Você está na página 1de 529

DEDICAÇÃO

Assim como se adora o Ganges com a água do próprio Ganges,


ofereço esta nova edição do livro do Gita Govinda de Sri Jayadeva
Gosvami
nas mãos de lótus do meu venerado e mestre espiritual misericordioso sem
causa,

nitya-lila-pravista om visnupada astottara-sata

SRI SRIMAD BHAKITI PRAJNANA KESAVA GOSVAMI


MAHARAJA,

por cuja inspiração foi publicado.

Que ele fique satisfeito com esta humilde oferta.


PREFÁCIO

Algumas palavras de Prabhupäda


Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura
sobre o Sri Gita-Govinda

‘O seguinte discurso foi proferido em 1932 na véspera da 446ª


comemoração do aparecimento de Sri Caitanya Mahaprabhu. Sri Jayadeva
Gosvami, o poeta da corte da dinastia Sena, deu as boas-vindas ao
aparecimento de Sri Caitanya Mahaprabhu na auspiciosa invocação do Sri
Gita-Govinda ( 1.1).
“Ó Rädhä, todas as direções estão cobertas por nuvens densas e
ameaçadoras. O chão da floresta foi lançado na escuridão pelas sombras
das negras árvores tamäla. Krsna é naturalmente tímido. Ele não pode ficar
sozinho à noite, então leve-o para casa com você. ” Sri Rädhä voltou seu
rosto para o caramanchão das árvores do desejo ao lado do caminho da
floresta e, perplexa com a alegria intensa, ela honrou as palavras de sua
amiga. Quando ela chegou às margens do rio Yamunä, ela iniciou sua
brincadeira de amor em um lugar secreto. Que a doçura deste passatempo
confidencial do Casal Divino seja vitoriosa, manifestando-se nos corações
dos devotos.
O comentário de Sri Pujari Gosvami sobre o versículo acima não
revela a imagem em sua totalidade. Aqui, Sri Jayadeva Gosvami também
revelou Sri Caitanya Mahaprabhu aos corações de devotos altamente
avançados. O poeta sugere o aparecimento de Sri Radha-Krsna em uma das
câmaras do grande Yogapitha de Sridhama Mayapura; e simultaneamente,
com o aparecimento da combinação de seus corpos como a forma
independente de Sri Caitanya Mahaprabhu.
O caminho para o céu espiritual ficou totalmente obscurecido pelas
nuvens densas de várias ideologias sombrias. Devido à sua ofuscação, a
beleza agradável das árvores de Vrindavana parecia sombria para as
pessoas deste mundo.
Quando Krsna apareceu durante a noite (perto do fim) de Dvāpara-
yuga, ele disse: man ekam saranam vraja - “Renda-se incondicionalmente a
mim” e aham hi sarva-yajnanam bhokta ca prabhur eva ca - “Só eu sou o
desfrutador e mestre de todos os sacrifícios.” Aqueles de inteligência
demoníaca pensavam que a Suprema Personalidade de Deus Sri Krsna
havia falado por egoísmo e orgulho. Assim, a escuridão e a embriaguez do
ateísmo tornaram-se dominantes, desviando a multidão de almas do
caminho do bem-estar espiritual.
Ninguém se importará em ouvir suas palavras na era atual se ele
aparecer novamente como Sri Krsna, o Ser Supremo. Portanto, é essencial
que ele apareça combinado em uma forma com Sri Radha a fim de mitigar
o desprezo do público e superar sua própria timidez. Percebendo isso, Sri
Jayadeva Gosvami diz: grham prapaya, “Ó Krsna, combine com Radha e
prossiga para nanda-grha, a casa de Sri Jagannatha Misra no grande
Yogapitha em Sridhama Mayapura.”
Outro nome de Nanda é Vasudeva. No Quarto Canto do Srimad
Bhagavatam é afirmado, sattvam visuddham vasudeva-sabditam - “A
consciência pura na qual Krsna é revelado é chamada vasudeva.” Embora
esta seja uma consideração da perspectiva da majestade divina de Sri
Krsna, ainda assim Sri Krsna só aparece em consciência pura ( visuddha-
sattva), mesmo em seus passatempos humanos.
Que as celebrações na véspera do aparecimento da forma
combinada de Sri Radha-Krsna sejam realizadas por meio de sankirtana, o
canto congregacional dos santos nomes. Que todas as outras concepções
sejam reduzidas a cinzas no fogo de sankirtana. Que a consciência de todos
os seres vivos se torne combustível no fogo do amor por Krsna, seus santos
nomes e sua morada divina.
O Ganges alcançou a unidade com o rio Yamuna pela influência do
aparecimento de Sri Caitanya Mahaprabhu em suas margens. Que os
passatempos amorosos secretos de Radha e Krsna combinados - o
sankirtana-rasa - seja vitorioso!

Sobre Erotismo - Sagrado e Profano

Adaptado dos Ensinamentos de Sri Caitanya, Capítulo XIV

O princípio sexual é um símbolo incompreendido da Realidade. Ele


não pode ser banido de nossa consciência mais do que a própria
consciência. As formas masculina e feminina também não são as únicas e
distintas posses deste mundo. Há Realidade por trás deles também. A alma
tem um corpo que é simbolizado pela forma feminina e que é
absolutamente livre de qualquer associação material prejudicial.
A repugnância do asceta pela forma feminina impede um exame
sem preconceitos do sexo feminino, fator necessário de nossa concepção do
amor amoroso. Esse amor amoroso é o assunto mais importante da poesia
humana e o fator mais poderoso em todas as atividades humanas. Sua
inutilidade não é estabelecida recusando-se a reconhecê-la como parte de
nossa natureza. Seria muito mais pertinente tentar entender o que realmente
é. o Srimad-Bhagavatam é o único livro que responde a essa pergunta tão
importante.
A adoração de Sri Radha-Krsna é considerada por alguns
pensadores modernos como perigosa e até imoral. Eles aparentemente
fazem exceção ao elemento erótico, que é o aspecto proeminente da
adoração mais elevada de Sri Radha-Krsna.
Sri Caitanya Mahaprabhu nos ensina que é obrigatório que todos
prestem homenagem ao amor espiritual que caracteriza o mais elevado
serviço prestado à Pessoa Divina. Este é o tópico central de Srimad-
Bhagavatam, que lida com o serviço transcendental do Absoluto Pessoal.
O amor espiritual é o serviço mais elevado à Divindade em sua
manifestação mais completa. A verdadeira Natureza da Personalidade
Divina nunca pode ser totalmente compreendida por aqueles que são
incapazes de apreciar a excelência preeminente de seu serviço por amor
amoroso.
A concepção de personalidade que está disponível para nós neste
mundo refere-se necessariamente ao físico humano bruto combinado com a
mentalidade humana dominada pelas convenções. Esses dois são os
conteúdos definidos da concepção. As funções de tal personalidade só pode
ter significado se suprir as necessidades do corpo e da mente.
O homem está conectado com as entidades deste mundo para a
satisfação das necessidades de seu corpo e mente por meio de cinco
variedades de relacionamento. Esses cinco modos exaurem todas as formas
possíveis de tal relacionamento. Uma pessoa pode manter uma relação de
imparcialidade com outros seres humanos; entretanto, pode-se dizer que as
formas emocionais de relacionamento começam com o relacionamento do
servo com seu mestre. Isso é caracterizado pelo sentimento de respeito
distante pelo mestre. A relação de amizade é mais estreita do que a de
servidão. A paternidade é ainda mais íntima. O consórcio, da esposa ou
amante ao marido ou amante, é a forma mais íntima e abrangente de
relacionamento possível com outra entidade. A cadeia de relacionamentos é
completada pelas relações recíprocas de mestre para servo, amigo para
amigo, filhos para pais,
marido ou amante para esposa ou amor.
Não há razão para não acreditar que as cinco formas de
relacionamento são também concomitantes inseparáveis da personalidade
do Ser Absoluto. No entanto, eles estão livres dos grilhões do corpo físico
denso e da mente materialista.
O consórcio, como o da esposa ou amante deste mundo, não é
elegível por si só para definir o tom para outros relacionamentos. O
consórcio mundano é compelido a encolher, pelo menos externamente, no
canto estritamente privado e pessoal dos assuntos deste mundo. Não é bem-
vindo por influenciar outras atividades de maneira explícita. Ele pode agir
abertamente apenas dentro dos limites de privacidade extrema.
No entanto, o consórcio é reconhecido por transmitir seu encanto mais
profundo à vida em um mundo em que não valeria a pena viver sem esse
relacionamento. Todos neste mundo são, no entanto, compelidos a reprimir,
mais ou menos, o funcionamento deste princípio reconhecidamente mais
profundo de sua natureza individual, por conta da oposição do ambiente
incompatível na forma dos órgãos defeituosos, através dos quais deve ser
exercido. Mas isso não pode condenar o próprio princípio que é a força
dominante da vida. Ele opera com não menos predominância, mas com
menos peso de responsabilidade, sendo conduzido para o subterrâneo pela
oposição cega de um ambiente antipático e órgãos dos sentidos densos.
Devemos negar deliberadamente a nós mesmos o benefício da
orientação de opiniões bem consideradas neste assunto tão vital e
importante da vida? Todas as grandes religiões evitam e proíbem
escrupulosamente qualquer exame desse assunto tão importante. A
adoração de Sri Radha-Krsna é a única exceção a esta regra.
A adoração de Sri Radha-Krsna tem sido sujeita a mal-entendidos
facilmente evitáveis, causados por pura ignorância e preconceitos
facilmente aceitos. A personalidade de Sri Krsna, o Amante Divino Eterno
de ®ré Radhika, é o principal homem espiritual do Reino de Vraja, que é a
Morada Eterna do Par Divino, conforme descrito em Srimad Bhagavatam.
Esta é considerada uma concepção indigna da Personalidade Absoluta, e
até mesmo como a sobrevivência e o mito histórico de um herói nacional
em tempos de sexualidade promíscua e barbárie primitiva.
A hostilidade à Divindade de Sri Krsna é mantida com base no fato
de que a moralidade deve constituir o cerne e o princípio predominante da
religião. Não devemos, entretanto, esquecer que essa moralidade anunciada
é, na melhor das hipóteses, apenas um princípio regulador e restritivo.
Estamos tão apegados à natureza indispensável dessa regulamentação
moral que não requer pequeno esforço da imaginação admitir que a
intervenção moral seria desnecessária e prejudicial, se não fosse a natureza
realmente defeituosa de nosso ambiente atual e órgãos dos sentidos. Seria
irracional acabar com a regulamentação moral enquanto sejamos obrigados
a permanecer em nossa atual condição defeituosa. Mas certamente deve
haver um plano que está livre de todos os defeitos, sendo a esfera natural e
eterna das atividades de nossa natureza espiritual inadulterada. O plano da
Divindade é superior ao de nossas almas condicionadas. Não há
necessidade de qualquer forma de moralidade restritiva no mundo
espiritual, onde a alma não está sujeita à operação limitadora de seus
presentes adjuntos materiais e mentais.
O princípio moral pressupõe a existência de uma tendência forte e
espontânea para o mal como sendo inato à natureza humana. O bem neste
mundo está em um estado de conflito perpétuo com o mal dominante. A
regulação moral torna-se assim a expressão externa indispensável e
permanente da vida boa reprimida.
Em uma análise mais aprofundada, no entanto, descobrimos que o
julgamento moral pode se posicionar apenas sobre uma forma atenuada do
mal que ele ostensivamente busca erradicar. Não defende a aceitação do
bem substantivo. O que ele escolhe chamar de bondade é apenas relativa e
provisoriamente um mal menor. O substantivo bom permaneceu e sempre
será uma questão em aberto, se nos contentarmos em ser finalmente
guiados por um código moral puramente restritivo. A dificuldade e
insuficiência do código imoral acima são mais claramente percebidas na
prática por toda pessoa sincera. Nunca pode ser bom em si mesmo. A
moralidade empírica, como síntese, é um conselho de conveniência para o
estabelecimento de um certo tipo de vida social radicalmente defeituoso. A
existência de regulação positiva não obstrui a prática do verdadeiro bem? A
bondade que pode ser produzida pela chamada regulamentação moral não é
substancialmente diferente da maldade.
É necessário fixar nossa atenção nesta questão positiva. O ato de
procriação da descendência é bom ou mau? O amor deve ser condenado ou
aclamado? Pode um princípio questionável de regulação cega fornecer a
resposta a esses problemas reais da vida?
Amor é uma dura realidade da vida. Provavelmente é o fato
controlador. Por que deveria ser capaz de causar danos? Ou deve ser
verificado por causa do caráter inoportuno de nossos órgãos e ambiente
atuais? Uma política de repressão a um princípio realmente bom pode ser
saudável no longo prazo? Não é o mesmo que recusar pensar na solução
adequada? Seria honesto ou útil, para animar esta indolência criminosa,
amordaçar aqueles que apresentam propostas sólidas para a solução real?
É verdade que as religiões têm sistematicamente evitado pensar
positivamente sobre essa questão fundamental. Eles prescreveram apenas
regulamentos da vida má presente engendrada pela natureza incompatível
do ambiente atual e o caráter defeituoso de nossa mente e corpo. Isso nem
mesmo é uma ajuda negativa, se for a única provisão. A doença é marcada,
mas nenhum esforço é feito para sua cura. Mas as doenças não podem ser
curadas por uma política que, em princípio, se recusa a contemplar a
restauração da atividade saudável.
A questão, portanto, se resolve em uma investigação: "Como pode
o uso natural mais completo desta aptidão amorosa ser assegurado?" A
estética não fornece a resposta. A estética não pode ignorar ou curar o lado
realmente prejudicial do princípio mundano que é o único assunto de seu
exame. A resposta ética, que é mais pertinente em um aspecto, foi
considerada e rejeitada.
A ciência médica, a biologia e a eugenia limitam-se às
consequências corporais do princípio do amor e à reação destes na mente.
Eles também cobrem muito menos terreno do que a ética.
A resposta positiva para toda a questão é dada apenas por Srimad
Bhagavatam. Isso foi aceito e explicado por Sri Krsna Caitanya. A resposta
elucidada pelos ensinamentos de Sri Krsna Caitanya é impedida de ser mal
compreendida por sua própria carreira ilustrativa.
Qualquer pessoa que se deu ao trabalho de ler os relatos da carreira
de Sri Caitanya, escritos por seus associados e seus sucessores espirituais,
deve ser atingida pela ausência total do elemento erótico em sua carreira.
Sri Krsna Caitanya nunca se misturou com mulheres com base na
intimidade sexual. Sua conduta é decepcionante para aqueles que esperam
encontrar uma rica colheita de atividades eróticas porque ele foi o mestre
supremo do serviço amoroso à Divindade.
Em nosso estado pecaminoso atual, o sexo sugere a ideia de
impureza sensual porque nosso eu atual é sensual. A sensação de impureza
nada mais é do que a incongruência de qualquer substância material,
limitada e inconsciente com a natureza da alma humana. Não estamos no
mesmo plano com o objeto de nossos pensamentos, mas estamos unidos a
ele de uma maneira muito antinatural. Esse anseio é o sentimento de
impureza ou repugnância. Enquanto continuarmos a ver o sexo com desejo,
nunca poderemos pensar nele de outra maneira. Mas esse anseio também
faz parte de nossa natureza adquirida presente e não pode nos deixar até
que possamos nos livrar dessa própria natureza secundária. Com essa
reforma da natureza, nossa relação com o princípio do sexo também passa
por uma transformação completa que, de outro modo, é incompreensível
para nosso entendimento atual. A forma feminina da alma humana e de Sri
Krsna não é a relação entre a forma material feminina e sua forma
masculina correspondente. Os passatempos amorosos de Sri Krsna com as
leiteiras espirituais de Vraja não são os passatempos amorosos entre o
homem e a mulher deste mundo. Os passatempos amorosos de Sri Krsna
não são uma mistura do cérebro rejeitado do sensualista. Os amores deste
mundo não poderiam existir a menos que o princípio substantivo existisse
em Sri Krsna. Mas ninguém nega a existência e a importância do princípio
do amor no reino do Absoluto em sua forma perfeitamente saudável.
É porque escolhemos considerar como material a forma feminina
da alma que ficamos chocados com o que supomos ser as inclinações
sensuais desavergonhadas dos transcendentalistas. Isso é inevitável,
enquanto escolhermos deliberadamente alimentar o erro de que o sexo de
nossa experiência é a entidade real e não seu reflexo pervertido e imaginar
que fomos capazes de resolver o problema do sexo transferindo nossa
atividade sensual do corpo para a mente e por condenar como impuros os
excessos do ato sexual externo em nenhum princípio consistente. Essa
filosofia desajeitada não confinou e nunca convencerá ninguém da
verdadeira natureza e propósito do ato sexual. Isso ocorre porque o ato
sexual é o concomitante eterno neste mundo pecaminoso da função mais
elevada do espírito, que nunca pode ser minimizado ou abolido por todos
os nossos esforços empíricos. Só o entendimento correto pode nos salvar
das terríveis consequências de nossas atuais loucuras sexuais suicidas.
A Personalidade de Sri Caitanya Mahaprabhu é idêntica e, no
entanto, distinta de Sri Krsna. As atividades de Sri Caitanya Mahaprabhu
são, portanto, também idênticas e, no entanto, distintas dos passatempos
amorosos de Sri Krsna. As Atividades de Sri Caitanya Mahaprabhu
aparecem na forma capaz de ser recebida pela alma condicionada sem
qualquer chance de ser confundida por seu julgamento condicionado.
O canto perfeito do Nome de Krsna está disponível para todas as
almas e é idêntico ao serviço amoroso das leiteiras espirituais de Vraja.
Esta é a soma e a substância dos ensinamentos de Sri Caitanya
Mahaprabhu. Por outro lado, aqueles que não entoam o canto
congregacional do nome de Krsna de maneira livre de ofensas, não estão
em posição de compreender a natureza do amor Divino. Aqueles que
perdem essa compreensão permanecem sujeitos à escravidão abjeta da
luxúria mundana.
Sri Radhika não é especificamente mencionada no Srimad
Bhagavatam. Mas na descrição da Dança Amorosa Circular, os
passatempos de rasa, Sri Krsna é representado deixando o círculo das
leiteiras dançantes na companhia de uma mulher que é mais favorecida do
que todas as outras. As leiteiras que foram assim abruptamente
abandonadas no meio da dança elogiaram a devoção genuína da mulher não
identificada, que poderia induzir Sri Krsna a preferir sua única companhia
às atrações combinadas de todas as outras.
Mas embora o Srimad Bhagavatam menciona o incidente acima, o
assunto não é mais desenvolvido naquele trabalho. Isso foi explicado pelos
Gosvamis de Vrindavana, os apóstolos de Sri Caitanya Mahaprabhu, como
devido a uma resolução deliberada por parte de Sri Sukadeva, que é o
narrador do Srimad Bhagavatam, para evitar revelar ao seu público diverso
os 'assuntos ocultos' das escrituras. Os 'assuntos ocultos' só podem ser
conhecidos pela graça especial de Sri Krsna e não de outra forma. Eles não
devem ser divulgados a todas as pessoas indiscriminadamente.
Essa explicação oferecida pelos Gosvamis não se opõe ao
tratamento aberto do mesmo assunto por Sri Jayadeva Gosvami e outros
escritores. Apesar do Sri Gita-Govinda e suas obras companheiras, o
assunto da relação de Sri Radhika com Sri Krsna permanece envolto em
mistério impenetrável.
Nenhuma linguagem pode transmitir ao leitor leigo nada além de
uma ideia enganosa da natureza do assunto sobre o qual Sri Sukadeva
manteve tal silêncio discreto. Este resultado é saudado com alegria
inconfundível por Srila Krsnadasa Kaviraja Gosvami, autor de Sri
Caitanya-caritamrta. Kaviraja Gosvami observa de forma pertinente que
nenhuma alegria pode superar a do narrador do sujeito oculto quando ele
percebe que pessoas não qualificadas são total e automaticamente
impedidas de todo conhecimento do assunto.
A hesitação de Sri Sukadeva em divulgar os segredos dos Vedas é
bem fundamentada. A conduta de Sri Jayadeva Gosvami ao falar sem
reservas é igualmente correta se lembrarmos que seu livro não pode ser
compreendido de forma alguma por aqueles que carecem da cultura
espiritual mais elevada.
Certos escritores acríticos até jogaram lama no autor de Sri Gita-
Govinda; mas eles são as exceções. Geralmente os escritores consideram
sábio evitar qualquer referência ao assunto pela razão honesta de que não
conseguiram entender como um livro que tem um exterior mais obsceno
pode ser apreciado por todos os grandes devotos do país, cuja conduta é
universalmente admitida foram libertados de qualquer mancha de
indecência. É esse paradoxo que sempre exerceu uma influência restritiva
salutar sobre as seções mais sãs dos escritores no que diz respeito ao
tratamento desse assunto ininteligível.
Sri Radhika é realizável como o Contra-Todo do Absoluto Pessoal.
Ela é a Metade Predominada do Todo Absoluto. Com relação a Sri
Radhika, Sri Krsna é a Unidade Predominante. A concepção de masculino
e feminino se refere ao princípio da personalidade. Como ambas as
Personalidades são totalmente divinas, nenhuma grosseria ou inadequação
da concepção mundana correspondente precisa ser importada para o
assunto. Mas é imperativo admitir a validade lógica absoluta, sob a reserva
da inconcebível por nosso presente entendimento, da concepção do Par
Divino possuindo formas espirituais masculinas e femininas reais.
As almas individuais servem a Sri Krsna como constituintes de Sri
Radhika. Quando se esquecem de que são constituintes de Sri Radhika,
esquecem-se da natureza de si mesmos e se engajam nas atividades
anormais do plano mundano. A relação entre uma alma individual e outra é
a de obedecerem umas às outras como constituintes de Sri Radhika no
desempenho de seu serviço designado a Sri Krsna. Para usar uma analogia
mundana, todas as almas individuais são mulheres espirituais em uma
posição subordinada a Sri Radhika, cujo serviço a Sri Krsna elas
compartilham por natureza como constituintes. O objetivo do esforço das
almas individuais é aprender a obedecer a Sri Radhika. Somente
obedecendo a Sri Radhika elas podem servir a Sri Krsna.
Sri Krsna é o único objeto de toda adoração. Sri Krsna sozinho é o
destinatário de todo serviço. Nenhuma alma individual pode receber
qualquer serviço por sua própria conta ou por conta de qualquer outra alma
individual. Isso aponta para o verdadeiro significado da injunção
escriturística de se abster da atividade sexual e evitar a companhia de todas
as pessoas sensuais, a fim de se qualificar para o serviço de Sri Krsna no
plano espiritual. Nenhuma ideia da natureza positiva da função do plano
superior correspondente à atividade sexual deste mundo pode ser
transmitida àqueles que não estão completamente livres da doença do
desejo sexual mundano.

INTRODUÇÃO

Ler uma grande obra literária e entendê-la em termos de etimologia


é um tipo de experiência, mas apreciar os sentimentos profundos pelos
quais alguém está realmente familiarizado com a obra é uma experiência
totalmente diferente. A compreensão do significado literal das palavras é
geralmente um assunto simples, enquanto a assimilação de seu significado
emocional subjacente não é tão fácil. É impossível para alguém que não
está qualificado para ler um determinado texto aceitar seu humor interno
(bhavartha). Portanto, todas as escrituras antigas tradicionalmente
começam definindo os parâmetros específicos de elegibilidade para seus
leitores em perspectiva.
Alguns autores profundamente realizados proibiram estritamente
pessoas não qualificadas de estudar suas composições e até mesmo
proferiram maldições sobre aqueles que ousassem mergulhar em assuntos
além de sua compreensão. Qual é a necessidade de tais proibições estritas?
A necessidade surge porque pessoas não qualificadas que leem textos
esotéricos inevitavelmente os interpretam mal. Desse modo, os benefícios
potenciais são substituídos por efeitos nocivos sobre eles próprios e outros.
O reverenciado Jayadeva Gosvami esclareceu o assunto da elegibilidade
em sua invocação auspiciosa:

yadi hari-smarane sarasath mano


yadi vilasa-kalasu kutuhalam
madhura-komala-kanta-padavalim
srnu tada jayadeva-sarasvatim

Se seu coração anseia por se deliciar com a lembrança de Sri Hari; se


você deseja contemplá-lo com intenso afeto; se você está dominado pela
curiosidade de saber sobre sua habilidade em passatempos amorosos;
então, por favor, leia este livro. Você vai descobrir que minha adorável
poesia é extremamente saborosa. Embora seja tão emocionante e melífluo,
se você não possui as qualificações mencionadas, então você não deve lê-
lo. Esta literatura não é para você.

Embora Sri Jayadeva aborde claramente a questão da elegibilidade,


o setor não qualificado da sociedade não consegue entendê-lo e continua
lendo este poema com entusiasmo por seus encantadores enfeites
linguísticos. No entanto, impelidos por sua incapacidade de apreender seu
real significado, eles finalmente recorrem a insultar a joia da crista dos
poetas, Sri Jayadeva, como se sua composição fosse algo bruto. E devem,
pois não reconhecem a divindade de Sri Hari. Eles nem mesmo estão
inclinados a se aproximar dos recintos da doce contemplação sobre ele.
Eles permanecem confinados à experiência de se identificarem
erroneamente com o corpo físico e considerando a gratificação sensual
como o limite máximo da felicidade. O que esses escravos da luxúria
podem entender sobre os casos de amor transcendental descritos por Sri
Jayadeva Gosvami? O reverenciado Sri ®r… la Krsnadasa Kaviraja
declarou no Sri Caitanya-caritamrta (Adi-lila 4.164-66):

kama, prema — dohakara vibhinna laksana


lauha ara hema yaiche svarupe-vilaksana
atmendriya-priti-vancha - tare bali 'kama'
krsnendriya-priti-iccha dhare 'prema' nama
kamera tatparya — nija-sambhoga kevala
krsna-sukha-tatparya - prema maha-bala
As características da luxúria mundana e do amor transcendental são
completamente diferentes. Se a luxúria mundana é comparada ao ferro,
então o amor espiritual pode ser comparado ao ouro. O desejo de dar
satisfação aos próprios sentidos é chamado de luxúria. No entanto, o
desejo de satisfazer os sentidos de Sri Krsna é chamado de amor puro ou
prema. O objetivo da luxúria é o próprio prazer, enquanto o objetivo do
amor é agradar a Sri Krdna. Tal prema é imensamente poderoso.

Quantas pessoas podem entender a profundidade das palavras de


Sri Krsnadasa Kaviraja? Aqueles que estão continuamente absorvidos em
gratificar seus sentidos são especialmente desqualificados. Para eles, os
passatempos amorosos supramundanos de Sri Radha-Krsna nada mais são
do que o jogo dos desejos luxuriosos. Se eles pudessem amar alguém a
ponto de abandonar completamente todos os costumes sociais, injunções
religiosas védicas e conexões corporais, como Sri Radhika e suas amigas
fizeram, então um dia eles também poderiam ter alguma ideia sobre os
princípios subjacentes a esses passatempos. Só depois de fazer tal sacrifício
é possível entender que altruísta prema só pode ser expresso por aqueles
que não nutrem a menor ambição de sua própria felicidade.
Os poetas Vaishnavas pegam suas penas simplesmente para nos
instruir sobre as glórias do amor transcendental e modesto. O leão entre os
poetas, Sri Jayadeva, também pegou sua caneta para mostrar como a
Realidade Absoluta de Sri Krsna é controlada por pessoas desmotivadas
prema. Ele está sempre pronto para cair aos pés de qualquer devoto em
quem detecte até mesmo a fragrância de tal afeto e humildemente pedido,
dehi pada-pallavam udaram - "Misericordiosamente, conceda-me as pétalas
macias de seus pés de lótus." (Sri Gita-Govinda 10,8). Ao perceber isso, Sri
Jayadeva Gosvami ficou muito perturbado. “Como posso fazer essas
palavras saírem da boca de Sri Krsna, o controlador supremo de milhões
ilimitados de universos?” Muitas vezes ele se perguntou: "Devo escrever
uma coisa dessas?" e muitas vezes ele decidiu: "Sim, eu deveria." Mas
mesmo que ele quisesse, ele não teve coragem de escrever esta linha. Ele
concebeu Sri Krsna como a Suprema Personalidade de Deus; portanto, o
humor reverencial parou sua caneta. No entanto, o Senhor Supremo é
sempre afetuoso com seus devotos. Assumindo o disfarce de Sri Jayadeva,
ele completou a linha escrevendo dehi padapallavam udaram em letras
douradas com sua própria mão. Assim, Sri Krsna fez um anúncio
retumbante, como se pela batida onipresente de tambores, para proclamar
em voz alta seu amor por seus devotos.
Sri Caitanya Mahaprabhu é a encarnação de Bhagavan que purifica
os corações dos seres vivos na era de Kali. Dentro do Sri Caitanya-
caritāmrta (Madhya-lila 2.77) Srila Krsnadasa Kaviraja escreve:

Candidasa, vidyapati, rayera nataka-giti,


Karnamrta, sri-gita-govinda
Svarupa-ramananda-sane, mahaprabhu ratri dine
gaya, sune - parama ananda

Sri Caitanya Mahaprabhu costumava se retirar para a privacidade


de Sri Gambhira, uma pequena sala em Kasi Misra Bhavan, com Svarupa
Damodara Gosvami e Ramananda Raya e lá ele saboreava a transcendental
doçura de várias literaturas, como o Sri Jagannathavallabha-nataka de
Ramananda Raya, o Sri Krsna-karnamrta de Bilvamangala Thakura, a
poesia de Candidasa e Vidyapati, e o Sri Gita-Govinda de Jayadeva
Gosvami. Sri Caitanya Mahaprabhu ficava tomado de alegria ao cantá-los e
ouvi-los dia e noite.

Mesmo entre essas grandes composições, a excelência do Sri Gita-


Govinda de Jayadeva Gosvami é insuperável.
Aqui reside um sentimento profundo, digno de nossa atenção
especial. Sri Caitanya Mahaprabhu desceu a este mundo para ensinar
serviço devocional com seu próprio exemplo pessoal. Por que ele estudou e
experimentou as doçuras transcendentais de todas essas literaturas em um
lugar isolado com apenas um ou dois de seus associados confidenciais? A
questão da elegibilidade é relevante mesmo neste caso extremo. Além
disso, o ambiente no qual estudar as escrituras esotéricas também foi
revelado. A glorificação que Sriman Mahaprabhu realizada em locais
públicos entre as pessoas comuns da sociedade foi apenas nama-sankirtana,
o canto congregacional do Santo Nome. Seu desempenho de rasa-
sankirtana aconteceu em sua residência particular, Sri Gambhira,
exclusivamente na companhia de Sri Svarupa Damodara e Raya
Ramananda. Similarmente, sankirtana também foi realizada a portas
fechadas à noite na casa de Srivasa Thakura em Sridhama Navadvipa. Esta
é a instrução mais elevada de Sri Gaurangadeva, o mestre espiritual de todo
o universo: “Se você deseja alcançar a maior auspiciosidade, primeiro
torne-se qualificado e então estude esta literatura secretamente. Então você
será um candidato para prema-bhakti. Do contrário, você cometerá ofensas
a Bhagavan e seus devotos e cairá.”
Bhagavan Sri Krsna é saktiman, a entidade suprema potente, e
Srimati Radhika é sua potência suprema. Conforme afirmado por Srila
Krsnadasa Kaviraja:

sac-cid-ananda purna krsnera svarupa


eka-i cic-chakti tara dhare tina rupa
anandamse hladini, sad-amse sandhini
cid-amse samvit – yare jnana kari mani
hladinira sara prema, prema-sara bhava
bhavera parama-kastha – nama mahabhava
mahabhava-svarupa sri-radha-thakurani
sarva-guna-khani krsna-kanta-siromani

O corpo de Sri Krsna é a manifestação completa da existência, consciência


e prazer eternos. Sua única potência espiritual se manifesta de três
maneiras. Hladini é o seu aspecto de bem-aventurança; sandhini, de
existência eterna; e samvit, de cognição, que também é considerada
conhecimento. A essência de hladini é prema, amor incondicional por Sri
Krsna. A essência de prema é bhava, emoção espiritual, e o
desenvolvimento final de bhava é chamado mahabhava. Sri Radha é a
personificação de mahabhava. Ela é comparada a uma mina profunda de
todas as qualidades preciosas e ela é a joia da crista entre as amadas
gopis de Sri Krsna. (Sri Caitanya-caritamrta, Adi-lila 4,61-62, 68-69)

Os passatempos de Radhika e Krsna são o jogo amoroso


transcendental da Divindade Onipotente e sua potência ( çaktimän e çakti).
Eles têm o poder de santificar o mundo inteiro porque estão completamente
livres até mesmo do menor vestígio de luxúria. Deve-se fazer um estudo
diligente desses passatempos, pois tal estudo constitui um dos membros do
bhakti-yoga. Embora muitos devotos estejam familiarizados com esta
conclusão, Sri Gita-Govinda permanece inacessível para eles porque não
estão suficientemente familiarizados com a língua sânscrita e suas
implicações. Esta presente edição irá fornecer-lhes ajuda suficiente para
compreender o significado das palavras e as emoções nelas implícitas.
Hoje em dia Sri Gita-Govinda é famoso na comunidade acadêmica
como um poema que exemplifica a doçura amorosa, srngara-rasa. Sri
Jayadeva Gosvami também é amplamente aceito como um poeta
excepcionalmente talentoso. Contudo, Sri Gita-Govinda não é apenas uma
composição mundialmente famosa, cheia de ornamentos literários emotivos
dispostos de acordo com a prosódia. E Jayadeva Gosvami não é apenas um
poeta adepto de expressões de bom gosto por meio do desenvolvimento de
suas habilidades inatas. Sri Gita-Govinda é a própria essência de todos os
Vedas e Sri Jayadeva Gosvami é o praticante devocional superlativo
(sadhaka) e espiritualista aperfeiçoado (siddha), com domínio completo de
toda a sabedoria védica. Os leitores do Sri Gita-Govinda verão que o autor
se lembrou de sua divindade adoradora desde o início de sua invocação
auspiciosa:

radha-madhavayor jayanti yamuna-kule rahah-kelayah

Os inescrutáveis e secretos passatempos de prazer de Sri Radha-Madhava


nas margens do Yamuna reinam acima de tudo.

No segundo verso, ele apresenta seu assunto louvável:

Sri-vasudeva-rati-keli-katha-sametam
etam karoti jayadeva-kavih prabandham

O poeta Jayadeva está escrevendo esta narração depois de se abrigar


completamente em rati-keli, os jogos amorosos supremamente bem-
aventurados de Sri Vasudeva, Syamasundara, o filho do Rei de Vraja.

Como mencionado anteriormente no terceiro verso, Sri Jayadeva


Gosvami definiu as qualificações necessárias para ler este poema:

yadi hari-smarane sarasam mano


yadi vilasa-kalasu kutuhalam
madhura-komala-kanta-padavalim
srnu tada jayadeva-sarasvatim

Se você deseja que sua mente esteja profundamente apegada à constante


lembrança de Sri Hari, ou seu coração já esteja absorto em contemplação
sobre ele; e se você está curioso para saborear as doçuras de seus
passatempos - isto é, você anseia exclusivamente por isso e nada mais -
então, por favor, ouça esses versos suaves, atraentes e melosos da poesia
transcendental de Jayadeva.

Neste poema supramundano, Sri Jayadeva Gosvami deu uma


descrição encantadora do amor transcendental íntimo de Sri Radha-
Madhava. A excelência final dos dois aspectos da srngara-rasa,
nomeadamente separação e encontro, são ambos encontrados nesta
composição lírica. O poeta sustenta a opinião de que quando a união de
amantes é alimentada pela primeira vez por sentimentos de separação, ela
confere uma alegria maior aos espiritualistas perfeitos e aos praticantes
devocionais que são especialistas em saborear a doçura amorosa.
Svayam Bhagavan Sri Krsna instruiu seu devoto íntimo, Arjuna,
sobre a elegibilidade e inelegibilidade para ouvir e falar, no Srimad
Bhagavad-gita em seu capítulo dezoito, versículos 67 e 68:

idam te natapaskaya
nabhaktaya kadacana
na casusrusave vacyam
na ca mam yo bhyasuuyati
Não fale sobre este conhecimento e compreensão confidenciais para
aquelas pessoas não qualificadas que não têm fé e que não estão
engajadas em devoção pura por mim.

ya idam paramam guhyam


mad-bhaktesv abhidhasyati
bhaktim mayi param krtva
mam evaisyaty asamsayah

Aquele que explica o mistério supremo da minha Arranje um para os


devotos fiéis é certo atingir a devoção pura e no final ele virá a mim.

Nestes versos, Sri Krsna descreve as características dos candidatos


genuínos para a realização transcendental depois de definir as
desqualificações. Sri Jayadeva Gosvami também apresentou uma análise
clara das qualificações para ouvir sua Gopala-campu. Ele pronunciou uma
maldição sobre os não-devotos infiéis que ainda insistem em lê-lo. Da
mesma forma, Sri Sanatana Gosvami proibiu estritamente pessoas sem fé
de ouvir ou ler seu Brhad-bhagavatamrta.
Outros Gosvamis também proferiram maldições para proibir os não
qualificados de mergulhar em suas literaturas.

A substância do Sri Gita-Govinda

Sri Jayadeva Gosvami compreendeu completamente a natureza da


humanidade nesta era atual de dissensão (Kali-yuga). Ele sabia com que
facilidade eles se confundiam com a visão da beleza superficial. Se eles não
virem um cobertura externa de beleza, eles podem ignorar uma erva
medicinal potente, pensando que não tem valor.
O poeta Sri Jayadeva foi movido pela compaixão sem causa que os
Vaisnavas sentem por todas as almas caídas. Portanto, para fazê-los
saborear a felicidade eterna, ele envolveu o abrigo incomparável de suas
emoções transcendentais supremamente doces e extáticas com a cobertura
da doçura inútil do humor erótico mundano. Ao fazer isso, Sri Jayadeva
manifestou o antídoto exclusivo para a doença da existência material na
forma deste poema.
Os leitores respeitados agora podem entender prontamente que Sri
Gita-Govinda não é sobre sexualidade mundana. Em vez disso, pertence a
mesma transcendental e sublime rasa que foi definida nos Vedas como a
causa de alegria duradoura para todos os seres vivos. Portanto, embora Sri
Gita-Govinda seja uma composição poética, é simultaneamente a
personificação da essência de todos os Vedas. Sri Jayadeva Gosvami é
comparado à sagrada marca decorativa (tilaka) na testa de toda a dinastia de
poetas que estão familiarizados com os princípios das doçuras espirituais.
Algumas vezes ele retratou Sri Radha como uma amante ciumenta,
orgulhosa de sua eminência. Às vezes, ele a fazia chorar incessantemente
na dor intolerável da separação de Sri Krsna, e às vezes também colocava
Sri Bhagavan na intensa ansiedade da separação dela. No entanto, ele não
parou por aí. Ele manifestou o extremo amor de Deus e o auge da afeição
de Bhagavan por seu devoto ao fazer Sri Krsna agarrar os pés de lótus de
Sri Radha e implorar a ela: “Por favor, aceite-me como seu servo e decore
minha testa com os botões macios de seus pés de lótus." Este amor é a
essência de todos os Vedas.
Os Upanisads proclamam que o Senhor residente (paramätmä) só é
alcançado por quem deseja ser alcançado.
nayam atma pravacanena labhyo
na medhaya na bahunä srutena
yam evaisa vrnute tena labhyas
tasyaisa atma vivrnute tanum svam
(Kaöha Upaniñad 1.2.23)

Bhagavan Sri Krsna é a personificação da eterna bem-aventurança


concentrada (ananda). A entidade viva condicionada, embora busque
exclusivamente essa felicidade, sempre é malsucedida. No entanto, sua boa
fortuna surge quando ele testemunha os êxtases emocionais internos dos
devotos puros. Nesse dia, a bem-aventurança personificada começa a
procurá-lo.

Devoção pura (prema) é caracterizada por seu poder de atrair Sri


Krsna. O devoto praticante pode estar sentado em sua casa, mas uma vez
que seu coração está repleto de devoção, o bem-aventurado Sri Krsna, que
está sempre ávido pelo sabor de prema, fica ansioso por sua associação.
Como se fosse um ofensor, Krsna se aproxima de seu devoto com um
humor humilde e suplicará humildemente com a mesma súplica: "Por
favor, aceite-me como seu servo e enfeite minha testa com os botões
macios de seus pés de lótus." Esta é a mensagem essencial de todas as
escrituras védicas. “Assim como a Verdade Absoluta está longe, ele
também está muito perto.”

Uma revisão dos princípios literários de Sri Gita-Govinda

O princípio lógico de “joias e ouro”, conhecido como mani-


kañcana-nyaya, dita que joias de valor inestimável devem ser definidas em
ouro puro. De acordo com este princípio, o poeta Sri Jayadeva apresentou
uma narrativa dos passatempos inestimáveis de Sri Radha-Krsna no mais
puro exemplo de composição literária. Sua poesia inclui muitas
características notáveis: as sublimes sensibilidades artísticas da teoria
musical (gandharva-vidya); todos os mistérios confidenciais relacionados à
contemplação sobre Krsna; e uma exposição elaborada de srngara-rasa
tanto na união quanto na separação. Além disso, ele também observou a
antiga metodologia tradicional de composição literária. Em suas próprias
palavras – sanandah parisodhayantu sudhiyah sri-gita-govindatah... (Sri
Gita-Govinda 12,26-27). O significado é que a pureza absoluta de todos os
atributos acima mencionados só pode ser encontrada na poesia de Gita-
Govinda. Portanto, é essencial que pessoas eruditas façam um exame
completo do texto para entender a validade dessa afirmação sem
precedentes. Sri Jayadeva Gosvami está convencido de que o efeito
inebriante do vinho, a doçura do açúcar, o sabor de manga madura e o
sabor dos lábios de uma bela mulher, tudo empalidece até a insignificância
na presença da doçura de Sri Gita-Govinda porque este poema romântico
está saturado com a essência de srngära-rasa.
Sri Jayadeva Gosvami empregou variedades de ritmo, rasa e outros
artifícios literários pungentes nesta grande obra. As canções melífluas dos
passatempos amorosos de Sri Radha-Madhava são o tema predominante de
sua meditação. Por meio de vinte e quatro canções, o autor revelou
claramente a imensa profundidade de seu estudo da teoria musical (sangita-
sastra) e ciência dramática ( rasa-sastra). Cada música é composta em um
modo melódico clássico diferente (raga) e ritmo (tala). Um estudo
cuidadoso do texto leva a crer que o poeta deve ter experimentado
diretamente o encontro e a separação de Sri Radha-Madhava em seu transe
de meditação.

Realização prática de Sri Gita-Govinda

Não é por acaso que Sri Jayadeva Gosvami empregou uma


confidente feminina (sakhi) no papel de um mediador para organizar as
reuniões de Krsna com Radha. O significado é claro. A menos que alguém
esteja sob a orientação pessoal de tal sakhi e até que se obtenha a ajuda das
sakhis, não se pode alcançar Sri Krsna. Todas as escrituras devocionais
proclamam essa conclusão. A ajuda de uma sakhi e a ajuda de guru são um
e o mesmo. Para ser guru, é preciso se abrigar na disposição das sakhis, e
para alcançar Sri Krsna, deve-se aceitar o abrigo de um mestre espiritual
que está perfeitamente situado no humor transcendental de uma sakhi. Aqui
está a mensagem essencial dos Vedas:

tasmad gurum prapadyeta


jijñasuh sreya uttamam
sabde pare ca nisnatam
brahmany upasamasrayam
(Srimad-Bhagavatam 11.3.21)
Para conhecer a Verdade Absoluta, deve-se refugiar-se em um guru
perfeito que está fixo na devoção ao Absoluto. Quando Sri Suta Gosvami
começou a narrar o Srimad-Bhagavatam na floresta sagrada de
Naimisaranya, ele o chamou de essência dos Vedas; e a essência do
Sirmad-Bhagavatam em si é a rasa-lila. Sri Jayadeva Gosvami teve a
habilidade de compreender a essência de tudo. Portanto, ele condensou a
rasa lila ainda mais, assim como alguém pode realizar a façanha impossível
de confinar o oceano dentro de uma jarra. Ele foi compelido pela
compaixão a manifestar o néctar da imortalidade na forma deste poema
para a elevação de todos os seres vivos nesta era de Kali. Em resposta às
indagações de Pariksit Maharaja, Sri Sukadeva Gosvami respondeu:

anugrahaya bhaktanam
manusam deham açritah
bhajate tadrsih krida
yah srutva tat-paro bhavet

(Srimad-Bhagavatam 10.33.36)

Sri Krsna realiza a rasa-lila para conceder misericórdia a seus


devotos. No entanto, os não-devotos também gostam naturalmente de
romance ou srngara-rasa. Portanto, quando eles ouvem o rasa-lila eles
também se tornam gradualmente absorvidos em pensamentos sobre Sri
Krsna. Bhagavan realiza passatempos aparentemente eróticos na superfície
da terra por compaixão por todos - devotos e não devotos. Maharsi
Vedavyasa foi movido por compaixão ao escrevê-lo para o benefício de
todos, e o maior devoto Sri Sukadeva Gosvami também foi movido por
compaixão por pregá-lo em todo o mundo. Depois disso, o melhor dos
poetas, Sri Jayadeva Gosvami também o reproduziu misericordiosamente
na forma de uma composição poética ainda mais doce. Em resposta às
questões levantadas por Sri Sacinandana Gaurahari, Sri Raya Ramananda
explicou:

prabhu kahe, - 'sadhya-vastura avadhi' ei haya


tomara prasade iha janilu niscaya
'sadhya-vastu' 'sadhana' vinu keha nahi paya
kripa kari kaha, raya, pabara upaya
raya kahe, -yei kahao, sei kahi vani
ki kahiye bhala-manda, kichui na jani
tribhuvana-madhye aiche haya kaun dhira
ye tomara maya-nate ha-ibeka sthira
mora mukhe vakta tumi, tumi hao srota
atyanta rahasya, suna, sadhanera katha
radha-krsnera lila ei ati gudhatara
dasya-vatsalyadi-bhave na haya gocara
sabe eka sakhi-ganera ihā adhikara
sakhi haite haya ei lilara vistara
sakhi vina ei lila pusta nahi haya
sakhi lila vistariya, sakhi asvadaya
sakhi vina ei lilaya anyera nahi gati
sakhi-bhave ye tri kare anugati
radha-krsna-kuñjaseva-sadhya sei paya
sei sadhya paite ara nahika upaya

(Sri Caitanya-caritāmrta, Madhya-lila 8,196-205)

Depois de ouvir sobre o objetivo da vida da boca de lótus de Sri


Raya Ramananda, Sri Caitanya Mahaprabhu disse: “Esta é a última palavra
em relação a sadhya-vastu, o objeto de realização. Por sua misericórdia,
entendi claramente todo o assunto. No entanto, ninguém pode atingir este
extremamente profundo sadhya-vastu sem adotar os meios apropriados
(sadhana). Oh Raya, tenha misericórdia de mim explicando gentilmente o
método para atingir este objetivo. ”
Raya respondeu: “Eu apenas falo o que você inspira em meu
coração. Não sei se o que digo é bom ou mau. Quem está tão sóbrio que
consegue permanecer estável no meio de sua energia de dança? Você está
falando pela minha boca e, ao mesmo tempo, está ouvindo. Que fenômeno
misterioso.
“Agora vou falar sobre essa metodologia confidencial. O kuñja-lila
ou rasa-lila de Sri Radha-Krsna é extremamente profundo. Os devotos
estabelecidos em humores de servidão, amizade e paternidade nem podem
perceber isso.
Nenhum deles tem elegibilidade para entrar neste passatempo -
apenas as sakhis são qualificadas. Este passatempo é expandido pelas
sakhis. Sem elas, não pode ser nutrido e só elas podem saboreá-lo.
Portanto, não há absolutamente nenhuma oportunidade de entrar kuñja-lila
sem tomar abrigo completo das sakhis e recebendo sua ajuda. Somente
aqueles cujo serviço devocional é seguir as emoções transcendentais das
sakhis e permanecer sob seu abrigo e orientação pode atingir o kuñja-lila de
Sri Radha-Krsna. Não há maneira de atingir este objetivo, exceto para a
absorção na lembrança das sakhis enquanto se abrigam completamente em
seus pés de lótus."

História de vida do poeta Sri Jayadeva

Sri Jayadeva Gosvami nasceu no vilarejo de Kindubilva no lado


norte do rio Ajaya, quase trinta quilômetros ao sul do distrito de Vira-
bhumi, em Bengala Ocidental. A aldeia de Kindubilva é comumente
conhecida como Kenduli. O nome de seu pai era Bhojadeva e o nome de
sua mãe era Vama-devi. Sri Jayadeva revelou pessoalmente o local de seu
nascimento no seguinte verso:

varnitam jayadeva-kena harer idam pravanena


kindubilva-samudra-sambhava-rohini-ramanena
Aquele que apareceu na vila de Kindubilva, assim como a lua aparece do
oceano, recolheu as expressões de lamentação de Sri Krsna. Esse
Jayadeva está narrando humildemente essa música.

O Rei de Bengala, Maharaja Laksmana Sena, era tão erudito em


moralidade e apreciador de méritos quanto o famoso Maharaja
Vikramaditya. Como o conselho real de Maharaja Vikramäditya era
adornado com o esplendor de nove joias na forma de seus talentosos
conselheiros, como Kalidasa e Vararuci, a assembleia real de Maharaja
Laksmana Sena foi adornada com cinco joias, incluindo Govardhanacarya e
Jayadeva. O seguinte verso foi gravado em uma placa de pedra na entrada
da câmara do conselho de Maharaja Laksmana Sena:

govardhanaa ca sarano jayadeva umapatih


kavirajas ca ratnani samitau laksnasya ca

Portanto, é evidente que Govardhana, Sarana, Jayadeva, Umapati e Dhoyi


Kaviraja eram os nomes dos conselheiros reais do rei.
vacah pallavayaty umapatidharah sandarbha-uddhim giram
janite jayadeva eva saranam slaghyo duruha-drute
srngarottara-sat-prameya-racanair arcarya-govardhana-
spardhi ko 'pi na visrutah sruti-dharo dhoyi kavi-ksmapatih

Todos os nomes dos eruditos reais estão incluídos neste versículo


encontrado no início de Sri Gita-Govinda. O rei os tinha em grande
reverência. Ele até escolheu Umapatidhara como seu primeiro-ministro.
É difícil determinar a data exata do nascimento de Sri Jayadeva Gosvami.
De acordo com o principal discípulo de Sri Caitanya Mahaprabhu, Srila
Sanatana Gosvami, Jayadeva Gosvami foi contemporâneo do rei bengali,
Maharaja Laksmana. Com base em textos autênticos, é evidente que Sri
Laksmana Sena reinava em 1030 Sakabda, correspondendo a 1107 d.C.
Esta data também foi verificada pelo Dr. Rajendralal Mitra com base em
evidências de apoio colhidas em sua extensa pesquisa. Portanto, é certo que
Sri Jayadeva, sendo contemporâneo de Sri Laksmana Sena, foi uma
personalidade do século XII. Canda Kavi, membro do conselho real de
Maharaja Prthviraja, recontou as gloriosas histórias dos poetas dos tempos
antigos em seu livro intitulado Cauhana-rastra. Sri Jayadeva e Gita-
Govinda também são mencionados nele. Prthviraja Maharaja estava
governando de sua capital, Delhi, na parte final do século XII. Ele foi
morto em uma batalha com Mohammad Gauri nas margens do rio
Drsadvati em 1193 d. C. Portanto, é claro que Gita-Govinda já havia sido
escrito antes do período de Canda Kavi, caso contrário ele não poderia ter
mencionou em Cauhana-rastra.
Muitos eventos maravilhosos e divinos da vida de Sri Jayadeva
Gosvami foram descritos no texto de Nabhaji Bhatta, Bhaktamala. Não é
necessário tornar este livro excessivamente longo repetindo todos esses
detalhes aqui. O lado humano dos passatempos de Sri Jayadeva Gosvami
agora estão completamente cobertos com o passar de muitos séculos. No
entanto, a cada ano, uma grande reunião ainda ocorre em Kenduli-gram
para comemorar seu desaparecimento de nossa visão mortal. O festival
começa em Makara-sankranti no mês de Magha (janeiro-fevereiro).
Cinquenta a cem mil peregrinos se reúnem no samadhi mandira de Sri
Jayadeva Gosvami para homenageá-lo e para ouvir e recitar sua poesia.
ATO UM
- SAMODA-DAMODARAH -
O ENCANTADO CATIVO DO AMOR
VERSO 1

मेघैर्मेदरु मम्बरम् वनभवु ः श्यामास्तमालद्रुमैः


नक्तम् भीरुरयम् त्वमेव तदिमम् राधे गृहम् प्रापय।
इत्थम् नन्दनिदेशितश्चलितयोः प्रत्यध्वकुञ्जद्रुमम्
राधामाधवयोर्जयन्ति यमनु ाकूले रहःके लयः॥ १-१
Meghair meduram ambaram vana-bhuvaḥ śyāmās tamāla-drumaiḥ
naktam bhīrur ayam tvam eva tad imam rādhe gṛham prāpaya |
ittham nanda-nideśataś calitayoḥ praty-adhva-kuñja-drumam
rādhā-mādhavayor jayanti yamunā-kūle rahaḥ-kelayaḥ || 1-1

Tradução

Radha, todas as direções estão cobertas por nuvens densas e


ameaçadoras. O chão da floresta foi lançado na escuridão
pelas sombras das negras árvores tamala. Krsna é
naturalmente tímido. Ele não pode ficar sozinho à noite, então
leve-o para casa com você. Sri Radha voltou seu rosto para o caramanchão
das árvores do desejo ao lado do caminho da floresta e, perplexa com a
alegria intensa, ela honrou as palavras de sua amiga. Quando ela chegou às
margens do rio Kalindi, ela iniciou sua brincadeira de amor em um lugar
secreto. Que a doçura deste passatempo confidencial do Casal Divino seja
vitoriosa, manifestando-se nos corações dos devotos.

Comentário

Sri Jayadeva Gosvami pinta um quadro vívido dos passatempos


amorosos de Sri Radha e Madhava quando eles se encontram sozinhos nos
bosques da floresta. Ele estabeleceu sua excelência ao descrever seus
passatempos de sensualidade transcendental. O poeta primeiro descreve a
cena de Sri Radha-Madhava entrando em um caramanchão escondido pela
densa escuridão de árvores tamala. Dele mangalacarana (invocação
auspiciosa) é a brincadeira de amor realizada pela mais amada de Krsna,
Sri Radha, após honrar o conselho de sua amiga (sakhi) levando Krsna a
um caramanchão na floresta. Este poema estabelece a doçura dos
passatempos de Sri Radha-Madhava, portanto, é auspicioso e benéfico para
todos.
Encorajando Radha, ela continua: “Olhe! Nuvens negras segurando
a lua cheia confusa em um abraço amoroso são excitantes (uddipana) para o
humor de Krsna. Vendo o exemplo das nuvens, o Syama de pele escura
está ansioso para se unir a Radha de membros dourados. ”
A sakhi de Sri Radhika sugere: “À noite, o solo da floresta é
coberto pelo syama- tonalidade colorida de árvores tamala. A escuridão
impenetrável se espalhou por toda parte, então quem poderá ver você?
Agora não demore mais um segundo. ”
Neste verso de abertura, o grande poeta indica que a proeminente
rasa ao longo do poema será srngära, o monarca de todos os êxtases
integrados. A escuridão da noite, o céu coberto de nuvens e a densa
folhagem do solo da floresta, embelezada por árvores tamäla são todas
uddipana-vibhava. Srimate Radharani é alambana-vibhäva. O sthayibhava é
rati. O vyabhicari-bhavas inclui harsa, avega e autsukya. O anubhhava é
bhirutva, timidez. Sri Radha foi descrita primeiro porque a heroína é
proeminente em srngara-rasa.
Neste momento oportuno do passatempo, a sakhi de Radha vai
ouvir e olhar em volta para se certificar de que a costa está limpa. Então ela
dirá: “Vá para a floresta densa enquanto o luar não estiver visível”. Dentro
Srimad-Bhagavatam (10.30.42) Sri Sukadeva Gosvami disse: tamah
pravistam alaksya - “Ao ver um lugar escuro ...”.
Segundo a tradição literária, existem dois tipos de composição
poética: sadharana-kavya e maha-kavya, o poema comum e a obra-prima
épica. Três componentes compreendem os versos do mangalacarana de um
maha-kavya: bênçãos (asirvada), reverências (namaskara) e uma definição
de conteúdo (vastunirdesa). No presente versículo, a palavra jayanti é
entendido no sentido de namaskara, reverências respeitosas. Este tipo de
interpretação é apoiado pelo texto de Kavya-prakasa. O assunto, ou seja, a
peça amorosa de Sri Radha-Madhava, atua na capacidade de ambos vastu-
nirdesa e asirvada. Portanto, esta composição está em conformidade com a
definição de um maha-kavya.
Dentro Kavyadarsa, uma composição apresentada no estilo sarga
foi chamada maha-kavya. No presente verso, o jogo amoroso de Sri Radha-
Madhava é o assunto. Assim, a invocação auspiciosa é tecnicamente uma
definição de conteúdo (vastu-nirdesa). O composto duplo radha-madhava
foi empregado para transmitir a natureza inseparável de seu relacionamento
eterno.

radha-krsna aiche sada eka-i svarupa / lila-rasa asvadite dhare dui rupa
Sri Radha e Krsna são eternamente um identidade, ainda assim, eles
assumiram duas formas a fim de saborear as doçuras dos passatempos
amorosos.

Este verso de Sri Caitanya-caritamrta (Adi-lila 4,98) demonstra o


natureza inalterada da relação entre Sri Radha e Krsna. Isso é também
declarado no Rk-parisista: radhaya madhavo devo madhavenaiva radhika -
"A beleza de Madhava é aumentada por Radha, e a beleza primorosa de
Radha é intensificada por Madhava.” Da mesma forma, Sri Jayadeva
Gosvami aponta para a relação indivisível entre o Casal Divino em seu
verso inicial, empregando o composto dual radha-madhava.
A primeira metade do versículo é ornamentada por samuccaya
alankara e a segunda metade por asih alankara. Consequentemente, há uma
combinação de duas figuras de linguagem distintas em uma frase. Também
encontramos exemplos de vaidarbhi riti, kaisiki vrtti, sambhavita giti,
madhya laya e prasada guna. O herói é anukula nayaka e a heroína é
svädhina-bhartrka nayika. A primeira metade do versículo é um exemplo
de abhilasa-laksana vipralambha-srngara, amorosos sentimentos de
separação, caracterizados por desejo intenso. O chanda (métrica poética) é
sardula-vkridita.

VERSO 2

वाग्दवे ताचरितचित्रितचित्तसद्मा
पद्मावतीचरणचारणचक्रवर्ती।
श्रीवासदु वे रतिके लिकथासमेतम्
एतम् करोति जयदेवकविः प्रबन्धम॥् १-२
vāg-devatā-carita-citrita-citta-sadmā
padmāvatī-caraṇa-cāraṇa-cakravartī |
śrī-vāsudeva-rati-keli-kathā-sametam
etam karoti Jayadeva-kaviḥ prabandham || 1-2
Tradução

O coração do grande poeta Sri Jayadeva Gosvami é como uma mansão da


divindade predominante da fala, lindamente decorada com imagens das
atividades de Sri Krsna. Ele está incessantemente imerso na avidez de
alcançar os pés de lótus de Sri Radha e pelo serviço prestado por
Padmāvati, pois ela apertou suas letras para afinar e ritmo como seus pés
dançantes, ajudando-o descrever os passatempos amorosos de Sri Krsna
nos caramanchões da floresta, ele criou um tremendo surto romântico de
brilhante rasa dentro daqueles devotos que aceitam apenas sentimentos
puros de amor extático.

Comentário

O coração de Sri Jayadeva agora está submerso em uma grande


inundação de felicidade após atingir uma visão momentânea dos
passatempos de Sri Rādhā-Mādhava, conforme indicado pela última linha
do verso anterior. O compassivo imperador dos poetas, Sri Jayadeva,
concede favores a todos os devotos, expressando diretamente sua própria
competência literária neste verso começando com a frase vag-devata-carita.
Jayadevah - Jaya significa “a máxima excelência”; deva significa
dyotayati, prakasayati ou “ele ilumina”. Sri Jayadeva é aquele que ilumina
a máxima excelência dos passatempos de Sri Krsna com sua devoção.
Prabandha - Esta composição literária (prabandha) intitulado Gita-Govinda
atrai o coração de seu público da maneira mais excelente (pra).
Alternativamente, ele desperta os passatempos de Krsna nos corações dos
devotos da maneira mais excelente, libertando-os assim da escravidão
(bandha) da existência material.
Por que este poema é tão atraente? Sri-vasudeva-rati-keli-katha-
sametam. Aqui a palavra sri refere-se a Radha. Vasudeva refere-se ao
mestre e alma residente de todo o universo, Bhagavan Sri Krsna, que
encarnou como filho de Vasudeva. Aquele que ilumina brilhantemente a
dinastia Vasu, o melhor dos Vasus, Sri Nanda Maharaja, é chamado
Vasudeva. Conseqüentemente, o filho de Nanda é chamado de Vasudeva
Krsna. A composição de Sri Jayadeva tem o poder de atrair os corações de
todos porque ele descreveu elaboradamente rati-keli, a brincadeira de amor
de Sri Radha-Krsna. A etimologia desta linha é sris ca vasudevas ca sri-
vasudevau tayo rati-keli-kathah tabhih sametam.
A próxima pergunta é: "Como surgiu essa narração?" Sri Jayadeva
responde que Sri Krsna é a divindade que preside a arte de falar. Ele é o
orador, sempre presente na região mais íntima do coração de Sri Jayadeva,
inspirando-o a escrever. Como a divindade que preside os sentidos do
poeta, Sri Krsna os infunde com potência. Portanto, Sri Jayadeva descreve
sua divindade adoradora como vag-devata, a divindade que preside a fala,
para confirmar que Sri Krsna está pessoalmente compondo este poema.
Os passatempos de Sri Radha-Krsna residem juntos como uma
coleção de pinturas na mansão do coração de Sri Jayadeva. Um pintor
primeiro tem uma visão interna. Depois de transferir essa visão para sua
tela, ela se torna uma pintura. Da mesma forma, esta imagem de
passatempos amorosos foi pintada com o pincel de Sri Jayadeva. A
maravilhosa mansão de seu coração é decorada com pinturas dos encontros
íntimos de Sri Radha-Madhava, e seu fabuloso tesouro é sua fascinante
poesia. O poeta renunciou a todo senso de responsabilidade pela autoria
desta narração porque sua fala e mente estão absorvidas em Madhava.
De onde veio o poder de representar tais passatempos? Em
resposta, Sri Jayadeva admite que seus poderes sensoriais são todos
inspirados por Radha. E como ela está presente dentro desses poderes? Sri
Radha é Padmavati. A etimologia da palavra Padmavati é padmam kare asti
yasyah - “Aquela que segura uma flor de lótus na mão”, ou seja, Radha.
Esta referência a Padmavati implica que o poeta está predominantemente
absorvido no serviço de Padmavati Radha através dança dramática de sua
expressão lírica. Padmavati é também o nome da esposa de Sri Jayadeva. O
grande poeta elogia Radha e simultaneamente expressa sentimentos de
gratidão por sua esposa, Sri Padmavati, que era altamente elevada no
serviço amoroso a Sri Radha-Madhava.
O artifício literário de comparar o coração a uma mansão é um
exemplo de rupaka e anujña alankaras. O chanda é vasanta-tilaka. Também
encontramos exemplos de oja guna, gaudiya riti, bharati vrtti e sambhavita
giti.

VERSO 3

यदि हरिस्मरणे सरसम् मनो


यदि विलासकलासु कुतहू लम।्
मधरु कोमलकान्तपदावलीम्
शृणु तदा जयदेवसरस्वतीम॥् १-३
yadi hari-smaraṇe sarasam mano
yadi vilāsa-kalāsu kutūhalam |
madhura-komala-kānta-padāvalīm
śṛṇu tadā Jayadeva-sarasvatīm || 1-3
Tradução

Caro público! Se sua mente está permeada por doçuras de apego amoroso
sempre renovado, enquanto ouve os passatempos de Sri Hari, e se você está
curioso para saber sobre sua engenhosidade nas artes amorosas, pode
mergulhar em êxtase ouvindo o melífluo, terno e cativantes versos desta
coleção de canções do poeta Jayadeva.

Comentário

O poeta não tem medo nem reluta em admitir sua elegibilidade para
escrever este poema épico. Pessoas estúpidas não acreditam que este seja
um relato genuíno do jogo divino de Bhagavan. Portanto, as qualificações
necessárias para estudar este poema épico foram definidas neste verso.
“Queridos devotos! Se seu coração se comove ao lembrar-se
constantemente de Sri Krsna e você está curioso para saber sobre suas
aventuras deliciosas, como rasa-lila e kuñja-vilasa (A palavra vilasa refere-
se a expressões emocionais específicas de mulheres, como hava-bava. As
atividades de amor apaixonado também são chamadas vilasa.), seu união
nos caramanchões da floresta, sua engenhosidade nos passatempos e a
doçura de seu comportamento astuto, então, por todos os meios, ouça essas
palavras doces de Sri Jayadeva, o bardo de srngara-rasa.”
Alguns devotos obtêm bem-aventurança transcendental lembrando-se de
Sri Hari de uma maneira geral, enquanto outros experimentam felicidade
espiritual a partir de uma leitura específica de seus casos românticos, como
a rasa-lila. Agora, que tipo de poema é esse? Em resposta, o poeta diz:
"Este poema é predominante por srngara-rasa e é excepcionalmente doce.
Seu significado é facilmente compreensível. Cada verso é imensamente
cativante, sendo imbuído de kanti, atributo de beleza de Radha-Krsna
intensificado pelo amor. Como um amante é querido por seu amado, esta
encantadora composição é extremamente cara aos devotos puros. O amor
naturalmente se expressa na música, então Sri Gita-Govinda assumiu
naturalmente o formato de um musical. Deve ser cantado com uma voz
melodiosa. ”
Antigas autoridades em retórica concluíram que madhurya guna e
komalata, as qualidades de doçura e ternura são de dois tipos: sabdasrita,
relacionado às palavras individuais, e arthasrita, relacionado ao
maravilhoso impacto emocional dessas palavras. Ambos os tipos são
evidentes nesta composição.
Além de oferecer reverências, bênçãos e uma definição de
conteúdo, uma invocação auspiciosa tradicionalmente inclui:

(1) Sambandha - a relação entre o assunto e o texto.


(2) Abhidheya - o método de obtenção.
(3) Prayojana - o objetivo final.
(4) Adhikara - as qualificações necessárias para apreciar o assunto.

A lembrança dos passatempos amorosos de Sri Radha-Madhava é


abhidheya. Sri Radha-Madhava são pratipadya, o assunto exposto, e o
poema é pratipadaka, o expositor. Portanto pratipadya e pratipadaka está
dentro smarya-smaraka sambandha, a relação entre o memorável e o
memorial. Somente devotos que experimentam emoções espirituais
extáticas quando ouvem e recitam os passatempos amorosos de Sri Radha-
Madhava são qualificados.
Este terceiro verso apresenta dipaka alankara, pañcali riti, kaisiki
vrtti e drutavilambita chanda.

VERSO 4

वाचः पल्लवयत्यमु ापतिधरः सन्दर्भशद्धि


ु म् गिराम्
जानीते जयदेव एव शरणः श्लाघ्यो दरूु हद्रुते।
शङृ ् गारोत्तरसत्प्रमेयरचनैराचार्यगोवर्धन
स्पर्धी कोऽपि न विश्रतु ः श्रति
ु धरो धोयी कविक्ष्मापतिः॥ १-४
vācaḥ pallavayaty umāpatidharaḥ sandarbha-śuddhim girām
jānīte jayadeva eva śaraṇaḥ ślāghyo durūha-drute |
śṛṅgārottara-sat-prameya-racanair-ācārya-govardhana-
spardhī ko'pi na viśrutaḥ śruti-dharo dhoyī kavi-kṣmāpatiḥ || 1-4

Tradução

A retórica de um ilustre poeta chamado Umapatidhara é adornada com


aliterações e outras figuras de linguagem. O poeta chamado Sarana foi
aclamado por seus versos enigmáticos. Ninguém jamais ouviu falar de um
poeta que pudesse transmitir o sabor do romance mundano com tanta
habilidade quanto Govardhana. Kaviraja Dhoyi pode recitar qualquer coisa
depois de ouvi-lo apenas uma vez. Quando mesmo esses poetas
formidáveis não podiam dominar todos os campos de talento, como poderia
a poesia de Jayadeva abundar com todos os atributos?

Comentário

Sri Jayadeva educadamente se apresentou como o imperador dos


bardos que glorifica os pés de lótus de Padmavati Srimati Radharani.
Continuando no mesmo humor autodepreciativo, ele contrasta o significado
profundo e a maturidade de sua própria composição com as realizações
mundanas inúteis de outros poetas.
Havia seis estudiosos famosos na assembleia real de Maharaja
Laksmana Sena:

(1) O poeta Umapatidhara era o conselheiro do rei Laksmana Sena. Ele só


soube desenvolver sua mensagem elaborando detalhes. Assim, a doçura
linguística e semântica estavam ausentes de sua escrita. Embora suas
composições florescessem em muitos ramos e sub-ramos, ele não
conseguiu torná-los aceitáveis. Como sua poesia não é particularmente
emocionante, ela se limita à categoria de escrita descritiva.

(2) O poeta Sarana era conhecido por sua habilidade de compor


rapidamente versos. Embora fosse popular, sua escrita continha defeitos
como gudharthatva, o emprego de expressões enigmáticas a ponto de serem
ininteligíveis. Atributos como prasada guna também estavam ausentes de
suas obras.

(3) Govardhanacarya foi o terceiro pandit na assembleia de Laksmana


Sena.Seu poder de expressão literária era impecável. Srngara é o estágio
final no desenvolvimento sequencial de rasa. Ninguém poderia competir
com Acarya Govardhana em sua representação do herói comum e heroína
que é o abrigo daquela rasa. No entanto, ele não poderia descrever a outras
rasas.

(4) O poeta Srutidhara era famoso por sua habilidade de comprometer


qualquer composição para memória depois de ouvi-lo apenas uma vez.

(5) Dhoyi Kavi era comumente conhecido como Kaviraja, o rei dos
eruditos. Embora fosse excepcionalmente versado em literatura, ele não
conseguia compor poesia original por conta própria.

(6) O sexto poeta na assembleia de Laksmana Sena foi Sri Jayadeva. A


perfeição da linguagem é alcançada apenas nas descrições do nome, forma,
qualidades e passatempos de Bhagavan, conforme confirmado por Sri
Narada, tad vag-visargo janatagha viplavo (Srimad-Bhagavatam 1.5.11).
Este método de composição impecável era conhecida apenas por Sri
Jayadeva.

Portanto, ele expressa sua humildade da seguinte forma: “Jayadeva


sabe compor poesia perfeita? De modo nenhum. Umapati pode escrever
descrições meticulosamente detalhadas; Sarana Kavi é famoso por compor
versos inescrutáveis rapidamente; Acarya Govardhana não tem igual;
Dhoyi é o rei dos literatos; e Srutidhara tem retenção aural perfeita; mas
Jayadeva não sabe de nada.”
De acordo com o autor de Rasa-mañjari, havia apenas cinco poetas
na assembleia de Laksmana Sena. Ele considera a palavra srutidharah ser
um adjetivo qualificando Dhoyi Kavi, não o título de um poeta específico.
Neste caso, o significado se torna, "Dhoyi Kavi pode recitar qualquer
poema depois de ouvi-lo apenas uma vez."
A divindade que preside o discurso, Sarasvati, provou que a
interpretação mencionada está correta. Porque Sri Gita-Govinda é superior
a todos os outros tipos de poesia? É naturalmente saliente, emotivo,
revelador e doce porque descreve os passatempos de Sri Krsna.
O presente verso apresenta samuccaya alankara e särdula-vikridita
chanda.

CENA UM
Canção 1

O modo musical é malava-gauda raga e o ritmo é rupaka tala.


VERSO 5

प्रलयपयोधिजले धृतवानसि वेदम् ।


विहितवहित्रचरित्रमखेदम॥्
के शवाधृतमीनशरीर जयजगदीशहरे ॥ अ प १-१
pralaya-payodhi-jale dhṛtavān asi vedam |
vihita-vahitra-caritram akhedam ||
keśavā dhṛta-mīna-śarīra jaya jagadīśa hare || apa
1-1

Tradução

Ó Jagadisvara! Ó Hari! De sua morada espiritual eterna, você desce a este


mundo temporário na forma de um peixe e salva os Vedas do oceano de
devastação universal, assim como um navio resgata sem esforço um
homem que está se afogando. Que você seja vitorioso.

Comentário

O único propósito da escrita de Sri Jayadeva é revelar a suprema


doçura presente nos passatempos de Sri Radha-Madhava. O símbolo dos
heróis, Sri Krsna, é o abrigo original de toda a existência. Todos os versos
desta música descrevem o avataras de Sri Krsna começando com Matsya
avatara. O modo musical é malava-gauda raga e o ritmo é rupaka tala.
Malava-gauda raga é caracterizado assim:
nitambini-cumbita-vaktra-padmah
suka-dyutih kundaalavan pramattah
sangita-sälam pravisan pradose
mala-dharo malava-raga-rajah

Malava, o rei das ragas, entra no salão de música em estado de


embriaguez, usando brincos e uma guirlanda de flores. Uma heroína bem
torneada está beijando seu rosto de lótus, e seu brilho é tão esmeralda
quanto um papagaio.

O ritmo conhecido como rupaka tala foi empregado aqui. Rupaka


tala é reconhecido pela combinação de viram e druta no fim.
Existem quatro títulos para Bhagavan neste versículo.
O primeiro é Kesava por vários motivos. (1) O cabelo que caiu de
Bhagavan durante sua encarnação Varaha tornou-se a relva kusa, que é
essencial para o desempenho dos sacrifícios védicos. (2) De acordo com
Panini - kesad vo 'nyatarasyama - a palavra kesava é derivado da palavra
kesa, significando "cabelo" em seu sentido amplamente conhecido,
sufixado pela sílaba va. (3) Entre as doze expansões vyuha de Bhagavän, a
kesava-vyuha vem primeiro. (4) O autor dos estados de Bhagavad-guna-
darpana, prasasta-snigdha-nila-kutila-kuntalah - “O nome Kesava implica
que Bhagavan é aclamado por suas mechas de cabelo preto e macio. ” (5)
Kesavah: ko brahma isas ca tavapi vayate prasastiti - “O controlador e
autoridade instrutora de ambos ka ( Brahma) e isa ( Mahadeva Siva) é
chamado de Kesava. ” (6) Kesan vayate - “O melhor de quem aprecia rasa,
Krsna é chamado Kesava porque decora os cabelos das gopis. ”(7) O
destruidor do demônio Kesi é chamado Kesava. O segundo título é Dhrta-
mina-sarira - “Você que assumiu a forma de um peixe”. Bhagavan desce
em várias formas para libertar os devotos e destruir os pecadores. Entre
suas inúmeras encarnações, dez são proeminentes, começando com Matsya
avatara. Nesta encarnação, Bhagavan matou o demônio Hayagriva, que
havia roubado os Vedas. O terceiro título, Jagadisa, “Senhor do universo”,
significa que ele é o controlador de todo o cosmos e de todas as atividades
da natureza (prakrti). Ele regula a criação, manutenção e dissolução do
universo e ele governa cada detalhe de dentro na forma de antaryami, a
Superalma. O nome Jagadisa também é usado para expressar a compaixão
de Bhagavan.
O significado do quarto título, Hari, é harati bhaktänäm klesam -
“Bhagavan desce para aliviar seus devotos da infindável angústia do mundo
material.” O poeta mostrou a maior consideração por Bhagavan ao usar
esses quatro títulos. Jaya significa: “Ó mestre! Você é especialista em
descobrir sua própria eminência. Que você gentilmente manifeste essa
superioridade. ” A linha jaya jagadisa hare é cantado no final de cada verso.
Portanto, é chamado dhruva-pada, o refrão, de acordo com a convenção -
dhruvatväc ca dhruvo jïeyaù.
Aqui, o poeta relata as atividades nobres de Matsya avatära.
Durante a dissolução universal, ele resgatou sem esforço os Vedas, Manu,
os Sete Sábios e todos os tipos de sementes, puxando-os através das vastas
águas em um barco preso a seu chifre. Nesta encarnação, ele também
protegeu Satyavrata Muni. Portanto, que Bhagavan Kesava seja vitorioso.
Este versículo apresenta urdhvamagadhi riti, upama e atisayokti
alankaras e vira-rasa. O sthayibhava é chamado utsaha. Matsya avatara
também é reconhecida como a divindade predominante de vibhatsa-rasa
(nojo).

VERSO 6

ु तरे तवतिष्ठतिपष्ठ
क्षितिरतिविपल ृ े।
धरणिधरणकिणचक्रगरिष्ठे
के शव धृतकच्छपरूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-२
kṣitir ati-vipula-tare tiṣṭhati tava pṛṣṭhe |
dharaṇ i-dharaṇ a-kiṇ a-cakra-gariṣṭhe
keśava dhṛta-kacchapa-rūpa jaya jagadīśa hare ||
a pa 1-2

Tradução
Ó Kesi-nisudana! O Jagadisa! Ó Hari! Assumindo sua forma de tartaruga,
você segurou a terra em uma parte de suas costas expansivas. A fama da
impressão feita pela terra em suas costas é cada vez maior. Que você seja
vitorioso!

Comentário

A encarnação da tartaruga de Bhagavan está sendo descrita. “Você


não apenas desenhou esta terra (Mandaracala) através das águas da
devastação, mas também a apoiou em suas costas.” Bhagavan está presente
sob a terra em sua encarnação de tartaruga. O reino terreno está situado
como uma pequena bola de brinquedo em suas costas enormes, onde
deixou uma impressão permanente. “Esta cicatriz é o seu ornamento. Que
você seja vitorioso.” Jaya jagadisa hare! Todo o versículo é comparado à
tampa superior de uma caixa decorada com joias deste refrão.

VERSO 7

वसति दशनशिखरे धरणीतवलग्ना ।शशिनि


कलङ्ककलेव
निमग्ना॥
के शव धृतसक
ू ररूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-३
vasati daśana-śikhare dharaṇ ī tava lagnā |
śaśini kalaṅ ka-kaleva nimagnā ||
keśava dhṛta-sūkara-rūpa jaya jagadīśa hare|| a1-
3

Tradução

O Jagadisa! O Kesava! Ó Hari! Ó você que assumiu a forma de um javali!


Como a lua parece conter uma mancha, da mesma forma, a terra está
situada sobre suas presas. Que você seja vitorioso!

Comentário
Bhagavan não apenas apoia a Terra e todos os seres vivos em
movimento e estacionários, mas também acompanha o planeta Terra em
suas presas. No início da criação, Hiranyaksa roubou Bija-bhata Prthvi, a
deusa da terra, e desceu ao sistema planetário Rasatala. Naquela época,
Bhagavan assumiu a forma de um javali, entrou nas águas da devastação e
resgatou Prthvi levantando-a na ponta de suas presas. Ele a colocou na
superfície da água, onde ela flutuou na força de seu poder iogue chamado
satya-sankalpa. Quando Bhagavan estava carregando a terra sobre suas
presas radiantes, ela parecia tão bonita quanto as marcas escuras na lua. O
poeta comparou as presas de Bhagavan com a lua nova para ilustrar o vasto
tamanho de suas presas em comparação com a terra. A terra é tão
imperceptível quanto marcas na lua. A palavra nimagna aponta para a
identidade de Varahadeva como a divindade presidente da bhayanaka-rasa
(terror). Este versículo contém upama alankara."Ó você que aparece na
forma de um javali, que você seja vitorioso!"

VERSO 8

तव करकमलवरे नखमद्भुतशृङ्गम।्
दलितहिरण्यकशिपतु नभु ङृ ् गम॥्
के शव धृतनरहरिरूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-४
tava kara-kamala-vare nakham adbhuta-
śṛṅgam |
dalita-hiraṇyakaśipu-tanu-bhṛṅgam ||
keśava dhṛta-narahari-rūpa jaya jagadīśa
hare || a pa 1-4

Tradução
Ó Jagadisvara! Ó Hari! O Kesava! Você assumiu a forma de
Nrsimha, parte homem e parte leão. Com as unhas afiadas e maravilhosas
de suas excelentes mãos de lótus, você despedaça o corpo de
Hiranyakasipu, assim como uma abelha rasga uma flor. Que você seja
vitorioso!

Comentário
Agora Sri Jayadeva elogia Bhagavan em seu Nrsimha avatara.
Bhagavan Sri Krsna está angustiado com a tristeza dos outros. Ele pode
aceitar qualquer dificuldade por si mesmo, mas não pode tolerar o
sofrimento dos outros. Hiranyakasipu, filho de Diti, cometeu atrocidades
contra seu próprio filho, o grande devoto Prahlada Maharaja. Então
Bhagavan protegeu Prahlada rasgando o peito daquele poderoso demônio
com suas unhas. O Kesava! Você assumiu uma forma que é parte homem e
parte leão. Ficamos maravilhados porque as unhas afiadas de suas
excelentes mãos de lótus parecem ser os pináculos de uma cordilheira. Eles
também se parecem com as pontas das melhores pétalas de lótus. As
abelhas rasgam as pontas de outras flores de lótus, mas as pontas das suas
mãos de lótus rasgaram o corpo semelhante a uma abelha do demônio
Hiranyakasipu. Este é um exemplo de virodhabhasa alankara, a analogia
reversa. Rupaka alanksra também foi empregado comparando o demônio
com uma abelha para transmitir sua escuridão. No dicionário de sânscrito
Visvakosa a palavra srnga pode se referir a uma trompa musical, excelência
e a ponta extrema. Sri Nrsimha é considerada a divindade que preside
vatsalya-rasa (afeto dos pais).
VERSO 9

छलयसि विक्रमणे बलिमद्भुतवामन ।


पदनखनीरजनितजनपावन॥
के शव धृतवामनरूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-५
chalayasi vikramaṇe balim adbhuta-vāmana |
pada-nakha-nīra-janita-jana-pāvana ||
keśava dhṛta-vāmana-rūpa jaya jagadīśa hare || a
pa 1-5

Tradução

Ó Mestre de todo o universo! O Sri Hari! O Kesava! Assumindo a forma de


um anão, você engana o rei Bali com o pretexto de implorar por três passos
de terra. A população do universo foi purificada pela água que tocou suas
unhas (o Ganges). Ó maravilhoso Vamanadeva, que você seja vitorioso!
Comentário

“Você foi à arena sacrificial de Bali com o pretexto de pedir


esmolas. Depois de solicitar a doação de três passos de terra, você assumiu
sua forma gigantesca de Trivikrama e abrangeu os sistemas planetários
superior e inferior.”
O verbo chalayasi está no presente para implicar: “Depois de
misericordiosamente dar uma bênção a Bali, agora você reside com ele em
Patala.” Alternativamente, "Você o tem enganado repetidamente na forma
de um anão desde sempre, sem começo".
A frase pada-nakha-nira-janita-jana-pavana diz que Bhagavan
purificou todo o mundo material ao manifestar o Ganges com as unhas dos
pés. Enquanto Bhagavan se estendia pela terra, Brahma viu seus pés de
lótus em Brahmaloka e ofereceu arghya, a água oferecida na recepção
formal de um dignitário. Essa mesma água se tornou o Ganges. Portanto,
"Ó Kesava, que você seja vitorioso!"
Este versículo é um exemplo da doçura secundária de admiração
(adbhuta-rasa). Aqui Bhagavan aparece como Vamanadeva, a divindade
que preside sakhya-rasa (amizade).
VERSO 10

क्षत्रियरुधिरमये जगदपगतपापम् । स्नपयसि पयसि


शमितभवतापम।्
के शव धृतभृघपु तिरूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-६
kṣatriya-rudhira-maye jagad-apagata-pāpam |
snapayasi payasi śamita-bhava-tāpam |
keśava dhṛta-bhṛghupati-rūpa jaya jagadīśa
hare || a pa 1-6

Tradução

O Jagadisa! Ó Hari! Ó Kesi-nisudana! Você assumiu a forma de Bhrgupati


(Parasurāma). Você dissipou a angústia do mundo material, destruindo a
dinastia da casta militar reinante e purificando o universo com a água de
seu sangue. Ó você que apareceu como Bhrgupati, que você seja vitorioso!
Comentário

A encarnação de Parasurama está sendo glorificada.


"Ó Hari, assumindo a forma de Bhrgupati, você destruiu a casta guerreira
que se tornou inimiga dos brahmanas; não apenas uma, mas vinte e uma
vezes. Você fez do lago de sangue deles um lugar de peregrinação em
Kuruksetra. Ao se banharem ali, todas as entidades vivas do universo são
libertas das reações de seus pecados e alcançam a liberação do sofrimento
da existência material. Quando o conhecimento espiritual desperta, o
sofrimento é aliviado e a pessoa é pacificada”.
Este versículo apresenta svabhavikokti alankara e adbhuta-rasa.
Parasurama avatara é considerado a divindade que preside raudra-rasa
(raiva).
O herói dos primeiros seis versos desta música é dhiroddhata nayaka.

VERSO 11

वितरसि दिक्षु रणे दिक्पतिकमनीयम्


दशमख ु मौलिबलिम् रमणीयम॥्
के शव धृतरामशरीर जयजगदीशहरे ॥ अ प १-७
vitarasi dikṣu raṇ e dik-pati-kamanīyam |
daśa-mukha-mauli-balim ramaṇ īyam ||
keśava dhṛta-rāghupati-rupa jaya jagadīśa hare ||
a pa 1-7

Tradução

Ó mestre do universo, Sri Hari! Ó matador do demônio Kesi! Assumindo a


forma de Sri Rama, você se envolve em batalha com o rei demônio de dez
cabeças, Ravana, e distribui suas cabeças coroadas extremamente atraentes
e cobiçadas como oferendas de sacrifício aos semideuses que presidem as
direções como Indra. Que você seja vitorioso!
Comentário

O caráter de Sri Rama está sendo descrito no sétimo verso desta música.
"Meu Senhor, você apareceu como o tilaka da dinastia Raghu, Sri Rāma,
para tolerar sofrimentos como a separação de seu amado.”
Sri Bhavatan lutou com Ravana, que fez o mundo inteiro chorar.
Naquela batalha terrível, Bhagavan cortou as dez cabeças de Ravana e as
ofereceu como oblações às divindades presidentes das dez direções. Desta
forma, ele trouxe paz a um mundo que havia sido dominado por catástrofes
criadas pelo mal da dinastia raksasa.
A oferta de sacrifício das cabeças de Ravana era cobiçada pelas
divindades presidentes das direções. Esta oblação assinalou a morte de
Ravana e, portanto, deu grande prazer a todas as pessoas do mundo. Sri
Jayadeva expressou isso com as palavras “ dikpati-kamaniyam ”E“
ramaniyam ”. Há dez dikpalas, as divindades presidentes das dez direções e
as cabeças coroadas de Ravana também eram dez. Portanto, esta oferta foi
kamaniya, imensamente agradável para o dikpalas, cada um recebeu uma
cabeça coroada.
Bhagavan aumentou a bem-aventurança de toda a população do
mundo ao matar Ravana porque Ravana estava habituado a infligir dor aos
outros.
Neste verso, o herói é dhirodatta nayaka. Bhagavan Rama avatara é
a divindade que preside karuna-rasa (compaixão).
A etimologia da frase dasa-mukha-mauli-balim é, dasa-mukhasya
ye maulaya tanyeva balim - “As cabeças coroadas de Ravana são a oferta.”
Embora a palavra mauli significa "cabeça" e "coroa", o significado aceito é
"cabeça coroada" de acordo com a interpretação imparcial (tatastha-
laksana).

VERSO 12

वहसि वपषि
ु विशदेवसनम् जलदाभम् ।
हलहतिभीतिमिलितयमनु ाभम॥्
के शव धृतहलधररूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-८
vahasi vapuṣi viśade vasanam jaladābham |
hala-hati-bhīti-milita-yamunābham ||
keśava dhṛta-haladhara-rūpa jaya jagadīśa hare || a pa 1-8

Tradução

Ó Jagat-svami! Ó matador do demônio Kesi! Ó Hari! Você assumiu uma


tez branca brilhante em sua forma de Baladeva Prabhu. Você usa roupas
azuis que lembram a beleza de nuvens de chuva recém-formadas. Parece
que o rio Yamuna se escondeu em sua roupa, temendo o golpe de seu
arado. Ó carregador do arado, que você seja vitorioso!

Comentário

A forma de Bhagavan como o portador do arado, Sri Balarama,


está sendo glorificada no oitavo verso desta canção. As palavras vapusi
visade indicam que a pele clara de Sri Balarama é radiantemente branca. A
palavra jaladabha indica que Balarama Prabhu usa roupas de cor azul
esverdeada. As nuvens azul-escuras densas de água são chamadas de
jalada. A palavra jaladabha é derivado assim jaladasya abha syamä yasya
tam. Como uma nuvem de chuva fresca é uma fonte de alegria para um
fazendeiro, a roupa de Sri Balarama concede bem-aventurança aos devotos.
A etimologia da frase hala-hati-bhiti-milita-yamunäbham é halena yä hatih
tad bhitya milita ya yamuna tasya abha iva abha yasya tat. Não é que
Bhagavan apenas acha intolerável o sofrimento da separação de sua amada,
como ele fez na encarnação de Sri Rama. Aqui o poeta diz: “Você arrastou
à força seu querido devoto, Yamuna, apenas para aliviar a pequena angústia
do cansaço de seu amado. As roupas azuis em seus membros brancos
radiantes dão a impressão de que Yamuna entrou em sua encantadora roupa
azul, temendo o golpe de seu arado.”
O herói deste verso, Sri Balarama, é descrito como dhira-lalita
nayaka. Ele é considerado a divindade que preside hasya-rasa (divina
comédia).

VERSO 13
निन्दति यज्ञविधेरहह श्रति
ु जातम् ।
सदयहृदयदर्शितपशघु ातम॥्
के शव धृतबद्ध
ु शरीर जयजगदीशहरे ॥ अ प १-९
nindati yajñavidherahaha śrutijātam |
sadayahṛdayadarśitapaśughātam ||
keśava dhṛtabuddhaśarīra jayajagadīśahare || a
pa 1-9

Tradução

Ó Jagadisvara! Ó Hari! Ó Kesi-nisüdana! Você assumiu a forma de Buda.


Sendo compassivo e sensível, você desrespeita os Vedas quando vê a
violência infligida aos animais no decorrer de apresentações de sacrifícios.
Que você seja vitorioso!
Comentário

Agora o Bhagavan Buda avatara está sendo elogiado. Os Vedas são


a personificação da respiração de Bhagavan, tasya nihsvasitah vedah. Eles
também são considerados suas ordens pessoais. Quando as concepções
opostas aos Vedas começaram a florescer em nome do sacrifício védico,
Bhagavan desceu na forma de Buda. Alguém pode perguntar: “Se você fez
pessoalmente os regulamentos de sacrifício, então por que falou contra
eles? É surpreendente que você seja o propagador original dos Vedas e
agora os esteja repreendendo.” Em resposta, é afirmado aqui sadaya-hrdaya
darsita-pasu-ghatam - "Porque você é gentil com os animais, você
confundiu os demônios ao instruí-los que a não-violência é a religião mais
elevada (ahimsa paramo dharmah). Na forma de Mohini-murti, você
confundiu os demônios e salvou a ambrosia. Da mesma forma, para
confundir os demônios e salvar os animais, na forma de Buda você mais
tarde ensinou que os sacrifícios eram impróprios ”. O coração de Bhagavan
foi movido de compaixão ao ver a violência cometida contra animais
sacrificados. Nesse avatara, ele foi impelido pela piedade a condenar as
escrituras védicas que defendiam o sacrifício. Neste verso, o herói é dhhira-
santa nayaka. Bhagavan Buda é considerado a divindade que preside santa-
rasa (tranqüilidade).

