitassem, entretanto soube que
era romano e, por isso, impedia que fosse açoitado.
No dia seguinte, fora conduzido aos principais sacerdotes e
todo o seu conselho. Paulo, tranquilamente, afirmou que, até aquele
dia, sempre andara com uma boa consciência, diante de Deus. Houve
grandes dissensões e o tribuno ordenou que levassem Paulo,
novamente, para a fortaleza.
A observação da vida de Paulo leva-nos a constatar que a
obra missionária é marcada por grandes dificuldades, mas, Deus
nunca desampara àqueles que foram separados para a obra. Nos
momentos mais difíceis, de maiores angústias, Deus mostra um seguro
caminho no meio da tormenta. Na noite seguinte, depois da
apresentação de Paulo ao sinédrio, Deus apresentou-se a ele dizendo
Paulo tem ânimo! Porque, como de mim testificasse em Jerusalém,
assim importa que testifiques também em Roma (23.11).
Paulo, nesta hora, teve a direção de Deus e, para ele, era isso
que importava. Aparentemente, estava vivendo como um derrotado:
estava preso. Entretanto, no caminho de Deus, a vitória nem sempre
faz parte dos seus propósitos e, na maioria das vezes, para Deus, é a
derrota que conduz à vitória. Por isso Paulo disse ó profundidade
das riquezas, tanto da sabedoria, quanto da ciência de Deus! Quão
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...51

insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!


(Rm 11.33).
Paulo, se antes já tinha convicção de sua chamada e disposição
para, até mesmo, morrer para que o nome do Senhor Jesus Cristo
fosse exaltado, agora está, mais do que nunca, tranquilo, pois Deus
aquietara seu coração: o lugar onde estava era o centro da vontade
Dele.
Depois disso, os judeus conspiraram contra Paulo e juraram a
nada comer, antes de vê-lo morto. Entretanto, o sobrinho dele, tendo
ouvido essas coisas, levou-as ao seu conhecimento. Este o orienta a
tudo informar ao tribuno. Deus, cuidando dos seus servos, quebranta
qualquer coração; assim o tribuno ordena que apronte duzentos
soldados e setenta de cavalo para conduzirem Paulo a Cesareia, à
presença do governador Félix. Juntamente com Paulo e os soldados,
enviou uma carta para Félix, informando-o porque estava enviando-
lhe aquele homem. Chegando a Cesareia, fora apresentado ao
governador e, posteriormente, fora guardado no pretório de Herodes.
A partir do capítulo 24, perceberemos como Deus, através de
um homem, disposto a pagar o preço para fazer a Sua vontade,
alcança as maiores autoridades do Império Romano.
Cinco dias após a prisão de Paulo, fora levado ao Sinédrio e
apresentado diante do Conselho. Diante das acusações de Tértulo22,
feitas à sua pessoa como sendo promotor de sedições; defensor da
seita dos nazarenos; profanador do templo de Deus; defende-se e

22
Um orador que o Sumo Sacerdote e o Sinédrio tomaram a seu serviço, para acusar o
apóstolo Paulo em Cesareia diante do procurador romano, Antônio Félix (Cf. DBU).
...52 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

diz que serve a Deus com uma boa consciência e crê no que está
escrito nos Profetas. Portanto, estava sendo julgado por crer na
ressurreição dos mortos. O governador Félix23, não vendo em Paulo
motivos para prisão disse que esperaria pelo tribuno Lísias para
melhor resolver esta questão. Assim, Paulo volta para a prisão. Alguns
dias depois, volta a falar da fé em Cristo para Félix e sua esposa.
Dois anos depois, Félix é sucedido por Pórcio Festo, mas, como tinha
desejo de agradar aos judeus, deixara Paulo preso.
Festo, chegando a Cesareia, manda chamar Paulo. Os judeus,
novamente, acusam-no gravemente e ele volta a repetir que em nada
desrespeitou a lei dos judeus e apela para César24. Dessa forma, Deus
cumpre Seu propósito de levar Paulo a Roma. Passados alguns dias,
o rei Agripa e Berenice estiveram em Cesareia; ouvindo Festo falar
de Paulo, quiseram, também, ouvi-lo. Diante de Agripa, Paulo faz
um relato de toda sua trajetória na obra de Deus, inclusive de seu
encontro com o Senhor Jesus. Ouvindo-o, o rei Agripa não teve
outra impressão senão a de que Paulo enlouquecera. Assim diz ele:
Estás louco, Paulo! As muitas letras te fazem delirar! Ao que Paulo
respondeu: Não deliro, ó potentíssimo Festo! Antes, digo palavras de
verdade e de um são juízo. Depois de terem ouvido Paulo, tiveram a
clara convicção de que nele não havia crime algum digno de morte
ou de prisão. Mas, como havia apelado para César, fora enviado a
Roma.

