Você está na página 1de 56

Treinamento Básico de

Pneumática
SMC Pneumáticos do Brasil
UNISANTA
NCC Equipamentos

1
Elaborado por : Renato Dall’Amico
PROPRIEDADES DO AR

2
Elaborado por : Renato Dall’Amico
COMPRESSIBILIDADE DO AR

O ar pode ser comprimido. Submetido a uma força (F), varia


seu Volume

V0 V1

3
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Elasticidade

O ar tem a propriedade de voltar ao seu volume inicial, após


extinta esta força a qual foi submetido.

4
Elaborado por : Renato Dall’Amico
DIFUSIBILIDADE DO AR

O ar pode se misturar homogeneamente com qualquer gás que


não esteja saturado

1 2

5
Elaborado por : Renato Dall’Amico
EXPANSIVIDADE DO AR
O ar toma qualquer forma, adquire o formato de qualquer
recipiente que o contenha.

6
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Peso do ar

Duas garrafas idênticas hermeticamente


fechadas, com a mesma pressão e
temperatura, pesadas em uma balança de
precisão, terão o mesmo peso.

Se retirarmos o ar de uma delas com uma


bomba de vácuo, isto provocará um
desequilíbrio causado pela falta do ar.

7
Elaborado por : Renato Dall’Amico
O ar quente é mais leve que o ar frio

Dois recipientes idênticos,


abertos, com ar em seu interior
tem o mesmo peso.
Porém se aquecermos um deles o
ar se expande em seu interior e
escapa pelo bocal do
recipiente, deixando este mais
leve e provocando desequilíbrio
na balança.

8
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Pressão do ar

A pressão atmosférica
atua em todos os
sentidos e direções.
Por este motivo não é
percebida.

9
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Variação da Pressão Atmosférica com
Relação à Altitude
Altitude (m) Pressão(Kgf/cm²) Altitude (m) Pressão(Kgf/cm²)
0 1,033 1000 0,915
100 1,021 2000 0,810
200 1,008 3000 0,715
300 0,996 4000 0,629
400 0,985 5000 0,552
500 0,973 6000 0,481
600 0,960 7000 0,419
700 0,948 8000 0,363
800 0,936 9000 0,313
900 0,925 10000 0,270

10
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Princípios de Torricelli

Barômetro de mercúrio
Experiência de Torricelli.

Nesta experiência Torricelli


constatou que a pressão
atmosférica é capaz de
equilibrar uma coluna de 0,76m
de mercúrio em uma área de
1cm2. Na mesma experiência
utilizando-se água a coluna foi
de 10,33m .

11
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Relação entre algumas unidades de pressão
Coluna de
Kgf/cm²
PSI BAR ATM Pa = N/m² Torr =mm hg H2O a 15,55
=Kp/cm²
C (metros)
Kgf/cm²
1,00 1,42.10-1 9,81.10-1 9,68.10-1 9,81.104 7,35.10² 1,00.101
=Kp/cm²
PSI 7,04.10-² 1,00 6,89.10-² 6.8.10-² 6,89.10 5,10.101 7,03.10-1
BAR 1,02 1,45.10-1 1,00 9,87.10-1 1,00.105 7,50,10² 1,02.101

ATM 1,03 1,47.10-1 1,01 1,00 1,01.105 7,60.10² 1,04.101

Pa = N/m² 1,02.10-5 1,45.10-4 1,00.10-5 9,87.10-6 1,00 7,50.10³ 1,02.10-4


Torr =mm hg 1,36.10-³ 1,93.10-² 1,33.10-³ 1,32.10-³ 1,33.10² 1,00 1,36.10-²
Coluna de H2O
a 15,55 C 1,00.10-1 1,42 9,81.10-² 9,68.10-² 9,81.10³ 7,35.101 1,00
(metros)

12
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Princípio de Pascal

A pressão se distribui uniformemente sob a superfície do


seu recipiente.

P=F/A
13
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos fundamentais de Compressores

Compressores

Deslocamento Deslocamento Positivo


Dinâmico

Rotativos Alternativos

- Fluxo Axial - Diafragma


- Fluxo Radial - Parafuso - Pistão

14
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Compressor de Parafuso

O princípio é simples: dois parafusos helicoidais giram entre si. Um rotor tem 4 lóbulos e o outro tem 6 sulcos.
O primeiro gira 50% mais rápido do que o último. O ar é succionado do ambiente, sendo comprimido entre os
rotores e a carcaça que os contém. O óleo é injetado no conjunto para selar as folgas entre rotores / carcaça e
para lubrificar os rotores, minimizando o desgaste.

As extremidades dos O ar é Assim que os rotores O ar comprimido


rotores cobrem a armadilhado no giram, este deixa o conjunto
admissão: o ar entra "compartimento" "compartimento" através de uma
na câmara de formado pelo torna-se abertura de saída.
compressão. lóbulo do rotor progressivamente
macho e pelo menor, comprimindo
sulco do rotor o ar armadilhado.
fêmea.
15
Fonte : www.atlascopco.com.br
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Compressor

Ciclo de Trabalho de um compressor de pistão de dois


estágios.