VERSO 14

म्लेच्छनिवहनिधने कलयसिकरवालम् । धमू के तमि


ु व
किमपिकरालम॥्
के शव धृतकल्किशरीर जयजगदीशहरे ॥ अ प १-१०
mleccha-nivaha-nidhane kalayasi karavālam |
dhūmaketum iva kim api karālam ||
keśava dhṛta-kalki-śarīra jaya jagadīśa hare || a
pa 1-10

Tradução

O Sri Hari, controlador do universo! Ó assassino de Kesi! Assumindo a


forma de Kalki, você empunha uma espada terrível que se assemelha a uma
estrela agourenta enquanto abate os bárbaros. Que você seja vitorioso!

Comentário

Agora o poeta reconta as glórias de Bhagavan Kalki avatara. “Sem


fazer guerra no final da Kali-yuga, a população selvagem não será
destruída. E sem tal destruição, a paz não será estabelecida. Portanto, você
assume a forma de Kalki e extermina os bárbaros. Você empunha uma
espada terrível que parece ser a morte personificada enquanto você aniquila
os humanos degradados. ” O poeta usou as palavras kim api para enfatizar
que esta espada é a personificação do terror. Dhumaketum iva - Dhumaketu
é o nome de uma particular estrela temida que significa desastre iminente.
A espada de Bhagavan é o Dhumaketu que significa perigo iminente para
os humanos bárbaros. A palavra dhumaketu também significa “fogo”,
indicando que sua espada é indesejável para a sociedade incivilizada. O
herói do verso atual é dhiroddhata nayaka. Kalki Bhagavan é considerado a
divindade que preside vira-rasa (cavalaria).

VERSO 15

श्रीजयदेवकवेरिदमदि ु दम् शभु दम् भवसारम।्


ु तमदु ारम् । शृणु सख
के शव धृतदशविधरूप जयजगदीशहरे ॥ अ प १-११
śrī-jayadeva-kaver idam uditam udāram |
śṛṇ u sukha-dam śubha dam bhava-sāram |
keśava dhṛta-daśa-vidha-rūpa jaya jagadīśa hare || a pa 1-11

Tradução

Ó Jagadisvara! O Sri Hari! Ó Kesi-nisudana! Ó você que aparece em dez


formas diferentes! Que você fique satisfeito em ouvir esta magnânima
oração de glorificação de Sri Jayadeva, que concede felicidade e
auspiciosidade. É a essência extraída de toda existência material.

Comentário

Depois de cantar, “Vitória aos dez avataras que são as divindades


presidentes das várias rasas, ”Agora o grande poeta Jayadeva faz seu
humilde pedido ao herói indiscutível de todas rasas. "Ó você que é a
personificação de todas as dez formas, possa ser vitorioso!" Sukha-dam -
Este elogio poético concede felicidade transcendental assim que ouve-se
porque remove imediatamente a absorção em qualquer outra coisa. Subha-
dam - Esta oração confere auspiciosidade ao mundo porque ele revela os
mistérios de seus passatempos de aparência e destrói todos os
impedimentos que obscurecem a realização de Paramatma. Bhava-saram -
Esta frase é um exemplo de um composto em que o meio termo foi
eliminado (madhya-pada lopi samasa). A frase completa é bhava-cchedaka
hetu madhye saram - “Esta oração é a essência de todos os processos para
cruzar o oceano da existência material.” Jaya - O uso do tempo presente
indica que todas as encarnações de Bhagavan são eternos e seus
passatempos também são eternos. O poeta também testemunhou que Sri
Krsna é a causa original de todas as encarnações. Todos avataras
manifestaram-se dele. Ele é a realidade última que aparece em diferentes
formas. Portanto, “Ó origem completa de todos avataras, você se deleita
infinitamente com seus passatempos. Você atrai os corações de todos e
concede felicidade transcendental sublime sobre eles. Que você seja
eternamente vitorioso! Seu devoto, Sri Jayadeva, está oferecendo esta
oração a você. ” Neste versículo encontramos santa-rasa e paryayokta
alankara.

VERSO 16

वेदानद्ध
ु रते जगन्निवहते भगू ोलमद्बिु भ्रते
दैत्यम् दारयते बलिम् छलयते क्षत्रक्षयम् कुर्वते।
पौलस्त्यम् जयते हलम् कलयते कारुण्यमातन्वते
म्लेच्छान्मर्च्छ
ू यते दशाकृ तिकृ ते कृ ष्णाय तभ्ु यम् नमः॥ १-५
Vedān uddharate jaganni vahate bhū-golam udbibhrate
daityam dārayate balim chalayate kṣatra-kṣayam kurvate |
paulastyam jayate halam kalayate kāruṇ yam ātanvate
mlecchān mūrcchayate daśākṛti-kṛte kṛṣṇ āya tubhyam namaḥ || 1-5

Tradução

Para o libertador dos Vedas, o sustentador do mundo dos seres vivos


móveis e estacionários, o salvador da Mãe Terra, o matador de
Hiranyakasipu, o enganador de Bali, o destruidor de ksatriyas, o
conquistador de Paulastya (Ravana), o manejador do arado chamado
Ayudha, o advogado da compaixão e o matador dos bárbaros; a você que
assume essas dez formas espirituais, ó Sri Krsna! Eu ofereço minhas
reverências a você.

Comentário
Nos dez versos da primeira música do primeiro ato de Sri Gita-
Govinda, Sri Jayadeva retratou os encantadores passatempos do avataras de
Bhagavan Sri Krsna. Sri Krsna se manifesta na forma desses dez avataras.
Ele entregou os Vedas na forma de Matsya, defendeu o mundo na forma de
Kurma, salvou a Mãe Terra na forma de Varaha, matou Hiranyakasipu na
forma de Nrsimha, enganou Bali e o tornou seu no forma de Vamana, ele
aniquilou os perversos ksatriyas na forma de Parasurama, ele castigou os
malfeitores na forma de Balabhadra, ele defendeu a compaixão na forma de
Buda e matou os bárbaros na forma de Kalki.
“Ó Bhagavan Sri Krsna! Ó você que assume estas dez encarnações,
reverências a você. "
A primeira música, intitulada Dasavatara-stotra, é composto no
chanda chamado kirti-dhavala. Ragas apropriados incluem parasvara e
madhyama dentro adi tala.

Nós também encontramos vilambita laya, mädhyamé réti e Çåìgära-rasa.


.

VERSO 17

श्रितकमलाकुचमण्डल धृतकुण्डल ए ।
कलितललितवनमाल जय जय देव हरे ॥ अ प २ १-
Srita-kamalā-kuca-maṇḍala dhṛta-kuṇḍala e |
kalita-lalita-vanamāla jaya jaya deva hare || a pa 2-1

Tradução

Ó Deva! Ó Hari! Ó Tu que se abriga nos seios redondos de Sri Radha! (Ó


Tu que se deleita em passatempos com o seio cheio de Kamala!) Ó Tu
cujas orelhas são decoradas com brincos e que usam uma guirlanda
encantadora de flores da floresta! Ó Hari, que você seja triunfante!
Comentário

Na primeira música, Krsna foi descrito como o sujeito da adoração


de todos. Agora Sri Jayadeva o glorifica como sujeito exclusivo de
contemplação e meditação. Essas orações revelam tanto a maior excelência
de Krsna como a joia de topo de todos os heróis e seus vários humores
como o cavalheiresco (dhirodatta), o arrogante (dhiroddhata), o sóbrio
(dhira-santa) e o romântico (dhira-lalita) herói.
Srita-kamalä-kuca-mandala e - a etimologia desta frase é srita-
kamalayah kuca-mandalam yena 'sau tatsamvuksai srita-kamala-kuca-
mandala, “Sri Krsna é o servo dos seios redondos de Radha.” Ele é o
amado de Laksmi, sua mais querida deusa da fortuna. Esta linha infere que
Krsna se deleita em jogos amorosos; ele é despreocupado, astuto nas artes
do amor e perito em brincar.

Dhrta-kundala e (dhrte ku Šala yena sa tath € tasya sambuddhih) - “Ele


quem colocou brincos. ” A beleza de seu rosto de lótus é ainda mais
realçada por aqueles Makara- brincos em forma. 2 Kalita-lalita-vanamäla -
“Você colocou uma guirlanda de flores da floresta extremamente atraente.”
O autor do Viçvakoça estados do dicionário: 2 o Makara é uma criatura
semelhante a um tubarão retratada na bandeira do Cupido.

äpäda-lambiné mälä
vanamäleti täà viduù
patra-puñpa-mayé mälä
vanamälä prakértitä

Uma guirlanda que desce até os pés é chamada vanamälä. Essa guirlanda é
feita de folhas e flores.
Assim, a juventude de K Ša foi proclamada por essas três frases adjetivas.
Seu estilo de vestir também foi revelado - gopa-veça veëu-kara, nava-
kiçora naöa-vara. “Decorado como um dançarino no palco, o vaqueiro
Kåñëa é um jovem jovem com uma flauta na mão.” ( Çré Caitanya-
caritämåta, Madhya-lélä 21,101)
Hare - Ó ®r… K Ša, você atrai o coração, a mente e o prana (ar vital) de a
todos, exibindo o esplendor de seus passatempos maravilhosos entre eles.
Os versos são conectados pelo refrão jaya jaya deva hare.

®r… K Ša é retratado como dh… ra-lalita n € yaka. Este herói é


caracterizado por sua habilidade em eros, sua juventude, sua perícia no
humor, a ausência de ansiedade e submissão a seus amados.

A carta " e ”É um enfeite ( äläpa) colocado apropriadamente para completar


o raga.

Verso 18

dina-maëi-maëòala-maëòana bhava-khaëòana e
muni-jana-mänasa-haàsa jaya jaya deva hare ( 2)

Tradução

Ó Deva! Ó Hari! Você é o ornamento do globo solar. Você rompe a


escravidão da existência material. Você é o cisne que se diverte no Lago
Mänasa-sarovara dos corações dos sábios. Que você seja triunfante! Que
você seja triunfante!

Comentário

Dina-maëi-maëòala-maëòana - “Como o sol adora todos, você é digno de


contemplação e adoração.”

Os Vedas prescrevem, dheyah sadä savitå-maëòala-madhya-varté,


näräyaëaù sarasijäsana sanniviñöaù - "®r… Bhagav € n reside dentro do
planeta sol na forma da Testemunha Residente ( antaryämé). Isso deve ser
lembrado durante a meditação. ”
E, jyotir-abhyantare çyämasundaram atulam - “O incomparável ®y €
masundara reside na luz. ”
Bhava-khaëòana e - As qualidades da alma foram descritas em Chändogya
Upaniñad ( 8.7.1):

eña ätmäpahata-päpmä vijaro vimåtyur viçoko vijighatso 'pipäsaù satya-


kämaù satya-saìkalpaù

Por natureza, a alma está livre da escravidão das ações; livre da velhice,
morte, lamentação, perplexidade, fome e sede. Ele não tem desejos sensuais
e todos os seus desejos espirituais se tornam realizados.

Essas qualidades ficam ocultas enquanto a pessoa está caída na existência


material, mas se manifestam quando Bhagav € n concede sua misericórdia.
Portanto, Bhagav € n ®r… K Ša foi tratado como bhava-kha Šana -
“Aquele que destrói o seu emaranhado na existência material.”

Muni-jana-mänasa-haàsa (muni-janänäm mänasäni iva mänasäni teñu

haàsa iva haàsa) - “Enquanto o rei dos cisnes se diverte no Lago Mänasa,
você realiza seus passatempos nas mentes dos sábios atenciosos. Uma visão
interna de sua brincadeira amorosa é continuamente revelada a eles. ”

Os visionários equilibrados são tolerantes diante da adversidade e


condecorados com todas as qualidades meritórias, como a humildade.
Assim, eles estão totalmente engajados no serviço supramundano de K Ša (
bhajana). Por sua misericórdia, eles se separam completamente da
existência material.

Deva - Bhagavän é chamado de Deva porque ele está repleto de atributos


divinos

( divya-guna).

Jaya - Este verbo revela a imensa honra do poeta por ®r… K Ša. O herói
deste versículo é o sóbrio dh… ra-Š € nta n € yaka.
3344

Ato Um

Versículo 19

käliya-viña-dhara-gaïjana jana-raïjana e

yadu-kula-nalina-dineça jaya jaya deva lebre ( 3)

Tradução

( Deva! Ó Hari! Você pulveriza o orgulho da cobra venenosa,


Käliya. Você enche o coração de seus entes queridos com alegria sem fim.
Você é o sol que faz o lótus da dinastia Yadu florescer. Que você seja
triunfante! Que você seja triunfante!

Comentário

Depois de orar a K Ša como objeto de sua adoração, o poeta agora glorifica


K Ša como objeto de sua meditação. Aqui Çré Kåñëa é retratado como o

herói arrogante, dhéroddhata näyaka.

Käliya-viña-dhara-gaïjana - Bhagav € n ®r… K Ša esmagou o orgulho do

Serpente venenosa de cem cabeças, Käliya, que vivia no Rio Yamunä em


Käliya-daha em Våndävana.

Jana-raïjana e - Ao subjugar Käliya, Bhagavän deu prazer ao povo de

Vraja. K Ša sabe muito bem que eles não desejam nada além de seu bem-
estar. Além disso, ele pensa: "Eles não podem nem mesmo permanecer
vivos sem mim." Sua proteção e satisfação também se tornam
responsabilidade de K Ša. "Ó vocês que encantam seus devotos, possam ser
triunfantes!"

Yadu-kula-nalina-dineça - Como um lótus floresce quando o sol nasce, o


Yadu

dinastia floresce quando Bhagav € n desce entre eles. Os vaqueiros de


Vraja também são Yädavas.

Portanto, K Ša é a única luz de Gokula.

Este versículo descreve Bhagav € n como um indivíduo poderoso que


anima seus devotos e que pertence a uma família nobre.

“Ó Deva, gentilmente esmague a vaidade de egoístas invejosos como nós,


tornando-nos profundamente felizes.”

O herói arrogante, dhéroddhata näyaka, é malicioso, orgulhoso, traiçoeiro,


zangado, inconstante e orgulhoso.

3355

Çré Geta- govinda

Verso 20

madhu-mura-naraka-vinäçana garuŠäsana e

sura-kula-keli-nidäna jaya jaya deva hare ( 4)

Tradução
Ó Deva! Ó Hari! Ó destruidor dos demônios Madhu, Mura e Naraka!
Ó você que cavalga sobre a sua águia transcendente Garuòa! Você inspira
as brincadeiras deliciosas dos semideuses. Que você seja triunfante! Que
você seja triunfante!

Comentário

Madhu-mura-naraka-vinäçana - Bhagavän destrói os demônios Madhu e


Naraka durante sua residência em Dvärakä. A referência a Mura alude a
seus poderes místicos de engano.

®r… K Ša exibe noventa e seis traços heróicos enquanto realiza seus


passatempos de prazer

eterno em três reinos espirituais: Gokula, Mathurä e Dvärakä. Seu papel


como o herói arrogante ( dhéroddhata) é indicado aqui.

Garu € € sana e (garu € a € sanaana yasya tat-sambuddhau) - Bhagavän é

GaruŠasana, aquele que aceita o rei dos pássaros, GaruŠa, como seu trono.

Sura-kula-keli-nidäna - Ele aumenta a felicidade dos semideuses em

aniquilando os demônios e ele pessoalmente se envolve em diversões bem-


aventuradas junto com seus devotos puros.

"Ó Hari, que você seja triunfante!"

Versículo 21

amala-kamala-dala-locana bhava-mocana e

tri-bhuvana-bhavana-nidhäna jaya jaya deva hare ( 5)

Tradução
Ó Deva! Ó Hari! Seus olhos arregalados lembram as pétalas de uma
flor de lótus imaculada. Você concede a emancipação da tristeza da
existência material. Você

3366

Ato Um

são a base dos três mundos. Que você seja triunfante! Que você seja
triunfante!

Comentário

Este verso retrata K Ša como o herói cavalheiresco ( dhérodätta näyaka).

Amala-kamala-dala-locana (amale ye kamala-dale te iva locane yasyä 'sau

tath € vidhah tat sambuddhau) - "Ele cujos olhos são imaculados como as
pétalas de uma flor de lótus imaculada." Seus olhos acalmam o sofrimento
e roubam o coração, a mente e o prana de todos, conforme declarado no
®r… Caitanya-carit € m € ta (Madhya-lél € 21,105).

terache netr € nta v € Ša, t € ra d € ha sandh € na

vindhe rädhä-gopé-gaëa-mana

A poderosa flecha de seu olhar de soslaio perfura os corações de Rädhä e


os gopés.

Bhava-mocana - Bhagavän compassivamente entrega seus devotos do


cadeia infinita de nascimento e morte e ele protege todas as entidades
vivas.

Tribhuvana-bhavana-nidhäna - Çré Hari permeia as três divisões


planetárias

sões do universo ( tribhuvana). Ele é o armazém do tesouro ( nidhi) no


palácio ( bhavana) dos três mundos, a causa primária e o pai original.

Todas as qualidades do herói cavalheiresco - gravidade, cortesia, perdão,


compaixão, adesão aos votos, modéstia no falar, honestidade e o poder de
frustrar o orgulho de outros heróis - existem em sua plenitude apenas na
Personalidade Suprema, Çré Kåñëa.

"Que você seja triunfante!"

3377

Çré Geta- govinda

Verso 22
janaka-sutä-kta-bhunaëa jita-dunaëa e

samara-çamita-daçakaëöha jaya jaya deva hare ( 6)

Tradução

Ó Deva! Ó Hari! Você decora Sétä-devé em sua encarnação como


®ré Rāma. Você derrota o demônio Dunaëa e restaura a paz ao mundo
matando o cabeçudo Rävaëa em batalha. Que você seja triunfante! Que
você seja triunfante!

Comentário

Janaka-sütä-kta-bhüñaëa - “Ó Deva, como um herói cavalheiresco, você


decora a filha de Janaka Mahäräja com suas próprias mãos. Sua pele está
tão escura quanto recém-crescida Durvä Relva. Portanto, você é o
ornamento da forma dourada de Sita. Ó você que é constante em seus
votos, que você seja triunfante! "

Jita-düñaëa e (jita-düñaëau yenä 'sau) - “Durante seu exílio no Daëòaka

floresta, você mata o canibal Dunaëa. ”

Samara-çamita-daçakaëöha - “O rei demônio Rāvaëa foi firme em

batalha, beligerante e arrogante. No entanto, você fez um guerreiro tão


poderoso cair no chão e ficar em silêncio. Ó mestre de todos os heróis
cavalheirescos! Ó Hari, que você que está adornado com os atributos de
profunda dignidade e perdão seja triunfante! ”

Versículo 23

abhinava-jaladhara-sundara dhāta-mandara e

çré-mukha-candra-cakora jaya jaya deva lebre ( 7)


Tradução

Ó Çyämasundara, sua pele é brilhante como uma nuvem de chuva


fresca. Ó detentor da Montanha Mandara! Como um cakora pássaro
pinheiros pela lua, você está incessantemente apegado à face lunar da
suprema deusa da fortuna, ®r… R € dh €. Ó Hari! Ó Deva! Que você seja
triunfante! Que você seja triunfante!

3388

Ato Um

Comentário

Neste verso, o poeta apresentou os passatempos de várias encarnações de


Bhagavän ao estabelecer

a predominância do herói romântico ( dhéra-

lalita näyaka).

Dhata-mandara - “Quando a Montanha Mandara não permaneceria estável,

você se tornou uma tartaruga e a segurou firmemente no lugar. Assumindo


simultaneamente outra

forma, você então ajudou os semideuses a agitar o oceano de leite. ”


Alternativamente, dhata-mandara significa "Você que mantém firme o seio
de ®ré Rädhä."

Çré-mukha-candra-cakora - A face de lótus de Rädhä é uma fonte constante


de
alegria para K Ša. Como um cakora pássaro em um estado de distração
encara com olhos fixos na direção da lua, Bhagavän sente extrema alegria
ao ver o rosto encantador de Rädhä. “Ó Deva! Ó Hari! Que você seja
triunfante! ”

A frase abhinava-jaladhara sundara lança luz sobre a juventude de


Bhagavän. A palavra cakora indica que ele está subjugado pela afeição de
seus amantes. A frase dhata-mandara, referindo-se ao passatempo de Kåñëa
de segurar os seios de Rädhä, revela sua destreza em brincadeiras
amorosas. Essas três qualidades são proeminentes no herói romântico. "Ó
mestre, que você seja triunfante!"

Verso 24

tava caraëe praëatä vayam iti bhävaya e kuru kuçalaà

praëateñu jaya jaya deva hare ( 8)

Tradução

Ó Bhagavän, tomamos refúgio exclusivo aos seus pés de lótus. Que


você possa conferir auspiciosidade abençoando-nos com o presente do
amor transcendental. Ó Deva! Ó Hari! Que você seja triunfante! Que você
seja triunfante!

Comentário

®r… Jayadeva implora a ®r… K Ša que misericordiosamente confira


auspiciosidade aos recitadores e ouvintes de seu poema. “Ó oceano de
qualidades auspiciosas, nós nos curvamos
3399

Çré Geta- govinda

abaixe-se e renda-se aos seus pés de lótus. Que você destrua todos os
pecados e sofrimento de seus devotos. Você e seus passatempos são a
personificação da mais alta bem-aventurança. Que você possa expandir
nossa alegria, concedendo uma visão desses passatempos dentro de nossos
corações. ”

Versículo 25

çré-jayadeva-kaver idaà kurute mudam e maìgalam

ujjvala-gétaà jaya jaya deva hare ( 9)

Tradução

Ó Deva, que esta encantadora, radiante e melodiosa invocação de


auspiciosidade ( maìgaläcaraëa) composto por Çré Jayadeva aumenta sua
felicidade. Que ele conceda bem-aventurança aos seus devotos que ouvem
e recitam suas gloriosas qualidades. Que você seja triunfante! Que você
seja triunfante!

Comentário

Ao completar seu elogio a Bhagav € n, ®r… Jayadeva apresenta esta


humilde súplica: “Ó Deva, ao

recitar esta invocação auspiciosa, fiz a promessa de cantar sobre as doçuras


do amor amante, ujjvala-rasa, e para descrever seus passatempos amorosos
com Rädhä. Simplesmente fazendo isso, ondas turbulentas de euforia
começaram a surgir em meu coração. Se há tanta bem-aventurança nesta
invocação, então não posso estimar quanto haverá na narração de seus
passatempos. Que minha música auspiciosa seja uma fonte de alegria para
vocês dois e que também possa conferir sucesso espiritual àqueles que a
ouvem e recitam. ”

O medidor desta música é maìgala chanda.

4400

Ato Um

Verso 26

?? Ì… Ì ?? Ì ™ ÌÌâŒÌœútÌhõÕ ?? ÌÍœúœú˜ — Ì¡ô ÷ OÌî-


Fǫ̀˜ÌÕœú˜ÌÙÍ ‡ ùt̘ÌÙœ ÷ Ì⠘̌ÌÙ²ÌÜzù ?? ̲ ™ Ì *

¥ ™ ÌHòÌ ?? ÌÙœ ÷ ÌOÌÍ˜Ì ¥ Ì LÌâ¡ô ÷ zù ?? ÌWóLÌâzù-

² ¥ Ìâzù̘ – ÌÙ ?? ÌÜœú˜Ì ?? ÌÙ ?? ÌÜœú ™ ÌtÌÙ Í p Ì ™ ÌÉ ¥ Ì: * 26


*

padmä-payodhara-taöé-parirambha-lagna-

kassméra-mudritam uro madhusüdanasya


vyaktänurägam iva khelad-ana ga-kheda-

svedämbu-püram anupürayatu priyaà vaù

Tradução

Depois de abraçar Rädhä, o peito de Kåñëa carrega o colorido Kuìkuma


impressão de seus seios, como se o amor profundo em seu coração se
manifestasse externamente. Seu peito também está coberto com gotas de
suor do exercício de jogos de amor apaixonados ( kandarpa-kréòä). Que o
peito de Madhusudana, assim decorado durante a união com sua amada,
satisfaça os desejos dos corações de todos vocês.

Comentário

Depois de oferecer reverência a ®ré Kåñëa na canção anterior, ®ré


Jayadeva recitou o verso atual para abençoar o público.

Padmä-payodhara-taöé - Quando Kåñëa abraça sua amada mais querida, o

cosmético vermelhão ( kuìkuma-keçara) que foi espalhado até os mamilos


derrete e deixa uma marca de seu seio no peito de Bhagavän. Seu coração é
sempre colorido por um apego profundo ( anuraga) a Rädhä e sua afeição
por ela é incomparável. As palavras Payodhara-taöé indicam que os seios
fartos de Rädhä estão bem elevados e que seus mamilos lembram o pico de
uma montanha cercada por terreno irregular.

Parirambha-lagna-k € Šm… ra - A impressão dos seios de Rädhä no peito


de Kåñëa

indica sua imersão em um abraço prolongado.


4411

Çré Geta- govinda

Mudritam uro - A imagem do seio de Rädhä no peito de K Ša foi

impresso como um selo de aprovação. A beleza de seu peito é intensificada


incomensuravelmente por essa demonstração de amor. Oh, quão virtuoso é
seu afeto excessivo.

Vyaktänurägam iva - O apego amoroso ( anuraga) anteriormente oculto em


seu coração tornou-se claramente manifesto. Ele manifestou sua cor
externamente, de modo que seu coração não pode ser manchado pelo amor
de mais ninguém.

Khelad-anaìga-kheda-svedämbu-puram - Gotas de suor em

O peito largo de Kåñëa revela sua exaustão devido ao envolvimento


prolongado nos esportes de Cupido. Assim, o amor dentro de seu coração
tornou-se visível, disfarçado como uma mistura de seu vermelhão e sua
transpiração.

Anupurayatu priyaà vaù - "Que o peito vermelho de Kåñëa preencha nosso

desejos mais acalentados, aumentando o amor divino em nossos corações. ”

Este verso foi cantado em vasanta raga, aludindo à natureza de Bhagav € n


na primavera. A heroína é Mugdhä näyikä e o herói é kuçala n € yaka.

Aqui encontramos vasanta-tilakä chanda. o alaìkäras incluir äçéù, utprekñä


e anupräsa. o rasa é Çåìgära.

S CENE T HREE

Verso 27
¥ Ì²Ì ?? tÌâ ¥ ÌÌ²Ì ?? tÌÕFÙò²Ì̲٘ÌÙFÙò˜ÌÌœæúœú ¥ Ì ™ Ì ¥ Ìæ

B ÌÊ˜Ì ?? tÌÖ FòÌ ?? tÌÌœâú –Ì · ÙþÍ ¥ ÌÍ · þtÌFßò s sÌÌ ?? Ìٲ̜úsÌ̘ÌÆ *


+??˜Ì ??ÌtÌÍZÌzÉù??FòtÌÌFÙò¡ô??zù ??÷tÌÌÊ`™ ¥ÌÌ Ìœú`ÌÍ

¥ Ì¡ô ÷ ‚ùÌŒÌÌÉ œ ÷ ÌŒÌÌÉ ²Ìœú²Ì͘Ìzù˜ÌÜZÌâ ²Ì · þZÌœ ÷ Õ * 27 *

vasante väsanté-kusuma-sukumärair avayavair

bhramantéà käntäre bahu-vihita-kåñëänusaraëäm

amandaà kandarpa-jvara-janita-cintäkulatayä

valad-bädhäà rädhäà sarasam idam uce sahacaré

4422

Ato Um

Tradução

Certa vez, na esplêndida estação da primavera, quando Rädhikä ansiava por


K Ša, ela começou a procurá-lo em um bosque após o outro. Seus membros
elegantes e jovens, macios como madhavé flores, ficou cansado e Cupido
fez sua mente delirar de ansiedade. Naquela época, sua amiga íntima se
dirigiu a ela carinhosamente da seguinte maneira.

Comentário

®r… Jayadeva descreveu as virtudes preeminentes de ®r… R € dh € -M €


dhava ao descrever seu encontro auspicioso e cativante. Nesse prólogo, o
lótus do coração do poeta começou a desabrochar de alegria. Portanto, ele
foi movido a retratar Kåñëa como o de Rädhikä anuküla näyaka, adornado
com os atributos do dakñiëa,

dhåñöa e çaöha näyaka. Em concordância com sücé-kaöäha-nyäya, a lógica


de

realizando uma tarefa relativamente fácil antes de tentar uma árdua, Çré
Çukadeva primeiro demonstrou a excelência de todos os gopés antes de
finalmente estabelecer a supremacia de Rädhä. Da mesma forma, Çré
Jayadeva irá descrever aqui os sintomas de oito tipos de näyikä 3 em
Rädhä, em última análise, para estabelecê-la como a joia principal de todas
as heroínas.

No versículo atual, Rädhikä é descrita como uma heroína que está ansiosa
devido à separação de seu amado ( utkaëöhitä näyikä). Bharata Muni
explicou os sintomas desta heroína em Näöya-çästra, seu trabalho na teoria
dramática. Esta heroína é devassa, afligida por paixão sensual e febre alta.
Os membros de seu corpo sem brilho tremem, seus cabelos se arrepiam e
ela fica repetidamente confusa. Ela experimenta tremores corporais e
horripilação intensa. Sua fala é impelida por uma impaciência fervorosa.
Dentro Çåìgära-tilaka ( 1,78) os sintomas de virahotkaëöhitä näyikä foram
descritos da seguinte forma:

utkä bhavati sä yasyäù

saìketaà nägataù priyaù

tasyä 'nägamane hetuà

cintayaty äkulä yathä

3 Os oito tipos de näyikä são (1) abhisärikä, ( 2) väsakasajjä, ( 3)


utkaëöhitä, ( 4) khaëòitä,

(5) vipralabdhä, ( 6) kalahäntaritä, ( 7) proñita-bhartåkä, ( 8) svädhéna-


bhartåkä.
4433

Çré Geta- govinda

Uma heroína cujo herói não chega pontualmente ao local de encontro


marcado é chamada virahotkaëöhitä näyikä. Ela pondera cuidadosamente
sobre os motivos da ausência de seu amado e fica muito ansiosa.

O versículo atual é a base de vipralambha-Çåìgära, sentimentos de um


amante durante a separação. O poeta narra um incidente em que um sakhé

de Rädhikä diz: "Ó Rädhä, seu corpo é tão macio quanto um madhavé flor,
mas você está vagando em busca de seu amante aqui na vegetação rasteira
da floresta, que está cheia de espinhos e grama pontiaguda. Apesar de
pesquisar extensivamente, você não encontrou o seu querido. Você é
atormentado pelas flechas de Cupido e ardendo em uma febre de desejos
sensuais enquanto anseia pela associação de Kåñëa ”.

A hora ou estação específica, indicada pela palavra vasanta, primavera, é o


estimulante ( uddépana-vibhäva) neste versículo. A palavra calad ( uma
leitura alternativa para a palavra valad) é um adjetivo que se refere a
Rädhä, indicando que ela tem procurado repetidamente por Kåñëa na
floresta. Esperando contra a esperança, ela pensa: “Talvez meu querido
esteja prestes a chegar. Ele pode vir a qualquer momento. ”

Väsanté-kusuma-sukumärair avayavaiù - “Os membros do corpo de Rädhä

parecem flores da primavera. ” A comparação foi feita para transmitir a


ternura de sua beleza juvenil.

Väsanté-kusuma - O madhavé videira em plena floração durante a


primavera. Esta frase indica
que os membros de ®ré Rädhä são tão encantadores e delicados quanto as
flores dos madhavé videira.

“Ó Rädhä, é certo que seu amado o abandonou e agora ele deve estar
desfrutando de passatempos amorosos com outra pessoa. Na noite do
primeiro outono räsa-lélä, K Ša experimentou sua incomparável doçura e
começou a considerar seu famoso apego amoroso a você um sucesso.
Portanto, às vezes ele procura por alguns dias, como se estivesse minerando
pedras preciosas, apenas para descobrir se alguém em Vraja-maëòala é
igual a você ou não. Para satisfazer sua curiosidade, Yogamäyä inspirou
Kaasa a enviar Akrüra para Nanda Gaon. Então Kåñëa partiu com Akrüra
para Mathurä, que é densamente povoado por um número astronômico de
mulheres.

“K Ša descobriu que ninguém em Mathur € -ma Šala poderia se comparar


com a beleza e as qualidades atraentes das donzelas de Vraja. Então ele
partiu para Dvärakä, como se impelido pelo desejo de encontrar um igual.
Em Dvärakä ele se casou

4444

Ato Um

as filhas de reis, mas ainda assim sua busca não estava completa. Então ele
se casou com as dezesseis mil princesas que foram sequestradas por
Narakasura. Eles incluíam donzelas celestiais, donzelas entre os atendentes
de Kuvera, as filhas de serpentes e donzelas humanas. Mesmo assim, ó
Rädhikä, ele não conseguiu encontrar ninguém como você, então ele voltou
novamente para Vraja depois de matar Dantavakra. ”

O retorno de Kåñëa a Vraja, após seu domicílio de longo prazo em uma


terra distante, é discutido em Padma Purana:
kåñëo 'pi taà dantavakraà hatvä yamunäm uttérya nanda-vrajaà gatvä
sotkaëöhau pitarau abhivädyäçväsya täbhyäà säçru-kaëöham äliìgita nanda-
vrajaà gatvä sotkaëöhau pitarau abhivädyäçväsya täbhyäà säçru-kaëöham
äliìgitahān

sakala gvāndän-sakala gvopa-våndän praän sakala gvopa-våndän praän


sakala gvopa-våndän praän sakala gvopa-våndän praän sakala gvopa-
våndän pän-sak

Depois de matar Dantavakra, K Ša cruzou o Yamunä e chegou a Vraja. Lá


ele ofereceu reverências a Nanda e Ya oda, e os confortou de várias
maneiras. Eles banharam K Ša em suas lágrimas e pacificaram sua angústia
de longa data, abraçando-o em seus corações. Então ele se encontrou com
todos os outros vaqueiros e aliviou suas tristezas. Finalmente, ele se
encontrou com o gopés e acalmou sua dor de separação.

No Primeiro Canto de Çrémad-Bhägavatam, os residentes de Dvärakä


dizem:

yarhy ambujäkñäpasasära bho bhavän

kurün madhün vätha suhåd-didåkñayä

taträbda-koöi-pratimaù kñaëo bhaved

ravià vinäkñëor iva nas taväcyuta

Ó de olhos de lótus, quando você vai embora para Kurudeça e


Madhupuré (Vrajamaëòala), um momento parece dez milhões de éons.
Como os olhos veem apenas escuridão na ausência do sol, em sua ausência
todas as quatro direções parecem ser um vazio desolado.

o gopés ' a felicidade ao se encontrar com sua amada durante a primavera é


comovente; e sua separação quando distantes dele é dilacerante. De Rädhä
sakhé está lembrando-a de ambos os assuntos.
Este versículo inclui Vaidarbhé Réti e upanägarikä våtti. O medidor,
çikhariëé chanda, é definido assim: rasaiù rudraiç chinnä ya-ma-na-sa-bha-
lä-gaù sikhariëé.

4455

Canção 3

O modo musical é vasanta raga e o ritmo

é yati täla.

çikhaëòa-barhoccaya-baddha-cüòaù

puñëan pikaà cuta-naväìkureëa


bhraman mudä-rämam ana ga mürtir

marto mataìgo oi vasanta-rägaù

o vasanta raga personificado usa uma pena de pavão na cabeça. Ele


alimenta uma multidão dos melhores cucos com botões de manga recém-
brotados. Seu corpo se assemelha a K € madeva e ele vagueia alegremente
como o enlouquecido rei dos elefantes.

46
¡Ô ÷ Í¡ô ÷ tÌ¡ô ÷ ¥ ÌWó¡ô ÷ tÌÌ ?? ÌÍœú¨ÌÕ¡ô ÷ ??

ÌFòÌâ˜Ì¡ô ÷ ˜Ì¡ô ÷ ™ ̲̘ÌÕœâú * ˜ÌŒÌÙFòœ ÷ Í

?? ÌFœòœúFòò ÷ ј – ÌtÌFòÌâÍFò¡ô ÷ FÜòÍ`ÌtÌFÙògÌFÙòhõÕœâú * Í


¥ Ì · þœ ÷ ÍtÌ · þÍ

?? Ìßt ™ ÌÍtÌ ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌ`Ì ?? Ìâ ?? Ì ²Ì˜ÌÉ ²ÌÍLÌ Í ¥ Ìœ ÷ Í · þ`Ì ?? ̲ ™


Ì zÙùœú ?? tÌâ *

= ?? ˜Ìzù˜Ìzù ?? Ì˜Ì ?? ÌÌâœúyÌ ?? ÌÍyÌFò ¥ ÌŒÌÜ`Ì ?? Ì`ÌÍ ?? ÌtÌÍ ¥ Ì¡ô


÷ Ì ?? Ìâ *

+–Í¡ôÌFÙò¡ô÷FÙò¡ô÷Fò¡ô÷²ÌÉFÙò¡ô÷????÷ FÙò²Ì̲̘٘ÌÜÌÌ*Í¥·þœ ·÷
þÍÍtÌ0??* 29Ìœ *÷ ÌFÙò¡ô ÷

˜ÌßO̘Ìzù²ÌÌæœú — Ìœú — Ì²Ì ¥ ̨ÌÉ ¥ Ìzù ?? Ì ¥ Ìzù¡ô ÷ ˜ÌÌ¡ô ÷ t̘ÌÌ¡âô ÷ *

™ ÌÙ ¥ Ì`Ì ?? ÌÀþzù ™ ÌÍ ¥ ÌzùÌœúsÌ˜Ì ?? ÌͲÌ`Ì ?? ÌLÌ ??


ûÍZÌÎFò¨ÌÙFò`ÌÌ¡âô ÷ * Í ¥ Ì · þœ

˜Ìzù ?? Ì˜Ì · þÕ ?? ÌÍtÌFò ?? ÌFòzùsn ÷ ?? ûÍZÌFâò¨ÌœúFÙò²ÌÙ˜ÌÍ ¥ ÌFò̲Ìâ


*

͘ÌÍ¡ô ÷ tÌ̡ͨô ÷ Õ˜ÌÙLÌ ?? ÌÌhõÍ¡ô ÷ ?? Ìhõ¡ô ÷ Fßòt̲˜ÌœútÌÜsÌÍ ¥ Ì¡ô ÷


̲Ìâ * Í ¥ Ì · þœ ÷

Í ¥ ÌOÌÍ¡ô ÷ tÌ¡ô ÷ ÍaÌtÌ`ÌOÌzù ¥ Ì¡ô ÷ ÌâFò ?? ÌtÌ ?? ûsÌFò ?? ûsÌFßòtÌ


· þ̲Ìâ *

Í ¥ Ìœ ÷ Í · þÍ ?? ÌFßò ?? tÌ ?? ÌFÙò ?? t̘ÌÙLÌÌFßòÍtÌFâòtÌÍFòzù ??


tÌÙÍœútĮ̀Ìâ * Í ¥ Ì ·

˜ÌÌŒÌÍ ¥ ÌFòÌ ?? ÌÍœú˜Ì¡ô ÷ ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌâ ?? Ì ¥ ̘ÌÌÍ¡ô ÷ Fò ™ ÌÌÍt̲ÌÙOÌ ??


ŒÌÌæ *

˜ÌÙÍ ?? Ì˜Ì ?? ̲Ì̘ÌÍ ?? Ì ˜ÌÌâ · þ ?? ÌFòÌÍœ ÷ ÍsÌ tÌ ?? ûsÌÌFòÌœúsÌ – Ì ??


ŒÌÌæ * Í ¥ Ì · þœ
² • ÙòœúzùÍt̘ÌÙHòÌ¡ô ÷ tÌÌ ?? ÌÍœúœú˜ — ÌsÌ ?? ÌÙ¡ô ÷ ÍFòt̘ÌÙFÙòÍ¡ô ÷
tÌZÌÜtÌâ *

¥ Ìß ?? zùÌ ¥ Ì ?? ÌÍ ¥ ÌÍ ?? Ì ?? Ìâ ?? ÌÍœú²Ìœú ?? ÌÍœúOÌtÌ ™ ̘ÌÙ ?? ÌÌ`Ì¡ô


÷ ?? ÌÜtÌâ *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ͘Ìzù˜ÌÙzù ™ ÌÍtÌ · þÍœúZÌœús̲˜ÌßÍt̲ÌÌœú˜ÌÆ *

²Ìœú²Ì ¥ Ì²Ì ?? tÌ²Ì˜Ì ™ Ì ¥ Ì ?? Ì ¥ ÌsÌÊ ?? Ì˜Ì ?? ÌÙOÌt̘Ìzù ?? ÌÍ ¥


ÌFòÌœú˜ÌÆ * Í ¥ Ì · þœ

Çré Geta- govinda

Versículo 28

lalita-lavaìga-latä-pariçélana-komala-malaya-samére madhukara-nikara-
karambita-kokila-küjita-kuïja-kuöére

viharati harir iha sarasa-vasante

nåtyati yuvati-janena samaà sakhi virahi-janasya durante

(refrão) (1)

Tradução

“Meu querido amigo Rädhä. Infelizmente, a primavera é insuportável para


os desamparados e solitários. Não olhe! A brisa da Malásia é tão
encantadora quando ele chega e abraça impetuosamente as ternas e
encantadoras trepadeiras. O caramanchão da floresta é permeado com o
doce Kuhu som dos cucos e do zumbido das abelhas cambaleando para lá e
para cá. Além disso, K Ša também está dançando neste caramanchão da
floresta. Ele está curtindo passatempos românticos com alguma jovem
afortunada, enquanto está imerso em um festival de amor. ”
Comentário

Na primavera, as árvores ganham nova vida com o toque da brisa da


Malásia. As abelhas zumbem de entusiasmo em flores como belé e

camelé. Os cucos arrulham quando encontram botões frescos nas


mangueiras. Nessa atmosfera, K Ša aparece como um elefante
enlouquecido de luxúria. Usando uma pena de pavão em seu turbante, ele
hipnotiza todas as entidades vivas.

Vasanta Raga é proeminente na primavera. Dentro yati täla Há sim tripuöé


do laghu

e druta. A palavra sakhé transmite o sentimento de amizade íntima.

Sarasa-vasante - o adjetivo Sarasa indica que a estação da primavera é


saborosa e cheia de doçuras surpreendentes.

Virahi-janasya durante - É difícil para os amantes abandonados passarem o


tempo

nesta temporada de primavera provocante. Çré Hari rouba a mente, o


coração e o prana de todos com seus passatempos atraentes, de modo que a
separação dele se torna ainda mais problemática e intolerável na primavera.

Lalita-lavaìga-latä-pariçélana-komala-malaya-samére - Esta frase descreve

4488

Ato Um
a especialidade do local. A brisa da Malásia já era fresca, suave e
perfumada, mas ficou ainda mais forte com o toque dos elegantes cravos-
da-índia.

Madhukara-nikara-karambita-kokila-küjita-kuïja-kuöére - A etimologia

desta linha é, madhukaräëäà yo hi nikaras tena karambitäù miçritäù ye


kokilästaiù küjitaù yaù kuïja kuöéraù tatra - “O local da dança é uma
floresta

caramanchão ressoando com o zumbido das abelhas e o arrulho dos cucos.


"

Uma atendente está descrevendo a beleza da primavera em V ndavana para


a heroína ansiosa e solitária ( virahotkaëöhitä) Rädhä:

“A fragrância das flores, o toque da brisa da Malásia, o frescor da água de


Yamunä, as belas árvores fortemente abraçadas por atraentes trepadeiras de
cravo-da-índia, as vinhas florescentes e o toque terno dos membros do
amante - por mais agradável que seja a primavera, quando amantes se
encontram, é igualmente angustiante durante a separação.

“Se uma videira inconsciente não suporta ficar sem seu amado na excitação
da temporada romântica, então como pode uma mulher parecida com uma
videira totalmente consciente? Agora, o zumbido das abelhas e o arrulho
dos cucos são cada vez mais comoventes. Quando as mentes de grandes
sábios são atraídas pela fragrância de madhavé e belé flores, então o que
pode ser dito de amantes esperançosos? ”

Enquanto a amiga de Rädhä falava, ela atingiu sphürti, uma visão interna
momentânea de M € dhava. Ela continuou: “Quando uma mangueira é
abraçada por um

madhavé videira, brota em novos botões, como um homem cujos cabelos se


arrepiam quando é abraçado por uma bela mulher. Da mesma forma,
encantado pela bela floresta ribeirinha de Våndävana, hoje Çré Hari se
deleita em esportes românticos, enquanto absorto no abraço de
encantadoras jovens. ”
Este versículo descreve os excitantes ( uddépana-vibhäva) que nutre
amoroso

amor em separação ( vipralambha-Çåìgära-rasa).

4499

Çré Geta- govinda

Verso 29

unmada-madana-manoratha-pathika-vadhü-jana-janita-viläpe ali-kula-
saìkula-kusuma-samüha-niräkula-bakula-kaläpe

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 2)

Tradução

“Minha querida amiga, quando os maridos viajam para longe de casa, suas
esposas solitárias lamentam e choram incessantemente. Mas olhe! o mälaté
as árvores estão cobertas de flores. Não há espaço vago deixado em seus
galhos. Inúmeros grupos de abelhas zumbem sobre aglomerados de Bakula
flores. E ali, K Ša dança enquanto se deleita em passatempos de amor com
outras jovens amantes. Ai de mim! Como posso manter minha paciência? ”

Comentário

O companheiro de Rädhäräëé está pintando um quadro da natureza


vexatória e apaixonante da primavera: “Esta estação é imensamente
problemática para amantes solitários porque incita paixão e luxúria. As
heroínas, cujos entes queridos foram para terras distantes, sofrem
incessantemente porque não conseguem satisfazer seus desejos inflamados.
Quando flores como Bakula espalhando sua fragrância em todas as
direções, enxames de abelhas jubilantes começam a zumbir como se
estivessem em um estado de intensa agitação. ”

Verso 30

mågamada-saurabha-rabhasa-vaçaàvada-nava-dala-mäla-tamäle yuva-jana-
hådaya-vidäraëa-manasija-nakha-ruci-kiàçuka-jäle

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 3)

Tradução

“Adornada com folhas novas, a tamäla as árvores se deliciam em difundir


sua fragrância almiscarada em todas as direções. Sakhi, Veja! Estes
lustrosos palaça as flores lembram as unhas de K € madeva. Parece que o
Rei do amor amoroso rasgou o seio de casais jovens. ”

5500
Ato Um

Comentário

“Todas as direções estão agora impregnadas pela fragrância de recém-


cultivados tamäla

folhas, que se assemelha ao cheiro de kastüré. ”

O significado interno é que todas as direções são infundidas com a


fragrância corporal de M € dhava, tornando a separação dele insuportável.

“A multidão de floresceu totalmente palaça as flores parecem unhas, as


armas especiais do Cupido para partir os corações de jovens casais
separados. ”

Ao dizer que os corações das mulheres jovens se despedaçam ao ver palaça

flores, o sakhé implica que a separação é extremamente dura.

Versículo 31

madana-mahépati-kanaka-daëòa-ruci-keçara-kusuma-vikäse milita-
çilémukha-päöali-paöala-kåta-smara-tüëa-viläse

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 4)

Tradução

“Blossoming naga-kesara as flores parecem ser as hastes douradas do Rei


Cupido 4,

e os grupos de päöali flores cercadas por abelhas parecem ser sua aljava. ”
Comentário

“ Sakhi, a naga-kesara as flores desabrocham e lembram o brilho do


guarda-chuva dourado de Sua Majestade o Rei Cupido. Quando as flores
são feridas pelas flechas dos 'dentes' das abelhas, isso parte o coração de
amantes solitários. ”

4 De acordo com a cosmologia védica, o Cupido é responsável pela


poderosa atração emocional e física entre o homem e a mulher. Ao longo
Çré Géta-govinda ele é referido de várias formas como K € madeva (o deus
da luxúria), Kandarpa (o inflador da paixão), Madana (intoxicação sensual
personificada), Ana ga (o arqueiro de flores incorpóreo), Manasija (aquele
que aparece dentro da mente).

5511

Çré Geta- govinda

Verso 32

vigalita-lajjita-jagad-avalokana-taruëa-karuëa-kta-häse

virahi-nikrntana-kunta-mukhäkåti-ketaki-danturitäçe

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 5)

Tradução
“Parece que o mundo inteiro ficou desavergonhado com a formidável
influência da primavera. Vendo isso, as árvores jovens e compassivas riem
sob o pretexto de florescer. Veja! Com a forma de dardos para perfurar o
coração de amantes solitários, as flores de pinheiro-parafuso estão
desabrochando brilhantemente em todas as direções e as direções também
estão radiantes por se unirem a elas. ”

Comentário

O companheiro de ®ré Rädhä continua: “Querido Sakhi, O que mais posso


dizer? Na primavera, os solitários abandonam sua timidez e choram em voz
alta em separação de seus entes queridos. A primavera também vence a
timidez de todas as criaturas em toda a criação. Vendo o mundo nesta
condição, florescem as árvores jovens e compassivas, espalhando o néctar
do riso a pretexto de espalharem as suas flores radiantes. É como se os
rapazes estivessem revelando o néctar de suas risadas, compreendendo os
desejos luxuriosos nos corações das mulheres sensuais. ”

Como a compaixão e o riso podem ocorrer simultaneamente? Quando


amantes íntimos são separados, eles ficam cheios de compaixão e piedade
porque se sentem tão miseráveis. Então eles perdem o equilíbrio e
começam a rir nervosamente. Eles sentem que as pontas do pinheiro
( ketaké) flores são lanças destinadas a perfurar seus corações.
5522

Ato Um

Verso 33

mädhavikä-parimala-lalite nava-mälikayäti-sugandhau muni-manasäm api


mohana-käriëi taruëäkäraëa-bandhau

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 6)

Tradução

“O néctar das flores da primavera e o aroma das flores de jasmim são


fascinantes. Até mesmo as mentes dos grandes sábios ficam agitadas na
primavera e de repente ficam confusas. A primavera é a amiga altruísta dos
jovens. ”

Comentário

“A temporada de primavera é encantadora porque toda a atmosfera está


perfumada com o delicioso aroma de jasmim ( nava-mälikä) e o pólen das
flores da primavera ( madhavé). Se esse estímulo desperta a luxúria nas
mentes dos grandes sábios, o que pode ser dito de seu efeito sobre os
homens comuns? Mesmo as trepadeiras inconscientes não suportam ficar
sem seus amantes (as árvores) durante esta temporada provocante, então
como podemos nós, jovens damas que parecem trepadeiras, tolerar a
solidão? Com o zumbido das abelhas e o arrulhar dos cucos, esta
temporada de primavera é a amiga altruísta de jovens casais. ”

Verso 34
sphurad-atimukta-latä-parirambhaëa-pulakita-mukulita-cüte våndävana-
vipine parisara-parigata-yamunä-jala-püte

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 7)

Tradução

“Ó meu querido amigo, as mangueiras nos bosques de Våndävana estão


cobertas de botões recém-brotados porque ficam emocionadas com o
abraço dos inquietos madhavé trepadeiras. Çré Hari está afetuosamente
brincando com mulheres jovens nas águas puras do Yamunä que flui ao
lado daqueles bosques ”.

5533

Çré Geta- govinda

Comentário

“Na primavera, até as substâncias inertes são agitadas pela luxúria.


Impelida pela brisa, a trepadeira da flor da primavera acaricia a mangueira,
fazendo-a estremecer de horror em forma de novos botões. O Yamunä flui
nas proximidades, purificando os bosques de V ndavana, onde ®r… Hari
está desfrutando de passatempos amorosos. ”

Versículo 35

Çré-jayadeva-bhaëitam idam udayati hari-caraëa-smrti-säram sarasa-


vasanta-samaya-vana-vana-varanam anugata-madana-vikäram

viharati harir iha sarasa-vasante ... ( 8)

Tradução
Tão auspicioso, rasa- canção carregada se manifestou perfeitamente por
meio de Çré Jayadeva. O retrato da floresta na primavera está impregnado
das aberrações eróticas de Rädhä, quando ela é dominada pela ansiedade
por estar separada de K Ša. Entrelaçada às transformações da paixão, a
primavera desperta a lembrança dos pés de lótus de Çré Hari.

Comentário

Para concluir, Çré Jayadeva define a excelência específica desta música. As


diversões românticas de Kåñëa na floresta durante a primavera nutrem
Çåìgära-rasa. Esta canção auspiciosa incorpora a própria essência da
contemplação sobre os pés de lótus de ®ré Hari porque é uma expressão
oculta desses passatempos.

Que esta canção seja vitoriosa. Em outras palavras, que aqueles que são
perturbados pela luxúria tenham a oportunidade de ouvir essa música para
que sua luxúria seja erradicada para sempre.

Esta música apresenta jäti alaìkära e laya chanda. Rädhä é madhyä näyikä e
Kåñëa é dak Ša n € yaka. o rasa é vipralambha-Çåìgära.

Esta terceira música é intitulada Mädhavotsava-kamaläkara.

5544

Ato Um

Verso 36
zùœ ÷ Í ¥ ÌzùÍ¡ô ÷ tÌ˜Ì ¢ ôÕ ¥ ÌÍ ¢ ôZÌfÌt ?? Ìœ ÷ ÌOÌ-

p ÌFòÍhõtÌ ?? Ìhõ ¥ Ì̲Ìæ ¥ ÌÌÊ²Ì ™ Ì ?? ÌÆ FòÌ ?? Ì ?? ÌÌÍ ?? Ì * <· Þ Í · þ zù


· þÍtÌ ZÌâtÌ: FâòtÌFòÕOÌ ?? ŒÌ – Ì ?? ŒÌÙ:

p ̲̜úzù²Ì˜Ì – ÌÌsÌ p ÌÌsÌ ¥ Ì {ù ?? ŒÌ ¥ ÌÌ · þ: * 36 *

dara-vidalita-mallé-valli-caïcat-paräga-

prakaöita-paöaväsair väsayan känanäni

iha oi dahati cetaù ketaké-gandha-bandhuù

prasarad-asamabäëa-präëavad-gandhavähah

Tradução

“O Sakhi, Veja! A floresta está coberta com o pó branco perfumado de


pólen de entreaberto Mallikä botões A brisa da Malásia, amiga do peito de
Kämadeva, é revigorada pelo aroma de ketaké flores. Ele age como uma
flecha de Cupido, queimando os corações de amantes solitários na floresta.

Comentário

Aludindo ao efeito estimulante da brisa da Malásia na primavera, o


companheiro de Rädhä diz: “Este ar que se move suavemente incendeia os
corações dos amantes solitários”.

Alguém pode perguntar: “Por que o ar queima sua consciência? Que ofensa
eles cometeram? ” A resposta é dada aqui:

“Ele queima os corações de amantes solitários apenas para obedecer às


ordens de seu amigo do peito.”
Um amigo do peito é tão querido quanto o ar vital (prana). Portanto, o ar
que se move suavemente é comparado ao amigo de K € madeva. Os amigos
também pensam da mesma forma. Essa qualidade é revelada por seu
comportamento simultâneo.

Quando Mallikä as videiras florescem ligeiramente, uma camada branca de


pólen radiante se espalha profusamente como uma anágua branca
( paöaväsa).

Este verso, composto em mäliné chanda, contém uma combinação de


samäsokti

e varŠ € nupr € sa ala k € ra.

5555

Çré Geta- govinda

Verso 37

+Iâò¨ÌÌÍzù†Ìât²ÌWó¥ ¥Ìâ¨Ì̲ÌZÌ¡Éô„Ùù`ÌWóFò ¥ Ì¡ô ÷

p ÌÌ¡âô ÷ ™ Ì “¥ Ì ?? ÌâZ \ ô ™ ÌÌ ?? Ìٲ̜ ÷ ÍtÌ

¬ÌÕLÌsn ÷ ¨Ìæ¡ô ÷ ÌÍ ?? Ì¡ô ÷: * Fò ZÌ Í´ÌOŒÌœú²ÌÌ¡ô ÷ ˜ÌÌæÍ¡ô ÷


˜ÌÙFÙò¡ô ÷ Ì ??

= ?? ˜ÌÕ¡ô ÷ Ñ ?? tÌ FÙò · Üþ: FÙò · ÜþÍœ ÷ ÍtÌ Fò¡ô ÷ ÌâuÌÌ¡ô ÷ Ì: Í ??


ÌFòÌ ??

adyotsaìga-vasad-bhujaìga-kavala-kleçäd iveçäcalaà
präleya-plavanecchayänusarati çrékhaëòa-ailänilah

kià ca snigdha-rasäla-mauli-mukuläny älokya harñodayäd

unmélanti kuhüù kuhür iti kalottäläù pikänäà giraù

Tradução

“O Sakhi, Ouvi dizer que muitas cobras vivem na Montanha Malaya. O


vento daquela direção deve ser devastado pelo veneno ardente daquelas
cobras. Agora parece estar se movendo na direção dos Himalaias para se
banhar na água gelada ali.

“ Sakhi, Veja! Os cucos cantam alto kuhu-kuhu em vozes melífluas. Eles


estão exultantes ao ver os tenros e saborosos botões de manga. ”

Comentário

Neste versículo Rädhä's sakhé pinta uma imagem de dois intensificadores


( vibhävas) do

Çåìgära-rasa.

“Durante este mês em particular, o ar da Montanha Malaya


(Çrékhaëòaçaila) se move na direção da região de Himälayan coberta de
neve. Cobras venenosas residem nas árvores de sândalo da Montanha
Malaya, então o vento sopra na direção dos Himalaias para encontrar alívio
contra a queima de picadas de cobra. Parece que o vento quer sentir a bem-
aventurança desfrutada pelo ar fresco dos Himalaias.

“Novos botões aparecem nas mangueiras na primavera. Os cucos ficam


maravilhados ao ver as flores de manga, então cantam alto: ' kuhu-kuhu '. Ó
Rädhä, não é apropriado que você fique inibido diante de K Ša em um
momento tão provocativo e emocionante. ”
5566

Ato Um

Este versículo inclui anupräsa e upamä alaìkäras, vaidarbhé réti e çärdüla-


vikréòita chanda. o sthäyibhäva é çåìgära-rati em separação.

Versículo 38

= ?? ˜ÌÕ¡ô ÷ ?? ˜ÌŒÌÙOÌ ?? ŒÌ¡Ùô – ŒÌ˜ÌŒÌÙ ?? Ì ¥ ™


ÌÌŒÌÜtÌZÌÜtÌÌSÛóœú-k òÕn ÷ tFòÌâÍFò¡ô ÷ FòÌFò¡ô ÷ ÕFò¡ô ÷

Fò¡æô ?? û {ùÕsÌÊFòsÌÊ` ¥ Ìœ ÷ Ì: * ?? ÌÕ ™ Ì ?? tÌâ ?? ÌÍyÌFæò: FòyÌÉ ??


ÌÌ ?? ÌÌ ¥

p ÌÌ ?? Ì p ÌÌs̲̘ÌÌ̲̘ÌÌO̘̜ú²ÌÌâ ¢ ô̲Ìæœú˜ÌÕ ¥ Ì̲̜ ÷ Ì: * 38 *

unmélan-madhu-gandha-lubdha-madhupa-vyädhüta-cütäìkura-kréòat-
kokila-käkalé-kalakalair udgérëa-karëa-jvaräù

néyante pathikaiù kathaà katham api dhyänävadhäna-kñaëa-

präpta-präëasamä-samägama-rasolläsair amé väsaräh

Tradução

“O Sakhi, Veja! As abelhas são obcecadas pelo aroma das flores de manga.
O canto dos cucos tocando os botões radiantes se mistura com o zumbido
das abelhas para formar um som melífluo. Mas esse clamor é uma febre
para os ouvidos de amantes separados. Eles passam seus dias lembrando
ansiosamente de seus amantes, que são tão queridos quanto a própria vida.
Meditando em seus rostos na tristeza da separação, chega um momento de
felicidade quando, apenas por um instante, eles sentem a alegria de estarem
juntos. Então, eles elogiam aquele momento angustiante. ”
Comentário

De Rädhä sakhé admite que a separação é difícil de tolerar. Na ausência de


K Ša, a brisa da Malásia simplesmente inflige dor. Além disso, o doce
murmúrio dos cucos reverbera em todas as direções e desperta sentimentos
de profundo pesar nos corações dos solitários. Isso cria um surto de febre
alta em seus ouvidos. As vozes dos cucos lembram-nos de seus amantes e
por um momento eles sentem que se uniram a eles. Este momento de
angústia é louvável.

O versículo atual contém kävyaliìga alaìkära, çärdüla-vikréòita chanda,


gauòéyä réti e vipralambha-Šåìgära-rasa. Uso plural da palavra väsaräù é

um exemplo de aucitya, adequação.

5577

Çré Geta- govinda

S CENE F NOSSO
Verso 39

+ÌÍœúœú˜??ÌâFò ??— ̲̘ÌÌœB̃ ÷̘ÌÕ- ??

² • Ùòœú ?? ˜Ì ?? ÌÌâ · þÌÍœ ÷ Í ¥ Ì¡ô ÷ ̡̲ô ÷ Ì¡ô ÷ ²Ì˜ ˜ÌÙœ ÷


ÌÍœú˜ÌÌœ ÷ ÌzÙù ?? Ìzù¨ÌÊ ™ Ì ?? t ™ ̲ÌÌæ

²ÌLÌÕ ²Ì˜ÌKÌÉ ?? ÌÙ ?? Ìœ ÷ Ì · þ œ ÷ ÌÍŒÌFò̘ÌÆ * 39

aneka-näré-parirambha-sambhrama-

sphuran-manohäri-viläsa-lälasam

murärim äräd upadarçayanty asau sakhé

samakñaà punar äha rädhikäm

Tradução

Então Rädhikä's sakhé procurou K Ša com habilidade e viu que ele estava
por perto. Ele estava imerso em passatempos alegres com belas jovens
gopés, que o estavam recebendo com o maior respeito. Uma intensa
ganância por passatempos deliciosos e sensuais de repente despertou na
mente de K Ša quando o

gopés mostraram sua vontade de abraçá-lo. Apontando esta cena para


Rädhä, o sakhé falou com ela novamente em um lugar escondido.

5588

Ato Um
Comentário

Até agora, o poeta revelou as emoções intensamente inflamadas de Rädhä

( sudépta-bhäva) através de uma descrição vívida da beleza da


floresta. Agora, o amigo de Rädhä expõe diretamente as intenções de
Kåñëa, dizendo a ela: " Sakhé, Veja! O que Muräri está fazendo agora? ”

Embora K Ša tenha sido abraçado por muitas jovens, ele não foi sentado.
Em vez disso, ele foi dominado por uma ânsia intensa de se encontrar com
Rädhä e desfrutar de passatempos amorosos com ela.

Os passatempos de ®r… K Ša são eternos; portanto, eles também são


perceptíveis eternamente. Três tipos de percepção ocorrem na separação:
lembrança ( smaraëa), uma visão interna ( sphürti) e aparência direta
( ävirbhäva). Este passatempo específico é apropriadamente aceito como
um sphürti.

Neste versículo o Chanda é vaàçasthavila, a


alaìkära é anupräsa e o herói é dak Ša n € yaka.

5599

Canção 4

O modo musical é r € makar… r € ga e o ritmo é yati täla.

ZÌ ?? zù ?? ÌZÌÏZÌtÌ ?? ÌÕ¡ô ÷ Fò¡âô ÷ ¥ Ìœú ?? ÌÕtÌ ¥ Ì²Ì ?? Ì ¥ Ì ?? ̘ÌÌ¡ô ÷


Õ * FâòÍ¡ô ÷ ZÌ¡ô ÷ ?? ˜ÌÍsÌFÙòsn ÷ ¡ô ÷ ˜ÌÑsn ÷ tÌOÌsn ÷ ™
ÌÙOÌѲ˜Ìt̨ÌÌ¡ô ÷ Õ *

·˜ÌÙOŒÌÞÍœ÷Íœú¥ÌŒÌÜÍ·þ ?? ÌFòœâú

¥ Ì¡ô ÷ ÌͲÌÍ ?? Ì Í ¥ Ì¡ô ÷ ²ÌÍtÌ FâòÍ¡ô ÷ ?? Ìœâú * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 40


*

€ ÌÕ ?? Ì ?? Ì ™ ÌÌâŒÌœú — ÌÌœú — ÌœâúsÌ · þÎœú ?? ÌÍœúœú— ™


Ì ²Ìœ ÷ ÌO̘ÌÆ * OÌÌâ ?? Ì ¥ ÌŒÌÜœú ?? ÌÙOÌÌ ™ ÌÍtÌ FòÌÍZÌzÙùzùÍfÌtÌ ??
Ìf̘̜ ÷ ÌO̘ÌÆ * · þÍœ ÷ Íœú · þ0

FòÌÍ ?? Ì Í ¥ Ì¡ô ÷ ̲ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷ Í ¥ Ì¡ô ÷ ÌâZÌ ?? ÌLÌâ¡ô ÷ ?? Ì`ÌÍ ??


ÌtÌ˜Ì ?? ÌÌâ`̘ÌÆ * Œ ™ ÌÌ ™ ÌÍtÌ ˜ÌÙOŒÌ ¥ ÌŒÌÜœ ÷ ÍŒÌFÉò
˜ÌŒÌÙ²ÌÜzù ?? Ì ¥ Ìzù ?? ̲̜ ÷ Ìâ`̘ÌÆ * · þÍœ

FòÌÍ ?? Ì Fò ?? ÌÌâ¡ô ÷ tÌ¡âô ÷ ͘ÌÍ¡ô ÷ tÌÌ ¡ô ÷ Í ?? ÌtÌÙÉ ÍFò˜ÌÍ ?? Ì


¬ÌÙÍt̘ÌÜ¡âô ÷ *
ZÌÌ ?? û ZÌÙZÌÙ˜ – Ì Í ?? Ìt̘ – Ì ¥ ÌtÌÕ zùÍ ™ ÌtÌÉ ?? ÌÙ¡ô ÷ Fæòœú ??
ÌÙFÜò¡âô ÷ * · þÍ

FâòÍ¡ô ÷ Fò¡ô ÷ ÌFÙòtÌÙFâò ?? Ì ZÌ FòÌÍZÌzù˜ÌÙÉ ™ ̘ÌÙ ??

ÌÌ`Ì¡ô ÷ FÜò¡âô ÷ * ˜ÌgÌÙ¡ô ÷ ¥ ¥gÌÙ¡ Í FÙògòO t s ÌÊ FòœâúsÌ


zÙùFÜò¡âô ÷ * · þÍœ ÷ Íœ

FòœútÌ¡ô ÷ tÌÌ¡ô ÷ tÌœú¡ô ÷ ¥ Ì¡ô ÷ ™ ÌÌ ¥ ÌÍ¡ô ÷ FòÍ¡ô ÷ tÌFò¡ô

÷ ² ¥ Ì ?? Ì ¥ ÌɨÌâ * œ ÷ ̲̜ú²Ìâ ² · þ? ? Ìßt ™ Ì ?? Ìœ ÷ Ì · þÍœúsÌÌ ™ ÌÙ


¥ ÌÍtÌ: p ̨̨ÌɲÌâ

ͪô ÷ s ™ ÌÍtÌ Fò̘ÌÍ ?? Ì ZÌÙ˜ – ÌÍtÌ Fò̘ÌÍ ?? Ì Fò̘ÌÍ ?? Ì œú˜Ì ™ ÌÍtÌ œ ÷


̘Ì̘ÌÆ *

?? ̨ ™ ÌÍtÌ ²ÌѲ˜ÌtÌZÌÌ ?? ûtÌœ ÷ Ì˜Ì ?? Ìœ ÷ Ì˜Ì ?? Ìœ ÷ Ì˜Ì ?? ÌÙOÌZ \ ôÍtÌ ¥


Ì̘Ì̘ÌÆ * · þÍœ

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ͘Ìzù˜Ì „ÙùtÌFâò¨Ì ¥ ÌFâòÍ¡ô ÷ œú · þ² ™ ̘ÌÆ *

¥ Ìß ?? zùÌ ¥ Ì ?? ÌÍ ¥ ÌÍ ?? Ì ?? Ìâ ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌÉ Í ¥ ÌtÌ ?? ÌÌâtÌÙ ¨ÌÙ — ÌÌÍ ??


Ì ™ ̨̲ ™ Ì˜Ì *

Ato Um

Verso 40

candana-carcita-néla-kalevara-péta-vasana-vanamälé keli-calan-maëi-
kuëòala-maëòita-gaëòa-yuga-smita-çälé

harir iha mugdha-vadhü-nikare

viläsini vilasati keli-pare ( refrão) (1)

Tradução
“Ó brincalhão Rädhä, olhe! Vestido com um pano amarelo e uma guirlanda
de flores da floresta, com pasta de sândalo espalhada em seus membros
escuros, K Ša sente a maior exaltação ao desfrutar de passatempos com
jovens noivas cativadas nesta floresta de V nd € vana. Seus brincos
balançam para a frente e para trás, a beleza de suas bochechas é
surpreendente e seu rosto exibe uma doçura maravilhosa com o mel de sua
risada brincalhona. ”

Comentário

o Raga desta música é rämakaré e a täla é jhampä. De acordo com autor de


Rasa-maïjaré, a täla é rüpaka.

Uma heroína se veste de pano azul e se adorna com ornamentos dourados


que lembram o céu do amanhecer. Vendo sua indignação impetuosa, o
herói senta-se a seus pés e começa a aplacá-la. o Raga empregado para
capturar este momento é

chamado rämakaré.

Kåñëa estava se divertindo em diversões amorosas em meio a uma reunião


de heroínas brincalhonas não muito longe de onde Rädhä observava tudo
junto com sua companheira. Ao contemplar esta cena, um desejo intenso de
desfrutar passatempos com ®r… K Ša repentinamente despertou na mente
de ®r… Rādhä. Portanto, quando K Ša abraçou uma bela gopé em um
bosque solitário, uma visão de Rädhä começou a se manifestar em seu
coração.

A palavra Mugdha pode significar "heroína inexperiente" ( mugdhä näyikä)


e também “lindo”. Ambos os significados são pretendidos neste contexto.
A palavra viläsa

refere-se a um ornamento emocional extático caracterizado por Hava e bh €


va. Conforme afirmado por Bharata Muni em Näöya-çästra:
6611

Çré Geta- govinda

Sthäne yänäsane Väpi

netra vakträdi karmaëä

utpädyate viçeño yaù

sa-viläsaù prakértitaù

Posturas corporais encantadoras e expressões dos olhos e rosto ao se


mover, sentar ou andar são chamadas viläsa.

A palavra smita indica que K Ša está sorrindo. Riso suave é chamado


smita.

Nas palavras de Bharata Muni:

éñad vikasitair gaëòaiù

kaöäkñaiù sauñöhavänvitaiù

alakñita dvijaà dhéram

uttamänäà smitaà bhavet

Smita ocorre quando uma pessoa que está sorrindo não mostra os dentes.
Suas bochechas com certeza florescerão levemente enquanto ele lança um
olhar encantador de soslaio.

Versículo 41
péna-payodhara-bhära-bhareëa harià parirabhya sa-rägam gopa-vadhür
anugäyati käcid udaïcita-païcama-rägam

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 2)

Tradução

"Veja, sakhi! 1 gopé está abraçando K Ša firmemente com intenso apego.


Pressionando o fardo pesado de seus seios voluptuosos contra o peito de K
Ša, ela começou a cantar com ele no quinto modo musical. ”

Comentário

O amigo de Rädhä está retransmitindo o gopés ' atividades com ®r… K Ša


conforme estão acontecendo. “Ó Rädhä, seu jogo de amor com Kåñëa é
inigualável e insuperável. Kåñëa está sendo abraçado apaixonadamente por
alguém orgulhoso e rechonchudo gopé, mas isso é apenas

6622

Ato Um

um reflexo turvo de seus passatempos com você. Na verdade, como essa


linda donzela pode ser comparada a você?

“Agora Çré Hari está cantando na quinta Raga e ela responde cantando da
mesma forma. ” Ao descrever o gopé seios tão cheios e redondos, fica
implícito que ela é incrivelmente bonita.

“K Ša está mostrando falta de destreza aqui. Portanto, este gopé está


abraçando-o sem nem mesmo tentar ser abraçado por ele. Embora suas
trocas amorosas secretas sejam doces, como elas podem realmente se
destacar sem você? ®åìgära-rasa
amadurece quando ocorre o abraço mútuo e isso só é possível com você.
Observe o empenho de ®y € masundara em realizar passatempos com
outras pessoas, embora ele esteja constantemente se lembrando de você. ”

Païcama räga, o quinto modo musical, geralmente é cantado para


acompanhar

Çåìgära-rasa, conforme declarado por Bharata Muni:

païcamaà madhya bhüyiñöhaà

häsya Çåìgärayor bhavet

Païcama Raga dentro madhya-täla é predominante em häsya e Çåìgära-rasa.

Verso 42

käpi viläsa-vilola-vilocana-khelana-janita-manojam

dhyäyati mugdha-vadhür adhikaà madhusüdana-vadana-sarojam

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 3)

Tradução

"Veja, sakhi! este gopé está meditando em K Ša. Ele desperta a luxúria nos
corações de jovens senhoras sensuais com os românticos olhares de soslaio
de seus olhos inquietos, e ela está ávida por beber o mel de seu rosto de
lótus. ”

Comentário

Descrevendo uma heroína encantada ( mugdhä näyikä), De Rädhä sakhé


diz: “Este

gopé está meditando na face de lótus de K Ša. Como Çyämasundara se


deleita em amar
6633

Çré Geta- govinda

passatempos, seus olhos inquietos exibem expressões sugestivas. Ele


intensifica o apetite sensual das melhores damas atraentes, lançando seu
olhar brincalhão sobre elas e ele sente imensa felicidade no âmago de seu
coração. ”

o Mugdhä näyikä é muito tímida, portanto, seus esforços amorosos são


inibidos por convenções comportamentais.

Versículo 43

käpi kapola-tale militä lapituà kim api çruti-müle cäru cucumba


nitambavaté dayitaà pulakair anuküle

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 4)

Tradução

“ Sakhi, Olhe para isso! Uma curvilínea leiteira encostou o rosto na


bochecha de Kåñëa com o pretexto de sussurrar um segredo em seu ouvido.
Quando K Ša entendeu sua intenção carregada de amor, seus cabelos se
arrepiaram. Vendo sua reação, aquela heroína especialista aproveitou esta
oportunidade favorável para realizar seu desejo acalentado. Com o maior
deleite, ela começou a beijar sua bochecha. "

Comentário
A palavra nitambavaté - “uma mulher cujos quadris são grandes e bem
torneados” - foi usada para transmitir a beleza física requintada de uma
heroína madura. É impróprio beijar a pessoa amada na presença de amigos.
Portanto, com o pretexto de informar Kåñëa sobre outra coisa, ela beijou o
lado oposto de sua bochecha. Isso é indicativo da experiência da heroína
em casos amorosos ( çåìgära-

vaidagdhya). Kåñëa retribui como anuküla näyaka.

Verso 44

keli-kalä-kutukena ca käcid amuà yamunä-jala-küle

maïjula-vaïjula-kuïja-gataà vicakarña kareëa duküle

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 5)

6644

Ato Um

Tradução

“ Sakhi, Veja! 1 gopé descobriu um lugar isolado em um charmoso bosque


de cana na margem do Yamunä. Impelido por kama-rasa e uma alegre
fascinação pelas artes amorosas, ela agarrou o pano amarelo de Kåñëa com
as duas mãos e o arrastou para longe ”.

Comentário

O amigo de Çré Rädhä está descrevendo uma heroína instável ( adhérä


näyikä). “Quando K Ša entrou em um caramanchão florido, esta heroína
temperamental, consumida pela curiosidade de se deliciar com as artes
eróticas, agarrou a roupa de K Ša e o levou para a margem do Yamunä.”

A palavra ca ( e) implica que ela começou a brincar com Kåñëa de várias


maneiras ao notar um lugar que proporcionava total privacidade.

As palavras yamunä-tére - “na margem de Yamunä” - não foram usados.

Em vez disso, a frase yamunä-jala-tére foi empregado para indicar que a


margem do rio é fria e pura como a água ( jala).

Puxar Kåñëa por seu pano quando ele mostra sinais de estar apegado a
outra heroína é típico do amante temperamental ( adhérä näyikä).

Verso 45

kara-tala-täla-tarala-valayävali-kalita-kalasvana-vaàçe räsa-rase saha-nåtya-


parä hariëä yuvatiù praçaçaàse

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 6)

Tradução

“Uma jovem bate palmas enquanto dança, extasiada pelo êxtase do räsa.
Çré Hari a elogia ao ouvir a maravilhosa melodia de sua flauta combinada
com o som de suas pulseiras trêmulas. ”

6655
Çré Geta- govinda

Comentário

o sakhé diz a Rädhä que uma jovem está batendo palmas com a maior
destreza de ritmo e tom ( t € na, m € na, laya) enquanto dançava com K Ša
no räsa-lélä. Suas pulseiras colidem para formar um tilintar rítmico que
complementa o som de sua flauta. Ao ouvir essa música
surpreendentemente doce, K Ša aplaude repetidamente sua atraente amante.

Versículo 46

Çliñyati käm api cumbati käm api käm api ramayati rämäm paçyati sa-
smita-cärutaräm aparäm anugacchati vämäm

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 7)

Tradução

“Impelido por seu desejo por Çåìgära-rasa, Kåñëa está abraçando um de


seus amados; ele está beijando outra e em outro lugar ele gosta de ter um
congresso apaixonado com outra. Em outro lugar, ele olha com expectativa
para o rosto de outro amante, enquanto aprecia o néctar de seu doce sorriso.
Em algum outro lugar, ele está seguindo uma mulher que o deixou furiosa.
"

Comentário

®r… Kåñëa assumiu muitas formas de desfrutar variedades de atividades


românticas simultaneamente com todas as heroínas que pretendem se
divertir com ele. Impelido por um desejo pela felicidade da união sensual,
K Ša às vezes abraça uma mulher apaixonada; às vezes ele beija outro. Em
algum lugar ele está passeando com um gopé e em outro lugar ele está
olhando com intensa sede para a beleza arrebatadora de outro. Às vezes, ele
acidentalmente se dirige a uma bela jovem: "Ó Rädhä!" Consequentemente,
ela fica indignada e sai zangada. K Ša está tão ansioso pelo amor dela que a
segue e usa vários estratagemas para fazê-la retornar. Quando aquele mal-
humorado gopé recusa seus avanços amorosos, ele tenta suavizar sua raiva
com pedidos humildes de conciliação.

6666

Ato Um

Este versículo retrata K Ša como o çaöha, dhåñöa, dakñiëa, anuküla e


Dhürta

Heróis. As heroínas são todas abhisärikä näyikäs.

Os sintomas de dhåñöa näyaka foram definidos em Çåìgära-tilaka:

abhivyaktänya taruëé

bhoga-lakñmäpi nirbhayah

mithyä-vacana dakñaç ca

dhåñöo 'yaà khalu kathyate

Embora os sinais de fazer amor com outra jovem sejam claramente visíveis
em sua pessoa, o herói que habilmente e destemidamente inventa um álibi
fraudulento é chamado dhåñöa näyaka. (Çåìgära-tilaka 1,17)
Os sintomas de çaöha näyaka foram descritos assim:

priyaà vyakti puro 'nyatra

vipriyaà kurute bhåçam

nigüòham aparädhaà ca

çaöho 'yaà kathito budhaiù

Autoridades eruditas afirmaram que çaöha näyaka é um herói que esconde


suas ofensas. Ele fala palavras doces na frente de sua própria heroína,
enquanto permanece secretamente ligado a outra. ( Çåìgära-tilaka 1,18)

Verso 47

Çré-jayadeva-bhaëitam idam adbhuta-keçava-keli-rahasyam våndävana-


vipine lalitaà vitanotu çubhäni yaçasyam

harir iha mugdha-vadhü-nikare ... ( 8)

Tradução

Que esta canção auspiciosa, encantadora e surpreendente de ®ré Jayadeva


aumente a boa fama de todos. Esta música confere todas as virtudes. Ele
descreve o olhar de Rädhä sobre o mistério maravilhoso dos jogos sensuais
realizados por K Ša enquanto ela lamenta

6677

Çré Geta- govinda


em separação dele nos caramanchões de V ndavana. Ele estende a
excelência que emana desses passatempos da floresta.

Comentário

Para concluir, Çré Jayadeva diz: “Aqui está o mistério dos surpreendentes
casos amorosos de Keçava. O segredo maravilhoso é que um K Ša se
expande em tantas formas quantas forem gopés. Assim, ele gosta de
passatempos amorosos com todos eles ao mesmo tempo e satisfaz
pessoalmente seus desejos mais queridos.

“Essa música é encantadora porque segue exatamente os rigores de Raga e

täla. No entanto, a maior causa de seu apelo está na representação das artes
secretas do amor de Keçava. Que esta doce e melodiosa canção confira
auspiciosidade e aumente a fama daqueles que a recitam e ouvem. ”

Versículo 48

™ ¥ Ì «Ìâ s ÌÌ˜Ì ?? ÌÙœúgÌ ?? Ìâ ?? Ì `Ì ?? Ì ™ Ì N ÌÌ ?? Ì ?? zùÍ˜Ì ??


zùÕ ¥ Ìœú-¬ÌâsÌÕ¨ ™ Ì̡̘ô ÷ FòÌâ˜Ì¡æô ?? û ?? Ì ?? Ì ™ Ì N ÌWæóœú

™ ÌWóÌât²Ì ¥ ̘ÌÆ * ² ¥ Ì \ ô ?? zÉù v Ì`̲ÌÙ ?? zùœ ÷ ÕÍ —

Ìœ ÷ Í — ÌtÌ: p Ìt ™ ÌWó˜ÌÌÍ¡ô ÷ ÍWótÌ: §ÌßWóÌœú: ²ÌÍLÌ ˜ÌÜÏt̘ÌÌÍ ?? Ì ¥ Ì


˜ÌŒÌÌæ ˜Ì

viçveñäm anuraïjanena janayann änandam indévara-çreëé-çyämala-


komalair upanayann aìgair anaìgotsavam svacchandaà

vraja-sundarébhir abhitaù praty-aìgam äliìgitaù

Çåìgäraù sakhi mürtimän iva madhau mugdho hariù kréòati

Tradução
“O Sakhi, K Ša se tornou o eros personificado enquanto se deleita em
passatempos amorosos, intoxicado pelo rasa de encontros românticos na
primavera. Com seus membros macios e escuros que superam a beleza de
uma

flor de lótus azul, ele está inaugurando a grande festa do Cupido. Com
apego cada vez maior, ele está satisfazendo o gopés '

paixão desenfreada muito além de suas expectativas. No entanto, o lindo

gopés de Vraja, impotentemente perdido no êxtase de fazer amor, assume a


posição masculina dominante e abraça livremente cada uma das partes de
seu corpo ”.

6688

Ato Um

Comentário

O amigo de Rädhä diz: “ Sakhi, Veja!" enquanto ela aponta as atividades


amorosas da pessoa mais querida de ®ré Rädhä com a intenção de
estimular suas emoções extáticas. “A estação é primavera. Além do mais,
também é o mês de Madhu, e Çré Hari está perdido em desfrutar de jogos
de amor com todos os gopés como se ele fosse Çåìgära-rasa

personificado. ”

Çåìgäraù sakhéù mürtimän iva - O sakhé revela as características de K Ša


conforme ele se une a seus amantes excitados sensualmente, retratando-o
como o encarnado

sentimento de euforia erótica. Puruñaù pramadä-yuktaù çåìgära iti saàjïitaù


- "UMA
homem que está unido a uma mulher altamente libidinosa é chamado
Çåìgära. ”K Ša está satisfazendo o gopés ' ambições cobiçadas muito além
de suas expectativas e intensificando sua felicidade em um festival de Eros.
®ré Hari concede bem-aventurança a todas as entidades vivas por seu amor
divino cada vez maior.

o sakhé diz que os membros elegantes de Kåñëa são mais escuros e macios
que um lótus azul. A

palavra lótus azul ( indévara) transmite a sensação de escuridão, suavidade


e frescor refrescante; a palavra çreëé de frescor que parece mais novo a
cada momento; e a palavra çyämala de bela e tenra juventude. K Ša está
celebrando um festival de luxúria transcendental com aqueles membros
sensíveis.

O atraente vraja-gopés estão abraçando cada membro do corpo de K Ša


espontaneamente ao seu prazer, sem a menor hesitação.

Rasa surge da combinação de dois componentes: o herói anuraga

para a heroína e a heroína anuraga para o herói. O herói pode estar apegado
à heroína, mas a menos que a heroína também esteja apegada ao herói, rasa

não se manifestará.

Alguém pode perguntar: “Aqui encontramos apenas paraspara-anuraïjana, o


ato de agradar um ao outro; então onde está rasa? ”O estágio de rasa
começa com o

integração de vibh € va, anubh € va, s €ttvika-bh € va e saïcäré-bhäva.


Então isso aumenta através dos estágios de sneha, pra Šaya, m € na, r € ga,
anur € ga, bh € va

e mah € bh € va. Consequentemente, rasa floresce com a maturidade de


prema.
Quando prema-rasa começa a se manifestar, o herói e a heroína não têm
reservas sobre suas atividades, a hora ou o lugar. No entanto, a união ainda
não atingiu seu ápice, apesar da ausência de inibições. A união completa de
cada membro é perfeitamente realizada apenas por mah € bh € va-rasa.

Pode-se conjeturar que K Ša tem apenas uma experiência parcial com as


donzelas vaqueiras. Portanto, é afirmado aqui, praty-aìgam äliìgita - Kåñëa
satisfez

6699

Çré Geta- govinda

a gopés abraçando cada um de seus membros, beijando, tocando e fazendo


outras atividades apropriadas. Além disso, pode-se perguntar: “Como K Ša
poderia ter abraçado todos eles?” A resposta é que Çåìgära-rasa é um, mas
permeia toda a criação. Da mesma forma, K Ša é um e também permeia
tudo. Em virtude desse atributo, ele é competente para deleitar todo o
universo.

O versículo atual inclui dépaka alaìkära, vaidarbhé réti, çärdüla-vikréòita


chanda, çåìgära-rasa e väkyaucitya. A heroína da música, Rädhä, é

utkaëöhitä näyikä. Quando o comportamento do herói é inconsistente, a


heroína que se torna indiferente ao mundo na ansiedade da separação é
chamada utkaëöhitä

näyikä.

Versículo 49

œ ÷ ̲ÌÌâ ¢ ôÌ²Ì — ÌœâúsÌ Í ¥ Ì B Ì˜Ì — ÌßtÌ̘ÌÌ — ÌÕœú ¥ ÌÌ˜Ì B ÌÙ ¥ ÌÌ-


˜Ì— ™ ÌsÌË ?? ÌÍœúœú— ™ Ì Í ?? Ì — ÌÊœú˜ÌÙœú: p “ ?? ÌÌâ · þÌœ ÷ Õ ·
þÍœú: ?? ÌÌtÌÙ ¥ Ì: * 49 *

räsolläsa-bhareëa vibhrama-bhåtäm äbhéra-väma-bhruväm

abhyarŠaà parirabhya nirbharam uraù premändhayä rädhayä sädhu tvad-


vadanaà sudhä-mayam iti vyähåtya géta-stuti-

vyäjäd udbhaöa-cumbitaù smita-manohäré hariù pätu vah

Tradução

Rädhä foi cegado pelo amor por K Ša e encantado a ponto de ficar


perplexo. Nessa condição, ela se tornou totalmente desavergonhada.
Diretamente diante dos olhos atraentes das outras vaqueirinhas radiantes,
que foram dominadas pelo amor no räsa-lélä, Rädhä abraçou fortemente o
peito de Kåñëa. Cantando seus louvores, “Ó minha querida, quão bonito é o
seu rosto de lótus. Que mina incomparável de néctar abundante, ”ela o
envolveu em um beijo delicioso. Ao testemunhar a intensidade de seu
amor, K Ša expressou a rapsódia dentro de seu coração com uma risada
encantadora. Ó ®r… K Ša, conceda auspiciosidade a todos.

70

Ato Um

Comentário

Este é o versículo final do primeiro ato. o sakhé está lembrando Rädhä de


seus passatempos com Kåñëa no outono ( säradéyä-räsa). Krsna estava
imerso em um festival de desejos amorosos. Ele estava esplendidamente
parado entre as donzelas vaqueiras, que olhavam para ele com o canto dos
olhos de lótus. A princípio Rädhä estava ansiosa, mas sua amiga encorajou
o repentino despertar de um desejo tremendo. O comportamento de Rädhä
é geralmente inibido pela timidez, mas ela se tornou desavergonhada
devido à absorção em prema. Como se fosse parte do räsa dança, ela cantou
louvores a Kåñëa com expressões ambrosiais, abraçou fortemente seu peito
e começou a beijá-lo diretamente na presença de todos os outros gopés.

Quando Rädhä exibiu livremente suas emoções extáticas diante de todas as


elegantes jovens damas de Vraja, o rosto de Kåñëa expressou o maior
deleite. “O bem-educado Rädhikä agora está cego pelo amor na exaltação
do räsa. Como ela é especialista. ” Que aquele cativado ®r… K Ša conceda
auspiciosidade a todos.

Neste versículo o näyikä é pragalbhä e a näyaka é Mugdha. o Chanda

(2) çärdüla-vikréòita. o alaìkäras incluir äçéù, aprastuta, praçaàsä e


vyäjokti.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre

Ato Um de Çré Géta-govinda, intitulado Sämoda-dämodara.


71

* ͈ùtÌÕ ™ Ì: ²ÌOÌÊ: *

* +Ì: Iâò¨ÌFâò¨Ì* ¥
Ato Dois

- akleça-keçavaù -

Kåñëa despreocupado

S CENE F EU TENHO

Verso 1

é ¥ Ì · þœ ÷ ÍtÌ ¥ Ì ?? Ìâ œ ÷ ÌŒÌÌ ²ÌÌŒÌÌœúsÌ p ÌsÌ


Ìâ · þœ ÷ Ìæ Í ¥ ÌOÌÍ¡ô ÷ tÌÍ ?? Ì`ÌÌâtFò s ÌÌÊzùÕ s ™ ÌÌÊ ¥ ̨Ìâ ?? Ì
OÌtÌÌ ?? ™ ÌtÌ: JòÍZÌzùÍ ?? Ì ¡ô ÷ tÌÌFÙògÌâ OÌÙgÌ ?? ˜ÌŒÌÙ v Ìt̘Ìsn ÷ ¡ô
÷ Õ-

˜ÌÙLÌœ ÷ ͨÌLÌœâú ¡ô ÷ Õ ?? ÌÌ zùÕ ?? ÌÌ ?? ™ ÌÙ ¥ ÌÌZÌ œú · þ: ²ÌLÌÕ˜ÌÆ


*1*

viharati vane rädhä sädhäraëa-praëaye harau

vigalita-nijotkarñäd érñyä-vaçena gatänyataù

kvacid api latä-kuïje guïjan-madhu-vrata-maëòalé-

mukhara-çikhare lénä dénäpy uväca rahaù sakhém

Tradução

uando Rädhä viu Kåñëa desfrutando de trocas afetuosas com todas as


vaqueirinhas nos bosques de Vånòävana, ela ficou indignada porque ele
não havia reconhecido sua eminência. Ela imediatamente

imediatamente partiu para outra parte da floresta e se escondeu dentro de


um caramanchão sombrio que ressoou com o zumbido de abelhas.
Sentindo-se miserável, ela começou a revelar segredos para sua
companheira íntima.

Comentário

O segundo ato tem direito Akleça-keçava. O significado é que Bhagav € n


®r… K Ša, a Divindade Suprema e conhecedor de rasa, está eternamente
livre de angústia. Ele nunca tem que passar pela menor dor. Bhagavän tem
duas características incomuns:

(1) Akhila-heya-pratyanikatva - Ele não tem ligação com defeitos materiais


como qualquer tipo de infortúnio ou calamidade dolorosa. Ele é pratyanéka,
o formidável nêmesis de todos os defeitos. A este respeito, o autor de
Yoga-Sutra declarou:

7755

Çré Geta- govinda

kleça-karma-vipäkäçayair aparämåñöaù puruña-viçeña éçvaraù

“Uma pessoa que não tem relação com defeitos como ignorância, falso
egoísmo, apego,

aversão, medo da morte, ou trabalho reativo e suas consequências, é


chamada éçvara. ”( Yoga-Sutra 1,24)

¥ Akhila-kalyäëa-guëäkaratva - ®r… K Ša é o benfeitor de toda

criação e uma mina de virtudes sobrenaturais. Portanto, o segundo ato tem


direito Akleça

(livre de estresse) Keçava.