23
Governador da Judeia no tempo do apóstolo, desde o ano 52 a 58 (Cf. DBU)
24
É o imperador de Roma. Os judeus pagavam-lhe tributo e tinham o direito de para ele
apelar, se eram cidadãos romanos (Cf. DBU).
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...53

Na viagem, estavam presentes Aristarco, Lucas e Paulo. Este


fora entregue ao centurião Júlio. Um dia após o início da viagem,
chegaram a Sidom, onde Paulo visitou alguns amigos. Saindo de lá,
quando chegaram em Bons Portos, Paulo advertira acerca do mau
tempo. Mas, o centurião não deu atenção ao que ele dissera e
prosseguiram a viagem. Permaneceram no mar por catorze dias, pois
o forte vento fez com que a embarcação perdesse a direção. Quando
já estavam todos sobressaltados e sem esperança de salvação, Paulo
tranquiliza-os, dizendo que Deus não deixaria ninguém se perder.
Tendo alcançado a terra a nado, souberam que estavam em uma
ilha, chamada Malta, onde permaneceram por três meses. Deus fez
maravilhas neste lugar. Saindo de lá, se dirigiram a Roma, lugar onde
Paulo pregou e ensinou, preso, em sua própria habitação, por um
período de dois anos.
...54 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

PAULO, viagem a Roma (Atos 23:31 - 28:16)

(L) Em Roma, Paulo e seu


guarda visitam o Foro de
Júlio César At 28:16

DA
LM
ÁC
IA
A

M
SEG

ÍS
Roma as I A
CÓ R

nd
s Ve
Trê
MACE
IT
8.
ÁL
A

Praça
I A
H

de Ápio Filipos
DEN

Putéoli
Tessalônica
SAR

Beréia
7.
(I) Em Putéoli, seus amigos
dão-lhe as boas-vindas
At 28:13-14

ACAIA
At
en
as
SILÍCIA Régio
Sira

to
cu s

ri n
a
Cartago

Co
6. (H) Em Siracusa, o navio
faz escala At 28:12
A
LT
MA
(G) Em Malta, o pai de Públio
é curado At 28:8
Nem Sol, nem estrelas
At 27:20

5.
TEMPESTADE A rota
exata do navio
(F) Em Malta, o naufrágio é é desconhecida
At 27:18-44
(E) O navio é agitado por
uma tempestade At 27:13-20 Pé-de-vento chamado
euro-aquilão
At 27:14

CIRENE

Deus cumprira a Sua vontade na vida de Paulo. Entretanto,


percebe-se que o caminho de Deus, aos olhos humanos, não é o
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...55

mais fácil. Paulo chegara a Roma. Mas chegara algemado, passara


por tempestades, naufrágios e várias outras provações. Apesar de
sua fidelidade e amor à obra de Deus, não se livrara das dificuldades.
Este deve ser o caminho seguido pelos missionários que hoje
pretendem pregar o evangelho aos confins da terra. Este deve ser o
entendimento. A vida de missionário não é marcada por
comodidades, regalias, mas por privações.
A história da igreja primitiva, escrita por Lucas, se encerra
com Paulo preso em Roma. O que ocorreu depois disso foi relatado
por historiadores. Ao que tudo indica, durante os dois anos que Paulo
estivera na prisão escrevera as epístolas aos Efésios, Filipenses,
Colossenses e a Filemom. Aproximadamente em 63 d.C. fora solto e
continuara seu trabalho na obra missionária e, provavelmente, chegou
à Espanha, conforme planejara (Rm 15.28). Foi neste período que
escreveu I Timóteo e Tito. Depois, foi, novamente, preso, por volta
de 67 d. C. e transportado, outra vez, a Roma. Durante sua segunda
prisão, bem próximo à sua morte, escreveu II Timóteo. Só saiu de lá
para ser decapitado, sofrendo martírio, durante o reinado de Nero25.
O livro de Atos não tem uma finalização, conforme qualquer
livro. Não foi possível a Lucas finalizá-lo porque a história da igreja
ainda não se findou. Deus continua operando no mundo, através
dela. O que Lucas fez foi deixar claro os padrões de Deus para Sua
obra. Toda igreja, que tem a pretensão de ser instrumento de Deus
na obra missionária, que, aliás, é esta a essência da obra de Deus,

