Você está na página 1de 8

Relatório: Experimento 6

Nome 1: Caio Gandra Maher Assinatura 1:

Nome 2: Ana Beatriz Ferreira de Oliveira Assinatura 2:

Nome 3: Assinatura 3:

Turma: EAM1 + ET3 Horário: Quinta 15h

Procedimento I

Q1 (1,0 ponto) Apresente os valores experimentais encontrados para τ e t1/2 do circuito RL, com
suas respectivas incertezas, utilizando os cursores.

τ = (42,5 ± 0,1) µs

t1/2 = (29,5 ± 0,1) µs

Q2 (0,5 ponto) A partir do valor encontrado para t1/2, determine o valor de τ do circuito RL com
sua respectiva incerteza. Apresente também a expressão utilizada para calcular a incerteza e
compare com o valor obtido através da medida direta da constante de tempo.

t1/2 = ln (2).τ

τ = (42,56 ± 0,14) µs

Expressão para στ (propagação de incerteza):

𝑑𝜏 -
𝛿𝜏 = %( ) × (𝛿𝑡) /2)-
𝑑𝑡) /2
2

Utilizando da fórmula do teste Z de compatibilidade, temos:

(𝜏123.356278 − 𝜏:8;:<;83= )
𝑍 = 0 0
>(𝛿𝜏123.356278 )- + (𝛿𝜏:8;:<;83= )-

No qual:

- Z < 1 = medida compatível


- 1 < Z < 3 = medida compatível com baixa probabilidade
- Z > 1 = medida incompatível

(−0,06)
𝑍 = @ @ = 0,35
√0,0296

Portanto, podemos concluir que os valores são compatíveis.

Procedimento II

Q3 (1,0 ponto) Meça sete pares de valores de t e VL e anote-os na Tabela 3, com suas respectivas
incertezas. Calcule os valores de ln(VL/Volt) e suas incertezas, e anote-os também na tabela. Não
se esqueça de anotar os valores das escalas de tempo e voltagem utilizadas nas medidas.

Escala Vertical = 500 mV/div

Escala Horizontal = 10 µs/div


3

Tabela 3

N t ± σt (ms) VL ± σV (V) ln(VL/Volt) ± σlnV


1,40 ± 0,04 3,62 ± 0,02 1,29 ± 0,01
1
10,00 ± 0,04 2,84 ± 0,02 1,04 ± 0,01
2
20,00 ± 0,04 2,22 ± 0,02 0,80 ± 0,01
3
30,00 ± 0,04 1,76 ± 0,02 0,57 ± 0,01
4
40,00 ± 0,04 1,36 ± 0,02 0,31 ± 0,01
5
60,00 ± 0,04 0,84 ± 0,02 - 0,17 ± 0,03
6
70,00 ± 0,04 0,64 ± 0,02 - 0,45 ± 0,04
7

Q4 (0,5 ponto) Meça os valores de R e L usando um multímetro. Apresente esses valores e calcule
o valor nominal de τ, com sua incerteza. Apresente também a expressão utilizada para calcular στ.

R = (562 ± 1) 𝛺 L = (24,2 ± 0,1) 𝑚𝐻

K
τ = = (43,06 ± 0,19) 𝜇𝑠
L

Expressão para στ (propagação de incerteza):

𝑑𝜏 - 𝑑𝜏
𝛿𝜏 = %( ) × (𝛿𝐿)- + ( )- × (𝛿𝑅)-
𝑑𝐿 𝑑𝑅
4

Q5 (1,0 ponto) Faça o gráfico de ln(VL/Volt) versus t no retículo milimetrado a seguir. Note que
este gráfico corresponde a uma linearização da equação 6.7 do roteiro desta aula, que tem como
resultado

Q6 (0,7 ponto) Utilizando um dos programas de regressão linear disponíveis, obtenha os valores
dos coeficientes linear e angular e, a partir destes valores, obtenha o valor de τ

a = (-0,025 ± 0,003) b = (1,31 ± 0,01)

1
a = − 𝜏 τ = (40,00 ± 0,06) 𝜇𝑠

Q7 (1,0 ponto) Preencha a Tabela 4 com os valores encontrados para τ do circuito RL nas questões
1, 2, 4 e 6 (com suas respectivas incertezas), assim como as incertezas relativas e as discrepâncias
relativas (no cálculo das discrepâncias, considere o valor nominal como o valor de referência).