®r… R € dh € é propenso a um comportamento temperamental. Quando o


sakhé informada sobre o paradeiro de K Ša, ela entrou em seu grande
festival de Cupido. Quando ela o viu expressando afeição igual a todas as
vaqueirinhas, ela orgulhosamente pensou: “Eu sou sua melhor amante. Eu
sou sua companheira constante. Mas hoje ele não está mostrando
parcialidade por mim. ” Então ela partiu bufando. Encontrando um bosque
denso, ela entrou e se escondeu. Mesmo lá, ela não conseguia encontrar paz
porque estava fervendo de ciúme. Um grupo de abelhas zumbia em torno
das flores acima deste bosque de vinhas em flor. Naquela época, quando
Rädhä sentiu a dor de sua própria raiva ciumenta, ela começou a
compartilhar segredos com seu companheiro que não deveriam ser
revelados a ninguém.

o Chanda deste versículo é hariëé, que é definido como rasa-yuga hayaiù

n-sau m-rau s-lau go yadä hariëé. A heroína é prauòhä näyikä. Os


ornamentos literários incluem anupräsa alaìkära. Rasavad alaìkära está
presente devido a

excessivo rati-bh € va. A palavra api enfatiza fortemente que Rädhä estava
em tal condição que ela era incapaz de falar. Além disso, ela nunca revela
segredos. Assim a palavra api, significando “não obstante”, transmite a
sensação de espanto absoluto.

O presente verso é o colofão ( puñpikä) da quinta canção, que começa


propriamente no verso seguinte.

7766
Canção 5

O modo musical é gurjaré raga e o ritmo é yati täla.

²ÌfÌœúzùŒÌœú²ÌÙŒÌ̘̌ÌÙœúŒ ¥ ÌÍ ??

̘ÌÙLÌÍœút̘ÌÌâ · þ ?? Ì ¥ Ìɨ̘ÌÆ * ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌ ‹ùOÌfÌ¡ô ÷ ZÌfÌ¡ò ÷ ÌÌ¡Í ?? ÷


Í ¥ Ì¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷ ¥ ÌtÌÉ œ ÷ ̲Ìâ · þÍœ ÷ Í˜Ì · þ Í ¥ ÌÍ · þtÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ̲ÌÉ

²˜Ìœ ÷ ÍtÌ ˜Ì ?? ÌÌâ ˜Ì˜Ì FßòtÌ ?? ÌÍœú · þ̲̘ÌÆ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 2 *

ZÌ ?? ‡ ùFòZÌÌ ?? û˜Ì ™ ÌÜœ ÷ ͨÌLÌsn ÷ Fò˜Ìsn ÷ ¡ô ÷ ¥ Ì¡ô ÷ Í ™


ÌtÌFâò¨Ì˜ÌÆ *

p ÌZÌÙœú ?? ÌÙœú ?? zùœúŒÌ ?? ÌÙœú ?? ÌÙœ ÷


ÍgÌt̘ÌâzÙùœú˜ÌÙÍzùœú²ÌÙ ¥ Ìâ¨Ì˜ÌÆ *

OÌÌâ ?? ÌFòzù˜ – ÌÍ ?? Ìt̘ – Ì ¥ ÌtÌÕ˜ÌÙLÌZÌÙ˜ – Ì ?? Ì¡ô ÷ ј — ÌtÌ¡ô ÷ Ìâ


— ̘ÌÆ * -ôͲÌtÌѲ˜??ŒÌt̨ÌÌâÙ`Õ —¥Ì˜ÌŒÌٜ̘ÌÆ*œ÷÷̜̌ú̲Ìâ0* 4??
* Ì ¢ ô ÷ ¥ ̘ÌÙ ¢

Í ¥ Ì ?? ÌÙ¡ô ÷ ?? ÌÙ¡ô ÷ Fò — ÌÙ`Ì ?? Ì ¢ ô ÷ ¥ Ì ¥ Ì¡ô ÷ Í ™ ÌtÌ – Ì

¢ ô ÷ ¥ Ì ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌ²Ì · þ³Ì˜ ÌÆ * FòœúZÌœúsÌÌ✠÷ Í²Ì ˜ÌÍsÌOÌsÌ — ÌÜ s


ÌsÌÍFòœúsÌÍ ¥ ÌÍ — Ì

`Ì¡ô ÷ zù ?? Ìhõ¡ô ÷ ¥ Ì¡ô ÷ Ízù ?? zÙùÍ ¥ ÌÍ ?? Ì ??

zùFòZÌ ?? zù ?? ÌÍtÌ¡ô ÷ Fò¡ô ÷ ¡ô ÷ Ìhõ˜ÌÆ *? ? ÌÕ ?? Ì ?? Ì ™ ÌÌâŒÌœú ??


ÌÍœú²Ìœú˜ÌzÊ

˜ÌÍsÌ˜Ì ™ ̘ÌFòœú˜Ì ?? ÌÌâ · þœúFÙòsn ÷ ¡ô ÷ ˜ÌÑsn ÷

tÌOÌsn ÷ ˜ÌÙzùÌœú˜ÌÆ * ?? ÌÕtÌ ¥˜ Ì²Ì ?? Ì˜Ì ?? ÌÙÌ? ? ÌÙ`̲ÌÙœ ÷ ̲ÌÙœú ¥


Ìœú ?? ÌÍœú ¥ ÌÌ

Í ¥ ̨ÌzùFòzù˜ – ÌtÌ¡âô ÷ ͘ÌÍ¡ô ÷ tÌÉ FòÍ¡ô ÷ Fò¡Ùô s Ì — Ì ™ ÌÉ ¨Ì˜Ì ™


Ì ?? t̘ÌÆ *
˜Ì̘ÌÍ ?? Ì ÍFò˜ÌÍ ?? Ì tÌœúWózù ?? ÌWó ‹ù¨ÌÌ ˜Ì ?? ̲ÌÌ œú˜Ì ™ Ì ?? t̘ÌÆ *
œ ÷ ̲Ìâ0 * 8 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌt̘ÌÍt̲ÌÙ ?? zùœú˜ÌÌâ · þ ?? ̘̌ÌÙÍœú ?? ÌÙ R


ü ?? ̘ÌÆ * ·??ÞÍœúZÌœús̲˜ÌœúsÌÉ̘ÌÆ*÷̲Ìâ0*9 *p ÌÍtÌ ²Ì˜ p ̃ÌÍtÌ ?? ÌÙs
™ Ì ¥ ÌtÌÌ˜Ì ?? ÌÙ R ü

Çré Geta- govinda

Verso 2

saïcarad-adhara-sudhä-madhura-dhvani-mukharita-mohana-vaàçam valita-
dåg-aïcala-caïcala-mauli-kapola-vilola-vataàsam

räse harim iha vihita-viläsaà

smarati mano mama kåta-parihäsam ( refrão) (1)

Tradução

“ Sakhi, que incrível é que neste festival de räsa, ®r… K Ša me abandonou


e agora, com alegre curiosidade, está saboreando o amor na companhia de
outras jovens amorosas. Mesmo assim, ainda continuo a me lembrar dele
no fundo do meu coração. Ele enche a flauta em suas mãos de lótus com
uma transformação do néctar de seus lábios, soprando e produzindo uma
doce melodia expressiva. Olhares desejosos com o canto dos olhos fazem
estremecer o enfeite de cabeça adornado com joias e os brincos pendurados
perto das bochechas. Lembro-me repetidamente de sua atraente tez escura,
seu riso e seu comportamento humorístico. ”

Comentário

O amigo de Rädhä disse: "Querido Rädhikä, Kåñëa o negligenciou, então


por que você o ama tanto que está perdendo a compostura?"
Assim repreendida por sua amiga, Rädhä falou em um humor de extrema
auto-humilhação. “ Sakhi, suas palavras são verdadeiras. ®r… K Ša me
abandonou. Apaixonado por outros amantes atraentes, ele está divertindo-
se com eles, então minhas expressões de amor por ele certamente são em
vão. Mas o que devo fazer? Suas travessuras cômicas aparecem
repetidamente em meu coração. Agora me lembro de sua sedução divertida.

“O Sakhi, esta é a própria floresta do passatempo onde antes


experimentávamos a alegria do amor amoroso juntos. Estou tão apegado
que não posso abandoná-lo. Sempre me lembro de suas virtudes. Meu
coração não consegue nem imaginar a menor falha nele. Estou satisfeito
com tudo o que ele faz.

“Quando Çyämasundara ri e brinca com o gopés de Vraja na noite do räsa-


lélä, ele enche a flauta em suas mãos de lótus com uma transformação do

7788

Ato Dois

néctar de seus lábios ... ”Assim, Rädhikä começa sua canção de separação -
saïcarad-

adhara-sudhä-madhura-dhvani-mukharita.

A etimologia desta frase é saïcarantyä adhara-sudhayä madhuro dhvani


yatra tad yathä syäd tathä mukharitä mohiné vaàçé yena tam.

“A influência encantadora de sua flauta é famosa. Extraído do néctar de


seus lábios, o doce som de sua flauta deixa minha mente instável e de
repente me rouba a paciência. Assim que me lembro da beleza de seus
membros, o ornamento inquieto em sua crista, seus brincos oscilantes e,
especialmente, a maneira como ele abraça e beija o jovem gopés, Eu
imediatamente perco meu senso de propriedade. O Sakhi, O que eu devo
fazer?"

Verso 3

candraka-cäru-mayüra-çikhaëòaka-maëòala-valayita-keçam pracura-
purandara-dhanur-anuraïjita-medura-mudira-suveçam

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 2)

Tradução

“Memórias de ®r… K Ša estão vindo para mim de forma mais vívida. Seu
cabelo é adornado com uma encantadora pena de pavão, que é embelezada
por seu design natural em forma de meia-lua. Seu brilho se assemelha a
uma massa de nuvens de chuva frescas, coloridas por uma abundância de
arco-íris brilhantes. ”

Comentário

O padrão circular na extremidade de uma pena de pavão é chamado


Candraka. Também confere alegria como a lua ( candramä).

“O cabelo de ®ré Kåñëa é circundado por tão doces penas de pavão e sua
tonalidade escura dá a impressão de uma nova nuvem decorada por muitos
arco-íris. A memória de sua figura adorável e radiante vem à mente
repetidamente. ”
7799

Çré Geta- govinda

Verso 4

gopa-kadamba-nitambavaté-mukha-cumbana-lambhita-lobham bandhujiva-
madhurädhara-pallavam ullasita-smita-çobham

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 3)

Tradução

“Ele abaixa o rosto com o desejo de beijar os rostos dos gopés no festival
do Cupido. Seus lábios tenros são de uma cor avermelhada suave e
encantadora, como o botão de uma flor de malva escarlate. O brilho sem
precedentes de seu sorriso suave se espalha por seu rosto bonito. Memórias
daquele mesmo ®r… K Ša estão vindo para mim de forma mais vívida. ”

Comentário

“Memórias de Çré Kåñëa, que tem vontade de beijar os rostos dos recém-
casados

gopés, estão ocupando minha mente com força. Quando ele está imerso em
um jogo amoroso secreto nos caramanchões da floresta, sua ânsia de beijar
os rostos dos gopés aumenta incessantemente. A memória dos lábios
vermelhos de ®ré Kåñëa, a cor das flores de malva escarlate ( bandhüka),
está despertando espontaneamente em minha mente. Sakhi, quando ele
sorri, sua beleza aumenta ainda mais. ”

Verso 5
vipula-pulaka-bhuja-pallava-valayita-ballava-yuvati-sahasram kara-
caraëorasi maëi-gaëa-bhüñaëa-kiraëa-vibhinna-tamisram

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 4)

Tradução

“Estou me lembrando impotente de ®r… K Ša, cujo corpo inteiro


estremece de horror quando ele abraça profundamente milhares e milhares
de jovens

gopés com os braços tenros como pétalas de flores. Ele ilumina todas as
direções com raios brilhantes que emanam dos enfeites de joias em suas
mãos, pés e peito. ”

8800

Ato Dois

Comentário

“Agora estou me lembrando daqueles braços de ®y € masundara, tão


macios quanto folhas recém-brotadas. Eles são cobertos com horripilação
severa enquanto circundam milhares de

gopés e abrace-os fortemente. Toda escuridão é dissipada pelos raios de


beleza que emanam dos ornamentos em suas mãos, pés e peito. ”

Verso 6
jalada-paöala-valad-indu-vinindaka-candana-tilaka-laläöam péna-
payodhara-parisara-mardana-nirdaya-hådaya-kaväöam

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 5)

Tradução

“Sua testa tem um cativante tilaka. Seu brilho indescritível derrota a imensa
beleza de uma lua inquieta em meio a uma multidão de novas nuvens de
chuva. Eu simplesmente continuo me lembrando de como Kåñëa de
coração cruel sempre gosta de infligir dor aos mamilos preciosos de valor
inestimável dos seios grandes das moças mais qualificadas com seu próprio
peito, que é tão largo e sólido quanto uma porta. ”

Comentário

“A beleza da lua inquieta em meio a novas nuvens de chuva é um


espetáculo para ser visto. A tela escura

da testa larga de K Ša é como uma nuvem de chuva fresca e, portanto, sua


pasta de sândalo branco tilaka repreende o efeito agradável dos raios
brilhantes da lua. Lembro-me vividamente de como K Ša esmaga

impiedosamente seu peito largo contra os seios macios de jovens damas


sem trégua no momento de sua união amorosa. ”
8811

Çré Geta- govinda

Verso 7

maëimaya-makara-manohara-kuëòala-maëòita-gaëòam udäram péta-


vasanam anugata-muni-manuja-suräsura-vara-pariväram

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 6)

Tradução

“A beleza de suas bochechas é realçada por seu encanto, joias, Makara-

brincos em forma. Ele aceita o papel de um herói submisso ( dakñiëa


näyaka) e generosamente satisfaz os desejos do coração de suas amantes.
Vestido com uma roupa amarela, Kåñëa difundiu sua doçura e saturou o
melhor de seus seguidores, incluindo semideuses, demônios, sábios e
humanos, em prema-rasa. Essas memórias de K Ša estão vindo com força
para mim por conta própria. ”

Comentário

“As orelhas de Kåñëa são adornadas com brincos pendentes que realçam a
beleza de suas bochechas. Seus brincos têm o formato de Makara, uma
criatura do mar considerada o emblema de K € madeva, o deus da luxúria.
Ele joga com um humor submisso e se veste de amarelo. Seus melhores
seguidores incluem Närada entre os sábios, Bh… ma entre os humanos,
Prahläda entre a dinastia de demônios e Indra entre os semideuses. Eu não
consigo esquecê-lo. ”
Verso 8

viçada-kadamba-conto militaà kali-kaluña-bhayaà çamayantam mäm api


kim api taraìgad-anaìga-dåçä manasä ramayantam

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 7)

Tradução

“Meu coração fica cada vez mais agitado ao lembrar de ®r… K Ša. Depois
de chegar sob uma ampla kadamba árvore em plena floração, ele espera por
mim enquanto olha ao redor em antecipação. Ele dissipa completamente
seu próprio medo de separação por

8822

Ato Dois

consolando-me com muitas palavras inteligentes e lisonjeiras de


encorajamento. Seus olhos inquietos com as ondas poderosas de desejo e
sua mente cheia de saudade, ele se deleita em passatempos amorosos
comigo no fundo do meu coração. ”

Comentário

®ré Rädhä diz: “Ó Sakhi, ele ainda está esperando ansiosamente por mim
no ponto de encontro designado sob um expansivo kadamba árvore. Com
medo de que eu o deixe durante nossa briga de amantes, ele ainda me
apazigua com engenhosas palavras de lisonja. Ele ainda me encanta com o
seu rasa- olhares carregados e coração profundamente apegado. ”
Mäm api - “Ele ainda me faz feliz.” A implicação é: "As atividades do meu

o amado K Ša é tão cativante que, mesmo muito depois de vê-los, ainda


sinto o maior êxtase. ”

Verso 9

Çré-jayadeva-bhaëitam ati-sundara-mohana-madhuripu-rüpam hari-caraëa-


smaraëaà prati samprati puëyavatäm anurüpam

räse harim iha vihita-viläsaà ... ( 8)

Tradução

®r… Jayadeva apresentou este poema para aquelas pessoas afortunadas


devotadas ao serviço de Bhagav € n. Ele descreve a beleza encantadora da
forma de K Ša. É a própria personificação da lembrança dos pés de lótus de
Çré Hari e deve ser saboreada depois de se abrigar completamente no rasa.

Comentário

Concluindo a quinta canção, ®ré Jayadeva afirma que a compôs para


despertar um tipo particular de lembrança dos pés de lótus de K Ša nos
corações dos devotos afortunados que alcançaram o amor transcendental.
Aqui a palavra

caraëa refere-se a passatempos como o räsa-lélä, cuja lembrança é benéfica


para os devotos até hoje. o räsa-lélä é excepcionalmente cativante.
8833

Çré Geta- govinda

Portanto, essa música compreende o método de lembrar os pés de lótus de


K Ša que R € dh € nunca pode abandonar.

Esta quinta música, intitulada Madhuripu-ratna-kaëöhikä, é composto em


laya

chanda. Laya Chanda é caracterizado assim, munir yagaëair layam


ämananti.

Verso 10

OÌsÌ ™ ÌÍtÌ OÌÙsÌ g Ì̘ÌÉ B Ì̘ÌÉ B ̘ÌÌzùÍ ?? Ì ??

Ìâ · þtÌâ ¥ Ì · þÍtÌ ZÌ ?? Ìœ ÷ ÕtÌÌâ s ÌÉ zùÌâ s ÌÉ

Í ¥ ̘ÌÙfÌÍtÌ zÜùœútÌ: * ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌ s ÌÙ ¥ Ì¡ô ÷ uÌß s sÌâ Fßò s sÌâ Í ¥ Ì ·


þÌÍœ ÷ Í ?? ÌÙ ?? Ìœ ÷ Í ?? Ì ˜Ì ?? ÌÌâ ¥ Ì̘ÌÉ Fò̘ÌÉ Fòœ ÷ ÌâÍtÌ Fòœ ÷ Ìâ͘Ì
ÍFò˜ÌÆ * 1

ga Šayati g Ša-gr € maà bhr € maà bhram € d api nehate

vahati ca parétoñaà doñaà vimuïcati dürataù yuvatiñu

valat-tåñëe kåñëe vihäriëi mäà vinä

punar api mano vamaà kamaà karoti karomi kim

Tradução

“K Ša o negligenciou. Então, por que você está cada vez mais irritado com
o apego por ele? " Repreendida dessa forma por seu companheiro íntimo,
Rädhä respondeu: “Minha querida amiga, K Ša me abandonou e agora está
desfrutando de passatempos de amor sempre renovado com muitas outras
jovens. Sei que é inútil expressar meu amor por ele. Ainda assim, o que
devo fazer? Meu apego por ele é tão poderoso que não irá embora em
nenhuma circunstância. Continuo enumerando suas qualidades
maravilhosas. Quando percebo minha eminência, fico enlouquecido de
êxtase. Não posso ficar com raiva dele, mesmo por engano; e fico satisfeito
quando ignoro seus defeitos. Anseio ardentemente por ele a cada momento.
Sakhi, Eu não consigo esquecê-lo. O que eu devo fazer?"

Comentário

Definindo o cenário para a sexta música, Rädhä começa um relato de seus


assuntos particulares dizendo:

“ Sakhi, meu coração é submisso a K Ša, apesar de sua mulher

8844

Ato Dois

com outras mulheres. Embora ele não me queira mais, continuo a me


lembrar de suas múltiplas virtudes e anseio por sua associação. ”

Bhramaà bhramäd api nehate - Aqui a palavra bhräma significa raiva.


"Minhas

coração se recusa a ficar com raiva dele, mesmo sem querer. Não desejo
ver defeitos nele, como seu apego por outras heroínas ou sua indiferença
por mim. Continuo completamente satisfeito com ele. O que eu devo
fazer?"
Neste verso, ®r… R € dh € é retratado como o utkaëöhitä näyikä quem é
caracterizado assim:

utkä bhavati sä yasyä

väsake nägatah priyah

tasyänägamane hetuà

cintayantyäkulä yathä

Uma heroína que se preocupa ansiosamente com a razão pela qual seu
amado não veio para sua cabeceira é chamada utkaëöhitä.

Este versículo inclui hariëé chanda, kriyaucitya, yamaka çabda alaìkära

e dois artha alaìkäras, nomeadamente saàçaya e dépaka. O presente verso é


o

puñpikä da sexta música.


8855

S CENE S IX

Canção 6

O modo musical é mälava räga. O ritmo se move rapidamente em ekatälé


täla.

¥ ?? Ì — ÌßtÌÍ ?? ÌFÙògÌOÌß · Éþ OÌtÌ ™ ÌÌ Í ?? ÌÍ¨Ì œú · þÍ²Ì Í ?? Ì¡ô


÷ Õ ™ Ì ¥ Ì²Ì ?? t̘ÌÆ * ZÌ¡ô ÷ ÌÍF²F ÷

Ízù¨ÌÌ œ ÷ ÍtÌœú — Ì²Ì — ÌœâúsÌ · þ²Ì ?? t̘ÌÆ * ²ÌÍLÌ · Fâò̘ͨÌyÌ ??


̘ÌÙzùÌœÉú

œú˜Ì ™ Ì ˜Ì ™ ÌÌ ²Ì · þ ˜Ìzù ?? Ì˜Ì ?? ÌÌâœúyÌ — ÌÌÍ ¥ ÌtÌ ™ ÌÌ ²ÌÍ ¥


ÌFòÌœú˜ÌÆ * D ÌÙ ¥ ̘Ì

p Ìy̘̲Ì̘ÌÌO̡̘ô ÷ ÍaÌtÌ ™ ÌÌ ?? ÌhÙõZÌÌhÙõ¨ÌtÌæœú ?? ÌÙFÜò¡ô ÷

˜ÌÆ * ˜ÌßzÙù˜ÌŒÌÙœ ÷ Ѳ˜ÌtÌ — ÌÌÍ s ÌtÌ ™ ÌÌ Í¨ÌÍyÌ¡ô ÷ ÕFßòtÌ`ÌQÌ ??


ÌzÙùFÜò¡ô ÷ ˜ÌÆ * ²ÌÍ

ÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ì¨Ì ™ Ì ?? ÌÍ ?? Ì ¥ ÌâͨÌtÌ ™ ÌÌ ÍZÌœú˜ÌÙœ ÷ Í²Ì ˜Ì˜Ìæ ¥ Ì ¨Ì ™


ÌÌ ?? ̘ÌÆ *
FßòtÌ ?? ÌÍœúœú˜ — ÌsÌZÌÙ˜ – Ì ?? Ì ™ ÌÌ ?? ÌÍœúœú— ™ Ì FßòtÌ̜̌ú ??
ÌÌ ?? ̘ÌÆ * ²

+FòÌ¡Ô ¥÷ ²ÌÍÌÍ¡ô??÷ ̘ÌÕÍ¡ô÷÷÷tÌ¡ôtÌFò÷ ??ÌâZÌÌÌâ¡ô?? Ì÷™˜ÌÆÌÌ??*


ÌÙ¡ô ÷

¬Ì˜Ì`Ì¡ô ÷ ²ÌFò¡ô ÷ Fò¡âô ÷ ¥ Ìœú ™ ÌÌ ¥ Ìœú˜Ìzù ?? ̘ÌzùÌzùÍtÌ¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷


˜ÌÆ * ²ÌÍLÌ · âþ0

FòÌâÍFò¡ô ÷ Fò¡ô ÷ œú ¥ ÌFÜòÍ`ÌtÌ ™ ÌÌ Í`ÌtÌ˜Ì ?? ÌͲÌ`ÌtÌ ?? ÌͲÌ`ÌtÌ ?? wÌÍ ¥


ÌZÌÌœú˜ÌÆ *

ªô ÷ yÌFÙò²ÌÙ˜ÌÌFÙò¡ô ÷ FÙò ?? tÌ¡ô ÷ ™ ÌÌ ?? ÌLÌÍ¡ô ÷ ÍLÌtÌQÌ ?? ̲tÌ ??


Ì — ÌÌœ̃ ÌÆ * ²Ì

ZÌœúsÌœ ÷ ÍsÌt̘ÌÍsÌ ?? ÌÜ ?? ÌÙœú ™ ÌÌ ?? ÌÍœú ??

ÌÜÍœút̲ÌÙœútÌÍ ¥ ÌtÌÌ ?? ̘ÌÆ * ˜ÌÙLÌœ ÷ Í ¥ ̧ÌßVó÷ô ™ ÷ ÌÌL g Ì ·


þZÌÙ˜ – Ì ?? ÌzùÌ ?? ̘

œ ÷ Ít̲ÌÙLÌ²Ì˜Ì ™ Ìœú²ÌÌ¡ô ÷ ²Ì ™ ÌÌ zùœú˜ÌÙFÙòÍ¡ô ÷ tÌ ?? Ì ™ Ì ?? ̲̜


÷ Ìâ`̘ÌÆ *

Í ?? Ì: ²Ì · þÍ ?? Ì ?? ÌÍtÌtÌtÌ ?? ÌÙ¡ô ÷ tÌ ™ ÌÌ ˜ÌŒÌÙ²ÌÜzù ?? ̘ÌÙÍzùtÌ˜Ì ??


ÌÌâ`̘ÌÆ * ²ÌÍLÌ · â

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ͘Ìzù˜ÌÍtÌ¨Ì ™ ̘̌ÌÙÍœú ?? ÌÙÍ ?? ÌŒÌÙ ¥ Ì ??


̨ÌÕ¡ô ÷ ˜ÌÆ * ²ÌÙL̘ÌÙtFòÑslötÌOÌÌâ ?? Ì ¥ ÌŒÌÜFòÍyÌtÌÉ Í ¥ ÌtÌ ?? ÌÌâtÌÙ
²Ì¡ô ÷ Õ¡ô ÷ ˜ÌÆ * ²ÌÍLÌ · âþ0 * 1

Ato Dois

Versículo 11

nibhta-nikuñja-ghaà gatayä niçi rahasi niléya vasantam cakita-vilokita-


sakala-diçä rati-rabhasa-bhareëa hasantam
sakhi he kesi-mathanam udäraà ramaya mayä saha

madana-manoratha-

bhävitayä sa-vikäram ( refrão) (1)

Tradução

“O Sakhi, K Ša-mathana K Ša nunca carece de generosidade quando se


trata de aliviar o calor ardente de Kāmadeva. Além do mais, sua mente
também está confusa com o apego por mim. Minha ansiedade está
aumentando incessantemente; como meu desejo de me unir a ele será
realizado? Organize nosso encontro imediatamente.

“Certa vez, ele foi para um caramanchão isolado na floresta à noite, de


acordo com o plano que tínhamos discretamente organizado por meio de
dicas e sinais. Com um humor travesso, ele se escondeu na densa folhagem
da floresta apenas para observar minha ânsia de conhecê-lo e minha agonia
em sua ausência. Comecei a olhar ao redor com olhos cansados e
temerosos, imerso em ansiedade e pensando 'Oh, quando ele virá?' Então,
de repente, ele me deliciou com o néctar de sua risada amorosa.

“K Ša é generoso e é o assassino do demônio Keçé. Meu anseio por jogos


de amor apaixonados atingiu o limite e estou preparado para realizar todas
as atividades da união. Então, meu querido amigo, providencie para que
®r… K Ša cumpra suas ambições comigo imediatamente. ”

Comentário

Ardendo em uma febre de luxúria transcendental, Rädhä revela seu desejo


de encontrar K Ša. Ela começa revelando os detalhes de como o havia
agradado com sua brincadeira de amor em uma ocasião anterior. Este
passatempo está cheio dos mistérios mais profundos.

Sakhi! ramaya kesi-mathanam udäram mayä saha - “ Sakhi, organizar para


mim
para se deliciar no amor com Keçi-niñüdana. ” Aqui, Rädhä expressa o
desejo de sua própria felicidade. A definição de devoção pura proíbe o
interesse próprio, então por que ela tem esse desejo? As vaqueirinhas
renunciaram a tudo

8877

Çré Geta- govinda

amar K Ša. Eles são desprovidos de qualquer vestígio de desejo


egocêntrico. No entanto, se o desejo intenso do herói e da heroína não for
mútuo,

prema não se manifestará totalmente. A heroína deve mostrar a ela anuraga


para despertar o desejo de amor no coração do herói. Esta é a natureza de
prema.

O defeito de incompatibilidade ( rasäbhäsa) surge se prema é unilateral.


Afirma-se:

anurägo 'nuraktäyäà

ras € vaha iti sthitiù

abhäve tv anurägasya

rasäbhäsaà jagur budhäù

¥ a opinião de autoridades instruídas que rasa é nutrido pela ânsia de


amor da mulher, enquanto rasäbhäsa ocorre na ausência de tal

anuraga.
Portanto, o desejo agudo de Rädhä por K Ša age para aumentar rasa.

“ Sakhi, na primeira vez que K Ša se divertiu comigo, ele percebeu a


felicidade de fazer amor. Agora que estamos separados, lembro-me
constantemente da felicidade de nosso jogo amoroso. O sentimento erótico

( madana-rasa) me deixa perturbado com a impaciência. A separação de K


Ša tornou-se intolerável. Sakhi, providencie minha união com ele
imediatamente! "

Desta forma, o poeta retratou a vida de Rädhä anuraga para K Ša e K Ša

anuraga para Rädhä. Se um autor apresenta o assunto da união antes de


retratar anuraga, o defeito de rasäbhäsa ocorre.

Sa-vikäram - Çré Rädhä diz: "Eu experimentei as transformações de

kama. “Quando a luxúria de uma mulher é despertada, ela inventa uma


desculpa para mostrar seu umbigo, seios e outras partes de seu corpo.
Conforme indicado no comentário intitulado

Rasika-sarvasva:

näbhé müla kucodara prakaöanavyäjena yad yoñitäà

säkäà kñaà muhur-ékñaëaà skhalitatä névénibandhasya ca keça-bhraàsana


saàyamau cakamitur miträdi sandarçanaiù

saubhägyädi guna praçasti kathanaih tat sänurägeìgikatam

8888

Ato Dois
Quando uma mulher está excitada, seus gestos são cheios de anuraga. Por
exemplo, ela cria uma oportunidade de mostrar seu umbigo, seios e
abdômen; ela repetidamente olha para seu amado com desejo em seus
olhos; suas roupas íntimas começam a afrouxar; o arranjo de seu cabelo
escorrega e ela tenta consertá-lo; ela observa cuidadosamente todas as
atividades dos amigos de seu amado e elogia sua boa sorte e virtudes junto
com eles.

“O Sakhi, Sou culpado de todos esses gestos carregados de amor. Organize


meu encontro com Çré Kåñëa imediatamente. ”

A frase madana-manoratha-bhävitayä significa, "desejos nascidos do

kama no âmago do meu coração agora estão totalmente maduros. ”

ceñöä bhavati pünnäryo

raty-utthänäti-saktayoù

sambhogo vipralambhaç ca

sa Šåìgäro dvidhä mataù

Quando um homem e uma mulher que estão intensamente ligados um ao


outro realizam atividades românticas para estimular os desejos de união um
do outro, o clima amoroso é de dois tipos, a saber, encontro ( sambhoga) e
separação ( vipralambha).

“Assim como eu, o amante separado, anseio por K Ša, ele também anseia
por mim. O Sakhi,

leve-me até ele imediatamente! " Neste caso, Çåìgära-rasa está completo.

Çré Rädhä diz: “Quando eu cheguei ao isolado Kuïja na calada da noite,


sem ver ®y € masundara, comecei a olhar em volta com grande ansiedade.
Naquela época, ele observava minha ansiedade de seu esconderijo em um
bosque denso.

“Quando comecei a procurá-lo com olhos temerosos, ele iluminou todas as


direções com alegria, aparecendo de repente bem na minha frente e rindo
com vontade de entusiasmo para fazer amor. O Sakhi, leve-me até ele
imediatamente! "

8899

Çré Geta- govinda

Versículo 12

prathama-samägama-lajjitayä paöu-cäöu-çatair anukülam mådu-madhura-


smita-bhäñitayä çithilé-kta-jaghana-dukülam

sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 2)

Tradução

“Vendo-me tão ingênuo e crédulo pelo constrangimento natural que ocorre


durante o primeiro encontro amoroso, ele empregou uma sucessão de
palavras corteses e súplicas humildes para diminuir minha timidez.
Encantado com suas palavras lisonjeiras, sorri suave e docemente e
comecei a conversar com ele. Só então aquele astuto K Ša de repente
removeu o pano de meus quadris. O Sakhi, providencie imediatamente para
que eu me encontre com ele! ”

Comentário

®r… Rädhä disse a sua amiga: “Este não foi meu primeiro encontro íntimo
com K Ša. Mesmo assim, fingi a timidez de uma heroína por ocasião de sua
primeira união. Observando meu temperamento, K Ša disse palavras de
lisonja apenas para me deixar de acordo com suas intenções. Encantado
com sua conversa doce, eu sorri docemente em retorno e conversei
educadamente com ele. Assim que ele viu que eu era favorável a ele, ele
repentinamente abriu meu pano de baixo.

“Eu quero estar unido em amor amoroso a K Ša. O Sakhi, providencie para
que eu me encontre com ele imediatamente! "

A frase prathama-samagama - primeira união - implica que o sublime

a doçura do coito é sempre experimentada de maneiras cada vez mais


novas.

Versículo 13

kisalaya-çayana-niveitayä ciram urasi mamaiva çayänam karta-


parirambhaëa-cumbanayä parirabhya kåtädhara-pänam

sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 3)

9900
Ato Dois

Tradução

“Ele me fez deitar em um canteiro encantador de flores suaves e frescas e


então, com grande prazer, ele se deitou tão radiante em meu coração. Eu o
beijei e o abracei profundamente. Além disso, ele me abraçou e bebeu
repetidamente o néctar dos meus lábios sob a poderosa influência de ana
ga-rasa. O Sakhi, ele é mais querido para mim do que minha própria vida.
Leve-me para um encontro com ele imediatamente. ”

Comentário

“ Sakhi, no local designado, K Ša me fez deitar em uma cama feita de


flores macias. Depois disso, ele gostou de fazer amor em meu peito por um
longo tempo. Eu o abraçaria e beijaria e ele também me abraçaria e beberia
o néctar dos meus lábios ao mesmo tempo. O Sakhi, providencie para que
eu me encontre com ®r… K Ša imediatamente. ”

Kta-parirambhaëa - O autor de Rasa-maïjaré comenta que esta posição é


chamada kñéra-néra äliìgana com base em evidências de Païcasäyaka.

O autor de Rasika-priyä considera este tipo de abraço como tila-taëòula


äliìgana e dá evidências de seu Koka-€ stra.

Verso 14

alasa-nimélita-locanayä pulakävali-lalita-kapolam Çrama-jala-sakala-


kalevarayä vara-madana-madäd ati-lolam

sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 4)

Tradução
“Da súbita e inesperada onda de êxtase dentro do prazer do amor
apaixonado por ele, meus olhos se cansaram e fecharam. As bochechas de
Kåñëa assumiram um encanto e uma beleza extraordinários com a alegria
dessa brincadeira de amor. Embora já estivesse intoxicado pelas doçuras da
união amorosa, ao ver meu atraente corpo exausto e pingando de suor,
ficou ainda mais agitado com o desejo de saborear ana ga-rasa. O Sakhi,
providencie rapidamente para que eu me encontre com ®r… K Ša! ”

9911

Çré Geta- govinda

Comentário

“ Sakhi, meu corpo ficou cansado e meus olhos se fecharam com a


exaustão que se segue ao prazer sexual. Meu corpo inteiro estava molhado
com gotas de suor indicativas de meus pensamentos vigorosos. Ao me ver
naquela condição, a intensa paixão no coração de K Ša fez com que sua
alegria aumentasse, o que por sua vez criou um brilho cativante em suas
bochechas. Ele estava imerso na felicidade imensamente poderosa do amor
erótico. Ao ver meu corpo parecido com uma videira, ele de repente ficou
agitado. O Sakhi, providencie para que eu me encontre com ele! ”

A transpiração abundante no corpo de ®ré Rädhä do êxtase de fazer amor


revela o clímax de seu deleite anteriormente experimentado.

Verso 15

kokila-kalarava-küjitayä jita-manasija-tantra-vicäram latha-kusumäkula-


kuntalayä nakha-likhita-ghana-stana-bharam
sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 5)

Tradução

“Çré Kåñëa está totalmente familiarizado com as teorias confidenciais


encontradas em manuais autênticos sobre as técnicas de fazer amor ( rati-
çästra) e ele também pratica seus ritos. Na época da união amorosa com K
Ša, gritei como um cuco. Minha trança se abriu e o arranjo de flores em flor
escorregou e caiu do meu cabelo. Não sei o que ele escrevia nos meus seios
grandes e redondos com o arranhar das unhas. O Sakhi, providencie para
que eu me encontre com meu querido ®r… K Ša imediatamente! ”

Comentário

Rädhä está descrevendo sua experiência de união com K Ša de acordo com


os princípios de tantra. Na hora de fazer amor, ela murmurava como um
cuco.

O autor de Rasika-sarvasva declarou, kalarava çabdaù pärävata paryäyah -


“Quando uma heroína é beijada e estimulada de várias maneiras por seu
amante, sua respiração torna-se irregular e ela emite um som semelhante ao

9922

Ato Dois

arrulhar de pássaros como o cuco ou o pombo, expressando assim a súbita


emoção de sensações prazerosas. ”

“K Ša costumava me agarrar pelos cabelos, me beijar e beber o néctar dos


meus lábios. No auge de nossos jogos de amor, ele costumava fazer marcas
de unhas em meus seios grandes e firmes. Sakhi, providencie para que eu
me encontre com ele imediatamente! "

Versículo 16

caraëa-raëita-maëi-nüpurayä paripürita-surata-vitänam mukhara-viçåìkhala-


mekhalayä sa-kaca-graha-cumbana-dänam

sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 6)

Tradução

“Enquanto gostávamos de brincar amoroso, os sinos cravejados de joias


nos meus pés tocaram com o som ' runjhun

Ó Embora meus sinos da cintura fossem muito faladores, eles


gradualmente se desfizeram. Una-me de uma vez com aquele ®r… K Ša
que me pega pelos cabelos, beija meu rosto repetidamente e se envolve em
jogos sensuais em toda a extensão. ”

Comentário

“Quando ®r… K Ša executou tal jogo de amor cativante, os sinos de joias


nos meus pés tilintaram. No início, a faixa de sinos em volta da minha
cintura costumava badalar, mas depois quebrava e silenciava. Ele
costumava pegar meu cabelo e me beijar. O Sakhi, une-me a ele de uma
vez. ”
9933

Çré Geta- govinda

Verso 17

rati-sukha-samaya-rasälasayä dara-mukulita-nayana-sarojam niùsaha-


nipatita-tanu-latayä madhusüdanam udita-manojam 5

sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 7)

Tradução

“Enquanto desfrutava com ele, gradualmente fiquei exausto com a


experiência de intenso prazer sexual. Todos os meus membros ficaram
lânguidos e meu corpo parecido com uma videira foi incapacitado pelo
vigoroso esforço de fazer amor. Eu finalmente caí sem vida e inerte. Os
olhos de lótus ligeiramente abertos de Kåñëa estavam imersos nas doçuras
de Cupido e incomparáveis transformações eróticas ocorriam
incessantemente em sua mente. O Sakhi, une-me ao meu querido ®r… K
Ša de uma vez. ”

Comentário
Depois de ser submerso na experiência do prazer amoroso, Rädhä ficou
cansado e Kåñëa semicerrou os olhos de lótus. Uma abelha geralmente
senta-se em todas as flores uma por uma e bebe seu néctar, mas quando vê
a excelência da flor de lótus, fica profundamente apegado a ela e não pode
mais sair. Ele fica loucamente intoxicado ao beber seu néctar e então
descansa nele. Similarmente,

5 alasä significa mantharä. É afirmado - rati-sukha-samaye dvayor eka-


kälaà retaù kaëa kñaraëa samaye yo rasaù tad

ekägré bhävas tena alasä mantharä.

dara-mukulite significa “ligeiramente fechado”.

niùsahä significa asamarthaù, "incapaz".

udita-manojam significa “luxúria totalmente elevada”.

nipatita-tanu-latä que significa "corpo caído como uma videira" indica


viparéta-rati, a inversão de papéis dos amantes, em que a heroína assume
uma posição ativa e dominante acima do herói.

asamarthä - cyuti kälottarävasthä ity arthaù

Bharata Muni declarou:

aìge svedaù çlathatvaà ca

keça-vasträdi saàvåtti

jäte cyuti sukhe näryä

virämecchä ca gamyate
9944

Ato Dois

embora Madhusudana ®r… K Ša beba o néctar de todas as flores gopés,

impelido por seu profundo apego por Rädhä semelhante ao lótus, ele
abandona todos eles. Ela se torna seu lugar de descanso porque ele só pode
experimentar o êxtase total de todos os prazeres amorosos com ela. Além
disso, quando Rädhä experimenta a destreza de Kåñëa em amor
apaixonado, seu apego por ele também se intensifica.

Hoje, ®r… R € dh € gostava de passatempos amorosos com ®r… Hari em


sua mente. Ao se lembrar de suas experiências anteriores, ela ficou
sobrecarregada de ansiedade e disse à amiga: “Ó Sakhi, providencie para
que eu me encontre com ®r… K Ša imediatamente! ”

Versículo 18

çré-jayadeva-bhaëitam idam atiçaya-madhuripu-nidhuvana-çélam sukham


utkaëöhita-gopa-vadhü-kathitaà vitanotu sa-lélam

sakhi he keçé-mathanam udäraà ... ( 8)

Tradução

Esta narração erótica composta por ®r… Jayadeva retrata a paixão amorosa
excessiva de ®r… K Ša conforme descrita pela heroína ansiosa e
impaciente no tormento de sua separação. Que aumente a auspiciosidade de
todos os devotos que recitam e ouvem.

Comentário
Concluindo, Çré Jayadeva diz: “Embora eu tenha apresentado essa música,
os detalhes foram revelados por Rädhä a seu amigo íntimo. Portanto, o
narrador desta música é na verdade ®r… R € dh €. Ela descreveu
elaboradamente as proezas de Kåñëa nas brincadeiras de amor. "

Quando as memórias de seus passatempos com K Ša despertaram, a mente


de Rādhä ficou instável. Nesse estado, ela revelou o conteúdo de seu
coração para seu companheiro com o propósito de se encontrar com ®y €
masundara.

®ré Rädhä é referido como nidhuvana-nägaré porque ela também é


especialista em sensualidade. Que esta descrição de seus jogos apaixonados
e sede amorosa por ®r… K Ša conceda auspiciosidade a todos.

9955

Çré Geta- govinda

Esta sexta música de Çré Géta-govinda tem direito Akleça-keçava-kuïjara-


tilaka.

Toda a música é permeada com vipralambha-Šåìgära-rasa. O medidor é


laya chanda.

Versículo 19

·¥Þ²t̳̲tÌÍ¢ô˜Ì‚ù¥ Ì¡ô¢ô ÷÷ ̲̥ ÌÕ¥Ìɨ̘Ì- ?? Ìß`ÌÙ B ÌÜ

¥ Ìß ?? zùÌât²ÌÌÍœú ‹ùOÌ ?? tÌ ¥ ÌÕÍKÌt̘ÌÍt̲ ¥


ÌâzùÌ ‡ ÊùOÌsn ÷ ²yÌ¡ô ÷ ˜ÌÆ * ˜Ì̘Ì̈ˆ ™ ?? Ì ?? Ìâ

OÌÌâÍ ¥ Ì ?? zÉù v Ì`̲ÌÙ ?? zùœ ÷ ÕOÌsÌ ¥ ÌßtÌÉ ?? ̨ ™ ÌÌÍ˜Ì Àþ s ™ ÌÌ͘Ì


ZÌ *

hasta-srasta-viläsa-vaàçam anåju-bhrü-vallimad-ballavé-våndotsäri-
dåganta-vékñitam ati-svedärdra-gaëòa-sthalam mäm udvékñya

vilajjita-smita-sudhä-mugdhänanaà känane

govindaà vraja-sundaré-gaëa-vrtaà paçyami håñyami ca

Tradução

“O Sakhi, Çré Kåñëa estava namorando com as vaqueirinhas, cujas


sobrancelhas arqueadas lembram trepadeiras atraentes, e lançando seu olhar
sobre seus membros encantadores. Embora estivesse cercado por uma
multidão de belas donzelas vaqueiras, ele as fez recuar para um lugar
distante com um movimento de seus olhos. Assim que K Ša me viu, ele
ficou maravilhado. Sua mente ficou obcecada por desejos amorosos,
fazendo com que sua flauta caísse de suas mãos delicadas e sua testa
ficasse úmida de suor. Seu rosto floresceu com o néctar de um sorriso
tímido. Eu sinto uma felicidade indescritível ao ver sua reação. ”

Comentário

Existem três tipos de realização no momento da separação: lembrança


( smaraëa), visão interna ( sphürti) e público direto ( ävirbhäva). Çré Rädhä
experimentou pela primeira vez smaraëa. Quando seu humor se intensificou
para o estado de sudéptamahäbhäva, passatempos se manifestam
automaticamente em seu coração. Agora sua realização é säkñät anubhava,
uma experiência direta.
9966

Ato Dois

Ela diz à amiga: “ Sakhi, Veja! Estou rindo e estou muito feliz de ver
Govinda graciosamente presente nesta floresta de Vraja junto com a bela

gopés. ”

o sakhé perguntou: “Ei, desnorteado! Por que você está em êxtase quando
K Ša o abandonou para desfrutar com outros gopés? ”

Rädhä respondeu: “Ele ficará muito envergonhado quando perceber que


estou lá. Sua própria consciência culpada o fará suar profusamente e suas
bochechas ficarão úmidas de suor. Quando ele vê meus sintomas de êxtase
( sättvika-bhäva), sintomas de êxtase também irromperão em seus
membros. Sua flauta escorregará de suas mãos de vergonha. As
vaqueirinhas de Vraja têm sobrancelhas atraentes em forma de trepadeira.
Mas ele os repelirá de sua proximidade íntima com um gesto de suas
sobrancelhas. Então seu rosto ficará totalmente encantador, realçado por
seu sorriso suave. Quando eu contemplar minha querida amada desta
forma, certamente sentirei a maior bem-aventurança. Sakhi! Quando, oh,
quando encontrarei meu querido ®r… K Ša desta forma? "

Este versículo inclui çärdüla-vikréòita chanda, dépaka e läöänupräsa


alaìkäras, vipralambha-çåìgära-rasa e päïcälé réti. O herói é dak Ša n €
yaka.
9977

Çré Geta- govinda

Verso 20

zÙùœ ÷ Ì¡ô ÷ ÌâFò²tÌÌâFò²tÌ – ÌFò ?? Ì ¥ ÌFǫ̀ÌÌâFò¡ô ÷ ÍtÌFòÌ-

( ¥ ÌFò̲Ì: Fò̲ÌÌœ ÷ Ìâ ?? Ì ¥ Ì ?? Ì ?? Ì ¥ Ì ?? ÌÌâ% Í ?? Ì ¥ ™ ÌyÌ ™


ÌÍtÌ * +ÍsÌtÌœú˜ÌsÌÕ??BÌ̘™™Ì „ßùWóÕœÌÌ??̘ÌÙFÙò¡ô÷ ÷ -

p ̲ÌÜÍtÌ © ÌÜtÌÌ ?? ÌÌÉ ²ÌÍLÌ Í¨ÌLÌÍœúsÌÕ ™ ÌÉ ²ÌÙLÌ ™ ÌÍtÌ * 20 *

duräloka-stoka-stabaka-navakäçoka-latikä-

vik € sah k € s € ropavana-pavano 'pi vyathayati


api bhrämyad-bhåìgé-raëita-ramaëéyä na mukula-

prasuttiç cütänäà sakhi çikhariëéyaà sukhayati

Tradução

“ Sakhi, agora não há como minha mente ficar satisfeita com a separação
de K Ša. Veja! A beleza radiante deste novo levemente desabrochado açoka
a videira é como uma lança perfurando meus olhos. A brisa que sopra dos
bosques na margem deste lago também causa dor em todos os membros do
meu corpo. Mesmo o belo zumbido dos zangões vagando em todas as
direções não me agrada. As mangueiras são ainda mais cativantes com o
zumbido das abelhas, mas as flores frescas que brotam das pontas dos
galhos também não me deixam feliz. ”

Comentário

Descrevendo excitantes ( vibhävas) de amor em separação, Rädhä diz a sua


amiga íntima: “Tornou-se difícil olhar para o açoka árvores durante a
primavera. Os novos botões inflamam o fogo da separação. A brisa
passando pelos bosques à beira do lago causa açoka-latäs a florescer em
pequenos aglomerados. Isso também é uma tortura. ”

A palavra Duräloka é derivado assim, duùkhena äloka avalokanam yasyä


'sau.

“Botões estão brotando nas pontas dos galhos das mangueiras e as abelhas
zumbem ao redor deles. Esses botões me deixaram feliz quando me
encontrei com ®r… K Ša, mas agora eles me deixam triste. ”
9988

Ato Dois

A frase bhrämyad-bhåìgé, “Abelhas errantes” indica que Çré Rädhä está


apontando para os abelhões, revelando assim que ela não deseja nenhum
outro homem além de K Ša. Ele é o único homem desejável aos olhos dela.

Este versículo inclui samuccaya e anupräsa alaìkäras, kriyaucitya e

vipralambha-Šåìgära-rasa. o réti é mägadhé e gauòéyä. Apropriadamente, o


medidor é çikhariëé chanda.

Versículo 21

²ÌÌFÜòtÌѲ˜Ìt̘ÌÌFÙò¡ô ÷ ÌFÙò¡ô ÷ OÌ¡ô ÷} ùј˜Ì ¢ ô˜ÌÙ ¢ ôÌͲÌtÌ-B ÌÜ ¥ Ì


¢ ôÕFò˜Ì¡ô ÷ ÕFòzùϨÌtÌ — ÌÙ`Ì̘ÌÜ¡ô ÷ Ì}

Êù ‹ù®õ²tÌ ?? ̘ÌÆ * OÌÌâ ?? ÌÕ ?? ÌÌÉ Í ?? Ì — ÌßtÌÉ

Í? ? Ìœ ÷ ÕK ™ Ì OÌ͘ÌtÌÌFòÌUóÍ © ÌœÉú ÍZÌ ?? tÌ ™ Ì ?? Ì ?? t̘ÌÙÊOŒÌ˜Ì


?? ÌÌâ · þœÉ

säküta-smitam äkuläkula-galad-dhammillam ulläsita-

bhrü-vallékam aléka-darçita-bhujä-mülärddha-dåñöa-stanam gopénäà


nibhåtaà nirékñya gamitäkäìkñaç ciraà cintayan

antar mugdha-manoharaà haratu vaù kleçaà navaù keçavaù

Tradução
o gopés ' os sorrisos transmitiam suas intenções com tanta clareza que
mesmo uma pessoa ingênua seria atraída. Suas tranças afrouxaram quando
os poros de sua pele vibraram com intensa kama. K Ša olhou para seus
seios enquanto eles os exibiam levantando os braços. No entanto, tais
gestos foram em vão. Kåñëa refletiu profundamente por um longo tempo,
destruindo gradativamente suas últimas aspirações pela companhia do
gopés.

Agora ele está entusiasmado exclusivamente com as emoções de Rädhä e


seu espanto aumenta a cada novo momento. Que aquela jovem Keçava
destrua os sofrimentos de todos vocês.

Comentário

O grande poeta, Çré Jayadeva, concede uma bênção a todos os devotos


neste verso final do segundo ato.

“®r… K Ša é extremamente perspicaz. Ele cuidadosamente deliberou

9999

Çré Geta- govinda

baseado em quatro gestos feitos por vários gopés. Mesmo um idiota poderia
decifrar o motivo comum - a sedução. ”

(1) Säküta-smitam - Apesar de gopés ' sorrir é natural, também transmite

intenções. Seus sorrisos eram obviamente um desejo amoroso disfarçado. É


natural que uma mulher apaixonada faça gestos sedutores ao ver um jovem.
Ó Äkuläkula-galad-dhammilam - O gopés ' as tranças foram
afrouxadas pelo corpo transformações como horripilação devido à luxúria
intensa.

Ó Seus olhos ficaram inquietos de desejo amoroso ao ver K Ša.

Ó Embora não houvesse razão para expor suas axilas ou levantar as


mãos,

eles usavam desculpas, como bocejar artificialmente, como oportunidades


para mostrar a K Ša seus seios erguidos.

®r… K Ša é altamente perspicaz. Ele deliberou sobre essas atividades em


seu coração e decidiu que todas eram em vão porque ninguém pode ser
comparado a Rädhä. Que Çré Keçava, que é elogiado desta forma por seus
devotos servos, dissipar as tristezas de todos os seus devotos.

Este versículo inclui samuccaya, äçéù e parikara alaìkäras. o Chanda é


çärdüla-vikréòita.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o segundo ato de


Çré Géta-govinda, intitulado Akleça-keçava.
110000
* tÌßtÌÕ ™ Ì: ²ÌOÌÊ: *

*˜ÌÙOŒÌ˜ÌŒÌÙ²ÌÜzù ?? Ì: *
Terceiro ato

- mugdha-madhusüdanaù -

Madhu's Slayer Desnorteado

S CENE S ATÉ

Verso 1

FÉò²ÌÌÍœúœ ÷ Í ?? Ì ²ÌɲÌÌœú ¥ ÌÌ²Ì ?? ÌÌ – Ì ?? ŒÌ§ÌßVó¡ô ÷ ̘ÌÆ * œ ÷


ÌŒÌ̘ÌÌŒÌÌ ™ Ì Àþzù ™ Ìâ tÌt ™ ÌÌ`Ì v Ì`̲ÌÙ ?? zùœ ÷ Õ: * 1 *

kaàsärir api saàsära-

väsanä-bandha-Çåìkhaläm

rädhäm ädhäya hådaye

taty € ja vraja-sundar…
Tradução

s K Ša, o inimigo de Ka Ša, lembrou-se do amor íntimo expresso


anteriormente por R € dh €, ele percebeu que era a própria essência da
devoção mais elevada. Seu coração estava preso pela corrente

do desejo mundano, corporificado na forma de Rädhä. Portanto,


considerando que o amor das outras donzelas voluptuosas de Vraja era
insignificante, ele as abandonou a todas.

Comentário

Os Atos Um e Dois descrevem a excelência de Rädhä e Mädhava,


concluindo com um retrato vívido da sede amorosa e desejo de Rädhä por
Krsna. Agora, no início do terceiro ato, o autor demonstra a sede e avidez
de ®r… Kåñëa por Rädhä.

Memórias da dança outonal ( säradéya-räsa-lélä) despertou repentinamente


no coração de K Ša. Ele se lembrou de como ele havia deixado o outro
gopés na arena do räsa dançar e se encontrar a sós com ®r… R € dh €. Ele
se lembrou de como nutria o afeto dela, arrumando e decorando seu cabelo.
Agora, na ausência de Rädhä, a angústia da separação despertou em seu
coração. Portanto, ele abandonou a companhia do outro atraente gopés de
Vraja.

110033

Çré Geta- govinda


Kaàsäri - ®r… Kåñëa é o inimigo do rei mau, Kaàsa. Alternativamente, kaà
sukhaà särayati vistärayati kaàsäriù - “Aquele que expande a própria
felicidade,

a saber, Bhagav € n ®r… K Ša, é chamado de Kaàs € ri. ”

Saàsära-väsanä-bandha-Çåìkhaläm - Quando a palavra saàsära é


interpretado

como um composto de samyak ( completo) e sära ( essência), então se


refere ao delicioso e cativante madhura-rasa.

Portanto, a tendência de permanecer sempre preocupado com madhura-rasa


é chamado saàsära-väsanä.

Rädhä é o grilhão ( çåìkhalä) no räsa dança porque ela mantém K Ša sob


seu controle.

Quando um homem de fino discernimento verifica a identidade da


substância mais essencial em comparação com as alternativas, ele
naturalmente abandona tudo o mais para buscar zelosamente seu objetivo
desejado. Então, esse objeto superlativo se torna seu abrigo exclusivo. Da
mesma forma, ®r… K Ša abandonou diretamente todas as outras gopés e
aceitou Rädhä como seu abrigo exclusivo.

Vraja-sundaréù - A declinação plural indica que K Ša abandonou

muitas jovens elegantes na angústia de separação de Rädhä. Isso revela sua


excessiva anuraga para ela.

O medidor deste verso é anuñöubh.

Verso 2
<t̲tÌt̲tÌÌ˜Ì ?? ÌÙ²Ìßt ™ Ì œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ-

˜Ì ?? ÌWó – ÌÌsÌ v ÌsÌÍLÌ N ̘ÌÌ ?? ̲Ì: *

FßòtÌÌ ?? ÌÙtÌÌ ?? Ì: ²Ì FòÍ¡ô ÷ ?? zù ?? ÌÑ ?? zù ?? ÌÕ-

tÌhõÌ ?? tÌFÙògÌâ Í ¥ Ì s ̲ÌÌzù ˜ÌÌŒÌ ¥ Ì: * 2 *

itas tatas täm anusåtya rädhikäm

ana ga-b € Ša-vraŠa-khinna-m € nasah

kåtänutäpah sa kalinda-nandiné-

taöänta-kuïje viñasäda mädhavaù

110044

Terceiro ato

Tradução

Quando as flechas de Kämadeva o despedaçaram, ®r… K Ša se condenou:


“Ai de mim! Por que eu negligenciei ®r… R € dh €? Como vou encontrá-la
novamente? ” Ele procurou extensivamente para encontrá-la, mas sem
sucesso. Finalmente, em desespero, ele entrou em um bosque isolado às
margens do rio Yamunä e começou a se arrepender.

Comentário
As realizações de K Ša estão sendo descritas. Ele se sente da mesma forma
que Rädhä se sentia ao separar-se dele. Apesar de todas as lindas gopés
estavam dispostos, ele era indiferente ao serviço deles. O fato de que sua
namorada estava realmente presente em algum lugar próximo o deixou
ainda mais desanimado. Ele pensou: “Hoje eu não pude respeitar
adequadamente Çré Rädhä, então ela deve ter ido para um caramanchão às
margens do rio Yamunä.” Ele começou a olhar um bosque após o outro.
Depois de pesquisar exaustivamente, a desesperança oprimiu-o a ponto de
desistir. “Se eu tivesse consolado Rädhä com palavras humildes, ela não
teria partido.”

Desta forma, K Ša afundou nas profundezas do desespero, atingido pelas


flechas de Cupido e queimando no fogo da culpa.

Mädhavah - mä ( Lakñmé) + dhava ( pati) = Lakñmépati, o marido da


deusa da fortuna. Este nome de Kåñëa tem um significado específico neste
contexto: mä ( Rädhä) + dhava ( priyatama) = M € dhava, que é mais
querida por R € dh € do que o sopro de sua vida, e cuja ansiedade em
separar-se dela é o emblema de sua imensa fortuna.

A métrica deste verso, vaàçasthavila chanda, é definido assim: vadanti


vaàçasthavilaà ja-tau ja-rau.
110055

Canção 7

O modo musical é gurjaré raga; o ritmo, yati täla.

˜ÌÌÍ˜Ì ™ ÌÉ ZÌÍ¡ô ÷ tÌÌ Í ¥ Ì¡ô ÷ ÌâE ™ Ì ¥ ÌßtÌÉ

É ÌŒÌÜÍ ?? ÌZÌ ™ Ìâ ?? Ì * ²ÌÌ ?? Ìœ ÷ ÌŒÌtÌ ™ ÌÌ ˜Ì ™ ÌÌÍ ?? Ì ?? Ì ¥


ÌÌÍœútÌÌÍtÌ — Ì ™ Ì ·ÌtÌâÞÍœú¥Ì ·* þÍœúDÌÙ¥· ̘ÌÆþtÌÌzùœútÌ*3* ™ ÌÌ
OÌtÌÌ ²ÌÌ FÙòÍ ??

ÎFò FòÍœú s ™ ÌÍtÌ ÎFò ¥ ÌÍzù s ™ ÌÍtÌ ²ÌÌ ÍZÌœÉú Í ¥ Ìœú · âþsÌ *

ÎFò ŒÌ ?? Ìâ ?? Ì `Ì ?? Ìâ ?? Ì ÎFò ˜Ì˜Ì` ÌÕÍ ¥ ÌtÌâ ?? Ì OÌß · âþsÌ * · þÍœú ·


þÍœú0 * 4

ÍZÌ ?? tÌ ™ ÌÌÍ˜Ì tÌzùÌ ?? Ì ?? ÌÉ FÙòÍhõ¡ô ÷ B ÌÙ FòÌâ ??

Ì — ÌœâúsÌ * ¨ÌÌâsÌ ?? Ì… Í˜Ì ¥ ÌÌâ ?? ÌÍœú B ̘ÌtÌÌFÙò¡Éô B ̘̜âúsÌ * ·


þÍœú · þÍœú

tÌÌ˜Ì · Éþ ÀþÍzù ²ÌWótÌ̘ÌÍ ?? ̨ÌÉ —ÌߨÌÉ œú˜Ì ™ ÌÌÍ˜Ì *

ÎFò ¥ Ì ?? Ìâ% ?? Ìٲ̜ ÷ ÌÍ˜Ì tÌÌÍ˜Ì · þ ÎFò ¥ ÌßyÌÌ Í ¥ Ì¡ô ÷ ?? ÌÌÍ˜Ì * · þÍœú
· þÍœú0 * 6

tÌÑ ?? ¥ Ì ÍLÌ N ̘̲ÌÜ ™ Ì ™ ÌÌ Àþzù ™ ÌÉ tÌ ¥ ÌÌFò¡ô ÷ ™ ÌÌÍ˜Ì *

tÌ N Ì ¥ ÌâÍ… FÙòtÌÌâ OÌtÌÌÍ²Ì ?? Ì tÌâ ?? Ì tÌâ% ?? ÌÙ ?? Ì ™ ÌÌÍ˜Ì * · þÍœú ·


þÍœú0 * 7
‹Ù¨ ™ ̲Ìâ ?? ÌÙœútÌÌâ OÌtÌÌOÌt̘Ìâ ¥ Ì ˜Ìâ Í ¥ ÌzùŒÌÌÍ²Ì *

ÎFò ?? ÌÙœâú ¥ Ì ²Ì²Ì˜ B̃ ̘ÌÉ ?? ÌÍœúœú˜ — ÌsÌÉ ?? Ì zùzùÌÍ²Ì * · þÍœú ·


þÍœú0 * 8 *

K̘ ™ ÌtÌÌ˜Ì ?? ÌœÉú FòzùÌÍ ?? Ì tÌ ¥ ÌÌ ‹ù¨ÌÉ ?? Ì Fòœ ÷ ÌâÍ˜Ì *

zâùÍ · þ ²ÌÙ ?? zùÍœú zù¨ÌÊ ?? ÌÉ ˜Ì˜Ì ˜Ì ?? ˜ÌyÌâ ?? Ì zÙù ?? ÌÌâÍ˜Ì * · þÍœú


· þÍœú0

¥ ÌÏsÌtÌÉ `Ì ™ Ìzâù ¥ ÌFâò ?? Ì · þœâúÍœúzÉù p Ì ¥ ÌsÌâ ?? Ì *

ÍFò ?? zÙùÍ – ÌŸ ¥ ̲̘ÌÙ ‡ ù²Ì˜ — Ì ¥ Ìœ ÷ ÌâÍ · þsÌÕœú˜ÌsÌâ ?? Ì * · þÍœú


· þÍœú0 *

Terceiro ato

Verso 3

mäm iyaà calitä vilokya våtaà vadhü-nicayena säparädhatayä mayäpi na


väritäti-bhayena

hari! hari! hatädaratayä gatä sä kupiteva ( refrão) (1)

Tradução

“Quando Rädhä me viu cercado por vaqueirinhas, ela ficou indignada e foi
embora. Pensei: 'Cometi uma ofensa', então fiquei com medo e não
consegui reunir coragem para impedi-la de partir. Ai de mim! Ela saiu
zangada porque eu a desrespeitei. ”

Comentário

®r… K Ša expressa seu profundo desapontamento com a exclamação hari!


hari!
“Ai de mim! Que calamidade terrível. Ao me ver cercado por uma multidão
de elegantes gopés, Rädhä me abandonou. Ela se sente negligenciada e
desrespeitada. Embora ela sempre reine em meu coração como minha mais
amada, e embora ela esteja repleta de todas as virtudes desejáveis, e embora
seu amor por mim nunca tenha sido superado, ainda assim eu a ofendi.
Portanto, eu estava nervoso e hesitei em acalmá-la. Sentindo-se insultada,
ela ficou irritada comigo e foi embora, e agora eu sinto muito pelo que
aconteceu. ”

Verso 4

kià kariñyati kià vadiñyati sä ciraà viraheëa kià dhanena janena kià mama
jevitena gåheëa

hari! hari! hatädaratayä ... ( 2)

Tradução

“Ela tem sofrido com o calor devastador da separação há muito tempo,


então não posso prever seu comportamento. O que ela vai fazer? O que ela
vai dizer?

110077

Çré Geta- govinda

Ai de mim! Na ausência de Rädhä, minha riqueza, meus parentes, minha


vida, minha casa e tudo mais parecem sem valor. ”
Comentário

®r… K Ša está descrevendo sua própria condição de separação. “O que


quer que eu esteja sentindo na separação de Rädhä, ela também deve estar
sentindo. Quanta ansiedade e angústia ela deve estar passando. E minha
ofensa é a causa dessa dor. Ela está sofrendo muito por minha causa. Não
sei como ela expressará sua raiva, ciúme e outros sentimentos quando eu a
encontrar novamente. O que ela dirá a seus amigos íntimos? Ela deve estar
fazendo acusações contra mim, dizendo: 'Ele é tão cruel e sem coração'. Por
outro lado, direi: 'Ó Rädhä, sem você - minha prosperidade, meus
associados, meus rebanhos de vacas e meu bom lar - tudo parece
insignificante para mim.' ”

Verso 5

cintayami tad-änanaà kuöila-bhru kopa-bhareëa çoëa-padmam ivopari


bhramatäkulaà bhramareëa

hari! hari! hatädaratayä ... ( 3)

Tradução

“Sinto como se estivesse contemplando diretamente o rosto de ®r… R € dh


€, com suas sobrancelhas arqueadas semelhantes a uma trepadeira. Seu
rosto zangado se assemelha a uma flor de lótus vermelha cercada por
abelhas pairando no ar. "

Comentário

Kåñëa diz: “Agora estou me lembrando da face de lótus de Rädhä. Suas


sobrancelhas devem ter ficado ainda mais arqueadas agora que ela está
irritada. Seu rosto geralmente é claro, mas agora deve estar vermelho de
raiva. Esse rosto abatido é realçado por suas lindas sobrancelhas curvas que
lembram uma fileira de abelhas negras pairando sobre uma flor de lótus
vermelha. ”

Este versículo é um exemplo de väkyärthopamä alaìkära.

110088

Terceiro ato

Verso 6

täm ahaà hådi saìgatäm aniçaà bhåçaà ramayämi kià vane 'nusarämi täm iha
kià våthä vilapämi

hari! hari! hatädaratayä ... ( 4)

Tradução

“Ai de mim! Quando eu continuamente percebo a presença direta de Rädhä


e a abraço profundamente no templo do meu coração, por que estou
lamentando inutilmente por ela e por que estou repetidamente procurando
por ela de floresta em floresta? ”

Comentário

Na separação, quando K Ša atinge uma visão ( sphürti) de Rädhä no âmago


de seu coração intensamente angustiado, ele diz: “®ré Rädhä é minha mais
amada e ela reside no templo da minha mente dia e noite. Eu saboreio
incessantemente uma abundância de passatempos amorosos com ela em
meu coração. Ela nunca está separada de mim. Se ela não for encontrada na
floresta, então qual é o lucro em procurá-la lá. E se eu a vejo aqui em meu
coração, então qual é o sentido de lamentar. ”
Verso 7

tanvi khinnam asüyayä hådayaà taväkalayämi tan na vedmi kuto gatäsi na


tena te 'nunayämi

hari! hari! hatädaratayä ... ( 5)

Tradução

“Ó delicada mulher de cintura fina, parece que o teu coração está


contaminado de ciúme. Mas o que eu posso fazer? Você saiu
orgulhosamente bufando. Que tipo de súplica humilde devo oferecer para
dissipar a sua indignação? Eu não faço ideia."

110099

Çré Geta- govinda

Comentário

®r… K Ša está perturbado em sua condição de separação de R € dh €.


Quando um

sphürti de Rädhä de repente tornou-se visível, Kåñëa começou a falar como


se estivesse diretamente diante dele, dirigindo-se a ela: "Ó mulher de
cintura esguia" ( tanvi).
“Ó Rädhä, abandonei você para desfrutar de passatempos com outros vraja-
gopés. Seu coração agora está poluído pelo ciúme deles, porque você se
considera superior. Seu coração está deprimido porque você está impondo
falhas sobre mim. Você deixou este lugar para ir para outro lugar. O que
posso fazer sobre isso? Se eu soubesse para onde você foi, tocaria seus pés,
acalmaria você e imploraria por perdão ”.

Verso 8

dåçyase purato gatägatam eva me vidadhäsi

kià pureva sa-sambhramaà parirambhaëaà na dadäsi

hari! hari! hatädaratayä ... ( 6)

Tradução

“Ai de mim! Parece que você está indo e vindo repetidamente. Por que
você não me abraça impetuosamente como antes, sendo impelido pela
alegria do amor? ”

Comentário

“Ó meu querido Kåçäìgi, estou vendo você entrar e sair diante dos meus
olhos; não mais do que isso. Você está apenas indo e vindo. Por que você
não está me amarrando nas cordas do seu abraço hoje? Por que você se
tornou tão cruel? "

€ verdade que, quando o desespero de um homem solitário atinge seu


ponto mais alto, o mesmo acontece com a intensidade de sua contemplação.
Naquela hora, parece que seu amante está realmente presente diante dele.
Agora K Ša ficou tão desesperado na ausência de R € dh € que sua
meditação culminou em percebê-la diretamente diante de seus olhos.
Parece a ele que Rädhä e apenas Rädhä está em toda parte, em todas as
direções. Ela está aqui; ela está aqui. Apenas Rädhä aparece para ele em
todos os aspectos da existência.

111100

Terceiro ato

Verso 9

kñamyatäm aparaà kadäpi tavedåçaà na karomi dehi sundari darçanaà


mama manmathena dunomi

hari! hari! hatädaratayä ... ( 7)

Tradução

“Ó linda, por favor, me perdoe. Eu nunca vou te ofender novamente.


Permita-me vê-lo imediatamente. Estou sofrendo com a dor infligida por
Kandarpa. ”

Comentário

O poeta está revelando o limite máximo do desânimo de K Ša. Uma visão


de Rädhä começou a se

manifestar em seu coração. Na presença dela, ele a está aceitando como seu
objeto de adoração,
dizendo: “Ó Rädhä, por favor, perdoe minhas ofensas. O que quer que
tenha acontecido, por favor,

esqueça. Nunca cometerei tal ofensa no futuro. Por favor me dê o seu


darçana. Eu sou seu querido.

Não saia da minha vista. Separado de você, estou sendo queimado pelo
calor dos desejos amorosos. "

Nesta música, ®r… K Ša é dh… ra-lalita n € yaka. O proeminente rasa é


vipralambha-Çåìgära surgindo de mútuo anuraga.

Verso 10

varëitaà jayadeva-kena harer idaà pravaëena

kindubilva-samudra-sambhava-rohiëé-ramaëena

hari! hari! hatädaratayä ... ( 8)

Tradução

Çré Jayadeva apareceu na aldeia de Kindubilva assim como a lua aparece


do oceano. Ele humildemente recolheu as expressões de tristeza de ®r… K
Ša na forma desta canção.

111111
Çré Geta- govinda

Comentário

®r… Jayadeva descreveu a lamentação de K Ša pela separação de R € dh €


com profunda humildade. Assim que a lua nasce do oceano, o poeta
Jayadeva apareceu na aldeia de Kindubilva. Çré Jayadeva é conhecido
como Péyüñavarñé, “aquele que derrama néctar”. Este também é um nome
para Rohiëé-ramaëa, a lua. Assim como todos ficam encantados com a lua,
essa música certamente agradará a todos.

Versículo 11

ÀþÍzù Í – ̡̲ô ÷ tÌÌ · þÌœ ÷ Ìâ ?? ÌÌ ™ ÌÉ

—ÌÙ`ÌWó˜Ì ?? ÌÌ ™ ÌFò: FÙò ¥ Ì¡ô ÷ ™ Ìzù¡ô

™ ¬ÌâsÌÕ Fòslôâö ?? Ì ²ÌÌ OÌú¡ ÷ † ÙÍtÌ: * ˜Ì¡ô ÷ ™ Ì`Ìœú`ÌÌâ ??


ÌâzÉù —̲˜Ì Í p Ì p Ì · þœú ?? Ì · þœú B ÌÌ ?? t ™ ÌÌ ?? ÌWó k ÙòŒÌÌ
ÍFò˜ÌÙ ŒÌÌ ¥ ÌÍ²Ì * 11 *

hådi bisa-latä-häro näyaà bhujaìgama-näyakah kuvalaya-dala-çreëé kaëöhe


na sä garala-dyutiù malayaja-rajo

nedaà bhasma priyä-rahite mayi

prahara na hara-bhräntyänaìga krudhä kim u dhävasi

Tradução

“Ei Anaìga! Você está me infligindo dor com tanta fúria porque pensa que
eu sou o Senhor ®iva? Por que você se tornou tão duro? Este não é o rei
das cobras, Väsuké, em meu peito. Na verdade, é um colar feito de hastes
de lótus. O azul de minha garganta não é efeito de veneno, mas uma
guirlanda de flores de lótus azuis. Isso não é cinza de uma pira funerária
espalhada em meu corpo. É pasta de sândalo aplicada na ausência da minha
amada. Então vá embora! Você me pegou por engano, então pare de chover
desnecessariamente suas terríveis flechas sobre mim. Por que você está
correndo atrás de mim com tanta raiva? E olhe! O Senhor ®iva vive feliz
com metade de seu corpo unido a Pärvaté, enquanto eu estou longe de estar
unido a Rädhikä - nem mesmo sei onde ela está. ”

111122

Terceiro ato

Comentário

Em separação de seu mais querido ®r… R € dh €, o coração de K Ša fica


arrasado. Ele sente que K € madeva deve tê-lo confundido com o Senhor
®iva. Por que outro motivo ele atacaria tão veementemente com suas
flechas invencíveis? Desamparadamente dominado, K Ša grita: “Ei, Ana
ga, olhe! Quão feliz o Senhor ®iva vive, metade de seu corpo unido ao seu
amado Pärvat…. No entanto, o que falar de estar unido a Rädhikä, que é
mais querido para mim do que minha própria respiração, eu nem sei onde
ela está. ”

®r… K Ša está experimentando um sphürti de Rädhä na agonia da


sensação de queimação causada por Cupido, o deus do amor amoroso.
Portanto, ele diz diretamente: “Ei Ana ga ga! Por que você está furioso
comigo sem motivo e correndo atrás de mim, apenas para me bater
incessantemente sob o equívoco de que eu sou o Senhor ®iva? Esta
guirlanda parece uma cobra, mas na verdade nada mais é do que um colar
de fibras de lótus. Você confundiu a linha de lótus azuis em meu pescoço
com o azul causado por veneno no pescoço do Senhor Çiva. Isso não é
cinza que você vê no meu corpo. É pasta de sândalo da Malásia espalhada
em meu corpo para aliviar o calor da separação de minha amada. Mas agora
ele secou com o calor e virou pó. Sem meu amante, sou como um corpo
sem vida. Então, por que você está me atacando desnecessariamente? "

Este versículo retrata vipralambha-Çåìgära e emprega apahnuti alaìkära.

O medidor é hariëé chanda. O versículo também inclui bhräntimän alaìkära

de acordo com a opinião de algumas autoridades eruditas.

111133

Çré Geta- govinda


Versículo 12

€ ÌÌsÌÌæ ˜ÌÌ FÙò ?? û ZÌÜt̲ÌÌ ™ ÌFò˜Ì˜ÌÙÉ ˜ÌÌ ZÌÌ ?? ̘ÌÌœ ÷ Ìâ ?? Ì


™ Ì k òÕn ÷ ÌÍ ?? ÌÏ`ÌtÌÍ ¥ Ì «Ì ˜ÌÜÓZ \ ôtÌ`Ì ?? ÌÌQÌÌtÌâ ?? Ì

ÎFò ?? ÌÌæ ?? û s ̘ÌÆ * t̲ ™ ÌÌ D ¥ Ì ˜ÌßOÌÕ ‹ù¨ÌÌâ ˜Ì ??

ÌͲÌ`Ì p ÌâVótFòhõÌKĮ̀ÌÙO̬ÌâsÌÕ`Ì`ÌÊÍœútÌÉ ˜Ì ?? ÌÌOÌÍ ?? Ì ˜Ì ?? ÌÌâ ??


ÌÌ † ÌÍ ?

päëau mä kuru cuta-säyakam amuà mä cäpam äropaya kréòä-nirjita-viçva


mürcchita-janäghätena kià pauruñam tasyä eva

mågé-dåço manasija preìkhat-kaöäkñäçuga-

çreëé-jarjaritaà manäg api mano nädyäpi sandhukñate

Tradução

“Ei Cupido! Você que conquistou o universo inteiro com a força do seu
arco a pretexto de um jogo, estou sofrendo da febre dos desejos amorosos.
De que maneira sua notável destreza será estabelecida por agredir um
sujeito insignificante e decrépito como eu. Não pegue essa flecha de botão
de manga em suas mãos. Se o fizer, pelo menos não o coloque em seu arco.
Apenas Veja! Meu coração foi cortado em pedaços pelos olhares de soslaio
que fluíam daquele Çré Rädhä de olhos de corça e ainda não se recuperou.
Portanto, não bata em meu coração, que já desmaiou pelas convulsões da
luxúria. ”

Comentário

€ como se K € madeva dissesse a K Ša: “Embora ®iva, que incinerou


meu corpo, seja certamente meu inimigo, você também transgrediu minha
ordem. Portanto, também vou apontar minhas flechas para você. "
Então K Ša repreendeu Kāma: “Ó Manasija, não pegue essa flecha de
botões de manga em sua mão”.

As flechas de flores de Kämadeva são de cinco tipos: (1) ämra mukula


( botões de manga),

( açoka puñpa, ( 3) mallikä puñpa, ( 4) madhavi puñpa, e (5) bakula


puñpa.

Botões de manga brotaram das pontas de seus galhos porque é primavera.


Kåñëa pensa:

"Kämadeva as transformou em suas flechas e ele

111144

Terceiro ato

vai atirar em mim enquanto estou nesta condição de separação de Rädhä. ”


Portanto, ele o proíbe: "Não tome essa flecha de botão de manga em suas
mãos."

Mä cäpam äropaya - “Se você fizer isso, pelo menos não coloque no seu

corda de arco. "

Kréòä-nirjita-viçva - “Ó você para quem conquistar o universo é


simplesmente um

questão de jogo! Com as palmas unidas eu te imploro. Esta flecha


certamente me dará um golpe mortal. Você é o conquistador do universo e
eu sou como uma pessoa morta separada de ®r… R € dh €. Se um herói
como você espancasse uma pessoa moribunda, isso simplesmente resultaria
em sua difamação. Você certamente não seria aplaudido por suas proezas
heróicas. "

Pela palavra manasija, K Ša sugere: “Você surgiu da minha mente. Não é


ético bater naquele de quem você nasceu. ”

“Você quer atirar flechas em mim em nome de Rädhä. Mas a flecha de seu
olhar de soslaio é ainda mais afiada do que suas flechas e já fui dilacerado
por isso. Qual é a necessidade de atirar uma flecha com a ponta de um
veneno incurável para aumentar as feridas que já sofri? ”

Este versículo é um exemplo de çärdüla-vikréòita chanda e äkñepa alaìkära.


111155

Çré Geta- govinda

Versículo 13

B ÌÜ ?? Ì ¢ ô ÷ ¥ ÌÌâ ŒÌ ?? ÌÙœú ?? ÌÌWótÌœ ÷ ÍWótÌÌÍ ?? Ì

É ÌÌsÌÌ OÌÙsÌ: ¬Ì ¥ ÌsÌ ?? ÌÌÍ¡ô ÷ Íœ ÷ ÍtÌ ²˜ÌœâúsÌ * t̲ ™ ÌÌ˜Ì ??


ÌWó`Ì ™ Ì`ÌWó˜Ìzâù ¥ ÌtÌÌ ™ Ì̘ÌÆ

+Ì µÌÌÍsÌ*13*Í ?? ÌÏ`ÌtÌ`ÌOÌÑ ?? tÌ ÍFò˜ÌÏ ?? ÌtÌÌÍ ??

bhrü-pallavo dhanur apäìga-taraìgitäni

bäëä gunah rravaëa-pälir iti smareëa tasyäm ana

ga-jaya-ja gama-devatäyäm

asträëi nirjita-jaganti kim arpitäni

Tradução

“Aha! O arco de sobrancelhas em formato de pétalas frescas, as ondas em


forma de flecha de olhares angulares do canto do olho, a corda do arco de
olhos longos que quase alcançam as orelhas - esses componentes
compreendem a ciência militar totalmente infalível empregada por
Kämadeva. Depois de conquistar todos no universo, sem exceção, K €
madeva ofereceu novamente aquelas armas para sua imperatriz, a divindade
animada de sua própria vitória, ®r… R € dh €. ”
Comentário

Atribuindo todo o arsenal de flechas de Cupido a Rädhä, Kåñëa diz:


“Kämadeva depositou as armas que conquistaram o mundo inteiro em ®ré
Rädhä.” Por quê? Aqui a palavra tat transmite a sensação de pürvänubhüti (
experiência anterior). Pela palavra tasyäm, Kåñëa indica que “Kämadeva
depositou as armas conquistadoras do mundo em Rädhä, meu querido, de
quem sinto a angústia da separação”.

Para estabelecer a segunda qualidade única de Rädhä, Kåñëa diz que ela é a
divindade movente da vitória de Cupido. K € madeva é o celestial errante
que conquistou o universo, mas ele o fez somente depois de adquirir armas
de R € dh €. Quando seu objetivo foi alcançado, ele novamente ofereceu
aquelas armas de volta para sua divindade presidente.

111166

Terceiro ato

As armas de conquista do mundo de K € madeva são todas encontradas em


®r… R € dh €.

Bhrü-pallava-dhanuù - O arco de sobrancelhas parecidas com pétalas.


Sobrancelhas de Rädhä

são comparadas a pétalas frescas porque são escuras e lisas, e a um arco


porque são curvas.

Apäìga-taraìga - As ondas de seus olhares de soslaio são as flechas


penetrantes de Kämadeva. Assim, K Ša sugere: “Assim como uma flecha
perfura seu alvo, o olhar de Rädhä perfurou meu coração.”
Astra - A palavra astra refere-se aos instrumentos empregados na ciência
militar. ®r… K Ša está comparando as capacidades específicas
manifestadas nos membros de R € dh € a instrumentos específicos
empregados por K € madeva em sua guerra.

Este versículo foi composto em vasanta-tilakä chanda e embelezado com


utprekñä e rüpaka alaìkäras.

Verso 14

B ÌÜZÌÌ ?? Ìâ Í ?? ÌÍ · þtÌ: FòhõÌKÌÍ ¥ ÌͨÌLÌÌâ Í ?? ̘ÌÌÊtÌÙ ˜Ì˜ÌÊ ¥ ™ ÌyÌÌÉ


¨ ™ Ì̘ÌÌt˜ÌÌ FÙòÍhõ¡ô ÷: Fòœ ÷ ÌâtÌÙ - F ÌÌœ ÷ Ìâ% Í ?? Ì ˜ÌÌœ ÷ Ìâ † ˜Ì˜ÌÆ
* ˜ÌÌâ · Éþ tÌÌ ¥ Ìzù ™

ÌÉ ZÌ tÌÑ ?? ¥ Ì tÌ ?? ÌÙtÌÌÉ Í – ̘ – Ì̜̌ ÷ Ìâ œ ÷ ÌOÌ ¥ ÌÌ ?? ÌÆ ²ÌˆßùuÌÉ


²tÌ ?? ̘Ìsn ÷ ¡Éô

bhrü-cäpe nihitaù kaöäkña-viçikho nirmätu marma-vyathäà

çyämätmä kuöilaù karotu kabaré-bhäro 'pi märodyamam mohaà tävad ayaà


ca tanvi tanutäà bimbädharo rägavän

sad-våttaà stana-maëòalaà tava kathaà präëair mama kréòati

Tradução

“Ó esguio Rädhä, a flecha de seu olhar de soslaio, disparada do arco de sua


sobrancelha, pode rasgar meu coração em pedaços. A corda de seus cachos
escuros e encaracolados pode me amarrar como um prisioneiro. Seus
lábios, tão macios e vermelhos quanto bimba

fruta, pode me confundir. Mas seus seios perfeitamente redondos e


encantadores são bem comportados. Então, por que eles estão brincando
com meus ares vitais sob o pretexto de um esporte? ”
111177

Çré Geta- govinda

Comentário

Enquanto medita em Rädhä, Kåñëa diz: “As ondas de seu olhar de soslaio
estão infligindo dor no âmago de meu coração como flechas do arco de
suas sobrancelhas arqueadas. Esse comportamento

™ bastante adequado porque é natural que um arco e flecha causem


sofrimento aos outros. Ferir os outros é sua ocupação

( dharma).

“Seu cabelo preto encaracolado, que é naturalmente torto, lança um ataque


para me matar. Isso também não é impróprio porque é natural que aqueles
cujos corações são tortuosos e corruptos tentem o assassinato.

“Ó Rädhä de membros esguios, seu vermelho ( raiva) lábios me fazem


desmaiar e cair inconsciente. Isso também é adequado. Existe alguma coisa
que aqueles que são apaixonados e profundamente apegados ( raiva) não
vai fazer para alcançar seus desejos? É sua própria natureza envolver-se em
confundir os outros.

“Mas por que seus seios de melancia estão tentando roubar minha vida com
o pretexto de jogar um jogo? Isso parece totalmente inapropriado. Esse
comportamento não é natural para pessoas íntegras. Aqueles que são sad-
våtta

(perfeitamente comportado ou perfeitamente redondo) não gosto de brincar


com a vida dos outros. ”

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e virodha ala k € ra.


Verso 15

tÌÌÍ ?? Ì ² ?? ̨ÌʲÌÙLÌÌÍ ?? Ì tÌâ ZÌ tÌœú¡ô ÷ Ì: Í´ÌOŒÌÌ ‹ù¨ÌÌâÏ ¥ Ì B ̘Ì̲ÌÆ


ẗùEwÌ̘ – ÌÙ`̲ÌÌæœú — ÌÉ ²Ì ZÌ

²ÌÙŒÌ̲ ™ Ì ?? zùÕ ÍOÌœ ÷ ÌÉ ¥ ÌÍ k ò˜ÌÌ * ²ÌÌ Í – ̘ – Ì̜̌ú˜ÌÌŒÌÙœ ÷


ÕÍtÌ Í ¥ Ì s Ì t̲ ™ ÌÌÉ ¡ô ÷ OÌî²Ì˜ÌÌÍŒÌ · þ ?? tÌ Í ¥ Ìœú · þ ¥ ™ ÌÌÍŒÌ:
FòyÌÉ ¥ ÌŒÌÊtÌâ * 15 *

täni sparça-sukhäni te ca taraläù snigdhä dåçor vibhramäs

tad vakträmbuja-saurabhaà sa ca sudhä-syandé giräà vakrimä sä


bimbädhara-mädhuréti viñayäsaìge 'pi cen mänasaà

tasyäà lagna-samädhi hanta viraha-vyädhiù kathaà vardhate

111188

Terceiro ato

Tradução

“Enquanto medito sobre minha amada em um lugar isolado, minha pele


estremece ao experimentar a felicidade de seu toque puro. A inquietação de
seus olhos, suas expressões afetuosas, seu comportamento errôneo devido à
perplexidade do amor e a forma como ela lança seu olhar estão me trazendo
de volta à vida. Estou sendo inundado pela fragrância de sua boca de lótus.
Eu posso ouvir a ambrosia escorrendo de suas palavras enquanto ela fala
uma declaração tortuosa após a outra. Estou saboreando o doce néctar de
seu encantador bimba- lábios de fruta. Minha mente se tornou
profundamente apegada a esses objetos de percepção nesta condição de
transe. Então, por que meu terrível sofrimento com a doença da separação
está aumentando tão rapidamente a cada momento? ”

Comentário

A doença da separação flui dentro do coração de K Ša, mesmo durante uma


visão vívida ( sphürti) de passatempos românticos com Rädhä em sua
meditação. Descrevendo essa contradição, K Ša diz: “Minha mente ficou
em transe em Rādhä. Então, por que ainda estou sendo torturado por
sentimentos de separação? Separação ( viraha) é uma condição de angústia
que ocorre na ausência da pessoa amada, mas minha mente adere
intimamente a ®r… R € dh €.

“A ausência de reunião interna pode ser considerada separação. No entanto,


embora esteja experimentando união interna, ainda sinto separação. Esse
tipo de separação deve ser causado pela ausência de união sensorial. É por
isso que também é dito que a experiência de prazer sensorial dentro

do coração, apesar da ausência dos objetos dos sentidos, também pode ser
referida como união ( saàyoga). Mas agora isso também se tornou uma
sensação de viraha. ”

®r… K Ša está se perguntando: “O que é real? A experiência do encontro


também ocorre na separação. Estou sentindo a felicidade do toque de
Rädhä em minha pele. Com meus olhos vejo seus olhos inquietos, cheios
de doçuras afetuosas e transbordando de prema. Com meu nariz, posso
sentir a fragrância de sua boca de lótus, exatamente como experimentei
antes. Nesse transe, meus ouvidos estão sentindo o gosto do néctar
escorrendo das palavras tortas de Rädhä como se eu as estivesse
percebendo diretamente. Da mesma forma, estou imerso no néctar delicioso
de seu terno, vermelho bimba- fruta
111199

Çré Geta- govinda

lábio inferior. Desta forma, estou conectado com todos os cinco tipos de
objetos dos sentidos. Então, não consigo entender - por que o tormento da
separação continua a aumentar? ”

O presente versículo inclui çärdüla-vikréòita chanda, samuccaya alaìkära

(3) vipralambha-Çåìgära.

Versículo 16

ÍtÌ ™ ÌÊGòslöÍ ¥ Ì¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷ ˜ÌÌæÍ¡ô ÷ tÌœú¡ô ÷

ÌâuÌɲ̲ ™ Ì ¥ ÌɨÌÌâ [ÌœúzÆùOÌÕÍt̲yÌÌ ?? KÌæ

é ÌÊ ²ÌÉ¡ô ÷ ÍKÌtÌÌ: * ²ÌɘÌÙOŒÌ⠘̌ÌÙ²ÌÜzù ?? ̲ ™ Ì ˜ÌŒÌÙœâú


œ ÷ ÌŒÌ̘ÌÙ ²ÌÌœâú Fò ?? zùÍ¡ô ÷ tÌÌÍ © ÌœÉú zùŒÌtÌÙ ¥ Ì: KÌâ˜ÌÉ
FòhõÌKÌÌâ˜ÌÊ ™ Ì: * 16 *

tiryak-kaëöha-vilola-mauli-taralottaàsasya vaàçoccarad-

géti-sthäna-kåtävadhäna-lalanä-lakñair na saàlakñitäù

sammugdhe madhusüdanasya madhure rädhä-mukhendau sudhä-säre


kandalitäç ciraà dadhatu vaù kñemaà kaöäkñormayah

Tradução

®r… K Ša é compelido por emoções extáticas a adotar uma postura


angular, torta em três lugares. Sua coroa e brincos estão balançando por
causa da maneira como ele inclina o pescoço para o lado. Estar situado no
meio de milhões de atraentes gopés,

ele os inspirou a meditar na nota mais provocante e desmaiadora de sua


canção de flauta, enquanto ele olha fixamente para o rosto de lótus
encantador e ambrosíaco de ®ré Rädhä, simplesmente para contemplar sua
excessiva afeição por ele. Que as incontáveis ondas do olhar de soslaio de
®ré Kåñëa concedam auspiciosidade a todos.

