Você está na página 1de 7

Índice

Introdução........................................................................................................................................3

1.Vantagens metodológicas que podem resultar da realização de uma exercusão..........................4

2.Factores que contribuem para a fraca realização de excursao em Moçambique..........................4

5.Relação entre os processos de educar e ensinar............................................................................5

8.Triângulo didáctico estudado e apresentado por J. HOUSSAINE...............................................5

11.Classificação dos meios de ensino segundo as suas funçoes......................................................6

Conclusão........................................................................................................................................7

Bibliografia......................................................................................................................................8
Introdução

Pretende-se com o trabalho da Cadeira de Didáctica de Geografia, resolver as questões inerente


ao estudo desta cadeira referentes à realização da excursão, factores que contribuem para a fraca
realização de aulas de excursão em Moçambique, momentos em que se aplica a avaliação,
relação existente entre os processos de educar e ensinar, o trabalho independente do estudante do
ensino à distância, como suprir as limitações.

De salientar que para a realização deste trabalho, recorreu-se a consulta de bibliográfica como
metodologia de trabalho. Porém, o mesmo obedece a seguinte estrutura: introdução,
desenvolvimento, conclusão e bibliografia.

3
1.Vantagens metodológicas que podem resultar da realização de uma exercusão

Salienta-se como vantagens metodológicas resultantes da realização de uma excursão a saber:


ligação da teoria com a prática por onde os estudantes por meio da observação identificam vários
conhecimentos no local da excursão os quais foram tratados teoricamente na sala de aula;

Aquisição de novos conhecimentos da realidade;

Motiva os estudantes na busca incessante de conhecimentos na natureza.

2.Factores que contribuem para a fraca realização de excursao em Moçambique

De entre os factores que estão na fraca realização de excursão em Moçambique destacam-se os


seguintes:

Meios de transporte: o custo de transporte em alguns estabelecimentos de ensino inviabiliza a


realização de excursão pelos estudantes.

Ambiental: o meio favorável para a realização de excursão;

3.Os elementos que devem conter no plano de aula são: Objectivos, conteúdos, actividades do
alunos, métodos, meios de ensino.

4.A avaliação aplica-se em todos momentos do processo de ensino – aprendizagem de modo a


verificar o nível de desenvolvmento intelectual do aluno. Assim, a avaliação deveria ser
assumida por todos como um instrumento de compreensão do estágio de aprendizagem em que
se encontra o aluno. Assim, avaliação não seria apenas um instrumento para aprovação e
reprovação, mas um instrumento de diagnóstico de sua situação, para ser usado em prol da
aprendizagem do aluno. Desta forma, a avaliação transmutasse para um instrumento de
democratização do ensino.

5.Relação entre os processos de educar e ensinar

A relação que existe entre educar e ensinar verifica-se que o processo de educar consiste em
apropriar ao indivíduo conhecimentos válidos e úteis, válidos na sociedade e ensinar consiste na
transmissão de conhecimentos aos alunos sub certos critérios estabelecidos. Portanto, verifica-se

4
uma relação de semelhança na qual ambos os termos têm a finalidade de transmitir
conhecimentos e atitudes aos indivíduos na sociedade.

6.Diz-se que a didáctica de geografia deve-se preocupar com os aspectos psico-sociais do aluno
de modo explicar os conhecimentos geograficos tendo em conta o nível psicológico dos alunos,
abordar os conteúdos fazendo ligação com as reais condições da sociedade.

7.Diz-se que entre a didáctica de geografia e o desenvolvimento de capacidades, habilidades,


hábitos e/costumes existe uma relação de dependência e reciprocidade pelo facto de, para o
desenvolvimento destas capacidades depende dos conhecimentos adquiridos no estudo da
didáctica de geografia e vice-versa.

8.Triângulo didáctico estudado e apresentado por J. HOUSSAINE

O triângulo didáctico estudado e apresentado por J. HOUSSAINE consiste num modelo gráfico
que representa uma situação didáctica estruturada de forma a permitir uma optimização da
aprendizagem. Neste modelo, de Houssaine, pode se observar a interacção entre o professor,
aluno e o saber, assim como avaliar o sucesso de ensino – aprendizagem.

9.Os métodos em ensino em geografia são orientados para os objectivos (um método par um
objectivo);

 Implicam uma sucessão planificada e sistematizada do professor como dos alunos;


 Requerem a utilização dos meios didácticos.

10. O trabalho independente dos alunos consiste de tarefas, dirigidas e orientadas pelo professor,
para que ao alunos as resolvam de modo relactivamente independente e criador. O trabalho
independente pressupõe determinados conhecimentos, compreensão da tarefa e do seu objectivo,
o domínio do método de solução, de modo que os alunos possam aplicar conhecimentos e
habilidades sem a orientação directa do professor.

O aspecto mais importante do trabalho independente é a actividade mental dos estudantes,


qualquer que seja a modalidade de tarefa planejada pelo professor para estudo individual em
particular no ensino à distância.

5
Segundo Libaneo (1990, p.163) “o trabalho independente pode ser adoptado em qualquer
momento da sequência da unidade didáctica ou aula, como tarefa preparatória, tarefa de
assimilação do conteudo ou como tarefa de elaboração pessoal”.

11.Classificação dos meios de ensino segundo as suas funçoes

Os meios de ensino são classificados segundo as suas funções em:

Cognitivos: facilitam o processo de aquisição de conhecimentos, isto porque, estes são


portadores de informação. Exemplo, ao falar da forma da terra, o professor trás o globo
para ilucidar.
Motivação: estimulam a aprendizagem criando motivos e interesses da aprendizagem.
Exemplo ao falar dos rios de moçambique, trás um mapa com os rios de moçambique.
Afectiva: facilitam e possibilitam o processo de desenvolvimento de capacidades,
habilidades de pensar, explicar e observar e comparar.
Racionalização da actividade do professor;
Consolidação dos conhecimentos.

12.Como forma de suprir as limitações do livro do aluno é necessário mais outros meios de
ensino, ou seja, utilizar os mapas, globos, planisférios de modo a levar o aluno a aproximar a
realidade que se pretende concretizar através do livro. Ainda, pode-se efectuar excursão para
observar outras situações da relaidade que o livro não seja capaz de satisfazer as necessidades do
aluno.

6
Conclusão

Terminado a realização do trabalho com a apresentação de vários conhecimentos mobilizados,


creio que é fundamental dedicar-se ao estudo da didáctica de geografia com os apetrechos que
ela fornece cada um possa entender e decidir sobre a leccionação das aulas na disciplina de
geografia.

Conlui que no acto actuação e do decurso das aulas é necessário que o professor seja capaz de
diversificar os métodos, meios de ensino e não se limitar apena pelo livro do aluno pois, este não
constitui como o único recurso universal para observar a realidade proxima do aluno em cada
ponto do país.

7
Bibliografia

JEMUCE, Luísa. Didáctica de Geografia I. Manual de licenciatura em ensino de Geografia.


Universidade Católica de Moçambique – CED.