Você está na página 1de 5

CENTRO ESPÍRITA ANTÔNIO CRUZ – CEAC

ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL – A. E.

“O EVANGELHO NO LAR”

“Onde quer que se encontrem duas ou três pessoas em meu nome, eu com eles estarei.”
Jesus (Mateus 18:20)

“Quando o Evangelho penetra o lar, o coração abre mais facilmente a porta ao Mestre Divino.” 


Emmanuel

OBJETIVO: Demonstrar aos participantes a importância do culto do Evangelho no Lar e os benefícios


que advêm dessa prática cristã.

DESENVOLVIMENTO:
19:05 – O evangelizador pode distribuir as seguintes imagens e questionar aos participantes o que elas
sugerem.
Importante esclarecer que o Evangelho no Lar é uma reunião fraterna que possui como objetivo reunir
famílias, amigos, vizinhos, em volta dos ensinamentos de Cristo sob a luz da doutrina espírita e que o
estudo conta com a assistência dos mentores e benfeitores espirituais, permite uma limpeza e higienização
espiritual no lar e na vizinhança, pelo cultivo de pensamentos e sentimentos elevados.
Eis o que Espíritos de escol falam sobre a prática do culto do Evangelho no Lar:

Emmanuel:
O culto público da fé religiosa é o mostruário brilhante do conhecimento e da educação, mas, o culto em
casa é a laboriosa oficina de aperfeiçoamento do caráter, na qual perdemos antigas e contudentes arestas,
melhorando-nos em espírito, uns a frente dos outros.
No santuário da praça, o Mestre nos fala a inteligência, mas, no altar doméstico, o Senhor nos fala ao
coração.
(Francisco Cândido Xavier. Livro: Indulgência).

André Luiz:
Os espíritas (...) precisam compreender a necessidade do Culto do Evangelho no lar. Pelo menos,
semanalmente, é aconselhável se reúna com os familiares ou com alguns parentes capazes de entender a
importância da iniciativa, em torno da Doutrina Espírita, à luz do Evangelho do Cristo e, sob a cobertura
moral da oração. (Desobssessão. Pelo Espírito André Luiz. 23. ed. Rio de Janeiro: FEB. 2003, cap. 70, p.
239)

Joanna de Ângelis:
A transformação do lar em célula viva do Cristianismo operante constitui labor impostergável. Isto porque
o lar é a matriz geradora da comunidade ditosa, sobre a qual repousam os sustentáculos das nacionalidades
progressistas. Acende o sol do Evangelho em casa, reúne-te com os teus para orar e jamais triunfarão trevas
em teu lar, em tua família, em teu coração. (Leis Morais. Joanna de Ângelis. Salvador: Leal, 1987, p. 19)

Bezerra de Menezes:
Trabalhemos pela implantação do Evangelho no Lar, quando estiver ao alcance de nossas possibilidades.
(...) Trazer as claridades da Boa Nova ao templo da família é aprimorar todos os valores que a experiência
terrestre nos pode oferecer. (Francisco Cândido Xavier. Temas da vida: Evangelho no lar. Bezerra de
Menezes. São Paulo: CEU, 1978).

FINALIDADE E IMPORTÂNCIA DO CULTO DO EVANGELHO NO LAR1:

1
http://www.febnet.org.br/ba/file/Campanhas%20CFN/Evangelho.pdf
1. Estudar o Evangelho de Jesus possibilita compreender os ensinamentos cristãos, cuja prática nos conduz
ao aprimoramento moral.
2. Criar em todos os lares o hábito de se reunir em família, para despertar e acentuar nos familiares o
sentimento de fraternidade.
3. Higienizar o Lar por pensamentos e sentimentos elevados e favorecer a influência dos Mensageiros do
Bem.
5. Facilitar no Lar e fora dele o amparo necessário diante das dificuldades materiais e espirituais, mantendo
operantes os princípios da vigilância e da oração.
6. Elevar o padrão vibratório dos componentes do Lar e contribuir com o Plano Espiritual na obtenção de
um mundo melhor.
7. Tornar o Evangelho conhecido, compreendido, sentido e exemplificado em todos os ambientes.

Trazer para a discussão as seguintes orientações acerca do culto do Evangelho no Lar:

1. Participantes:

 Podem ser todas as pessoas do lar, inclusive as crianças.


 Ou ainda pode ser feito por apenas uma pessoa da casa, caso os demais não se sintam à vontade
para participar.

2. Roteiro da Reunião:

A. Prece inicial;
B. Leitura e comentários de um tópico de O Evangelho segundo o Espiritismo, estudado de forma
sequencial ou aleatoriamente;
C. Leitura, sem comentários, de uma página de um livro (por exemplo, Pão Nosso, Fonte Viva, entre
outros);
D. Prece de encerramento.

3. Vibrações: Pela fraternidade, paz e equilíbrio de toda a Humanidade, por todos os governantes e por
aqueles que têm sob a sua responsabilidade crianças, jovens, adultos e idosos; pela implantação e vivência
do Evangelho em todos os lares; pelo próprio lar dos participantes, metalizando paz, harmonia e saúde para
o corpo e para o espírito.

