Você está na página 1de 3

RASCUNHO PARA: PROCEDIMENTO EXECUÇÃO DE SERVIÇO – PES

ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTO EM FACHADAS

1- Documento de referência
Projeto de arquitetura
Projeto estrutural

2- Materiais, equipamentos e ferramentas.


Andaimes;
Argamassa;
Aditivo;
Arame galvanizado;
Talhadeira;
Tela de aço;
Régua de alumínio;
Prumo de concreto;
Espoleta;
Esponja;
Lixadeira grande;
Pino de aço;
Pistola fixa pino;
Serra mármore;
Furadeira SDS Plus;
Mangueira de nível;
Desempenadeira
Nível de mão;
Marreta de borracha;
Pano de chão;
EPIs;

3- Condições para início do serviço


Local limpo;
Os equipamentos e /ou ferramentas de produção devem estar em condições adequadas de uso;

4- Definições
O revestimento cerâmico externo é um conjunto de camadas superpostas e intimamente ligadas,
constituído pela estrutura - suporte, camadas sucessivas de argamassas (de regularização e/ou
emboço) e, finalmente, o revestimento cerâmico, cuja função é proteger a edificação da ação da
chuva, umidade, agentes atmosféricos, desgastes mecânicos oriundos da ação conjunta do
vento e partículas sólidas, bem como dar acabamento estético.
Os procedimentos apresentados a seguir são válidos para o revestimento de fachadas com
placas cerâmicas até 400 cm2 e espessura não superior a 15 mm (em caso de reentrâncias no
tardoz, essa espessura pode chegar até 20 mm), em paredes de alvenaria - tijolos maciços,
blocos cerâmicos, blocos vazados de concreto, blocos de concreto celular e sílico - calcáreos e,
ainda, concreto moldado in loco ou pré-moldado - sempre revestidas com chapisco, emboço e,
se necessário, camada de regularização ou outras. Painéis de gesso acartonado não são
aceitos.
RASCUNHO PARA: PROCEDIMENTO EXECUÇÃO DE SERVIÇO – PES
ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTO EM FACHADAS

Para a realização do assentamento de fachadas, proceder em uma das alternativas seguintes:

 No sentido geral da fachada, de cima para baixo e, para cada pavimento, de baixo para
cima, da esquerda para a direita, um pavimento de cada vez;
 Do térreo para a cobertura, pavimento por pavimento.

5- Método executivo
5.1 Os procedimentos para o assentamento de fachadas:

1. Retirar e misturar peças cerâmicas de 3 ou 4 caixas diferentes;


2. Planejar o assentamento de um número de peças inteiras acrescido da junta, até cerca
de 1 m. Definir uma primeira fiada, tomando-se como referência horizontal o respaldo ou
platibanda e como referência vertical um dos cantos ou arestas definidas pelos prumos da
fachada;
3. Marcar e transferir o nível de um extremo a outro do balancim. Nas extremidades da
fiada definida, devem ser assentadas placas cerâmicas que servirão de guia. Esticar uma linha
para servir como guia para o posicionamento das demais fiadas. Para garantir o prumo das
fiadas verticais, deve-se colocar, utilizando-se o mesmo critério das fiadas horizontais, uma
placa-guia em cada extremidade superior da parede, devidamente nivelada e aprumada com a
fiada inferior;
4. Em seguida, devem ser assentadas as placas cerâmicas no espaço compreendido entre
as placas-guia, uma fiada de cada vez. Assentar a primeira fiada e prosseguir de baixo para
cima, da esquerda para a direita, até atingir o nível do respaldo ou da platibanda, pavimento por
pavimento. Utilizar espaçadores deformáveis e, sempre que necessário, esticar linhas
horizontais e verticais;
5. A argamassa deve ser espalhada em faixas de 60 cm de largura, e comprimento de
acordo com as condições do ambiente, definido caso a caso (não ultrapassar 1m 2 de argamassa
estendida). A definição do tamanho do pano de assentamento deve ser feita pelo próprio
operário, devidamente instruído, em função das variações das condições ambientais que podem
ocorrer dia-a-dia e mesmo durante uma jornada de trabalho. Em dias muito ensolarados ou com
ventos fortes, a alvenaria pode ser umedecida, mas sem saturar;
6. Estender a argamassa com o lado liso da desempenadeira; em seguida, com mais uma
quantidade de argamassa na desempenadeira, aplicar o lado denteado em um ângulo
aproximado de 60o, formando os cordões (espessura de 3 a 4 mm para desempenadeira 6x6x6
mm e 5 a 6 mm para desempenadeira de 8x8x8 mm). O restante da argamassa deve ser
remisturada com a argamassa do balde para a próxima aplicação. Em placas com área maior
que 900 cm2, devem-se espalhar e pentear a argamassa colante sobre o substrato e sobre o
tardoz da placa cerâmica;

Para qualquer área da placa cerâmica, reentrâncias de altura maior que 1 mm presentes no
tardoz de algumas placas devem ser preenchidos com pasta de argamassa colante. Este
procedimento deve ser feito concomitantemente com o assentamento.

7. As placas devem ser assentadas sobre cordões frescos, um pouco fora da sua posição,
aplicando batidas leves e repetidas, com os dedos ou um martelo de borracha, até alcançar a
posição final. Os cordões de argamassa devem ser completamente esmagados;
8. Tomar cuidado com o tempo em aberto - teste do toque -, principalmente em locais de
ambientes agressivos (insolação direta, ventos fortes, altas temperaturas e umidade relativa do
ar);
RASCUNHO PARA: PROCEDIMENTO EXECUÇÃO DE SERVIÇO – PES
ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTO EM FACHADAS

9. Para verificar aderência, remover aleatoriamente algumas placas cerâmicas recém -


assentadas, e observando o seu tardoz, que deve estar completamente impregnado de
argamassa - teste do arrancamento;
10. Realizar continuamente verificação do prumo; verificar a planeza do revestimento
utilizando, uma régua metálica de 2 m, tolerando desvios máximos de 3 mm; observar a
existência de peças com dentes e quinas sobressalentes. Peças com ressaltos maiores que 1
mm devem ser retiradas e recolocadas;

5.2- Cuidados nos procedimentos de execução


1. Os alinhamentos verticais devem ser feitos com fios de prumo estendidos ao longo da
fachada, no maior número de posições possível, sendo obrigatórios nos alinhamentos laterais
das aberturas das janelas, quinas externas e cantos internos.
2. O assentamento requer condições atmosféricas suaves e benignas, não sendo
aconselhável realizar o assentamento com temperaturas inferiores a 5 oC (risco de gelada) e
superiores a 30oC (suportes com insolação direta). Em condição de calor, umedecer a superfície,
sem saturar, e não assentar em tempo chuvoso ou em ventos muito fortes (diminuem o tempo
em aberto das argamassas).
3. Reentrâncias no tardoz das peças devem ser preenchidas com argamassa colante

6- Inspeção
Preencher a Ficha de verificação de serviço.