Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

MESTRADO INTERDISCIPLINAR EM PERFORMANCES CULTURAIS


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL - PPGAS
PLANO DE ENSINO

Cursos:
MESTRADO INTERDISCIPLINAR - PERFORMANCES CULTURAIS
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL - PPGAS

Disciplina: C.H. 60 hs Código:


ANTROPOLOGIA E
PERFORMANCE
Professor: belatamaso@gmail.com Ano: 2013/2
Profa. Dra. Izabela Tamaso
EMENTA:
Performance, rituais e antropologia. Antropologias do corpo e performances. Performance,
antropologia e método etnográfico. Performance, processo e agência. Performances e identidades.
Antropologia da performance: oralidade, danças, música e festas populares. Performance, poder e
autoridade. Performance, lugar, memória e patrimônio cultural. Antropologia, arte e performance.
Etnografias de performances culturais.
OBJETIVOS:
Proporcionar a reflexão sobre as características performativas da realidade sociocultural, seja nas
interações sociais (cotidiano e rituais), seja nos gêneros de performance (teatro, ritual, esportes),
seja nas construções simbólicas (de gênero, de raça, étnicas etc); (2) familiarizar os estudantes e
pesquisadores com os fundamentos teóricos e com as várias possibilidades de uma antropologia da
performance; (3) estimular a pesquisa independente, permitindo a análise das etnografias das
performances. O curso terá ênfase na aplicação de conceitos teóricos para os fenômenos
socioculturais.

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:
Aulas expositivas dialogadas
Exibição de audiovisuais
Seminários
AVALIAÇÃO
Seminário – 3,0
Paper final - 4,0
Leitura e participação – 3,0
______________

- A leitura prévia e a participação dos alunos/pesquisadores, em sala de aula, nas discussões dos
textos são condições imprescindíveis para bom aproveitamento nesta disciplina.
- A presença em sala de aula é obrigatória e a ausência em mais de 15% das aulas (2 encontro)
implicará em reprovação
- O paper final deverá ter entre 8 e 15 páginas (sem contar capa, sumário e referências), com letra
Times New Roman 12, espaçamento 1,5, margens 2,5, contendo capa, sumário e referências
bibliográficas. Atenção para as corretas referências aos autores, uma vez que o PLÁGIO implica em
sanções previstas nos códigos civil e penal. Segue link para maiores esclarecimentos sobre plágio
http://www.noticias.uff.br/arquivos/cartilha-sobre-plagio-academico.pdf
CRONOGRAMA DE LEITURAS:
Dia 23.08: Apresentação do plano e distribuição dos seminários. Introdução.
Introdução à ANTROPOLOGIA da PERFORMANCE:
Dia 30.08:
ROYCE, Anya Peterson. The Anthropology of Performance and the Performance of Anthropology.
In: Guest Editorial, 1987.
TURNER, Victor. “The Anthropology of Perfomance”, In The Anthropology of Performance, PAJ
Publications, New York. (p.1-36)
SCHECHNER, Richard. “What is Performance” in Performance Studies: An Introduction (New York:
Routledge, 2002), 22-44.
CARLSON, Marvin. What is performance? In: Performance: a critical introduction. London / New
York: Routledge 1996. (p. 01-09)
Leitura complementar:
SCHECHNER, Richard. Pontos de contato entre o pensamento antropológico e teatral. In. In:
Cadernos de Campo, São Paulo, n. 20, p. 1-360, 2011. (p. 213-236)
http://revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/36807/39529
LANGDON, Esther Jean. Performance e sua diversidade como paradgma analítico: a contribuição da
abordagem de Bauman e Briggs. Antropologia em primeira mão / Programa de Pós Graduação em
Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina. —, n.1 (1995)- .— Florianópolis : UFSC /
Programa de Pós Graduação em Antropologia Social, 1995. PDF

