Você está na página 1de 3

Dicas gerais para uso da crase

***

Definição básica da crase


- Crase é a fusão*, o encontro de duas aparições da letra “a”.
- Quase sempre, fusão da preposição “a” com o artigo definido feminino “a”.
* curiosidade: crase vem do grego krasis, que significa “fusão”.

Dica zero

➢ Não há crase antes de palavra masculina* (porque não pode ter artigo
definido feminino “a” nesse caso)
*Existem exceções bem específicas, mas, em regra geral, não há.

Ex: Ele foi a cavalo. Sem crase. Por quê? Porque tem a preposição “a”,
mas não o artigo definido feminino “a”.

➢ Nunca há crase antes de verbos (porque não pode ter artigo definido
feminino “a” nesse caso)

Ex.: Ele foi incitado a reagir. Sem crase. Esse “a” só pode ser a
preposição. Portanto, falta o artigo definido feminino “a”.

Dica 1: a regra principal


(fusão da preposição “a” + artigo definido feminino “a”)

Ex 1. Ele conheceu a diretoria. Não tem crase.


Por quê? A) Tem artigo definido feminino “a” em “a diretoria”. B) Mas não tem a
preposição “a” porque a regência do verbo conhecer não pede preposição “a”.
Conhece-se ALGUMA COISA, não A ALGUMA COISA.
Ex 2. Ele foi à diretoria. Tem crase.
Por quê? A) Tem artigo definido feminino “a” em “a diretoria”. B) Existe a
preposição “a” porque a regência do verbo “ir” pede preposição “a”. Alguém vai
A ALGUM LUGAR, não vai ALGUM LUGAR.

Ex. 3. Ele se referia à diretoria. Tem crase.


Por quê? A) Tem artigo definido feminino “a” em “a diretoria”. B) Tem a
preposição “a” porque a regência do verbo “referir-se” pede preposição “a”.
Alguém se refere A ALGUMA COISA OU A ALGUÉM, não ALGUMA COIDA OU
ALGUÉM.

Dica 2: “bizu” para dúvidas gerais


Surgiu a dúvida...
Substitua a palavra feminina que vem antes da possível crase por uma palavra
masculina, e veja se encaixa “ao” (a + o). Se for o caso de usar “ao” (a + o),
então tem crase, “à” (a + a).

Ex.: Ele foi __ sala de João. Tem crase?


Ex.: Ele foi __ hotel de João. Tem “ao” (a + o)? SIM. Ele foi ao hotel de João.
Portanto...
Ex.: Ele foi à sala de João. Tem “à” (a + a).

Dica 3: caso particular I

Usa-se crase quando há a fusão da preposição “a” com pronomes relativos “a


qual” e “as quais” ou com os pronomes demonstrativos aquele, aqueles,
aquela, aquelas, aquilo.
Por quê? Porque o “a” que aparece no início desses pronomes (ex.: a qua,
aquele) une-se ao “a” da preposição, exigida pelo verbo. Exemplos abaixo:

Ex.: Ele comunicou a mudança àquela senhora ali.


Ex.: Ele se referiu àqueles garotos.
Ex.: Esta é a sala à qual me referi.
Ex.: Estas são as pastas às quais me referi.

Dica 4: caso particular II

A crase é opcional antes de pronomes possessivos femininos (minha, sua,


nossa, vossa).
Ex.: Ele foi à sua sala. Ou: Ele foi a sua sala.
Ex.: João comunicou o problema à minha vizinha. Ou: ... a minha vizinha.
* Fica mais claro usando a crase. Mas, se não usar, não é um erro.

Dica 5: caso particular III

Não há crase antes de substantivos femininos com sentido genérico.


Ex.: Falava a pessoas desinteressadas. Não tem crase. Pq? Porque essas
pessoas não estão definidas na frase. Portanto, não pode haver o “as” do
artigo definido”. Fica só o “a” da preposição.
Ex.: Ele fez alusão a cidades litorâneas. Não tem crase. Pq? Porque essas
cidades não estão definidas na frase. Portanto, não pode haver o “as” do
artigo definido”. Fica só o “a” da preposição.

Ex.: Falava diretamente à pessoa mais desinteressada da sala. Tem crase. Por
quê? Porque o sentido, aqui, é definido, uma pessoa específica, e não
genérico, como acima.
Ex.: Ele fez alusão à cidade de Piracicaba. Tem crase. Por quê? Porque o
sentido, aqui, é definido, uma cidade específica, e não genérico, como
acima.