Comentário

No último versículo do terceiro ato, o poeta fundamentou as palavras de


Rädhä. As emoções que Kåñëa sentiu depois de ver Rädhä quando ele
estava situado no meio do gopés estão sendo apresentados aqui. O poeta
abençoou os recitadores e ouvintes desta composição dizendo: "Que aquele
Madhusüdana desnorteado conceda auspiciosidade a todos vocês."

112200

Terceiro ato

Aqui K Ša é chamado de Madhusudana, que significa “abelha”, ou


literalmente, “aquele que bebe mel”. Kåñëa ficou muito feliz ao ver a leve
inquietação e a beleza impressionante da face de lótus de Rädhä e
abandonou completamente todos os outros desejos para se tornar
exclusivamente devotado a ela. Como o olhar de soslaio de Rädhä emanava
ondas de afeição excessiva, Madhusudana ficou paralisado em madhu, o
mel inebriante de seu rosto encantador como a lua.

A beleza abundante de seu rosto foi expressa pela palavra


sammugdha. A palavra madhura implica que o rosto de Rädhä é mais doce
do que o néctar da imortalidade. Kåñëa contempla aquele rosto com grande
ansiedade por causa de sua doçura fascinante. A palavra sudhä-sära
também expressa que o rosto de Rädhä é a essência da ambrosia. Ela foi
comparada à lua porque torna ®r… K Ša alegre.

Embora Kåñëa estivesse paralisado pela face de Rädhä, o outro gopés

em torno dele estavam completamente inconscientes disso. Kåñëa estava


tocando uma melodia em sua flauta. A melodia ascendeu a uma modulação
em torno da nota mais provocante, que mergulhou a atenção de todos na
alegria de ouvir. Ao atrair a consciência de todos para o som de sua flauta,
ele também hipnotizou Rädhä com sua melodia de flauta de tal forma que o
outro gopés não conseguia entender o que estava fazendo. Esta é uma
ilustração da astuta perícia de K Ša.

Descrevendo a postura de K Ša, o poeta diz: tiryak-kaëöha-vilola-


maulitaralottaàsasya - “Ele adotou uma postura torta inclinando o pescoço
para o lado. Assim, seus brincos e ornamentos em sua coroa oscilavam. ” A
palavra Mauli pode significar “coroa” e “cabeça”. Mover a cabeça é uma
falta para um flautista, enquanto não mover a cabeça é considerado uma
marca de habilidade. A habilidade de ®r… K Ša é extraordinária, portanto
sua cabeça não se movia. Em vez disso, apenas seus brincos e enfeites em
sua coroa estavam balançando.

Este versículo inclui rüpaka alaìkära e çärdüla-vikréòita chanda.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o terceiro ato de


Çré Géta-govinda, intitulado Mugdha-madhusüdana.

112211
* ZÌtÌÙyÌÊ: ²ÌOÌÊ: *

*Í´ÌOŒÌ˜ÌŒÌÙ²ÌÜzù ?? Ì: *
Ato Quatro

- snigdha-madhusüdanaù -

O Tender Slayer de Madhu

S CENE E IGHT

Verso 1

¥ ̘ÌÙ ?? ÌÌtÌÕœú ¥ ÌÌ ?? ÌÕœú-

?? ?? ÌFÙògÌâ ˜Ì ?? zù˜ÌÌѲyÌt̘ÌÆ * p ÌÌ · þ p Ìâ˜Ì — Ìœ ÷ ÌâzÆù B ÌÌ


?? tÌÉ

˜ÌÌŒÌ ¥ ÌÉ œ ÷ ÌÍŒÌFò̲ÌLÌÕ * 1 *

yamunä-téra-vänéra-

Nikuïje Mandam ästhitam

präha prema-bharodbhräntaà
madhavaà rädhikä-sakhé

Tradução

Perplexo de amor por Rädhä, Kåñëa estava sentado em um bosque denso às


margens do rio Yamunä sentindo-se profundamente deprimido. O querido
amigo de Rädhä começou a falar com ele da seguinte maneira.

Comentário

Depois de descrever o amor de Rädhä e Kåñëa um pelo outro, agora o


poeta descreverá os métodos empregados por uma emissária que deseja
realizar seu encontro.

Impelido pela solidão antes do encontro ( pürva-räga), Rädhä revelou seu


desejo ardente de se encontrar com Kåñëa para sua amiga. Depois de
consolar Rädhä com palavras tranquilizadoras, que sakhé parta para
encontrar K Ša. Ela o encontrou enlouquecendo de ansiedade na ausência
de Rädhä enquanto ele se sentava em um bosque de cana de vime
( vetasénikuïja) na margem do rio Yamunä. Então, o amigo íntimo de
Rädhä falou com Mädhava.

112255

Canção 8
O modo musical é karëäöa räga, o ritmo, ekatälé täla.

Karëäöa räga - Çikhikaëöha está caminhando, segurando uma enorme presa


de elefante em seu ombro direito com uma das mãos e empunhando uma
espada na outra. Anjos dançarinos e outros seres celestiais o glorificam
com orações respeitosas. Em tal ocasião, é apropriado

presente karëäöa räga.

Í ?? Ì ?? zùÍtÌ ZÌ ?? zù ?? ÌÍ˜Ì ?? zÙùÍFòœúsÌ˜Ì ?? ÌÙ Í ¥ Ì ?? zùÍtÌ


LÌâzù˜ÌŒÌÕœú˜ÌÆ * ¥ ™ ÌÌ¡ô ÷ Í ?? Ì¡ô ÷ ™

Ì̡͘ô ÷ ?? Ìâ ?? Ì OÌœú¡ô ÷ Í˜Ì ¥ Ì Fò¡ô ÷ ™ ÌÍtÌ ˜Ì¡ô ÷ ™ ̲̘ÌÕœú˜ÌÆ *


²ÌÌ Í ¥ Ìœú · âþ tÌ ¥ Ì zù ˜ÌÌŒÌ ¥ Ì ˜Ì ?? ÌͲÌ`ÌÍ ¥ ÌͨÌLÌ — Ì ™ ÌÌÍzù ¥ Ì —ÌÌ ¥
Ì ?? Ì ™ ÌÌ t ¥ ÌÍ ™ Ì ¡ô ÷ Õ ?? ÌÌ * D ÌÙ ¥ Ì ̃ ÌÆ

+¥Í Ìzù¥Ìœú¡ô¥??÷ ÌÌÍ ??™ ÌÌ Í??¥ ̨ÌÌ¡ôÌÍtÌt̘Ìzù÷˜ÌÆ??* ̨̜ ÷ ÌÍzù ¥ Ì


—Ì

² ¥ ÌÀþzù ™ ̘̘ÌÊÍsÌ ¥ ̘ÌÊ Fòœ ÷ ÌâÍtÌ ²Ì`Ì¡ô ÷ ?? ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÕzù¡ô ÷ `ÌÌ¡ô


÷ ˜Ì * ²ÌÌ Í ¥ Ì0 * 3 *

FÙò²ÌÙ˜ÌÍ ¥ ÌͨÌL̨̜útÌŸ ?? Ì˜Ì ?? ÌŸ ?? ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ̲ÌFò¡ô ÷ ÌFò˜Ì ?? ÌÕ ™


̘ÌÆ *

v ÌtÌÍ˜Ì ¥ Ì tÌ ¥ Ì ?? ÌÍœúœú˜ — ̲ÌÙLÌÌ ™ Ì Fòœ ÷ ÌâÍtÌ FÙò²ÌÙ˜Ì¨Ì ™ Ì ??


ÌÕ ™ ̘ÌÆ * ²ÌÌ Í ¥ 0 * 4

¥ Ì · þÍtÌ ZÌ ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ÌâZÌ ?? Ì`Ì¡ô ÷ ŒÌœú˜ÌÌ ?? Ì ?? ÌFò˜Ì¡ô ÷


˜ÌÙzùÌœú˜ÌÆ *

(4) ¥ ÌŒÌÙÍ˜Ì ¥ Ì Í ¥ ÌFòhõÍ ¥ ÌŒÌÙ ?? tÌÙzùzù ?? tÌzù¡ô ÷ ?? ÌOÌÍ¡ô ÷


tÌ̘ÌßtÌŒÌÌœú˜ÌÆ * ²ÌÌ Í ¥ Ì0

(5) ¥ ÌÍ¡ô ÷ LÌÍtÌ œú · þÍ²Ì FÙòœúWó˜Ìzâù ?? Ì —Ì ¥ Ì ?? t̨̘̲̘̜ú


— ÌÜt̘ÌÆ *
p Ìs̘ÌÍtÌ ˜ÌFòœú˜ÌŒÌÌâ Í ¥ ÌÍ ?? ÌŒÌÌ ™ Ì Fòœâú ZÌ ¨ÌœÉú ?? Ì ¥
ÌZÌÜt̘ÌÆ * ²ÌÌ Í ¥ Ì0 * 6 *

p ÌÍtÌ ?? Ìzù͘Ìzù˜ÌÍ ?? Ì Í ?? ÌOÌzùÍtÌ ˜ÌÌŒÌ ¥ Ì tÌ ¥ Ì ZÌœúsÌâ ?? ÌÍtÌtÌÌ ·


þ˜ÌÆ *

t ¥ ÌÍ ™ Ì Í ¥ ̘ÌÙLÌâ ˜ÌÍ ™ Ì ²Ì ?? ÌÍzù ²ÌÙŒÌÌÍ ?? Ì̜͌ ÷ Í ?? Ì tÌ ?? ÌÙtÌâ


tÌ ?? ÌÙzùÌ · þ˜Ì * ²ÌÌ0

Œ ™ ÌÌ ?? Ì¡ô ÷ ™ Ìâ ?? Ì ?? ÌÙœú: ?? ÌÍœúFòŸ ?? ™ Ì —Ì ¥ Ì ??

t̘ÌtÌÕ ¥ Ì zÙùœ ÷ Ì ?? ̘ÌÆ * Í ¥ Ì¡ô ÷ ?? ÌÍtÌ · þ²ÌÍtÌ Í ¥ Ì s ÌÕzùÍtÌ œ ÷


ÌâÍzùÍtÌ ZÌfÌÍtÌ ˜ÌÙfÌÍtÌ tÌÌ ?

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ͘Ìzù˜ÌÍŒÌFÉò ™ ÌÍzù ˜Ì ?? ̲ÌÌ ?? Ìhõ ?? ÌÕ ™


̘ÌÆ * ·ÌZÌÞÍœ??÷ÌÉÍ¥??ÌœúÌlö·??þÌFÙò¡ôÌÕ™ ̘Ì÷ –*̲ÌÌ0¢ô*÷9¥* Ì ™
ÌÙ ¥ ÌÍt̲ÌLÌÕ ¥

Ato Quatro

Verso 2

nindati candanam indu-kiraëam anu vindati khedam adhéram vyäla-nilaya-


milanena garalam iva kalayati malaya-saméram

sä virahe tava dena

madhava manasija-viçikha-bhayäd iva bhävanayä tvayi lena ( refrão) (1)

Tradução

“Ó M € dhava! Rädhä está experimentando intenso sofrimento na


separação de você. Ela tem tanto medo da chuva incessante das flechas de
Madana que recorreu a dhyana-ioga para encontrar alívio para este fogo
lento da angústia. Ela se rendeu incondicionalmente a você e agora está
completamente imersa em você pela prática da meditação. Na sua ausência,
ela critica a pasta de sândalo. Quando ela vê os raios da lua, ela sente como
se seu corpo estivesse queimando e a brisa da Malásia ainda aumenta o
calor. Ela também considera a brisa das montanhas da Malásia como
veneno, porque se mistura com o assobio de cobras venenosas que residem
ao redor das árvores de sândalo.

Comentário

o sakhé informa Kåñëa sobre a agonia que Rädhä sente ao se separar dele.
Ela explica que Rädhä está em uma depressão profunda.

“Temendo as flechas de Kämadeva, ela começou a meditar. Agora ela


entrou no estado de samädhi, transe exclusivo sobre você. Assim como
uma pessoa que tem medo de ser atingida por flechas corre para se abrigar
em outra pessoa para salvar sua vida, da mesma forma ela se refugiou em
você porque você é a personificação do amor amoroso. Quando você
estiver satisfeito, não haverá necessidade de temer ninguém. Ó Mädhava,
em separação de você, Rädhä repreende a pasta de sândalo espalhada em
seu

corpo porque não é uma fonte de felicidade. Em vez disso, parece uma
grande conflagração. Até mesmo os raios refrescantes da lua parecem
incendiar seu coração porque a lua acende o fogo de seus desejos. Ela sente
que a brisa da Malásia deve ter se tornado venenosa com o assobio das
cobras venenosas que serpenteiam ao redor das árvores de sândalo da
montanha da Malásia.

112277

Çré Geta- govinda


A frase manasija-viçikha-bhayäd iva é um exemplo encantador de utprekñä

alaìkära. Este versículo também é embelezado por Rüpaka e virodha ala k €


ra.

Verso 3

avirala-nipatita-madana-çaräd iva bhavad-avanäya viçälam sva-hådaya-


marmaëi varma karoti sajala-naliné-dala-jälam

sä virahe tava dénä ... ( 2)

Tradução

“As flechas de K € madeva estão caindo incessantemente em seu coração.


Já que você também está presente lá, ela está fazendo um escudo místico
( kavaca) para protegê-lo, cobrindo seu coração vulnerável com grandes
pétalas de lótus contendo gotas de água. ”

Comentário

Meditando continuamente em K Ša, R € dh € atingiu a unidade de coração


com ele. Para informá-lo disso, o sakhé

diz: “Ó Mädhava, você está sempre presente no coração de Rädhä. Ela


pensou consigo mesma, 'K € madeva

está perpetuamente chovendo suas flechas sobre mim, mas ®r… K Ša não
deve passar pela menor

dificuldade.' Então, ela cobre seu coração vulnerável com grandes pétalas
de lótus contendo gotas de água ( jäla).

Ela está empregando todas as medidas possíveis para protegê-lo. ”


A palavra Jäla também pode significar “líquido”. o sakhé implica, "Ela
cobriu seu coração com a rede de pétalas de lótus" para expressar o
sentimento de Rädhä, "Que você nunca deixe meu coração nem por um
momento."

“A aljava de K € madeva é inesgotável. Ele atira suas flechas uma após a


outra. Ó M € dhava, embora ela esteja indefesa por estar separada de você,
ela ainda tenta pensar em um remédio. Mas o que ela pode pensar? As
pétalas de lótus que ela usa são exatamente como as flechas de Kämadeva.
E de onde virão as gotas de água para este escudo? Como é lamentável que,
mesmo fazendo um escudo, ela simplesmente aumenta seu próprio
sofrimento. ”

112288

Ato Quatro

Verso 4

kusuma-viçikha-çara-talpam analpa-viläsa-kalä-kamanéyam vratam iva


tava parirambha-sukhäya karoti kusuma-çayanéyam

sä virahe tava dénä ... ( 3)

Tradução

“M € dhava! Rädhä está fazendo um maravilhoso canteiro de flores,


adequado para o desfrute de muitos passatempos amorosos. Ainda assim,
parece ser um leito de flechas de K € madeva. Ela está cumprindo severas
austeridades na forma de um voto de reclinar-se sobre um leito de flechas
na esperança de alcançar seu profundo abraço. ”

Comentário

“®r… K Ša! Rädhä está queimando em separação de você. Ela está


fazendo um canteiro de flores. Embora pareça ser a mais elevada arte de
fazer amor em pessoa, para ela esta cama parece um leito das flechas de
Kämadeva. ” o sakhé implica, "Assim como alguém pode observar um voto
terrível de alcançar uma felicidade fabulosa, da mesma forma, Rädhä está
realizando çaraçayyä-vrata, a severa austeridade de deitar em um leito de
flechas, com o objetivo de alcançar a felicidade incomum de seu abraço. ”

Verso 5

vahati ca valita-vilocana-jaladharam änana-kamalam udäram vidhum iva


vikaöa-vidhuntuda-danta-dalana-galitämåta-dhäram

sä virahe tava dénä ... ( 4)

Tradução

“Assim como uma corrente de néctar começou a fluir da lua depois de ser
mordida pela terrível boca escancarada de Rähu, um fluxo incessante de
lágrimas está fluindo dos olhos inquietos do rosto de lótus
excepcionalmente atraente de ®ré Rädhä.”

112299
Çré Geta- govinda

Comentário

o sakhé diz: “Ó Mädhava, uma torrente ininterrupta de lágrimas flui dos


olhos inquietos e expansivos de Rädhä. Parece que o temível Rähu cortou a
lua com seus dentes, fazendo com que um fluxo de néctar flua
incessantemente. O rosto de Rädhä não é como um lótus, mas como a lua, e
as lágrimas que fluem de seus olhos são como néctar ( amåta). ”

Este versículo é um exemplo de upamä alaìkära.

Verso 6

vilikhati rahasi kura Šga-madena bhavantam asamaçara-bhütam praëamati


makaram adho vinidhaya kare ca çaraà nava-cütam

sä virahe tava dénä ... ( 5)

Tradução

“Ó ®r… K Ša, em um lugar isolado, R € dh € está pintando um quadro de


sua forma cativante em almíscar, considerando que você é o próprio K €
madeva. Depois de retratá-lo com flechas de botões de manga em sua mão
e cavalgando em um Makara, ela se curva para oferecer reverências
respeitosas ao seu retrato. ”

Comentário

“Quando Rädhä se senta em um lugar isolado e pinta seu retrato com


almíscar líquido ( kastüré), ela o retrata como K € madeva - o deus do amor
sensual - porque, além de você, quem pode levar seu coração à loucura de
desejo? Só você pode cumprir suas ambições acalentadas. Em seguida, ela
pinta botões de manga em sua mão. Eles são os mais poderosos entre todas
as flechas de Kämadeva. Ela descreve você cavalgando sobre um Makara,
assim como a divindade predominante da luxúria. Além disso, para obter a
liberação da sensação ardente dos desejos amorosos, ela respeitosamente se
curva diante de você e oferece orações sinceras. ”

Este versículo inclui upamä alaìkära.

113300

Ato Quatro

Verso 7

prati-padam idam api nigadati mädhava tava caraëe patitäham tvayi


vimukhe mayi sapadi sudhä-nidhir api tanute tanu-däham

sä virahe tava dénä ... ( 6)

Tradução

“Ó M € dhava, depois de pintar uma imagem sua desta forma, R € dh €


implora repetidas vezes: 'Ei ®r… K Ša! Estou caindo aos seus pés. Assim
que você se torna indiferente a mim, até mesmo o deus da lua Candramä,
com seu cálice de néctar, começa a derramar fogo sobre meu corpo. '”

Comentário

o sakhé diz: “Ó ®r… Kåñëa, aonde quer que Rädhä vá, a cada passo que
ela profere: 'Eu caio a seus pés. Por favor, não seja indiferente a mim.
Sempre que você não está satisfeito comigo, até Candramä, o oceano de
néctar refrescante, acende um fogo dentro do meu corpo. '”

O autor de Rasa-maïjaré dicas sobre o motivo do uso da palavra por Rädhä


m € dhava. A sílaba mä refere-se a Lakñmé, e dhava significa pati, seu
Senhor. Quando Kåñëa fica perto de Rädhä, mesmo Lakñmé, que

se relaciona com Rädhä como rival, não pode prejudicá-la. Mas quando
Kåñëa é indiferente a Rädhä, o irmão de Lak Šmé-devé, Candramä, a
tortura por ser rival de sua irmã.

Este versículo inclui atiçayokti alaìkära. A descrição de Candramä agindo


contra sua natureza é um exemplo de virodha ala k € ra.

113311

Çré Geta- govinda

Verso 8
dhyäna-layena puraù parikalpya bhavantam atéva duräpam vilapati hasati
viñédati roditi caïcati muicati täpam

sä virahe tava dénä ... ( 7)

Tradução

“®r… R € dh € está completamente absorto na meditação sobre você. Ela


imagina que você está diretamente diante dela. Às vezes ela lamenta na
separação, às vezes ela expressa júbilo, às vezes ela chora e às vezes ela
abandona todo o sofrimento sendo abraçada em uma visão momentânea. ”

Comentário

o sakhé diz: “Ó Kåñëa, é difícil para Rädhä encontrar você por meio de
pesquisas e outros métodos, então ela está absorta em meditação e imagina
que você está com ela. Quando ela sente que você está bem diante dela, ela
pinta seu quadro e quando ela olha para o seu retrato, sabendo que você
está por perto, ela começa a rir. Sua mente fica agitada com ondas de
alegria, mas quando você não a abraça, sua risada alta e insana se
transforma em um grito de lamentação. Quando sua forma imaginária
desaparece, ela começa a abraçá-la novamente. Ela pensa: 'Se ®r… K Ša
me vir nesta condição, ele certamente ficará sob meu controle.' Com essa
intenção, ela abandona sua angústia e desiste de se debater no fogo da
separação. ”

De acordo com o comentário Rasika-priyä, a palavra vilapati deve ler

vilikhati. Este versículo apresenta dépaka alaìkära. A heroína está


expressando

kilakiïcita-bhäva.
113322

Ato Quatro

Verso 9

çré-jayadeva-bhaëitam idam adhikaà yadi manasä naöanéyam hari-


virahäkula-ballava-yuvati-sakhé-vacanaà paöhanéyam

sä virahe tava dénä ... ( 8)

Tradução

Esta música composta por ®r… Jayadeva, baseada nas palavras ditas pelo
querido amigo de R € dh €, deve ser encenada dentro do templo do coração.
o sakhé

descrições da angústia de Rädhä na separação de ®ré Hari são dignas de


recitação constante.

Comentário

Nesse verso, ®r… Jayadeva diz que o terno e jovem R € dh € é perturbado


pela separação de K Ša. o sakhé revelou o amor confidencial de Rädhä por
K Ša e sua apresentação carregada de amor é digna de ser encenada no
coração. Atuar é proeminente na teoria dramática ( näöya). Portanto, a
palavra

naöanéyam significa “digno de ser promulgado”; também pode significar


“saboroso” e “para ser saboreado”. No dele Näöya-çästra, Bharata Muni
declarou naöa çabdo rase mukhyaù - “O significado principal da palavra
naöa é rasa. ”

O significado da frase çré-jayadeva-bhaëitam idam adhikam é esse o

toda a essência do sakhé palavras está totalmente presente no poema de Çré


Jayadeva. Portanto, deve ser servido e saboreado por devotos puros.

113333

Çré Geta- govinda

S CENE N INE
Verso 10

¥ Ì ¥ Ì̲ÌÌâ Í ¥ ÌÍ ?? Ì ?? ÌÌ ™ ÌtÌâ Í p Ì ™ ̲ÌLÌÕ˜ÌÌ¡ô ÷ ÌÍ ?? Ì `ÌÌ¡ô ÷ Ì


™ ÌtÌâ tÌÌ ?? ÌÌâ% Í ?? Ì« ÌͲÌtÌâ ?? Ì zùÌ ¥ Ìzù · þ ?? Ì` ¥ ¡ô ÷ ÌFò¡ ô ÷ Ì ?? ÌÌ
™ ÌtÌâ * ²ÌÌÍ ?? Ì t ¥ Ì͈ùœú · âþsÌ · þ ?? tÌ · þÍœúsÌÕ R ü ?? ÌÌ ™ ÌtÌâ · þÌ
FòyÌÉ Fò ??

zù ?? ÌÌä% Í ?? Ì ™ ̘ÌÌ ™ ÌtÌâ Í ¥ ÌœúZÌ ™ Ì ?? ÌÆ ¨ÌÌzÜÊù¡ô ÷ Í ¥ Ì k


òÕÍn ÷ t̘ÌÆ

äväso vipinäyate priya-sakhé-mäläpi jäläyate

täpo 'pi svasitena däva-dahana-jvälä-kaläpäyate säpi

tvad-viraheëa hanta hariëé-rüpäyate hä kathaà

kandarpo 'pi yamäyate viracayan çärdüla-vikréòitam

Tradução

“Ó ®r… K Ša, meu sakhé Rädhä está se comportando exatamente como


um cervo. Ela considera que sua residência é a floresta e seus amigos são
como caçadores com uma rede. As chamas do incêndio florestal em seu
corpo são intensificadas por seus próprios suspiros de dor. Ai, ai! Jogando
como um tigre, Kandarpa se tornou a morte personificada conforme ele
começa a atacar os ares de sua vida. ”

Comentário

Um quadro da condição lamentável de Rädhä está sendo pintado por seu


companheiro íntimo. Rädhä é exatamente como um cervo quando está
privado da associação de Kåñëa. Esta Rädhä de pele clara reside na
floresta, considerando-a sua casa. Queimada pela separação de seu amado,
ela quer fugir, mas a rede do caçador sakhés está espalhado diante dela.
Com seus movimentos assim restritos, ela se sente continuamente frustrada.
Até mesmo seu mais querido sakhés parecem estar acorrentando-a como
caçadores de cervos equipados com uma armadilha. Como um cervo fica
alarmado e confuso ao ver um incêndio na floresta, da mesma forma, ela
não sabe o que fazer quando sua respiração longa se mistura com o calor de
seu corpo e a incendeia como um tição.

113344

Ato Quatro

Os suspiros tristes de Rädhä parecem as chamas de um incêndio na floresta.


Apenas o som “Ai de mim! Ai de mim! ” vem de sua boca. Kämadeva
sempre se mostra favorável a Rädhä quando está perto de K Ša. Mas agora
Kämadeva está brincando como um tigre, como se quisesse matá-la. Esse
mesmo deus do amor amoroso agora parece ser a morte personificada.

O desejo amoroso é como a brincadeira de um tigre que se lança sobre um


cervo inocente. O medidor deste versículo também é chamado çärdüla-
vikréòita ( jogo do tigre). A métrica inteira é exatamente como a peça de
Kämadeva.

A comparação de Rädhä com um cervo também é apropriada. o sakhé


implica: “Uma mulher com discernimento se apaixonará por alguém que
tenha afeição por ela, mas Rädhä se apaixonou por você. Ela está
constantemente imersa no oceano de afeto. Como você pode ser desprovido
de amor por ela? Apenas uma entidade viva nascida na espécie animal pode
ter amor unilateral. ”

Além disso, como um cervo, seu corpo é fraco e ela fica perplexa sobre o
que fazer. O desamparado e inocente Rädhä é torturado pelo desejo do
afeto de Kåñëa. Acima de tudo, o Cupido também está demonstrando suas
proezas como um tigre cruel. No entanto, neste caso, é o Rädhä altamente
perspicaz que se apaixonou por um candidato relutante.

o Chanda deste versículo é çärdüla-vikréòita. o alaìkäras está luptopamä

e virodh € bh € sa.

113355

Canção 9

O modo musical é de € kha r € ga, o ritmo, ekatälé täla.


Os raios da lua estão iluminando todas as direções. O herói é um lutador.
Seu cabelo se arrepia de alegria quando ele faz um som batendo em seus
braços enormes. Nesse momento, é apropriado cantar de € kha r € ga.

²tÌ ?? ÌÍ ¥ ÌÍ ?? ÌÍ · þt̘ÌÍ ?? Ì · þÌœú˜ÌÙzùÌœú˜ÌÆ * ²ÌÌ ˜Ì ?? ÌÙtÌâ Fßò¨ÌtÌ ??


ÌÙÍœú ¥ Ì

—ÌÌœú˜ÌÆ * œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ Í ¥ Ìœú · âþ tÌ ¥ Ì Fâò¨Ì ¥ Ì * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 11 *

²Ìœú²Ì˜Ì²Ìßs̘ÌÍ ?? Ì ˜Ì¡ô ÷ ™ Ì`Ì ?? ÌSó˜ÌÆ *

?? ̨ ™ ÌÍtÌ Í ¥ Ì s ÌÍ˜Ì ¥ Ì ¥ Ì ?? ÌÙÍ s Ì ²Ì¨ÌSó˜ÌÆ * œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ0 * 12 *

«ÌͲÌtÌ ?? Ì ¥ Ì ?? Ì˜Ì ?? ÌÙ ?? Ì˜Ì ?? ÌÍœúsÌÌ · þ˜ÌÆ *

˜Ìzù ?? Ìzù · þ ?? ÌÍ˜Ì ¥ Ì ¥ Ì · þÍtÌ ²ÌzùÌ · þ˜ÌÆ * œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ0 * 13 *

ÍzùÍ¨Ì ÍzùÍ¨Ì ÍFòœ ÷ ÍtÌ ²Ì`Ì¡ô ÷ FòsÌ`ÌÌ¡ô ÷ ˜ÌÆ *

?? Ì ™ Ì ?? Ì ?? ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÍ˜Ì ¥ Ì Í ¥ ÌOÌÍ¡ô ÷ tÌ ?? ÌÌ¡ô ÷ ˜ÌÆ * œ ÷


ÌÍŒÌFòÌ0 * 14 *

t ™ Ì`ÌÍtÌ ?? Ì ?? ÌÌÍsÌtÌ¡âô ÷ ?? Ì Fò ?? ÌÌâ¡ô ÷ ˜ÌÆ *


-ÌÍŒÌFòÌ0ÌÌ¡ô÷¨ÌͨÌ* ??15 *ÌÍ˜Ì ¥ Ì ²ÌÌ ™ ̡̘ô ÷ Ìâ¡ô ÷ ˜ÌÆ * œ ÷

?? Ì ™ Ì ?? ÌÍ ¥ Ì s Ì ™ ̘ÌÍ ?? Ì ÍFò²Ì¡ô ÷ ™ ÌtÌŸ ?? ̘ÌÆ *

OÌsÌ ™ ÌÍtÌ Í ¥ ÌÍ · þtÌ · ÙþtĮ̀ÌÍ ¥ ÌFòŸ ?? ̘ÌÆ * œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ0 * 16 *

·??ÞÍœÌÍtÌ÷²ÌFò̘̘ÌÆÍœ÷ÍtÌ· þÍœ* ÷ Íœ ÷ ÍtÌ `Ì

Í ¥ Ìœú · þÍ ¥ ÌÍ · þt̘̜úsÌâ ¥ Ì Í ?? ÌFò̘̘ÌÆ * œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ0 * 17 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ͘ÌÍtÌ OÌÕt̘ÌÆ *


²ÌÙLÌ ™ ÌtÌÙ Fâò¨Ì ¥ Ì ?? Ìzù˜ÌÙ ?? Ì ?? ÌÕt̘ÌÆ * œ ÷ ÌÍŒÌFòÌ0 * 18 *
Ato Quatro

Versículo 11

stana-vinihitam api häram udäram sä manute

kåça-tanur iva bharam

rädhikä virahe tava keçava ( refrão) (1)

Tradução

“Ó Keçava, Rädhä está tão emaciada em separação de você que o colar


encantador em seus seios se tornou um fardo.”

Comentário

Nesta música o sakhé descreve a agonia de Rädhä de uma nova maneira.


Os membros de Rädhä tornaram-se dolorosamente magros na ausência de
K Ša. Agora ela não consegue nem mesmo suportar o peso da guirlanda de
flores de lótus em seus seios.

O autor de Géta-govinda-dépikä comenta que kam é outro nome para sukha


( felicidade). Kåñëa é o controlador de kam, portanto ele é chamado de
Keçava. A palavra Keça significa “conceder felicidade a todos”. A sílaba
va

em Keçava indica o néctar específico ( amåta) essa é a vida e a alma das


moças. Conseqüentemente, K Ša é chamado de Keçava porque ele é a vida
e a alma de todas as moças de Vraja. Sendo este o caso, por que seu
amante, Rädhä, está tão infeliz? Impelida pela solidão, ela diz as coisas
mais maravilhosas sem nem mesmo falar. Seus ornamentos não são um
fardo; eles são uma maldição. Portanto, ela quer jogá-los fora.
113377

Çré Geta- govinda

Versículo 12

sarasa-masåëam api malayaja-paìkam

paçyati viñam iva vapuñi saçaìkam

rädhikä virahe tava keçava ... ( 2)

Tradução

“Ó Keçava, em separação de você, Rädhä olha para a pasta de sândalo


úmida e lisa espalhada em seu corpo como se fosse veneno e ela fica com
medo.”

Comentário
“Embora a pasta de sândalo da Malásia seja suave e refrescante, ela se
sente como se estivesse envenenada. Na agonia de sua solidão, o unguento
de sândalo está longe de ser agradável; é positivamente angustiante. ”

Versículo 13

svasita-pavanam anupama-pariëäham

madana-dahanam iva vahati sa-däham

rädhikä virahe tava keçava ... ( 3)

Tradução

“Seu corpo está sendo chamuscado por longos suspiros de tristeza,


aquecido pelas chamas do fogo da paixão. No entanto, ela continua a
resistir ”.

Comentário

“O intenso calor da separação dentro de seu coração é intolerável. Ela solta


longos suspiros na tentativa de se acalmar, mas tem o efeito oposto. Em vez
de encontrar alívio, ela sente como se o fogo estivesse se espalhando por
todo o corpo. É apenas a paixão que arde neste fogo. ”

113388

Ato Quatro
Verso 14

diçi diçi kirati sajala-kaëa-jälam

nayana-nalinam iva vigalita-nälam

rädhikä virahe tava keçava ... ( 4)

Tradução

"Seus olhos de lótus olham em todas as direções, espalhando a chuva de


suas lágrimas como flores de lótus salpicadas de água destacadas de seus
caules."

Comentário

“Seus olhos lacrimejantes são tão encantadores quanto lótus azuis


carregando gotas d'água. Todas as direções são limitadas pelo fluxo
ininterrupto de suas lágrimas que se espalham como uma rede enquanto ela
gira em antecipação ao seu retorno, pensando que você poderia aparecer de
qualquer direção. Como uma flor de lótus não tem uma posição fixa depois
de separada de seu caule, seus olhos não permanecem em lugar algum por
mais de um momento. Mas para você, não há suporte no qual eles possam
permanecer. ”

Este versículo inclui upamä e utprekñä alaìkäras.

Verso 15

tyajati na päëi-talena kapolam

bäla-açinam iva säyam alolam

rädhikä virahe tava keçava ... ( 5)

Tradução
"Sua bochecha lembra a beleza da lua recém-nascida no céu crepuscular
quando ela se senta sozinha em um lugar isolado, segurando-a sobre sua
mão de lótus avermelhada."

Comentário

“Rädhä estava confusa sobre o que fazer, então ela se tornou como se fosse
inanimada. Agora ela segura a palma da mão contra a bochecha e
permanece perfeitamente imóvel

113399

Çré Geta- govinda

porque ela está imersa em pensamentos ansiosos: 'De uma forma ou de


outra, o dia passa, mas o que acontecerá quando a noite cair? Será como um
aeon. ' Seu rosto é magro e sem brilho como a lua da tarde. Metade coberto
por sua mão, lembra a lua em dvitéyä, o segundo dia da quinzena crescente.

Enquanto o crepúsculo detém a lua recém-nascida, o escudo de sua mão


parece fornecer um abrigo para seu rosto. A comparação com a lua
crescente é apropriada porque seu rosto fica parcialmente visível pela
cobertura de sua mão.

Versículo 16

nayana-viñayam api kisalaya-talpam

gaëayati vihita-hutäça-vikalpam

rädhikä virahe tava keçava ... ( 6)


Tradução

"Embora ela veja uma cama de pétalas frescas diretamente diante dela, em
sua perplexidade, ela percebe que é um fogo ardente."

Comentário

“Rädhä está traumatizado com sua ausência. Quando ela olha para uma
cama de pétalas vermelhas frescas, ela vê uma pira funerária em chamas.
Ela está experimentando percepções sensoriais ilusórias porque seus olhos
estão fixos em você. ”

A dúvida sobre a identidade de uma substância surge da semelhança com


outra substância. O fogo é vermelho e ardente. As pétalas das flores
também são vermelhas e ardentes para as mulheres que sofrem de solidão.
Portanto, Rädhä confunde as pétalas com fogo.

Verso 17

harir iti harir iti japati sa-kämam

viraha-vihita-maraëeva nikämam

rädhikä virahe tava keçava ... ( 7)

114400

Ato Quatro

Tradução
“Parece que Rädhä decidiu desistir de sua vida. Separada de você, ela canta
continuamente japa do nome, 'Çré Hari, Çré Hari', com o desejo de alcançá-
lo. ”

Comentário

“Porque Rädhä está queimando no fogo da separação, é como se ela tivesse


decidido que não manterá sua vida por mais tempo. Assim como aqueles
que estão sem esperança no mundo e que desejam morrer cantam japa do
nome 'Çré Hari' dia e noite, da mesma forma Rädhä também canta
incessantemente japa do nome 'Çré Hari' com o desejo de alcançá-lo. ”

K Ša é chamado de Hari porque destrói o sofrimento daqueles que se


abrigam nele. Rädhä está cantando com esta ambição: "Eu posso não
alcançá-lo nesta vida, mas cantando japa de 'Hari Hari', definitivamente irei
considerá-lo meu mais amado na próxima vida. ”

Versículo 18

ré-jayadeva-bhaëitam iti gétam

sukhayatu keçava-padam upanétam

rädhikä virahe tava keçava ... ( 8)

Tradução

Que esta canção de ®ré Jayadeva conceda felicidade aos devotos que estão
incondicionalmente rendidos aos pés de K Ša.

Comentário
Esta canção certamente será uma fonte de alegria para os devotos puros
porque sua meditação chegará facilmente aos pés de lótus de K Ša
( keçava-padam)

simplesmente por lembrar o campo do coração de Rädhä descrito aqui.


Outro significado é: “O poeta recitou esta canção na presença de devotos
puros

(Vai Šavas). ” A etimologia de keçavaù padam é sthänaà yasyä 'sau taà

114411

Çré Geta- govinda

keçava-padam - “Aqueles Vai Šavas que alcançaram Bhagav € n são


chamados

keçava-pada. ”

A música é embelezada por toda upamä alaìkära. O medidor é

mäläcatuñpadé chanda.

Versículo 19

²ÌÌ œ ÷ Ìâ˜ÌÌfÌÍtÌ ²ÌÕtFòœ ÷ ÌâÍtÌ Í ¥ Ì¡ô ÷ ?? Ìt ™ ÌÙtFò˜ ?? ÌtÌâ tÌ̘ ™ ÌÍtÌ


Œ ™ ÌÌ ™ Ìt ™ ÌÙzÆù B ̘ÌÍtÌ p ̘ÌÕ¡ô ÷ ÍtÌ ?? ÌtÌt ™ ÌÙ † ÌÍtÌ ˜ÌÜZ \ Êôt
™ ÌÍ ?? Ì * DtÌÌ ¥ Ìt ™ ÌtÌ ?? ÌÙ` ¥

Ìœâú ¥ ÌœútÌ ?? ÌÙ`Ì × ¥ ¥ N Ì ÎFò tÌâ œú²ÌÌtÌÆ ² ¥ Ì ¥ Ìè † p ÌÍtÌ˜Ì p


̲ÌÕzùÍ²Ì ™ ÌÍz

sä romäïcati sét-karoti vilapaty utkampate tämyati


dhyäyaty udbhramati pramélati pataty udyäti mürcchaty api etävaty atanu-
jvare vara-tanur jéven na kià te rasät

svar-vaidya-pratima prasédasi yadi tyakto 'nyathä hastakaù

Tradução

“Ó melhor dos médicos! Você é exatamente como os médicos celestiais, os


Açvinékumäras. A primorosamente bela Rädhä ficou perturbada pela
ansiedade da separação. Às vezes seu cabelo fica em pé, às vezes ela
começa a ofegar e às vezes fica assustada. Às vezes ela chora alto e outras
vezes ela treme. Às vezes, ela medita em você com muita atenção. Ela
vagueia pelos lugares de seus passatempos amorosos. Quando ela está
dominada pela confusão, ela fecha os olhos. Às vezes ela cai no chão.
Então ela se levanta e se prepara para ir, mas de repente desmaia e cai no
chão novamente. Ela está aflita com sannipäta-jvara, uma febre perigosa
resultante de distúrbios dos humores corporais. Se você estiver satisfeito,
por favor, administre o remédio de rasamata para neutralizar essas violentas
transformações da paixão. Então ela pode obter o tesouro de seu prana.
Caso contrário, suas mãos logo ficarão imóveis (ela morrerá). ”

114422

Ato Quatro

Comentário
“Rädhä está com uma febre virulenta. A febre de kama atingiu o estágio
crítico de sannipäta. Rädhä não tem sede de você apenas por sua vontade
externa. Ela também vive em você por transformações corporais
involuntárias ( sättvikabhävas). Esta é a evidência de seu amor puro. ”

o sättvika-bhävas são como segue:

stambhaù svedo 'tha romäïcaù

svarabhaìgo 'tha vepathuù

vaivaëryam açru pralayä-

vityañöau sättvikä matäù

Romäïcati - Sua etimologia é romäïca vidyate yasya sa romäïcaù.


Romäïcita

ity ärthaù. tadvad äcarati romäïcati - “Aquele que está emocionado com a
horripilação é chamado Romäïcita e a atividade de um Romäïcita é
chamado romäïcati. ”

Vaivarëya - “Ela engasga devido a lembrar e se preocupar incessantemente


com

você."

Açru - “Ela chora quando se lembra de suas virtudes.” Vepathu - “Ela


pensa: 'Como serei capaz de tolerar a dor da separação

de ®r… Kåñëa? ' e treme com o pensamento. ”

Sveda - “Ao se tornar mental e fisicamente debilitada, ela transpira

profusamente."

Stambha - “Enquanto ela medita sobre você, ela fecha os olhos como se
todos os
as atividades de seus sentidos estavam prestes a cessar. ”

Vepathu - O segundo exemplo de vepathu é indicado pela palavra

udbhramati. “Ela vagueia pelos lugares de seus passatempos lúdicos na


esperança de encontrar você.”

Svara-bhaìga - O engasgo da voz é indicado pela palavra pramélati. “Ela


fecha os olhos e se lembra do seu abraço e de outras atividades. Portanto,
ela é incapaz de falar. ”

Stambha - O segundo exemplo de ficar atordoado é sugerido pelo

palavra patati, "Ela cai". Ela cai no chão enquanto caminha porque seu
corpo está muito fraco e emaciado.

114433

Çré Geta- govinda

Pralaya - A palavra udyati, “Ela se levanta”, indica que depois de cair ela se
levanta novamente. Então o amigo de Rädhä informa Kåñëa sobre o
sättvika-bhäva

chamado pralaya ( devastação) dizendo murcchati, “Ela desmaia”.

Querido de Rädhä sakhé se dirigiu a ®r… K Ša: “Vocês são como os


Açvin…-kum € ras, os médicos especialistas do céu. Se você está satisfeito
com Rädhä, a doença do desejo sensual não será curada? O uso de um
tônico é proibido quando uma febre alta está em estágio avançado.
Tentamos aliviá-la colocando pétalas de lótus frescas em seu corpo e
abanando-a com uma folha de palmeira, mas nada alivia a doença da
separação. Em vez disso, está aumentando gradualmente. Ela está tão fraca
que só consegue mover as mãos. Se ela soubesse que você não concordaria
em conhecê-la, sua morte estaria garantida.

“Ela deu seu coração exclusivamente a você, então se você não salvar a
vida dela dando a ela seu público, então você certamente incorrerá no
pecado de abandonar um dependente.”

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda, dépaka alaìkära e


vipralambha-Šåìgära-rasa. O herói é anuküla ou dak Ša n € yaka e a

heroína é utkaëöhitä näyikä. Uma atendente que assiste a heroína é


chamada de sakhé.

Verso 20

²˜Ìœ ÷ ÌtÌÙœ ÷ ÌÉ zæù ¥ ÌtÌ ¥ Ìæ † Àþ †

t ¥ ÌzùWó²ÌWó̘Ìßt̘ÌÌw̲ÌÌŒ ™ Ì̘ÌÆ *

Í ¥ ̘ÌÙHò – ÌÌŒÌÌÉ FÙò ?? û s Ìâ ?? Ì œ ÷ ÌŒÌÌ-

˜ÌÙ ?? Ìâ ?? ‡ ù ¥ Ì j ÌÌzùÍ ?? Ì zùÌ ?? ûsÌÌâ% Í²Ì * 20 *

smaräturäà daivata-vaidya-hådya

tvad-aìga-saìgämåta-mätra-sädhyäm

vimukta-bädhäà kuruñe na rädhäm

upendra vajräd api däruëo 'si


114444

Ato Quatro

Tradução

“Ó Upendra! Você é mais especialista em assuntos médicos do que os


médicos celestiais. Rädhä está sofrendo com o calor do Cupido. Ela só
pode permanecer viva se levar o remédio da união corporal com você. Sua
doença, a aflição de não satisfeita kama, é muito difícil de lidar. Rädhä está
prestes a morrer. Se você não a aliviar, saberemos que você é mais difícil
do que um raio. ”

Comentário

o sakhé decorou Kåñëa com dois títulos específicos:

Daivata-vaidyahådya - K Ša é ainda mais agradável e cativante do que o


médicos celestiais, os Açviné-kumäras.

Upendra - Kåñëa apareceu anteriormente do ventre da Mãe Aditi em

a forma de ®r… V € manadeva para conceder auspiciosidade aos


semideuses ofendidos. Nessa encarnação, seu nome era Upendra porque ele
era o irmão mais novo de Indra. Este endereço faz alusão ao juramento
pessoal de K Ša de sempre proteger seus dependentes.

o sakhé confidencia a Kåñëa: “Rädhä tornou-se vítima de uma paixão


sensual. O único remédio para essa doença incurável é estar unido a você.
O toque de seus membros é como néctar para ela. Não há necessidade de
você fazer o menor esforço estranho. Não haverá nenhuma dificuldade de
sua parte. Então, se você não a trouxer de volta à vida, então você deve ser
ainda mais difícil do que um raio. "
Apropriadamente, o Chanda deste versículo é upendra-vajrä.

114455

Çré Geta- govinda

Versículo 21

Fò ?? zù ?? ÌÊ` ¥ Ìœú²ÌÉ` ¥ Ìœ ÷ ÌtÌÙœútÌ ?? ÌÌ✠÷ Ì © Ì ™ Ìʘ̲ ™ ÌÌÍ ©


ÌœÉú ZÌâtÌ © Ì ?? zù ?? ÌZÌ ?? ‡ ù˜Ì: Fò˜ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÕÍZÌ ?? tÌ̲ÌÙ ²Ì

?? tÌ̘ ™ ÌÍtÌ * ÍFò ?? tÌÙ IòÌÑ ?? tÌ ¥ ̨Ìâ ?? Ì ¨ÌÕtÌ¡ô ÷ tÌœÉú t

¥ Ì̘ÌâFò˜Ìâ ¥ Ì Í p Ì ™ ÌÉ Œ ™ ÌÌ ™ Ì ?? tÌÕ œú · þÍ²Ì Ñ²yÌtÌÌ Fòy̘ÌÍ ?? Ì


KÌÕsÌÌ KÌsÌÉ

kandarpa-jvara-saàjvarätura-tanor äçcaryam asyäç ciraà


cetaç candana-candramaù kamaliné-cintäsu santämyati kintu

klänti-vaçena çétalataraà tväm ekam eva priyaà

dhyäyanté rahasi sthitä katham api kñéëä knaëaà präëiti

Tradução

“Rädhä sofre com a febre da paixão desenfreada. É espantoso que ela se


queime assim que pensa nos remédios para altas temperaturas, como
sândalo, luar e flores de lótus. Ai de mim! Seu corpo ficou fraco e frio de
fadiga. Enquanto ela medita exclusivamente em você em um lugar isolado,
ela de alguma forma permanece viva por mais alguns momentos. ”

Comentário

“Ó M € dhava, ela está viva apenas na esperança de alcançar a união com


você. Sua febre atingiu o estado crítico de sannipäta, em que todos os
métodos de mitigação da febre são inúteis. A pasta de sândalo, o luar
refrescante ou as flores de lótus simplesmente não funcionam. Sua
condição atingiu seu limite máximo, em que sua temperatura aumenta
assim que ela pensa nesses remédios. Às vezes, com o aumento da febre,
ela fica tão cansada que sua temperatura cai de repente e seu corpo fica frio
com a evaporação da transpiração. Este amante está sentindo tanto sua
falta. Ela medita exclusivamente sobre você em seu coração inquieto. Ela
emagreceu em sua ausência. Mesmo em meio a uma adversidade tão árdua,
ela considera um momento de meditação sobre você um grande festival e,
portanto, ela se mantém no ar da vida.

“Se você está se perguntando como ela permanece viva e como ela
continua a respirar neste momento presente, então a resposta é que você é o
único amado e
114466

Ato Quatro

ainda há uma chance de ela atingir o toque de seu corpo frio. Ela viverá
apenas por mais alguns segundos com a força dessa esperança. Se você não
a encontrar imediatamente, então é possível que ela nunca seja restaurada à
vida. ”

Este versículo inclui Çärdüla-vikréòita chanda, virodha alaìkära e adbhuta-


rasa.

Verso 22

KÌs̘ÌÍ ?? Ì Í ¥ Ìœú · þ: ?? ÌÙœ ÷ Ì ?? Ì ²Ìâ · âþ

?? Ì ™ Ì ?? ÌÍ ?? ̘ÌÕ¡ô ÷ ??

ÌÍLÌ N Ì ™ ÌÌ ™ Ì ™ ÌÌ tÌâ * «ÌͲÌÍtÌ Fòy̘̲ÌÌæ œú²ÌÌ¡ô ÷ ¨ÌÌLÌÌÉ

ÍZÌœ ÷ Í ¥ Ìœú · âþsÌ Í ¥ Ì¡ô ÷ ÌâE ™ Ì ?? ÌÙÑ s ?? ÌtÌÌ g Ì̘ÌÆ * 22 *

knam api virahah purä na sehe

nayana-nimélana-khinnayä yayä te

çvasiti katham asau rasäla-çäkhäà

cira-viraheëa vilokya puñpitägräm

Tradução

“Ao olhar para você, Rädhä não suportou o momento de separação causado
pelo piscar de seus olhos. Portanto, não tenho ideia de como ela permanece
viva durante esse longo período de separação dolorosa, especialmente
quando ela vê uma deliciosa mangueira em plena floração (com flores
frescas em seus galhos superiores). ”

Comentário

“Ó K Ša, anteriormente Rādhä sempre ficava perto de você porque ela não
podia tolerar sua ausência nem por um segundo. Mesmo o piscar
momentâneo de seus olhos era uma fonte de grande dificuldade. Ela
costumava pensar: 'Por que Brahmä criou pálpebras que piscam?' Ela
passaria por um sofrimento incomensurável quando o menor obstáculo
obstruísse a visão de seu rosto. Então, como ela pode tolerar essa separação
prolongada, especialmente quando vê flores nas pontas de uma mangueira?
Como ela continua respirando? Flores brotaram em

114477

Çré Geta- govinda

cada ramo. As pontas dos ramos tornaram-se rasäla, a essência de tudo


rasa. Agora é a temporada de Vasanta. Na primavera, heroínas solitárias
experimentam uma dor igual à da morte. Ó K Ša, gentilmente encontre R €
dhä sem demora. ”

Rädhä também pensa: "Assim como estou aflito com kama quando vejo
flores nas pontas da mangueira, Kåñëa também deve estar aflito com kama
para mim. Portanto, ele certamente virá ao meu encontro. ”

Apropriadamente, este versículo é composto no Chanda chamado


puñpitägrä

(dicas de floração).
Versículo 23

¥ ÌßÍ®õ ¥ ™ ÌÌFÙò¡ô ÷ OÌÌâFÙò¡ô ÷ Ì ¥ Ì ?? Ìœú²ÌÌzÙù} ßùt ™ Ì


OÌÌâ ¥ ÌŒÌÊ ?? Ì

Í – Ì B ̈ù ¢ ô ÷ ¥ Ì ¥ Ì ¢ ô — ÌÌÍ — Ìœ ÷ ÍŒÌFòÌ

?? Ì ?? zùÌÍ [ÌœÉú ZÌÙј – ÌtÌ: * zù ?? ÌäsÌâ ¥ Ì tÌzùÏ ??

-ÌÌÉͲ̷ÙþOÌÌäFÉò²Ì͈ù??sÌtÌÌ: ??*23ÌÌâ²tÌ* ?? ÌÌâtÌÙ —Ì ¥ ÌtÌÌÉ ¬Ìâ ™

våñöi-vyäkula-gokulävana-rasäd uddhåtya govardhanaà

bibhrad vallava-vallabhäbhir adhikänandäc ciraà cumbitaù darpeëeva tad-


arpitädhara-taöé sindüra-mudräìkito

bähur gopa-tanos tanotu bhavatäà çreyäàsi kaàsa-dviñaù

Tradução

Os braços de Kåñëa competiram com Indra levantando e segurando Giri


Govardhana no alto para proteger os ansiosos residentes de Gokula de
fortes chuvas. Seus braços foram beijados por muito

tempo pela bela jovem gopés e manchado com Kuìkuma daqueles recém-
casados gopés ' lábios e o sindura de suas testas. Que aqueles braços do
destruidor de Ka Ša, ®r… K Ša, que aparece na forma de um vaqueiro,
conceda auspiciosidade a todos vocês.

Comentário

Maìgaläntäni ca çästräëi prathante - “Uma escritura que é auspiciosa no


começo, meio e fim, é pregada por toda parte.” De acordo com isso
114488

liminar, o poeta Çré Jayadeva apresentou uma invocação de auspiciosidade


para concluir o Ato
Quatro. Esta invocação pronuncia uma bênção. "Que os braços de K Ša
concedam auspiciosidade

aos recitadores e ouvintes deste Arranje um-

govinda. ”

As características únicas dos braços de K Ša foram descritas na primeira


linha deste versículo. Furioso, Indra incitou o puñkara e ävartaka nuvens
para lançar um terrível bombardeio de chuva para destruir Gokula. Vendo a
ansiedade dos vaqueiros, K Ša imediatamente desenraizou a montanha
Govardhana e a ergueu em suas mãos para protegê-los. Naquela época, os
braços de K Ša manifestaram a suavidade do cavalheirismo ( véra-rasa) de
uma forma que estimulou o romântico

humor ( Çåìgära-rasa).

Enquanto K Ša estava segurando Govardhana, o gopés, imerso em êxtase,


começou a beijar seus braços. Ao ver sua destreza, doçura e beleza, eles
fizeram

114499

Çré Geta- govinda

marcas vermelhas em seus braços com sindura de suas sobrancelhas e o


brilho de seus lábios vermelhos brilhantes.

Que os braços de K Ša, marcados com os sinais de sua intoxicante boa


fortuna, concedam auspiciosidade a todos.

O título deste Ato, Snigdha-madhusüdana, implica que quando Kåñëa


ouviu sobre a triste condição de Rädhä, ele se tornou completamente
inativo.
Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o quarto ato de
Çré Géta-govinda, intitulado Snigdha-madhusüdana.
115500

* ?? Ìf̘Ì: ²ÌOÌÊ: *

* +œÌFòÌUó÷ÕFòÌKÌ:??ÌÙsn* ÷
Ato Cinco

- äkäìkña-puëòarékäkñaù -

Olhos de Lótus Desejando

Verso 1

+ þ· Þ̜͘÷· ÌŒÌ̘ÌÆþÍ?? ¥ ̲ÌÌÍ˜Ì ™ ÌÌÍ ·

+ ?? ÌÙ ?? Ì ™ Ì ˜ÌˆùZÌ ?? Ìâ ?? Ì ZÌÌ ?? Ì ™ ÌâyÌÌ: * <ÍtÌ


˜ÌŒÌÙÍœú ?? ÌÙsÌÌ ²ÌLÌÕ ?? Ì ™ ÌÙHòÌ

² ¥ Ì ™ Ì͘Ìzù˜Ìât ™ Ì ?? ÌÙ ?? Ì`ÌÊOÌÌzù œ ÷ ÌŒÌ̘ÌÆ * 1 *

aham iha nivasämi yähi rädhäm

anunaya mad-vacanena cänayethäù

iti madhuripuëä sakhé niyuktä


svayam idam etya punar jagäda rädhäm

Tradução

uando K Ša ouviu de seu amigo íntimo o comovente relato da lamentável


condição de Rādhä, ele sugeriu: “Vou esperar aqui. Você deve ir até Çré
Rädhä, acalmá-la com meu humilde apelo e

então traga-a aqui. ” Engajado assim por Madhuripu Kåñëa, aquele sakhé
aproximou-se de Rädhä e pronunciou as seguintes palavras.

Comentário

A intensa agonia de separação de ®ré Rädhä foi descrita no Ato Quatro.


Quando Kåñëa ouviu do sakhé do terrível sofrimento de Rädhä, ele se
considerava um ofensor. Ele se sentiu envergonhado e também apreensivo.
Embora estivesse ansioso para se encontrar com sua amada eterna, ele não
foi até ela pessoalmente. Ele primeiro expressou seu pesar diante dela
sakhé e então a enviou para apaziguar o ressentimento de Rädhä com
suaves palavras de conciliação. Ele instruiu o sakhé, “Suplique
humildemente Çré Rädhä em meu nome. Pense em uma maneira de fazê-la
feliz de uma forma ou de outra e depois traga-a aqui. Vou esperar aqui
mesmo na margem do rio Yamunä até ela chegar. ” Depois de ser instruído
dessa forma, o sakhé foi informar Rädhä das notícias.

Um desejo ardente ( äkäìkña) para encontrar seu amante eterno, ®r… R €


dh €, despertou no coração de K Ša. Daí o título do Ato Cinco, Äkäìkña-
puëòarékäkña.

115533
Çré Geta- govinda

O nome Puëòarékäkña, que significa “aquele com olhos de lótus”, atrai a


atenção dos leitores para os olhos supremamente encantadores de Kåñëa,
que também são comparados ao vermelho

flores de lótus nos Vedas, tasya yathä puëòarékam evam eväkñiëé.

o Chanda deste versículo é puñpitägrä.


115544

S CENE T EN

Canção 10

O modo musical é deçévaräòé räga. O ritmo é rüpaka täla.

Uma heroína, com belos cabelos de anjo do céu, enfeita as mãos com
pulseiras e as orelhas com devapuñpa flores. Quando ela abana seu amado
com um batedor de cauda de iaque e desfruta de passatempos deliciosos
com ele, nesse momento é apropriado apresentar deçévaräòé räga.
¥ Ì · þÍtÌ ˜Ì¡ô ÷ ™ ̲̘ÌÕœâú ˜Ìzù ?? ̘ÌÙ ?? ÌÍ ?? ÌŒÌÌ ™ Ì * ² •
ÙòhõÍtÌ FÙò²ÌÙ˜ÌÍ ?? ?? ÌÌ ™ Ì * ²ÌÍLÌ

²ÌÕzùÍtÌ tÌ ¥ Ì Í ¥ Ìœú · âþ ¥ Ì ?? ̘ÌÌ¡ô ÷ Õ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 2 *

zù · þÍtÌ Í¨Ì̜ͨú˜Ì ™ ÌÜLÌ⠘̜úsÌ˜Ì ?? ÌÙFòœ ÷ ÌâÍtÌ *

?? ÌtÌÍtÌ ˜Ìzù ?? ÌÍ ¥ ÌͨÌLÌâ Í ¥ Ì¡ô ÷ ?? ÌÍtÌ Í ¥ ÌFò¡ô ÷ tÌœ ÷ Ìâ% ÍtÌ * ²ÌÍLÌ0
*3*

Œ ¥ Ì ?? ÌÍtÌ ˜ÌŒÌÙ ?? ̲̘ÌÜ · âþ ¬Ì ¥ Ìs̘ÌÍ ?? ÌzùŒÌÌÍtÌ *

˜Ì ?? ÌÍ²Ì ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌÍ ¥ Ìœú · âþ Í ?? ÌÍ¨Ì Í ?? ÌÍ¨Ì ?? û`̘ÌÙ ?? Ì ™ ÌÌÍtÌ *


²ÌÍLÌ0 * 4 *

¥ ̲ÌÍtÌ Í ¥ ÌÍ ?? Ì ?? ÌÍ ¥ ÌtÌÌ ?? Ìâ t ™ Ì`ÌÍtÌ ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌŒÌÌ˜Ì *

¡ÙôlöÍtÌ ŒÌœ ÷ ÍsÌ¨Ì ™ Ì ?? Ìâ –Ì · Ùþ Í ¥ Ì¡ô ÷ ?? ÌÍtÌ tÌ ¥ Ì ?? ÌÌ˜Ì * ²ÌÍLÌ0


*5*

-þÍÌsÌÍt̡̥ôFòÍ÷ ͲÌtÌâ¥Ì`Ì ™??Ìzâù* ¥ Ìâ Í ¥ Ìœú ·

˜Ì ?? ÌÍ²Ì œú — ̲ÌÍ ¥ Ì — Ì ¥ Ìâ · þÍœú ?? ûzù ™ ÌtÌÙ ²ÌÙFßòtÌâ ?? Ì *


²ÌÍLÌ0 * 6 *
Çré Geta- govinda

Verso 2

vahati malaya-samére madanam upanidhäya sphuöati

kusuma-nikare virahi-hådaya-dalanäya

sakhi! sédati tava virahe vanamälé ( refrão) (1)

Tradução

“Meu querido amigo Rädhä, a brisa da Malásia sopra lentamente, apenas


para encharcar todos com vontade de amour. Variedades de flores estão se
abrindo e abrindo os corações de amantes solitários. Nesta época
provocante de primavera, o apaixonado K Ša se sente taciturno por estar
separado de você. ”

Comentário

o sakhé informa Rädhä: “Ó amigo, nesta temporada de Vasanta, o


movimento suave da brisa da Malásia causa dor aos amantes
desamparados. Uma infinidade de flores desabrocha para partir seus
corações, despertando sentimentos românticos. Kåñëa fica totalmente
abatido sem você, então por que não ir ao seu encontro? "

Ao se referir a Kåñëa como Vanamälé, "aquele que usa uma guirlanda de


flores da floresta", o sakhé sugere que, “Ele mal está vivo. Como ele vive?
Apenas usando uma guirlanda feita por suas mãos. ”

Verso 3

dahati çiçira-mayükhe maraëam anukaroti patati

madana-viçikhe vilapati vikalataro 'ti

sakhi! sédati tava virahe ... ( 2)

Tradução

“O luar o queima quando ele se aproxima da beira da morte. Seu coração é


perfurado por flores que caem das árvores como as flechas de K € madeva.
Ele lamenta amargamente sua condição miserável. ”
115566

Ato Cinco

Comentário

“O luar não pode esfriar Vanamälé quando ele está aflito com saudades de
você. Ele sente que a morte personificada está diretamente presente. As
chamas parecem emanar da lua e colocá-lo em chamas. K Ša está se
comportando exatamente como uma pessoa que está prestes a morrer.
Quando folhas e flores caem das árvores, ele sente que K € madeva está
atacando seu coração com flechas. Kåñëa está reclinado em um canteiro de
flores como se fosse um canteiro de flechas e chora, dominado pela tristeza.

Verso 4

dhvanati madhupa-samühe Çravaëam apidadhäti manasi valita-virahe niçi


niçi rujam upayäti

sakhi! sédati tava virahe ... ( 3)

Tradução

“Ele cobre os ouvidos com as mãos quando ouve o zumbido de abelhas.


Todas as noites ele espera conseguir sua companhia, mas fica desapontado.
Sua enfermidade aumenta à medida que ele continua suportando a tortura
da separação, dia após dia. ”

Comentário
“Embora enxames de abelhas zumbam nas quatro direções, esse som não é
agradável para K Ša. Em vez disso, ele irrita fortemente seus ouvidos,
então ele tenta bloqueá-los com as mãos. Toda noite ele pensa que você
está ao seu lado, mas quando ele percebe que você não está realmente lá,
sua tristeza se intensifica. Consumido pela solidão, ele está simplesmente
se debatendo. Ele se revira incessantemente quando se deita para descansar.

Neste versículo, o sakhé descreveu vipralambha-uddépana-vibh € va.

115577

Çré Geta- govinda

Verso 5

vasati vipina-vitäne tyajati lalita-dhäma

luöhati dharaëi-çayane bahu vilapati tava näma

sakhi! sédati tava virahe ... ( 4)

Tradução

“Ele abandonou seu próprio quarto encantador para residir na floresta. Em


vez de viver confortavelmente em casa, ele rola no chão, repetidamente
chamando seu nome, 'Rädhä! Rädhä! '”
Comentário

o sakhé diz: “R € dh €, em separação de você, ®r… K Ša desistiu de residir


em sua própria residência encantadora. Ele prefere ficar sob o dossel da
selva. Ele não dorme mais na cama. Ele deita no chão, onde passa a noite
inteira rolando e chamando seu nome, 'Rädhä! Rädhä! '”

Verso 6

bhaëati kavi-jayadeve viraha-vilasitena

manasi rabhasa-vibhave harir udayatu sukåtena

sakhi! sédati tava virahe ... ( 5)

Tradução

Esta canção de ®r… Jayadeva está cheia da ansiedade de separação de K


Ša. Como resultado da piedade infundida por esta canção, aqueles que a
recitam alcançam uma imersão insuperável nos passatempos da separação.
Que ®r… K Ša se manifeste em seus corações.

Comentário

O poeta Çré Jayadeva afirma que os recitadores e público da décima


canção, intitulada Garuòapada, irá acumular imensa piedade ( sukåti).
Consequentemente
115588

Ato Cinco

Os passatempos de separação de Çré Hari irão enriquecer seus corações


com entusiasmo constante. Que Bhagav € n apareça nos corações daqueles
que desejam ardentemente rasa.

Este poema também pode ser cantado em kedära räga.

Kåñëa é de Rädhä pranaanatha - ela sente que os pés de lótus dele deveriam
estar ruins

enviada com a lâmpada de dez milhões de seus próprios pranas. Portanto,


assim que ouviu sobre seu estado de lamentação, ela desmaiou e caiu no
chão inconsciente. Então ela sakhé ficou em silêncio; ela não conseguia
falar mais uma palavra. Por esse motivo, essa música foi concluída em
apenas cinco versos.

Verso 7

€ ÌÜ ¥ ÌË ™ ÌwÌ ²Ì˜ÌÉ t ¥ Ì ™ ÌÌ œ ÷ ÍtÌ ?? ÌtÌâœ

̲ÌÌÍzùtÌÌ: ͲÌ} ù ™ ̲ÌÆ tÌѲ˜Ì N Ìâ ¥ Ì Í ??

ÌFÙògÌ˜Ì ?? ˜ÌyÌ˜Ì · þÌtÌÕyÌä ?? ÌÙ ?? ̘ÌÌÊŒÌ ¥ Ì: * Œ ™ ÌÌ ™ Ìɲt ¥


Ì̘ÌÍ ?? ̨ÌÉ `Ì ?? Ì -÷ÌÜÕœú˜™Ì²t—¥ Ì̘ÌßtÌÉtFÙòZÌFÙò˜¥ÌÌe\ —ôÍtÌÌÍ
*??7 *Ì — ÌÊœú ?? Ìœ

pürvaà yatra samaà tvayä rati-pater äsäditäù siddhayas

tasminn eva nikuïja-manmatha-mahä-tér o punar mädhavaù dhyäyaàs tväm


aniçaà japann api tavaiväläpa-manträvaléà

bhüyas tvat-kuca-kumbha-nirbhara-parérambhämåtaà väïchati

Tradução
“Em um ótimo lugar de peregrinação - um caramanchão de floresta isolado
- M € dhava alcançou previamente as perfeições ( siddhis) de K € madeva,
a fim de cumprir seus desejos de abraçar. Ele sempre medita em você
naquele lugar sagrado para alcançar aqueles siddhis. Constantemente
proferindo o mantra de suas conversas românticas anteriores com você, ele
faz um desejo de atingir o néctar da liberação no profundo abraço de seus
seios de jarro. ”

Comentário

Depois disso, o sakhé Aspergiu a água refrescante das qualidades de K Ša


sobre Rādhā para trazê-la de volta à consciência. Então ela começou a
descrever Rädhä como

115599

Çré Geta- govinda

uma heroína que embarca em uma jornada para se encontrar com seu
amante ( abhisärikä näyikä).

Ela deseja agradar a Rädhä convencendo-a de que o coração de Mädhava


busca refúgio somente nela.

"Ó Rädhä, na morada sagrada de Cupido, um bosque isolado, Mädhava


atingiu os grandes

poderes místicos de kama, como o néctar de beijar e abraçar você. Ele


deseja alcançar o mesmo siddhis

hoje de novo.
“O abraço firme de seus seios de jarro é néctar e a água daquele sagrado
local de peregrinação ( mahä-tértha) também é néctar. Ele está hospedado
na casa de Kämadeva

mahä-tértha, meditando em sua forma e qualidades.

“Dia e noite ele pronuncia o mantra de suas conversas românticas passadas


com você. Uma perfeição mística só é alcançada cantando um mantra e
meditando em um lugar isolado diante de uma divindade. Kåñëa deseja
alcançar Kamasiddhi em sua presença na forma de sua satisfação no kama-
tértha dos bosques isolados da floresta. Você é a divindade do bosque do
prazer. Sua réplica amorosa tornou-se o mantra para alcançar k € ma-
siddhi. Por este mantra, ele quer atingir a ambrosia na forma de abraçar
fortemente seus seios altamente protuberantes como um jarro. ”

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e kävyaliìga alaìkära.


116600

S CENE E LEVEN

Canção 11

O modo musical é gurjaré raga. O ritmo é ekatälé täla.

™ ÷ Ít̲ÌÙL̲ÌÌœâú OÌt̘ÌÍ — ̲ÌÌœâú ˜Ìzù ?? Ì˜Ì ?? ÌÌâ · þœú ¥ Ìâ s


̘ÌÆ * ?? Ì FÙò ?? û Í ?? ÌtÌј – ÌÍ ?? Ì OÌ˜Ì ?? ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ˜ – Ì

Ì˜Ì ?? Ìٲ̜ú tÌÉ Àþzù ™ Ìâ¨Ì˜ÌÆ * ŒÌÕœú²Ì˜ ÌÕœâú ™ ̘ÌÙ ??


ÌÌtÌÕœâú ¥ ̲ÌÍtÌ ¥ Ì ??

ÌÕ ?? Ì ?? Ì ™ ÌÌâŒÌœú ?? ÌÍœú²Ìœú˜ÌzÊù ?? ÌZÌfÌ¡ô ÷ Fòœú ™


ÌÙǪÌÌ¡ô ÷ Õ * D ÌÙ ¥

?? Ì̘̲̘ÌâtÌÉ Fßòt̲ÌSâótÌÉ ¥ ÌÌzù ™ ÌtÌâ ˜ÌßzÙù ¥ ÌâsÌÙ˜ÌÆ *

-÷Ì t̘ÌÍ·Ùþ??˜Ì ??ÌœâúsÌÙ˜ÌÆÌÙtÌâ?? ??*ŒÌÕœú0ÌÙtÌâtÌ ??*9


ÌÙ²ÌWótÌ* ?? Ì ¥ Ì ?? ÌZÌÍ¡ô

?? ÌtÌÍtÌ ?? ÌtÌwÌâ Í ¥ ÌZÌ¡ô ÷ ÍtÌ ?? ÌwÌâ ¨ÌÍSótÌ — Ì ¥ ÌzÙù ?? Ì ™ ÌÌ ??


̘ÌÆ *

œúZÌ ™ ÌÍtÌ ¨Ì ™ Ì ?? ÌÉ ²ÌZÌÍFòtÌ ?? Ì ™ Ì ?? ÌÉ ?? ̨ ™ ÌÍtÌ tÌ ¥ Ì ?? Ì ??


yÌÌ ?? ̘ÌÆ * ŒÌÕœú
˜ÌÙLÌœú˜ÌŒÌÕœÉú t ™ Ì`Ì ˜ÌgÌÕœÉú Íœú ?? ÌÙÍ˜Ì ¥ Ì FâòÍ¡ô ÷ s ÌÙ ¡ô ÷
Ìâ¡ô ÷ ˜ÌÆ *

ZÌ¡ô ÷ ²ÌÍLÌ FÙògÌÉ ²ÌÍtÌ̜͘ú ?? ÌÙgÌÉ ¨ÌÕ¡ô ÷ ™ Ì ?? ÌÕ¡ô ÷ Í ?? ÌZÌÌâ¡ô


÷ ˜ÌÆ * ŒÌŒÌœú0 *

= œ ÷ Í²Ì ˜ÌÙœ ÷ Ìœâú ?? û ?? ÌÍ · þtÌ · þÌœâú QÌ ?? Ì <¥ Ì tÌœú¡ô ÷ –Ì¡ô ÷


ÌFâò *

tÌÍn ÷ Ízù ¥ Ì ?? ÌÕtÌâ œ ÷ ÍtÌÍ ¥ Ì ?? Ìœ ÷ ÕtÌâ œ ÷ Ì`ÌÍ²Ì ²ÌÙFßòtÌÍ ¥ Ì ??


ÌÌFâò * ŒÌÕœú0 * 12

Í ¥ ÌOÌÍ¡ô ÷ tÌ ¥ Ì²Ì ?? ÌÉ ?? ÌÍœúÀþtÌœú²Ì ?? ÌÉ QÌhõ ™ Ì `ÌQÌ ??

̘ÌÍ ?? ÌŒÌÌ ?? ̘ÌÆ * ÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ì¨Ì ™ Ì ?? Ìâ ?? ÌSó`Ì ?? Ì ™ Ì ?? Ìâ Í ??


ÌÍŒÌÍ˜Ì ¥ Ì · þ s ÌÊÍ ?

·™ÞÍœúœÌ˜ÌÍ?? ÷Ì ™Í—ÌÌÍtÌ̘ÌÍ ??¥ÌœÌÕ÷œú`ÌÍÌÌ̘ÌÆ??* ÌÍœúzùÌ ?? ÌÕ͘Ì

FÙò ?? û ˜Ì˜Ì ¥ ÌZÌ ?? ÌÉ ²Ìt ¥ ÌœúœúZÌ ?? ÌÉ ?? ÌÜœú ™ Ì ˜ÌŒÌÙÍœú ??


ÌÙFò̘̘ÌÆ * ŒÌÕœ

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ìâ FßòtÌ · þÍœú²Ìâ ¥ Ìâ —ÌsÌÍtÌ ?? Ìœú˜Ìœú˜ÌsÌÕ ™ ̘ÌÆ *

p ̘ÌÙÍzùtÌÀþzù ™ ÌÉ · þÍœú˜ÌÍt̲Ìzù ™ ÌÉ ?? ̘ÌtÌ ²ÌÙFßòtÌFò˜Ì ?? ÌÕ ™


̘ÌÆ * ŒÌÕœú0 * 15

Çré Geta- govinda

Verso 8

rati-sukha-säre gatam abhisäre madana-manohara-veñam

na kuru nitambini gamana-vilambanam anusara taà hådayeçam

dhéra-samére yamunä-tére vasati vane vanamälé péna-payodhara-parisara-


mardana-caicala-kara-yuga-çälé
(refrão) (1)

Tradução

"Vanamälé Kåñëa é adornado com uma guirlanda de flores da floresta e


suas mãos estão sempre inquietas para infligir dor aos gopés ' seios. Ele
está atualmente esperando em um caramanchão na floresta na suave costa
de Yamunä varrida pelo vento da Malásia. Ó jovem com quadris
voluptuosos, K Ša está esperando no ponto de encontro designado, que é
um cenário perfeito para fazer amor. Ele está vestido com as roupas mais
fascinantes, exatamente como o deus da sensualidade. Vá e encontre a
querida do seu coração de uma vez. Você não deve atrasar mais. ”

Comentário

Incentivando Rädhä a embarcar em seu caminho para encontrar Kåñëa, o


sakhé diz: “Ó jovem com excelentes quadris largos! Seu ritmo já está
desacelerado pelo peso de seus quadris, então agora não há necessidade de
procrastinar mais e se atrasar para o encontro. Vá rapidamente para que
você alcance o local de encontro designado logo após a chegada de Krsna.
Nele você encontrará a essência da euforia sensual. O dono do seu coração,
Vanamälé Kåñëa, vestido como Madana, já chegou e está ansioso por sua
chegada. ”

Qual é a especialidade desse ponto de encontro? "Existe um vetasé floresta


na margem de Yamunä, onde o ar que vagueia lentamente quase se torna
estacionário. Embora a floresta seja densa e isolada, essa brisa suave é tão
agradável na hora do amor. K Ša está vestido para o amor e partiu para
abhisära. ”

Para sair para um encontro em uma noite de luar, depois de decorar e


vestir-se adequadamente para a ocasião, é chamado abhisära.
116622

Ato Cinco

“Sem a menor demora, vá imediatamente e encontre Vanamälé naquele


caramanchão isolado na floresta.”

Verso 9

n € ma-sametaà kita-sa ketaà v € dayate mdu-ve Šum

bahu manute nanu te tanu-saìgata-pavana-calitam api reëum

dhéra-samére yamunä-tére ... ( 2)

Tradução

“Ó Rädhä, ele está tocando suavemente sua flauta, como se estivesse


chamando seu nome. Ele se considera imensamente afortunado por ser
tocado por tantas partículas de poeira que tocaram seu corpo pela primeira
vez. Quando eles vêm a ele na brisa, ele os recebe com a maior honra. ”

Comentário

o sakhé está garantindo a Rädhä: “Se você não tem fé em minhas palavras,
apenas ouça o som da flauta de K Ša vindo daquele mesmo lugar. A flauta
está cantando seu nome. É o sinal pelo qual K Ša está chamando você para
encontrá-lo e também mostrando o caminho para chegar lá. Se você está
em dúvida e pensa: 'Com certeza serei enganado quando chegar. Ele deve
ter ido lá para se encontrar com outro amante, 'então a sua dúvida é
infundada porque ele até considera os grãos de areia levantados pelos seus
pés como joias valiosas. Ele os recebe com grande respeito quando eles
vêm a ele na brisa. ”
116633

Çré Geta- govinda

Verso 10

patati patatre vicalati patre çaìkita-bhavad-upayänam racayati çayanaà


sacakita-nayanaà paçyati tava panthänam

dhéra-samére yamunä-tére ... ( 3)

Tradução

“Enquanto K Ša arruma a cama com alegria, ele tem muitas visões internas.
Quando um pássaro pousando em uma árvore farfalhar as folhas e fazer o
menor som, Kåñëa olha com olhos assustados ao longo do caminho de sua
chegada. ”

Comentário
o sakhé informa Rädhä: “Assim que um ruído insignificante de farfalhar
vem de folhas caindo, movimentos do ar ou pássaros indo e vindo nas
árvores, Kåñëa se enche de expectativa: 'Talvez Rädhä esteja chegando.'
Com alegre entusiasmo, ele se ocupa em decorar rapidamente a cama e
olha para o caminho de sua chegada com olhos assustados. ”

Versículo 11

mukharam adhéraà tyaja maïjéraà ripum iva keliñu lolam cala sakhi kuïjaà
satimira-puïjaà çélaya néla-nicolam

dhéra-samére yamunä-tére ... ( 4)

Tradução

“ Sakhi, ir! Mova-se na direção disso Kuïja. Tire esses inimigos perigosos,
seus sinos de tornozelo. Eles falam alto quando você anda e tremem
quando você gosta de união. Vista esta vestimenta azul escura. ”

Comentário

o sakhé diz: "Ó Rädhä, o momento apropriado para abhisara veio porque
está escuro. Abhisärikä heroínas encontram seus amantes no escuro. Então
parta para isso

116644

Ato Cinco
bosque secreto da floresta na escuridão. Meu caro amigo, remova esses
sinos de tornozelo. Eles são seus inimigos porque são muito inquietos. Eles
informam os outros fazendo barulho onde quer que você ande e também se
tornam falantes durante sua brincadeira de amor. Como inimigos, eles
abrem a boca sem entender a natureza da ocasião. Esses sinos são
desfavoráveis para a obtenção da perfeição desejada. Agora vista suas
roupas azuis. O véu desta vestimenta azul fará com que sua tez clara se
torne um com a escuridão (ou um com ®y € ma) e oculte sua jornada. ”

Versículo 12

urasi murärer upahita-häre ghana iva tarala-baläke taòid iva péte rati-
viparéte räjasi sukta-vipäke

dhéra-samére yamunä-tére ... ( 5)

Tradução

“Ó Rädhä, sua pele está amarela como um relâmpago. Você manifestará a


beleza de um raio inquieto e torto de relâmpago sobre uma nuvem escura
quando o resultado de suas atividades piedosas culminar em fazer amor no
peito de Kåñëa, que está decorado com um colar de joias. ”

Versículo 13

vigalita-vasanaà parihta-rasanaà ghaöaya jaghanam apidhänam kisalaya-


çayane paìkaja-nayane nidhim iva harña-nidhänam

dhéra-samére yamunä-tére ... ( 6)

Tradução
“Ó Rädhä de olhos de lótus azuis, esteja nu e sem a corrente da cintura.
Estabeleça a joia preciosa de suas coxas, a personificação da feliz
realização de seu amante, em uma cama de folhas recém-germinadas. ”

116655

Çré Geta- govinda

Comentário

No versículo anterior, o sakhé despertou a impaciência de Rädhä por


viparétarati, união em que a heroína desempenha o papel dominante e se
diverte ativamente na posição superior. Agora, neste versículo, o sakhé
desperta a ânsia de Rädhä de experimentar a brincadeira do amor
ativamente executada por K Ša. “Ó Rädhä, seus olhos são tão cativantes
quanto flores de lótus. Quando você vê como K Ša é dez milhões de vezes
mais arrebatador do que o deus do amor apaixonado, o pano que cobre seus
quadris escorregará sozinho. Os minúsculos sinos presos ao cinto serão
deixados de lado. Então você deve situar o receptáculo da bem-
aventurança, o arranjo para a felicidade de ®r… K Ša, esta joia preciosa de
seus quadris, no canteiro de flores feito por K Ša. ”

Verso 14

harir abhimäné rajanir idäném iyam api yäti virämam

kuru mama vacanaà satvara-racanaà püraya madhuripu-kämam


dhéra-samére yamunä-tére ... ( 7)

Tradução

“Agora ®r… K Ša está sendo teimoso. O último período da noite está


prestes a passar, então aceite meu conselho. Vá imediatamente, sem mais
demora, e cumpra os desejos de K Ša, o inimigo de Madhu. ”

Comentário

o sakhé diz: "Kåñëa tem vontade própria." O significado implícito é: “O


coração e a mente de K Ša estão em conflito um com o outro. Ele está
tentando muito apaziguá-lo, então não se preocupe se ele se encontrar com
outra pessoa. Em relação a ele ser obstinado, é notável que, apenas para
proteger a própria dignidade, ele não pôde vir até você e, por outro lado,
também não pode abandoná-lo. O que quer que você tenha que fazer
depois, por que não fazer agora? A noite está passando e a oportunidade de
se encontrar será perdida. Portanto, aceite meu conselho - vá até K Ša
imediatamente e realize seus desejos. ”

116666

Ato Cinco

Verso 15

Çré-jayadeve kta-hari-seve bhaëati parama-ramaëéyam pramudita-hådayaà


harim ati-sadayaà namata sukta-kamanéyam
dhéra-samére yamunä-tére ... ( 8)

Tradução

€ santos! Kåñëa é exuberante, sem causa misericordiosa,


excepcionalmente doce, virtuoso e adornado com todas as qualidades
desejáveis. Ofereça reverências a ele com um coração alegre, recitando esta
canção de Çré Jayadeva, o compositor da poesia mais encantadora e o
servo de Çré Hari.

Comentário

O poeta ®r… Jayadeva conclui: “Ó devotos de Bhagav € n, uma pessoa


que permanece eternamente absorta no serviço a K Ša compôs esta
conversa cativante. Portanto, K Ša está eternamente satisfeito com isso.
Que todos vocês possam oferecer reverências com o coração alegre ao
adorável ®r… K Ša, que é um oceano de misericórdia. Ele se torna o
objeto dos desejos de todos, concedendo-lhes seu próprio sphürti, ou visão
interna de seus passatempos deliciosos. ”
116677

Çré Geta- govinda

Versículo 16

( ¥ ÌÍFòœ ÷ ÍtÌ ˜ÌÙ · Ùþ: «Ì̲ÌÌ ?? Į̀ÌÌ: ?? ÌÙœ ÷ Ìâ ˜ÌÙ · Ùþœ ÷


ÕKÌtÌâ p ÌÍ ¥ ̨ÌÍtÌ ˜ÌÙ · Ùþ: FÙògÌÉ OÌÙgÌ ?? ˜ÌÙ · Ùþ

– ÌÊ · Ùþ tÌ̘ ™ ÌÍtÌ * œúZÌ ™ ÌÍtÌ ˜ÌÙ · ÙÌ: ¨ÌÌ ™™

ÌÌÉ ?? ÌÙ¡ÉF Ùþœ ÷ ÕKÌtÌâ ˜Ìzù ?? ÌFòzù ?? ÌIòÌ ?? tÌ: FòÌ ?? tÌâ Í p Ì ™
̲t

vikirati muhuù çväsän äçäù puro muhur ékñate

praviçati muhuù kuïjaà guïjan muhur bahu tämyati racayati muhuù çayyäà
paryäkulaà muhur ékñate

madana-kadana-kläntaù känte priyas tava vartate

Tradução

"Ó mulher apaixonada, seu amado Kåñëa está esperando por você na
câmara oculta de um Kuïja e ele está ardendo de desejo amoroso. Ele
respira fundo e olha em volta com olhos assustados. Lamentando
repetidamente em palavras indistintas, ele sai do caramanchão de videiras
em flor e volta novamente desapontado. Em seguida, ele continua a
organizar e reorganizar o canteiro de flores e olhar para o caminho de sua
chegada prevista. ”

Comentário

De maneiras diferentes, o amigo de Rädhä a está incentivando a se


encontrar com K Ša, informando-a de sua condição. “Kåñëa está infeliz
sem você porque sente a dor da falta de satisfação kama. 'Você já deveria
estar aqui', ele pensa, e respirando fundo, ele solta longos suspiros de
decepção. Às vezes ele sai do Kuïja e olha em volta com expectativa em
todas as direções, esperando ver a direção de onde você pode estar vindo.
Então ele entra no Kuïja

de novo, pensando: 'Você já veio aqui e se escondeu em algum lugar? Às


vezes vou para fora, às vezes volto para dentro. Por que eu deveria fazer
isso de novo e de novo? ' Ele murmura coisas diferentes para si mesmo
enquanto pondera sobre a causa de sua ausência. 'Ela não veio. Por que
não? Talvez ela tenha parado no caminho por algum motivo ou talvez
esteja com medo. Enfim, todas essas suposições e

116688

Ato Cinco

a especulação é inútil. Ela definitivamente virá. ' Quando essa convicção


surge, ele começa a preparar a cama. ”
A palavra kadana implica que K Ša pensa: “Ela definitivamente virá por
causa de seu amor sempre renovado e crescente por mim”. Portanto, ele
espera sua chegada com otimismo renovado.

Este versículo inclui dépaka alaìkära. o Chanda é hariëé.

Verso 17

t ¥ ̈ù̘ ™ Ìâ ?? Ì ²Ì˜ÌÉ ²Ì˜Ì g ̘̌ÌÙ ?? ÌÌ

ÍtÌO˜ÌÌɨÌÙœú²tÌÉ OÌtÌÌâ OÌÌâÍ ¥ Ì ?? zù² ™ Ì ˜Ì ??

ÌÌâœúyÌâ ?? Ì ZÌ ²Ì˜ÌÉ p ÌÌ ?? ÌÉ t̘Ì: ²ÌÌ ?? ‡ ùtÌ̘ÌÆ * FòÌâFòÌ ?? ÌÌÉ Fò ??


ûs̲ ¥ Ì ?? Ìâ ?

tÌ ?? ˜ÌÙOŒÌâ Í ¥ Ì • ò¡Éô Í ¥ Ì¡ô ÷ ˜ – Ì ?? ̘̲ÌÌæ œú˜ ™ ÌÌâ% Í —


̲ÌÌœúKÌsÌ: * 17 *

tvad-vämyena samaà samagram adhunä tigmäàçur astaà gato govindasya


manorathena ca samaà präptaà tamaù sändratäm kokänäà

karuëa-svanena sadåçé dérghä mad-abhyarthanä tan-mugdhe viphalaà


vilambanam asau ramyo 'bhisära-knaëaù

Tradução

“Junto com seu humor contrário, o sol também se pôs. Junto com o desejo
de K Ša, a escuridão também se intensificou. Como o choro contínuo do
solitário

cakraväka pássaro, que se lamenta em tons patéticos durante a noite, meu


pedido também se tornou

inútil. Ó confuso, eu tenho implorado a você por um longo tempo. Agora é


inútil demorar mais. O

momento delicioso para abhisara


chegou."

Comentário

“Ó Rädhä, este é um momento adequado para você ir ao seu amado.


Impotente impotente por sua natureza contrária, você ficou indignado e se
recusou a ir a qualquer lugar. Mas agora seu ressentimento baixou junto
com o sol, então não há obstáculos para impedir seu encontro. Conforme a
densidade da escuridão da noite cresceu,

116699

Çré Geta- govinda

o mesmo aconteceu com o desejo ardente de Govinda por seu amor. À


noite, o masculino e o feminino

cakraväka os pássaros estão distantes uns dos outros, então eles também
soltam longos gritos lamentáveis de agonia devido a sentimentos
excessivos de separação. Como os gritos sustentados do cakraväka
pássaros, meus pedidos para que vocês se encontrassem com K Ša foram
em vão. Ó menina ingênua, não perca esta oportunidade. Agora é o
momento ideal para abhisära.

A escuridão é impenetrável. Seu querido está ansioso por você. Agora não
demore a pretexto de vestir-se e decorar-se. Faça isso rapidamente."

Este versículo apresenta sahokti alaìkära e çärdüla-vikréòita chanda.

Versículo 18
+ÌLÌÌâ̪âô ¢÷ âôLÌÌzùs???ÌÙÌÙZÌÙ˜²¥ ÌÌ– ?Ì??tÌ`Ìzù- ?? ÌÙ ??

p ÌÌâ‚ùÌâŒÌÌzù ?? ÌÙ ²Ì˜ B̃ ̘ÌÌzù ?? ÌÙ œútÌÌœú˜ — ÌÌzù ?? ÌÙ p ÌÕtÌ ™ ÌÌâ:


*

+ ?? ™ ÌÌyÌË OÌtÌ ™ ÌÌâ B ÌʘÌÌÑ ?? ˜ÌÍ¡ô ÷ tÌ ™ ÌÌâ: ²Ì˜ — ÌÌ s ÌsÌæ`ÌÌÊ ??


ÌtÌÌâzÊù˜ ?? Ìt ™ ÌÌâÍœú · þ FòÌâ ?? Ì FòÌâ ?? Ì t̘ÌÍ²Ì v ÌÕn
÷ ÌÍ ¥ Ì̬͘ÌÌâ œú²Ì: * 18 *

äçleñäd anu cumbanäd anu nakhollekhäd anu sväntaja-

prodbodhäd anu sambhramäd anu ratärambhäd anu prétayoù anyärthaà


gatayor bhramän militayoù sambhäñaëair jänator

dampatyor iha ko na ko na tamasi vr… Š-vimiçro rasaù

Tradução

“Quando um herói e uma heroína se procuram na escuridão densa, o herói


se encontra com outra heroína e sua heroína se encontra com outro herói
por engano. Só quando começam a conversar é que percebem seu erro.
Depois de se reconhecerem, eles se abraçam. No começo eles se beijam e
depois começam a marcar um ao outro com as unhas. Quando ficam
completamente dominados pelos desejos eróticos e absorvidos pela paixão,
eles perdem a compostura e começam a brincar de amor com entusiasmo.
Depois de fazerem amor, ambos sentirão um tipo surpreendente de afeto.
Que tipo de rasa, misturado com sentimentos de vergonha, não será
alcançado nesta escuridão? Portanto, ó bela,

117700
Ato Cinco

ir! O mais rápido possível, vá para sua câmara de amor silvestre. Essas
excelentes oportunidades devem ser negligenciadas? ”

Comentário

o sakhé é uma tentação para Rädhä. “Ó amigo, Rädhikä, quando você


chegar lá e se encontrar com Kåñëa, você descobrirá uma variedade de
jogos amorosos fascinantes.” Com essas palavras, ela aumenta a ansiedade
de Rädhä e expressa o desejo acalentado de ambos.