25
Imperador romano, famoso por suas crueldades.
...56 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

deve seguir o modelo delimitado e esclarecido por Ele neste livro. As


estratégias de evangelização, hoje, devem ser as mesmas estratégias
explicitadas em Atos. O caráter e a disposição dos missionários,
também, devem ser os mesmos. Nos tempos de Paulo não existiam
escolas para preparar missionários. Era o próprio Deus que os
preparava. Era o próprio Deus que os separava. Era o próprio Deus
que os sustentava.
E agora? Vimos anteriormente o itinerário de Paulo. E o nosso?
Qual será? Talvez um pouco de conhecimento acerca da realidade
da obra missionária na atualidade nos ajudará a tomar uma posição
mais definida. Seguem abaixo algumas informações que, por certo,
nos fará entender a urgência do campo missionário bem como
entender o quanto é verdadeira a afirmação de Jesus de que grande
é a seara, mas poucos o ceifeiros.

......................................................ATIVIDADES DE APOIO

01. Jesus Cristo veio ao mundo por três razões. Cite-as e dê


exemplos.

02. “Muitos foram os homens usados por Deus, mas, parece-nos


que, com a disposição e a ousadia de Paulo foram poucos...”.
Resumidamente, fale sobre a vida de Paulo, citando suas
características principais como servo de Deus.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...57

03. Associe os fatos relacionados abaixo às viagens missionárias do


apóstolo Paulo.

(1) primeira viagem


(2) segunda viagem
(3) terceira viagem de Paulo a Roma

( ) Paulo, tendo conhecimento de que os irmãos não eram


batizados com o Espírito Santo, lhes impôs as mãos e
estes começaram a falar em línguas estranhas e a
profetizar.
( ) Houve entre Paulo e Barnabé uma contenda por causa
de Marcos.
( ) Na ilha de Pafos, encontraram um falso profeta, Barjesus,
que impedia um procônsul, Sérgio Paulo, de receber o
evangelho.
( ) Paulo e Silas foram presos, mas o Senhor visitou-os,
abrindo-lhes as portas da prisão.
( ) Permaneceram no barco por catorze dias, pois o forte
vento fez com que a embarcação perdesse a direção.
( ) Num discurso, Paulo apresenta-se como varão judeu,
criado aos pés de Gamaliel e instruído conforme a
Verdade da Lei de nossos pais, zeloso para com Deus.
...58 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...59

CAPÍTULO IV
..............................................................................

O DESAFIO DA EVANGELIZAÇÃO MUNDIAL 26

· 3.915 povos não alcançados

· 4.218 linguas sem, pelo menos, um vs. da bíblia

· 2.981 missionários estrangeiros no brasil

· 1.912 missionários enviados do brasil para o mundo

· temos, aproximadamente, 36.000 missionários no mundo


(precisariamos de pelo menos 4.000.000)

· há 2.0 bilhões de pessoas que vivem na janela 10/40 que


nunca ouviram falar do evangelho.

26
Essas informações acerca da obra missionária foram cedidas por Alexandro
Alves dos Santos.
...60 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

· na janela de 10/40 há cerca de 62 países – grandes


conturbaçoes (tóquio, calcutá, bagdá, bangkoc) – de cada 10
pobres no mundo, oito são dessa região – onde estão a maioria
dos adeptos do islamismo, hinduismo e budismo. existem
nessa região apenas 8% dos missionários do mundo. nela
estao as maiores fortalezas de satanás (enfermidade, miséria,
vítimas de guerra e escravidão.

· população atual: 6,1 bilhoes, em 2015 estima-se 7,2 bilhões


de habitantes no mundo.

· a cada hora 10.700 crianças nascem e morrem sem escutar o


evangelho nos países da janela 10/40.

