Você está na página 1de 2

PIC – Pedagogia

Alun@:
RGM:
Polo:
Tutor:

Título da sua atividade/unidade

Atividade 2: Deise é professora de turmas de alfabetização há muitos anos. De manhã


trabalha com o 1º ano do Ensino Fundamental e à noite trabalha na turma de alfabetização de
adultos da mesma escola. Para facilitar sua vida, Deise aproveita as mesmas atividades nos
dois grupos, uma vez que o conteúdo é o mesmo. Ao tomar conhecimento do fato, após uma
aluna comentar que suas atividades eram iguais às atividades da netinha de 7 anos, a
coordenadora pedagógica do período noturno chamou Deise para uma conversa, em que a
professora foi orientada a não aplicar as mesmas atividades para as duas turmas e pesquisar
atividades adequadas para cada uma delas.
Ao analisar a prática de Deise, o que há de inadequado em aplicar as mesmas atividades?
O que caracterizaria uma atividade adequada para adultos?

O Alfabetização de adultos no Brasil está diretamente ligada a suplantação de um dos


maiores problemas educacionais, que são as altas taxas de analfabetismo do nosso país.
Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano de 2014 o Brasil já
possuía cerca de 12,2 milhões de indivíduos analfabetos, isso devido aos mais diversos
motivos que levaram essas pessoas a não terem acesso à educação no período de
escolarização.
De acordo com Oliveira (1999) os indivíduos analfabetos sofrem muito preconceito e
injustiças, são constantemente chamados de ‘burros’ pelo fato de não serem alfabetizados.
Isso muitas vezes resulta em um sentimento de incapacidade, baixa autoestima e inferioridade
perante as outras pessoas que já são alfabetizadas.
Desta maneira, se faz necessário garantir a educação para todos os jovens e adultos
não alfabetizados, buscando sempre uma prática pedagógica eficiente que tenha como foco a
valorização do indivíduo, considerando a cultura, pensamentos, necessidades materiais e as
experiencias já vividas por essas pessoas. Deste modo cada detalhe de vida desses alunos deve
ser respeitado e utilizado como ponto de partida para a construção do conhecimento de cada
um.
Por se tratar de um grupo de pessoas com características e vivencias diferentes, se faz
necessário ter um olhar cuidadoso com o ensino desses adultos em turmas de alfabetização. A
escola deve respeitar o ritmo de aprendizagem de cada aluno, não podendo ofertar um ensino
baseado nos mesmos métodos do ensino oferecido em turmas regulares que são formadas por
crianças em idade e séries corretas. Sendo este inclusive, um dos motivos que mais levam os
mais velhos a fracassarem e abandonarem os estudos, pois os alunos adultos não são crianças,
e não devem ser tratados como tal.
Os adultos têm uma maior facilidade na aprendizagem quando percebem que o que
estão aprendendo está sendo utilizado na sua realidade. O aprendizado por meio da resolução
de problemas com tarefas e atividades a serem executadas ao invés de memorizadas irá
encorajar a construção do conhecimento. Para que o processo de alfabetização desses adultos
seja eficiente, se faz necessária a qualificação adequada dos profissionais da educação
responsáveis por essas turmas, fazendo com que educando e educador caminhem juntos.

Referências
DECLARAÇÃO DE HAMBURGO. V Conferência internacional sobre a educação de
adultos. Brasília: SESI;

UNIESCO, 1999. DI PIERRO, M. C. Notas Sobre a Redefinição da Identidade e das Políticas


Públicas de Educação de Jovens e Adultos no Brasil. Revista Educação e Sociedade,
Campinas-SP, vol.26, n.92, p.1115-1139, Especial Outubro, 2005.

Educação e Alfabetização de Adultos. Disponível em:


<https://www.infoescola.com/educacao/alfabetizacao-de-adultos/>.Acesso em: 22/04/2021.

Você também pode gostar