4. Recomendações:

 Escolher um dia da semana e hora em que seja possível a presença de todos os familiares ou a
maior parte deles.
 Manter sempre o mesmo dia e hora da semana para que haja a assistência espiritual.
 Estipular duração de 15 a 30 minutos no máximo.
 Evitar a manifestação mediúnica de espíritos.
 Pode-se colocar água para ser beneficiada pelos Protetores Espirituais e, após, repartida entre
os participantes.
 A presença de visita, não deve ser motivo para não realizar a reunião.
 Desligar celular, rádio, televisão e não atender o telefone.
 No caso de se perder o dia da reunião em determinada semana, pode-se continuar na próxima;
 Quando acontecer de ter uma só pessoa no dia marcado, a reunião deve acontecer
normalmente.
 No caso de viagem, a família pode realizar a reunião onde estiver.
Ao final, abrir a discussão do grupo, procurando evidenciar a importância do culto do Evangelho no Lar.

Encerrar o estudo com a distribuição da figura abaixo aos participantes:

BIBLIOGRAFIA:

 O livro básico e indicado é O Evangelho Segundo o Espiritismo (Allan Kardec).

 Livros recomendados:
Caminho, Verdade e Vida, Pão Nosso, Fonte Viva, Vinha de Luz (Emmanuel)
Agenda Cristã (André Luiz)
Jesus no Lar - Alvorada Cristã (Neio Lúcio)
Luz no Lar (Autores diversos)
Deus aguarda - Evangelho em Casa (Meimei)
Messe de Amor (Joanna de Ângelis)
e outros de conteúdos semelhantes

19:50 - Falar brevemente do comportamento ideal no momento do passe, enfatizando a importância da


postura do paciente para a melhor assimilação dos fluidos salutares transmitidos na fluidoterapia.

CONCLUSÃO: Esclarecer como é importante convidar Jesus para o nosso Lar, para a nossa harmonia
íntima e em conjunto com todos os membros da família.

Mensagens complementares:

Quando  orardes

“E, quando estiverdes orando, perdoai.”


 – Jesus. (Marcos, 11:25).
A sincera atitude da alma na prece não obedece aos movimentos mecânicos vulgares. Nas operações da luta
comum, a criatura atende, invariavelmente, aos automatismos da experiência material que se modifica de
maneira imperceptível, nos círculos do tempo; todavia, quando se volta a alma aos santuários divinos do
plano superior, através da oração, põe-se a consciência em contato com o sentido eterno e criador da vida
íntima.

Examine cada aprendiz as sensações que experimenta em se colocando na posição de rogativa ao Alto,
compreendendo que se lhe faz indispensável a manutenção da paz interna perante as criaturas e quadros
circunstanciais do caminho.

A mente que ora, permanece em movimentação na esfera invisível.

As inteligências encarnadas, ainda mesmo quando se não conheçam entre si, na pauta das convenções
sociais, comunicam-se através dos tênues fios do desejo manifestado na oração. Em tais instantes, que
devemos consagrar exclusivamente à zona mais alta de nossa individualidade, expedimos mensagens,
apelos, intenções, projetos e ansiedades que procuram objetivo adequado.

É digno de lástima todo aquele que se utiliza da oportunidade para dilatar a corrente do mal, consciente ou
inconscientemente. É por este motivo que Jesus, compreendendo a carência de homens e mulheres isentos
de culpa, lançou este expressivo programa de amor, a benefício de cada discípulo do Evangelho: – “E,
quando estiverdes orando, perdoai.”

Emmanuel. Pão Nosso – Psicografia: Francisco Cândido Xavier – Ed.: FEB.

NO RECINTO DOMÉSTICO
Bondade no campo doméstico é a caridade começando em casa.
Nunca fale aos gritos, abusando da intimidade com os entes queridos.
Utilize os pertences caseiros sem barulho, poupando o lar a desequilíbrio e perturbação.
Aprenda a servir-se, tanto quanto possível, de modo a não agravar as preocupações da família.
Colabore na solução do problema que surja, sem alterar-se na queixa.
A sós ou em grupo, tome sua refeição sem alarme.
Converse edificando a harmonia.
É sempre possível achar a porta do entendimento mútuo, quando nos dispomos a ceder, de nós mesmos, em
pequeninas demonstrações de renúncia a pontos de vista.
Quantas vezes um problema aparentemente insolúvel pede tão-somente uma palavra calmante para ser
resolvido?
Abstenha-se de comentar assuntos escandalosos ou inconvenientes.
Em matéria de doenças, fale o estritamente necessário.
Procure algum detalhe caseiro para louvar o trabalho e o carinho que lhe compartilham a existência.
Não se aproveite da conversação para entretecer apontamentos de crítica ou censura, seja a quem seja.
Se você tem pressa de sair, atenda ao seu regime de urgência com serenidade e respeito, sem estragar a
tranqüilidade dos outros.
André Luiz. Psicografia de Francisco C. Xavier, Sinal Verde, CEC.

Você também pode gostar