Você está na página 1de 6

CFP - Módulo VI - Power Session - RESPOSTAS

Question 1 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
Em qualquer regime de bens, não havendo descendentes e ascendentes, o cônjuge herda a totalidade da
herança. Os irmãos somente serão beneficiados se nomeados herdeiros em testamento (podendo receber até
50% da herança) ou se o marido falecer antes ou simultaneamente com a esposa. O enteado não é herdeiro
da madrasta.

Question 2 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
Comoriência é o falecimento simultâneo dos cônjuges. Quando acontece, um não herda nada do outro, de
modo que a herança é transmitida aos respectivos herdeiros de cada um.
Não há direito de representação na renúncia. A parte do herdeiro que renuncia acresce a dos dois irmãos.
Desde a Constituição de 1988, o filho adotivo tem direitos idênticos ao do filho biológico. A regra aplica-se
também aos filhos adotivos nascidos e/ou adotados antes de 1988.

Question 3 of 25
Correct answer: D)
Feedback:
Nos termos do artigo 1.810 do Código Civil: "Na sucessão legítima, a parte do renunciante acresce à dos
outros herdeiros da mesma classe e, sendo ele o único desta, devolve-se aos da subsequente.".

Da leitura deste dispositivo legal, depreende-se que, caso os dois filhos do falecido renunciem a herança,
esta será transmitida aos seus netos (classe subsequente de herdeiros) e, portanto, a alternativa I está correta.
É feita a ressalva de que a renúncia somente poderá ser manifestada após a morte do investidor, uma vez que
não é possível se falar em herança de pessoa viva.

A alternativa II está incorreta, pois se apenas a filha renunciar, o filho receberá a totalidade da herança já
que, nos termos do artigo de lei acima transcrito, "a parte renunciante acresce à dos outros herdeiros da
mesma classe", e o filho é o herdeiro da mesma classe que a filha renunciante. Por essa mesma razão, a
alternativa III está correta: se o filho renunciar, a filha, que é a herdeira da mesma classe, receberá a herança.

No caso de renúncia a herança, os filhos do herdeiro renunciante não herdam por direito de representação.
Na afirmativa I, como os dois irmãos renunciam, os netos recebem por direito próprio, pois ficou esgotada a
classe mais próxima dos descendentes, e não por direito de representação.

Question 4 of 25
Correct answer: D)
Feedback:
No regime da comunhão parcial não se comunicam bens decorrentes de herança e bens particulares
anteriores ao casamento. Assim José ficaria com os R$600 mil (herança) + R$ 100 mil (bens anteriores) =
R$ 700 mil (bens particulares dele) + a participação de metade do apartamento R$50 mil (bem comum com
a esposa), totalizando R$ 750 mil. Bia teria direito aos seus bens particulares anteriores ao casamento (R$ 50
mil) + a participação de metade do apartamento R$50 mil, totalizando R$ 100 mil.

1
CFP - Módulo VI - Power Session - RESPOSTAS

Question 5 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
Na hipótese de morte, pelo regime de bens adotado, os R$600 mil de herança + R$ 300 mil de bens
particulares anteriores ao casamento seriam divididos entre Bia e seus dois filhos por sucessão. Quanto ao
apartamento de R$100.000,00, haveria participação de Bia (cônjuge) na metade do mesmo em R$50.000,00,
por meação, enquanto que os outros R$50.000,00 seriam divididos em favor dos dois filhos. Desta forma:
Bia (Cônjuge) = R$300.000.00 de herança nos bens particulares e R$50.000.00 de Meação.
Ana (filha) = R$300.000,00 de herança nos bens particulares e R$ 25.000.00 de herança nos bens
matrimoniais.
Pedro (filho) = R$300.000,00 de herança nos bens particulares e R$ 25.000.00 de herança nos bens
matrimoniais.

Question 6 of 25
Correct answer: D)
Feedback:
A esposa tem direito à meação (R$ 135.000) e concorre igualmente com os filhos apenas em relação aos
bens particulares (R$ 180.000/4 = R$ 45.000,00). Assim, ela receberá de herança R$ 45.000,00, mais R$
135.000,00 de meação, totalizando R$ 180.000,00.
Os filhos receberão, em concorrência com a mãe, os bens particulares (R$ 180.000/4 = R$ 45.000,00), mais
a parte da meação que era do pai, esta sem concorrência com a mãe (R$ 135.000/3 = R$ 45.000,00). Ou seja,
cada um receberá R$ 90.000,00.
Pela Constituição Federal, os filhos são tratados igualmente. Não pode haver distinção entre filhos do
primeiro ou segundo casamento, tampouco entre filhos biológicos e filhos adotivos.

Question 7 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
Como o regime é de separação, todos os bens de João, anteriores ou posteriores ao casamento, são
particulares. Nesse caso a esposa não tem direito à meação. Sendo assim, participa na partilha apenas como
herdeira, tendo direito ao mesmo quinhão dos outros herdeiros. Além disso, os filhos são tratados
igualmente. Não pode haver distinção entre filhos do primeiro ou segundo casamento, tampouco entre filhos
biológicos e filhos adotivos.

