Você está na página 1de 8

Transporte por Membranas

Celulares

Profa. Dra. Regiane Miranda Ferreira

regianemiranda@netscape.net

São Paulo, 17 de fevereiro de 2011

REGIANE MIRANDA FERREIRA

Tipos de Proteínas – Membrana Celular

- Intrínsecas, integrais ou transmembranares


- Extrínsecas ou periféricas

Profa. Dra. Regiane Miranda


REGIANE MIRANDA FERREIRA

1
Funções das Proteínas

- Intrínsecas: canais iônicas, carreadores, enzimas, receptores


- Extrínsecas: enzimas, fixação citoesqueleto

Canal ou poro

Proteína receptora
Canal ou poro

REGIANE MIRANDA FERREIRA

Tipos de Transporte

Transporte Passivo Transporte Ativo


Sem gasto de energia Com gasto de energia

Difusão Difusão Osmose Primário Secundário


Simples Facitada

Difusão Difusão
Simples Simples
Aquosa Lipídica

REGIANE MIRANDA FERREIRA

2
Transporte Passivo: sem gasto energético

1) Difusão Simples:

- Passagem de moléculas a favor do gradiente osmótico


- Sem uso de carreadores
- Velocidade de transporte depende da quantidade de substância disponível.

a) Difusão simples aquosa: moléculas hidrossolúveis de baixo peso molecular


- Passa por canais protéicos
- Permeabilidade seletiva controlada por comportas
Ex: Na+, K+, Ca2+

b) Difusão simples lipídica: moléculas lipossolúveis


- Passa diretamente pela bicamada lipídica
Ex: O2 e CO2

REGIANE MIRANDA FERREIRA

Profa. Dra. Regiane Miranda

REGIANE MIRANDA FERREIRA

3
Profa. Dra. Regiane Miranda
Transporte Passivo: sem gasto energético
2) Difusão Facilitada:

- Moléculas hidrossolúveis com alto peso molecular


- Passagem a favor de gradiente osmótico
- Sem gasto energético
- Uso de carreadores
- Velocidade de transporte limitada – passível de saturação

Ex: glicose e aminoácidos

REGIANE MIRANDA FERREIRA

Difusão facilitada e transporte ativo depende de uma proteína


carreadora ou transportadora, neste sentido, pode ocorrer saturação
quando existem muitas moléculas e poucos transportadores. Ocorre
saturação do transporte.

saturação

3) Osmose: passagem da água para o LIC. Discutido na aula anterior.

REGIANE MIRANDA FERREIRA

4
Transporte Ativo: com gasto energético

- Passagem de moléculas contra gradiente de [ ];


- Ocorre gasto de energia (ATP);
- Uso de carreadores;
- Velocidade de transporte limitada.

1) Transporte Ativo Primário:

- Energia derivada da degradação ATP em ADP;


- Proteínas carreadoras com atividade ATPasica;

Ex: bomba Na+/K+, bomba Ca2+ (retículo endo/sarcoplasmático), bomba H+/K+


(inibida pelo omeprazol).

a) Bomba Na+/K+ ATPase: cada ciclo coloca 3 íons Na+ para LEC e 2 íons K+
para LIC.

REGIANE MIRANDA FERREIRA

3 íons Na e 1 ATP se
ligam a ATPase

3 íons Na+ são


liberados fora da
célula

2 íons K+ são
liberados dentro da
célula
2 íons K+ se ligam à
ATPase

REGIANE MIRANDA FERREIRA

5
Profa. Dra. Regiane Miranda REGIANE MIRANDA FERREIRA

REGIANE MIRANDA FERREIRA

6
Difusão Difusão
lipídica aquosa

Difusão simples Difusão facilitada Transporte Ativo

Transporte Passivo Profa. Dra. Regiane Miranda


REGIANE MIRANDA FERREIRA

REGIANE MIRANDA FERREIRA

7
2) Transporte Ativo Secundário:
- Transporte acoplado a dois ou mais solutos, um a favor do seu
gradiente eletroquímico (liberando energia) e outro soluto contra
gradiente eletroquímico.

a) co-transporte: dois solutos para a mesma direção


células epitélio intestinal e renal
Ex: Na+/glicose e Na+/aminoácidos
(glicose ou aminoácidos - a favor do gradiente eletroquímico/ Na+ contra gradiente
eletroquímico)

b) contra-transporte: um soluto para dentro célula e outro para for


a da célula.

Na+(para LIC)/H+ (para LEC) - célula túbulo renal


Na+(para LIC)/Ca2+ (para LEC) - célula muscular

Profa. Dra. Regiane Miranda


REGIANE MIRANDA FERREIRA

Outro tipo de transporte ativo:

- Pinocitose ou Fagocitose

Ingestão de partículas e macromoléculas. Processo contínuo, ingestão


de vesículas contendo macromoléculas, gasto energia.

REGIANE MIRANDA FERREIRA