Você está na página 1de 20

 

Milico Insano 
___ 

INTRODUÇÃO 
Esse e-book tratará do primeiro assunto da língua portuguesa, de maneira clara e objetiva. 

O primeiro assunto tratado será ​Fonética. 

Sumário: 
Conceito de Fonema ………………..……………….1 

Representação dos Fonemas ………………………2 

Classificação dos Fonemas …………………………3 

Classificação das Vogais ……………………………4 

Encontro Vocálico ………………..………………….5 

Encontros Consonantais …………………………...6 

Dígrafos………………..……………………………….7 

 
 

  2 

1. Conceito de Fonema 
Fonemas são as menores unidades sonoras da fala. 

São os sons elementares e distintivos que, articulados e combinados, formam as sílabas, os  

vocábulos e a teia da frase, na comunicação oral.  

Funcionam como elementos distintivos ou diferenciadores das palavras, porque são capazes de 
diferenciar umas de outras, conforme se observa, por exemplo, nas sequências:  

mala gato mal   

mola mato mar   

mula pato mas 

Quando proferimos a palavra aflito, por exemplo, emitimos três sílabas e seis fonemas: a- fli- to  

Percebemos que numa sílaba pode haver um ou mais fonemas.  

No sistema fonético do português do Brasil há, aproximadamente, 33 fonemas, que adiante 


estudaremos. 

2. Representação dos Fonemas 


Na língua escrita, os fonemas são representados por signos ou sinais gráficos chamados  

letras. O conjunto das letras denomina-se alfabeto ou abecedário, ou ainda, abecê, também  

escrito abc. 

Observação: 

A palavra alfabeto origina-se do nome das duas primeiras letras do alfabeto grego: alfa (a)+ beta 
(b).  

É importante não confundir letra com fonema. Fonema é som, letra é o sinal gráfico que  

representa o som. Para falar, usamos fonemas; para escrever, usamos letras.  

O ideal seria que a cada fonema correspondesse uma só letra, e vice-versa, mas infelizmente 
isso não acontece. É que o nosso sistema ortográfico não é rigorosamente fonético, mas ainda 
 

  3 

está preso à origem das palavras. Escreve-se, por exemplo, ​exame​, em vez de ​ezame​, porque 
este substantivo vem da palavra latina examen. Assim, por força da tradição etimológica, 
podemos observar, na representação dos fonemas portugueses, as seguintes imperfeições: 

• A mesma letra pode representar fonemas diferentes: 

e​X​ame, X
​ ​ale, pró​Xi​ mo, se​Xo​ ; C
​ o​ la, ​C​era. 
• O mesmo fonema pode ser figurado por letras diferentes: 

ca​Sa​ , e​Xí​ lio, co​Zi​ nha; ti​Ge​ la, la​J​e. 


• Um fonema pode ser representado por um grupo de duas letras (dígrafo): 

ma​CH​ado, mu​LH​er, u​NH​a, mi​SS​a, ca​RR​o. 


• A letra X pode representar, simultaneamente, dois fonemas diferentes: 

tá​X​i (tácsi), fi​X​o (ficso), tóra​X​ (tóracs)​. 


• Há letras que, às vezes, não representam fonemas; funcionam apenas como notações léxi-cas: 

ca​M​po (cãpo), re​N​da (rêda), reg​U​e (U insonoro, para não se proferir reje). 
• Usam-se letras simplesmente decorativas: não representam fonemas nem funcionam como 
notações léxicas. Mantiveram-se em razão da etimologia: 

H​otel (otel), di​S​cípulo (dicípulo), e​Xc​ eção (eceção}, q​Ui​ na (qina). 


• Há fonemas que, em certos casos, não se representam graficamente: 

be​m​ (be​i)​ , bate​m​ (báte​i)​ , fala​m​ (fálã​U)​ . 


 

3. Classificação dos Fonemas. 


Os fonemas da língua portuguesa classificam-se em vogais, semivogais e consoantes. 

• ​Vogais 

São fonemas sonoros, ou sons laríngeos, que, passando pela boca entreaberta, chegam livre- 
mente ao exterior sem fazer ruído: ​a, é, ê, i, ó, ô, u.  

• ​Semivogais 
 

  4 

São os fonemas i/ e /u / átonos que se unem a uma vogal, formando com esta uma só sílaba: vai, 
anelei, ouro, água. 

