Você está na página 1de 4

Ciências da Cultura – Lógica e Raciocínio

Gestão do Conhecimento vs Sociologia


Este trabalho foca diversos conceitos gerais sobre Gestão do Conhecimento
e sobre Sociologia.
A Gestão do Conhecimento é um assunto que
tem provocado cada vez mais discussões nos
últimos anos, tendo originado diversas pesquisas e
trabalhos relacionados com investimentos, cada
vez mais significativos por parte das organizações,
que hoje em dia reconhecem a sua extrema
importância.
A investigação na área da gestão do
conhecimento está ligada a várias disciplinas das
quais podemos salientar, a gestão estratégica, a
teoria das organizações, os sistemas de informação, a gestão da tecnologia e da
inovação, o marketing, a economia, a psicologia e por fim a sociologia.
Uma das principais preocupações dos investigadores na área da gestão do
conhecimento, reside na constante procura de um melhor desempenho das
organizações (empresas) através de condições organizacionais favoráveis,
processos de localização, extracção, partilha, criação e armazenamento de
conhecimento, assim como através das ferramentas e tecnologias de informação
e comunicação, com elevados benefícios já comprovados.
A Informação (conhecimento) é um bem
dinâmico que possui enorme valor. Toda a
informação possui um ciclo de vida desde o instante
em é criada, passando pela sua organização,
armazenamento, distribuição e utilização, até o
instante no qual, poderá ou não perder seu valor
(relevância e ou veracidade), podendo vir a ser
descartada, quando então se finaliza ciclo.
Temos por isso de considerar a capacidade de partilhar o entendimento ou
consciência, criar conhecimento promovendo a aprendizagem organizacional, e
prover suporte à colaboração permite transformar informação em vantagem
operacional para empresa num mercado competitivo.
Referimos assim algumas das diversas vantagens de uma boa gestão de
conhecimento:
• Vantagem competitiva em relação à concorrência;
• Redução de custos e do tempo de produção e desenvolvimento de novos
produtos;
• Melhoria dos processos internos e maior fluidez nas operações;
• Processos de tomada de decisões mais eficientes e com melhores
resultados finais;
• Melhoria na coordenação dos esforços entre as unidades de negócios;
• Melhoria generalizada na prestação de serviços, na qualidade, nos
produtos e no serviço.
A Gestão do Conhecimento possui ainda o objectivo de controlar, facilitar o
acesso e manter uma organização integrada sobre a informação. Entende-se por
conhecimento a informação interpretada, isto é, o que cada informação significa
e quais os impactos no meio que cada informação pode ter, de forma que a
informação possa ser utilizada para importantes acções e tomadas de decisões.
Podemos ainda referir que Gestão do Conhecimento é um processo
sistemático, articulado e intencional, apoiado na construção, elaboração,
publicação e aquisição de conhecimentos, com o intuito de atingir a excelência
organizacional (grupo, empresa, família, sociedade).
A Gestão do Conhecimento tem como principais objectivos:
• Permitir a identificação de todos os elementos fundamentais do
conhecimento relacionados com uma organização, tenha ela ou não fins
lucrativos (Memória Organizacional);
• Apoiar a criação de novo conhecimento, originando o aparecimento de
inúmeras vantagens.
• Dar vida aos dados tornando-os utilizáveis e úteis e transformando-os em
informação essencial ao nosso desenvolvimento pessoal e comunitário.
• Organizar e acrescentar lógica aos dados de forma a torná-los
compreensíveis a todos.
Podemos assim afirmar que o conhecimento pode ser de dois tipos: implícito
ou explícito.
A Sociologia é apenas uma das ciências
humanas que se dedica a estudar o
comportamento humano, em função da
envolvente e dos processos que ligam os
diversos indivíduos em associações, grupos ou
instituições. Enquanto o indivíduo, na sua
unidade, é estudado pela psicologia, a
Sociologia tem por base estudar os diferentes
fenómenos sociais, tentando explicá-los, ao
analisar o homem e as suas relações de
interdependência. Compreender as diferentes culturas e sociedades é um dos
objectivos da sociologia.
Os resultados da pesquisa sociológica não interessantes apenas para os
sociólogos. Abrangendo todas as áreas da interacção humana — desde as
relações no seio da família até a organização de grandes empresas, o papel da
política na sociedade ou o comportamento religioso —, a Sociologia pode vir a
contemplar, em diferentes graus de intensidade, diversas outras áreas do
conhecimento. Entretanto, o maior interessado na sistematização do
conhecimento sociológico nos nossos dias é o Estado, que é geralmente o maior
financiador da pesquisa nesta ciência.
Assim como todas as ciências humanas, a Sociologia pretende explicar todo
o seu universo de pesquisa. Ainda que tal não seja objectivamente atingível, é o
propósito da Sociologia transformar as redes, com as quais esta capta e observa
a realidade social, cada vez mais permeáveis. Por este motivo, o conhecimento
sociológico, através das suas teorias e métodos, pode constituir, para o homem,
um excelente instrumento de entendimento das situações com que os mesmos
se defrontam no dia-a-dia, das suas inúmeras relações sociais e,
consequentemente, de si mesmos como seres inevitavelmente sociais e