RITUAIS E EXPÊRIENCIA PARA PENSAR PERFORMANCES


Dia 06.09:
TURNER, Victor . Liminaridade e Communitas. In: O Processo Ritual, de V. Turner (Petrópolis: Vozes,
1974). https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/1416
TURNER, Victor. Liminal to liminoid, in play, flow, and ritual. In From Ritual to Theatre: the human
seriousness of play. New York: PAJ Publications, 1982. (p. 20-60)
TURNER, Victor. Dewey, Dilthey e Drama: um ensaio em Antropologia da Experiência (primeira
parte) de Victor Turner. Cadernos de Campo, USP, n. 13, 205 (p. 177-185).
http://www.fflch.usp.br/da/cadcampo/ed_ant/revistas_completas/13.pdf
DAWSEY, John. Victor Turner e antropologia da experiência. Cadernos de Campo, USP, n. 13, 205 (p.
163-185).
http://www.fflch.usp.br/da/cadcampo/ed_ant/revistas_completas/13.pdf
PEIRANO, Mariza. A análise antropológica dos rituais. O Dito e o Feito: ensaios de antropologia dos
rituais. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001. (p. 07-40)
http://www.marizapeirano.com.br/livros/o_dito_e_o_feito.pdf
CAVALCANTI, Maria Laura V. de C. Ritual, drama e performance na cultura popular: uma conversa
entre a antropologia e o teatro. Série Passagens, n. 12. Janeiro de 2011. Fórum de Ciência e Cultura.
UFRJ. 18 p.
http://www.lauracavalcanti.com.br/publicacoes.asp?codigo_area=1#

Leitura Complementar:
VAN GENNEP, Arnold, “Ritos de Iniciação”. In: Ritos de Passagem, de A. Van Gennep (Petrópolis:
Vozes, 1974).
TURNER, Victor. “Betwixt and between: o período liminar nos ritos de passagem‟. In: Floresta de
símbolos. Niterói: EdUFF, 2005. p. 137-158.
BOURDIEU, Pierre. Os ritos de instituição. In: A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo: Edusp,
1996.
MÜLLER,R.P. “Ritual, Schechner e Performance”. In:Horizontes Antropológicos/PPGAS/UFRGS.
Porto Alegre, n◦24/ Antropologia e Perfomance, p.67-85, 2005
http://www.scielo.br/pdf/ha/v11n24/a04v1124.pdf
TURNER, Victor. Dramatic Ritual/Ritual Drama. In From Ritual to Theatre: the human seriousness of
play. New York: PAJ Publications, 1982. (p. 102-123).
SCHRITZMEYER, Ana Lucia P. Jogo, ritual e teatro: um estudo antropológicoo do Tribunal do Júri.
São Paulo: Terceiro Nome, 2012.

Dia 13.09:
SCHECHNER, Richard. Ritual. In: LIGIERO, Zeca (Org.). Performance e Antropologia de Richard
Schechner. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012. (p. 49-89) –
SCHECHNER, Richard. Pontos de contato entre o pensamento antropológico e teatral. In. In:
Cadernos de Campo, São Paulo, n. 20, p. 1-360, 2011. (p. 213-236)
http://revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/36807/39529
DAWSEY, John. Sismologia da Performance: ritual, drama e play na teoria antropológica. In Revista
de Antropologia da USP. São Paulo, 2007, V. 50, 2, 527-570.
PEIRANO, Mariza. Temas ou Teorias? O estatuto das noções de ritual e de performance. Série
Antropologia, n. 398. UnB, Brasília, 2006. (p. 01-08)
http://www.dan.unb.br/images/doc/Serie398empdf.pdf
SILVA, Rubens Alves. A. Entre “artes” e “ciências”: a noção de performance e drama no campo das
Ciências Sociais. Horizontes Antropológicos, Rio Grande do Sul, PPGAS, p. 35-65, 2005.
http://www.scielo.br/pdf/ha/v11n24/a03v1124.pdf

Leitura Complementar:
TAMBIAH, Stanley 1979. A Performative Approach to Ritual. Proceedings of the British Academy 65:
113 – 169.
SCHECHNER, R. “From Ritual to Theater and Back: The Efficacy-Entertainment Braid”. In:
Performance Theory, de R. Schechner (New York and London: Routledge, 1988), 106-152.
DAWSEY, John. Sismologia da Performance: ritual, drama e play na teoria antropológica. In Revista
de Antropologia da USP. São Paulo, 2007, V. 50, 2, 527-570.
TURNER, Victor. Are these universals of performances in myth, ritual and drama? In SCHECHNER,
Richard and APPEL, Willa (Orgs.) By means of performance: intercultural studies of theatre and
ritual. Cambridge University Press. (8-18).