• ​Consoantes 

São ruídos provenientes ela resistência que os órgãos bucais opõem à corrente ele ar: bola,  

copo, depósito.  

Na língua portuguesa, a vogal é o elemento básico, suficiente e indispensável para a forma- ção 
da sílaba. As consoantes e as semivogais são fonemas dependentes: só podem formar sílaba com 
o auxílio das vogais. 

4. Classificação das Vogais 


De acordo com a Nomenclatura Gramatical Brasileira (NGB), classificam-se as vogais conforme:  

• a zona de articulação 

a) média: a (ave) 

b) anteriores: é., ê., i (fé, vê, ri) 

e) posteriores: ó, ô, u (nó, avô, tatu) 

• o papel das cavidades bucal e nasal 

a) orais: a, é, ê, i, ó, ô, u (ato, sé, vê, vi, só, fogo, uva) 

b) nasais: ã, e, i, õ, D (lã, vento, sim, som, mundo) 

e) tônicas: pá, até, gelo, tupi, dó, globo, luz 

• a intensidade 

a) subtônicas: arvorezinha, cafezinho, esplendidamente, somente, comodamente 

b) átonas: ela, mole, lição, lado, lugar, órfã, lençol 

• o timbre 

a) abertas: ​a, é, ó (lá, pé, cipó) 

b) fechadas: ​ê" ô, i, u e todas as nasais (vê, amor, vi, cru, sã, lenda) 
 

  5 

c) reduzidas: as vogais átonas orais ou nasais ​{vela, vale, vital, sapo, unido, andei, então) 

5. Encontros Vocálicos  
Os encontros vocálicos são três: ​ditongo, tritongo e hiato.  

• ​Ditongo 

É a combinação de uma vogal+ uma semivogal, ou vice-versa, na mesma sílaba. Exemplos: 

pai, rei, sou, pão, fui, herói, sério, quando. 

Dividem-se os ditongos em: 

a) orais:​ pai, pouco1 jeito, fui, etc. 

b) nasais:​ mãe, pão, põe, muito (müito), bem (bēi) \ etc. 

c) decrescentes:​ (vogal + semivogal): pauta, meu, riu, constitui, dói, ouro, jeito, etc. 

d) crescentes:​ (semivogal + vogal): gênio, pátria, série, quatro, aguentar, quantia, tênue, vácuo, 
etc. 

Observação:  

✓ Note-se que, tanto nos ditongos decrescentes como nos crescentes, a vogal é, por via de 
regra, o fonema de maior abertura.  

Existem 17 ditongos decrescentes e 13 crescentes, considerados sob o aspecto da escrita:  

• ​Ditongos decrescentes 

ãe: m​ae​, Paes 

ai: p​ai​, v​ai​dade 

ãi: c​ãi​bra, p​ai​na 

ão: p​ão​, m​ão​s, fal​am​ (fál​ão​)  

au: m​au​, degr​au 

éi: fi​éi​s, pap​éi​s  

ei: r​ei​, l​ei​te, rej​ei​to 


 

  6 

ēi: h​em​!, viv​em​, t​êm​ (tei) 

éu: v​éu​, c​éu  

eu: m​eu​, beb​eu 

iu: v​iu​, part​iu 

õe: p​õe​, lim​õe​s, aç​õe​s 

ói: d​ói​, her​ói​, constr​ói 

oi: c​oi​tado, f​oi 

ou: d​ou​, l​ou​co, est​ou​ra 

ui: f​ui​, r​ui​vo , grat​ui​to 

üi: m​ui​to (m​üi​to), m​ui​ta 

• ​Ditongos crescentes 

ea: ár​ea​, orquíd​ea 

eo: rós​eo​, nív​eo 

ia: vár​ia​s, sáb​ia​, infânc​ia 

ie: sér​ie​, espéc​ie​, qu​ie​to 

io: lír​io​, cur​io​so, óp​io 

oa: nód​oa​, mág​oa 

ua: ág​ua​, q​ua​dra 

ua: q​ua​ndo, araq​uã 

ue: tên​ue​, seq​ue​stro 

ue: ag​ue​nto, freq​ue​nte 

ui: sang​ui​nário, tranq​ui​lo 


 

  7 

ui: q​ui​nquagésimo, ping​ui​m 

uo: aq​uo​so, vác​uo 

Observações: 

✓ Os ditongos crescentes aparecem, mais frequentemente, em sílabas átonas.  