· 9 em cada 10 países mais pobres do mundo estão na áfrica e


8 desses fazem parte do mundo menos evangelizado.

· a média da expectativa de vida na áfrica é de 33 anos em


decorrência da aids.

· aids: 38 milhões de infectados no mundo. somente na índia


são 5 milhões de infectados.

· desde o início da pandemia mais de 16 milhões de pessoas


morrem em todo mundo, 13,7 milhões só na áfrica
subsaariana (unaids).
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...61

ALCANÇANDO A ÁFRICA

1. O Continente Africano

A África é um continente diversificado formado por muitos


países que apresentam tremendos desafios e necessidades. Entre os
sete continentes mundiais, a África é o segundo maior em área
territorial e o terceiro em população. Tem 55 países independentes,
o maior deserto do mundo (o Saara, que é aproximadamente do
mesmo tamanho que os Estados Unidos), e o rio mais extenso (o
Nilo, que possui mais de 6.400 km de comprimento). O Sudão ocupa
a maior área. E o menor país é as Ilhas Seychelles. A Nigéria tem a
maior população. No tempo colonial, a África foi denominada O
Continente Escuro, mas hoje está se tornando iluminada no mundo
com o crescimento explosivo da igreja com milhares de decisões por
Cristo. A Igreja Cristã na África está crescendo rapidamente por causa
da soberana mão de Deus e da fé vibrante que está brilhando através
das vidas dos cristãos africanos, frequentemente em situações
desesperadoras.

2. Crescimento da População

A população africana mesmo enfrentando anos de árduos


sofrimentos, guerras étnicas, e tendo uma média de expectativa de
vida em torno dos 48 anos, continua crescendo rapidamente. Mais
de 20 cidades possuem população acima de um milhão de pessoas
(Cairo, a maior cidade da África, tem mais de 7 milhões de habitantes),
apesar da maioria das pessoas viverem na área rural. O Quênia tem
...62 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

o maior crescimento populacional, enquanto a Nigéria tem a maior


densidade demográfica. O Saara Ocidental tem a menor densidade
demográfica. Muitos fatores podem reduzir o rápido crescimento da
população, incluindo a AIDS, a fome, as drogas, as doenças, as
guerras étnicas, a má distribuição de recursos e os desastres naturais,
econômicos e políticos. Embora o crescimento populacional seja o
maior do mundo, existem ainda muitas questões críticas para serem
resolvidas, que incluem a distribuição de recursos, a alfabetização e
educação, o discipulado e treinamento de liderança, o
desenvolvimento comunitário e a implantação de igrejas.

3. Crianças ao redor do mundo

A Bíblia diz que as crianças são herança do Senhor e abençoado


é o homem cuja aljava está cheia delas (Sl. 127:3-5). Mas uma em
cada três crianças no mundo em desenvolvimento (especialmente
na África), precisa abandonar a escola aos 10 anos para ajudar no
sustento de sua família. Há uma necessidade muito grande de prover
ensino para as crianças do mundo e servir e ajudar essas crianças e
suas famílias. Ore pelas crianças ao redor do mundo, especialmente
as milhões de crianças da África. O Quênia tem a maior população
do mundo, com idade abaixo dos 15 anos. Mt. 19:13-15

4. Concentração de muçulmanos e cristãos

A África é uma das últimas fronteiras onde há conflito entre as


maiores religiões do mundo. Através dos séculos, o Islamismo se
expandiu do Oriente Médio até o Norte da África. Os muçulmanos
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...63

representam 26.7% da população da África, crescendo uma média


de 4.5% ao ano (principalmente pelo fato de possuírem famílias
grandes). Ore para que Deus possa abrir os olhos dos muçulmanos
e levantar uma grande colheita de cristãos maduros, dispostos a serem
instrumentos do grande amor de Cristo aos seus vizinhos
muçulmanos. Os cristãos representam 57.3% da população africana
(protestantes estão crescendo a uma média de 6% ao ano e os
católicos romanos numa média de 3.4%).