integrados numa sociedade.
A Sociologia trata, simultaneamente, das observações do que é regular nas
relações sociais para assim formular teorias generalizadas e envolver-se em
acontecimentos singulares, na busca por explicar o seu significado e importância.
Acredita-se que o termo Sociologie tenha sido criado por Auguste Comte
(em 1838), o qual esperava unificar todos os estudos relativos ao homem
(enquanto ser social) incluindo outras ciências humanas tais como a História, a
Psicologia e a Economia, mas não podemos esquecer Montesquieu, também
encarado, por um lado, como um dos fundadores da Sociologia e, por outro,
como o último pensador da era clássica ou até como o primeiro pensador
moderno.
O aparecimento da Sociologia deve-se em parte aos acontecimentos
provocados pela Revolução Industrial e pelas novas condições de vida e de
subsistência por ela criadas. Mas um outro acontecimento teria também um
importante contributo para a sua formação. Trata-se das alterações que ocorriam
na forma de pensar, originada pelo Iluminismo. As transformações económicas,
não poderiam deixar de provocar alterações na maneira de entender tanto a
natureza como a cultura.
Ainda que a Sociologia deva o seu aparecimento e desenvolvimento em
grande parte à convicção de Comte, em que o mesmo acreditava que esta sua
nova ciência suprimiria todas as outras áreas do conhecimento científico da
época, ela é hoje apenas mais uma entre várias ciências.
Como ciência, a Sociologia rege-se actualmente pelos mesmos princípios
gerais, válidos para todos os ramos de conhecimento científico, apesar das
singularidades dos acontecimentos sociais quando comparados com os
fenómenos de natureza e de abordagem científica da sociedade.
Para entendermos o aparecimento da sociologia como ciência, no século
XIX, é importante perceber que, as ciências teóricas e experimentais
desenvolvidas nos séculos anteriores, levaram os estudiosos a analisar tanto as
questões sociais, como as económicas, políticas, educacionais, psicológicas. O
sociólogo (na organização) intervém directamente sobre os resultados da
empresa, dando assim o seu contributo para a obtenção dos lucros e resultados
da organização.
Os sociólogos recorrem técnicas de pesquisa social (como as estatísticas ou
os sensos) para descrever padrões gerais nas relações dentro de uma mesma
sociedade. Isto ajuda a desenvolver modelos teóricos que permitem entender a
ocorrência de mudanças sociais e como os indivíduos responderão a essas
mesmas mudanças. Por vezes, em diversos campos de estudo da Sociologia, as
técnicas qualitativas — como entrevistas, discussões em grupo e métodos
etnográficos — permitem um melhor entendimento dos processos sociais de
acordo com o objectivo pretendido.
No entanto, a Sociologia não é uma ciência com apenas uma orientação
teórico-metodológica dominante. Ela traz diferentes estudos e diferentes
caminhos para a explicação da realidade social. Assim, pode-se claramente
observar que a Sociologia tem ao menos três linhas mestras explicativas,
fundadas pelos seus autores clássicos, das quais podem se citar, não
necessariamente em ordem de importância: (1) a positivista-funcionalista, tendo
como fundador Auguste Comte e seu principal expoente clássico em Émile
Durkheim, de fundamentação analítica; (2) a sociologia compreensiva iniciada
por Max Weber, de matriz teórico-metodológica hermenêutico-compreensiva; e
(3) a linha de explicação sociológica dialéctica, iniciada por Karl Marx, que
mesmo não sendo um sociólogo e sequer se pretendendo a tal, deu início a uma
profícua linha de explicação sociológica.
Tal como a Gestão do Conhecimento, a Sociologia pode ser vista como um
tipo de conhecimento, uma maneira de organizar e orientar a criação e a
aquisição, a organização e armazenamento de conhecimento, a distribuição do
mesmo e a sua aplicação, orientado no sentido de promover um melhor
entendimento do homem acerca de si mesmo e de outros na mesma sociedade
(relações sócio culturais), de forma a alcançar patamares mais elevados de
liberdades de conhecimento e de bem-estar social.
Em suma, a Gestão do Conhecimento e a Sociologia tratam ambos do
homem, do seu “saber”, do facto deste, como indivíduo singular e como membro
de um grupo mais extenso, utiliza esse “conhecimento”, e assim podemos
constatar que este tão falado conhecimento e os processos que envolvem a sua
aquisição e percepção são, na realidade, o que o define, isto é, nos define a nós
homens.
Nós, como seres pensantes e sedentos de sabedoria, definimos assim como
vamos encarar o nosso conhecimento e como este nos irá, certamente e
inevitavelmente, definir.

Bibliografia:
http://www2.ufp.pt/~lmbg/formacao/msc2_aveiro11.pdf
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gestão_do_conhecimento
http://www.espacoacademico.com.br/058/58silvafilho.htm
http://www.act-consult.com
http://www.karolienselhorst.be/2009/05/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sociologia
http://karlamoraessociologia.blogspot.com/2009/03/o-que-interessa-aos-
sociologos-os.html
http://www.uel.br/grupoestudo/processoscivilizadores/portugues/sitesanais/anais
7/Trabalhos/xA%20Sociologia%20do%20conhecimento%20em%20Mannheim
%20e%20Elias%20.pdf
http://www.scribd.com/doc/6692777/A-Sociologia-Do-Conhecimento-Cientifico

Trabalho elaborado por:


- Maurício Nunes