Você está na página 1de 8

A FAMOSA AGULHADA DO DIDI

A agulhada do Didi foi criada pelo famoso grafista brasileiro conhecido como Didi. Ele
estudou o comportamento das diversas médias móveis e observando as de 3, 8 e 20 dias
determinou a famosa agulhada.

Figura 1 – A Agulhada do Didi

» linha azul – média de 3 dias


» linha verde – média de 8 dias
» linha roxa – média de 20 dias

Na verdade o padrão aqui é 5 minutos e não dias. Como será dito abaixo, a média segue o
intervalo colocado no gráfico. Utilizaremos estas cores paras as médias em todos os
gráficos.

Para se visualizar a agulhada do Didi deve-se colocar no seu programa de gráficos as


médias móveis de 3, 8 e 20 dias, cada uma com uma cor a sua escolha. Utilize sempre as
mesmas cores.

Dias aqui seriam o padrão. Se o gráfico for semanal por exemplo, seriam 3, 8 e 20
semanas. Se o gráfico for de 5 minutos seriam 3, 8 e 20 intervalos (candles) de 5 minutos.

Considero, em mercados voláteis e de grande volume, o melhor critério para determinar


grandes movimentos de alta ou de baixa.
A observação da agulhada do didi e bastante simples:

1 - Normas Gerais:

a) Escolha um ativo com grande volume e número de negócios elevados. A agulhada perde
valor em mercados de pouca liquidez.

b) A agulhada é melhor observada em gráficos de candlestick.

2 – Preparação da Agulhada:

a) Fique atento sempre que as três médias começarem a correr juntas, ou ao menos
próximas.

b) A agulhada irá acontecer quando, após estarem juntas, elas se separarem.

Figura 2 – Preparação da Agulhada

3 – A Agulhada do Didi de Alta:

a) Observe quando as três médias se juntarem

b) O ideal é que as três médias, antes de se separarem, passem por dentro de um candle
(Como a linha passando pela agulha)
c) Ao se separarem, a média de 3 dias sai por cima, a de 8 fica no meio e a de 20 dias sai
por baixo.

Figura 3 – A Agulhada do Didi de Alta

4 – A Agulhada do Didi de Baixa:

a) Observe quando as três médias se juntarem

b) O ideal é que as três médias antes de se separarem, passem por dentro de um candle
(Como a linha passando pela agulha)

c) Ao se separarem, a média de 20 dias sai por cima, a de 8 fica no meio e a de 3 dias sai
por baixo.
Figura 4 – A Agulhada do Didi de Baixa.

5 - Critérios para conformação e intensificação da agulhada:

a) Um candle que confirma o movimento na direção da agulhada, o ideal e que se inicie


acima do anterior (no caso de agulhada de alta) ou abaixo do anterior (no caso de
agulhada de baixa), não necessariamente com Gap.

b) Aumento concomitante do volume ou número de negócios no momento ou logo após a


agulhada.

c) O fato dela acontecer no rompimento de um suporte ou de uma resistência

Observe na figura abaixo os três critérios de intensificação que vão comprovar a agulhada:
Figura 5 – Critérios de Intensificação da agulhada

6 - O Fim da agulhada

a) Alguns consideram que a agulhada terminou e realizam lucro quando ocorre


fechamento de um candle abaixo da média de 8 dias (Atenção, fechamento e não somente
a perfuração por uma perna (sombra) de um candle. Esta é a forma mais segura mas que
pode diminuir os lucros.

b) A agulhada termina com certeza quando a fechamento de um candle abaixo da média


contrária ao movimento. (A de 20 dias no caso de agulhada de alta e a de 3 dias no caso
de agulhada de baixa). Esta forma e mais arriscada mas poderá trazer lucros maiores.

c) Pode-se considerar terminada a agulhada tambem quando um objetivo de Fibonacci é


totalmente realizado (50% ou 62%)

Observe na figura abaixo o fim da agulhada nas três situações:

F1 – Quando ocorreu fechamento abaixo da média de 8 dias

F2 – Quando ocorreu fechamento abaixo da média de 20 dias (para o caso de uma


agulhada de alta)

Fibo – Indica realização após extensão de Fibonacci de 50%.


Figura 6 – O Fim da agulhada

7 - A Agulhada Falsa ou O Violino

a) Quando após uma aparente agulhada ocorre movimento na direção contrario a que
indica a agulhada ou então ocorre uma acumulação.

b) Figuras de reversão como dojis, martelos após a agulhada devem levantar suspeitas
quanto a uma falsa agulhada.

c) O STOP deve ser dado quando o ponto da agulhada for ultrapassado em direção
contraria. Deve-se ficar atento para possível nova agulhada em qualquer das duas direções.

Figura 7 – A falsa agulhada


8 - Quando Realizar o Lucro?

a) Pode-se utilizar as extensoes de fibonacci e realizar o lucro em qual delas o mercado


parar – encontrar uma resistência forte – 38%, 50% ou 62%. A extensão de 50% e sempre
a mais provável após uma agulhada.

b) Quando umas das situações que mostram que a agulhada acabou, descritas no item 6,
a e b.

c) Deve-se ficar atento que as vezes o fim da agulhada e falso e ela abre de novo em
seguida.

Observe na figura abaixo que temos o objetivo de 62% de Fibonacci cumprido e temos o
ponto F1 – Fechamento abaixo da média de 8 dias. São estes dois critérios para realização
de lucros.

Apesar disso não temos ainda o ponto F2 – Fechamento abaixo da média de 20 dias e no
ponto A assinalado no gráfico a agulhada abre de novo.

Pode-se realizar o lucro pois dois critérios já foram preenchidos ou esperar o ponto F2
(fechamento abaixo da média de 20 dias).

Uma boa estratégia e realizar metade do lucro no ponto F1 e aguardar o ponto F2 para
realizar a outra metade.

Figura 8 – A realização de lucros.


9 – A Agulhada do Didi e outros tipos de Gráficos da Análise Técnica:

a) Pode-se utilizar a agulhada do Didi em conjunto com outros gráficos como o MACD o
estocástico, etc. Estes gráficos servirão de confirmação da agulhada, sendo que para mim o
que mais serve para este fim e o MACD.

b) A agulhada do Didi em conjunto com o volume, o estudo dos suportes e das


resistências e as extensões de Fibonacci já são mais do que suficientes. O uso de outros
gráficos fica a critério de cada um.

Observe na figura abaixo o cruzamento da linha de 26 dias do MACD pelo sinal,


confirmando a Agulhada do Didi.

Observe tambem o candle de alta que se inicia acima do anterior após a agulhada
confirmando a mesma.

Observe o incremento de volume

Observe a preparação da agulhada com as três linhas juntas

Figura 9 – Agulhada do Didi e MACD