Você está na página 1de 6

CFP - Módulo 6 – simulado 1 - perguntas

Question 1 of 13
O cliente tem um patrimônio de R$ 10.000.000,00. Ele doa em vida R$ 500.000,00 para um dos seus dois
filhos, dispensando de colação. Faz também um VGBL e aporta R$ 500.000,00, beneficiando sua mãe. Se
ele falecer após estes atos, o valor da legítima será:

A)
R$ 2.000.000,00

B)
R$ 2.500.000,00

C)
R$ 4.500.000,00

D)
R$ 5.000.000,00

Question 2 of 13
João e Maria são casados há dez anos. Antes de estabelecer um vínculo com Maria, João possuía
R$1.000.000,00 de patrimônio pessoal. Durante a relação, ele acumulou mais R$1.000.000,00 (total
R$2.000.000,00) e tiveram dois filhos juntos. João possui outros dois filhos de seu casamento anterior.
João morre de repente em um acidente de carro. Ambos os pai e mãe são vivos.
Se João e Maria não fossem casados, mas apenas morassem juntos pelo mesmo período e tivessem os
dois filhos, Maria:

A)
Não receberia nada e cada filho de João receberia R$ 500.000,00;

B)
Receberia R$ 500.000,00 e cada filho de João receberia R$ 375.000,00 cada um;

C)
Receberia R$ 400.000,00 e cada um dos filhos de João receberia R$ 400.000,00 cada um;

D)
Receberia R$ 555.555,56 e o restante seria dividido igualmente entre os quatro filhos de João, R$
361.111,11 para cada um.

Question 3 of 13
Antonio, aos 75 anos de idade, casou-se com Joana, cuja idade era 50 anos. Ambos eram divorciados e
possuíam, cada um, dois filhos de suas uniões anteriores. Em relação à situação do casal bem como
eventuais orientações de planejamento:

I - caso fosse da vontade deles, poderiam casar sob o regime da comunhão parcial de bens;

II - Antonio, em testamento, deveria reservar uma parcela legítima da herança para sua esposa Joana, que
concorreria com seus filhos como cônjuge, que é herdeira necessária;

III - Caso Antonio e Joana venham a se divorciar, haverá a necessidade de averiguar os bens adquiridos
na constância do casamento para meação nos aquestos.

Está correto o que se afirma apenas em:

1
CFP - Módulo 6 – simulado 1 - perguntas

A)
II e III.

B)
I e III.

C)
III.

D)
I e II.

Question 4 of 13
Mário e Roberta são casados há 50 anos e não possuem filhos e nem pais. O patrimônio do casal é R$10
milhões e foi acumulado durante o casamento.
Mario possui três irmãos, dos quais dois estão vivos. Cada irmão teve três filhos e todos os filhos estão
vivos.
Roberta possui duas irmãs vivas.
Mário morre. Se Mário e Roberta forem casados com separação total de bens, e todos os bens estiverem
registrados no nome de Mário, como ficaria a partilha?

A)
Roberta receberia R$ 5 milhões de meação e o restante seria dividido entre os dois irmãos vivos de Mário,
R$ 250.000,00 para cada um;

B)
Roberta receberia R$ 5 milhões de meação e R$ 833.333,32 de herança, cada irmã de Roberta receberia
R$ 833.333,32, cada irmão vivo de Mário receberia R$ 833.333,32 e cada um dos três filhos do irmão
morto de Mário receberia R$ 277.777,78;

C)
Roberta receberia R$ 10 milhões;

D)
Todo patrimônio deixado pelo falecido é considerado herança jacente, passando ao domínio do Estado.

Question 5 of 13
A principal diferença entre a exclusão de herdeiros e deserdação é que:

A)
Na deserdação o herdeiro ou legatário pratica contra o "de cujus" atos considerados ofensivos, de
indignidade.

B)
A exclusão de herdeiro só pode ocorrer na sucessão testamentária, pois depende de testamento, com
expressa declaração de causa.

C)
A deserdação é utilizada pelo testador para afastar de sua sucessão os herdeiros necessários
(descendentes, ascendente e cônjuge), aos quais a lei assegura o direito à legítima. Por sua vez, a
exclusão por indignidade pode se dar em relação a qualquer herdeiro, seja ou não necessário.

2
CFP - Módulo 6 – simulado 1 - perguntas
D)
A deserdação depende de ação específica para produzir os seus efeitos enquanto a exclusão de herdeiros
não.

Question 6 of 13
Um "de cujus" deixa à sua companheira e dois filhos comuns, o montante total de R$ 1.000.000,00,
amealhados durante a união. Neste caso, ela receberá:

A)
R$ 500 mil de meação mais R$ 166.666 de herança.

B)
R$ 500 mil de meação apenas.

C)
R$ 333.333 de herança.

D)
R$ 250 mil de herança.

Question 7 of 13
Um "de cujus" casado com separação total convencional de bens, deixa à sua esposa e dois filhos
comuns, o montante total de R$ 1.000.000,00. Neste caso, ela receberá:

A)
R$ 500 mil de meação mais R$ 166.666 de herança.

B)
R$ 500 mil de meação apenas.

C)
R$ 333.333 de herança.

D)
R$ 250 mil de herança.