5. Crescimento evangélico na África

Os cristãos ao redor do mundo estão reconhecendo a vitalidade


do cristianismo africano e louvando a Deus pelo que Ele está fazendo
nesse continente. Durante os últimos 30 anos, a maior parte da
África tem experimentado um grande crescimento evangélico, embora
seja necessários missionários que discipulem os novos convertidos,
pois é comum o cristianismo se misturar com práticas satânicas
desenvolvidas nesse continente, o que é inaceitável por Deus. Mais
da metade da população africana ao sul do Saara afirma ser cristã.
Essa é a primeira vez na História que um continente se volta para
Cristo dessa maneira. Em 1900 havia apenas 8 milhões de cristãos
africanos (2.5% de protestantes). Em 1990, esse número já cresceu
para 275 milhões e 57.3% da população. A exceção é o Norte da
África onde o crescimento do cristianismo é mínimo devido à opressão
governamental e perseguição islâmica. O crescimento evangélico
mais rápido acontece hoje na Nigéria. Muitas igrejas e agências
africanas estão enviando missionários para fora de seus próprios
países a fim de alcançar pessoas para Cristo.
...64 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

6. Missionários por População

Embora a igreja africana esteja crescendo de forma significativa,


há muito trabalho a ser feito, e ainda há a necessidade de mais
missionários que possam trabalhar em verdadeira parceria com as
igrejas locais. Alguns missionários estão sendo convidados para
ajudar no treinamento de liderança, outros estão indo a países onde
há povos não alcançados que nunca ouviram falar de Cristo, o
Salvador do mundo. A população evangélica de países como Ilhas
Comoros, Dibuti, Níger, Senegal, Somália, Guiné Equatorial, Gâmbia,
Guiné e Guiné Bissau é de menos de um por cento. Etiópia, Egito,
Argélia, Nigéria e Marrocos são países com alta população e grande
necessidade de evangelização, seja por missionários de além-mar ou
mesmo de países africanos. Mt. 28:18-20

7. Cidades Portais da África

As cidades são os imãs da sociedade, atraindo todos os tipos


de pessoas. Cada cidade é um centro estratégico econômico, político,
social e espiritual de seu respectivo país ou província. Mas as cidades
podem, também, ser lugares de solidão, de dor e de escuridão
espiritual. Como parte de um enfoque estratégico de oração, 100
cidades, na região chamada Janela 10x40, foram selecionadas por
uma associação global chamada AD2000. 20 dessas cidades-chaves
estão no Norte da África. Unindo crentes em torno de um alvo
comum de oração é um elemento central para alcançar as cidades
para Cristo. Ore por essas cidades africanas. Cada uma é um portão
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...65

através do qual as boas novas podem se expandir para toda a região


ou país.

8. A falta de literatura na África

Os livros têm se tornado tão caros na África que as igrejas e


escolas, frequentemente, não possuem a literatura que precisam. Os
líderes das igrejas não têm condições de comprar livros. A falta de
livros é tão séria que tem sido chamada de a fome de livros. Essa
fome está afetando cada seminário e instituto bíblico da África e
prejudicando a liderança espiritual desse grande continente. Leia II
Tm. 2:15 (...que maneja bem a palavra da verdade).

9. Situação da Tradução da Bíblia

A língua une ou divide pessoas. Com mais de 3000 povos


etnolinguísticos e 1995 línguas, a África é o último grande desafio
para a tradução da Bíblia. Um grupo étnico ou um segmento da
população não é considerado evangelizado se não possuir as
Escrituras em uma língua compreensível. Um povo sem Bíblia em
seu próprio idioma (língua materna), é presa fácil de falsas doutrinas.
Deus amou o mundo (cada nação, tribo, povo e língua) de tal maneira
que deu Seu Filho unigênito e Sua Palavra. (Hb. 4:12 e II Tm. 3:16-
17)
...66 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

10. O Povo Sicito da África

O Evangelho não tem se espalhado de maneira uniforme na


África. Alguns povos etnolinguísticos, como os sicitos de Burkina
Faso, quase não possuem conhecimento do amor de Deus e de Sua
graça salvadora. Escolhemos como exemplo, o povo sicito, um dos
povos estratégicos não alcançados da África. Ore para que Deus
quebre as fortalezas demoníacas e abra os olhos do povo sicito para
enxergar a glória de Cristo. Você estaria disposto a orar por esse
povo? Ser enviado a esse povo? Ou enviar alguém a esse povo, no
poder do Espírito Santo? Leia II Pe. 3:9.
Essas informações trazem à nossa mente uma parca
demonstração da situação de uma parte dos povos da terra; porém,
somente o Espírito Santo de Deus pode nos impulsionar para que
assumamos uma responsabilidade diante de Deus de colaborar para
o evangelho alcance todos os povos da terra. Só assim estaremos
sendo obedientes ao mandado de Jesus: Ide por todo o mundo e
pregai o evangelho a toda criatura Mc 16.15.