“Quando a escuridão cai, um herói e uma heroína saem para encontrar seus
respectivos amantes, mas em vez disso se encontram. Naquela época, eles
percebem o gosto do êxtase erótico misturado com sentimentos de
vergonha ( vr… Š-mi… rita… å g € ra-rasa). Então o que rasa continua a
ser alcançado? Todos os tipos de rasa estão incorporados neste

vr… ã-mi… rita rasa. ”

A palavra Bhramät é interpretado assim: "Eles se encontram enquanto


vagam na direção do Kuïja e só passam a se reconhecer depois de
conversarem na escuridão densa. Alternativamente, eles podem ter
estabelecido outros propósitos e então se encontrado por acaso ao longo do
caminho. Eles se reconhecem no decorrer da conversa pela articulação
quebrada que se segue sättvika-bhäva.

Assim que entendem a situação real, eles repentinamente se abraçam, mas


ambos continuam com medo de que alguém os veja. Portanto
bhayänakarasa emerge, do qual o medo é o sthäyibhäva. Embora o herói
seja repetidamente proibido de fazê-lo, ele beija e morde sua amada à força.
Além disso, ele lamenta: 'Será que me dei tanto trabalho por nada? Mesmo
que ela me proíba cem mil vezes, não vou aceitar não como resposta. Então
seu coração derrete com compaixão e ele alcança karuëa-rasa.
“Quando eles começam a se arranhar com as unhas para estimular seu
apetite sensual, o sthäyibhäva é utsäha ( resolver).

“Agora eles estão prestes a fazer amor. Nesta brincadeira de amor, eles
experimentam a felicidade de vismaya-pradhäna adbhuta-rasa ( espanto).
Quando kama

surgiu, eles se entregam a uma variedade de esportes sensuais enquanto


riem e falam palavrões uns com os outros. Enquanto absorto em rati-kréòä,
ambos sentem häsya-rasa

(humor). Finalmente, quando sua relação sexual está totalmente concluída e


eles sentem

117711

Çré Geta- govinda

felicidade mútua, então eles percebem a doçura do imperador supremo de


todos

doçuras, rasa-r € ja Šå g € ra-rasa.

“Desta forma, quando um herói e uma heroína se encontram


involuntariamente no escuro, a princípio eles não se reconhecem. Quando o
fazem, ambos ficam com vergonha, mas não culpam um ao outro nem
ficam com raiva porque ambos são culpados. Então, na escuridão densa,
eles experimentam tudo rasas misturado com vergonha. Rädhä, você se
sentirá envergonhado, 'Oh, acabamos de nos conhecer, então por que de
repente ficamos imersos em tal profundidade Çåìgära-rasa? '”

Cauryarata krama, toda a sequência de prazer sexual secreto foi explicada


por Bharata Muni:
äçleña-cumbana-nakha-kñata-käma-bodha-

çéghratva-maithunam ananta-sukha-prabodham

prétis tato 'pi rasa-bhävanam eva käryam

evaà nitäntanaturäù suciraà ramante

o alaìkäras chamado dépaka, samuccaya e Bhräntimän são notáveis


neste versículo. o Chanda é çärdüla-vikréòita.

Versículo 19

²Ì — Ì ™ ÌZÌÍFòtÌÉ Í ¥ Ì ?? ™ ̲ ™ Ì ?? tÌÖ ‹ù¨ÌÉ ÍtÌ̜͘âú ?? ÌÍyÌ p


ÌÍtÌtÌ ?? û ˜ÌÙ · Ùþ: ѲyÌt ¥ ÌÌ ˜Ì ?? zÉù ??

ÌzùÌÍ ?? Ì Í ¥ ÌtÌ ?? ¥ ÌtÌÕ˜Ì * Fòy̘ÌÍ ?? Ì œú · þ: p ÌÌ ?? Ì̘ÌWæóœú ??


ÌWótÌœ ÷

²ÌÙ˜ÌÙÍLÌ ²ÌÙ — ÌOÌ: ?? ̨ ™ Ì ?? ²Ì t ¥ Ì̘ÌÙ ?? ÌætÌÙ FßòtÌÌyÌÊtÌ̘ÌÆ *


19 *

sa-bhaya-cakitaà vinyasyantéà dåçaà timire pathi

prati-taru muhuù sthitvä mandaà padäni vitanvatém katham api rahaù


präptäm aìgair anaìga-taraìgibhiù

sumukhi subhagah paçyan sa tvam upaitu krtärthatam


117722

Ato Cinco

Tradução

“Ó bela jovem! Olhando timidamente ao redor com olhares rápidos,


parando perto de cada árvore, então novamente avançando passo a passo ao
longo do caminho escuro, você de alguma forma chegará a um lugar
isolado. Quando o muito afortunado K Ša vê você agitado pelas ondas de
kama, sua vida será um sucesso. ”

Comentário

“Alcançar você significa tudo para K Ša.” Aludindo a isso, o sakhé diz
Rädhä, “Ó incrivelmente bela, quando você sair daqui, você procederá com
grande cautela enquanto caminha por aquele caminho escuro através da
escuridão densa. É natural ter medo no escuro. Por acaso, alguém pode ver
você, por isso também é natural ficar alarmado. 'Na verdade, estou indo
para o local de encontro para me encontrar com K Ša na escuridão
completa.' Isso será surpreendente para você e, ao mesmo tempo, você
também duvidará: 'Quando eu chegar lá, encontrarei Kåñëa ou não?' Seu
corpo se cansa rapidamente com o fardo pesado de seus seios e quadris.
Você fica lânguido demais para andar rapidamente, então pare e espere sob
cada árvore antes de continuar. K Ša considerará sua vida um sucesso
quando vir você chegar ao local de encontro designado nessa condição
debilitada, com as ondas de Ana ì ga tocando seu corpo.

Este versículo é embelezado pelo alaìkära chamado atiçayokti. o Chanda é


hariëé.

117733

Çré Geta- govinda

Verso 20

œ ÷ ÌŒÌ̘ÌÙOŒÌ˜ÌÙLÌÌœ ÷ Í ¥ Ì ?? zù˜ÌŒÌÙ ??

̵Ìæ¡ô ÷ ÌâE ™ ̘ÌÌæÍ¡ô ÷ ²yÌ¡Õ Õ ?? Ìâ ?? Ìy ™ ÌÌâÍZÌtÌ ?? Ìμ¡ô ÷ œúvÌ ˜Ì


¥Ì

É ¥ ÌZ \ ô ?? zÉù v Ì`̲ÌÙ ?? zùœ ÷ Õ`Ì ?? Ì˜Ì ?? ̲tÌÌâ s EU p ÌzùÌâ s


ÌÌâzù ™ Ì: FÉò²ÌŒ ¥ ÌÉ²Ì ?? ÌŒÌܘÌFâòtÌÙœú ¥ ÌtÌÙ t ¥ ÌÌÉ zâù ¥ ÌFòÕ ??
Ì ?? zù ?? Ì:
rädhä-mugdha-mukhäravinda-madhupas trailokya-mauli-sthalé-
nepathyocita-néla-ratnam avané-bhärävatäräntakaù

svacchandaà vraja-sundaré-jana-manas-toña-pradoñodayaù kaàsa-


dhvaàsana-dhümaketur avatu tväà devaké-nandanah

Tradução

Ele é o zangão que bebe o mel do rosto de lótus de Rädhä. Ele é o


ornamento de safira de V ndavana, que é a joia da crista dos três mundos.
Como o anoitecer, ele é naturalmente competente para satisfazer as belas
leiteiras de Vraja. Ele aniquila os empiristas agressivos que sobrecarregam
a terra. Ele é como a estrela Dhümaketu, pressagiando a destruição de
Kaàsa. Que aquele ®r… K Ša, o filho de Devak…, proteja todos vocês.

Comentário

Depois de descrever as emoções de Rädhä-Kåñëa durante a separação, o


poeta retrata o Çåìgära-rasa evocado por seu encontro. Nesse verso, Çré
Jayadeva dá uma bênção aos recitadores e à audiência deste poema.

Mugdha-mukhäravinda-madhupaù - O rosto de Rädhä é como uma flor de


lótus.

Assim como uma abelha frequenta a flor de lótus para beber o néctar de seu
pólen, Kåñëa prova a doçura da face de lótus de Rädhä. Portanto, ele foi
tratado como Mugdha-madhupa, o zangão desnorteado. Esta parte do
versículo indica seus passatempos de encontro.

Trailokya-mauli-sthalé-nepathyocita-néla-ratnaù - Ele é uma safira sobre o

coroa dos três mundos; isto é, ele embeleza os melhores lugares de toda a
criação. A frase nepathyocita significa “um ornamento adequado”.
117744

Ato Cinco

Avané-bhärävantäräntakaù - Quando demônios como Çiçupäla, Dantavakra

e Kaasa nasceu para aumentar o fardo da terra, K Ša apareceu para causar


sua destruição. A palavra antaka significa yama, ou morte personificada. K
Ša é como a morte para aqueles que são um fardo na terra.

Svacchandaà vraja-sundaré-jana-manas-toñodayaù - Kåñëa satisfaz o

corações das belas gopés de Vraja como o crepúsculo. Conforme a lua


nasce no crepúsculo e satisfaz as mulheres, dando-lhes a oportunidade de se
encontrarem com seus amantes, da mesma forma, sem a menor restrição,
Kåñëa encanta os corações dos atraentes gopés e satisfaz seus desejos.

Kaàsa-dhvaàsana-dhümaketuù - Kåñëa, o destruidor do demônio chamado

Kaàsa, é como o cometa Dhümaketu. Dhümaketu é uma estrela em


particular. Quando esta estrela aparece, a destruição iminente do rei é
considerada inevitável. Da mesma forma, a descida de K Ša prenuncia a
destruição de Ka Kasa.

Outro significado de dhümaketu é “aquele que ilumina como o sol”. ®r…


K Ša também é o Dhümaketu que significa a pacificação de ®r… R € dh €
kama.

A etimologia da palavra Pradoña é pragato doñädayaù.

Este versículo inclui o alaìkäras chamado çleña, luptopamä, parikara e


varëopamä. o Chanda é çärdüla-vikréòita e a réti é päïcälé.

O ato cinco descreveu abhisärikä, a condição de uma heroína que embarca


para um encontro secreto.
Kåñëa de olhos de lótus está pronto e esperando pela chegada de Rädhä.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o Ato Cinco de


Çré Géta-govinda, intitulado Äkäìkña-puëòarékäkña.

175

* s ̯ö: ²ÌOÌÊ: *

*ÌæFÙòslö:ŒÌß®õ¥ *
Ato Seis

- dhåñöa-vaikuëöhaù -
O Autocrata Audacioso

Verso 1

™ yÌ tÌÌÉ OÌ ?? tĮ̀٘ÌHòÌÉ ÍZÌœú˜Ì ?? ÌÙœúHòÌÉ ¡ô ÷ tÌÌOÌß · ‹ù °


õÌ * tÌ [ÌÍœútÌÉ OÌÌâÍ ¥ Ì ?? zâ ˜Ì ?? p ÌÌ · þ * 1 *

atha täà gantum açaktäà ciram anuraktäà latä-gåhe dåñövä tac-caritaà


govinde manasija-mande sakhé präha

Tradução

ädhä estava sentado em uma câmara de videiras em flor. Quando o sakhé


viu Rädhä impotente para ir a Kåñëa apesar de desejar ardentemente sua
companhia, ela descreveu a condição de Rädhä para Govinda, que foi ele
próprio infligido física e psicologicamente por transformações de intenso
desejo amoroso.

Comentário

Embora Rädhä estivesse ansiando por K Ša, ela não podia ir até ele porque
estava muito debilitada pelo trauma da separação. Vendo isso, o sakhé
deixou Rädhikä lá na câmara das trepadeiras floridas e foi informar a
Kåñëa sobre a situação de Rädhä.

K Ša sentou-se em estado de depressão, sofrendo de uma paixão frustrada.


Portanto, seus movimentos tornaram-se lentos. O significado de latä-gåha

(4) saìketa-sthala, o local de reunião designado. o Chanda deste


versículo é äryä.
117799

S CENE T WELVE

Canção 12

O modo musical é gu Šakar… raga e o ritmo é rüpaka täla.

?? ̨ ™ ÌÍtÌ ÍzùÍ¨Ì ÍzùÍ¨Ì œú · þÍ²Ì —Ì

é Ì ?? t̘ÌÆ * tÌzùŒÌœú˜ÌŒÌÙœú˜ÌŒÌÜÍ ?? Ì Í ?? Ì – Ì ?? t̘ÆÌ *

ÌÌyÌ · þœâú ²ÌÕzùÍtÌ œ ÷ ÌŒÌÌ ¥ Ì̲ÌOÌß · âþ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 2 *

t ¥ ÌzùÍ — ̲̜úsÌœú — ̲Ìâ ?? Ì ¥ Ì¡ô ÷ ?? tÌÕ *

?? ÌtÌÍtÌ ?? ÌzùÌÍ ?? Ì ÍFò ™ ÌÑ ?? tÌ ZÌ¡ô ÷ ?? tÌÕ * ?? ÌÌyÌ · þœâú0 * 3 *


Í ¥ ÌÍ · þtÌÍ ¥ ̨ÌzùÍ – ̲ÌÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ì ¥ Ì¡ô ÷ ™ ÌÌ *

`ÌÕ ¥ ÌÍtÌ ?? Ìœ ÷ Í˜Ì · þ tÌ ¥ Ì œ ÷ ÍtÌFò¡ô ÷ ™ ÌÌ * ?? ÌÌyÌ · þœâú0 * 4 *

˜ÌÙ · Ùþœú ¥ Ì¡ô ÷ ÌâÍFòt̘Ìsn ÷ ?? Ì¡ô ÷ Õ¡ô ÷ Ì *

˜ÌŒÌÙÍœú ?? ÌÙœú · þ͘ÌÍtÌ —ÌÌ ¥ Ì ?? ̨ÌÕ¡ô ÷ Ì * ?? ÌÌyÌ · þœâú0 * 5 *

t ¥ ÌÍœút̘ÌÙ ?? ÌæÍtÌ ?? Ì Fòy̘ÌÍ — ̲ÌÌœú˜ÌÆ * ·??ÞÍœÌÌyÌ÷


·Íœþœâú0÷ÍtÌ¥*ÌzùÍtÌ6* ²ÌLÌÕ˜Ì ?? ÌÙ ¥ ÌÌœú˜ÌÆ *

ͪô ÷ s ™ ÌÍtÌ ZÌÙ˜ – ÌÍtÌ `Ì¡ô ÷ ŒÌœúFòŸ ?? ̘ÌÆ * ·??ÞÍœúÌÌyÌ ??


·þœâú0û??ÌOÌtÌ*7*<ÍtÌ ÍtÌ̜͘ú˜Ì ?? ÌŸ ?? ̘ÌÆ *

-ÌOÌÍ¡ô¥ÌÍtÌ÷Í tÌ¡ô¥Ì¡ô÷ ÷aÌÌј* – ÌÍ ?? Ì Í ¥

Í ¥ Ì¡ô ÷ ?? ÌÍtÌ œ ÷ ÌâÍzùÍtÌ ¥ Ì̲ÌFò²ÌaÌÌ * ?? ÌÌyÌ · þœâú0 * 8 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ ÌFò ¥ ÌâÍœúzù˜ÌÙÍzùt̘ÌÆ *

œ ÷ ͲÌFò`Ì ?? ÌÉ tÌ ?? ÌÙtÌ̘ÌÍt̘ÌÙÍzùt̘ÌÆ * ?? ÌÌyÌ · þœâú0 * 9 *

Ato Seis

Verso 2

paçyati diçi diçi rahasi bhavantam

tad-adhara-madhura-madhüni pibantam

nätha hare! sédati rädhä väsa-gåhe ( refrão) (1)

Tradução

“Ó Hari, você é o único refúgio dela. ®r… R € dh € está afundando nas


profundezas do desespero no local de encontro. Ela está em agonia. Em
todas as direções e no âmago de seu coração, ela vê você que é tão hábil em
beber o doce néctar de seus lábios. ”

Comentário

o sakhé diz: “Rädhä tornou-se apático. Ela está sentada sozinha no local de
encontro. Pelo intenso poder de sua meditação, ela o vê em todos os
lugares. Sua experiência subjetiva é que todas as direções são kåñëamayé,
nada além de K Ša ”.

Outro significado é: “Naquela câmara de videiras em flor, ela bebe


amorosamente pelos ouvidos palavras carinhosas sobre seu caráter e
atividades. É a natureza de longa data prema que o corpo e a mente não
trabalham juntos em harmonia. A mente quer fazer algo, mas o corpo não
ajuda. É por isso que ela se torna inerte. ”

Verso 3

tvad-abhisaraëa-rabhasena valanté

patati padäni kiyanti calanté

nätha hare! sédati ... ( 2)

Tradução

“Assim que Rädhä se entusiasma com a ideia de embarcar na jornada de


um amante e começa a tomar as providências adequadas, ela dá alguns
passos e cai.”
118811

Çré Geta- govinda

Comentário

“Rädhä impetuosamente se levanta para se decorar e se preparar para


abhisara, mas ela está tão debilitada na esteira da separação que depois de
dar alguns passos, ela cai desamparada no chão inconsciente. ”

Verso 4

vihita-viçada-bisa-kisalaya-valayä

jivati param iha tava rati-kalayä

nätha hare! sédati ... ( 3)

Tradução

“Ela coloca pulseiras, uma faixa, anéis, braceletes, colares e outros enfeites
feitos de fibras de lótus brancas imaculadas e folhas recém-germinadas. Ela
está vivendo apenas na esperança de desfrutar da união com você. ”

Comentário

“Rädhä se cercou de fibras de caules de lótus e folhas recém-jorradas para


aliviar a sensação de queimação kama. Embora esteja fraca e emaciada, ela
manteve sua vida até agora apenas porque se sente feliz na esperança de
desfrutar de passatempos amorosos com você. Mesmo agora, os caminhos
do seu amor residem em seus ares de vida e todos os métodos de seu prema
estão ressoando nas cordas de seu coração. Sua absorção total em união
sensual com você é a única causa de sua existência contínua. "
Verso 5

muhur avalokita-maëòana-lélä

madhuripur aham iti bhävana-çélä

nätha hare! sédati ... ( 4)

118822

Ato Seis

Tradução

“Ela pensa: 'Eu sou Madhuripu' e olha repetidamente para os seus


ornamentos.”

Comentário

“Ó K Ša, o prana dela tornou-se um com o seu. Imaginando isso, 'Eu sou
Madhusüdana. Eu sou o prana de Rädhä, ®r… K Ša ', ela se identifica com
você e se torna igual a você. Ela se adorna pensando: 'Esses enfeites, essa
coroa, esses brincos e essa guirlanda de flores da floresta são dignos de
serem usados quando eu desfrutar da união amorosa com Rädhä.' Rädhä
rejeita todos os ornamentos adequados para mulheres jovens. Na agonia da
separação de você, ela passa o tempo vestindo enfeites adequados para um
amante homem e parecendo com você. Então, depois de se tornar M €
dhava, ela olha maravilhada para os ornamentos de R € dh €. ”
Verso 6

tvaritam upaiti na katham abhisäram harir iti

vadati sakhém anuväram

nätha hare! sédati ... ( 5)

Tradução

“Ela pergunta repetidamente à sua confidente, ' Sakhi, por que Çré Kåñëa
não vem rapidamente para o nosso encontro? '”

Comentário

o sakhé informa K Ša: “Às vezes, ela vem até mim e pergunta
repetidamente: 'Por que Çré Hari não se apressa e me encontra aqui no
lugar designado?'”

118833

Çré Geta- govinda

Verso 7
çliñyati cumbati jaladhara-kalpam

harir upagata iti timiram analpam

nätha hare! sédati ... ( 6)

Tradução

“Quando ela vê a escuridão densa que se assemelha a uma nuvem de chuva,


ela a abraça e a beija, pensando: 'Oh, Hari chegou.'”

Comentário

“Quando ela vê a densa escuridão azul-escura que parece ser uma nuvem
prestes a explodir, ela pensa: 'Kåñëa, você veio.' Então ela abraça aquela
linda escuridão contra o peito e começa a beijá-la. ”

Verso 8

bhavati vilambini vigalita-lajjä

vilapati roditi väsakasajjä

nätha hare! sédati ... ( 7)

Tradução

“Quando Rädhä retorna à consciência externa e percebe que você ainda não
chegou, ela perde toda a timidez e começa a chorar alto.”

Comentário

Rädhä é retratado aqui como väsakasajjä näyikä. Quando ela percebe: “Eu
não abracei K Ša e não o estou beijando. Esta é apenas a escuridão densa ”,
ela fica envergonhada de seu comportamento e começa a chorar. Sua
condição perturbada é tal que ela confunde a extensão de escuridão
próxima com seu amado mais querido por causa de sua cor. Em seguida,
ela começa a lamentar: "Por que meu amado não apareceu agora?"

118844

Ato Seis

Väsakasajjä - O väsakasajjä näyikä é uma heroína que chega ao bosque


apontado e espera por seu herói com intensa ansiedade. Ela decora
pessoalmente o bosque, faz um canteiro de flores e envia mensageiros ao
herói.

Verso 9

çré-jayadeva-kaver idam uditam

rasika-janaà tanutäm ati-muditam

nätha hare! sédati ... ( 8)

Tradução

Que esta canção do poeta Jayadeva desperte júbilo abundante nos corações
daqueles que são especialistas em saborear rasa.

Comentário

Çré Jayadeva diz: “A sakhé cantou as glórias do amor de Rädhä aqui. Que
suas palavras concedam felicidade aos devotos especialistas cujos corações
estão infundidos com a suavidade romântica. ”
Esta décima segunda música retrata o vipralambha-bh € va do Çåìgära-rasa.
o

alaìkära é samuccaya, o herói é çaöha näyaka e a heroína é uma perturbada


väsakasajjä näyikä.

118855

Çré Geta- govinda

Verso 10

¥ ¥ Ì ?? ÌÙ¡ô ÷ ?? ÌÙ¡ô ÷ Fò ?? ÌÌÍ¡ô ÷: ²² • ûÕt̲ÌÕtFòÌœú˜Ì ?? tÌ-


`ÌÊÍ ?? ÌtÌ`ÌÍn ÷ ˜ÌFòÌFÙò ¥ ™ ÌÌFÙò¡Éô ¥ ™ ÌÌ · þœú ?? tÌÕ *
tÌ ¥ Ì ÍFòtÌ ¥ Ì Í ¥ ÌŒÌÌ ™ ÌÌ˜Ì ?? zùFò ?? zù ?? ÌÊÍZÌ ?? tÌÌÉ œú²Ì`Ì¡ô ÷
ÍŒÌÍ ?? ̘ÌOÌîÌ Œ ™ ÌÌ ?? Ì¡ô ÷ OÌîÌ ˜ÌßOÌÌKÌÕ * 10 *

vipula-pulaka-päliù sphéta-sétkäram antar-

janita-jaòima-käku-vyäkulaà vyäharanté

tava kitava vidhäyämanda-kandarpa-cintäà

rasa-jaladhi-nimagnä dhyäna-lagnä mågäkñé

Tradução

“Ó trapaceiro! Coberta com horripilação severa, atordoada por dentro e


prendendo a respiração com gemidos lamentáveis, a Rädhikä de olhos de
corça é absorvida por intensas transformações corporais decorrentes de
kama para voce. De alguma forma, ela mantém seu ar vital enquanto é
submersa no oceano de prema-rasa. ”

Comentário

Pintando um quadro do desejo insano de Rädhä por união ( premonmäda),


a sakhé

diz: “Ó trapaceiro astuto! Seu malandro traiçoeiro! A Rädhikä de olhos de


corça está absorta em um estado de meditação enquanto mergulha no
oceano de amor de abraçar e unir-se a você. Parece a ela que você a está
abraçando. Portanto, todos os poros de sua pele vibram de intenso prazer.
De repente, ela toma fôlego e murmura indistintamente enquanto fica quase
inconsciente. Quando o frenesi impetuoso de seu interior kama diminui, ela
afunda no oceano de felicidade. "

Este versículo apresenta mäliné chanda e rasavad alaìkära.


118866

Ato Seis

Versículo 11

+ÌwÌâ%Wó sÍ ??¥ÌÌ Ì—²ÌfÌÌÍœœúsÌÉ÷ÍsÌFòœ ÷ ÌâÍtÌ –Ì · Ùþ¨Ì: ??

p ÌÌ ?? ÌÉ t ¥ ÌÌÉ ?? ÌÍœú¨ÌSótÌâ Í ¥ ÌtÌ ?? ÌÙtÌâ ¨Ì

(6) ÌÌÉ ÍZÌœÉú Œ ™ ÌÌ ™ ÌÍtÌ * <t ™ ÌÌFòŸ ?? ÌÍ ¥ÌFòŸ ?? ÌÌó ?? Ì¡ô


÷ Õ¡ô ÷ ̨ÌtÌ-

™ Ì̲ÌHòÌÍ ?? Ì Í ¥ Ì ?? ÌÌ t ¥ Ì ™ ÌÌ ¥ ÌœútÌ ?? ÌÙ ?? Ìè s ÌÌ Í ??
̨ÌÌÉ ?? Ìâ s ™ ÌÍtÌ * 11

aìgeñv äbharaëaà karoti bahuçaù patre 'pi saïcäriëi

präptaà tväà pariçaìkate vitanute çayyäà ciraà dhyäyati ity

äkalpa-vikalpa-talpa-racanä-saìkalpa-lélä-çata-

vyäsaktäpi vinä tvayä vara-tanur naiñä niçäà neñyati

Tradução
“Os membros do corpo de ®r… R € dh € são incomparavelmente atraentes.
Ela os decora com enfeites muitas vezes. Quando as folhas farfalham, ela
fica cheia de expectativa, pensando: 'Oh, você veio.' Ela faz uma cama
macia para você e quando você se atrasa sente dores agudas. Assim,
embora ela esteja ocupada em vários passatempos como decorar-se, sentir
apreensão, fazer a cama, falar palavras de amor e fixar sua decisão, ela
ainda não pode passar esta noite separada de você. ”

Comentário

o sakhé diz a K Ša sobre as condições mentais, comportamento


disfuncional e esforços do väsakasajjä. “Embora Rädhä desfrute do seu
amor amoroso por meio da meditação, ela se sente deficiente sem atingir a
união direta com você. Ó M € dhava, minha mais bela amiga decora seus
membros elegantes com ornamentos para atrair você na expectativa de sua
chegada iminente. Quando o vento farfalhar as folhas de uma árvore, ela
presume que você está vindo. Quando você não aparece, ela se tranquiliza:
'Ele certamente virá', e prepara uma cama de folhas recém-brotadas. Ela
está perdida em pensamentos sobre você. Às vezes ela olha para fora para
ver se você vem. Quando você se atrasa, ela fica totalmente abatida. Assim,
embora Rädhä permaneça ocupado em várias atividades, tais

118877

Çré Geta- govinda


como se adornando, esperando sua chegada e preparando uma cama com a
firme resolução de que você deve estar a caminho, ela ainda não pode
suportar a noite sem você. ”

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e samuccaya alaìkära.

Versículo 12

ÎFò Í ¥ ̬Ì̘ ™ ÌÍ²Ì Fßò s sÌ — ÌÌâÍOÌ — Ì ¥ Ì ?? Ìâ —ÌÌsn ÷ Õœú —


ÌܘÌÕ ?? û · âþ B ÌÌtÌ ™ ÌÌÊÍ²Ì ?? Ì ‹ùÍ®õOÌÌâZÌœ ÷ ͘ÌtÌ: ²ÌÌ ?? Ì ?? zù ?? Ì

?? zù̲ ?? Ìzù˜ÌÆ * œ ÷ ÌŒÌÌ ™ ÌÌ ¥ ÌZÌ ?? ÌÉ tÌzŒ ¥

ÌO̘ÌÙLÌÌ N Ì ?? zùÌÑ ?? tÌFâò OÌÌâ ?? ÌtÌÌâ OÌÌâÍ ¥ Ì ?? zù² ™ Ì `Ì ™


ÌÑ ?? tÌ ²ÌÌ ™

kià viçrämyasi kåñëa-bhogi-bhavane bhäëòéra-bhümé-ruhe

bhrätar yäsi na dåñöi-gocaram itaù sänanda-nandäspadam rädhäyä vacanaà


tad adhvaga-mukhän nandäntike gopato

govindasya jayanti säyam atithi-präçastya-garbhä giraù

Tradução

“Quando eu era hóspede na casa de ®ré Rädhä, ela me disse: 'Ó irmão, por
que você está descansando aos pés desta bhäëòéra árvore? Uma venenosa
serpente negra mora aqui. Levante-se e vá para a encantadora casa de
Nanda, que é visível um pouco antes de você. Por que você não vai lá?
'”Ao ouvir essas palavras de Rädhä dos lábios de um peregrino, K Ša
agradeceu a“ ele ”de tal maneira que ®r… Nanda Mah € r € ja não
entenderia o humor interno de suas declarações. Que as palavras de louvor
de Govinda sejam vitoriosas.
Comentário

Para concluir o Ato Seis, ®ré Jayadeva concede uma bênção por meio deste
verso. O contexto é o seguinte. Quando Rädhä viu que ela sakhé estava
atrasada, ela deu uma desculpa para enviar outra enviada. Essa mensageira
se disfarçou como um peregrino e se aproximou de K Ša no crepúsculo da
noite. O "peregrino" deu a Kåñëa uma mensagem de Rädhä informando-o
indiretamente sobre um

118888

Ato Seis

encontro secreto. Çré Jayadeva diz: “Que as palavras de elogio de Govinda


a esse peregrino sejam vitoriosas”.

Quais foram as palavras enigmáticas de K Ša ocultando suas intenções de


seu pai, ®r… Nanda Mah € r € ja? K Ša pode ter confirmado sua aprovação
repetindo a mensagem do peregrino. “Ó irmão, por que você está
lamentando aqui embaixo desta figueira-da-índia que é o lar de uma cobra
negra? Entre na deliciosa casa de Nanda. É visível antes de você um pouco
mais à frente. ”

Kåñëa-bhogi - "cobra Negra"; ou alternativamente "K Ša, que gosta de


união

( sambhoga) com sua amada. ”


Quando ®r… Jayadeva diz: “Que as palavras de louvor de Govinda sejam
vitoriosas”, ele sugere, “Que o desejo de Rādhä seja realizado”. A palavra
Jaya também estabelece a excelência incomparável de Kåñëa.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o sexto ato de Çré


Géta-govinda, intitulado Dhåñöa-vaikuëöha,

descrevendo o väsakasajjä näyikä.


189

* ²Ì ?? ̘Ì: ²ÌOÌÊ: *

*ÌÌœ?? ÌÌOÌœú÷™ÌsÌ:??*
Ato Sete

- nägara-näräyaëaù -

A Divindade Dextrous

Verso 1

+hõÌFÙò¡ôwÌ??tÌœâú÷¥ Ìt˜ÌÊZÌFÙò¡ô??ÌÌtÌ÷-

²ÌgÌÌtÌ ?? ÌÌtÌFò <¥ Ì ² • Ùòhõ¡ô ÷ Ìe \

ô ?? ̬ÌÕ: * ¥ Ìß ?? zùÌ ¥ Ì ?? ÌÌ ?? tÌœú˜ÌzùÕ ?? Ì ™ ÌzɨÌÙ`ÌÌ¡æô-

ÏzùE²ÌÙ ?? zùœ ÷ Õ ¥ Ìzù ?? ÌZÌ ?? zù ?? ÌÍ – Ì ?? zÙùÍœú ?? zÙù: * 1 *

aträntare ca kulaöä-kula-vartma-päta-

saïjäta-pätaka iva sphuöa-läïchana-çréù

våndävanäntaram adépayad aàçu-jälair

dik-sundaré-vadana-candana-bindur induù
Tradução

åñëa estava absorto em pensamentos sobre Rädhä. Nesse ínterim, a lua


realçou a beleza de V nd € vana com seus raios suaves. A lua apareceu
como uma gota de pasta de sândalo no rosto de lótus de uma bela mulher
recém-casada na forma da direção leste. Seus membros exibiam uma
mancha como a marca da tuberculose em uma mulher impura quando ela se
desvia do caminho da etiqueta social.

Comentário

Çré Jayadeva está descrevendo o nascer da lua cheia porque isso destrói a
relutância das heroínas contrárias. O poeta diz: “Quando Rädhä estava
queimando em separação de K Ša, os raios da lua cheia iluminaram a
floresta de V nd € vana. A reação pecaminosa acumulada pela lua por
obstruir o caminho de mulheres impiedosas e apaixonadas é claramente
evidente por sua marca em forma de cervo. ”

Alternativamente, “A lua decorou todas as direções com seu esplendor. Ele


usa sua própria má fama como uma mancha de pasta de sândalo adornando
o rosto da bela mulher, Pürva-diçä (a direção oriental personificada). ”

Além disso, “A lua adornou perfeitamente o belo horizonte oriental, assim


como uma mancha de pasta de sândalo adorna perfeitamente a testa de uma
bela mulher.”

119933
Çré Geta- govinda

Pätaka iva - Uma pessoa que obstrui o caminho de outros é considerada


como

seja pecador. Mulheres impuras só têm oportunidade de se encontrar com


seus amantes à noite. O luar cria um obstáculo naquele momento ao
comprometer o sigilo de seus movimentos. A reação a esse pecado é
evidente pela marca em forma de cervo da lua.

De uma perspectiva, a lua é considerada manchada pela infâmia e, de outra,


é o ornamento das direções abertas.

Este versículo inclui Rüpaka e utprekñä alaìkäras. o Chanda é


vasantatilakä.

Verso 2

p ̲̜ ÷ ÍtÌ ¨Ì¨ÌŒÌœ ÷ Í – ̘ – Ìâ Í ¥ ÌÍ · þtÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ˜ – Ìâ

ZÌ ˜ÌÌŒÌ ¥ Ìâ Í ¥ ÌŒÌÙœ ÷ Ì * Í ¥ ¥ ÍZtÌÍ ¥ ¥Í ô ÷ Ì ?? ÌÉ ²ÌÌ ?? ÌÍœútÌÌ ?? ÌÉ


ZÌFòÌœ ÷

prasarati saçadhara-bimbe vihita-vilambe ca mädhave vidhurä viracita-


vividha-viläpaà sä paritäpaà cakäroccaiù

Tradução

A lua já havia subido ao zênite e M € dhava estava atrasada. Portanto,


afligida pela separação e expressando em voz alta sua lamentação de várias
maneiras, Rädhä começou a sofrer a mais intensa agonia.

Comentário
Quando a lua subiu ao ponto mais alto, as esperanças de Rädhä de que
Mädhava certamente chegaria diminuíram e a intensa dor da separação
aumentou. Descrevendo o remorso de Rädhä, o sakhé diz: “Rädhä começou
a chorar alto em grande angústia, sentindo-se completamente desamparado.
A lua havia se expandido totalmente e M € dhava ainda não havia chegado.
Em total desespero, Rädhä começou a chorar. ”

Este versículo está em äryä chanda.

119944

S CENE T HIRTEEN

Canção 13

O modo musical é mälava räga. O ritmo é yati täla.

FòÍyÌtÌ²Ì˜Ì ™ Ìâ% Í ?? Ì · þÍœúœú · þ · þ

¥ Ì ™ Ì ™ ÌÌæ ¥ Ì ?? ̘ÌÆ * ˜Ì˜Ì Í ¥ Ì • ò¡ô ÷ ͘Ìzù˜Ì˜Ì ¡Ô ÷ ˜ÌÍ ?? Ì R ü


?? Ì ™ ÌÌæ ¥ Ì ?? ̘Ì

ÌÌÍ˜Ì · FòÍ˜Ì · þ ¨ÌœúsÌÉ ²ÌLÌÕ`Ì ?? Ì ¥ ÌZÌ ?? Ì ¥ ÌÍfÌtÌÌ * D ÌÙ ¥


̘ÌÆ * 3 *

¥ Ìzù ?? ÌÙOÌ˜Ì ?? ÌÌ ™ Ì Í ?? ÌÍ¨Ì OÌ · þ ?? ̘ÌÍ ?? Ì ¨ÌÕÍ¡ô ÷ t̘ÌÆ *


tÌâ ?? Ì ˜Ì˜Ì Àþzù ™ Ì͘Ìzù˜Ì²Ì˜Ì¨ÌœúFòÕÍ¡ô ÷ t̘ÌÆ * ™ ÌÌÍ˜Ì · â0 * 4 *
˜Ì˜Ì ˜Ìœús̘Ìâ ¥ Ì ¥ Ìœú˜ÌÍtÌÍ ¥ ÌtÌyÌFâòtÌ ?? ÌÌ * ÍFòÍ˜Ì · þ

Í ¥ Ì s Ì · þÌÍ˜Ì Í ¥ Ìœú · þÌ ?? Ì¡ô ÷ ˜ÌZÌâtÌ ?? ÌÌ * ™ ÌÌÍ˜Ì · 0 * 5 *

˜ÌÌ˜Ì · þ · þ Í ¥ ÌŒÌÙœú ™ ÌÍtÌ ˜ÌŒÌÙœú˜ÌŒÌÙ ™ ÌÌÍ˜Ì ?? ÌÕ *

FòÌÍ ?? Ì · þÍœú˜Ì ?? ÌÙ — Ì ¥ ÌÍtÌ Fßòt̲ÌÙFßòtÌFòÌÍ˜Ì ?? ÌÕ * ™ ÌÌÍ˜Ì ·


âþ0 * 6 *

+ ÌÌÍzù˜ÌÍsÌ·Þ·þFò¡ô— ÌÜ÷ ™s Ìs̘ÌÆÌÌÍ¥ Ì¡ô* ÷ ™

·ÙþzÜùÞÍœ÷ Ís¥Ìs̘ÌÆÌœú· *þzù™ ÌÌ̷͘þ ??·âþ0Ì¥ *Ì 7· þ* ?? Ìâ ?? Ì –Ì ·

FÙò²Ì̲٘ÌÙFÙò˜ÌÌœútÌ ?? ÌÙ˜ÌtÌ ?? Ì٨̜ú¡ô ÷ Õ¡ô ÷ ™ ÌÌ *

³ÌOÌÍ ?? Ì ÀþÍzù · þÑ ?? tÌ ˜Ì̘ÌÍtÌÍ ¥ Ì s ̨̘ÌÕ¡ô ÷ ™ ÌÌ * ™ ÌÌÍ˜Ì · âþ0 * 8


*

+ ??·Þ̥͘· Ìât̲ÌÌþÍ??* Ì ¥ ̲ÌÌÍ˜Ì ?? Ì OÌÍsÌtÌ ¥ Ì

²˜Ìœ ÷ ÍtÌ ˜ÌŒÌÙ²ÌÜzù ?? ÌÌâ ˜Ì̘ÌÍ ?? Ì ?? Ì ZÌât̲ÌÌ * ™ ÌÌÍ˜Ì · âþ0 * 9 *

·ÌFòÍÞÍœúZÌœús̨̜úsÌ`Ì¥—ÌÌœútÌÕ* ™ Ìzâù ¥

¥ ̲ÌtÌÙ ÀþÍzù ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌÍœú ¥ Ì FòÌâ˜Ì¡ô ÷ Fò¡ô ÷ Ì ¥ ÌtÌÕ * ™ ÌÌÍ˜Ì · âþ0


* 10 *

Çré Geta- govinda

Verso 3

kathita-samaye 'pi harir ahaha na yayau vanam mama viphalam idam


amalam api rüpa-yauvanam

yämi ele! kam iha çaraëaà

sakhé-jana-vacana-vaicitä ( refrão) (1)


Tradução

“Ai, ai! Minha juventude e beleza imaculada são em vão porque Hari não
veio para a floresta na hora marcada. Fui enganado por meus amigos, então
a quem posso recorrer para obter abrigo agora? "

Comentário

Rädhä lamenta, “ Sakhi, você disse, 'Eu irei e o trarei imediatamente.


Espere aqui. ' Mas até você me traiu. Você disse que voltaria a este bosque
antes do nascer da lua, mas agora a lua subiu ao seu ponto mais alto no céu.
Fui enganado por suas falsas palavras de garantia. Minha juventude e
beleza impecáveis são todas inúteis porque, se tivessem algum valor, ele
definitivamente estaria aqui. ”

A palavra ahaha ( Ai de mim! Ai!) Indica a profunda tristeza de Rädhä. A


palavra

ele ( Oh!) É usado seguindo uma forma de endereço.

Verso 4

yad-anugamanäya niçi gahanam api çélitam tena mama hådayam idam


asamaçara-kélitam

yämi ele! kam iha ... ( 2)

Tradução

“Ai de mim! Essa mesma pessoa, em busca de quem eu até mesmo entrei
nesta floresta selvagem em uma noite tão escura, está perfurando meu
coração com flechas de sensualidade. A quem posso recorrer em busca de
abrigo? "

119966

Ato Sete

Comentário

Çré Rädhä diz: "Aquele a quem vim encontrar nesta selva isolada e solitária
enfiou a estaca da luxúria em meu coração, ou um encantamento seminal
( béja-mantra) do

kama me prendeu com um feitiço tão místico que eu não tenho posição em
nenhuma esfera. ”

A palavra api ( mesmo) implica: "Eu nunca tinha feito tal coisa antes."

Verso 5

mama maraŠam eva varam ati-vitatha-cetan € kim iha viñah € mi virah €


nalam acetan €

yämi ele! kam iha ... ( 3)

Tradução

“É inútil manter este corpo por mais tempo. Eu deveria morrer de uma vez.
Estou ficando sem sentido. Como posso suportar este fogo intolerável da
separação? ”

Comentário
“Estou arruinado. Quão instável estou na separação daquela pessoa por cuja
união amorosa estou sentado nesta floresta profunda na escuridão terrível
da noite. Perdi toda a compostura e sentido. Onde eu posso ir? É melhor
morrer. Quanta separação posso tolerar? Todos os sinais de esperança são
falsos. Meu corpo não tem valor, caso contrário Hari não o negligenciaria
dessa forma. Eu agi corajosamente vindo aqui no meu sakhé palavras, mas
todos os meus esforços são em vão. É inútil continuar vivendo. ”

119977

Çré Geta- govinda

Verso 6

m € m ahaha vidhurayati madhura-madhu-y € min… k € pi harim


anubhavati k € ta-suk € ta-k € min…

yämi ele! kam iha ... ( 4)

Tradução
“Oh, como sou infeliz. Esta noite excepcionalmente doce de primavera me
deixa insegura com a dor da solidão. Em um momento como este, é certo
que em outro lugar alguma jovem apaixonada está experimentando a maior
felicidade ao desfrutar dos frutos de suas atividades piedosas na forma de
fazer amor com K Ša ”.

Comentário

Expressando a terrível dor no fundo de seu coração, Rädhä diz: "Estes rasa-

as noites carregadas da primavera representam a maior felicidade, mas


ainda assim me torturam. Por outro lado, alguma jovem afortunada está
experimentando o êxtase de fazer amor de forma divertida com K Ša. Ele
não veio aqui como prometido porque aquela sedutora o prendeu nas
cordas de seu amor enquanto ele se deleita em passatempos amorosos.
Como devo estar carente de atividades piedosas. Estou lamentando na dor
da separação e, entretanto, alguma outra mulher está sentindo a felicidade
da união apaixonada com ele. ”

No Viçvakoça dicionário vidhura é definido como vikalatä, deficiência.

Verso 7

ahaha kalayami valayädi-maëi-bhunaëam

hari-viraha-dahana-vahanena bahu-dunaëam

yämi ele! kam iha ... ( 5)


119988

Ato Sete

Tradução

“Ai, ai! Todas as minhas pulseiras incrustadas de joias e outros ornamentos


estão inflamando o fogo da separação e infligindo miséria ilimitada.
Portanto, eles também parecem ser culpados. ”

Comentário

“Oh, sakhi! Você pregou uma grande peça em mim. Eu adornei meu corpo
com tantos ornamentos e me decorei com flores, folhas recém-germinadas
e joias. Mas todos eles parecem queimar meu corpo como chamas no fogo
tortuoso dos desejos sensuais não realizados na ausência de Hari. Agora,
esses enfeites não são mais enfeites. Tornaram-se maldições, porque a
beleza e o traje de uma mulher apaixonada têm apenas um fruto - o olhar de
seu amante. Por outro lado, o valor dos ornamentos só é percebido quando
alguém olha para você com amor. Portanto, esses ornamentos não são caros
para mim. Em vez disso, eles parecem estar conspirando contra mim. ”

Verso 8

kusuma-sukumära-tanum atanu-çara-lélayä

srag api hådi hanti mäm ati-viñama-çélayä

yämi ele! kam iha ... ( 6)

Tradução
(Para não falar dos meus outros ornamentos) "Mesmo esta guirlanda de
flores da floresta em meu peito está infligindo golpes terríveis como as
flechas de Cupido em meu corpo, que é mais delicado do que as flores mais
suaves."

Comentário

“Ó meu amado! O que posso dizer sobre meus outros ornamentos? A


guirlanda que uso em meu coração para o seu prazer se transforma em uma
arma de Kämadeva e rouba meus ares vitais. Perfura meu coração como
uma flecha de kama e seu golpe é tão danoso que meu corpo, que é mais
delicado que uma flor, não pode suportar sua

119999

Çré Geta- govinda

violência. Quando o corpo está coberto com cortes e feridas de flechas, a


pessoa sente um tipo comum de dor. Mas a dor de um coração partido por
essas flechas de

kama é intolerável. ”

Verso 9

aham iha nivasämi na gaëita-vana-vetasä smarati

madhusudano mäm api na cetasä

yämi ele! kam iha ... ( 7)

Tradução
“Eu sem medo fico sentado esperando por K Ša, mesmo no meio desta
formidável floresta de cana. Mas é surpreendente que Madhusüdana não se
lembre de mim nem uma vez. ”

Comentário

Çré Rädhä expressa sua humildade dizendo: "Eu acreditei na minha sakhé
palavras sobre o encontro com Çré Madhusüdana. Portanto, estou sentado
sem medo nas profundezas desta floresta assustadora, mas ele não está
preocupado comigo. Sua amizade é inconstante. É incrível que a pessoa por
quem estou esperando nesta densa floresta não se lembre de mim nem uma
vez. Infelizmente, esta é simplesmente minha desgraça. ”

Verso 10

hari-caraëa-çaraëa-jayadeva-kavi-bhäraté

vasatu hådi yuvatir iva komala-kalävaté

yämi ele! kam iha ... ( 8)

Tradução

Como as qualidades de uma jovem, que é especialista em todas as artes e


cujo corpo é macio e radiante, sempre brilham no coração de um jovem, da
mesma forma podem

220000
Ato Sete

esta canção deliciosa de ®r… Jayadeva, que é incondicionalmente rendido


aos pés de lótus de ®r… K Ša, sempre agraciou os corações dos devotos.

Comentário

®r… Jayadeva diz que seus únicos protetores são os pés de lótus de ®r…
K Ša. Ele não tem outro guardião. Seu poema é adornado com palavras
ternas e as artes da pertinência poética. Uma bela mulher reina com
esplendor no coração de seu herói, especialmente se seu corpo é terno e ela
é talentosa nas seis artes que aumentam rasa, como o uso de enfeites e
cosméticos. Da mesma forma, que este poema encontre um lugar nos
corações dos devotos e lhes traga alegria abundante. Este é o desejo
acalentado do poeta.

Versículo 11

tÌÒtFò Fò̘ÌÍ ?? Ì FòÌÍ˜Ì ?? ÌÕ˜ÌÍ — ̲ÌßtÌ: ÎFò ¥ ÌÌ Fò¡ô ÷ ÌFâòÍ¡ô ÷ Í — Ì-

þ ÌÊ} ùÌâ –Ì ?? ŒÌÙÍ — Ìœú ?? ŒÌFòÌÍœ ÷ ÍsÌ ¥ Ì ?? ÌÌ— ™ ÌsÌä


ÍFò˜ÌÙzÆù B Ì̘ ™ ÌÍtÌ * FòÌ ?? tÌ: IòÌ ?? tÌ˜Ì ?? ÌÌ ˜Ì ?? ÌÌOÌÍ ?? Ì ?? ÌÍyÌ p
̲yÌÌtÌÙ˜Ìâ ¥ ÌÌK̘Ì:

²ÌSâótÌÕFßòt̘ÌgÌÙ ¥ ÌgÌÙ¡ô ÷ ¡ô ÷ tÌÌFÙògÌâ% Í ?? Ì ™ Ì N ÌÌOÌtÌ: * 11 *

tat kià käm api käminém abhistaù kià vä kalä-kelibhir

baddho bandhubhir andhakäriëi vanäbhyarëe kim udbhrämyati käntaù


klänta-manä manäg api pathi prasthätum eväkñamah

saìketé-kta-maïju-vaïjula-latä-kuïje 'pi yan nägatah

Tradução
“®r… K Ša é mais querido para mim do que minha própria vida. Por que
ele não veio para a câmara designada de videiras em flor? Qual é o mistério
por trás disso? Ele saiu para um encontro amoroso com outra mulher
apaixonada? Ele inadvertidamente permitiu que o tempo combinado
passasse na alegria de brincar com seus amigos? Ele está vagando por aí,
incapaz de encontrar este lugar na terrível escuridão lançada pela sombra
desta massa densa de árvores? Ele está tão debilitado por sentimentos de
separação de mim que não consegue dar um único passo? "

220011

Çré Geta- govinda

Comentário

Assustado com a dúvida, Rädhikä está ponderando sobre as possíveis


razões pelas quais ®r… Kåñëa não veio. "Oh, qual poderia ser a causa de
sua ausência?" Apresentando suas suspeitas, Rädhä diz: "Esta encantadora
câmara de vetasa trepadeiras foi o ponto de encontro indicado para nós
dois, então o que aconteceu com ele? Por que ele não está aqui? Ele foi se
encontrar com outra heroína? Como sua sede por mim poderia ser menor
do que por ela? Como ele poderia me abandonar em um lugar como este
para desfrutar de passatempos amorosos com outra pessoa? Não é possível.
Seus amigos esportivos e astutos o impediram

de vir aqui, detendo-o no campo de jogo? Isso também não é viável. Como
ele poderia esquecer o tempo para abhisära? Parece que a joia da crista dos
malandros astutos não pode me encontrar nesta escuridão densa, então ele

ainda pode estar procurando por mim. Mas quantas vezes ele veio a esta
floresta para me encontrar? O caminho é bem conhecido para ele, então
como ele poderia esquecer o caminho? É impossível. Será que ele está
definhando tanto na separação que não consegue andar? Talvez ele esteja
se preocupando: 'Como Rädhä se sentirá depois que a lua nascer?' ”

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e a alaìkära chamado


saàçaya.

Versículo 12

+tÌœâúsÌyÌÌOÌtÌÌÉ ˜ÌÌŒÌ ¥ Ì˜Ì ??

²ÌLÌÕÍ˜Ì ™ ÌÉ ¥ ÌÕK ™ Ì Í ¥ Ì s ÌÌzù˜ÌÜFò̘ÌÆ

* Í ¥ ̨ÌSó˜ÌÌ ?? ÌÌ œ ÷ ͘ÌtÌÉ Fò ™ ÌÌÍ ?? Ì

`Ì ?? ÌÌzÊù ?? ÌÉ‹ ù®õ ¥ ÌzâùtÌzùÌ · þ * 12 *

athägatäà mädhavam antareëa

sakhém iyaà vékñya viñäda-mükäm

viçaìkamänä ramitaà kayäpi

janärdanaà dåñöavad etad äha

220022
Ato Sete
Tradução

Quando Rädhä viu seu companheiro retornar sem Mädhava, seu coração
afundou. Sentindo-se apreensivo, Rädhä permaneceu em silêncio e
começou a conjeturar: "Janärdana está gostando de outra mulher
apaixonada?"

Comentário

Rädhä estava ponderando sobre as muitas razões possíveis para K Ša não


ter vindo ao local de encontro. Quando ela viu sua amiga retornar sem K
Ša, suas emoções atingiram o auge da sensibilidade para uma amante
separada ( vipralabdhä näyikä).

Rädhä ficou sem fala com a intensidade de sua angústia e sua amiga
também permaneceu em silêncio em um estado de desespero. Rädhä
presumiu: “Ela está calada e apática, porque viu o filho do Rei de Vraja
desfrutando de passatempos amorosos com outra mulher. É por isso que ela
não está dizendo nada. ”

Rädhä começou a chorar. “Não é esse o significado de janärdana, 'aquele


que gosta de causar dor aos outros'? Portanto, ele também me dá dor ”.

Vipralabdhä näyikä - Impelida por um apego cada vez maior, a amada

chega primeiro ao local de encontro previamente combinado e envia um


mensageiro para seu herói. Porém, por vontade da providência o herói não
aparece e passa a hora do encontro. Neste ponto, a heroína se torna uma
vipralabdhä näyikä.

o Chanda deste versículo é upendra-vajrä.


220033

S CENE F NOSSOS

Canção 14

O modo musical é vasanta räga. O ritmo é yati täla.

²˜Ìœú²Ì˜Ìœ ÷ ÌâÍZÌtÌÍ ¥ Ìœ ÷ ÍZÌtÌ ¥ Ìâ¨ÌÌ *

zùÍ¡ô ÷ tÌFÙò²ÌÙ˜Ìzùœ ÷ Í ¥ Ì¡ÙôÍ¡ô ÷ tÌFâò¨ÌÌ * FòÌÍ ?? Ì ˜ÌŒÌÙÍœú ??


ÌÙsÌÌ

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²ÌÍtÌ ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌœ ÷ ÍŒÌFòOÌÙsÌÌ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 13 *

·ÌÍ¡ôÞÍœú÷tÌÍ??¥ ÌFò̜͜ú÷ú˜Ì —* ÌsÌ ¥

FÙòZÌFò¡ô ÷ ¨ÌÌâ ?? ÌÍœú tÌœ ÷ Í¡ô ÷ tÌ · þÌœ ÷ Ì * FòÌÍ ?? Ì0 * 14 *


Í ¥ ÌZÌ¡ô ÷ zù¡ô ÷ Fò¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌÌ ?? Ì ?? ÌZÌ ?? ‡ ùÌ * tÌzùŒÌœú ??
ÌÌ ?? Ìœú — ̲ÌFßòtÌtÌ ?? ‡ ùÌ * FòÌÍ ?? Ì0 * 15 *

ZÌfÌ¡ô ÷ FÙòsn ÷ ¡ô ÷ ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌFò ?? ÌÌâ¡ô ÷ Ì * ˜ÌÙLÌÍœútÌœú²Ì ?? Ì`ÌQÌ


?? ÌOÌÍtÌ¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷ Ì * FòÌÍ ?? Ì0 * 16 *

zùÍ ™ ÌtÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ÌâÍFòtÌ¡ô ÷ ÍaÌtÌ · þͲÌtÌÌ *

-FòÌÍ·ÙþÍ?? ¥Ì0ÌŒÌFÜòÍ`ÌtÌœ*17* ÷ ÍtÌœú²Ìœ ÷ ͲÌtÌÌ *

Í ¥ Ì ?? ÌÙ¡ô ÷ ?? ÌÙ¡ô ÷ Fò ?? ÌßyÌÙ ¥ Ìâ ?? ÌyÌÙ — ÌWóÌ *


«ÌͲÌtÌÍ ?? ̘ÌÕÍ¡ô ÷ tÌÍ ¥ ÌFò²Ìzù ?? ÌWóÌ * FòÌÍ ?? Ì0 * 18 *

¬Ì˜Ì`Ì¡ô ÷ FòsÌ — Ìœú²ÌÙ — ÌǪ̜ ÷ Õœ ÷ Ì *

?? ÌÍœú ?? ÌÍtÌtÌÌ✠÷ Í²Ì œ ÷ ÍtÌœúsÌŒÌÕœ ÷ Ì * FòÌÍ ?? Ì0 * 19 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ · þÍœúœ ÷ ͘Ìt̘ÌÆ *

FòÍ¡ô ÷ Fò¡Ùô s ÌÉ `Ì ?? Ì ™ ÌtÌÙ ?? ÌÍœú¨Ì͘Ìt̘ÌÆ * FòÌÍ ?? Ì0 * 20 *

Ato Sete

Versículo 13

smara-samarocita-viracita-veçä

dalita-kusuma-dara-vilulita-keçä

kapi madhuripuëä

vilasati yuvatir adhika-guna ( refrão) (1)

Tradução
“O Sakhi, ela está vestida com roupas e ornamentos adequados para uma
batalha amorosa. Quando ela está absorta em fazer amor, sua trança se abre
e as flores caem de suas tranças ondulantes, apenas para serem esmagadas
por seus corpos. Alguma jovem, que é mais qualificada do que eu, está
alegremente envolvida em folia com Madhuripu. ”

Comentário

Com grande apreensão, Rädhä diz: “Ó Sakhi, alguma bela jovem amante,
vestida para combate sexual ( k € ma-sa gr € ma), está se divertindo com
Madhuripu. Enquanto jogava seus jogos de amor, sua trança fortemente
amarrada se soltou e agora está balançando para frente e para trás. Assim,
as flores que foram tecidas em seu cabelo caíram em cascata. ”

Madhuripu - “Kåñëa é o inimigo de mädhurya. Ele não aprova a doçura.


Portanto, ele me negligenciou para desfrutar da união com outra jovem. ”

Yuvatir adhika-guna - “Este adorável vraja-gopé é mais qualificado do que


eu. ” Mas isso é impossível. o vyaìgärtha ou o significado sugerido é:
“Como é incrível que uma jovem menos qualificada esteja fazendo amor
com ele”. Esta descrição faz alusão a viparéta-rati, o congresso em que a
heroína faz amor no papel dominante acima de seu herói.

Smara-samara - O amor sexual foi chamado de batalha erótica. Neste


amoroso

a competição, impulsos intensamente apaixonados fazem com que a trança


da heroína se abra e as flores nela tecidas caiam em cascata e se espalhem.

220055
Çré Geta- govinda

Verso 14

hari-parirambhaëa-valita-vikärä

kuca-kalaçopari taralita-härä

kapi madhuripuëä ... ( 2)

Tradução

“Quando K Ša a abraça profundamente, ela fica perplexa com a agitação


sensual. Ela deve estar experimentando as transformações corporais,
começando com a emoção de cada poro de sua pele e seu colar deve estar
balançando para frente e para trás em seus seios como potes de água. ”

Comentário

®r… R € dh € conjectura sobre as atividades de seu atraente rival. Pintando


um quadro vívido de seu comportamento, ela diz: “Aquela jovem deve ter
sentido o surgimento de várias transformações corporais apaixonadas,
como a horripilação decorrente do abraço de ®ré Kåñëa. Seu colar deve
estar balançando em seus seios levantados como potes de água. " Um colar
fica inquieto quando uma mulher desempenha um papel ativo na relação
sexual. Em outras palavras, só é possível durante

viparéta-rati.

Verso 15

vicalad-alaka-lalitänana-candrä
tad-adhara-päna-rabhasa-kta-tandrä

kapi madhuripuëä ... ( 3)

Tradução

“A beleza de seu rosto como a lua deve ser realçada por seus cachos de
cabelo encaracolados e seus olhos devem ser abençoadamente fechados por
uma avidez consumidora de beber o néctar dos lábios de Kåñëa.”

220066

Ato Sete

Comentário

“O rosto lunar daquele amante encantador deve ficar ainda mais bonito
com suas mechas de cabelo movendo-se para lá e para cá. Ela deve estar
bebendo o néctar dos lábios de K Ša enquanto fazem amor. Totalmente
imersa na alegria da união, ela mantém os olhos fechados e brinca kapaöa-
nidrä, agindo como se estivesse dormindo. "

Versículo 16

caicala-kuëòala-lalita-kapolä

mukharita-rasana-jaghana-gati-lolä
kapi madhuripuëä ... ( 4)

Tradução

“As bochechas dela devem ficar ainda mais lindas quando os brincos estão
balançando. Os minúsculos sinos na faixa de joias que adornam
elegantemente sua cintura devem estar tilintando tão docemente enquanto
balançam em seus quadris.

Comentário

“É natural que seus brincos balancem quando ela está competindo no jogo
do amor. Portanto, o semblante cativante de suas bochechas deve ter
aumentado. Os sinos presos à faixa em sua cintura tocarão continuamente.
Eles devem parecer muito inquietos porque suas coxas estão
constantemente em movimento. ”

Verso 17

dayita-vilokita-lajjita-hasitä

bahu-vidha-küjita-rati-rasa-rasitä

kapi madhuripuëä ... ( 5)

Tradução

“Quando o amado K Ša olha para ela, ela fica envergonhada e ri


timidamente. E quando ela prova as doçuras do coito, ela deve estar
fazendo

220077
Çré Geta- govinda

um som inarticulado que lembra o gorjeio de pássaros como o cuco ou

kalahaàsa, indicando que ela está experimentando uma onda repentina de


euforia erótica. ”

Comentário

“Quando ®r… K Ša estiver satisfeito, ele olhará para ela. Então ela vai
abaixar o rosto de vergonha e começar a rir. Enquanto ela ofega para
respirar no meio do êxtase sensual excessivo, ela deve estar fazendo muitos
tipos diferentes de sons inarticulados, como o cuco ou kalahaàsa pássaro."

Versículo 18

vipula-pulaka-påthu-vepathu-bhaìgä

çvasita-nimélita-vikasad-anaìgä

kapi madhuripuëä ... ( 6)

Tradução

“Quando ela fica emocionada com os êxtases de Cupido, horripilações e


convulsões corporais a envolvem como ondas. Sua completa absorção no
prazer sexual será revelada pela maneira como ela fecha os olhos e solta
um longo suspiro. ”

Comentário
“Na hora de fazer amor, ela kama irá intensificar gradualmente à medida
que os poros da pele ficam eretos repetidamente. Ela treme, sua voz vacila
e ela respira fundo. Quando ela atingir o clímax de seu êxtase, ela fechará
os olhos. "

Vepathu-bhaìgä - Neste versículo, horripilação e tremor foram

em comparação com as ondas. “Assim como as ondas surgem uma após a


outra no oceano, da mesma forma horripilação e tremores devem estar
surgindo em seu corpo, um após o outro.”

220088

Ato Sete

Versículo 19

srama-jala-kaëa-bhara-subhaga-çarérä

paripatitorasi rati-raëa-dhérä

kapi madhuripuëä ... ( 7)

Tradução

“Esta jovem apaixonada, que é especialista em saborear os frutos do amor


sensual, deve parecer ainda mais atraente quando está coberta de gotas de
suor devido ao exercício de seus esportes amorosos. Ela sabe como manter
a paciência durante a relação sexual. Como ela deve ser bonita quando,
completamente exausta do árduo trabalho de fazer amor, ela finalmente
desaba sobre o peito de K Ša ”.

Comentário

“Ela deve ter ficado completamente exausta de sua absorção na energia do


deus da luxúria. Como seu rosto de lótus devia estar brilhando com gotas
de suor do árduo esforço de fazer amor. Ela é muito hábil na guerra sexual.
Como ela deve parecer incrivelmente bonita, agora que caiu sobre o peito
de K Ša ”.

Verso 20

ré-jayadeva-bhaëita-hari-ramitam

kali-kaluñaà janayatu pariçamitam

kapi madhuripuëä ... ( 8)

Tradução

Que a descrição de ®ré Jayadeva da brincadeira de amor de ®ré Hari


subjugue os efeitos negativos da era de Kali. (Que isso acalme os desejos
luxuriosos de todos.)

220099
Çré Geta- govinda

Comentário

A décima quarta música de Çré Géta-govinda, intitulado Hari-ramita-


campaka-

çekhara, descreve viparéta-rati. Embora a era atual (Kali-yuga) seja


altamente contaminadora, essa descrição dos casos sexuais é pura. Que ela
purifique a luxúria dos corações de todos que a ouvem e recitam.

Versículo 21

Ç ¥ Ìœú · þ ?? ÌÌsnÙ ÷ ˜ÌÙœ ÷ ÌÍœú˜ÌÙLÌ̘ – ÌÙ`Ì-

ÙÍtÌœú ™ ÌÉ ÍtÌœú ™ Ì N ÌÍ

É Ì ¥ Ìâzù ?? Ì̘ÌÆ * Í ¥ ÌŒÌÙœútÌÕ ¥ Ì tÌ ?? ÌÌâÍtÌ ˜Ì ?? ÌÌâ — ÌÙ ¥ Ì:


²ÌÙÀþzù ™ Ìâ Àþzù ™ Ìâ ˜Ìzù ?? Ì ¥ ™ ÌyÌ̘ÌÆ * 21 *

viraha-päëòu-muräri-mukhämbuja-

dyutir ayaà tirayann api vedanäm vidhur atéva

tanoti mano-bhuvaù

Suhåd aye Hådaye Madana-Vyathäm

Tradução

“Meu caro amigo, o brilho da lua se apagou. Assemelha-se ao brilho do


rosto de lótus de Muräré que empalidece ao se separar de mim. Depois de
remover minha angústia, a lua tornou-se amiga de Kämadeva e agora ele
está aumentando a agitação dos desejos amorosos em meu coração. ”
Comentário

®r… R € dh € passou a noite inteira lamentando. Enquanto observava a lua


se movendo na direção do Monte Asta no horizonte ocidental, ela se
lembrou da afeição anterior de Kåñëa por ela. Confiando em sua amiga,
Rädhä disse: “Ó Sakhi,

como é doloroso. A lua aumenta a angústia de quem sofre de solidão.


Agora, porque a lua está se pondo, o mesmo acontece com a queima de
meus desejos amorosos. Lembro-me do rosto de lótus de Çré Hari quando
vejo o pálido

221100

Ato Sete

tez da lua poente. Como ele deve ter se tornado lânguido ao se separar de
mim. ”

Então, no momento seguinte, ela chega à conclusão oposta. “Çré Hari me


abandonou e está curtindo passatempos com outra amante. Portanto, seu
brilho se assemelha à lua poente e a dor em meu coração se tornou ainda
mais profunda. ”
221111
S CENE F EU QUINHO

Canção 15

O modo musical é gurjaré raga. O ritmo é ekatälé täla.

Esta música retrata a encantadora jovem, que está totalmente preocupada


em

lidar com Kåñëa na margem do rio Yamunä, como a heroína dominante


( svädhéna-bhartåkä).

²Ì˜ÌÙÍzùt̘Ìzù ?? Ìâ œú˜ÌsÌÕ ¥ Ìzù ?? Ìâ ZÌÙ˜ – Ì ?? Ì ¥ ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌ̜̌âú *


˜ÌßO̘ÌzùÍtÌ¡ô ÷ FÉô Í¡ô ÷ LÌÍtÌ ¡Ì ?? FÉò

˜ÌßOÌÍ˜Ì ¥ Ì œú`Ì ?? ÌÕFòœâú * œú˜ÌtÌâ ™ ̘ÌÙ ?? ÌÌ ?? ÌÙÍ¡ô ÷ ?? Ì ¥ Ì ??


Ìâ Í ¥ Ì`Ì ™ Ì

QÌ ?? ÌZÌ ™ Ì ?? ûÍZÌœâú œúZÌ ™ ÌÍtÌ ÍZÌFÙòœâú tÌœ ÷ Í¡ô ÷

tÌtÌ ?? ûsÌÌ ?? Ì ?? Ìâ * FÙò ?? û – ÌFòFÙò²ÌÙ É ZÌÌ ?? Ì¡Ì ÷ s ̘ÌÉ œ ÷


ÍtÌ ?? ÌÍt̘ÌßOÌFòÌ

QÌhõ ™ ÌÍtÌ ²ÌÙQÌ ?? Ìâ FÙòZÌ ™ ÌÙOÌOÌOÌ ?? Ìâ ˜ÌßO̘Ìzù ??

ûÍZÌ R üÍ s ÌtÌâ * ˜ÌÍs̲̜ú˜Ì˜Ì¡Éô tÌÌœúFò ?? Ìhõ¡Éô ?? ÌLÌ ?? Ìzù¨ÌÍ¨Ì —


ÌÜÍ s ÌtÌâ * œú˜Ì

Í`ÌtÌÍ – ̨̲ÌFò¡âô ÷ ˜ÌßzÙù — ÌÙ`Ì ™ ÌÙOÌ¡âô ÷ FòœútÌ¡ô ÷ ?? ÌÍ¡ô ÷ ??


ÌÕzù¡âô ÷ * ˜ÌœúFòtÌ ¥ Ì¡ô ÷ ™ ÌÉ ˜ÌŒÌÙFòœ ÷ Í ?? ÌZÌ ™ ÌÉ Í ¥ ÌtÌœ ÷ ÍtÌ
Í · þ˜Ì¨ÌÕtÌ¡âô ÷ * œú˜ÌtÌâ0
É ÷ ÍtÌOÌß · þ`ÌQÌ ?? Ìâ Í ¥ Ì ?? ÌÙ¡ô ÷ Ì ?? ÌQÌ ?? Ìâ ˜Ì ?? ÌͲÌ`ÌFò ??
ÌFòÌ²Ì ?? Ìâ * ˜ÌÍsÌ˜Ì ™ Ìœú²Ì ?? ÌÉ tÌÌâœúsÌ · þ²Ì ?? ÌÉ Í ¥ ÌÍFòœ ÷ ÍtÌ FßòtÌ
¥ ÌÌ²Ì ?? Ìâ * œú˜ÌtÌâ0 * 26

ZÌœúsÌÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ìâ Fò˜Ì¡ô ÷ ÌÍ ?? Ì¡ô ÷ ™ Ìâ ?? ÌL̘ÌÍsÌOÌsÌ ?? ÌÜÍ`ÌtÌâ *


-ÀþÍzùÌÍ·þœú™ ??ÌÌâÍ`ÌtÌâ¥ÌœúsÌÉ*œú˜ÌtÌâ0™ÌÌ*¥27ÌFò* — ÌœúsÌÉ `Ì ??
Ì ™ ÌÍtÌ

œú˜Ì ™ ÌÍtÌ ²ÌÙ — ÌߨÌÉ Fò̘ÌÍ ?? Ì ²ÌÙ ‹ù¨ÌÉ LÌ¡ô ÷ · þ¡ô ÷


ŒÌœú²ÌÌâzùœâú *

ÍFò˜Ì • ò¡ô ÷ ˜Ì ¥ ̲ÌÉ ÍZÌœ ÷ Í˜Ì · þ Í ¥ Ìœú²ÌÉ ¥ Ìzù ²ÌÍLÌ Í ¥ Ìhõ ??


ÌÌâzùœâú * œú˜ÌtÌâ0 *

<· Þ œú²Ì — ÌsÌ ?? Ìâ FßòtÌ · þÍœúOÌÙsÌ ?? Ì⠘̌ÌÙÍœú ?? ÌÙ ?? Ìzù²Ìâ ¥


ÌFâò * FòÍ¡ô ÷ ™ ÌÙOÌZÌÍœútÌÉ ?? Ì ¥ ̲ÌtÌÙ zÙùÍœútÌÉ FòÍ ¥ Ì ?? Ìß ??
Ì`Ì ™ Ìzâù ¥ ÌFâò * œú

Ato Sete

Verso 22

samudita-madane ramaëé-vadane cumbana-valitädhare magamada-tilakaà


likhati sa-pulakaà mågam iva rajané-kare

ramate yamunä-pulina-vane

vijayé murärir adhunä ( refrão) (1)

Tradução

“Madhuripu é vitorioso na batalha do amor. Agora ele está desfrutando de


um romance com sua amada em uma floresta às margens do Yamunä. Essa
amante atraente, com cada poro de sua pele explodindo de alegria, é a
própria personificação de tudo o que excita a luxúria. ®ré Kåñëa está
decorando seu rosto com um desenho em almíscar que lembra a marca de
um cervo na lua. Seu cabelo também está em pé e ele a está beijando. ”
Comentário

®r… R € dh € fala palavras incoerentes de lamentação, estendendo suas


projeções imaginativas sobre o que K Ša deve estar fazendo agora. Na
verdade, ela está se lembrando de seus próprios passatempos anteriores
com K Ša e descrevendo o que vê através dos olhos de seu humor amoroso
extático ( bh € va-netra).

Rädhä vê uma heroína maravilhosa que está pensando: "Agora Madhuripu


me derrotou nesta

batalha de amor e ele observará seu festival de vitória ( vijayautsava).


Descrevendo as características

dessa amante imaginária, Rädhä diz: “Em uma floresta às margens do rio
Yamunä, Kåñëa está

brincando com aquela bela jovem, decorando-a artisticamente. Ele está


aplicando um tilaka de

almíscar de cervo no rosto de lótus daquele amante atraente, fazendo-a


estremecer de horror. A

pretexto de decorá-la, ele aproximou seu rosto do seu com a intenção de


beijá-la. Fazendo isso, seu kama

ficou totalmente excitado e seus cabelos também estão arrepiados. Ele não
pode conter seus

sentimentos. Com grande dificuldade, ele está pintando um tilaka que


termina como um padrão em

ziguezague. Agora sua beleza é como a da lua com sua marca em forma de
cervo. Beijando-a nos

lábios e no rosto, a cor daquela tilaka ficou manchado nos lábios de K Ša. ”
221133

Çré Geta- govinda

Versículo 23

ghana-caya-rucire racayati cikure taralita-taruëänane kurubaka-kusumaà


capalä-suñamaà rati-pati-måga-känane

ramate yamunä-pulina vane ... ( 2)

Tradução

“As encantadoras mechas de cabelo daquela jovem lembram uma massa de


nuvens escuras de chuva. Eles são uma floresta de brincar para o cervo
chamado Madana. Seu rosto fresco e simpático sempre brilha entre aquelas
mechas, nas quais ele agora está arrumando flores de louro rosa. ”

Comentário

Comentando sobre o esporte de K Ša em decorar sua amada, Çré Rädhä diz


a ela

sakhé, “Ele não apenas desenhou tilaka em sua testa, ele também adornou
seus cabelos com flores de louro rosa. Seu cabelo é tão preto, macio, crespo
e abundante que lembra uma multidão de nuvens de chuva. Ou parece ser
uma floresta densa onde o cervo chamado K € madeva pode vagar sem
medo. O coração dos jovens fica inquieto simplesmente por ver essas
mechas de cabelo. As flores de louro rosa dispostas em seu cabelo por Çré
Hari estão brilhando intensamente como um raio nas nuvens escuras. ”

Verso 24

ghaöayati sughane kuca-yuga-gagane mågamada-ruci-rüñite maëi-saram


amalaà täraka-paöalaà nakha-pada-açi-bhüñite

ramate yamunä-pulina vane ... ( 3)

Tradução

“Essa mulher de cabelos lindos tem seios tão grandes que se tocam no
meio. Manchado com espessura, preto Kastüré pó, eles lembram o céu
noturno embelezado pelas impressões em forma de meia-lua de suas unhas.

221144

Ato Sete

Ele a está adornando com um colar de pérolas encantador, como se


estivesse colocando uma constelação de estrelas imaculadas, sobre o
firmamento do céu noturno. ”

Comentário

®r… R € dh € diz: “®r… K Ša está colocando uma infinidade de estrelas


na forma de pérolas de um colar sobre os seios daquela mulher atraente.
Seus seios são decorados com as marcas em forma de meia-lua de suas
unhas. "

Existe uma semelhança charmosa e multifacetada entre o céu e seus seios:

Kuca-yuga-gagane - “Como o céu é expansivo, também o são os seus


seios.” Uma clara

a concepção da imensidão de seus seios foi dada pela imagem do céu.

Sughane - “Os seios daquela heroína, sendo extremamente firmes, tocam-se


em

o meio, dando a aparência de céu quando está cheio de nuvens densas e


bonitas. ”

Mågamada-ruci-rüñite - “Gotículas de suor estão escorrendo dela

seios pelo árduo esforço de fazer amor. Então Kåñëa unta seus seios com
pó de almíscar ( kastüré) para torná-los secos. O céu noturno também tem
um tom preto-azulado escuro como kastüré. ”

Täraka-paöalaà nakha-pada-çaçi-bhüñite - “Seu colar de pérolas parece

ser uma multidão de estrelas e as impressões deixadas pelas pontas das


unhas de Kåñëa parecem ser meias-luas radiantes no céu noturno de seus
seios redondos ”.

Juntas, essas comparações compreendem um uso encantador de imagens.


Dela tilaka é um cervo, sua testa é a lua e sua massa de cabelo é uma
floresta segura e pacífica. As flores de louro rosa são relâmpagos e seus
seios viraram o céu, realçados pela lua e pelas estrelas em forma de marcas
de unhas e pequenas pérolas.
221155

Çré Geta- govinda

Versículo 25

jita-bisa-akale mådu-bhuja-yugale kara-tala-naliné-dale marakata-valayaà


madhukara-nicayaà vitarati hima-çétale

ramate yamunä-pulina vane ... ( 4)

Tradução

“Aquela amante encantadora tem cabelos elegantes e seios grandes e


redondos. Não só isso, seus braços são mais frios do que hastes de lótus e
são embelezados por suas mãos de pétalas de lótus macias. Agora ele está
colocando abelhas neles na forma de pulseiras com incrustações de
esmeraldas. ”

Comentário

Rädhä diz: “Os braços daquela jovem afortunada derrotam a ternura de um


caule de lótus. Suas mãos são claras como a neve e as palmas frias são
vermelhas como flores de lótus. Como abelhas negras nas pétalas de um
lótus vermelho parecem tão agradáveis, suas mãos de pétalas de lótus
parecem deliciosas enquanto Kåñëa as adorna com pulseiras incrustadas
com néla jóias. Essas pulseiras dão a impressão de que as abelhas
formaram uma linha ao redor de suas mãos. ”

Hima-çétale - “Os braços de sua amante são frios como a neve por causa do
calor dela

desejos foram aliviados por seu toque. ” Alternativamente, frieza indica sua
falta de kama. As pulseiras vão gerar um novo calor nessas mãos frias.

Verso 26

rati-gåha-jaghane vipuläpaghane manasija-kanakäsane maŠimaya-rasanaà


toraŠa-hasanaà vikirati kta-vasane

ramate yamunä-pulina vane ... ( 5)

Tradução

“Os quadris daquela mulher atraente são tão voluptuosos, cheirosos e


largos como o trono dourado do deus do sexo. Ele está decorando seus
lombos - a morada do amoroso

221166

Ato Sete

amor - com um cinto de joias, como se ele estivesse adornando a entrada


em arco de um palácio com um festão auspicioso. "

Comentário
®r… R € dh € diz: “Os quadris daquela amante personificam o próprio
abrigo da diversão amorosa. Suas coxas lindas, largas e carnudas são o
trono dourado do deus da luxúria. Simplesmente por vê-los, o anseio
intenso pelo prazer da união desperta no coração de K Ša. ”

Kta-väsanam - “As heroínas perfumam seus membros com um tipo especial


de

fumaça perfumada que coloca seus amantes sob seu controle. Aquela
mulher atraente perfumou seus lombos com este perfume e colocou K Ša
sob seu controle. ”

Kanakäsane - “O trono dourado de Kämadeva.” A palavra kanaka,


significando "ouro", também se refere

É erva venenosa, dhattüra, o que é muito querido por ®a kara, Senhor


®iva. ®a kara havia queimado K € madeva até as cinzas, portanto a palavra

Kanaka tem sido usado para indicar o incitamento de kama. Maëimaya-


rasanaà toraëa-hasanam - Sempre que um rei ascende ao

trono, o principal portal em arco para o palácio é decorado com


vandanavära, um festão auspicioso de folhas e flores. Aqui, Kåñëa está
decorando sua amante com vandana-vära, na forma de um cinto de joias,
em homenagem à ascensão do Rei K € madeva ao trono dourado de suas
belas coxas.

Vikirati - K Ša começou a tremer de desejo erótico ao tocá-la

coxas. Portanto, ele não poderia colocar seu cinto de joias de maneira
adequada. Mesmo assim, a tentativa de vesti-lo foi feita - essa tentativa se
transformou na lembrança de um passatempo especial.
221177

Çré Geta- govinda

Verso 27

caraëa-kisalaye kamalä-nilaye nakha-maëi-gaëa-püjite bahir-apavaraëaà


yävaka-bharaëaà janayati hådi yojite

ramate yamunä-pulina vane ... ( 6)

Tradução

“Os pés novos em forma de botão daquela mulher curvilínea são


resplandecentes com um brilho avermelhado fascinante e são adornados
com as joias preciosas de suas unhas. Seu peito, que é a morada da deusa
da fortuna, agora está decorado com marcas de pregos e pedras preciosas.
Ele colocou os pés dela sobre seu peito e os está cuidadosamente colorindo-
os com uma fita vermelha. "

Comentário

Descrevendo a nova brincadeira de amor de Krsna, Rädhä diz: “Os pés de


lótus daquela jovem muito afortunada são o próprio abrigo de Lakñmé.
Eles são avermelhados como pétalas de flores frescas e macias e as unhas
dos pés brilham como joias preciosas. Ele se sentou, abraçando aqueles
dois pés contra o coração. A deusa da fortuna, Lakñmé, reside eternamente
em seu peito, que agora está decorado com uma série de joias e as marcas
de unhas feitas por aquela mulher formosa que é tão perita em fazer amor.
Kåñëa está se inscrevendo yävaka footlac com suas próprias mãos de lótus
para seus pés naturalmente avermelhados. Ele os está adornando com
ornamentos e se esforçando muito para cuidar deles. ”

A frase adjetiva nakha-maëi-gaëa-püjita é aplicável tanto a K Ša quanto a


sua amante.

Versículo 28

ramayati subhåçaà käm api sudåçaà khala-haladhara-sodare kim aphalam


avasaà ciram iha virasaà vada sakhi viöapodare

ramate yamunä-pulina vane ... ( 7)

221188

Ato Sete

Tradução

“O irmão de Haladhara - aquele malandro indiscriminado e mal-educado,


Kåñëa - está definitivamente abraçando uma mulher com belos olhos e
fazendo amor com ela. assim Sakhi, diga-me - por quanto tempo ficarei
sentado esperando neste caramanchão de videiras florescendo em um
humor desagradável, completamente desprovido de rasa? ”

Comentário

Depois de esperar por um longo tempo, Rädhä perdeu as esperanças e disse


a sua amiga: “ Sakhi, Diga algo. Desista do seu silêncio. Agora, qual é a
vantagem de vagar inutilmente em um matagal denso na floresta até de
madrugada? ”

Khala-haladhara-sodare - “Haladhara é um nome de Balaräma. Seu mais


jovem

irmão, K Ša, é extremamente malicioso. Haladhara significa 'lavrador'.


Assim como um arado, Kåñëa

€ baixo, rústico e sem sofisticação. Depois de me negligenciar e me


enganar, ele está curtindo com aquela mulher de olhos lindos. Oh, como ela
poderia ter olhos lindos? Ele está apenas flertando com uma amante rude da
vila que é exatamente como ele. Que relação tenho com ele? Coloquei
minha confiança nele e qual foi o resultado? Acabei de passar a noite
inteira sentado nesta selva selvagem. Como ele me desconsiderou. Devo
continuar a ser consumido pelo remorso enquanto espero neste Kuïja?
Devo simplesmente continuar investigando seu paradeiro? Que recurso eu
tenho? Mas Sakhi, como posso tolerar isso? Ele disse que viria aqui e, em
vez disso, está ocupado em passatempos com outra pessoa amada. ”

A heroína desta décima quinta canção é svädhéna-bhartåkä näyikä. K Ša


não pode deixá-la porque está cativado por suas qualidades. Esta é a causa
raiz de sua negligência para com Rädhä.
221199

Çré Geta- govinda

Verso 29

iha rasa-bhaëane kta-hari-guëane madhuripu-pada-sevake kali-yuga-caritaà


na vasatu duritaà kavi-nupa-jayadevake

ramate yamunä-pulina vane ... ( 8)

Tradução

O rei dos poetas, Jayadeva, glorifica os passatempos de Çré Hari, que estão
completamente cheios do sabor romântico, Çåìgära-rasa. Que a falha de
comportamento perverso, que é tão prevalente em Kali-yuga, nunca entre
neste servo de ®ré Madhusudana.

Comentário

No êxtase de escrever esta canção, Çré Jayadeva se considera o melhor


entre todos os servos de Madhuripu e ora para que as características
vergonhosas prevalecentes nesta era atual de disputa e hipocrisia nunca
entrem naqueles que a ouvem. A palavra rasa-bhaëane significa "aquele
que fala de sensualidade de uma forma que está cheia de rasa ”. Hari-
guëane refere-se a Çré Jayadeva como “aquele que recita repetidamente as
glórias de Çré Hari”. Todas as declarações do poeta nesta canção são
excitantes de rasa (uddépana). Quando isso

rasa aparecer, as tendências sombrias despertadas pela influência de Kali-


yuga não podem mais entrar no coração.

222200

Ato Sete

Verso 30

?? ÌÌ ™ ÌÌtÌ: ²ÌÍLÌ Í ?? ÌzÊù ™ ÌÌâ ÌÍzù ¨Ìlö²t ¥ ÌÉ zÜùÍtÌ ÎFò


zÜù ™ ̲Ìâ ² ¥ ÌZ \ ô ?? zÉù –Ì · Ùþ ¥ ¢ ôt Ì: þÌ þÌ zÜù s Ìs̘ÌÆ * ?? ̨ ™ ÌÌ
† Í p Ì ™ ̲ÌWó˜ÌÌ ™ Ì zùÍ ™ Ìt̲ ™ ÌÌFßò s ™

̘ÌÌsÌÉ OÌÙsÌæ ?? ûtFòslöÌÏtÌ — Ìœ ÷ ÌÍzù ¥ Ì ² • ÙòhõÍzùzÉù ZÌâtÌ: ² ¥ Ì ™


ÌÉ ™ Ì̲ ™ ÌÍtÌ

näyathah sakhi nirdayo yadi çaöhas tvaà düti kià düyase

svacchandaà bahu-vallabhaù sa ramate kià tatra te dunaëam paçyädya


priya-sa gamaya dayitasyäkåñyamäëaà guëair

utkaëöhärti-bharäd iva sphuöad idaà cetaù svayaà yäsyati

Tradução

Sakhé - “O Sakhi, Rädhä! Ele não veio."

Rädhä - "Se aquele trapaceiro impiedoso, de coração cruel e duas caras não
vier, por que você deveria ficar chateado?"

Sakhé - “Ele tem muitos amados e desfruta livremente do amor amoroso


com eles, sem a menor restrição.”

Rädhä - “Que culpa é sua? Veja! Hoje meu coração está partido pelo peso
de uma ansiedade intensa. Sendo atraído pelas qualidades de meu mais
amado ®r… K Ša, meu coração irá se encontrar com ele sozinho. ”

Comentário

Rädhä continuou a expressar seu anseio ansioso na grande angústia da


separação. Quando K Ša não veio, ela concluiu que esta mensageira
desanimada ( düté) deve ser o culpado. o sakhé disse a Rädhä: “Meu
querido amigo, liguei para ele muitas vezes, mas ele é tão impiedoso que
não veio”. Rädhä respondeu: “Se aquele trapaceiro de duas caras e
trapaceiro não vier, então que culpa é sua? Porque você está tão chateado?
Você cumpriu muito bem o seu dever de mensageiro. ” O mensageiro
respondeu: “Estou chateado porque não pude trazê-lo. Ele tem muitos
amados e é independente. Ele gosta quando e onde quer. ” Novamente
Rädhä perguntou: "Então, qual é a falha de

222211

Çré Geta- govinda

Sua? Agora olhe aqui. Meu coração é fortemente atraído por suas
qualidades. Ele está sendo dilacerado pela agonia intolerável de sua
ausência, então meu prana devastado certamente irá partir e alcançá-lo por
conta própria. ”

Qual é a natureza do coração de Rädhä? Ele é atraído espontaneamente


pelas qualidades de K Ša. A frase utkaëöhärti-bharäd implica: “Meu
coração está quebrantado sob o peso do desejo não realizado de me unir ao
meu amado. Embora eu tente verificar, ele não para. Certamente irá para
ele. ”

Alternativamente, “Olha, sakhi! Não é possível conseguir a associação de


meu amado neste momento porque outra amante encantadora está se
encontrando com ele. No entanto, minha ansiedade está aumentando a cada
momento. ”

Novamente, as palavras de Rädhä também podem ser entendidas no


seguinte sentido. “Este coração já experimentou o prazer da união com Çré
Hari, então com certeza irá para lá. Isso não é culpa sua e nem minha. Essa
amante também não é culpada. A Providência certamente se tornou avessa
a mim. ”

Um outro sentido é: "Desta forma, meu coração deve ir para lá e, após


atingir a liberação, cessará todas as atividades."
Enquanto Rädhä estava cantando sobre as qualidades de K Ša em um
estado de calmo desânimo ( çänta-nirveda), ela atingiu a décima e última
condição de separação em que deseja sua própria morte.

A natureza atenciosa de K Ša é a garantia de felicidade para seu amante


atraente. Ela não precisa experimentar nem a menor dificuldade. Por outro
lado, na ausência de Kåñëa, Rädhä atingiu um estado de terrível desânimo
no qual ela sente que tudo deu errado.

A primeira metade deste versículo é um diálogo entre Rädhä e seu


companheiro. Agora, Rädhä tornou-se paranóico porque seu mensageiro
que foi trazer K Ša voltou depois de fazer amor com ele. Portanto, R € dh €
chama K Ša de trapaceiro impiedoso e de duas faces e assim por diante.
“Que rústico rude ele é. Ele nem sabe a diferença entre uma heroína e uma
mensageira! ”

Neste versículo o Chanda é çärdüla-vikréòita e a alaìkära é kävyaliìga.

222222

S CENE S IXteen

Canção 16

O modo musical é deçavaräòé räga. O ritmo é rüpaka täla.

+Ì¡ôÍ??÷ ™Ì¡ôÌ ÷??tÌœú¡ô™ ??÷FÙòÌâ??¥ Ì *


tÌ ?? ÌÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ ÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ì¨Ì ™ Ì ?? Ìâ ?? Ì *

²ÌÍLÌ ™ ÌÌ œ ÷ ͘ÌtÌÌ ¥ Ì ?? ̘ÌÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÌ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 31 *

Í ¥ ÌFòͲÌt̲̜ ÷ ͲÌ`Ì¡ô ÷ Í¡ô ÷ t̘ÌÙLÌâ ?? Ì *

² • ÙòhõÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ ˜Ì ?? ÌͲÌ`ÌÍ ¥ ÌͨÌLÌâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 32 *

+˜Ìßť̘ÌÙœú˜ÌßzÙùtÌœú ¥ ÌZÌ ?? Ìâ ?? Ì *

`¥ Ì¡ô ÷ ÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ ˜Ì¡ô ÷ ™ Ì`Ì ?? Ì ¥ Ì ?? Ìâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 33 *

²yÌ¡ô ÷ `Ì¡ô ÷ ?? û · þ ?? ûÍZÌFòœúZÌœúsÌâ ?? Ì * ¡ÙôlöÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ Í ·


þ˜ÌFòœ ÷ ÍFòœúsÌâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 34 *

²Ì`Ì¡ô ÷ `Ì¡ô ÷ zù²Ì˜ÌÙzù ™ Ì ?? ûÍZÌœâúsÌ *

zù · þÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ ÀþÍzù Í ¥ Ìœú · þzù ¥ Ìâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 35 *

Fò ?? ÌFòÍ ?? ÌFò s Ì ?? ûÍZ̨ÌÙÍZÌ ¥ Ì²Ì ?? Ìâ ?? Ì * «ÌͲÌÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ ??


ÌÍœú`Ì ?? Ì · þ²Ì ?? Ìâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 36 *

²ÌFò¡ôþ — ÌÙ ¥ Ì ?? Ì`Ì ?? Ì ¥ ÌœútÌ ?? ûsÌâ ?? Ì *

¥ Ì · þÍtÌ ?? Ì ²ÌÌ ?? û`̘ÌÍtÌFò ?? ûsÌâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 37 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ ¥ ÌZÌ ?? Ìâ ?? Ì *

p ÌÍ ¥ ̨ÌtÌÙ · þÍœúœ ÷ Í ?? Ì Àþzù ™ Ì˜Ì ?? Ìâ ?? Ì * ²ÌÍLÌ0 * 38 *

Çré Geta- govinda

Versículo 31

anila-tarala-kuvalaya-nayanena
tapati na sä kisalaya-çayanena

sakhi! yä ramitä vanamälinä ( refrão) (1)

Tradução

“Os olhos de K Ša estão inquietos como uma flor de lótus movendo-se ao


vento. Essa bela jovem está encantada com Vanamälé Kåñëa. Ela não deve
ter sentido a menor dificuldade quando se deitou sobre uma cama de folhas
recém-germinadas.

