Você está na página 1de 26

HISTÓRIA GERAL: IDADE

MÉDIA E IDADE MODERNA

Professor Pedro Rennó


Canal Parabólica
Idade Média
 Período entre os séculos V e XV.
V – XI (Alta Idade Média).
XII – XV (Baixa Idade Média).
 Idade das Trevas: é o período correspondente a Alta Idade Média (V–XI), se
caracterizando pelo colapso do Império Romano do Ocidente, e a crise no
sistema econômico, cultural e político da Europa. Esse conceito é dado pelo
renascimento, como forma de negar o passado e enfatizar a Idade Moderna
como algo novo.
Origens
 A Idade Média surge com o fim do Império Romano do Ocidente, no ano de
476, que entrou em colapso através das Invasões Bárbaras ou Germânicas.
 Influência de valores cristãos, dos antigos romanos e de valores germânicos.

- Colonato: Forma adquirida dos romanos antigos de exploração de grandes


propriedades, que na Idade Média serão os feudos.

- Comitatus: Forma adquirida pelos povos germânicos, ligada a fidelidade


entre guerreiros e a relação de suserania e vassalagem.

 Existem vários outros exemplos da presença de costumes e liturgias romanas e


germânicas na Idade Média, como o cristianismo, o carnaval, as concepções
de família, a organização para as guerras, entre outros.
Diversidade na Idade Média
 A Idade Média não é apenas um período de cultura homogênea, como
defendiam os renascentistas, pois em cada região da Europa, Ásia e África,
haviam costumes e práticas diversas.

- Reinos Africanos, atuando economicamente através da extração de metais


preciosos, sal, entre outros.

- Mundo Árabe e o surgimento do Islamismo, através do profeta Maomé, no


século VII, que após da visita do anjo Gabriel, passou a defender a existência
de apenas um deus (Ala), contrariando as várias tribos politeístas da Península
Arábica, principalmente na cidade de Meca.
 Império Romano do Oriente (Império Bizantino), que durou de sua formação,
de 395 até 1453.

- Capital: Constantinopla (Atual Istambul – Turquia);

- Cesaropapismo: Chefe de Estado é o regulador da sociedade cristã, sendo o


mais famoso, Justiniano, no século VI;

- Idioma: Grego;

- Religião: A religião do Império Bizantino oficalmente foi a Católica, até o


ano de 1051, e após o Grande Cisma do Oriente, se tornou a Ortodoxa,
quando se afastaram do Papa enquanto líder da igreja.
* As igrejas tem diferenças notáveis, como o voto de castidade que é
opcional para os padres ortodoxos, enquanto que para os padres católicos é
obrigatório, a utilização do calendário juliano pelos ortodoxos e o calendário
gregoriano pelos católicos, data de comemoração do natal no dia 7 de janeiro
pelos ortodoxos e 25 de dezembro pelos católicos, entre outras.
 Sacro Império Romano-Germânico
- Formação dos reinos francos (Merovíngio e Carolíngio);

- Força dos prefeitos (mordomos dos castelos) para a proteção da região,


ganhando destaque Carlos Martel, que havia derrotado os árabes muçulmanos na
Batalha de Poitiers, no século VIII
- Pepino, o Breve, filho de Carlos Martel, iniciou a Dinastia Carolíngia,
substituíndo a Dinastia Merovíngia, e na guerra contra os Lombardos, recebeu
apoio do Papa Estevão-II, em troca de reinos como Córsega, Ravena, Sicília e
Sardenha.

- Carlos Magno, filho de Pepino o Breve, foi coroado no ano 800 pelo Papa
Leão-III como imperador do Sacro Império Romano-Germânico, que durou até
1804, quanto teve início as guerras napoleônicas.
Feudalismo
 Modo de Produção baseado na raralização do indivíduo em busca de proteção e a
fidelidade entre vassalos e suseranos.
 A medida de riqueza no feudalismo é a terra, pois é dela que se tira o sustento dos
senhores e o seu domínio sobre os seus servos.
 A sociedade feudal era dividida em estamentos, com pouquíssima possibilidade de
ascenção social.
 Força da Igreja Católica:
- Clero Regular (Alto Clero), ligado a formação e manutenção dos dogmas, mais
presentes nos monastérios e abadias.
- Clero Secular (Baixo Clero), ligado mais ao público, como padres de pequenas
capelas e igrejas.
 A presença do rei era importante como a de um senhor das terras, porém, na
prática, a maior parte das atitudes de manutenção do sistema feudal e a
organização da cavalaria medieval vem dos Senhores Feudais. Destacamos assim
uma política descentralizada.
 Os camponeses, servos e vilões (homens livres que prestavam serviços nos feudos)
compunham a base econômica do sistema.
 A crise dos sistema feudal está atrelada a Baixa Idade Média (XII – XV).