✓ Por terem o valor fonético aproximado de li/ e /ui, respectivamente, /e/ e /o/ átonos são, em 
certos casos, semivogais, originando, portanto, ditongos: ​mãe, capitães, põe, perdoe, limões, 
Caetano, ao, etc.  

✓ Não aparece escrita a semivogal nos ditongos nasais ​em​ (ei) e ​am​ (ão): bem (bei), contém 
(contei), vivem (vivei), eram (érão), falam (fálão), lutaram (lutárão), ele.  

✓ Os encontros ia, ie, io, ua, ue, uo finais átonos, seguidos ou não de s, classificam-se quer 
como ditongos, quer como hiatos, uma vez que ambas as emissões existem no domínio da 
Língua Portuguesa: ​his-tó-ri-a​ e ​his-tó-ria;​ ​sé-ri-e​ e ​sé-rie;​ ​pá-ti-o​ e ​pá-tio;​ ​ár-du-a​; ​tê-nue​; 
vá·cu·o​ e ​vá-cuo​" (NGB). Todavia, é preferível considerar tais grupos ditongos crescentes e, 
consequentemente, paroxítonos os vocábulos em que ocorrem.  

Na escrita, em final de linha, esses encontros vocálicos não devem ser partidos.  

✓ Em palavras como área, róseo, mágoa e outras com iguais terminações, é discutível a 
existência de ditongo crescente, porque na pronúncia brasileira o primeiro fonema do encontro 
vocálico de tais vocábulos é proferido com intensidade bastante sensível, aproximando-se mais 
de vogal do que de semivogal. 

✓ Certos encontros vocálicos, por alguns considerados ditongos crescentes, verdadeiramente 


não passam de hiatos: piada, quiabo, cordial, miolo, poeta, viandante, poente, coelho, moinho, 
luar, miudeza, etc.  

✓ Palavras como saia, raio, tuxaua, teia, correio, gaiola, goiaba, imbuia, etc. encerram, na 
realidade, dois ditongos juntos, pois é assim que as emitimos: sai-ia, rai-io, tuxau-ua, teHa, 
correi-ia, gai-iola, goi-iaba, imbui-ia. 

• ​Tritongo 

É o conjunto ​semivoga/ +vogal+ semivogal​, formando uma só sílaba. 

O tritongo pode ser: 


 

  8 

a) ​oral​: iguais, averiguei, averiguou, delinquiu, sequoia, Uruguai. 

b) ​nasal​: quão, saguão, saguões, mínguam (mínguão), enxáguem (enxáguen, deságuam 

(deságuão), deságuem (deságuêt). 

Observações:  

✓ Nos tritongos nasais uam, uem, não se registra graficamente a segunda semivogal,. conforme 
atestam os quatro últimos exemplos.  

✓ Em palavras como uruguaio, Uruguaiana, sequoia, etc., temos o conjunto vocálico tritongo + 
ditongo:  

uruguai-io, Uruguai-iana, sequo-ia. 

• Hiato 

É o encontro de duas vogais pronunciadas em dois impulsos distintos, formando sílabas 


diferentes:  

Saara (Sa-a-ra)  

faísca (fa-ís-ca)  

podia (po-di-a)  

saúde (sa-ú-de)  

ciúme (ci-ú-me)  

preencher (pre-en-cher)  

cruel (cru-el)  

frear (fre-ar)  

juízo (ju-í-zo)  

Observações:  

aorta (a-or-ta)  

doer (do-er)  
 

  9 

voo (vo-o)  

creem (cre-em), passeemos (pas-se-e-mos)  

poeira (po-ei-ra)  

meeiro {me-ei-ro)  

fuinha (fu-i-nha)  

lagoa {la-go-a)  

friíssimo (fri-ís-si-mo)  

✓ Em palavras como veia, saia, gaiola, maiúscula, etc., pode-se ver hiato (vei-a, sai-a, gai-o-la, 
mai-ús-cu-/a), ou, mais acertadamente, dois ditongos (vei-ia, sai-ia, gai-io-/a, mai-iús-cu-/a), 
conforme explicamos acima.  

✓ Na poesia, exigências de ordem fonética ou estilística podem converter hiatos em ditongos 


(sinérese) ou dissolver ditongos em hiatos (diérese). 

