Você está na página 1de 1

O Conjunto Moderno da Pampulha: da arquitetura à paisagem

cultural no título de Patrimônio da Humanidade

Mariana Silva Rossin

Resumo:

O entendimento do que é um Patrimônio Cultural da Humanidade, título dado pela Organização


das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) começou a ganhar forma a
partir de 1972, na Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural.
Apesar da discussão acerca do tema ter se iniciado algumas décadas antes, foi nesse momento
que os países puderam ter seus bens culturais reconhecidos como Patrimônios Mundiais.
Inicialmente estes bens culturais eram somente bens materiais e, com o passar dos anos e a
ampliação das discussões, as manifestações imateriais da cultura, também passou a ser inserida
como Patrimônio Mundial da UNESCO. Nos últimos anos, o desenvolvimento da compreensão
de patrimônio cultural levou a UNESCO, em 1992 a inserir as Paisagens Culturais na lista de
possíveis bens à receberem os títulos de Patrimônio Cultural da Humanidade. A partir da
criação desta nova categoria do patrimônio mundial, uma nova forma de abordagem surgiu,
partindo de paisagens naturais ou rurais até que, em 2012 a UNESCO concedeu o título, até
então, inédito de Patrimônio Cultural da Humanidade, na categoria de Paisagem Cultural à
primeira de caráter urbano, ao Rio de Janeiro. Após o reconhecimento da Paisagem Cultural
do Rio de Janeiro, em 2016, outro títutlo inédito foi concedido pela UNESCO, à um bem
brasileiro. Desta vez em Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, com a Paisagem
Cultural do Conjunto Moderno da Pampulha, a primeira do Patrimônio Moderno a receber tal
reconhecimento, se tornando o objeto de estudo deste artigo. A Pampulha foi inscrita na lista
de Patrimônio da Humanidade atendendo à três dos critérios estabelecidos pela UNESCO para
comprovar sua excepcionalidade e valor cultural. Contudo, o Conjunto Moderno da Pampulha,
em seu dossiê de candidatura se apresenta em todo o seu percurso como um Conjunto
Arquitetônico e Paisagístico, este último, no sentido de jardins. A abordagem de Paisagem
Cultural foi inserida após análise técnica do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios
(ICOMOS) que em visita ao sítio, surgeriu a inserção do mesmo na categoria de Paisagem
Cultural, como exemplo de uma Paisagem Urbana Histórica (Historic Urban Landscape -
HUL), onde os técnicos envolvidos acataram tal decisão. Desta forma, este artigo, que também
se faz como um estudo inicial à pesquisa da autora para desenvolvimento da tese de doutorado
no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de
Pernambuco, busca uma análise crítica sobre a autenticidade do caráter de Paisagem Cultural
abordado pela UNESCO ao Conjunto Moderno da Pampulha, sendo que tal Conjunto sempre
fora abordado pela sua importância arquitetônica e paisagística. Assim, busca-se compreender
as divergências e convergências entre interesses políticos e patrimoniais para a garantia da
autenticidade do Patrimônio Cultural da Humanidade.