Você está na página 1de 220

HELLO

FOREVER
SARINA BOWEN

Red Fox Traduções Corpyright © 2020

2
Um jogo de basquete muda tudo ...
Quando eram apenas adolescentes, Axel e Caxton
foram pegos se beijando na floresta no acampamento
da igreja. E depois, Cax desapareceu de todas as
atividades do grupo de jovens.
Seis anos depois, Axel fica surpreso ao ver o rosto de
seu primeiro amor na multidão de um jogo de
basquete universitário que ele está assistindo na TV -
em uma escola que acaba de lhe oferecer um emprego.
É mil milhas de distância, em uma pequena cidade
rural. Mas, de repente, ele mal pode esperar para
chegar lá.
Cax não consegue acreditar nos olhos quando Axel
aparece na mesma cidade de Massachusetts onde ele
mora agora. E ele ainda está tão atraído por Axel
como sempre. Mas ele não pode se deixar levar para
lá novamente, porque amar Axel significa desistir de
tudo o que ele ama.
Os dois homens têm muito a perder. Mas no que diz
respeito ao amor deles, é o Hello Forever.

Hello Forever é um romance autônomo sem cliffhangers.


Os leitores de Goodbye Paradise poderão conferir Caleb,
Josh e seu clã.

3
CAPÍTULO UM

AXEL
TUDO COMEÇOU em uma sexta-feira normal.
A parte comum era que eu estava em casa sozinho e me estabelecendo
para assistir a um jogo de basquete. E se meu time favorito – o Chicago Bulls1
– estivesse jogando naquela noite, minha vida talvez não mudasse.
Os Bulls não estavam ligados, no entanto. E eu era o suficientemente
louco por basquete para encontrar outro jogo para assistir. Adoro o esporte em
todas as suas formas. Basquete Universitário? Eu estou lá. Um jogo tradicional
na quadra? Passe-me a bola.
Basquete era meu esporte, meu hobby, minha obsessão. Mas até aquela
noite de sexta-feira em novembro, eu não poderia ter dito que um jogo de
basquete mudou minha vida.
Agora eu posso.
O jogo que eu escolhi assistir nem era televisionado - eu tive de pesquisar
várias páginas no site da Barmuth University para encontrar um link de
transmissão ao vivo para o jogo da escola contra Northern Mass.
Eu queria ver os Barmuth Brown Bears em ação, porque Barmuth U. em
Henning, Massachusetts acabara de oferecer-me um emprego, e eu precisava
saber no que estava me metendo.
Pode estar entrando. Eu ainda não tinha decidido se estava indo aceitar
a posição.
A oferta de emprego estava em seu departamento de atletismo, onde eu
estaria empregado em sua equipe de marketing esportivo. Em muitas maneiras
que era o meu emprego dos sonhos. Eu adorava esportes e tive uma nova

1
Time de basquete americano de Illinois.

4
cunhagem em marketing. Em vez de tentar empurrar creme dental ou produtos
de seguros, em Barmuth eu seria responsável por divulgar os eventos
esportivos da escola para a comunidade e aos ex-alunos da faculdade.
Parecia muito divertido.
Por outro lado, Henning era uma minúscula e pequena cidade a milhas
da casa da minha mãe em Ohio. E eram duas horas e meia de Boston e três
horas e meia de Nova York.
Para um homem jovem, gay e solteiro, a localização era menor que ideal.
Então, novamente, eu não tinha muitas opções melhores. Eu estava
morando no meu quarto de infância, trabalhando em um estágio que não
paga. Todos os meus amigos se mudaram de Columbus depois da
graduação. Realmente não havia razão para ficar.
Eu já estava sozinho. Quão pior poderia ser na floresta no oeste de
Massachusetts?
Meu namorado tinha me largado um dia antes de nós dois formarmos
pela OSU2. "Somos jovens demais para falar a sério", ele disse. Mas o que ouvi
foi, mais tarde, otário. Obrigado por todo os boquetes que eu não retribuí .
Então lá estava eu, meu rosto perto da tela do computador, assistindo a
um time de basquete que provavelmente nunca escureceria a porta dos playoffs
da NCAA3.
Barmuth era uma pequena universidade particular de artes liberais. Foi
prestigiada por seus acadêmicos e sua longa história. Eu tinha feito muita
leitura no site da escola, e parecia um lugar agradável o suficiente. Eles tinham
um sindicato de estudantes LGBTQ, que era um bom sinal. E teoricamente,
faculdades de artes liberais em New England era tão gay quanto qualquer outro
lugar do mundo.

2
Universidade estadual de Ohio.
3
É um campeonato de basquete entre universidades dos EUA.
5
Mas toda essa boa vontade movida a arco-íris se estenderia aos cantos
empoeirados do departamento de atletismo? Essa era a minha grande
preocupação.
No final da minha entrevista, meu potencial futuro chefe tinha
perguntado se eu tinha mais alguma pergunta. Minha última pergunta deveria
ter sido: “Irá arrepiar qualquer pena se a nova pessoa de marketing é tão gay
quanto um desfile de arco-íris? ” Mas eu não tinha perguntado, porque eu
queria que eles me oferecessem o emprego.
A política anti-discriminação da faculdade estaria totalmente do meu
lado, embora não houvesse garantias. E movendo mil milhas de distância para
me juntar a um departamento cheio de estranhos me assustou mais do que eu
gostaria de admitir.
Na tela, Barmuth marcou dois pontos em uma fila. A equipe tinha algum
talento. Eu tentei imaginá-los como minha equipe. Em um mês, eu posso estar
sentado à mesa dos oficiais, fazendo anotações para um comunicado de
imprensa para patrocinadores e atualizando a página do Facebook da equipe.
E havia uma greve contra Barmuth - as cores da escola eram uma
combinação infeliz de marrom e branco. Eu estaria sentado naquela mesa
usando uma gravata marrom.
Mas um cara não poderia ter tudo. Pelo menos o mascote era fofo. Eu me
perguntava quem estava dentro daquele traje de urso pardo gigante.
Quando o locutor mencionou que o comparecimento ao jogo era duas mil
pessoas, eu abri um sorriso. Isso estava muito longe de um jogo do estado de
Ohio. Mas, diferentemente da minha universidade, Barmuth tinha
oferecido- me para me pagar pelo meu trabalho. E trabalhando para o
Barmuth Brown Bears seria muito mais divertido do que terminando em um
cubículo em alguma corporação sem rosto.
Inclinei-me para mais perto da minha tela, como se a proximidade do
meu nariz no feed de vídeo facilitaria a decisão. Quando os árbitros pararam o
jogo para revisar uma reprodução em vídeo, observei mais de perto na mesa

6
dos oficiais. Ali estava Arnie Diggs, o chefe de departamento de atletismo. Eu o
reconheci da minha entrevista no Skype.
Ele era um homem mais velho e o atleta típico da planície.
Não que tenha algo errado nisso. Eu só queria saber se ele era um homem
tolerante. Eu me sentiria bem-vindo no departamento dele?
Ele quer contratar você, porém , eu lembrei a mim mesmo. Seu
julgamento não poderia ser tão ruim. Obviamente.
A câmera se moveu lentamente pelos estandes e eu digitalizei a população
amante de basquete de Henning, Massachusetts, para pistas. Eu poderia fazer
uma vida lá? Enquanto o locutor gritava sobre um especial dois por um em
fatias estreitas, vi os rostos da multidão.
Foi então que minha noite deu uma guinada estranha. Porque um desses
rostos era realmente familiar.
Ele estava na terceira fila. Meus olhos se depararam com um conjunto de
maçãs do rosto bonitas e um queixo fissurado. Um rosto que nunca esquecerei
...
"Oh meu Deus", eu disse em voz alta. Não poderia ser ele , minha mente
repreendeu. Mas realmente parecia com ele. Realmente. Muito.
Cax Williams.
Naturalmente, a imagem foi cortada antes que eu estivesse pronto. A
câmera voltou a ver a cesta, e um jogador prestes a tentar um lance livre. Mas
eu não estava mais interessado nos jogadores. Eles eram apenas um borrão
para mim agora.
Em vez disso, fiquei sentado em silêncio, tentando decidir se meu
subconsciente havia brincado comigo.
A última vez que vi Cax Williams foi aqui em Ohio. Nós tínhamos
dezesseis anos. Ele tinha sido importante para mim naquela época, mesmo que
eu nunca disse isso a ele. Fomos aos mesmos retiros da igreja da terceira série
até o dia terrível em que eu o vi pela última vez.

7
Era o fim de semana do Dia do Trabalho, e a diocese da igreja havia
alugado um acampamento de escoteiros para receber o retiro de jovens. Cax e
eu fomos pegos fazendo algo decididamente secular na natureza. Embora um
de nós possa ter dito: "Oh, Deus".
Nós estávamos em um retiro de igreja, pelo amor de Deus. Não foi minha
hora mais nítida sendo pego com Cax em um bloqueio labial. O pastor
responsável tropeçou em nós na floresta. Ele teve um ajuste adequado e nos
marchou para o escritório, onde eles gritaram com nós em salas
separadas. Pecado e fogo do inferno e tudo isso.
Eles também ligaram para os nossos pais.
Pelo que pude deduzir, nossos pais tiveram vastamente diferentes
reações à nossa estupidez. Depois de ter palavras severas com a minha mãe, o
pastor finalmente me entregou o telefone. E minha mãe riu .
"Oh, querido", ela disse com uma risadinha. “Sinto muito rir. Mas você
terá que trabalhar para ser sutil. Você quer que eu o busque? O diretor disse
que eu poderia decidir se te levaria para casa um dia mais cedo ou esperaria até
amanhã, como normal."
"Eu não preciso voltar para casa", eu engasguei. Não se eu pudesse ficar
mais uma noite no acampamento com Cax. Mesmo se eles me tratassem como
um condenado, eu ainda queria estar perto dele. Eu precisava saber se ele
estava bem.
“Tudo bem, querido. Não leve muito a sério o proselitismo4. E me ligue
se você mudar de idéia.”
Foi assim que eu vim - ou saí. Minha mãe, quem me criou por conta
própria e tinha tendências hippie, tinha sido normalmente legal sobre isso.
Mas Cax? Ele desapareceu.
Eu não tinha visto isso acontecer. O diretor do acampamento me enviou
para jantar depois de outra longa palestra e algumas ameaças. Mas Cax nunca

4
O proselitismo é o intento, zelo, diligência, empenho de converter uma ou várias pessoas, ou determinados grupos, a
uma determinada causa, ideia ou religião.
8
voltou. Passei as últimas vinte e quatro horas no retiro esperando por ele,
sentindo-me arrasado.
Quando voltei para casa, as notícias só pioraram. Eu descobri que eu
tinha sido bloqueado de sua conta do Facebook e de seu telefone. Ele nunca
apareceu em outro evento da diocese.
Nos anos seguintes, eu pensei nele. Eu me perguntei para onde ele foi e
se ele estava feliz. Eu pesquisei no Google algumas vezes. Mas "Cax" era apenas
um apelido. O verdadeiro nome era Henry Caxton Williams, e havia bastante
Henry Williams na Internet para preencher um país pequeno, então eu nunca
encontrei um sucesso confiável.
Agora, vários anos depois, eu poderia jurar que o tinha visto na câmera
em uma pequena cidade de Massachusetts.
Para o resto do jogo de basquete, você precisaria de um martelo e um
chisel5 para me afastar da tela. Quando a câmera percorreu a multidão, olhei
de soslaio para a terceira fila. Eu avistei meu homem misterioso toda vez, mas
eu precisaria de outra imagem para decidir se era realmente ele.
Enquanto isso, tentei descobrir com quem ele estava sentado. De um lado
estava outro cara, de cabeça baixa, como se estivesse tocando em seu
telefone. E do outro lado estava uma mulher.
Nada disso me disse nada. Mas tudo isso me deixou louco.
Finalmente (finalmente!), Houve outro close da equipe no banco. E lá
estava ele - seus cabelos castanhos tão grossos e brilhantes quanto eu lembrava
disso. Seu lindo queixo de estrela de cinema. Esta mandíbula masculina e
beijável…
A transmissão cortou para um intervalo comercial, e outro fragmento da
minha sanidade voou pela janela.

5
9
Mas espere! Agora eu poderia procurá-lo na Internet, porque eu tinha um
pouco mais para continuar. Eu digitei "Henry Williams Universidade de
Barmuth ”na caixa de pesquisa. Um milissegundo depois eu estava clicando no
primeiro link que apareceu, o que me levou a uma página em
Barmuth.edu. Henry C. Williams, assistente de ensino, Departamento de
História .
Cacete. Lá estava ele, olhando para mim do site do departamento. Eu o
conheceria em qualquer lugar. O familiar, tímido sorriso na foto me fez
doer. Fazia muito tempo que eu não me permiti imaginar o que aconteceu com
esse garoto que acidentalmente quebrou meu coração. Eu não sabia que tinha
ofegado até ouvir a voz da minha mãe.
“Axel? Algo está errado?"
Eu abati a guia do navegador tão rápido que meu polegar estalou no
botão. "Nada", eu disse, determinado a não ser pego perseguindo meu primeiro
amor. Não queria que minha mãe soubesse que seis anos depois eu ainda
estava pensando no primeiro garoto que eu beijei. “Apenas assistindo a um
jogo de Barmuth.”
"Eles são bons?" Minha mãe enfiou a cabeça no quarto e sorriu para mim.
"Hum", eu disse, percebendo que não tinha ideia de como o jogo real
estava indo. “Eles estão bem. Eles ficarão melhores quando eu estiver
trabalhando lá."
Os olhos da mamãe se arregalaram. "Você decidiu? Você está pegando?"
"Sim", eu me ouvi dizer.
Ela entrou no quarto e abraçou minha cabeça em um braço. "Estou
orgulhosa de você. Mas vou sentir sua falta! Posso visitar?”
"Claro." Eu a abracei de volta um pouco sem jeito.
"Me preocupo com você."
"Por quê?" Eu ri. “Porque eu não tenho emprego, não tenho amigos e não
tenho namorado?"
Mamãe agarrou a parte de trás do meu pescoço e me sacudiu um pouco.

10
“Você tem um emprego, mas não paga dinheiro de verdade. Você
tinha amigos, que se mudaram para Chicago e Nova York. E seu namorado era
um idiota.”
“Caramba, mãe. Diga-me como você realmente se sente.”
“Espero que você conheça um garoto legal em Massachusetts. Aquele
lugar pode ser um pouco solitário. "
Pode. Mas eu já tinha decidido que estava indo, sendo louco ou não.

11
CAPÍTULO DOIS

UM MÊS DEPOIS
MINHA MÃE TINHA ADVERTIDO-me que cada novo trabalho vinha
com alguns dias consecutivos de "o que diabos eu acabei de fazer?" Ela não
estava errada.
Mesmo antes de começar o trabalho real, tive problemas. Somente
encontrar um lugar para morar em Henning era complicado. A cidade era
pequena, e eu não queria colegas de quarto. Além disso, era metade de
novembro. Morar em uma cidade universitária é muito parecido com cadeiras
musicais - a música só para todos em agosto e dezembro. Eu tinha perdido a
temporada em que todos entram e saem, então os poucos disponíveis
apartamentos eram a escória do lote.
E eu não tinha carro. Essa foi provavelmente a última unha do caixão da
desgraça.
O primeiro lugar que eu vi foi um apartamento no porão debaixo da casa
de um professor. Cheirava a meias úmidas.
Então me foi mostrado um lugar perfeitamente adequado em um belo
desenvolvimento, mas era tão longe da cidade que eu teria que andar de
bicicleta em uma rua movimentada com um ombro estreito em todos os tipos
de clima. Levando minha vida em minhas mãos durante uma tempestade de
neve não era uma ótima idéia, mesmo que eu quisesse aquela pequena cozinha
arrumada e uma varanda com vista para um pomar de maçãs.
Ah bem.
Quando cheguei ao último lugar da minha lista, eu estava bem
desanimado. A listagem na Newbury Street foi descrita como uma "Eficiência
na garagem." Isso pode significar qualquer coisa, mas eu marquei uma consulta

12
por e-mail com alguém chamado Caleb, e eu apareci à uma hora esperando o
melhor.
A Newbury Street era bonita e cheia de casas antigas. Eu gostei
imediatamente. E quando eu bati no número vinte e quatro, um cara muito
bonito veio até a porta para me cumprimentar. Não – faça dois homens
realmente atraentes.
Olá, Newbury Street!
"Eu sou Axel", eu disse, apertando a mão do primeiro cara.
"Eu sou Caleb, e este é Josh", disse ele, me estudando.
"Vocês são os donos?" Eu perguntei. Ambos eram da minha idade.
Jovem demais para ser proprietário.
Caleb cruzou os braços. "Sim. Eu sou mecânico na próxima cidade, e Josh
é um estudante na faculdade. Por isso compramos esse lugar."
Bem maldito. Eu acho que eu era apenas um preguiçoso. "Boa
localização", eu disse, tentando ser amigável.
"Certo", Caleb concordou. “O que você precisa saber sobre seus
potenciais proprietários é que somos casados. "
"Um com o outro?" Eu disse, soando um pouco mais atordoado do que
era educado. Eu não tive uma vibe gay desses caras.
Por outro lado, eu os conhecia há menos de sessenta segundos.
"Você tem um problema com isso?" Caleb perguntou imediatamente.
"Não." Eu ri. "Se eu me casar, será com um cara."
O rosto de Caleb se suavizou. “Oh. Algum pretendente?”
Eu balancei minha cabeça. “Nem um. E aqui estou me mudando para
uma cidade realmente pequena. ”
"Verdade", disse Caleb. "Então vamos mostrar o apartamento."
“Não tenho certeza se devemos usar a palavra 'apartamento'. É
terrivelmente pequeno ... ”Josh avisou.

13
Caleb deu um tapinha no ombro dele. "Maneira de vender o lugar,
querido. Eu não acho que 'pequeno espaço de vida' vai impressionar qualquer
um. Vamos mostrar a Axel, e ele pode se decidir.”

Eles não precisavam ter se preocupado. Gostei imediatamente. Era


apenas um único quarto comprido mais um banheiro, mas tinha tetos
inclinados, vigas de madeira atraentes e vista para a floresta. Ficando aqui seria
como morar em uma casa na árvore.
"Esta mesa não precisa ficar", disse Caleb, apontando para a única peça
de mobiliário. “Mas eu deixei aqui porque se encaixa muito bem neste canto da
cozinha. Suponho que você colocaria sua cama na janela, e ainda haveria
espaço para um sofá dividir o espaço para dormir do resto. "
"Um sofá pequeno", Josh corrigiu.
Eu me virei lentamente em um círculo. “Mas funciona. E a TV vai lá”
apontei para a parede perto da porta.
"Sim", Josh concordou. “Já existe uma conexão a cabo. Acabamos de
colocar.”
"Compramos a casa há alguns meses", Caleb explica. “É uma verdadeira
remodelação. Este apartamento está em melhor forma que o resto da casa, você
pode acreditar. ”
"A casa não é tão ruim", Josh disse um pouco defensivamente.
Caleb virou-se para sorrir para o marido. "Eu não estou duro com sua
casa, querido. Só estou dizendo que temos muito trabalho a fazer. ”
"Nós não deveríamos comprar uma casa", Josh admitiu. “Estávamos
morando com amigos na cidade, e eles iriam nos colocar em outro ano ou
dois. Nós pensamos que estávamos comprando um segundo carro para que eu
pudesse ir às minhas aulas na faculdade. Mas então eu vi esse lugar à venda e
fiquei todo empolgado. ”

14
"Então agora não temos segundo carro, mas temos uma hipoteca" Caleb
terminou. As palavras eram um pouco obscenas, mas ele colocou uma mão
amorosa na parte de trás do pescoço de Josh.
Eu me perguntei se algum dia seria metade de um casal assim. Eles eram
tão fofos juntos que quase me machucou olhar para eles.
Certo. Fique no assunto, Axel . "Eu não tenho carro", eu disse
admitindo. “A caminhada daqui até o campus não foi tão ruim, mas eu estava
pensando se há um atalho ...? "
Os olhos de Josh se iluminaram. "É por isso que eu queria esse lugar!" Ele
mudou-se para a janela e apontou para fora. "Há um caminho através da
floresta. Esta é realmente a parte de trás do College Park. Eu nunca mais tomei
o longo caminho para casa. ”
"Você pode durante a estação da lama", Caleb apontou.
"Verdade", Josh admitiu. “Mas caminhar pela floresta é uma maneira
muito impressionante de chegar à aula. Eu estou amando isso até agora. Até
quando neva, eu vou me juntar.”
"Tudo bem", eu disse. "Onde eu assino?"
"Realmente?" Josh perguntou, parecendo chocado. "Fantástico."
Caleb riu. "Espera. Vamos perguntar a ele tudo o que é
importante. Infelizmente, não podemos lidar com animais de estimação. E nós
temos que fazer todo o processo de verificação de crédito e antecedentes. "
"Vá em frente", eu disse. “Um benefício de levar uma vida chata é que vou
passar na sua verificação de antecedentes com cores voadoras.” Eu puxei um
envelope do meu bolso de trás. "E aqui está minha oferta de emprego da
faculdade. " Eu passei para Caleb.
Ele abriu e digitalizou a carta. "O departamento de atletismo, Hã? Bem,
seu salário parece bem direto."
“Sim, exceto que eu serei a pessoa menos direta do departamento de
atletismo. ”
Ele levantou os olhos da carta. "Você está preocupado sobre isso?"

15
"Isso mostra?" Eu perguntei, e ele riu.
Ele devolveu minha carta. “Entre em casa e você pode preencher a
inscrição. "
"Minha mãe está disposta a assinar o contrato de aluguel", ofereci,
seguindo os dois fora da porta.
"Isso provavelmente não será necessário", disse Caleb.
Dei mais uma olhada na salinha ensolarada antes de fechar a porta. Pelo
menos uma coisa na minha vida incerta parecia estar moldando. Mesmo que
eles me odiassem no trabalho, eu teria um bom lugar para ir para casa.

16
CAPÍTULO TRÊS

AXEL
ANDANDO para o meu primeiro dia de trabalho foi enervante - meu
primeiro trabalho real fora da faculdade.
Meu cartão de crédito foi esgotado ao comprar uma cama e um sofá antes
de devolver a van de aluguel. Se eu não pudesse me encaixar aqui, ia ser uma
picada. E eu seria mais pobre do que antes de tentar.
O departamento de atletismo ocupava um modesto conjunto de
escritórios adjacente ao ginásio. O pessoal das operações atléticas e o
departamento de marketing compartilhava uma sala de reuniões, enquanto o
escritório particular do meu chefe Arnie ficava a poucos metros de distância,
por um pequeno corredor.
Minha mesa era uma das duas ao longo de uma parede. A outra mesa
pertencia a um paquerador homem infantil que se apresentou como "Boz", que
era a abreviação de Jon Bosworth.
Boz havia decorado o nosso espaço de escritório aderindo a Barmuth
Brown Bear ostentando apetrechos em todas as superfícies disponíveis.
Ele era a outra metade do departamento de marketing esportivo, então
nós seríamos parceiros.
Decidi que ele era o fã de esportes de Barmuth mais raivoso que já
viveu. Tanto quanto eu poderia dizer, Henning, Massachusetts era seu lugar
favorito na terra. Ele se formou em Barmuth três anos atrás e tinha vindo
trabalhar no departamento de atletismo na semana depois de jogar o capelo no
ar.
De fato, a peça central de toda a glória esportiva na parede acima de
nossas mesas estava a foto do time de futebol dele. Debaixo do rosto radiante
dele estava o “C” de capitão costurado em sua jaqueta de equipe.

17
"Bem-vindo!" ele disse centenas de vezes no meu primeiro dia.
Ele meio que galopou pela sala, certificando-se de que eu tinha um
grampeador e um dispensador de fita na minha mesa. Era possível que tinha
sido Boz dentro do traje Barmuth Bear que eu tinha visto na transmissão de TV
de basquete. Ele era um humano brincalhão. Ele era o tipo de atleta que se
referia a uma cerveja como uma "brewski6" e não em uma maneira irônica.
Cada hora que passava me deixava mais preocupado com a forma como
ele ia reagir à minha orientação sexual. Eu já tinha decidido para não
esconder. Eu queria esse emprego, mas não estava disposto a me envolver no
armário para guardá-lo.
Deslizando casualmente minha orientação sexual em uma conversa com
Boz, o Urso Barmuth Brewski não seria fácil. Eu fiquei tentado a chocá-lo. Ei,
você saberia onde fica o bar gay mais próximo? Eu realmente poderia usar
um trabalho de mão.
Felizmente, fui salvo de fazer declarações semi-rudes que poderia ser
chutado ao passar a maior parte do dia em um nova orientação dos
funcionários e preenchimento de uma gigantesca pilha de formulários para o
departamento de recursos humanos.
No meu segundo dia de trabalho, Boz e eu tivemos nossa primeira
conversa real sobre marketing esportivo.
"Então", ele começou com um sorriso preguiçoso. "Você dobrou o
tamanho do meu departamento. Cara, isso é demais.”
"Um sim." Eu dei a ele um sorriso constrangedor.
"Obviamente, tive que fazer uma triagem de todo o trabalho até este
ponto" ele disse, esfregando o queixo desalinhado. “O time de futebol ocupa
muito do meu tempo. Eu não fiz merda por algumas das equipes menos
populares. Mas sou apenas um cara.”

6
Cervejinha ou Cervejola.

18
"Entendo você." E eu realmente entendo. Em qualquer fim de semana, há
pelo menos três ou quatro eventos esportivos. Ninguém poderia cobrir tudo
isso.
“Então, precisamos dividir as equipes. Quero dizer, estou chamando
futebol, porque tenho prioridade ...” ele franziu o cenho.
"Claro", eu disse rapidamente. "O futebol é todo seu."
“E você é o cara do basquete, certo? Então eu provavelmente deveria
pegar hóquei, por causa da sobreposição da temporada. ”
"Isso é legal." Eu gostava de hóquei, mas ele estava certo sobre o
cronograma. “E nem preciso dizer que devemos cobrir cada equipe masculina
e feminina para cada um de nossos esportes. De outra forma, é muito confuso.”
"Certo." Seu sorriso se transformou em algo travesso. "Nós podemos ter
que jogar uma moeda para o voleibol.”
"Por quê?" Eu pensava que o vôlei era terrivelmente ruim. Ele poderia
mantê-lo.
As sobrancelhas dele se ergueram. "Cara. Garotas altas pulando em short
curto?"
Merda . Esta foi a minha abertura - no momento em que eu deveria dizer
à ele. Se eu deixasse essa oportunidade passar, eu entraria no armário, o que
era ridículo. Eu estava fora desde o colegial, pelo amor de Deus. "Uh, Boz?"
"Sim?"
“O vôlei feminino não é realmente coisa minha. Na verdade, mulheres
não são realmente minha coisa. ”
Sua monocelha franziu. "A sério?"
"A sério." Eu me preparei para uma ofensa esclarecedora ou um ataque
de nojo.
"Você quer dizer…"
Você é bicha, é o que eu pensei que ele diria a seguir.
"Você quer dizer que eu posso pegar vôlei e talvez também líder de
torcida? "

19
Um latido de riso surpreso escapou do meu peito. "É tudo seu, cara. E
hóquei em campo. E ginástica, se você quiser. Mas você deveria me deixar
pegar futebol. Ainda não tenho um esporte de outono.”
"Combinado." Ele sorriu como uma criança no Natal. "Vamos fazer uma
lista." Ele pegou um bloco de papel, mas depois verificou o relógio. “Cara, está
chegando a hora de sair. E se nós fizéssemos esta lista no Bruisers? Se eu não
comer regularmente, fico irritadiço. ”
"OK?"
“Quero dizer, se vou trabalhar horas extras, é preciso que haja
hambúrguer ou uma cerveja envolvida. Um ou outro, de preferência ambos.”
Ele se levantou e arrancou a jaqueta do Barmuth Football encostada na
cadeira. Levantei-me para segui-lo.
E essa foi toda a história da minha saída no trabalho. Ou sim - eu pensei
que era. A parte bagunçada não viria até muito tarde.

Passei o resto da primeira semana aprendendo como nossa lista de e-


mails e contas de mídia social foram organizadas. Quando sexta-feira se
aproximou, comecei a ficar empolgado com meu primeiro jogo de basquete
masculino. Eu estava realmente ansioso por isso.
Boz tinha me falado um pouco sobre o nosso horário. "Você vai estar
trabalhando até tarde na sexta-feira. O jogo não vai terminar até as 9:30,
provavelmente.”
"Certo?" Isso não me incomodou. Porque era basquete.
“Então você tem que tirar a tarde de folga. Quero dizer, este trabalho tem
horas irregulares. Se você trabalha suas quarenta horas mais acerta três
eventos esportivos por semana? Estrondo! De repente, você está trabalhando
em uma semana de cinquenta e cinco horas. Não defina esse precedente,
cara. Não é bom para moral. " Este discurso foi proferido com um grande Boz
urso sorrindo.

20
Ao contrário de Boz, eu não tinha vida em Henning. Uma semana de
cinquenta e cinco horas não era muito difícil, mas eu não queria ser o cara novo
que parecia o cara mais velho. Então eu peguei a sugestão dele e saí do trabalho
um pouco mais cedo na sexta-feira, batendo na academia para um rápido
exercício. E quando chegou a hora do jogo, eu estava ansioso para começar a
trabalhar.
Henning era uma escola pequena, e apenas a arena de basquete sentou
três mil pessoas. Mas ainda me sentia como se tivesse vencido a loteria por
conseguir este emprego. Tomar um assento na quadra na mesa dos oficiais me
pareceu tão glamouroso quanto andar no tapete vermelho em uma premiação.
Eu estava sendo pago para twittar sobre basquete. Me belisque.
Como minha configuração foi crucial para o meu sucesso, verifiquei e
refiz minha conexão com a Internet e verifiquei se os gráficos e os trechos de
vídeo que eu montei estavam na pasta onde eu os deixei. Isso tinha que ir
bem. Eu queria os caras do departamento de atletismo para dizer : "Estou tão
feliz que contratamos aquele cara de marketing. Ele é foda. "
Ok, essa última parte foi um trecho. Mas eu queria me sair bem.
E não havia nada como um evento esportivo ao vivo para conseguir meu
bombeamento de sangue. Os assentos começaram a encher atrás de mim e do
outro lado do ginásio. Estávamos jogando contra Princeton, que era um dos
principais rivais Barmuth.
Diretamente ao meu lado, o locutor pegou seu microfone. "Todos
levantando para o hino nacional, cantado para você hoje à noite Barmuth pelos
próprios Barítonos de Barmuth.”
Quando me levantei, um grupo de doze homens vestindo jaquetas de
smoking formou um semicírculo na quadra central. Um deles levantou suas
mãos, e todos começaram a cantar Star-Spangled Banner7 em uma harmonia
de quatro partes.
Ok, talvez essa cidade tivesse alguns outros caras que não eram diretos .

7
É o hino nacional dos Estados Unidos.

21
Arquivei isso para pensar mais tarde. Porque depois do hino e alguns
anúncios, o jogo começou. Eu coloquei cem por cento da minha atenção nos
jogadores à minha frente. Um minuto após a partida, um jogador de Barmuth
marcou um e eu fiz meu primeiro post na conta @BarmuthBBall. É hora do
jogo aqui na Barker Arena, e # 14 Josh Bramer coloca Barmuth no quadro! Eu
segui isso com um link para a estação de rádio que cobre o jogo e outro link
para o site de estatísticas ao vivo.
Assim, eu também estava no quadro.
Abaixando-me, vi a ação como se minha vida dependesse dela. Eu estava
tão investido em acertar as coisas que eu realmente esqueci de procurar Cax. Eu
não pensei nele por nada nos primeiros dez minutos de jogo. O jogo parou por
um tempo na mídia e sentei-me no meu lugar, realmente suando. Foi quando
eu ouviu isso.
A risada dele . Arrepios irromperam em meus braços. Rico e saudável,
foi incrível o quão bem eu conhecia sua risada. Como se eu tivesse ouvido
ontem. Ele poderia estar rindo de uma piada de peido que eu fiz quando eu
tinha doze anos, ou alguma coisa boba que eu sussurrei durante o serviço da
igreja. O som dele era tão dolorosamente familiar que eu tive que fechar meus
olhos só para assimilar.
E ele estava sentado em algum lugar atrás de mim.
Bem . Lá se foi minha concentração. Felizmente, twittar um jogo de
basquete não é exatamente neurocirurgia. Eu tinha preparado ridiculamente
bem antes do tempo que eu tinha bastante material.
Princeton liderou por um tempo, mas quando retomamos a liderança, eu
twittei um pequeno videoclipe de um tigre correndo contra uma parede.
A coisa mais difícil, porém, foi manter meu rosto em frente. Eu queria
tanto me virar. Eu estava tipo Orfeu naquele mito grego, onde ele tem a chance
de liderar seu amor fora do submundo, mas só vai funcionar se ele não vir para
ver o rosto dela.
Orfeu estragou tudo e perdeu a garota. Mas eu fiquei forte.

22
Eu sabia que se eu começasse a encarar minha paixão adolescente, eu não
seria capaz de parar.
O jogo parecia durar cerca de cem anos. Perto do final, eu não tinha
ouvido Cax rir por um longo tempo, e eu realmente me convenci de que ele
tinha saído. Então eu estendi até que houvesse faltando apenas dois minutos
para o relógio do jogo. Barmuth tinha sete pontos de vantagem, e Princeton
deu um tempo, que se seguiu saltos de um tempo limite da mídia.
Meu trabalho aqui estava quase pronto. Então eu finalmente me virei
para olhar.

23
CAPÍTULO QUATRO

CAX
“PORQUE EU não posso ter Skittles8? Eles são apenas dois dólares”, meu
irmão mais novo disse pela décima sétima vez.
“Porque você tomou um refrigerante. Já chega de açúcar” falei para ele
de novo.
“Eu não tomaria refrigerante se achasse que poderia ter Skittles”
argumentou Scotty. Ele tem doze anos e é viciado em porcaria.
“Da próxima vez” disse Amy, despenteando os cabelos de Scotty.
Ele torceu o nariz sardento e se virou. Mas ele não reclamou do cabelo
bagunçado, porque Scotty gostava de Amy.
Todo mundo gostava de Amy - meus irmãos, meu pai idiota. Amy foi um
verdadeiro prazer para a multidão. "Vamos tomar uma cerveja depois que eu
largar os meninos em casa?” Eu perguntei a ela. Eu tive uma longa semana, e
eu estava ansioso para fofocar com ela.
Ouvi um bufar do meu outro lado, onde meu irmão Jared de dezessete
anos de idade, estava sentado. "'Quer tomar uma cerveja?' É isso que estamos
chamando isso hoje em dia? ” Ele disse isso sem levantar o rosto ranzinza do
telefone dele.
Amy e eu trocamos um olhar divertido. Era difícil decidir qual suposição
foi a mais engraçada. Que tudo o que eu disse que era uma referência
sexual? Ou que Amy e eu tomaríamos qualquer oportunidade de fazer sexo?

8 24
A realidade era que não fazíamos sexo há anos e tínhamos só feito duas
vezes antes de ela apontar muito gentilmente que não parecia nem um pouco
compatível.
Eu com certeza nunca iria corrigir as suposições de meu irmão, no
entanto. O fato de todo mundo pensar que Amy era minha namorada facilitou
muito minha vida.
Mas nós éramos apenas bons amigos. Com a gente, "sair para uma
cerveja" realmente significava tomar uma cerveja. Mas quando estava na
temporada de basquete, muitas vezes poderíamos ser encontrados aqui nas
noites de jogos, na companhia do que quer que meus irmãos quisessem sair de
casa. Esta noite tivemos Scotty e Jared - dois em três – porque Mark estava em
um baile do ensino médio.
Jared mal dissera uma dúzia de palavras a noite toda. Dezessete era uma
idade ranzinza, com certeza, mas eu me perguntava se havia algo incomodando
ele. Eu teria que lembrar de perguntar a ele mais tarde em particular.
Amy me cutucou.
"O que?"
"Aquele cara…"
Eu olhei para ver onde sua atenção estava focada. Mas o homem que eu
pensei que ela estava olhando virou a cabeça bruscamente para trás em direção
ao jogo. "O que tem sobre ele?"
"Bem, eu nunca o vi sentado lá antes."
"Uh-huh." Eu nunca prestei muita atenção aos caras da mesa de
oficiais. Não quando havia um jogo para assistir.
"E ele estava olhando para você."
Eu não disse nada. Porque eu não conhecia ninguém que trabalhava nos
jogos, e eu não queria nem dizer uma palavra que colocasse "cara" e "olhando"
na mesma frase.

25
Nossa equipe marcou três pontos e a multidão enlouqueceu. Com apenas
alguns minutos restantes no jogo, nossa liderança repentina sentiu mais
confortável.
"Você viu aquilo?" Eu perguntei a Jared, cutucando-o com o meu
cotovelo.
Ele me deu um grunhido adolescente do homem das cavernas, que era
tudo o que você às vezes podia tirar de Jared.
Do meu outro lado, Amy agarrou meu pulso. Nós éramos amigos a muito
tempo, e obviamente era um sinal. Meus olhos brilharam imediatamente para
o homem que ela apontou antes.
E meu coração absolutamente parou.
Por um longo momento, prendi os olhos com ninguém menos que Axel
Armitage, o único garoto que eu já beijei. Mas ele não era menino não
mais. Não por um tiro longo. Eu estava olhando para um homem – homem
muito atraente, com cabelos escuros e ondulados e olhos grandes. Ele havia
preenchido ao longo dos anos. Seus ombros eram quadrados e musculosos, e
uma sombra de cinco horas destacou os contornos de sua mandíbula
masculina.
Eu esqueci o jogo de basquete. Eu esqueci Amy e meus irmãos. Havia
apenas a lembrança de seu sorriso no sol do verão e uma dor no meu peito pelo
que aconteceu na única vez que eu agi no meu desejo.
O som de um apito me tirou do meu estupor. A cabeça de Axel virou de
volta para o jogo, e eu tentei engolir o caroço gigante na minha garganta.
Amy me cutucou. "Você o conhece?"
"Mais tarde", eu disse. Não havia parte da história que eu pudesse contar
a Amy na frente dos meus irmãos.

Quando a campainha final tocou, levantei-me como um tiro. "Vamos,


rapazes. É uma noite de escola.” Peguei o casaco de Scotty e o estendi para ele.
Scotty olhou para mim como se eu fosse louco. "É sexta feira! Duh.”

26
"Hum, eu sabia disso", eu bati. “Mas é tarde. Vamos."
Amy me olhou de lado, mas ela não discutiu. De fato, ela me ajudou a
reunir meus irmãos no carro.
"Estamos tomando essa bebida?" ela perguntou quando eu acionei o
motor.
"Oh inferno sim."
Jared riu no banco de trás.
Tanto faz. Eu levei meus irmãos para a casa que eles ainda
compartilhavam com o meu pai idiota. "Boa noite, pessoal", eu disse quando
entrei na entrada da garagem. “Dê a Mark meu amor. E se você precisar de
alguma coisa antes de te ver na segunda-feira-”
"... ligue", meu irmão mais novo terminou. "Nós sabemos."
"Amo vocês dois", eu disse enquanto eles saíam.
"Também te amo", disse Scotty. "Obrigado pelo jogo."
"A qualquer momento."
"Sim, obrigado", Jared murmurou. Ele não disse "eu te amo, também ”, é
claro, porque ele era legal demais para isso. Mas eu não menti. Eu disse a ele
porque precisava que ele soubesse que eu me importava, e porque meu pai não
fazia emoção. (A menos que a raiva contasse.)
Amy abaixou a janela para dizer boa noite também.
Foi um erro entrar na garagem. Antes de Jared e Scotty entrar, a porta da
cozinha se abriu e meu pai saiu, com um saco de lixo na mão. Ele empurrou em
Jared. “Esquecendo algo? Eu te disse horas atrás para-”
"Desculpe", disse Jared rapidamente. Ele pegou o saco e saiu em direção
à garagem.
Sua agitação me deixou incrivelmente desconfortável. Jared era um
adolescente teimoso e não exatamente o modelo de obediência. Ele não seria
tão ansioso para agradar, a menos que o custo de irritar papai fossem realmente
altos. Isso me fez pensar - não pela primeira vez – se meu pai se tornou mais
abusivo ultimamente. Ele sempre esteve verbalmente abusivo - isso foi sem

27
dizer. Mas toda razão pela qual eu mudei de volta para esta cidade após a
formatura era me certificar de que ele também não os estava machucando
fisicamente.
Eu esperava que ele não estivesse. E que se ele fizesse, meus irmãos iriam
me contar.
"Algum problema?" meu pai perguntou, e eu percebi que ele estava me
olhando pela janela aberta de Amy.
"Nada", eu disse rapidamente. E então eu senti vontade de chutar eu
mesmo. Minha própria vontade de sair de baixo de suas atenções ainda estava
aparecendo, mesmo que eu não tivesse morado na casa dele em anos.
Meu pai se virou e entrou sem me desejar boa noite, e Amy arregaçou a
janela.
Eu me vi deixando escapar um suspiro gigante.
"Você está bem?" Perguntou Amy.
"Claro", eu menti. A verdade é que minha cabeça estava girando. Um
olhar para Axel tinha me amarrado em nós.
"Quem era aquele cara no jogo?"
Coloquei o carro em marcha à ré e recuei. "Estamos indo para Bruisers?”
"Nós poderíamos", ela disse. "Mas por que você não vem em vez
disso? Vou abrir uma garrafa de vinho.”
"Feito." No final do beco sem saída, virei à esquerda em vez da direita, e
dois minutos depois paramos na frente da mansão da família dela.
Amy e eu tínhamos terminado o ensino médio em Henning. Namoramos
durante o último ano. De fato, foi nessa mesma casa que ela e eu tínhamos
desajeitadamente perdido nossa virgindade um com o outro.
O sexo tinha sido totalmente decepcionante para nós dois - ninguém viu
fogos de artifício. Tentamos mais uma vez na parte de trás do meu carro, e isso
tinha sido ainda pior.

28
Aquela noite havia realizado duas coisas. Primeiro, ele criou a forragem
para um milhão de piadas internas entre Amy e eu. Segundo, me provou que
sexo com mulheres não era coisa minha.
Depois da formatura, tínhamos estudado em faculdades diferentes, mas
ficamos próximos. Foi assim que a nossa amizade ficou forte. Nós falhamos
miseravelmente em dar um ao outro orgasmos, mas éramos realmente bons
em assistir basquete juntos.
E? Ela nunca disse a uma alma o que sabia sobre a minha orientação
sexual.
Agora Amy me levou pela mão através do vestíbulo de sua imponente
casa. "Oi pai!" ela chamou quando passamos pela biblioteca.
"Oi, abóbora."
"Olá, professor", eu disse, sentindo a culpa latente que qualquer cara
sente passando por um homem cuja filha ele deflorara.
"Noite, Cax." O jornal dele nem se mexeu. O humor na casa de Amy
estava sempre tão calmo. Não é de admirar que sempre ficamos aqui e nunca
na minha. Eu amei este lugar.
Foi um pouco estranho ver Amy derramando vinho no balcão da cozinha,
algo que nunca tinha acontecido quando éramos adolescentes. Ela e eu
voltamos para Henning depois da formatura há seis meses. Ela tinha um
emprego no escritório de admissões, e eu era um estudante de graduação. Ela
morava em casa para guardar dinheiro. Eu morava em moradia para
estudantes de pós-graduação porque não podia dividir um telhado com meu
pai. Mas eu tinha escolhido ir para a escola aqui porque percebi que meus
irmãos ainda precisavam de mim.
Puxa e empurra. Foi assim que essa cidade se sentiu para mim.
Levei o vinho para a acolhedora sala de televisão na parte de trás da
casa. Ela ligou a TV para um drama criminal, mas deixou o som baixo. Por
mútuo acordo silencioso, nos sentamos juntos no sofá. "Ok, derrame", disse ela
imediatamente.

29
Ack . Tomei um gole profundo de vinho para parar. "O nome dele é Axel",
eu disse finalmente. “Fomos amigos da diocese da igreja por anos em Ohio. E
então, quando tínhamos dezesseis anos, brincamos.”
As sobrancelhas dela se ergueram. “ Sério? Você nunca me disse isso.”
Eu nunca disse isso a ninguém . “Isso ... não terminou bem. Nós fomos
pegos. O pastor chamou nossos pais.”
"Oh." O rosto ferido de Amy era a prova de que eu não precisava
preencher os detalhes. Ela conheceu o asno do meu pai.
"Sim. Eu nunca mais voltei para o retiro da igreja, obviamente. E meu pai
ficou em cima de mim enquanto eu bloqueava Axel no Facebook e no meu
telefone. Saímos de Ohio menos de um ano mais tarde."
Amy tomou um gole de vinho, parecendo pensativa. "Então você não viu
o rosto desse cara em quantos anos? "
"Seis e meio", eu disse rapidamente. Mas quem está contando?
"E agora ele está aqui em Henning."
Meu coração bateu forte só de ouvir as palavras. "E trabalhando no jogo
de basquete. A menos que ele estivesse aqui com o outro time.”
Amy sorriu. “Ele estava usando uma gravata marrom, Cax, e sentado do
lado da nossa equipe na mesa. Não há chance de ele estar com o outro
time. Espere, acho que vocês dois jogam no mesmo time!” Ela gargalhou com
sua própria piada.
Enquanto isso, meu estômago fez uma longa turnê pelo meu meio. A ideia
de que Axel Armitage possa viver na mesma cidade me fez sentir tonto. Eu
poderia esbarrar com ele na cafeteria. Ou na academia ... Visões de Axel
driblando uma bola de basquete com muito pouca roupa inundou meu cérebro.
Jesus Cristo . Isso não era bom.
"Eu acho que você deveria ligar para ele", Amy anunciou.
"De jeito nenhum."
"Maneira! Porque, caso contrário, tudo isso será incrivelmente estranho.
Quero dizer ... a última vez que você o viu, ambos estavam nus?”