Question 8 of 13
Um "de cujus" casado no regime da comunhão parcial de bens, deixa à sua esposa e dois filhos comuns, o
montante total de R$ 1.000.000,00, sem deixar bens particulares. Neste caso, ela receberá:

A)
R$ 500 mil de meação mais R$ 166.666 de herança.

B)
R$ 500 mil de meação apenas.

C)
R$ 333.333 de herança.

D)
R$ 250 mil de herança.

3
CFP - Módulo 6 – simulado 1 - perguntas

Question 9 of 13
Um cliente falece deixando U$ 1 milhão no exterior em uma conta corrente, tendo como beneficiária sua
esposa. Neste caso, o imposto de renda pessoa física (em dólar) a ser pago sobre a transferência deste
dinheiro ao Brasil será aproximadamente:

A)
US$ 275.000,00.

B)
US$ 250.000,00.

C)
US$ 150.000,00.

D)
Isento.

Question 10 of 13
A respeito da administração dos bens do casal, durante o casamento, considere as seguintes afirmativas:

I - o cônjuge casado em separação total de bens pode prestar fiança sem a autorização do outro;
II - a alienação de bens imóveis é facultada a um dos cônjuges durante o casamento, na comunhão parcial
de bens, independentemente da autorização do outro.
III - ainda que possa prestar garantias, no regime da separação total de bens, um cônjuge não pode
vender um imóvel de sua titularidade sem a autorização do outro.

Está correto o que se afirma em:

A)
I e II;

B)
I e III;

C)
III;

D)
I.

Question 11 of 13
O cliente procura o profissional CFP® para uma consulta a respeito da sucessão dos bens deixados pelo
falecimento de seu pai. O pai dele, ao falecer, era viúvo. Os dois únicos herdeiros seriam, no caso, o
cliente e seu irmão. Considerando que os dois herdeiros possuem filhos, netos do autor da herança, o
profissional CFP poderia orienta-lo da seguinte forma:

A)
Caso algum dos irmãos deseje beneficiar seus filhos diretamente, netos do testador, basta que manifeste
renúncia à herança para que os bens sejam divididos entre um dos filhos e os netos do falecido, filhos do
herdeiro renunciante, que receberiam por direito de representação;

4
CFP - Módulo 6 – simulado 1 - perguntas

B)
Se os dois herdeiros filhos já tivessem renunciado à herança antes do falecimento do pai, os netos já
receberiam toda a herança por direito próprio;

C)
Se apenas um deles manifestar renúncia à herança, o outro herdeiro filho receberá todo o patrimônio;

D)
Assim como na deserdação, há direito de representação na renúncia.

Question 12 of 13
José e Ana são casados em comunhão parcial de bens há 12 anos. Nesse período, durante o casamento,
conquistaram patrimônio equivalente a 40 milhões de reais. O casal possui 03 filhos, e José gostaria de
doar toda a sua parcela disponível a apenas um deles, o mais velho, pois o seu relacionamento com os
demais se desgastou ao longo do tempo. Considere as afirmativas abaixo:

I - Durante o casamento, caso José deseje doar algum bem amealhado durante o casamento a seu filho
mais velho, precisa que Ana compareça ao ato, não como anuente e, sim, como doadora;

II - Para fazer essa doação, José teria que calcular o valor de sua porção disponível, que no caso
corresponde à metade de seus bens, isto é, 20 milhões de reais;

III - Para fazer essa doação, José teria que calcular o valor de sua porção disponível, que no caso
corresponde à metade de seus bens, isto é, 10 milhões de reais;

IV - No instrumento de doação, caso José deseje dar um tratamento diferenciado ao filho mais velho, é
preciso fazer constar expressamente que os bens doados são provenientes da parte legítima da herança e
que, por conta disso, o filho não precisará levar a colação na ocasião de seu falecimento.

Está correto o que se afirma apenas em:

A)
I e II.

B)
I e III

C)
III e IV.

D)
I

Question 13 of 13
José e Bia eram casados sob o regime da comunhão parcial de bens. Tanto José quanto Bia possuíam
bens imóveis de origem familiar na ocasião do casamento. Durante o casamento, porém, José constituiu
uma Holding Familiar e colocou seus bens de origem familiar na pessoa jurídica para explorar renda de
aluguel. No caso, considere as seguintes afirmativas:

I. Se a Holding foi constituída durante o casamento, em caso de divórcio, Bia terá direito aos bens
imóveis colocados na Holding, e José não terá direito aos bens imóveis detidos por ela na pessoa física;

5
CFP - Módulo 6 – simulado 1 - perguntas
II. Se todos os bens imóveis mantidos dentro da Holding por José são anteriores ao casamento,
significa que são particulares. O fato de terem sido conferidos à Holding durante o casamento não altera a
natureza particular desses bens. Bia, portanto, não terá direito a eles;

III. José passará a ter vantagem fiscal ao explorar o aluguel de imóveis na pessoa jurídica e, como os
bens imóveis da Holding são particulares, em caso de divórcio, Bia também não teria direito aos
investimentos compostos pelos alugueis recebidos ao longo dos anos.

Está correto o que se afirma apenas em:

A)
I e II

B)
I e III

C)
II

D)
I