Comentário

Agora o ciúme de Rädhä está inflamado mais do que nunca. Portanto, todos
os elogios falados por Rädhä nesta música são simultaneamente críticas
veladas. Cada um dos seguintes versos será explicado primeiro como
complementar ( stuti-paraka-

artha), e então tão crítico ( nindäparaka-artha).

Cortesia - Rädhä diz a sua amiga: “Ó Sakhi, Kåñëa é Vanamälé, guirlanda


com as flores da floresta. Seus olhos estão inquietos como um lótus azul se
movendo ao vento sul. Essa jovem encanta K Ša e ele satisfaz seus desejos
amorosos. Como ela poderia saber a sensação de ser queimada como eu
sou, mesmo quando estou deitada em uma cama de folhas recém-brotadas?
Como um coração pode ser partido e feito em pedaços, só eu sei. ”

R € dh € elogiou ®r… K Ša neste versículo, descrevendo-o como um


amante cortês e atencioso.

Crítico - “Vanamälé Kåñëa estava tão imerso na extraordinária beleza


natural da floresta que ele deve ter se desinteressado em amar passatempos
com isso gopé. Seus olhos de lótus a observaram enquanto ela se deitava
em uma cama de folhas macias. Fez aquilo gopé sentiu angústia quando ela
não conseguiu fazer a situação progredir mais do que isso? Ela certamente
fez. ” Em outras palavras, “Isso gopé deve ter ficado angustiado porque K
Ša não estava interessado nela. Seus olhos se moviam como flores de lótus
azuis ao vento enquanto ele procurava por outro amante. "
222244

Ato Sete

Verso 32

vikasita-sarasija-lalita-mukhena

sphuöati na sä manasija-viçikhena

sakhi! yä ramitä ... ( 2)

Tradução

“As terríveis flechas de Kandarpa nunca podem perfurar aquela bela


mulher que foi desfrutada por Vanamälé Kåñëa. Seu rosto encantador se
assemelha a uma flor de lótus totalmente desabrochada. ”

Alternativamente, “Isso gopé não pode desfrutar de passatempos amorosos


com K Ša porque ele está com humor para brincadeiras, sem se preocupar
com as artes sensuais. Ela não foi perfurada pelas terríveis flechas de
kama? Ela certamente é. ”

Comentário

Cortesia - “O rosto de Vanamälé Kåñëa brilha com expressões românticas


como um lótus em plena floração enquanto ele dá alegria a sua amante.
Como ela poderia saber sobre a dor infligida pelas flechas de Cupido? Não
há dúvida de que aquele amante sentirá a angústia de kama flechas como
estou em separação. Como meu coração foi dilacerado. ”

Crítico - “K Ša é avesso a brincadeiras de amor. Ele está preocupado em rir


e brincar. este gopé não pode desfrutar de passatempos amorosos com ele
porque seu rosto encantador continua rindo e brincando. Ela não está
sofrendo com as flechas de Cupido? Ela certamente é. ”

222255

Çré Geta- govinda

Verso 33

amåta-madhura-mådutara-vacanena

jvalati na sä malayaja-pavanena

sakhi! yä ramitä ... ( 3)


Tradução

“K Ša fala palavras doces e ternas para encantar aquela jovem. Ela nunca
pode se sentir chamuscada pelo contato com a brisa da Malásia. ”

Comentário

Gratuito - “ Sakhi, ele está encantando aquela amante atraente com o néctar
de suas palavras carinhosas e ditas com suavidade. Como ela poderia saber
que tipo de chamas são acesas pelo vento frio do sul que vem da Montanha
Malaya? Ela pode saber sobre a dor que queima as heroínas na hora da
separação? ”

Crítico - “Kåñëa não desfrutou de um amor amoroso com isso gopé. Em


vez disso, ele está apenas a confundindo com o néctar de suas palavras
doces e gentis. Aquela jovem não estará queimando na brisa da Malásia?
Ela certamente vai. ”

Verso 34

sthala-jalaruha-ruci-kara-caraëena

luöhati na sä himakara-kiraëena

sakhi! yä ramitä ... ( 4)

Tradução

“As mãos e os pés de Vanamälé Kåñëa são tão frios e brilhantes quanto
flores de hibisco. A encantadora mulher que eles desfrutam não tem que
rolar sobre a terra, queimando os raios da lua. ”
222266

Ato Sete

Comentário

Gratuito - “O Sakhi, as palmas das mãos de K Ša e as solas dos pés são


frias e lustrosas como lótus terrestres. A amante que gosta de fazer amor
com ele saberá como os raios frios da lua podem queimar? Por que ela
mudaria de lado durante toda a noite, enquanto estava deitada em sua cama
enquanto queimava no luar? "

Crítico - “Ela deve estar mudando continuamente de lado a noite toda por
falta de abraçar os membros frios de lótus de K Ša”.

Versículo 35

sajala-jalada-samudaya-rucireëa

dahati na sä hådi viraha-davena

sakhi! yä ramitä ... ( 5)

Tradução

“Vanamälé Kåñëa é ainda mais encantador, fresco e refulgente do que um


banco de nuvens de chuva recém-condensadas. Aquela mulher
perfeitamente curvilínea que desfrutou da união com K Ša nunca será
queimada por uma grande quantidade de veneno na forma de separação
prolongada. ”
Comentário

Gratuito - “O Sakhi, aquela bela jovem foi apreciada por ®r… K Ša. Sua
forma é excepcionalmente encantadora e fresca como uma nova nuvem de
chuva. Ela nunca tem medo do veneno da separação, porque ele está
derramando afeto sobre ela como uma nuvem de chuva. Como ela poderia
saber que a separação prolongada pode fazer uma pessoa em pedaços? "

Crítico - “Isso gopé não poderia ter desfrutado da união com K Ša, cuja
pele se assemelha a uma nova nuvem de chuva. Ela não estará sofrendo do
veneno severo da separação prolongada? Ela deve estar infeliz. ”

222277

Çré Geta- govinda

Verso 36

kanaka-nikaña-ruci-çuci-vasanena

çvasiti na sä parijana-hasanena

sakhi! yä ramitä ... ( 6)

Tradução

“Com sua tez escura vestida de puro pano amarelo, K Ša se assemelha a


uma pedra de toque para testar o ouro. A afortunada jovem que ele gostou
nunca teve que respirar fundo depois de se tornar a causa do riso para
aqueles ao seu redor. ”
Comentário

Gratuito - “ Sakhi, A roupa de K Ša é tão pura, amarela e radiante quanto


linhas douradas esfregadas na pedra escura de teste de seu corpo. Essa
amante muito afortunada também é sua vestimenta amarela quando ele a
amarra nas cordas de seus braços. Então, o que vai aquela nobre jovem, que
ficou encantada por ele, saber da dor que sente quando o próprio séquito
começa a fazer piadas às suas custas? Ela saberá como a respiração fica
sufocada ou que tipo de desânimo surge? "

Crítico - “Çyämasundara usa vestimentas amarelas e sua tez escura é tão


lustrosa quanto ouro. Para alcançar a felicidade da união com ele, que gopé
usa roupas cor de açafrão. Açafrão é uma cor adequada para ascetas,
portanto ela agora é objeto de ridículo entre sua própria comitiva. Ela deve
estar deprimida com isso. ”

Verso 37

sakala-bhuvana-jana-vara-taruëena

vahati na sä rujam ati-karuëena

sakhi! yä ramitä ... ( 7)

222288
Ato Sete

Tradução

“K Ša é o melhor de todos os jovens de todo o universo. Sua forma jovem e


encantadora é brilhante. A heroína que agora está desfrutando do amor com
ele não sente a terrível dor da separação no âmago de seu coração porque
ele é extremamente compassivo. ”

Comentário

Elogio - “Entre todos os tenros rapazes dos vários sistemas planetários, K


Ša mais abundantemente exala as alegrias da juventude. Ele é o mais bonito
e o melhor entre os novos atores adolescentes de drama e dança. Ele é um
oceano de misericórdia. A bela jovem que ele satisfaz não cairá em uma
condição miserável e se tornará totalmente apática como eu. ”

Crítico - “Aquela atraente jovem amante gosta de amar os melhores rapazes


do universo. Ela deve sentir dor quando está separada de qualquer um
deles. ”

Versículo 38

ré-jayadeva-bhaëita-vacanena

praviçatu harir api hådayam anena

sakhi! yä ramitä ... ( 8)

Tradução

Que ®r… Hari entre nos corações dos devotos junto com as palavras de
lamentação de R € dh €, proferidas aqui por ®r… Jayadeva.
Comentário

Esta versão das palavras de Rädhä foi cantada para glorificar Mädhava.
Que K Ša fique satisfeito com esta canção e entre no coração. Em que
coração ele deve entrar? O coração de ®r… R € dh €.

222299

Çré Geta- govinda

E que o amante supremo, entrando pelos ouvidos dos recitadores e da


audiência de minha canção, tome seu lugar no coração de lótus de seus
sentimentos amorosos extáticos.

Esta décima sexta música de Çré Géta-govinda tem direito Näräyaëa-


madanäyäsa.

Verso 39

˜Ì ?? ÌÌâ — Ì ¥ ÌÌ ?? Ì ?? zù ?? Ì ZÌ ?? zù ?? ÌÌÍ ?? Ì¡ô ÷ p ̲ÌÕzù œâú


zùÍKÌsÌ ˜ÌÙfÌ ¥ Ì̘ÌtÌ̘ÌÆ

* KÌsÌÉ `ÌOÌt p ÌÌsÌ Í ¥ ÌŒÌÌ ™ Ì ˜ÌÌŒÌ ¥ ÌÉ

?? ÌÙœ ÷ Ìâ ˜Ì˜Ì p ÌÌsÌ · þœ ÷ Ìâ —ÌÍ ¥ Ì s ™ ÌÍ²Ì * 39 *

manobhavänandana candanänila
praséda re dakñiëa muica vämatäm kñëaà

jagat-präëa vidhäya mädhavaà

puro mama prana-haro bhaviñyasi

Tradução

“Ó brisa da Montanha Malaya! Ó você que dá alegria a K € madeva! Fique


no sul! Desista de seu antagonismo! Ó você que é como o prana do
universo! Traga M € dhava antes de mim e depois tire meu prana. ”

Comentário

Rädhä diz: "O vento da Montanha Malaya faz as flechas de kama

alcançar seu alvo. Agora ele se voltou contra mim. Ele encantou seu amigo
Kämadeva, colocando-me em chamas e queimando-me tão fortemente no
fogo agonizante dos desejos sensuais. ”

Incapaz de tolerar os golpes infligidos pelas flechas de Kämadeva, Rädhä


dirige-se à brisa da Malásia. “Você é chamado de vento Sul e dá alegria ao
mundo inteiro. Então, por que você não tem uma disposição favorável para
mim? Por que você se tornou antagônico? Eu sei que você é um
companheiro de Kämadeva e é certo que sua natureza foi contaminada pelo
contato com o infestado de cobras

223300

Ato Sete

árvores de sândalo na montanha Malaya. Quanto sofrimento você vai me


infligir? Ó ar da vida do universo, fique satisfeito por apenas um momento
e me perdoe. Abandone sua animosidade por mim. Você pode tomar meus
ares vitais, mas tenho um último pedido. Primeiro me dê a oportunidade de
ver minha amada M € dhava, e então você pode saquear meu prana. ”

Este versículo apresenta vaàçasthavila chanda e atiçayokti alaìkära.

Verso 40

Íœú ?? ÌÙÍœú ¥ Ì ²ÌLÌÕ²ÌÉ ¥ Ì̲ÌÌâ% ™ ÌÉ

ͨÌLÌÕ ¥ Ì Í · þ˜ÌÌÍ ?? Ì¡ô ÷ Ìâ Í ¥ Ì s ÌÍ˜Ì ¥ Ì

²ÌÙŒÌÌœ ÷ Ѩ˜Ì ™ ÌÊѲ˜Ì ?? zÙù ?? ÌÌâÍtÌ ˜Ì ?? ÌÌâOÌtÌâ * Àþzù ™ ̘Ìzù ™


Ìâ tÌѲ˜Ì N Ìâ FÙò ¥ Ì¡ô ÷ ™ Ì ‹ù¨ÌÌÉ ¥ Ì̘Ì: Fò̘ÌÌâ Í ?? ÌFò̘ÌÍ ??
ÌœúSÛó¨Ì: * 40 *

ripur iva sakhé-saàväso 'yaà çikhéva himänilo

viñam iva sudhä-raçmir yasmin dunoti manogate hådayam

adaye tasminn evaà punar valate balät

kuvalaya-dåçäà vämaù kämo nikäma-niraìkuçaù

Tradução

“O Sakhi, meu coração sente a agradável companhia de meus amigos como


a associação de inimigos. A brisa fresca e suave parece um fogo sacrificial
e o luar me dá dor como se fosse veneno. No entanto, meu coração está
fortemente apegado a ele contra minha vontade. É verdade que kama é
sempre completamente desenfreado ao lidar com mulheres jovens
apaixonadas que são tão bonitas quanto o lírio d'água que floresce à noite. ”

Comentário
Rädhä critica seu próprio coração na loucura da separação. Ela reclama
com ela sakhé, “Ai de mim! A quem posso culpar? Hoje, minhas
lembranças de K Ša fazem com que a feliz companhia daqueles queridos
amigos que me proibiram de encontrá-lo pareça uma chuva hostil de
inimizade. A brisa fresca me queima como o fogo e a lua

223311

Çré Geta- govinda

parece ser um veneno mortal. O Sakhi, Apesar de toda essa adversidade,


meu coração ainda corre incessantemente atrás daquela pessoa cruel e
impiedosa, ®r… K Ša. Portanto, a única causa do meu sofrimento é meu
próprio coração indiscriminado. Para mulheres com olhos de lótus que não
têm o poder de discriminar entre o benéfico e o prejudicial,

kama é extremamente difícil de conter e se transforma em causa de miséria


ilimitada. K € madeva é incontrolável. Ele é um antagonista severo de belas
jovens e seu comportamento é especialmente lascivo em relação às
heroínas em separação. ”

Este versículo apresenta Hariëé Chanda e virodha ala k € ra.

Versículo 41

-??ÌÌŒÌÌÉÌ¡ô÷Í ??¥ÌŒÌâÍÌfÌ– ÌÌsÌ·þ ˜Ì¡ô ÷ ™ ÌÌÍ

p ÌÌsÌÌ ?? OÌß · þÌsÌ ?? Ì OÌß · Éþ

™ ÌÙ ?? Ìœ ÷ ̬ÌÍ ™ Ì s ™ Ìâ * ÎFò tÌâ FßòtÌÌ ?? tÌ — ÌÍOÌÍ ?? Ì K̘Ì


™ ÌÌ tÌ œúWóÌÍ ?? Ì Í²ÌfÌ ˜Ì˜Ì ¨Ì̘ ™ ÌtÌÙ zâù · þzùÌ · þ: * 41 *

bädhäà vidhehi malayänila païca-bäëa


präëän gåhäëa na gåhaà punar äçrayiñye kià te

kåtänta-bhagini kñamayä taraìgair

aìgäni siica mama Çämyatu deha-dähah

Tradução

“Ó brisa da Malásia, me dê dor! Ó arqueiro com cinco flechas, você pode


roubar meus ares vitais, mas eu nunca irei para casa! Ó Yamunä, você é a
irmã de Yama, o senhor da morte. Então, por que você deveria me perdoar?
Salpique-me com suas ondas para que a angústia ardente de meu corpo se
extinga para sempre. ”

Comentário

Rädhä agora está queimando no calor da separação. Fazendo um voto de


desistir de sua vida, ela diz: “Ó brisa da Malásia! Ó vento frio, por que
você está esperando? Tome uma posição e me dê dor! Ó Païcabäëa, saqueie
meu prana! É por isso que você tem cinco flechas - para roubar meus cinco
ares vitais. Roubar prana é seu objetivo final.

223322

Ato Sete

“Embora isso seja verdade, você primeiro inflama aqueles que estão
sofrendo e os direciona para a vida familiar. No entanto, vou morrer
primeiro. Não importa o quanto você me controle, eu nunca irei para minha
casa. Vou me abrigar aos pés de lótus de ®r… K Ša. ”

Rädhä é devastado por kama. Depois de criticar Kämadeva e a brisa da


Malásia, Rädhä se volta para o rio Yamunä, “Ó Yamunä, você é a irmã de
Yamaräja, o senhor da morte! A brisa da Malaya e Kämadeva estão me
torturando. Embora K € madeva seja a causa da união de amantes, ele
mudou seu comportamento. A brisa da Malásia, que normalmente me
encanta, agora me deixa deprimido.

Quando meus pranas forem aceitos por ambos, que resposta você dará ao
seu irmão Yama? Portanto, não me perdoe. Mergulhe meus membros em
suas ondas. Leve meu cadáver em suas águas para que o calor do meu
corpo sem vida seja extinto. ”

Desta forma, os sentimentos de separação de Rädhä de K Ša alcançaram a


décima e última condição - desejar a própria morte.

Este versículo apresenta vasanta-tilakä chanda e aprastuta-praçaàsä


alaìkära.

Verso 42

p ÌÌtÌ ?? Ì × ¡ô ÷ Í ?? ÌZÌÌâ¡ô ÷ ˜ÌZ ™ ÌÙt̘ÌÙœú: ²ÌÉ ¥

ÌÕtÌ ?? ÌÕtÌÌɨÌÙFÉò œ ÷ ÌŒÌÌ ™ ÌÌ © ÌÍFòtÌÉ Í ¥ Ì¡² ÷ Ì ¥ E ™ ÌæœÉú


²ÌLÌÕ˜Ìsn ÷ ¡âô ÷ v ÌÕn ÷ ÌZÌfÌ¡ô ÷ ˜ÌfÌ¡Éô ?? Ì ™ Ì ?? Ì ™ ÌÌ✠÷ ÌŒÌÌ ™
Ì œ ÷ ÌŒÌÌ ?? Ì ?? Ìâ

² ¥ ÌÌzÙù²˜Ìâœú˜ÌÙLÌÌâ% ™ ̘̲tÌÙ `ÌOÌzùÌ ?? Ì ?? zùÌ ™ Ì ?? Ì ?? zùÌt˜Ì`Ì:


* 42 *

prätar néla-nicolam acyutam uraù saàveta-pétäàçukaà

rädhäyäç cakitaà vilokya hasati svairaà sakhé-maëòale vréòä-caïcalam


aïcalaà nayanayor ädhäya rädhänane

svädu-smera-mukho 'yam astu jagad-änandäya nandätmajaù

Tradução
Certa manhã, em um estado de total perplexidade, Acyuta Kåñëa vestiu a
roupa de cima azul de Rädhä e Rädhä cobriu seu peito com a camisa
amarela de Kåñëa

223333

Çré Geta- govinda

vestuário. Vendo isso, todo o sakhés explodiu em acessos de riso


incontrolável. Quando K Ša os viu rindo, ele ficou tímido e, com um
sorriso suave, lançou um olhar de soslaio expressivo para a face de lótus de
Rādhä. Que aquele filho de Nanda dê alegria a todo o universo.

Comentário

Çré Jayadeva dá uma bênção aos devotos no verso final do Ato Sete. “Que
K Ša, o filho de Nanda Mah € r € ja, conceda bem-aventurança a todo o
mundo.” ®r… Jayadeva se lembrou de um passatempo amoroso de ®r… R
€ dh € -M € dhava que ocorreu anteriormente em uma floresta próxima e
ele descreveu a cena do amanhecer ali.

Podemos inferir que ®r… Jayadeva não poderia mais descrever R € dh € na


dor da separação ( khaëòitävasthä). Em vez disso, ele nos dá um vislumbre
de seu estado de desordem feliz ( khaëòitävasthä) depois de se

encontrar com K Ša na noite anterior. Ele emprega a lógica do olhar de um


leão ( siàhävalokana-nyäya) para descrever a tendência geral dos
passatempos noturnos. Esta forma de lógica refere-se ao lançamento de um
olhar retrospectivo enquanto prossegue simultaneamente.
®r… ®r… R € dh € -M € dhava passaram a noite juntos absortos em jogos
de amor. Quando amanheceu, em estado de perplexidade, eles vestiram as
roupas um do outro. Acyuta (infalível)

Kåñëa vestiu o corpete azul de Rädhä e Rädhä cobriu o seio dela com sua
vestimenta amarela. o sakhés desatou a rir ao testemunhar esta troca
surpreendente e eles ficaram maravilhados. Os olhos de ®r…

K Ša ficaram inquietos de vergonha. Seu olhar de soslaio pousou no rosto


de Rädhä e ele corou com um sorriso gentil.

Este versículo revelou o desejo de ®ré Jayadeva pela auspiciosidade do


mundo.

Inclui hasya-rasa, çärdüla-vikréòita chanda e svabhävokti alaìkära. O herói


é çaöha näyaka e a heroína é abhisärikä näyikä.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o Ato Sete de Çré


Géta-govinda, intitulado Nägara-näräyaëa.

234
Ç +* ®õ˜Ì: ²ÌOÌÊ:

*K˜ÌÕ̡ͥô??÷ÌÍtÌ:K™* Ì¡ô ÷
Ato Oito

- vilakñya-lakñmépatiù -

O infeliz senhor da fortuna


Verso 1

É yÌ Fòy̘ÌÍ ?? Ì ™ ÌÌÍ˜Ì ?? ÌÖ Í ¥ Ì
ÌÕ ™ Ì ²˜Ìœú¨Ìœú`Ì`ÌÊÍœútÌÌÍ
Ì ²ÌÌ p Ì — ÌÌtÌâ *

+??ÌÉÌÙ¥??Ìzù ™?? Ìt̘̥ÌZÌg I a

p ÌsÌt̘ÌÍ ?? Ì Í p Ì ™ ̘ÌÌ · þ ²ÌÌ— ™ ̲ÌÜ ™ ̘ÌÆ * 1 *

atha katham api yaminéà vinéya

smara-çara-jarjaritäpi sä prabhäte

anunaya-vacanaà vadantam concorda

praëatam api priyam äha säbhyasüyam

Tradução

a partir de então, Rädhä de uma forma ou de outra conseguiu passar a noite.


Quando a manhã chegou, K Ša caiu a seus pés e tentou apaziguar sua ira
com palavras humildes. Embora Rädhä tenha sido gravemente ferido pelas
flechas de Cupido, ao ver seu querido amante presente diante dela com um
humor submisso e expressando seus sentimentos de separação, ela começou
a falar com ele com um temperamento ciumento.

Comentário

Durante toda a noite anterior, Rädhä teceu continuamente uma rede de


suposições sobre K Ša inteiramente a partir das invenções de sua
imaginação. Ela esperaria por sua chegada com intensa saudade e, como ele
não veio, ela foi dilacerada pela decepção. Ela continuamente enviava
mensagens e respostas sobre os efeitos nocivos da inebriante brisa da
primavera. Naquela noite da primavera, ela foi atingida de dez direções ao
mesmo tempo pela fragrância de variedades de flores e pelas flechas de
kama. Ela lamentava incessantemente no local designado para o encontro,
enquanto sonhava em se encontrar com K Ša e se perdia completamente
nas memórias da união com ele. Assim, a noite passou e a manhã veio.
Como isso é irônico; o huff ( mäna) de heroínas fazendo beicinho aumenta
na presença de seus entes queridos. Quando K Ša finalmente veio antes

223377

Çré Geta- govinda

ela, ele se curvou e disse palavras extremamente humildes de conciliação.


Em um humor submisso,

ele tentou confortá-la e dissipar sua raiva. No entanto, simplesmente pela


influência devastadora de kama, ela viu sinais de fazer amor no corpo de K
Ša e tornou-se ainda mais impetuosa e imprevisível.

A reverência de ®ré Kåñëa aos pés de lótus de ®ré Rädhä representa a


maior excelência de prema. O prana de Rädhä subiu até sua garganta; ou
seja, ela estava prestes a expirar. Seu ciúme aumentou simplesmente por
ver seu amado K Ša e ela falou o seguinte.
223388

S CENE S DEZESSETE

Canção 17

O modo musical é bhairavé raga. O ritmo é yati täla.

œú`ÌÍ ?? Ì`ÌÍ ?? ÌtÌOÌÙ ?? û`ÌÌOÌœúœ ÷ ÌOÌFò s ÌÌÍ ™

Ìt̡̘ô ÷ ²ÌÍ ?? ̘Ìâ s ̘ÌÆ * ¥ Ì · þÍtÌ ?? Ì ™ Ì ?? Ì˜Ì ?? ÌÙœ ÷ ÌOÌÍ˜Ì ¥ Ì ² •


Ùòhõ˜ÌÙÙÍzùtÌœú²ÌÌÍ —

É ÞÍœú · þÍœú ™ ÌÌÍ · þ ˜ÌÌŒÌ ¥ Ì ™ ÌÌÍ · þ Fâò¨Ì ¥ Ì ˜ÌÌ ¥ Ìzù FæòtÌ ¥


Ì ¥ ¥ ÌÌzÉù tÌÌ˜Ì ?? Ìٲ̜ú ²ôœú²Ì ?? û Ì¡ ÌÌ tÌ ¥ Ì · þœ ÷ ÍtÌ Í ¥ Ì s ÌÌzù˜ÌÆ *
D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 2 *

FòaÌ¡ô ÷ ˜ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ÌâZÌ ?? ÌZÌÙ˜ – Ì ?? ÌÍ ¥ Ìœ ÷ ÍZÌtÌ ??

ÌÕÍ¡ô ÷ ˜Ì R ü ?? ̘ÌÆ * zù¨Ì ?? Ì ¥ Ì²Ì ?? Ì˜Ì ?? ûsÌÉ tÌ ¥ Ì Fßò s sÌ tÌ ??


ÌÌâÍtÌ tÌ ?? ÌÌâœú ?? ÌÙ

É Ì ?? ÌÙœú ?? ÌÙ · þœ ÷ ÍtÌ tÌ ¥ Ì ²˜Ìœú²ÌWóœúLÌœú ??


ÌLÌœúKÌtÌœâúL̘ÌÆ * ˜ÌœúFòt̨ÌFò¡ô ÷ FòÍ¡ô ÷ tÌFò¡ô ÷ ŒÌÌætÌÍ¡ô ÷ ??
ÌâÍœú ¥ Ì œ ÷ ÍtÌ`Ì ™ Ì¡âô ÷ L̘ÌÆ * · þÍœú ·

ZÌœúsÌFò˜Ì¡ô ÷ OÌ¡ô ÷ zù¡ô ÷ HòFòͲÌHò͘ÌzÉù tÌ ¥ Ì Àþzù ™


̘ÌÙzùÌœú˜ÌÆ *

zù¨ÌÊ ™ ÌtÌÕ ¥ Ì –ÌÍ · þ˜ÌÊzù ?? Ì ‡ Ùù˜Ì ?? Ì ¥ ÌÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ì ?? ÌÍœú ¥


ÌÌœú˜ÌÆ * · þÍœú · þÍœ

zù¨Ì ?? Ì ?? ÌzÉù —Ì ¥ ÌzùŒÌœúOÌtÌÉ ˜Ì˜Ì `Ì ?? Ì ™ ÌÍtÌ ZÌâtÌÍ²Ì LÌâzù˜ÌÆ *

FòyÌ ™ ÌÍtÌ Fòy̘̌ÌÙ ?? ÌÌÍ ?? Ì ˜Ì ™ ÌÌ ²Ì · þ tÌ ¥ Ì ¥ Ì ?? ÌÙœâútÌzù —


Ìâzù˜ÌÆ * · þÍœú · þÍœ
€ ÌÍ · þÍœú ¥ Ì ˜ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌtÌœÉú tÌ ¥ Ì Fßò s sÌ ˜Ì ?? ÌÌâ% Í ?? Ì —ÌÍ ¥
Ì s ™ ÌÍtÌ ?? ÌÜ ?? ̘ÌÆ * Fòy̘ÌyÌ ¥ ÌfÌ ™ ̲Ìâ `Ì ?? Ì˜Ì ?? ÌÙOÌt̨̘̲̘̜ú`
¥ ÌœúzÜù ?? ̘ÌÆ * · þÍœú · þÍœú0 * 7 *

B ̘ÌÍtÌ —Ì ¥ ÌÌ ?? Ì – Ì¡ô ÷ ÌFò ¥ Ì¡ô ÷ Ì ™ Ì ¥ Ì ?? Ìâ s ÌÙ ÍFò˜ÌwÌ Í ¥


ÌÍZÌw̘ÌÆ *

p ÌyÌ ™ ÌÍtÌ ?? ÌÜtÌÍ ?? ÌFæò ¥ Ì ¥ ÌŒÌÜ ¥ ÌŒÌÍ ?? ÌzÊù ™ Ì – ÌÌ¡ô ÷


ZÌÍœúw̘ÌÆ * · þÍœú · þÍœ

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌœ ÷ ÍtÌ ¥ ÌÍfÌtÌLÌÑsn ÷ tÌ ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ Ì ??


̘ÆÌ *

§ÌßsÌÙtÌ ²ÌÙŒÌ̘̌ÌÙœÉú Í ¥ Ì – ÌÙŒÌÌ Í ¥ Ì – ÌÙŒÌÌ¡ô ÷ ™ ÌtÌÌâ% Í ?? Ì


zÙùœ ÷ Ì ?? ̘ÌÆ * · þÍ

Çré Geta- govinda

Verso 2

rajani-janita-guru-jägara-räga-kañäyitam alasa-nimeñam vahati nayanam


anurägam iva sphuöam udita-rasäbhiniveçam

hari! hari! yähi mädhava yähi keçava mä vada kaitava-vädaà täm anusara
saraséruha-locana yä tava harati viñädam

(refrão) (1)

Tradução

“M € dhava, vá! Keçava, vá embora! Não fale palavras enganosas! Vá para


a mulher que pode tirar sua tristeza! Seus olhos cansados estão fechando
lentamente porque você esteve totalmente alerta durante a noite. Eles estão
avermelhados de sua absorção nas doçuras do amor e mesmo agora eles
expressam um apego poderoso e crescente por aquele lindo vraja-gopé. ”
Comentário

Hari! hari! - “Oh Deus, Senhor, tenha piedade!” Essas duas interjeições não
flexionadas faladas por Rädhä são expressões de seu profundo
desapontamento. Eles também servem para completar a métrica da música.

Os olhos de Kåñëa estão vermelhos porque ele passou a noite inteira


acordado na angústia da separação. K Ša está tão cansado que seus olhos se
fecham repetidamente. Percebendo isso, Rädhä se dirige a ele por três
nomes que revelam seu estado de espírito, especialmente o ciúme de sua
rival.

Mädhava - No humor de uma heroína rejeitada ( khaëòitä näyikä), Rädhä


diz a seu amado enquanto se curva diante dela: “Lakñmépati, vá! Vá
embora! Você está profundamente apegado a outra pessoa.

Portanto, você está fadado a ofender os outros de uma forma ou de outra.


Você não é ( mä) meu marido ( dhava). O que falar de ser meu marido,
você me engana. ”

Alternativamente, mä implica, “Lakñmé é inconstante por natureza,


portanto, é lógico concluir que seu consorte também é inconstante. Já que
sou devotado a apenas um consorte, como você poderia ter algum afeto real
por mim? Não é possível, então vá embora! ”

224400

Ato Oito

O significado proeminente de mä é ®ré Rädhä; e dhava refere-se a


präëapriyatama, seu mais amado K Ša, que é mais querido do que seu
próprio ar vital.
Keçava - Apresentando novas acusações e expressando sua insatisfação ela

disse: “Ó Keçava, vá embora!” Aquele que usa trajes e ornamentos


excelentes e cujos cabelos estão sempre soltos é chamado Keçava.

Alternativamente, aquele que está ligado a uma pessoa cujo cabelo é


atraente é chamado de Keçava. Aqui a palavra keçava implica: “Que você
se dedique a alguma outra mulher ignóbil cujo cabelo seja adornado de
forma atraente. Ó amado de muitos! Qual é o sentido de falar palavras
enganosas para mim quando estou sempre dedicado a apenas uma pessoa?
Não conte mentiras. Se você está se perguntando por que estou zangado e
chateado, então ouça - não é assim. Vá e siga aquela mulher de olhos de
lótus que tira todas as suas preocupações e desgraças. Seu amado também
deve ter muitos amantes - como amores semelhantes. ”

Saraséruha-locana - "Ó olhos de lótus!" A palavra Saraséruha pode referir-


se ao lótus que floresce do dia ( kamala) ou o lótus que floresce à noite
( kumuda). É bem sabido que os olhos de K Ša se assemelham ao kamala.
Mas aqui, Rädhä refere-se ao

kumuda, que permanece aberto durante a noite e fecha ao romper do dia. K


Ša também apareceu na dinastia da lua. Portanto, Rädhä suspeita que, como
a lua, ele passou a noite inteira acordado com sua amante.

“Mesmo agora, sua sede por ela é visível em seus olhos. Sua culpa, na
forma de vermelhidão do amor, ainda está lá. A crescente absorção em
Çåìgära-rasa que surgiu em sua associação é evidente em seus olhos até
agora. O comportamento astuto se manifesta de acordo com a natureza do
coração ”.

Alternativamente, saraséruha-locana significa: "Ó você cujos olhos estão


semicerrados porque você está sempre imerso em felicidade!" Rädhä
admoestou Kåñëa: "Vá até aquela mulher que derramou sua misericórdia
sobre você a noite toda."
Kåñëa respondeu: “Rädhä, sou um em prana e um em corpo com você.
Estou falando a verdade quando digo que não me associei a nenhuma outra
mulher. É verdade que meus olhos estão avermelhados - mas não de ficar
acordado com outra mulher. Meus olhos estão fechando de cansaço. ”

224411

Çré Geta- govinda

Verso 3

kajjala-malina-vilocana-cumbana-viracita-nélima-rüpam daçana-vasanam
aruëaà tava kåñëa tanoti tanor anurüpam

hari! hari! yähi mädhava ... ( 2)

Tradução

“Seus lindos lábios vermelhos são a vestimenta de suas fileiras de dentes.


Eles se tornaram enegrecidos como seu corpo por beijar seus olhos
manchados de colírio. "

Comentário

Projetando o ato de traição a M € dhava dentro de si, R € dh € começa a


perfurá-lo com insinuações de partir o coração. “K Ša! Não há necessidade
de engano. Se você diz: 'Não passei a noite com nenhum outro amante',
então por que seus olhos estão tão vermelhos? Seu prema pois aquele
amante apaixonado ainda está brilhando em seus olhos, mesmo agora. "
K Ša respondeu: “Meu querido, estou lhe dizendo a verdade. Não estive
acordado a noite toda com nenhuma outra amante. Meus olhos estão
fechando porque estou cansada. ”

Rädhä disse: “Então por que seus lábios vermelhos ficaram pretos? O
colírio dela se assemelha à compleição do seu corpo e você beijou seus
olhos manchados de colírio a noite toda. Vá embora! Volte para aquela
mulher que coloriu seus olhos, coloriu seus lábios e derramou sua
compaixão sobre você a noite toda. Não diga mentiras para mim. Ir! Seus
olhos estão vermelhos de tanto absorver a alegria de fazer amor. Sendo
colorido pela vermelhidão de anuraga, eles revelam claramente o seu forte
apego por aquele lindo vraja-gopé. ”

Verso 4

vapur anuharati tava smara-saìgara-khara-nakhara-kñata-rekham marakata-


çakala-kalita-kala-dhauta-liper iva rati-jaya-lekham

hari! hari! yähi mädhava ... ( 3)

224422

Ato Oito

Tradução

“Seu corpo escuro está marcado com arranhões das unhas afiadas daquela
mulher apaixonada. Ela é tão especialista em combate erótico durante seus
jogos de amor sensuais. Parece que um certificado de vitória na relação
sexual foi inscrito em letras douradas em uma parede de esmeralda. ”
Comentário

Rädhä diz: “Ó K Ša, cada um de seus membros está me contando a história


de seus passatempos amorosos. Essa mulher encantadora fez arranhões em
seu peito com suas unhas afiadas. Parece que seu coração é um campo de
batalha no qual uma guerra terrível aconteceu. Existem marcas de
arranhões vermelhas e afiadas em seu corpo escuro. Parece que um
certificado de vitória na relação sexual foi escrito em tinta dourada sobre
uma esmeralda escura. Este registro de vitória proclama a notícia de sua
conquista. Uma mulher apaixonada enviou esta carta de amor amorosa para
seu parceiro: 'Eu te conquistei completamente neste concurso erótico.' ”

Rädhä também está condenando Kåñëa por sua humildade. Ela sugere que
ele foi rebaixado da posição de herói ( näyaka) para a posição de um
mensageiro ( duta) entregando esta carta em nome do rival de Rädhä.

Rädhä usou a palavra khara ( afiada) com uma intenção especial.


Primeiramente, aponta para a derrota no ato sexual. Em segundo lugar, os
arranhões feitos pelas unhas não devem ser profundos; eles devem ser
macios. Arranhões duros são dolorosos. Portanto, Rädhä implica: “Parece
que essa amante não tem o conhecimento adequado das técnicas de fazer
amor. Agora vá embora!"

Kåñëa respondeu: “Rädhä, eu estava procurando por você nas florestas


espinhosas. Meu corpo foi arranhado por aqueles espinhos. Estas não são as
marcas de unhas de uma jovem. ”
224433

Çré Geta- govinda

Verso 5

caraëa-kamala-galad-alaktaka-siktam idaà tava hådayam udäram


darçayatéva bahir madana-druma-nava-kisalaya-pariväram

hari! hari! yähi mädhava ... ( 4)

Tradução

“Seu célebre peito é colorido com marcas de cordão vermelho dos pés de
lótus daquela mulher atraente. Parece que a árvore do desejo amoroso
firmemente enraizada, situada no âmago do seu coração, está manifestando
externamente suas folhas vermelhas recém-germinadas. ”

Comentário

As palavras de Rädhä estão cheias de acusações veladas. “Aha! Seu


coração é tão generoso. Que aparência encantadora assumiu! Você exibiu
sua generosidade segurando os pés de lótus daquela mulher apaixonada em
seu coração na alegria de prema. A cor do laca vermelho líquido fluindo de
seus pés coloriu seu peito. A vermelhidão do cordão de pé em sua pele
escura aumenta sua beleza. Parece que o apego profundo em seu coração
está se manifestando externamente na forma desta
cor, como novas folhas vermelhas na árvore do seu desejo amoroso. As
folhas frescas disso kama árvore em seu coração estão saindo. Este caso de
amor proibido brotou em seu peito e agora suas novas folhas vermelhas são
visíveis na forma dessas pegadas. Você não pode esconder seu apego por
ela. Não há nada para você aqui, então vá embora! ”

De acordo com a opinião de alguns comentaristas, Rädhä implica que


Kåñëa deve ter feito amor com esta heroína em uma posição especial
chamada Krodha-

bandha.

Apresentando um caso para sua inocência, Kåñëa disse: "Este é apenas o


resto de uma imagem pintada em minerais como gairika-dhätu. Eu não
segurei os pés de lótus de nenhuma bela jovem e este certamente não é o
footlac de ninguém espalhado em meu coração. ”

224444

Ato Oito

Verso 6

daçana-padaà bhavad-adhara-gataà mama janayati cetasi khedam kathayati


katham adhunäpi mayä saha tava vapur etad abhedam

hari! hari! yähi mädhava ... ( 5)

Tradução
“Seus lábios estão cortados e feridos pela mordida dos dentes daquela
mulher sensual. Vendo isso, a tristeza aumenta dentro do meu coração, mas
mesmo agora você diz: 'Seu corpo não está separado do meu. Nossos
corpos não são diferentes. '”

Comentário

“K Ša! Você pode se defender contra evidências incriminatórias, como a


vermelhidão dos olhos, fazendo declarações fraudulentas, mas como você
explicará as feridas em seus lábios macios como pétalas? Os cortes feitos
pelos dentes daquela mulher sensual são tão claramente visíveis quanto a
lua crescente. Seu sorriso desavergonhado inflama meu coração. A
impressão da 'mordida' daquela mulher em seus lábios na hora de fazer
amor está despertando minha tristeza. Eu havia alcançado a décima e
última condição em separação de você. Você diz repetidamente: 'Nós dois
somos um'. Como você ousa dizer isso - com as marcas de mordida dela em
seus lábios. Saia daqui."

®r… K Ša defendeu sua inocência. “Ó querida, meus lábios foram feridos


pelas picadas de abelhas ávidas por sua fragrância. Eles não foram
mordidos por uma mulher. ”
224455

Çré Geta- govinda

Verso 7

bahir iva malinataraà tava kåñëa mano 'pi bhaviñyati nünam katham atha
vaicayase janam anugatam asamaçara-jvara-dünam

hari! hari! yähi mädhava ... ( 6)

Tradução

“K Ša! Seu coração deve ter se tornado tão escuro quanto seu corpo. Se não
fosse assim, você não enganaria seu próprio dependente dessa maneira;
especialmente em um momento em que ela é mutilada pelas flechas de
Cupido. ”

Comentário

Rädhä está desapontado. Ela diz: “K Ša! Você está ainda mais escuro por
dentro do que por fora. Como um coração naturalmente nobre e limpo pode
se tornar tão indiferente a mim? Seu coração negro é tão perverso, mesmo
para aqueles que estão inclinados a você e aqueles que se abrigaram em
você. Só um coração tão poluído poderia ser tão enganador a ponto de me
negligenciar para desfrutar com o amante de outra pessoa. Já estou
traumatizado pelas flechas de kama. Pelo menos você não deve me trair
nesta condição. Vá, trapaceiro! Saia daqui. Uma pessoa de coração puro
nunca poderia fazer tal coisa. ”

Kåñëa disse: “Rädhä! Não duvide de mim desnecessariamente. Eu nunca


iria enganá-lo. ”
Verso 8

bhramati bhavän abalä-kavaläya vaneñu kim atra vicitram prathayati


pütanikaiva vadhü-vadha-nirdaya-bäla-caritram

hari! hari! yähi mädhava ... ( 7)

Tradução

“Você está vagando de floresta em floresta simplesmente com o propósito


de matar mulheres inocentes. O que há de surpreendente nisso? Matando
Pütanä enquanto ainda

224466

Ato Oito

na tua infância já nos conheceste da tua natureza cruel e impiedosa. Matar


mulheres é apenas uma parte do seu comportamento habitual. ”

Comentário

Rädhä continuou: “É sua natureza inerente vagar pelas florestas 'devorando'


e matando mulheres. Então, se você também me mata, o que há de tão
surpreendente nisso?

“Mesmo em sua infância, você se tornou conhecido por matar a beligerante


Puta, a irmã de Kaasa. Então, como é fácil para você matar uma mulher
como eu. Quando uma mulher tão poderosa envelheceu e morreu
imediatamente por sua influência, o que há de tão surpreendente em matar
uma mulher como eu? As escrituras védicas afirmam que é proibido matar
uma mulher. Tal ato é considerado muito repreensível. Mas essa sua
depravação é inata desde o nascimento. Vá embora. Agora que você é um
homem jovem, não terá que fazer o menor esforço para matar uma mulher
como eu. Ó cruel, me deixe em paz! "

Verso 9

Çré-jayadeva-bhaëita-rati-vaicita-khaëòita-yuvati-viläpam çåëuta sudhä-


madhuraà vibudhä vibudhälayato 'pi duräpam

hari! hari! yähi mädhava ... ( 8)

Tradução

™ eruditos, vocês podem ouvir o lamento amargo de uma jovem


traída e desprovida de sensações, Rädhä, que é ainda mais doce que o
néctar e raramente alcançada mesmo nos reinos celestiais.

Comentário

Aqui, ®ré Jayadeva se dirige aos sábios e aos seres celestiais: “Ó eruditos,
ouçam a lamentação desta jovem rejeitada que foi privada do cobiçado
prazer da união amorosa. Esta lamentação é mais doce

224477

Çré Geta- govinda


do que o néctar. Nunca é possível saborear o néctar de sua lamentação no
mundo celestial. A substância mais doce disponível lá é a ambrosia dos
semideuses. Esta ambrosia é amarga em comparação com a lamentação de
Rädhä, embora o néctar de sua lamentação esteja disponível para os
humanos aqui na terra. Portanto, aqueles que desejam constantemente se
lembrar de Rädhä-Kåñëa devem definitivamente beber este néctar
incomparável. ”

Nesta música, Rädhä é khaëòitä näyikä. As características do khaëòitä

heroína são:

nidrä-kañäya-mukulékta-tämra-netro

näré-nakha-vraëa-viçeña-vicitratä gaù

yasyäù kuto 'pi patireti gåhaà prabhäte

sä khaëòeti kathitä kavibhiù puräëaih

“Um herói amado entra na morada de sua heroína vindo de outro lugar pela
manhã. Ele ficou acordado a noite toda. Seus olhos estão vermelhos e seus
membros estão lindamente marcados com arranhões feitos por outra jovem.
Poetas eruditos chamaram a heroína naquela época khaëòitä näyikä. ”

Esta décima sétima música de Çré Géta-govinda, intitulado Lakñmépati-


ratnävalé,

recursos megha raga e a vipralambha aspecto de Çåìgära-rasa e karuëarasa.

Verso 10

tÌ ¥ ÌâzÉù ?? ̨ ™ Ì ?? t ™ ÌÌ: p ̲̜úzù ??


ÌÙœ ÷ ÌOÌÉ –ÌÍ · þÍœú ¥ Ì Í p Ì ™ ÌÌ ?? ÌÌzùÌ¡ô ÷ HòZ \ ÙôÍœútÌ˜Ì ?? ûsÌ †
ÌâÍ ˜Ì˜ÌÌ † p ÌL ™ ÌÌtÌ p ÌsÌ ™ Ì — Ìœú — ÌWâó ?? Ì ÍFòtÌ ¥ Ì

t ¥ ÌzùÌ¡ô ÷ ÌâFò: ¨ÌÌâFòÌzùÍ ?? Ì ÍFò˜ÌÍ ?? Ì ¡ô ÷ aÌÌÉ `Ì ?? Ì ™ ÌÍtÌ * 10 *

tavedaà paçyantyäù prasarad-anurägaà bahir iva

priyä-pädälakta-cchuritam aruëa-dyoti-hådayam

mam € dya prakhy € ta-praŠaya-bhara-bha gena kitava

tvad-älokaù çokäd api kim api lajjäà janayati

224488

Ato Oito

Tradução

“Ó trapaceiro de duas caras! Sendo colorido por footlac dos pés de sua
amada

vraja-gopé, hoje seu coração vermelho radiante está revelando


externamente a poderosa sede de amor que existe dentro de você. Ao ver
isso, meu antigo e renomado amor por você está sendo cortado em pedaços.
É a vergonha que substitui a tristeza que sinto dentro do meu coração. ”

Comentário

Embora Rädhä seja agora khaëòitä, ela se refugia na arrogância. Acusando


K Ša, ela diz: “Ó charlatão! Quando você não chegou a tempo, continuei
esperando por você. Agora, minha célebre simpatia por você está sendo
despedaçada. Como posso me expressar? A dor que sinto ao me separar de
você é indescritível. Não consigo decidir se vivo ou morro. Como tal
calamidade se abateu sobre mim? Eu não posso viver e não posso morrer.

“Ó traidor! Vendo você nesta condição, não sinto tanta angústia quanto
sinto vergonha. Você desfrutou da união com uma mulher luxuriosa e, ao
segurar os pés dela sobre o coração, seu peito

ficou vermelho pelo cordão dela. Quando vejo o brilho vermelho da


madrugada, parece que hoje o anuraga você estava carregando em seu
coração transbordou. Quando vejo os sinais do prazer daquele amante onde
você costumava usar a joia Kaustubha, fico mortificado de vergonha.

“Eu costumava fazer você sentir a felicidade sem limites do orgulho do


meu amor exclusivo e confidencial por você. Mas agora você quebrou
aquele fio condutor de

prema por este comportamento desprezível. Você gostou de amá-la e nem


mesmo se envergonha disso. Que você seja abençoado, K Ša. Agora vá
embora, infiel. Por que eu te amo? "

o Chanda deste versículo é çikhariëé.

224499
Çré Geta- govinda

Kåñëa considerou: “Apesar de meus esforços determinados, Rädhä não


abandonará sua obstinação.

Portanto, agora terei de pedir ajuda ao meu enviado, a flauta. Parece que
não tenho outra alternativa.

A relutância de Rädhikä certamente será dissipada pelo som da minha


flauta. ” Portanto, ®r…

Jayadeva estende uma bênção através do som da flauta de K Ša no verso


seguinte.

Versículo 11

+ÌZÌ¡ô??t̘ÌÌä÷??· ˜Ìþ ?? zù̜̘ÌÌæÍ¡ô÷ Í÷¥QÌÜs̳ÌɲÌÊ???Ì-

²tÌ – ŒÌÌFò s ÌÊsÌ ‹ùÍ®õ · þ s ÌÊsÌ˜Ì · þÌ˜Ì ?? wÌ:

FÙòœúWóÕ ‹ù¨Ì̘ÌÆ *‹ ù ?? ™ Ì ~ ùÌ ?? Ì ¥ ÌzÜù ™ ̘ÌÌ ?? ÌÍzùÍ ¥ Ì s Ì ~


Ùù ¥ Ì B ÌɨÌ: FÉò²ÌÍœú ?? ÌÌâ ¥ ™ ÌÊ ?? ÌÌâ · þ ™ ÌtÌÙ ¥ Ì: ¬Ìâ ™ ÌÌÉÍ²Ì ¥
ÌɨÌÕœú

antar-mohana-mauli-ghürëana-calan-mandära-visraàsana-stabdhäkarñaëa-
dåñöi-harñaëa-mahä-mantraù kuraìgé-dåçäm

dåpyad-dänava-düyamäna-diviñad-durvära-duùkhä-padäà bhraàçaù kaàsa-


ripor vyapohayatu vaù çreyäàsi vaàçé-ravaù

Tradução

O som da flauta de K Ša confunde os corações dos gopés. Faz girar suas


tiaras de joias e cair suas elegantes decorações florais. Ele afasta o
sofrimento irreprimível dos celestiais que foram separados pelos infernais
arrogantes. Isso faz com que as mulheres com olhos de corça fiquem
atordoadas. Isso os atrai e aumenta o júbilo de seus olhos. Que o som da
flauta destrua todos os impedimentos no caminho da auspiciosidade para
todos.

Comentário

Çré Jayadeva dá uma bênção aos cantores e ao público de Çré Gétagovinda


por meio de uma invocação auspiciosa neste, o versículo final do Ato Oito.
“Que o som da flauta de Kaàsäri Kåñëa

expanda sua influência auspiciosa. Este som de flauta dissipa o sofrimento


intolerável dos celestiais ( devatäs)

causado pelos infernais arrogantes ( dänavas). Isso encanta o coração de

225500

Ato Oito

mulheres a tal ponto que, imersas em êxtase, suas tiaras rodopiam e suas
cabeças começam a girar enquanto elas continuamente olham em um
estado de perplexidade. o

mandära guirlandas de flores das ninfas celestiais no céu se quebram e


começam a cair. ”

O efeito encantador da canção da flauta de Kåñëa está sendo descrito.


Vaçékåtadevatä, a
divindade que preside a arte de subjugar os outros por meio de feitiços
mágicos, diz “ Sädhu, sädhu! Bravo!" e balança a cabeça em apreciação. O
balançar de cabeça e a queda de mandära flores indica o maraëa da flauta.
Quando uma cerimônia mágica é realizada para a destruição de um
inimigo, esse ritual é chamado märaëa. O poder da flauta de Kåñëa para
atordoar e atrair é famoso. Ao ouvir o som da

flauta, a cerva de Vraja é atraída e permanece imóvel. Uccäöana, o poder


mágico de fazer os outros abandonarem seus deveres ocupacionais é
claramente evidente no som da flauta de Kåñëa. O poder de criar confusão
no centro do coração de outra pessoa é chamado

mohanatva.

O som do flute de Kåñëa é, portanto, dotado das qualidades de (1)

mohanatva, ( 2) vaçékaraëatva, o poder mágico de escravizar os outros, (3)

Stambhatva, para atordoá-los, (4) äkarnaëatva, para atraí-los, (5)


uccäöanatva,

para fazê-los abandonar suas ocupações, e (6) maraëatva, para destruir


todos os elementos opostos. Portanto, o som da flauta de K Ša é a
personificação do maior encantamento, mahä-mantra-svar ™pa. O feitiço
mágico deste

mahä-mantra está especialmente relacionado ao gopés.

A fim de vencer a profunda contrariedade de Rädhä, Kåñëa começou a


tocar sua flauta, cujo som

€ o maior encantamento místico, dotado dos seis métodos eficazes


para atingir os objetivos de alguém ( ñaö-sädhana-

sampanna mahä-mantra-svar ™pa).


Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o Ato Oito de Çré
Géta-govinda, intitulado Vilakñya-lakñmépati,

sobre o assunto de khaëòitä näyikä.

225511

* ?? Ì ¥ ̘Ì: ²ÌOÌÊ: *

*˜ÌÙOŒÌ˜ÌÙFÙò ?? zù: *
Ato Nove

- mugdha-mukundaù -

O Senhor Perdido da Libertação

Verso 1

tÌ̘ÌyÌ ˜Ì ?? ˜ÌyÌÍLÌ N ÌÌÉ œ ÷ ÍtÌœú²ÌÍ — Ì N ÌÌÉ Í ¥ Ì s ÌÌzù²Ì˜ ?? Ì N Ì̘ÌÆ


* +tÌÍœútÌ̘ÌÙ??ÌÙÍZÌÑ ¥??ÌÌZtÌtÌœú·þÍœúZÌÍœútÌÌÉ·þ:²ÌLÌÕ*1* Fò¡ô ÷ ·
þÌ ??
täm atha manmatha-khinnäà rati-rasa-bhinnäà viñäda-sampannäm
anucintita-hari-caritäà kalahäntaritäm uväca rahaù sakhé

Tradução

ädhä foi severamente oprimido pelas flechas de Cupido e profundamente


desapontado por ser privado do êxtase da união com K Ša. Ela foi separada
de K Ša apenas como consequência de sua natureza briguenta
( kalahäntaritä näyikä). Enquanto ela se lembrava ansiosamente das
atividades românticas de Çré Hari, seu companheiro falou com ela em um
lugar isolado.

Comentário

Agora ®r… Jayadeva revela o humor de R € dh € que a leva sakhé para


encorajá-la a aceitar K Ša e recebê-lo com honra.

Manmatha-khinnäm - Rädhä sente uma angústia aguda devido à aflição de


kama. Rati-rasa-bhinnäm - Ela está completamente desapontada porque ela
está privada de

a rasa de passatempos amorosos.

Viñäda-sampannäm - Ela já atingiu o estágio de emoções conflitantes


( bhava-çabalatä) porque ela está profundamente apegada à união com K
Ša.

Anucintita-hari-caritäm - Pensamentos sobre as atividades de K Ša fluem


de forma ininterrupta

fluxo dentro de seu coração.

Kalahäntaritäm - Embora ela veja seu amado caindo a seus pés na frente de
seus amigos, a heroína que severamente o repreende e nega seus pedidos é
chamada kalahäntaritä näyikä. Essa heroína é chamada kalahäntaritä
porque fala incoerente, angústia, debilidade e outras atividades como
respirar fundo são evidentes em seu comportamento.

Existem cinco características proeminentes de Rädhä's kalahäntaritä


condição: (1) Rädhä despeja escárnio em todas as declarações feitas por K
Ša. Ela considera o dele

explicações razoáveis e humor submisso nada mais são do que


malandragem astuta.

225555

Çré Geta- govinda

(2) Em seu coração, ela faz uma análise crítica do comportamento dele e
aloja vários

acusações contra ele por causa de uma raiva amorosa.

€ Quanto mais ele se prostrava diante dela, mais sua obstinação


aumentava. (4) Sua angústia aumenta à medida que ela se lembra de todas
as contravenções cometidas

por K Ša no reino de sua imaginação.

( Ela pensa ansiosamente em K Ša e em nada mais.


256

S CENE E IGHTEEN

Canção 18

O modo musical é gurjaré raga. O ritmo é yati täla.

É ÞÍœúœ ÷ Í — ̲̜ ÷ ÍtÌ ¥ Ì · þÍtÌ ˜ÌŒÌÙ ?? Ì ¥ Ì ?? Ìâ * ÍFò˜Ì ??


Ìœú˜ÌÍŒÌFò²ÌÙLÌÉ ²ÌÍLÌ —Ì ¥ Ì ?? Ì F * ˜ÌÌŒÌ ÌÌ Ìâ ?? ˜ÌÌÍ ?? ÌÍ ?? Ì ˜ÌÌ ??
Ì˜Ì ™ Ìâ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 2 *

tÌÌ¡ô ÷ • ò¡ô ÷ ÌzùÍ ?? Ì OÌÙ ?? û˜ÌÍt̲̜ú²Ì˜ÌÆ *

ÎFò Í ¥ Ì • ò¡ô ÷ ÕFÙò ?? û s Ìâ FÙòZÌFò¡ô ÷ ¨Ì˜ÌÆ * ̃ ÌÌŒÌ ¥ Ìâ0 * 3 *

FòÍtÌ ?? Ì FòÍyÌtÌ͘Ìzù˜Ì ?? ÌÙ ?? Ìzù˜ÌÍZÌœú˜ÌÆ *

˜ÌÌ ?? ÌÍœú · þœú · þÍœú˜ÌÍtÌ¨Ì ™ Ì ?? ûÍZÌœú˜ÌÆ * ̃ ÌÌŒÌ ¥ Ìâ0 * 4 *

ÍFò͘ÌÍtÌ Í ¥ Ì s ÌÕzùÍ²Ì œ ÷ ÌâÍzùÍ s Ì Í ¥ ÌFò¡ô ÷ Ì *

Í ¥ Ì · þ²ÌÍtÌ ™ ÌÙ ¥ ÌÍtÌ²Ì — ÌÌ tÌ ¥ Ì ²ÌFò¡ô ÷ Ì * ̃ ÌÌŒÌ ¥ Ìâ0 * 5 *

²Ì`Ì¡ô ÷ ?? ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÕzù¡ô ÷ ¨ÌÕÍ¡ô ÷ tÌ¨Ì ™ Ì ?? Ìâ * ·Ì ÞÍœú˜Ì??Ìâ* ¥̃


Ì¡ôÌÌŒÌ÷ ¥ÌâFòÌâ0 ™*6Ì *²Ì • ò¡ô ÷ ™ Ì ?? Ì ™

`Ì ?? Ì ™ ÌÍ²Ì ˜Ì ?? ÌÍ²Ì ÍFò͘ÌÍtÌ OÌÙ ?? ûLÌâzù˜ÌÆ *

§ÌßsÌÙ ˜Ì˜Ì ¥ ÌZÌ ?? Ì˜Ì ?? ÌÕÍ · þtÌ — Ìâzù˜ÌÆ * ̃ ÌÌŒÌ ¥ Ìâ0 * 7 *

· ÞÍœú ?? û ?? Ì ™ ÌÌtÌÙ ¥ ÌzùtÌÙ –Ì · Ùþ˜ÌŒÌÙœú˜ÌÆ * ÍFò͘ÌÍtÌ Fòœ ÷


ÌâÍ s Ì Àþzù ™ ̘ÌÍtÌÍ ¥ ÌŒÌÙœú˜ÌÆ * ̃ ÌÌŒÌ ¥ Ìâ0 * 8 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌt̘ÌÍtÌ¡ô ÷ Í¡ô ÷ t̘ÌÆ *


²ÌÙLÌ ™ ÌtÌÙ œ ÷ ͲÌFò`Ì ?? ÌÉ · þÍœúZÌÍœút̘ÌÆ * ̃ ÌÌŒÌ ¥ Ìâ0 * 9 *

Çré Geta- govinda

Verso 2

harir abhisarati vahati madhu-pavane

kim aparam adhika-sukhaà sakhi bhavane

mädhave mä kuru mänini mänam aye ( refrão) (1)

Tradução

“Ó mulher amuada, olha! A suave brisa da primavera está soprando e


Kåñëa chegou à sua câmara de encontro. Meu caro amigo, o que poderia
ser uma fonte de felicidade maior do que isso? ”

Comentário

“O Sakhi, agora você não deve deixar de cooperar com Lakñmépati


Mädhava. Ele apareceu na dinastia Madhu e é imensamente rico. No
entanto, ele está continuamente propiciando você. Desista do seu mau
humor. A brisa da primavera está soprando e Hari veio pessoalmente
encontrar-se com você em seu quarto. O que poderia ser maior fonte de
felicidade do que isso? Sua chegada é o limite máximo da felicidade. Ó
Rädhä, receba-o com honra. ”

Verso 3

täla-phaläd api gurum ati-sarasam kià


viphalé-kuruñe kuca-kalaçam

madhave ... ( 2)

Tradução

"Seus seios semelhantes a pote de água são mais pesados do que frutos de
palmeira perfeitamente maduros e também estão cheios de rasa. Por que
você os está tornando inúteis? ”

225588

Ato Nove

Comentário

o sakhé diz: "Ó Rädhä, seus seios semelhantes a jarras são melhores do que
frutas de palmeira ( täla). No rasa-€ stra o fruto da palmeira foi descrito
como extremamente pesado e suculento. O peso e a suculência da fruta da
palma tornam-se insignificantes na presença de seus seios. Portanto, sua
utilidade reside apenas em Hari e no toque de Hari. O peso desses jarros é
só para ele, então você está arruinando o propósito deles. ”

Os seios de Rädhä foram comparados a potes de água para expressar sua


imensidão. “Desista do seu humor contrário e faça Çré Hari perceber o
sabor dos passatempos amorosos.”
Verso 4

kati na kathitam idam anupadam aciram mä parihara

harim atiçaya-ruciram

madhave ... ( 3)

Tradução

“Quantas vezes eu tenho que te dizer? Não abandone o excepcionalmente


bonito e charmoso Çré Hari. ”

Comentário

o sakhé diz: “Rädhä, estou tentando repetidamente fazer com que você
entenda - não seja obstinado. A forma e o brilho de Çré Hari são os mais
belos. Desista do seu mau humor e encontre-se com ele. Mude sua atitude.
Çré Hari é extremamente agradável. Ele rouba o coração de todos. Nunca é
apropriado abandoná-lo. ”

225599

Çré Geta- govinda


Verso 5

kim iti viñédasi rodiñi vikalä vihasati

yuvati-sabhä tava sakalä

madhave ... ( 4)

Tradução

“Por que você está tão sobrecarregado de lamentação? Por que você está
chorando? Seus jovens rivais ficam maravilhados ao ver seus 'gestos
sedutores'. ”

Comentário

Depois de ouvir o conselho de seu companheiro, Rädhä ainda está


soluçando. o sakhé

diz: “Rädhä, por que você está chateado agora? Porque voce esta chorando?
Vendo seu método de sedução, seus rivais estão zombando de você. Como
você é tolo. Çré Hari está rolando no chão aos seus pés e você continua
chorando. ”

Verso 6

sajala-naliné-dala-çélita-çayane

harim avalokaya saphalaya nayane

madhave ... ( 5)

Tradução

“Faça seus olhos bem-sucedidos ao contemplar amorosamente Çré K Ša


enquanto ele se reclina sobre uma cama fria de pétalas de lótus úmidas.”
Comentário

o sakhé diz a Rädhä: “Veja, neste local de encontro, ®r… Hari se deitou
sobre um leito de pétalas de lótus frescas adornadas com diamantes e
pérolas. Olhe para ele. Como você pode brigar com a própria pessoa por
falta de quem você está sofrendo? Ele está esperando por você, mas você
não abandonará seu orgulho ferido. ”

226600

Ato Nove

Verso 7

janayasi manasi kim iti guru-khedam çåëu mama

vacanam anéhita-bhedam

madhave ... ( 6)

Tradução

“Por que você está tão agitado no fundo do seu coração? Escute-me. Estou
falando apenas para o seu benefício, sem nenhum motivo oculto. ”

Comentário

Mesmo depois de ouvir as sugestões de sua amiga, Rädhä ainda estava


chateada. o

sakhé acrescentou: “Ó meu querido amigo, por que seu coração se tornou
tão hostil? Por que você está desnecessariamente desconfiado? Por que
você está sendo tão problemático? Posso ver que você se tornou apático,
inativo e desinteressado pela experiência dilacerante da separação. Preste
atenção! Escute-me. Desejo apenas o seu bem-estar. Apenas entenda isso -
não há diferença entre você e ®r… K Ša. ”

Verso 8

harir upayätu vadatu bahu-madhuram kim iti karoñi

hådayam ati-vidhuram

madhave ... ( 7)

Tradução

“Permita que Çré Hari chegue perto de você. Permita que ele fale algumas
palavras doces. Por que você está infligindo ainda mais dor ao seu próprio
coração? "

Comentário

De Rädhä sakhé diz: “Querido Rädhä, deixe Hari chegar perto de você.
Deixe-o falar palavras doces. Não é adequado para você permanecer
separado dele. Sinta-se feliz ouvindo suas palavras de lisonja e, assim,
torne-o bem-aventurado.

226611

Çré Geta- govinda

Seu coração está ansioso por ele, então por que você está resistindo? Você
está traindo inutilmente seu próprio coração. É impróprio infligir
sofrimento a si mesmo ficando de mau humor dessa maneira. Desista do
seu mäna. ”

Verso 9

ré-jayadeva-bhaëitam ati-lalitam

sukhayatu rasika-janaà hari-caritam

madhave ... ( 8)

Tradução

Que esta descrição requintada das atividades de Çré Hari composta por Çré
Jayadeva aumente a felicidade dos devotos que são especialistas em
saborear rasa.

Comentário

Esta décima oitava música de Çré Géta-govinda tem direito Amanda-


mukunda.

O único propósito e fruto dessa música é o prazer de Çré Hari e dos


devotos que são especialistas em saborear a integração dos êxtases
transcendentais. ®r… Jayadeva diz: “Eu descrevi as belas atividades de
®r… K Ša. Que eles possam trazer alegria aos corações dos devotos puros.

Verso 10
Í´ÌOŒÌâ € Ìt ?? Ì ?? û s ÌÌÍ²Ì ™ Ìt p Ìs̘ÌÍtÌ ²tÌ – ŒÌÌÍ²Ì ™ Ì ‡ ùÌÍOÌÍsÌ ˆâù s
̲yÌÌÍ²Ì ™ ÌzÙù ?? ˜ÌÙLÌâ Í ¥ ̘ÌÙLÌtÌÌÉ ™ ÌÌtÌÌÍ²Ì tÌѲ˜ÌÑ ?? p Ì ™ Ìâ * tÌ
† ÙHÉò Í ¥ Ì ?? Ìœ ÷

ÕtÌFòÌÍœ ÷ ÍsÌ tÌ ¥ Ì ¬ÌÕLÌsn ÷ ZÌZÌÌÊ Í ¥ Ì s ÌÉ ¨ÌÕtÌÌɨÌÙ²tÌ ?? Ì ?? ÌÌâ Í ·


þ˜ÌÉ · Ù

snigdhe yat paruñäsi yat praëamati stabdhäsi yad rägiëi

dveñasthäsi yad unmukhe vimukhatäà yätäsi tasmin priye tad yuktaà

viparéta-käriëi tava çrékhaëòa-carcä viñaà

çétäàçus tapano himaà hutavahaù kréòä-mudo yätanäù

226622

Ato Nove

Tradução

“Ó Rädhä, ®r… K Ša sinceramente apelou a você com palavras humildes,


mas em resposta você simplesmente se tornou rude. Ele se curvou diante de
você, mas você desviou o rosto e o ignorou. Quanto amor profundo ele
demonstrou por você, mas você é hostil para com ele. Ele está totalmente
atento a você, mas você é totalmente avesso a ele.

“Ó tu cujo comportamento é totalmente perverso! Sua contrariedade faz


com que a pasta de sândalo pareça veneno; a suave e refrescante lua parece
tão dura quanto o sol; a cânfora de resfriamento parece fogo; e a felicidade
de fazer amor parece uma agonia terrível. ”

Comentário
Quando Rädhä não respondeu ou mesmo respondeu de alguma forma, ela
sakhé disse: “Rädhä, o que aconteceu com você desta vez? Você é
completamente obstinado. Quão inconsistente é o seu comportamento.
Você estava queimando de ansiedade pelo amor dele, mas agora que ele
veio para se encontrar com você, sua atitude surpreendentemente mudou e
você está deixando essa oportunidade de ouro escapar por entre os dedos.

“K Ša tem muito carinho por você, mas você é severo e cruel com ele. Ele
está se curvando a seus pés enquanto você arrogantemente se levanta e o
repreende com palavras ásperas. Ele tem todas as boas qualidades. Veja
quanto apego ele tem por você, mas ainda assim você é hostil a ele. Como
ele olha para o seu lindo rosto com toda a atenção, alegria e entusiasmo. No
entanto, você permanece inalterado e indiferente a ele.

“Talvez sua inteligência tenha virado. Seu comportamento é antitético,


então, naturalmente, em uma ocasião tão feliz, a pasta de sândalo queima
você como veneno, os raios frios da lua parecem ser tão opressivos quanto
o calor escaldante do sol, a cânfora queima você como fogo e a alegria de
fazer amor parece miserável . Sua mente está impregnada de pessimismo.
Abandone esse comportamento contrário de uma vez. ”

226633

Çré Geta- govinda


Versículo 11

²ÌÌ ?? ‡ ùÌ ?? Ì ?? zù ?? ÌÙœú ?? zùœ ÷ ÌÍzùÍzùÍ ¥ Ì s ̈ßù ?? zæùœú˜Ì ??


zùÌzùœ zùÌ ?? Ì m Ìæ˜ÌÙÊFÙòhâõ ?? ‡ ù ?? ÌÕ¡ô ÷

˜ÌÍsÌÍ — Ì: ²Ì ?? zùϨÌtÌÌâÑ ?? zùÑ ?? zùœú˜ÌÆ * ² ¥ ÌZ \ ô ?? zÉù


˜ÌFòœú ?? zų̀ÌtÌ ¬ÌÕOÌÌâÍ ¥ Ì ?? zù ?? ÌzùÌœ ÷ Í ¥ Ì ?? zù˜Ì¨ÌÙ — ̲Fò ??
zùÌ ™ Ì ¥ Ì ?? zùÌ˜Ì · þ

sändränanda-purandarädi-diviñad-våndair amandädaräd

änamrair mukuöendranéla-maëibhiù sandarçitendindiram

svacchandaà makaranda-sundara-galan-mandäkiné-meduraà ré-govinda-


padäravindam açubha-skandäya vandämahe

Tradução

Quando ®r… K Ša esvaziou o orgulho do Rei Bali, os celestiais ficaram


imersos em felicidade. Enquanto eles se curvavam a ele com a maior
reverência, o brilho refletido das safiras em suas coroas fazia seus pés
parecerem flores de lótus azuis. O encantador Ganges flui sem esforço e
espontaneamente como o mel do lótus daqueles pés. Oramos aos pés de
lótus de ®r… K Ša, os vencedores de toda a inauspiciosidade.

Comentário

Uma revelação da grandeza de Rädhä iluminou o coração de ®ré Jayadeva


quando ele se lembrou das últimas palavras de Kåñëa. Portanto, ele
descreve a opulência de K Ša neste versículo para estabelecer a extensão da
boa fortuna de Rādhā. Ele diz: “Junto com meus discípulos e seus
discípulos, ofereço orações aos pés de lótus de Çré Govinda porque esses
pés de lótus subjugam a inauspiciosidade que impede o desenvolvimento
do amor transcendental.”
Neste verso, os pés de Bhagav € n ®r… K Ša foram comparados a
atraentes flores de lótus intensificadas por fragrante pólen na forma do
fluxo espontâneo do Ganges celestial. Os celestiais encabeçados por Indra
alegremente oferecem reverências prostradas aos pés de lótus de Kåñëa
como abelhas adornando um lótus coberto de pólen. Quando eles se
curvam, a aura de safiras e outras joias sobre

226644

Ato Nove

suas coroas caem sobre os pés de K Ša, que então parecem ser lótus azuis.
Enquanto o zumbido das abelhas paira ao redor dos lótus azuis, os corações
dos devotos pairam eternamente ao redor dos pés de lótus de K Ša e cantam
perpetuamente suas glórias. o iogues medite continuamente sobre seus pés
de lótus para a aniquilação de seus impedimentos.

Qual é o significado de descrever as glórias dos pés de lótus de ®ré


Mukunda? É curioso que Mukunda agora esteja perplexo sobre como
pacificar o ressentimento de Rädhä. O que pode ser dito das glórias de
Rädhä? Mukunda está orando pessoalmente para segurar os pés de lótus
dela sobre a cabeça dele.

Os pés de Kåñëa foram comparados a lótus, o Ganges a pólen perfumado e


joias de crista, como safiras, a abelhas. Portanto, este versículo apresenta

rüpaka alaìkära. o Chanda é çärdüla-vikréòita.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o ato nove de Çré


Géta-govinda intitulado Mugdha-mukunda.
226655

* zù¨Ì˜Ì: ²ÌOÌÊ: *

* —ZÌtÌÙÊ`Ì:œúZÌtÌÙ*
Ato Dez
- catura-caturbhujaù -

O adulador de quatro braços

Verso 1

+¥wÌĮ̘̲̀ÌÕ˜Ì??tÌœâú- ˜Ì²ÌßsÌœ ÷ Ìâ s Ì

É ?? Ì: «Ì̲ÌÍ ?? Ì: ²Ì · þ˜ÌÙLÌÖ ²ÌÙ˜ÌÙLÌÕ˜ÌÙ ?? Ìât ™ Ì * ²Ì v ÌÕn ÷


˜ÌÕÍKÌt̲ÌLÌÕ ¥ Ìzù ?? ÌÌÉ p ÌzùÌâ s I a

²ÌÌ ?? Ì ?? zùOÌ {ùzù ?? ÌzÉù · þÍœ ÷ Íœút ™ ÌÙ ¥ ÌÌZÌ * 1 *

aträntare masåëa-roña-vaçäm aséma-

ni Švāsa-ni Šsaha-mukh… sumukhém upetya

savréòam ékñita-sakhé-vadanäà pradoñe

sänanda-gadgada-padaà harir ity uväca

Tradução

Quando o dia chegou ao fim, Çré Hari não podia mais tolerar os longos
suspiros indignados de Rädhä. Ela olhou timidamente para o rosto de sua
amiga íntima. Então ®r… Hari se aproximou da bela R € dh € e,

florescendo de alegria, ele começou a falar com ela com uma voz
embargada de emoção.

Comentário
O amigo de Rädhä tentou fazê-la entender a situação para que ela se
iluminasse, mas a fúria de Rädhä não diminuiu. Nesse ínterim, o dia estava
chegando ao fim. Agora Rädhä solta longos suspiros de dor pela separação.
Seu rosto de lótus parece abatido. Depois de tentar todos os métodos
possíveis para aliviar a obstinação de Rädhä, sua amiga ficou em silêncio.
Rädhä sente a perplexidade do amor. Ela acabou de negligenciar K Ša,
então como ela pode repentinamente virar e desejar sua companhia? Este é
o seu dilema. Portanto, ela está olhando timidamente na direção dela sakhé.
A depressão lançou uma sombra. K Ša pensou que ®r… R € dh € devia
estar se sentindo arrependido a essa hora da noite. “Deixe-me ir até ela
imediatamente. Vou aceitar todas as suas acusações e, tendo-as em mente,
vou implorar por perdão. ” Então ele se aproximou de Rädhä e, exultante
de alegria, começou a implorar com uma voz embargada de emoções
amorosas.

226699

S CENE N INETEEN

Canção 19

O modo musical é deçavaräòé räga. O ritmo é añöatälé täla.

É ÌzùÍ²Ì ™ ÌÍzù ÍFòÍfÌzùÍ ?? Ì zù ?? tÌ ?? ûÍZÌFòÌæ˜ÌÙzùÕ · þœ ÷ ÍtÌ


zùœ ÷ ÍtÌ̜͘ú˜ÌÍtÌQÌÌâœú˜¥ ¥ ÌÌ ùù • ŒÌŒÌ œ ‡ ‡ œ ÷ ÌâZÌ ™
ÌtÌÙ ¡ô ÷ ÌâZÌ ?? ÌZÌFòÌâœú˜ÌÆ * Í p Ì ™ Ìâ ZÌÌ ?? û¨ÌÕ¡âô ÷ ˜ÌÙfÌ ˜ÌÍ ™ Ì
˜ÌÌ ?? ̘ÌÍ ?? ÌzùÌ ?? Ì ²Ì ?? ÌÍzù ˜Ìzù ?? ÌÌ ?? Ì¡ô ÷ Ìâ zù · þÍtÌ ˜Ì˜Ì ˜ÌÌ ?? ̲ÌÉ
zâùÍ · þ ˜ÌÙLÌFò˜Ì¡ô ÷ ˜ÌŒÌÙ ?? ÌÌ ?? ̘

²Ìt ™ ̘Ìâ ¥ ÌÌÍ²Ì ™ ÌÍzù ²ÌÙzùÍtÌ ˜ÌÍ ™ Ì FòÌâÍ ?? Ì ?? ÌÕ zâùÍ · þ LÌœú ?? Ì


Ì ?? ̨̜úQÌÌt̘ÌÆ * QÌhõ ™ Ì ÌÙÌ – ?? ?? ÌÉ `Ì ?? Ì ™ Ì œúzùLÌsn ÷ ?? ÌÉ


™ Ìâ ?? Ì ¥ ÌÌ —Ì ¥ ÌÍ

t ¥ ̘ÌÍ²Ì ˜Ì˜Ì —ÌÜ s ÌsÌÉ t ¥ ̘ÌÍ²Ì ˜Ì˜Ì `ÌÕ ¥ Ì ?? ÌÉ t ¥ ̘ÌÍ²Ì ˜Ì˜Ì —Ì ¥ Ì`Ì¡ô ÷
̜͌úv̘ÌÆ * -̘ÌÍtÌ¥ÌtÌÙ™Ìv̘ÌÆ—¥ÌtÌÕ*Íp· Ìþ™˜ÌÍÌâ0™ Ì*
²ÌtÌt̘Ì4* ?? ÌÙœ ÷ ÌâÍŒÌ ?? ÌÕ tÌwÌ ˜Ì˜Ì Àþzù ™

?? ÌÕ¡ô ÷ ?? ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÌ — ̘ÌÍ ?? Ì tÌÑ ?? ¥ Ì tÌ ¥ Ì ¡ô ÷ ÌâZÌ ?? ÌÉ

ŒÌÌœú ™ ÌÍtÌ FòÌâFò ?? Ìzù R ü ?? ̘ÌÆ * FÙò²Į̜̀٘ú – ÌÌsÌ — ÌÌ ¥


Ìâ ?? Ì ™ ÌÍzù œúgÌ ™ ÌͲÌ

² • ÙòœútÌÙ FÙòZÌFÙò˜ — Ì ™ ÌÌâ ?? û ?? ÌÍœú ˜ÌÍs̘ÌgÌœ ÷ Õ œúgÌ ™

ÌtÌÙ tÌ ¥ Ì Àþzù ™ Ìzâù¨ÌÌÌÆ * ?? ? Ì`ÌQÌ ?? ̘Ìsn ÷ ¡âô ÷ QÌÌâ s Ì ™ ÌtÌÙ ˜Ì


?? ˜ÌyÌÍ ?? Ìzâù¨Ì˜ÌÆ

²yÌ¡ô ÷ Fò˜Ì¡ô ÷ OÌgÌ ?? ÌÉ ˜Ì˜Ì Àþzù ™ ÌœúgÌ ?? ÌÉ `ÌÍ ?? ÌtÌœ ÷


ÍtÌœúWó ?? Ìœú — ÌÌOÌ˜Ì * -ÌO̘ÆÌùÌs̘̲ßsÌ* Í¥pÌÌÍsÌ™FòœúÌâ0*7¥*
ÌÌÍsÌ ZÌœús̈ù ™ ÌÉ ²Ìœú²Ì¡ô ÷ ²Ìzù¡ô ÷ HòFòœ ÷

²˜ÌœúOÌœú¡ô ÷ LÌsn ÷ ?? ÌÉ ˜Ì˜Ì ̜ͨ ÷ Í²Ì ˜Ìsn ÷ ?? ÌÉ zâùÍ · þ ?? Ìzù ?? Ì ¢

ô ÷ ¥ ̘ÌÙzùÌœú˜ÌÆ * `¥ Ì¡ô ÷ ÍtÌ ˜ÌÍ ™ Ì zùÌ ?? ûsÌÌâ ˜Ìzù ?? ÌFòzù ?? ÌÌ ??


Ì¡ô ÷ Ìâ · þœútÌÙ tÌz

<ÍtÌ ZÌhÙõ¡ô ÷ ZÌÌhÙõ ?? ÌhÙõZÌÌ ?? û ˜ÌÙœú ¥ ÌæÍœúsÌÌâ œ ÷

ÌÍŒÌFò̘ÌÍŒÌ ¥ ÌZÌ ?? Ì`ÌÌt̘̘ * `Ì ™ ÌÍtÌù ?? Ì… Ì Ì Ì ÌFòÍ ¥ Ì -— ÌÌœútÌÕ


— ÌÍsÌt̘ÌÍt̨ÌÌt̘ÌÆ * Í p Ì ™
Ato Dez

Verso 2

vadasi yadi kiïcid api danta-ruci-kaumudé harati dara-timiram ati-ghoram


sphurad-adhara-sédhave tava vadana-candramä rocayatu locana-cakoram

priye! cäruçéle! muica mayi manam anidänaà

sapadi madanänalo dahati mama mänasaà dehi

mukha-kamala-madhu-pänam ( refrão) (1)

Tradução

“Meu amado, ó gracioso, abandone esta aversão sem causa. Se você falar
comigo, mesmo que um pouco, a terrível escuridão do meu medo será
dissipada pelos raios refulgentes de seus dentes. Então, seu rosto de lua fará
o cakora pássaro dos meus olhos ansioso para beber o néctar de seus lábios.
O fogo do desejo amoroso está queimando meu coração. Permita-me beber
o mel do seu rosto de lótus. "

Comentário

Kåñëa diz a Rädhä: “Meu querido, embora seu temperamento seja


excepcionalmente virtuoso, o humor contrário que você adotou em relação
a mim com uma resolução tão fixa e sem nenhuma boa razão é totalmente
impróprio. Enquanto você estava de mau humor, eu estive queimando no
fogo de kama. E não há razão para você estar zangado. Sua suspeita de que
tenho outro amante é em vão.

“O desejo amoroso me inflige dor apenas na ausência de seu abrigo. Faça-


me beber o mel do seu rosto de lótus para que meu fogo interno se apague.
Eu sei que este mel é extremamente difícil de se obter, então, se você não
fizer isso, apenas diga algo. Você pode falar algo elogioso ou até mesmo
depreciativo, mas pelo menos diga algo.

“Quando você fala, seu rosto de lótus floresce. Os raios de lua de seus
dentes brilharão e, assim, a escuridão do medo dentro do meu coração será
dissipada. Rädhä, tal néctar está fluindo de seu rosto semelhante ao da lua
que o cakora pássaros dos meus olhos querem beber este suco animador.
Meu amado, você cuja disposição é tão agradável! Só você é a vida e a
alma dos meus olhos. ”

227711

Çré Geta- govinda

Verso 3

satyam evasi yadi sudati mayi kopiné

dehi khara-nayana-çara-ghätam

ghaöaya bhuja-bandhanaà janaya rada-khaëòanaà

yena vä bhavati sukha-jätam

priye! cäruçéle! ... ( 2)

Tradução

“Ó você, cujos dentes são radiantes, se você está genuinamente zangado


comigo, então me acerte com as flechas afiadas do seu olhar. Amarre-me
nas cordas de seus braços. Corte meus lábios com a mordida de seus
dentes. Faça o que vai te deixar feliz. ”

Comentário

Para apaziguar Rädhä, Kåñëa diz: “Meu querido Rädhä, cujos dentes
brilham tanto, não fique zangado comigo. Se você realmente quer expressar
sua raiva contra mim, então me acerte com as flechas afiadas de seus olhos.
E se sua raiva ainda não foi pacificada, então me puna ainda mais. Amarre-
me nas cordas de seus braços e me prenda. Se ainda não estiver satisfeito,
machuque meu corpo mordendo-me com os dentes. E se ainda não estiver
satisfeito, faça o que achar apropriado. Estou pronto para ser repreendido e
digno de punição. Você pode arranjar qualquer tipo de punição para mim
pelo bem da sua própria felicidade. ”

Kåñëa pede ardentemente a Rädhä que o arranhe, abraça e beije, sob o


pretexto de puni-lo com golpes, amarras e mordidas.

Verso 4

tvam asi mama bhüñaëaà tvam asi mama jevanaà

tvam asi mama bhava-jaladhi-ratnam

bhavatu bhavatéha mayi satatam anurodhiné

tatra mama hådayam ati-yatnam

priye! cäruçéle! ... ( 3)

227722

Ato Dez
Tradução

“Você é meu único ornamento. Você é minha própria vida. Você é a joia no
oceano da minha existência. Sempre permaneça favorável a mim - este é o
objeto exclusivo de meus esforços. ”

Comentário

Rädhä pode dizer: “Kåñëa, eu não posso puni-lo. Você tem outros amantes
que são mais queridos do que eu. Vá e implore a eles. " Com essa
apreensão, K Ša diz: “Meu amado, você é meu adorno perfeito e completo.
Sou afortunado em todos os aspectos apenas quando sou condecorado por
você. Para não falar dos ornamentos externos, você é a base da minha vida.
Você é meu prana! Sem você eu não posso nem viver. Então, onde está a
questão dos outros amantes?

“Você é o tesouro incomparável no oceano de minha existência material.


Como alguém se considera bem-sucedido ao obter uma joia maravilhosa do
oceano, sinto que minha vida deu certo, tendo encontrado a joia de um
amante como você. Portanto, permaneça sempre favoravelmente disposto a
mim - meu coração se esforça continuamente apenas por isso. Todos os
meus esforços são simplesmente para receber seu favor. ”

Verso 5

néla-nalinäbham api tanvi tava locanaà dhärayati kokanada-rüpam


kusumaçara-bäëa-bhävena yadi raïjayasi kåñëam idam etad anurüpam

priye! cäruçéle! ... ( 4)

Tradução
“Ó mulher esguia, seus olhos azuis de lótus agora estão avermelhados.
Seria adequado se você colorisse este corpo de pele escura com seu olhar
de soslaio lascivo. "

227733

Çré Geta- govinda

Comentário

Kåñëa diz: “Rädhä, seus olhos se parecem naturalmente com flores de lótus
azuis. Você é especialista em colorir seus olhos com a vermelhidão de
sempre fresco e crescente

anuraga. Se você me aceitar com base nessa qualidade, minha vida será um
grande sucesso. Mas agora seus olhos abandonaram sua natureza e
assumiram a cor de um lótus vermelho. Esta é a sua ciência de tingimento
( anuraïjiné-vidyä). Você é claramente proficiente em transformar
substâncias de cor escura em vermelho.

“Portanto, se você fosse me perfurar com flechas de desejo amoroso na


forma de seu olhar de soslaio, eu consideraria seu conhecimento
adequadamente empregado. Rädhä, desista de sua raiva e faça amor
comigo. Apenas se deixe levar pelo esporte da sensualidade ( k € ma-kr…
Ša). Isso é natural para você. ”

Verso 6
sphuratu kuca-kumbhayor upari maëi-maïjaré raïjayatu tava hådaya-deçam
rasatu raçanäpi tava ghana-jaghana-maëòale ghoñayatu manmatha-nideçam

priye! cäruçéle! ... ( 5)

Tradução

“Que este colar de joias brilhe brilhantemente em seus seios de jarro e


realce a beleza de seu coração. Que esta faixa de sinos adornando
esplendidamente suas nádegas firmes proclamar a ordem do Cupido. "

Comentário

Por meio de sugestões indiretas, Kåñëa está orando a Rädhä e implorando


que ela se una a ele em jogos de amor. “Que nosso auspicioso kama-keli
início. Desista de sua timidez. Você está pronto para o jogo do amor
sensual. Antes de fazer amor é necessário realizar o ritual de colocação de
talhas cheias. Que este colar de joias realce a beleza de seus seios em forma
de jarro quando ele balança para frente e para trás. Que a faixa de sinos
circundando o amplo centro de seus quadris voluptuosos anuncie a ordem
das crescentes ambições de Kämadeva por

227744

Ato Dez

ressonando com um doce kiëa-kiëa soe enquanto fazemos amor. A ordem


é: 'Que todos os homens e mulheres, que pretendem brincar de amor
durante esta intoxicante estação de primavera, estejam imersos em
atividades amorosas. Todas as mulheres contrárias - desistam de sua
resistência e competem com entusiasmo nos esportes eróticos. '”
Verso 7

sthala-kamala-gaïjanaà mama hådaya-raïjanaà janita-rati-raìga-para-


bhägam

bhaëa masåña-väëi karaväëi caraëa-dvayaà

sarasa-lasad-alaktaka-rägam

priye! cäruçéle! ... ( 6)

Tradução

“Ó de fala mansa, seus pés derrotam a beleza de um lótus terrestre e


aumentam o brilho do meu coração. Eles expandem a abundância de kama
na hora de fazer amor. Apenas me peça para colorir esses pés com footlac.

Comentário

Até agora, Rädhä não respondeu a nenhuma das sugestões de Kåñëa.


Portanto, encorajando-a a falar, ele diz: “Ó de fala mansa, você fala
palavras tão doces! Solte a flecha de suas palavras ternas. Peça-me com seu
sussurro gentil. Esses dois pés eclipsam a beleza da flor de hibisco. Que eu
possa pintar footlac sobre estes pés que colorem meu coração, para que,
quando desfrutarmos o jogo do amor, sua beleza exaltada desperte
excessiva kama? Quando eles são vermelhos, eles podem fazer meu
coração vermelho ( räga).

"Ó vocês que falam tão carinhosamente, estes pés pintados assumirão um
esplendor indescritível no rasa de nossa diversão erótica. Eles são o
charmoso reservatório de Çåìgära-rasa. Eles são a porta para o despertar da
paixão sexual. Eles iniciam o aumento do desejo. Ó gracioso, desista de seu
humor contrário. Ao ver os pés encantadores e pintados de uma bela jovem,
as mentes dos rapazes são inundadas por desejos sensuais. ”
227755

Çré Geta- govinda

Verso 8

smara-garala-khaëòanaà mama çirasi maëòanaà

dehi pada-pallavam udäram

jvalati mayi däruëo madana-kadanänalo 6

haratu tad-upähita-vikäram

priye! cäruçéle! ... ( 7)

Tradução

"Meu amado! Ofereça os botões frescos de seus pés encantadores como um


ornamento em minha cabeça, para que o efeito devastador do veneno de
Cupido seja aliviado e o fogo áspero dos desejos amorosos também seja
aliviado. ”

Comentário

“Rädhä! Meu sofrimento só será vencido quando você me aceitar. Estou


dominado por uma epifania ( sphürti) de todas as suas qualidades
conquistadoras, e oro a você que gentilmente coloque os botões recém-
brotados de seus pés sobre minha cabeça. Seus pés de lótus são generosos.
Eles cumprem

os desejos mais íntimos daqueles que oram a eles. São ornamentos porque
são vermelhos, macios e frios como novas pétalas. Se você os colocasse
sobre minha cabeça, minha cabeça seria decorada e, simultaneamente, o
efeito venenoso de kama seria neutralizado. ”

K Ša comparou kama ao veneno de uma cobra. "O toque de seus pés irá
neutralizar o veneno de kama da mesma forma que o veneno de cobra se
torna ineficaz pelo toque dos pés de Garuòa. Até mesmo meus defeitos,
como as modificações em minha mente decorrentes do calor de kama,
cessará quando você oferecer seus pés para mim. O sofrimento criado por
kama é terrível. Isso queima meu coração exatamente como fogo. Cada
membro vital do meu corpo está se transformando em carvão em brasa. A
febre de kama que me queima por dentro e por fora, só será derrotado
quando você colocar os botões novos de seus pés sobre minha cabeça. ”

6 Algumas edições do texto lido madana-kadanärüëaù - “A aflição do


desejo queima com a intensidade do sol

escaldante.”