30
"Não nu ", eu disse rapidamente.
"Oh querido." Amy suspirou. “Por favor, me diga que você teve um bom
tempo nu com alguém em sua vida. Pelo menos uma vez."
Infelizmente, balancei minha cabeça.
“Isso está completamente errado. Você tem 22 anos. Você deve viver
sua vida . "
Não é que eu não quisesse. Mas isso simplesmente não era uma
opção. Meu pai me daria uma surra se descobrisse que eu estava ... com um
cara. Então, se eu quisesse namorar, teria que ser em algum lugar longe
daqui. Se não fosse por Scotty, Mark e Jared, eu estaria fora desta cidade mais
rápido do que você pode dizer: “Até mais, otário. "
Mas eu tinha três irmãos que precisavam de mim. E Scotty tinha apenas
onze. Isso significava pelo menos mais seis ou sete anos de solidão.
Deus, que deprimente.
"Não é tão ruim", eu menti. "E quem disse que eu encontraria alguém,
afinal? É uma cidade pequena. Quero dizer ... você está sentada aqui comigo
esta noite, certo?”
"Bem ..." Amy pigarreou. "Há algo que eu preciso te dizer."
Meu estômago afundou. Novamente . Porque eu sabia que golpe ela
estava prestes a atacar.
"Eu conheci alguém."
"Uau, isso é ótimo", eu me ouvi dizer. "Quem é esse?"
Seu rosto bonito assumiu um sorriso tímido. "Ele trabalha para o
departamento de TI. Eu tenho tido muitos problemas no computador do
trabalho."
Eu ri pela primeira vez em uma hora. "Você é adorável. E ouvi dizer que
aqueles nerds de TI são incríveis no quarto. ”
"Cax!" Ela deu um empurrão no meu joelho. "Não zombe."
Eu peguei a mão dela na minha. “Amy, estou feliz por você. Realmente."
Também era verdade. Mesmo sabendo que estava com problemas, porque isso

31
mudaria as coisas. Amy não podia mais ser meu "encontro". Não seria justo
com o Sr. Cara T.I, deixar as pessoas pensarem que éramos um casal.
"Ainda vamos ter jogos de basquete", disse ela, lendo minha mente.
"Só se você quiser", eu disse rapidamente.
“Claro que eu quero. Temos ingressos para a temporada juntos. Jesus.”
"Seu novo cara pode não gostar que você tenha ingressos para a
temporada com o seu ex. "
Ela girou o último vinho em seu copo. "Bem, eu estava pensando sobre
isso. Ninguém vai amar a ideia de seu nova namorada saindo com seu ex. Mas
se ele entendeu que nós realmente não somos compatíveis ... "
Eu balancei minha cabeça imediatamente, e ela suspirou.
"OK. Foi só um pensamento. Porque realmente não há razão por que não
devemos sair tanto quanto queremos. ” Para provar, ela se virou para esticar as
pernas sobre as minhas.
Agarrei o peito dos pés dela e apertei. Amy adorava esfregar os pés. Nós
nos conhecíamos tão bem. Isso me matou ao pensar que estava perdendo a
companhia dela para um cara de TI. Mas eu queria que ela fosse feliz.
"Estou preocupada com você", disse ela.
Eu apenas resmunguei minha resposta.
"Você vai ligar para o Sr. Acampamento de Igreja?"
"De jeito nenhum", eu disse rapidamente.
Os olhos dela se arregalaram. "Por que não? Eu pensei que você
costumava ser amigos?"
"Eu não posso." Realmente era tão simples assim. Se eu quisesse estar
com meus irmãos, eu tinha que ficar em Henning. E se eu quisesse ficar em
Henning, eu tinha que esconder essa parte de mim de todos. (Todos, exceto
Amy.)
"Você poderia ser apenas amigos novamente", disse ela suavemente.
Ela fez um bom argumento. "Eu suponho. Eu nem sei por me certifiquei
de que ele é ...” A frase morreu na minha língua.

32
“ Gay.” Amy cruzou os braços. "Por que eu nunca ouvi você dizer essa
palavra?”
Dei de ombros, mas era uma pergunta justa. Embora Amy não pudesse
possivelmente entender como segurar um pedaço de si mesmo do mundo
exigia uma concentração incrível. A palavra sentia como um feitiço para
mim. Se eu dissesse, todo o meu trabalho duro iria escorregar através dos meus
dedos.
"Então você vai ligar para ele?"
"Não."
“OmeuDeus, Cax. Você é inútil.”
Fui salvo de concordar com ela por seu pai. "Amy!" ele chamou. "Derek
está ao telefone!"
Eu nem tinha ouvido tocar, mas era difícil perder o olhar de alegria no
rosto de Amy. “Derek, hein? Esse nome não é tão nerd quanto eu temia. " Eu
empurrei seus pés do meu colo. “Vá falar com seu cara. Eu vou sair eu mesmo.”
Amy deu um pulo. "Eu amo você, Cax."
"Eu sei." Usando meu pé, dei-lhe um pequeno empurrão na bunda dela.
"Apenas vá, ok?"
Ela saiu apressadamente da sala para atender sua ligação. Lavei os nossos
dois copos de vinho na cozinha. E então eu fui para casa para o dormitório de
graduação sozinho. Como eu sempre fiz.

33
CAPÍTULO CINCO

AXEL
ENQUANTO SOAVA A ULTIMA CAMPAINHA , meu chefe Arnie sentou
ao meu lado.
“Ei garoto. Como vai'?" Eu nem sabia que ele estava no ginásio.
"Ótimo", eu disse, praticamente pulei na minha cadeira de tensão. Eu
sabia que tinha me saído bem no meu primeiro jogo da temporada.
"Deixe-me mostrar o que eu fiz." Girei a tela do meu computador em sua
direção. “Nosso novo stream de basquete no Twitter tem comentários sobre o
jogo, links para o stream de vídeo e artigos do departamento de atletismo. ”
"O que é isso?" ele perguntou, apontando para um GIF.
“Uh, um pequeno trecho de vídeo de um tigre colidindo com uma
parede. Eu publiquei quando Princeton caiu às dez. "
Arnie jogou a cabeça para trás e riu. "Isso é um pouco ridículo. Mas eu
gosto."
"O mesmo aconteceu com o meu público", eu disse. “Esse foi o meu hit
da noite. Isso foi compartilhado cem vezes. "
Os olhos dele se arregalaram. “ Sério? Um vídeo de animal?”
"Realmente."
Arnie riu. Então ele se levantou e bateu palmas no meu ombro. “Bom
trabalho, garoto. Mal posso esperar para ver o que você criará quando jogarmos
com os Terriers. "
Não foi um momento ruim com meu novo chefe, mas enquanto eu estava
conversando com ele, Cax Williams aparentemente havia deixado a arena. Eu
me virei e ele se foi, junto com as pessoas que estava sentado ao lado dele.

34
Terminada a noite, fechei meu laptop com as mãos trêmulas e enfiei no
estojo. Havia muita adrenalina em meu corpo. Ver Cax praticamente me
derrubou. Então nós nos encaramos como um par de imbecis.
Coloquei meu casaco e mochila e saí para a noite.
Hoje à noite eu não me importei com minha falta de rodas. Eu precisava
da caminhada pra casa para me acalmar. O parque estava deserto, é claro. Eu
estava me perguntando se o caminho através da floresta seria assustador a
noite, mas realmente não.
Quando contei a minha mãe sobre meu trajeto através da floresta, ela
prontamente me deu uma lanterna de cabeça da LL Bean9. Eu coloquei o
pequeno dispositivo engraçado no bolso da minha mochila apenas no
caso. Mas eu vou lhe dizer agora que um homem não pode olhar sexy vestindo
uma lâmpada de cabeça. Nem Channing Tatum conseguiu isso fora.
De qualquer maneira, eu não precisava da lâmpada hoje à noite. Com a
luz da lua refletindo um pó de neve no chão, havia luz suficiente para eu ver o
meu caminho, e logo eu estava em casa, destrancando a porta do meu
apartamento quieto e mal mobiliado.
Me preparei para dormir em silêncio, trazendo meu tablet comigo
quando eu deslizei para baixo dos lençóis. Eu considerei assistir um filme ou
ouvir música, mas deixo o tablet de lado em vez disso.
O que eu realmente queria era pensar em Cax.
Eu o conheci em um retiro da igreja no inverno, quando nós dois
tínhamos oito anos. Ficamos amigos dessa maneira desesperadamente rápida
que crianças fazem. Todo mundo precisava escolher um companheiro de
caminhada, e nós apenas nos entreolhamos e sorrimos.

35
9
Depois de vinte e quatro horas, era óbvio para nós dois que tínhamos feito
bem em acabar juntos. Alguns outros garotos eram bebês chorões e mais alguns
eram valentões. Cax e eu éramos o melhor de todos, em nossas próprias
opiniões, de qualquer maneira.
Nós dois tivemos X em nossos nomes. Era para ser.
A cada dois meses, mais ou menos, nossa diocese oferecia um retiro para
jovens, onde crianças de três ou quatro igrejas em nossa metade do estado se
reuniam para atividades (algumas divertidas, outras coxas) e oração. Minha
mãe solteira gostava de me enviar nesses, porque significava que poderia sair
com suas amigas por uma noite. Um de nós orava enquanto o outro bebia
cervejas pela metade do preço em um bar na beira da estrada.
Até conhecer Cax, eu apenas tolerava essas viagens. Mas depois nós nos
tornamos amigos, eu gostei deles.
Muitas vezes, o retiro acontecia de sábado à noite até domingo. Eles nos
colocaram em sacos de dormir no chão de algumas salas para todos os fins da
igreja. Mas no verão havia sempre um acampamento de quatro dias para
participar. Aqueles eram os meus favoritos.
Ao longo dos anos, Cax e eu fizemos tudo juntos - tiro com arco, natação,
cavalgadas. Esquiar, assar marshmallow. Boliche. Onde quer que
estivéssemos, eu sempre trazia minha bola de basquete na esperança de que
houvesse um aro disponível.
Cax nunca tinha brincado antes de nos conhecermos, mas eu o ensinei
todos os meus movimentos na escola. Sempre que os líderes da igreja
planejavam algo realmente chato - como colar macarrão em placas de papel em
forma de cruz - eu daria uma olhada nele e nós esgueiraríamos para fora para
um pouco.
Enxague e repita. Quando chegamos à adolescência, éramos o tipo de
amigos que enviaram mensagens de texto. Nas mídias sociais, eu vi fotos
ocasionais da vida de Cax em uma escola particular chique nos subúrbios.

36
Morei uma hora e fui para a escola pública. Nós ficamos perto, embora
nossos caminhos nunca tenham se cruzado, exceto nos encontros regionais de
jovens.
Por causa do basquete, eu não cheguei a tantos eventos da igreja durante
a minha adolescência. Mas sempre arranjei tempo para o retiro de
acampamento de verão.
No verão aos dezesseis anos, comecei a admitir para mim mesmo que eu
era gay.
Quando junho chegou, fiquei feliz em ver Cax, como sempre. Mas esse foi
o ano em que meu interesse por ele mudou. Quando Cax saiu do Ranger Rover
de modelo ultrapassado de sua família no dia do drop-off, meu coração
praticamente explodiu. Porque ... droga . Ele olhou e preencheu um pouco. E
quando ele se virou para sorrir para mim, suas covinhas fizeram algo no meu
estômago.
Pela primeira vez desde que o conheci, não sabia para onde colocar meus
olhos.
Tenho certeza de que disse algo espirituoso como "Ei, cara". Mas um não
se espera que o garoto de dezesseis anos seja eloquente. E o que quer que ele
tenha respondido, eu não tinha ouvido, porque meu pobrezinho cérebro estava
lutando sob o peso de uma desconfortável realização.
Fiquei muito atraído por ele.
Montamos a barraca que Cax havia trazido para compartilharmos e eu
tentei sair disso. De alguma forma, eu terminei o jantar e a fogueira na primeira
noite do acampamento. Mas pude sentir a presença dele como um calor dentro
do meu corpo, minha consciência dele quente o suficiente para marshmallows
assados.
Não era a primeira vez que eu queria encarar um cara. Eu iria já descobrir
que meu apreço pelas imagens de esporte na Sports Illustrated10 era diferente
da de meus amigos de algumas maneiras cruciais.

10
É umas das principais revistas esportivas dos EUA.

37
E a questão do calção de banho? Não é interessante para mim.
Mas até então, eu não me sentia tão confrontado com a verdade, e a
verdade era um sujeito vivo e com um peito largo que eu queria tocar e olhos
pálidos que me fizeram encará-lo. Esta primeira noite, eu mal dormi. Na
segunda noite eu tive que me masturbar calmamente depois que eu tive certeza
de que ele tinha adormecido.
Nadar juntos se tornou uma nova forma de tortura. Assistindo ele tirar a
camisa me fez mergulhar para me esconder no lago. Eu tinha que manter
minha toalha por perto no cais e implorar e pedir ao meu corpo para ficar sob
controle sempre que trocamos de roupa.
Meus hormônios da adolescência estavam em fúria, e à noite me levou
para sempre adormecer. Porque ele estava ali - dois pés longe. Eu nunca tinha
estado tão consciente do corpo de outra pessoa na minha vida. Cada respiração
que ele ecoava através de mim. Cada farfalhar de tecido me lembrou nossa
proximidade.
Na terceira noite, acordei no escuro, e não tinha certeza do
porque. Dormir em um colchão de ar em uma barraca significava ruídos
desconhecidos. Por alguns momentos, fiquei deitado em silêncio, ouvindo.
Mas não foram os passos ou piadas de coruja que me acordaram. Isto foi
Cax. Sua respiração estava um pouco engraçada. Curta e rasa. Eu ouvi, e houve
um farfalhar também. Um repetitivo.
Meu coração disparou quando percebi o que estava ouvindo. Cax estava
se masturbando.
A coisa boa a fazer seria ficar ali em silêncio e fingir dormir com isso. Mas
eu não pude fazer isso. Apenas a idéia de que ele estava saindo me deixou
dolorosamente duro. Minhas mãos deslizaram na minha cueca contra a minha
vontade. Apertei meu pau dolorido e soltei um suspiro.
Ao meu lado, Cax congelou, e eu também. Mas eu estava com muito tesão
para desistir. Tão timidamente, acariciei meu pau novamente, pensando nele.
Desejando que a mão no meu pau fosse dele. A escuridão total me deu a ilusão

38
da liberdade. Contanto que não falássemos ou víssemos um ao outro
corretamente, eu poderia fingir que não era estranho. Então eu dei um pequeno
zumbido de excitação e um suspiro, e me levantei lentamente, esperando que
ele continuasse fazendo o mesmo.
Depois de um minuto, ele fez.
Cax é um canhoto, e eu não sou, então nossos cotovelos bateram uma vez.
Duas vezes. A escuridão e minha excitação me fizeram ousado. Mudei meu
braço, de modo que roçava o dele, pele com pele.
Ele se inclinou para o meu toque e prendi a respiração por várias batidas
do meu coração.
Agora, anos depois, era difícil imaginar que eu tinha sido corajoso o
suficiente para ir além. Mas a luxúria é uma droga poderosa.
Lentamente, eu rolei para o meu lado, encarando-o. Eu tinha empurrado
minha boxers até o fim, então agarrei seu pulso de trabalho com minha mão
livre. Eu esperei para ver se ele arrancaria isso do meu alcance. Mas ele não
fez. Então eu deslizei minha mão para baixo até minha mão cobrir a dele. Então
eu dei um aperto. Na minha mente, eu estava quase tocando o pau dele.
Ele ofegou, e novamente eu esperei a retirada em pânico. Em vez disso,
ele começou a acariciar a sério, com a minha mão lá como backup. Quando ele
rolou para me encarar, fiquei ainda mais corajoso. Eu bati a mão e peguei seu
pau duro na minha mão.
"Foda-se", ele sussurrou no escuro.
A palavra me deu palpitações no coração. Mas eu não deixei ir. Ele estava
tão quente e resistente em minhas mãos. Eu amei tocá-lo. Isso foi o destaque
da minha adolescência excitada. Eu arrisquei e passei meu polegar sobre sua
cabeça e ele sibilou.
Porra, o som dele apenas me deixou louco. Eu queria mais. Eu queria
tanto quanto eu poderia ter.

39
Com um gemido baixo, cheguei mais perto, minha mão esquerda
levantando-o. Eu senti uma de suas mãos pousar no meu peito, pesada e
quente. Eu o agarrei e o movi imediatamente para o meu pau dolorido.
Cax respirou fundo quando ele me tocou pela primeira vez. Eu estava
aterrorizado que ele ia parar com isso. Me parar.
Mas não foi isso que aconteceu. Com um gemido, ele deslizou a mão pelo
meu comprimento e com carinho tocou minhas bolas. Meu coração pegou com
surpresa. Então ele usou as duas mãos para me masturbar – uma segurando
minhas bolas e uma para deslizar cada centímetro dolorido do meu pau e sobre
a cabeça muito sensível.
Os únicos sons na barraca eram nossas respirações rápidas e
trêmulas. Eu queria tocá-lo em todos os lugares ao mesmo tempo. Eu
estava pegando fogo . Eu dei meus quadris estalados, fodendo seu punho, e ele
soltou um pequeno gemido silencioso.
"Foda-se", ele sussurrou novamente. Mas sua voz estava cheia de
reverência, não tinha medo.
Balançando meus quadris como um louco, eu persegui minha
felicidade. E trinta segundos depois eu vim como uma fonte. Um segundo
depois disso, ele também.
Então havia apenas ofegante e culpa enquanto nós sem palavras e em vão,
tentamos limpar a sujeira de nós mesmos e de nossos sacos de dormir.
Não dissemos uma palavra para o outro, que deveria ter sido
esquisito. Mas, estranhamente, dormi muito bem depois disso.
Na manhã seguinte, não falamos sobre isso, nem fizemos contato
visual. Eu queria tranquilizá-lo, mas estava com medo. Nós fomos tomar café
da manhã e sentamos um ao lado do outro sem comentar. Houve
caminhada. Houve natação. Fizemos tudo isso sem discussão.
Mas depois do almoço fomos designados como "tempo reflexivo".
Seguindo o sistema de amigos, fomos enviados para a floresta, dois por dois,
sentar-se em silêncio e refletir sobre o assunto do amor celestial.

40
Ninguém achou estranho Cax e eu sermos amigos. Nós fizemos parceria
com essas coisas há anos.
Esse dia seria a última vez que estivemos juntos, mas quando entramos
na floresta, eu não tinha ideia. Nós seguimos primeiro um caminho e depois
outro, até todo mundo se espalhar completamente. Cax e eu não paramos até
que não havia mais ninguém a vista. E então Cax liderou o caminho para uma
área arredondada e pedra achatada, onde ele se sentou.
Sem pedir permissão, sentei-me ao lado dele. Não poderia ir amanhã pra
casa com esse silêncio entre nós. Eu sabia que precisava criar coragem e dizer
alguma coisa.
Mas ele me venceu. "Bem", ele sussurrou.
"Bem", eu ecoei.
"Isso foi ... louco."
Minha resposta foi bufar alto e embaraçosamente. Porque louco 11.
Ele também entendeu a piada. Então éramos apenas idiotas de dezesseis
anos rindo em nossas mãos.
Eventualmente, eu me controlei. "Sinto muito", eu sussurrei. "Eu não
queria te assustar. ”
Os olhos dele se mexeram nervosamente. Quando ele falou de novo, foi
quase suave demais para eu ouvir. "Mas eu gostei."
Ouvir isso deveria me deixar tonto, mas seu rosto era tão medroso. Então,
sendo um bom amigo, tentei deixá-lo fora do gancho.
"Eu também. Mas soprar uma carga é sempre agradável."
Ele sacudiu o queixo com irritação. "Não, eu realmente gostei."
As palpitações do meu coração começaram novamente. “Tipo, o
suficiente para fazer isso novamente?"
Ele manteve os olhos nos sapatos. "Sim."
Ninguém nunca me fez tão feliz quanto ele naquele momento. Essa é a
única explicação de quão estúpido eu fui imediatamente depois.

11
Aqui ele diz Nuts, que significa louco e também bolas.

41
Primeiro, soltei um suspiro trêmulo e incrédulo. Então eu cheguei por
cima e apalpou seu peito, bem sobre seu coração.
Ele olhou para mim com olhos medrosos, e eu não sabia o que fazer. Aqui
eu tive toda essa alegria, e ele tinha medo de como se sentia.
Eu levantei minha mão para passar o polegar em sua bochecha. "Não
fique triste."
Ele deu uma piscada longa e lenta. Mais uma vez, estávamos muito perto
um do outro para eu ignorar meus sentimentos. Inclinei-me para frente apenas
alguns graus.
Cax combinou.
E então eu o beijei. Foi a primeira vez que eu realmente beijei qualquer
um. Então o choque de seus lábios contra os meus foi quase muito
demais. Tenho certeza que gemia. Ele se inclinou, seus lábios se abrindo
embaixo do meu. Eu deslizei minha língua para dentro.
Céu. Ele provou tudo o que eu sempre quis. A lingua dele deslizou quente
e úmida pela minha, e passei meus braços em volta dele para chegar o mais
perto que eu podia.
Nós nos beijamos e depois nos beijamos um pouco mais. E porque
éramos adolescentes com tesão, nossas mãos começaram a vagar até estarmos
esfregando um ao outro através de nossos shorts.
Foi simplesmente demais. Demais. Consumindo demais para ouvir os
passos que se aproximaram no caminho.
Mas eu ouvi o suspiro irritado do pastor que tinha nos encontrado.
E o som áspero de sua voz quando ele exigiu que nós parássemos naquele
instante e o seguisse de volta ao escritório do acampamento.
Cax não olhou para mim na caminhada de volta. Foi assim que eu percebi
o quanto eu tinha estragado tudo.
"Este é um campo da igreja", o diácono disse repetidamente quando eles
nos colocaram em quartos separados para nos dar bronca. "Você pecou contra
Deus e zombou de nossa missão. ”

42
"Sinto muito, senhor", eu disse. Mas o que eu realmente quis dizer foi,
por favor não seja horrível com Cax .
Não foi até anos depois que eu percebi que não precisava me acovardar -
que eu poderia ter argumentado quando o pastor me chamou de
pecador. Como ele ousou me envergonhar por alguns beijos? Pior ainda – eu
não tinha que deixar Cax ir sem dizer como eu me sentia. Eu poderia ter
agarrado a mão de Cax e lhe dito o quanto ele era importante para mim.
Mas eu não tinha feito nada disso.
Em vez disso, eu deixei o homem me levar de volta ao escritório, onde ele
me separou da melhor pessoa da minha vida e chamou nossos pais.
Não foi até muito mais tarde que me lembrei da última coisa que eu disse
para Cax. Não fique triste .
Mas depois daquele dia, eu definitivamente estava.

43
CAPÍTULO SEIS

AXEL
DESDE QUE OBSERVEI Caxton no jogo de basquete, eu me tornei mais
consciente do fato de que eu poderia encontrá-lo em qualquer lugar. Eu
começei a procurá-lo quando cruzei o quadrilátero ou quando estava na fila do
café.
Demorou um pouco até que nós nos encontramos.
Uma das coisas boas de trabalhar na Barmuth College era o ginásio
chique. Renovado há alguns anos, o lugar era praticamente um templo para
fitness. Havia brigas em cima das linha de aparelhos para exercícios aeróbicos
e uma sala de musculação bem abastecida. Outras ofertas incluíam uma piscina
de tamanho olímpico e quadras de basquete, squash e tênis.
Como não tinha vida social, fazia mais sentido para mim ir para a
academia depois do trabalho. As sextas eram as minhas favoritas - estudantes
de graduação estavam fora jantando ou fazendo seus planos de fim de
semana. A academia estava gloriosamente vazia.
Na sexta-feira depois de ver Cax no jogo, decidi correr duas milhas
rápidas na esteira para aquecer. Eu precisava me exercitar. Eu precisava
flexionar e puxar nos meus músculos e soprar um pouco de vapor com meus
pés batendo. O trabalho estava indo bem, pela maior parte. Mas eu ainda era o
cara novo, o que nunca era fácil. E eu estava sozinho como o inferno.
Depois de algum alongamento, encontrei um leg press12 vago e carreguei
com chapas. Deslizando no assento, apertei meu abdômen e empurrei. A peça
do pé se moveu com a facilidade de uma máquina mantida, que era como eu

12
44
também me sentia. O exercício era como terapia. Um bom treino sempre
limpava minha cabeça.
Eu tive três sets quando, na minha visão periférica, um conjunto atraente
de músculos das costas cerrados quando alguma fabulosa criatura pressionou
uma barra sobre sua cabeça. Eu não estava lá para olhar caras, mas o que eu vi
me puxou para dentro. Cabelo castanho areia. Ombros amplos. Belos bíceps
tensos contra as mangas da sua camisa. Yum . Havia algo muito familiar em
sua posição, então virei o queixo para ver melhor.
Meu coração deu um pulo quando percebi para quem estava
olhando. Cax .
Eu me virei novamente para tentar me controlar. Eu queria falar tanto
com ele. Mas depois do jogo de basquete, ele desapareceu imediatamente - um
mau sinal. Então, novamente, eu provavelmente lhe dei um choque.
Passei a última semana me perguntando que tipo de vida ele estava
vivendo agora. Ele estava no jogo com uma mulher. A esposa dele, talvez? As
crianças também estavam sentadas com ele - mas eram muito velhas para ser
filho dele .
Eu estava revirando isso várias vezes na minha mente. Talvez nosso
tempo juntos fora apenas uma experiência para ele. Possivelmente ele era um
homem hetero casado, que não queria nenhum tipo de lembrete de que ele uma
vez ficou com um cara, mesmo se fossemos crianças na época.
Mas mesmo que fosse assim, eu ainda queria dizer olá. Eu nunca o
envergonharia com histórias de nossa adolescência. Talvez eu precisava de
uma chance de dizer isso.
Com uma inclinação do meu queixo, olhei em sua direção novamente. E
peguei ele me olhando.
Aqui vai nada .
Deslizei o leg press, limpei-o rapidamente com a toalha, e atravessei a
área de levantamento de peso para onde ele estava perto do rack de

45
agachamento. Seus olhos se arregalaram quando eu me aproximei. Ele parecia
com medo.
Merda .
"Oi", eu disse em um tom amigável.
Ele hesitou por um instante. "Oi."
Nós nos encaramos por um segundo. "Olha", eu disse. "Eu sei que é
estranho. Mas esta é realmente uma cidade pequena. Acabei de me mudar para
cá.”
Seu olhar caiu no chão.
Jesus . Eu falei rápido para não me acovardar. "Eu não tenho nenhuma
idéia do que você está pensando. Mas temos duas opções. Nós podemos fingir
que nunca fomos amigos de infância. Ou podemos sair para uma cerveja e
colocar a conversa em dia. Não precisa ser grande coisa.”
Quando ele levantou os olhos para os meus novamente, havia muito
pânico lá que meu coração deu um aperto. "Sinto muito", disse ele suavemente.
"Pelo o quê?" Ele estava tentando me dizer que não podíamos nem tomar
uma cerveja juntos? Realmente?
"Por, uh ..." Ele olhou por cima dos dois ombros, como se estivesse
procurando bisbilhoteiros. E eu tive que segurar meu suspiro. "Eu acho que
precisamos acompanhar algumas coisas. "
"OK. Que tal Bruisers? É o único bar que eu já estive ainda." Boz me levou
para lá na outra noite, e eu achei um bar descontraído.
Ele lambeu os lábios nervosamente, chamando minha atenção para a
boca dele. "Eu não ... não tenho certeza se o Bruisers é uma boa idéia."
Ouch . Meu velho amigo estava paranóico ou com vergonha de ser visto
comigo. Ele não podia ser visto tomando uma bebida com um homem
potencialmente gay? Caramba. Eu senti uma pequena onda de raiva. Minha
próxima sugestão voou antes que eu tivesse tempo de pensar nisso. Eu tenho
certeza que fiz isso apenas para desafiá-lo. "OK. Meu lugar então? Amanhã à
noite? Sete?"

46
Ele engoliu em seco. "Onde fica isso?"
Honestamente, eu não esperava que ele aceitasse a oferta, e era possível
que ele não planejasse seguir adiante. Ele pode me explodir. “Eu moro no final
da Newbury Street, exatamente quando termina o parque. A casa é velha e
branca, com um torno em volta da varanda. Você não pode perder. Mas eu
moro no apartamento da garagem."
"Ok", ele concordou.
“Se você precisar do meu número, eu estou no diretório de funcionários.
Departamento atlético.”
Ele assentiu. "Vou te encontrar."
Eu realmente esperava que ele fizesse. E isso não era patético? "Na
realidade, venha com fome amanhã - eu vou fazer o jantar. Você traz uma
garrafa do que você quiser beber.”
"Bom plano. Eu vou."
Não sabia se Cax bebia ou não. Havia tantas coisas que eu não sabia sobre
ele. Eu me perguntava se isso estaria mudando. "Vejo você amanhã às sete."
Eu me afastei antes que ele pudesse reconsiderar.

47
CAPÍTULO SETE

CAX
EU NUNCA ESTIVE TÃO nervoso sobre nada. Nunca.
Aparentemente, um caso de nervosismo me transformou em uma pessoa
vaidosa. Eu tomei banho e fiz a barba com mais cuidado do que nunca. E
depois? Eu passei meia hora experimentando camisas e olhando para o espelho
inadequado na parte de trás da porta do meu minúsculo armário. Foi uma total
perda de tempo, desde que acabei vestindo aquela que vesti primeiro.
Ridículo.
Axel e eu compartilhamos uma curta e terrivelmente empolgada conversa
na academia ontem à noite. Eu parecia o maior imbecil do mundo. E foi tudo
por causa dos nervos.
Ninguém significou mais para minha vida jovem que Axel. Ninguém.
Tenho certeza de que nunca disse isso a ele.
Crescer na casa do meu pai não tinha sido divertido. Sr. Militar não
tolerava fraqueza de nenhum tipo. Suas humilhações favoritas
eram bicha e boceta . Aos seus olhos, qualquer pequena falha significava que
você era um ou outro. Ou talvez ambos.
Nada que eu fiz foi bom o suficiente para ele. Ele me empurrou para jogar
futebol, mas não consegui invadir. Nunca gostei disso. Mas isso anos antes de
ele me deixar sair. E desde que meu pai esteve apertado com o treinador de
futebol idiota na minha escola particular, minha influência e desaprovação do
pai pareciam se espalhar cada canto da minha vida.
Os retiros da igreja foram diferentes.
A igreja era o domínio da minha mãe, e isso a fez feliz em me ver
envolvido lá. E desde que meu pai pôde dificilmente argumentar contra a

48
santidade, meu interesse no grupo de jovens estivera acima de qualquer
censura.
Axel tinha sido meu verdadeiro amigo e a única pessoa na minha vida que
eu permiti ver minhas fraquezas. Desde que ele não era parte da minha vida
dolorosa na escola, ele não sabia que eu era intimidado. Ele não se importava
se eu não pudesse jogar uma bola em espiral.
A razão de eu jogar basquete com ele foi porque ele tornou divertido. Não
importava que eu não fosse muito bom nisso - não no começo, de qualquer
maneira. Axel não dava a mínima se eu era um oponente digno. Ele sempre
sorria enquanto segurava essa bola.
Seu entusiasmo tinha sido contagioso. E eu juro que minha recém-
descoberta capacidade de jogar aros me salvou de mais ira do meu pai. O
esporte era quase masculino o suficiente para ele. Ele me deixou mudar para o
basquete quando eu tinha treze anos. E desde que eu não estava
completamente desesperado - graças a Axel - ele decidiu que era bom o
suficiente.
Axel entrou na minha vida segurando uma bola de basquete quando eu
tinha oito. E mesmo sem saber, ele fez a minha vida em casa mais suportável.
Eu sabia que era gay desde muito cedo, bem antes de saber o que a
palavra "gay" significava. Eu acho que tinha cerca de dez anos quando eu
percebi que queria beijar Axel. Ou o ator Elijah Wood13. Um ou outro.
Quando éramos adolescentes, Axel havia se tornado tudo para mim. Meu
amigo. Meu Salvador. Minha paixão. Eu mantive essa última parte para mim,
mas não porque Axel ficaria horrorizado. De alguma forma eu sabia no meu
intestino que ele também gostava de mim. Mas dizendo a ele meus sentimentos
- ou agir sobre eles - nunca foram uma opção.

49
13
O ator que faz o Frodo em Senhor dos Anéis.
Quando tínhamos dezesseis anos, por um dia chocante e glorioso eu tinha
tudo o que eu sempre quis. Naquele dia na floresta Axel tinha dito: "Não fique
triste." Eu queria Axel mais do que queria meu próximo suspiro, mas, mesmo
assim, eu sabia que não iria durar.
Eu tinha provado certo cerca de cinco minutos depois. E depois daquele
momento terrível de descoberta, eu tinha feito o que precisava para sobreviver.
Meu pai mantinha uma de suas botas militares firmemente plantada na minha
volta até o ensino médio. Ele iria reclamar contra "Homos" e "viados", e eu
sabia que seus discursos eram dirigidos a mim.
O mesmo aconteceu com a violência dele.
Minha amizade com Axel tinha sido um dano colateral. Eu iria virar as
costas para ele me salvar, e eu lhe devia uma explicação. Não é de admirar que
eu estivesse nervoso com este jantar. A tensão estava me matando.
Saí para a casa dele alguns minutos mais cedo só porque não podia
aguentar mais.
A caminhada até a casa de Axel me fez sentir ainda mais maluco. Eu não
dirigi, porque eu estava muito paranóico com alguém vendo meu carro em sua
garagem. Uma entrada de automóveis no final de uma rua sem saída. Isso era
loucura até para mim. Eu era um adulto que estava livre para jantar com
qualquer um no planeta. E Axel e eu estávamos indo ser amigos , nada
mais. Mas me senti tão transparente quando cheguei a ele. Como se alguém
pudesse olhar através de mim e ver como me sentia sobre ele.
Como eu já me senti sobre ele. Muito tempo se passou.
Andando na beira do College Park para chegar à rua dele, eu percebi que
provavelmente havia um atalho pela floresta. Mas eu estava praticamente
andando rápido, e precisava diminuir minha velocidade ou eu chegaria a sua
casa fora de moda cedo.
A rua me levou a uma casa antiga interessante com tábuas de
madeira. Axel disse que ele morava na garagem, então eu comecei a

50
garagem. Meu progresso foi interrompido por alguém na varanda da frente da
casa. "Ei, professor Williams!"
Joshua Royce estava no brilho da luz da varanda. Ele era estudante do
curso de História da Economia Agrícola, onde era um assistente de ensino.
De alguma forma eu encontrei minha voz. "Joshua. Tarde." Meu pescoço
ficou quente. “Esta é a sua casa? Eu estava apenas ...” tendo um ataque de
pânico .
"Sim, compramos este lugar há alguns meses." Ele se inclinou sobre uma
pilha de lenha e coletou uma carga de madeira. "Visitando Axel?"
"Sim", eu admiti, tentando fazer parecer que não era grande coisa.
"Legal." Ele me deu um sorriso engraçado. "Que bom que ele está fazendo
amigos já. Tenha uma boa noite!" Ele se virou e voltou para a casa.
Eu fiquei lá por um minuto no escuro, me perguntando o que no inferno
acabara de acontecer. Era exatamente por isso que eu precisava ficar o inferno
longe de Axel. Meus pés coçavam para virar e sair. Mas antes que eu pudesse
dar um passo, uma porta se abriu no prédio ao lado da casa. Luz derramada
sobre as escadas que conduziam para o que parecia ser o segundo andar da
garagem. "Cax?"
O som da voz de Axel foi o suficiente para me derrotar. Sem minha
permissão, meu corpo se moveu em direção à pessoa que eu mais queria ver no
mundo.
Subi as escadas em transe, seguindo Axel até o apartamento no topo. A
primeira coisa que me atingiu foi o cheiro de algo maravilhoso cozinhando.
"Minha casa não é muito", disse ele, pegando meu casaco. Eu
entreguei. Então ele se dirigiu a uma pequena desculpa para uma cozinha
enquanto fechava a porta atrás de mim. "Mas gostei da localização."
"É ... legal", eu disse. E era. O quarto não era grande, mas era como um
pequeno refúgio arborizado. Axel se inclinou para verificar algo no forno, e me
vi admirando a maneira como a bunda dele preenchia um par de jeans escuros.

51
Pare , eu me repreendi. Olhar as bundas dos homens era algo que eu fiz
o tempo todo. Foi o único sexo que eu já tive e, portanto, eu senti direito. Mas
eu não conseguia encarar aquela bunda - o único homem que eu já tinha
tocado. Só de pensar no que havíamos feito naquela barraca todos esses anos
atrás fez meu pulso saltar e meu pau crescer pesado.
Seguindo em frente . Respirei fundo e pensei na cara de bravo. Isso
sempre funcionava.
Além da cozinha e da mesa de jantar, havia um pequeno sofá de frente
para uma TV de parede bastante agradável. E ao longe na parede, uma fileira
generosa de janelas dava para os pinheiros ao luar. Ele colocou sua cama
ali. Isso é o que eu teria feito também.
Desviei o olhar, porque não havia como pensar em camas enquanto eu
estava aqui. Havia poucos lugares preciosos que eu podia descansar
confortavelmente meus olhos enquanto estava em um quarto com Axel.
Havia neve pingando nas minhas botas, então eu as chutei e carreguei as
garrafas que eu trouxe para o balcão. "Eu trouxe para você algumas cervejas
locais. ” Eu levantei um pacote de quatro no balcão. “E uma garrafa de
tinto. Essa é a minha droga de escolha.”
Axel se virou e sorriu para mim, o que foi um choque real ao meu
sistema. Droga , aquele sorriso. "Posso derramar um copo para você?"
Qual foi a pergunta? "Hum, obrigado."
Ele abriu uma gaveta e puxou um saca-rolhas enquanto eu tentava não
notar os músculos flexionando em seus braços. "Na verdade, você pode
abrir? Eu preciso fazer um molho para salada.”
"Então ..." Limpei minha garganta. "Você cozinha, hein?"
"Certo. Você?"
Eu me ocupei abrindo o vinho. "Não senhor. Eu tive um colega de quarto
na faculdade que cozinhava tudo. Eu digo a ele todo que a culpa é dele que eu
sou inútil. "
Axel riu. “Parece bastante útil, na verdade. Alguém especial?"

52
Levei um minuto para entender a pergunta. “Oh - não . Não é
assim.” Senti meu rosto ficar vermelho com a ideia. Meu colega de quarto Gil
não tinha idéia de mim. Mesmo depois de quatro anos vivendo juntos.
Axel começou a bater uma tigela de óleo e vinagre. Eu assisti ele, sentindo
como se estivesse tendo uma experiência fora do corpo. Ele era incrivelmente
familiar e terrivelmente estranho. Axel tinha aumentado o volume e
certamente apreciei a vista. Mas eu ainda podia ver o adolescente mais magro
que ele já foi.
Legal .
Eu limpei minha garganta. "Você vai me dizer o que trouxe você para
Barmuth? Quero dizer ... obviamente basquete. Você sempre amou
basquetebol."
Ele se virou e me lançou outro sorriso, este tão lindo que eu sabia que
tomaria um banho frio mais tarde. "Sim, eu nunca consegui sobre a minha
obsessão com aros. " Ele riu. "Eu trabalho para o departamento atlético de
marketing. Eu vou cobrir futebol e lacrosse também. ”
"Uau. Esse é um trabalho legal. Mas por que Barmuth?”
Axel olhou para o balcão e mordeu o lábio, o que pareceu uma reação
estranha. “Bem, eles me ofereceram um emprego. E ninguém mais fez. Todo
mundo quer falar sobre esportes para viver, eu acho. Não há muitas vagas.”
Minha resposta foi um reflexo. "Nem todo cara."
Ele riu. "Justo. Enfim - eu nunca tinha passado tempo em Massachusetts,
e eu realmente não sabia o que esperar. Mas não havia nada me mantendo em
Ohio. Depois da formatura, meu namorado me largou e meus amigos se
afastaram. Então eu coloquei minha TV e minhas roupas em uma van alugada
e dirigi até aqui.”
O meu namorado . Bem, isso respondeu a essa pergunta. Axel gosta de
homens. Senti outro aperto na virilha ao imaginar Axel com um homem. Axel
desabotoando a camisa de outro homem. Mãos de Axel no peito de um homem.

53
Jesus . Hora de falar sobre esportes novamente. "Seu diploma está em
marketing?"
"Está certo. Então, o que você faz aqui na cidade?” ele perguntou.
Aquele era um território seguro. “Sou estudante de pós-graduação em
História da Economia. Então, eu estou fazendo cursos por um ano antes de
começar a fazer pesquisa para minha dissertação. E eu estou trabalhando como
professor assistente. De fato, seu senhorio está na minha classe de economia."
Axel olhou surpreso. “Não brinca? Josh é seu aluno?”
"Verdade." Eu devia estar nervoso, porque Axel deixou seu whisky
sozinho e me deu um olhar avaliador. "Você não quer encontrar alguém que
conhece hoje à noite, não é?”
Deus, eu sou tão transparente? Lentamente, balancei minha cabeça.
Axel mexeu mais o molho e depois o derramou fluxo fino sobre a
salada. "Você sabia que Josh é casado com um homem? "
"O que?"
Axel sorriu para a saladeira. “O marido dele é um mecânico chamado
Caleb. "
"Eu não ..." gaguejei. "Eu não sabia."
Meu ex-melhor amigo parou de jogar a salada, inclinou o quadril no
balcão e cruzou os braços. "Ei, Cax?"
Ouvi-lo dizer meu nome transformou meu estômago em geléia. "Sim?"
“Eu realmente não entendi ainda. Mas você parece porra aterrorizado por
ai. Eu não queria te assustar ao te convidar. Eu só estava tentando ser
amigável.”
Eu provavelmente estremeci. "Eu sei disso. Minha vida é complicada
apesar."
O rosto dele caiu. "Você vai me falar sobre isso?"
"Eu acho que preciso."
Ele abriu o forno e pegou uma panela. "OK. Deixe-me servir isso e você
pode me contar tudo enquanto comemos. ”

54
Espiei por cima da borda da panela. “Deus, isso é lindo. O que é isso?"
"Peito de frango recheado com queijo feta e raspas de limão."
"Uau." Minha boca ficou com água mesmo antes de ele terminar a
descrição.
"E batatas assadas o dobro." Ele pegou um par de pinças e levantou um
pedaço de frango em um prato limpo. Então ele adicionou duas metades de
uma batata cozida duas vezes e entregou o prato para mim.
Eu olhei para a beleza no prato. "Droga. Eu nem sei o que dizer. "
“Diga que você está com fome. Vamos comer."

Sentamo-nos à sua mesinha, onde Axel acendeu uma vela. (Uma


vela! Que homem faz isso?) Mas caramba, se ele não parecia mais atraente com
aquele brilho suave no rosto.
Eu levantei meu copo de vinho e tentei relaxar. Eu estava basicamente
vivendo minha fantasia agora - um jantar privado com um homem
ridicularmente atraente. Uma taça de vinho. Uma hora secreta sem
interferência das forças deprimentes da minha vida.
"O que eu perdi?" Axel perguntou, cortando seu frango. Seus lindos olhos
se voltaram para os meus. "Conte-me."
A realidade me alcançou bem rápido quando ele perguntou essa
questão. Mas dei uma mordida na sua excelente comida para parar. O frango
estava macio, com pegajoso, queijo salgado e um molho de ervas temperada
que eu não poderia citar. "Isso está fabuloso", eu disse depois de engolir.
Ele sorriu. “Toda comida fica mais incrível com queijo derretido. É
apenas um fato.
"Verdade." Tomei um gole fortificante de vinho. "Ok, meu pai fez minha
vida um inferno depois do nosso incidente no acampamento. " Eu sabia que
estava corando agora, mas não havia como contornar isso. "Foi quando ele
começou me dando um tapa. Ele me separou de muitas pessoas depois
daquilo. Não apenas você."

55
Axel parou de comer o jantar. “Sinto muito, Cax. A sério…"
Eu levantei a mão para silenciá-lo. "Não é sua culpa. Ninguém deve
nunca assumir a responsabilidade pelas ações de meu pai. Se eu tenho
aprendido alguma coisa nos últimos anos, é isso. "
"Ok", ele sussurrou.
“Ele ainda é mal educado comigo. Depois que cheguei em casa naquele
verão, eu passei meses apenas tentando ficar fora do seu caminho. Então, cerca
de dez meses depois que eu te vi pela última vez, minha mãe morreu de câncer
de fígado.”
Os olhos de Axel se arregalaram. “Estou tão arrependido.”
"Foi há muito tempo. Mas isso complicou minha vida, porque eu tenho
três irmãos mais novos. "
"Eu lembro."
“Tudo em casa mudou muito rápido. Minha mãe morreu em alguns
meses após o diagnóstico. Meu pai não ficou melhor. Ele foi transferido para
Barmuth.”
Axel se inclinou para frente em sua cadeira. "Aqui? Você terminou a
escola em Massachusetts? "
"Claro que sim. E todos os meus irmãos ainda vão à escola aqui na cidade.
Após o colegial, fui para a BU14 por quatro anos, porque eu queria fugir dele. "
"Certo. Por que você ficaria?”
"Bem ..." Limpei minha garganta novamente. “Três razões. Scotty, Mark
e Jared.”
"Seus irmãos."
"Sim. Por isso, decidi fazer meu doutorado em Barmuth. Meus irmãos
precisam de alguém por perto que não seja um idiota. Eles não tem mãe. Scotty
tinha apenas seis anos quando morreu.” Isso era merda realmente deprimente
que eu estava descarregando nele. “Tanto quanto eu posso dizer, meu pai não
bate neles. Eu acho que ele salvou isso apenas pra mim. Mas seus jogos mentais

14
Universidade de Boston.

56
são muito ruins ... ”Era difícil falar sobre essas coisas. A única pessoa que já
ouviu essas coisas de mim era Amy. "De qualquer forma. No momento em que
eu terminar com o meu doutorado, Scotty completará dezoito anos.”
"Quando é isso?"
"Daqui a seis anos."
Axel assentiu. "Você mora em casa?"
"Oh, inferno , não", eu disse, e Axel riu. "Na verdade, tem exatamente
uma vantagem por ser filho do meu pai – meu alojamento de graduação é
metade do preço, porque ele é um funcionário da faculdade.”
"Isso é útil."
“Toda essa configuração só funciona porque não preciso viver sob o teto
dele. Mas eu pego Scotty na escola na maioria dos dias. E eu levo as crianças
para algumas de suas porcarias depois da escola.”
Ele sorriu. "E para jogos de basquete."
"Sim. Eu tenho cinco ingressos para a temporada.”
"Para quem é o quinto?"
Senti meu rosto esquentar. "Amy".
Ele levantou uma única sobrancelha sexy. "Sua namorada?"
Lentamente, balancei a cabeça. "Ela é minha ex", eu disse. E isso era
tecnicamente verdade. Mas eu estava me escondendo muito por trás dessa
declaração.
"Vocês dois devem estar perto."
"Sim", eu praticamente grunhi. Eu estava muito deprimido desde que
Amy me contou sobre seu novo homem. Eu sabia que não era racional, mas eu
senti como se estivesse perdendo minha amiga.
"Novas perspectivas no horizonte?" Axel perguntou. Os olhos dele eram
lindos à luz de velas enquanto ele me estudava. Eu poderia dizer que ele estava
procurando pistas sobre minha orientação sexual. E maldito se eu não estivesse
lisonjeado. Mais uma vez - era o meu sonho realizado. Jantar com um cara
lindo que pode estar tentando descobrir se eu estava acessível.

