Você está na página 1de 3

(FGV - 2019 - OAB - Exame de Ordem Unificado XXX ) Cláudio, em face da execução

por título extrajudicial que lhe moveu Daniel, ajuizou embargos à execução, os quais
foram julgados improcedentes. O advogado de Cláudio, inconformado, interpõe
recurso de apelação. Uma semana após a interposição do referido recurso, o
advogado de Daniel requer a penhora de um automóvel pertencente a Cláudio.

Diante do caso concreto e considerando que o juízo não concedeu efeito suspensivo aos
embargos, assinale a afirmativa correta.

A) A penhora foi indevida, tendo em vista que os embargos à execução possuem efeito
suspensivo decorrente de lei.

B) O recurso de apelação interposto por Cláudio é dotado de efeito suspensivo por força de
lei, tornando a penhora incorreta.

C) A apelação interposta em face de sentença que julga improcedentes os embargos à


execução é dotada de efeito meramente devolutivo, o que não impede a prática de atos de
constrição patrimonial, tal como a penhora.

D) O recurso de apelação não deve ser conhecido, pois o pronunciamento judicial que julga
os embargos do executado tem natureza jurídica de decisão interlocutória, devendo ser
impugnada por meio de agravo de instrumento.

ART. 1.012, § 1º, III, CPC.

(FGV - 2017 - OAB - Exame de Ordem Unificado - XXIV) O Supermercado “X” firmou
contrato com a pessoa jurídica “Excelência” – sociedade empresária de renome -
para que esta lhe prestasse assessoria estratégica e planejamento empresarial no
processo de expansão de suas unidades por todo o país.

Diante da discussão quanto ao cumprimento da prestação acordada, uma vez que o


supermercado entendeu que o serviço fora prestado de forma deficiente, as partes se
socorreram da arbitragem, em razão de expressa previsão do meio de solução de
conflitos trazida no contrato.

Na arbitragem, restou decidido que assistia razão ao supermercado, sendo a


sociedade empresária “Excelência” condenada ao pagamento de indenização, além
de multa de 30%.

Considerando o exposto, assinale a afirmativa correta.

A) Por se tratar de um título executivo extrajudicial, deve ser instaurado um processo de


execução.
B) Por se tratar de um título executivo judicial, será promovido segundo as regras do
cumprimento de sentença.

C) A sentença arbitral só poderá ser executada junto ao Poder Judiciário após ser
confirmada em processo de conhecimento, quando adquire força de título executivo judicial.

D) A sentença arbitral será executada segundo as regras do cumprimento de sentença,


tendo em vista seu caráter de título executivo extrajudicial.

(FGV - 2018 - OAB - Exame de Ordem Unificado - XXVII) Amanda ajuizou execução por
quantia certa em face de Carla, fundada em contrato de empréstimo inadimplido que
havia sido firmado entre elas, pelo valor, atualizado na data-base de 20/3/2017, de R$
50 mil.

Carla foi citada e não realizou o pagamento no prazo legal, tampouco apresentou
embargos, limitando-se a indicar à penhora um imóvel de sua titularidade. Carla
informou que o referido imóvel valeria R$ 80 mil. Amanda, após consultar três
corretores de imóveis, verificou que o valor estaria bem próximo ao de mercado, de
modo que pretende dar seguimento aos atos de leilão e recebimento do crédito.

Diante de tal situação, assinale a afirmativa que melhor atende aos interesses de
Amanda.

A) Ela deverá requerer ao juízo a avaliação do imóvel por oficial de justiça avaliador, ato
indispensável para dar seguimento ao leilão.

B) Deverá ser requerida ao juízo a avaliação do imóvel por especialista na área (perito);
sem isso, o leilão não poderá prosseguir.

C) Ela deverá requerer ao juízo que este faça inspeção judicial no imóvel, de modo a
confirmar seu valor.

D) Ela deverá requerer que seja realizado o leilão, com dispensa da avaliação judicial do
bem, manifestando ao juízo concordância com a estimativa de valor feita por Carla.

ARTS. 870, ART. 871, I, CPC.

(FGV - 2016 - OAB - Exame de Ordem Unificado - XXI) Em execução por título
extrajudicial, movida pela distribuidora de bebidas Geladão em face do
Supermercado Preço Certo, o executado, citado, não realizou o pagamento da dívida.

O exequente requereu, então, a indisponibilidade da quantia em dinheiro existente em


aplicação financeira titularizada pelo executado, o que foi deferido pelo juízo sem a
oitiva do réu. Bloqueado valor superior à dívida, o juiz deu vista do processo ao
exequente, que requereu a conversão da indisponibilidade em penhora.
Sobre o procedimento adotado, assinale a afirmativa correta.

A) A conversão da indisponibilidade em penhora deve ser deferida independentemente de


ciência prévia do ato executado, visto que não houve o pagamento espontâneo da dívida.

B) A indisponibilidade é nula, pois promovida sem a prévia oitiva do réu, o que viola o
contraditório e a ampla defesa.

C) O juiz, considerando o excesso do bloqueio, não deveria ter dado vista do processo ao
exequente, mas promovido o cancelamento da indisponibilidade excessiva no prazo
máximo de vinte e quatro horas.

D) O juiz, independentemente do excesso da indisponibilidade, deveria ter dado vista do


processo ao executado, a fim de que este comprovasse a impenhorabilidade da quantia
bloqueada.

Art. 854. Para possibilitar a penhora de dinheiro em depósito ou em aplicação financeira, o


juiz, a requerimento do exequente, sem dar ciência prévia do ato ao executado, determinará
às instituições financeiras, por meio de sistema eletrônico gerido pela autoridade supervisora
do sistema financeiro nacional, que torne indisponíveis ativos financeiros existentes em nome
do executado, limitando-se a indisponibilidade ao valor indicado na execução.

§ 1 No prazo de 24 (vinte e quatro) horas a contar da resposta, de ofício, o juiz determinará o


cancelamento de eventual indisponibilidade excessiva, o que deverá ser cumprido pela
instituição financeira em igual prazo.

A – Errada. o juiz determinará o cancelamento de eventual indisponibilidade excessiva.


B – Errada. Para a indisponibilidade não há necessidade de dar ciência prévia ao executado.
C- correta.No prazo de 24 (vinte e quatro) horas a contar da resposta, de ofício, o juiz
determinará o cancelamento de eventual indisponibilidade excessiva.
D – Errada. A afirmativa contraria o § 1º, do art. 854, NCPC, ao dizer que foi correto o ato do
juiz ter dado vista ao réu, sem antes e de ofício sanar o problema da indisponibilidade
excessiva do valor de aplicação financeira.

Você também pode gostar