227766

Ato Dez

Ao longo desta música o näyikä, Rädhä, é prauòhä e mänavaté. Kåñëa é


anuküla näyaka.

Verso 9

iti caöula-cäöu-paöu-cäru mura-vairiëo rädhikäm adhi vacana-jätam jayati


padmävaté-ramaëa-jayadeva-kavi-bhäraté-bhaëitam ati-çätam
priye! cäruçéle! ... ( 8)

Tradução

®r… Jayadeva, o amado de Padm € vat…, relatou as palavras ternas e


lisonjeiras ditas pelo inimigo de Mura a R € dh €. Que essas palavras doces
e encantadoras sejam triunfantes.

Comentário

As declarações de ®r… K Ša, provocadas pela contrariedade e desprezo de


seu mais amado R € dha, são encantadoras e pertinentes porque iluminam
brilhantemente seu desejo intenso. Que eles sejam triunfantes em todos os
aspectos.

Este poema encantador contém lisonja engenhosa e conversa doce


cativante. Que ela conquiste os corações de ®r… ®r… R € dh € -K Ša
( padm € vat…-ramaŠa).

Alternativamente, padmävaté-ramaëa refere-se ao talentoso poeta ®r…


Jayadeva, marido de Padm € vat…. Kåñëa veio pessoalmente disfarçado de
®ré Jayadeva e escreveu a linha, dehi pada-pallavam udäram, que foi
revelado a Çré Jayadeva em seu transe de devoção.

Esta décima nona música de Çré Géta-govinda tem direito Catura-bhuja-


rägaräjicandrodyota.
227777

Çré Geta- govinda

Verso 10

€ ÌÍœú · þœú FßòtÌÌtÌSâó ¨ÌSóÌÉ t ¥ Ì ™ ÌÌ ²ÌtÌtÌÉ QÌ ?? ̲tÌ ??


Ì`ÌQÌ ?? Ì ™ ÌÌ k òÌ ?? tÌâ ²

ÌÌ ?? tÌâ ?? Ìœ ÷ Ì ?? Ì ¥ ÌFòÌͨÌÍ ?? Ì * Í ¥ ̨ÌÍtÌ Í ¥ ÌtÌ ?? ÌÌâœú ??


™ ÌÌâ ŒÌ ? p ÌsÌÍ ™ ÌÍ ?? Ì ?? Ìœ ÷ Õœú˜ — ÌÌœú˜ — Ìâ Í ¥ ÌŒÌâÍ · þ Í ¥
ÌŒÌâ ™ ÌtÌ̘ÌÆ

parihara kåtätaìke çaìkäà tvayä satataà ghana-

stana-jaghanayä-kränte svänte parän-avakäçini

viçati vitanor anyo dhanyo na ko 'pi mamäntaraà

praëayini parérambhärambhe vidhehi vidheyatäm

Tradução

“Ó meu amante empático, acabe com a suspeita inútil de que estou ligado a
outra heroína. Ó Rädhä de seios firmes e nádegas! Não há espaço em meu
coração para outra heroína. Com exceção do Cupido incorpóreo, ninguém
mais tem a sorte de entrar. Agora mande-me abraçar você. ”
Comentário

Kåñëa raciocina com seu amado Rädhä: “Por que essa apreensão surgiu
inutilmente em seu coração? Não me acuse de me associar com outra
jovem amante. Meu coração e minha mente estão tão sobrecarregados com
o peso de seus seios como potes de água e seus quadris pesados que não
tenho oportunidade nem de me lembrar de mais ninguém. Seu amor invadiu
e impregnou completamente meu coração, então não sobra nem o menor
espaço para outra amante. Como mais alguém pode entrar em minha
mente? Porque você mora lá, ninguém tem a sorte de entrar, exceto Cupido.
Meu amado Rädhä, agora abandone seu mäna

para que eu possa abraçar seus seios redondos. Faça-me seu servo e me
conceda permissão para fazer exatamente isso. "

Este versículo apresenta o Chanda chamado hariëé e a alaìkära chamado

kävyaliìga. Rädhä é prauòhä näyikä e Kåñëa é pragalbh € n € yaka.

227788

Ato Dez

Versículo 11

˜ÌÙOŒÌâ Í ¥ ÌŒÌâÍ · þ ˜ÌÍ ™ Ì Í ??

ÌzÊù ™ Ìzù ?? tÌzÉù¨ÌzùÌâ ¥ ÌÊÍ ¢ ô – Ì ?? ŒÌÍ ?? ÌÍ ¥ Ìn ÷ ²tÌ ?? Ì ?? ÌÕn


÷ ?? Ì ZÌÑsn ÷ t ¥ ̘Ìâ ¥ Ì ˜ÌÙzù˜ÌfÌ ?? Ì ?? ÌfÌ –

ÌÌsÌZÌÌsn ÷ Ì¡ô ÷ FòÌsn ÷ zù¡ô ÷ ?? ÌÌzù²Ì ¥ Ì: p Ì ™ ÌÌ ?? tÌÙ * 11 *


mugdhe vidhehi mayi nirdaya-danta-daàça-

dor-valli-bandha-niviòa-stana-péòanäni

caëòi tvam eva mudam aïca na païca-bäëa-

cäëòäla-käëòa-dalanäd asavaù prayäntu

Tradução

“Ó confuso, se eu sou um ofensor, então por que você está hesitando em


me punir? Puna-me imediatamente. Morda-me cruelmente com os dentes e
amarra-me com força com seus braços delgados como uma trepadeira.
Esmague-me com seus seios duros. Ó mulher zangada, encontre a
felicidade punindo-me desta forma. Se meu ar vital se dissipou como
resultado de uma punição tão severa, então, ótimo, deixe-o ir. Mas que meu
prana não se afaste do impacto da flecha do infame Kämadeva. ”

Comentário

®r… K Ša implora: “Ó desorientado, se você não tem fé em minhas


palavras, então você pode me punir. Você está tão furioso que nem mesmo
está tentando entender o que tenho a dizer. Então, apenas me puna como
quiser. Aquele Cupido desonesto está tentando me matar com suas cinco
flechas. Por favor, conceda-me a bênção de que meu prana não irá embora.

“Ó vocês que não estão cientes de seus próprios interesses - não sejam tão
temperamentais. Estou sendo perfurado pelas flechas de K € madeva e
agora meu prana está partindo apenas por sua causa. Por favor me salve.
Que você encontre satisfação em me punir. Morda-me impiedosamente
com os dentes. Esmague-me com seus seios firmes. Amarre-me com força
em seus braços de trepadeira. Ria de mim e diga: 'Agora você é meu
prisioneiro e nunca vai escapar!' ”
227799

Çré Geta- govinda

Versículo 12

¨Ì̘ͨÌÙÍLÌ tÌ ¥ Ì —ÌÌÍtÌ —ÌWÛóœú B

ÌÜ ™ ÌÙÊ ¥ Ì`Ì ?? ̘ÌÌâ · þFòœ ÷ Ì¡ô ÷ FòÌ¡ô ÷ ²Ì ?? Ì × * tÌzÙùÍzùtÌ — Ì


™ Ì — ÌgÌ ?? ÌÌ ™ Ì ™ ÌÜ ?? ÌÌÉ

t ¥ ÌzùŒÌœú²ÌÕŒÌÙ²ÌÙŒÌæ ¥ Ì Í²Ì} ù˜Ì ?? wÌ: * 12 *

saçimukhi tava bhäti bhaìgura-bhrür

yuva-jana-moha-karäla-käla-sarpé

tad-udita-bhaya-bhaïjanäya yünäà

tvad-adhara-sédhu-sudhaiva siddha-mantraù

Tradução

“Ó mulher com um rosto radiante como a lua, a videira curva de sua


sobrancelha domina os corações dos jovens. Assemelha-se a uma cobra
fêmea que até derrota a terrível influência do próprio tempo. O néctar
inebriante fluindo de seus lábios é o único siddha-mantra para dissipar o
medo criado por sua sobrancelha. "

Comentário

Kåñëa está empregando vätsyäyana-nyäya, a lógica de Vätsyäyana Åñi, o


autor de
Käma-sütra. “Ó Çaçimukhi, embora seu rosto seja tão agradável quanto a
lua, suas sobrancelhas curvas podem confundir os rapazes, assim como a
temível serpente fêmea do tempo. Suas sobrancelhas geram medo intenso e,
oh, elas parecem tão maliciosas. Mas você é Çaçimukhi (face da lua), então
não fique zangado com os rapazes. Nenhum jovem pode ser salvo uma vez
mordido pela cobra fêmea do tempo. Não há remédio para aliviar a queima
deste veneno. Apenas um siddha-mantra, na forma de néctar de seus lábios,
pode neutralizar uma picada venenosa da cobra de sua sobrancelha. ”

o Chanda deste versículo é puñpitägrä. o alaìkäras está Kalpitopamä e


rüpaka.

228800

Ato Dez

Versículo 13

™ ™ ÌyÌ ™ ÌÍtÌ ¥ ÌßyÌÌ ˜ÌÌæ ?? ÌÉ tÌÑ ?? ¥ Ì p Ì ?? ÌfÌ ™ Ì

Ìf̘ÌÉ tÌ ?? ûÍsÌ ˜ÌŒÌÙœ ÷ Ì¡ô ÷ Ì ?? Ìæ²tÌÌ ?? ÌÉ Í ¥ Ì ?? ÌÌâzù ™ Ì


‹ùÍ®õÍ — Ì: * ²ÌÙ˜ÌÙÍLÌ Ì Ì˜ÌÙLÌÕ — ÌÌ

¥ ÌÉ tÌÌ ¥ Ì͈ù˜ÌÙfÌ ?? Ì ˜ÌÙfÌ ˜ÌÌÉ ² ¥ Ì ™ ̘ÌÍtÌ¨Ì ™ ÌÍ´ÌOŒÌÌâ ˜ÌÙOŒÌâ Í p


Ì ™ ÌÌâ% ™ ̘
vyathayati våthä maunaà tanvi prapaïcaya païcamaà

taruëi madhuräläpais täpaà vinodaya dåñöibhiù sumukhi

vimukhé-bhävaà tävad vimuïca na muïca mäà

svayam atiçaya-snigdho mugdhe priyo 'yam upasthitaù

Tradução

“Ó mulher esguia, sua fútil adesão ao silêncio está me torturando. Ó jovem,


cante no quinto modo musical. Liberte-me deste tormento com sua doce
conversa e olhar compassivo. Ó você cujo semblante é bonito, não me
abandone - abandone sua indiferença. Ó vocês que não têm o devido
discernimento, sua amada afetuosa está presente diante de vocês. ”

Comentário

Até agora, Rädhä não respondeu a nenhuma das sugestões de K Ša. Agora
ele a atrai com palavras corteses. “Ó mulher esguia, como você se tornou
emaciada. Seu silêncio está corroendo você e me dando tanta dor - tudo
sem motivo.

“Comece a cantar em païcama räga. Seja de coração mole. Na primavera,


as mulheres apaixonadas seguem o exemplo de seus entes queridos. Sua
voz é mais doce do que a de um cuco. Converse docemente. Fazer a chuva
de rasa caia sobre mim pelo seu olhar. Ó jovem, vence todo o meu
sofrimento com o teu olhar misericordioso.

“Ó linda, não é apropriado que você me desconsidere. Desista de sua


indiferença. Abandone seu orgulho. Não me abandone. Ó desnorteado, ó
você que não tem o discernimento adequado, eu sou seu amado. Eu sou
devotado
228811

Çré Geta- govinda

a você com terno afeto. Estou aqui sem convite. Olhe - estou diante de você
com lágrimas nos olhos. Amarre-me com seu olhar afetuoso. ”

Este versículo inclui hariëé chanda, yathäsaàratna alaìkära, prasäda guna,


kaiçiké vrtti, vaidarbhé réti e mägadhé géti. O herói é anuküla näyaka.

Verso 14

- Ì ?? ŒÌÜFò † ÙÍtÌ – ÌÌ ?? ŒÌ ¥ ÌÌâ% ™ ̘̜̌ú: Í´ÌOŒÌÌ⠘̌ÌÜFòZ \


ôÍ ¥ ÌOÌÊsn ÷ © ÌÑsn ÷ ZÌFòÌѲtÌ ?? ÌÕ¡ô ÷ ?? ÌÍ¡ ÌÕ˜ÌÌâZÌ ?? Ìâ ¡ô ÷
ÌâZÌ ?? ̘ÌÆ * ??

Ì̲ÌÌ— ™ ÌâÍtÌ ÍtÌ¡ô ÷ p ̲ÌÜ ?? Ì ?? Ìzù ¥ ÌÖ FÙò ?? zùÌ — ÌzùÑ ?? tÌ Í p Ì


™ Ìâ p ÌÌ ™ ̲t ¥ Ì ?? ˜ÌÙL̲Ìâ ¥ Ì ™ ÌÌ Í ¥ Ì`Ì ™ ÌtÌâ Í ¥ Ì «ÌÉ ²Ì ?? ÌÙ s ??
ÌÌ ™ ÌÙŒÌ: *

bandhüka-dyuti-bändhavo 'yam adharaù snigdho madhüka-cchavir gaëòaç


caëòi cakästi néla-nalina-ré-mocane locanam näsäbhyeti

tila-prasüna-padavéà kundäbha-danti priye

prayas tvan-mukha-sevayä vijayate viçvaà sa puñpayudhah

Tradução

“Meu amado Caëòi, ó mulher de temperamento quente, seus encantadores


lábios vermelhos são amigos com o brilho de um Bandhüka flor. Suas
bochechas frias assumiram o esplendor de um madhüka flor. Seus olhos
eclipsam a beleza de uma flor de lótus azul. Seu nariz é como uma flor de
gergelim. Seus dentes são tão radiantes quanto flores de jasmim. Ó amado,
o arqueiro de flores Kämadeva adorou seu rosto com suas cinco flechas de
flores e então conquistou o universo inteiro. ”

Comentário

Kåñëa se dirige a Rädhä como Ca Ši (mulher de temperamento explosivo)


porque ela ainda está com raiva. "Meu querido! Cinco armas brilham em
seu rosto de lótus como as armas do arqueiro de flores, Kämadeva. Ó
mulher apaixonada, ao tomar emprestadas armas de flores de você, o
conquistador altamente aclamado do universo, K € madeva, domina toda a
criação. Depois de conquistar o universo, essas armas repousam radiantes
em seu rosto. ”

228822

Ato Dez

As características especiais das cinco flechas de Kämadeva são as


seguintes:

(1) “Seus lábios são vermelhos como uma flor de malva escarlate. Eles são
vermelhos de Kämadeva

seta cativante ( äkarñaëa-bäëa). ”

(2) "Suas bochechas frias têm o elegante brilho branco-dourado de um


madhüka

flor, como se o néctar estivesse prestes a escorrer de dentro. Eles são a


flecha cor de mel de Kämadeva de subjugação pelo encantamento ( vaç…
karaŠa-b € Ša). ”(3)“ Seus olhos azuis eclipsaram a beleza das flores de
lótus azuis, após

amalgamando em si a essência de toda beleza. Eles são a flecha intoxicante


azul-escura de Kämadeva ( unm € dana-b € Ša). ”

€ “Seu nariz parece uma flor de gergelim. Esta é a sua flecha de


derretimento ( dr € vaŠa-b € Ša). ”

€ “Seus dentes são como flores de jasmim. Eles são o escoamento


branco de Kämadeva

flecha ( çoñaëa-bäëa). ”

“Desta forma, K € madeva obteve sua misericórdia servindo seu rosto com
todas as cinco armas. Com a força dessa misericórdia, ele conquista o
universo inteiro. ”

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e utprekñä alaìkära.

Verso 15

‹Ù¨ÌÌæ tÌ ¥ Ì ˜ÌzùÌ¡ô ÷ ²Ìâ ¥ Ìzù ?? ÌÍ˜Ì ??

zÙù²Ì ?? zùÕ ?? Ì ?? ÌÉ OÌÍtÌ`ÌÊ ?? Ì˜Ì ?? ÌÌâœú˜ÌÌ Í ¥ ÌÍ`ÌtÌœú ˜ — ̘ÌÜ ??


ûˆù ™ Ì

€ ÷ Ít̲tÌ ¥ Ì Fò¡ô ÷ Ì ¥ ÌtÌÕ ?? ûÍZÌœ ÷ ÍZÌwÌ¡âô ÷ LÌâ B ÌÙ ¥ ÌÌ-

Ì · þÌâ Í ¥ Ì – ÌÙŒÌ ™ ÌÌæ ¥ ÌtÌÉ ¥ Ì · þÍ²Ì tÌÑ ?? ¥ Ì ?? Ìßy ¥


ÌÕOÌtÌÌ * 15 *

dåçau tava madälase vadanam indu-sandépanaà

gatir jana-manoramä vijita-rambham üru-dvayam ratis tava

kalävaté rucira-citra-lekhe bhruväv


aho vibudha-yauvataà vahasi tanvi påthvé-gatä

Tradução

“Ó mulher esguia, como isso é espantoso! Embora você esteja presente na


superfície da terra, você parece ser uma das ninfas mágicas do céu.

228833

Çré Geta- govinda

O oceano de seus grandes olhos azuis é indolente devido a uma paixão


ardente como Madälasä. Seu rosto está tão radiante quanto a deusa do luar,
Indumaté. Você anda como a deusa celestial Manoramä. Suas duas coxas
derrotaram as coxas da beleza celestial, Rambhä. Você é talentoso na arte
de fazer amor como Kalävaté; e suas sobrancelhas são tão cativantes
quanto as de Citralekhä. ”

Comentário

“Ó Rädhikä de cintura esguia, embora você esteja situado neste planeta


terra, parece que todas as deusas celestiais residem dentro de você. O efeito
intoxicante do orgulho pela boa sorte de ter o amante a seus pés cansa seus
olhos.

“Portanto, embora você seja minha mulher, seu orgulho jubiloso sugere que
você mantenha o anjo celestial, Madälasä, em seus olhos. Seu rosto é a
morada de Indumaté, a consorte de Candramä, a divindade da lua; no
entanto, é ainda mais essencial para mim do que o luar é para a lua. O
coração de Candramä se enche de ciúme ao ver seu rosto, porque ele não
tem poder em comparação a você. A maneira como você anda dá alegria a
todos. Portanto, o anjo Manoramä reside em você. Suas coxas difamam o
tronco de uma bananeira, como se fossem a residência de Rambhä.

Seus movimentos são embelezados com todas as artes sedutoras, como h €


va, bhava, vil € sa e kilakiïcita. Portanto, você é a morada do celestial
chamado Kalävaté. Suas sobrancelhas são tão perfeitas e encantadoras que
parecem ter sido pintadas por um artista.

“Embora você resida na superfície da terra ( påthvé), parece que você


desceu do alto para estender as qualidades juvenis das deusas celestiais. Em
outras palavras, sua juventude é divina. ”

Portanto, este versículo apresenta påthvé chanda e kalpitopamä alaìkära.

228844

Ato Dez

Versículo 16
²Ì p ÌÕÎtÌ tÌ ?? ÌÙtÌÌÉ · þÍœú: FÙò ¥ Ì¡ô ÷ ™ ÌÌ ?? ÌÕnâ ÷ ??

( ²ÌÌŒÌË œúsÌâ œ ÷ ÌŒÌÌÌŒÌÌÌ ?? —Ìâzù ¥ ÌÌ ?? ÌÆ * ™ ÌwÌ Ñ² ¥ Ì †


ÍtÌ ˜ÌÕ¡ô ÷ ÍtÌ KÌs̘ÌÍ ?? Ì ÍKÌ ?? Ìâ ͈ù ?? Ìâ

tÌtKÌsÌÌtÌ FÉò²Ì²ÑÆ ÌÌ¡ô ÷ ˜Ì — ÌÜ ÌtÌ͘ÌÍtÌ ¥ ™ Ì̘ÌÌâ · þFòÌâ¡ô ÷ Ì · þ¡ô ÷:


* 16 *

sa prétià tanutäà hariù kuvalayäpéòena särdhaà raëe rädhä-péna-payodhara-


smaraëa-kåt-kumbhena sambhedavän

yatra svidyati mélati kñaëam api kñipte dvipe tat-kñaëät

kaàsasyälam abhüt jitaà jitam iti vyämoha-kolähalah

Tradução

Ao ver os globos cranianos altamente protuberantes do elefante Kuvalay €


p… a, Bhagav € n ®r… Hari lembrou-se dos seios grandes e redondos de
®r… R € dh €. Ele transpirou profusamente durante a luta quando o toque
do elefante despertou sua absorção em ana ga-rasa. O fechamento de seus
olhos criou um alvoroço tremendo na multidão. Sons de alegria e confusão
abundaram quando os apoiadores de Kaàsa gritaram pela primeira vez:
“Vencemos! Nós vencemos!" e então os apoiadores de K Ša gritaram:
“Vencemos! Nós vencemos!" quando ele matou o elefante. Que aquele
Bhagav € n ®r… Hari aumente a bem-aventurança de todo o universo.

Comentário

Neste verso, ®r… Jayadeva concede uma bênção a todos. Kåñëa está tão
absorto em glorificar as qualidades de seu amado Rädhä que se lembra da
felicidade de seu toque, mesmo em uma situação extremamente perigosa.
Que esse ®ré Hari aumente o seu amor. Quando Kåñëa lutou com o
elefante de Kaàsa, Kuvalayäpéòa, ele viu os globos cranianos protuberantes
do elefante e se lembrou dos seios grandes e redondos de Rädhä. O corpo
de K Ša manifestou transformações ( sättvika-bhäva)
quando tocado pelo elefante, como se ele tivesse sido tocado por Rädhä. K
Ša fechou os olhos em êxtase, dominado pelas lembranças da alegria da
união com Rādhä. Então os cortesãos de Kaàsa ficaram maravilhados e
exclamaram: “Nós

228855

Çré Geta- govinda

Ganhou. K Ša fechou os olhos de medo. ” Assim que K Ša ouviu o barulho


tumultuoso de declarações confusas, ele reprimiu seus sentimentos,
derrubou o elefante no chão e rapidamente o matou. De repente, uma
grande comoção surgiu entre os cortesãos da parte inimiga: “Kåñëa
venceu? Ele ganhou!" Esse alvoroço foi delicioso.

O décimo ato descreve a agitação de K Ša ao lembrar de Rādhä. Sua perda


de compostura o torna extraordinariamente charmoso.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o Ato Dez de Çré


Géta-govinda, intitulado Catura-caturbhuja 7
7 Em algumas edições, este capítulo é intitulado Mugdha-mädhava.

228866

* DFòÌzù¨Ì: ²ÌOÌÊ: *

*zùOÌÌâͲÌÌ?? ??¥Ì ?? zù: *


Ato Onze

- sänanda-govindaù -
O Blissful Cowherd Boy

Verso 1

²ÌÙÍZÌœú˜Ì ?? ÌÙ ?? Ì ™ Ìâ ?? Ì p ÌÕsÌÍ ™ Ìt ¥ ÌÌ ˜ÌßOÌÌKÌÖ OÌtÌ ¥ ÌÍtÌ


FßòtÌ ¥ Ìâ¨Ìâ Fâò¨Ì ¥ Ìâ

FÙògÌ¨Ì ™™ Ì̘ÌÆ * œ ÷ ÍZÌtÌ ?? ûÍZÌœú — ÌÜ s ÌÌÉ ‹ùÍ®õ˜ÌÌâ s I a p


ÌzùÌâ s I a ² • Ùòœ ÷ ÍtÌ Í ?? Ìœú ¥ ̲ÌÌzùÌÉ FòÌÍ ?? Ì œ ÷ ÌŒÌÌÉ `ÌOÌÌzù * 1
*

suciram anunayena préëayitvä mågäkñéà

gatavati kåtaveçe keçave kuïja-çayyäm

racita-rucira-bhüñäà dåñöi-moñe pradoñe

sphurati niravasädäà käpi rädhäà jagäda

Tradução

Depois de satisfazer Rädhä com olhos de corça por um longo tempo, Kåñëa
foi embora. Ele se vestiu com trajes encantadores e começou a esperar por
ela em uma cama na câmara de um bosque. Nesse ínterim, como a
visibilidade ficou obscurecida pela chegada do crepúsculo, um sakhé

falou com Rädhä, que estava decorado com uma variedade de enfeites
encantadores.

Comentário
Kåñëa continuou a implorar a Rädhä até o final do dia. Finalmente, Rädhä
ficou satisfeito com ele e confiantemente partiu para preparar uma cama de
brincar na câmara de um nikuïja. O Rädhä de olhos de corça estava
brilhando de alegria. Quando seu abatimento e desespero desapareceram
sem deixar vestígios, o júbilo invadiu as emoções extáticas que
transbordavam de seus olhos de corça e seu coração começou a se encher
de júbilo. Ela se cobriu com uma roupa azul para esconder seus
movimentos pela floresta e se enfeitou com enfeites fascinantes que
também passariam despercebidos pelos outros. Para intensificar a ânsia de
Rädhä em se encontrar com Kåñëa, sua amiga comentou enfaticamente:
“Rädhä! Agora, você acredita que Madhusüdana adora você ou não? ”

A palavra Pradoña indica que a noite está caindo. Neste momento, nada
está claramente visível.

o Chanda do presente verso é mäliné.

228899

S CENE T FOI S

Canção 20

O modo musical é vasanta räga. O ritmo é yati täla.

É ¥ Ìœ ÷ ÍZÌtÌZÌÌhÙõ ¥ ÌZÌ ?? ÌœúZÌ ?? ÌÉ ZÌœúsÌâ œ

ÍZÌtÌ p ÌÍsÌ ?? ÌÌt̘ÌÆ * ²Ì˜ p̃ÌÍtÌ ˜ÌgÌÙ¡ô ÷ ¥ ÌgÌÙ¡ô ÷


²ÌÕ˜ÌÍ ?? Ì FâòÍ¡ô ÷ ¨Ì ™ Ì ?? Ì˜Ì ?? ÌÙ ™ ÌÌt̘ÌÆ * ˜ÌÙOŒÌ ˜ÌŒÌÙ˜ÌyÌ ??
Ì˜Ì ?? ? ÌÙOÌtÌ˜Ì ?? ÌÙ

QÌ ?? Ì`ÌQÌ ?? ̲tÌ ?? Ì — ÌÌœú — Ìœâú zùœú˜Ì ?? yÌœúZÌœúsÌÍ ¥ Ì ·


þÌœú˜ÌÆ * ˜ÌÙLÌÍœút̘ÌÍs̘ÌgÌÕœú˜ÌÙ ?? ÌæÍ · þ Í ¥ ÌŒÌâÍ · þ ˜Ìœ ÷ Ì¡ô ÷ Í
?? ÌFòÌœú˜ÌÆ * ̃ ÌÙOŒÌâ0 * 3

§ÌßsÌÙ œú˜ÌsÌÕ ™ ÌtÌœÉú tÌ ?? ûsÌÕ`Ì ?? ̘ÌÌâ · þ ?? ̘̌ÌÙÍœú ?? ÌÙœ ÷


Ì ¥ ̘ÌÆ * FÙò²Į̜̀٘ ÷ Ì²Ì ?? ̨ÌÌ²Ì ?? Ì ¥ ÌÑ ?? zùÍ ?? Ì Í ?? ÌFòÍ ??
ÌFòœâú —Ì`Ì —ÌÌ ¥ ̘ÌÆ * ̃ ÌÙOŒ

+FòœâúsÌÍ??Ì¡ô÷¡ôtÌœú¡ô÷tÌÌÍ ??÷ÍFò²Ì¡ôÌFÙòœú˜÷™– ÌÍ̘ÌÆ??


ÌFòœâúsÌ*

p ÌâœúsÌÍ˜Ì ¥ Ì Fòœú — ÌÌâ ?? û Fòœ ÷ ÌâÍtÌ OÌÎtÌ p ÌÍtÌ ˜ÌÙfÌ Í ¥ Ì¡ô ÷ ˜ –


̘ÌÆ * ̃ ÌÙOŒÌâ0 * 5

² • ÙòÍœútÌ˜Ì ?? ÌWótÌœúWó ¥ Ì¨ÌÌÍzù ¥ Ì ²ÌÜÍZÌtÌ · þÍœú ?? ÌÍœúœú˜ —


̘ÌÆ *

?? ÌßZ \ ô ˜Ì ?? ÌÌâ · þœú · þÌœ ÷ Í ¥ ̡̘ô ÷ `Ì¡ô ÷ ŒÌÌœú˜Ì˜ÌÙÉ


FÙòZÌFÙò˜ — ̘ÌÆ * ̃ ÌÙOŒÌ

+Í ÍŒÌOÌt̘ÌÍLÌ¡ô??œ÷ÍtÌœús̲Ìa̘ÌÆ÷²ÌLÌÕÍ—*ÌÍœúzÉù tÌ ¥ Ì ¥ Ì ?? ÌÙœ
÷

ZÌÑsn ÷ œ ÷ ÍsÌtÌœú²Ì ?? ÌÌœú ¥ ÌÍn ÷ Ñsn ÷ ˜Ì˜ÌÍ — ̲̜ú ²Ìœú²Ì˜Ì¡ô ÷


a̘ÌÆ * ̃ ÌÙOŒÌâ0 * 7

²˜Ìœú¨Ìœú²ÌÙ — ÌOÌ ?? ÌLÌâ ?? Ì FòœâúsÌ ²ÌLÌÕ˜Ì ¥ Ì¡ô ÷ ˜– ™ Ì ²Ì¡ô ÷ Õ¡ô


÷ ˜ÌÆ *

ZÌ¡ô ÷ ¥ Ì¡ô ÷ ™ ÌJòÍsÌtÌæœú ¥ Ì – ÌÌâŒÌ ™ Ì · þÍœú˜ÌÍ ?? Ì Í ??


Ì`ÌOÌÍt̨ÌÕ¡ô ÷ ˜ÌÆ * ̃ ÌÙOŒÌâ

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌť̘̜ ÷ ÕFßòtÌ · þÌœú˜ÌÙzùÌͲÌtÌœ ÷ ̘̘ÌÆ *


·÷Þ̘̘͜ÌÆ÷Í *¥̃ÌÍÌÙOŒÌâ0??ÌÍ·þt̘Ì*9??* ̲Ì̘ÌÍŒÌÍt̯ötÌÙ
FòslötÌhõÕ˜ÌÍ ¥ Ìœ
Ato Onze

Verso 2

viracita-cäöu-vacana-racanaà caraëe racita-praëipätam samprati maïjula-


vaïjula-sémani keli-çayanam anuyätam

mugdhe! madhu-mathanam anugatam anusara rädhike! ( refrão) (1)

Tradução

"Ó inocente, aquele que se curva a seus pés e humildemente suplica a você
com palavras de lisonja, está atualmente repousando em uma cama de
brincar em um caramanchão de videiras floridas no encantador açoka
floresta. Siga os passos do destruidor de Madhu e encontre-se com ele
imediatamente. ”

Comentário

o sakhé disse: “Rädhikä, o inimigo de Madhu se tornou completamente


submisso a você. Vá para o lado dele imediatamente. Não atrase. Ele
humildemente apelou a você com palavras cativantes. Ele caiu a seus pés
de todo o coração. Ele se preparou para recebê-lo e agora está sentado em
uma cama adequada para jogos amorosos de amor dentro de um açoka
Arvoredo. Siga seus passos até aquele lugar. Ó confuso, como você é
ingênuo. Você nem sabe quando ir para um encontro com sua amada. Vá
até ele imediatamente e retribua com ele de todas as maneiras. ”

Rädhike - O sufixo ka lança luz sobre o estado de inocência sincera de


Rädhä. O refrão é “Siga Madhusüdana. Não atrase." Características do
bosque, como açoka árvores, foram mencionados porque estimulam as
emoções.
229911

Çré Geta- govinda

Verso 3

ghana-jaghana-stana-bhära-bhare dara-manthara-caraëa-vihram mukharita-


maëi-maïjéram upaihi vidhehi maräla-nikäram

mugdhe! ... ( 2)

Tradução

“Ó Rädhä, você que está sobrecarregado com seios e quadris pesados. Com
seu andar que derrota o movimento elegante de um cisne real, vá ao
encontro de K Ša. Faça um som encantador com seus sinos de tornozelo
adornados com joias enquanto caminha em um ritmo elegante. ”

Comentário
“Ó Rädhä, seus quadris pesados e seios grandes fazem você se curvar. Vá
com cuidado. Seu movimento lento e rítmico embaraça o movimento dos
cisnes. Esteja graciosamente presente na câmara do amor do charmoso
caramanchão. Dê passos de maneira que o som musical de seus sinos de
joias desperte os apaixonados rasa.

“Ó inocente, coloque seus pés instáveis sobre a terra. Derrote o andar de


um cisne. Vá agora para o lado de Madhusüdana. Não atrase. Faça esses
sinos de tornozelo ressoarem. ”

Verso 4

Çåëu ramaëéya-taraà taruëé-jana-mohana-madhuripu-rävam kusuma-çar €


sana-€ sana-vandini pika-nikare bhaja bh € vam

mugdhe! ... ( 3)

Tradução

“Ouça as palavras encantadoras das abelhas que confundem o coração das


moças. Perceba seu próprio humor no canto dos cucos, que propagam as
doces ordens de Kandarpa. ”

229922

Ato Onze

Comentário
“ Sakhi, partir de uma vez. Muitos sinais auspiciosos surgiram por causa de
seu encontro. Na primavera, o som do zumbido das abelhas ressoa nas
quatro direções. Eles estão ansiosos para cantar em harmonia com o toque
dos seus tornozelos. Ouça o zumbido das abelhas. Esse som

confunde os corações de moças atraentes. Como os zangões são escuros,


Kåñëa também é escuro ( yama).

O zumbido das abelhas sinaliza a hora do encontro amoroso e enche de


auspiciosidade o coração das jovens. Na verdade, a mente de quem não é
influenciada por seus apelos educados e lisonjeiros?

"Veja! Ouço! Neste mês de primavera de Madhu, os cucos gritam com um


grito estridente em cumprimento à ordem de K € madeva. É como se eles
também fossem os bardos de K € madeva e sua quinta nota proclamasse
sua ordem. Combine seu humor com o dos cucos. Que a ordem de K €
madeva se manifeste em toda parte. Com o bater de tambores, anuncie a
ordem do arqueiro de flores. Sua ordem é: 'Que todos os jovens sensuais,
homens e mulheres, se envolvam em prazer irrestrito.' ”

Madhuripu-rävam - A palavra madhuripu, que significa “abelha”, alude a K


Ša.

O efeito estimulante dos cucos ( vibhäva) foi expresso pela frase kusuma-
çaräsana-säsana-vandini.

Verso 5

anila-tarala-kisalaya-nikareëa kareëa latä-nikurambam preraëam iva


karabhoru karoti gatià prati muica vilambam

mugdhe! ... ( 4)

Tradução
“Ó tu cujas lindas coxas se assemelham à tromba de um elefante! As vinhas
movem-se inquietas com a brisa, como se o incitassem a ir, gesticulando
com as folhas recém-germinadas. Portanto, não demore agora. ”

229933

Çré Geta- govinda

Comentário

o sakhé diz, “Ó você cujas coxas excelentes se estreitam como a tromba de


um elefante! Enquanto as trepadeiras tremulam ao vento, elas estão
chamando você para ir até Çré Hari com as mãos de suas folhas. Vá
imediatamente. Toda a natureza está ansiosa para levá-lo até ele. Agora não
se atrase.

“A brisa fresca move-se suavemente e os sinais de tremor das folhas novas


encorajam você a ir. Os objetos insensíveis da natureza o estão instruindo
como se fossem sencientes. Portanto, a realização do seu desejo acalentado
está fadada a acontecer. Seu mais amado K Ša está profundamente apegado
a você e está esperando por você em uma cama de brincar em uma câmara
de Vaïjula trepadeiras. Vá rápido. Depressa. Quando você caminha, o perfil
atraente de suas nádegas se inclina como as costas de uma mão em concha.

Verso 6

sphuritam anaìga-taraìga-vaçäd iva sücita-hari-parirambham påccha


manohara-hära-vimala-jala-dhäram amuà kuca-kumbham
mugdhe! ... ( 5)

Tradução

“Pergunte a esses seus seios trêmulos como potes de água e veja. Tremendo
desamparadamente sob o controle de ondas de desejo amoroso e
embelezados por riachos imaculados na forma de um colar encantador, seus
seios informam sobre o abraço iminente de Çré Hari. ”

Comentário

o sakhé diz: “Rädhä, no que você está pensando? Agora, de que mais
evidências você precisa? Se você não acredita em mim, pergunte aos seus
próprios seios, que são como potes de água carregando o riacho de seu
colar encantador. Na verdade, qual é a causa de seu tremor? Eles estão
tremendo sob o controle das ondas de K € madeva para indicar o abraço
iminente de seu amante. Çré Hari será levado pela poderosa corrente de
rasa de seus seios, apenas para

229944

Ato Onze

estar imerso no oceano de prema. Eles estão cheios de um desejo intenso


pelo toque das mãos de lótus de Çré Hari. O colar imaculado e encantador
nas auspiciosas jarras de seus seios é como um jato de água pura e
cintilante. Este riacho está cheio de ondas; uma indicação de que você
alcançará seu amado. O desejo erótico faz seus seios estremecerem e,
portanto, eles se tornaram um presságio de auspiciosidade. Não pense isso
kama é uma maldição e demora ainda mais. Vá rápido."

Verso 7

adhigatam akhila-sakhébhir idaà tava vapur api rati-raëa-sajjam caëòi


raëita-rasanä-rava-òiëòimam abhisara sarasam alajjam

mugdhe! ... ( 6)

Tradução

“Ó você que é tão hábil na batalha de fazer amor! Ó mulher apaixonada,


sua sakhés saiba bem que seu corpo está lindamente equipado para o
propósito de uma batalha de amor. Portanto, abandone sua timidez. Com o
maior entusiasmo, vá para o seu encontro com o som cativante de sua cinta
de joias ressoando como o bater de um tambor de guerra. ”

Comentário

o sakhé diz a Rädhä: “Agora, por que você ficou orgulhoso? Seu desejo já
transcendeu todas as limitações, então por que hesitar? Por que ter
vergonha de ir se encontrar com K Ša? Somos todos seus amigos íntimos.
Certamente ninguém mais está aqui além de nós. Por que ficar com raiva
sem motivo? Todo seu sakhés saiba bem que seu corpo está pronto para
uma batalha de amor. É decorado com ornamentos e todas as substâncias
necessárias para o combate sensual. Depois de se tornar uma bela guerreira,
agora você está pronto. Como vários instrumentos ressoam na hora de
marchar para a guerra, os sinos presos ao seu cinto tocarão quando você
partir para esta batalha de amor. Declarar guerra! Abandone toda vergonha
e fluxo
229955

Çré Geta- govinda

junto com a corrente de rasa enquanto você viaja com apego cada vez
maior para encontrar Çré Hari. Vá, Caëòi! Ó mulher apaixonada, olhe na
direção do local de encontro. ”

Ca Š…, ou “mulher beligerante”, é um endereço apropriado para R € dh €


quando ela está pronta para lutar.

Verso 8

smara-çara-subhaga-nakhena kareëa sakhém avalambya sa-lélam cala


valaya-kvaëitair avabodhaya harim api nija-gati-çélam

mugdhe! ... ( 7)

Tradução

“As atraentes unhas de sua mão de lótus são cinco flechas de Kämadeva,
adequadas para serem empregadas na batalha do amor. Use-os para obter o
apoio de seu sakhé e graciosamente vá. O personagem de Çré Hari é
bastante aclamado. Avise-o de sua chegada pelo tilintar de suas pulseiras. ”

Comentário
o sakhé diz a Rädhä, “Ó afortunado, as unhas de suas mãos macias e
encantadoras são as cinco flechas de Kämadeva. Pegue a mão do seu sakhé
com essas mãos e esteja graciosamente em seu caminho, ornamentado com
muitas emoções de êxtase pronunciadas, como h € va-b € va. Suas unhas
encantadoras são tão penetrantes quanto as flechas do desejo apaixonado.
Eles são suas armas nesta batalha de amor. K Ša está sob o controle de
Kāmadeva e ele está esperando apenas por você. Quando um guerreiro
informa primeiro a seu adversário que está em pé de guerra, você também
deve avisar K Ša de sua chegada com o tilintar de suas pulseiras. Ele está
ocupado em se preparar. Ele quer cumprir o anseio de seu coração. Informe
a ele que você está pronto e determinado para uma batalha de amor. ”

229966

Ato Onze

Verso 9

ré-jayadeva-bhaëitam adharékarta-häram udäsita-rämam hari-vinihita-


manasäm adhitiñöhatu kaëöha-taöém avirämam

mugdhe! ... ( 8)

Tradução
Esta música de Çré Jayadeva eclipsa a beleza de um colar elegante. Isso faz
com que a mulher mais incrivelmente atraente se torne apática. Que possa
agraciar perpetuamente as gargantas dos devotos que ofereceram
completamente seus corações a K Ša.

Comentário

Esta canção de ®ré Jayadeva Gosvämé difama os colares amarrados com


pérolas e outras joias preciosas e os joga para longe. Isso esvazia o
entusiasmo de belas moças. Que ela sempre embeleze as gargantas dos
devotos de Bhagav € n. Vai Šavas como Par € cara, cujos corações estão
apegados a Bhagav € n, não usarão colares de joias. Em vez disso, eles
usarão este colar narrado por Jayadeva.

Eles também vão abraçar essa música em vez de abraçar mulheres bonitas.
Colares e belas mulheres adornam o seio daqueles que estão apegados à
interminável cadeia de nascimento e morte; e mesmo assim, não em todas
as condições; apenas durante o período da juventude. Que esta música
adorne as gargantas dos devotos de Bhagav € n sob todas as circunstâncias,
porque é sobre ®r… Hari.

Esta vigésima música de Çré Géta-govinda tem direito ®r… Hari-t € lar €
jijaladhara-vil € sita. o rasa aqui está vipralambha-Çåìgära. O herói é
uttama näyaka.
229977

Çré Geta- govinda

Verso 10

²ÌÌ ˜ÌÌÉ ‡ ùK ™ ÌÍtÌ ¥ ÌK ™ ÌÍtÌ ²˜ÌœúFòyÌÌÉ p Ìt ™ ÌWó˜ÌÌÍ¡ô ÷ Wó ?? Ìæ:

p ÌÕÎtÌ ™ Ì̲ ™ ÌÍtÌ œÉú² ™ ÌtÌâ ²ÌÍLÌ ²Ì˜ÌÌOÌt ™ ÌâÍtÌ ÍZÌ

?? tÌÌFÙò¡ô ÷: * ²Ì t ¥ ÌÌÉ ?? ̨ ™ ÌÍtÌ ¥ Ìâ ?? ÌÙ¡ÌÌ ?? ? Ì ?? zùÍtÌ Ñ² ¥ Ì †


ÍtÌ

p Ìt ™ ÌÙ {ùZ \ ôÍtÌ ˜ÌÜZ \ ÊôÍtÌ Ñ²yÌœút̘Ì: ?? ÌÙgÌâ Í ?? ÌFÙògÌâ Í ?? p Ì


™ Ì: *

sä mäà drakñyati vakñyati smara-kathäà praty-aìgam äliìganaiù

prétià yäsyati raàsyate sakhi samägatyeti cintäkulaù sa tväà paçyati

vepate pulakayaty änandati svidyati

praty-udgacchati mürcchati sthira-tamaù-puïje nikuïje priyaù

Tradução

“ Sakhi, seu mais amado Krishna está envolto na densa escuridão de um


caramanchão isolado, pensando ansiosamente: 'Quando Rädhä vier, ela me
olhará com olhos afetuosos. Ela vai falar palavras cheias de rasa, revelando
seus desejos amorosos. Ela ficará encantada em abraçar cada um dos meus
membros e desfrutar da união comigo. ' Dessa forma, ele sente como se já
estivesse vendo você diretamente. Seu corpo treme de tanto absorver esses
sentimentos. Seus cabelos estão em pé, ele transpira profusamente e
floresce de alegria ilimitada. Quando ele pensa que você veio, ele se
levanta para recebê-lo e desmaia de euforia. ”

Comentário

o sakhé diz: “Ó R € dh €, ®r… Hari se comporta estranhamente enquanto


se senta na escuridão densa do bosque. Suas atividades peculiares são
sintomáticas de sua crescente sede por você. Quando ele se lembra de você
ansiosamente, suas emoções transbordam para um comportamento sensual.
Ele se

deleita com o pensamento de que 'Rädhä me verá. Ela vai me servir o vinho
doce e intoxicante dela rasa- palavras carregadas e apaixonadas. Ela ficará
muito feliz por abraçar cada um dos meus membros. Então ela ficará
ansiosa por jogos de amor comigo.

“Desta forma, K Ša se torna exuberante enquanto seu coração se enche de


muitos desejos e expectativas. Quando ele vê você em sua meditação, ele
de repente treme

229988

Ato Onze

e emoções com horripilação. Ele começa a sentir o rasa de união com você
em sua imaginação. À medida que seu jogo amoroso progride
gradualmente, ele fica encharcado de suor. Ele vê você no sonho de seu
humor extático e se levanta. Então, quando ele percebe que não está
realmente vendo você, ele fica inconsciente. ”
Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e dépaka alaìkära. Os
oito

sättvika-bhävas são divididos da seguinte forma: (1) Ficar atordoado


( stambha) e tez desbotada ( vaivarëya)

Depois de sua ansiedade e comportamento sensual, ele vê Rädhä


vindo de muito longe na escuridão densa e sua tez corporal desaparece
conforme ele fica atordoado. (2) Tremendo ( vepathu)

e a postura dos cabelos ( romäïca) - Quando ele sonha com o método de


intensificação de Rädhä kama-keli através de sua conversa erótica, ele
estremece e horroriza.

é Lágrimas ( açrü) e transpiração ( sveda) - Em sua imaginação, ele


sente o êxtase de Rädhä abraçando cada um de seus membros e, no
progresso gradual de sua relação sexual, ele fica saturado de suor. (4) Falta
de voz ( svara-bhaìga) e devastação ( pralaya) - Ele não pode chamar o
nome de Rädhä quando sua voz vacila na alegria de se unir a ela, e ele fica
arrasado ao perceber que está privado de sua associação.
229999

Çré Geta- govinda

Versículo 11

+ÌÌâ²tÌÌÍKsÌÌâÏ???ÌZÌÍKÌ\ôOÌÙZ??ÌzùgÌ\ôÌ??¥Ì¡ôÌÉ ÷¬ÌÖ¥ ÌsÌ ™

˜ÌÜÏŒÌï ¨ ™ Ì̘̲̜ ÷ Ìâ`ÌzùÌ˜Ì FÙòZÌ ™ ÌÌâ:

Fò²tÌÜÍœúFòÌ ?? ÌwÌFò˜ÌÆ * ŒÌÜtÌÌÊ ?? Ì̘ÌÍ — ̲ÌÌœú²Ìt

¥ Ìœú þzÌÉ s ¥ ÌRÆó Í ?? ÌFÙògÌâ ²ÌÍLÌ Œ ¥ ÌÌ ?? tÌÉ ?? ÌÕ¡ô ÷ Í ?? ÌZÌÌâ¡ô


÷ ZÌÌ

akñëor nikñipad aïjanaà çravaëayos täpiccha-gucchävaléà

mürdhni çyäma-saroja-däma kucayoù kastürikä-patrakam dhürtänäm


abhisära-satvara-hådäà viñvaì nikuïje sakhi

dhväntaà néla-nicola-cäru sudåçäà praty-aìgam äliìgati

Tradução

“ Sakhi, Veja. A escuridão que cerca o bosque isolado é o delineador


cosmético preto de mulheres apaixonadas de belos olhos que estão ansiosas
para encontrar seus amantes enganosos. Tornam-se os aglomerados de
tamäla folhas em suas orelhas, guirlandas de flores de lótus azul-escuras em
suas cabeças e pinturas pintadas em almíscar em seus seios parecidos com
jarras. Veja como a escuridão envolve todos os seus membros e os cobre
ainda mais agradavelmente do que uma roupa azul escura. ”

Comentário

o sakhé diz: “Ó R € dh €, ®y € ma está sentado em um caramanchão denso


onde a escuridão parece ser um amálgama de todas as trevas do universo.
Ele está ansioso e ansioso para conhecê-lo. Agora não demore. Ninguém
pode entender os movimentos de abhisärikä heroínas à noite porque vestem
as melhores vestimentas de um azul profundo. A escuridão da noite é sua
querida amiga porque também é de um azul profundo. Ele os envolve por
todos os lados e desperta sua ânsia de fazer amor com seus enganosos
amantes em caramanchões isolados na floresta. A própria escuridão é seu
delineador cosmético preto e também desempenha o papel de sua pena de
pavão azul escuro e tamäla enfeites de orelha em folha. A escuridão é a
guirlanda de flores de lótus azuis em seus corações e os quadros pintados
em almíscar líquido em seus seios.

“A profunda escuridão azul também envolve cada um de seus membros e

330000

Ato Onze

oferecendo esses ornamentos e decorações para você. Portanto, vestido de


forma adequada para o seu encontro, saia para a escuridão densa e não se
atrase. Em cada caramanchão, todo o ambiente é propício para o encontro
secreto de amantes astutos que são especialistas em saborear rasa. Esta
noite é como uma vestimenta azul cobrindo cada membro em sua expansão
infinita.

"Ir! Siga seu caminho! Você deve chegar lá antes que outra heroína rival o
faça. Neste momento, não há necessidade de colocar delineador nos olhos,
brincos nas orelhas, guirlandas no pescoço, pinturas de almíscar nos seios
ou qualquer outra coisa. Vá imediatamente. ”

Versículo 12

Fǫ̀˜ÌÕœúOÌÌæœú ¥ Ì ?? ÌÙ s Ì̘ÌÍ — ̲ÌÌÍœúFòÌsÌÌ-˜ÌÌ – Ì} ùœâúL̘ÌÍ —


ÌtÌÌâ ?? ûÍZ̘ÌgÌœ ÷ ÕÍ — Ì: *

DtÌu̘ÌÌ¡ô ÷ zù¡ô ÷ ?? ÌÕ¡ô ÷ t̘ÌÉ tÌ̳͘ÌÉ

tÌt p Ìâ˜Ì · âþ˜ÌÍ ?? ÌFò s ÌÌâ ?? Ì¡ô ÷ tÌÌÉ tÌ ?? ÌÌâÍtÌ * 12 *

k € m… ra-gaura-vapuŠ € m abhis € rik € Šam

äbaddha-rekham abhito ruci-maïjarébhiù

etat tamäla-dala-néla-tamaà tamisraà

tat-prema-hema-nikañopalatäà tanoti

Tradução

“O brilho cintilante de heroínas em encontros amorosos com belos corpos


cor de açafrão é o ouro do amor. Esse ouro marca a pedra de teste da
escuridão impenetrável, que se expande por toda parte como as folhas mais
escuras do tamäla árvore."

Comentário
o sakhé diz: "Meu caro amigo, para as heroínas em encontros amorosos
cujos corpos são tão brilhantes como açafrão, esta escuridão, azul profundo
como um tamäla folha, é a pedra de teste para o ouro do amor. A escuridão
está marcada por toda parte com as linhas de seu brilho dourado cintilante.

330011

“A escuridão é uma pedra de teste que se apresenta para examinar o ouro


do amor dessas jovens. A qualidade do ouro é testada nessa pedra. O ouro
deixa uma marca na pedra, mas a cor da pedra não aparece no ouro. No
entanto, quando você entra nessa escuridão densa, Rädhä de membros
dourados, a pedra de teste fará uma marca azul escura na faixa de ouro.
Agora vá para o local da reunião o mais rápido possível. ”

Este versículo apresenta upamä alaìkära e vasanta-tilakä chanda.

Ato Onze

S CENE T FOI Y-ONE

Versículo 13

·FòÌfÌÞÌœ ??÷Ì ¥ÌFòÌÍfÌzù̘ÌÌ¡ô÷ÕtÌœú¡ô- ÷ ˜ÌgÌÕœúFòSós̘ÌÍsÌ †


ÙÍtÌzùÕÍ ?? Ìt̲ ™ Ì *

ˆÙÌœâú Í ?? ÌFÙògÌÍ ?? Ì¡ô ÷ ™ ̲ ™ Ì · þÎœú Í ¥ Ì¡ô ÷ ÌâE ™ Ì v ÌÕn ÷ Ì ¥


ÌtÌÕ˜ÌyÌ ²ÌLÌÕÍ˜Ì ™ Ì͘Ìt ™ ÌÙ ¥ ÌÌZÌ * 13 *

härävalé-tarala-käïcana-käïci-däma-
maïjéra-kaìkaëa-maëi-dyuti-dépitasya

dväre nikuïja-nilayasya harià vilokya

vréòävatém atha sakhém iyam ity uväca

Tradução

O caramanchão da floresta ficou iluminado pelo brilho de seu cinto de


ouro, brincos, joias incrustadas em seus braceletes e a joia situada
esplendidamente no meio de seu colar. Quando Rädhä parou na porta da
câmara do amor, ela viu ®r… Hari e ficou tímida. Então um amigo
começou a falar com ela.

Comentário

Depois de ser encorajado por ela sakhé, Rädhä chega ao pavilhão da


floresta. Ela é um pouco tímida, mas quando vê que Çré Hari já está lá, fica
ainda mais tímida. A entrada do Nikuïja é iluminada pelo esplendor de seus
ornamentos, seu colar de pérolas, cinto de ouro, topázio e brincos de joias.
Ela pode ver K Ša esperando por ela à luz desses ornamentos e, assim que o
vê, fica totalmente constrangida. É apropriado que jovens apaixonadas
usem a timidez como meio de criar uma abundância de kama por ocasião
da sua primeira união. Agora o sakhé está obrigando Rädhä a sair da porta
da câmara do amor.

o Chanda deste versículo é vasanta-tilakä.

330033
Canção 21

O modo musical é varäòé räga. O ritmo é rüpaka täla.

˜ÌgÌÙtÌœúFÙògÌtÌ¡ô ÷ FâòÍ¡ô ÷ ²Ìzù ?? Ìâ *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì œ ÷ ÍtÌœú — Ì²Ì · þͲÌtÌ ¥ Ìzù ?? Ìâ *

p ÌÍ ¥ Ì¨Ì œ ÷ ÌŒÌâ ˜ÌÌŒÌ ¥ ̲̘ÌÕ ?? ÌÍ˜Ì · þ * D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ * 14 *

?? Ì ¥ Ì — Ì ¥ Ìzù¨ÌÌâFòzù¡ô ÷ ¨Ì ™ Ì ?? ̲ÌÌœâú *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì FÙòZÌFò¡ô ÷ ¨ÌtÌœú¡ô ÷ · þÌœâú * p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 15 *

F'ò²ÌÙ˜ÌZÌ ™ Ìœ ÷ ÍZÌt̨ÌÙÍZÌ ¥ Ì̲ÌOÌâ · âþ *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì FÙò²Ì̲٘ÌÙFÙò˜ÌÌœúzâù · âþ * p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 16 *

ZÌ¡ô ÷ ˜Ì¡ô ÷ ™ Ì ¥ Ì ?? Ì ?? Ì ¥ Ì ?? ̲ÌÙœ ÷ Í — ̨ÌÕtÌâ *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì œ ÷ ÍtÌ ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌOÌÕtÌâ * p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 17 *

[̃ÌßzÙùZÌ¡ô ÷ ˜Ì¡ô ÷ ™ Ì ?? Ì ¥ Ì ?? ̲ÌÙœ ÷ Í — ̨ÌÕtÌâ *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì ˜Ìzù ?? ̨̜ ÷ Í ?? ÌFòœú — ÌÕtÌâ *] p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 17 *

Í ¥ ÌtÌtÌ – Ì · Ùþ ¥ ÌÍ ¢ ô ?? Ì ¥ Ì ?? Ì ¢ ô ÷ ¥ ÌQÌ ?? Ìâ *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì ÍZÌœú˜Ì¡ô ÷ ²Ì ?? ÌÕ ?? Ì`ÌQÌ ?? Ìâ * p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 18 *

˜ÌŒÌÙ˜ÌÙÍzùť̘ÌÙ ?? ÌFÙò¡ô ÷ FòÍ¡ô ÷ tÌœ ÷ Ì ¥ Ìâ *

Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì ˜Ìzù ?? Ìœú²Ì²Ìœú²Ì — ÌÌ ¥ Ìâ * p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 19 *

˜ÌŒÌÙœútÌœ ÷ Í ?? ÌFòÍ ?? ÌFòœ ÷ Í ?? Ì ?? Ìzù˜ÌÙLÌœâú *


Í ¥ Ì¡ô ÷ ²Ì zù¨Ì ?? Ì ?? ûÍZÌ ?? ûÍZÌœ ÷ ͨÌLÌœâú * p ÌÍ ¥ ̨Ì0 * 20 *

Í ¥ ÌÍ · þtÌ ?? Ì… Ì ¥ ÌtÌÕ²ÌÙL̲̘ÌÌ`Ìâ *

FÙò ?? û ˜ÌÙœ ÷ Ìœâú ˜ÌWó¡ô ÷ ¨ÌtÌÌÍ ?? Ì * -¥ÌsÌÍtĮ̀Ì0 *`Ì21™ *Ìzâù ¥


ÌFòÍ ¥ Ìœ ÷ Ì`Ìœ ÷ Ì`Ìâ * p ÌÍ

Ato Onze

Verso 14

maïjutara-kuïja-tala-keli-sadane

vilasa rati-rabhasa-hasita-vadane

praviça rädhe! mädhava-samépam iha ( refrão) (1)

Tradução

"Ó Rädhä, seu rosto está florescendo com excesso rasa devido à sua ânsia
de fazer amor. Entre na câmara de passatempo deste caramanchão
encantador. Vá para M € dhava e divirta-se com ele. ”

Comentário

o sakhé diz Rädhä, “Seu rosto expressa alegria devido ao entusiasmo pelo
jogo amoroso. Agora você está sorrindo e jubiloso na agitação de prema.
Uma câmara de passatempo foi feita no meio deste encantador matagal. Por
favor, entre. Aborde M € dhava e faça amor com ele. ”

Verso 15

nava-bhavad-açoka-dala-çayana-säre
vilasa kuca-kalaça-tarala-häre

praviça rädhe! ... ( 2)

Tradução

“Seu colar treme sobre os seios trêmulos de jarro, indicando um encontro


sensual iminente com sua amada. Entre e tome o seu lugar na cama de
recém-germinados açoka folhas. Aproxime-se de M € dhava e divirta-se
com ele. ”

330055

Çré Geta- govinda

Comentário

“O inquieto colar de pérolas em seu seio sugere que você também está
inquieto para a união. Esta cama de fresco açoka folhas foi feito
especialmente para você. Ir! Deleite-se com o prazer da união nesta cama
elegantemente decorada. ”

Versículo 16

kusuma-caya-racita-çuci-väsa-gehe
vilasa kusuma-sukumära-dehe

praviça rädhe! ... ( 3)

Tradução

“Seu corpo jovem e tenro é ainda mais cativante do que uma flor. Entre na
câmara de puro passatempo, que é adornada com muitas flores. Aproxime-
se de M € dhava e divirta-se com ele. ”

Comentário

“Seu corpo é ainda mais macio do que as flores em flor e todo este pavilhão
de passatempo é feito de flores coletadas que brilham brilhantemente.
Portanto, entre nesta câmara pura de flores e experimente o êxtase com
®r… K Ša. Ir! Entre sem medo porque estes são seus aposentos. ”

Verso 17

cala-malaya-vana-pavana-surabhi-çéte

vilasa rati-valita-lalita-géte

(mådu-cala-malaya-pavana-surabhi-çéte

vilasa madana-çara-nikara-bhéte)

praviça rädhe! ... ( 4)


330066

Ato Onze

Tradução

"Ó Rädhä, você tem medo das flechas do Cupido e está cantando uma
canção devassa sobre o rasa de fazer amor. Entre no pavilhão de
passatempo de videiras em flor, que é fresco e perfumado com os
movimentos suaves e inquietos da brisa da Malásia. Aproxime-se de M €
dhava e deleite-se no prazer amoroso com ele. ”

Comentário

o sakhé encoraja Rädhä, “Você está intimidado pelas flechas de Kämadeva,


então se abrigue nesta

câmara de amor que é acompanhada pelo vento sul da Montanha Malaya. O


toque suave da brisa

torna o bosque de trepadeiras em flor ainda mais refrescante e aromático.


Vá para este templo de prema

e aproveite os passatempos com K Ša. Chegou o momento de expressar seu


êxtase interior com a

voz de seu prana. Cantar! Cante a canção de amor loucamente apaixonada.


Versículo 18
vitata-bahu-valli-nava-pallava-ghane

vilasa ciram alasa-péna-jaghane

praviça rädhe! ... ( 5)

Tradução

“Seus movimentos são retardados pela carga pesada de seus quadris


rechonchudos. Entre neste caramanchão de passatempo isolado,
densamente coberto com as novas folhas de suas vinhas florescentes.
Aproxime-se de M € dhava e saboreie os passatempos com ele. ”

Comentário

“Seus quadris se movem lentamente porque são muito largos. E isto


Nikuïja também se expandiu em uma massa de vinhas florescentes. Sua
densidade aumentou com a adição de folhas recém-germinadas. Portanto,
vá para dentro e deleite-se com o seu mais amado ®r… K Ša por um longo
tempo, porque ninguém será capaz de vê-lo. ”

330077

Çré Geta- govinda

Versículo 19

madhu-mudita-madhupa-kula-kalita-räve

vilasa madana-rasa-sarasa-bhäve
praviça rädhe! ... ( 6)

Tradução

“Você sente uma sede cada vez maior pela doçura erótica. Entre nesta
câmara de flores. Ressoa com o zumbido de abelhas enlouquecidas por
beber mel. Aproxime-se de M € dhava e aproveite os passatempos com ele.

Comentário

“Você foi sobrecarregado de sensualidade por Kämadeva. Os zangões


intoxicados alcançam a maior felicidade durante a primavera. Eles zumbem
em êxtase enquanto provam o rasa das flores neste bosque. Você também
deve entrar e provar prema-rasa. Este é um lugar de imensa alegria. É o
portal auspicioso para a união amorosa íntima. Ir para dentro. Rädhä, basta
entrar no bosque! ”

Verso 20

madhuratara-pika-nikara-ninada-mukhare

vilasa daçana-ruci-rucira-çikhare

praviça rädhe! ... ( 7)

Tradução

“Ó Rädhä, seus dentes são como rubis ou sementes de romã totalmente


maduras. Entre neste pavilhão de vinhas em flor. Ressoa com o doce
arrulho de um bando de cucos. Aproxime-se de M € dhava e divirta-se com
ele. ”

Comentário
o sakhé exorta, "Ó Rädhä, seus dentes brilham com o brilho de joias
semelhantes ao rubi ( çikhara). este Nikuïja já ressoa com o doce tom baixo
do gorjeio

330088

Ato Onze

cucos. Acompanhe-os enquanto você se deleita o quanto quiser com ®r…


K Ša. Ninguém vai te ouvir. ”

Versículo 21

vihita-padmävaté-sukha-samäje

kuru muräre maìgala-çatäni

bhaëati jayadeva-kaviräja-räje

praviça rädhe! ... ( 8)

Tradução

O imperador de todos os poetas, ®r… Jayadeva, compôs esta canção para


alegrar o coração de R € dh € de várias maneiras. Ó inimigo de Mura, possa
você conferir auspiciosidade ilimitada ao mundo inteiro.

Comentário
Oferecendo seu poema aos pés de lótus de K Ša, Çré Jayadeva diz: “Ó
Muräri, ao ouvir esta canção do imperador dos poetas, que você conceda
auspiciosidade a todos de milhares de maneiras”.

Além de ser o nome da esposa de ®ré Jayadeva, Padmävaté também é um


nome para a deusa original da fortuna, ®ré Rädhä. Jayadeva é o melhor
entre os reis da poesia e é um adorador de Padmävaté. Ele humildemente
ora a ®r… Hari, “Ó Mur € ri, eu estabeleci Padm € vat… dentro do palácio
interno. Portanto, esta poesia é para sua felicidade. Que você possa se
deliciar e conferir auspiciosidade sobre nós centenas de vezes. ”

Alternativamente, ®r… Jayadeva pessoalmente apela a R € dha, “Ó Padm


€ vat…, aquele que é a riqueza completa de Lak… m… está alegremente
presente hoje no bosque do passatempo. Que você possa conferir centenas
de tipos de auspiciosidade a esse Muräri. Seu único auspicioso consiste em
fazer amor com você. "

330099

Çré Geta- govinda

Verso 22

t ¥ ÌÌÉ ÍZÌuÌâ ?? Ì ÍZÌœÉú ¥ Ì · þ N Ì ™ ̘ÌÍt̬ÌÌ ?? tÌÌâ —ÌߨÌÉ tÌÌÍ ?? ÌtÌ:

Fò ?? zù ?? ÌäsÌ ZÌ ?? ÌÌtÌÙ͘ÌZ \ ôÍtÌ ²ÌÙŒÌ̲̘ – ÌÌŒÌÍ – ̘ – Ì̜̌ú˜ÌÆ *


+??²™Ì¡ôÌÌSÉó÷K˜ÌÕ¡ôtÌzù¡ô÷ ¥÷ ÌSÛó- ?? û KÌsÌÍ˜Ì · þ B ÌÜKÌâ
k òÕtÌâ zùÌ²Ì <¥ ÌÌâ ?? ̲ÌâÍ ¥ ÌtÌ ?? Ìzù̘ — ÌÌâ`Ìâ FÙòtÌ: ²Ì˜ B̃ ̘Ì: * 22 *

tväà cittena ciraà vahann ayam ati-ränto bhåçaà täpitah

kandarpeëa ca pätum icchati sudhä-sambädha-bimbädharam asyäìkaà tad


alaìkuru knaëam iha bhrü-kñepa-lakñmé-lava-

kréte däsa ivopasevita-padämbhoje kutaù sambhramaù

Tradução

“Ó deslumbrante beleza, ®r… K Ša está presente diante de você. Ele está


exausto de segurar você no âmago de seu coração por um longo tempo
enquanto queima no calor do desejo amoroso. Ele deseja ardentemente
beber o doce néctar de seu bimba- lábios de fruta. Vá e enfeite o peito de
seu amante ansioso. Ele fica sempre grato por receber a vasta opulência de
seu olhar de soslaio, mesmo que por uma fração de segundo. Como um
escravo comprado, ele se tornou o servo de seus pés de lótus apenas pelo
preço de seu olhar de soslaio. Então, por que você está hesitando? Por que
você está envergonhado? ”

Comentário

o sakhé diz a Rädhä, “Çré Hari está esgotado de mantê-lo em seu coração
por tanto tempo. Ele está queimado por dentro. K € madeva o atormentou
severamente. Ele aspira beber a doçura do seu tinto bimba-lábios de fruta,
que são cheios de nectariana rasa. Portanto, meu querido, torne-se o brilho
dos

membros de seu amante ansioso! Você o comprou simplesmente lançando


seu olhar sobre ele por apenas um segundo. Agora decore completamente o
corpo de seu servo, ®r… K Ša. Sem inibição, enfeite seu peito
imediatamente. Por que você é tímido? Por que deliberar mais? Por que
hesitar? ”
Este versículo apresenta Rüpaka e utprekñä alaìkäras. o Chanda é
çärdülavikréòita.

331100

Ato Onze

Versículo 23

²ÌÌ ²Ì²ÌÌŒ ¥ ̲̲ÌÌ ?? Ì ?? zÉù

OÌÌâÍ ¥ Ì ?? zâù ¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷ ¡ô ÷ ÌâZÌ ?? ÌÌ * ͲÌgÌÌ ?? ̘ÌgÌÙ˜ÌgÌÕœÉú

p ÌÍ ¥ Ì ¥ Ìâ¨Ì Í ?? Ì ¥ Ìâ¨Ì ?? ̘ÌÆ * 23 *

s € sa-s € dhvasa-s € nandaà

govinde lola-locanä

siïjäna-maïju-maïjéraà

praviveça niveçanam

Tradução

O coração de ®ré Rädhä estava cheio de ambição quando ela olhou para
Govinda com seus olhos inquietos. Seus sinos de tornozelo adornados com
joias tilintaram sedutoramente quando ela começou a entrar na câmara do
caramanchão isolado da floresta.
Comentário

Rädhä estava se sentindo nervoso e exultante ao mesmo tempo. Ela olhou


ao redor e olhou para o esperançoso K Ša. Os sinos de seus tornozelos
tilintaram quando ela entrou no caramanchão da floresta a conselho de sua
amiga. O caramanchão era um lugar perfeito para jogos amorosos de amor.
Quando ela olhou para K Ša, ela sentiu como se ele a estivesse segurando
em cada membro.

331111

S CENE T FOI Y-DOIS

Canção 22
O modo musical é varäòé räga. O ritmo é yati täla.

Há uma mulher com cabelos atraentes. Ela usa pulseiras nos pulsos e
buquês de flores nas orelhas. Quando ela timidamente pega um batedor de
rabo de iaque e abana seu amado enquanto ela se diverte com ele, sua
música é chamada varäòé räga.

œ ÷ ÌŒÌÌ ¥ Ìzù ?? ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ÌâFò ?? ÌÍ ¥ ÌFòͲÌtÌÍ ¥ ÌÍ

Í ÌŒÌÍ ¥ ÌFòÌœ ÷ Í ¥ Ì — ÌWó˜Ì * `¥¡ô Æ Í ?? ÌÍŒÌÍ ¥ ¥ ¥ Í ?? ˜Ìsn ÷


¡ô ÷ zù¨ÌÊ ?? ÌtÌœ ÷ Í¡ô ÷ ·÷ÞÍœú˜ÌâFòœú²ÌÉsÌtÌ̡ͥô÷̲ÌÉÍZÌœú˜ÌÍ — Ì¡ô

²ÌÌ zùzù¨ÌÊ OÌÙ ?? û · þ s ÌÊ ¥ ̨ÌÉ ¥ Ìzù ¥ Ìzù ?? Ì˜Ì ?? ÌWóÍ ¥ ÌFò̲̘ÌÆ *


D ÌÙ ¥ ̘ÌÆ *

·ÌÍœú¡ôÞÌœú˜Ì˜Ì¡ô÷– ÷™tÌœútÍ¥ÌzÜùœú˜ÌÆÌœú˜ÌÙœ÷ ͲÌ* zùŒÌtÌÉ ??

² • ÙòhõtÌœú • âò ?? ÌFòzù˜ – ÌFòœ ÷ ј – ÌtÌÍ˜Ì ¥ Ì ™ ̘ÌÙ ?? ÌÌ`Ì¡ô ÷ ??


ÌÜœú˜ÌÆ * · þÍœú

¨ ™ Ì̡̘ô ÷ ˜ÌßzÙù¡ô ÷ Fò¡âô ÷ ¥ Ìœú˜Ìsn ÷ ¡ô ÷


˜ÌÍŒÌOÌtÌOÌÌæœúzÙùFÜò¡ô ÷ ˜ÌÆ *

?? ÌÕ¡ô ÷ ?? ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÍ˜Ì ¥ Ì ?? ÌÕtÌ ?? Ìœ ÷ ÌOÌ ?? Ìhõ¡ôþ — Ìœú ¥ Ì¡ô ÷ Í


™ Ìt̘ÌÜ¡ô ÷ ˜ÌÆ

tÌœú¡ô ÷ ‹ùOÌfÌ¡ô ÷ ZÌ¡ô ÷ ?? Ì˜Ì ?? ÌÌâ · þœú ¥ Ìzù ?? Ì`ÌÍ ?? ÌtÌœ ÷ ÍtÌœ ÷
ÌO̘ÌÆ *

² • ÙòhõFò˜Ì¡ô ÷ ÌâzùœúLÌâÍ¡ô ÷ tÌLÌgÌ ?? Ì ™ ÌÙOÌÍ˜Ì ¥ Ì ¨Ìœ ÷ Ízù tÌn ÷


ÌO̘ÌÆ * · þÍœú0 *

¥ Ìzù ?? ÌFò˜Ì¡ô ÷ ?? ÌÍœú¨ÌÕ¡ô ÷ ?? Ì͘ÌÍ¡ô ÷ tÌ͘ÌÍ ·

þœú²Ì˜ÌFÙòsn ÷ ¡ô ÷ ¨ÌÌâ — ̨̘ * Ѳ˜ÌtÌ ?? ûÍZÙFÙ ˜Ì²Ì˜ÌÙ ¢


ôͲÌtÌ̜̌ú ?? Ì ¢ ô ÷ ¥ ÌFßòtÌœ
¨ÌͨÌÍFòœúsÌZ \ ÙôÍœútÌÌâzùœú`Ì¡ô ÷ ŒÌœú²ÌÙ ??
zùœú²ÌFÙò²ÌÙ˜˜ÌFâò¨Ì˜ÌÆ *

ÍtÌ̜͘ ÷ ÌâÍzùtÌÍ ¥ ÌŒÌÙ˜Ìsn ÷ ¡ô ÷ Í ?? ̘ÌÊ¡ô ÷ ˜Ì¡ô ÷ ™ Ì`ÌÍtÌ¡ô ÷ FòÍ ??


Ì ¥ Į̘̀ÌÆ * · þÍœú0

Í ¥ Ì ?? ÌÙ¡ô ÷ ?? ÌÙ¡ô ÷ Fò — Ìœúzù ?? tÌÙÍœútÌÉ œ ÷

ÍtÌFâòÍ¡ô ÷ Fò¡ô ÷ ÌÍ — ÌœúŒÌÕœú˜Ì * ˜ÌÍ¥ þ ÌÜ s Ìs̲ÌÙ — ÌǪ̜ ÷


Õœú˜ÌÆ * · þÍœú0 * 30

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌÍ ¥ Ì — Ì ¥ Ì͈ùOÌÙsÌÕFßòtÌ — ÌÜ s ÌsÌ —


ÌÌœú˜ÌÆ *

p Ìs̘ÌtÌ ÀþÍzù Í ¥ ÌÍ ?? ÌŒÌÌ ™ Ì · þÎœú ²ÌÙÍZÌœÉú ²ÌÙFßòtÌÌâzù ™


̲ÌÌœú˜ÌÆ * · þÍœú0 * 31

Ato Onze

Verso 24

rädhä-vadana-vilokana-vikasita-vividha-vikära-vibha gam jala-nidhim iva


vidhu-ma Šala-darçana-taralita-tu ga-tara gam

harim eka-rasaà ciram abhilañita-viläsaà

sä dadarça guru-harña-vaçaàvada-vadanam anaìga-vikäsam

(refrão) (1)

Tradução

Rädhä é o objeto exclusivo do apego cada vez maior de Kåñëa. Ele


acalentou o desejo de desfrutar de passatempos amorosos com ela por
muito tempo. Ele floresce de júbilo ao ver seu rosto e se emociona com
várias transformações extáticas de amor apaixonado. Rädhä viu como
Kåñëa, o oceano de doçuras eróticas, estava manifestando apego amoroso
por meio de suas expressões e postura sugestivas, assim como o oceano se
torna turbulento com ondas altas ao ver o orbe da lua cheia.

Comentário

No pavilhão de flores, Rädhä contemplou K Ša com excessivo afeto. Ela


viu suas virtudes únicas e

múltiplas. Todas as especialidades de Kåñëa estão relacionadas a Rädhä.


Çré Hari é referido como eka-rasa. O significado é aquele rasa, a doçura
amorosa ( Çåìgära), se tornou proeminente e que K Ša está repleto de
muitos aspectos daquele rasa.

O apego sempre novo por Rädhä está surgindo dentro dele porque ele
acalentou o desejo de desfrutar de passatempos íntimos com ela por muito
tempo. A presença de Rädhä no caramanchão do passatempo é tudo em sua
vida. K Ša ficou maravilhado de felicidade simplesmente por vê-la. Ele
quebrou em muitos

Sättvika transformações como tremores e horripilação.

Ao ver o rosto de Rädhä, que parecia ser a morada de Kämadeva, o rosto de


Kåñëa iluminou-se de júbilo. Ele queria cumprir seu desejo de união. O
rosto de Rädhä é a lua cheia, ao ver que o oceano de K Ša torna-se
turbulento e se agita com ondas altíssimas. Rädhä percebeu que assim que
Kåñëa a viu, ele começou a manifestar muitos tipos de emoções amorosas.

331133

Çré Geta- govinda


Versículo 25

häram amalatara-täram urasi dadhataà parilambya vidüram sphuöatara-


phena-kadamba-karambitam iva yamunä-jala-püram

harim eka-rasaà ... ( 2)

Tradução

Çré Hari adornou seu peito perfeitamente liso com um colar de pérolas
brilhantes que repetidamente abraçam seu coração. Parece que a água do
Rio Yamunä carrega cachos de espuma conspícua.

Comentário

Neste verso, K Ša é comparado à corrente larga do rio Yamunä. Um


auspicioso colar de pérolas que desce até os joelhos repetidamente envolve
seu peito azul escuro. Dá a impressão de que a água azul escura do Yamunä
se misturou com a espuma branca e está se manifestando diretamente ali.
Também está implícito que o sättvika-bhäva de transpiração abundante é
claramente visível no corpo de K Ša.

Verso 26

çyämala-mådula-kalevara-maëòalam adhigata-gaura-dukülam néla-nalinam


iva péta-paräga-paöala-bhara-valayita-mülam

harim eka-rasaà ... ( 3)

Tradução
Çré Hari colocou uma vestimenta amarela em seu corpo escuro e macio e
lustroso. Parece que uma flor de lótus azul foi encharcada por sua antera de
pólen dourado.

Comentário

Çré Hari colocou um xale amarelo sobre seu corpo transcendental azul
escuro. Assim, seu corpo se assemelha a uma flor de lótus azul,
ornamentadamente coberta por sua própria

331144

Ato Onze

pólen amarelo. Isso também indica que os membros dourados de Rädhä


ficarão ainda mais bonitos sobre o peito azul escuro de Kåñëa. Desta forma,
os arautos do xale amarelo de K Ša

o esperado viparéta-rati.

Verso 27

tarala-dåg-aïcala-calana-manohara-vadana-janita-rati-rägam sphuöa-
kamalodara-khelita-khaïjana-yugam iva çaradi taòägam

harim eka-rasaà ... ( 4)

Tradução

O rosto encantador de Kåñëa é tão belo quanto uma flor de lótus azul
totalmente desabrochada na água pura de um lago durante o outono. Os
expressivos olhares de soslaio de seus olhos inquietos, que parecem ser o
esporte de um pássaro alvéolo sobre um lótus, estão inflamando a obsessão
de Rädhä pela sensualidade.

Comentário

Quando Rädhä entrou na câmara, os olhos de Kåñëa ficaram inquietos.


Quando ela viu seu rosto encantador com seu sorriso suave, o desejo de se
envolver em passatempos amorosos despertou em seu coração. O rosto
sorridente de Kåñëa parecia uma flor de lótus outonal totalmente
desabrochada, sobre a qual exibiam os dois pássaros alvéolos de seus olhos
inquietos. Ao contemplar Rädhä, Kåñëa ficou imóvel. Portanto, ele foi
comparado a um lago outonal.

Nesse versículo, a inquietação de seus olhos revela sua sede de fazer amor.
O lançamento de seu olhar de soslaio desperta a paixão de Rädhä. A
palavra Kamalodara

também alude a uma posição coital específica chamada padm € sana. Seu
rosto encantador desperta nas moças o desejo dessa união.

331155

Çré Geta- govinda


Versículo 28

vadana-kamala-pariçélana-milita-mihira-sama-kuëòala-çobham smita-ruci-
kusuma-samullasitädhara-pallava-kta-rati-lobham

harim eka-rasaà ... ( 5)

Tradução

Vermelha como o sol da manhã, a beleza dos ornamentos de joias nas


orelhas de Kåñëa está subindo para tocar a beleza de seu rosto de lótus.
Brilhando com o brilho de seu sorriso radiante, seus lábios trêmulos em
botão de flor estão despertando a avidez de Rädhä por passatempos
amorosos.

Comentário

Os ornamentos que decoram as orelhas de K Ša parecem ser dois sóis


nascentes que se encontram em suas bochechas para atingir o toque de seu
rosto de lótus em flor. A luz do sol é um lembrete de que o tempo para
passatempos amorosos deve chegar ao fim. O sorriso gentil de Kåñëa realça
o brilho de seu rosto. Seus lábios em botão de flor, ansiosos para beijar os
lábios de Rädhä, expressam sua sede de união. Enquanto Rädhä contempla
a face de lótus de Kåñëa, que é o ornamento da essência da beleza, o desejo
por amor amoroso também surge em seu coração.

Verso 29

çaçi-kiraëa-cchuritodara-jaladhara-sundara-sakusuma-keçam timirodita-
vidhu-maëòala-nirmala-malayaja-tilaka-niveçam

harim eka-rasaà ... ( 6)

Tradução
Decorados com flores e iluminados pelos raios da lua, as mechas de cabelo
de Kåñëa parecem ser uma fileira de nuvens de chuva frescas. O esplendor
da pasta de sândalo tilaka em sua testa dá a impressão de que a lua cheia
surgiu em meio à escuridão do céu imaculado.

331166

Ato Onze

Comentário

Os belos cachos ondulados de Kåñëa são adornados com flores radiantes e


totalmente desabrochadas. Seu esplendor dá a impressão de que a lua está
escondida entre uma massa de nuvens escuras. Alternativamente, os raios
da lua estão permeando suas tranças escuras. Outra interpretação sugere
que a lua está nascendo no meio das nuvens. Grupos de flores são
claramente visíveis onde a lua brilha entre pequenas nuvens. E onde quer
que o luar não seja visível, as nuvens se transformam em negros.

o tilaka da pasta de sândalo da Malásia na testa escura de Kåñëa parece a


lua cheia nascendo no meio do céu escuro. A presença de Rädhä faz com
que as roupas e ornamentos de Kåñëa se tornem dourados. Agora Rädhä
está olhando para aquele Çyämasundara dourado.

Verso 30
vipula-pulaka-bhara-danturitaà rati-keli-kaläbhir adhéram maëi-gaëa-
kiraëa-samüha-samujjvala-bhüñaëa-subhaga-çaréram

harim eka-rasaà ... ( 7)

Tradução

O olhar de Rädhä faz o corpo de Kåñëa estremecer com severa


horripilação. Sua mente está instável quando muitos assuntos relativos ao
amor sensual despertam nela. Iluminado pelos raios de suas joias, sua
forma esplêndida assumiu uma aura extremamente cativante.

Comentário

Rädhä nota que todos os pelos do corpo de Kåñëa estão arrepiados. Ela fica
surpresa ao ver a maneira maravilhosa como os poros de sua pele ficam
eretos de prazer. Ele está extraordinariamente agitado pela expectativa de
se envolver em jogos amorosos. Ao encontrar Rädhä, a empolgação de
Kåñëa aumenta, junto com sua absorção em pensamentos de beijos e outras
atividades adequadas em uma apresentação das artes eróticas. Rädhä está
contemplando a aura do corpo maravilhoso de Kåñëa, realçada pelo brilho
de suas joias cintilantes.

331177

Çré Geta- govinda

Versículo 31

Çré-jayadeva-bhaëita-vibhava-dviguëékarta-bhñana-bhäram praëamata
hådi vinidhäya harià suciraà sukåtodaya-säram
harim eka-rasaà ... ( 8)

Tradução

O esplendor da multidão de ornamentos de K Ša foi duplicado pela


variedade de expressões ornamentais compostas por ®r… Jayadeva. Ó
devotos de bom gosto! K Ša é o fruto de todas as suas atividades piedosas.
Com muito cuidado, você pode mantê-lo dentro de seu coração e oferecer
reverências a ele.

Comentário

Para concluir, ®ré Jayadeva diz: “Ó vocês que estão engajados no serviço
devocional, a poesia da joia da crista dos bardos, ®ré Jayadeva, dobrou a
beleza dos ornamentos de Kåñëa.”

Alternativamente, "Esta narração da influência de Kåñëa é adornada com


dupla

alaìkäras, ou embelezamentos literários ambíguos. O aparecimento de K Ša


é a personificação de todas as suas atividades piedosas acumuladas ao
longo de um vasto período de tempo. Segure-o dentro de seu coração e
ofereça reverências a ele. ”

Essa aparência cativante de K Ša surge dentro do coração como resultado


de uma imensa piedade. Quando Kåñëa se une a Rädhä, seus atributos são
duplicados pela quantidade dobrada de ornamentos e também pela
influência de seu encontro.

“Que aquele mesmo K Ša, para quem Çré Rädhä encara incessantemente,
esteja graciosamente presente em seu coração para o tempo eterno.”

Esta vigésima segunda canção de Çré Géta-govinda tem direito Sänanda-


govinda-

raga çreëi-kusumäbharaëa.
331188

Ato Onze

Verso 32

+??ÍtÌ Ìk™ò˜ÌÊ™??ÌÌ??tÌO̘ÌWÉó?? ̬Ì- ¥ ÌsÌ ?? ÌyÌ

p Ì ™ Ì̲Ìâ ?? Ìâ ¥ ÌÌKsÌÌâ²tÌœú¡ô ÷ tÌœútÌÌœÉú ?? ÌÍtÌtÌ ™ ÌÌâ: *

tÌzùÌ ?? ÌÖ œ ÷ ÌŒÌÌ ™ ÌÌ: Í p Ì ™ Ìt̘̲̘ÌÌ¡ô ÷ ÌâFò²Ì˜Ì ™ Ìâ

?? Ì ?? ÌÌtÌ ² ¥ Ìâzù̘ – ÌÙ p ÌFòœú <¥ Ì · þ s ÌÌʬÌÙÍ ?? ÌFòœú: * 32 *

atikramyäpäìgaà çravaëa-patha-paryanta-gamana-

prayäseneväkñëos taralatara-täraà patitayoù

tadänéà rädhäyäù priyatama-samäloka-samaye

papata svedämbu-prakara iva harñäçru-nikarah

Tradução
Poucos momentos depois de encontrar seu amado, os olhos insensíveis de
Rädhä tentaram ultrapassar seus cantos e alcançar seus ouvidos. Seu júbilo
interior tornou-se inquieto e transbordou na forma de lágrimas de alegria,
como se fosse a transpiração que brotava do esforço dos olhos.

Comentário

Depois de sentir a dor da separação por tanto tempo, quando Rädhä


finalmente se encontrou com K Ša, seu júbilo não conseguia parar, então
começou a transbordar de seus olhos. Seus olhos extraordinariamente
grandes pareciam pingar de suor de saborear o jogo do amor.

Alternativamente, seus olhos tentaram ultrapassar a posição de um olhar de


esguelha e chegar aos ouvidos. Era como se a transpiração, proveniente do
esforço árduo de seus olhos, tivesse começado a fluir como uma corrente
de água em forma de lágrimas de alegria. Os olhos de Rädhä também
estavam excessivamente inquietos devido ao seu desejo intenso de ver K
Ša.

Este versículo, que revela a atitude de Rädhä sättvika-bhäva, recursos


upamä alaìkära

e çikhariëé chanda.

331199

Çré Geta- govinda


Verso 33

-ÌhõFòsnÜÌ`Ì??t™ ÷Ì̲tÌŸÍtÌÍ ?? ÌÍÌÌ ·??þtÌtÌÉ- FßòtÌFò ??

Ѳ˜ÌtÌÉ ™ ÌÌtÌâ OÌâ · þÌ‚ùÍ · þœú ¥ ÌÍ ·

þtÌÌ¡ô ÷ Õ ?? ÌÍœú`Ì ?? Ìâ * Í p Ì ™ Ì̲ ™ ÌÉ ?? ̨ ™ Ì ?? t ™ ÌÌ:


²˜Ìœú¨Ìœú²Ì˜ÌÌ

²Ì¡ô ÷ aÌÌ ¡ô ÷ aÌÌÍ ?? Ì ¥ ™ ÌO̘ÌÍzù ¥ Ì zÜùœÉú ˜ÌßOÌ ‹ù¨Ì: * 33 *

bhajantyäs talpäntaà kåta-kapaöa-kaëòüti-pihita-

smitaà yäte gehäd bahir avahitälé-parijane

priyäsyaà paçyantyäù smara-çara-samähüta-subhagaà

salajjä lajjäpi vyagamad iva dura måga-dāçah

Tradução

Os assistentes de Rädhä estavam ansiosos para fazê-la feliz. Assim que


viram o doeeyed Rädhä sentado na cama de Keçava, eles disfarçaram seus
sorrisos com o pretexto de se coçarem e saíram da câmara interna do
caramanchão. Impotente impotente pela atração sensual, Rädhä lançou um
encantador olhar de soslaio para o rosto de seu mais amado Kåñëa. Naquela
época, sua timidez também foi embora de vergonha e foi embora.

Comentário

No momento em que Rädhä se sentou na cama, sua consideração sakhés


entendeu que não seria adequado para eles ficarem mais lá. A presença
deles impediria o doce encontro de ®r… R € dh € -M
Ç dhava. Sorrindo e dando várias desculpas para se afastar, como
coçar as orelhas, aqueles astutos sakhés saíram da câmara de flores.

Quando Rädhä se sentou elegantemente na cama, ela ficou totalmente sob o


controle das flechas de Kämadeva. Ela começou a olhar para K Ša como se
fosse perfurá-lo com aquelas mesmas flechas. Vendo

a ousadia de Rädhä ( pragalbhatä), até a deusa da vergonha personificada


ficou embaraçada. Enquanto o sakhés tinha feito anteriormente, ela
abandonou o Rädhä de olhos de corça e foi para longe. Agora como

332200

Ato Onze

a inibição permanecerá neste caso amoroso? Com um olhar incessante e


sem piscar, Rädhä tomou posse completa de ®ré Kåñëa.

Este versículo apresenta rasavad alaìkära e çikhariëé chanda.

Verso 34

²ÌÌ ?? Ì ?? zÉù ?? Ì ?? zù²ÌÜ ?? ÌÙÏzù¨ÌtÌ٠͘ÌtÌ ?? ÌœÉú ²Ì˜˜ÌzÉù ˜Ì ??


zù˜Ì ?? zÉù œ ÷ ÌŒÌ̘ÌÌŒÌÌ ™ Ì –Ì̾þÌâÏ ¥ Ì ¥ Ìœú˜Ì ?? ÌÙ ‹ùqÉø ?? ÌÕn ÷
™ Ì ?? p ÌÕÍtÌ ™ ÌÌâOÌÌtÌÆ *

tÌÙWóÌæ t̲ ™ ÌÌ = œ ÷ Ìâ`ÌÌ ¥ ÌtÌ ?? ÌÙ ¥ ÌœútÌ ?? ÌÌâÏ ?? ÌOÌÊtÌÌæ ˜ÌÌ ²˜Ì


—ÌÜtÌÌÉ ?? Ì߯Éö
s € nandaà nanda-sünur diçatu mita-paraà sammadaà manda-mandaà

rädhäm ädhäya bähvor vivaram anu dåòhaà péòayan préti-yogät tuìgau


tasyä urojäv atanu-vara-tanor nirgatau mä sma bhütäà

påñöhaà nirbhidya tasmäd bahir iti valita-grévam älokayan vah

Tradução

O filho de Nanda, ®r… K Ša, lenta e gentilmente tomou R € dh € nos


braços, depois a abraçou com afeição. Ao abraçar Rädhä, ele sentiu como
se os seios altamente protuberantes dela pudessem perfurar suas costas e
sair do outro lado. Que aquele ®r… K Ša possa conferir bem-aventurança a
todos.

Comentário

®r… Govinda, o filho de Nanda, e R € dh € se encontraram sozinhos.


Totalmente extasiado por este encontro, K Ša lenta e gentilmente colocou
seus braços ao redor de Rādhä para abraçá-la. R € dh € é mais delicado do
que uma flor de acácia, portanto K Ša a segurou suavemente em seus
braços.

A frase dåòhaà péòayan revela a sede cada vez maior de K Ša por seu
amor. Impelido pelo afeto, K Ša então a abraçou com força. Desta vez,
Kåñëa sentiu como se os mamilos eretos de Rädhä estivessem prestes a
perfurar suas costas e sair do outro lado. Neste contexto, a natureza dura e
penetrante de seus mamilos

332211
Çré Geta- govinda

está sendo revelado, indicando o apelo sensual extremo e a jovialidade


feminina de sua beleza natural. Fora isso, ela é mais macia do que uma flor.