57
Mas os sonhos eram para outras pessoas.
"Não", eu disse lentamente. “Eu não namoro. Não posso.” Dei outra
mordida de sua excelente culinária. Este foi o único jantar que ele já preparou
para mim. Eu também poderia gostar.
"Por que não?"
Eu tive que cavar fundo para encontrar coragem para responder. "Bem,
isso não sai da sala, ok?”
O rosto dele caiu. "Você pode confiar em mim."
"Hum ..." Eu dei uma risada nervosa. "Amy será a única namorada que
eu já tive.” Foi difícil encontrar os olhos dele, mas eu consegui. E em sua
expressão senti o calor refletido de volta para mim. “Mas se eu quero ter
contato com meus irmãos, não posso ... namorar mais alguém” eu disse. “O
velho me deixa fazer muito de suas educações. Mas se eu vivesse minha vida do
jeito que eu queria, ele cortaria contato. E eu não seria capaz de manter contato
e garantir eles estão sendo bem tratados.”
Ele largou a bebida. "Isso é deprimente, Cax."
"Eu sei. Mas são apenas mais seis ou sete anos .” Eu sabia que soou
amargo.
" Jesus ".
Houve um triste silêncio à mesa. Tendo descarregado eu mesmo, eu comi
o último frango.
"Eu sinto muito, você estar em tal situação", ele disse suavemente.
"Obrigado. É o que é. As pessoas passaram por pior.”
"Então, quando eu precisar saber se existem bares gays nos Berkshires15,
não devo perguntar a você?”
Meu coração tropeçou com a idéia de Axel à espreita, vivendo sua vida
enquanto eu me curvava sobre meus livros. “Nunca estive em um bar
gay. Desculpa."

15
São as regiões montanhosas em Massachusetts.

58
"Eu não acho que vou encontrar um aqui, de qualquer maneira", disse ele
silenciosamente. “Mas talvez você possa me dizer, onde devo ir nesta
cidade? Eu quero dizer geralmente. E, bem, onde eu não deveria ir?"
Essa foi uma boa pergunta. “Não que eu seja especialista no assunto, mas
a cidade de Henning é um lugar bastante seguro para ser gay. Dez milhas em
qualquer direção é bem rural. Mas ainda assim – isso é Massachusetts. O lugar
mais liberal do mundo.”
Ele sorriu. "Bom saber. O que mais você gosta sobre o lugar? Diga-me o
que preciso saber.”
“Ótimo - a livraria tem o melhor café. E observar as pessoas pode ser bom
lá. " Eu levantei meus olhos para os dele e sorri.
Era difícil acreditar em toda a merda privada que eu tinha dito a ele hoje
à noite. Mas depois da maneira desastrosa como terminou nossa amizade, foi
bom dizer a ele o porquê. E agora eu tinha um novo confidente. Confiar nele
era mais fácil do que eu pensei que seria.
"Obrigado." Axel riu. “Esse é exatamente o tipo de dica que eu estou
procurando."
“O restaurante na Rota 11 é excelente, mas não consigo por lá com muita
frequência. "
"Eu não tenho carro", ele admitiu. "Eu não quero gastar o dinheiro até ter
certeza de que o trabalho vai dar certo para mim. ”
"Por que não?"
Ele empurrou o prato para longe. "Nunca se sabe. Não sinto como se o
departamento de atletismo é formado por idiotas homofóbicos. Mas é um
departamento pequeno em uma escola pequena em uma cidade pequena. Eu
não posso simplesmente assumir que vou me encaixar em qualquer lugar.”
"Oh." Esse era exatamente o tipo de complicação em querer ficar no
armário me ajudou a evitar. Foi realmente a única vantagem de negar a mim
mesmo a vida que eu queria.
"As pessoas que eu conheci até agora parecem bem, no entanto ..."

59
Axel me contou sobre seu trabalho, e eu adorava ouvir sobre ele. Eu iria
esquecer o quão fácil costumava ser conosco. Como poderíamos lançar a merda
por horas. Nossa conversa foi para marketing e então programas de TV ...
Eu poderia ter ficado lá a noite toda. Mas eventualmente Axel empurrou
o apoio na cadeira e levou o prato para a pia. "Pare bem ai ”, eu disse. "Eu tenho
a louça."
"Você não precisa fazer isso", ele protestou.
"Mas eu quero." Eu carreguei meu prato também. Então eu coloquei uma
mão no ombro e lhe dei uma cutucada brincalhona fora do caminho.
Ele se virou para mim com um sorriso que eu sentia em todo
lugar . "Bem. Vou servir outra gota de vinho. Você não está dirigindo,
certo? Eu não vi um carro. "
"Certo." Porque eu sou paranóico sobre o meu carro ser visto fora de sua
casa . Eu era uma merda.
Lavei a louça e Axel secou. Eu bebi meu vinho parado na cozinha dele,
tentando não deixando meus olhos vagarem no corpo dele. Eu sabia que não
podia sentar no sofá com ele. Eu não confiava em mim mesmo.
Quando o copo estava vazio, coloquei-o no balcão. "Eu realmente deveria
ir. Mas isso é o mais divertido que já tive em muito tempo. ” Por quê não digo
a verdade, certo? Não é como se eu pudesse criar um hábito disso. Muito
arriscado.
Axel deve ter sentido meu martírio, porque ele parecia um pouco
triste. "Que bom que você conseguiu."
"Eu também." Peguei meu casaco na maçaneta e o coloquei. Eu entrei em
minhas botas. Mas então eu fiquei lá, sem saber o que dizer a seguir. Obrigado,
mas não podemos fazer isso de novo? Era realmente isso entre nós? Para
sempre? Parecia impossível.
Enquanto eu tentava entender tudo, Axel se aproximou. Ele estava me
observando atentamente, provavelmente tentando descobrir por que eu ainda
estava de pé como uma estátua em frente à sua porta fechada.

60
Quanto mais ele se aproximava, mais consciente dele me tornava. A
amplitude masculina de seus ombros parecia pairar na minha consciência. Eu
queria chegar e medi-los contra o comprimento das minhas mãos. A sombra
escura de sua barba me imploraram para estender a mão e tocar seu
queixo. Quão áspero, sentiria na ponta dos meus dedos?
Eu sabia que deveria virar e abrir a porta. Mas eu simplesmente não
podia me deixar fazer isso.
Seu rosto suavizou quando ele deu um meio passo mais perto. A distancia
entre nós havia meros centímetros agora. "Boa noite, Cax", disse ele
suavemente.
Eu? Eu não disse nada. Eu fiquei sem palavras e imóvel por todos os
meus desejos.
Axel deixou a mão direita deslizar para pegar a minha. Talvez eu tenha
conseguido transformá-lo em um aperto de mão estranho. E eu acho que ele
estava tentando me deixar fazer isso.
Mas fechei meus dedos em torno de sua mão e apertei.
Em resposta, Axel deu um puxão, me puxando em sua direção, deixando
ir apenas quando estávamos peito a peito. Eu senti suas mãos deslizarem por
baixo minha jaqueta e pousar na minha cintura. Cada célula do meu corpo
esperou para ele me beijar. Eu queria tanto isso.
Eu congelei quando Axel inclinou a cabeça, suspirando quando seus
lábios se moveram para roçar minha mandíbula. Arrepios subiram no meu
peito quando ele colocou um único beijo suave no canto da minha
boca. "Mmm", ele respirou. Então ele beijou minha bochecha. Então o lado do
meu nariz. Sua respiração fantasma sobre a minha pele, e eu fechei os olhos
com força, esperando.
E então eu não aguentava mais. Virei um fracionário grau e encontrei
seus lábios com os meus. E ... porra . Seus lábios eram macios e firmes quando
nos encontramos. O beijo foi tão ... terno . Passei meia hora contando a Axel
minha história de vida durante o jantar. Mas de alguma forma eu estava

61
dizendo a ele a coisa toda novamente em um momento. Quando nossos lábios
deslizaram juntos, tudo o que eu já senti por ele cantarolava entre nós.
Sua boca suavizou, e eu aproveitei, deslizando minha língua entre os
lábios. Eu era tão ganancioso. Ele provou vinho tinto e homem .
Seis anos eu esperei que isso acontecesse novamente. Eu gemia e minhas
mãos encontraram seu peito quando eu me inclinei contra ele. Esse firme, peito
maravilhoso.
"O que você quer?" ele sussurrou entre beijos suaves.
Mas é claro que não pude responder. Eu nunca dei palavras aos meus
desejos. Isso lhes deu muito poder. Eu mudei minhas mãos das costas e puxei-
o para mais perto. Meu pau já estava pesado e duro.
"O que você quer?" ele repetiu. Ele pegou uma das minhas mãos e
colocou sobre seu pau, que parecia tão duro quanto o meu. Deus eu queria
tanto, tanto. Dei-lhe um golpe firme e ele gemeu. "Eu vou te dizer o que eu
quero", disse ele, beijando meu queixo. "Eu quero arrastá-lo até a cama e
descobrir se você é um topo ou um fundo. "
Foi isso que me acordou.
"Eu não posso", ofeguei, empurrando meu corpo para trás. "Eu não posso
estar em qualquer uma dessas coisas. ” Meu peito estava doendo e todo o meu
corpo estava quente. Mas eu não podia continuar fingindo que estava tudo
bem.
Finalmente, fiz o que era necessário. Eu me virei, abri a porta e
sai. "Desculpe", eu murmurei. "Eu tenho que ir."
Horrorizado com o meu comportamento irregular, eu não conseguia nem
me fazer virar para acenar boa noite. O ar frio estava forte, e eu congratulei-me
com o choque no meu corpo superaquecido. Acima de mim, a porta fechou,
mas eu não conseguia pensar nisso agora. Não pude deixar minha mente voltar
para aqueles momentos com Axel. Para o meu comportamento ridículo.
Na minha frente, um caminho se abriu no parque.
Eu peguei.

62
Vagando pela floresta à noite deveria ter sido uma idéia estúpida, mas
havia uma boa lua hoje à noite, e iluminou a neve entre as árvores. O caminho
era uma faixa escura em direção ao campus. Então eu corri para o meu pequeno
quarto de merda no dormitório de graduação.
Era o que eu tinha que fazer.

63
CAPÍTULO OITO

AXEL
UMA SEMANA DEPOIS , eu acordei me sentindo só pra caralho. Era
sábado então não havia trabalho para onde ir. Isso deveria ter sido uma bênção.
Mas eu não tinha amigos, exceto aquele que beijei depois que ele
especificamente me disse que ele não poderia se envolver.
Isso tinha sido estúpido da minha parte. Tão estúpido. Eu poderia ter
tido um amigo em Henning, Massachusetts, mas agora eu não tinha nenhum.
Coloquei algumas camadas de roupa, meu iPod e meus sapatos de corrida
e percorri três quilômetros ao redor do bairro. Quando terminei de tomar
banho, ainda eram apenas nove e meia.
Não havia sequer um jogo de basquete para assistir. Então fiz a melhor
coisa seguinte: assei um monte de muffins. Eu iria usar minha receita favorita,
que era pêra e gengibre. Eu comi tres deles, engolindo-os com uma xícara de
café.
Eu ia ganhar 25 quilos se continuasse assim.
Deixando mais três bolinhos para amanhã, coloquei outra meia dúzia em
uma bacia de plástico e os carreguei pelas escadas para a porta dos fundos de
Caleb e Josh. Quando bati, a primeira coisa que ouvi foi um grito
arrepiante. Confuso, eu não poderia decidir se bato novamente ou se afasto. A
porta estremeceu aberta para revelar Josh parado lá com duas crianças muito
pequenas, uma em cada quadril. "Ei!" ele disse. Então ele sorriu. "São aqueles
bolos?"
"Eu não sabia que você tinha bebês." Eu entrei.
"Que bebês?" ele perguntou com uma piscadela. “Oh, você quer
dizer isso? " Ele levantou os dois um pouco mais alto quando eu fechei a porta.
"NÃO um bebê", protestou uma das pessoas pequenas em seus braços.

64
"Está certo", Josh concordou, ajoelhando-se para colocá-la nos pés
dela. “Você é uma garota grande. Então pare de tirar os brinquedos do seu
irmão bebê."
Ela saiu correndo da sala sem olhar para trás e depois uma terceira pessoa
pequena entrou no quarto, agarrando Josh ao redor do joelho.
"Olá, senhorita", disse Josh. "Diga oi para o nosso novo vizinho, Axel."
A garotinha olhou para mim. Então ela enterrou o rosto na perna de Josh.
Ele riu. “Esse é a Willy. Ela é filha da minha prima Miriam, e os outros
dois são filhos da minha prima Maggie. Nós passamos muito tempo
juntos. Miriam e Maggie estão fora fazendo compras juntas agora. "
"Uau", eu disse. "Você faz isso todo sábado?"
"Bastante. Isso dá às mães um tempo.”
"Tenho um bolinho", eu disse, colocando-os sobre o balcão. "Eu percebi
que eu ia comer a dúzia inteira, a menos que eu desse alguns longe. Eles são de
pêra e gengibre.”
Os olhos de Josh se arregalaram. “Você assou? Naquela pequena
cozinha?”
"Eu cozinhei em cozinhas piores que essa."
"Uau. Nem Caleb nem eu somos verdadeiros cozinheiros. Quero dizer ...
nós passamos. Mas são muitos hambúrgueres na grelha e macarrão com queijo
de uma caixa. " Josh se abaixou com a mão livre, interrompeu um pedaço de
um muffin, e enfiou na boca. Então seus olhos reviraram em sua cabeça. “Oh
caramba. Yum.” Ele interrompeu outro pedaço menor e ofereceu para o bebê
debaixo do braço. O bebê moveu o rostinho para o lado, recusando-o. "Mais
para mim", Josh disse, colocando-o na boca.
Eu olhei para toda a cena louca com um sorriso no rosto. Lá havia
brinquedos no chão e o som de desenhos animados vindos da televisão da sala
de estar. Mas Josh parecia imperturbável. Ele apontou no bule de café em cima
do balcão. “Quer uma xícara? Você terá que derramar para si mesmo. " Suas
mãos estavam ocupadas com o bebê e comendo bolinho.

65
"Certo. Obrigado." Eu realmente não precisava de mais cafeína, mas eu
queria demorar um pouco mais, e Josh não estava me apressando na
porta. Peguei uma caneca do armário que ele indicou e servi minha
xícara. Havia uma caixa de leite no balcão e eu me servi de um respingo.
Ele se jogou em uma cadeira de cozinha. "Esta uma loucura aqui
hoje. Você provavelmente pensará duas vezes antes de bater de novo.”
"De jeito nenhum. Meu apartamento tem aquele silêncio de cara novo.”
Josh assentiu lentamente. "Você fez um amigo, certo?"
Meu estômago apertou. "Você quer dizer…"
"Professor Williams." Seus lábios se curvaram em um pequeno sorriso.
Merda . "Não é assim", eu disse com um suspiro.
"Não?" Ele pareceu surpreso. "Eu apenas assumi que quando um cara
aparece na hora do jantar com uma garrafa de vinho debaixo do braço ... ”
"Não é assim", eu repeti. Se Cax precisasse tocar o homem hetero da
cidade, eu não ia estragar tudo pra ele.
"Que pena", disse Josh. "Eu teria investido dinheiro nele sendo gay. Ele é
hetero?"
Por dentro, me apaixonei pelo pobre Cax, que não gostaria de ouvir que
um de seus alunos havia assumido que ele era gay. "Bem." Eu engoli. “Ele está
melhor se não tentarmos especular. Lá são pessoas em sua vida que podem não
estar bem com isso.”
"Oh." O rosto de Josh caiu. “Eu sei exatamente como isso funciona. Não
diga mais nada."
“Na verdade, ele nunca esteve aqui na outra noite. Etcetera.”
"Eu não vi nada", disse Josh, comendo o resto do bolinho com uma mão
enquanto o bebê babava em seu ombro. "Como você o conhece, afinal?”
Agora há uma história . “Em Ohio, costumávamos ser amigos, mas ele
se mudou na escola.” Deixei alguns pontos cruciais na trama fora desse resumo,
é claro.
"De jeito nenhum! Então você conhece alguém na cidade.”

66
Sim, e eu o beijei, e agora ele não está falando comigo .
"Oi pessoal!" uma voz masculina chamou da sala de estar.
"Aqui!" Josh gritou.
Caleb apareceu na porta. "Ei! E aí?"
“Muffins assados com Axel. Entre aqui e experimente um destes.” Josh
levantou o recipiente para Caleb.
"Sem merda?" Ele pegou um.
"Língua", Josh repreendeu. “O que Chloe está fazendo na sala? Está
quieto demais.”
“Assistindo Elmo16. E desmontando o modem a cabo com uma chave de
fenda."
Josh revirou os olhos. "Você quebra você mesmo."
"Todo dia." Caleb se inclinou para beijar Josh na cabeça, e aquele
pequeno gesto fez meu coração doer. Eu já terei alguém meu?
Caleb sentou-se e nos contou sobre seu turno na garagem. Ele e seu
colega de trabalho tinham apostado se um terceiro colega de trabalho tinha
proposto a sua namorada na noite anterior. Mas quando eles ligaram para ele
para verificar, eles descobriram que ele a encontrou com outro homem ontem
depois do trabalho.
"Oh, cara ", disse Josh. "Isso é difícil." Ele pegou uma mamadeira de
bebê da mesa, enfiou o bebê na curva de seu braço e ofereceu ao rapaz o
mamilo.
A maneira como Josh se importava com essas crianças tão facilmente era
incompreensível. Eu não saberia o que fazer com um bebê se sentasse e me
desse instruções. "Você é tão bom nisso", eu disse, sentindo-me olhando.
"Não é estranho?" Caleb disse alegremente. "Mais café?"
Levantei-me e lavei minha caneca. "Eu deveria seguir em frente", eu
disse. "Deixar vocês com o seu sábado."

16
É um programa infantil desse bichinho aqui.
67
"Venha jantar alguma noite na próxima semana", ofereceu
Caleb. “Geralmente não é tão louco por aqui. ”
Eu sorri para ele por cima do ombro. “Eu não me importo com o
louco. Mas nós vamos jantar. Isso parece divertido." Eu coloquei minha caneca
na cremalheira de secagem.
"Obrigado pelos muffins!" Josh chamou.
"Você pode parar com isso a qualquer momento", brincou Caleb.
"Mais tarde, pessoal." Sorrindo para mim mesmo, fui até minha pequena
e quieta residência na casa da árvore. Por falta de algo melhor para fazer, eu
conectei para verificar meu e-mail de trabalho. Havia uma mensagem, de uma
conta de email pessoal chamada "Caxtrastrophe".

Querido Axel,
Só consegui encontrar um e-mail comercial para você. Mas eu
precisava dizer obrigado pelo jantar. Foi ótimo, e eu não tive muita diversão
em um longo tempo.
Eu também queria dizer que estava arrependido por ter saído e corrido
sem me explicar. Isso foi ridículo. Você provavelmente acha que sou
louco. Quando eu disse que não saí muito, eu obviamente não estava
brincando.
Espero que tenha um excelente fim de semana,
C.

Mudei para o meu email privado e escrevi uma resposta.

Querido Caxtastrophe,
Não peça desculpas. Você me disse as regras. Eu ouvi você alto e claro,
mas depois fui procurar brechas.

68
Desculpe por colocá-lo em uma posição tão difícil. Eu não vou fazer isso
de novo. A menos que você queira que eu faça. * Dando um tapa. * Ok, isso
não foi útil.
Vou tentar ser bom.
Axeldental

Eu apertei "enviar" e esperava que nossa amizade pudesse ser


ressuscitada. No entanto, minha consciência me incomodava. Eu nunca
pararia de querer ele. E eu nunca pararia de tentar descobrir como tê-lo.
Tinha que haver um jeito.

69
CAPÍTULO NOVE

CAX
INVERNO CHEGOU , trazendo outro pé de neve para
Massachusetts. Escrevi dois trabalhos para as aulas que estava cursando e
notas para a turma em que eu era TA17. Joshua Royce escreveu um bom artigo
sobre a história da pecuária leiteira em New England. Eu dei a ele um A-.
Ele nunca mencionou minha visita ao apartamento de seu inquilino, e eu
com certeza nunca trouxe isso à tona.
Sentado em uma cubículo da biblioteca após o expediente, fiz algumas
notas sobre um manuscrito que eu estava lendo, enquanto checava periódicos
da minha conta de e-mail particular.
Hoje em dia, eu checava a maldita coisa a cada cinco minutos, como um
adolescente doente de amor. Eu sabia que estava sendo patético. É só que eu
não podia evitar.
Nas últimas semanas, Caxtastrophe e Axeldental trocaram dezenas de
mensagens curtas. Exceto pelos dois primeiros, onde pedimos desculpas um ao
outro, não havia muito conteúdo pesado. Em vez disso, tudo o que dissemos foi
leve e engraçado. Amigável.
E glamouroso . Mas não de uma maneira suja. Axel não enviou fotos do
pau dele ou qualquer coisa. Em vez disso, ele enviava fotos de seu jantar ou
alguma coisa - como uma costeleta de frango caseira coberta de molho
marinara e mussarela. Com fome? Há muito , ele escreveu.
Claro que eu sai fora, minha desculpa sendo o jogo dos Bulls que estava
na TV. Enviei a ele uma foto dos meus pés apoiados em cima da mesa de café
com a TV em segundo plano.

17
Assistente.

70
Eu me perguntei se ele me perguntaria quando eu me tornei fã de Bulls.
Quando morávamos em Ohio, o Bulls era seu time, enquanto eu não gostava
muito de basquete. Eu só joguei no retiro da igreja porque Axel gostava
tanto. Não foi até depois de nos afastarmos que eu comecei a seguir o basquete
a sério.
Porque isso me fez pensar nele.
Mas quando ele respondeu, Axel não mencionou os Bulls. Oooh! Como
você sabia que eu tinha um fetiche por pés? Só brincando. Ninguém realmente
tem isso, certo? Quero dizer, ninguém que cheirou meu tênis de basquete .
Trocamos e-mails o tempo todo agora. Assim, sua conversa tornou-se
parte da minha vida novamente, e isso me fez ridiculamente feliz. A nossa era
uma amizade estranha e eletrônica. Nós éramos amigos de vinte dois anos que
moravam a apenas três quilômetros de distância. Bem patético, mas eu não
insisti nisso. Porque ser seu amigo por correspondência era minha única opção.
Posso fazer uma pergunta? Axel escreveu uma noite. O que seu pai faz
para trabalhar aqui na cidade? E como ele consegue manter o pé dele nas
suas costas agora que você não mora em casa? Desculpe se é uma pergunta
muito pessoal. Você não precisa me dizer .
Eu preferia nossos e-mails leves e glamourosos. Mas eu respondi apesar
de tudo.

Ele trabalha para a faculdade. Ele executa o programa ROTC18 e


ministra um curso de história militar.
E quanto à outra pergunta, estou ciente de que ele não pode realmente
ficar de olho em mim. Mas quando voltei para cá, disse a ele que queria ajudar
com os meninos. E ele apenas expôs – uma ameaça. Se minha "bunda gay"
estivesse com um homem, eu nunca veria meus irmãos de novo.
Você tem alguma ideia de como foi difícil escrever isso? Porque eu sei
que é ridículo. Ele não deveria poder me pedir ser um homem hetero. Ele não

18
É tipo uma escola para oficiais. Tipo os militares e marinha.

71
deveria se importar, e ele não deveria ter qualquer idéia de que ameaças
possam me transformar em outra pessoa. Há nada sobre seu comportamento
que faça algum sentido. Mas eu tenho que seguir suas regras estranhas ou ele
cortará o acesso a Scotty, que precisa de mim mais. Jared e Mark com quem
eu provavelmente ainda poderia conversar às escondidas.
Ele os interroga também. Como, com quem você estava no jogo de
basquete, etc. Vivo a vida que ele exige, porque não posso me dar ao luxo de
descobrir o que acontecerá se eu escorregar.

Eu apertei "enviar" antes que meu ego pudesse pensar muito sobre o que
eu escrevi. Não só odeio meu pai, como muitas vezes me odiava por ir junto
com sua besteira. É que eu não conseguia descobrir como parar.

Axeldental para Caxtastrophe: Sinto muito. Me desculpe que seja assim


que é, e me desculpe, eu fiz você falar sobre isso. E eu sinto muito mesmo que
não há como passarmos tempo juntos. Mas pelo menos agora eu entendo por
que não podemos .

Caxtastrophe para Axeldental: Ugh. Obrigado. Movendo.


Há um lugar que vamos nos ver, no entanto. Pelo menos espero que
sim. O basquete intramural começa na próxima semana. E o primeiro jogo
na programação é entre a escola de pós-graduação e departamento atlético .

Axeldental para Caxtastrophe: Eu ia perguntar sobre isso. Tudo bem se


eu jogar? Boz me colocou na academia para praticar na última
semana. Parece uma liga divertida.

Caxastrophe para Axeldental: Claro que tudo bem se você jogar. Que
local mais viril existe do que a academia? Estou contando com você estar
lá. (Insira uma palestra sobre como vou limpar a quadra com você, etc.)

72
Axeldental para Caxtastrophe: (Insira palestra sobre como você vai
perder muito, etc.)

Caxastrophe a Axeldental: Traga-o, falador.

Axeldental para Caxtastrophe: Você pode apostar nisso.

Nada poderia ter me mantido longe desse jogo. Jogando contra Axel
provavelmente seria o destaque da minha queda nesse semestre. Isso era muito
triste, mas como com tudo o mais na minha vida, não havia sentido em insistir
nisso.
Eu não conseguia nem me concentrar na biblioteca naquela tarde. Eu
ficava olhando pela janela, vendo o sol avançar lentamente em direção ao
horizonte. Quando finalmente estava escuro lá fora, eu parei de fingir que
estava estudando. Arrumei minhas coisas e fui até a academia.
Naturalmente, mesmo antes das equipes aparecerem na academia, o
resultado foi predeterminado. Candidatos a doutorado versus atletas
hardcore? Por favor.
Mas eu estava ansioso por isso. Eu perderia um milhão para fechar se
significava jogar basquete com Axel mais uma vez.
Quando cheguei à academia, meus olhos ansiosos não encontraram
Axel. Tentando não me sentir decepcionado, deixei minha mochila cair nas
arquibancadas e tirei minha jaqueta de lã. Então eu verifiquei meu telefone
mais uma vez.
Sem mensagens.
"Todos nós podemos tomar cervejas depois disso?" perguntou meu
companheiro de equipe, Jason. Ele largou a jaqueta no banco ao lado da minha.
"Certo. Vamos fazer isso."

73
Jason era alguns anos mais velho que eu, e apenas o tipo de humano
descontraído que jogava nesta equipe divertida. Tecnicamente ele deveria ter
sido inelegível para a equipe da escola de pós-graduação. No nosso primeiro
treino em equipe na semana passada, ele me disse que se formou no programa
de arquitetura no último semestre. Mas ninguém dava a mínima se ele não era
um estudante de pós-graduação não mais. Este era o campeonato mais casual
de todos os tempos.
Sair para tomar cerveja depois parecia divertido. Eu não tinha muito
dinheiro para gastar, mas essa equipe e as ocasionais saídas à noite tornaria
minha vida enclausurada em Henning mais suportável.
“Podemos precisar de mais de uma cerveja para estancar o sangramento”
comentou Jason, tirando a blusa de moletom. "Parece que o departamento de
atletismo pegou um novo jogador. Não reconheço esse cara do ano passado. "
"Sim?" Minha pressão arterial disparou e dei toda a minha atenção para
vestir meus sapatos de ginástica.
"Oh sim. Estou sentindo nossas chances de pontuação apenas caindo
alguns entalhes. Mas, ei” Jason murmurou. "Pelo menos ele é gostoso."
Meu pulso acelerou mais um pouco, porque agora eu era positivo que
Axel foi quem entrou. Esse comentário "gostoso" claramente descrevia Axel.
E não era engraçado que eu nunca tivesse percebido que Jason era gay?
Meu gaydar era terrível. Porque nunca houve prática.
Ouvi o som familiar do salto de basquete confiante no chão, e sabendo
que era Axel se aquecendo me fez sentir quente em todos os lugares. Eu
adorava jogar um a um juntos, porque me permitiu realmente focar nele sem o
escrutínio de ninguém. Eu podia assistir seu belo corpo mover, e eu poderia
chegar o mais perto possível dele enquanto lutava pela bola. E ninguém nunca
pensou que era estranho.
"Vamos lá", disse Jason, me dando um tapa nas costas. "Vamos levar
nossa surra. ”

74
Quando me levantei, meus olhos foram imediatamente para Axel. Vê-lo
em uma camisa de basquete e shorts praticamente me derrubou. Eu não pude
deixar de assistir seu braço musculoso casualmente trabalhar a bola. Droga.
Ele levantou o queixo em uma saudação sutil. Então ele virou de volta
para mim e atirou, afundando um ponteiro de três pontos perfeito.
Exibido . Enterrei meu sorriso quando o árbitro voluntário soprou o
apito. "Vamos, senhoras", ele chamou. "Eu tenho um encontro depois disso."
"Bem, não vamos deixá-la esperando", rosnou Boz, o grande ex- jogador
de futebol da equipe do departamento de atletismo. Ele não podia pular por
merda, mas ele era grande o suficiente para atrapalhar os piores momentos. Ele
e Axel se alinharam para o aviso, e eu me perguntei como eles se davam no
trabalho. Boz parecia um cabeça oca, mas Axel tinha me dito que ele era um
cara legal. E lá havia algo de alegre em seu comportamento que sugeria que ele
pode não ter tempo para intolerância.
Nem todo mundo no mundo era um idiota como meu pai. Mas crescer
em sua casa me deixou desconfiado, e eu não sabia se algum dia eu superaria
isso.
Eu ainda estava intrigado com isso quando o juiz jogou a bola e Axel
venceu a dica. Claro que ele fez. Ele bateu no chefe deles - um cara mais velho
- que passou para Boz. Axel mudou-se para a posição de receber a bola, então
é claro que eu me joguei para bloqueá-lo.
E assim, o tempo retrocedeu.
Nós disputamos posição. Inclinei-me, tentando cobrir o rosto de Axel
esticando com meu alcance um pouco mais longo, mas menos qualificado. Ele
bufou rindo e me senti ficar mais jovem. Tínhamos catorze de novo e
inocente. Não havia nada além do chão de madeira polida, bola, aro e chiado
de borracha enquanto disputávamos a bola.
Nossa equipe afastou a bola de Axel e jogou a corrida outro extremo da
quadra. Jason passou por mim e Axel era como uma parede sobre rodas. Em

75
todo lugar que eu olhava, ele me impedia. Finalmente, ele fez falta enquanto eu
tentava romper.
O apito soou e nós dois estávamos ofegantes. Axel limpou o suor da testa,
o peito se expandindo visivelmente. Quando seus olhos encontraram o meu,
eles brilhavam com o amor pelo jogo, e um reconhecimento silencioso de que
já havíamos feito isso antes.
Coloquei meus pés atrás da linha de lance livre e afundei meu primeiro
tiro.
"Nada mal para um nerd", Axel disse baixinho.
Mordendo meu lábio para evitar sorrir para ele, afundei o segundo.
Os próximos vinte e poucos minutos passaram. Quando o árbitro tocou o
apito após o primeiro tempo, eu mal podia acreditar. Caminhando peguei
minhas coisas e peguei minha garrafa de água e dei uma longa tragada.
"Você está pegando fogo hoje à noite", disse Jason. "A sério. Alguém
comeu seus Wheaties19 hoje.”
"Era aquela xícara extra de café." Mas isso não era nem perto da
verdade. Foi muito divertido lutar contra Axel. Eu iria sentir muita falta
dele. Meu telefone tocou e eu peguei isso.
Ei, Caxtastrophe - boa agitação, mas você ainda está perdendo.
Minha resposta foi breve. Ei Axeldental - me morda.
Sua resposta: Eu pensei que você não estava mais nisso . Mas você sabe
onde me encontrar…
Eu bufei. Desligando o telefone, tirei a toalha da testa e voltei a jogar. Na
quadra era o único lugar seguro para nós estarmos próximos um do outro. Eu
só teria que aproveitar cada minuto.

19
76
Cereais.
Perdemos o jogo por alguns pontos, mas eu não tive muito diversão em
um longo tempo.
"Eu tenho que tomar um banho antes de irmos para Bruisers" Jason
disse.
Espontaneamente, meus olhos se voltaram para a porta do vestiário. Eu
me perguntei se Axel estava a caminho. O vestiário teria que estar fora dos
limites para mim. "Eu tenho que parar em casa por um minuto. Encontro você
no bar?”
"Certo! Vou ver se alguém da equipe vencedora quer se juntar a nós."
"Parece bom. Me dê trinta minutos.” Eu saí praticamente
cantarolando. O mundo era um lugar mais brilhante com Axel nele. Mesmo se
eu não pudesse ter o que queria, apenas vê-lo do outro lado da sala me fez
feliz. E talvez ele estivesse vindo para o bar…
Em casa, eu estava secando depois de um banho rápido quando meu
telefone tocou. Não reconheci o número. "Olá?" Eu respondi, esperando que
fosse um número errado.
Não era.
"Ei", disse meu irmão Jared.
"Onde você está?" Eu perguntei, sabendo imediatamente que algo estava
errado. Jared não faz ligações sociais.
"Na casa de Rob." As palavras eram grossas e indistintas. "Você pode me
pegar?"
"Claro", eu disse primeiro. "Você está bêbado?"
"Não conte", ele implorou.
Eu estava de pé ao lado da porta do meu quarto, e fez um perfeito alvo
para bater minha cabeça contra. Thunk. Thunk . "Diga-me como encontrar a
casa de Rob.”
Assim mesmo, minha noite explodiu.
Depois de me vestir às pressas, dirigi até uma casa de dois andares em
um bairro residencial do outro lado da cidade. Felizmente eu não precisava

77
entrar para encontrar meu irmão errante. Ele veio tropeçando para fora da
porta assim que eu parei, então derramou-se no meu banco do
passageiro. "Obrigado", ele murmurou.
Reserve um momento para estudar sua angular mancha de espinhas no
rosto, tentei descobrir o que dizer. "Você quer me dizer o que aconteceu?"
Ele gemeu. “Eu disse ao papai que estávamos estudando para um teste,
mas os pais de Rob estão fora da cidade. Ele é tipo ... 'Vamos beber vodka,
porque nunca tocam nisso. '”
"Então você fez isso."
Ele olhou pela janela. "Você está bravo?"
Tomei cuidado com a minha resposta, porque precisava que ele chegasse
para mim, mesmo quando ele tinha sido estúpido. "Você fez exatamente a coisa
certa, me chamando pra carona. ”
Ele resmungou.
“Há mais alguma coisa que precisamos fazer? Você acha que alguém está
em perigo?"
Jared balançou a cabeça. "Eu bebi mais."
"Por quê?"
Ele suspirou. "Eles disseram que eu era covarde."
"Jared, isso foi ..."
“Realmente idiota. Eu sei."
Coloquei o carro em marcha. "Você vai cair nessa merda novamente?"
A resposta foi quase baixa demais para ouvir. "Não."
Fui de carro até a lanchonete, porque precisava deixá-lo sóbrio antes de
levá-lo para casa para o idiota que se chamava nosso pai. "Vamos. É uma noite
de escola. Jesus. Mas nós vamos te pegar algumas panquecas e café. Você pode
comer?"
"Sim."

78
Ele não estava muito instável e não parecia verde. Isso era
bom. Enquanto eu pedia à garçonete, ele escondeu sua cara olhando pela
janela. "Você estava em casa?" ele perguntou eventualmente.
"De saída."
"Com Amy?"
"Não. Eu acabei de jogar um jogo de basquete e estávamos indo para uma
cerveja no Bruisers. "
"Eu quero a sua vida", disse ele.
Minha risada escapou antes que eu pensasse melhor. "Você não quer a
minha vida.”
"Por quê?"
Eu balancei minha cabeça. "Ei, há algo que preciso lhe contar."
O jeito que ele virou a cabeça em minha direção fez parecer
anormalmente pesado. "O que?"
"Amy e eu terminamos."
"Porra." Ele piscou, atordoado. "Por quê?"
"Estamos juntos há muito tempo, só isso." Eu tinha estado imaginando
que motivo dar, e parecia ainda mais seco saindo da minha boca do que tinha
na minha cabeça.
Os olhos dele se estreitaram. "Você traiu?"
"Não! Jesus . Ninguém traiu.” Era difícil saber o que dizer quando toda a
conversa era uma mentira. “Ainda somos amigos. Ela provavelmente virá aos
jogos de basquete conosco.”
"Talvez vocês voltem a se reunir." Ele parecia tão patético sentado à
minha frente, sua raiva adolescente o envolveu como um casaco, os olhos
pálidos e angustiados.
"Talvez", eu menti. Se ele tivesse que se acostumar com essa ideia, então
que assim seja.

79
Meu telefone tocou com uma mensagem de Jason, imaginando onde
porra eu estava. “Desculpe” , eu respondi. “Emergência familiar. Espero que
você não esteja sentado ai sozinho .”
A resposta foi rápida. “Não se preocupe. Temos seis de nós aqui. Vejo
você nas minas de sal .”
Eu me perguntava quem eram os seis e se Axel estava entre eles.
Suspiro .
A garçonete entregou a comida e Jared entrou.
"Vou ligar para o papai", eu disse.
"Por quê?" Ele olhou bruscamente.
"Confie em mim. Não vou jogá-lo embaixo do ônibus.” Eu disquei e o
velho ranzinza atendeu no terceiro toque. "Ei, pai", eu disse, mantendo minha
voz leve. “Estou sentado aqui na lanchonete com Jared, e percebi que estava
ficando tarde. Você não precisa esperar, eu vou deixá-lo em casa dentro de uma
hora.”
Houve uma pausa no final da linha. "Eu pensei que ele estava na casa de
um amigo."
"Ele estava. Mas eu queria vê-lo. Eu tinha que dar a notícia que Amy e eu
terminamos. " Esta foi a minha estratégia – me jogar debaixo do ônibus. Mas
ele ia ouvir sobre isso eventualmente. Provavelmente de Scotty, que não tinha
filtro.
Dois pássaros. Uma pedra
"O que?" meu pai disparou. "Você traiu?"
Jesus Cristo . Minha família assistia muitos filmes. "Desculpe
decepcioná-lo, mas não há história real aqui.” E observe que ninguém
disse: Hey Cax, sinto muito. Isso deve ser difícil para você .
Meu pai deu um grunhido ininteligível. "Você está trazendo a criança pra
casa?”
"Coisa certa. Depois que ele comer suas panquecas.”
"Tudo certo."

80
Eu sabia que não devia esperar um “ Obrigado, Cax. Você é um bom
irmão e um trunfo para a família . ” "Boa noite", eu disse.
"Boa noite." Clique.
Suspirei. "OK. Coma devagar. Ele vai para a cama porque sabe que eu
tenho você coberto. Você nem precisa fingir estar sóbrio."
Jared colocou um cotovelo na mesa e levantou os olhos para os meus.
"Obrigado."
Aw. Lá estava . "De nada. Se você entrar em uma situação,
você sempre pode me ligar.” Eu resisti à vontade de dar um sermão nele sobre
beber. Esta noite ele só precisava saber que eu apareceria para socorrê-
lo. Amanhã eu poderia dar a ele a palestra.
Depois que ele limpou o prato, eu o levei a uma farmácia 24 horas para
alguns Advil e algumas balas de hálito, apenas no caso do nosso pai não estar
dormindo.
Então eu levei meu irmão para casa e disse que o amava quando ele saiu
do carro. E mesmo que ele não tenha respondido, eu ouvi de qualquer maneira.

81
CAPÍTULO DEZ

AXEL
CAX NÃO APARECEU no bar naquela noite.
Eu me diverti muito bebendo com Boz e mais alguns caras, mas me
incomodou que Cax não tivesse vindo. Ele jogou um inferno de um jogo de bola,
e ele não tinha se esquivado de mim na quadra. Era realmente muito arriscado
compartilhar uma cerveja em um bar de esporte lotado com o cara
gay? Ou pessoal , se contássemos Jason.
Foi um momento divertido. Tendo Cax lá teria feito isso perfeito.
Na manhã seguinte, enviei um email a ele da minha conta pessoal.
Provocando, é claro.

Axeldental: Bem, você não é MUITO fácil de vencer no bball como você
costumava ser .

A resposta não demorou muito.

Caxtastrophe: Obrigado. Eu acho .

Axeldental: Isso vai parecer estranho. Não te vi ontem à noite, e eu só


queria saber se era por causa de mim. Eles eram seus amigos primeiro, então
se eu te deixar desconfortável, eu posso simplesmente sair da próxima vez .

Caxtastrophe: Você não era o problema . Eu estava realmente no meu


caminho até Bruisers quando recebi uma ligação do meu irmão. Ele precisava
de uma carona e uma breve palestra sobre pressão dos colegas e menores
bebendo.

82
Axeldental: Hein. OK. Então eu não precisava me expor como
paranoico e vaidoso? Ops .

Caxtastrophe: :-)

Axeldental: Isso significa que você pode beber cervejas em um bar


comigo algum dia?

A resposta demorou um pouco dessa vez.


Caxtastrophe: Provavelmente? Com o que estou concordando agora?

Axeldental: Aqui está o meu plano . O time de basquete tem um jogo em


Merryline neste fim de semana. É cerca de duas horas de carro. Depois do
jogo, vou a um bar chamado The Shaft. Sim esse é o pior nome para um bar
gay de todos os tempos. Mas recebeu boas críticas. Isso seria mais divertido
se você fosse comigo .
Depois de enviar a última mensagem, olhei meu telefone como um falcão
à procura da próxima refeição. Mas não houve resposta por horas.
O dia passou lentamente. Escrevi comunicados de imprensa e trabalhei
em segmentar a lista de discussão do departamento atlético por esporte. E a
cada dois minutos eu olhava meu telefone, esperando que Cax respondesse.
Ele me tirou da minha miséria eventualmente.

Caxtastrophe: Então, como essa pequena excursão funcionaria?

Mordi o interior da minha bochecha para não sorrir como um


idiota. Então eu respondi a ele.

Axeldental: Vou pegar o ônibus da equipe para Merryline. Mas eu


reservei em um hotel diferente, porque gosto da minha privacidade. Depois

83
do jogo, vou de táxi para o bar. Você teria que subir. São cerca de noventa
milhas. Mas você pode bater no meu quarto de hotel se você quiser.

Não vou mentir - reescrevi a mensagem mais algumas vezes, tentando


parecer casual. Levei um tempo para pressionar enviar. Eu odiava rejeição
tanto quanto o próximo cara. Mas se você não perguntar, você já não pode ouvir
"sim".
Para me afastar do meu telefone, fui correr depois do trabalho. Esteiras
não eram para mim, mas havia neve no chão praticamente o tempo todo
agora. Então eu achei a pista coberta da faculdade e bati quatro milhas ouvindo
hip-hop no meu iPod. Quando cheguei em casa, encontrei três emails em
sucessão.

Caxtastrophe: Você está procurando brechas novamente. Eu não posso


ter brechas.
Caxtastrophe: Eu não conheço uma alma em Merryline.
Caxtastrophe: O que um cara veste em um lugar chamado The
Shaft? Estou imaginando calças de couro e uma coleira de cachorro .

A última mensagem me fez uivar de tanto rir quando tentei imaginar Cax
vestido de forma conservadora em couro.

Axeldental: Eu estou vestindo jeans e uma camiseta. Eu imagino que o


colar é opcional .

Não houve mais mensagens naquela noite e nenhuma no dia seguinte.


Havia alguma chance de ele vir para Merryline? Provavelmente não. Eu
me convenci de que foi louco perguntar a ele. Mas a esperança é eterna. Então
eu coloquei preservativos e lubrificante no interior do bolso da minha mala
noturna. E eu trouxe uma bela camisa para vestir para o bar. Eu disse a mim

84
mesmo que valia a pena, de qualquer maneira. Eu estava indo a um bar gay
pela primeira vez em meses. Eu poderia também parecer bom.
Tirei Cax da cabeça quando subi no ônibus da equipe sexta-feira. Havia
muito encanto de basquete no ar para estressar sobre isso, de qualquer
maneira. Ouvi o discurso do treinador e ouvi os jogadores se preparando. E eu
tentei apreciar as partes da minha vida que estavam indo bem.
Afinal, solitário era um estado de espírito. E eu não estava indo escolher
esta noite.