......................................................ATIVIDADES DE APOIO
01. Consulte os dados sobre a evangelização mundial e complete as
lacunas.

a) __________ missionários enviados do Brasil para o mundo.


Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...67

b) __________ de pessoas vivem na janela 10/40 que nunca


ouviram falar do evangelho.
c) Na janela 10/40 há cerca de __________ países.
d) __________ povos não-alcançados.
e) A média de expectativa de vida na África é de __________
anos, em decorrência da __________.

02. Sobre a África, responda:

a) Qual a situação atual da igreja cristã na África?


b) Muitos fatores podem reduzir o rápido crescimento da
população. Quais são eles?
c) Qual é a expectativa de vida dos africanos?
d) Qual é a situação atual das crianças no mundo?
...68 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...69

.....................ATIVIDADES DE APROFUNDAMENTO

01. “No batismo foi revelada a finalidade com que Ele deu a Si
mesmo por nós”. Comente sobre a finalidade do batismo de
Jesus Cristo.

02. “O propósito missionário mundial de Deus está incluído na


ordenança do batismo”. Explique essa assertiva.

03. Resumidamente, comente sobre a base bíblica de missões, a


partir da:

a) tentação
b) crucificação
c) ressurreição

04. Comente a seguinte afirmativa e dê exemplos: “Jesus Cristo foi


um missionário diligente”.

05. “Escrever sobre Paulo significa escrever sobre um homem que


ultrapassou todos os limites humanos...” Fale sobre a comunhão
do apóstolo com Deus.
...70 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

06. Apresente os acontecimentos mais marcantes das viagens


missionárias de Paulo.

07. “O livro de atos não tem uma finalização conforme qualquer


livro”. Explique.

08. Sobre a África, comente:

a) O Continente Africano
b) Crescimento da população
c) Concentração de muçulmanos e cristãos
d) Crescimento evangélico
e) Missionários por população
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...71

BIBLIOGRAFIA
............................................................................

Bíblia Pentecostal. RJ: CPAD, 1997.

Bíblia Thompson. SP: Vida, 1998.

CHAMPLIN, R. Norman. Novo Testamento interpretado


versículo por versículo. SP: Candeia, 1995.

PFEIFFER, C. F. e HARRISON, E. F.Comentário Bíblico Moody. SP:


Imprensa bíblica regular, 1984.

SHEDD, R. P. Novo Comentário da Bíblia. SP: Vida Nova, 1987.


...72 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...73

..................................................SUGESTÕES DE LEITURA

“ATÉ OS CONFINS DA TERRA” - Uma história


biográfica das missões cristãs. Ed. Vida Nova

JOHN POLLOCK. O APÓSTOLO. Ed. Vida

JONAS PASCOAL YIU. ANJO SEM ASAS. CPAD.


...80 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

01. Sobre a bíblica de missões, a partir do nascimento e batismo de


Jesus Cristo, marque com “C” (correto) ou “E” (errado) as
alternativas abaixo:

( ) Quando nasceu Jesus Cristo, Deus Se encarnou.


( ) A redenção e a vida salva são, definitivamente. (sem
sentido)
( ) Na encarnação, Deus tomou a iniciativa para salvar o
homem.
( ) Apenas alguns sacrifícios que o Filho de Deus fez para
Se tornar o Cristo e Salvador, são retratados no batismo.

