Você está na página 1de 2

CASO: AVALIANDO OS PROCEDIMENTOS ORÇAMENTÁRIOS DE UMA EMPRESA

Tom Emory e Jim Morris saíram do escritório administrativo da Ferguson & Son Manufacturing
Company e retornaram, caminhando, à fábrica. Tom é gerente da oficina de máquinas da
fábrica da empresa e Jim é o gerente do departamento de manutenção de equipamentos.
Os dois tinham acabado de participar da avaliação de desempenho mensal dos chefes de
departamento da fábrica. Essas reuniões eram marcadas toda terça-feira de cada mês desde
que Robert Ferguson Jr, filho do presidente, tinha se tornado gerente da fábrica um ano antes.
Enquanto caminhavam, Tom disse: “Nossa, eu odeio essas reuniões! Nunca sei se os
relatórios contábeis do meu departamento exibirão um bom ou um mau desempenho. Estou
começando a esperar o pior. Se os contadores dizem que eu economizei um dólar para a
empresa, eles me chamam de ‘Senhor’, mas se eu gastei um pouquinho mais aí estou em
maus lençóis. Não sei se aguentarei até a aposentadoria. ”
Tom tinha acabado de receber a pior avaliação de sua longa carreira na empresa. Ele era o
mais respeitado e mais experiente dentre aqueles daquela fábrica, trabalhava ali há muitos
anos e tinha sido promovido a gerente da oficina de máquinas quando a empresa expandiu e
se mudou para o presente local. O presidente (Sr. Robert Ferguson) sempre dizia que o
sucesso da empresa era por causa do trabalho de alta qualidade de funcionários como Tom.
Como gerente, Tom enfatizava a importância da habilidade artesanal e dizia a seus
trabalhadores que ele não queria desleixo em seu departamento.
Quando Robert Ferguson Jr se tornou gerente da fábrica, ele decidiu que seriam feitas
comparações mensais de desempenho entre os custos reais e orçados para cada
departamento. Os orçamentos departamentais tinham a intenção de encorajar os
supervisores a reduzirem ineficiências e buscarem oportunidades de redução de custos. O
controller da empresa foi instruído a fazer sua equipe “apertar” um pouco o orçamento sempre
que um departamento atingisse sua meta em determinado mês, isso era feito para reforçar o
desejo do gerente da fábrica de reduzir custos. O jovem gerente da fábrica sempre enfatizava
a importância de um progresso contínuo em direção a bater as metas do orçamento. Ele
também quis que todos soubessem, quando sucedeu seu pai, que ele mantinha um arquivo
com esses relatórios de desempenho para referências futuras.
A conversa de Tom e Jim continuou assim:
Tom: Eu realmente não compreendo. Demos um duro danado para cumprir o orçamento e no
instante em que conseguimos, eles apertam o orçamento ainda mais. Não temos como
trabalhar mais rápido e ainda manter a qualidade. Acho que os meus homens estão a ponto
de desistir de tentar. Além disso, esses relatórios não contam a história toda. Parece que
estamos sempre interrompendo as ordens maiores para cumprirmos pequenos trabalhos de

1
última hora. O tempo que levamos com toda aquela reconfiguração e ajustes das maquinas
está no matando. E, francamente, Jim, você não ajudou em nada. Quando nossa prensa
hidráulica quebrou mês passado, seu pessoal tinha sumido. Tivemos que desmontá-la nós
mesmos e focamos presos com aquele tempo ocioso.
Jim: Peço desculpas quanto àquilo, Tom, mas você sabe que meu departamento também teve
problemas para cumprir o orçamento. Estávamos muito atrasados na época daquele problema
e se tivéssemos passado um dia inteiro naquela máquina velha, nunca teríamos conseguido.
Em vez disso, fizemos as inspeções nas empilhadeiras, que estavam previstas no
cronograma, porque sabíamos que poderíamos fazê-las em tempo menor do que o que foi
orçado.
Tom: Bem, Jim, pelo menos você tem algumas opções. Eu estou preso no que o departamento
de cronogramas determina que eu faça e você sabe que eles estão sendo perseguidos pelo
pessoal de vendas por causa daqueles pedidos especiais. Aliás, por que seu relatório não
mostrou todos os suprimentos que vocês desperdiçaram no mês passado quando trabalharam
no departamento do Bill?
Jim: Ainda não resolvemos aquele problema. Lançamos o máximo que podíamos nas contas
de outros trabalhos e ainda não lançamos tudo.
Tom: Fico feliz em saber que você tem uma maneira de evitar a pressão. Os contadores
parecem saber tudo o que acontece em eu departamento, às vezes até mesmo antes de mim.
Achei que todos aqueles orçamentos e procedimento contábeis eram para ajudar, mas só me
causam problema. Eu tento fazer meu trabalho de qualidade, eles só tentam economizar
centavos.

Requisitado:

1. Identifique os problemas que existem no sistema de controle orçamentário da empresa


e explique como os problemas provavelmente reduzirão a eficácia do sistema (aborde
aspectos relacionados à definição das metas, influência de fatores incontroláveis,
“foco” no curto e longo prazo e promoção da motivação).

2. Explique como o sistema de controle orçamentário da empresa poderia ser revisado


de modo a melhorar sua eficácia.