Dia 20.09:
PERFORMANCES ETNOGRÁFICAS
CLIFFORD, James. 1988. Power and Dialogue in Ethnography: Marcel Griaule’s Initiation. In: The
Predicament of Culture. Cambridge: Harvard University Press, (p. 55 – 91).
TURNER, Victor. Performing Ethnography. In: The Anthropology of Performance. New York: PAJ
Publications, 2004. (p. 139-155).
PEACOCK, Janes. Ethnographic notes on sacred and profane performance. In: SCHECHNER, Richard
and APPEL, Willa (Orgs.) By means of performance: intercultural studies of theatre and ritual.
Cambridge University Press. (p 208-220).
FERREIRA, Francirosy Campos Barbosa. Pensar / Fazer: Antropologia, Performance. Universidade de
São Paulo, USP. Conceição, Conception, vol 1, n. 1, dez/2012.
http://www.academia.edu/2394408/Pensar_e_fazer_antropologia_da_performance

PERFORMANCES NO COTIDIANO
Dia 27.09
TURNER, Victor. Acting in Every Life and Every Life in Acting. In From Ritual to Theatre: the human
seriousness of play. New York: PAJ Publications, 1982. (102-122)
GOFFMAN, Erving. Introdução. in A Representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis/RJ: Editora
Vozes, 1996, p. 11-75.
GOFFMAN, Erving. Sobre a preservação da fachada – uma análise dos elementos rituais da interact
social. In: Ritual de Interação: ensaios sobre o comportamento face a face. Petrópolis / RJ: Editora
Vozes, 2011. (p. 13-50)
BUTLER, Judith. “Performative Acts and Gender Constitution,” Theatre Journal 40.4 (December
1988): 519-531.
ORENSTEIN Peggy. “I Tweet, Therefore I Am,” The New York Times Magazine, August 1, 2010, 11-12.
http://www.nytimes.com/2010/08/01/magazine/01wwln-lede-t.html?_r=0
SCHECHNER, Richard. A rua é o palco. In: LIGIERO, Zeca (Org.). Performance e Antropologia de
Richard Schechner. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012. (p. 155-198)

Leitura Complementar:
DAWSEY, John. Victor Turner e Antropologia da experiência. Cadernos de Campo, 2005 13:163-176.

O CORPO E A EXPERIÊNCIA SENSORIAL


Dia 04.10
MAUSS, Marcel. As técnicas do corpo. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naif, 2007.
(p.399-439).
DOUGLAS, Mary. Limites Externos. In: Pureza e Perigo. São Paulo: Perspectiva, 1976. (141-158)
LE BRETON, David. O corpo acessório. In: Adeus ao corpo. Campinas / SP: Papirus, 2003. (p. 27-54)
MULLER, Regina P. Corpo e imagem em movimento: há uma alma neste corpo. IN: Revista de
Antropologia, vol. 43, no. 2, 2000, 165-193.

Leitura complementar:
MAUSS, Marcel. Uma Categoria do Espírito Humano: A Noção de Pessoa, a Noção do ‘Eu’.
In: Sociologia e Antropologia.
GREINER, Christine. Fluxo de Imagens – as dramaturgia do corpo. In: O corpo: pistas para estudos
indisciplinares. São Paulo: Annablume, 2005. (p.69- 93)
CONNERTON, Paul. Práticas corporais. Como as sociedades recordam. Oeiras, Celta Editora, 1999.
(p. 82-119).

ANTROPOLOGIA, ARTE E PERFORMANCE


Dia 11.10
GEERTZ, Clifford: Afirmação Política: Espetáculo e Cerimônia. In: Negara: O Estado Teatro no Século
XIX, de C. Geertz (Lisboa: Difel, 1991), 127-152.
GEERTZ, Clifford. A arte como sistema cultural. In: Saber local: novos ensaios em antropologia
interpretativa. Petröpolis/RJ: Editora Vozes, 1998, p.142-181.
NOVAES, SYLVIA CAIUBY. As artes da antropologia. In: FERREIRA, Francirosy; MULLER, Regina P.
(Orgs.) Performance, Antropologia e Arte. São Paulo: Editora Hucitec, 2010. (p. 50-59)
MARCUS, George E.. O intercâmbio entre arte e antropologia: como a pesquisa de campo em artes
cênicas pode informar a reinvenção da pesquisa de campo em antropologia. Revista de
Antropologia. São Paulo, USP, 2004, V. 47 Nº 1. (p. 133-158).