02. Ainda sobre a base bíblica de missões, a partir do nascimento e


batismo de Jesus Cristo, marque com “C” (correto) ou “E”
(errado):

( ) A encarnação nos instrui quanto à qualidade de


carregadores da cruz que devemos ser, mas não nos
instrui quanto à maneira de vida que devemos ter, junto
daqueles a quem somos enviados.
( ) Toda a agonia do Calvário é antecipada no batismo.
( ) O batismo é apenas uma retratação do sepultamento
do velho homem.
( ) Na encarnação, o tipo de compromisso e de serviço
cristão é demonstrado ao missionário.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...81

03. Quanto à base bíblica de missões, a partir da tentação de Jesus


Cristo, marque com “C” (correto) ou “E” (errado):

( ) Tornar-se filho de Deus, ir ao lugar por Ele designado e


ocupar-se no trabalho dEle trazem a isenção automática
na presença do diabo e das suas vis tentações.
( ) O fato da tentação de Jesus Cristo declara que decisões
em favor da obediência são completas, decisões feitas
sob lindos momentos de inspiração tornam,
necessariamente, automática a obediência posterior.
( ) O Senhor Jesus Cristo enfrentou todas as tentações
conforme os grandes princípios de sacrifício, de negação
própria, todas fizeram parte de Suas experiências de
encarnação.
( ) A obediência para com Deus, geralmente, nos coloca
bem no meio de todas as hostes tirânicas de Satanás e
dos seus demônios.

04. Quanto à base bíblica de missões, a partir da crucificação,


marque com “C” (correto) ou “E” (errado):

( ) O Calvário declara que todos os compromissos de Deus


vão até a execução do último.
( ) A obediência para com Deus é simbólica, não é real.
( ) Em nosso batismo manifestamos que havíamos morrido
para nós mesmos e esperávamos viver assim diariamente
pela glória dEle.
...82 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

( ) A obediência é sempre involuntária, sempre forçada ou


obrigada, sempre automática.

05. Sobre a base bíblica de missões, a partir da ressurreição de Jesus


Cristo, marque com “C” (correto) ou “E” (errado):

( ) A cruz significa morte, agora; a ressurreição é vida, agora.


( ) A cruz é imaginária, não é real.
( ) A cruz é um caminho, não apenas uma palavra.
( ) Não há ressurreição sem morte.

06. Nosso Salvador fez a maior e mais sacrifical de todas as jornadas


missionárias – dos Céus à Terra. Sobre esse assunto, marque
com “C” (correto) ou “E” (errado) as alternativas:

( ) Jesus Cristo veio ao mundo para inaugurar a mais


significativa era de todos os tempos – a era cristã.
( ) Jesus Cristo foi um missionário diligente.
( ) Jesus Cristo quase nunca Se preocupava em ajudar os
que necessitavam do Seu auxílio, pois estava sempre
ocupado.
( ) Algumas das obras de Jesus Cristo foram realizadas fora
da Palestina, Fenícia e leste do Jordão. Ali, Ele era um
missionário estrangeiro.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...83

07. Jesus Cristo deseja que cada um dos Seus seguidores tenha um
coração missionário. Sobre o assunto Jesus Cristo e Seus
Seguidores, marque com “C” (correto) ou “E” (errado):

( ) Apenas alguns cristãos podem ter parte nas missões


cristãs.
( ) Alguns cristãos são impelidos a servir ao Salvador na
própria igreja, na comunidade e dentro do seu país;
outros são impelidos a levar Jesus Cristo às terras
estrangeiras.
( ) A vida do apóstolo Paulo não pode ser compreendida
por um homem natural.
( ) Paulo, depois de Jesus, foi o que mais alcançou
conhecimento de Deus e soube viver uma vida à altura
do conhecimento que adquirira.

08. Sobre a primeira viagem missionária de Paulo, marque com


“C” (correto) ou “E” (errado) as alternativas abaixo:

( ) Depois da perseguição à igreja de Jerusalém, Antioquia


tornou-se o novo centro da igreja, e ali, as viagens
missionárias tiveram início.
( ) Em Listra, um homem coxo foi curado, e Paulo e
Barnabé foram considerados deuses, o que lhes
causaram profunda alegria.
...84 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

( ) As atitudes dos missionários, registradas em Atos,


demonstram que quando não tinham condições
adequadas, deixavam de cumprir a vontade de Deus.
( ) As atitudes dos missionários, registradas em Atos,
demonstram que não tinham interesse nem de
enriquecimento, nem de fama; quiseram apenas servir.

