Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE POTIGUAR

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO
ESCOLA DA SAÚDE
CURSO DE ENFERMAGEM
DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE


AREIA BRANCA I

EDVÂNIA CORDEIRO DOS SANTOS

NATAL/RN
2019
EDVÂNIA CORDEIRO DOS SANTOS – 201523281 – ENF 9TA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE


AREIA BRANCA I

Relatório de estágio realizado na Unidade Básica


de Saúde Areia Branca I, situado no município de
Canguaretama - RN, no turno matutino/vespertino,
no período de 25 de fevereiro à 25 de abril,
apresentado como requisito parcial para
aprovação na disciplina Estágio Supervisionado I,
do Curso de Enfermagem da Universidade Potiguar
- UnP.

Responsável Institucional: Wrsola Palloma da Silva


Supervisor de campo: Janaina Azevedo
Enfermeira: Elayne Mayara Alves da Silva
NATAL/RN
2019

RELATÓRIO DA AÇÃO

Data da ação: 03/04/2019

Ação desenvolvida na UBS Areia Branca I, no município de Canguaretama-RN, com


o tema: TUBERCULOSE TEM CURA.

INTRODUÇÃO

A tuberculose é um dos problemas mais difíceis de ser enfrentado pela saúde


pública no Brasil, por ser uma doença pouco abordada em conversas, pois ainda
tem-se um incômodo perante a sociedade de se discutir esse tema e por este motivo
se torna difícil o tratamento, muitas vezes, por abandono do paciente, pelo
preconceito que enfrenta e a dificuldade da sua inserção no grupo social.
A grave situação mundial da tuberculose está intimamente ligada ao aumento da
pobreza, à má distribuição de renda e à urbanização acelerada. Este quadro
contribui para a manutenção da pobreza, pois, como a aids, a tuberculose atinge,
principalmente, indivíduos que poderiam ser economicamente ativos. A epidemia de
aids e o controle insuficiente da tuberculose apontam para a necessidade de
medidas enérgicas e eficazes de saúde pública. A Organização Mundial de Saúde
(OMS) estima que haja anualmente 1,9 milhões de mortes por tuberculose, 98%
delas em países em desenvolvimento - cerca de 350.000 mortes em casos de
associação da tuberculose com a aids (HIJJAR, OLIVEIRA, TEIXEIRA (2001)).
Muitas pessoas não sabem que a tuberculose é uma doença que tem tratamento e
que é curável, a pessoa com tuberculose enfrenta preconceitos justamente por essa
falta de conhecimento. A TB é uma doença que tem um tratamento de seis meses.
Quando o tratamento tem início e uma vez que seja realizado corretamente, o
risco de transmissão, em geral, declina a partir do 15º dia. Essa informação é
fundamental ao paciente e seus familiares, porque pode apoiar o envolvimento
destes em relação ao doente e modificar eventuais atitudes de isolamento,
decorrentes de preconceito e estigma (BERTOLOZZI et al. (2014)).

PROBLEMÁTICA e JUSTIFICATIVA

Esta ação foi pensada e desenvolvido após ter havido a percepção de que a
comunidade tinha pouco conhecimento do que é a tuberculose e por ter casos de
usuários, da área da UBS, que tinham familiares ou vizinhos com diagnostico de TB,
foi importante pensar na temática de abordar este assunto. Além do fato de alguns
pacientes relatarem que estavam enfrentando preconceito, porque as pessoas não
queriam ter contato físico, por medo de contrair a doença.
Portanto, está ação foi de suma importância para os participantes envolvidos, pois a
partir de então eles terão uma percepção melhor do que se trata a doença, de que
ela tem cura e não é transmissível através do contato físico, além de estreitar o
vinculo da população com a unidade básica de saúde e com os profissionais de
saúde.

OBJETIVOS

- Esclarecer a população sobre o que é a doença tuberculose (TB);


- Permitir o estreitamento de vínculo do enfermo com a unidade e a comunidade;
- Conscientizar os usuários de que a tuberculose é uma doença seria, mas que com
o tratamento correto, tem cura;
- Explicar que apesar da TB ser uma doença contagiosa, ela não é transmitida
através de contato físico.