Question 8 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
Havendo renúncia, não há direito de representação do filho de quem renunciou. A herança se transmite
como se o filho renunciante nunca tivesse existido, de forma que beneficia todos os filhos do falecido e seu
neto (filho do renunciante) nada recebe.

Question 9 of 25

2
CFP - Módulo VI - Power Session - RESPOSTAS

Correct answer: C)
Feedback:
Se o patrimônio total do casal é de 2.400.000 construído inteiro na vigência do casamento em comunhão
parcial, 1,2k é a meação do marido e 1,2k a meação da mulher. Desses 1.200.000 que viria a ser então a
herança deixada por João, 600.000 seria a legítima e 600.000 disponível. Se ele daria toda a disponível para
o filho José, ele receberia 600.000 + 200.000 da parte legítima (1/3 dos outros 600.000).

Question 10 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
No regime da comunhão total, todos os bens se comunicam, quer anteriores ou posteriores ao casamento.
Assim, a meação de Ana deve corresponder à metade de todo o patrimônio (somados os bens anteriores e
posteriores ao casamento), ou seja, a R$ 3.750.000,00.
Além de receber parte em meação, como não há descendentes, a esposa concorre com os pais do marido em
relação à herança que, nesse caso, corresponde à meação do falecido, ou seja, a R$ 3.750.000,00. Ana terá
direito a 1/3 da herança (R$ 1.250.000,00) e os outros 2/3 serão igualmente divididos entre os pais de José,
cabendo a cada um R$ 1.250.000,00. Assim, somada a meação de Ana e sua parte na herança, ela receberá,
no total, R$ 5.000.000,00.

Question 11 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
Como se trata de comunhão universal, para cálculo do patrimônio do casal somam-se todos os bens,
inclusive a herança recebida por José. A metade desse patrimônio é de Maria; a outra metade será dividida
somente entre os filhos, pois, em virtude do regime de bens, Maria não concorre com os descendentes.

Question 12 of 25
Correct answer: D)
Feedback:
Nesse caso, o valor doado com cláusula de incomunicabilidade deve ser excluído do patrimônio do casal.
Por outro lado, como se trata de comunhão total, todos os outros bens são considerados bens comuns (os
anteriores e os posteriores ao casamento). Assim, excluindo-se o patrimônio herdado por José com cláusula
de incomunicabilidade, a meação de Maria corresponde a R$ 3.750.000. A meação de José (R$ 3.750.000),
acrescida da herança por ele recebida (R$ 500.000), será dividida entre seus filhos. Como José tinha filhos e
era casado pela comunhão total, Maria recebe só a meação e não participa da herança.

Question 13 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
A companheira ou o companheiro participará da sucessão do outro, quanto aos bens adquiridos
onerosamente na vigência da união estável, nas condições seguintes:
I - se concorrer com filhos comuns, terá direito a uma quota equivalente à que por lei for atribuída ao filho;
II - se concorrer com descendentes só do autor da herança, tocar-lhe-á a metade do que couber a cada um
daqueles; III - se concorrer com outros parentes sucessíveis, terá direito a um terço da herança; IV - não
havendo parentes sucessíveis, terá direito à totalidade da herança.
3
CFP - Módulo VI - Power Session - RESPOSTAS

Question 14 of 25
Correct answer: D)
Feedback:
Os filhos de Pedro herdam por representação quinhão idêntico ao que ele faria jus se vivo fosse. Bia, casada
em comunhão parcial de bens, faz jus à meação dos bens comuns (R$ 6.000.000,00 /2 = R$ 3.000.000,00) e
concorre com o filho e a estirpe dos netos nos bens particulares do marido (R$ 1.500.000,00 / 3 = R$
500.000,00).
Ana receberá metade da meação do pai falecido (R$ 1.500.000,00) + 1/3 dos bens particulares (R$
1.500.000,00 / 3 = R$ 500.000,00). A mesma participação na herança caberá à estirpe dos netos, de modo
que cada qual receberá metade do que Ana faz jus.

Question 15 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
Se Antonio tinha 75 anos de idade ao casar, não poderia escolher o seu regime de bens. A lei determina a
separação obrigatória. Em testamento, não precisaria reservar uma parte da legítima para sua esposa, pois no
regime da separação obrigatória de bens a cônjuge não concorre com os filhos na herança como herdeira
necessária. E na separação obrigatória, caso não haja pacto antenupcial em sentido diverso, a súmula 377 do
STF obriga o casal a apurar uma divisão nos aquestos.