85
CAPÍTULO ONZE

CAX
EU NÃO TINHA IDEIA de como eu iria apontar meu carro para
Merryline, Massachusetts. Isso é o que eu estava dizendo a mim mesmo.
Antes eu perguntei a Amy se ela queria ver um filme. Isso foi a primeira
vez que eu pedi para ela sair desde que ela me disse sobre o namorado de
TI. Mas eles tinham planos juntos. Claro que eles tinham.
Eu estava tão desesperado para não ficar perdido que perguntei a cada
um dos meus três irmãos no cinema. Eu estava preparado para ver uma criança
mexer com Scotty. Foi assim que eu estava desesperado. Mas para um cara, eles
estavam ocupados. Até Scotty, tinha um aniversário de festa do pijama.
Era como se Deus tivesse ordenado que eu dirigisse para Merryline para
estar com Axel.
Eu joguei uma muda de roupa e uma escova de dentes na minha mochila
e, quando o GPS me direcionou para fora da cidade, eu disse uma oração
silenciosa de que nenhum dos meus irmãos acabaria precisando de mim hoje à
noite. Seria apenas o meu tipo de sorte para alguém ter uma crise quando eu
estava a noventa milhas de distância.
Ainda assim eu fui. Essa aventura parecia uma oportunidade roubada.
Ninguém sabia para onde eu estava indo, nem mesmo o homem que eu estava
indo ver. Meu pai nunca saiu da cidade. E ele não tinha amigos em Merryline,
um subúrbio elegante onde os ricos de Boston se mudaram para ter jardas
maiores.
Foi incrivelmente libertador sair da minha vida por uma noite.
Depois, houve a questão do bar gay. Quando Axel tinha me escrevido que
ele estava indo, minha primeira reação foi, eu poderia nunca ir a um lugar
assim . Mas depois de pensar nisso por um tempo, imaginei Axel indo para lá

86
sozinho. E então eu imaginei Axel sendo batido por metade dos homens no
bar. Isso incomodou a merda fora de mim, porque eu sabia que isso iria
acontecer.
Claro, meu cérebro traidor moveu o devaneio bem junto - até Axel saindo
com um cara. Axel se beijando com ele em uma cama de hotel. As roupas de
Axel saindo…
Essa imagem foi o que finalmente me deu incentivo suficiente para deixar
de lado meus medos e entrar no carro.
Era uma estrada longa e sinuosa para o leste em direção aos subúrbios de
Boston. Quando cheguei perto, parei meu carro para abastecer e, enquanto o
combustível enchia meu tanque, enviei um email para Axel. Ele checava a conta
de e-mail, não é? A menos que ele já tivesse me dispensado.

Caxtastrophe: Onde você está? Estou a cerca de dez minutos do bar .

Eu recebi minha resposta antes que a bomba desligasse.


Axeldental: Mudando para sair. Me pegue no Merryline Motor Lodge?

Ele não expressou nenhum choque por eu estar aqui. Eu não sabia se
ficava irritado ou agradecido.
Para a confusão do meu dispositivo GPS, eu desviei para o motel dele.
Quando entrei, percebi que não sabia como encontrá-lo. Mas na segunda vez
que examinei a fileira das portas dos quartos do motel, vi Axel correndo em
direção ao meu carro.
Ele abriu a porta e deslizou no banco do passageiro. "Ei," ele disse. Como
se fizéssemos isso o tempo todo.
"Ei. Ainda não tenho certeza de que foi uma boa ideia.”
Ele sorriu para mim, aqueles olhos de chocolate brilhando. O sorriso que
ele me deu foi direto para o meu pau. “Claro que você não tem. Mas estamos
fazendo isso de qualquer maneira.”

87
"Realmente? Você quer ir para um lugar chamado The Shaft?”
Ele apontou o para-brisa. “Dirija, Cax. Nós temos que ver o local, mesmo
que seja apenas pelo valor do entretenimento. Vamos."
Então eu dirigi. Era apenas a alguns quilômetros de distância, e quando
eu puxei para o estacionamento, a voz feminina do meu GPS anunciou o
resultado. "Você chegou ao ... The Shaft!"
Nós caímos na gargalhada. E me senti muito bem.
Segui Axel até uma sala cavernosa e cheia de gente. Os homens eram três
no bar. Havia mesas ao redor das bordas do lugar e as mesas de sinuca no canto
oposto.
Axel falou no meu ouvido, porque era tão alto que eu não o ouviria de
outra forma. "Eu vou lutar até o bar por algumas bebidas. Você quer um copo
de cabernet?”
Eu balancei minha cabeça. "Cerveja. O que você estiver bebendo.” Eu
peguei minha carteira, mas ele colocou a mão na minha. "Eu tenho isso. Volto
logo."
Ele se afastou e eu deixei meus olhos vagarem, tentando entender tudo.
Homens com homens, até onde os olhos podiam ver. Eu sempre me perguntei
como era a liberdade. E agora eu sabia - parecia esse lugar. Havia algumas
mulheres aqui e ali, mas elas eram a exceção. Vi principalmente homens em
pares, com as cabeças juntas - conversando, rindo. Beijando . Eu tentei não
olhar, mas a sua abertura era uma educação para mim.
Meus olhos ficavam olhando para um casal em particular - dois caras em
seus vinte anos. Cada um deles segurava uma garrafa de cerveja em uma mão
e o bíceps do outro homem no outro. Eles estavam pressionando o beijo depois
de um beijo de boca aberta um contra o outro. Como amantes há muito
perdido.
E agora eu estava duro e me sentindo culpado por olhar.

88
Axel voltou com quatro garrafas de Shipyard Ale20. "Vamos encontrar
algum lugar mais calmo” ele disse, apontando o queixo na direção dos fundos.
Eu o segui até uma mesa alta recentemente abandonada, copos vazios ainda
bagunçados.
Um garçom vestindo jeans pintados e uma camisa regata apressou-se
para limpar isso para nós. "Obrigado", eu disse antes de me sentar em um dos
bancos de bar.
“Nenhuma pista de dança. Que chatice” disse Axel, empurrando duas
cervejas para minha direção. Então ele riu. “Você deveria ter visto o olhar na
sua cara quando eu disse 'pista de dança'.”
"Eu não danço."
Ele sorriu. "Nós vamos trabalhar nisso."
Nós não iríamos, no entanto. Não haveria mais noites como essa. Eu não
conseguia sair da minha vida com muita frequência, e mesmo agora eu estava
preocupado que meu telefone vibrasse no meu bolso com algum novo desastre,
e o show terminaria. Então eu peguei uma longa atração da excelente cerveja
que Axel havia escolhido e deixei meus olhos flutuarem pela sala. "Deixe-me
fazer uma pergunta."
"Atira."
“Se eu não viesse aqui com você hoje à noite, qual é o seu jogo de
costume? Você encontraria alguém com quem ligar?” Eu nunca tive a chance
de entrar na vida que eu queria. Mas mesmo se ninguém se importasse com o
que eu fazia, não tinha certeza de como me encaixaria na cena de conexão. A
ideia de ficar nu com um estranho que eu conheci em um bar era intimidante.
O sorriso deslizou de seu rosto. "Bem, eu gosto de vir a esses lugares, e
sempre há alguém à espreita.”

20 89
Eu não duvidava. Qualquer um daria uma olhada em Axel e compraria
uma bebida para ele. Ele era o pacote inteiro - corpo lindo, rosto
fofo. Esperto. Divertido. Exatamente o cara que eu gostaria se pudesse
namorar um homem.
“Mas eu não faço muitas ligações em bares. É arriscado.” Seus olhos
fizeram uma verificação rápida da sala. "Na faculdade ... eu estive em situações
antes de me sentir inseguro. Não é o tipo de coisa que você deseja repetir."
"Aposto."
Ele voltou seu olhar para mim. "Então, se eu viesse aqui sozinho hoje à
noite, eu provavelmente jogaria sinuca.” Ele inclinou a cabeça na direção das
mesas no canto. “Mas no final da noite, eu provavelmente deixaria sozinho. A
menos que houvesse um cara super frio e charmoso que me fizesse sentir
seguro e animado. E ele parecesse um cruzamento entre Zac Efron e Channing
Tatum. "
Eu ri. "Boa sorte com isso."
Ele apoiou uma de suas lindas maçãs do rosto na palma da mão e sorriu
para mim. "É assim que penso em você."
Engoli minha surpresa atrás de um gole de cerveja. "Isso é um pouco de
um trecho, meu amigo. Eu acho que o juiz vai discutir essa ligação. "
Ele não disse mais nada. Havia apenas o sorriso dele, que senti na virilha
e o calor em seus olhos. Cristo . Eu não deixei eu mesmo pensar em como essa
noite pode terminar. Meu plano era ficar sóbrio o suficiente para voltar para
Henning. Mas eu sabia que Axel tinha idéias diferentes sobre esta noite. E eu
fiz uma mala, apenas no caso de…
"O que você está pensando?" ele perguntou.
"Nada. Quer jogar sinuca?”
O sorriso dele era provocador. "Certo. Mas não fique muito chateado se
eu esmagar você como um inseto. "
"Vamos ver isso."

90
Eu venci ele nos dois primeiros jogos. Mas então minha atenção vacilou,
porque toda vez que eu me inclinava sobre a mesa, sentia os olhos escuros de
Axel em mim. E toda vez que ele passou por mim para alinhar seu próximo tiro,
meu corpo aqueceu em todos os lugares. Ele também sabia disso, aquele
idiota. Ele começou a colocar uma mão nas minhas costas de vez em quando.
Seu toque era casual, mas meu corpo não se importava. Eu queria mais e me
concentrar no jogo tornou-se praticamente impossível.
Toda sensação esta noite era tão nova. A música pulsou através dos meus
membros e quadris, alimentando a carga elétrica que senti em minhas veias. Eu
estava me divertindo, e eu estava ligado e meio que nervoso. Meu corpo zumbia
com uma eletricidade desconhecida.
Então era assim que vivia sua vida.
"Você quer sair daqui?" Axel disse depois que afundou a bola 8 no nosso
terceiro jogo. Ele se encostou na borda da mesa e seus peitos flexionaram
enquanto minha boca estava com água.
"Certo." Mais nervos chiaram no meu peito. Não tínhamos discutido o
que aconteceria agora.
Os olhos de Axel brilharam. Ele largou o taco e depois removeu o meu da
minha mão. Então? Ele colocou a mão na minha bunda. "Vamos lá." Sua voz
era áspera.
Eu estava com a língua presa enquanto o seguia para fora. Entramos no
meu carro, e eu realmente deixei minhas chaves no chão porque minhas mãos
estavam suando.
"Ei", disse Axel, levantando a mão no meu braço. "Você está bem?"
"Sim." Enfiei a chave na ignição, mas a mão dele não moveu. Mesmo
sabendo que meus nervos apareceriam no meu rosto, eu me virei lentamente
para olhá-lo.
Axel lambeu os lábios. "Você está voltando para o hotel comigo hoje à
noite? Pedi ao hotel um quarto com duas camas, porque eu nunca te

91
pressionaria. Mas acho que você não deveria dirigir todo o caminho de volta
para Henning agora. Está tarde."
Meu estômago estremeceu, porque eu sabia o que aconteceria se eu
entrasse naquele quarto com ele. "OK." Eu liguei o motor e sai do
estacionamento do bar, com cuidado para manter todo o meu foco na
estrada. A viagem de volta ao motel demorou uma ridícula quantidade de
tempo. Minhas mãos suavam no volante enquanto eu puxava para um espaço
de estacionamento. Tirei as chaves da ignição e me virei para pegar minha
mochila nas costas.
Mas Axel me parou com a mão na minha coxa. "Cax?"
"Hmm?" Eu respirei, de repente, ciente de quão perto ele estava de mim
e onde estávamos. Em um maldito motel .
Ele apertou minha perna e eu quase morri de saudade.
“Eu preciso saber o que esperar. Antes de entrarmos naquele quarto, você
precisa me dizer se estamos saindo ou não. Se você só precisa de um lugar para
bater, eu estou bem com isso. Mas não me faça adivinhar os seus
pensamentos."
Soltei um suspiro dolorido. Mas eu não disse uma palavra. Em vez disso,
eu coloquei minha mão sobre a dele e apertei.
Axel virou a mão para agarrar a minha. O polegar dele acariciou minha
palma e santo inferno. Eu não tinha ideia de que havia tantas terminações
nervosas na minha mão. "Eu ainda preciso ouvir você dizer isso", ele
sussurrou. "Você não é tão fácil de ler."
"Eu quero", eu sussurrei.
"Você quer o que?" ele voltou. "Se você não pode dizer, nós não
deveríamos fazer isso. Eu me preocupo com você, Cax. Você me deixa louco,
mas eu não quero entender errado.”
Oh, a agonia . Ele não ia me deixar ser o meu habitual eu mesmo. Eu
respirei fundo. "Eu quero transar."
"Você vai se arrepender mais tarde?" Axel perguntou gentilmente.

92
"Não." Eu balancei minha cabeça com firmeza. “Eu sempre quis você. E
essa pode ser a nossa única chance.”
Ele pegou minha mão e a levou à boca. O beijo que ele plantou na minha
mão foi gentil e despertou ao mesmo tempo.
"Então vamos lá", ele sussurrou.
Peguei minha mochila e saí daquele carro mais rápido que do que você
poderia dizer "desesperado".
Ele não me fez esperar. Assim que ele abriu a porta, nós abaixamos para
dentro. Ele chutou a porta e depois me empurrou contra isso. Minha mochila
caiu no tapete enquanto o corpo duro de Axel se alinhava até o meu, e seu beijo
encontrou minha boca no escuro.
Lábios quentes e firmes me acariciaram. Abri para ele, pronto para
provar ele na minha língua. Ele gemeu contra a minha boca e depois me
encontrou em um beijo selvagem. Jesus, eu estava pegando fogo. E ele
também. Dez segundos, estávamos curtindo como estrelas pornô, seus quadris
apertando o meu até a porta. Eu não era o único que estava duro dentro do meu
jeans. Eu estava preso entre dois objetos duros e eu enlouquecidamente
amei. Não havia decisões a serem tomadas. Minha única escolha era me
inclinar e apreciá-lo. Cada golpe de sua língua me convenceu que eu tinha feito
a ligação certa.
Uma mão forte segurou minha mandíbula, inclinando minha cabeça para
melhor ângulo. "Estive esperando ..." ele disse entre beijos. "…minha vida toda
para deixá-lo nu. "
"Você não precisa esperar mais." Não era a fala mais original, mas eu
gostei de entregá-la. Só por esta noite eu poderia ser aquele cara - aquele que
bebe em um bar gay e faz sexo em um quarto de hotel.
E com Axel Armitage, quem eu queria a vida toda.
O próximo beijo foi tão quente que senti minhas bolas apertarem. Jesus
Cristo, eu poderia vir no meu jeans só de me beijar assim. Eu virei a cabeça,
quebrando o beijo para que eu pudesse me acalmar um segundo. Mãos ansiosas

93
trabalharam para abrir os botões da minha camisa. Eu respirei fundo algumas
vezes e deixei que ele fizesse todo o trabalho.
Eu descansei minhas mãos trêmulas em seus quadris. A sensação de seu
sólido corpo me fez querer gritar de emoção. Eu mal podia acreditar que eu
estava realmente aqui, e nós estávamos indo ficar ocupados. Eu enfiei meus
dedos no tecido de sua camisa e puxei-o para fora do jeans dele. Então, em um
movimento que parecia impossivelmente ousado, mas eu coloquei uma mão
debaixo da camisa para palmear seu estômago firme. Sim . Estes eram os
abdominais que me torturaram debaixo da sua apertada camisa no ginásio
outro dia. Os cumes dos músculos abaixo da sua pele macia parecia tão boa
quanto eu imaginava.
Axel apertou o botão do meu jeans e meu coração pulou uma batida ou
quatro. Eu era um coquetel de medo e emoção. Com as mãos apertadas, estendi
a mão e desabotoei o cinto, enquanto Axel desabotoou sua própria camisa. "Do
que você gosta?" ele me perguntou.
Eu nunca tinha vivido uma das minhas fantasias antes. Eu não respondi
a sua pergunta, porque eu gostei de tudo o que estava acontecendo aqui. Com
o cinto fora do caminho, eu abri seu zíper. Um gemido pode ou não ter
escapado dos meus lábios enquanto minhas pontas dos dedos roçavam o pau
duro pressionando contra sua cueca.
Axel chutou seus sapatos e jeans rapidamente. Então ele agarrou minha
mão e me puxou pelo quarto escuro até que nós dois subimos na cama. Ele
tentou arrancar meu jeans, mas demorou um segundo até eu descobrir que
precisava ajuda-lo. Quando eles se foram, joguei minhas meias no chão. Isso
me deixou de camisa desabotoada e cueca boxer.
Quando Axel rolou em cima de mim alguns segundos depois, ele estava
gloriosamente nu. Passei meus braços em volta dele e apertei. Minhas mãos
viajaram pelas costas nuas dele, deslizando por quilômetros de pele quente,
subindo em sua bunda nua e musculosa ... Estremeci de emoção.

94
Ele me beijou uma vez. Duas vezes. “Caxy, fale comigo. Eu tenho
suprimentos se você quiser foder. Eu sou versátil, mas já faz muito tempo desde
que eu fui fundo. Você terá que me aquecer se estivermos fazendo isso.”
Eu gemi. A ideia de foder Axel era quase demais.
Ele me beijou novamente. "É isso que você quer?"
Provavelmente não, na verdade. Porque eu não tive nenhuma
experiência, exceto por assistir pornô. E eu morreria se fizesse errado e
machucasse ele. "Estou muito impaciente", eu disse, e isso foi cem por cento
verdadeiro. Se ele continuasse me beijando e me esmagando, eu estava indo
explodir antes que essa conversa terminasse.
Ele riu. “Eu também, honestamente. Eu só quero fazer você vir." Quando
ele disse isso, ele deslizou a mão na frente das minhas cuecas e agarrou meu
pau. Meu gemido ecoou nas paredes.
"Porra, você está tão duro." Ele apertou a base do meu pau. "Não venha
ainda.
"Fácil para você dizer."
Ele riu. Quando ele deslizou para fora do meu corpo e saiu da cama, eu
fiquei uma chance de relaxar por um segundo. Tirei minha cueca e minha
camisa, imaginando o que aconteceria a seguir. Me senti exposto, deitado nu
na cama de um quarto de motel. Eu posso ter tido nervosismo, mas eu
realmente não estava com medo. Axel nunca me machucaria.
Não importa quantos anos solitários houvesse entre nós, eu confiava
implicitamente.
Quando ele voltou para a cama, ouvi o estalo silencioso de uma garrafa
de lubrificante. Arrepios irromperam na minha pele. À luz do relógio digital ao
lado da cama, eu o vi colocar o lubrificante no chão.
Então ele alcançou entre minhas pernas e apalpou minhas bolas com
dedos escorregadios.
"Aaah", ofeguei.

95
Ele se inclinou sobre o meu peito, plantando um beijo no meu
esterno. "Se eu fizer algo que você não goste, apenas me diga para parar, ok?”
Coloquei minha mão em seus cabelos para dizer a ele que eu entendi. Mas
o discurso era impossível, porque ele começara a lamber seu caminho no meu
peito e no meu estômago trêmulo. Estremeci e ofeguei quando sua boca se
dirigiu ao meu pau carente. E quando seus lábios finalmente roçaram minha
ponta, nós dois gememos.
"Porra, você está vazando para mim", ele sussurrou. "Coisa mais sexy de
sempre. ”
Sua boca quente e molhada afundou no meu pau, e eu não estava indo
para sobreviver. Eu fiz sons que nunca tinha feito antes. Eu sonhei sobre isso
tantas vezes, mas a experiência da vida real foi tão mais poderoso do que eu
esperava. Minhas fantasias não tinham incluído o peso do corpo dele nas
minhas pernas ou a barba por fazer contra minhas coxas. O atrito da pele
contra a pele.
O plano de sua língua escorrendo pelo meu eixo fez cada um dos meus
músculos se contraírem. Então ele girou sua língua em volta da cabeça do meu
pau, e eu pensei que iria perder a cabeça.
Ele aliviou meu pau, e eu pensei que ele estava me dando outro momento
para me acalmar. Mas dedos malcriados e machucados acariciaram minha
mancha e me senti gloriosamente malcriado. E então Axel levantou meu joelho,
me abrindo. Seu dedo deslizou para trás e começou a brincar com meu buraco.
Meu suspiro era foi alto quanto um furacão.
Ele recuou imediatamente. "Desculpe", ele sussurrou.
"Não, eu ..." Meu peito subiu e caiu como se eu tivesse acabado de correr.
"Apanhado de surpresa", eu resmunguei.
"Relaxe", ele sussurrou, acariciando minha mancha com dois dedos. "Eu
quero cuidar de você. "
"Não deve demorar muito esforço."

96
Rindo, ele alcançou o lubrificante novamente, e eu ouvi o clique da
tampa. Eu estava tremendo quando seus dedos escorregadios acariciaram meu
vinco novamente. Desta vez, quando seu dedo pressionou meu buraco, eu
consegui não surtar. Mas não esqueci minha autoconsciência até que ele se
inclinou sobre mim novamente e engoliu meu pau todo o caminho até o fundo
de sua garganta . Meus dedos agarraram a colcha. Ele deu uma boa chupada
forte e eu não pude segurar meu gemido.
Nada nunca foi tão bom. Eu não conseguia segurar meus quadris ainda,
então eles começaram a rolar em um ritmo com a boca de Axel. Enquanto isso,
o dedo contra minha bunda pressionou para frente. Ele estava me penetrando,
e eu nem estava mais chocado. Eu estava muito ocupado fodendo sua boca e
vendo manchas na frente dos meus olhos.
Então seu dedo me acariciou por dentro e eu ofeguei novamente. Minhas
bolas apertaram e estava tudo acabado. Não tive tempo de avisar ele. De
repente, eu estava resistindo e atirando e gemendo como louco.
Axel gemeu, engolindo de novo e de novo, levando tudo que eu lhe
dei. Então ele gentilizou sua boca, me aliviando, me beijando mais uma vez na
ponta. Ele retirou o dedo da minha bunda, e eu ofeguei com a perda dele.
Ele beijou meu quadril e minha barriga. "Cristo. Você é tão ... apenas não
vá a lugar algum.”
Axel desapareceu por um minuto no banheiro e ouvi a pia correndo
enquanto ele provavelmente lavava as mãos. Eu diminui minha respiração
ofegante e coloquei a mão sobre os olhos para protegê-los da luz do banheiro.
Quando Axel voltou, ele puxou a mão do meu rosto.
"Você está bem?"
"Eu nunca me senti melhor." Eu o alcancei, e ele escorregou em meus
braços, seu pau duro me cutucando no quadril. Lábios macios roçaram meu
ombro e suspirei. "Acho que é a sua vez", eu disse deslizando a mão em seu
pênis - o único que eu já toquei que não era meu. Assim como quando éramos
adolescentes, tocá-lo era estranho e familiar ao mesmo tempo. Eu bombei

97
minha mão para cima e para baixo em seu eixo - estávamos sobre o mesmo
tamanho, na verdade.
Esse tinha que ser o único benefício do celibato - eu nunca tive que me
preocupar em comparar meu pau com o de qualquer outra pessoa.
Axel estava tão quieto que olhei para o rosto dele. A luz estava fraca, mas
pude ver que ele estava me encarando.
"O que?" Eu perguntei.
Ele sorriu devagar. “Só não posso acreditar que estou aqui com você.
Soprando você foi tão quente que eu quase vim.”
Passei o polegar através do pré-gozo na cabeça dele, e sua respiração
engatou. "Eu quero fazer isso bom para você", eu disse. Mas não sei o que estou
fazendo . "Talvez você deva me foder.”
Ele levantou-se sobre um cotovelo, surpresa no rosto. "Sim? Você gosta
de fundo?"
Hesitei, porque não queria mentir. "Por você, eu gostaria." Eu o acariciei
um pouco mais rápido. Ele estava tão duro na minha mão.
Axel fechou a mão sobre a minha. "Baby, espere." Olhos preocupados
encontraram os meus. "Você já chegou ao fundo antes?"
Lentamente, balancei minha cabeça.
Ele mordeu um de seus lábios carnudos e lindos. "Então você costuma
ser topo?"
Esta não era a conversa que eu queria ter. "Não houve normalmente . "
"Entendi. Mas ...” Ele franziu o cenho. “Você nunca fez isso em
tudo?" Outro balanço da minha cabeça, e seus olhos se arregalaram. "Oh Cax,
realmente?” Ele colocou a mão sobre o meu coração e olhou nos meus olhos.
Ótimo. Acabei de arruinar o clima. "Não é que eu não quero."
A expressão de Axel ficou suave. Ele colocou sua bochecha no meu
peito. "Quando foi a última vez que você brincou com um cara?"
"Foi com você", eu sussurrei.
Todo o seu corpo ficou imóvel. "Não na faculdade?"

98
Envergonhado, balancei minha cabeça. "Muito arriscado."
"Essa é a coisa mais triste que eu já ouvi."
Suspirei. “Eu sei que sou patético. Podemos parar de falar sobre isso
agora?"
Mãos quentes e adoráveis começaram a acariciar meu peito. "Baby, eu
não queria fazer você se sentir mal. Mas não tem como eu te foder esta noite."
“ Por quê? Esta poderia ser a nossa única chance.”
Ele levantou a cabeça para olhar nos meus olhos. “Não diga isso. Você
tem 22 anos, Cax. Há anos de excelente foda no seu futuro. "
Mas não com você . Eu sabia que isso era uma coisa única. Axel não iria
querer esperar por mim para sair da minha merda de situação. Ninguém
faria. Não importa o quanto eu queria ele ou como fiquei lisonjeado por ele me
querer. Querer não é o suficiente para fazê-lo funcionar.
"Estamos aqui agora, no entanto", lembrei nós dois. "Você tem que fazer
feno enquanto o sol brilha. "
Ele me deu um beijo lento. “Eu não disse que tínhamos que parar. Mas
nós vamos economizar foda pra outra hora. Não há pressa."
Meu corpo discordou. Mesmo que eu tivesse um orgasmo explosivo
alguns minutos antes, meu pau se animou de novo quando Axel rolou em cima
de mim. Seus beijos eram lentos e ardentes, e seu lindo pau alinhado ao lado
do meu. Cada solavanco e arranhão me deixou mais quente.
"Mmm", ele suspirou na minha boca. Ele rolou os quadris, e foi
delicioso. "Eu poderia vir assim", ele sussurrou entre beijos.
"Faça isso", eu gemi. "Atire em mim."
Ele empurrou contra mim, estremecendo. "Onde?" ele respirou.
Chegando ao seu redor, eu apalpei sua bunda e apertei.
"Em toda parte. Venha por cima de mim.” Eu nunca disse algo tão sujo
na minha vida. Mas foi incrivelmente fácil dizer exatamente o que você queria
quando confiava em alguém tão completamente.

99
Ofegante, ele se sentou, sua bunda nas minhas coxas. Ele passou a mão
ao redor de seu pênis, mas eu o afastei. Com um aperto firme, eu punhetei
ele. Ele abaixou o queixo para me observar, seu tanquinho arfando, seus braços
esculpidos ficaram tensos em punhos. Com um lento, ritmo insistente, eu
bombeei minha mão ao longo de seu pau. Após um minuto que ele fez um
barulho gutural, e então senti o primeiro respingo vindo no meu estômago. A
visão de Axel no clímax foi tão lindo. Eu poderia tê-lo assistido para sempre,
mas ele caiu avançando para a bagunça no meu peito e me beijou. "Porra. Eu
estou tonto."
Coloquei meus braços em volta dele antes que eu pudesse pensar melhor
na idéia. "Está tudo bem?"
"O que?" ele murmurou, com o rosto no meu pescoço.
“Nunca fiquei com um cara antes. Não sei o que fazer depois."
Ele esfregou minha mandíbula. “Carinhos e um banho. Então você
deveria me dar uma massagem nas costas de trinta minutos ... ”
Belisquei a bunda de Axel e ele riu. Sua risada se transformou em beijos
no meu pescoço, e eu nunca senti tanta alegria.
Meus olhos ardiam de felicidade e fiquei agradecido pela escuridão por
esconder o fato de que eu era tão idiota.

Não era afago e um chuveiro. Nós lavamos o cabelo um do outro, e era


quase mais íntimo do que receber um boquete. As luzes estavam acesas, o que
significava que eu estava olhando fixamente os olhos castanhos de Axel
enquanto eu o lavava.
Nós dois ficamos desossados de novo, é claro. Então Axel derramou outro
montão de xampu na mão e nos juntou enquanto nos beijávamos. Eu vim com
a língua na minha boca e minhas mãos na bunda dele, e ele a seguiu
imediatamente. Ainda estávamos respirando com dificuldade quando coloquei
meus lábios ao lado de sua orelha. "Amo ver você vir. "
A mão dele agarrou minha cintura. "Mesmo para você, querido."

100
Quando saímos do banho, meu corpo parecia impossivelmente quente e
saciado. Persegui gotas de água da minha pele com uma toalha, depois tropecei
na minha cueca.
Axel escovou os dentes e subiu na cama antes de mim. Quando saí do
banheiro, não sabia o que fazer. Eu andei lentamente pelo quarto, no espaço
entre as duas camas. Eu queria entrar com Axel, mas não sabia o que ele
esperava de mim. Ajustando meu relógio na mesa de cabeceira, eu ainda estava
intrigado quando Axel virou as cobertas para o lado, fazendo espaço para mim.
Não precisei ser perguntado duas vezes. Eu subi ao lado dele, mas
aparentemente isso não foi bom o suficiente, porque ele me puxou no meio do
peito. Eu me acomodei no travesseiro dele, meu rosto na curva do pescoço. Ele
cheirava a sabão de hotel e homem puro.
“Esperei muito tempo por isso também” ele murmurou.
"Mmm." Eu não sabia o que dizer. Este seria o primeiro momento em
minha vida que eu já dormi com um amante. (Amy e eu tínhamos
compartilhado uma cama nas férias, mas foi bem depois da nossa
ridiculamente breve relação sexual. De maneira alguma conta.)
O fato de eu estar nos braços de Axel? Foi um presente inesperado. Eu
estava determinado a apreciá-lo, mesmo que soubesse que só tenho uma noite.
"Você sabe ..." Ele hesitou.
"O que?"
“Isso deve parecer ... desconhecido. Nós não nos vimos por anos. Nós
nunca fizemos isso . Mas é bom. Familiar. Não esquisito." Ele suspirou. "Eu
sou louco?"
Eu balancei minha cabeça, superado demais para falar muito. "Você
ainda é você." Pode ser a frase mais idiota que eu já pronunciei. Mas era
exatamente assim que me senti. O Axel que eu sempre quis era o mesmo que
estava aqui comigo. Minha memória dele não mentiu para mim.
"Você ainda é você também", ele sussurrou. Então ele beijou o topo da
minha cabeça e isso me deixou ridiculamente feliz.

101
CAPÍTULO DOZE

AXEL
EU ACORDEI pressionado contra Cax, seu pau duro me cutucando na
bunda. Um pouco de sexo matinal teria sido divertido, mas o relógio do hotel
mostrava que já eram oito horas. O ônibus da equipe estava saindo às oito e
meia, e eu precisava estar lá.
Deslizando para fora da cama, tomei cuidado para não acordá-lo. Ele
olhou tão calmo - seus cabelos cor de areia contra o travesseiro, seu rosto
sereno.
Na ponta dos pés no banheiro, pensei em pedir uma volta para
Henning. Mas então eu teria que explicar para a equipe que eu peguei uma
carona, o que soaria estranho. E eu sabia que já empurrei Cax com essa fuga
roubada. Ele realmente não quer que alguém o veja me deixando na cidade. Eu
não queria pedir isso a ele.
Depois de me vestir e escovar os dentes, encontrei Cax mexendo na cama.
"Você pode dormir", eu disse. "Mas meu ônibus está saindo em breve."
Ele levantou a cabeça. "Como vai para lá?"
“Acho que vou andar. São apenas alguns quarteirões.”
Ele deslizou as pernas para o lado da cama. "Eu vou te deixar."

Não havia tempo para estranheza. Nós pulamos em nossas roupas,


fizemos as malas e depois enfiamos nossas malas no carro dele.
No estacionamento do hotel da equipe, Cax escolheu um local que era
bem longe do ônibus que esperava. Quando ele estacionou o carro, vimos
atletas em jaquetas Barmuth emergindo da porta da frente.
"Obrigado pela carona", eu disse, tentando casual.

102
Ele suspirou. "Obrigado por tudo ." Seus olhos castanhos brilharam para
o meu e depois para frente novamente. "Eu tive um grande momento."
Deslizei a mão em sua perna. "Eu também. Se você tiver alguma idéia
sobre como podemos fazer isso de novo, sou todo ouvidos. O próximo jogo fora
é daqui a duas semanas em Providence.”
"Que noite?" ele perguntou suavemente.
"A décima."
Cax se recostou, sua cabeça batendo no encosto de cabeça. "Essa é a noite
do concerto de férias de Scotty.”
"Então ... você tem que ir a isso?"
Ele virou a cabeça. “Eu sou o único que aparece nessas coisas. Eu sei que
isso não soa muito, mas ... ”
Eu levantei uma mão. "Entendi. Faz parte do quadro geral.”
“Por quatro anos, deixei ele torcer para me afastar da minha besteira do
pai. Mas meus irmãos ainda não podem escapar. Então eu estou lá para
melhorar. Estou tentando mostrar meu rosto sempre que posso, então, se algo
der errado em casa, eles sabem exatamente quem chamar."
Ele era um homem maior do que eu. "Eles têm a sorte de ter você. Eu
espero que você saiba disso."
Cax apertou minha mão. “Deus, Axel. Você está me matando. Eu odeio
dizer não a você quando eu realmente quero dizer que sim.”
Envolvi meus dedos nos dele. Não fique triste . As palavras estavam na
ponta da minha língua, mas desta vez eu não as disse. Eu não tinha o poder de
consertar as coisas em sua vida que estavam quebradas. Não importa o quanto
eu quisesse.
"Eu sei que é uma chatice", disse ele com um suspiro. "Obrigado por
mudar minha vida por uma única noite. "
"A qualquer momento." Eu quis dizer isso literalmente. "Eu realmente
quero te beijar agora” falei honestamente.
Ele olhou a atividade perto do ônibus. "Essa é uma péssima idéia."

103
Eu acho que não . "Vejo você na academia, talvez?"
"Certo."
Não havia mais o que dizer, então saí do carro e embarquei no ônibus.

Axeldental para Caxtastrophe: Meu time de bball está jogando com a


escola de engenharia amanhã à noite. Eu deveria ter medo?

Caxastrophe para Axeldental: Você está brincando, certo? Eles jogam


em meias pretas. Cuidado com os óculos.

Axeldental para Caxtastrophe: Você também tem um jogo?

Caxastrophe para Axeldental: Não amanhã. Nosso próximo é terça-


feira, contra a faculdade de medicina. Eles são surpreendentemente bons. É
toda essa ambição e ego .

Axeldental para Caxtastrophe: Obrigado pelo alerta . Meu jogo contra


os engenheiros é às seis. Cervejas em Bruisers depois?

Caxtastrophe para Axeldental: Não é possível. Tem muito trabalho a


fazer depois de decolar no fim de semana .

Axeldental para Caxtastrophe: Mmm ... soprando21 . Tão bom .

Caxtastrophe para Axeldental: E agora estou duro na biblioteca.

Axeldental para Caxtastrophe: Não é problema meu. A menos que você


queira que seja. Mais tarde!

21
Aqui é blowing que tem múltiplos significados como soprar. Ou dar boquete.

104
CAPÍTULO TREZE

CAX
" EI !" JASON apertou meu ombro na biblioteca na tarde
seguinte. “Posso comprar uma cerveja para você depois que terminar aqui?
Preciso falar com você sobre algo.”
“Hum ... eu sou bom para estritamente uma cerveja. Então eu tenho mais
um pouco de trabalho para arar. " Se Axel tivesse me ouvido dizer isso,
provavelmente seria uma piada de “arado” vindo em minha direção.
Eu realmente precisava parar de pensar em Axel.
"Bom o suficiente", disse Jason, batendo na minha pilha de livros com
seu telefone. "Eu vou te pegar às seis?"
"Obrigado."

Bruisers estava quieto esta noite. Jason e eu nos sentamos no bar e nos
estabelecemos em longnecks.
"O Celtics22 não parece tão ruim este ano como sempre", ele disse,
brincando com a montanha-russa de papel embaixo da garrafa de cerveja. "Se
eu comprar esta casa que estou olhando em Merryline, provavelmente posso
ver alguns jogos no próximo ano. "
"Merryline?" Eu disse, me animando. O nome daquela cidade
provavelmente me faria ter uma ereção espontânea pelo restante da minha vida
natural.
“Sim, se eu quiser encontrar clientes decentes, preciso estar em uma área
mais rica. Eu já encontrei um espaço para escritório. Mas eu não posso comutar
noventa minutos para trabalhar todos os dias. "

22
É um time de basquete de Boston.

105
"Então você está comprando uma casa?" Eu não podia imaginar ter
dinheiro suficiente para fazer isso. Era o meu sonho.
"Sim. Uma reforma. Provavelmente é muito grande para mim. Eu vou
chocalhar por aí. "
"Você pode instalar uma TV gigante para o seu Celtics."
Ele riu. "Você não gosta dos Celtics?"
"Eh. Os Bulls são meu time.
"Você nunca me contou que torcia pelo Chicago."
Por causa de Axel . “Porque eu cresci em Ohio, eu acho. Então teriam
sido os Bulls ou os Cavs23. Nós nos mudamos para cá quando eu estava no
ensino médio. " Meus olhos percorreram a sala, e foi então que me lembrei de
ter dito a Axel que não podia sair para uma cerveja hoje à noite. Bebendo meu
Long Trail Ale24, tentei não sentir muito como um grande idiota.
Eu tinha trabalho a fazer hoje à noite - isso era absolutamente verdade -,
mas não foi por isso que eu o rejeitei. Eu não acho que poderia sentar em frente
a ele em público e agir casual.
Mesmo antes de ficarmos nus juntos, ficava quente só de olhar para
ele. Mas desde a nossa noite juntos, eu me tornei um hormônio furioso. Passei
horas revivendo cada um dos nossos momentos juntos. Os sons que ele fez
quando veio. O gosto da boca dele e a sensação de sua pele escorregadia sob
minhas mãos.
Eu não conseguiria sentar em frente a ele bebendo uma cerveja e
conversando sobre a NBA ou o que diabos nunca. Meus olhos vagariam na
virilha, nos lábios, nas mãos ... eu também poderia usar uma camisa
escrito: Em chamas e apaixonado .

23
O time de basquete de Cleveland. Cleveland Cavaliers.

106
24
Mas eram apenas 6:15. Axel estaria jogando com os engenheiros por
outra hora, pelo menos. No momento em que sua noite bebendo cerveja
começasse, eu estaria em casa lendo como eu disse que ia fazer.
"Então, há algo que preciso lhe perguntar", disse Jason.
"Atira."
“Aquele cara Axel na equipe do departamento de atletismo – você o
conhece?"
Senti uma pontada de suor nas costas. Onde isso estava chegando? "Um
pouco." Tomei um gole da minha cerveja para esconder minha confusão.
"Ele é gay, certo?"
Na verdade, engasguei com a cerveja. Meu rosto provavelmente virou
vermelho brilhante quando tossi na dobra do meu braço. Eu não fazia ideia por
que ele me perguntou isso. Jason me olhou, seu rosto impassível, esperando
minha resposta. "Por que você pergunta?" Eu finalmente desisti.
Os olhos de Jason se arregalaram. "Porque ele é fofo e eu quero perguntar
se ele quer sair. Mas não vou fazer isso se ele for hétero ...” Ele franziu o cenho
pra mim. "Ou se eu estiver pisando no seu pé."
Meu cérebro praticamente explodiu. "O que? Não, você não é…"
Realmente? Jason? E o que ele acabara de sugerir sobre mim?
"Eu não sou o que?" Os olhos de Jason se estreitaram. "Gay?"
Merda . Ele me surpreendeu, e tudo o que eu estava dizendo estava
saindo errado. "Pisando nos meus pés ", eu disse, ainda tentando não
tossir. "Foi isso que eu quis dizer."
O rosto dele se suavizou. "Você tem certeza? Quero dizer, você é gay,
certo?”
"Porque você pensaria isso?" O pânico aumentou no meu peito, e não só
porque Jason de alguma forma me descobriu. Estava começando entender que
Jason queria namorar Axel. Jesus Cristo . Se eles se tornassem uma coisa, eu
teria que ficar parado e fingir que não me importava.

107
Jason piscou para mim. "Bem, essa conversa ficou estranha rápido. Sinto
muito, Cax. Eu não deveria ter assumido...” Ele soltou uma respiração
frustrada.
"É ... vamos esquecer", eu disse, ainda em pânico. Ainda tentando cobrir
minha bunda. "Na verdade, eu tenho que ir." Eu levei mais um golei da minha
cerveja e joguei dez no bar.
Ele olhou para mim. "Já?"
"Tenho merda para fazer", eu disse. Eu sabia que estava agindo como
uma aberração, mas eu tinha que sair de lá. Arrancando meu casaco na parte
de trás da banqueta, fui para a porta.
Cheguei até o estacionamento antes da noite ficar pior ainda. Eu estava a
dois passos fora da porta quando uma voz chamou fora. "Cara!"
Era Boz do departamento de atletismo. "Os engenheiros perderam! " ele
uivou. “Essas bichas. Não foi possível apresentar uma equipe.”
Olhei para ele e encontrei Axel me olhando com uma carranca no rosto
dele. "Você está indo?" ele perguntou.
"Tenho trabalho a fazer", eu disse. "Divirta-se." Sai soando amargo,
apesar de Axel não ter feito nada de errado. Mas Jason ainda estaria sentado
no bar, e eu apenas dei a ele tudo limpo para convidar Axel para sair.
Foda-se a minha vida.
Passei pelos dois e continuei andando.

108
CAPÍTULO QUATORZE

AXEL
EU SEGUI BOZ para dentro do bar, tentando não usar uma expressão de
filhote de cachorro chutado. Meu colega de trabalho continuou falando sobre
os engenheiros e quão coxo era que eles estavam muito ocupados com suas
calculadoras para encontrar cinco caras para atirar alguns aros. Eu não
respondi. Eu estava muito ocupado imaginando por que Cax tinha tempo de
beber uma cerveja depois do trabalho, mas não comigo.
Seu companheiro de equipe Jason estava sentado no bar assistindo a
melhores momentos do esporte na televisão. Ao lado dele, estava uma garrafa
de cerveja meio vazia que eu tenho certeza que deve ter sido de Cax.
Cax gostou do sexo, mas ele não será visto em público com você , uma
pequena voz na minha cabeça reclamou.
Ele estava com medo - eu entendi isso. Mas eu não estava pedindo a Cax
para andar de mãos dadas enquanto caminhávamos pelo centro do campus. Eu
apenas pensei que poderíamos tomar uma cerveja juntos, como todo cara no
bar.
"Você está comendo?" Boz perguntou, acenando para o barman. "Eu
sinto um cheeseburger chegando. "
"Certo. Peça dois.” Eu não tinha gastado muito dinheiro esta semana. Eu
poderia pagar um hambúrguer e batatas fritas.
"Você tem isso." Ele se inclinou sobre o balcão e o barman começou a
rabiscar em seu bloco de pedidos.
Jason me deu um sorriso. "Sente-se. Este foi apenas desocupado. "
"Sim? Obrigado." Apontei para um terceiro banquinho para Boz, mas ele
segurou um dedo e saiu para conversar com outra pessoa que ele conhecia.
Sentei-me ao lado de Jason. "Oi de novo."

109
“Nenhum jogo com a equipe de protetor de bolso, hein? Nós jogamos
depois com a escola de medicina. ”
"Ouvi dizer que eles são bons."
"Surpreendentemente bons. Todos aqueles caras ambiciosos que querem
brincar de Deus? Eles têm cotovelos afiados na quadra.”
"Vou ter isso em mente quando jogarmos."
"Posso te pagar uma bebida?" Jason perguntou.
Isso me acordou. Eu me virei para encontrá-lo me dando um sorriso
tímido. “Hum, obrigada? Apenas uma cerveja seria ótimo.”
Ele acenou para o barman, e me perguntei se a oferta de uma beber era
apenas uma coisa amigável ou precursora de um tipo diferente de oferta.
Eu tentei essa idéia enquanto o garçom buscava minha cerveja. Em
qualquer outro momento da minha vida, uma conexão com um homem sexy,
um pouco mais velho seria uma oferta rara e preciosa. Estudei Jason, pensando
sobre isso. Ele era realmente bonito. Cabelos ondulados, mais louros que os de
Cax. Ótima estrutura óssea. Lindos olhos azuis. Ele era malditamente bonito
mesmo.
E eu não senti nada.
Uma garrafa de cerveja caiu na minha frente e eu a peguei. "Saúde", eu
disse, levantando minha garrafa na dele.
"Saúde. E antes que Boz volte, eu tenho uma pergunta.” Eu olhei para
aqueles bebês azuis e me preparei. "Isso não é fácil, porque eu nunca faço
isso. Tipo nunca .” Ele riu. "Mas podemos jantar algum dia? ”
Meu estômago caiu. Ele não estava apenas me pedindo para trocar
boquetes. Ele era fofo e elegante o suficiente para oferecer um encontro real?
Me belisque. E quantas vezes um homem gay disponível e agradável perguntou
se quero sair?
Não frequentemente. Não muitas vezes em tudo .
Mas ele não era Cax.

110
"Eu ..." Eu me ouvi gaguejando. “Eu gostaria de dizer que sim. Mas é
complicado."
Seu sorriso diminuiu apenas uma fração. "Entendo."
Empurrando uma mão pelo meu cabelo, tentei manter os olhos em
contato. Eu queria que ele soubesse que não era sobre ele. "Não posso acreditar
que estou dizendo isso, porque nunca sou complicado. Mas tem alguém que eu
meio que estou saindo.”
“Ah.” Ele sorriu novamente, e foi amigável. "Bem, mantenha-me em
mente, caso você se torne menos complicado. Eu notei que os Celtics estão
jogando com os Bulls em casa no próximo mês. Mesmo se formos apenas
amigos, achei que você gostaria de vir comigo.”
"Oh cara." Esfreguei meu rosto, que estava ficando mais vermelho. "Você
não luta justo. ”
Ele riu. "Eu estava tentando dizer que deveríamos ser amigos de qualquer
forma. Você é novo na cidade. E poderíamos ir a um jogo de basquete, não
importa o quê. "
“Essa é uma oferta infernal. Parece uma explosão” falei sinceramente.
Jason tomou um gole de cerveja. “Esta é uma cidade pequena. Você não
pode ter muitos amigos que gostam de basquete e pau.”
Com um bufo, toquei minha garrafa na dele mais uma vez. "Bom ponto,
meu amigo. Bom argumento.”

Caxtastrophe para Axeldental: Me desculpe, eu não fiquei por uma


cerveja noite passada. Não é você .

Axeldental para Caxtastrophe: Você diz isso com frequência . Espere,


arranhe isso. Essa foi uma resposta de merda. Estou apenas frustrado. De
todas as maneiras que há para estar frustrado . ;)

111
Caxastrophe para Axeldental: Eu sou ... sim. Mas digo muito isso. Só
que não vejo isso mudando tão cedo. Minha vida é uma festa de foda, e não
do tipo agradável.