Leitura complementar:
GEERTZ, Clifford. O beliscão do destino: A religião como experiência, sentido, identidade e poder.
In: A nova luz sobre a antropologia.
MÜLLER, R.P.“Yokastas: estudo antropológico de um processo de criação e encenação”. In: O
Percevejo, Revista de Teatro, Crítica e Estética/UNIRIO. Rio de Janeiro, nº 12, p.182-204, 2003.

PERFORMANCE, LUGAR E PATRIMÔNIO


Dia 18.10
CONNERTON, Paul. Como as sociedades recordam. Oeiras, Celta Editora, 1999. (p. 01-81)
SMITH, Laurajane. Uses of heritage. Londres & Nova York: Routledge, 2006. (p. 66-84)
JACKSON, Tony & Jenny Kidd. Performance, Learning, Heritage: a research project funded by the
Arts & Humanities Research Council. University of Manchester (UK)July, 2005 – November 2008.
PDF.
TUAN, Yi-Fu. Space and context. In: SCHECHNER, Richard and APPEL, Willa (Orgs.) By means of
performance: intercultural studies of theatre and ritual. Cambridge University Press. (p. 236-244)

Dia 01.11
RICHARDSON, Miles. The spatial sense of the sacred in Spanish America and American South and its
tie with performance. In: SCHECHNER, Richard and APPEL, Willa (Orgs.) By means of performance:
intercultural studies of theatre and ritual. Cambridge University Press. (p. 221- 235).
BASSO, Keith. ‘Stalking with Stories”: names, places and moral narratives among the Western
Apache. In: BRUNER, E. (Org.) Text, Play, and Story: the construction and reconstruction of self
and society. Illinois: The American Ethonological Society, 1983, p. 19-55.
RAPOSO, Paulo. Diálogos antropológicos: da teatralidade à performance. In: FERREIRA, Francirosy;
MULLER, Regina P. Performance, Antropologia e Arte. São Paulo: Editora Hucitec, 2010. (p.19-49).

Leitura complementar:
CARLSON, Marvin. Places of Performance: the Semiotics of Theatre Architecture (Cornell UP,
1989).

ANTROPOLOGIA, PERFORMANCE E RELIGIÃO


Dia 08.11
FERREIRA, Francirosy Campos Barbosa. Entre Arabescos, Luas e Tâmaras – performances islâmicas
em São Paulo. Tese (Doutorado) em Anrtopologia, USP.
DAWSEY, John. O Teatro em Aparecida: A santa e o lobisomem. MANA 12(1): 135-149, 2006.
______. (2007a), Entre Arabescos, Luas e Tâmaras – performances islâmicas em São Paulo. São
Paulo:
LANE, Jill. El Reverendo Billy: prédica, protesta y paseítos post-industriales.
Conjunto: Revista de teatro latinoamericano, Casa de las Américas, Havana, Cuba. 131 (enero-
marzo 2004) 64–77. 
https://files.nyu.edu/jl24/public/Lane_ReverendoBilly.pdf

Leitura Complementar:
PELLEGRINI, Ann. Signaling Through the Flames’: Hell House Performance and Structures of
Religious Feeling,” American Quarterly 59:3 (2007): 911-935.