- Cruzadas: No século XI, a ígreja católica promoveu diversas expedições ao


oriente para a reconquista de Jerusalém, que estava sob domínio dos árabes
muçulmanos. Para isso, contou acom a mobilização de reis, senhores e suas
cavalarias e até de servos. Tais fatores levaram ao enfraquecimento do
feudalismo, pois além de muitas mortes, as cruzadas também abriram o
caminho para que muitas pessoas conhecessem novas realidades culturais.

- Renacimento Comercial com o domínio das rotas do Mar Mediterrâneo pelas


cidades-estados italianas como Gênova e Veneza, no século XIII.

- Renascimento Urbano com o surgimento dos burgos, onde viviam os


burgueses, que mantinham uma vida mais livre dos dogmas religiosos e da
servidão feudal.

- Peste Negra: Uma pandemia que causou incontáveis mortes na europa.

- Jacquerrires: Revoltas camponesas na França no século XIV, que reduziu a


força dos Senhores Feudais.
 Domínio Italiano do Mar Mediterrâneo
 Burgo
Idade Moderna
 Período correspondente entre os séculos XV e XVIII.
 Formação dos Estados Nacionais Modernos:

- Os senhores feudais perdem a sua força na Baixa Idade Média, e os reis passam a se aliar a
burguesia comercial crescente;

- Formação de leis;

- Unidade Monetária;

- Unificação de pesos e medidas;

- Unidade Territorial;

- Formação de exércitos profissionais, que enfraqueceram as cavalarias medievais ligadas aos


feudos;

- Utilização de uma língua nacional.

- Os primeiros Estados Nacionais a se formarem foram Portugal, seguindo de Espanha, França


e Inglaterra.
Renascimento Cultural
 Ligado aos costumes do homem moderno, o Renascimento Cultural buscava
resgatar valores da Idade Antiga e se afastar da Idade Média.

- Cidades italianas como Gênova, Florença e Veneza como o berço do


renascimento cultural, devido a posição geográfica e as atividades
comerciais;

- Antropocentrísmo e Humanismo: Identificação da importância do ser


humano como sujeito e centro da História;

- Descobertas científicas, como o Héliocentrismo em oposição ao


Geocentrismo;

- Hedonísmo: Busca pelo prazer, tanto na vida, quando nas representações


artísticas;

- Mecenato: Prática de financiamento de obras de arte pela burguesia e pela


Igreja, transformando artistas em personalidades importantes da época.
 Exemplos de arte medieval
 Exemplos de arte renascentista

Escola de Atenas, de Rafael Sanzio.


O nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli
Davi, de Michelangelo Buonarrotti
Absolutismo ou Antigo Regime
 Centralização política dos reis nos Estados Nacionais, entrando em conflito
com os interesses da burguesia.
 Principais pensadores do absolutismo:

- Nicolau Maquiavel: Defendia que o príncipe deveria agir colocando a política


acima de qualquer moral, sendo mais temido do que amado para conquistar
os seus objetivos, mas nunca odiado, parta não gerar a ira dos súditos.

- Tomas Hobbes: Defendia a formação de um contrato social, onde os homens


que viviam em seu estado de natureza, abdicavam de sua liberdade na
escolha de um rei (Leviatã), que irá lhes governar, sendo o representante da
sociedade.

- Jacques Bossuet: Defendia o direito divino dos reis, definindo que rebelar-se
contra o rei é rebelar-se contra Deus.
Mercantilismo
 Forma econômica adotada pela maioria dos Estados Nacionais Modernos:

 - Intervenção direta do Estado na economia;


- Balança comercial favorável: Mais receita e menos despesas;
- Protecinismo alfandegário: Proteção do produto nacional para evitar
importações;
- Expansão Marítima ou Grandes Navegações: Busca de novas rotas comerciais e
mais matérias primas (Novas rotas para as Índias e a descoberta do Novo Mundo);
- Pacto Colonial e Monopólio Comercial: Relação entre a Metrópole e as suas
Colônias, tanto de forma política, quanto econômica, na exclusividade de bens
materiais extraído para aquecer o comércio na europa;
- Metalismo ou Bulionismo: Busca por metais preciosos (O fluxo de metais
preciosos na europa, trazidos pela Espanha, gerou uma elevação geral dos preços,
devido ao aumento do custo de vida);
- Comércio de especiarias com o oriente;
- Colbertismo: Utilizado na França, quando as práticas comerciais eram baseadas
na produção agrícula e na exportação de artigos de luxo.

Você também pode gostar