Este versículo apresenta ìgära-rasa, vaidarbhé réti, prasäda guna e


sragdharä chanda.

Versículo 35

`Ì ™ ̬ÌÕÍ ¥ Ì ?? ™ ̲tÌæ˜ÌÊÍ · þtÌ <¥ Ì ˜Ì ?? zùÌœúFÙò²ÌÙ˜Ìæ:

É ¥ Ì ™ ÌÉ Í²Ì ?? zÜùœâúsÌ Íˆù ?? Ìœús̘ÌÙzùÌ ˜ÌÙÍ ‡ ùtÌ <¥ Ì *


-Ì¡ôÌÙ`ÌÌ÷ ™??ÌÌÌÕn?? ÌÕn÷k òÕn÷FòÍœúsÌ:÷·þtÌFÙò ¥

p ÌFòÕsÌÌʲÌßÑO – Ì ?? zÙù`ÌÊ ™ ÌÍtÌ —ÌÙ`Ìzùsn ÷ Ìâ ˜ÌÙœ ÷ Í`ÌtÌ: * 35 *

jayaçré-vinyastair mahita iva mandära-kusumaiù

svayaà sindüreëa dvipa-raëa-mudä mudrita iva

bhujäpéòa-kréòä-hata-kuvalayäpéòa-kariëah

prakérëäsåg-bindur jayati bhuja-daëòo murajitaù

Tradução

Na luta corpo a corpo, os braços de Kåñëa são embelezados por gotas de


sangue após matar o elefante Kuvalayäpéòa. Por sua exuberância em lutar
com o elefante, parece que seus braços estão manchados de vermelhão e
decorados com

mandära flores pela deusa da vitória. Que aqueles braços largos de K Ša, o
conquistador de Mura, sejam sempre triunfantes.
Comentário

®r… Jayadeva diz: “Que os braços de ®r… K Ša confiram auspiciosidade


a todos vocês. Seus excelentes braços são louváveis em todo o universo.
Ele é conhecido como Murajita porque seus braços, como hastes de castigo,
acabaram com o demônio Mura. Seus braços formidáveis também
despacharam esportivamente o elefante de Kaàsa, Kuvalayäpéòa. Quando
gotas de sangue do elefante respingaram em seus braços, parecia que a
deusa da vitória o estava adorando pessoalmente com

332222

Ato Onze

pärijäta flores. O prazer de Kåñëa em matar o elefante assumiu a forma de


vermelhão. ”

Diz-se que Kåñëa se lembrou de Rädhä quando viu os globos cranianos


protuberantes do elefante. Portanto, embora seus braços fossem
embelezados por gotas de sangue, eles pareciam estar decorados com o
vermelhão da bem-aventurança ou por

mandära flores oferecidas por Vijaya-Lakñmé, a deusa da vitória.

“Que aqueles braços fortes concedam auspiciosidade a todos vocês. Os


braços de ó ®r… K Ša! Toda glória para você! Toda vitória para você! ”

Este versículo apresenta sikhariëé chanda, anupräsa e utprekñä alaìkäras,


päïcälé réti, ärabhaöé våtti e véra-rasa.
Verso 36

²ÌÌæ ?? zù ™ ÌèFòÍ ?? ÌŒÌâœú ?? ÌWó¡ô ÷ ¡ô ÷ ?? ÌÌ¡ô

É Ì ¥ Ìs ™ Ì¡ô ÷ Õ¡ô ÷ Ì`ÌÙ s ÌÌâ œ ÷ ÌŒÌÌ ™ ÌÌ ÀþÍzù ?? ÌŸ ¥ Ì¡âô ÷


˜Ì ?? ÌͲÌ`Ì k òÕnæ ÷ FòœúWó²yÌ¡âô ÷ *

œú˜ ™ ÌÌ✠÷ Ìâ`̲̜ ÷ Ìâ`ÌLÌâ¡ô ÷ ?? Ìœ ÷²Ìt ¥ ÌÌzùÌt˜Ì ?? Ì: L ™ ÌÌ ?? Ì ™


Ì ?? ÌtÆÌ Ì

saundaryaika-nidher ana ga-lalanä-lävaëya-lélä-juño

rädhäyä hådi palvale manasija-kréòaika-raìga-sthale

ramyoroja-saroja-khelana-rasitväd ätmanaù khyäpayan

dhyätur mänasa-räja-haàsa-nibhatäà deyän mukundo mudam

Tradução

O oceano de beleza, ®r… R € dh €, é tão brilhante quanto Rati-dev…, a


consorte de Cupido. Mukunda está totalmente absorta em brincar com seus
seios de lótus no palco encantador do lago de seu coração, assim como os
cisnes reais do Lago Mänasa brincam entre as flores de lótus. ®ré Mukunda
elogia aqueles que meditam sobre ele dessa forma. Que ele conceda
felicidade a todos.

332233
Çré Geta- govinda

Comentário

Mukunda se refere àquele que liberta todos da angústia e concede


felicidade. Neste verso, a joia da crista dos poetas, ®r… Jayadeva, dá uma
bênção aos leitores e ao público ao dizer que R € dh € é o único oceano de
toda a beleza e seu seio é o playground de K Ša.

O poeta comparou o peito de Rädhä a um lago. Enquanto as flores de lótus


crescem em um lago, as duas encantadoras flores de lótus dos seios de
Rädhä crescem no lago de seu peito. O brincalhão K Ša é comparado ao rei
dos cisnes que sente prazer ali.

Aquele cisne de K Ša também se diverte em Mānasa-sarovara, o lago dos


corações daqueles que meditam sobre ele. Que ele possa conferir
auspiciosidade a todos os seus devotos.

Este versículo apresenta Rüpaka e äçéù alaìkäras. o Chanda é


çärdülavikréòita.

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o ato onze de Çré


Géta-govinda, intitulado Sänanda-govinda.
332244

* ˆÙÌzù¨Ì: ²ÌOÌÊ: *

*ÌÕtÌ̘²ÌÙp –ÌÕtÌÌœú:??*
Ato Doze

- supréta-pétämbaraù -

Gladsome in Gold

Verso 1

OÌtÌ ¥ ÌÍtÌ ²ÌLÌÕ ¥ Ìß ?? zâù% ̃ Ì ?? zùwÌ ?? ÌÌ — Ìœ ÷ Í ?? Ì — ÌÊœú-


²˜Ìœú¨Ìœú ¥ ̨ÌÌFÜòt̲² • ûÕtÌѲ˜ÌtÌ´ÌÍ ?? ÌtÌ̜̌ ÷ ̘ÌÆ *
²Ìœú²Ì˜Ì ?? ̲ÌÉ ‹ù ° õÌ œ ÷ ÌŒÌÌÉ ˜ÌÙ · Ùþ ?? ÌÊ ¥ Ì ?? Ì ¢ ô ÷ ¥ Ì-

p ̲̜ú¨Ì ™ Ì ?? Ìâ Í ?? ÌÍKÌ ?? ÌÌKÌÕ˜ÌÙ ¥ ÌÌZÌ · þÍœú: Í p Ì ™ Ì̘ÌÆ * 1 *

gatavati sakhé-vånde 'manda-trapä-bhara-nirbhara-

smara-çara-vaçäküta-sphéta-smita-snapitädharäm

sarasa-manasaà dåñövä rädhäà muhur nava-pallava-

prasara-çayane nikñiptäkñém uväca hariù priyäm

Tradução

uando as atendentes saíram da câmara de videiras em flor, ®r… R € dh €,


que é extremamente tímido, foi possuído por K € madeva, o deus do amor
amoroso. A beleza de

seus lábios eram realçados pela aparência de um sorriso e ela olhava


repetidamente para a cama feita de folhas frescas e flores com uma paixão
cada vez maior por jogos de amor. Vendo sua amada olhando desta forma,
K Ša começou a falar.

Comentário

Quando Rädhä se aproximou da cama para jogos de amor na câmara do


bosque, ela sakhés consideraram-se obstáculos e deram várias desculpas
para sair. Kåñëa viu que Rädhä havia se tornado terrivelmente

tímido no coração. Pela influência de kama, um sorriso gentil estava


brincando em seus lábios e ela estava olhando na direção do canteiro de
folhas novas. Ela não conseguiu dizer nada. Sua mente estava cheia de
desejo insaciável e o canteiro de flores frescas era a personificação de sua
intenção exclusiva. Vendo a disposição de Rädhä, Kåñëa falou com ela
com afeição cada vez maior.
332277

S CENE T FOI Y-TRÊS

Canção 23

O modo musical é vibh € sa r € ga. O ritmo é ekatälé täla.

ÍFò²Ì¡ô ÷ ™ Ì¨Ì ™ Ì ?? ÌtÌ¡âô ÷ FÙò ?? û FòÌ͘ÌÍ ?? Ì ZÌœúsÌ ?? ÌÍ¡ô ÷ ?? ÌÍ


¥ ÌÍ ?? Ì ¥ ¥ Ìâ¨Ì˜Ì * tÌ ¥ Ì ?? Ìzù ?? Ì ¢ ô ÷ ¥

Ì ¥ ÌæÍœú ?? Ìœ ÷ Ì — Ì ¥ Ì͘Ìzù˜Ì ?? ÌÙ — Ì ¥ ÌtÌÙ ²ÌÙ ¥ ÌÆ¨Ì˜Ì *


KÌš̘ÌÙ ?? ÌÌ ?? ÌÌœ ÷

FòœúFò˜Ì¡âô ÷ ?? Ì Fòœ ÷ ÌâÍ˜Ì ZÌœúsÌ˜Ì · þ˜ÌÌOÌ͘ÌtÌÌÍ²Ì Í ¥ ÌzÜùœú˜ÌÆ *

KÌs̘ÌÙ ?? ÌFÙò ?? û ¨Ì ™ Ì ?? ÌÌâ ?? ÌÍœú ˜ÌÌÍ˜Ì ¥ Ì ?? ÌÜ ?? ÌÙœú˜Ì ??


ÌÙOÌÍt̨ÌÜœú˜ÌÆ

¥ Ìzù ?? ̲ÌÙŒÌÌÍ ?? ÌÍŒÌOÌÍ¡ô ÷ t̘̘ÌßtÌÍ˜Ì ¥ Ì œúZÌ ™ Ì ¥ ÌZÌ

?? Ì˜Ì ?? ÌÙFÜò¡ô ÷ ˜ÆÌÍ * Í ¥ Ìœú · þÍ˜Ì ¥ ÌÌ ?? Ì ?? Ì ™ ÌÌÍ˜Ì ?? Ì ™


ÌÌâŒÌœúœ ÷ ÌâŒÌFò˜Ì

EU p Ì ™ Ì ?? ÌÍœúœú˜ — ÌsÌœú — Ì²Ì ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌÍ˜Ì ¥ Ì ?? ÌÙ¡ô ÷


ÍFòt̘ÌÍtÌzÙùœú ¥ ÌÌÆ ?? ̨̘ * ˜Ìzùùœ ÷ Ͳò ¥ ¥ ÌÍ ?? Ì ¥ Ìâ¨Ì ™ Ì ¨ÌÌâ s Ì ™
Ì ˜Ì ?? ÌͲÌ`ÌtÌÌ ??

É ŒÌœú²ÌÙŒÌÌŒÌÌœú²Ì˜ÌÙ ?? Ì ?? Ì ™ Ì —ÌÌ͘ÌÍ ?? Ì `ÌÕ ¥ Ì ™ Ì


˜ÌßtÌÍ˜Ì ¥ Ì Ì zù̲̘ÌÆ * t ¥ ÌÍ ™ Ì Í ¥ ÌÍ ?? ÌÍ · þtÌ˜Ì ?? ̲ÌÉ Í ¥ Ìœú · þÌ ??
Ì¡ô ÷ zùOŒÌ ¥ Ì ?? ÌÙ s ̘ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ̲̘ÌÆ * KÌsÌ0 * 6 *

¨Ì̘ͨÌÙÍLÌ ˜ÌÙLÌœú ™ Ì ˜ÌÍsÌœú¨Ì ?? ÌÌOÌÙsÌ˜Ì ?? ÌÙOÌÙsÌFòslöÍ

?? Ì ?? ÌÌzù˜ÌÆ * ¬ÌÙÍtÌ ?? ÌÙhõ ™ ?? ÌÙOÌ¡â ÷Ì ?? ?? ¡Âô ÷ ¨Ì˜Ì ™ Ì ÍZÌœ


÷ Ìzù ¥ ̲ÌÌzù˜Ì

˜Ì̘ÌÍtÌÍ ¥ Ì • ò¡ô ÷ ?? û s ÌÌ Í ¥ ÌFò¡ô ÷ ÕFßòtÌ˜Ì ¥ Ì¡ô ÷ ÌâÍFòtÌ٘̌ÌÙ ??


Ìâzù˜ÌÆ * ˜ÌÕÍ¡ô ÷ tÌ¡ô ÷ ÍaÌtÌÍ˜Ì ¥ Ì ?? Ì ™ Ì ?? ÌÉ tÌ ¥ Ì Í ¥ Ìœú˜Ì Í ¥ ̲Ìß`Ì
œ ÷ ÍtÌLÌâzù˜Ì * KÌsÌ0 * 8 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì — ÌÍsÌtÌ͘Ìzù˜Ì ?? ÌÙ ?? ÌzùÍ ??

ÌOÌÍzùť̘ÌÙÍœú ?? ÌÙ˜ÌÌâzù˜ÌÆ * `Ì ?? Ì ™ ÌtÌÙ œ ÷ ͲÌFò`Ì ?? Ìâ s ÌÙ


˜Ì ?? ÌÌâœú˜Ìœ ÷ Ít

Ato Doze

Verso 2

kisalaya-çayana-conto kuru kämini caraëa-nalina-viniveçam tava pada-


pallava-vairi-paräbhavam idam anubhavatu suveçam

knaŠam adhunä näräyaëam anugatam anusara rädhike!

(refrão) ( 1)

Tradução

“Ó mulher apaixonada, coloque seus pés como flores sobre este canteiro de
folhas recém-germinadas. Esta cama é inimiga das folhas macias de seus
pés. Deixe agora sentir a humilhação da derrota. Ó Rädhikä, por um
momento, você pode me seguir, seu subserviente Näräyaëa. ”

Comentário

®r… Hari disse a R € dh €: “Ó mulher amorosa, coloque seus pés de lótus


sobre esta cama de folhas macias. Essas folhas são inimigas de seus pés
parecidos com pétalas. Ataque-os com os pés para que percebam sua
derrota. Quando um inimigo vence seu adversário, ele o esmaga com os
pés. Ó meu amado, estou encantado com o festival de vê-lo. Por um
momento, permita-me que me delicie com a festa da união com você.
Agora é o momento de me seguir. Desfrute de passatempos amorosos com
seu subserviente Näräyaëa. ”

Como Näräyaëa é o criador, Kåñëa disse: "Eu sou Näräyaëa", para


introduzir a criação de rasa. Neste contexto, Näräyaëa significa: "Aquele
que reside ( Ayana) na água ( nära) e quem é o abrigo ( Ayana) de todas as
entidades vivas ( nära). ”

K Ša sugere: “Uma pessoa angustiada fica alegre ao se divertir nas águas


do oceano. Da mesma forma, você também está sofrendo da sensação de
queimação da luxúria. Então, apenas experimente o jogo do amor, como se
estivesse se divertindo no oceano do meu prema. Desta forma, faça-se feliz
e também me refresque. ”

A palavra anugata ( subordinado) implica: "Embora eu seja o amado de


muitos, meu coração é exclusivamente seu."

A frase “coloque os pés” (sobre a cama) revela que K Ša tem uma atividade
específica em mente.

332299
Çré Geta- govinda

Verso 3

kara-kamalena karomi caraëam aham ägamitäsi vidüram kñaëam upakuru


çayanopari mäm iva nüpuram anugati-çüram

kñaëam adhunä ... ( 2)

Tradução

“Minha querida, você veio de muito longe. Vou massagear seus pés de
lótus com minhas mãos de lótus. Apenas por um momento, nesta cama,
mostre favor a um herói como eu, o seguidor de seus sinos de tornozelo.

Comentário

®r… K Ša diz: “Ó R € dh €, você veio para cá depois de caminhar de


muito longe. Venha, deixe-me massagear seus pés de lótus com minhas
mãos. Eu adoro esses pés. Eu sou exatamente como seus sinos de
tornozelo. Como eles estão sempre prontos para segui-lo aonde quer que
você vá, eu também estou. Portanto, também sou elegível para receber seu
favor e me tornar o beneficiário de sua bondade. Você favorece seus
tornozelos ao usá-los, então mostre o mesmo favor para mim - nesta cama.

Verso 4

vadana-sudhä-nidhi-galitam amåtam iva racaya vacanam anukülam


viraham iväpanayämi payodhara-rodhakam urasi dukülam

kñaëam adhunä ... ( 3)

Tradução
“Ó Rädhä, por favor, fale algumas palavras agradáveis que gotejam como
néctar da lua de seu rosto. Eu desejo remover a separação personificada na
forma da roupa que cobre seus seios e obstrui nossa união. ”

Comentário

“Ó Rädhä, gentilmente pronuncie palavras agradáveis e sedutoras que


estimulam a paixão. Seu rosto se parece com a lua. Conforme o néctar
emana da lua, a chuva jorra de néctar

333300
Ato Doze

sobre mim, de seu rosto de lua, conversando docemente sobre nossos jogos
sexuais. Tenho sofrido em separação de você. "

De acordo com o princípio de correlação entre o sujeito e o objeto de um


símile, é igualmente válido dizer: "Eu removo a separação que é como um
pano fino", ou "Eu removo o tecido fino que é como a separação."

“Assim como a separação obstrui nossa união, o tecido fino sobre seus
seios também impede nosso encontro. Portanto, permita-me remover essa
barreira. Este fino pano envolve seus seios. Os seios de mulheres
apaixonadas não florescem na hora da separação. Da mesma forma, os
seios não florescem quando cobertos por uma roupa, então vou remover a
cobertura de separação que verifica o brilho de seu seio. ”

Verso 5

priya-parirambhaëa-rabhasa-valitam iva pulakitam ati-duraväpam mad-


urasi kuca-kalaçaà viniveçaya çoñaya manasija-täpam

kñaëam adhunä ... ( 4)


Tradução

“Minha querida, seus seios de jarro raramente acessíveis vibram com a


horripilação. Eles estão prontos para serem abraçados por quem você ama.
Por favor, coloque-os sobre meu peito e supere o calor de meus desejos
amorosos não realizados. "

Comentário

"Ó Rädhä, segure seus seios redondos como potes de água no meu peito
como se você estivesse colocando jarras sobre um altar de sacrifício
( maìgala-vedé) e remova o calor da minha paixão. O calor é eliminado
pela proximidade de um pote de água. Cada poro da pele de seus seios
parecidos com um pote de água estremece de horripilação. Seus seios são
extremamente difíceis de alcançar sem seu favor. Agora eles estão prontos
e decididos no abraço de sua namorada. Portanto, coloque-os em meu
coração e afaste a queima de meu kama. ”

333311

Çré Geta- govinda

Verso 6

adhara-sudhä-rasam upanaya bhämini jivaya måtam iva däsam tvayi


vinihita-manasaà virahänala-dagdha-vapuñam aviläsam

kñaëam adhunä ... ( 5)

Tradução
“Ó mulher arrogante, minha mente está absorta em você. Estou queimando
no fogo da separação. Estou privado de todo prazer. Seu servo está como se
estivesse morto. Salve minha vida me fazendo beber o suco nectariano de
seus lábios. ”

Comentário

“Meu querido indignado, este servo nada mais é do que o assistente pessoal
de seus pés. Seja misericordioso com ele. Abandone seu humor contrário.
Termine com sua raiva. Estou queimando no fogo da separação ao me
lembrar constantemente de você. Este servo é como uma pessoa prestes a
morrer. Infunda nova vida em mim com o néctar de seus lábios. Torne esta
pessoa inativa ativa novamente. Uma pessoa morta volta à vida ao beber
néctar. Embora desprovido de toda felicidade, meu coração está apegado
exclusivamente a você. Estou sendo chamuscado pelo fogo da separação,
então gentilmente borrife-me com o néctar de seus lábios. ”

Verso 7

çaçimukhi mukharaya maëi-raçanä-guëam anuguëa-kaëöha-ninädam ruti-


puöa-yugale pika-ruta-vikale çamaya ciräd avasädam

kñaëam adhunä ... ( 6)

Tradução

“Seu rosto é tão lindo quanto a lua. Faça com que as joias da sua cinta
ressoem em ressonância com o som da sua voz e, assim, acalme meus
ouvidos, que há muito se frustravam com o chamado do cuco ”.
333322

Ato Doze

Comentário

“Ó mulher com um rosto radiante de lua, você é a lua que goteja néctar.
Faça com que os sinos de joias em sua cinta cantem em harmonia e
uníssono com o tom de sua voz, de modo que, quando você fizer amor
comigo na posição superior, esses sinos comecem a marcar o ritmo junto
com suas exclamações inarticuladas de êxtase. Meus ouvidos ficaram
angustiados de ouvir o chamado dos cucos porque estimula minhas
memórias de você. Para amantes solitários, o som dos cucos é
simplesmente doloroso. Agora encha meus ouvidos com música e acalme
essa prolongada frustração da separação. ”

Verso 8

mäm ati-viphala-ruñä vikalé-kåtam avalokitum adhunedam mélita-lajjitam


iva nayanaà tava virama visåja rati-khedam

kñaëam adhunä ... ( 7)

Tradução

“Ó mulher contrária, você me feriu sem motivo com sua raiva inútil. Seus
olhos estão semicerrados, como se estivessem envergonhados, quando você
olha em minha direção. Agora abandone sua relutância em se unir a mim. ”

Comentário

“Ó Rädhä, você continuamente me olhava com olhos irados para me causar


angústia sem motivo. Sem provocação, você deu uma demonstração de
raiva para me deixar deprimido. Desta forma, você me quebrou em
pedaços. Mas olha, agora seu olhar está chovendo prema. O olhar furioso é
envergonhado, então seus olhos estão semicerrados. Agora seus olhos
também devem abandonar essa expressão semicerrada inútil. Fique
satisfeito comigo e com entusiasmo deixe de lado seu langor pela união. ”

333333

Çré Geta- govinda

Verso 9

Çré-jayadeva-bhaëitam idam anupada-nigadita-madhuripu-modam janayatu


rasika-janeñu manorama-rati-rasa-bhäva-vinodam

kñaëam adhunä ... ( 8)

Tradução

®r… Jayadeva descreve os divertimentos arrebatadores de Madhuripu


®r… K Ša em cada palavra. Que sua canção desperte os passatempos
lúdicos do amoroso delicioso rasa nos corações dos devotos que são
especialistas em saborear doçuras transcendentais puras.

Comentário
Nisto, ®r… Jayadeva investigou o crescente êxtase de ®r… K Ša. Esta
música, intitulada Madhuripu-moda-vidyädhar encanta ®r… K Ša porque
expande o humor de Rati-rasa e expõe o erotismo da união. A natureza

incomparável e a preeminência de Çåìgära-rasa é aceito por unanimidade


entre os devotos especialistas.

“Que esta música desperte a alegria fascinante da doçura erótica nos


corações dos conhecedores do amor espiritual.”

Verso 10

p Ìt ™ ÌÜ · þ: ?? ÌÙ¡ô ÷ FòÌSÛóœâúsÌ Í ?? ÌÍ ¥ Ìn ÷ ̪âô ÷ s Ìâ Í ?? ̘Ìâ s


ÌâsÌ ZÌ k òÕn ÷ ÌFÜòtÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ÌâÍFòtÌâ% ŒÌœú²ÌÙŒÌÌ ?? ÌÌ ?? Ìâ
FòyÌÌFâòÍ¡ô ÷ Í —

+™Ì??ÌÙ} âù%??zùÌÍŒÌO̘Ìâ??™ÌѲ˜Ì?? NÌ˜Ì ??— ÌܘÌyÌFò¡ô ÷ Ì

zÙù „ÜùtÌ: ²Ì tÌ ™ ÌÌâ – ÌÊ — ÌÜ ¥ Ì ²ÌÙœútÌÌœú˜ — Ì: Í p Ì ™ ÌÉ —ÌÌ ¥


ÌÙFò: *

pratyühaù pulak € kureëa nivi˜äçleñe nimeñeëa ca

kréòäküta-vilokite 'dhara-sudhä-päne kathä-kelibhiù

änandädhigamena manmatha-kalä-yuddhe 'pi yasminn abhüd udbhutah sa


tayor babhüva suratärambhaù priyaà bhävukah

333344

Ato Doze
Tradução

Então eles começaram a batalha de amor surpreendente e supremamente


prazerosa pela qual ambos ansiavam por muito tempo. No calor daquela
competição sensual, a horripilação da emoção de um abraço profundo
parecia ser um impedimento. O piscar de seus olhos parecia obstruir a
observação diligente das intenções de cada um no jogo. Enquanto bebiam o
néctar dos lábios um do outro, sua conversa erótica doce tornou-se
problemática. E mesmo a obtenção do êxtase parecia um obstáculo na
competição das artes amorosas.

Comentário

Neste verso, ®r… Jayadeva explica que R € dh € e M € dhava agora


começaram sua tão esperada e intensamente prazerosa união sexual.

No início de seus jogos de amor, a ereção dos poros da pele cria um


obstáculo. Naturalmente, a emoção da horripilação severa os impede
momentaneamente de entrar na postura de união.

Além disso, o piscar de seus olhos obstruía a observação cuidadosa um do


outro. A ânsia de ver as intenções especiais um do outro tornava o piscar
intolerável. Ao beber o néctar dos lábios um do outro, a réplica erótica
parecia atrapalhar. Ao beijar, até mesmo a conversa doce é intolerável.
Provar os lábios um do outro se torna muito mais prazeroso do que incitar
um ao outro com palavras provocativas. Até a obtenção do êxtase parece
ser um impedimento na competição das artes sensuais.

Este versículo apresenta Çärdüla-vikréòita chanda, yathäsaìkhya alaìkära e

a Çåìgära-rasa chamado sambhoga. O presente verso é uma introdução à


vigésima quarta canção intitulada Candrahäsa.
333355

Çré Geta- govinda

Versículo 11

zùÌâ— ™ ÌÌË ²ÌÉ ™ Ì͘ÌtÌ: ?? Ì ™ ÌÌâŒÌœú —

ÌœâúsÌÌ ?? ÌÕÍn ÷ tÌ: ?? ÌÌÍsÌ`Ìæœ ÷ ÌÍ ¥ Ì} ùÌâ zù¨Ì ?? Ìæ: KÌtÌ̜̌ú ??


ÌÌhõâ ?

·™Þ²tÌâ????zâùÌÌ ?? Ì͘ÌtÌ:²ÌɘÌÌâÍFòZÌâ%·þtÌ:ŒÌœú˜ÌŒÌÙ²

FòÌ ?? tÌ: Fò̘ÌÍ ?? Ì tÌßÍ ?? ̘ÌÌ ?? Ì tÌzù · þÌâ Fò̘̲ ™ Ì ¥ Ì̘ÌÌ OÌÍtÌ: * 11
*

dorbhyäà saàyamitaù payodhara-bhareëäpéòitaù päëijair

äviddho daçanaiù kñatädhara-puöaù çroëé-taöenähataù hastenänamitaù


kace 'dhara-madhu-syandena sammohitaù

k € ntah kam api tåptim € pa tad aho k € masya v € m € gatiù

Tradução
O querido amante de Rädhikä foi amarrado por seus braços, repetidamente
esmagado pelo peso de seus seios e perfurado por suas unhas. Seus lábios
foram feridos por seus dentes e ele foi severamente golpeado por seus
quadris. Pegando seu cabelo com as mãos, ela o segurou e o confundiu com
o fluxo de doce mel de seus lábios. Desta forma, K Ša atingiu uma alegria
que estava fora deste mundo. Portanto, é dito que os caminhos de K €
madeva são contra-intuitivos.

Comentário

O poeta Çré Jayadeva está descrevendo viparéta-rati neste versículo. Ele


afirma que K Ša atingiu um estado indescritível de satisfação. Portanto, é
dito que as formas de kama são contraditórios e além da experiência
comum.

Este paradoxo surge do aparecimento de outro rasa. Como um ofensor se


refugia no cavalheirismo ( véra-rasa) para aceitar sua punição, K Ša se
refugiou em véra-rasa e progrediu pelos estágios de ser preso, espancado,
perfurado, amarrado, ferido e obrigado a se submeter. Finalmente, ele
chegou ao estado de completo espanto.

Embora o entusiasmo de Rädhä e Kåñëa seja implacável, nenhum dos lados


está preparado para se retirar desta batalha de amor. Rädhä puniu Kåñëa de
várias maneiras por meio de viparéta-rati. Ela o amarrou na prisão de seus
braços.

333366

Ato Doze
Ela o oprimiu e o esmurrou com o peso combinado de seus seios. Ela o
feriu com as unhas e mordeu seus lábios com os dentes. Ela o golpeou com
seus quadris largos. Ela agarrou seu cabelo com as mãos enquanto bebia a
corrente de mel de seus lábios. Rädhä levou seu amante ao ponto de
completa perplexidade. Esse amor é uma questão de grande admiração!

Este versículo apresenta çärdüla-vikréòita chanda e rasavad alaìkära.


Alguns

estudiosos também se referem a este versículo como uma subseção


específica intitulada Käminéhäsa.

Versículo 12

˜ÌÌœ ÷ ÌSâó œ ÷ ÍtÌFâòÍ¡ô ÷ ²ÌSÛó¡ô ÷ œúsÌÌœú˜ — Ìâ tÌ ™ ÌÌ ²ÌÌ · þ²Ì-p ÌÌ


™ ÌÉ FòÌ ?? tÌ`Ì ™ ÌÌ ™ Ì ÍFòÍfÌzÙù ?? ÌÍœú p ÌÌœ ÷ ј

— Ì ™ Ìt²Ì˜ B̃ ̘ÌÌtÌÆ * Í ?? Ì s ?? Ì ?? zùÌ `ÌQÌ ?? ̲yÌ¡ô ÷ Õ

ͨÌÍyÌ¡ô ÷ tÌÌ zùÌâ ¥ ÌÊÍ ¢ ô ?? ûtFòј ?? ÌtÌÉ ¥ ÌKÌÌâ ˜ÌÕÍ¡ô ÷ t̘ÌÍKÌ ?? ÌÌæ
?? û s Ìœú²Ì: µÌÕ

märäìke rati-keli-saìkula-raëärambhe tayä sähasa-

präyaà känta-jayäya kiïcid upari prärambhi yat-sambhramät niñpandä


jaghana-sthalé çithilatä dor-vallir utkampitaà

vakño mélitam akñi pauruña-rasaù stréëäà kutaù sidhyati

Tradução

No início do jogo de guerra erótico, a absorção em kama tornou Çré Rädhä


intensamente agressivo. Ela montou no peito do amante e começou
vigorosamente a fazer amor com ele com grande zelo, numa tentativa
determinada de alcançar a vitória. Ao fazer isso, seus quadris
eventualmente ficaram imóveis, seus braços relaxaram, seus seios
começaram a arfar e seus olhos se fecharam. Na verdade, como pode o
desejo de uma mulher de saborear o homem agressivo rasa já teve sucesso?

Comentário

Na continuação da descrição anterior, o autor apresenta um


desenvolvimento posterior de Çåìgära-rasa amalgamado com véra-rasa.
Portanto, este versículo deve ser aceito no contexto do anterior.

333377

Çré Geta- govinda

Da perspectiva dos princípios filosóficos, Rädhä está presente no lado


esquerdo do corpo de Kåñëa. No início de sua intensa batalha para fazer
amor - quando Rädhä estava absorto no espírito de luta - ela executou atos
impetuosos de agressão, como amarrar, espancar e assim por diante, a fim
de alcançar a vitória sobre seu amante. No entanto, ela acabou ficando
completamente exausta. Quando seus quadris ficaram imóveis, ela foi
incapaz de se mover. Ela não conseguiu amarrá-lo porque seus braços
caíram moles. Seus seios começaram a tremer violentamente e seus olhos
se fecharam. Ela não conseguia nem ver nada.

Alguns sexólogos são da opinião de que as mulheres são mais fracas


porque não podem manter a posição masculina dominante ( pauruñatva).
Como pode véra-rasa

possivelmente surja neles?


Alguns estudiosos chamam este verso Pauruña-prema-viläsa. Possui
çärdüla-

vikréòita chanda, viçeñokti alaìkära e sambhoga-Çåìgära-rasa.

Versículo 13

t̲ ™ ÌÌ: ?? ÌÌhõ¡ô ÷ ?? ÌÌÍsÌ`ÌÌÍSót̘ÌÙœ ÷ Ìâ Í ?? Ì ‡ ùÌFò s ÌÌ ™ ÌÌ ‹ù¨ÌÌæ Í


?? ÌŒÌÌètÌÌâ% ŒÌœú¨ÌÌâÍs̘ÌÌ Í ¥ Ì¡ÙôÍ¡ô

™ tÌÌ: ³Ì²t̳Ì`ÌÌâ ˜ÌÜŒÌÊ`ÌÌ: * FòÌfÌÕzù̘ô zùœúô ÷ yÌÌfÌ¡ p ÌÌtÌÏ ??


ÌLÌÌtÌæ ‹Êù¨ÌÌâ-

œâúÍ — Ì: Fǫ̘̜̀æú²tÌzù „ÙùtÌ˜Ì — ÌÜt ?? Ìt ™ ÌÙ˜ÌÊ ?? Ì: FòÕÍ¡ô ÷


t̘ÌÆ * 13

tasyäù päöala-päëijäìkitam uro nidrä-kañäye dåçau

nirdhauto 'dhara-çoëimä vilulitäù srasta-srajo mürdhajäù käïcé-däma dara-


lathäïcalam iti prätar nikhätair dåçor

ebhiù käma-çarais tad-adbhutam abhüt patyur manaù kélitam

Tradução

Os seios de ®ré Rädhä ficaram rosados com as marcas das unhas. Seus
olhos estavam vermelhos devido à privação de sono. O cosmético vermelho
em seus lábios foi limpo por um beijo prolongado. A guirlanda de flores
que havia sido tecida em seu cabelo tinha murchado. A faixa em torno de
sua cintura estava solta e sua calcinha estava aberta. Quando essas cinco
flechas confrontaram os olhos de K Ša no

333388
Ato Doze

de manhã cedo, sua mente foi empalada pelas cinco flechas de K € madeva
mais uma vez. Como é surpreendente!

Comentário

Aqui ®r… Jayadeva acrescenta que K Ša é novamente perfurado pelas


cinco flechas que provocam a luxúria de R € dh €, mesmo quando o amor
acaba. Que maravilha! No início da manhã, os desejos sensuais de Kåñëa
despertam. Em qual dos membros de Rädhä Kåñëa viu as flechas que
excitaram seu kama? Em resposta, Çré Jayadeva diz:

€ Pal € a puñpa-b € Ša - Kåñëa marcou os seios de Rädhä com as


unhas enquanto faziam amor. Portanto, seus seios são a flecha da flor rosa
pulas.

€ Kamala puñpa-bäëa - Seus olhos ficaram vermelhos por ela estar


acordada durante a noite. Portanto, seus olhos são a flecha da flor de lótus.
(3) Bandhujiva puñpa-bäëa - Quando o cosmético vermelho nos lábios de
Rädhä foi lavado, seu brilho natural foi revelado. Portanto, seus lábios são
a flecha da flor da malva vermelha.

€ Mälaté puñpa-bäëa - A guirlanda de flores que adornava o cabelo


de Rädhä havia murchado e caído porque o arranjo de seu cabelo era
repetidamente amassado durante seus jogos de amor. Portanto, esta
guirlanda murcha é a flecha da flor de jasmim.

€ Kusumästra-bäëa - A faixa e a parte de cima de Rädhä estavam


frouxas. Elas são as flechas douradas de Kämadeva, como a flor bauhinia.

A mente de Kåñëa foi naturalmente perfurada ao contemplar Rädhä. Seus


membros são a personificação das poderosas flechas de Cupido, que
entraram no coração de Kåñëa pelo caminho de seus olhos.

Este versículo é uma subseção específica intitulada Kämädbhutäbhinava-


mågäìka-
lekha. o Chanda é çärdüla-vikréòita e a rasa é adbhuta-rasopabåàhita
Çåìgära.

333399

Çré Geta- govinda

Verso 14

( ™ ÌÌ¡ô ÷ Ìâ¡ô ÷: Fâò¨Ì ?? Į̲̀tÌœ ÷ Í¡ô ÷ t̡̘ô ÷ Fæò: ² ¥ Ìâzù¡ô ÷


Ìâ¡ô ÷ Ìæ Fò ?? ÌÌâ¡ô ÷ Ìæ ÍIò®õÌ

‹ù®õ̜̌ú¬ÌÕ: FÙòZÌFò¡ô ÷ ¨Ì ?? ûZÌÌ · þÌÍœútÌÌ · þÌœú ™ ÌÍ®õ: *


FòÌfÌÕFòÌÍfÌ {ù ?? ̨ ™ Ì ?? tÌÕ ²ÌwÌ ?? ÌÉ ˜ÌÌÉ tÌzùÍ ?? Ì Í ¥ Ì¡ÙôÍÍ¡ô ÷
t̳ÌOŒÌœâú ™ ÌÉ ÍŒÌ ?? ÌÌ

vyälolaù keça-päças taralitam alakaiù sveda-lolau kapolau

kliñöä dåñöädhara-çréù kuca-kalaça-rucä häritä hära-yañöiù käïcé-käïcid


gatäçäà stana-jaghana-padaà päëinäcchädya sadyah

paçyanté satrapaà mäà tad api vilulita-srag-dhareyaà dhinoti

Tradução
No início da manhã, o cabelo de Rädhä estava despenteado e seus cachos
encaracolados caíram soltos. Suas bochechas ficaram molhadas de suor e o
brilho de seus lábios mordidos havia desaparecido. Seus colares de pérolas
foram derrotados pela beleza de seus seios de jarro, e o brilho da faixa em
seus quadris tornou-se impossível. Rädhä estava completamente exausto.
Ela imediatamente começou a cobrir os seios e coxas com as mãos. Ao
olhar timidamente para K Ša, ela o familiarizou com a causa da bem-
aventurança com sua beleza cativante.

Comentário

Rädhä foi dominado pelo cansaço das incessantes investidas de fazer amor.
Assim que a manhã chegou, ela rapidamente começou a cobrir seus
membros de vergonha. Enquanto se cobria, ela olhou para K Ša e cativou
seu coração com sua terna beleza feminina. A trança de seu cabelo estava
aberta e seus cachos cacheados pendiam de ambos os lados. Quando a
transpiração secou em suas bochechas, ela deixou muitas manchas. O
brilho dela bimba- lábios de fruta ficaram turvos. O esplendor de seu colar
havia se tornado desesperador diante do brilho de seus seios redondos e
potes de água. Na ausência de seu corpete, seu colar parecia pálido e o
brilho da faixa em torno de seus quadris também desbotou contra o pano de
fundo de sua beleza nua.

Apropriadamente, o Chanda deste versículo é sragdharä.

334400

Ato Doze

Verso 15
<Ê s ? «Ì̲ÌÌâ N Ì} ù ?? Ì ™ ÌÌâŒÌœ ÷ Ìâ

É ÌÍœú ?? ÌÍœú s ¥ ÌWóÌtFÙòœúWóÕ ‹ù¨ÌÌâ

·ÌÌâºsŒÌÌÌätFò™Ìts™ÌÊÍÌÌ ¥??̘ÌÙÍHòÍ??̘ÌÆ?? *Ì:15²Ì ·* þtÌ ??


ÌÌâŒÌÊ ?? ™

éñan-mélita-dåñöi mugdha-vilasat-sétkära-dhärä-vaçäd avyaktäkula-keli-


käku-vikasad-dantäàçu-dhautädharam

çväsonnaddha-payodharopari-pariñvaìgät kuraìgé-dåço harñotkarña-


vimukti-niùsaha-tanor dhanyo dhayaty änanam

Tradução

Os grandes olhos de corça de Rädhä estavam quase fechados com o êxtase


abundante de fazer amor. Seu corpo era incapaz de tolerar qualquer tipo de
atividade. Seus lábios eram banhados pelos raios de seus dentes, que
ficavam expostos cada vez que ela expressava uma onda repentina de
prazer sensual ou quando ela gemia amorosamente em sons indistintos e
lamentáveis de murmúrios. Seus seios tremeram levemente com a
respiração trêmula quando ela sentiu o abraço profundo de K Ša. Só uma
pessoa com imensa piedade pode ver seu rosto nesta condição.

Comentário

O poeta diz que Rädhä atingiu um estado extremo de euforia durante seus
jogos amorosos. Portanto, ao ser libertada dos abraços e beijos de K Ša, ela
se afogou em um tipo único de alegria insondável. Sob a influência de

kama, seu corpo era incapaz de suportar o menor esforço. No final, quando
seu amante ®ré Kåñëa viu seu rosto com os olhos semicerrados, ele quis
beijá-la novamente e se envolver em um novo congresso.

Durante o ato sexual, os seios de Rädhä, embora não fossem horripilantes,


ficaram duros e um tanto comprimidos no abraço apertado de Krsna. Rädhä
estava ofegando repetidamente em espasmos de intenso êxtase. Quando
sons tão charmosos, indistintos e incoerentes saíram de sua boca, o espaço
entre seus lábios foi lavado pelos raios que emanavam de seus dentes
brilhantes.

334411

Çré Geta- govinda

Apenas uma pessoa com um vasto acúmulo de atividades piedosas ( sukåti)


pode ver o rosto de Rädhä naquele momento. Essa boa fortuna pode ser
alcançada apenas por ®r… K Ša ou pelas servas ( maïjarés) de ®r…
Rädhä.

Este versículo apresenta Çärdüla-vikréòita chanda, jäti alaìkära, päïcälé


réti, mägadhé géti, bhäraté våtti. o gana recursos sthita laya. ®r… R € dh €
e K Ša

posição coital é chamada våkñädhirüòhakam äliìgana, o abraço da árvore.

Versículo 16

Variação 1

™ yÌ ²ÌÌ Í ?? ÌOÌÊtÌ – ÌÌŒÌÌ œ ÷ ÌŒÌÌ ² ¥ ÌÌŒÌÕ ?? Ì


— ÌtÌßÊFòÌ * Í ?? Ì`ÌOÌÌzù œ ÷ ÍtÌIòÌ ?? tÌÉ FòÌ ?? tÌÉ ˜Ìsn ÷ ?? Ì ¥ ÌÌe \ ô
™ * ÌÌ 16 *
atha sä nirgata-bädhä rädhä svädhéna-bhartåkä nijagäda rati-kläntaà käntaà
maëòana-väïchayä

Variação 2

(5) yÌ ²Ì · þ²ÌÌ ²ÌÙ p ÌÕtÌÉÉ ²ÌÙœútÌÌ ?? tÌâ ²ÌÌ Í ?? ÌtÌÌ


tÌÍLÌ N ÌÌWóÕ * œ ÷ ÌŒÌÌ `ÌOÌÌzù ²ÌÌzùœ ÷ ͘Ìzù˜ÌÌ ?? Ì ?? zâù ?? Ì
OÌÌâÍ ¥ Ì ?? zù˜ÌÆ * 16 *

atha sahasä suprétaà suratänte sä nitänta-khinnäìgé rädhä jagäda sädaram


idam änandena govindam

Tradução

Variação 1 - A aflição de Rädhä foi pacificada e K Ša estava exausto com o


vigoroso esforço de passatempos amorosos. Então, no humor de uma
heroína que controla seu amante ( svädhéna-bhartåkä), Rädhä falou com
Kåñëa, expressando seu desejo de ser condecorada por ele.

Variação 2 - Quando sua relação sexual chegou ao fim, Rädhä felizmente


exausto começou a falar cortesmente com Govinda.

334422

Ato Doze

Comentário

Quando o amante está completamente absorvido pela afeição, o pedido


certamente será frutífero - esta é uma verdade axiomática. Portanto, Rädhä
sorriu. As palavras que ela falou para K Ša serão descritas na próxima
música.
334433

Canção 24

O modo musical é r € makar… r € ga. O ritmo é yati täla.

FÙò ?? û ™ ÌzÙù ?? Ì ?? zù ?? Ì ZÌ ?? zù ?? ÌͨÌ̜ͨútÌœâúsÌ FòœâúsÌ ?? Ì


™ ÌÌâŒÌœâú * ˜ÌßO̘Ìzù ?? ÌwÌFò˜ÌwÌ ˜Ì ?? ÌÌâ

— ¥ ¥wÌ Ì˜ÌWó¡ô ÷ Fò¡ô ÷ ¨Ì²Ì · þÌâzùœâú * Í ?? Ì`ÌOÌÌzù ²ÌÌ ™ ÌzÙù ??


Ì ?? zù ?? Ìâ k òÕn ÷

+ Í¡ô ÷ FÙò¡ô ÷ OÌgÌ ?? ̲ÌgÌ ?? ÌFÉò œ ÷ ÍtÌ ?? ÌÌ ™ ÌFò²ÌÌ ™ ÌFò˜ÌÌâZÌ ??


Ìâ * t ¥ ÌzùŒÌœúZÌÙ˜ – Ì ?? Ì¡ô ÷ Ñò – Ì¡ÌF ÷ ˜ÌÙa ¥ Ì¡ô ÷ ™ Ì Í p Ì ™ Ì ¡ô
÷ ÌâZÌ ?? Ìâ * Í ?? Ì`Ì0 * 18 *

?? Ì ™ Ì ?? ÌFÙòœúWótÌœúWóÍ ¥ ÌFò̲ÌÍ ?? Ìœ ÷ ̲ÌFòœâú ¬ÌÙÍt̘Ìsn ÷


¡âô ÷ *

˜Ì ?? ÌͲÌ`Ì ?? Į̀ÌÍ ¥ Ì¡ô ÷ ̲̜̌âú ¨ÌÙ — Ì ¥ Ìâ¨Ì Í ?? Ì ¥ Ìâ¨Ì ™ Ì FÙòsn ÷


¡âô ÷ * Í ?? Ì`Ì0 * 19 *

B ̘̜úZÌ ™ ÌÉ œúZÌ ™ Ì ?? t̘ÌÙ ?? ÌÍœú ?? ûÍZÌœÉú ²ÌÙÍZÌœÉú ˜Ì˜Ì


²ÌɘÌÙLÌâ * Í`ÌtÌFò˜Ì¡âô ÷ Í ¥ ̡̘âô ÷ ?? ÌÍœúFò˜ÌÊ ™ Ì ?? ̘ÌÊ`Ì ??
ÌFò˜Ì¡ô ÷ FÉò ˜ÌÙLÌâ * Í ?? Ì`Ì0 * 20 *
˜ÌßO̘Ìzùœú²Ì ¥ ÌÍ¡ô ÷ tÌÉ ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌÉ FÙò ?? û ÍtÌ¡ô ÷ Fò˜ÌÍ¡ô

÷ Fòœú`Ì ?? ÌÕFòœâú * Í ¥ ÌÍ · þtÌ¡ô ÷ Fò˜ÌÍ¡ô ÷ Fòœú`Ì ?? Fò˜Ì¡ô ÷ Ì ??


Ì ?? Ì Í ¥ ̬Ì͘Ìt̨̬̘ÌÕ

˜Ì˜Ì ?? ûÍZÌœâú ÍZÌFÙòœâú FÙò ?? û ˜ÌÌ ?? Ìzù ˜ÌÌ ?? ̲Ì`ÌŒ ¥ Ì`ÌZÌ̘̜âú


*

œ ÷ ÍtÌOÌÍ¡ô ÷ tÌâ ¡ô ÷ Í¡ô ÷ tÌâ FÙò²ÌÙ˜ÌÌÍ ?? Ì Í¨ÌLÌÑsn ÷ ͨÌLÌsn ÷ Fòn ÷


̘̜âú * Í ?? Ì`Ì0 * 22

²Ìœú²ÌQÌ ?? Ìâ `ÌQÌ ?? Ìâ ˜Ì˜Ì ¨Ì˜ – ÌœúzùÌœúsÌ ¥ ÌÌœúsÌFò ?? zùœâú *

˜ÌÍsÌœú¨Ì ?? ÌÌ ¥ Ì²Ì ?? ÌÌ — ÌœúsÌÌÍ ?? Ì ¨ÌÙ — ÌÌ¨Ì ™ Ì ¥ ÌÌ²Ì ™ Ì ²ÌÙ ??


zùœâú * Í ?? Ì`Ì0 * 23 *

¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ Ì ¥ ÌZÌÍ²Ì `Ì ™ Ìzâù Àþzù ™ ÌÉ ²Ìzù ™ ÌÉ FÙò ?? û ˜Ìsn


÷ ?? Ìâ *

·ÌœúLÌsnÞÍœúZÌœús̲˜ÌœúsÌ̘ÌßtÌFßòtÌFòÍ¡ô÷??Ìâ*??Ì`Ì0*24* ÷ Fò¡Ùô s Ì
— Ì ¥ Ì` ¥

Ato Doze

Verso 17

kuru yadunandana candana-çiçiratareëa kareëa payodhare magamada-


patrakam atra manobhava-maìgala-kalaça-sahodare

nijagäda sä yadunandane

kréòati hådayänandane ( refrão) (1)

Tradução

Enquanto ®r… R € dh € estava brincando com K Ša, o deleite de seu


coração, ela disse: “Ó Yadunandana, com suas próprias mãos mais
refrescantes do que pasta de sândalo, por favor, pinte padrões de folhas em
almíscar sobre meus seios - os jarros auspiciosos de K € madeva.

Comentário

O refrão desta música inclui Kréòati Hådayänandane porque K Ša


despertou bem-aventurança ( änanda) no coração ( hådaya) de Rädhä.

Yadu-nandana se refere ao filho de Nanda Mah € r € ja, ®r… K Ša, que


apareceu na dinastia Yadu. Vendo Kåñëa decidido a brincar, Rädhä disse:
“Decore-me com suas próprias mãos de tal forma que eu fique
completamente infundido com você. eu sou kåñëamayé. Em primeiro lugar,
pinte uma fileira de folhas com almíscar sobre meus seios-d'água com sua
mão fria. Seu toque é mais refrescante do que pasta de sândalo. Os jarros
auspiciosos estabelecidos durante a procissão de Kämadeva ao redor do
universo são cheios, pesados e decorados com folhas de manga escuras. ”

Este versículo também alude a um tipo específico de marca de unha


chamada mayüra-padaka,

que lembra a impressão deixada pelo pé de um pavão. O artista que pintará


as folhas com almíscar está sendo suplicado com cortesia.
334455

Çré Geta- govinda

Versículo 18

ali-kula-gaïjana-saïjanakaà rati-näyaka-säyaka-mocane tvad-adhara-


cumbana-lambita-kajjalam ujjvalaya priya locane

nijagäda sä yadunandane ... ( 2)

Tradução

“Minha querida, meus olhos lançam as flechas do herói de Rati. O


cosmético deles foi manchado pelo beijo de seus lábios. Por favor, faça
meus olhos brilharem com este colírio que eclipsa a beleza de um enxame
de abelhas. ”

Comentário

Rädhä continuou: “Ó meu amado, unja meus olhos com este delineador
fresco, que supera o esplendor de um enxame de abelhas. As flechas de
Kämadeva voam do meu olhar de soslaio. A aplicação anterior de colírio
em meus olhos foi manchada pelo beijo de seus lábios. "

Este versículo revela o passatempo de Kåñëa de beijar os olhos de Rädhä.


Ela sugere: "Ó minha querida, você é o ungüento negro sobre os meus
olhos!"

Versículo 19

nayana-kura ga-tara ga-vikāsa-nirāsa-kare çruti-maëòale manasija-päça-


viläsa-dhare çubha-veça niveçaya kuëòale

nijagäda sä yadunandane ... ( 3)


Tradução

“Ó vocês que se vestem com mais elegância, meus brincos repelem o cervo
saltitante de meus olhos. Eles são como as armadilhas de K € madeva que
prendem os corações dos jovens. Por favor, decore minhas orelhas com
esses brincos. ”

334466

Ato Doze

Comentário

R € dh € diz a K Ša: “Meu querido que usa um xale amarelo, decore


minhas orelhas com esses enfeites, elegantes como a armadilha de K €
madeva. Minhas orelhas impedem que o cervo de meus olhos salte para
longe. Ó deleite do meu coração, enfeite meus ouvidos com esses enfeites
que confundem os corações dos jovens. ”

Este versículo descreve como os olhos de Rädhä são tão arregalados que
alcançam seus ouvidos. A comparação com um cervo foi feita para
esclarecer sua inquietação e seus rápidos movimentos angulares.

Verso 20

bhramara-cayaà racayantam upari ruciraà suciraà mama sammukhe jita-


kamale vimale parikarmaya narma-janakam alakaà mukhe

nijagäda sä yadunandane ... ( 4)


Tradução

“Meu rosto imaculado e agradável derrota a beleza de uma flor de lótus


imaculada. Trance minhas elegantes tranças, que manifestam o esplendor
das abelhas no lótus do meu rosto e dão origem a risos e piadas. ”

Comentário

®r… R € dh € disse: “Ó Yadu-nandana, meu rosto derrotou o brilho de


uma flor de lótus. Por favor, arrume as mechas de cabelo caindo sobre meu
rosto encantador, imaculado e perfeito. Minhas tranças desgrenhadas
podem levar outras pessoas a fazerem comentários de brincadeira. Ou
alguém pode confundir meus cachos com uma multidão de abelhas que
sempre pousam e se erguem sobre uma flor de lótus. Ó K Ša, você é a
mecha negra e enrolada no lótus do meu rosto! "

A semelhança das tranças de Rädhä com a formação de abelhas apóia a


comparação de seu rosto com uma flor de lótus. Este é um exemplo de
utprekñä alaìkära.

334477

Çré Geta- govinda

Versículo 21

mågamada-rasa-valitaà lalitaà kuru tilakam alika-rajané-kare vihita-


kalaìka-kalaà kamalänana viçramita-çrama-çékare
nijagäda sä yadunandane ... ( 5)

Tradução

“Ó cara de lótus, a transpiração de nosso vigoroso ato de amor agora secou,


manchando minha testa como a marca em forma de cervo na lua. Por favor,
desenhe um lindo tilaka com este almíscar cativante na meia-lua da minha
testa. ”

Comentário

Tal como acontece com os versos anteriores, este versículo também revela
um excitante específico ( uddépanavibhäva) da emoção extática
permanente. O sentimento interior de Rädhä é: "Ó Kåñëa, você é o ponto
central da minha boa sorte - você é o tilaka na minha testa! "

Verso 22

mama rucire cikure kuru mänada mänasaja-dhvaja-cämare rati-galite lalite


kusumäni çikhaëòi-çikhaëòaka-òämare

nijagäda sä yadunandane ... ( 6)

Tradução

“Ó vocês que respeitam os outros, meu cabelo, que caiu solto enquanto
fazíamos amor, é como o chicote da bandeira de Kämadeva. É mais
cativante do que as penas da cauda de um pavão. Por favor, decore meu
cabelo encantador com botões de flores. ”

Comentário
®ré Rädhä se dirige a Kåñëa como Mänada, aquele que dá honra ( mäna)
para seus amados, ou quem quebra o humor contrário de amantes
indignados. “Ó K Ša, você

334488

Ato Doze

eclipsar as penas da cauda de um pavão com seu próprio brilho. Minhas


mechas negras de cabelo são tão charmosas e atraentes quanto o golpe da
bandeira de Kämadeva. Eles se desfizeram enquanto fazíamos amor. Por
favor, decore-os com flores. Que você se torne minha trança, tecida com
flores, e difunda sua fragrância. ”

Versículo 23

sarasa-ghane jaghane mama çambara-däraëa-väraëa-kandare maëi-raçanä-


vasanäbharaëäni subhäçaya väsaya sundare

nijagäda sä yadunandane ... ( 7)

Tradução

“Ó de coração puro, meus lombos são a caverna do elefante loucamente


apaixonado, K € madeva. Eles estão cheios de rasa, bonito, agradável, terno
e amplo. Por favor, decore-os com uma faixa de joias, tecido e ornamentos.

Comentário

®r… R € dh € diz: “Ó virtuoso, o deleite do meu coração! Suas mãos de


lótus são a morada de toda boa fortuna. Seu coração, estando cheio de rasa,
é a raiz de toda auspiciosidade. Por favor, decore a inclinação dos meus
quadris com um cinto de joias, roupas e enfeites. Meus lombos estão cheios
de rasa, macio e voluptuoso. Eles são requintados e atraentes como uma
caverna porque são a morada do elefante loucamente apaixonado, K €
madeva. Por favor, vista-os com roupas e ornamentos. Na verdade, você é o
ornamento de meus lombos. ”

Nesta música o herói é anuküla näyaka, a heroína é pragalbhä näyikä e a


rasa é sambhoga-Çåìgära.

334499

Çré Geta- govinda

Verso 24

Çré-jayadeva-vacasi jayade hådayaà sadayaà kuru maëòane hari-caraëa-


smaraëämåta-kåta-kali-kaluña-bhava-jvara-khaëòane

nijagäda sä yadunandane ... ( 8)

Tradução

As palavras de ®ré Jayadeva concedem auspiciosidade e roubam o coração.


Eles são as memórias ambrosiais dos pés de lótus de ®ré Hari que vencem
a febre de impurezas proeminentes na era de Kali. Que você expresse a
simpatia em seu coração, decorando a mensagem de Çré Jayadeva.

Comentário

Essa música revela o plano definitivo do amor extático de Rädhä. Na


transformação final de Rädhä prema, ela deseja mergulhar inteiramente em
K Ša. Ela deseja se tornar kåñëamaya - feito de K Ša - pelo toque de suas
mãos. Seu coração é de K Ša e suas roupas e ornamentos são todos de K
Ša.

Aqui, a profundidade da realização de Rädhä prema torna-se em rasa e cai


como chuva. Rädhä

diz: “Ó Yadu-nandana, seja compassivo o suficiente para me decorar.


Absorva-se em empatia e torne-se meu ornamento. ”

De outra perspectiva, o tema desta música é o discurso eloqüente de Çré


Jayadeva. “Como você mostrará compaixão decorando Rädhä, por favor,
mostre compaixão decorando minhas palavras.”

Portanto, cada versículo pode ser interpretado como uma referência


específica aos ornamentos de Rädhä ou às palavras de Jayadeva.

Esta composição é o néctar da lembrança dos pés de lótus de ®ré Hari.


Esse néctar pacifica a furiosa febre da imoralidade na era de Kali e destrói
todos os pecados. A simples lembrança da chuva de néctar da eloqüente
poesia de ®ré Jayadeva confere auspiciosidade a todos.
335500

Ato Doze

Versículo 25

œúZÌ ™ Ì FÙòZÌ ™ ÌÌâ: ?? ÌwÌÉ ÍZÌwÌÉ FÙò ?? û s ¥ Ì Fò

é ÌÌâ¡ô ÷ ™ ÌÌâQÌÊhõ ™ Ì `ÌQÌ ?? Ìâ FòÌfÌÕ˜ÌfÌ ³Ì`ÌÌ Fò – Ìœ ÷ Õ —


Ìœú˜ÌÆ * Fò¡ô ÷ ™ Ì ¥ Ì¡ô ÷ ™ ̬ÌâsÌÖ? ?

ÌÌsÌÌæ ?? Ìzâù FÙò ?? û ?? ÌÜ ?? ÌÙœ ÷ ÌÍ ¥ ÌÍtÌ Í ?? ÌOÌÍzùtÌ: p ÌÕtÌ: ??


ÌÕtÌ̘ – Ìœ ÷

racaya kucayoù patraà citraà kuruñva kapolayor

ghaöaya jaghane käïcém aïca srajä kabaré-bharam kalaya

valaya-çreëéà päëau pade kuru nüpuräv

iti nigaditaù prétaù pétämbaro 'pi tathäkarot

Tradução

“Ó vocês que são tão queridos quanto minha própria vida, pinte folhas em
meu peito. Faça desenhos em minhas bochechas. Decore meus quadris com
uma faixa de joias. Faça uma trança encantadora no meu cabelo. Coloque
pulseiras em meus pulsos e sinos de tornozelo em meus pés. ” Kåñëa,
vestido com uma vestimenta amarela, tinha o prazer de fazer tudo o que
Rädhä pedisse a ele.

Comentário
®r… Jayadeva novamente cita a música anterior em uma forma
condensada e acrescenta que K Ša realizou de bom grado tudo o que R € dh
€ disse a ele para fazer. A palavra api

indica que K Ša cuidava de suas decorações com imenso afeto, exatamente


como ela desejava.

Rädhä educadamente insistiu: “Ó Yadu-nandana, por favor, pinte uma


fileira de folhas em meus seios. Desenhar Makara e outras fotos em minhas
bochechas. Coloque uma faixa em volta dos meus quadris. A guirlanda
anterior caiu do meu cabelo. Tecer minha trança com outra grinalda
encantadora. Coloque pulseiras nos meus pulsos e sinos de joias nos meus
pés. ” Com grande prazer, K Ša arranjou amorosamente todas essas
decorações. Como? Kåñëa se tornou pessoalmente todos os ornamentos de
Rädhä.

Este versículo apresenta Hariëé Chanda e saìkhya alaìkära. A heroína é


pragalbhä näyikä e o herói é dak Ša n € yaka. o rasa é o saayoga

aspecto de Çåìgära-rasa.

335511

Çré Geta- govinda

Verso 26

¥ Ì {ùÌ ?? ŒÌ ¥ ÌÊFò¡ô ÷ ̲ÌÙ FòÌæ¨Ì¡ô ÷ ˜Ì ?? ÌÙŒ

?? ÌÌ ?? ÌÉ ZÌ ™ ̈æù s sÌ ¥ ÌÉ ™ ÌZ \ ßôWóÌœ ÷ Í ¥
(7) ¥ ÌâFòtÌu ¥ ̘ÌÍ ?? Ì ™ ÌtFòÌ ¥ ™ Ìâ s ÌÙ ¡ô ÷ Õ¡ô ÷ ÌÍ ™ Ìt̘ÌÆ *
tÌt²Ì ¥ ÌË `Ì ™ Ìzâù ²ÌÌ ?? Ì ?? zùÌ: ?? ÌÍœú¨ÌÌâŒÌ ™ Ì ?? tÌÙ ²ÌÙÍŒÌ ™ Ì:
¬ÌÕOÌÕtÌOÌÌâÍ ¥ Ì ?? zùtÌ: *

yad-gändharva-kaläsu kauçalam anudhyänaà ca yad-vai Šavaà yac


chåìgära-viveka-tattvam api yat kävyeñu léläyitam tat sarvaà

jayadeva-paëòita-kaveù kåñëaika-tänätmanah

sänandäù pariçodhayantu sudhiyaù çré-géta-govindataù

Tradução

Que os eruditos estudiosos, cujos corações estão focados exclusivamente


em Bhagav € n ®r… K Ša, testem com alegria todas as artes do
gandharvas, meditações sobre ®r… K Ša, deliberações sobre a verdadeira
natureza de Çåìgära-rasa, e passatempos descritos em outros poemas,
contra o poema intitulado Géta-govinda. Ou seja, que eles entendam Géta-
govinda e também ensiná-lo a outros.

Comentário

Sob o pretexto de orar aos eruditos eruditos, Çré Jayadeva elogia a si


mesmo. “Ó homens de sabedoria! Géta-govinda

¥ o tudo em tudo do poeta Jayadeva. Que você compreenda e


também ensine a outras pessoas. Você também pode testar como Géta-
govinda Está cheio de rasa. ”

necessário examinar a autenticidade de uma substância.


Gändharva-vidyä

¥ sinônimo de literatura nas artes musicais ( sa g… ta-s € stra).


Assim, o poeta dá a entender que qualquer gênio e perícia estão presentes
em gändharva-vidyä também está escrito neste poema. Provas foram
apresentadas para mostrar que rasa é a mais pura transformação das
práticas devocionais Vai Šava de meditação e contemplação em Bhagav €
n. Quaisquer que sejam as deliberações feitas anteriormente sobre Çåìgära-
rasa, em suas formas de encontro e separação, também foram descritas aqui
de forma superior. Quaisquer que sejam os passatempos

335522

Ato Doze

apresentado nos poemas proeminentes sobre Çåìgära-rasa são mais


brilhantemente manifestados aqui.

O coração e a inteligência de ®r… Jayadeva são absorvidos


exclusivamente por K Ša. O objetivo de sua composição é induzir a
meditação concentrada em K Ša. Se os devotos de K Ša desejam ver ou
examinar a pura personificação da arte, finamente discernindo autoria,
meditação, contemplação, passatempos, preeminência e puro espanto, então
eles podem fazer isso por meio de

este poema épico, Çré Géta-govinda.

Verso 27

¥ ?? ÌÕœÉú œú²Ì²tÌâ * ˜ÌÌFò ?? zù k ò ?? zù FòÌ ?? tÌ̜̌ú ŒÌœ ÷


ÍsÌtÌ¡Éô OÌZ \ ô ™ ÌZ \ ôÑ ?? tÌ ™ ÌÌ ¥ ¥ Ì „ùÌ ¥ ÌÉ §ÌßWóÌœú²ÌÌœú² ¥
ÌtÌÍ˜Ì · þ` ùÌ ™ Ìz ¥ Ì s ¥ ÌO ¥ ÌZÌÌÉÍ²Ì * 27

sädhvé mädhvéka cintä na bhavati bhavataù çarkare karkaräsi


dräkñe drakñyanti ke tväm amrta måtam asi kñéra néraà rasas te mäkanda
kranda käntädhara dharaëi-talaà gaccha yacchanti yävad

bhavaà Çåìgära-särasvatam iha jayadevasya viñvag-vacäàsi

Tradução

Ei vinho poderoso! Não pense que você é tão intoxicante. Ei, docinho!
Você é muito duro. Ei uvas! Quem vai olhar pra você? Ei néctar ( amåta)!
Você é como a morte ( måta). Ei leite! Você tem gosto de água. Ei manga
madura! Agora vá e chore. Ei lábios de uma linda mulher! Agora você pode
ir para o inferno. Enquanto a essência completa do amor erótico existir na
forma da composição auspiciosa e engenhosa de ®ré Jayadeva, você não
terá nada para fazer.

Comentário

Çré Jayadeva está descrevendo a doce arte de Géta-govinda. Este poema é


um elogio auspicioso da essência do mais brilhante Çåìgära-rasa. É doce-

335533

Çré Geta- govinda

A natureza é tão incomparável que todas as outras substâncias do mundo se


tornaram insípidas em sua presença. Nenhuma outra substância doce pode
administrar doçura aos devotos eruditos.

As palavras inteligentes de ®ré Jayadeva são a auspiciosidade


personificada. A essência concentrada de tudo é o sentimento romântico
( Çåìgära-rasa), e Gétagovinda é a essência disso. As aventuras auspiciosas
de Rädhä e Kåñëa são a personificação exclusiva de boa fortuna e bem-
estar. Para os devotos especialistas do Senhor Supremo, não há sabor
surpreendentemente doce disponível em qualquer lugar como o rasa do
Géta-govinda. Toda a doçura do mundo inteiro combinada em um só lugar
tornou-se insípida na presença desta poesia.

O autor diz: “Ei, vinho! O que você vai pensar agora? Sua doçura é em vão.
O que seu efeito inebriante pode fazer pelos devotos justos? Ei, docinho! O
que aconteceu com sua doçura? Como você é duro. Você é digno de
investigação? Você não tem substância. Ei uvas! Não tema. Qualquer
conhecedor de rasa já olhou na sua direção? Ei néctar! Você não deve se
orgulhar. Você morreu. Ei leite! Não pense com orgulho 'eu sou rasa ',
porque o seu rasa é apenas água. Ei manga madura! Você tem que chorar.
Os devotos que são especialistas em degustar suco ( rasa) não se
preocupará com o seu envelhecimento. Ei lábios de mulheres jovens
apaixonadas! Você também não tem lugar. Vá para Pätäla, a residência dos
infernais. Aqueles que são especialistas em saborear o rasa desta poesia não
experimente nenhuma doçura em você. ”

Essa literatura nada mais é do que auspiciosidade no começo, no meio e no


fim. Portanto, é a causa ingrediente da palavra çubha ( auspiciosidade).

O presente verso apresenta sragdharä chanda, äramayé våtti, vaidarbhé réti,


tiraskåtopadä alaìkära e a näöya alaìkära chamado guna-kértana.
335544

Ato Doze

Versículo 28

<tyÌÉ FâòÍ¡ô ÷ tÌtÌÕÏ ¥ ÌÀþt ™ Ì ™ ̘ÌÙ ?? ÌÌFÜò¡âô ÷ ²Ì˜ÌÉ œ

þ ÌŒÌ ™ ÌÌ tÌ ‡ ùÌâ˜ÌÌ ¥ ÌÍ¡ô ÷ ¥ôæÍHFò ¥¡Ì Ì B ̘ÌÉ Í – Ì B ÌÍtÌ *


tÌwÌ̽þÌÍzùFÙòZÌ p Ì ™ ÌÌOÌ • ò¡ô ÷ ™ ÌÌâÏ¡ô ÷ ?? ²ÌÌ ¥ ÌtÌÌâ ·

Êþ²tÌ ™ ÌÌ ¥ ™ ÌÌÊ ?? ÌÌœ ÷ Ì: ?? ÌÙ ?? s ÌÌâu̘̲ ™ Ì zùzùtÌÙ ²² • ûÕtÌÌÉ


˜ÌÙzùÌ ²Ì˜ ?? Ìzù

itthaà keli-tatér vihåtya yamunä-küle samaà rädhayä

tad-romävali-mauktikävali-yuge veëé-bhramaà bibhrati

tatrählädi-kuca-prayäga-phalayor lipsävator hastayär

vyäpäräù puruñottamasya dadatu sphétäà mudä sampadam

Tradução

Dessa forma, Kåñëa desfrutou de muitos jogos de amor com Rädhä nas
margens do rio Yamunä. Ele confundiu a fileira de cabelos acima do
umbigo e o colar de pérolas como a confluência de Prayaga. Os frutos
desse Prayaga são seus seios deliciosos. ®r… K Ša, o melhor dos homens,
deseja atingir aqueles seios. Que os negócios de suas duas mãos de lótus
dêem a riqueza da felicidade aos recitadores e à audiência deste poema.

Comentário
Çré Jayadeva diz: “Que as atividades das mãos de Kåñëa dêem imensa
felicidade aos meus recitadores e ao meu público”.

A especialidade de suas mãos é que elas sempre encontram alegria na


confluência de Ve Ša gama ou Prayaga. Os seios são o fruto deste Prayaga.
De acordo com seus próprios desejos, Kåñëa joga muitos jogos com a
heroína dominante, Rädhä, nas margens do Yamunä.

O encontro da fileira de cabelos de Rädhä ( romävalé) acima do umbigo


com seu colar de pérolas inspira a lembrança da confluência lúdica dos rios
Ganges e Yamunä. Dela romävalé foi comparado com o Yamunä porque é
escuro como K Ša, e suas pérolas são brilhantes, por isso foram
comparadas ao Ganges. O local de encontro deles certamente deve ser
Prayaga. Çré Rädhä

335555

Çré Geta- govinda

ela mesma é Prayaga e os frutos do banho nesta Prayaga são seus seios.

“Que quaisquer atividades que as mãos de ®r… K Ša realizem, impelidas


pelo desejo de obter o delicioso fruto deste Pray € ga, confira bem-
aventurança cada vez maior a todos aqueles que recitam e ouvem este
poema.”

Esta subseção é intitulada Supréta-pétämbara-tälaçreëé. Possui säìga-

rüpaka alaìkära, çärdüla-vikréòita chanda, päïcälé réti e Entendi e bhäraté


våtti. A heroína é svädhéna-bhartåkä näyikä e o herói é uttama näyaka
com os atributos de dhérodätta.

Verso 29

Ó Ì ™ ÌÊSóÕFßòtÌ ?? ÌÌOÌ ?? ÌÌ ™ ÌFò • òsÌ̬ÌâsÌÕ˜ÌsÌÕ ?? ÌÌÉ OÌsÌâ


²ÌÉ k òÌ ?? tÌ p ÌÍtÌÍ – ̘ – ̲ÌSó¡ô ÷ ?? Ì ™ ÌÌ Í – Ì B Ì͈ù

— ÌÙ p ÌÍ k ò ™ Ì̘ÌÆ * ?? ÌÌzù̘ — ÌÌâ ?? û · þŒÌÌÍœú ¥

ÌÌÍœ ÷ ̲͌ÌÙtÌ̘ÌKsÌÌÉ Ízù ‹ùKÌÙ: ¨ÌtÌæ: FòÌ ™ Ì ¥ ™ ÌÜ · þÍ˜Ì ¥ ÌÌZÌœú


N ÌÙ ??

parya k… -kta-n € ga-n € yaka-phaŠ € -sre…… -ma n € ã gaëe

saìkränta-pratibimba-saìkalanayä bibhrad vibhu-prakriyäm pädämbhoruha-


dhäri-väridhi-sutäm akñëäà didåkñuù çataiù

käya-vyüham iväcarannupacitébhüto hariù pätu vaù

Tradução

Ele que manteve ®eña-r € ja, o chefe de todas as serpentes como sua cama;
cujo esplendor é expandido como reflexos nas joias sobre os inúmeros
capuzes de ®eña-r € ja; cujos pés de lótus são eternamente massageados
pela deusa da fortuna que deseja vê-lo com milhares de olhos; que está
abundando simultaneamente em muitas formas; que Çré Hari proteja todos
vocês.
335566

Ato Doze

Verso 30

t ¥ ÌÌ˜Ì p ÌÌ ?? ™ Ì ˜ÌÍ ™ Ì ² ¥ Ì ™ ÌÉ ¥ Ìœú ?? Ìœ ÷ ÌÉ KÌÕœ ÷ ÌâzùtÌÕœ ÷


Ìâzùœâú ¨ÌSâó ²ÌÙ ?? zùÍœú FòÌ¡ô ÷ FÜòhõ˜ÌÍ ?? Ì ¥ Ìt˜ÌÜqøÌâ

˜Ìßn ÷ Ì ?? ÌÕ ?? ÌÍtÌ: * <tyÌÉ ?? ÌÜ ¥ ÌÊFòyÌÌÍ ?? Í ¥ ÌÍKÌ

?? ™ Ì ¥ ÌKÌÌâ% fÌ¡Éô ?? Ì… Ì ™ ÌÌ: ²tÌ ?? ÌFòÌâœúFòÌâ ?? ÌÍœ ÷ ̡͘ô ÷ N


ÌâwÌÌâ · þÍœ

tväm apräpya mayi svayaàvara-paräà kñéroda-térodare

çaìke sundari kälaküöam apivat müòho måòäné-patiù itthaà pürva-


kathäbhir anya-manaso vikñipya vakño 'ïcalaà

padmäyäù stana-korakopari-milan-netro hariù pätu vaù

Tradução

“Ó linda! Quando o Senhor de Pärvaté (Çiva) não pôde alcançá-lo na costa


do oceano de leite, perplexo com sua beleza, ele engoliu o mortal

kälaküöa Poção. Então você me escolheu para ser seu consorte. ” 8

Lembrando-se dessa conversa anterior, K Ša repetidamente encheu os olhos


com a visão do precioso Mahäpadma joias dos seios de ®ré Rädhä. Que
Çré Hari proteja todos vocês.
8 Esta é uma referência a Çrémad-Bhägavatam 8.8.8–24.

335577

Çré Geta- govinda

Versículo 31

¬ÌÕ — ÌÌâ`Ìzâù ¥ Ì p Ì — Ì ¥ ̲ ™ Ì ¥ Ì̘ÌÌ-

zâù ¥ ÌÕ²ÌÙtÌ ¬ÌÕ`Ì ™ Ìzâù ¥ ÌFò² ™ Ì *

Ó Ìœ ÷ ̨̜ ÷ ÌÍzùÍ p Ì ™ Ì – Ì ?? ŒÌÙFòslâö ¬ÌÕOÌÕtÌOÌÌâÍ ¥ Ì ??


zùFòÍ ¥ Ìt ¥ ̘̲tÌÙ * 31 *

r… -bhojadeva-prabhavasya v € m € -
devé-suta çré-jayadevakasya

paräçarädi-priya-bandhu-kaëöhe

çré-géta-govinda-kavitvam astu

Tradução

Que a poesia de Çré Géta-govinda por ®r… Jayadeva, o filho de ®r…


Bhojadeva e V € m € -dev…, embelezar as vozes de amigos queridos como
Par € rara.

Comentário

O som desse poema deve se expandir amplamente e vibrar continuamente


por todo o céu.

“Que esta imagem sem precedentes de passatempos continue a ser


embelezada eternamente nos corações dos devotos. Pode Çré Géta-govinda
tornar-se seu amado, mais amado e mais amado alento de vida inclusivo
para despertar sua lembrança de ®r… K Ša, a personificação de rasa. ”

Assim termina o Bälabodhiné-prakäça comentário sobre o Ato Doze de Çré


Géta-govinda, intitulado Supréta-pétämbara.

O fim
335588

Índice de Verso

UMA

Abhinava-Jaladhara-Sundara 38 aträntare masåna-roña-vaçäm


aséma 2669

adhara-sudhä-rasam upanaya bhämini 332 adhigatam

äväso vipinäyate 134


akhila-sakhébhir idaà 2995
avirala-nipatita-madana-
çaräd iva 128

adyotsaìga-vasad-bhujaìga-kavala 56

ahaha kalayami valayami 198 B

aham iha nivasami na 200


bädhäà vidhehi malayänila 232
aham iha nivasämi yähi rädhäm 153 bahir iva malinataraà tava kåñëa
246
akhi he keçi-mathanam udäraà 87 bandhüka-dyuti-bändhavo
28822
akñëor nikñipad aïjanaà çravaëayos 300
bhajantyäs talpäntaà 320

alasa-nimélita-locanayä 91 bhaëati kavi-jayadeve 1588


ali-kula-gaïjana-saïjanakaà 346
bhavati vilambini vigalita-lajjä 184
amala-kamala-dala-locana 36 bhramara-cayaà racayantam upari
347
amåta-madhura-mådutara-vacanena 226 bhramati
bhavän abalä-kavaläya 246
aneka-näré-parirambha-sambhrama 588 bhrü-cäpe nihitaù kaöäkña-
viçikho 117
aìgeñv äbharaëaà karoti bahuçaù 187 bhrü-pallavo dhanur apäìga
116
anila-tarala-kisalaya-nikareëa 2993
C

anila-tarala-kuvalaya-nayanena 2224

antar-mohana-mauli-ghürëana-calan 250

cala-malaya-vana-pavana-surabhi-çéte 306

äçleñäd anu cumbanäd anu nakho 17700 caicala-


kuëòala-lalita-kapolä 207

athägatäà mädhavam antareëa 2002


candana-carcita-néla-kalevara 61

atha katham api yaminéà vinéya 237 candraka-cäru-mayüra-


sikhaëòaka 799
atha sahasä suprétaà suratänte 34422 caraëa-
kamala-galad-alaktaka-siktam 244

atha sä nirgata-bädhä rädhä 34422 caraëa-


kisalaye kamalä-nilaye 218

atha täà gantum açaktäà17799 caraëa-raëita-maëi-nüpurayä 93


atikramy € p € gaà ŠravaŠa-patha 3119 chalayasi vikramaëe 20
aträntare ca kulaöä-kula-vartma-päta 1993 cintayämi tad-
änanaà 108

361

Çré Geta- govinda

D
harir iti harir iti japati sa-kämam 140
dahati çiçira-mayükhe 156 harir upayätu vadatu bahu-madhuram 26
2661

dara-vidalita-mallé-valli 55 hasta-srasta-viläsa-vaàçam anåju


96
daçana-padaà bhavad-adhara-gataà 2445 hådi bisa-latä-häro näyaà
112
dayita-vilokita-lajjita-hasitä 207
dhéra-samére yamunä-tére 16622
Eu

dhvanati madhupa-samühe 157 iha rasa-bhaëane kåta-hari-guëane


220
dhyäna-layena puraù parikalpya132 éñan-mélita-dåñöi mugdha-vilasat
341
dina-maëi-maëòala-maëòana 33 itas tatas täm anusåtya rädhikäm iti
104
diçi diçi kirati sajala-kaëa-jälam dorbhyäà 1339
caöula-cäöu-paöu 277

saàyamitaù payodhara 336 itthaà keli-tatér vihåtya yamunä 3555

dåçau tava madälase 2883


J

dåçyase purato gatägatam 110

duräloka-stoka-stabaka 98 jalada-paöala-valad-indu-vinindaka 81

janaka-sutä-kta-bhunaëa 38
G
janayasi manasi kim iti guru-khedam 2661
ga Šayati g Ša-gr € maà bhr € maà 84 jayaçré-vinyastair mahita
iva 32222

gatavati sakhé-vånde 'manda 327 jita-bisa-çakale mådu-bhuja-yugale


216
gana-caya-rucire racayati cikure 214

ghana-jaghana-stana-bhära-bhare 29922
K

ghaöayati sughane kuca-yuga-gagane 214 kajjala-malina-vilocana-


cumbana 24422

gopa-kadamba-nitambavaté 80 käliya-viña-dhara-gaïjana 35

kaàsärir api saàsära 1003


H
kanaka-nikaña-ruci-çuci-vasanena 228

häram amalatara-täram urasi 314 kandarpa-jvara-saàjvarätura-tanor


146
härävalé-tarala-käïcana-käïci-däma 3003
käpi kapola-tale militä 644

hari-caraëa-çaraëa-jaya 200
käpi viläsa-vilola-vilocana 63
hari! hari! hatädaratayä 107 kara-kamalena karomi caraëam aham 330

hari! hari! yähi mädhava yähi keçava 240 kara-tala-täla-tarala-valayä


65
hari-parirambhaëa-valita-vikärä 206
kassméra-gaura-vapuñäm 301
harim eka-rasaà ciram 313 kathita-samaye 'pi harir 196
harir abhimäné rajanir idäném 16666 kati na kathitam idam 2559

harir abhisarati vahati madhu-pavane harir iha 25588


keli-kalä-kutukena ca käcid 644

mugdha-vadhü-nikare 61 keçava dhata 14

362

Índice de Verso

kim iti viñédasi rodiñi vikalä kià 26600 märäìke


rati-keli-saìkula 337

kariñyati kià vadiñyati 107 meghair meduram ambaraà 3


kià viçrämyasi kåñëa-bhogi-bhavane 188 mleccha-
nivaha-nidhane 26
kisalaya-çayana-niveçitayä 90 mådu-cala-malaya-pavana-surabhi-
çéte 306

kisalaya-çayana-conto kuru kamini 32299


mågamada-rasa-valitaà lalitaà
348

kokila-kalarava-küjitayä 922 magamada-saurabha 50


kñaëam adhunä 32299
mugdhe! madhu-mathanam anugatam 291 mugdhe vidhehi
knam api virahah purä na sehe kñamyatäm 147 mayi 27799

aparaà kadäpi 111 muhur avalokita-maëòana-lélä 18822

kñatriya-rudhira-maye 21 mukharam adhéraà tyaja maïjéraà


16644

kñitir ati-vipula-tare 16

kuru yadunandana candana 3445 N

kusuma-caya-racita-çuci-väsa-gehe 306
n € ma-sametaà kita-sa ketaà 1663
kusuma-sukumära-tanum 19999
nätha hare! sédati rädhä väsa-gåhe 181

kusuma-viçikha-çara-talpam analpa 12299


nava-bhavad-açoka-dala-çayana-säre
3005

nayana-kura ga-tara ga-vikāsa 346

eu
nayana-viñayam api kisalaya-talpam 140
lalita-lavaìga-latä-pariçélana 48 n € y € tah sakhi nirdayo yadi
ça˜has 221
nibhta-nikuñja-ghaà gatay € 87
M
nijagäda sä yadunandane 3445
madana-mahépati-kanaka-daëòa-ruci 51 nindasi yajïa-vidher 25
mädhave mä kuru mänini 25588 nindati
candanam indu-kiraëam anu 127

mädhavikä-parimala-lalite 53 néla-nalinäbham api 2773


madhu-mudita-madhupa 308

madhu-mura-naraka-vinäçana 36 P

madhuratara-pika-nikara 308
padmä-payodhara-taöé 41
maëimaya-makara-manohara-kuëòala 8 822 päëau mä kuru cuta-
säyakam parihara 114

maïjutara-kuïja-tala-keli-sadane 3005 kåtätaìke


ça käà 27788

mäm ahaha vidhurayati 198 parya k… -kita-n € ga-n € yaka-pha Š €


356
mamãe maraëam eva varam 197 paçyati diçi diçi rahasi bhavantam
patati 181
mama rucire cikure kuru mänada 348
patatre vicalati patre 16644

mäm ati-viphala-ruñä vikalé-kåtam 3333


péna-payodhara-bhära-bhareëa 622

mäm iyaà calitä vilokya107 pralaya-payodhi-jale 14


manobhavänandana candanänila 230 praëamata hådi
vinidhäya harià 318
363

Çré Geta- govinda

prasarati çaçadhara-bimbe 194 sä mäà drakñyati


vakñyati 298

prätar néla-nicolam acyutam uraù 2333

samudita-madane ramaëé-vadane 213


prathama-samägama-lajjitayä 90 s € nandaà nanda-sünur 321

prati-padam idam api nigadati pratyühaù 131 saïcarad-adhara-


sudhä 788
pulakä kureëa niviŠa 334
sändränanda-purandarädi-diviñad 26644

praviça rädhe! madhava-samepam iha 30 3005

sa prétià tanutäà hariù 2885


priya-parirambhaëa 331 sarasa-ghane jaghane mama çambara 34
sarasa-masåëam3449

priye! cäruçéle! 2771 api


malayaja-paìkam 138 sä romäïcati sét-karoti vilapaty

pürvaà yatra samaà tvayä rati-pater 159 14422

s € sa-s € dhvasa-s € nandaà


311
R
çaçi-kiraëa-cchuritodara-jaladhara
316
racaya kucayoù patraà citraà 3551
çaçimukhi mukharaya 332

rädhä-mugdha-mukhäravinda 1774
saçimukhi tava bhäti bhaìgura-bhrü 280

rädhä-vadana-vilokana-vikasita 313 satyam evasi yadi 2772


rädhikä virahe tava keçava 137 saundaryaika-nidher ana ga-lalanä
3223
rajani-janita-guru-jägara-räga 240
sä virahe tava dena 127
ramate yamunä-pulina-vane 213 çliñyati cumbati jaladhara-kalpam
184
ramayati subhåçaà käm api sudåçaà räse harim 218 çliñyati käm api
cumbati käm api 666
iha vihita-viläsaà 788 smara-garala-khaëòanaà 2776

räsolläsa-bhareëa vibhrama-bhåtäm 700 smara-samarocita-viracita-


veçä 2005

rati-gåha-jaghane vipuläpaghane 216 smara-çara-subhaga-


nakhena kareëa 296

rati-sukha-samaya-rasälasayä 94 smaräturäà daivata-vaidya-hådya


144
rati-sukha-säre gatam abhisäre 16622
snigdhe yat paruñäsi yat praëamati 26622

ripur iva sakhé-saàväso 'yaà 231 sphurad-atimukta-latä-


parirambhaëa 53
S
sphuratu kuca-kumbhayor
2774
sphuritam ana ga-tara ga-vaçäd iva
294

sa-bhaya-cakitaà vinyasyantéà 1772


Çrama-jala-kaëa-bhara-subhaga-çarérä 2 20099

sädhvé mädhvéka cintä 3553 r… -bhojadeva-


prabhavasya v € m € 35588

sajala-jalada-samudaya-rucireëa 227
ré-jayadeva-bhaëita-hari-ramitam 20099

sajala-naliné-dala-çélita-çayane 26600 ré-


jayadeva-bhaëita-rati-vaicita 247

sakala-bhuvana-jana-vara-taruëena 228
ré-jayadeva-bhaëita-vacanena 22299

sakhi! sédati tava virahe vanamälé sakhi! yä 156 ré-jayadeva-


bhaëita-vibhava318
ramitä vanamälinä säküta-smitam äkuläkula 2224 ré-
jayadeva-bhaëitam adharékita 297

999 ré-jayadeva-bhaëitam ati-lalitam 26622


364

Índice de Verso

ré-jayadeva-bhaëitam ati-sundara Çré-jayadeva-bhaëitam idam adbhuta


Çré-jayadeva-bhaëitam idam adhikaà ré-jayadeva-bhaëitam idam anupada
çré-jayadeva-bhaëitam idam atiçaya Çré-jayadeva-bhaëitam idam udayati
ré-jayadeva-bhaëitam iti gétam çré-jayadeva-kaver idaà kurute çré-
jayadeva-kaver idam uditam ré-jayadeva-kaver idam uditam udäram 27 ré-
jayadeva-vacasi jayade çré-jayadeve kåta-hari-seve

çåëu ramaëéya-taraà taruëé-jana rita-kamalä-kuca-maëòala stana-vinihitam


api häram udäram sthala-jalaruha-ruci-kara-caraëena sthala-kamala-
gaïjanaà svasita-pavanam anupama-pariëäham 138 çyämala-mådula-
kalevara-maëòalam suciram anunayena préëayitvä

täla-phaläd api gurum ati-sarasam täm ahaà hådi saìgatäm

tam atha manmatha-khinnäà

täni sparça-sukhäni te ca taraläù tanvi

khinnam asüyayä

tarala-dåg-aïcala-calana-manohara

tasyäù päöala-päëijäìkitam uro

tat kià kam api kaminém abhistaù tava caraëe praëatä vayam

tava kara-kamala-varej
tavedaà paçyantyäù

tiryak-kaëöha-vilola-mauli

83 tvad-abhisaraëa-rabhasena valanté 181


67 tvad-vämyena samaà samagram 1669

1333 tväm
apräpya mayi svayaàvara-paräà 357 tvam asi mama
334 bhunaëaà 2772

95 tväà cittena ciraà vahann ayam ati 310


544 tvaritam upaiti na katham abhisäram 1883
141 tyajati na päëi-talena kapolam 1339

40

1885 você

unmada-madana-manoratha-pathika 50
350 unmélan-madhu-gandha-lubdha 57
1667 urasi murärer upahita-häre 1665

29922 V
32

137 väcaù pallavayaty umäpatidharaù 10


226 vadana-kamala-pariçélana-milita
316
2775 vadana-sudhä-nidhi-galitam 330

vadasi yadi kiïcid api 2771

314 väg-devatä-carita-citrita-citta-sadmä 6
28899 vahasi vapuñi
viçade 24

vahati ca valita-vilocana-jaladharam 12299

Vahati Malaya-Samére 156


25588 vapur anuharati tava smara-saìgara varëitaà
24422

10099 jayadeva-kena 111

2555 vasante väsanté-kusuma 422


118 vasati daçana-çikhare 17
10099 vasati vipina-vitäne 1588

315 vedän
uddharate jaganti vahate 299
338 vicalad-alaka-lalitänana-candrä 206
201 viharati harir iha sarasa-vasante viharati
vane 48
39 rädhä 75
18 vihita-padmävaté-sukha-samäje 30099

248 vihita-viçada-bisa-kisalaya-valayä
18822

120 vikasita-sarasija-lalita-mukhena 2225

365

Çré Geta- govinda

vikirati muhuù çväsän äçäù vilikhati rahasi 16688


vitata-bahu-valli-nava-pallava-ghane 307

kuraìga-madena 130 våñöi-vyäkula-gokulävana-rasäd


148
vipula-pulaka-bhara-danturitaà 317 vyälolaù keça-päças taralitam
alakaiù vyathayati 340
vipula-pulaka-bhuja-pallava-valayita 80 våthä maunaà 281
vipula-pulaka-päliù 186
vipula-pulaka-påthu-vepathu-bhaìgä 208 Y

viracita-cäöu-vacana-racanaà 291 yad-anugamanäya niçi 196


viraha-päëòu-muräri-mukhämbuja 210 yad-gändharva-kaläsu
kauçalam 3552

vitarasi dikñu raëe 222 yadi hari-smaraëe sarasaà mano yami he!
kam 8
viçada-kadamba-conto militaà 822 iha çaraëaà 196

viçveñäm anuraïjanena janayann 688 yamunä-téra-vänéra


1225
366