09. Ainda sobre a primeira viagem missionária de Paulo, marque


com “C” (correto) ou “E” (errado):

( ) Paulo pregava, os gentios e judeus aceitavam a Palavra,


mas Paulo não tinha a preocupação com a permanência
deles no evangelho.
( ) Em Salamina, Saulo e Barnabé ensinaram nas sinagogas.
( ) Na ilha de Pafos, Paulo e Barnabé encontraram um falso
profeta, Barjesus, que impedia um procônsul, Sérgio
Paulo, de receber o evangelho.
( ) Em Listra, os judeus incrédulos incitaram os gentios e
houve um grande motim para insultarem e apedrejarem
os irmãos.

10. Sobre a segunda viagem missionária de Paulo, marque com


“C” (correto) ou “E” (errado):

( ) Houve entre Marcos e Barnabé uma contenda por causa


de Paulo.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...85

( ) Marcos havia acompanhado Barnabé e Paulo na


primeira viagem, mas havia retornado, abandonando-
os.
( ) As igrejas de Derbe, de Listra e de Icônio, visitadas por
Paulo, cresciam e se fortaleciam tanto em número, quanto
na fé.
( ) Em Filipos, Paulo e Silas foram presos e, na prisão,
lamentaram a sorte ao invés de louvarem e orarem a
Deus.

11. Ainda sobre a segunda viagem missionária de Paulo, marque


com “C” (correto) ou “E” (errado):

( ) Em Tessalônica, Paulo foi acusado de alvoroçar o mundo


e, consequentemente, a cidade.
( ) Em Bereia, os judeus não quiseram receber a Palavra e
examiná-la.
( ) Em Corinto, os judeus rejeitavam o evangelho e, a partir
de então, Paulo passa a ensinar para os gentios.
( ) Em Atenas, Paulo fez um longo discurso no Areópago, o
qual pode ser intitulado Ao Deus Desconhecido.

12. Sobre a terceira viagem missionária de Paulo, marque com “C”


(correto) ou “E” (errado) as seguintes alternativas:
...86 Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento

( ) O intuito inicial desta viagem é fortalecer os irmãos que


já haviam aceitado a Cristo como Salvador.
( ) Depois que passou pelas igrejas da Galácia e Frigia, Paulo
dirigiu-se a Éfeso, cidade que havia alcançado na sua
primeira viagem, e achara conveniente ali permanecer.
( ) Em Éfeso, Paulo ficou por um período de três anos e
todos que havia na Ásia ouviram a Palavra de Deus.
( ) Em Mileto, Paulo causou alvoroço por causa da deusa
Diana, que era cultuada na cidade e dava lucro aos
artífices.

13. Sobre a viagem de Paulo a Roma, marque com “C” (correto)


ou “E” (errado):

( ) Em Jerusalém, Paulo ficou no templo durante sete dias


consagrando a sua vida.
( ) Em Cesareia, o povo lançou mão de Paulo, acusando-o
de ensinar contra a lei de Moisés e de profanar no templo.
( ) No discurso de Paulo, em Jerusalém, ele apresenta-se
como varão judeu, criado aos pés de Gamaliel e instruído
conforme a Verdade da Lei de nossos pais, zeloso para
com Deus.
( ) Em Jerusalém, o tribuno ordenou que levassem Paulo à
fortaleza e que o açoitassem, entretanto, soube que ele
era romano e, por isso, impediu que fosse açoitado.
Bases Bíblicas de Missões no Novo Testamento ...87

14. Ainda sobre o assunto da questão anterior, marque com “C”


(correto) ou “E” (errado):

( ) Os judeus conspiraram contra Paulo e juraram a nada


comer, antes de vê-lo morto.
( ) O tribuno ordenou que Paulo fosse conduzido a
Cesareia, à presença do governador Félix.
( ) No Sinédrio, Paulo é acusado de promotor de sedições,
defensor da seita dos nazarenos, profanador do templo
de Deus.
( ) No Sinédrio, Paulo estava sendo julgado por não crer
na ressurreição dos mortos.

15. Sobre a atuação de Paulo em Roma, marque com “C” (correto)


ou “E” (errado):

( ) A história da igreja primitiva, escrita por Lucas, se inicia


com Paulo preso em Roma.
( ) Paulo saiu de Roma para ser decapitado, sofrendo
martírio, durante o reinado de Nero.
( ) O livro de Atos não tem uma finalização, porque a história
da igreja ainda não se findou.
( ) A trajetória de Paulo demonstra que a vida de missionário
não é marcada por comodidades, regalias, mas por
privações.

Você também pode gostar