6. Encontros consonantais  
Encontro consonantal é a sequência de dois ou mais fonemas consonânticos numa palavra.  

Exemplos:  

brado, creme, plano, regra, ciclo, atleta, atrás, transtorno, psíquico, pneumático, obturar, 
digno, enigma, obstrui, subdelegado, infecção, istmo, Ptolomeu, tcheco, tsé-tsé, lambda, 
lambdacismo, etc.  

O encontro consonantal pode ocorrer:  

a) na mesma sílaba: 

cli-ma, flo-res, du-plo, bra-do, re-pre-sa, le-tra, czar, pseu-dô-ni-mo, mne-mô-ni-co, psi-co-se, 
etc. 

São encontros consonantais inseparáveis, mais frequentemente formados de consoante+ 1 ou r.  

b) em sílabas diferentes: 

ad-ven-to, ob-tu-so, ap-to, fúc-sia, pac-to, suc-ção, naf-ta, sub-lo-car, sub-lin-gual, 


in-cóg-ni-ta, ét-ni-co, cons-tar/ cor-rup-ção, obs-tá-cu-lo, etc.  
 

  10 

São encontros consonantais separáveis. Ocorrem sempre no interior das palavras e geral-mente 
são formados de duas consoantes. 

Observações:  

✓ Pronunciam-se separadamente o ​b ​e o ​I ​das palavras sublinhar, sublegenda, sublacustre, 


sublingual, sublo-car, sublocação e sublunar, formadas com o prefixo sub. 

✓ Em palavras como samba, renda, lindo, não há encontro consonantal, porque, como já vimos, 
m​ e ​n​, em final de sílaba, não representam fonemas, são letras nasalizadoras, têm a função do 
til: sãba, rêda, lido.  

✓ Não se deve confundir encontro consonantal com dígrafo, que a seguir estudaremos. 

7. Dígrafos 
Dígrafo é o grupo de duas letras representando um só fonema. Na palavra ​chave​, por exem-plo, 
que se pronuncia ​xávi​, ocorre o dígrafo ​ch​. 

a)​ Dígrafos que represntam consoantes: 

ch​: chapéu, cheio  

Ih​: pilha, galho  

nh​: banho, ganhar  

rr​: barro, erro  

ss​: asseio, passo 

gu​: (antes de e ou í): guerra, seguinte  

qu​: {antes de e ou i): leque, aquilo  

sc​: (antes de e ou l): descer, piscina  

sç​: (antes de a ou o): desça, cresço  

xc​: (antes de e ou i): exceção, excitar 

Observações: 
 

  11 

✓ Em palavras em que as duas letras se pronunciam, os grupos gu, qu, se e xc não são dígrafos, 
como nos exemplos: agudo, aguentar, aquático, frequente, escada, exclamar.  

✓ Na divisão gráfica das sílabas, cinco desses dígrafos (​ch​, ​Ih​, ​nh​, g
​ u​, ​qu​) são inseparáveis, e 
os cinco outros (​rr​, ​ss​, ​sc​, s​ ç​, ​xc​), separáveis: ter-ra, os-so, pis-ci-na, cres-ça, ex-ce-to.  

✓ ​Dígrafo​ ​não é​ ​encontro consonantal​, pois representa um só fonema. 

b)​ Dígrafos que representam vogais nasais: 

am​: tampa (tãpa)  

an​: santa (sãta)  

em​: tempo (tepu)  

en​: venda (veda)  

im​: limpo (ITpu)  

in​: linda (lida)  

om​: ombro (õbru)  

on​: sonda (sõda) 

um​: jejum (jejü) 

un​: mundo (mūdo) 

No fim das palavras, como falam (fálãu), batem (bátei), alguém (alguei), ​am​ e ​em​ não são 
dígrafos, porque representam um ​ditongo nasal​, portanto, dois ffonemas.  

8.Notações Léxicas 
Notações léxicas são certos sinais gráficos que se juntam às letras, geralmente para lhes dar um 
valor fonético especial e permitir a correta pronúncia das palavras. 

São as seguintes:  

• o acento agudo​ - indica vogal tônica aberta: pé, avó, lágrima; 

• o acento circunflexo​ - indica vogal tônica fechada: avô, mês, âncora; 


 

  12 

•​ ​indica vogal tônica fechada​: avô, mês, âncora; 

• o acento grave​ - sinal indicador de crase: ir à cidade; 

• o til​ - indica vogal nasal: lã, põe1 ímã, romãzeira; 

• a cedilha​ - dá ao c o som de ss: moça, /aço1 açude; 

• o apóstrofo​ - indica supressão de vogal: mãe-d'água, pau-d'a/ho; 

• o hífen​ - une palavras, prefixos, etc.: arco-íris, peço-lhe, ex-aluno. 