16
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Resfriador Posterior (Aftercooler)

O resfriador
posterior é
simplesmente
um trocador de
calor
utilizado para
resfriar o ar
comprimido.

17
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Reservatório de Ar Comprimido

18
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Secagem por Absorção (Deliqüescente)

19
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Secagem por Adsorção ( Dissecante )

20
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Secagem por Refrigeração

21
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Rede de Distribuição de Ar

Distribuição de Ar em anel aberto

Distribuição de Ar em anel fechado

22
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Drenagem de Umidade

Funcionamento do Dreno Automático

O ar sai mais seco, porém se houver névoa


Quando houver água acumulada no de água ela continuará, pois o dreno só
tubo, a água se deposita no fundo elimina a água acumulada no tubo .
deste e escorre pelo tubo até o dreno
automático instalado ...
... o dreno elimina a água de acordo com a
capacidade de armazenamento

Prevenção e drenagem para o condensado.

23
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tomada de Ar

24
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tabela de Vazamento e Perda de Potência em Furos

VAZAMENTO EM POTÊNCIA GASTA PARA


φ DO FURO m3/min COMPRESSÃO
(mm) PRESSÃO DE
CV KW
TRABALHO 0,6 MPa
1 0,06 0,4 0,3
3 0,6 4,2 3,1
4 1,6 11,2 8,3
10 6,3 44 33

São necessários 10HP ou 7,46KW para comprimirmos 1m³/min a 7 bar


e 5,17KW para comprimirmos 1m³/min a 6 bar

25
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Conjunto de Preparação de Ar

Filtro - Regulador - Lubrificador

26
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Filtro Padrão

27
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Regulador Padrão

28
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Lubrificador Proporcional

29
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos de Válvulas

- Válvulas Direcionais

- Válvulas de Bloqueio

- Válvulas Reguladoras de Pressão

- Válvulas Reguladoras de Fluxo

- Válvulas Proporcionais ( Conv. Eletropneumático )

30
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas Direcionais

Função :
Direcionar o fluxo de ar para a execução de uma tarefa

Informações necessárias para se identificar uma válvula :


- Número de vias
- Número de posições
- Informações Adicionais *
- Tipo de Acionamento
- Tipo de retorno *

31
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas Direcionais

Vias :

Pontos de pressão , utilização e escape de ar de uma válvula

Posições :

Quantidade condições que a válvula pode assumir

32
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas Direcionais
Representação de uma válvula Direcional

- Posições : Representadas por retângulo

0
Duas posições Três posições

- Vias : Representadas por pontos de toque em cada posição

Duas vias
Três vias
33
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas Direcionais

- Representação de vias :

2 vias 4 vias

3 vias 5 vias
34
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas Direcionais

NOMENCLATURA DE VIAS, SEGUNDO NORMAS ISO :

VIAS ISO 5599 ISO 1219


Pressão 1 P
Utilização 2,4,6 A,B,C
Escape 3,5,7 R,S,T
Pilotagem 12,14,16 X,Y,Z (E A ,E B ,E C )

35
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos de acionamentos ou comandos

36
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos de acionamentos ou comandos

37
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos de acionamentos ou comandos
*Acionamentos Pneumáticos

38
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos de acionamentos ou comandos

Servo Piloto

39
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipos de acionamentos ou comandos

Válvula
Direcional 3/2
acondicionamento
por solenóide.

40
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvula Direcional Manual
Válvula Direcional 4/3C.F.
Tipo Disco Giratório,
Acionada por Alavanca com
Trava.

Válvula 4/3 Tipo


Giratória ou Rotativas.

41
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvula 3/2 vias Servo Pilotada

Válvula
Direcional 3/2
N.F.acionamento
indireto por
solenóide e
acionamento
manual.

42
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Acionamento por Rolete
Válvula Direcional 3/2
N.F. retorno por mola.

43
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas de Bloqueio

Válvula de retenção com mola.

44
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvula de Escape

Válvula de escape
rápido.

45
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas de Isolamento

Válvula de Isolamento, elemento


“ou”.

46
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas “E”

Válvula Elemento Lógico “E”.

Linha XT92 / VR12**F

47
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Válvulas de Controle
Válvula Reguladora de Fluxo Unidirecional

48
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Cilindros Pneumáticos
Cilindros Simples Ação

49
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Cilindros Pneumáticos
Cilindros Dupla Ação

50
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Cilindros Pneumáticos
Cilindros Dupla Ação - Amortecimento Pneumático

51
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Cilindros Pneumáticos

Cilindro de dupla ação e haste dupla.

52
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Cilindros Pneumáticos
Cilindro Duplex Contínuo ou cilindro TANDEM

53
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Cilindros Pneumáticos
Cilindro Duplex germinado ou Múltiplas
Posições

54
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Tipo de Fixações ou Montagens

Fixação direta Pescoço roscado Fix. por pés Fix. por flange
dianteira

Fix. por flange Munhão central Oscilante traseira


traseira
55
Elaborado por : Renato Dall’Amico
Conversores de Energia Rotativos

Motor oscilante ou
Atuador rotativo.

56
Elaborado por : Renato Dall’Amico