Axeldental para Caxtastrophe: E agora estou pensando em BJs.


Obrigado por isso .

Caxastrophe para Axeldental: De nada. Frustrar você é minha


especialidade . Mas eu quero dizer bem.

Axeldental para Caxtastrophe: Eu sei que você faz. Mas eu não tenho
que gostar disso. Ontem à noite eu recusei um encontro.

Caxastrophe para Axeldental: Você fez? Por quê?

Axeldental para Caxtastrophe: Porque ele não era você .

Caxastrophe para Axeldental: Talvez você não devesse ter feito isso .

Eu gemi.
"O que?" Boz perguntou, mordendo o chiclete.
"Nada." Eu estava rabugento o dia todo. Os e-mails de Cax não estavam
ajudando.
Boz se afastou de sua mesa e depois girou sua cadeira de escritório. “Você
está de bom humor. Eu perguntaria se você esta tendo problemas com
mulheres, mas ... "
"É possível ter problemas humanos, você sabe."
"Eu suponho. Mas eu me recuso a acreditar que os caras são difíceis de
conseguir junto. Quero dizer ... é tentador se tornar gay só para fugir do drama
feminino. "

112
Eu ri pela primeira vez o dia todo. “Não tenho certeza se você está certo
sobre isso. Mas seria um experimento interessante. Eu posso ver?"
Boz amassou um pedaço de papel e jogou para mim.
"Isso é um não?"
Ele girou a cadeira novamente e eu estava ficando tonto só
assistindo. “Então, quem quer que ele seja, apenas vá falar com ele. Traga
cerveja. Jogue um videogame sangrento. Problema resolvido."
"Se fosse assim tão simples."
“Provavelmente é, no entanto. Eu sou assim tão simples assim.”
"Não vamos imprimir isso em seus cartões de visita."
Boz riu. “Você realmente sabe o que dizer para um cara. Você quer me
mostrar o trabalho que você fez na lista de inscritos antes do dia acabar?”
"Certo."

Não recebi nenhum e-mail de Cax no dia seguinte. Aquilo fez eu mal-
humorado.
Na noite seguinte, encontrei-me andando pelo meu apartamento,
sozinho de novo. Era dezembro, então o sol havia se posto às cinco horas.
Estava escuro e frio, e meu humor estava sombrio.
Meu olhar continuou pousando no moletom Barmuth pendurado na
minha porta Pertencia a Cax e eu ainda não o havia devolvido. Pensando que
era meu, eu o peguei no banco de trás do carro quando ele me deixou no hotel
da equipe em Merryline.
E talvez em um momento fraco eu possa ter dado um pouco de cheiro,
para ver se cheirava como ele.
Sim. E isso só me fez sentir mais a falta dele.
O que é pior, eu estava desejando alguém que nunca tive, e quem nunca
poderia ser, realmente meu. Talvez eu fosse algum tipo de masoquista para
continuar pensando nele, mas tivemos muito potencial como um casal. A

113
química entre nós estava fora dos gráficos. E éramos amigos desde os oito
anos . Quando eu tinha dezesseis anos, percebi que o amava.
Eu ainda o amava. Não que Cax quisesse ouvir.
Eu olhei para o moletom dele. Isso me daria uma desculpa para ver seu
rosto, mesmo que apenas por um minuto.
Coloquei na minha mochila quando andei para o trabalho na manhã
seguinte. Quando me sentei na minha mesa, pensando em levá-lo para ele na
pausa ou no almoço, comecei a me perguntar se Cax iria me querer perto de seu
prédio. Ele estava tão preocupado com o mundo sabendo quem ele realmente
era ...
Foda-se . Ele não poderia sequer ter um amigo gay sem lançar suspeita
em si mesmo?
Axeldental para Caxtastrophe: Eu tenho seu moletom Barmuth.

Caxtastrophe para Axeldental: Eu me perguntava para onde aquilo foi .

Axeldental para Caxtastrophe: Ok, se eu aparecer mais tarde e


devolver?

Houve uma pausa antes que ele respondesse, e isso me fez sentir como
uma pária.
Caxastrophe para Axeldental: Você pode passar , mas eu posso estar
correndo .
Axeldental para Caxtastrophe: Ótimo . Se você não estiver lá, eu deixo
em uma sacola na sua porta .

Eu tinha que parar de pensar nele. Só ia fazer-me mais louco do que eu já


estava.
Naquela tarde, saí do trabalho às duas horas, porque eu tinha algumas
horas chegando por conta da programação do basquete. Cax tinha me dito onde

114
ele morava, e eu escrevi o endereço. Ainda assim, o novo cara da cidade levou
alguns minutos para identificar a residência certa.
Quando finalmente encontrei a porta e bati, havia apenas silêncio. Claro
que havia. Ele provavelmente estava correndo meia maratona agora apenas
para me evitar.
Bati mais uma vez, só para ter certeza. Eu pensei ter ouvido um farfalhar
do outro lado da porta.
Esquisito.
"Cax?" Chamei.
Eu ouvi um murmúrio. E então um gemido.
"Você está bem?"
Mais uma vez ouvi um gemido, e os cabelos se arrepiaram no meu
pescoço.
Eu estava mesmo em frente à porta certa? Querendo saber se eu estava
cometendo um erro terrível, tentei a maçaneta, que girou de bom grado na
minha mão. "Cax?" Eu disse, abrindo a porta algumas polegadas. "Você está
bem?"
O apartamento era ainda menor que o meu. A primeira coisa que vi lá
dentro foi uma cama com lençóis emaranhados. Cax que está totalmente
vestido estava deitado sobre ele. Então eu notei que suas mãos estavam
pressionado nas órbitas oculares.
"Cax?" Esqueci de me preocupar com decoro e entrei.
A porta se fechou atrás de mim quando atravessei o quartinho. Eu
coloquei uma mão no ombro dele. "Você está bem?"
"Na verdade não", ele murmurou. "Enxaqueca."
Eu me sentei na cama. "Oh, me desculpe. Você as pega frequentemente?"
"Só quando estou estressado", ele murmurou. "Então isso é tipo, com
bastante frequência.”
"Pobre bebê." Eu enterrei meus dedos em seu músculo do ombro e
apertei. "Você está tão apertado."

115
"Isso é bom."
"Vire", eu pedi a ele.
Ele caiu de bruços. Eu coloquei as duas mãos nos ombros dele e comecei
a esfregar. Ele gemeu. "Tão bom. Tudo está em nós quando minha cabeça dói."
Tirei minhas botas e subi na cama, um joelho em ambos os lados dos
quadris. É melhor eu aproveitar lá em cima. Massageando tudo o que pude
alcançar, trabalhei os músculos rígidos nos ombros dele. Amassei seu pescoço
e esfreguei os músculos apertados na parte de trás da cabeça. Eu trabalhei até
os templos dele e fui para o centro com as palmas das mãos.
"Você é o humano mais incrível", Cax murmurou. "Obrigado."
"Eu poderia tocar em você o dia todo, querido."
De certa forma, ele e eu tivemos o relacionamento mais confuso no
mundo. Éramos amigos íntimos que não passavam tempo juntos. Éramos
amantes que raramente recebiam um beijo. Nós tinhamos uma longa história
junto com uma grande lacuna no meio.
Em resumo, éramos um emaranhado de desastres. Mas não havia
ninguém que eu já me senti tão perto. Colocar minhas mãos nele parecia estar
em casa. Ele se sentiu como o meu .
"Mmm", ele suspirou sob o meu toque. "Espera. Que horas são?"
"Quase três."
Cax gemeu. "Droga. Isto. Eu tenho que ir buscar Scotty na escola."
Meu toque estava leve agora, apenas as pontas dos dedos em sua
testa. "Você pode dirigir assim?”
"Eu vou devagar", disse ele. "Eu não tenho nenhuma visão periférica,
apesar."
"O que?"
“Chama-se enxaqueca ocular - os limites da sua visão ficam sombrios. É
assustador como o inferno, mas sempre desaparece.”
Isso parecia assustador como o inferno. “Não dirija assim. Eu vou fazer
isso. Eu vou dirigir seu carro. Eu saí dele.”

116
Cax soltou um suspiro. "Você iria? Não estou indo tão bem.”
Eu pude ver isso. "Vamos. Onde estão suas chaves?"

"A escola fica aqui em cima à direita", disse Cax. Ele cobriu seus olhos
com as mãos.
"O brilho está matando você, não é?" Eu perguntei. Havia uma polegada
ou duas de neve nova no chão. Isso fez a cidade brilhar.
O sol brilhava em todas as superfícies brancas.
"Sim. Mas amanhã eu vou ficar bem. Só tenho que continuar dizendo a
mim mesmo isso. Sempre desaparece.”
Parei atrás da fila de carros no meio-fio. "As crianças estão começando a
aparecer agora. ”
Cax tirou as mãos dos olhos e sentou-se reto. Ele usava um olhar
desconfortável que me fez doer por ele.
"Aqui." Tirei meus óculos escuros e passei para ele. "Coloque isso."
Ele os aceitou sem discussão. “Obrigado por dirigir. Algumas crianças do
ensino médio têm causado problemas a Scotty no ônibus, e eu tenho buscado
ele nos dias em que não estou ensinando."
"Pobre garoto." Eu estive lá.
“Meu pai idiota não ajuda em nada. Ele disse a Scotty para dar um soco
em alguém e então eles o deixariam em paz. Como se um aluno da sexta série
pudesse assistir a um júnior do ensino médio em um ônibus lotado e viver para
contar sobre isso. Papai vive em um universo paralelo onde um homem de
verdade pode derrubar um valentão, apenas emitindo um pouco de
testosterona na atmosfera."
"Aqui vem ele." Eu vi um garoto magro se aproximando do carro, um
sorriso no rosto dele. Quando ele chegou perto o suficiente para ver seu irmão
no banco do passageiro, sua expressão ficou curiosa.
"Ei", disse o garoto, abrindo a porta dos fundos. "Você está bem?"

117
Jesus . Garoto afiado. Eu odiava me perguntar por que ele pularia para a
conclusão de que algo estava errado com Cax.
"Só estou com dor de cabeça da enxaqueca", disse ele. "Eu vou ficar bem
amanhã. Mas meu amigo Axel se ofereceu para dirigir, então eu o levei nele."
"Oi Scott", eu disse.
“Ei, Axel. Você trabalha nos jogos de basquete, certo?”
"Claro que sim."
O garoto fechou a porta do carro. "Você mantém as estatísticas?"
"Negativo", eu disse. "As estatísticas seriam incríveis, mas eu estou
apenas lidando com o feed do Twitter, e eu escrevo artigos sobre os jogos para
os ex-alunos. "
"De jeito nenhum! Gostei do que você fez no jogo de Yale no Instagram. O
bulldog rolando ladeira abaixo?”
"Obrigado!" Eu disse, segurando a mão por cima e por cima do ombro,
palma em direção a Scotty. Ele cumprimentou. "Não sabia que eu iria
encontrar hoje um seguidor ”.
Cax me direcionou para a casa de seu pai. Até a voz dele parecia dolorida.
"Você tomou alguma coisa?" Perguntou Scotty.
"Claro que sim, amigo", disse Cax, endireitando-se em seu assento. "E
quando eu chegar em casa, vou tomar um banho quente. Isso sempre
ajuda.” Ele apontou o bloco. "É o tijolo ... Oh, merda."
Seu pai estava na frente, com a pá na mão. Eu o reconheci depois de todo
esse tempo - uma versão mais antiga e mais cinza do homem azedo que eu
lembrava. Ele olhou para cima quando eu notei ele.
A tensão irradiava de Cax, então eu parei o carro a uma distância longe
de onde seu pai estava. Cax clicou para abrir a porta do lado do passageiro e
saiu como Scotty. O pai deles caminhou em nossa direção, uma expressão
ilegível em seu rosto.
"Quem está dirigindo seu carro?" ele perguntou.

118
"Um amigo do departamento", disse Cax, apoiando-se na porta
aberta. “Vim com uma enxaqueca na minha mesa hoje. Isso parafusou com a
minha visão, então eu pedi uma mão. "
"Seu bicha", seu pai rosnou. “Uma porra de dor de cabeça leva você
caído?” Ele se curvou na cintura e olhou para o carro.
Eu não era, por natureza, uma pessoa medrosa. Mas o olhar do homem
praticamente me congelou o sangue. Após dez segundos doando para mim, o
tratamento gelado, ele se endireitou e deu a Scotty um empurrão áspero em
direção à casa. "Não sei por que você não apenas pega o ônibus, de qualquer
maneira. Você também é uma boceta. Aprendendo do seu irmão. "
Os ombros estreitos de Scotty se curvaram quando ele pisou em direção
a casa.
“Eu te disse que não quero seus amigos ao redor dos meninos” disse o
pai. E ele disse isso bem na minha frente! Como se eu devesse ter uma doença
contagiosa se eu estava saindo com Cax.
Inacreditável.
"Não há nada errado com meus amigos", Cax rosnou.
Os dois se entreolharam, e eu me vi prendendo a respiração, me
perguntando como o confronto terminaria.
"Eu vou", Cax disse eventualmente. As palavras eram como duas fichas
de gelo.
"Faça isso." Seu pai baixou a pá para a calçada e virou as costas para nós.
Cax entrou no carro. No segundo em que sua porta bateu, eu afastei.
Estávamos entrando na estrada principal antes de Cax falar novamente.
"Ele não está em casa a essa hora."
"Desculpe", eu disse calmamente. “A distância que você tem mantido
entre nós parecia um pouco paranóico antes. Mas não mais."
"Sim, é ..." Cax engoliu em seco. "Ele não é fácil de descrever. Eu sabia
que ele te trataria como-”
"O vírus Ebola", eu terminei.

119
"Pare o carro", disse Cax rapidamente.
Eu parei imediatamente, e Cax abriu a porta. Então ele inclinou-se e
vomitou na neve.
Meu coração se contraiu com simpatia. Olhei em volta do carro para
tecidos. Cax era uma pessoa arrumada - ele teria algo por perto para
bagunça. Abri o porta-luvas e - bingo - guardanapos de um restaurante fast
food. "Aqui, Cax", eu disse, inclinando-me para ele da porta aberta.
"Sinto muito", ele murmurou, pegando o guardanapo.
"Isso acontece muito com suas dores de cabeça?"
Com um suspiro, ele voltou a sentar-se e fechou a porta. "Eu
geralmente não vomito, mas essa não é a primeira vez. Fechando meus olhos
enquanto você dirige ...” Ele gemeu. "Eu não vou fazer isso de novo."
"Vamos levá-lo para casa."

Quando entramos no estacionamento ao lado de seu prédio, ele me


agradeceu novamente por dirigir.
"Você não está se livrando de mim tão facilmente", eu disse.
"Axel ..." ele protestou.
"Ele não está aqui ", eu disse calmamente. "Sinto muito que tenha
acontecido, e seu pai é o maior idiota que eu já conheci. Mas logo neste
momento ele não pode nos ver.”
Sem palavras, ele desceu do carro. E ele não discutiu quando eu o segui
para dentro do prédio.
"Agora, como posso deixar você mais confortável?" Eu perguntei depois
que ele escovou os dentes. "Copo de chá?"
"Certo. Vou tomar um banho por um minuto.”
Coloquei a chaleira e encontrei uma caixa de chá de hortelã para
consertar para ele.

120
Ele saiu do banheiro alguns minutos depois vestindo apenas boxers. Seu
cabelo estava molhado e sua pele rosa da água quente. "Sinto-me um pouco
melhor agora."
Coloquei a caneca na mão dele. "Deita. Vou esfregar seu pescoço um
pouco mais antes de eu ir.”
Ele tomou um gole e depois colocou a caneca na mesa de cabeceira. "Eu
não vou dizer não a isso. "
Montando nele mais uma vez, deixei minhas mãos brincarem com tudo
essa pele nua e macia. "Você é tão bonito para mim", eu sussurrei. "Mata-me
ver você se sentindo tão doente.”
Ele soltou um suspiro longo e trêmulo. “Eu vou dormir. Sempre
funciona."
"Espero que sim." Esfreguei seu pescoço, sua cabeça, suas
costas. Quando minhas mãos estavam cansadas demais para continuar, deitei-
me ao lado dele. Seu rosto estava virado para longe de mim, mas quando eu
coloquei a mão no meio das costas, senti-o encostar no meu toque.
"Obrigado", ele sussurrou.
"Não me agradeça", voltei, minha voz baixa. "Eu quis dizer hoje, mas acho
que lhe causei problemas.”
"Não é sua culpa."
"Eu sei, mas ..." Eu suspirei. "Não há solução, há?"
Rolando para me encarar, Cax balançou a cabeça. "Eu estive tentando lhe
dizer isso.”
"Eu entendi agora." Eu me aproximei, puxando-o em meus braços. Ele
colocou a cabeça dolorida no meu ombro. "Eu sinto muito."
"Eu sei."
"Eu empurrei você, no entanto."
Seus braços me puxaram ainda mais perto. "E eu gostei."
Enfiando meus dedos em seus cabelos, esfreguei seu couro cabeludo. "Eu
amo você sabe Mesmo que eu não deva.”

121
Ele estava absolutamente calado, então eu temi que mais uma vez eu
tivesse ido muito longe. Essa era minha especialidade, aparentemente. Eu
estava prestes a pedir desculpas pela trigésima quinta vez, quando Cax fez um
som estranho. E depois outro. Ele estava chorando .
“Oh, querido. Não!" Eu cantarolei, minha palma segurando sua cabeça
contra meu peito "Eu sinto muito. Você precisa dormir e-”
"É apenas a dor, e ..." Ele balançou a cabeça, a testa esfregando no meu
ombro. "Na verdade não. Não é apenas a dor de cabeça falando. Eu sofro por
você. Toda noite eu minto nessa porra de cama e tento encontrar uma solução
alternativa ...” Ele fez uma pausa para engolir em seco. "Nunca consigo."
Agora meus olhos também estavam quentes. "Se houvesse algo que eu
pudesse fazer para ajudá-lo, eu faria.”
Ele soltou outro suspiro trêmulo. Eu podia sentir o quão difícil ele estava
tentando se controlar. E meu coração se partiu novamente com cada barulho
infeliz que ele fazia.
"Eu deveria ir", eu sussurrei. Hoje eu finalmente entendi. Chegar perto
de Cax apenas o machucava. Essa era a maneira que as coisas eram.
"Não", ele sussurrou. "Ainda não."
"OK." Eu nunca poderia recusar nada a ele. Não quando ele estava
deitado em meus braços com lágrimas no rosto. Eu as afastei com o meu
polegar.
"Eu também te amo." Ele disse isso com uma voz infeliz, no entanto.
Ouch.
Apertei-o novamente para mostrar que eu entendi.
Tudo era sugado. E não de um jeito bom.

122
CAPÍTULO QUINZE

CAX
EU ACORDEI na manhã seguinte sem dor de cabeça. Meu alívio durou
somente até que eu me sentei no meu escritório e verifiquei meu e-mail. Lá
estava uma nova mensagem de Scotty.
Papai queria saber quem nos levou para casa ontem, então eu disse a
ele que seu amigo que trabalha nos jogos de basquete. Mas depois que eu disse
o nome de Axel, meu pai ficou super furioso. Eu fui no meu quarto e não sai
até o jantar, mas ele não me perguntou mais nada. Qual é o problema dele?
"Oh, merda", eu sussurrei para mim mesmo. Axel era um nome
incomum. Eu deveria ter percebido que Scotty repetiria e que meu pai poderia
se lembrar disso de todos aqueles anos atrás.
Minha cabeça latejava. Fanporratastico. Levantei-me e puxei no meu
casaco, caminhando imediatamente para a Starbucks para um cappuccino com
uma dose de caramelo. Não tinha tempo para mais dor.
O golpe de cafeína e açúcar pareceu funcionar. Então quando me sentei
na minha mesa, procurei o número do escritório de Axel, e eu liguei para ele.
"Ei!" ele disse depois que eu o cumprimentei. "Eu estava pensando sobre
você. Você está melhor?”
"Sim e não", eu disse calmamente. “Minha dor de cabeça se foi, mas
aparentemente meu pai está em pé de guerra.”
Houve um silêncio do outro lado da linha. "Merda. Eu sinto muito."
"Eu sei que você sente." Eu estava tão cansado de nós dois pedir
desculpas um ao outro quando foi o resto do mundo que nos causou o problema
real. "Mas eu tenho que ... interromper o contato por um tempo."
"Eu entendo", ele disse rapidamente. "Qualquer coisa que você precise."

123
"Não é que eu pense que ele esteja lendo a porra da minha conta de e-
mail, ou nada. Mas não posso ficar longe de você. Eu vou ficar em apuros.”
"Entendi. Eu não fiz antes, mas agora eu faço. Eu ...” Ele suspirou no
telefone. “Se você precisar de uma mão, Cax, basta ligar. A sério. Até se daqui a
um ano e eu não vir seu rosto. Você tem um problema e eu estou lá . "
Meu coração tremeu no meu peito por duas razões. Primeiro, que eu
pudesse passar um ano sem ele. E segundo, que ele diria uma coisa tão
amorosa. “Você me mata. Você realmente faz. Eu gostaria que houvesse algo
que eu pudesse fazer ... ”
“Apenas cuide-se, sim? Faça isso por mim.”
O nó na minha garganta era do tamanho de uma bola de basquete. "Você
também."
"Adeus por enquanto", ele sussurrou.
"Adeus", eu disse, minha voz quebrando na palavra.
Desliguei o telefone, minha garganta queimando. Antes de Axel chegar a
Henning, eu só suspeitei que minha vida fosse uma merda. Agora eu sabia que
realmente era.

124
CAPÍTULO DEZESSEIS

AXEL
O PRÓXIMO PAR de semanas após o telefonema de Cax foram ásperas.
Eu estava sozinho e sentia falta de enviá-lo. Houve alguns momentos em
que esqueci de estar sozinho - quando alguma coisa engraçada na internet me
fez sorrir. E então eu gostaria de dizer a Cax sobre isso.
Sim. Triste novamente.
Então eu coloquei toda a minha energia no meu trabalho. A equipe
continuou nessa viagem a Providence, e vencemos. E eu principalmente
consegui não pensar em Cax, que estava sem dúvida no concerto de férias de
seu irmão como ele disse que estaria.
Então as férias aconteceram. Eu comprei uma passagem para Ohio e
movi em torno da casa da minha mãe por alguns dias.
"Você vai me dizer o que há de errado?" ela me perguntou uma tarde,
passando a mão pelos cabelos enquanto eu me sentava na mesa da
cozinha. "Eles não são bons para você no trabalho?"
Eu não tinha planejado contar a ela. Ela deslizou uma caneca de cacau e
um prato de biscoitos de Natal em minha direção, parecendo preocupada.
“Eles são perfeitamente bons para mim no trabalho. Mas você se lembra
de Cax Williams?”
Ela piscou. "Quem poderia esquecê-lo?"
A história toda veio à tona. Exceto pelos pedaços sensuais. Eu
definitivamente passei por cima deles.
Quando terminei, ela deu um suspiro dramático. "Tão pobre
garoto. Quero dar um soco na boca do pai dele.”
"Além disso, no entanto", eu resmunguei. "Eu fico pensando sobre sua
situação, tentando encontrar uma solução alternativa. Não há solução.”

125
"Ele já lhe disse a solução dele." Minha mãe cobriu minha mão com ela
própria. "É só que você não gosta."
Eu olhei para os restos do meu chocolate. "Não acredito que encontrei ele
de novo, mas ainda não podemos ficar juntos. E ele quer ...”
"São os buracos", minha mãe concordou. "Conte-me mais sobre esse cara
Jason. Pelo menos ele está disponível.”
Por que dói tanto quando as mães estão certas?

Depois da minha semana de férias, voltei a Henning determinado a sair


mais e menosprezar. Minha pobre conta bancária não estava tão tensa agora
que eu tive alguns meses de depósitos de salário.
Josh e Caleb me convidaram para uma noite em um lugar chamado
Ralph's Tavern, e eu aceitei. Estava a poucos quilômetros de distância da
cidade, no entanto, então eu planejei andar com eles. Mas no trabalho eu tive a
ideia de convidar Boz para ir conosco. "Você terá que dirigir", eu lhe disse. "Mas
eu comprarei a primeira rodada."
"Ralph's é divertido", disse ele. "Mas eu fiquei animado lá pensando que
você estava me convidando para um encontro. Quando realmente sou apenas
seu motorista. Maneira de esmagar meus sonhos.” Ele jogou um ursinho de
pelúcia Barmuth no ar e pegou.
"Encontraremos uma garota legal no Ralph's", prometi.
"Mas você voltará para casa no meu carro." Ele sorriu.
"Como posso fazer todo o meu movimento de cara suave com você
escutando? ”
“Se eles fossem realmente tão suaves, você não se importaria de ir
público."
"Você está cheio de desculpas." Ele olhou para o relógio. "Quando nós
saímos?"
Dada a alergia de Boz a trabalhar horas extras, saímos do escritório as
5:01 e derrotou Josh e Caleb na taverna. Nós já estávamos nas nossas segundas

126
cervejas quando meus vizinhos chegaram com um par de colegas do trabalho
de Caleb da garagem. "Este é Danny e este é Jakobitz” Caleb disse enquanto
apertamos as mãos.
"Você é um casal também?" Boz perguntou aos outros dois mecânicos.
Josh e Caleb começaram a rir.
"Você está brincando comigo?" Danny gritou, apontando para Jakobitz.
“Ele tem os peidos mais cheirosos. Se eu fosse gay e ele fosse o último homem
na terra…"
"Ah, como se você fosse tão atraente", disse Jakobitz com um olhar de
nojo em seu rosto. "Por favor. Aquele bigode ...”
"Opa", Boz murmurou.
"Aposto dez dólares que eu serei o primeiro cara a ser cantado hoje à
noite” disse Danny.
"Vinte diz que sou eu", respondeu Jakobitz.
Caleb revirou os olhos.
Meu plano deu certo. Eu me diverti apesar de tudo. Nós comemos
sanduíches de carne de porco, enquanto Caleb e seus amigos nos contaram uma
história sobre um cliente que estava convencido de que uma cobra estava à
espreita em algum lugar no seu motor.
"Ele sentiu algo deslizar pelo tornozelo", disse Danny. "Mas acho que
talvez o cara fosse louco."
"Mas uma cobra não pode se esconder em um motor como esse?" Josh
perguntou. "Eu ouvi falar disso no Car Talk25. ”
"No Texas, talvez", disse Caleb, apertando a mão no ombro de seu
marido. “Quantas cobras estão rastejando em janeiro em Massachusetts?”
“Bom argumento. Você olhou para o motor dele, afinal? Talvez uma
cobra escapou da casa de um vizinho. "

25
O Car Talk é um programa de entrevistas em rádio que foi transmitido semanalmente nas estações da National
Public Radio e em outros lugares. Seus assuntos eram automóveis e reparos automotivos, discutidos frequentemente
de maneira bem-humorada.
127
"Nós olhamos", disse Jakobitz. "Mas apenas por meia hora, porque não
queríamos cobrar uma fortuna por esse tipo de tarefa.”
"Poderia ter sido um rato", Danny apontou. “Os ratos fazem ninhos em
carros o tempo todo. Mas não encontramos excrementos.”
Boz estremeceu. "Agora eu tenho que me preocupar com ratos no meu
veículo? Obrigado por isso.”
"Coloque armadilhas na sua garagem", Josh ofereceu.
"Olá! Com licença?"
Todos nós olhamos para cima para ver uma mulher ruiva encostada em
nossa conversação. Ela colocou a mão no antebraço de Caleb. "É aniversário da
minha amiga. Dela." Ela inclinou a cabeça em direção a uma mesa em volta.
Todas as nossas cabeças giraram para olhar, é claro. Na outra mesa outra
garota estava sentada sozinha, corando profusamente.
“Existe alguma maneira de você tomar tiros conosco enquanto eu canto
Feliz Aniversário?"
"Uh", disse Caleb, parecendo surpreso com a oferta. "Meu marido odeia
quando fico bêbado. "
Ela piscou.
"Mas somos seis", disse Boz rapidamente. "Podemos cantar Feliz
Aniversário muito alto. Confie em mim. Garotos prontos? Qual é o nome da sua
amiga?"
"Suzie", disse ela, animando-se.
“Às três! Um dois três…"
Todos nos viramos e cantamos parabéns para Suzie. E então Boz foi até
lá e comprou um shot e perguntou se ela queria jogar sinuca.
O cara tinha alguns movimentos. Vai saber.
A festa foi para as mesas de sinuca e todos reproduzimos. Josh era
estranhamente bom na sinuca. Ninguém poderia vencê-lo.
E nem Danny nem Jakobitz tiveram que se pagar vinte dólares, porque
Caleb foi quem foi atingido primeiro.

128
"Hey Caleb", eu disse mais tarde, quando estava ficando tarde. "Eu posso
voltar para casa com vocês? Parece que Boz tem outros planos para esta noite."
Todos nós assistimos enquanto Boz beijava a aniversariante em seu
pescoço, então disse algo que a fez corar.
"Claro que você pode andar conosco", disse Caleb. "Vamos lá."
Pegamos nossos casacos. “Josh realmente odeia quando você fica
bêbado? Ou isso era apenas uma desculpa esquisita?”
Caleb riu. “Só estou falando mal da minha bunda. Embora uma vez ele
teve que me pegar aqui quando eu fiquei bêbado. Ele e eu tivemos essa luta
horrível, e eu dirigi aqui e deixei Danny e Jakobitz me deixar bêbado.”
“O cara não pode segurar a bebida em tudo ”, Danny concordou.
Eu tentei imaginar Josh e Caleb brigando e ... eu não podia imaginar
isso. De modo nenhum. Mas talvez eu precisasse parar de imaginar que a vida
de todos os outros era perfeita.
“É por isso que essa desculpa surgiu. Recordações." Ele colocou uma mão
no ombro de Josh e apertou. “As mulheres nunca se dão bem comigo. Ela me
pegou de surpresa.”
"Elas batem em você o tempo todo", Danny zombou. "Você apenas não
percebe. Devemos dizer boa noite para Boz? Eu não quero mexer com o
momento dele. ”
Todos nós olhamos para ele no canto do bar, onde ele estava agora com a
Suzie.
"Boa noite, Boz", gritei descaradamente.
Ele me deu o polegar para cima sem quebrar o selo do beijo deles.
Pelo menos alguém iria para casa otimista.

"Seus amigos foram incríveis", disse Boz na segunda-feira. "O fim de


semana foi assassino.”

129
“Eles são incríveis. Mas acho que toda a experiência concordou
contigo. Isso é um chupão?” Deixei minha cadeira para olhar mais de perto o
pescoço dele.
"Pode ser." Boz girou a cadeira, arruinando minha visão. “Suzie não saiu
do meu apartamento até domingo. E eu estou vendo ela novamente no próximo
fim de semana. ”
Bem. Pelo menos um de nós estava fazendo sexo. "Posso te mostrar algo
em que venho trabalhando? Não é tão divertido quanto Suzie. Mas é bem
divertido.”
"Certo. Estou ficando tonto de qualquer maneira.” Ele parou a cadeira.
No começo, Boz realmente não entendeu minha ideia. Mas eu sabia que
era sólida, então continuei minha explicação. “Na noite da família, qualquer
garoto de quatorze ou menos que usa uma camisa de basquete ou qualquer tipo
de roupa Barmuth entrará de graça.”
"Hum", disse Boz, coçando o queixo. “Mas os ingressos para crianças são
apenas quatro dólares. E um ingresso de cinema é oito. Eu não acho que o
preço está mantendo as pessoas afastadas. "
“Você está certo, não é. Mas esse não é o ponto. Tem famílias locais que
não sabem o quanto gostariam de frequentar um jogo ao vivo, certo? Além
disso, as pessoas gostam de pensar que estão recebendo algo de graça. Eles
receberão o ingresso de quatro dólares de graça e depois gastará o dinheiro no
posto de concessão. De qualquer maneira parece que Barmuth estava dando
um presente para a comunidade Henning. Enquanto isso, os ingressos para
adultos custam oito dólares, e nós preenchemos o local. As pessoas vão se
divertir e depois vão voltar. Estou tentando criar um ciclo de feedback
positivo.”
Boz riu. “Ouça o grande profissional de marketing chavão por aí. ”
"Admite. Você gosta disso."

130
"Eu faço. Eu só queria ter pensado nisso.” Ele girou a cadeira novamente
quando nosso chefe se aproximou. “Arnie! Ouça esta ideia que Axel teve. É
genial.”
O rosto de Arnie estava sombrio e ele não respondeu a Boz. "Axel, você
poderia vir comigo, por favor? Eu preciso de uma palavra.”
Eu sabia que algo estava errado apenas pelo tom de sua voz. Seguindo-o
ao seu escritório, fechei a porta antes de tomar um assento. E quando ele abriu
a boca e me disse o problema, eu fiquei pasmo.
“Axel, acabei de ser notificado por nosso escritório de conformidade que
eles receberam uma queixa de assédio sexual contra você. "
Por alguns segundos, fiquei sentado repetindo as palavras na minha
cabeça. "O que? De quem? "
Ele cruzou as mãos no colo. “Um funcionário da faculdade apresentou
uma queixa de que você assediava sexualmente um aluno graduado."
Algo sobre essa declaração soou. "Um aluno graduado está me acusando
de assédio? "
"Bem ..." Ele hesitou. “É muito incomum. O autor da denúncia não é o
estudante de graduação. Um terceiro fez a acusação."
A sério? “Eu conheço algum estudante de graduação? Isso não faz
sentido." Meu estômago revirou quando cheguei a única conclusão
viável. “ Oh . Espere. A pessoa que eu supostamente assediei se chama Henry
Caxton Williams? ”
Arnie assentiu lentamente.
Eu soltei um suspiro de raiva. "Isso é loucura, mas agora eu entendo por
que isso está acontecendo. A reclamação é completamente infundada - Cax e
eu somos amigos de anos. Costumávamos ir na mesma igreja, a retiro da igreja
a partir do terceiro ano. O pai dele não gosta do fato de eu ser gay. E alguns dias
atrás ele descobriu que eu havia me mudado para Henning. Ele não estava
feliz."

131
Arnie ficou em silêncio por um longo minuto. "Axel, você precisa de um
advogado."
"Por quê?" Eu quase engasguei com a palavra. "Eu não fiz algo errado. Se
o pai de Cax é o cara que apresentou a queixa, Cax nunca apoiaria isso. Não
importa quanto imbecil o pai dele estava tentando ser.” Merda . Isso era
verdade, certo? Eu me senti doente, imaginando o que Cax poderia fazer para
manter sua mentira. Brotos da dúvida começaram a se enrolar em meu
coração.
Talvez eu esteja precisando de um advogado.
Meu chefe massageou suas têmporas. "Garoto, acho que entendo o que
você está dizendo. Mas esse cara da Williams trabalha na faculdade por
anos. Ele entende que as alegações de assédio sexual entram no arquivo de um
funcionário, e ele quer que você tenha essa mancha contra você. Faça um favor
a si mesmo e converse com um advogado antes de responder a esta
reivindicação. Nem conte a seu amigo sobre isso. Qualquer comunicação que
você tem com ele agora poderia comprometer você. "
Que deprimente. Cax e eu já estávamos evitando um ao outro, de
qualquer forma. "Ok", eu me ouvi dizer. “Onde posso encontrar um advogado
que entende esse problema? "
Arnie me estudou com olhos azuis lacrimejantes. "Vou te ajudar. Mas por
favor me diga que você nunca incomodou esse garoto.”
Eu balancei minha cabeça violentamente. "Nunca. Ele e eu estamos
muito perto. E esse é o problema. É ele e seu pai que mal falam um com o
outro."
Ele suspirou. “Que mundo fodido é esse. Deixe-me falar com meu amigo
na faculdade de direito e vamos encontrar alguém que pode ajudar."
Quando voltei para minha mesa, peguei minhas anotações para noite em
família. Minhas mãos estavam tremendo.

132
Arnie foi fiel à sua palavra. Não quarenta e oito horas depois, sentei-me
com um jovem advogado que havia concordado em me ajudar em uma taxa
reduzida. E graças a Deus. Eu não tinha muito dinheiro. Sr.Williams
provavelmente sabia disso também. Ele estava tentando me afastar.
Eu tinha medo que pudesse realmente funcionar.
A primeira hora faturável que passei com meu advogado foi realmente
desconfortável. Ele me pediu para começar do começo. Então eu contei a ele
sobre nosso desastre no acampamento quando éramos adolescentes. E como
eu encontrei Cax no jogo de basquete. (Eu pulei a parte sobre vê-lo no vídeo,
porque não era relevante.)
Eu tinha que contar a ele sobre Merryline, é claro. Até você descrever sua
patética vida sexual a um estranho perfeito, você não viveu.
Terminei descrevendo o confronto que testemunhei entre Cax e seu pai
em frente à casa deles, e as más vibrações que saiu dele.
"E é isso", eu disse. “Eu sei que não fiz nada de errado. Mas não sei como
fazer isso desaparecer.”
Trevor - meu novo advogado - parecia pensativo. "Aqui está o que nós
vamos fazer. Você precisa acusar o Sr. Williams de assediar você . "
Eu olhei de volta para ele. “Você quer que eu ... o que? "
Ele se recostou na cadeira. "Pense nisso. Sua melhor defesa é uma boa
ofensa. Ele fez isso porque ele quer uma marca no seu registro
permanentemente. Então você precisa deixar uma na dele.”
"Espere um segundo." Agora minha cabeça estava girando. "Eu não vejo
como eu posso fazer sua alegação falsa desaparecer, fazendo uma própria
minha."
“Mas acho que você pode. Se você acusá-lo de assedio, a faculdade será
obrigada a investigar, o que ele não deseja. E não é falso. Ele está assediando
você, Axel. Voce esta fazendo sexo com o filho dele, então ele está tentando
fazer com que você seja demitido. Isso é o que assédio sexual parece. "

133
"Não houve sexo penetrante de verdade com seu filho", eu disse
calmamente.
Trevor revirou os olhos azuis brilhantes. “Isso é um detalhe técnico. Você
foi para um hotel com ele. Não se defenda dizendo que isso não
aconteceu. Defenda-se dizendo que o pai dele não tem direito de reclamar . "
Respirei fundo, porque meu advogado estava subitamente fazendo muito
sentido. "Você seria um excelente homem gay, Trevor.”
Ele riu. “Vou me lembrar disso se minha esposa me deixar. Enquanto
isso, com sua permissão, vou escrever uma queixa. Como seu advogado, eu
realmente aconselho que você assine. Está é a melhor maneira de garantir que
ele saiba que você não vai sair da cidade com o rabo entre as pernas. "
"É isso que ele quer."
"Exatamente. Não dê a ele.”
Eu ainda estava preocupado. “O que ele vai fazer comigo se eu arquivar a
queixa, no entanto? Qual o próximo passo dele?”
Meu advogado bateu o lápis na mesa. "A resposta obvia é retirar sua
queixa. Então você vai retirar a sua, porque sem ele a sua não tem
fundamento.”
"Receio que ele castigue seu filho." Inferno . Eu já estava apavorado por
essa.
“Mas qual é a alternativa? Você não pode simplesmente rolar. Se você
fizer nada, você acabará dizendo a uma sala cheia de pessoas os detalhes da sua
viagem a Merryline. E você acabou de me dizer que seu amigo precisa ficar no
armário. A melhor maneira de protegê-lo é sacudir o pai. Você não pode
colocar o gênio de volta na garrafa. Mas você pode calá-lo.”
Eu deixei minha cabeça cair nas minhas mãos. “Eu tenho tanto medo por
Cax. Eu gostaria que nunca o tivesse convidado para esse hotel. ”
O rosto de Trevor estava cheio de empatia. "Você não estava tentando
deixar ele em apuros. Você estava tentando mantê-lo fora disso.”
“Mas não importa. O caminho para o inferno-”

134
"... será destruído pelo seu advogado", brincou Trevor. "Agora dê um
tempo para se preocupar. Eu tenho uma reclamação para escrever."
"Obrigado", eu disse, levantando-me. "Sério…"
Ele assentiu. “Por favor, não se comunique com ninguém sobre este caso,
exceto seu chefe e sua família imediata. É especialmente importante não
discuti-lo com nenhum dos homens Williams.”
"Ok", prometi.
“Nós vamos trabalhar com isso. Apenas me dê tempo para obter nosso
pedido contra-reclamação ".
"Eu vou."
"E veja o que você pode fazer para vencer nossa equipe contra Harvard
no próximo fim de semana.”
Eu balancei minha cabeça. "Isso pode estar pedindo muito."
Ele me dispensou. "Bem. Ligo para você amanhã ou no próximo dia."

135
CAPÍTULO DEZESSETE

CAX
TRÊS SEMANAS sem falar com Axel. Todo dia parecia vazio. Mesmo que
interromper a comunicação com ele tivesse sido a coisa segura a fazer, eu ainda
estava chateado com isso.
E eu o procurei em todos os lugares. Quando eu atravessei o pátio, meu
olhar pousou em todo cara que poderia ser Axel. Eu procurei por ele no
supermercado e na fila do café.
Não tentei procurá-lo. É que eu não conseguia descobrir como parar.
Sentado durante o show de férias de Scotty, fiquei pensando o que ele
estava fazendo - se ele havia encontrado um bar gay em Providence e se ele foi
para casa sozinho. Praticamente me deixou louco sentado no auditório da
escola, desejando estar a quilômetros de distância.
"Quer sair para tomar sorvete?" Perguntei a Scotty quando o show
acabou.
"Não é meio tarde?" ele perguntou. Aquele era Scotty, sempre apegando-
se às regras, esperando ficar longe de problemas. Apenas como eu.
Que deprimente.
"Apenas um cone rápido", eu disse, apressando-o para o carro. "Eu
preciso de algo para comemorar. ”
"Tudo bem", disse ele, me divertindo. "Vamos fazer isso."
Os feriados se arrastavam. O complexo habitacional de pós-graduação
esvaziando. Às vezes, minha luz de leitura solitária parecia o único sinal de
vida. Eu fiz algumas pesquisas para a minha dissertação, mas muitas vezes
encontrei minha mente divagando.
Eu pensei que ficaria mais fácil quando todos os alunos viessem de volta
após o ano novo. As aulas começaram na segunda-feira, mas, quando me sentei

136
na uma mesa de conferência com um novo grupo de graduandos, a minha
sensação de solidão não desapareceu. Eles pareciam um cem anos mais novo
do que eu me sentia.
As coisas do início do semestre foram postadas no escritório de
assistentes. Eu fiz uma varredura rápida do cronograma intramural de
basquete intramural, na esperança de ver um jogo com o Departamento
Atlético chegando em breve. Eu encontrei, mas não aconteceria por outro mês.
Suspiro .
Passei longas horas na biblioteca. Na terça à noite, eu percebi que eu
estava olhando para o espaço por um longo tempo. Ao encerrar, eu fechei as
guias no meu navegador da Internet. Por um capricho, verifiquei meu e-mail
de trabalho mais uma vez. Havia uma mensagem do departamento de
conformidade.
Isso era estranho.

Caro Sr. Williams,


Sua presença é solicitada na próxima segunda-feira às 9:00 da manhã
em Trainor Hall para uma audiência sobre acusações de abuso
sexual. Consulte a reclamação Henry Williams Sr. v. Axel Armitage.

Eu li essa mensagem uma dúzia de vezes, porque não fazia sentido.


Então pensei em meu pai e percebi que sim.
Levantei-me tão rápido que minha cadeira da biblioteca caiu para
trás. Agarrando meu casaco, saí da biblioteca, correndo pelo átrio. Quando saí
do prédio, não fui para casa. Eu não fui à casa do meu pai, porque isso me
deixaria gritando com ele na frente dos meninos. E eu não fui para um bar para
beber eu mesmo até ficar bobo, embora isso não fosse uma idéia horrível.
Em vez disso, entrei direto em College Park e entrei no caminho para o
apartamento de Axel.
Ele deve estar pirando .

137
Deus, droga ! Ele veio aqui para um emprego. E ele me mostrou nada
além de amor. E agora meu pai ia arrastar ele na lama. Axel. O homem que eu
amo. Meu coração queimava por ele.
Eu estava realmente empolgado quando cheguei ao final do caminho
arborizado, alcançando as escadas até sua porta. Quando cheguei no topo,
minha batida era muito urgente. E quando a porta se abriu aberta, entrei sem
esperar um convite.
"Cax", disse ele, recuando enquanto eu avançava. "Você não deveria estar
aqui. Há problemas e-”
"Foda-se o problema!" Eu gritei. “Ele é o maldito demônio. Eu não posso
aguentar mais.” Eu fiquei lá, com o peito arfando, o rosto vermelho do frio e de
raiva.
Axel parecia tão incerto, e meu coração se partiu ao ver seus olhos
inquietos. "Querido, eu não deveria falar ..."
"Então não vamos conversar ." Fechei a distância entre nós e coloquei
minhas mãos em seu peito. Mas o olhar desconfortável em seus olhos não foi
embora. Então eu peguei a camisa dele com as duas mãos e o beijei.
"Ummnf", disse ele, surpreso. Enrolei uma mão atrás do pescoço dele e
belisquei seu lábio inferior. Eu o puxei para mais perto de mim. Eu só
preciso. Chega de deixar que outras pessoas governem minha vida. Por anos eu
tentei me conformar às regras estúpidas do meu pai, e foi nada além de um
desastre.
Chega .
"Axel", eu exigi, meus lábios contra sua boca. "Me beija."
Ele suspirou, e meu coração congelou de medo. Já era tarde
demais? Quem iria querer um cara que tivesse tanta bagagem quanto eu?
Mas então a boca de Axel amoleceu sob a minha. As mãos dele agarrou
minha cintura e ele me beijou suavemente. Outro suspiro escorregou do peito,
e ele cedeu.