O emprego das notações léxicas, também denominadas sinais diacríticos, será estudado em 
Ortografia, páginas 80 a 85. 

Questões:  
QUESTÕES: 

1. Assinale a alternativa correta. 

a) Em “cheguei” há um tritongo. 

b) Em “encontro” há três dígrafos. 

c) Em “helicóptero” o número de fonemas é igual ao número de letras. 

d) A palavra “vaquejada”. há encontro vocálico 

e) Em “encontrei” há dígrafos, ditongo e encontro consonantal. 

2. Quanto à relação entre grafias e fonemas de palavras do texto, assinale a alternativa 


correta. 

a) Em toxinas, peixe e ostra há – em cada palavra – o mesmo número de letras e fonemas. 

b) Em quatro, quanto e quantidade, aparece, em cada palavra, um dígrafo. 

c) Em Havaí, há mais letras que fonemas, assim como em sacolinhas. 

d) Em professora e tralha aparecem, em cada uma, nesta ordem, um dígrafo e um encontro 


consonantal. 
 

  13 

e) Em baleia, aparece um ditongo aberto na penúltima sílaba. 

3. Analise as afirmações a respeito de fonemas e letras de palavras retiradas do texto, 


assinalando V, se verdadeiro, ou F, se falso. 

( ) Nos vocábulos ​ambiente​ e ​sustentabilidade​, a diferença entre o número de fonemas e 


letras, em ambos os casos, se dá em virtude da ocorrência de dígrafos vocálicos. 

( ) Na forma verbal ​conhecemos​, há menos fonemas que letras face à ocorrência de um dígrafo 
vocálico (-on) e uma dígrafo consonantal (-nh). 

( ) Na palavra ​qualquer​, denota-se a ocorrência de dois dígrafos, representados por qu, que 
interferem na relação número de letras e de fonemas. 

A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é: 

a) V – V – V 

b) F – V – F 

c) V – F – V 

d) V – F – F 

e) F – F – V 

4. Considere as seguintes informações sobre as palavras do texto certas (C) ou erradas 


(E):  

I. As palavras cigarro (linha 45) e dinheiro (linha 63) possuem encontro consonantal, o que faz 
com que tenham numero de fonemas maior do que de letras, 

II. A pronuncia da letra X nas palavras lixeira (linha 47) e luxo (linha 74) faz com que as mesmas 
tenham um número de  

fonemas maior do que o de letras. 

III. Na palavra classifiquei (linha 4) ocorre apenas rim dígrafo. 


 

  14 

IV. As palavras classifiquei (linha 4) e amassou (linha 45) não possuem um mesmo tipo de 
encontro vocálico. 

Assinale a sequência correta 

a) C-C-C-C 

b) E-E-E-E 

c) C-E-E-C 

d) C-E-C-E 

e) E-C-E-C 

5. Assinale a alternativa INCORRETA relativamente a determinados vocábulos do texto. 

a) ‘mudando’ tem mais letras que fonemas. 

b) Em ‘tecnologia’, o encontro consonantal ‘cn’, na pronúncia, tende a constituir duas sílabas 


pela intercalação de uma vogal. 

c) ‘Pessoa’ apresenta um dígrafo. 

d) Em ‘existe’, a letra x representa o fonema /z/. 

e) Em ‘impensável’ ocorrem dois encontros consonantais. 

6. Em qual alternativa as palavras retiradas do texto apresentam, cada uma, o número de 
letras igual ao de fonemas? 

a) produtividade – ambiente 

b) Califórnia – histórico 

c) cerebrais – econômicos 

d) Marx – excesso 

e) conquistados – nacional 
 

  15 

7. Auxiliar Administrativo) Sobre a palavra “repreensão”, podemos afirmar que 

a) tem o mesmo número de letras e fonemas.  

b) apresenta dois dígrafos.  

c) apresenta encontro consonantal.  

d) é uma palavra proparoxítona. 