Compare os 4 valores obtidos para τ e comente sobre as vantagens e desvantagens de cada


medida. Qual a medida mais precisa? Qual a mais acurada?
5

Tabela 4

Questão τ ± στ (𝜇s) στ/τ(%) Discrep. rel. (%)


42,5 ± 0,1 0,3 1,3
Q1
42,55 ± 0,14 0,3 1,2
Q2
43,06 ± 0,19 0,4 -
Q4
40,00 ± 0,06 0,2 7,1
Q6

A vantagem da medida direta, realizada na questão 1, é que a partir de valores conhecidos você
consegue encontrar diretamente no gráfico do aparelho o valor desejado, e dependendo das
escalas horizontal e vertical, você consegue uma menor incerteza relativa à sua medida. No caso
das questões 2 e 4, você obtém o valor a partir de operações matemáticas, onde se deve levar
em consideração as incertezas de cada parâmetro utilizado na conta, e também
arredondamentos necessários, o que podem interferir no resultado final se manipulados de
forma incorreta. Na questão 6 se obtém o valor desejado através de um ajuste linear, o que é
muito prático quando se possui uma gama de pontos (medidas) ampla.
A medida mais precisa é a medida obtida na questão 6, pois esta apresenta a menor incerteza
relativa entre as demais medidas, sendo esta a mais precisa. Já a medida mais acurada é a obtida
na questão 2, pois apresenta a menor discrepância relativa em comparação com o valor de
referência, sendo o resultado obtido o mais próximo do valor de referência do que os demais.

Procedimento III: medida da diferença de fase e da reatância indutiva de um


circuito RL com corrente alternada

Q8 (0,3 ponto) Anote os valores medidos para R e L usando um multímetro.

R = (562 ± 1) 𝛺 L = (24,2 ± 0,1) 𝑚𝐻


6

Q9 (1,0 ponto) Anote os valores medidos para a frequência e para o atraso temporal, com suas
respectivas incertezas. A partir desses valores calcule a diferença de fase e sua incerteza. Indique
a expressão para a incerteza de ϕ:

f = (7,04 ± 0,35) kHz ∆t = (-20 ± 5) 𝜇𝑠

ϕ = 2𝜋𝑓∆𝑡 = (-0,88 ± 0,02) rad

Expressão para σϕ (propagação de incerteza):

𝑑𝜙 - 𝑑𝜙 -
𝛿𝜙 = %( ) × (𝛿𝑓)- + ( ) × (𝛿∆𝑡)-
𝑑𝑓 𝑑∆𝑡

Q10 (1,0 ponto) A partir do valor obtido para ϕ, calcule o valor da reatância indutiva XL para a
frequência f.

XL = −𝑅 𝑡𝑎𝑛𝜙

XL = (679,83 ± 8,09) 𝛺

Expressão para σXL (propagação de incerteza):

𝑑𝑋L - 𝑑𝑋L -
𝛿𝑋L = %( ) × (𝛿𝑅)- + ( ) × (𝛿ϕ)-
𝑑𝑅 𝑑ϕ
7

Q11 (1,0 ponto) Meça as amplitudes de V0 e V0R. Calcule a partir delas a amplitude da tensão no
indutor, V0L e sua incerteza.

V0 = (3,3 ± 0,1) V V0R = (1,5 ± 0,1) V

V0L = √𝑉0 − 𝑉0𝑅

V0L = (2,94 ± 0,2) V

Expressão para σV0L (propagação de incerteza):

𝑑𝑉0𝐿 - 𝑑𝑉0𝐿 -
𝛿𝑉0𝐿 = %( ) × (𝛿𝑉0)- + ( ) × (𝛿𝑉0𝑅)-
𝑑𝑉0 𝑑𝑉0𝑅

Q12 (0,5 ponto) Calcule das amplitudes na pergunta anterior, a diferença de fase ϕ e sua incerteza.

^0𝐿
tan ϕ = −
^0𝑅

ϕ = arctan (-1,96) = (−62,97 ± 3,18)°

Expressão para σϕ (propagação de incerteza):

𝑑𝜙 - 𝑑𝜙 -
𝛿𝜙 = %( ) × (𝛿𝑉0𝐿)- + ( ) × (𝛿𝑉0𝑅)-
𝑑𝑉0𝐿 𝑑𝑉0𝑅
8

Compare o valor com o valor obtido na questão 9. Os valores são compatíveis?

Utilizando da fórmula do teste Z de compatibilidade, temos:

(𝜙_)- − 𝜙_` )
𝑍 = 0 0
>(𝛿𝜙_)- )- + (𝛿𝜙_` )-

No qual:

- Z < 1 = medida compatível


- 1 < Z < 3 = medida compatível com baixa probabilidade
- Z > 1 = medida incompatível

(12,55)
𝑍 = @ @ = 1,2
10,17

Portanto, podemos concluir que os valores são compatíveis, porém com baixa probabilidade.

Q13 (0,5 pontos) Se esse experimento for realizado a uma frequência diferente de f, o valor obtido
para XL se alteraria? Caso sim, quantifique a variação deste valor.

R: Sim, alteraria. Por exemplo, se usássemos uma frequência mais alta, na faixa de 50.000 Hz,
teríamos um XL:

XL = 2𝜋𝑓 𝐿

XL = 7602,65 𝛺

Você também pode gostar