UNIDADE 6: NARRATIVAS ORAIS, MÚSICA E DANÇA


Dia 22.11
ORALIDADE:
AUSTIN, John. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Porto Alegre: Artes Medicas, 1990. (a definir)
BAUMAN, Richard. Verbal Art as Performance. In American Anthropologist, vol. 77, n. 2 (juin 1975),
p. 290-301.
http://www.anthro.ucsd.edu/~jhaviland/LanguageCulture/READINGS/BaumanVerbalArtPerformance
%20AA1975.pdf
ZUMTHOR, Paul. “A Performance” (cap. 11). In: A Letra e a Voz, de P. Zumthor (São Paulo:
Companhia das Letras, 1993), 219-239.
HARTMANN, Luciana. Performances de uma tradição: o caso do Cacuriá filha herdeira. In Revista
Karpa, N. 6.
http://www.calstatela.edu/misc/karpa//KARPA6.1/Site%20Folder/hartmann4.html
Leitura Complementar:
BRUNER, Edward M.; GORFAIN, Phylllis. Dialogic Narration and the Paradoxes of Masada. In:
BRUNER, E. (Org.) Text, Play, and Story: the construction and reconstruction of self and society.
Illinois: The American Ethonological Society, 1983, p. 56-79.

Dia 29.11
MÚSICA:
SEEGER, Anthony. Why Suyá Sing: A Musical Anthropology of an Amazonian People. Cambridge:
Cambridge Univ. Press, 1987.
RIBEIRO, Fabio Henrique. Performance musical dos Ternos de Catopês de Bocaiúva (MG).
Dissertação (mestrado) em Música, UFPB, 2011. Capítulo 3.
HIKIJI, Rose, S. Etnografia da Performance – Música, Identidade e transformação. In: A música e o
Risco. São Paulo: EDUSP, 2006.
ALBERNAZ, Lady Selma Ferreira. Gender and musical performance in Maracatus (PE) and Bumba
Bois (MA). In: VIBRANT, v.8 n.1.
http://www.vibrant.org.br/issues/v8n1/lady-selma-ferreira-albernaz-gender-and-musical-
performance-in-maracatus-pe/

Leitura complementar:
BROOKS, Daphne. This voice which is not one’: Amy Winehouse Sings the Ballad of Sonic Blue(s)face
Culture. Women & Performance: A Journal of Feminist Theory 20:1 (March 2010): 37-60.
http://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/07407701003589337
RIVERA-SERVERA, Ramón. Exhibiting Voice/Narrating Migration: Performance-Based Curatorial
Practice in: Azúcar, The Life and Music of Celia Cruz, Text and Performance Quarterly 29:2 (April
2009): 131-148.
http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10462930902774841#.Uh_1pWTwJ8I
HIKIJI, Rose, S. Vídeo, música e antropologia compartilhada: uma experiência intersubjetiva. In:
Imagem-Conhecimento. Campinas: Papirus, 2009. p.143-158.

DANÇA:
Dia 06.12
MÜLLER, R.P. Danças indígenas: arte e cultura, história e performance. In: Indiana/Ibero-
Amerikanisches Institut. Berlim, n◦ 21, p.127-137, 2004.
CAVALCANTI, Maria Laura V. de C. Os sentidos no espetáculo. Revista de Antropologia. x v. 45, n. 1,
pp. 37-80. USP: São Paulo, 2002.
HANNA Judith Lynne. Dança, sexo e gênero: signos de identidade, dominação, desafio e desejo. Rio
de Janeiro: Editora Rocco, 1999. (p. 27-53).
SÁ GONÇALVES, Renata. A dança nobre do carnaval. Rio de Janeiro: Editora Aeroplano, 2010. (p.
203-263).
Leitura complementar:
HANNA, Judith Lynne. “Dance in Religion” (cap. 5). In: To Dance is Human, de J. L. Hanna (Chicago
and London: The Univ. of Chicago Press, 1979), 101-127.
http://www.kilibro.com/en/book/preview/771174/to-dance-is-human
CAVALCANTI, Maria Laura V. de C. As alegorias no carnaval carioca: visualidade espetacular e
narrativa ritual. Textos escolhidos de cultura e arte populares. v. 3, n. 1, p. 17-27. UERJ, Instituto de
Artes: Rio de Janeiro, 2006.
http://www.lauracavalcanti.com.br/publicacoes.asp?codigo_area=1#
OSORIO, Patrícia Silva. Os Festivais de Cururu e Siriri: mudanças de cenários e contextos na cultura
popular. In Anuário Antropológico, /2011-I, 2012: 237-260.
http://www.academia.edu/3801373/Os_Festivais_de_Cururu_e_Siriri_mudancas_de_cenarios_e_ co
ntextos_na_cultura_popular

Dia 13.12: Encerramento, filme e confraternização.

Você também pode gostar