8. Assistente Administrativo) Assinale a alternativa correta sobre fonemas e grafias. 

a) No vocábulo “sanguíneas”, o “gu” é um dígrafo consonantal.  

b) “possibilitando” tem 14 letras e 13 fonemas. 

c) Na palavra “exossomos”, há dígrafo vocálico e consonantal. 

d) O vocábulo “cancerosas” não apresenta dígrafo. 

e) Nas palavras “silencioso” e “exames”, apesar de serem letras diferentes, o “S” e o “X” 
apresentam o mesmo som. 

9. As palavras INICIANTE e FERRAMENTA, possuem juntas quantas letras e quantos 


fonemas?  

a) 20 letras e 20 fonemas. 

b) 19 letras e 19 fonemas.  

c) 19 letras e 18 fonemas.  

d) 19 letras e 17 fonemas.  

e) 19 letras e 16 fonemas. 

 
 

  16 

10. As palavras NOTICIANDO e RESGATAR, possuem juntas quantas letras e quantos 


fonemas?  

a) 19 letras e 19 fonemas.  

b) 18 letras e 19 fonemas.  

c) 18 letras e 19 fonemas.  

d) 18 letras e 18 fonemas.  

e) 18 letras e 17 fonemas. 

11. Quanto ao número de fonemas e letras, assinale a alternativa incorreta. 

a) Quilo: 5 letras e 5 fonemas. 

b) Mola: 4 letras e 4 fonemas. 

c) Unha: 4 letras e 3 fonemas. 

d) Batata: 6 letras e 6 fonemas. 

12. Em que conjunto a letra x apresenta o mesmo valor fonético? 

a) exame- exíguo- xale- exceção 

b) exilar- exorbitar- próximo- excêntrico 

c) sexo- tóxico- axilas- nexo  

d) exalar- exonerar- queixa- hexacampeão 

13. As palavras “montanha” e “pensamento" têm, respectivamente: 

a) 7 e 7 fonemas;  

b) 7 e 6 fonemas; 
 

  17 

c) 6 e 7 fonemas;  

d) 6 e 8 fonemas; 

e) 6 e 9 fonemas. 

14. A palavra “fixamente” apresenta:  

a) 7 fonemas; 

b) 8 fonemas;  

c) 9 fonemas;  

d) 10 fonemas;  

e) 11 fonemas. 

15. Na palavra “manchada”, encontramos:  

a) 8 letras e 8 fonemas.  

b) 8 letras e 6 fonemas. 

c) 9 letras e 7 fonemas. 

d) 7 letras e 7 fonemas.  

e) 8 letras e 7 fonemas. 

16. A palavra "estudam" possui:  

a) 7 letras, 7 fonemas 

b) 7 letras, 6 fonemas 

c) 7 letras, 8 fonemas 

d) 7 letras, 1 fonema 
 

  18 

e) 7 letras, 3 fonemas 

17. Sob a análise acústica do vocábulo arranhãozinho, temos: 

a) dez fonemas;  

b) onze fonemas;  

c) doze fonemas;  

d) dois dígrafos;  

e) um hiato 

18. Assinale a alternativa que apresenta informação correta quanto ao número de letras 
e fonemas. 

a) Máquina (7 letras; 7 fonemas) 

b) Táxi (4 letras; 5 fonemas) 

c) Borracha (8 letras;7 fonemas) 

d) Lençóis (7 letras; 7 fonemas) 

19. Na palavra “fazer”, notam-se 5 fonemas. O mesmo número de fonemas ocorre na 
palavra da seguinte alternativa: 

a) tatuar 

b) quando  

c) doutor  

d) ainda  

e) além 

 
 

  19 

20. Em “​Dessa​ forma, conseguiu ​emagrecer​ 22 ​quilos​ e, hoje, diz estar satisfeita com seu 
corpo.”, as palavras em destaque apresentam, respectivamente, 

a) dígrafo, dígrafo, dígrafo 

b) dígrafo, encontro consonantal, dígrafo. 

c) encontro consonantal, dígrafo, encontro consonantal.  

d) encontro consonantal, dígrafo, dígrafo. 

e) encontro consonantal, encontro consonantal, dígrafo. 

● Gabarito​: 

1 –E 

2 –C 

3 -D 

4 -B 

5 -E 

6 –C 

7 –C 

9 –E 

10 –E 

11 –A 

12 –C 

13 –D 

14 –C 

15 –E 
 

  20 

16 –A 

17 –A 

18 –B 

19 –B 

20 - B 

​SimplificandoPotugues 

Você também pode gostar