138
Eu ainda estava acelerado demais por mil emoções cruas para ser
gentil. Eu forcei minha língua em sua boca, lavando-a contra a dele. Ele gemeu
em resposta, aprofundando o beijo. E então nós estávamos movendo. Axel me
cutucou em direção à cama. Eu fui, tentando não tropeçar nos meus pés. Entre
beijos, ele me cutucou novamente, e não foi gentil. Mãos ansiosas me
empurraram até minha bunda bater na cama. Meu casaco foi arrancado
aproximadamente dos meus ombros e jogado no chão.
Agora estávamos exatamente na mesma página. Seus beijos eram apenas
tão urgente quanto o meu, provavelmente porque ele entendeu. Era agora ou
nunca para nós. O futuro estava ficando mais feio a cada minuto. Seu trabalho
estava em perigo. Minha vida estava oscilando em um penhasco.
Aqui no apartamento de Axel, havia apenas o presente momento. E Axel
estava fazendo um trabalho rápido dos botões na minha camisa.
Eu chutei meus sapatos. Então eu peguei a cintura de sua calça e apertei
o botão. Eu nunca tinha feito isso antes – apenas estender a mão para pegar o
que eu queria. Parecia tão libertador pra caralho ir para onde meu coração me
levou. E quando eu o descompactei e depois deslizei minha mão em sua cueca,
havia um belo pau grosso esperando por mim. Eu dei um golpe firme e ele
endureceu na minha mão.
"Porra", Axel engasgou. O som de sua excitação me iluminou. Muito
tempo foi desperdiçado esperando a vida melhorar. Eu puxei as calças pelos
quadris e elas caíram como eu precisava delas. Depois que ele as chutou, ele
agarrou sua camisa, puxando-o sobre a cabeça. O olhar quente e determinado
em seu rosto era tudo que eu sempre quis.
Depois de tirar a camisa, tirei meu jeans e cueca, depois chutei minhas
meias. Eu estava completamente nu na cama de Axel. Ele ficou em cima de
mim, com um olhar faminto no rosto. "Venha aqui", eu ordenei. Deitei-me e
abri minhas pernas. Parecia a coisa mais suja que eu já fiz, mas era exatamente
o que eu precisava agora. Eu precisava dele para me foder.
E eu nunca pensei.

139
Axel subiu na cama com as mãos e os joelhos. Ele ainda estava vestindo
sua cueca, então eu estendi a mão e puxei-a longe de sua pele bonita. Mergulhei
minha mão por dentro e curvei minha mão em torno de seu pau.
Ele assobiou, e o som era bonito para mim. Então ele derramou suas
cuecas e manobrou seu corpo para o outro lado da cama, então ele estava de
frente para os meus dedos. Ele deixou cair o rosto na minha virilha e levou a
cabeça do meu pau na boca dele.
Eu estremeci de corpo inteiro. Deus, me senti tão bem. Eu alcancei entre
as pernas dele, peneirando meus dedos pelos cabelos macios da parte interna
de suas coxas antes de colocar suas bolas na minha mão.
Ele sibilou novamente e eu me senti ficar ainda mais difícil em sua
boca. Meus quadris tremiam de desejo, e eu estava louco de querer. Eu queria
chupar, foder e esfregar nele de uma só vez. Ele abaixou a cabeça entre as
minhas pernas e eu soltei um grito que provavelmente poderia ser ouvido por
quilômetros. Axel estava chupando minhas bolas, uma de cada vez. "Vire", ele
murmurou.
Sem hesitar, rolei de bruços. Axel se mudou, reorientando-se na
cama. Dedos quentes tentaram se espalhar em mim. Então ele agarrou meus
quadris e puxou. "De joelhos."
Eu levantei minha bunda, e então sua boca estava de volta, provocando
minha manchar com a língua. "Oh Jesus", eu ofeguei quando uma quente,
molhada língua me sondou. "Foda-se", eu implorei. "Por favor."
Ele deu um beijo suave na minha coxa. "Eu planejo." Ele deu a minha
bunda um tapa. "Espalhe pra mim."
Eu fiz. Ele desapareceu por um momento, me deixando lá, bunda no ar,
completamente vulnerável.
E eu adorei. Era exatamente onde eu sempre precisava ir. Finalmente .
Um momento depois, ouvi o som de uma garrafa de lubrificante se
abrindo. Então o corpo duro de Axel estava atrás de mim, seus dedos
escorregadios esfregando no meu vinco.

140
Respirei fundo e foquei em relaxar. Quando ele facilitou um dedo dentro
de mim, eu estava pronto. Eu empurrei de volta contra ele, alcançando
isso. "Mais", eu exigi.
Axel se inclinou para beijar minhas costas. "Preciso ir devagar", ele
murmurou.
“Foda-se devagar. Esperei muito tempo por isso.”
Eu recebi outro beijo na minha espinha. “Deixe-me trabalhar você aberto.
Então eu vou lhe dar as pancadas que você merece.”
Gemendo, deixei cair os cotovelos na cama. Eu senti um segundo dedo
pressionar para encontrar o primeiro. Houve uma queimadura, mas foi uma
queimadura que eu queria. "Sim", eu ofeguei. Meus quadris balançaram de
volta para a mão dele. Eu estava tonto com adrenalina e desejo. Ele jogou
comigo enquanto eu ofegava, esperando.
Minha vida inteira eu desejei isso - as mãos de Axel no meu corpo. Axel
me possuindo. Toda a raiva que eu trouxe aqui comigo hoje teve se
transformado em desejo. Eu estava vibrando com necessidade e desespero,
pressionando nele, me fodendo na mão dele. "Por favor” eu soluço.
"Logo", ele sussurrou.
Tudo o que eu pude fazer era largar o rosto na colcha e gemer. Foda-se
em logo . Eu estava terminado de logo .
Finalmente, ouvi o ruído de uma embalagem de preservativo e a pressão
da garrafa de lubrificante novamente. "Pronto, bebê?" Senti a pressão de um
bom pau duro contra o meu buraco.
Com um gemido profundo eu empurrei de volta contra ele. Por um
terrível momento que pensei que não ia dar certo. E então meus músculos
cederam e o deixei entrar.
Axel gemeu quando afundou dentro. De repente, eu estava tão cheio dele.
Eu precisava fechar meus olhos para me ajustar à sensação.
Atrás de mim, Axel respirou fundo e soltou o ar. "Você OK?" ele
perguntou.

141
Eu assenti porque estava. Mas eu também fiquei impressionado. Eu
estava esperando anos por isso. Meus olhos estavam úmidos do dilúvio de
emoção. Axel. Finalmente. Sim ...
Ele balançou suavemente. “Eu vou me mudar. Você me diz se eu
machucar você, ou se encontrar algo que goste. ”
Mais uma vez, assenti. Axel se afastou um pouco e depois empurrou de
volta para dentro. Foi uma sensação tão estranha que me vi prendendo a
respiração.
Ele passou a mão pelo meu flanco, dedos gentis quase fazendo cócegas
nas minhas costelas. “Respire, querido. Relaxe para mim. Eu preciso de você
solto. Você está tão fodidamente sexy. " Ele puxou os quadris para trás e depois
empurrou encaminhando tudo de uma vez. “Mmm. Amo transar com você.”
A conversa suja era exatamente o que eu precisava. Eu abro minhas
pernas um pouco mais afastadas, me abrindo para ele. "Leve-me", implorei.
"Eu tenho você. Você é todo meu agora. Na verdade, vire-se.” Ele puxou
todo o caminho.
"O que? Por quê?"
Ele deu um tapa na minha bunda. "Nas suas costas. Eu preciso ver seu
rosto enquanto eu te fodo.”
Eu virei, e então Axel levantou primeiro uma das minhas pernas e depois
a outra sobre os ombros. Era uma posição estranha, ainda eu realmente amei a
vista - Axel sorrindo para mim. "Faça", eu ofeguei.
Suas pálpebras ficaram meio mastro quando ele empurrou para
dentro. “Oh, merda. Tão bom. Tão apertado.”
Eu ajustei meus quadris e observei a bela vista acima de mim. O pacote
de seis de Axel ficou tenso quando ele lentamente me fodeu. Ele respirou
profundamente através de várias investidas. Então ele começou a se mover
mais rápido.
Foi quando tudo começou. Ele mudou de posição um pouco meus
membros começaram a formigar e queimar. "Ahh ..." eu gemia.

142
"Você gosta disso?" Ele estalou os quadris, inclinando-os para cima.
Alguém gritou, e fui eu.
"Isso mesmo", ele ofegou. "Eu vou bater nesse ponto, e você vai vir tão
duro.”
Eu estava gemendo agora. Cada impulso me fazia sentir tonto. Algo
estava construindo, e não era como qualquer coisa que eu senti antes. Eu
alcancei uma mão trêmula até o rosto de Axel, e ele beijou isso. Então ele pegou
o ritmo. “Amo transar com você, bebê. Toque-se para mim.”
Ele moveu minha mão trêmula para o meu pau, me incentivando a um
acidente vascular cerebral, mas eu estava tão ocupado sendo ultrapassado pela
peculiar, excitação do corpo inteiro pra não ter me esforçado muito.
Acima de mim, Axel riu. Batendo minha mão, ele começou acariciando
meu pau enquanto ele empurrava. "Estou perto, Caxy." Ele apertou sua
mandíbula e eu vi a tensão em seu pescoço enquanto ele tentava mantenha-se
unido.
Ele era tão bonito. E pelo menos por esse momento, ele era todo
meu. Minhas bolas começaram a apertar, e eu flutuei na beleza de tudo isso.
"Venha para mim, bebê", ele disse. Com um grunhido ele me deu outro
grande impulso, e senti minha excitação transbordar em uma onda de prazer
nu. Empurrei meu corpo inútil contra a cama e ofeguei. "Foda-se, sim", ele
ofegou. “Oh, merda. Cax ... "
Ao longe, o ouvi resmungando através de seu clímax. Mas eu estava em
outro lugar. Tudo ficou escuro por alguns momentos.
Quando voltei ao meu corpo, Axel estava beijando minha mandíbula.
"Baby", ele sussurrou. "Você está bem?"
"Siiiim", eu suspirei. "Isso foi ..." Tentando descrever não vai me levar a
qualquer lugar. "Muito louco. Chocante."
"Você gostou?"
"Claro que sim." Havia apenas uma pequena piscina de porra no meu
estômago. "Estranho - eu não vim muito."

143
Ele beijou meu ombro. “Orgasmos da próstata são tudo uma espécie de
diferente. Algumas pessoas nem ficam duras quando elas vêm."
"Eu não acho que posso mover meus membros", eu sussurrei.
"Então não faça."
Fechei os olhos. Axel se moveu pelo quarto, mas eu não estava
preocupado com o porquê. Um minuto depois, um pano quente e úmido foi
colocado limpando minha barriga. E um tempo depois disso, mãos gentis
aliviaram as cobertas, incentivando-me a mover apenas o suficiente para ficar
por baixo. Abri espaço para Axel em sua própria cama.
"Mmm", eu disse quando braços quentes me enrolaram perto dele.
"Isso foi perfeito", ele respirou no meu ouvido.
"Sim", eu concordei, quase cansado demais para falar. "Pensei que nunca
aconteceria. Achei que tinha acabado.”
“Do jeito que eu sinto por você? Nunca acaba ”, ele disse com um suspiro.
"Te amo", eu chorei. Então eu deixei ele me abraçar enquanto eu caí todo
o caminho para dormir.

144
CAPÍTULO DEZOITO

AXEL
EU ACORDEI emaranhado em Cax. Foi tão bom tê-lo na minha cama que
quando meu alarme disparou, eu escolhi não me mexer depois de desligar. Eu
chegaria atrasado para o trabalho hoje.
Foda-se.
Depois de um tempo, Cax se afastou de mim, enterrando o rosto no
travesseiro. Ele provavelmente estava quente demais, mas eu não queria parar
de tocar nele. Então eu tracei suas costas lisas com as pontas dos dedos, e
quando cheguei à cintura, ele estremeceu.
Isso era realmente tudo o que eu sempre quis. Cax na minha cama, nu.
Coloquei meus lábios em seu pescoço e o beijei. Mordisquei ele. Chupei
sua pele. E o tempo todo deixei minha mão vagar preguiçosamente pelo corpo
e depois pelo quadril. Ele gemeu quando eu encontrei um pau duro apontando
diretamente contra sua barriga. Eu comecei acariciando-o lentamente, mas ele
rolou para me encarar.
"Bom dia", eu sussurrei.
"Oh, sim, é", ele retornou. Então ele se inclinou para me beijar.
Tanto pra ser lento e preguiçoso. Alguns segundos depois estávamos nos
beijando como pessoas frenéticas. Ele rolou em cima de mim, seus quadris
montando o meu. Sua língua estava tão profunda na minha boca que eu não sei
onde ele terminou e eu comecei.
Eu agarrei sua bunda e apertei. Cax gemeu alto. "Ax, a menos que você
me diga que não, eu irei incrivelmente em breve.”
"Faça", eu incentivei.
Mas ele se levantou de quatro e, um segundo depois, ele deslizou meu pau
em sua boca. "Foda-se, bebê", eu gemi. Meus quadris rolaram, porque eu não

145
conseguia ficar parado. Ele me lambeu, seus beijos molhados e
desleixados. Céu . E então ele abriu bem e me deu uma boa, dura chupada. "Oh
maldição. Estou perto."
Liberando-me, Cax subiu na cama para deitar ao meu lado. Eu rolei para
encará-lo, tomando sua boca em um beijo profundo. Nossas mãos
emaranhadas quando cada um agarrou o pau um do outro, os dedos de Cax
começando a deslizar para cima e para baixo no meu eixo. Eu bombeei na dele
mão, e ele fez o mesmo na minha. Dei a ele mais um beijo e então me afastei
para observar seu rosto.
Seus olhos estavam escuros e pesados de luxúria. "Te amo", ele
disse. Então seus lábios se separaram em um gemido, e ele começou a atirar na
minha mão. Eu o segui um segundo depois, vindo por todos os lados enquanto
olhava nos olhos dele.
Ficamos ofegantes e saciados - uma pilha pegajosa de membros e pele
úmida e bocas inchadas por beijos. Eu me levantei em um cotovelo, depois me
inclinou para lhe dar um beijo único e suave nos lábios. Então eu desmaiei
novamente.
Levou alguns minutos antes de qualquer um de nós falar. "Precisamos de
chuveiro” eu disse finalmente.
"Você precisa de um advogado", foi a resposta de Cax.
Acariciei seu mamilo com o polegar. "Já tenho um", eu disse
silenciosamente.
Ele suspirou. "Eu sinto muito."
"Não é sua culpa."
"Vou dizer a verdade", disse ele. "Vou entrar nessa audiência e dizera
todos que eu o amo e que meu pai não pode lidar com isso.”
“Você pode não ter que fazer isso. Eu não deveria falar com você sobre
isso, mas ontem eu assinei-”
"Não me diga que não deveria", ele disse rapidamente. "Mas sei isso - vou
dizer a verdade, mesmo que isso torne minha vida mais difícil do que já é. "

146
Meu peito estava apertado só de pensar nisso. "Eu não te quero sendo
cortado de seus irmãos. "
“Eu sei disso. Mas eu posso, e não será sua culpa. Eu sou gay , Axel. E
meu pai sempre soube disso. Por anos eu estive evitando esse confronto, mas
estava sempre vindo para mim. Eu estou quase aliviado. "
Eu bufei. “O que você está é sexualmente satisfeito. Pela primeira vez
desde sempre.”
Cax me cutucou nas costelas. "E você é presunçoso ."
“E pegajoso. Vamos." Eu puxei sua mão. “Hora de limpar."

Estávamos nos vestindo quando bateram na porta. Eu olhei o rosto de


Cax e vi pânico ali.
"Ei, está tudo bem", eu sussurrei.
Sua expressão ficou envergonhada. "Eu tive medo a minha vida
inteira. Isso não vai dar a mínima.”
"Eu sei." Eu gostei da maneira como ele colocou isso, no entanto. Como
se ele estivesse ansioso por um futuro diferente. "Por que você não entra no
banheiro até eu ver quem é?”
Ele passou por mim e eu fui para a porta. Quem quer que fosse bateu
novamente no momento em que girei a maçaneta. "Axel?"
Abri a porta para Josh. "Ei. Manhã. Alguma coisa errada?"
Ele franziu a testa. "Não tenho certeza. Acabei de encontrar a carta mais
estranha no correio de ontem. Alguém deve ter colocado na nossa caixa de
correio - sem franquia. Ainda não mostrei para Caleb. Mas tudo parece
fraude.” Ele me ofereceu um pedaço de papel que tinha sido dobrado em terços.
Foi impresso em papel de carta da Barmuth College. "Para quem pode
estar relacionado: o Sr. Axel Armitage foi acusado de assédio por seu
empregador. Caso a acusação resulte em sua rescisão, seu senhorio deve
estar ciente de que não tem fundos suficientes para pagar suas
acomodações. Atenciosamente, o Departamento de Recursos Humanos."

147
Suspirei. "Filho da puta."
"O que ele fez agora?" Cax saiu do banheiro soprando seu próprio
esconderijo.
Os olhos de Josh se arregalaram antes que ele se recuperasse,
escondendo sua surpresa. "Bom dia, Sr. Williams."
“Você não precisa mais me chamar de Sr. Williams. Você não está mais
na minha aula. " Cax atravessou a sala e leu a carta sobre meu ombro. “Isso é
ridículo. Eu vou matá-lo.”
Josh cruzou os braços. "Posso perguntar quem?"
"Meu pai", Cax resmungou. “Ele está tentando ferrar Axel. Isso também
não é o pior.
O rosto de Josh se suavizou. "Eu sinto muito. É porque vocês dois ...?” Ele
deixou a pergunta inacabada.
"Absolutamente", eu disse. “Mas contratei um advogado e estou tentando
fazê-lo recuar. A partir de agora, não há razão para assumir que não vou pagar
o aluguel.”
"Eu não estou preocupado", Josh disse rapidamente. "Eu entendo o que
você está passando. De onde Caleb e eu viemos, eles vieram atrás de nós com
uma espingarda. Deixe-nos saber se pudermos ajudar de qualquer forma. "
"Obrigado", eu disse. "Realmente, eu aprecio isso."
Josh sorriu. “Venha jantar amanhã à noite. Vocês dois."
"Ok", disse Cax rapidamente, me surpreendendo. Eu levantei minhas
sobrancelhas para ele. "Eu quero", ele disse calmamente. "Eu terminei de
tentar agradá-lo."
"Mas ..." Eu estava preocupado com Cax. "Ainda não sabemos o que irá
acontecer. Seus irmãos…"
"Eu sei", disse ele, colocando a mão no meu braço. "Mas eu simplesmente
não posso fazer isso mais. Eu tentei gerenciar a situação e falhei. Ele quer um
confronto. Eu não posso pará-lo. E eu estou cansado de andar longe de
você. Isso é assustador , Axel. Estou tão acabado com a coisa toda. ”

148
"Ok", eu disse suavemente. Eu olhei para Josh, que tinha estado ouvindo
em silêncio. “Dois para o jantar. Eu vou trazer alguma coisa. Apenas conte-me
o que - um prato? Uma salada?"
"Uma salada", disse ele. "Nós nunca comeríamos uma de outra maneira."
"Bem." Eu ri.
"Sete horas", disse ele.
"Incrível", respondeu Cax. "Estaremos lá. E eu vou trazer vinho.
Provavelmente vou precisar de um pouco.
"Combinado."
Com a permissão de Josh, eu mantive a carta estranha para mostrar para
o meu advogado.
"Vou sair agora, porque você já está atrasado para o trabalho", Cax disse,
entrando no lugar dele.
Eu o alcancei antes que ele chegasse à porta. "Ei. Me beija," eu
sussurrei. Ele fez, e foi tão fodidamente doce. Eu corri minha mão suavemente
sobre sua bunda. "Você está dolorido?"
Cax corou. "Um pouco. Mas eu não me importo.”
Eu o beijei mais uma vez, mas depois tive que soltá-lo ou eu nunca faria
isso funcionar. "Você está se sentindo bem? Você iria me dizer se não
estivesse?”
"Principalmente, e sim", disse ele, pegando o casaco. "Eu não quero
minha vida desmoronando. Mas se for inevitável, eu vou lidar, ok? Vamos
apenas ver o que acontece. E se ele ficar mais feio com a gente, nós vamos nos
consolar com mais sexo. "
Eu ri. "Tudo certo." Eu gostei desse Cax novo e mais resistente. Eu gostei
dele muito. Mas eu ainda estava desconfortável. Havia algo sobre essa carta
estranha do pai para Josh e Caleb que cheirava a desespero. “Você
provavelmente deveria ficar fora do caminho do seu pai até próxima
semana. Isso é quando-"
"A audiência. Eu sei." Ele abotoou o casaco. "Eu vou desaparecer.”

149
"Diga-me se você ouvir algo estranho dele", implorei.
"Eu vou." Ele deu um passo à frente e me deu um beijo rápido. "Eu vou,
até amanhã às sete.” Então ele foi embora.
Trinta minutos depois, cheguei ao trabalho atrasado. Eu sentei na minha
cadeira e tentei reunir meus pensamentos. Eu precisava ligar para o meu
advogado sobre a carta e confessar que Cax e eu estávamos mais amigável do
que eu havia planejado.
"Alguém transou!" Boz sibilou. "Droga. Finalmente . Conte-me quem é
para que eu possa agradecê-lo pessoalmente. Eu estava cansado do rosto
comprido. "
Eu olhei de surpresa. "Não sei do que você está falando."
"Cara, você está sentado lá sorrindo para a tela de login do computador. E
você está uma hora mais tarde que o normal. Você pode como bem pintá-lo na
sua testa. "
Boa tristeza . "Qual era o seu curso em Barmuth, afinal?"
"Psicologia", ele disse com uma risada. “E apenas admita. Eu sou muito
brilhante. ”
"Você é muito chato é o que você é." Ignorando sua risada, eu finalmente
comecei a trabalhar.
Mais tarde, quando liguei para o advogado, ele disse que queria ver a
carta que Josh recebeu. Então, na hora do almoço, eu corri para o seu
escritório.
"Isso é estranho", disse ele, apertando os olhos para o texto. "É tão
desajeitado."
"Foi o que eu pensei também."
Ele colocou uma manga de plástico. “Você nunca sabe – nós podemos
acabar espanando-o por impressões digitais. "
"Ele é ex-militar", apontei. “Ele ministra um curso sobre história da
inteligência dos EUA. Ele provavelmente usou luvas.”

150
Trevor balançou a cabeça. “Eu não entendo esse cara. Se ele é tão tático,
por que ele está correndo como uma noz entregando cartas? Tenha cuidado,
ok? Se você o vir em qualquer lugar, obtenha o inferno longe. "
Eu não gostei do som disso. "OK. Há algo mais que eu tenho que te contar
também.”
"Por que de repente estou preocupado?"
“Bem, eu tentei ficar longe de Cax, mas não deu certo como eu tinha
planejado. " Expliquei como Cax praticamente quebrou na minha porta ontem
à noite depois de saber sobre o assedio sexual, e eu confessei que ele passou a
noite.
Trevor não me advertiu. Em vez disso, ele parecia pensativo.
“Está claro que Cax está sentindo muita pressão no momento. Isso não
será fácil para ele se ele for convidado a escolher entre as pessoas que ele ama."
"Ele está em uma situação difícil", admiti. Ugh . Eu não estava olhando a
frente para o olhar no rosto de Cax, se seu pai tentasse cortá-lo fora de seus
irmãos. "Mas ele não vai me incriminar para fazer o seu pai feliz. Ele
simplesmente não faria isso. Se a faculdade perguntar se eu o assediei, ele vai
dizer não.” Se nosso pobre relacionamento condenado iria sobreviver, eu não
tinha idéia. Mas Cax não me jogaria debaixo do ônibus para manter sua família
unida. Disso eu tinha certeza.
Trevor assentiu. "OK. Eu vou deixar você saber se eu ouvir alguma coisa
de volta sobre a reclamação que fizemos. Estou esperando ouvir algo muito em
breve. Eles têm que responder.”
"Obrigado", eu disse.
"Mantenha-se firme."

Passei o resto da tarde desenhando uma propaganda de jornal para a


noite da família. E então eu tentei descobrir que imagens tolas um cara poderia
twittar quando sua equipe estava jogando Harvard. A faculdade mais antiga (e

151
mais esbelta) do país não tinha um mascote fofo e peludo. O grande H
vermelho não era fácil para mim zombar, caramba.
Por volta das três horas, recebi um e-mail que gostei.
Caxastrophe para Axeldental : Você conhece aqueles quiosques
modernos na biblioteca? Estou de pé em um deles, classificando
ensaios. Sentar hoje não é tão confortável. (Totalmente vale a pena.)

Axeldental para Caxtastrophe : Espero que você esteja bem. Porque a


última noite mudou minha vida para melhor.

Caxastrophe para Axeldental : Eu preciso estar tão bom quanto novo


amanhã. Porque eu quero repetir.

Axeldental para Caxtastrophe : Se você ainda estiver dolorido, teremos


que mudar as coisas.

Caxtastrophe para Axeldental : Huh. Oh, a dor! É obtido pior de


repente.

Axeldental para Caxtastrophe : Talvez eu pudesse beijar melhor.

Caxastrophe a Axeldental : E agora eu estou duro na biblioteca, de pé


em um quiosque. Andem, pessoal. Nada para ver aqui. * Patos atrás de uma
estátua grega *

Axeldental para Caxtastrophe : Mal posso esperar para vê-lo para o


jantar amanhã. Na verdade, vamos conversar hoje à noite? Posso ligar para
você por volta das dez? Eu quero dizer boa noite. E algumas outras
coisas. Pijamas opcional.

152
Caxastrophe para Axeldental : Ótimo. Eu estou livre então. Mas agora
estou preso atrás de uma estátua para o futuro próximo. E eu acho que ouvi
uma turnê chegando. Eu só vou olhar para esta estátua. Mas é um nude, é
claro, e a bunda dele me lembra a sua. Talvez meu pai esteja certo. Eu sou um
pervertido sem esperança. Estou mergulhando em uma estátua de mármore.

Axeldental para Caxtastrophe : Você é um pervertido, mas você é meu


pervertido.

Quando saí do escritório, estava escuro e eu não conseguia parar de


pensar em sexo por telefone. Eu era virgem de telefone, porque eu nunca estive
com alguém que me queria tanto o suficiente para tentar isto. Mas eu supunha
que poderia descobrir.
Havia apenas um punhado de neve nova no chão, então eu atravessei o
parque pelo caminho arborizado. Se eu sobrevivesse ao ataque do Sr. Williams
na minha carreira, e viveria ao longo de Josh e Caleb garagem por anos, talvez
eu precise investir em um par de sapatos de neve.
Isso pode ser divertido.
Eu não era a única pessoa no parque. Uma corredora feminina me
passou, correndo na direção oposta. Massachusetts era um lugar mais
esportivo do que Ohio. Henning era o tipo de cidade onde as pessoas corriam
pelo parque em clima de trinta graus com luvas.
O céu estava preto-púrpura, embora eu pudesse ver um brilho subindo
atrás dos Berkshires. Haveria uma lua hoje à noite, mas ainda não tinha
enfiado a cabeça acima do topo das colinas. Eu assobiei enquanto eu continuei
minha jornada. Em algum momento eu pensei ter ouvido passos atrás de mim,
mas não me virei.
Mas eu deveria ter.
Quando o ataque veio, eu estava tão perto de casa que pude ver o brilho
das luzes da varanda na Newbury Street. Um momento eu estava andando,

153
então o próximo algo colidiu com força com a minha cabeça. Eu bati no chão,
esparramando no caminho, provando sujeira e neve. Minha cabeça parecia ter
sido dividida em duas, e eu não podia pensar o porquê.
Reflexos exigiram que eu tentasse me levantar. Mas eu não entendi
passando um cotovelo no chão antes de um chute acertar minhas costelas.
Eu gritei com a dor.
"Cale a boca, filho da puta." Meu agressor tinha uma voz cheia de
cascalho.
Eu conhecia aquela voz. Mas não havia tempo para pensar nisso. Eu me
contorci com o som dele, me enrolando. Uma vez novamente, tentei rolar para
a posição vertical. Mas um joelho saiu e conectou com o meu templo.
"Acha que pode me ameaçar?" a voz disse em algum lugar à distância
vacilante. “Viado idiota. Fique porra longe do meu filho.”
Um pé conectou à minha órbita ocular, e havia mais dor ofuscante.
A última coisa que me lembrei foi minha cabeça quicando no terreno
duro.
Então nada.

A próxima vez que cheguei à consciência, eu estava queimando quente.


Especialmente um lado do meu rosto.
Esquisito.
Meu telefone também estava tocando. Eu sabia que era o meu telefone,
porque o toque era "We Will Rock You", do Queen. Mas eu realmente apenas
queria que o barulho parasse.
"Oh meu Deus", alguém disse. Alguém familiar. "Oh meu Deus. Axel?”
Mãos pousaram em mim e eu me encolhi. Tudo doeu.
"Ah não. Meu Deus." A voz pertencia a Josh.
Nós vamos balançar você!
Josh fez o barulho do telefone parar. "Olá?" ele disse, sua voz
ansiosa. "Quem é? Boz! Axel está machucado. Alguém ... Alguém o machucou,

154
eu acho. Estamos do lado de fora… Você sabe onde o College Park é? Há um
caminho para a floresta atrás dos conjuntos de balanço. O que? Ok, você está
certo. Estou ligando para eles agora.”
Então ele estava falando comigo novamente. “Axel, eu tenho que ligar
para o 911. Fique comigo."
Eu pensei ter visto um flash de luz azul, provavelmente feito pelo meu
telefone. Por um momento, o único som foi a respiração pesada de Josh. Ele
parecia em pânico, mas eu não tinha muita certeza do porquê.
"Sim, isso é uma emergência", eu o ouvi dizer.
Depois disso, parei de ouvir. Havia apenas escuridão.

155
CAPÍTULO DEZENOVE

CAX
EU ESTAVA na minha cama as dez em ponto, vestindo apenas cueca.
Axel não tinha dito que me ligaria? Eu deveria ligar para ele?
Me ocorreu que, pela primeira vez na minha vida adulta, eu poderia ter a
chance de estar em um relacionamento real. E que eu tinha nenhuma idéia
terrena de como estar em um.
Ligar? Ou esperar?
Eu daria mais cinco minutos. Deitado na minha cama, tentei pensar na
temporada dos Bulls. Mas, na verdade, eu só conseguia pensar em Axel. Sexo
com Axel…
Meu telefone tocou e eu o peguei alegremente. "Olá? Axel?
“Cax? É o Gil. Quem é Axel?”
Levei um segundo para superar minha decepção, que era ridícula. Gil,
meu colega de faculdade, era uma das minhas pessoas favoritas. E eu não falava
com ele há um bom tempo.
"Ei! Desculpa. Devo-lhe totalmente uma ligação.”
Ele riu. “Sim, você faz totalmente. Como está indo a coisa de aluno de
pós-graduação? ”
"Muito bem", eu disse. Mas essa foi apenas a resposta fácil e talvez eu
precisasse parar de me esquivar de perguntas de todas as pessoas na minha
vida que eram boas para mim. "Na verdade, tem sido um ano complicado,
então longo. Muitas coisas boas, mas também há alguns problemas.”
"Com a escola?" ele perguntou.
"Não. Na verdade, há algo que eu preciso dizer por um tempo.”
"É assim mesmo?" Havia uma pitada de diversão em sua voz, e eu não
entendi o porquê.

156
Mas eu segui em frente. “Sim, bem. Todas aquelas vezes que você me
disse pra terminar com Amy para não ficar em casa todo fim de semana? ”
"Não me diga que você fez isso?"
Eu ri. "Eu realmente não poderia terminar com ela, porque nós não
éramos realmente uma coisa. Eu sou gay, Gil. Eu nunca quis contar a você. Ou
qualquer um.”
Ele bufou. “Eu sei disso, idiota. Que bom que você finalmente decidiu
admitir."
"Você o que?" Algo desviou dentro do meu peito, e não dentro de um bom
caminho. Eu não ligo para o que Gil sabia sobre mim, mas não gostaria de ouvir
que não podia enganar as pessoas quando precisava.
"Cara. Ninguém espera por sua namorada por quatro anos assim. Bem,
talvez alguns caras façam. Mas pelo menos eles fodem ela sem sentido quando
elas vem visitar. Eu sempre soube que vocês eram apenas amigos. Eu nunca vi
você olhar para ela como talvez você quisesse comê-la no jantar. "
Suspirei. "Justo."
"Eu vou parar por aí", ele disse com uma risada.
"Por quê? Havia outros sinais?”
"Talvez", disse ele, e eu pude ouvir seu sorriso através do telefone. “A
equipe de cross country26 costumava atropelar nosso quarteirão sem camisa,
naqueles shorts spandex. "
Eu bufei. "Eu lembro."
“Axel é um corredor de longa distância? Porque eu acho que você tem
uma coisa para cross country. "
“Deus, Gil. Não acredito que estamos tendo essa conversa. Isso era uma
loucura dizer a verdade.”
"Bem, você está?"
"Ele é um jogador de basquete", eu disse.

26
O cross country ou corrida a corta-mato, às vezes referido como cross ou crosse, é um desporto de equipe em que
os atletas competem numa corrida em terreno aberto ou acidentado.
157
"Perto o suficiente!" Nós dois rimos. "Sinto muito por deixar o ar sem
pneus, Cax. Mas é um alívio ouvi-lo dizer a verdade. E encontrar o que você
está procurando.”
Eu não sabia como responder a isso. Gil se importava o suficiente comigo
pra dizer essas coisas, e isso me fez sentir como um amigo de merda.
“Independentemente disso, é bom falar com você. Como está o novo
emprego?”
"Entediante. Acho que vou me candidatar à faculdade de direito. Eu
odeio Wall Street."
"Ai."
"Sim. Não se sinta tão mal por mim. O dinheiro é bom e guardo tudo, pois
estou trabalhando muitas horas para gastá-lo. Eu estou no trabalho agora."
"Às dez e quinze?" Estava ficando tarde. Eu me perguntava o que tinha
acontecido com Axel.
"Sim. Estou prestes a voltar para casa. Eu só queria dizer oi antes de
passar outra semana. "
"Estou muito feliz que você fez", eu disse. "Tem sido muito tempo."
“Conversamos em breve, ok? Você pode me dizer mais sobre esse jogador
de basquete."
"Tudo certo. Mas tenho que lhe pedir para não dizer nada a ninguém que
sabe. Meu pai…"
"Ainda é o maior imbecil do mundo?"
"Sim."
“Eu sou um cofre, Cax. Obrigado por me dizer, finalmente. E parabéns."
Desligamos um momento depois, e eu olhei para o meu telefone, apenas
no caso de Axel ter tentado me encontrar e eu tivesse perdido. Enquanto eu
estava fazendo isso, alguém bateu na minha porta.
Eu sorri. Não era uma boa ideia Axel vir à minha casa, mas se ele tivesse,
eu ficaria muito animado em vê-lo. Eu pulei para fora de cama.

158
Então, novamente, se não fosse Axel, eu estava realmente mal vestido
agora. "Quem é esse?" Eu perguntei, arrancando minha túnica do gancho na
porta do banheiro.
“É a polícia de Henning. Por favor, abra a porta imediatamente.”
Minha garganta ficou seca. Eu fiz como o homem disse, abrindo a porta
pra dois oficiais uniformizados. "Posso ajudar?"
"Você é Henry Caxton Williams, Júnior?"
Eu assenti.
"Quando foi a última vez que você viu Axel Armitage?"
Oh não . Peguei a moldura da porta em busca de apoio. "Por quê?"
"Por favor, responda a questão. Você o viu hoje à noite?”
Eu balancei minha cabeça. “Esta ... esta manhã. Quando eu deixei o
apartamento dele."
O policial pareceu me encarar. Ele tinha bigode, e por alguma razão,
decidi que era um bom sinal. Ele também estava parecendo cômico estar me
entregando notícias horríveis. "Qual é o seu relacionamento com o Sr.
Armitage? ”
"Ele é ..." Eu nunca disse isso em voz alta. "Ele é meu namorado."
O oficial de bigode assentiu. “Precisamos que você venha a estação
conosco e responda a algumas perguntas.”
"Por quê? Isso é sobre o quê?"
“Axel Armitage está inconsciente em uma cama de hospital hoje à
noite. Nós queremos saber o porquê. "
O quarto deu um mergulho e um rolo.
"Ele vai desmaiar", disse o outro oficial.
Mas eu me segurei no batente da porta e apoiei meus joelhos. "Conte-me
o que aconteceu."
Bigode homem franziu a testa. “Você tem que vir conosco. Bem resolver
isso. "

159
"De jeito nenhum." Eu tinha que ir ao hospital. Exceto que eu não
conseguia pensar direto. Onde estavam minhas chaves? E minha mente estava
presa na palavra inconsciente. E o calor nos olhos de Axel enquanto ele me
beijava adeus esta manhã. Eu me virei com as pernas trêmulas para encontrar
jeans e um moletom.
"Você vem conosco agora ou teremos que trazê-lo."
Eu o ignorei, procurando meus sapatos.
O policial suspirou. "Bem. Faremos isso da maneira mais difícil. Você
tem o direito de permanecer calado. Tudo o que você diz pode ser usado contra
você em um tribunal de justiça ... ”
"Espere o que?" Esse cara estava me lendo meus direitos de Miranda. "O
que você está fazendo?"
"Você tem direito a um advogado. Se você não puder pagar um…"
Isso não poderia estar acontecendo.

160
CAPÍTULO VINTE

AXEL
OW . MINHA CABEÇA estava me matando. E eu não conseguia abrir
meus olhos. Havia algo cobrindo-os.
Esquisito.
Eu estava na cama. Mas não era minha cama. Havia vozes baixas
próximo. Eu conhecia uma das vozes, mas geralmente a ouvia no trabalho.
"Boz?" Tentei dizer o nome do meu colega de trabalho, mas minha
garganta estava tão seca que saiu como um arranhão.
A conversa cessou. “Axel? Você disse alguma coisa?”
"Onde estou? O que é isso?" Eu tentei levantar a mão para tocar a coisa
nos meus olhos. Mas apenas uma das minhas mãos se moveu, e era tão pesada
quanto uma bigorna.
"Oh", disse outra voz masculina. "Cuidado."
"Hum, Josh?" Eu tinha certeza que ouvi meu senhorio agora. Este foi um
inferno de um sonho estranho que eu estava tendo.
Minha mão estava entre duas mãos grandes e quentes. Eu sabia que era
Josh pelo som do fungo que ele emitiu. "É bom ouvir sua voz” ele disse.
Isso me confundiu. "Por quê?"
Ele limpou a garganta. “Você está fora há mais de doze horas. Estávamos
começando a entrar em pânico.”
Eu tentei entender por que isso poderia ser. Mas eu não consegui agarrá-
lo.
Então eu dormi.

A próxima vez que acordei, ouvi a voz da minha mãe. Agora era
estranho. "Mamãe?"

161
Houve uma forte inspiração. “Axy? Oh querido. Por favor acorde.”
"Por quê?"
Sua risada soou um pouco maníaca. "Porque eu estou preocupada doente
por você. Continue falando."
"Com sede."
Ela deu um suspiro gutural, que eu reconheci como ela lutando contra as
lágrimas. "Deixe-me ligar para a enfermeira."
Eles me trouxeram um copo de água, que eu bebi no canudo. "Meu queixo
está me matando", eu reclamei.
"Você levou vários chutes na cabeça", disse minha mãe, voz grave. "Você
não sabe o quanto estou feliz em ouvi-lo falando comigo agora. "
"Por que não consigo abrir os olhos?"
Ela fungou novamente. “Você fez uma cirurgia ocular por uma retina."
"Nojento."
Houve um soluço abafado. “Poderia ter sido muito pior” disse ela, com a
voz embargada.
Quanto mais essa conversa prosseguia, mais consciente eu me tornava
dos meus ferimentos. "Ele pegou minhas costelas", eu disse.
"Me desculpe, querido."
Um dos meus braços estava preso ao meu corpo também. "O quê
mais?" Eu perguntei. "Diga-me o pior."
“Seu braço está quebrado. Mas não é tão ruim assim. E eles estão
assistindo algum sangramento interno. Para garantir que você não precisa de
outra cirurgia. Por enquanto, tudo bem."
"E o meu rosto?"
Ela soltou um suspiro trêmulo. “Você está realmente machucado. É como
um filme de terror, na verdade. Mas há apenas um corte ruim, na sua
bochecha. Você pode decidir mais tarde se você quer cirurgia plástica para a
cicatriz. "

162
Isso não parecia tão ruim. Sempre que um médico dissesse "decida mais
tarde ”, isso significava que não era terrível. "E meu olho?" Isso foi de longe a
coisa mais assustadora que ela disse.
"O médico virá mais tarde", ela sussurrou. "Eles vão tirar o curativo e
verificar sua visão. "
Senti um pouco de medo ao ouvir isso. Minha visão era bastante
crucial. Havia uma pergunta que eu ainda tinha que perguntar. "Onde está
Cax?"
Ela suspirou. "Ele tem algumas coisas para lidar."
"Mas ele está bem?"
“Ele está bem, querido. Ninguém machucou Cax.”
“Onde está o pai dele? Ele é quem-”
Ela apertou minha mão. “A polícia vai querer que você conte a eles sobre
isso. Eles estão procurando por ele.”
"Sério?" Tudo estava tão confuso. Então eu decidi tirar outra soneca.

Dois dias se passaram antes que eu me sentisse um pouco como eu. As


enfermeiras ficavam me dizendo que o corpo se cura em seu próprio tempo.
Aparentemente, não tenho muito a dizer sobre isso. Eu continuava me
afastando no meio das frases. "Você também tem uma concussão" pessoas
ficavam me dizendo. "Se acalme."
Como se eu tivesse uma escolha. Minha mãe era como um dragão nos
portões. Ela regulou quem tinha permissão para me ver e quem não tinha. Tive
breves visitas de Boz, que aparentemente ajudou os paramédicos me levarem
para fora da floresta até a ambulância que o esperava. Não que eu
lembrava. "Eu acho que ... te devo uma caixa de cerveja?" Eu sugeri. O que
alguém conseguiu pelo cara que tinha levantado o seu corpo quebrado fora do
caminho congelado?
"Pelo menos", disse ele. "Você é mais pesado do que parece."

163
O oftalmologista continuava fazendo visitas de retorno para verificar
minha visão. Eu estava tendo problemas para focar meu olho direito, e me
assustou. “Eu sei que o embaçamento é estranho, mas isso daqui será 20/20
daqui a um mês ”, me assegurou minha cirurgiã mais de uma vez.
Eu não estava cego, de qualquer maneira. Então isso era alguma coisa.
A outra coisa que me assustou? Cax nunca veio me ver, e ninguém me
diria o porquê. Cada vez que eu acordei de um dos meus muitos cochilos, eu
procurava pelo quarto por ele com a visão embaçada.
Ele nunca esteve lá.

164
CAPÍTULO VINTE E UM

CAX
JÁ ERA TARDE - NOVE horas já. Eu não tinha ideia se eles me deixariam
vê-lo, mas eu tinha que tentar. O quarto 412 estava no final de um longo
corredor, e só de saber que ele estava lá em algum lugar me fez começar a
correr. Ninguém me parou.
Eu tinha medo que Axel não quisesse algo comigo agora, não depois de
todos os problemas que eu lhe causei. Iria quebrar meu coração, mas eu
entenderia. Quando ele estivesse bem o suficiente para sair do hospital,
imaginei que ele iria para algum lugar distante daqui. Provavelmente de volta
para Ohio ...
A porta do quarto 412 estava entreaberta, mas estava completamente
silenciosa dentro. O brilho suave e amarelo da luz brilhava nas paredes. Eu
empurrei a porta e olhei para a figura adormecida na cama. Metade do rosto
estava obscurecido por um grande curativo, e a outra metade estava
machucada de roxa e verde.
Um soluço pulsou na minha garganta. Coloquei a mão na boca. O que eu
tinha feito?
Alguém se levantou da cadeira ao lado da cama. A mãe dele. Ela parecia
exatamente a mesmo que eu me lembrava de todos esses anos atrás. Sim - outra
pessoa que certamente me odiava agora. Mas quando eu me preparei para
encontrar seus olhos, encontrei seu rosto suavizando.
"Cax", ela sussurrou. "Você parece igual."
Eu fiz? Eu não senti o mesmo.
"Ele está esperando por você", disse ela.
Minha garganta estava apertada. "Eu estive…"

165
"Eu sei", disse ela, descansando a mão nas minhas costas. "Você tem
muito no seu prato. " Para minha surpresa, ela colocou os braços ao meu redor
e me abraçou.
Eu só fiquei lá me sentindo atordoado. Eu quase consegui o filho dessa
mulher morto, e agora ela estava me abraçando? "Sinto muito", eu disse.
Ela só me segurou mais forte. “Você passou por tanta coisa, vocês
dois. Mas vai melhorar agora.”
Será? Eu gostaria de acreditar nela.
Sra. Armitage deu um passo atrás e pude ver que seus olhos estavam
úmidos. "Eu vou para o apartamento dele para tomar banho e dormir um
pouco. Você pode ficar um pouco?”
"Algumas horas", eu sussurrei.
Ela me cutucou em direção à cadeira. "Senta. Eu estou indo."
Sentei-me e me obriguei a dar uma boa olhada em Axel – na destruição
que eu tinha feito. Um braço estava engessado. O rosto dele estava descolorido
e parecia muito doloroso. Ele respirava em paz o suficiente durante o sono, no
entanto.
Sua mão boa estava bem ao meu lado, e eu queria pegar e beijar. Mas eu
não fiz isso. Ele precisava dormir. Eu já lhe causei bastante dano.
Apoiei os cotovelos na beira do colchão e apoiei minha cabeça em minhas
mãos. Eu estava tão, tão cansado. Era dificil acreditar que eu me sentiria
otimista sobre qualquer coisa novamente.
Eu devo ter cochilado. Minha cabeça tinha caído contra a borda do
colchão. E agora havia uma mão quente peneirando através do meu cabelo ...
Suspirando, sentei-me.
"Desculpe", Axel sussurrou. "Não poderia me ajudar." Ele sorriu pra
mim.
A visão daquele sorriso familiar em seu rosto espancado fez meus olhos
de repente quentes. Engoli em lágrimas. "Sinto muito", eu disse, minha voz
falhando. "Você ... eu ..."