METODOLOGIA

Inicialmente foi realizado o diagnóstico situacional através do método de observação


da comunidade. Após isso foi avaliado a relevância da abordagem do tema e qual
seriam suas implicações para melhoria do conhecimento dos usuários.

Na fundamentação teórica desde relatório, foi feita uma revisão literária através das
bases de pesquisa: Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde Scientific
(LILACS), Eletronic Library Online (SciELO) e artigos achados na plataforma de
pesquisa do Google Acadêmico, utilizando os seguintes descritores: Tuberculose,
preconceito, abandono, tratamento.
A ação foi desenvolvida na UBS areia Branca I, no município de Canguaretama no
dia três de abril de 2019, com um público de usuários e profissionais da saúde da
área da UBS, de diversas faixas etárias de idade, que foram convidados pelos
agentes comunitários de saúde a comparecer na UBS no dia. Foi utilizado como
base de estudo o manual de recomendações para controle da tuberculose no Brasil,
cedido pela enfermeira, também foi utilizado um vídeo ilustrativo abordando o tema,
que foi reproduzido em uma televisão que fica na recepção, assim como um mini
painel ilustrativo. A ação levou uma duração de 60 minutos.

RESULTADOS

Foi observado ao final desta ação que os objetivos foram alcançados, os pacientes
demonstraram interesse pelo tema, assim como entendimento do assunto
repassado (como podemos notar no gráfico abaixo). Muitos pacientes tiveram
interesse de conversar mais sobre o assunto posteriormente comigo e com a
enfermeira. Entre quinze pacientes que se encontravam na unidade no dia, todos
eles levantaram a mão dizendo que tinham entendido o que eu e a enfermeira tinha
explicado e entre os quinze, seis disseram que queriam conversa mais sobre o tema
na sala da enfermeira. Ao final todos agradeceram e solicitaram que a equipe
fizesse mais momentos como este, para repassar mais informações para eles
(usuários) e até proporão temas para serem abordados em encontros posteriores.
CONCLUSÃO

Nesse que foi o meu primeiro contato como enfermeiranda no último ano do curso,
percebi o quanto o profissional de enfermagem é imprescindível na atenção básica.
Diferente de alguns estágios anteriores, senti maior autonomia e efetividade no
serviço e do cuidado de enfermagem perante as demandas da população e até
mesmo da equipe de saúde, que foram muito acolhedores e foi a partir de então que
pude perceber a necessidade de abordar esse assunto, levando em conta fatores
observados.
Gostaria de agradecer imensamente a todos os pacientes da unidade pelo
acolhimento e paciência, em especial a enfermeira supervisora Elayne Mayara, por
ter me dado a confiança e a oportunidade de falar sobre esse tema tão importante.
Levarei esse momento como base de construção na minha etapa como
enfermeiranda, pois foi a partir de então que puder melhorar minha interação com a
comunidade e pude fortalecer meu fascínio pelo cuidado abrangente do paciente e
remodelar minha preferência pela atenção básica no meu futuro profissional.

REFERÊNCIAS

HIJJAR, Miguel Aiub; OLIVEIRA, Maria José Procopio Ribeiro de; TEIXEIRA,
Gilmário M. A tuberculose no Brasil e no mundo. Boletim de Pneumologia
Sanitária, v. 9, n. 2, p. 9-16, 2001.
BERTOLOZZI, Maria Rita et al. O controle da tuberculose: um desafio para a saúde
pública. Revista de Medicina, v. 93, n. 2, p. 83-89, 2014.

APÊNDICES
Imagem: UBS Areia Branca I
Fonte: Própria autoria.
Imagem: pacientes, profissionais da saúde e demonstração do mini painel ilustrativo.
Fonte: Própria autoria.
Imagem: Momento de explicação do tema.
FONTE: Própria autoria.
ANEXOS
Vídeo ilustrativo sobre tuberculose
Fonte: Youtube
Link: https://www.youtube.com/watch?v=VEtiFXeQU6w

Você também pode gostar