Question 16 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
No regime da comunhão universal de bens, o cônjuge sobrevivente não participa da herança que será
distribuída exclusivamente em favor dos filhos do casal. Portanto, se o patrimônio total é de R$
8.500.000,00 (R$ 6.000.000,00 + R$ 1.500.000,00 + R$ 1.000.000,00), deve ser dividido da seguinte forma:
Bia faz jus à meação: R$ 4.250.000,00.
A herança deve ser dividida igualmente entre os dois filhos do casal: R$ 2.125.000,00 para cada uma.

Question 17 of 25
Correct answer: B)
Feedback:
No regime da separação total de bens, o cônjuge não tem meação, mas participa da herança juntamente com
os filhos. Portanto, se o patrimônio total é de R$ 3.000.000,00 (R$ 1.000.000,00 + R$ 2.000.000,00), deve
ser dividido igualmente entre Bia e os filhos, R$ 1.000.000,00 para cada um.

Question 18 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
Após os 70 anos de pelo menos um dos cônjuges, o casamento deve se realizar sob o regime da separação
obrigatória de bens. Nesse caso, além de não haver meação (houve pacto afastando a comunhão de
aquestos), o cônjuge que sobrevive não tem direito à herança. Assim, a herança caberá integralmente aos
dois filhos de José, metade para cada um (1.500.000,00).

4
CFP - Módulo VI - Power Session - RESPOSTAS

Question 19 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
No regime da separação total, um cônjuge não precisa autorizar o outro na concessão de avais e fianças; em
qualquer outro regime de bens, essa autorização é necessária. Na comunhão parcial, a herança não é
comunicável. Não há comunhão de bens no regime da separação total.

Question 20 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
A esposa recebe sua meação e a herança é dividida exclusivamente em favor dos dois filhos, metade para
cada um. Note que neste caso não há bens particulares. Se houvesse, seriam divididos igualmente entre a
esposa e os dois filhos.

Question 21 of 25
Correct answer: C)
Feedback:
Para a exploração de renda de aluguel de bens imóveis, é mais vantajoso manter os imóveis detidos por
pessoa jurídica, pois a alíquota de Imposto de Renda a ser recolhida pela Holding Familiar é menor (por
volta dos 15%) do que a recolhida por pessoa física que explora aluguel de imóvel em seu nome (27,5%).
Não é mais vantajoso do ponto de vista fiscal, porém, manter ativos financeiros na pessoa jurídica, em
comparação à pessoa física. Uma das vantagens da Holding Familiar para o inventário é que se dividirão
apenas quotas da pessoa jurídica. Não será necessário descrever, detalhar e apurar o valor de cada um dos
bens, se detidos pela Holding. Os acordos de acionistas (Sociedades anônimas) e quotistas (Limitadas)
podem são instrumento de planejamento, pois sobrevivem ao fundador. A empresa continuará após o seu
falecimento, sendo que ele participou da fixação dos seus princípios e estipulou a forma de alteração e
modernização segundo os seus critérios.

Question 22 of 25
Correct answer: A)
Feedback:
A doação pode ser feita sem a autorização da esposa, pois integra os bens particulares do marido. Se a
doação fosse de bens comuns, a concordância da esposa seria imprescindível.
Considerando que os bens particulares totalizam R$ 10 milhões, até cinco milhões poderiam ser doados sem
ofender a legítima dos herdeiros necessários. O doador não está obrigado a tratar os filhos igualmente, salvo
no que diz respeito à legítima. A parte disponível de seus bens pode ser livremente doada, inclusive
beneficiando os filhos de forma desigual.

Question 23 of 25
Correct answer: C)
Feedback:

5
CFP - Módulo VI - Power Session - RESPOSTAS
O usufruto não se transfere, se extingue. E a propriedade plena se consolida nas mãos dos nu proprietários
que haviam recebido a doação com reserva de usufruto. Se os filhos eram casados em comunhão parcial,
doações não entram na comunhão, ainda que não houvesse a cláusula de inalienabilidade. Porém, a cláusula
de inalienabilidade implica incomunicabilidade.

Question 24 of 25
Correct answer: D)
Feedback:
Não há necessidade de testamento se o objetivo da sucessão já está contemplado na lei (alternativa a). Não
há como excluir o cônjuge da sucessão por testamento, pois ele é herdeiro necessário. Somente não será se
casado com o autor da herança sob o regime da separação total obrigatório de bens e ele tiver filhos. Não é
possível impedir a participação dos genros na sucessão das filhas, ainda que casadas no regime de separação
total de bens (item c acima).

Para beneficiar uma instituição filantrópica é imprescindível um testamento, pois, se observada a ordem
sucessória estabelecida em lei (na falta de pais, filhos e cônjuges, os parentes colaterais são chamados e, na
falta desses, o Estado recebe a herança), essa instituição nada receberá.

Question 25 of 25
Correct answer: B)
Feedback:
Antes de identificar a herança, é necessário excluir a meação da esposa. A companheira também faz jus à meação
dos bens havidos durante a união estável. Além disso, a companheira é herdeira juntamente com o filho nos bens
comuns havidos durante a união estável.