166
O sorriso dele desapareceu. “Não chore. Não é tão ruim quanto parece.”
"É, no entanto." Agarrei sua mão e segurei em ambas minhas, beijando
sua palma. "Ele poderia ter matado você!" Um soluço escapou da minha
garganta.
"Mas ele não fez", disse Axel rapidamente. "Ainda estou aqui. Mas por
três dias eu estive pensando onde você estava. E ninguém falava sobre
você. Onde você esteve?"
Lágrimas correram pelo meu rosto, e eu bati nelas. "Bem, depois que eu
sai da cadeia ... "
"O que?" O olho bom de Axel ficou redondo. "Que porra é essa?"
"Ninguém te contou sobre isso?"
Ele balançou a cabeça um pouco e depois estremeceu. "Não. Por que você
estava preso?”
“Fui preso por seu ataque. Por causa dessa alegação de assédio sexual,
eles pensaram que eu poderia ter- "
"Jesus", Axel ofegou. “Eles me perguntaram quando foi a ultima vez que
vi você."
"Sim. Foi uma bagunça. E eu estava pirando porque meus irmãos
estavam em casa sozinhos. Falaram em enviar Scotty para um lar adotivo,
porque o imbecil fugiu. "
"Ninguém me contou nada disso", Axel sussurrou, apertando minha
mão. "Eu não sabia."
"Eu acho que eles estavam tentando não assustar você." Suspirei. “De
qualquer forma, demorou um dia para resolver isso. Eles me deram um teste
de polígrafo e tudo. Eu ainda poderia estar lá se meu pai não tivesse fugido do
estado, fazendo-se parecer culpado pra caralho. Quando eles me deixaram sair,
eu tive que reunir os meninos e meio que expliquei por que nosso pai foi preso
em Connecticut e agora está na prisão. E então eu tive que encontrar um
especialista em direito da família para ser meu advogado.”
"Jesus. Por quê?"

167
"Porque eu tenho que processar pela custódia de meus irmãos antes do
meu pai sair. Sua audiência de fiança foi hoje. Eu fui a ela para testemunhar
contra ele."
"Puta merda", disse Axel. "Você tem estado ocupado. Então ... ”Seu rosto
cansado enrugou com confusão. "Onde ele está agora?"
“Eles o pegaram em Stamford, em um carro de que ele alugou com
dinheiro. O agente de aluguel chamou a polícia quando viu o rosto dele na TV."
"TV?"
"Sim. Perseguição. De qualquer forma, ele está na prisão do condado. Ele
teve fiança negada, graças a Deus. Caso contrário, eu estaria em um verdadeiro
pânico bem agora, esperando que ele não aparecesse para me assustar com os
garotos. Ele realmente gritou comigo no tribunal hoje. ‘Mantenha o pervertido
afastado dos meus filhos.'”
“Oh amor, me desculpe. Você não precisa disso.”
Eu balancei minha cabeça. “Não se desculpe. Ele só se fez parecer mais
louco. Meu advogado está acompanhando rapidamente minha petição por
custódia total. Não sabemos que tipo de sentença ele receberá por machucar
você. Então eu tenho que estar pronto.”
"Maldito." Axel respirou fundo e soltou o ar. "Sua vida está explodindo
por todo o lugar.”
"Sim e não." Eu beijei sua mão novamente. O que eu realmente queria era
subir na cama com ele e segurá-lo com força. E eu faria isso se eu tivesse certeza
de que não o machucaria. “Eu sempre quis pegar os cuidados dos meus
irmãos. Eu acho que vou ter essa chance. E como contanto que você esteja bem,
nada mais importa.”
Axel me olhou sonolento. "Estou bem." Os olhos dele tremeram fechados.
"Ax? Vou ter que ir para casa em breve. Eu sinto muito. Mas eu vou voltar
amanhã quando Scotty estiver na escola.”
"Ok", ele murmurou.

168
"Eu te amo", eu sussurrei para o homem dormindo na cama. Amanhã ele
provavelmente pensaria sobre as coisas e perceberia que o quase namorado que
quase o matou agora era pai de três filhos E ele perceberia que eu nunca iria
viver o estilo de vida divertido que um jovem gay deve gostar.
Esse tipo de vida simplesmente não estava nos cartões para mim. Mas
enquanto Axel se recuperasse, eu ficaria bem. Quando ele se mudasse para
alguém com menos bagagem, meu coração pararia. Mas eu sobreviveria. Eu
precisaria.

169
CAPÍTULO VINTE E DOIS

AXEL
APÓS EU SAIR do hospital, minha mãe e eu passamos vários dias presos
no meu pequeno apartamento. Principalmente eu deitado por aí assistindo TV
e tomando aspirina. Uma vez, mamãe e eu fomos no andar de baixo para jantar
com Josh e Caleb. Mas tenho vergonha de dizer que algumas horas sentado e
sendo social me cansaram.
Algumas vezes conversei com Cax no telefone por alguns minutos. A
última vez, eu cronometrei mal, pegando-o quando ele estava tentando
preparar uma refeição para seus irmãos. "Eu realmente preciso de algumas
aulas de culinária” ele sussurrou no telefone. "Estou fazendo refeições inteiras
com coisas do corredor de alimentos congelados.”
Eu parei de me oferecer para vir e ajudar, porque eu estava com medo de
recusar. Cax tinha alguns problemas familiares importantes para trabalhar. Eu
só podia imaginar que o Mês que Papai Passou na Cadeia era para Scotty e seus
irmãos mais velhos.
Além disso, eu tinha certeza de que Cax não havia contado a eles sobre
mim.
Na semana seguinte, comecei a me sentir muito melhor. "Você precisa
chegar em casa” falei para minha mãe.
"Eu sei", disse ela com um suspiro. Mãe era uma professora de escola, e
ela já tinha tomado um número profano de informações pessoais. "Você quer
vir comigo?"
"Não", eu disse imediatamente. Mas então eu levei um segundo para
pensar sobre isso. Não era esperado que eu voltasse ao trabalho por mais uma
semana ou duas, dependendo de como eu estava me recuperando. E Cax e eu
voltamos para o email como nosso principal meio de comunicação. Com

170
necessidades de seus irmãos e minha falta de privacidade, simplesmente não
havia tempo ou oportunidade de falar ao telefone, muito menos ver um ao
outro.
Mas no final, decidi ficar em Massachusetts.
Mamãe finalmente saiu depois de me fazer prometer ligar para ela todos
os dias. "Eu vou. Deus."
Ela me beijou pela centésima vez e finalmente entrou em um táxi para o
aeroporto.
Naquela tarde, Josh e Caleb apareceram. "Você poderia vir conosco esta
noite para jantar na Maggie e Dylan, ”Caleb ofereceu.
“Maggie é uma fornecedora de buffet. A comida sempre é demais.” Josh
piscou.
Mas eu não estava sentindo isso. Eu estava sozinho e depressivo e eu
preferia ficar de mau humor sozinho. "Obrigado, mas eu estou indo para a
cama cedo."
Os dias seguintes foram frios e tristes. Eu assisti televisão demais e comi
muita sopa caseira que minha mãe cozinhou e congelou antes de sair.
Duas vezes por dia, como um relógio, alguém me visitava. Eu estava certo
de que eles agendaram dessa maneira. Josh era sempre um dos meus
visitantes. Às vezes, Boz aparecia e uma vez meu chefe Arnie me trouxe uma
refeição de frango fast-food. Isso foi legal e tudo, mas eu senti falta de Cax.
Até Jason veio me visitar. Ele trouxe comida para viagem, cheeseburgers
da Bruisers e um pacote de seis. "Ouvi dizer que você estava indo perder alguns
jogos intramurais de basquete ”, disse ele. "Então eu trouxe o bar para você."
"Isso é muito, muito gentil da sua parte", eu disse, emocionado.
"Bem ..." Ele sorriu para mim. “Quando eu te convidei, você disse que
você estava pendurado em alguém. Eu acho que posso descobrir quem é agora."
"Você pode?" Eu provoquei. "Você deve ter lido o jornal."

171
Ele assentiu, mordendo o lábio. "Perguntei uma vez a Cax se ele era gay,
e ele fez uma careta como se eu tivesse acabado de acusá-lo de ser o assassino
do machado. Na época, fiquei meio ofendido. Mas agora eu entendo.”
Dei uma mordida no meu hambúrguer antes de responder. "Cax gastou
muitos anos tentando não tirar a merda dele por seu pai.”
"Mas então você conseguiu a surra dele."
"Sim. Eu sabia que o cara era bem louco. Mas eu não vi chegando."
Ele se encolheu. "Me desculpe, cara. Namorar comigo seria mais
simples.”
Eu ri e levantei minha cerveja para brindá-lo. “A retrospectiva é mais
clara que a visão no meu olho direito. " Jason fez uma cara triste, mas eu
acenei. “Humor negro, cara. E eu vou pular passando por você na quadra em
pouco tempo. É o que eles me disseram.”
Ele sorriu. “Vamos ver isso. Posso-te contar algo engraçado? Você é o
primeiro cara que eu chamei.”
"O que?" Eu gritei através da boca cheia. Depois de engolir, eu pedi
esclarecimentos. "Como isso é possível?"
“O problema das famílias loucas é que elas vêm em todos os sabores. ” Ele
brincou com o canudo no refrigerante. "Minha familia nunca vai colocar
ninguém no hospital. Mas eles têm outras maneiras de tentar me
controlar. Tenho vinte e cinco anos e nunca namorei ninguém. "
Puta merda . "Puta merda", eu disse em voz alta. "E eu pensei que Cax
era protegido. "
"Eu me envolvo", ele disse, seu rosto ficando vermelho. “Mas eu não
namoro. Ou eu ainda não. É complicado. Minha família gastou muito esforço
tentando me convencer de que era confuso. E eu fiz a minha graduação em uma
daquelas faculdades onde você pode ser expulso por atuar na atração pelo
mesmo sexo. "
"Ai." Estudei os belos traços de Jason e me perguntei como alguém tão
amigável e tão atraente nunca teve um namorado. Ele era muito formal para

172
ser do meu tipo, mas ainda descontroladamente atraente, com pele dourada e
cílios longos. Um garoto bonito.
“Então, desculpe que a primeira vez que você convidou alguém, ele disse
que não. "
"Eu não. Sério." Jason sorriu novamente, revelando um conjunto de
dentes perfeitos. “Porque o mundo não acabou quando você disse não. Isso me
fez pensar do que eu tinha tanto medo.”
“Você não deveria ter medo. Você é inteligente e atraente e não um
idiota. Poucas pessoas vão recusar isso.”
"Veremos." Ele amassou sua embalagem de hambúrguer. "Não tem um
jogo de basquete?”

Eu ainda estava esperando o visitante que realmente queria ver. Quando


eu conversei com Cax no telefone novamente, eu aprendi que seus irmãos
estavam de férias de inverno, e ele passava muito tempo com eles.
No sábado seguinte, eu não consegui me isolar mais longe. Levei cerca de
quinze minutos para colocar meu casaco no meu braço quebrado. Coloquei
meus pés nas minhas botas de caminhada para que eu não tivesse que
desamarrar e retira-los. E eu consegui um chapéu e luvas.
Deixei um bilhete na porta. Ninguém entre em pânico. Eu fui dar uma
volta. Quem estivesse no Axel Turno naquele dia provavelmente o encontraria
antes de eu voltar. A última coisa que fiz foi deslizar meu telefone para dentro
do meu bolso do casaco.
Lá fora, descobri que nevara alguns centímetros da noite para o dia.
Foda-se . Alguém - Josh provavelmente - já tinha escavado as escadas do meu
apartamento. Mas as calçadas seriam difícil de navegar. Eu odiava me sentir
tão estranho e frágil. Mas eu não estava prestes a me virar.
Cuidadosamente, desci as escadas. Dei uma olhada no caminho pela
floresta. A neve havia se espalhado por ali. Parecia aceitável, mas
difícil. Porra . Eu odiava estar ferido. Pior ainda, eu odiava estar um pouco

173
cauteloso ao andar pelo Parque. Eu sabia que o Sr. Williams estava atrás das
grades. Mas ele me deixou com medo. E eu nunca tinha tido medo antes.
Armitage , treinei. Eu me virei e fui para o outro lado - pela Newbury
Street. A estrada tinha sido arada, mas metade das calçadas ainda estavam
enterradas.
Eu só teria que andar na rua.
Eu tinha chegado ao final da Newbury Street quando um Toyota
aproximou-se e parou no meio-fio. A janela abaixou e Caleb colocou a cabeça
para fora. "O que você está fazendo?"
"Caminhando."
Caleb franziu a testa. “Eu sei que às vezes o ponto de tomar uma
caminhada é andar . Mas há algum lugar em que eu possa te deixar?”
Eu apenas hesitei por um segundo. “Sim, se você não se importa. Isso não
está longe.”
"Entra."

Cinco minutos depois, paramos do lado de fora da casa dos Williams. O


carro de Cax estava no caminho nevado. "Obrigado", eu disse.
"Você vai me ligar se precisar de uma carona para casa?" ele perguntou
baixinho. “Você não quer ter problemas com Josh. Ele pode começar
verificando você quatro vezes por dia. "
Eu ri. "OK. Espero não precisar de carona, no entanto.”
Caleb me olhou pensativo. “Espero que você também não. Mas não
desista. Eu esperei anos para estar com Josh. E valeu a pena."
Uau. "Acho que vou tentar ser paciente."
Ele sorriu. “Ligue para mim se precisar de uma carona. É como sete
minutos de carro. ”
"Eu prometo."
Depois que Caleb foi embora, eu peguei meu caminho pela garagem
nevada e bati no que deve ser a porta da cozinha.

174
Alguns segundos depois, a porta foi aberta por Scotty. "Oi!" ele disse
alegremente. "O que aconteceu com o seu rosto?"
Minha mão boa voou para a minha bochecha, como se cobrindo minha
cicatriz faria isso ir embora. Não me ocorreu que eu teria que responder a essa
pergunta. Cax disse aos meninos que seu pai estava preso por atacar alguém,
mas ele não tinha dito quem.
"Eu tive um acidente", eu menti. "Parece pior do que é."
"Chato!" Scotty abriu a porta todo o caminho, abrindo espaço para mim.
Entrei em uma cozinha que dava para uma sala de estar. A cozinha não
era atualizada há muito tempo, mas era um bom tamanho, com uma mesa de
jantar confortável. Um adolescente estava sentado na mesa lendo a página de
quadrinhos do jornal. No hábito de adolescentes em todos os lugares, ele nem
olhou quando eu entrei. Com seu cabelo escuro e espesso, ele parecia mais com
o seu pai do que como Cax.
Na sala da família, havia um terceiro garoto, o do meio – ele não era uma
criança como Scotty, mas também não era do tamanho de um homem como o
seu grande irmão. Seus olhos me rastrearam quando entrei na sala. Mas ele não
parou de comer o pedaço de torrada, ele estava ocupado enfiando na boca dele.
"Mark!" A voz de Cax repreendeu por perto. "Coma isso na cozinha. Ou
pelo menos pegue um prato. O sargento pode não estar aqui para marchar
conosco, mas não precisamos nos transformar em porcos.”
Mark enfiou a última torrada na boca e escovou as migalhas de suas
mãos, tornando a discussão discutível.
Cax emitiu um som grave e depois apareceu. Ele parou quando me viu,
seu rosto se abrindo surpreso.
"Oi", eu disse.
Ele deu um passo em minha direção e depois parou. Ele abriu a boca e
depois fechou novamente. "Oi", ele disse eventualmente.
"Hum, eu apenas ..." Eu simplesmente não deveria ter vindo .

175
Enquanto eu observava, Cax se reuniu. Ele começou em minha direção
novamente. "Xícara de café? Acabei de fazer uma jarra.”
"Eu adoraria uma. Obrigado."
"Deixe-me pegar seu casaco."
"Bem ..." Isso não foi tão fácil quanto parecia. "Me de um segundo." Senti
os olhos em mim enquanto me atrapalhava com o zíper do meu casaco. Deslizei
meu braço esquerdo sem problemas. Mas tirá-lo do meu braço quebrado exigia
mais esforço.
"Aqui", disse Cax, aproximando-se. "Deixe-me." Ele levantou o peso do
casaco do meu ombro e afrouxou a manga no meu gesso.
Estávamos muito perto. Barba preguiçosa de sábado na mandíbula dele,
e eu desejava me inclinar para a frente e medir a aspereza com meus lábios.
Seu olhar foi para o meu, e eu vi saudade lá. Os cantos de sua boca tremeu
também. Mas ele não disse nada. Ele só estendeu a mão para remover o chapéu
da minha cabeça. "Isso é melhor. Agora vamos pegar um café para você.”
Não foi até ele se virar que eu senti todos os olhos em mim. Mark, o
monstro da torrada, estava me olhando com uma expressão sombria. E o
adolescente de leitura de quadrinhos estava olhando com curiosidade
indisfarçável. "Quem quebrou seu braço?" ele perguntou de repente.
Bem, porra. Olhei para Cax em busca de ajuda, mas ele estava de costas
para mim quando ele enfiou a mão em um armário para canecas de
café. "Jared", ele disse suavemente. "Agora não."
"Foi o papai, não foi?" Mark perguntou de repente.
"Por que papai quebraria o braço de Axel?" Perguntou Scotty. "Papai está
na prisão por machucar Axel?” Ele terminou a pergunta com um gritinho.
Lentamente, Cax se virou. Ele segurava uma caneca de café em cada
mão. Ele tomou um gole de uma delas antes de falar. "Papai não gostava muito
de Axel, mas eu gosto. Porque Axel é meu namorado."

176
Houve um profundo silêncio e eu verifiquei o rosto de todos. Scotty estava
piscando para mim, como se estivesse tentando fazer as contas. Jared— o
adolescente à mesa - parecia que ele tinha provado algo amargo.
Mas foi Mark quem parecia verdadeiramente horrorizado. “Que porra é
essa? "
"Mark, não use essa palavra", Cax disse automaticamente.
"Que porra é essa", Mark cuspiu, ignorando-o. "Você é…"
Ele se virou para Cax, e eu me preparei. Eu sabia o que estava
chegando. “Um viado? Meu irmão é bicha .”
A outra palavra b. Muito pior que a primeira que ele usou.
Toda a cor sumiu do rosto de Cax. “Você assista sua boca” ele
ameaçou. Cax tinha uma personalidade realmente descontraída. Mas eu tinha
certeza de que estava prestes a ver o que acontecia quando ele perdia a cabeça.
Eu não tive a chance, porque Mark saiu da sala em direção à frente da
casa. Ouvi uma briga, o ruído de um par de sapatos e, em seguida, o som da
porta da frente se abrindo. Isso fechou com um estremecimento de osso um
momento depois.
Jared levantou-se da mesa. Dando-me amplo espaço, como se eu pudesse
ser contagioso, ele saiu da sala. Outra porta bateu em outro lugar da casa.
Isso deixou Scotty. Com os olhos ainda em mim, ele se moveu. Ele não
virou ou correu. Em vez disso, ele se aproximou de Cax, afastando-se contra ele
da mesma maneira que uma jovem corça assustada se aproxima de sua mãe.
O rosto de Cax ainda estava branco. Ele ficou como uma estátua,
segurando as duas xícaras de café.
Dei alguns passos à frente e o aliviei de uma delas. Ele passou a mão agora
livre nos ombros de Scotty.
"Sinto muito que seus irmãos estejam pirando agora", disse ele a ele
calmamente.
"Mas por que eles estão?" Perguntou Scotty.

177
Cax encontrou meus olhos com algo como admiração em seu rosto. Por
que de fato? Como você explica a ignorância e o preconceito de alguém que
parecia não entender isso? "Bem ..." Ele deu uma respiração profunda. “Eu os
surpreendi, eu acho. Eles não sabiam que eu tinha um namorado. "
"Oh." O rosto pequeno de Scotty estava franzindo a testa, como se ele
ainda não pudesse fazer sentido.
"Olha", disse Cax, gesticulando com sua caneca. “Sente-se no
sofá. Precisamos tirar Axel de pé.” Ele cutucou Scotty em direção à sala da
família.
Scotty correu em direção à área de estar mais aconchegante.
"Eu deveria ir", eu disse.
"Não." Cax me deu um sorriso pálido. “Eu gostaria que você não. Eu quer
dizer ...” Ele suspirou. “Isso poderia ter sido melhor. Mas eu estive evitando
você porque eu não sabia como contar. Eu acho que eu não preciso mais me
preocupar com isso. ”
"Mas ..." Eu suspirei. “Você tem que lidar com as consequências agora. Eu
estou apenas no caminho. "
Seus olhos imploraram para mim. “Por favor, não saia por essa porta. Há
muito disso em nossas vidas. Eu não quero que você esteja desconfortável, mas
... "
"Ok", eu sussurrei.
Ele estendeu a mão e tocou o lado mais curado do meu rosto. "Venha se
sentar."
Eu segui Cax até o sofá generoso. Ele se sentou no meio, e Scotty se moveu
imediatamente para se sentar perto dele. Cax deixou cair um braço sobre os
ombros magros do irmão mais novo.
Abaixando-me com cuidado para não empurrar meu braço, estava no
canto oposto, deixando algum espaço entre Cax e eu. Eu gostei que ele estava
disposto a me ter por perto, mas eu não queria que ninguém se sentisse
estranho.

178
"Para onde você acha que Mark foi?" Perguntou Scotty.
"Para a casa de um amigo, provavelmente", disse Cax. "Se não ouvirmos
daqui a algumas horas, eu ligo por aí.”
Scotty ficou em silêncio por um minuto. “Amy não era realmente sua
namorada” ele disse. “Eu nunca vi você beijá-la. Não é como um beijo
de verdade .”
Cax riu. “Você é mais esperto que seus irmãos. Você sabia disso? ”
O sorriso de Scotty durou cerca de um segundo. Então sua sobrancelha
lisa enrugou novamente. “Por que papai quebrou o braço de Axel? Por que
Mark foi um idiota? "
"Não diga ..."
"Idiota", Scotty interrompeu. "Eu sei. Apenas responda a questão."
Eu tentei esconder meu sorriso atrás da minha caneca de café, mas não
foi fácil. Cara, Scotty me matou. Que ótimo garoto.
“Existem algumas pessoas no mundo que não acham que é ok para um
cara ter um namorado. Não tenho explicação melhor do que isso. Porque não
há uma.”
"Papai não gostava de Axel?"
“Papai nem conhecia Axel. Ele odiava a ideia de Axel e eu juntos. Veja,
Axel e eu éramos amigos em Ohio. E então eu não o vi por um longo tempo ...
”Cax virou a cabeça para me dar um pequeno sorriso. “Mas então ele se mudou
aqui para trabalhar para o departamento atlético. E quando papai o viu naquele
dia que eu tive a dor de cabeça, ele meio que surtou. ”
“Não meio ” Scotty zombou. "Ele teve um grande ataque de aberração."
"Sim, e me desculpe", Cax disse suavemente. "Não é o que eu queria para
voce. Ou Axel.”
Scotty fez um barulho irritado na garganta. "É horrível que estou feliz que
ele se foi e você está aqui? Não há ninguém gritando com nós mais. "

179
Vi Cax fechar os olhos. Ele se recostou no sofá, a cabeça do seu
irmãozinho descansando em seu ombro. "Você não é horrível, Scotty. Você
nunca poderia ser horrível.”
Ficamos todos quietos por um minuto. Bebi meu café, sentindo auto-
consciente. Mas a mão de Cax alcançou o sofá, encontrando os dedos no meu
braço quebrado, onde se projetavam do meu gesso. Ele os segurou gentilmente.
"Cax?" Perguntou Scotty.
"Sim?"
“Agora seria um bom momento para perguntar se eu poderia assistiro
mais novo filme dos Vingadores? Acabou de chegar na Netflix.”
Cax riu. “Claro garoto. Ligue.”
Scotty apontou o controle remoto para a TV e começou a clicar por aí,
procurando o filme dele. Quando ele encontrou, Cax soltou minha mão e se
levantou. "Você precisa de alguma coisa?" ele perguntou-me.
Eu balancei minha cabeça.
"Vou tentar falar com Jared." Ele andou atrás do sofá, em seguida, fez
uma pausa, a mão no meu cabelo.
"Legal", disse Scotty, seus olhos na cena de luta que se abriu no filme.
Cax se inclinou e deu um beijo silencioso em cima da minha
cabeça. Então ele saiu da sala.
"Quem é seu vingador favorito?" Perguntou Scotty.
Levei um segundo para perceber que eu era o alvo da pergunta, porque
os olhos do garoto nunca deixaram a tela. "Thor", eu disse rapidamente.
“Não é o Homem de Ferro? Realmente? Por quê?"
"Eu gosto do seu, hum, martelo", eu disse, então ri interiormente. Thor
era o meu favorito, porque eu queria lamber o pacote de seis do Chris
Hemsworth. Mas o garoto não precisava saber disso.
"Legal", disse Scotty, seu pequeno rosto apontado para a tela.

180
Tomei outro gole de café enquanto o filme iluminava a sala. Um
contentamento surpreendente tomou conta de mim, e até Scotty deu um
suspiro feliz.

181
CAPÍTULO VINTE E TRÊS

CAX
EU BATI na porta de Jared, mas não houve resposta.
Típico.
"Jared." Eu bati de novo. Então eu tentei a maçaneta e a porta abriu.
Meu irmão estava deitado em sua cama, com fones de ouvido, olhando
para o teto. Seu olhar se voltou para mim e eu me preparei para ver nojo em
seu rosto.
Não havia, no entanto. Vi apenas a relutância adolescente que eu estava
acostumado a ver. Ele pegou os fones de ouvido.
Fechei a porta atrás de mim e sentei em sua cadeira negligenciada. "Eu
só quero dizer algumas coisas."
Ele assentiu e sentou-se. Para Jared, isso praticamente rolava fora do
tapete para mim.
“Eu sei que nunca disse nada antes, mas sempre fui gay.” Ele se encolheu
um pouco, mas eu continuei. "Você provavelmente está chocado, mas tente
lembrar que eu ainda sou o mesmo cara que você sempre ligou quando teve um
problema. Eu sou o mesmo cara que atira aros com você na calçada.”
"Eu sei", disse ele, sua voz rouca.
Ele sabe? Eu esperei para ver onde isso foi. Infelizmente ele não disse
outra palavra. “Olha, papai nunca teve coisas legais para dizer sobre homens
gays. Ou homens negros. Ou…"
"Eu sei disso", argumentou Jared. “Mas não sou eu, ok? Eu não sou
assim."
Estudando-o, tentei decidir o que aquilo significava. Se ele estava
tentando me dizer que ele estava bem com isso, eu não tinha certeza se

182
acreditava nele. Ele não parecia bem. Correndo o risco de pegar minha cabeça
disparada, perguntei: "Então, o que há com o rosto comprido?"
Jared revirou os olhos. “Sinto falta da Amy, ok? Eu esperava que ela
voltasse."
"Oh", eu disse lentamente. "A coisa é ..." Limpei minha garganta. "Amy e
eu não estávamos realmente juntos. Ela tem um namorado - um cara legal que
ela se conheceu no trabalho.”
Jared estremeceu. "Merda."
"Sim. Mas ela não deixou o país nem nada. Eu poderia levá-la para jantar
esta semana.” A verdade é que eu não tinha contado a ela nenhum dos meus
problemas recentes. Eu estava tentando dar o espaço dela. Ela cobriu minha
bunda por tanto tempo que eu não queria arrastá-la para os últimos desastres.
"Suponho", disse Jared com um suspiro. "Mas não será o mesmo. Ela é
...” Ele engoliu em seco. "Ela era, tipo ..." Ele desviou o olhar.
E de repente eu entendi o que ele não poderia dizer em voz alta, e era tão
triste quanto tudo o que tinha acontecido este mês. “É que ela nos deu um
pouco de mãe, não é? Eu incluído.”
Os olhos de Jared se voltaram para os meus, mas ele não se atreveu a
concordar comigo, porque ele não podia dar voz a uma dor tão grande.
De todos nós, eu tive mais tempo com nossa mãe. Jared tinha doze anos
quando ela morreu - agora com a idade de Scotty. E Scotty estava no jardim de
infância.
Depois que ela morreu, eu aprendi a viver com essa mágoa. Mas eu não
tinha percebido como meus irmãos realmente não podiam fazer
isso. Ultimamente, eu estava tão envolvido com as falhas do meu pai que eu
não parei para pensar em como a orfandade seria para Jared.
Meus olhos se encheram inesperadamente. Havia tantas lacunas nas
vidas dos irmãos, e eu nunca seria capaz de preencher todas elas.
Jared virou o queixo, mas não rápido o suficiente para eu perder a única
lágrima que escorreu por seu rosto. Eu tive uma decisão a fazer. Abraça-lo, ou

183
não? Geralmente, ele preferiria morrer a receber meu carinho. Mas, caramba,
talvez essa não fosse uma daquelas vezes.
Eu comprometi.
Atravessando o quarto em três passos, sentei-me na cama ao lado
dele. Coloquei as duas mãos nas costas de seus ombros e apertei. “Sinto muito
por Amy. Mas não era real entre nós.” Eu sussurrei. "Eu não tenho isso em
mim, e ela sabia disso."
Ele abaixou a cabeça, mas recostou-se uma fração de polegada no meu
toque.
Eu massageei seus ombros magros e suspirei. "Você me faria um
favor? Amy está duas semanas desatualizada com todos as coisas loucas
acontecendo por aqui. Você se importaria de ligar para ela e levá-la à
rápido? Eu deveria fazer isso sozinho, mas estou meio que envergonhado."
Ele virou a cabeça para olhar para mim. "Realmente?"
"Sim. Ela vai me matar quando ouvir toda a porcaria que já passamos e o
fato de não perguntarmos a ela por ajuda."
Um canto da boca de Jared se contraiu. Isso foi tanto entusiasmo como
eu tinha visto dele em um ano. "Onde está seu telefone?"

Deixei Jared sozinho para ligar para Amy. Como Axel e Scotty estavam
profundos no filme deles, entrei na cozinha para me limpar. Dependendo sobre
o que ela havia planejado para hoje, eu esperava ter Amy- bombardeando a
cinco minutos a partir de agora ou sempre que sua agenda permitisse.
Quando pensei nisso, percebi o quão estranho era eu não ter notícias dela
nos últimos dez dias. Prisão do meu pai esteve em todo o jornal local. Mesmo
que Amy tenha evitado o Berkshire Valley Times em favor do Boston Globe ,
alguém teria mencionado a ela.
Tentei me lembrar da última vez que falei com ela. Amy tinha me
acompanhado logo antes do ataque de Axel. E depois… nada. Isso foi
absolutamente estranho, e me deu uma pontada de preocupação. Eu tinha

184
perdido algo que tinha acontecido com ela? Jesus, eu esperava que não. Mas
minha largura de banda estava seriamente sobrecarregada no momento.
"Cax?"
Eu me virei para ver Jared encostado na geladeira. Ele configurou meu
telefone para baixo e franziu a testa. "Você falou com Amy?"
Ele assentiu, parecendo sombrio. "Mark está com ela, na verdade."
"Realmente?" Joguei a esponja no balcão. "Todo mundo está bem? ”
Jared deu de ombros. "Ela diz que ele não está pronto para voltar para
casa."
"OK. Devo ligar para ela?”
Ele balançou sua cabeça. “Ela disse que virá mais tarde. Pela hora do
jantar. " Ele se virou para ir embora.
Isso me fez sentir desamparado. "Bem, acho melhor eu descobrir algo
para o jantar. "
Jared olhou por cima do ombro novamente. “Ah, Amy disse que ela e
Mark trariam o jantar.”
Eu ri. "Claro que ela fez."
Na sala, Scotty estava colado na tela, mas Axel cochilou. Peguei um
cobertor da Barmuth College e o cobri com isso, tendo um momento para
admirar a maneira como os cílios escuros varreram as maçãs do rosto. Então
eu sentei ao lado de Scotty para assistir o resto de seu filme com ele.

Depois do filme, Axel acordou. Scotty correu para o computador para


tentar descobrir quando o próximo filme dos Vingadores será lançado.
Entrei na cozinha para pegar alguns refrigerantes. Quando eu derramei a
Coca-Cola sobre cubos de gelo, eu não podia acreditar o quão incrível era ter
Axel sentado na sala da família. Este foi um dia que eu pensei que nunca
viria. Mesmo que as coisas fossem horrivelmente complicadas, e um dos meus
irmãos não estava falando comigo, ainda era importante para mim.

185
Eu amava Axel e o queria na minha vida. E todo mundo estava só indo ter
que se acostumar com isso.
Quando levei nossas bebidas para a sala da família, Axel estava
mandando uma mensagem para alguém. "Com quem você está
falando? Espere, isso soou com ciumes."
Ele riu. “É Josh. Ele quer saber se eu preciso de uma carona pra casa. Ele
e Caleb acompanham meus movimentos. Eles estão quase pior que minha
mãe."
Meu peito ficou apertado. Deveria ter sido eu quem o ajudou a semana
toda. Mas eu estava aqui, colocando as refeições na mesa, tentando convencer
meus irmãos que suas vidas não estavam desmoronando apenas porque o pai
deles agora era famoso por agressão. "Diga a Josh que eu vou te levar para
casa."
"Eu já fiz." Ele tentou enfiar o telefone no bolso, mas então deixou
cair. "Gesso do caralho", disse ele.
“Não diga caralho ', disse Scotty, entrando na sala. "O carro de Amy
acabou de parar."
Eu me levantei, mas depois pensei em me apressar para encontrar
eles. Onde quer que a cabeça de Mark estivesse agora, não ajudaria se eu
apressasse como um atacante ofensivo. Sentei-me novamente e tomei um gole
da minha bebida.
Tanto Axel quanto Scotty me olharam como se eu fosse louco.
"Olá?" Amy chamou da porta dos fundos. "Cax?"
Levantei-me novamente e fui em direção à cozinha. "Oi."
Amy correu para me encontrar no meio do caminho, para que ela pudesse
me mastigar em relativa privacidade. “Cax? Como não recebo uma ligação
quando seu pai está na prisão? E você está processando o estado pela custódia
de seus irmãos?"
"Sinto muito", eu sussurrei.

186
“ Jesus , Cax. Eu estava na Flórida com Derek até ontem. Esta manhã
meu pai me contou sobre todo o desastre. Então eu estou no meu carro
dirigindo aqui para rasgar um novo quando Mark sai correndo de casa como se
estivesse pegando fogo ... "
"Espera!" Eu levantei uma mão. "Volta. Você estava na Flórida com
Derek por dez dias? Amy - isso não é férias, é coabitação. Devo verificar a caixa
de correio para um anuncio de casamento?"
Ela empurrou meu peito e eu sorri. Eu tinha perdido isso. Eu iria sentir
falta dela . "Não me interrompa quando eu estiver gritando com você", ela
rosnou. Mas ela também estava sorrindo.
Mark entrou na porta dos fundos com dois sacos de compras. Ele os
colocou no chão sem olhar para mim. Então ele voltou pra fora
novamente. "Hum ...?" Eu olhei diretamente para a porta dos fundos.
Amy empurrou meu peito novamente até que ela me apoiou todo
caminho para a sala da família.
"Onde está a cabeça dele?" Eu sussurrei.
Ela se encolheu. "Ele está tomando muita porcaria de seus amigos sobre
o seu pai ser preso. Maldita mídia social. Ele não foi convidado para um par de
viagens de esqui na semana passada e uma festa."
"Ele não me disse isso", eu sussurrei.
"Eu sei. Ele está tentando 'ser homem', seja o que isso significa. Mas, em
sua mente, você e Axel fazem mais forragem para fofoca. Ele sabe que ele foi
um idiota hoje, mas ele não está bem assim pronto para se superar. Seu pai o
alimentou com muita porcaria homofóbica, você sabe.”
"Oh, eu sei", suspirei.
"Dê a ele um pouco de tempo."
"OK."
“Enquanto isso, vamos falar sobre como você é um amigo terrível. Onde
estava meu telefonema? Seu pai está preso, seu namorado estava no hospital e
você é mãe solteira de três. Como eu não sou notificada? "

187
"Porque você estava na Flórida com Derrrrrrek ."
Ela me beliscou. Eu fiz cócegas nela.
"Ahem". Axel pigarreou.
Amy tirou as mãos de mim. “Hum. Oi! Desculpa."
Axel sorriu. "Você deve ser Amy."
"Sim." Ela correu para o sofá para apertar a mão dele. "Eu geralmente
não belisco seu namorado. ”
"Eu acho que ele estava chegando."
Amy sorriu e sentou-se ao lado de Axel. “Você sabe, Cax. Ele era mais fofo
antes de seu pai bater nele.”
"Jesus", eu ofeguei. "Isso não é engraçado."
Mas Axel e Amy estavam rindo. "Humor negro, Cax” Amy protestou.
"Adoro humor negro", Axel concordou. Ele colocou as mãos para seu
peito. "Mas rir dói."
“Ah. Pobre bebê." Amy deu um tapinha no braço de Axel.
A visão de duas pessoas que eu amava sorrindo uma para a outra era
quase mais do que eu poderia suportar. Eu queria tanto isso – um namorado,
família e amigos. Eu queria que sentássemos sob um telhado e jantássemos
juntos.
O que me lembrou. “Correndo o risco de parecer o maior imbecil do
mundo ... "
"O que tem para o jantar?" Amy adivinhou.
"Bem, Jared disse algo sobre comida."
Ela pegou minha mão e me puxou para baixo no sofá ao lado dela. “Sim,
meu desamparado. Eu estou fazendo frango Tailandês27." Então ela baixou a
voz. “Eu dei a Mark o trabalho de colocar todas as compras fora. Isso o mantém

188
27
ocupado por alguns minutos para que ele possa voltar aqui, ok? Deixe-o ir até
você."
Eu beijei Amy no nariz. "Obrigado. Onde eu estaria sem você?"
“Com fome, é onde. Agora quem vai cortar pimentão vermelho e
amendoins para mim? "
"Eu vou fazer isso", Axel ofereceu. “Eu posso preparar legumes com uma
- mão.
"Você cozinha?" Perguntou Amy. Ela pulou e ofereceu a ele uma mão.
"Claro", disse ele, levantando-se lentamente. "Todo mundo não?"
"Todos, menos Cax."
"Ele terá que aprender agora", disse Axel. "Ele tem três filhos pra
alimentar."
"Vamos nos divertir ensinando-o", Amy concordou.
Eu segui minhas duas pessoas favoritas até a cozinha para que elas
pudessem me provocar um pouco mais.

189
CAPÍTULO VINTE E QUATRO

AXEL
O IRMÃO DE CAX, Mark olhou sorrateiramente pra mim através de todo
jantar. Eu nunca fiz contato visual, porque não achei que ele iria querer que eu
fizesse. Eu não conseguia imaginar as emoções que ele estava lidando. Seu pai
meteu muita merda na cabeça e foi levado para a cadeia.
Ele voltou, no entanto. Ele era jovem e Cax era bom para ele. Mesmo que
eu tivesse visto o garoto dizer coisas horríveis para Cax, meu namorado foi
gentil com Mark na mesa de jantar. Isso praticamente partiu meu coração ao
ver a ternura que ele tinha pelos seus irmãos Todos os sacrifícios que ele fez
para ficar perto de sua família fazia sentido para mim agora que eu podia vê-lo
em primeira mão.
Amy ajudou também. Ela era otimista e divertida, e era fácil ver como os
meninos gostavam dela. Ela era demais. Não senti um pingo de ciúmes de
amante por ela já ter dormido com Cax. Em vez, fiquei feliz em saber que ele
teve alguém como Amy ao seu lado todos esses anos. Ela fez o passado dele
parecer menos sombrio.
Nós comemos a comida deliciosa dela juntos, e os meninos limparam a
mesa. Então Amy pegou um baralho de cartas na bolsa e começou a
baralhar. "Quem está lidando com o primeiro jogo de poker?"
Todos os três irmãos de Cax queriam entrar. Então eu preparei algumas
das fichas de pôquer de plástico que Scotty havia corrido para encontrar e
joguei uma mão. Mas depois de alguns minutos, fiquei ridiculamente cansado.
Cax percebeu sem eu ter que dizer nada. "Eu vou te levar para casa agora”
ele disse, empurrando a cadeira para trás.
“Prazer em conhecê-lo, Axel” disse Amy, embaralhando as cartas.
"Da mesma forma." Levantei-me e procurei meu casaco.

190
"Na verdade", disse Cax, limpando a garganta. "Eu vou ver se a passagem
de Axel foi escavada. Hoje nevou novamente. Então, talvez demore um pouco.”
"Sim", disse Amy sem levantar os olhos. "Você cuida dessa
passagem. Vou dizer a Scotty quando for a hora de dormir.” Cax deixou a sala
sem uma palavra. Amy olhou para mim e piscou.
"Boa noite", eu disse a todos.
"Noite!" Scotty gritou, pegando suas cartas.
Jared murmurou algo que provavelmente foi "boa noite".
E Mark não disse nada.

"Você sabe que Josh escavou minhas escadas, certo?" Eu disse quando
Cax e eu viajamos de carro em direção ao meu apartamento.
"Estou contando com isso", disse ele. "Porque eu precisava de um pouco
de tempo sozinho com você. Você tem compras? Você está realmente bem?”
Ele balançou sua cabeça. “Eu odeio que você esteja sozinho. Eu pediria para
você ficar conosco, mas ... "
"Eu estou bem", eu disse suavemente. "Realmente."
Ele estacionou ao lado do Toyota de Caleb e me acompanhou nas
escadas. Elas foram escavadas com perfeição, é claro.
Por dentro, ele me ajudou a tirar o casaco, os olhos quentes. "Eu amo
você” ele sussurrou. "Sinto muito, já faz muito tempo desde que eu disse
pessoalmente. "
Entrei em seu corpo e o abracei com meu braço bom.
“Está tudo bem, Cax. Tudo vai ficar bem."
"Vai?" Ele me apertou na cintura. "Minha vida é uma bagunça gigante
agora. "
Eu balancei minha cabeça, meu nariz pousando em seu pescoço. "Isso
não é verdade. Instável, talvez. Mas as coisas estão prestes a ficar melhor."
"Elas estão? Eu tenho que desistir do meu doutorado e encontrar um
emprego real.”

191
Recuando, olhei nos olhos dele. "Porra, por quê?"
"Eu não sou dono dessa casa", disse ele. “É a hipoteca do meu pai. E ele
não pode pagar se estiver preso. Eu sou apenas um aluno graduado
faminto. Não é possível manter três filhos com hambúrgueres e Nikes em uma
aula de assistente de ensino. "
Abraçando-o novamente, fiz um som triste na parte de trás da minha
garganta. “Por favor, não se afaste. Porque então eu vou precisar encontrar um
novo emprego onde quer que esteja. E isso não será fácil.”
Seu corpo ficou muito quieto contra o meu, e sua voz era hesitante. "Eu
não sei o que o futuro reserva."
"Eu sei." Eu dei um aperto nele. “Se segura. Porque nós não apenas
passamos por toda essa besteira com seu pai para deixar algo como um trabalho
estar no nosso caminho. ”
Cax respirou fundo e estremeceu e deitou a cabeça no meu
ombro. "Quando você diz assim, eu quase acredito."
“Você deveria acreditar, porque você é meu. Você sempre será meu e não
vou desistir de você.”
Ele sorriu na minha linha da mandíbula. “Você realmente não desistiria
do seu trabalho em Barmuth se eu tivesse que me mudar para Boston.”
Dei um beijo na orelha dele. "Há uma história que preciso contar a
você. Mas temos que sentar.” Cax, me deixou levá-lo até o meu sofá. Foi a
primeira vez que nos sentamos lá juntos, mas eu esperava que não fosse a
última. “ Recebi a oferta de emprego pra Barmuth através de uma entrevista no
Skype e uma recomendação da OSU28. "
Ele acenou com a cabeça, deslizando suavemente as pontas dos dedos que
sobressaiu no meu gesso.
“Quando eu estava tentando descobrir se eu queria ou não mudar aqui e
aceitar o trabalho, eu assisti um jogo de basquete de Barmuth. Transmitida em

28
Universidade estadual de Ohio.

192
alguma rede de esportes da faculdade. E na câmera, eu vi você sentado em seu
lugar. Eu te reconheci.”
A boca de Cax se abriu. "De jeito nenhum", ele respirou.
"Bem", eu disse com uma risada. "Eu nunca ia dizer qualquer coisa,
porque parece tão perseguidor. Mas parte da razão que eu vim até Barmuth foi
você.”
"Deus, Ax." Os olhos dele brilhavam. "Isso é louco."
"Eu sei."
Ele balançou sua cabeça. “Quero dizer, é loucura você me encontrar . E
que você procuraria em primeiro lugar. "
Algo mudou no meu peito. “Eu sempre vou te procurar, querido. Por
favor, não se preocupe com dinheiro e empregos. Nós vamos descobrir isso.
Seu pai pode ser condenado a pagar ajuda. Ele pode vender essa casa e pagá-la
com seu patrimônio. E você e eu podemos comprar algum outro lugar. Eu
ganho dinheiro. Não uma tonelada, mas é a vida.”
Os olhos de Cax se arregalaram. "Você ... compraria uma casa comigo?"
Ele não estava ouvindo? "Qualquer dia da semana."
Ele se recostou no sofá e fechou os olhos. "Eu estou com medo de me
sentir feliz. Tipo, se eu baixar minha guarda, outra coisa virá me foder."
"Isso seria eu."
Ele abriu os olhos e sorriu. “Hoje não, porém. Não até você parar de fazer
essa cara de dor quando você se move. "
"Espero que seja logo, então."
Ele deu um tapinha na minha perna. “Vamos colocar você na cama. Você
precisa de alguma coisa primeiro? Uma chuveirada? Ajuda com sua cozinha?”
Eu olhei para a porta do meu banheiro. “Eu poderia tomar um banho. É
tão estranho segurar meu braço para fora da cortina. Você poderia me entregar
o xampu?”
"Qualquer dia da semana", disse ele com um sorriso.

193
Cax fez ainda melhor que isso. Ele me ajudou a sair das minhas
roupas. Isso foi sexy de uma maneira frustrante, porque nada viria disso hoje à
noite. Então ele preparou o chuveiro e segurou minha mão quando entrei,
apoiando meu braço quebrado enquanto eu estava sob o spray.
"Ahh", eu disse. “Me levou meia hora só para conseguir despido neste
ponto. "
"Estou sempre disponível para despir você", ele brincou. E então nós
ambos ficamos calados, desejando que fosse verdade.
Cax fez melhor do que me passar o xampu. Ele jogou a sua própria camisa
pela porta do banheiro, depois enfiou a mão no chuveiro e ensaboou meu
cabelo. Ele deixou suas mãos roçarem meu pescoço e ombros. Eu levantei meus
braços para serem lavados lá também. Ele foi para outra pequena bomba de
sabão e soltou um rosnado sexy enquanto ele espalhava espuma ao longo da
minha barriga, meus quadris, minha bunda.
Minha virilha.
"OK." Ele suspirou. “Isso foi gratuito. Desculpa."
Eu ri. "Desculpar você por ter parado?"
Cax gemeu. "Enxágue antes que eu suba ai com você."
Mesmo que parecesse uma ideia divertida, eu obedeci. Depois do banho
veio a toalha. Cax secou meu corpo suavemente enquanto eu segurava meu
gesso longe da minha pele molhada. Ele tocou nas minhas costas, então beijou
minha pele úmida. Ele secou minhas pernas, seu rosto perto o suficiente da
minha virilha para me dar uma semi ereção.
Gemendo, ele se levantou e eu vi que ele a tenda em suas calças.
"Não há sexo suficiente nesse relacionamento", murmurei.
"Não brinca", ele concordou, passando as gotas de água da minha
clavícula. "Incline-se para a frente para que eu possa secar seu cabelo."
Quando passei na inspeção, saí do banheiro e fui para a minha cama
enquanto Cax me buscava um par de cuecas novas da minha cômoda. Ele se
ajoelhou na minha frente, ainda peito nu, segurando a cintura elástica aberta

194
para eu entrar. Mas antes que eu pudesse, seus olhos se ergueram para os
meus. O olhar de fome neles me fez duro.
Ele lambeu os lábios. "Eu tenho um presente de despedida para você
antes de ir."
"Mmm?" Eu disse, distraído com a proximidade de sua boca no meu pau.
"Sente-se", disse ele, jogando a cueca de lado.
No segundo em que minha bunda caiu na cama, ele apertou as mãos em
ambos os lados das minhas coxas. Então ele baixou a cabeça e me levou na boca
dele.
"Oh", eu ofeguei. "Tão bom ."
E era. Ele girou a língua em volta da minha cabeça, depois me deu
garganta profunda na primeira tentativa.
"Pooooorra", eu ofeguei. “Você está ficando muito bom nisso. Em quem
você está praticando? Eu vou chutar a bunda dele.”
Cax riu em volta do meu pau, depois saiu, me bombeando com a mão
dele. "Apenas minha imaginação e vídeos sacanagem." Ele beijou minha ponta
e depois me levou fundo.
E, ungh! Fazia muito tempo desde que estivemos juntos. E eu estava
muito doente e cansado para me livrar. De repente, muita luxúria reprimida
começou a apertar minhas bolas. Meus quadris rolaram, e eu estava me
aproximando da linha de chegada muito mais rápido que o normal. "Bem", eu
ofeguei, acariciando seus cabelos com a minha mão boa. "Isto não vai demorar
muito.
"Mmm", ele gemeu ao redor do meu pau, e as vibrações me deixou
louco. Agarrei seu cabelo com mais força na minha mão.
"Caxy ..." eu engasguei. Ele me deu uma boa e dura chupada e então eu
estava vindo. "Baby", eu ofeguei, entrando em erupção em sua boca.
Ele engoliu, depois engoliu novamente. Eu tive que largar o cabelo dele e
plantar minha mão na cama, porque de repente eu estava me sentindo
zonzo. Inclinei minha cabeça para trás e praticamente derreti no edredom.

195
Enquanto isso, Cax começou a rir. Então ele correu para o meu banheiro
e ouvi a água correndo.
"Eu te sufoquei?" Eu perguntei quando a água desligou.
Ele riu. "Não vamos esquecer que eu sou um novato." Ele surgiu,
sorrindo. "Mas isso foi uma carga de estrela pornô."
"Jesus." Eu sorri para o teto. “Parecia um. Tem sido um tempo." Ainda
mais do que eu adorava vir como um trem de carga, eu amava que estávamos
rindo agora. Houve muito drama entre nós, e acho que precisava desse
momento de leveza mais do que eu precisava do boquete.
Ele se aproximou e se inclinou, beijando minha testa. "Eu tenho que ir
para casa. "
"Eu sei. Mas não posso retribuir o favor?”
Ele me beijou nos lábios e se endireitou. "Não dessa vez. Mas prometo
pensar em você mais tarde enquanto estiver ensaboando meu pau no banho."
"Gostaria de poder estar lá."
Ele me puxou para uma posição sentada com minha mão boa. "Agora
fique debaixo das cobertas. Ligo para você amanhã.”
"OK." Eu o deixei me aconchegar. "Te amo, Cax."
"Te amo mais", disse ele.
Eu duvidava que isso pudesse ser verdade. Mas com certeza gostei de
ouvir.

196
CAPÍTULO VINTE E CINCO

CAX
DEZ DIAS depois que eu vim para os meus irmãos, eu estava em uma sala
do tribunal ouvindo o juiz me designar a custódia de emergência temporária
dos três. O juiz bateu seu martelo uma vez na bancada- como nos filmes - e
senti meus olhos molharem.
Pena que os meninos não estavam lá para ouvir. Eles estavam de volta na
escola. E meu pai não estava lá para ouvir, porque ele estava na cadeia.
Mas Axel estava lá. Quando me virei, eu o vi esperando no fundo da sala,
seu sorriso brilhava em seu rosto – as contusões estavam desaparecendo,
graças a Deus.
Meu advogado balbuciava ao meu lado enquanto eu caminhava em
direção as portas de saída “A custódia temporária é apenas uma
formalidade. Ele não vai conseguir as crianças de volta” ele prometeu.
"Obrigado", eu murmurei. Tudo o que pude ver era o sorriso de Axel.
Quando eu o alcancei, ele me abraçou.
Levei um segundo para abraçá-lo de volta, porque velhos hábitos são
difíceis de morrer. Eu não sabia quanto tempo levaria para eu esquecer de ter
medo - esquecer todos os anos em que me escondi. Mas depois de um
momento, os bons tempos vencem os maus. Eu o abracei duro, porque suas
costelas não estavam mais machucando ele. E porque eu não ligo para quem
nos visse.
"Quero levá-lo para tomar um café", disse ele.
"Tudo bem", eu concordei. “Podemos passar pela minha biblioteca? Eu
preciso dos meus livros, se vou começar a tarde.”
"Qualquer coisa que você precise."

197
Sorrindo, peguei sua mão e o acompanhei em direção ao
estacionamento. Porque tudo que eu realmente precisava era dele.
Quando chegamos à biblioteca de graduação, Axel entrou comigo. Mais
uma vez, tive que combater um tremor de preocupação. Não importa , eu me
lembrei. Qualquer um pode saber. Está tudo bem . Eu segurei a porta para ele,
em seguida, coloquei a mão nas costas enquanto caminhávamos pelo
corredor. Eu estava cansado de me esconder. Eu terminei com isso.
E quando Jason apareceu no átrio, caminhando em nossa direção, tudo
bem também. "Oi", Axel disse, minha palma ainda nas costas dele. "Como você
está?"
Jason olhou de mim para Axel e voltou. "Muito bem. Você?"
"Foi um mês difícil", disse Axel com uma risada. "Mas as coisas estão
melhorando."
Jason pigarreou. "Eu posso ver isso."
"Ei", eu interrompi. Mas depois houve silêncio, porque eu não sabia como
proceder. Ele me perguntou se eu era gay, e eu menti sobre isso. “Isso…"
Jason balançou a cabeça. “Não se preocupe com isso. Eu li os jornais." Ele
piscou. "Parece que você estava em uma situação difícil."
"Essa é uma maneira de dizer", eu disse, e Axel riu. "Estávamos indo
tomar café” acrescentei. "Quer se juntar a nós?"
Os lábios de Jason se contraíram. “Vocês dois vão em frente. Talvez outra
hora." Ele foi embora sorrindo.
"Temos que encontrar um cara legal para ele", disse Axel quando se foi.
"Totalmente. E logo."
Quando voltamos a sair, perguntei a Axel onde ele queria ir.
"Eu vou te mostrar", disse ele. "Mas vamos pegar seu carro."
"OK." Como ele ainda estava um pouco frágil, o pedido de aprovação do
carro não parecia estranho. Mas então ele começou a me direcionar para um
bairro residencial. Então ele me pediu para reduzir em Newbury Street.

198
"Eu acho que gosto deste café", eu disse. O apartamento dele era apenas
a dois quarteirões de distância.
"Pare aqui", ele disse de repente. "Na frente daquela casa." Ele apontou
para uma casa de fazenda com um sinal de venda no jardim da frente.
"O que você está fazendo aqui?"
Ele abriu a porta do carro. "Eu quero que você veja esta casa."
"Por quê?" Eu desliguei o motor.
Axel mordeu um sorriso. “Por favor, apenas entre. Eu tenho ideias."
Saímos do carro. Eu segui enquanto ele caminhava até a frente e abria a
porta.
A casa estava vazia. "Axe, por favor me diga por que estamos arrombando
e entrando."
"Nós não estamos." Ele se virou e me deu um leve sorriso
nervoso. “Conversei com a corretora de imóveis e ela a deixou aberta para
nós. Eu quero comprar esta casa, querido. Todos nós podemos encaixar. Há
três quartos no andar de cima, e no porão há um quarto. É meio que perfeito
para um adolescente mal-humorado.”
"Bem, inferno." Eu olhei para as paredes áridas da casa vazia. O lugar era
grande e parecia bastante limpo. Mas não tinha visto uma tinta desde os anos
setenta. “Não posso comprar uma casa. Eu amo que você acha que podemos. "
Axel esfregou as mãos. "Eu vou comprar."
"Como? O adiantamento seria de cinquenta mil. Seu o cofrinho não pode
ter esse tipo de valor ”.
Meu namorado sorriu para mim. "Verdade, mas estou recebendo ajuda
da minha mãe. Ela quer investir.”
"O que?" Eu olhei mais de perto para ele agora, com o olho dele
brilhando. "Você está falando sério, não está?"
"Claro! Por que mais você acha que eu o arrastaria para uma casa
vazia? Quero fazer uma oferta, mas primeiro preciso saber se você odeia esse
lugar. Existem outras casas. Não são muitas, mas ...”

199
Eu levantei uma mão. "Como isso funcionaria?"
“Minha mãe e eu compraríamos a casa e todos nós nos mudávamos. Não
minha mãe” ele alterou rapidamente. “Ela está diminuindo em Ohio para um
condomínio. É por isso que ela terá dinheiro para investir aqui. O único
requisito dela é que compremos um sofá-cama confortável para ela visitar."
Eu tentei imaginar isso, mas minha cabeça estava ocupada explodindo
em todas essas novas idéias. "Mas como eu pagaria o aluguel?"
Axel deu de ombros. "Quando os advogados trabalharem a pensão
alimentícia, vamos conversar então. Enquanto isso, podemos melhorar esta
casa, Cax. Precisa de muito trabalho - mas não estruturalmente. É tudo pintura
e rasgando o papel de parede antigo. Pisos novos, talvez. Estou olhando para a
frente. ”
Respirei fundo contra o aperto no meu peito. "Eu não sei. Há tanta coisa
no ar para mim. Programas de doutorado demoram muito tempo, Ax ...”
Ele se aproximou e me abraçou. "Mas temos muito tempo" ele
sussurrou. “Pare de entrar em pânico, bebê. Você precisa de um lugar para
morar. O banco estará circulando você como um tubarão em breve. Você me
disse você mesmo. ”
"Ele ainda não pagou a hipoteca deste mês", eu disse, colocando meu
queixo no ombro dele. “Eu acho que ele está tentando nos fazer sair. Você
acredita nisso? Seus próprios filhos.”
Ele beijou minha mandíbula. “Foda-se. O tribunal o fará pagar. E talvez
demore um ano. Mas estaremos aqui, aprendendo como lixar as tábuas do
chão. Caleb e Josh vão nos ajudar. Amy vai ajudar também. Minha mãe vai
ficar um pouco. Você não está sozinho. Nós não estamos sozinhos.”
"Podemos realmente fazer isso?" Eu sussurrei.
"Claro." Ele me beijou novamente. "Qual é a pior coisa que poderia
acontecer? "
"Falência? Duh.”

200
Axel riu contra a minha pele sensível foi a melhor sensação de
sempre. “Posso te mostrar o resto da casa agora? Porque você precisa pegar
Scotty em uma hora.”
"Sim." Respirei fundo e dei um passo para trás. "Mostre-me."

No dia seguinte, eu não conseguia parar de pensar na casa. Mesmo


enquanto eu estava na nossa velha cozinha mexendo o molho de macarrão no
fogão, peguei mais um passeio mental pelo outro lugar.
Em sua condição atual, a casa vazia não era bonita. Mas tinha de
modo muito potencial. O quintal era especialmente grande, com espaço para
um pátio. "E olhe! Já existe uma cesta de basquete por cima da garagem” Axel
havia apontado.
Por alguma razão, esse detalhe fez parecer real, porque me fez imaginar
um futuro lá. Axel poderia ensinar Scotty como driblar cruzamentos enquanto
eu grelhava os hambúrgueres. Mark poderia terminar o dever de casa no balcão
da cozinha (atualmente feito de laminado, mas poderíamos eventualmente
atualizar.)
Eu queria tanto esse futuro.
"O banco ligou novamente hoje à procura do pai", disse Jared atrás de
mim. "Mas acho que há progresso, porque quando eu disse ao oficial de
empréstimo que papai estava na prisão, ele disse: 'Oh, eu vejo uma nota sobre
isso no arquivo. '”
Eu bufei. “Isso é progresso? Eu acho que você está certo. Pelo menos está
em algum canto do arquivo. "
Jared roubou um pedaço de cenoura da pilha que eu fiz no prato de
servir. “O que acontecerá com esta casa se não pagarmos a hipoteca?"
"Ou papai venderá ou o banco aceitará", eu disse. "Mas nós ficaremos
bem. Vamos morar em outro lugar.”
"Não podemos simplesmente pagar a hipoteca?" Mark perguntou. Eu
não tinha o ouvido entrar na sala. Até agora, Jared foi o único que eu tinha

201
conversado sobre as nossas dificuldades atuais de moradia. Ele era velho o
suficiente para descobrir o problema.
"Bem." Eu limpei minha garganta. “Não posso pagar a hipoteca sozinho.
Eu não ganho dinheiro suficiente. E o tribunal provavelmente fará papai
pagar. Mas eles não vão resolver isso por um tempo. Até depois do
julgamento."
"O que nós vamos fazer?" Mark perguntou, soando cerca de cinco anos
mais jovem que ele. Soando como uma criança assustada.
Eu me virei para olhá-lo nos olhos. “Existem algumas possibilidades. Eu
vou escolher a melhor.”
"Como o quê?" Ele não deixaria passar.
"Vovó e vovô no Canadá podem acabar nos ajudando." Os pais de nossa
mãe eram falecidos, mas os de meu pai estavam com cem anos e morando em
uma casa de repouso. Eu não tinha falado com eles ainda sobre o que estava
acontecendo, e eu não sabia se meu pai tinha. Mas se nos tornássemos
verdadeiramente destituídos, eu estava indo pedir-lhes ajuda.
"Eu não quero me mudar para o Canadá", disse Mark rapidamente, sua
testa franzindo.
"Nós não estamos", eu disse gentilmente. “Mudar é uma opção de último
lugar. Mas é possível que eu precise encontrar um emprego em período
integral, e o mercado de trabalho de Henning não é tão grande. "
Mark se encolheu.
"Há uma outra idéia." Desliguei o molho de macarrão para comprar eu
mesmo um momento. Mark e eu estávamos circulando um ao outro nas últimas
duas semanas. Eu me disponibilizei para ele, esperando ele me perguntar sobre
Axel, Amy ou ambos. Mas ele não tinha. Enquanto isso, vimos Axel duas vezes
- uma vez para um jantar de pizza e uma vez quando Axel veio almoçar no fim
de semana. Ambas as vezes, Mark o ignorara.
Mas agora eu estava indo para isso. Eu ia falar disso, e ele ia ter que
lidar. “Axel quer comprar uma casa. Nós podemos todos morar lá.”

202
Mark baixou os olhos. "Onde?" ele perguntou.
"Newbury Street."
Ele esfregou um canto áspero do chão de azulejos com o dedo do pé. "Essa
é a melhor opção? " ele perguntou.
"Provavelmente", eu disse calmamente. “A menos que papai faça alguma
coisa generosa e assine esta casa para nós. E mesmo assim nós não poderemos
pagar.”
Mark mordeu o lábio. "Mas podemos pagar se vivermos com Axel?”
"Sim", eu disse calmamente. “Nós o pagaríamos quando pudéssemos.
Mas ele não vai nos chutar para o meio-fio. E você poderia ficar na escola com
seus amigos. "
"Podemos comer agora?" Jared perguntou. "Estou faminto e tenho dever
de casa."
No momento em que parti, voltei ao fogão e acendi novamente o fogo sob
o molho.
"Macarrão de novo?" Mark reclamou. Não é como se meu pai tivesse feito
aos meninos refeições maravilhosas. Mas ele costumava comprar muitas
porcarias congeladas que eu não podia pagar. Eles estavam acostumados a
pizza bombardeada de qualquer que seja ou burrito extravagante.
Rasguei a tampa de uma caixa de macarrão e coloquei na água
fervente. "Há algo que você deve saber sobre Axel", eu disse. "Ele é um
cozinheiro fabuloso." Eu me perguntava o que ele pensaria de mim falando de
sua cozinha para conquistar Mark. Eu o imaginei em sua cozinha do
apartamento, verificando o frango no forno. Ele provavelmente ficará bem com
isso, na verdade. Afinal, foi ideia dele viver com toda a ninhada Williams.
"Realmente?"
"Sim", eu disse. "Ele é um verdadeiro profissional."
Mark roubou um palito de cenoura. “Talvez ele possa te ensinar. Se todos
nós morarmos em uma casa. "

203
Calor floresceu no meu peito ao som dessas palavras, e o fato dele tê-las
dito tão facilmente. Eu queria sorrir e agarra-lo em um abraço, mas isso não
voaria com um adolescente. "Talvez ele possa” eu disse em seu lugar. "Talvez
você possa aprender também."
"Provavelmente não", resmungou Mark. Então ele vagou em direção a
sala da família.
Senti meus ombros relaxarem uma fração de grau. Porque isso pode
realmente funcionar.

204
CAPÍTULO VINTE E SEIS

AXEL
O DIA DEPOIS que eu mostrei a casa para Cax, eu finalmente voltei a
trabalhar no departamento de atletismo.
Eu ainda estava a duas semanas de tirar o gesso do meu braço, mas por
outro lado eu estava indo muito melhor. Minhas costelas pareciam
principalmente normal, exceto quando tossia ou espirrava. E mais importante,
a visão no meu olho direito voltou ao normal.
"Coloque sua bunda de volta na cadeira!" Boz gritou quando eu andei no
escritório. "Estou me matando tentando cobrir o hóquei e basquetebol."
"Prazer em vê-lo também, Boz."
Ele sorriu para mim. "Eu sou, tipo, responsável por você agora, certo?"
"O que?" Coloquei a xícara de café que havia comprado na mesa. "O que
você quer dizer?"
"Você sabe, porque eu salvei sua vida."
"Como você descobriu?"
“Carregando aquela maca, cara. Eu possuo você agora, como um
escravo? Você vai nomear seus filhos depois de mim?” Ele girou a cadeira da
mesa.
E pensar que eu tinha perdido esse lugar. “A verdade é que não consigo
engravidar meu namorado. Mas Boz parece um bom nome para um cachorro."
Ele agarrou seu peito em falso horror. Um cachorro? "
"É realmente o melhor que você pode esperar de Cax e eu."
"Eu deveria ter deixado você sangrando na floresta."
“Então você teria que cobrir o hóquei e o basquete sozinho. Você pode
acidentalmente trabalhar mais de quarenta horas por semana.”

205
Ele pegou uma faixa de suor Barmuth Bears em cima da mesa e jogou em
mim. "Bom ponto, imbecil."
"Eu posso ser persuadido a levá-lo para almoçar, mais tarde,
apesar." Joguei a faixa de suor de volta, saltando em sua testa.
Boz colocou as mãos atrás da cabeça e sorriu. "Isso vai fazer. Agora me
ajude a planejar uma noite em família no estádio de hóquei. Posso acabar de
copiar seu comunicado de imprensa?”
“Claro, amigo. Contanto que você lembre de colocar a palavra 'hóquei'
onde quer que eu escrevi 'basquete' ”.
"Você poderia fazer essa parte por mim."
“Você vai ordenhar toda essa coisa de 'salvar vidas', não é?" Eu dei a
palavra aspas no ar.
"Uh-huh."
Liguei meu computador empoeirado e comecei a procurar o comunicado
de imprensa.

O dia passou rapidamente. Foi bom pensar em trabalhar de novo, em


oposição a todas as grandes questões da minha vida.
Eu sentia falta de Cax, no entanto. E eu não tinha certeza se era um bom
sinal que eu não tinha notícias dele depois de nossa grande discussão na casa
vazia na Newbury Street.
Em casa, naquela noite, enviei uma mensagem para ele. Podemos
conversar?
Ele voltou com: Posso ligar para você por volta das dez? Pijamas
opcional.
Claro .
Eu estava muito cansado, e ficar acordado até as dez se mostrou mais
difícil do que deveria. Comi um pedaço de lasanha e vi alguns destaques
esportivos na televisão. Então eu fui para a cama para esperar a ligação de Cax.

206
Infelizmente, dez horas chegaram e saíram sem meu telefone
tocar. Passados dez minutos, enviei uma mensagem para ele novamente. Você
está livre agora?
Não houve resposta. Mas um minuto depois, alguém bateu na minha
porta.
E, porra, eu realmente senti um arrepio de medo. Não havia razão para
me sentir inseguro no meu apartamento. O único homem na cidade que já quis
me machucar estava preso. Mas o subconsciente é uma vadia às vezes. "Quem
é?" Chamei.
"Apenas um cara", a voz de Cax disse atrás da porta. "Um cara que quer
te deixar nu."
Estremeci novamente por uma razão completamente diferente. Então eu
me apressei até a porta e a abri tão rapidamente quanto humanamente
possível. "Oi", eu respirei quando Cax entrou, trazendo o frio de janeiro com
ele.
Ele me beijou uma vez, rapidamente. “Volte para a cama, querido. Está
frio. E é aí que eu quero você, de qualquer maneira.”
Calor brilhou na minha virilha quando eu o obedeci, atravessando o
quarto e subindo na minha cama novamente. Sempre tivemos falta de tempo
sozinho, e esse era o melhor tipo de presente. “Você deixou Jared
encarregado?"
Os três estão dormindo. Deixei um bilhete na mesa da cozinha dizendo
para onde eu tinha ido. Mas meu plano é voltar para casa as sete amanhã de
manhã, para que eu possa levar Scotty para a escola.” Ele estava de pé ao meu
lado da cama, deslocando seu peso de pé para pé. "Tudo bem?"
“Isso é melhor do que tudo bem. Agora venha aqui.”
Ele sorriu, aqueles olhos castanhos sorrindo para mim. Ele se tirou o
casaco e pôs as mãos nos botões da camisa oxford.
"Deixe-me fazer isso", eu disse, minha voz rouca. "Tire seu jeans, apesar."

207
Seus longos dedos manipularam seu cinto, e eu me senti crescendo
duro. Eu sempre quis esse homem, e aqui estava ele, tirando suas roupas para
mim. Coloquei minha camiseta na cabeça, mas ficou preso no meu maldito
gesso.
"Deixe-me", disse ele, ajoelhando-se na minha cama, aliviando-a. "Oh,
sim” ele disse com um suspiro, abrangendo minhas coxas. Ele jogou a t-shirt
longe e se inclinou para beijar meu peito.
Inclinei minha cabeça contra os travesseiros e suspirei com
felicidade. Ele enfiou a língua no meu mamilo e eu gemi. "A melhor ideia que
você já teve, Caxy.”
"Uma delas", ele concordou, beijando seu caminho até o meu
pescoço. "Eu quero que você me foda. Estive pensando nisso o dia todo.”
As palavras atraíram um gemido dos meus lábios. "Droga, eu gosto de
ouvir você dizer isso quase tanto quanto eu gosto de fazer.”
Ele se deitou ao meu lado, tomando cuidado para evitar meu braço
quebrado. Ele colocou os lábios ao lado da minha orelha. "Passei minha vida
inteira tomando cuidado com o que eu disse” ele sussurrou. "Mas agora eu só
quero gritar isso do topo do telhado."
"Vá em frente", eu respirei. Meu corpo estava zumbindo de excitação
quando Cax deixou seus dedos deslizarem pela minha barriga. "Conte-me mais
sobre o que você quer."
"Mmm", disse ele, e meu pau estremeceu com o som ofegante. "Você vai
deitar de costas, e eu vou montá-lo enquanto você me fode.”
"Jesus", eu sussurrei enquanto uma corrente elétrica de luxúria corria
direto do meu ouvido para minhas bolas. "O quê mais?"
"Você vai gozar na minha bunda, e eu vou gozar tudo sobre o seu peito
enquanto eu chupo sua língua."
" Ungh " , eu ofeguei. “Pegue o lubrificante. Rápido."
Ele riu e mergulhou em direção à mesa de cabeceira. Como esta era
minha vida? Cax, o homem dos meus sonhos, de alguma forma se tornou

208
familiarizado com o seu falador interno. Eu lubrifiquei meus dedos enquanto
ele se virou para o pé da cama e apresentou sua bunda para mim. "Eu não sei o
que aconteceu com você", eu disse, acariciando meus dedos em seu vinco. "Mas
eu gosto." Eu o penetrei gentilmente com o meu dedo indicador, e ele deu um
suspiro feliz.
"Só precisava de você", ele ofegou quando eu comecei a prepará-lo. "Eu
não quero mais ficar quieto. Porque ... ahh.” Ele abaixou a cabeça para a
colcha. "Foder primeiro, falar depois", ele murmurou.
"Concordo", eu resmunguei. Dedos nele estava me deixando duro como
tabua. O número de vezes que ficamos nus juntos era ainda bem pequeno, mas
não era assim. Naquele momento, eu poderia jurar que éramos amantes há
anos. A confiança que tínhamos um com outro era como um casulo ao redor da
cama. Eu sentei mais reto e inclinado para a frente para que eu pudesse beijar
os músculos nas suas costas bonitas.
"Sim", ele respirou. "Te quero tanto."
Santo ... toda essa conversa incrivelmente seja seria um inferno para o
meu autocontrole. Eu me concentrei no assunto em questão, esticando ele até
que ele estava pressionando meus dedos. Até ele estar pronto para mim.
"Gire, baby", eu disse, arrumando os travesseiros atrás de mim sentado
um pouco.
Ele virou o corpo e ficou com os joelhos ambos os lados de mim. A vista
em seu peito lindo era de tirar o fôlego. E seu pau duro e perfeito
estava quase perto o suficiente para provar. Desviei o olhar para procurar a
camisinha e me acalmar por um segundo também.
"Axe, você sabe que está livre de doenças, certo?"
A pergunta me deteve. "Sim. Eu fui testado. Por quê?" Eu olhei em seus
olhos castanhos.
Ele sorriu para mim. "Não vejo como precisamos desse
preservativo. Você está seguro e eu sou um monge.”

209
"Uau." Eu deixei sair muito ar. "Exceto que eu vou durar cerca de trinta
segundos se formos sem camisinha. ”
Cax sorriu. "Parece divertido." Ele alcançou o lubrificante, abriu a tampa
e depois regou um pouco no meu pau. Ele me lambeu enquanto eu
praticamente desmaiei de antecipação.
Fechei os olhos, apenas tentando sobreviver. “Sem brincadeira, baby.
Este não será o meu momento mais impressionante. Você está fodidamente me
matando agora.”
Seu sorriso se tornou mal. Ele andou de joelhos para a frente até que
estava em posição.
Então? Ele me enfileirou e afundou lentamente no meu pau.
O calor mais bonito e apertado me envolveu, e eu achei-me ofegando com
a sensação incrível. "Oh ... doce Jesus” eu bufei. "Tão apertado."
Ele largou os cotovelos na cama e cobriu minha boca com a sua. Nós nos
beijamos com fome. Desesperadamente. Como se fosse o último beijo que nós
teríamos.
Não seria. E isso tornou ainda mais doce.
"Oh merda", eu gemi em sua boca. "Foda-se em mim, bebê. Quero isso."
Ele deu um empurrão nos quadris - apenas o suficiente para me lembrar
como bom que ia ser.
"Oh, por favor, oh, por favor, oh, por favor", eu cantei entre beijos. “Quero
te foder. Precisa vir.”
Ele se endireitou um pouco, sorrindo para mim. "Apenas não ainda,
querido. Mas logo."
Com um gemido gigante, tentei rolar meus quadris. Isso me deu alguma
coisa, mas não foi o suficiente.
Finalmente, Cax teve piedade de mim. Com as mãos na cama, ele
começou a se foder comigo em golpes curtos e lentos. Depois de alguns destes,
ele deu um gemido gigante. “Ah, Axel. Eu amo você dentro de mim.”

210
"Eu te amo em todos os lugares", suspirei, me entregando a isso. Eu
deslizei a mão em seu pênis e acariciei uma vez, e ele ofegou.
"Isso é ... ahh." Ele suspirou, acelerando o passo. "Isso é ... eu posso
colocá-lo exatamente onde eu preciso de você.” Seus olhos se fecharam com a
força do prazer. "É perfeito."
Isso era. Acariciei-o novamente, meu polegar roçando a cabeça do pau
dele, arrastando-se pela mancha onde ele estava vazando para mim. Eu relaxei
por um minuto, respirando profundamente enquanto ele montava em
mim. Mas eu estava muito mal para esperar muito mais tempo. Havia nada
entre nós - sem camisinha, sem problemas. Isso era meu para aproveitar, e eu
não aguentava mais. “Venha para mim, querido. Beije e venha me buscar.”
Em um gemido, ele deixou cair a boca ansiosa na minha. Eu empurrei
minha língua pra dentro, e ele chupou. Uma vez. Duas vezes. Eu senti todo os
nossos problemas desaparecem em seu suspiro sensual. Apertei seu pau, e foi
quando senti que estava começando. Ele estremeceu com um impulso. Então a
sua bunda apertou meu pau latejante, e ele começou a entrar em erupção na
minha mão e gemeu na minha boca de uma só vez.
Com um grunhido, puxei meus quadris para cima. Minhas bolas
engataram e apertaram e depois tudo acabou, exceto o choro. Meu clímax rugiu
em minhas veias enquanto eu descarregava todas as minhas tensões no corpo
duro e disposto dele.
Alguns momentos depois, ficamos lado a lado e tentei puxar ele mais
perto.
"Suas costelas", ele murmurou.
"Eles estão bem. Venha pra cá."
Desajeitadamente, ele se jogou parcialmente em meu corpo
pegajoso. "Nós precisamos levar o quarto para a garagem” ele ofegou. "Então
os meninos não podem nos ouvir quando transarmos.”
"Você quer dizer ..." Eu acendi dentro de emoção. Na casa no final da
rua?”

211
Ele acenou com a cabeça no meu rosto. Então ele beijou minha bochecha.
"Mal posso esperar para morar lá com você", eu disse.
"Eu também. Não significa que ainda não estou preocupado com o
dinheiro."
Eu dei-lhe uma pequena pitada. “É só dinheiro. Eu sei que não tem o
suficiente. Mas eu não tenho o suficiente de você na minha vida também. E esse
é o maior problema.”
"Concordo", ele disse calmamente. “Eu meio que sugeri hoje à noite que
você pode fazer parte do nosso futuro. Mark tomou melhor do que eu pensava.”
Acariciando seus cabelos, eu o puxei para mais perto. "Eu não conheço
Mark muito bem. Mas seus irmãos te amam muito. E se eles estiverem vivendo
em uma casa onde ninguém está gritando, eles vão perceber que a vida é muito
boa.”
"Espero que sim", disse ele. “Eu vou fazer isso de qualquer maneira, no
entanto. Até se Mark tiver problemas com isso. Eu só não quero que ele aja
como um pau com você. É isso que me preocupa.”
Eu pensei nisso por um minuto. "Ele pode. Mas eu sou um homem gay
há anos, e eu não acho que exista algo que ele poderia me dizer que eu ainda
não ouvi. E ele tem garoto assustado escrito em cima dele, querido. Eu posso
lidar com ele até que ele esqueça de ter medo. "
Cax sorriu contra o meu rosto. "Mais uma coisa? Eu posso ter
mencionado que você é um cozinheiro fabuloso. E ele gostou do som disso."
Isso me fez piar de tanto rir. "Você está vendendo meu frango com alho,
queijo feta e limão? ”
"Sim." Agora nós dois estávamos rindo. "Desculpa. Eu estou realmente
desesperado pra ter isso funcionando. "
“Uh-huh. Eu vejo como realmente é.” Eu belisquei sua
bunda. "Brincadeiras de lado, prepararei um banquete para aquele garoto, se
isso o conquistar.”

212
“Poderia. É verdade o que eles dizem. O caminho para o coração de um
homem-"
"É com boquetes."
Cax bufou. "O caminho para o coração de um menino é através do seu
estômago. Se eu estou morando na sua casa, você tem que me deixar comprar
todas as compras. Esses garotos podem comer .”
"Nossa casa", eu disse suavemente.
"Nossa casa", ele repetiu. “Enquanto isso, posso usar seu chuveiro
alugado? ”
"Vá em frente."
Cax se levantou e desapareceu por alguns minutos. Ele voltou vestindo
minha toalha e carregando uma toalha. Sentado ao meu lado na cama, ele
baixou o pano quente no meu peito. E quando eu tentei assumir, ele empurrou
minha mão para fora do caminho. "Deixe-me. A qualquer dia, você estará
curado e você não vai precisar mais da minha ajuda.”
"Eu sempre vou querer a sua ajuda", eu disse, passando a mão por seu
braço forte.
Ele se inclinou para me beijar uma vez na barriga. "Bom. Como foi seu
primeiro dia de volta, afinal? Eu estava muito ocupado fazendo sexo com você
pra perguntar."
Fechei os olhos quando a toalha deu outro passo. "Não me lembro
agora. Muito cansado. Muito satisfeito.
Cax riu e beijou minha pele limpa mais uma vez. "Durma. Vou emprestar
sua escova de dentes e ir para a cama.”
“Ok. Amo você."
"Amo você."
Ele desligou a lâmpada de cabeceira e eu cochilei até o quente, corpo
confortável ficar pressionado ao meu lado.
Então eu dormi, sabendo que tudo estava finalmente indo bem.

213
EPÍLOGO

NOVE MESES DEPOIS

CAX
“A CAMPAINHA DA PORTA ESTÁ TOCANDO”, disse Mark. Meu irmão
estava deitado de bruços de costas no chão, um livro de bolso de suspense sobre
sua cabeça.
"Então atenda, seu idiota preguiçoso", solicitei. "Eu estou no meu ouvido
em cascas de batata aqui.”
"Eu vou fazer isso", disse a mãe de Axel, limpando as mãos dela no
avental.
"Você não deveria, Ann", protestei, mas ela estava já a caminho da
porta. Eu dei dois passos para longe da ilha da cozinha para que eu pudesse dar
um chute no tornozelo de Mark.
“Boas maneiras, garoto. Caminho a percorrer.”
Sua única resposta foi virar a página.
Voltei à tarefa em questão: preparar batatas. Esse ano Axel trabalhou
duro para me ensinar a cozinhar. E eu trabalhei aprendendo duro. Cozinhar
era divertido quando envolvia seguir meu namorado gostoso pela cozinha.
E enquanto eu desejava que Mark tivesse maneiras um pouco melhores,
eu não ia fazer muita coisa a respeito. Porque seu nível de conforto da nossa
nova situação familiar melhorou drasticamente desde os primeiros dias. Ele
convidava seus amigos regularmente agora.
E na semana passada eu o ouvi apresentar Axel ao seu companheiro de
equipe de luta livre como "namorado de Cax".
Foi tentador dizer: "Veja, isso te matou?" Mas eu não fiz isso, e tenho
certeza que ele estava agradecido.
"Ei pessoal! Feliz Dia de Ação de Graças!"

214
Eu me virei para ver Jason entrar na cozinha, carregando três garrafas de
vinho. "E aí cara. Obrigado por trazê-las.”
"É o mínimo que eu poderia fazer." Ele os colocou na ilha e olhou em
volta. “Eu amo o que você fez aqui atrás. Isto está parecendo ótimo."
"Obrigado. Caleb fez muito disso.” Nossos amigos e vizinhos tinham nos
ajudou a derrubar a parede entre a cozinha e a sala, então a planta poderia ser
mais um espaço familiar, como a antiga casa.
"Vamos vê-los hoje?" Jason perguntou, dando de ombros no casaco dele.
"Não até mais tarde", eu disse. “Ele e Josh estão jantando com sua família
em Cheshire. Mas eles podem parar para tomar uma bebida mais tarde."
"Onde está Axel?"
"Aqui!" Axel gritou da sala de jantar. "Eu estou tentando descobrir se a
rede de arrasto da lareira funciona, ou se eu vou nos queimar. ”
"Precisa de uma mão?" Jason ofereceu.
"Nah, acho que tenho isso." Ele apareceu um minuto depois, sorrindo,
cheirando um pouco a fumaça. "Feliz Dia de Ação de Graças, cara." Ele apertou
a mão de Jason. "Fico contente que você pôde se juntar a nós."
A mãe de Axel se juntou a nós na cozinha novamente. "Meninos,
precisamos ferver as batatas. Este peru está quase pronto. E Axel tem que
colocar seus famosos rolos de pretzel no forno.”
De repente, Mark sentou-se. "Axel fez rolinhos de pretzel?"
Meus olhos se voltaram para Axel, que piscou. "Ele com certeza fez."
"Incrível", disse meu irmão do meio, colocando a mão no estômago.
"Você só consegue um se arrumar a mesa", disse a mãe de Axel. "E Cax,
precisamos dessas batatas."
"Desculpa." Voltei à tarefa em questão. "Eu sou um bom trabalhador,
mas eu não sou rápido.”
Axel estendeu a mão. “Eu posso assumir? Só tem um descascador e ...”Ele
sorriu.
"Eu não estou ofendido." Eu entreguei. "Eu vou dividi-los."

215
No tempo que levei para dizer essas três palavras, Axel tinha pegado uma
batata e descascado metade dela. "Combinado."

Trinta minutos depois, Ann conseguiu convencer os garotos a arrumar a


mesa. Jason e eu estávamos servindo bebidas. Ann e Axel se mudaram pela
cozinha como um par de dançarinos habilidosos, sempre antecipando os
movimentos um do outro.
"Uau", disse Jason, assistindo Axel cozinhar. "Eu sabia que ele era uma
captura."
Isso me fez corar. Eu nunca diria isso em voz alta, mas não gostava de
saber que Jason uma vez convidou Axel para sair.
"Quando vamos pegar alguém para você?" Perguntou Axel quando ele
bateu o molho. Meus olhos estavam colados aos músculos flexionando no
antebraço enquanto ele fazia isso. Não havia nada mais sexy que um pedaço de
um homem fazendo o jantar. Nada.
"Eu não sei ..." Jason levantou a mão na parte de trás do pescoço, e eu
pensei ter visto suas bochechas esquentarem.
"Realmente?" Axel gargalhou. "Quem é ele?"
"Eu te conto depois", ele murmurou. "O que mais eu posso fazer?"
"Arrume os meninos para a mesa", disse Ann. "Terminei o jantar.
"Eu vou fazer isso", eu disse. "RAPAZES! COMIDA!"
Houve uma batida instantânea de pés em direção à mesa na outra sala.
Ela riu. “Eu tinha esquecido como os meninos estão com fome quando
eles estão crescendo. ” Ela levantou o prato de peru, que parecia
surpreendente. "Ok, vamos comer."
Todos nos sentamos e milagrosamente meus irmãos esperaram Ann para
fazer uma oração de trinta segundos antes de se lançarem para a comida.
Examinei os rostos contentes à mesa e peguei um pedaço na minha
garganta. Um ano atrás, essa cena teria sido impossível para mim - uma
refeição amigável com a família, meu namorado à mesa.

216
"Cax?" Axel tocou meu braço. "Você não está comendo?"
"Hum, sim", eu disse, pegando a tigela de recheio que ele me entregou.
"Só fiquei um pouco distraído por um segundo."
Sua mãe me lançou um olhar caloroso do outro lado da mesa. "Eu tenho
uma pergunta importante. O que o clã Williams come sobremesa? Você come
imediatamente, ou deve haver uma pausa entre?"
"Oh, há uma pausa", disse Jared, passando o purê de batatas. “Mas este
ano podemos pular a parte em que papai faz Scotty chorar porque ele não pode
jogar uma espiral29. "
"Eu posso fazer uma espiral", argumentou Scotty.
Jared sorriu, mas Scotty não percebeu, felizmente.
"Eles, hum ..." Os olhos de Scotty dispararam para os meus. "Existe Ação
de Graças na prisão?
"Sim", eu disse suavemente. Na verdade, eu não tinha ideia. Mas
provavelmente certo? “Ele está bem, Scott. Ele prefere estar aqui com você do
que lá. Mas é assim que as coisas são.”
"Não deveria ter espancado Axel, então", disse Jared antes de empurrar
uma mordida gigante de peru em sua boca.
Axel levantou os olhos para os meus, como se perguntando se eu iria
seguir essa linha de discussão. Mas eu apenas balancei minha cabeça. "Qual
time de futebol estamos torcendo hoje? ”
“Patriots30. Duh” disse Mark para o prato.
"Duh", Jason ecoou, e todo mundo riu. Até o Mark.

217
29
É um movimento de futebol americano.
30
New England Patriots é um time profissional de futebol americano sediado na cidade de Foxborough, em
Massachusetts.
Horas depois, estávamos sentados ao redor da mesa novamente. Tinha
estado livre de comida e sobremesa. Jared e Mark estavam em filmes com
amigos, e Scotty estava dormindo ou brincando com o iPod no saco de dormir
no chão do quarto de Jared. Ele desistiu de sua cama por Ann enquanto ela
ficava conosco.
A mãe de Axel já havia entrado.
Isso deixou Axel e eu, Jason, Caleb e Josh. Nós sentamos lá com taças de
vinho frescas tentando não gemer de comer muita comida.
"Maggie nos mandou para casa com uma pilha de sobras", disse Josh
girando o líquido em seu copo. “É o melhor dos dois mundos. Nós não
precisamos cozinhar o jantar de ação de graças, e ainda temos sanduíches de
peru por três dias. "
"Você realmente decifrou o código", disse Jason, erguendo o copo para
Josh. "Eu te saúdo."
"Podemos ouvir sobre seu namorado misterioso agora?" Axel
perguntou. "Eu esperei, tipo, horas."
Jason apoiou a cabeça em uma mão. "Não há namorado misterioso. Mas
eu tenho um vizinho muito quente. Ele mora na porta ao lado para a nova
casa." Jason acabara de se mudar - finalmente – para Merryline para estar mais
perto de seu escritório e clientela.
"Quanto sabemos sobre o vizinho quente?" Axel perguntou.
"Bem ..." Jason riu. "Houve um incidente."
"Um incidente nu?" Caleb perguntou.
"Sim." Jason suspirou. “Muita diversão. Mas quando eu peguei ele no
The Shaft eu deixei de lado o fato de que eu morava ao lado da porta dele. E
depois ele ficou meio chateado com isso.”
"Por quê?" Josh perguntou.
"Não tenho certeza." Jason franziu a testa. "Eu acho que pode parecer
meio perseguidor. Mas nós dois estávamos na mesma página. Foi apenas uma
ligação. Uma conexão realmente incrível.”

218
"Como ele é?" Caleb perguntou. "Qual é o seu tipo?"
“Não tenho certeza se tenho um tipo. Mas ele é um cara barbudo de
aparência grosseira. Pense lumbersexual31. Ele se encaixaria melhor na floresta
do que ele faz no meu bairro. "
"Vamos ver esta casa?" Eu perguntei.
"A qualquer momento. Eu tenho quartos de hóspedes. Mas apenas um
deles tem uma cama nele."
"Poderíamos ir ao The Shaft", disse Axel, passando a perna por baixo da
mesa ao lado da minha.
"Esse é um nome terrível para um bar", disse Josh.
"O pior", eu concordei, acariciando o pé de Axel com o meu.
"Bem." Jason empurrou a cadeira para trás. “Eu tenho que ir para casa.
E não é porque você está me grelhando. Mas é tarde, e eu tenho uma longa
viagem."
"Você pode bater em nossa casa", ofereceu Caleb.
"Eu vou para casa", Jason insistiu. "Estou ouvindo um áudio book sexy e
eu o desliguei na parte boa. Faz as milhas voarem. E é a única peça que estou
recebendo esta noite. Ao contrário de vocês.”
"Eu acho que estou cheio demais para o sexo", Caleb grunhiu,
levantando-se também. “Vamos para casa, querido. Eu preciso hibernar como
um urso.”
Vimos nossos amigos sair e pegamos o último copo para a
cozinha. Poucos minutos depois, subimos em nossa nova cama e nos
encontramos no meio. "Eu não consigo transar com minha mãe em casa” Axel
sussurrou.
Caí na gargalhada. "OK." Depois que nos mudamos juntos, demorou um
pouco para me acostumar a fazer sexo sob o mesmo teto que meus irmãos. Eu
fiz de qualquer maneira, mas no começo parecia arriscado.

31
Estilo lenhador sexy.

219
Mas não mais. Hoje em dia, temos muito. E é por isso que Axel não se
importava com só um pouco de beijinho acontecendo esta noite.
"Não muito apertado", ele gemeu quando eu o abracei. Estou tão
cheio. Eu poderia explodir. "
"Isso é tão sexy." Rindo, eu o beijei.
Ele passou os braços em volta de mim e suspirou. "Explosões aparte, foi
um feriado maravilhoso.”
"Foi", eu concordei. “Mas agora começa a marcha em direção ao
Natal. Eu não sei o que te comprar.”
"Nada", ele disse rapidamente. Já tenho tudo que eu quero."
O mesmo era verdade para mim, mas em vez de dizer isso, eu provoquei
ele. "Bem, eu acho que vou ter que devolver aquele boquete que eu estava indo
dar a você."
Ele beliscou minha bunda. "Você vai me dar de qualquer maneira."
"Verdade."
"Feliz Dia de Ação de Graças, Cax."
"De volta para você, querido."
Nós compartilhamos outro beijo e depois dormimos nos braços um do
outro.

Para mais traduções entre em nosso site


https://redfoxromances.blogspot.com/

220

Você também pode gostar